POLICIAL CIVIL VÍTIMA DE TORTURA POR GUARDAS DA CPTM? 40

Dr. Guerra,
Fiquei sabendo que no dia 24/11/2008, um colega foi torturado na estação do Brás, por seguranças da CPTM, aqueles de roupa caqui, que se intitulam Policiais Ferroviários. Parece que tudo começou porque o colega quando já próximo da saída, antes das catracas, por ser área aberta e ventilada, o mesmo acendeu um cigarro, momento que foi abordado pelo segurança por causa do cigarro. Parece que o colega estava desarmado, e concordou com os seguranças, e afirmou que iria deixar a estação, mas o segurança insistiu que ele só sairia se apagasse o cigarro e jogasse no lixo. O colega insistiu em atravessar a catraca e sair do terminal, mas foi impedido pelo segurança que insistia para ele que só deixaria a estação se apagasse o cigarro. O colega parece que disse que não iria apagar o cigarro e que iria deixar o terminal, momento em que foi agarrado pelos seguranças, que disseram que ele teria que ir até a famosa “salinha”. No intuito de impedir os seguranças, mesmo desarmado, sacou a funcional e se identificou, em seguida os seguranças o arrastaram até a salinha e lá foi humilhado e agredido por aproximadamente 20 minutos. É rádio peão, mas tem BO no 8º DP DECAP. Gostaria que o senhor se informasse e transmita para, se possível.
Abraços!
______________________
Virou moda, mas logo virará merda!
Já passou da hora de nós policiais de verdade – digo daqueles possuidores da verve policial, quer Civis, quer Militares – nos unirmos com o objetivo de garantirmos a nossa sobrevivência.
Guarda Metropolitana no interior já manda mais do que a PM, realizando busca pessoais e domiciliares “na cara dura”.
Absurdamente “estarrando até policiais militares”.
A respeito mandei lavrar BO de abuso de autoridade em desfavor desses guardas de Montemor.
Agora, os rapazes dessa CPTM levam policial para o “reservado”…
É o fim!
Não podemos deixar barato tais afrontas; por questão de honra.
E logo ninguém mais saberá quem é quem: os “black” da Ciªs de Trânsito municipais até já se parecem com o GOE…
Enfim, VAMOS PARAR DE TROCAR OFENSAS COM OS IRMÃOS DA PM…
Os nossos Cardeais foram os que nos deixaram na mão, assim não cabe revolta contra a PM.
Numa situação inversa centenas de Oficiais estariam no local defendendo a tropa.

  1. Irmãos da PM?
    cê ta de brincadeira?
    minha mãe é honesta nunca rodou bolsa em esquinas, los-hermanos são paridos da Ditadura Militar bando de Pal Mandados.

  2. Dr. Guerra
    Não sei onde postar essa noticia, porisso estou fazendo-a por aqui…
    Existem informações, claro pelo Radio Policia de corredores……que um certo Delegado que atuava em Piracicaba e posteriormente se transferiu para Campinas e que atualmente voltou a Piracicba esta envolvido com a tal Maria do Pó e com o sumiço daquela bagatela de cocaina em Campinas….Dizem que esse Delegado esta com a “pulga atras da coelha” por esse motivo e que ja esta sabendo que vai morrer…..os motivos …sei lá…..Informações dão conta que hoje ele esta em uma especializada em Piracicaba….Como sabemos que o Senhor é muito bem informado e com fontes firmes e verdadeira, mesmo porque acompanho o Senhor desde muito e até agora nenhuma informação que o Senhor trouxe ao conhecimento, digamos publico, nenhuma delas como dizemos foi “Bolhagem”…Procure saber a respeito desse fato…..será muito bom para todos nós saber quem é quem…..Um abraço

  3. ISSO TUDO ACONTECE POR CAUSA DA OMISSÃO, PRINCIPALMENTE DOS SENHORES DELEGADOS, SE UM GM CUMPRIR MANDADO DE BUSCA, É SÓ CUMPRIR A LEI MEU FILHO, USURPAÇÃO DE FUNÇÃO NELES E EM QUEM DEU A ORDEM ABSURDA, SEJA PROMOTOR OU JUIZ, MAS NO INTERIOR, MUITOS DELEGADOS SÃO PM (paus mandados), são omissos, com medo de bonde, depois querem equiparação com MP, desta maneira vão ser equiparados a coxinhas, ops já o são, bem feito estão colhendo suas omissões, ACORDA polícia civil, coloquem-se em seus lugares, cumpram e exijam o cumprimento da lei, que porra de Autoridade é essa???
    Lembram durante a greve aquele juiz folgado que quis “prender” o delegado que se recusou a fazer escolta de preso para audiência, então, só saiu nos jornais o oba,oba do dia, porém este soube se portar como AUTORIDADE, tomou as medidas cabíveis, trancou a ação e ainda vai sobrar pro “juiz” folgado e os coxinhas que o acompanharam (oficiais), vão ficar todos com cara de bosta. ACORDEM VAMOS NOS IMPOR DENTRO DA LEI.
    QUANTO AO COLEGA NA ESTAÇÃO DO TREM, TÁ ERRADO, MANDOU APAGAR O CIGARRO, APAGUE, SE IDENTIFICOU COMO POLIÇA, TÁ ERRADO, DEVE TER SE IDENTIFICADO PARA HUMILHAR OS GUARDAS, É COMO JÁ DISSE EM OUTRO COMENTÁRIO, SE IDENTIFICOU COMO POLICIAL, SEJA UM. COMO DESARMADO??? E A PORTARIA??? ENTÃO NÃO SE IDENTIFIQUE COMO POLICIAL, POIS ERROU OUTRA VEZ, RESUMINDO, BASTAVA APAGAR O CIGARRO E TAVA RESOLVIDO, AGORA O QUE NÃO PODE É ESFREGAR O DISTINTIVO NA CARA DOS OUTROS E NEM ARMA PORTAR, OS GUARDAS DEVEM TER PENSADO QUE ELE ERA “GANSO” E OLHA QUE MUITOS GANSOS ANDAM ARMADOS.
    AGORA MEU FILHO, vai pra justiça, exija danos morais, quem sabe ainda descola uma graninha, mas o vexame ninguém tira, bastava cumprir o determinado e ter apagado o maldito cigarro, olha o nível pessoal.

  4. COLEGAS POLICIAIS CIVIS

    Esse fato ocorrido com o colega é muito comum acontecer, vejam, a uns meses atras, um colega OPTEL, estava na estação do metro, desarmado e sem a sua funcional, ao ser abordado por policiais militares, resolveu identificar-se como sendo Policial Civil, e que naquela oportunidade disse aos milicianos que possuia apenas o seu holerite e que trabalhava na na delegacia que faz a circunscrição daquela estação do metro.
    A resposta foi: FODA-SE abre a mochila e mão na cabeça.
    Dizer que é Policial Civil para ZÉGURANÇA ou PM(PAU MANDADO), sem funcional, desarmado, sozinho, e indo para casa, CORRE RISCO DE SER AGREDIDO, HUMILHADO E ATÉ DE VIDA.
    Tenham cuidado!
    Para terminal a história, o colela OPTEL, ligou após, o ocorrido e eu, acompanhado do delegado e outros policiais fomos busca-lo, mais os corajoso coxinhas já haviam ido embora e dito que não precisavam esperar para confirmarem se o OPTEL era POLICIAL CIVIL, e vejam os cuzões eram da CIA que patrulhava o outro lado da linha daquela estação ARTHUR ALVIM,
    CIRCUNSCRIÇÃO DA OUTRA DELEGACIA, os policiais não tinham que estar fora do bairro deles.

  5. Desculpem meus amigos, mas só passa por isso quem for um verdade iro “bosta”.
    Sou operacional (GARRA), e é bom nenhum PM ou GCM tentar, apenas tentar levar uma comigo, se eu estiver de acordo com o Lei ou tiver como ser identificado como policial.
    Se bater de frente meu amigo, pode começar a rezar, suar frio, pois vou “senta o dedo”. E minha equipe é muito boa. Se eu der uma ligada pros parceiros é dois minutos para arrepiar os trouxas. Mas só de ver a minha “HK USP” já vão pensar duas vezes. No fundo “eles” sabem com quem podem ser folgados…
    Sou educado com todos e espero o mesmo tratamento, pois se assim não o for. “o barato vai ficar doido”

    VIVA A POLICIA CIVIL DE SÃO PAULO!

  6. PM não pode revistar PC em publico, nem automóvel, requeira autoridade competente,”DELEGADO” para acompanhar o procedimento. cabe representação, tem decreto pra isso, vou localizar e postar, além disso tem portaria da Corró PM que instrui tal procedimento, mas se o PC não anda armado nem porta funcional, vai arrumar problema é na nossa CORRÓ.

  7. PARA O 17:26, CARO COLEGA, O QUE TÁ DIZENDO É BESTEIRA, QUANDO ESTOU NA RUA DE SERVIÇO E SUSPEITAR DE ALGUÉM, PODE SER TIRA, DELEGADO, JUIZ, PROMOTOR, SEMPRE CHEGUEI FIRME E COM EDUCAÇÃO, SE ESTOU NA RUA E SOU ABORDADO POR POLICIAL, MINHA OBRIGAÇÃO É SIM SE SUBMETER À REVISTA, POIS NÃO TÁ ESCRITO NA CARA DE NINGUÉM QUEM É POLÍCIA QUEM É BANDIDO, JÁ SOUBE DE CASOS EM ABORDAGENS DOS ABORDADOS SE DIZEREM POLICIAIS E QUANDO OS POLICIAIS QUE OS ABORDAVAM BAIXARAM A GUARDA, OS CARAS SACARAM E COMEÇOU O TIROTEIO, OS ABORDADOS ERAM MALAS, POLICIAL OPERACIONAL SEMPRE SABE COMO AGIR AO SER ABORDADO, NUNCA TIVE PROBLEMAS ABORDANDO OU SENDO ABORDADO, SÓ CRIA CASO OS MAÇANETAS, QUE SE ACHAM ALGUMA COISA E VÃO SEMPRE QUERENDO ENFIAR A MÃO NO BOLSO PRA SACAR A CARTEIRA PRA NÃO SER ABORDADO, AÍ ÀS VEZES PODE ACABAR LEVANDO UM TIRO. CHEGOU VTR SEJA CIVIL OU MILITAR O PROCEDIMENTO CORRETO É LEVANTAR AS MÃOS VIRAR DE COSTAS E DIZER, SOU POLICIAL ESTOU ARMADO, AÍ SIM VC PODE DIZER VOU PEGAR MINHA FUNCIONAL TUDO BEM? SE NÃO AGIREM DENTRO DA LEGALIDADE, VC É POLICIAL SABE O QUE FAZER, SÓ ARRUMA CONFUSÃO OS FOLGADOS, SEJA ABORDANDO OU SENDO ABORDADOS.
    CUIDADO, SE UM DIA CRUZAR CONTIGO E FOR ABORDÁ-LO E TU SACAR A CARTEIRA, CAIXÃO PRA VC, MELHOR SER JULGADO POR 07 DO QUE CARREGADO POR 04, ATÉ HOJE COM MAIS DE 20 ANOS DE POLÍCIA SÓ TIVE 03 PROBLEMAS COM ABORDAGENS, 02 ERAM PMs E 01 CARCEREIRO, TODOS MAÇANETAS E NOVATOS.
    falo isso em relação a segurança de qwuem está trabalhando, agora após verificarem que vc é policial
    E MESMO ASSIM QUISEREM REVISTAR SEU VEÍCULO, CONCORDO QUE CHAME UMA AUTORIDADE (DELEGADO) NO LOCAL.
    QUANTO AO COLEGA QUE ESTAVA NO METRÔ SÓ COM O HOLERITE?? É COMPLICADO, E SE UM MALA TIVESSE ACHADO O HOLERITE DE UM POLICIAL E ESTIVESSE SE PASSANDO POR UM, QUANTO A FUNCIONAL TEM FOTO E OUTROS DADOS QUE DÁ PARA CONFRONTAR, O BOM SENSO É TUDO, DEPENDENDO DA SITUAÇÃO NÃO COMPENSA DAR UMA DE FUDIDO E TOMAR UM TIRO, SE QUEM ABORDOU ABUSOU, TOME AS MEDIDAS CABÍVEIS, MUITOS SE FERRAM POR NÃO SABER AGIR NA HORA CERTA, ÁS VEZES, NO MOMENTO NÃO DÁ PRA FAZER NADA, SEJA ESPERTO, AFINAL SE VC É POLICIAL CIVIL SABE COMO AGIR.

  8. certim. inda hoje vi um pm dirigindo um vw fusca 67 vermelho e bebendo drurys.
    moral da história: nenhuma.
    fusca não é carro, drurys não é uísque e pm não é gente.

  9. Colega desarmado ???
    Colega de quem cara pálida ?
    Polícia desarmado quer o que ? Se esconder, no mínimo também tava sem a funcional…tapa na cara é pouco para policial desarmado, vai apanhar na cara até de zelador de estacionamento maior de 65 anos e flanelinha.

  10. Irmão da pm….. só pode ser brincadeira mesmo…. precisei de apoio, sozinho e com um mala na mão….. sabe o que aconteceu???? choveu de mike, mas nao porque eu pedí apoio, e eles estavam proximo, é porque a população reclamou dos pipocos que foi dado para o mala parar…. ok? irmão, me desculpe, mas só se for seu, meu não !

  11. Sinceramente o OPTEL acima queria o que? fala que é Policial mas não tem como provar… Pediu pra tomar o mão pra cima;

    vamos usar o bom senso, a verdade é que ta cheio de bundão, uqe não tem a vocação, ou seja, a policia não corre nas veias;

    Tem cada figura nessa instituição que dá dó msm;

    procura outro emprego…

  12. ao colega das 18:07, continue abaixando as calças.
    por volta das 11:00h da quarta-feira, dia 09 de janeiro de 2008, mais um episódio lamentável praticado pelos policiais militares, SD ASSIS – ora comandante daquela guarnição, o SD ANDRÉ ALVES, SD BRAGA e o SD FERNANDES, especificamente do Grupo de Policiamento Tático – GPT. Os policiais tidos como de elite da PM faziam fiscalização e notificação de estacionamento proibido na Av. Principal do Pedregal, mais precisamente em frente ao comércio, onde ficam localizadas as agências bancárias da CEF, Itaú e outros bancos.

    No mesmo instante o policial civil DENYVAN SANTANA parou com a viatura policial descaracterizada, um veículo VW/GOL, de cor vermelha, em frente a um açougue situado do outro lado da rua onde os policiais militares faziam seu trabalho. Juntamente com o policial civil estava a pessoa de LUIS CARLOS DA SILVA e, sem motivação aparente os quatro policiais militares do GPT cercaram a viatura policial e abordaram o policial Denyvan e Luiz, com suas armas empunhadas e determinaram que ambos saíssem do veículo, momento em que Denyvan alegou ser “Papa Charlie”, linguagem de código policial, alertando aos policiais militares que ele era policial civil.

    Mesmo alegando ser policial civil e que estava em uma viatura policial, foi ignorado pelos policiais militares, os quais gritaram com Denyvan e Luiz exigindo que ambos saíssem do veículo e passassem pelo procedimento de abordagem e busca pessoal.

    Somente depois de ter sido constrangido pelos policiais militares, isto feito perante a sociedade que assistiu todo o feito, é que foi dada a oportunidade ao policial civil Denyvan, de se identificar. Não só os populares, mas também os comerciantes acharam um abuso praticado pelos policiais do GPT, ficando aterrorizados diante da cena lamentável de ver policiais militares provocarem um conflito com o policial civil.

    Para agravar a situação, mesmo depois de ter sido identificado, o comandante daquela guarnição reteve a identidade funcional do policial civil, comunicando ao oficial de dia e também ao Delegado plantonista, a quem foi entregue a carteira funcional de Denyvan.

    O SD Assis, alegando ter sido desrespeitado e desacatado, chegou ao cúmulo do absurdo em dizer que Denyvan estaria atrapalhando seu trabalho, e por isso iria ser preso e autuado em flagrante por desacato a autoridade, momento em que Denyvan comunicou o fato ao presidente do SINPOL/GO, SILVEIRA ALVES que deslocou para o local juntamente com membros da diretoria do sindicato dos policiais civis, convocando ainda cerca de quarenta policiais civis para dar apoio a Denyvan.

    Ao chegar ao local, constatado o fato e ouvidas algumas testemunhas, Silveira e os delegados que já se encontrava no local, defenderam Denyvan. Também fora chamado o delegado regional JOSÉ LUIZ MARTINS.

    A situação foi parar na Delegacia de Polícia de Novo Gama-GO, onde o SD Assis argumentou que Denyvan estaria errado em não acatar a determinação dos policiais militares, uma vez que tal procedimento era o aprendizado do POP(Procedimento Operacional Padrão), sendo para qualquer pessoa, independente de cargo ou função, porém o mesmo policial Assis disse que, caso fosse um deputado conhecido ele não faria o mesmo. Então, vê-se logo que tal procedimento não é para qualquer um, contrapondo inclusive o princípio de igualdade.

    Depois de muita discussão, foi questionado aos policiais militares o porquê de não ter sido dado ao policial Denyvan o direito de se identificar quando no início da abordagem quando ele disse ser policial civil.

    Fica uma pergunta: E se o policial Denyvan naquele momento estivesse fazendo uma campana, os policiais militares não teriam atrapalhado todo o serviço?

    Outra pergunta: Já que o policial civil Denyvan tem a prerrogativa de andar descaracterizado para proceder investigação, porque ter sido abordado daquela maneira, já que um dos policiais militares o conhecia, inclusive já havia trabalhado com ele na Delegacia de Novo Gama?

    E mais: qual a prerrogativa que tem os policiais militares de andarem fardados em serviço, sem a devida identificação de patente, nome e até mesmo o curso do POP? Tal acertiva deve-se ao fato de dois dos quatro policiais militares estarem sem identificação alguma, principalmente o comandante da guarnição, o SD ASSIS.

    Finalizado o conflito ficou aberto aos policiais militares e até mesmo ao policial civil que, caso qualquer das partes que acreditarem ter sido injusto o desfeche do fato, usarem do direito de representar administrativamente ou em juízo para reparação de danos que por ventura tenha ocorrido.

    Se não fosse o companheirismo dos policiais civis que chegaram imediatamente ao local e a ação do sindicato, talvez nosso colega teria sido mais um, dos que vem sendo vítima de abusos praticados por policiais militares na região do Entorno, bem como na capital e outras regiões do interior.

    Fica o alerta para todos os policiais civis do Estado de Goiás. Caso ocorra qualquer tipo de abuso, intromissão ou mesmo usurpação das atribuições da polícia civil, em qualquer localidade do Estado, é preciso que sejamos companheiros imediatos e nos façamos presente solidarizando com o colega e mais, comuniquem o sindicato para que as providências legais sejam tomadas.

    O que não podemos admitir são abusos daqueles que acham que devemos nos sujeitar a tais situações, principalmente as constrangedoras.

    Os policiais civis têm sido vitima constante de policiais militares que em casos isolados tentam desclassificar a polícia judiciária do seu papel perante a sociedade.

    Chega de abusos e arbitrariedades. É preciso dar um basta em tais situações e o SINPOL/GO fará as denúncias ao secretário de segurança para que as providências sejam tomadas e caso ocorra prevaricação, serão tomadas as medidas legais para acabar definitivamente com esse quadro, antes que o mesmo seja agravado.

    SILVEIRA ALVES DE MOURA
    Presidente do SINPOL/GO

    CONFIRA O OFÍCIO PROTOCOLADO NO SSPJ-GO

    Oficio nº 002/2008 Valparaíso de Goiás (GO), 24/01/2008.

  13. Enquanto a Secretaria da Segurança Pública nega a existência de um clima de rivalidade entre as polícias Civil e Militar, inclusive anunciando tal posição em nota pública, os envolvidos no episódio do último final de semana, na Ribeira, quando um policial civil acabou baleado após abordagem de PMs, continuam com acusações mútuas.

    Autuados na Delegacia do Bonfim (3ª CP) por tentativa de homicídio, o sargento Joildo Souza dos Humildes, 40 anos, e o soldado Luís Cláudio Bacelar Anton, 35, não só alegaram que o disparo que atingiu o agente Alex Pacheco de Cerqueira, 32, na coxa direita teria sido acidental, como afirmaram ter sofrido desacato. “Ele nos chamou de ladrões”, falou o sargento.

    Humildes confirmou que nesta sexta-feira será liberado do Batalhão de Choque da PM, onde ficou detido desde o último domingo, por força de alvará de soltura – o soldado Anton já havia deixado a prisão na última terça-feira. A versão dos militares é a de que Cerqueira foi abordado por conduzir uma motocicleta sem retrovisores e sem capacete.

    “Ele (Cerqueira) não quis mostrar a identificação de policial nem entregar a arma, alegando que já havia se identificado metros antes a um oficial. Mas o procedimento é o mesmo para todos e ele não podia desobedecer”, reiterou Anton. O soldado disse que tentou tomar a pistola de Cerqueira e que a resistência deste provocou a luta corporal, durante a qual a arma de Anton teria disparado.

    Presidente da Associação dos Policiais Militares do Estado da Bahia (Aspol), o sargento José Dias prometeu representar no Ministério Público Estadual contra Cerqueira, que é lotado na Delegacia de Repressão a Furtos e Roubos. Dias avaliou a ação dos policiais civis na condução das medidas jurídicas, como sendo “corporativista”.

    “Por isso também vamos pedir a responsabilização do delegado autor do flagrante. Os dois estavam a serviço da corporação no momento da prisão e deveriam ser encaminhados direto à Corregedoria da PM e não à delegacia“, argumentou. “O delegado inverteu a situação. Nossas prisões foram arbitrárias”, sentenciou Anton.

    O soldado e o sargento contaram ter sofrido ameaças por parte de cerca de 30 policiais civis que teriam cercado o módulo PM na Ribeira, exigindo a liberação de Cerqueira. “Eles é que me desacataram. Podem entrar com ação que estou tranqüilo, pois não cometi delito algum. Eu não tinha que entregar a arma”, respondeu Cerqueira.

    “Não houve luta corporal. Quem atirou foi Joildo. Foram covardes, me ofenderam e falaram que a PM é que é polícia de verdade porque mata”, concluiu Cerqueira, que ouviu dos médicos que o projétil não poderá ser retirado de sua perna.

    *Colaborou Helga Cirino, do A TARDE.

  14. Longe de ser somente uma matéria da grade curricular de todos os cursos e estágios oferecidos nos quartéis da Polícia Militar, Direitos Humanos é a disciplina essencial para a prática cotidiana de qualquer policial. “A idéia é fazer com que as outras pessoas respeitem os direitos humanos e que o policial atue sem cometer abusos ou violar os direitos dos cidadãos”, afirma o tenente Marcelo Tasso, professor de “Aplicação da lei no caso de grupos vulneráveis”, do curso de Direitos Humanos do Departamento de Polícia Comunitária e de Direitos Humanos da PM.

    Para o coronel Marco Antonio Moysés, coordenador operacional do curso, o conceito de Direitos Humanos já nasceu atrelado ao de Polícia Comunitária. “Na medida em que existe a aproximação da polícia com o cidadão, quebram-se barreiras e, conseqüentemente, tem-se o desarmamento do espírito tanto do policial quanto do cidadão.”

    Tasso relata que, no curso, os policiais aprendem matérias que abordam não só preconceito racial, mas também contra mulheres, crianças, adolescentes, vítimas da criminalidade e do abuso de poder – os chamados grupos vulneráveis.

    “Todo policial recebe uma cartilha, o Código de Conduta para funcionários responsáveis pela aplicação da lei, para que interiorizem as condutas”, diz Moysés. Ele crê que o comportamento das pessoas não muda de uma hora para outra, mas que foi possível notar grandes mudanças na corporação nesses últimos anos. “A adoção dos Procedimentos Operacionais Padrão (POP) uniformiza a ação policial e evita assim o exagero e o abuso do poder policial”, destaca.

    Hoje, um policial tem de seguir os procedimentos estabelecidos pelo comando da corporação. Em uma abordagem, o policial militar não pode agir como quer. “O POP visa, ao mesmo tempo, o respeito às pessoas abordadas e a segurança do policial. Desta maneira, evita-se o tiro desnecessário, preconizando a energia e não a violência”, revela o coronel.

    Uma das principais críticas em relação à atuação policial centrava-se na abordagem de cidadãos nas periferias. A Polícia afirma que o procedimento correto, em casos aparentemente preconceituosos aos olhos da população, é dar uma satisfação à pessoa abordada sobre o motivo da suspeita, sem desrespeitá-la em nenhum momento.

    Mas, não é somente os policiais militares que podem fazer o curso de Direitos Humanos: “Esse campo deve integrar a PM e a Polícia Civil. Por isso, disponibilizamos vagas para delegados”, ressalta Moysés. No total, são 20 vagas; destas, cinco são destinadas a policiais civis. Porém, a capitã Mônica Bondezan relata que estes 25% disponibilizados não são preenchidos: “Tivemos apenas um aluno voluntário da Civil”, comenta.

    No curso, os policiais aprendem que a verbalização é o procedimento correto numa abordagem. Assim, protegido, o policial dá oportunidade para que o suspeito se entregue.

    Discriminação

    O preconceito é crime: o artigo 5º, inciso 42 da Constituição diz que a prática do racismo constitui crime inafiançável e imprescritível, sujeito à pena de reclusão. Por isso, os policiais aprendem a história do negro no Brasil para que a discriminação se torne cada vez mais distante das práticas cotidianas.

    Moysés lembra que toda abordagem é tensa. Isto porque o policial não sabe qual será a reação do acusado, o que gera, muitas vezes, denúncias de que o policial militar agiu de forma preconceituosa com a pessoa abordada. Ele diz ainda, que é complicado caracterizar a discriminação: “Para ser considerado preconceito, tem que estar manifesto, até mesmo sob a forma de ameaça, como encontramos nos sites de repúdio. Não vale a dedução”.

  15. Caro GUERRA, concordo em partes em seus comentarios, mas posso afirmar que no interior as GMs só tem contribuido com a policia civil e você sabe disso, ou vai usar aquele lindissima frase NÃO SEI DE NADA, NAO FUI INFORMADO. Afinal se não fosse as prefeituras do interior as delegacias, os plantões policiais, as ciretrans, não funcionariam. Isso não justifica nenhum tipo de agressão ou tortura, afinal SAFADOS temos em todas as esferas, na PC na PM na PF, e em outras também sabe disso ou NÃO???
    E falo mais geralmente as escoltas de ultima hora é feita por quem? Quem ajuda a policia nas urgencias, quem? quem? quem? A GM, sem perguntar porque e sem ganhar a sua devida parte. Isso porque os policiais civis, escolhem o que fazer e quando o bicho pega no plantão nenhum puliça, sai da sua caminha para apoiar o colega que ta fudido, ai ligam para os azuizinhos para socorrer e no dia seguinte o puliça que ficou deitado no seu berçinho sai para buscar o que lhe cabe e o resto também, NÃO É???
    Logo precisamos saber sempre que no lixão da segurança, nem todos estão podres, afinal os comentarios que rola sobre sua pessoa não são dos melhores, e nem por isso acho que você seja isso que dizem, ate acho que você GUERRA é um otimo policial, e esta sendo apedrejado sem motivos aparentes ou estou enganado???
    Para concluir acredito que no interior as GMs tem apoiado corretamente as polciais, e todo o excesso tem que ser punido de acordo com a lei.
    Seu blog é ótimo, parabens.

  16. Caro leitor:

    Eu respondi em parte noutra postagem.
    Não quis denegrir as GMs. Falei de uma ocorrência da GM envolvendo um PM. Aliás, GM cujos pecados são todos originários de direção ora por Oficial, ora por Delegado. As guardas devem ser dirigidas por homens dos seus próprios quadros, já que não foram criadas outro dia. Não sou contra a GM, sou contra a omissão estatal que está municipalizando a Polícia Civil. Delegado dirigente de Delegacia com 90% do quadro composto por GM e contratados pela prefeitura, não passa de empregadinho do Prefeito e de Vereador da Situação.
    Tal ajuda não quero, pois está contribuindo para a extinção da Polícia Civil, por isso me manterei mero plantonista enquanto permanecer na Polícia.
    E os comentários ao meu respeito não saõ dos melhores é certo. Mas pergunte para GMs de São Vicente, Santos, Cubatão, Hortolândia ou de qualquer lugar, se o Guerra já usou a GM para cometer peculato praticar extorsão ou receber quaisquer presentes. Pergunte se eu já forjei acusações contra GMs, levando-os a cadeia e demissão. Talvez lhe respondam: o Guerra nunca, mas quem fala mal dele fez tudo isso e muito mais.
    Quem fala mal do Guerra é inimigo da GM, apenas se faz de amigo pelas vantangens…Mas na primeira pequena falha: “foi o ganso da GM, papel e cadeia pra ele “…

  17. PM nunca sera irmão, viva a guarda municipal de Montemor, coxinha é lixo e sempre foi, deram nome de policia na ditadura e esqueceram de tirar, guarda municipal cuida da cidade e não do prefeito, coxinha cuida da mumia e dane-se o resto. Nunca foram irmãos de ninguem, qualquer pirriu faz o serviço deles – guarda municipal é o futuro – ACREDITEM ” O FUTURO É POLICIA CIVIL ” GUARDA CIVIL MUNICIPAL” e força publica de capacetão e fardinha marrom – Tendo pena do lobo condenamos a ovelha – doutrinamos e prestigiamos os gcm´s eles serão os nossos uniformizados. um abraço aos herois de 16 de Outubro GOE GARRA SOE que defenderam APOSENTADOS E PENSIONISTAS e colegas desarmados. PS simpaticos a PM dão ancia em merda.

  18. Caros colegas

    Concordo que quando de uma abordagem, manter as mãos para o alto e agir conforme manda o policial da abordagem é correto até certo limite. Se quem me abordar mandar ficar com os braços pra cima, fico, se me autorizar com apenas umas das mãos pegar minha carteira fucional bem devagar pego, mas se quiser passar a mão no meu saco, isso só dentro da legalidade da abordagem, ou seja, com fundada suspeita de ilicito.
    Ja fui abordado por policiais que queriam me revistar e revistar minha bolsa, perguntei qual era o motivo da revista e disseram que era de rotina, então me identifiquei como escrivão e não autorizei a revista, o que foi acatado pelos policiais mesmo contrariados entre si. Talvez se me obrigassem a revista, não tivesse reagido, pois era 4 contra 1, mas quem me conhece sabe a dor de cabeça que daria com papel sendo protocolado pra tudo quanto é lado.
    O amigo das 18:07, deve ser muito bom de fundamento, para abordar um delegado ou juiz, e mesmo com esse identificado, dizer que suspeita (com indicios fortes) de crime que exija busca pessoal nessas autoridades.

  19. Ao colega das….abre aspas ” ÁS VEZES, NO MOMENTO NÃO DÁ PRA FAZER NADA, SEJA ESPERTO, AFINAL SE VC É POLICIAL CIVIL SABE COMO AGIR.

    27 de Novembro de 2008 18:07″fecha aspas…Você falou tudo o que eu ia falar…totalmente igual ao meu pensamento…Apenas uma colocação, a vítima estava desarmada por causa fortuita e não é de rua como nós os tiras que estamos cansados de tomar “estarros”, eu pelo menos tomo um por semana e sempre sai ileso, (por enquanto) Mas que você afanou tudo que eu ia dizer, você afanou…pode apostar…Afanou no bom sentido, foi mais ligeiro…então peço uma beirada no seu comentário e faço dele o meu comentário sobre o caso, que com certeza não vai passar em brancas nuvens…NÃO PASSARÁ.

  20. ENTÃO “LIGEIRINHO”, PARA FACILITAR,`A PARTIR DE HOJE PASSO A USAR O PSEUDÔNIMO “Dartanhan”, POR ISSO QUE FUI MAIS RÁPIDO, HEHEHE, BRINCADEIRINHA.
    SOU ASSÍDUO NO BLOG, E APROVEITO PARA AGRADECER AO DR.GUERRA, POIS , TEM COLABORADO MUITO COM NOSSA INSTITUIÇÃO, DEVEMOS ZELAR PARA QUE ESTE MELHORE CADA VEZ MAIS, MESMO PORQUE, ONDE IRÍAMOS NOS SENTIR EM CASA PARA TROCAR IDÉIAS E ATÉ UMAS RUSGAS.
    TKS A TODOS, BOLA PRA FRENTE.

  21. Sou candidato ao cargo de Investigador de Policia Civil de São Paulo. E é com pesar que vejo estas noticias de desintendimento dos agentes de autoridade.
    Pretendo se aprovado, realizar da melhor forma meu serviço. Respeitar a lei e fazer-se cumprir.

    …Concreto armado, moderna e altaneira
    entre as demais tu és sempre a primeira.
    Templo do saber constante,
    que nos faz seguir avante.
    Academia, ciência e luz.
    Sabedoria que nos conduz
    Academia, início e fim,
    porta de entrada e de saída
    de todas és a unidade mais querida.
    Escola armada, sagrado é teu chão,
    enterrem nele o meu coração …

    Abraço a todos

  22. Bem…
    Essa é a versão do usuário da ferrovia que é um cidadão igual a qualquer um outro, que cuja profissão é policial civil. Cumpre salientar que à luz das leis em vigor, a autoridade em direito de exercício é justamente os Policiais Ferroviários. A lei deve ser cumprida por todos e os policiais civis não podem transpor as leis a pretexto de se dizerem “os verdadeiros policiais do Estado”. Todavia, se houve abuso dos ferroviários isso será apurado. Podem ficar tranqüilos. Só para argumentar: Em Ferraz de Vasconcelos, um policial civil de folga utilizou-se de sua identidade funcional para adentrar com o seu veículo em local e horário não permitido. Depois, pasmem! O policial que elaborou um BO contra a verdadeira vítima que é o agente de trânsito. Essa síndrome de “otoridade” carece ser extirpado do Estado de São Paulo o mais breve possível, e que não me venham com colóquios flácidos para acalentar bovinos.

  23. Fui PM muitos anos e não concordo que PMs deem buscas e prendam cidadãos, cidadão devem ser detidos e presos por policiais cidadãos e não Militares, uma aberração, os comuns devem cuidar dos comuns e os especiais dos especiais.
    Entendo que Guarda Civil é policia, pelos menos é isto que se denota ao fazer inteligência dos artigos 1º, 5º, 18, 30, 144; 8º e 9º, 182 ambos da CF/88, artigo 78 do CTN, e CBO 5172-15 MTrab.
    No entanto é inconcebivel que vigilantes particulares a serviço da CPTM, que por força constitucional deve ser protegida pela PFF, atuem como se fossem membros de segurança pública em total desvio de finalidade, destarte se pergunta quem ganha com a privatização da segurança pública nas estações ferroviárias?????

  24. Carissimo Doutor Guerra, tomei conhecimento de sua luta luta em defesa da classe policial, na Escola Superior da Procuradoria Geral do Estado de São Paulo, onde estudo pos em DDHH e tive a honra de conhecer uma colega delegada, amiga sua e que muito se orgulha de sê-la.
    estou realizando um estudo sobre Liberdade de Expressão aos Servidores Policiais, e gostaria de t~e-lo como entrevistado.
    se puder mande email: cacospoac@yahoo.com.br
    grato e saiba de minha solidariedade a sua luta.

  25. Desculpem meus amigos, mas só passa por isso quem for um verdade iro “bosta”.
    Sou operacional (GARRA), e é bom nenhum PM ou GCM tentar, apenas tentar levar uma comigo, se eu estiver de acordo com o Lei ou tiver como ser identificado como policial.
    Se bater de frente meu amigo, pode começar a rezar, suar frio, pois vou “senta o dedo”. E minha equipe é muito boa. Se eu der uma ligada pros parceiros é dois minutos para arrepiar os trouxas. Mas só de ver a minha “HK USP” já vão pensar duas vezes. No fundo “eles” sabem com quem podem ser folgados…
    Sou educado com todos e espero o mesmo tratamento, pois se assim não o for. “o barato vai ficar doido”
    HÁ HÁ HÁ, QUE POLICIAL É ESTE QUE AMEAÇA, XINGA E OFENDE? QUE FALTA DE PREPARO PSICOLÓGICO E CONTROLE EMOCIONAL É ESTE?CERTAMENTE NÃO É DE HOMENS COMO ESTE QUE A EQUIPE “GARRA” É FEITA! LEMBRE-SE SEMPRE, CARO AMIGO, QUE VOCÊ DORME COM OS DOIS OLHOS FECHADOS E QUE SUA FAMÍLIA FICA EM CASA SEM VOCÊ! VOCÊ TOMA BANHO ARMADO? SUA FAMÍLIA TEM ESCOLTA PERMANENTE? NÃO PRETENDO AMEAÇÁ-LO, APENAS QUERO ESCLARECER QUE VOCÊ NÃO É NENHUM IMORTAL E DEVE VALORIZAR MELHOR SUA VIDA E DE SEUS FAMILIARES POIS A CRIMINALIDADE AVANÇA DE FORMA ÁGIL E RÁPIDA E NÃO HÁ COMO SABER QUEM É BANDIDO OU POLÍCIA! PROFISSIONAIS NÃO “LEVAM UMA” COM NINGUÉM E QUANDO HÁ DIFICULDADES POR PARTE DE PESSOAS A COR DA FARDA OU MESMO SE HÁ FARDA NÃO IMPORTA. SAIBA RESPEITAR PARA SER RESPEITADO. NUNCA DESACREDITE DE NINGUÉM. É FÁCIL SER “FÓDÃO” DIFÍCIL É SER HUMILDE. E HOMEM DE VERDADE NÃO SE ESCONDE ATRÁS DE ARMAS POIS TANTO UM FUZIL DE ASSALTO QUANTO UM REVOLVER CALIBRE .22 MATAM SE BEM USADOS! QUE TAL BOMBAS CASEIRAS DE EFEITO LETAL?

  26. Ô comédia operacional do Garra, sabe o que ocorre? na Pça da Sé vende aquelas carteironas espalhafatosa c brasão e colete em qualquer esquina, aí a tá armada a confusão aliado que tira não sei por que tira nem o que, nem de quem, não se identifica e quer cantar de galo, paga de cão, e vc não deve ser td isso que promete, seu market exagerou, vc deveria ser mais vc, e não “sou op do Garra”, se o Garra acabar cê tá na agua de salsicha, aí é foda, pior compromete a intituição PC.

  27. No final de 2008 um Bombeiro PM da Casa Verde, uma pessoa sem maldade, seguia para sua casa após sua jornada de trabalho qdo foi abordado por estes vigilantes que são enormes, mesmo informando que era Bombeiro PM foi levado ao calabolso existente na estação Barra Funda, onde tentaram desarma-lo, qdo o Bombeiro tentou impedir a arma disparou no chão, aí resolveram concertar, chamaram a viatura da PM e ligaram p corregedoria da PM, levados ao 23ºDP quase q foi autuado em flagrante pelo Dr Delegado.

  28. É comum tais vigilantes se envolverem em ocorrências com PC, PM, GCM, camelôs e até mesmo com pessoas que por lá passam com mercadorias mesmo que devidamente embrulhadas, tomam as mercadorias e dizem que é camelõ, Autoridades isso precisa acabar…

  29. eu gostaria de passado para os policiais da rota, que o cidadão é inocente até que se prove o contrario. Pois fui abordado, tratado como vagabundo e mesmo me identificando que eu era servidor público como ele. o mesmo ainda sabendo que eu trabalhava como agente de segurança da fundação casa (febem) continuou me constragendo. hoje o respeito que eu tinha pela corporação da pm já não tenho mais, já que infelizmente alguns de seus integrantes se julgam mais que os outros.porra eu emvado unidades so c/ uma tonfa e um escudo em apenas 12 homens ja tomei muita facada pra ser umilhado pro um sé ruela que se juga o bambambam, so tabem lutador de vale tudo proficional e o cara queria bater na minha cara po vai uns vinte caras pra pegar um vagabundo e ele acha q é o cara nois entra em 12 para botar 200 ladão no chão.obs nois todos estamos perdendo c/ essas pecuinhas vagabundo esta se unino!!

  30. descupa pelos erros de português eu não domino bem coputadores fico catando milho.abraço que abençoe a vcs todos!!

  31. descupa pelos erros de português eu não domino bem coputadores fico catando milho.abraço que abençoe a vcs todos!!!

  32. Me desculpem a sinceridade.
    A lei é oponível a todos. O policial civil deveria ter apagado ocigarro conforme prescreve as regras em vigor. Na verdade, o policial civil infrator deveria ser autuado em flagrante delito pelo crime de desobediência, no mínimo.

    PARABÉNS AOS POLÍCIAIS FERROVIÁRIOS!

  33. Sou Guarda Civil Municipal,com muita honra,um certo dia estáva rondando um prédio público,quando surgiu um veículo de marca g/m corsa, com uma família em seu interior onde seu condutor totalmente amedrontado pediu socorro a este,em seguida surgiu o segundo veículo um megane,parando bruscamente e freiando aproximadamente uns 8 metros, seu condutor desceu alterado , ofendendo com palavras de baixo calão e tentando agredir o cidadão,este interviu a ação do individuo, más o mesmo não obedeceu investindo contra a guarnição e dizendo ‘vocês são guardinhas de bosta,atire em mim’,sendo assim foi necessário o uso moderado de força física para conter o indivíduo
    que posteriormente íria se identificar como ‘POLIÇA’,após sua identificação solicitamos nosso Coordenador e ‘CGP’COMANDO GERAL DA POLÍCIA MILITAR,com á chegada do comando transfirimos o detido aos mesmos e relatamos o ocorrido,em seguida deslocamos ao Plantão Policial,onde está guarnição ficou como vitima nos relatos e a família como testemunha,sendo que tudo iníciou por um simples erro no transito e em seguida deu inicio á uma perseguição com direito a ameaça de arma de fogo e tudo mais,vindo assustar uma familia ingênua com criança de colo,resumindo o policial foi condenado á pagar cestas básicas e ficou com um desacato em seu antecedente críminal.
    Por este motivo não vamos generalizar todos os PMs,más nem sempre eles estão certos e preparados e os GMs despreparados ,vamos rever nossos conceitos.

  34. No final de 2008 um Bombeiro PM da Casa Verde, uma pessoa sem maldade, seguia para sua casa após sua jornada de trabalho qdo foi abordado por estes vigilantes que são enormes, mesmo informando que era Bombeiro PM foi levado ao calabolso existente na estação Barra Funda, onde tentaram desarma-lo, qdo o Bombeiro tentou impedir a arma disparou no chão, aí resolveram concertar, chamaram a viatura da PM e ligaram p corregedoria da PM, levados ao 23ºDP quase q foi autuado em flagrante pelo Dr Delegado.

    PURA VERDADE CIDADÃO

    Em 22 de junho de 2007 (há dois anos), um inspetor da GCM de SP localizou minha Blazer subtraida por desconhecido, ao lado da Prefeitura da Capital à Rua Dr. Falcão. No 1° DP, o delgado de plantão (das 08:00 às 20h00), depois de um acordo que envolvei propina, liberou o ladrão e queria me prender, pois ao assinar o Boletim de Ocorrência só às 20h10, eu falei tanto tempo só pra isso?. O delegado só não me prendeu em flagrante porque quando ele me deu voz de prisão eu retruquei a voz em nome da Ordem. Aí, ele afinou. Contudo me deu um enorme prejuizo, pois além de soltar o bandido ele apreendeu o meu veículo, que tive que liberar noutro dia.Isto é depois de uma loga candeira que os policiais civis pensam que têm o DIREITO de fazer com quem paga os seus salários.Quem quiser saber o nome da autoridade corrupta é so pesquisar o Boletim – RDO n° 6453/07-1°DP-Sé de 22 de junho de 2007.

  35. Agentes de Segurança Operacional. Os funcionários uniformizados de marron com dispositivo legal da atividade (poder de polícia), exercem sua atividades com base no CF artigo 144 (ordem pública). Não se trata de polícial federal, são funcionários contratados pela empresa por concursos para exercerem as atividades e em conjunto com as polícias civis e militares. São treinados pela PFF e exercem as atividades somente nas ferrovias e seus limites. A responsabilidade é totalmente da CPTM em monitorar a conduta de seus funcionários.

  36. FUNCIONARIO PÚBLICO É UMA PESSOA ESCOLHIDA PARA PRESTAR SERVIÇOS EM FAVOR DAS PESSOAS QUE TEM MAIS O QUE FAZER.
    INCLUEM-SE NESSA CATEGORIA OS POLICIAIS, QUE PODERIAM SER COISA MUITO MAIS IMPORTANTE EM SUAS CARREIRAS, MAS SE CONTENTAM COM UMA CREDENCIAL E UM REVOLVER.
    TANTO QUE ACABAM BRIGANDO ENTRE SI PARA MOSTRAR QUE UM É MAIS POLÍCIA DO QUE O OUTRO. ESQUECEM-SE “AS VEZES” QUE EXISTEM LITERALMENTE PARA CUIDAR DAS COISAS COLETIVAS. SUAS PRERROGATIVAS, POR VEZES, PARECEM SER MAIS IMPORTANTES DO QUE SUAS OBRIGAÇÕES.

  37. pau mandado, coxinha palavriado de quem sé vive tomando dinheiro dos outros, isto para este Fernando e esse Anony……qualquer coisa, vamos ter um pouquinho mais de criatividade e ter conceito proprio, os coxas hoje ja teen nivel superior e voces e o que conseguiram…. eu digo nada x nada, vcs. estão fadados a deixar de existir, seus babacas, cresçam e apareçam, olhem em torno cada vez mais perde espaço, que me perdoem os verdadeiros policias sejam eles quem forem…….ahahahahah que nojo passar por aqui.

O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade civil e penal do comentarista que venha a ofender, perturbar a tranquilidade alheia, perseguir, ameaçar ou, de qualquer outra forma, violar direitos de terceiros.O autor do comentário deve ter um comentário aprovado anteriormente. Em caso de abuso o IP do comentarista poderá ser fornecido ao ofendido!...Comentários impertinentes ou fora do contexto serão excluídos...Contato: dipol@flitparalisante.com

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s