1. tipo padrão…padrão mendigo…padrão pedinte ou padrão migalhão!
    socorro…chama a polícia …

  2. Polícia em operação padrão ? Deveria ser sempre asim ou o idiota sou eu que não entendo nada de polícia?
    Os grandes departamentos e delegacias ditas como “boas de se trabalhar” também entram nessa operação padrão e finalmente terão de cumprir com seus deveres? Deixarão de lado os interesses que digamos assim “não condizem com a função policial”?
    Será que finalmente TODOS os distritos policiais darão a atenção necessária aos que precisam de seu socorro ?Os boletins de ocorrência serão elaborados com detalhes para auxiliar a futura investigação sobre o caso ? E serão realmente investigados com a finalidade única exclusiva de esclarecer o fato e apontar os culpados para logo após poder prendê-los ?
    Olha…..estou para ver isso acontecer, e se acontecer, não é operação padrão, mas operação polícia limpa, dedicada e honesta, como deve ser em qualquer lugar do mundo.
    Mas quem sabe após conseguir o que se quer, volta-se logo a fazer o estilo de policia que todos nós conhecemos e oramos para que um dia acabe: uma polícia que dá de ombros ao cidadão e aos problemas da segurança pública e só senteressa quando o BO é “bom” ou o “cliente ” vai “virar algum”….Que merda, não é essa a polícia que eu tanto amo !

  3. A OPERAÇÃO PADRÃO É COMO UM CASCALHO DE PARCAS DIMENSÕES QUE SE SOLTOU NO ACOSTAMENTO DO RODO ANEL…

  4. Ou é GREVE ou o governo não dará sequer atenção.

    O ano é eleitoral. Serra quer ser Presidente.

    Já passou a hora de uma GREVE em boas proporções, na Polícia Civil.

  5. Se optarmos pela greve sofreremos as mesmas criticas que a EDUCAÇÃO e a SAUDE estao recebendo – greves políticas. A população fica do lado do SERRA, VOTARÁ NELE e NO PICOLE DE CHUCHU e nós seremos satanizados. A PM terá justificativa para usurpar nossas funções e usará isso de argumento no futuro para subtrair as funções usurpadas. O pais vive um momento delicado e PASSAGEIRO, que é o periodo eleitoral. Existe decisão so STF que nos proibe de fazer greve e ela poderá ser invocada a qualquer momento.
    Greve, definitivamente, não é uma boa estratégia nas presentes circunstancias.

    Já a OPERAÇÃO PADRAO é um movimento que pode durar indefinidamente e perdurar por todo o periodo eleitoral e inicio do0 governo do Alckmin e se alongar até que ocorra dialogo. Causa transtorno da mesma forma que uma greve e ninguem pode ser punido por cumprir a lei e não fazer sua obrigação nas coxas como é feito atualmente.

    O “oito ou oitenta”, o “vai ou racha” nunca funcionou em nosso favor. Sempre nos estrepamos e ficamos na saudade. Então vamo tentar algo novo ou pelo menos deixar quem quer fazê-lo.

    Aqueles que não concordam e não ajudam, pelos menos não atrapalhem.

  6. LEI COMPLEMENTAR Nº___

    Reestrutura o Quadro dos Ocupantes dos Cargos Privativos e Efetivos da Carreira dos Servidores Policiais da Polícia Civil do Rio Grande do Sul, instituído pelas Leis Nº. 4.914/64, 5950/69, 7.924/1984, 8.835/1989, 10.994/97, 10.995/97 e 12.350/05 e alterações;

    A Governadora do Estado do Rio Grande do Sul

    Faço saber, em cumprimento ao disposto no artigo 82, IV e 134 da Constituição do Estado, que a Assembléia Legislativa aprovou e eu sanciono e promulgo a Lei seguinte:

    Art. 1º – As carreiras de Escrivão de Polícia e Inspetor de Polícia passam a ser divididas em quatro classes, denominadas classe inicial, classe intermediária e classe final, além da classe de Comissário de Polícia, ao final da carreira de ambas as categorias, com seus respectivos padrões 07, 08, 09 e 10.

    Art. 2º – Fica extinta a 1ª classe, e seu respectivo padrão remuneratório 06, dos cargos de Escrivão de Polícia e Inspetor de Polícia, passando ambos os cargos para o padrão remuneratório 07.
    §1º – Os atuais Escrivães de Polícia e Inspetores de Polícia de 1ª classe, padrão 06, passam a denominar-se Escrivães de Polícia e Inspetores de Polícia de classe inicial enquadrados no padrão 07, inclusive seus inativos.

    §2º – Os Escrivães de Polícia e Inspetores de Polícia já investidos na 2ª classe no momento da promulgação desta lei, passam igualmente a denominar-se Escrivães de Polícia e Inspetores de Polícia de classe inicial.

    § 3º – Para fins de promoção por antiguidade serão observados os critérios de maior tempo de permanência na classe, conforme determina a lei, sendo considerado como maior tempo na classe inicial aqueles servidores que já se encontravam investidos na 2ª classe no momento de promulgação desta lei. No que tange à promoção por merecimento serão igualmente observados os dispositivos legais atinentes à matéria.

    Art. 3º – Os atuais Investigadores de Polícia serão automaticamente aproveitados nos cargos de Inspetor de Polícia e Escrivão de Polícia, no respectivo e equivalente padrão remuneratório correspondente, não podendo serem promovidos à classe superior antes de transcorridos 5 (cinco) anos da promulgação desta lei.

    § 1º – Os Investigadores de Polícia atualmente investidos no cargo que detiverem diploma em curso superior deverão optar pelo enquadramento no cargo de Escrivão de Polícia ou Inspetor de Polícia, observada a proporção de 50% (cinqüenta) para cada um dos cargos.

    § 2º – Os investigadores de Polícia que se enquadrarem nos requisitos previstos no § 1º deste artigo deverão, no prazo de 90 (noventa) dias a contar da data de promulgação desta lei, protocolar requerimento junto ao DAP/PC, anexando cópia autenticada de diploma de curso superior, indicando o cargo a se enquadrado.

    § 3º – Caberá ao DAP/PC observar a proporção de 50% no aproveitamento dos investigadores de Polícia nos respectivos cargos de Escrivão de Polícia e Inspetor de Polícia, fazendo as adequações necessárias à distribuição equânime nos cargos.

    § 4º- O investigador de Polícia que estiver concluindo ou não possuir formação em curso superior terá o prazo de 10 (dez) anos para sua efetiva conclusão, visando o enquadramento previsto neste artigo.

    Art. 4º – Os atuais Inspetores de Diversões Públicas e Comissários de Diversões Públicas, cargos ora em extinção, são, respectivamente, aproveitados nos cargos de Inspetor de Polícia e Comissário de Polícia, no respectivo e equivalente padrão remuneratório correspondente, não podendo serem promovidos à classe superior antes de transcorridos 5 (cinco) anos da promulgação desta lei.

    Art 5º – As vagas não providas na 1ª classe referentes ao padrão 06, são automaticamente redistribuídas dentre as demais existentes, passando a redistribuição das vagas dentro de cada cargo, a obedecer aos seguintes critérios:

    I – 10% do total de vagas de Escrivão de Polícia fica alocado no final da carreira na classe de Comissário de Polícia padrão 10;
    II – 10% do total de vagas de Inspetor de Polícia fica alocado no final da carreira na classe de Comissário de Polícia padrão 10;
    III – 20% do total de vagas de Escrivão de Polícia fica alocado na classe final no padrão 09;
    III – 20% do total de vagas de Inspetor de Polícia fica alocado na classe final no padrão 09;
    IV – 35% do total de vagas de Escrivão de Polícia fica alocado na classe intermediária no padrão 08;
    IV – 35% do total de vagas de Inspetor de Polícia fica alocado na classe intermediária no padrão 08;
    V – 35% do total de vagas de Escrivão de Polícia fica alocado na classe inicial no padrão 07;
    V – 35% do total de vagas de Inspetor de Polícia fica alocado na classe inicial no padrão 07;

    Art. 6º – Permanece em vigor o requisito básico para ingresso nos cargos de Escrivão de Polícia e Inspetor de Polícia, a graduação em nível superior conforme disposições do artigo 3º da lei 10.994/1997 e inciso III do artigo 2º da lei 12.350/2005, sendo suas atribuições atividades de nível superior de alta complexidade, sendo o recrutamento e seleção realizados por concurso público através de provas ou provas e títulos, na forma do anexo I desta lei.

    Art. 7º – Os Escrivães de Polícia e Inspetores de Polícia, que detém gratificações de funções (GF) inerentes aos respectivos padrões 08 e 09, bem como os demais servidores policiais que percebem tais gratificações de função, ativos e inativos, as terão incorporadas aos vencimentos básicos, bem como, em ato contínuo a esta incorporação, a incorporação do fator de valoração de 222% (duzentos e vinte e dois por cento), complementando os vencimentos básicos em parcela única, sem prejuízo das atuais vantagens remuneratórias pessoais e temporais.

    Parágrafo único – A incorporação das funções gratificadas e fator de valoração referidos no caput deste artigo, instituídos pelas Leis Nºs 9.892/90, 9.152/90 e 11.465/00, deverão ser implementadas, gradualmente, da seguinte forma:

    I – 50 % em junho de 2010;
    II – 50 % em dezembro de 2010;

    Art. 8º – Os Comissários de Polícia e Comissários de Diversão Pública terão incorporados ao vencimento básico, a gratificação prevista nas Leis 9.152/1990 e 9.892/1993 bem como, em ato contínuo, a atual GIAP (222%) que percebem, sem prejuízo das atuais vantagens remuneratórias pessoais e temporais.

    Parágrafo único – A incorporação da função gratificada e GIAP referidas no caput deste artigo, deverão ser implementadas, gradualmente, da seguinte forma:

    I – 50 % em junho de 2010;
    II – 50 % em dezembro de 2010;

    Art. 9º – A implementação integralizada das vantagens remuneratórias definidas nos Artigos 7º e 8º deverá constituir unicidade de padrão básico de vencimento, considerando os respectivos níveis das classes nos cargos.

    Art. 10º – Ficam criados 1500 (um mil e quinhentos) cargos para Inspetor de Polícia de classe inicial e 1500 (um mil e quinhentos) cargos para Escrivão de Polícia de classe inicial, para provimento no âmbito da Polícia Civil do Rio Grande do Sul.

    Art. 11º – As promoções, em todos os cargos integrantes da Polícia Civil, ocorrerão duas vezes ao ano, respectivamente nos dias 21 de abril, dia do Policial Civil e, 3 de dezembro, dia da Polícia Civil.
    Art.12º – Esta lei entra em vigor na data de sua publicação, revogando-se as disposições em contrário e permanecendo válidas as disposições do art. 3º da Lei nº. 10.994, de 18 de agosto de 1997 e da lei 12.350, de 26 de outubro de 2005, no que não contrariar os dispositivos desta norma.

    ANEXO I
    DENOMINAÇÃO DOS CARGOS DE ESCRIVÃO DE POLÍCIA CIVIL, INSPETOR DE POLÍCIA CIIVIL

    CARACTERÍSTICAS: São atribuições designadas aos servidores policiais, integrantes dos quadros da Polícia Civil do Rio Grande do Sul, incluindo-se Escrivães, Inspetores e Comissários de Polícia, além das já definidas por lei, as atividades de alta complexidade em caráter técnico de nível superior, envolvendo – sob orientação e supervisão da Autoridade Policial, ainda que substituta ou da chefia imediata por esta designada – o assessoramento, coordenação, supervisão, orientação, fiscalização, chefia e execução de tarefas atinentes a apuração de atos infracionais, atendendo às disposições de lei que visam à execução de atos administrativos cuja formalização busca instrução nos mais variados procedimentos policiais e jurídicos, voltados à persecução penal, bem como as atividades correspondentes a administração policial.

    JUSTIFICATIVA

    Visa à proposição do presente projeto de Lei, promover a reestruturação, manutenção e complementação das atividades e estrutura funcional do Quadro Efetivo e Permanente dos Agentes da Polícia Civil. A necessidade de modificações dos cargos e suas atribuições se fazem efetivamente necessário, tendo em vista a crescente escalada e modernização do crime organizado, bem como os altos índices de evasão dos quadros da Polícia Civil ainda nos primeiros anos de exercício da função.

    A proposta elaborada visa adequar e racionalizar os atuais cargos dos agentes policiais, propondo uma adequação na estrutura dos cargos de Escrivão de Polícia e Inspetor de Polícia.

    O objetivo é de estabelecer-se um perfeito plano atualizado da carreira policial com a devida valorização, dignidade e a honra encorajadora inerente a estes servidores públicos, adequando-se a uma síntese de deveres e atribuições modernas à realidade criminológica e social.

    O presente trabalho é a seqüência de uma temática, estudada e desenvolvida para que a Administração Pública e Policial receba o tratamento político correto para uma adequada repressão pela atividade policial desenvolvida pela polícia judiciária, incumbida na esfera estadual pela Polícia Civil do Estado do Rio Grande do Sul, quer pela extensão da matéria observada no atual sistema jurídico constitucional vigente, quer por constituir garantia à cidadania e consolidar o respeito aos direitos individuais, constitucionais, e sociais do Homem.

    A Administração Pública deve buscar o objetivo de segurança pública, definido pelos seus Agentes de Polícia judiciária e suas Autoridades Policiais, ou seja, os Delegados de Polícia. É o ser humano que agindo no exercício da atividade policial, que dota de vitalidade órgãos e as entidades que a compõe, almejando com seu trabalho e dedicação, a paz pública para uma sociedade civil organizada e trabalhadora. É prioridade constitucional do Estado, garantir o desenvolvimento social e econômico, bem como produzir instrumentos de proteção aos direitos naturais e fundamentais do Homem.

    No âmbito do Estado do Rio Grande do Sul, nas duas ultimas décadas, a carreira de Policial Civil sofreu uma queda muito grande no que concerne a sua atratividade. Por ser uma carreira eminentemente “técnica”, pois realiza uma atividade de serviço auxiliar ao Poder Judiciário, candidatos que buscavam trabalhar em áreas afetas passaram a buscar vagas em cargos similares como de oficial de justiça, escrivão de justiça e secretario de diligências do ministério público, face a discrepância remuneratória que se criou entre estes cargos com os de escrivão de polícia e inspetor de polícia, em que pese terem atribuições extremamente similares.

    Ainda dentro as carreiras públicas ligadas ao próprio Executivo Estadual verifica-se a desigualdade no vencimento inicial dos servidores de cargos de nível superior a exemplo do cargo de Técnico Superior Administrativo do DETRAN/RS (Edital nº 01/2009, publicado no DOE de 31/03/09), dentre outros.

    O Estado do Rio Grande do Sul tem investido fortemente no recrutamento e seleção de candidatos para estes dois cargos e o que se tem verificado, segundo estudo da Divisão de Planejamento e Coordenação – DIPLANCO/CH/PC, é que quase 10% dos selecionados acabam deixando a Polícia Civil por exoneração a pedido, normalmente para ocuparem outros cargos de melhor remuneração. Destarte, há um dispêndio muito grande por parte do Estado em recrutar e preparar o policial civil com cursos caríssimos que depois se evadem para outras áreas afetas.

    Assim, é preciso reforçar a carreira para evitar-se tanto que o selecionado deixe o cargo ainda no inicio, como criar estímulos para os que estejam em vias de aposentar-se permaneçam no cargo, ai sim com toda sua experiência e conhecimento propiciar um trabalho de excelência à população Gaúcha.

    Atualmente a 1ª classe dos escrivães e inspetores, o padrão 06, tem remunerações muito similares a cargos de nível médio, o que é um dos principais fatores de desestímulo a permanência na carreira, já que seus ocupantes têm graduação de nível superior.

    Com a extinção da 1ª classe e seu respectivo padrão remuneratório, passando-se as antigas 1ª e 2ª classe a denominar-se classe inicial, ter-se-á uma atratividade maior para o ingresso e diminuirá a evasão em grande escala como hoje ocorre, o que trará por conseqüência, mais economia aos cofres públicos que investirá no treinamento de um policial que permanecerá no seu cargo, prestando serviço à instituição.

    Considerando este planejamento, redistribuímos com eqüidade a totalidade dos cargos vagos de ingresso, nas diferentes classes ora reformuladas a fim de não engessar a carreira policial com o inchaço de cargos providos em algumas das classes., bem como para que a lotação policial não sofra solução de continuidade.

    Segundo estudo realizado pela Divisão de Planejamento e Coordenação da Polícia Civil – DIPLANCO, a considerar-se a situação ideal de efetivo policial face ao número de ocorrências registradas, em maio de 2008, seriam necessários 19.487 servidores policiais.

    Atente-se outrossim que em decorrência da extinção do cargo de Investigador de Polícia restaram extintas cerca de 3.000 vagas na Polícia Civil, pelo que urge, neste momento, a recomposição das referidas vagas, reservando-as, estrategicamente, para ingresso futuro nas carreiras iniciais.

    Afora isso, merece registro o fato de que atualmente 172 municípios do Estado encontram-se sem representação da Polícia Civil o que não se mostra aceitável uma vez que a Segurança Pública, enquanto dever do Estado, deve se fazer presente em todos os municípios.

    Na mesma esteira, para consubstanciar o reforço e a atratividade dos cargos de Escrivão de Polícia e Inspetor de Polícia há a necessidade de reconhecerem-se as atribuições na qualidade de técnico de nível superior tal como já ocorre em cargos similares vinculados a outras instituições, a exemplo dos Oficiais de Justiça, Escrivães Judiciais, Assessores do Ministério Público, entre outros.

    No caso dos oficiais de justiça o julgamento do pedido de providencias 874-7 decidiu por recomendar os Tribunais de todo país a exigirem nível de escolaridade superior preferencialmente em direito. Neste julgamento o relator, conselheiro Mairan Gonçalves Maia Júnior, destacou em seu voto a importância das atividades dos oficiais para “cumprir as diligências necessárias ao resguardo dos direitos, efetivar prisões e medidas de urgência, coadjuvar o juiz na manutenção da ordem em audiências, enfim, concretizar todas as determinações emanadas do Juízo com vistas à solução do litígio, certificando, nos autos, o resultado de sua atuação”.

    Gize-se que todas estas atribuições são realizadas pelos Escrivães de Polícia e Inspetores de Polícia no âmbito da Polícia Judiciária.

    Na justificativa do seu voto, Mairan Maia argumentou que é “inegável a caracterização da missão dos Oficiais de Justiça como elemento de dinamização do trâmite processual”. Diante da importância e da especificidade dessas atividades, o conselheiro aponta a necessidade de se uniformizar os critérios de admissão dos oficiais em todo o país e “a utilidade de deterem conhecimentos técnico-científicos jurídicos diante, não raro, da ocorrência de situações imprevistas durante o cumprimento de mandados e, primordialmente, da responsabilidade inerente às suas funções e respectivas conseqüências jurídicas”. Deste julgamento restou editado a resolução 48 que determina a exigência de nível superior para o provimento do cargo de oficial de justiça preferentemente em Direito.

    Ainda nesta senda aos Escrivães Judiciais foi editada a resolução 58/2008 que dispõe sobre a exigência, como requisito para provimento do cargo de Escrivão Judicial, da conclusão de curso superior, preferencialmente em Direito. O Ministro Gilmar Mendes ao editar a referida resolução considerou que “o escrivão judicial auxilia na administração da justiça e as principais atividades por ele desenvolvidas requerem formação jurídica para serem executadas em grau de segurança, e que tal exigência já existe no âmbito federal”. Referiu nesta resolução como paradigma a resolução 48 que estatui nível superior aos oficiais de justiça.

    O Policial Civil tem responsabilidade social importantíssima, além de sua missão ímpar de gerador da paz social e da liberdade, garantidos na Constituição Federal, é instrumento receptor das angústias e diferenças sociais, pois serve a todas as classes sociais em momentos difíceis quando a vida, a liberdade e o patrimônio são ameaçados.

    Assim veja-se que o Estado do Rio Grande do Sul esteve na vanguarda nacional neste tema desde 1997 quando foi introduzida a exigência de nível superior para Escrivães e Inspetores, o que agora com a inclusão da descrição adequada de suas atribuições coadunará com a efetiva complexidade que as atividades inerentes ao cargo requerem, trazendo a merecida valoração às carreiras policiais.

    De outra banda, a adequação e modificações dos cargos se faz efetivamente necessária, visando a racionalização da estrutura funcional da instituição e a incorporação de parcelas de gratificações diferenciadas que visa proporcionar a uniformização dos padrões básicos remuneratórios, demarcando um novo modelo de Polícia Judiciária.

    Com um básico adequado, que se dá simplesmente pela junção do básico com seu risco de vida, perfazendo parcela remuneratória única, temos a garantia da permanência deste servidor que tem implementado suas condições para aposentar-se posto que sua gratificação de permanência incidirá sobre um básico forte, como hoje já acontece com os Delegados de Polícia que tem parcela remuneratória única. Não haverá repercussão financeira significativa aos cofres públicos e propiciará a permanência destes policiais em vias de aposentar-se. Ganha o Estado e ganha a sociedade sem dispêndios elevados, face um simples remanejamento e adequação normativa.

    Note-se que a remuneração básica do servidor policial está muito aquém da complexidade de sua atividade, mormente por se tratar de cargo técnico de nível superior. Não há atividade similar em outra instituição cuja remuneração básica se mostre em tamanho desacordo. Insta frizar que o valor diminuto do salário básico do policial torna insignificante qualquer vantagem que sobre ele incida, o que desestimula a permanência na instituição até a aposentação.

    A incorporação que se pretende visa tão somente a minimizar a histórica defasagem salarial sofrida pelos servidores policiais.

    Tal postulação já conta com precedente similar nos quadros de capitão da Brigada Militar do Rio Grande do Sul. Tais servidores tiveram incorporadas suas gratificações ao vencimento básico através da Lei Estadual Nº 12.203, de 29 de dezembro de 2004, conforme dispõe o artigo 2º do citado legislatório.

    O objetivo é estabelecer um perfeito plano atualizado da carreira policial com a devida valorização, dignidade e a honra encorajadora inerente a estes servidores públicos. Adequando-se a uma síntese de deveres e atribuições modernas à realidade criminógena e social, buscando-se a devida presteza do serviço a ser desenvolvido.

    Já no que tange ao aproveitamento dos Investigadores de Polícia, não obstante tratar-se de norma impositiva prevista no §3º do artigo 41 da Constituição Federal, exsurge como uma necessidade no contexto atual da Polícia Civil do Rio Grande do Sul.

    Um breve histórico nos faz remontar ao ano de 1.969 quando até então a Polícia Judiciária era realizada pelo Guarda Civil. Neste ano foi editada a lei 5.950/1969, que estabelecendo normas e regras para o reaproveitamento dos servidores policiais, reaproveitou os Guardas Civis em Investigadores de Polícia, assim dispondo seu artigo 5º:
    “Art. 5º – Os atuais ocupantes dos cargos extintos pelo artigo 2º, desta Lei, são enquadrados em cargos criados pelo artigo 1º, inciso VII, da seguinte forma:
    I – Guarda de Trânsito e Guarda Civil de 1ª, 2ª, 3ª e 4ª classe, como Investigador de Polícia de 1ª, 2ª, 3ª e 4ª classe, respectivamente;”

    A mesma norma criou os cargos de Escrivão de Polícia e Inspetor de Polícia que conjuntamente com o Investigador de Polícia passaram a exercer as mesmas atividades de Polícia Judiciária. A referida lei 5.950/69 determinou a exigência de nível médio como escolaridade para os Escrivães e Inspetores. Em 1.984 a lei 7.924/1984 em seu artigo 2º balizou a escolaridade entre os agentes de polícia passando a exigir nível médio também para os Investigadores de Polícia.

    Assim desde 1.969 todos agentes (Investigadores, Inspetores, Escrivães e Comissários) passaram a realizar as mesmas tarefas, e com a mesma escolaridade a partir do ano de 1984 onde houve o definitivo balizamento da escolaridade para todos, ou seja, o 2º grau, sendo o Inspetor de Polícia de 1ª classe equiparado, pela lei 7.924/84, ao Investigador de Polícia de 4ª classe, ambos padrão 06.

    Já em 1989 com a edição da lei 8.835/1989 o legislador reforçou a escolaridade idêntica para Escrivães, Inspetores e Investigadores da seguinte forma:
    “Art. 3º – São estabelecidos os seguintes requisitos de escolaridade e limites de idade para habilitação a concurso visando o provimento dos cargos iniciais das carreiras policiais:
    I – Escolaridade:
    a) Delegado de Polícia – Conclusão do Curso Superior de Ciências Jurídicas e Sociais; e
    b) Inspetor, Escrivão e Investigador de Polícia – Conclusão do 2º Grau.”

    No ano de 1997 o legislador editou a lei 10.994/1997 que elevou a escolaridade para nível superior aos Escrivães e Inspetores através do seu artigo 3º.

    A última classe dos Investigadores era a 4ª padrão 06 que tinha equivalência salarial com o Inspetor de 1ª classe também padrão 06 (determinado pela lei 7.924/84), e como ambos exerciam as mesmas funções o legislador editou a lei 10.995/1997 que criou as classes 5ª, 6ª e 7ª equivalentes aos padrões 07, 08 e 09 tornando completamente em igualdade de situações Inspetores e Investigadores no que toca a ascensão e respectivas atribuições.
    Ou seja, a lei 10.995/97 definitivamente equiparou Inspetores e Investigadores.

    Destarte, para que não houvesse dois cargos desempenhando a mesma função o legislador equivocou-se e colocou, sem extinguir, “em extinção” os Investigadores, ao contrário do mandamento constitucional previsto no artigo 41 §3º que determina o APROVEITAMENTO.

    Tivesse maior cautela, deveria o legislador ter previsto o reaproveitamento imediato quando da extinção do cargo.

    Assim entende o STF e o STJ, como se observa na ementa do acórdão do Superior Tribunal de Justiça:
    ADMINISTRATIVO. SERVIDOR PÚBLICO EM DISPONIBILIDADE POR FORÇA DE EXTINÇÃO DO CARGO. APROVEITAMENTO. CONCURSO. INEXIGIBILIDADE.
    1. O entendimento pretoriano, capitaneado pelo Supremo Tribunal Federal é no sentido que independe de concurso o aproveitamento de servidor público em disponibilidade por força de extinção do cargo na carreira encarregada das atribuições exercidas anteriormente por sua categoria.
    2. Assentada a compatibilidade entre a situação dos antigos Fiscais de Tributos do Álcool e do Açúcar com a de Auditor Fiscal do Tesouro Nacional não há óbice ao aproveitamento, sem necessidade do
    concurso.
    3. Precedentes do STF.
    4. Recurso especial não conhecido.
    REsp 189662 /PE RECURSO ESPECIAL 1998/0071029-9

    Assim, existindo na carreira de agentes dois cargos em igualdade de situação funcional, pois exercem as mesmas funções, e em especial por suas classes possuírem os mesmos padrões remuneratórios, e um deles, em que pese em vias de extinção, em pleno exercício das mesmas atividades de seu congênere, impositivo torna-se o seu readequado reaproveitamento.

    Destarte, cumpre-nos colimar que o final da carreira do Inspetor de Polícia se dá por ascensão ao cargo de provimento derivado de Comissário de Polícia. Assim para que não se cometam injustiças aos atuais Inspetores de Polícia que aguardam a referida promoção, prudente e justo que os atuais Investigadores de Polícia reaproveitados em Inspetores de Polícia não ultrapassem os atuais detentores dos cargos de Inspetores e aguardem, através de uma “quarentena”, por pelo menos cinco anos a oportunidade de galgarem o posto final da carreira de agentes da polícia civil.

    A exemplo do que ocorre na Brigada Militar do Rio Grande do Sul, através da Lei Estadual Nº 12.577 de 19 de julho de 2006, em seu artigo 12, a propositura de datas específicas para as duas promoções anuais visa fazer do ato promocional uma solenidade permanente que coadune com datas importantes para a instituição, numa visão de valorização institucional do servidor policial.

    Por todo exposto, parece-nos extremamente necessário e importante, e de todo justificável, que o Estado, combata a criminalidade, atualizando seus órgãos e valorizando seus integrantes. Aperfeiçoando assim, sua sistemática de segurança pública, com a devida eficiência e credibilidade que merece a Sociedade Gaúcha.

    São por esses motivos explanados que propusemos este projeto de reestruturação, modernização e atualização nos quadros dos trabalhos da nossa Polícia Civil.

    Acreditamos que este projeto trará dignidade, consciência social e profissional, elementos estes, fortalecedores da auto-estima policial, que deve estar permanentemente inserido no contexto social de uma sociedade moderna.

  7. Lendo essa notícia fico pensando em como pode ainda a polícia civil conseguir se organizar para pedir alguma coisa com tanta corrupção na mídia. Fica difícil, ou a polícia civil ataca sua própria instituição e age em conjunto com a Receita Federal e o MPF buscando bens em nome de laranjas, fazendo uma investigação visual no modo de vida de cada um dos suspeitos de enriquecimento ilícito e manda todo mundo pra cadeia, ou então qualquer movimento vai ficar no vento.

  8. enquanto estamos em operaçao padrao, existe uma reorganizaçao das delegacias, extinquindo alguns distrito, dise e dig no interior serao unificadas em uma só, ou seja, rebaixando seccionais de classe especial para 01 classe e demais unidades, ou seja estamos fechando a porta.
    QUEM É AUTORIDADE O DELEGADO QUE NÃO TEM FORÇA ALGUMA JUNTO AOS POLITICOS, OU OS OFICIAIS QUE ATE NO CONGRESSO TEM BANCADA POLITICA.

    CUIDADOS POIS A FORÇA PUBLICA VEM AI.

  9. Cara RAMBO posso estar errado no meu modo de pensar, não conheço profundamente a realidade das unidades do interior, mas aqui na capital tem que haver uma reorganizção dos DPs, exite muito DP que não em razão de existir, na época da dupla de ladrões Quércia e Fleury, dobrou-se o número de DPs, teve muito majura esfregando ás mãos pois teria cadeira para um monte deles, você lembra desse fato, pois é deu no que deu, foi ai que começo a derrocada da Civil, 4 equipes, muito mais carcerragem, muita treta para os recolhes também, ai os cara$ passarão a acertar na seccional,para dessespero dos titulares dos DPs dos bairros, dai para frente só ladeira abaixo para a civil.
    Depois veiram as DDMs, com as benção da Rosmary, que quando deputada não fez nada para nós e para nós, inclusive dizia aos quatro ventos que não prescisava dos votos da civil e dos policias, graças a Deus não se reelegeu, e mais recentemente a do Idoso,penso que só falta a delegacia GLST e afins, resumindo um dos princípos da guerra é DIVIDIR PARA CONQUISTAR, foi o que aconteçeu com a civil infelizmente, e tudo isso com a ótima colaboração de alguns cardeiais que estão ai até hoje, e só vão embora na explusórisa, por essa e por outras como essa é que penso que não existe luz no final do túnel pra nós e continuaremos se F……

  10. Caro zé:

    Tomara que dê certo. Mas, “operação padrão” também não é novidade entre nós. No final dos anos 70 já se cogitou e já se tentou. “Operação Padrão”, “Operação Tartaruga”, dentre outras denominações que queriam dizer, apenas, na prática, a aplicação do CPP e o estrito cumprimento da lei, sem “jeitinhos”, o que, aliás, é corretíssimo e deveria valer sempre, não só em campanhas salariais.

    O meu receio é que, se numa greve a adesão nem sempre é ampla, na tal da operação padrão pode ser ainda menor e quase passar despercebida.

    Mas, vamos em frente!

    Olha, eu creio que nossa grande “oportunidade” estará, na realidade, nas eleições de outubro. Ou varremos essa camarilha tucana do poder, ou seremos extintos.

  11. cara CANSADO, CONCORDO PLENAMENTE COM VC, SERA QUE EXISTE O TUNEL PELO MENOS…….

    ABRAÇOS

  12. Veja os concursos na tabela abaixo – clique no link vermelho para ler as reportagens referentes aos concursos e os editais.

    Órgão Prazo Vagas Salário máximo Escolaridade Edital
    Corpo de Bombeiros Militar de Goiás 04/04/10 1,2 mil R$ 5.160,00 nível superior veja edital
    Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais 10/05/10 a 06/06/10 30 R$ 2.499,29 nível médio veja edital
    Corpo de Bombeiros Militar de Santa Catarina 05/04/10 66 R$ 3.789,71 nível superior veja edital
    Polícia Militar e Corpo de Bombeiros do Amapá 22/04/10 a 14/05/10 44 R$ 5.471,30 nível superior veja edital
    Polícia Militar de Goiás 04/04/10 1.045 R$ 5.160,00 nível superior veja edital
    Polícia Militar de Minas Gerais 15/04/10 170 R$ 1.614,02 nível médio veja edital
    Polícia Militar do Pará 31/03/10 71 R$ 2.412,95 nível médio e superior veja edital
    Polícia Militar do Rio de Janeiro 17/04/10 573 não informado nível superior veja edital
    Polícia Técnico-Científica de Goiás 04/04/10 cadastro de reserva R$ 5.214 nível fundamental e superior veja edital

    Leia mais notícias de Concursos e Emprego

  13. essa operação padrão aqui no interior virou uma piada, os próprios delpols estão reclamando, pois desta forma estão tendo que presidir as ocorrência.

  14. Não acredito na operação padrão.

    Aqui no Deinter, 99,9% dos Delegados continuam em greve desde quando passaram no concurso. Os caras escrevem no boletim: “Instaure-se IP por violação ao artigo tal”. Depois o Escrivão baixa a portaria, como se ela estivesse manuscrita ou fosse ditada e começa-se, na grande maioria das vezes, a Investigação Policial dentro do IP. O escrivão decide quem deve ouvir, se indicia ou se simplismente colhe declarações, expede ofícios, registra tudo em 8.000 livros, da orientação ao público e depois expede um OS no estilo embromation, pois não deu tempo de fazer muita coisa e pede prazo. Quando volta expede notificação e faz todas as oitivas. Depois faz um despacho no estilo: “Sr. Escrivão, conforme minuta, digite o relatório”, mas claro, a minuta é invisível. Registra no livro e alguém ou ele mesmo leva tudo no fórum. Epa, cadê o Delegado nessa história, alguém viu ele por aí?
    Operação padrão vai servir para mostrar que até agora poucos estavam trabalhando pouco e muitos trabalhavam muito.

  15. onde tem operação padrão?
    aqui no decap, nunca ouvi falar….

  16. O seu comentário é sensato Zé. Continuamos a assistir o festival de abuso em nossa instituição. Excesso de plantões, jornada de trabalho excessiva sem o merecido descanso, falta de pagamento de diárias, assédio moral por parte da chefia etc. Todos os Sindicatos de todas as catergorias continuam não frazendo nada. Acorda pessoal.

  17. Fico indignada com essa história de operação padrão quer enganar a quem? Acho que mais uma vez os delegados estão se acovardando, como é covarde uma greve que não pode ser feita em todos os departamentos(por que se vc faz a tal greve, vc pode ser bondeado ou para os leigos, transferido), como também é covarde essa historia de bonde, como é covarde o elevador privativo no palácio da polícia.

    A quem vc´s querem enganar com essa história de lutar por todos os policiais civis, ta na cara que vc´s estão lutando pelos seus próprios interesses e o resto alcançara as migalhas.

    É uma pena que a democracia só existe na empresa privada, por que na pública o policial não tem voz a menos que o Delegado ordene.

  18. VERGONHA, a policia civil esta fraca, exposta, depedrada, criticada, desunida, corrompida (alguns), desmotivada e etc.
    Greve talves não seja a solução, mas poderiamos fazer, GRANDES E ORGANIZADAS manifestações, na Av Paulista e Praça da Sé. Quero ver se a Tropa de Choquem vai bater em nos policiais civis nesse locais publicos. Vai chamar a atençao da imprensa, mas por tratar-se de locais de grande movimento de pessoas, vai chamar a atençao dessas, que irào ver de frente nossas reclamaçoes, e não seram manipuladas pela imprensa a favor do Jose Serra.
    Devemos mostrar atraves de faixas, que não trata-se de movimento politico, e sim falta de dinheiro, condições de trabalho e perspectiva de carreira, como vivemos atualmente.
    ACREDITEM da pra ficar pior, imaginem a Dra Maria Ines na DGP, o Dr Halage na Corregedoria, ou vice-versa.
    O objetivo principal tem que ser SALARIO, o resto vem depois naturalmente.
    Desculpem pelo desabafo, obrigado Flit Paralisante.

    boa sorte a todos.

  19. Alguém de fora dos nossos quadros sabe que estamos em operação padrão? A população? A imprensa? O funcionalismo? NÃO!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!. No que a operação padrão prejudica o nosferatus Serra? A população demorará mas tempo para ser atendida e isso atinge de que maneira o governador. E´capaz que a população ache que nos deviamos ganhar pouco e concordem com o governador. A mídia em SP é totalmente vendida, a nossa operação padrão não e noticia em nenhum lugar. Infelizmente precisamos de uma coisa mais contundente, que vá no osso GREVE. Estamos esperando o que pra isso? Dá um chute no nosso rabo? Cuspir na nossa cara? Enfia o dedo? O que mais falta? Nem a restruturação que não mexe quase em orçamento nos conseguimos? Qual é a força da nossa carreira? Estamos proximos do abismo e temos que fazer alguma coisa unindo com outras categorias e secretarias e começar a nos movimentar pois estamos por um fio. Abraços fraternos a todos.

  20. Fonte: Vi o Mundo, Azenha.

    29 de março de 2010 às 22:52

    “PM embarcou em Osasco no ônibus dos professores; é um P2″

    por Conceição Lemes

    Isabel Azevedo Noronha, presidente do Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo (Apeoesp) recebeu nesta segunda-feira, logo cedo, uma ligação de um colega da subsede de Osasco: “Aquele rapaz que socorreu a policial é um professor daqui da cidade. Nós vamos encontrá-lo, para esclarecer tudo isso”.

    Diretores de subsede da Apeoesp de Osasco passaram a manhã e a tarde investigando. Lembravam-se de tê-lo visto em Osasco em meio aos professores. Conferiram listas dos que vieram para a assembleia da sexta-feira, 26 de março, no Palácio dos Bandeirantes. Conversaram com muitos colegas.

    No começo desta noite descobriram que o suposto professor é um policial militar do serviço reservado (ou secreto) da Polícia Militar paulista. É um P2, como são chamados.

    A caráter para não levantar suspeitas (garotão barbado, jeans, mochila nas costas), o jovem policial infiltrado embarcou no ônibus dos professores de Osasco, como se fosse um deles. Daí o pessoal da subsede de Osasco ter achado inicialmente ele que era um colega.

    A descoberta da Apeoesp derruba três versões oficiais da PM paulista.

    A primeira, no sábado, a Terra Magazine, de que o PM não-identificado “era um dos policiais da região, que estavam empenhados na operação” .

    As outras duas são de hoje. Ao Viomundo, disse que o policial militar à paisana “estava no local”. A Terra Magazine, informou que ele estava “passando” pela manifestação.

    Aos poucos a verdade sobre a foto famosa da manifestação dos professores vai se revelando. Mas ainda há muitas perguntas sem respostas. Por exemplo, qual era a missão dele na assembleia dos professores? Levantar informações sobre o andamento do movimento? Fazer provocação? Ou o quê? A mando de quem? Qual a intenção? Criminalizar a Apeoesp?

    “A partir dessa noite uma das hipóteses que passamos a considerar é a de armação para sensibilizar a sociedade e jogá-la contra os professores”, lamenta a presidente da Apeoesp. “A figura da policial feminina, frágil, indefesa atacada por nós, professores, uns bárbaros. Curiosamente o capacete dela está direitinho. A roupa alinhada, como se tivesse saído da lavanderia. Para quem levou uma paulada, como disse a PM, é estranho. Os dois muito arrumadinhos, ajeitadinhos…Esquisito demais. ”

    “O fato é que seremos mais rigorosos na fiscalização de quem entra nos nossos ônibus ”, cogita Isabel Noronha. “Talvez passemos a exigir o holerit, para ter certeza de que aquela pessoa é professora mesmo e essa história não se repita.”

    Esta é para lembrar do Coronel Antão (será que se escreve e pronuncia assim mesmo?), no dia 16 de outubro de 2008. Ele disse que foi baleado naquela ocasião.

    Denúncias 30 de março de 2010 às 20:31

    “A soldado ficou poucos minutos no Einstein”

    por Conceição Lemes

    Ainda a foto famosa da manifestação dos professores na última sexta-feira, 26 de março, nas proximidades do Palácio dos Bandeirantes.

    A nota divulgada, no sábado, pela Polícia Militar do governo do Estado de São Paulo diz o seguinte sobre a soldado ferida:

    Com relação à foto publicada na grande imprensa de uma policial sendo socorrida, a Polícia Militar esclarece que trata-se da Soldado Erika Cristina Moraes de Souza Canavezi, que foi ferida com uma paulada no rosto… A policial foi atendida no Hospital Albert Einstein, medicada, liberada e passa bem.

    “A soldado passou na sexta-feira à tarde pela emergência do Hospital Israelita Albert Einstein, onde ficou apenas alguns minutos”, revelou ao Viomundo um médico que trabalhou no setor. “Se ela tivesse levado uma paulada forte, como sugere a nota da PM, provavelmente ela teria feito tomografia da cabeça e ficado pelo menos algumas horas em observação. O pouquíssimo tempo na emergência é sinal de que certamente não houve trauma encefálico e a contusão foi leve, sem gravidade.”

    Quanto à origem da “paulada” no rosto, a nota da Polícia Militar não explicita que ela foi dada por um professor. Mas foi a leitura geral, ficou subtendido no texto. Afinal, não se imagina naquelas circunstâncias um policial dando bordoada em outro policial. Mas será que a soldado Érika não foi atingida por “fogo amigo” — um golpe inadvertido de cassetete de um colega de farda ?

    Dê uma olhada no vídeo neste vídeo: watch?v=CNG2ysCqAkM&feature=player_embedded

    É curtíssimo. Muito rápido. Exibido pela Globo, mostra os policiais militares distribuindo cassetadas para todos os lados. Elas atingem tanto os manifestantes que estavam à frente — bem distantes – quanto os policiais que estavam imediatamente atrás. Canais de TV gravaram tudo. Que tal liberarem na internet a íntegra dos vídeos gravados da manifestação? Talvez essa parte da história seja definitivamente esclarecida

  21. Lembrem-se 16 de outubro de 2008.

    E eles ainda saíram lucrando.E muito.

    Foram criados diversas companhia e batalhões após nossa greve.

    Houve muitas promoções.

    E assim seguirá a Guarda Pretoriana, apoiando, sendo usada pelo governante de plantão e deixando de cumprir com sua função constitucional.

  22. Por favor, solicito aos colegas que me avisem quando a prometida OPERAÇÃO PADRÃO DOS DELEGADOS começar, estou ansioso………………

    Que dia começa mesmo?????????????

  23. AEPESP : REPRESENTAÇÃO COLETIVA DOS POLICIAIS CIVIS DE SÃO PAULO
    Enviado por Secretaria em 29/03/2010 14:41:53 (621 leituras)

    CARTA ABERTA AOS SENHORES DELEGADOS DE POLÍCIA

    (Aos cuidados dos seus legítimos representantes, o Sr. Presidente do SINDPESP e Sra. Presidenta da ADPESP)

    “… Lei Orgânica e Estatuto disciplinarão a organização, o funcionamento, os direitos, deveres, vantagens e regime de trabalho da Polícia Civil e de seus integrantes, servidores especiais, assegurada na estruturação das carreiras o mesmo tratamento dispensado, para efeito de escalonamento e promoção, aos delegados de polícia, respeitadas as leis federais concernentes” – § 4° do Artigo 140 da Constituição do Estado de São Paulo”;

    / / /

    “… Esta lei complementar estabelece as normas, os direitos, os deveres e as vantagens dos titulares de cargos policiais civis do Estado” – Artigo 9º da Lei Complementar nº 207/79 – Lei Orgânica da Polícia do Estado de São Paulo.

    Nós, abaixo-assinados, presidentes de entidades de classe de representação de policiais civis do Estado de São Paulo, ante a conjuntura decorrente da precipitação do movimento reivindicatório dos policiais civis, a partir da assembléia geral promovida no dia 8/3/2010, conjuntamente, pela Associação e pelo Sindicato dos Delegados de Polícia, na qual se deliberou, unilateralmente, estabelecer o prazo de dez dias para que fosse sancionada a lei complementar que reestrutura as carreiras policiais civis, findo o qual seria iniciada uma operação padrão, vimos através desta Carta Aberta nos posicionar da seguinte forma:

    1 – Entendemos a instituição policial civil como um órgão permanente, integrado por titulares de cargos policiais civis, que tem a incumbência de exercer a polícia judiciária e a apuração das infrações penais. A mesma Constituição que atribui a direção da Instituição aos delegados de polícia também estabelece que os direitos, deveres, vantagens e regime de trabalho são iguais para todos;

    2 – Temos como mansa e pacífica as disposições contidas nos artigos 5º inciso XXI e 8º inciso III da Constituição Federal, quando estabelecem a competência da representação associativa e sindical;

    3 – Integram esta “Representação Coletiva” associações e sindicatos com base territorial definida e legitimidade para representar seus filiados, cabendo esclarecer que paralelamente aos sindicatos ditos específicos, as associações e os sindicatos regionais congregam policiais de todas as carreiras, inclusive a de delegado de polícia;

    4 – A “Representação Coletiva”, que há muito tempo atrás teve o nome de “Coligação dos Policiais Civis”, surgiu da necessidade de uniformizar as reivindicações que fossem consensuais a todas as carreiras, no todo ou em parte. E assim vinha ela se conduzindo, especificamente com relação à reestruturação das carreiras policiais, ora objeto de projeto de lei em tramitação no âmbito do Governo;

    5 – Nessa perspectiva causou-nos insólita e desagradável surpresa a deliberação da Associação e do Sindicato dos Delegados de Polícia de assumirem postura unilateral e isolacionista, excluindo do processo reivindicatório as demais entidades de classe integrantes da “Representação Coletiva”. Mesmo sabendo-se que tanto o Sindicato dos Delegados, há vários anos, quanto a Associação até sua última gestão, vinham participando das reuniões promovidas com as demais entidades, antes e depois da campanha que culminou com a greve de 59 dias, no ano de 2008 e que nos transformou em credores do governo, face as promessas por ele feitas;

    6 – Ante tal quadro, as entidades que integram a “Representação Coletiva dos Policiais Civis” vem declarar que continuarão unidas em torno dos seus objetivos, entre os quais se insere a REESTRUTURAÇÃO, porém sem aderir a qualquer deliberação tomada de forma isolada pelas duas entidades representativas dos Delegados de Polícia.

    7 – Dessa nossa deliberação será dado conhecimento, através de ofício, às entidade representativas da classe (Sindicato e Associação dos Delegados) e a quem mais entendermos necessário e conveniente.

    São Paulo, 28 de março de 2010

    MARIA ALZIRA DA SILVA CORRÊA
    Presidente do Sindicato dos Policiais Civis da Região de Ribeirão Preto
    WALDIR FERNANDES DA SILVA
    Presidente do Sindicato dos Policiais Civis de Mogi das Cruzes e Região
    MARIA APARECIDA DE QUEIROZ ALMEIDA
    Presidente do Sindicato dos Policiais Civis de Sorocaba e Região
    APARECIDO LIMA DE CARVALHO
    Presidente do Sindicato dos Policiais Civis da Região de Campinas
    WALTER DE OLIVEIRA SANTOS
    Pres. do Sind. dos Func. da Polícia Civil na Região de Santos e Vale da Ribeirão
    LÚCIO FLÁVIO MORENO
    Presidente do Sindicato dos Policiais Civis da Região de Presidente Prudente
    CELSO JOSÉ PEREIRA
    Presidente da Associação dos Policiais Civis de Marília e Região
    OSCAR DE MIRANDA
    Presidente da Associação dos Escrivães de Polícia do Estado de São Paulo
    VALTER HONORATO
    Presidente do Sindicato dos Escrivães de Polícia do Estado de São Paulo
    SONIA APARECIDA DE OLIVEIRA
    Presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Telemática Policial do E.S.Paulo
    VANDERLEI BAILONI
    Presidente da Associação dos Investigadores de Polícia do Estado de São Paulo
    ALAOR BENTO DA SILVA
    Presidente da Associação dos Papiloscopistas Policiais do Estado de São Paulo
    ERALDO DE FARIAS
    Presidente da Associação dos Carcereiros da Polícia Civil do Estado de S.Paulo
    NELSON DE JESUS LEONE
    Presidente da Associação dos Agentes Policiais Civis do Estado de São Paulo
    JARIM LOPES ROSEIRA
    Presidente da Seção de São Paulo da “International Police Association – I P A”

  24. Se o objetivo, nesse instante, é o mesmo, ou seja, a reestruturação, pq. não aderir, pq. não participar, pq. não buscar o entendimento.
    Acreditam, na verdade, que divulgando uma nota nesse sentido – “SEM ADERIR” – estarão contribuindo com alguma coisa, ou simplesmente demonstrando desunião, para regozijo do PSDBosta.
    Se não têm grandeza para buscar o entendimento e o diálogo, sem preocupação que se foi essa ou aquela instituição que iniciou a operação, então, ao menos, deveriam calar-se.
    Essa manifestação é o chamado “fogo amigo”.
    Quem quer paz, quem quer entendimento, quem quer diálogo, pode buscá-lo, pode estender a mão, sem precisar ser chamado “formalmente à tal”.
    A qualidade de nossos representantes, é proporcional à preocupação que sempre devotamos aos assuntos classistas.
    Como já disseram aqui, TAMO FU…

  25. Concordo que nesse momento devemos nos unir ainda mais. Mas por outro lado, os representantes dos operacionais também devem ser convocados para tomar ciência das novas investidas do movimento de reestruturação. É bem verdade que a Policia Civil é comandada pelo Delegados, mas nós operacionais somos a maioria, acredito que sejamos tres quartos do efetivo ou mais. Então os maiores prejudicados somos nós. E os salarios mais baixos também! Pelo historico da Dra. Delegada que assumiu a ADPESP e a sua Classe, creio que ela tem boas intensões. Vamos dar mais um crédito? MAS A VERDADE É QUE O SERRA NÃO ESTÁ NEM AÍ COM AS NOSSAS REINVIDICAÇÕES. SE HOUVER UMA GREVE COM PARALISAÇÃO TOTAL E POR VENTURA TIVER CONFRONTO COM OS PMS. ELE VEM A PÚBLICO COM A SUA VELHA FRASE. “COM FACA NO PESCOÇO E ARMA NA CABEÇA, NÃO DÁ PARA NEGOCIAR”. E A POPULAÇÃO “BOI DE PRESEPIO” FICA DO LADO DELE E DO ALKIMIN E CONTINUA VOTADANDO, VONTANDO! A MELHOR FORMA DE REINVIDICAR E FAZER COMO ELES “POLITICOS”, LEVATAR SEUS PODRES E NEGOCIAR PARA NÃO IR A PUBLICO.
    Fui!!!!!!

  26. ATENÇÃO BONS POLICIAIS EM SUAS JUSTAS REINVINDICAÇÕES !

    NAO DEIXEM,

    NÃO PERMITAM,

    EVITEM A TODO CUSTO QUE SEU JUSTO MOVIMENTO SEJA TOMADO/INFILTRADO POR MILITANTES POLITICOS DO PT OU DE QUALQUER PARTIDO, ESQUERDA OU DIREITA !!!

    NAO PERMITAM QUE CUT E FORÇA SINDICAL AMEALHEM VOSSO MOVIMENTO !

    NADA DE POLITICA !

    SEU MOVIMENTO É JUSTO MAS DEVE SER APOLÍTICO !

    NÃO PERMITAM QUE NÃO P0LICIAIS TOMEM PARTE EM SUAS MANIFESTAÇÕES !

    NÃO ACEITEM NADA DESTES SINDICATOS E ENTIDADES…NADA !NEM MESMO UM MÍSERO CARRO DE SOM !

    ALUGUEM TUDO SE NECESSARIO FOR, PAGUEM DO BOLSO MAS NÃO PERMITAM UMA ÚNICA BRECHA PARA QUE SEUS DETRATORES OS ATAQUEM DIZENDO QUE VOCES SE ALINHARAM A CORRENTES POLÍTICAS POR CONTA DO MOMENTO ELEITORAL !

    NÃO DE DEIXEM APARELHAR E SER PEGOS NUM FOGO CRUZADO ELEITORAL.

    NÃO EXISTE TIRA BOBO !

    O CARA QUE HOJE SOBE NO PALANQUE CONTIGO PODE O CARA EM QUE VOCE TERÁ DE DAR CANA AMANHÃ !

    SÓ A POLÍCIA PODE APOIAR A POLÍCIA !!

    SIM!
    SIM!
    SIM A J´[A TARDIA GREVE GERAL DOS POLICIAIS CIVIS EM TODO O ESTADO DE SÃO PAULO MAS, POLÍTICA IDEOLOGICA E PARTIDARIA NÃO !

    “COLETIVO” É COISA DE COMUNISTA !

  27. Temos que tomAR CUIDADO com essa operação padrão, saibam que a futura Força Pública está aí, loucos para fazer polícia judiciária, por que eles não estão ganhado mal, só a PC. Descupem mas esqueci que eles aprendem que são superiores até ao tempo, imagina o salário.

  28. OPERAÇÃO PADRÃO ÑÃO É GREVE
    ou ha a organização de todos os sindicatos e associações ou esta padrão não vae levar a lugar nenhum. ojeito é uma greve geral de todas as carreiras,ai os dono do poder vão sentar e conversar
    nunca vão dar o que a policia quer, mais vão chegar a algum lugar comum. estamos numa guerra, é a guerra da fome, numa guerra a baixa, temos que analizar isso
    sem as carreiras policiaes não existem delegado
    ninguem em sã consciencia consegue nada sozinho
    se não tiver união entre todos as carreiras o final vae ser o de sempre,
    quem vae ganhar,é a propria carreira policial,temos que nos unir e esquecer quem manda e quem não manda
    temos no momento atual ser igual.
    A NOSSA BRIGA ATUAL,É COM OS GOVERNANTES DE PLANTÃO
    GREVE GREVE GREVE GERAL JA
    P.S.D.B. nunca mais

  29. operação padrão não serve para nada ( tô trabalhando mais ainda, engraçado né ) …..os majuras ficaram ineptos durante anos e anos e agora com esta balela pretendem atingir o governo ???? rsrsrsrsrs
    quero GREVE..só assim a população saberá que a greve anterior não deu em nada….mas concordo com o colega PEBE…sem politicalha junto !!!

  30. Com “Operação Padrão”, o governador ainda vai dizer, em entrevistas, que a Polícia de São Paulo apenas “cumpre a lei” e que a lei é que está muito arcaica e deve ser mudada.

    Ele ainda vai propor mudanças no Código de Processo Penal, denre outras bazófias.

    Estruturação ou re-estruturação da Polícia Civil, nada!

    Sempre fui (e continuo sendo) um moderado. Radicalismo nunca construiu nada que prestasse, na História.

    Mas, há momentos em que temos não de “radicalizar”, mas de responder a quem conosco radicaliza.

    Honestamente, meus caros, fora da greve, não vejo solução!

  31. enquanto isso, os professores e func. da saude, estão na paulista e centro, arrepiando…. eita turminha corajosa…..no bota fora do serra……
    enquanto por aqui, operação padrão…… e olhe lá….

  32. Dr. Guerra, espero que o senhor não fique triste com a saida do Serra. Meus sentimentos.

  33. AVISO URGENTE!
    Informamos que já se encontram disponíveis, na sede do Sinpol, as camisas da “CAMPANHA NACIONAL DE VALORIZAÇÃO DO POLICIAL”, da COBRAPOL. Cada contribuição no valor de R$ 20,00 dá direito a uma camisa. Faça a sua parte, colabore. O sucesso da campanha será uma vitória de todos nós.
    CALENDÁRIO DA MOVIMENTAÇÃO NACIONAL DEFINIDA EM BRASÍLIA
    06/abril – Grande Mobilização em Brasília, com uma marcha dos policiais pelas ruas;
    13/abril – Assembléias gerais estaduais simultâneas dos policiais civis para deliberarem sobre paralisação nacional simultânea no dia 23/abril;
    20/abril – Marchas Estaduais (em cada estado, Policiais Civis, Militares e Bombeiros irão realizar passeatas);
    23/abril – Paralisação Nacional das Polícias Civis, caso aprovadas na assembléia de 13/abril;
    Os policiais recolherão ainda doações para custear as despesas das movimentações em todos os quartéis, delegacias e unidades ligadas ao movimento

    CAMPANHA NACIONAL DE VALORIZAÇÃO DO POLICIAL
    Lançada pela COBRAPOL, no auditório da Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo, no último dia 15 de março, com a presença de deputados locais e das lideranças das polícias civis e militares de todo o País, a campanha foi um sucesso. O evento deu mostra clara e inédita de que as policias estão coadunadas em uma nota só: a valorização do policial.
    No evento, foram deliberadas as seguintes bandeiras:
    1- Piso salarial nacional já;
    2- Lei orgânica nacional;
    3- Instituição da carreira única;
    4- Instituição do nível superior e
    5- Padronização das carreiras.
    O presidente da Cobrapol, Janio Gandra, adverte que é preciso que todos os policiais vistam essa camisa, pois só assim fortificaremos nossa luta e assim levaremos a cabo os objetivos pleiteados.
    “O esforço é individual, a luta é conjunta e o resultado é universal”.
    Outras orientações serão disponibilizadas também no sitio da Cobrapol, no endereço
    http://www.cobrapol.org.br

  34. DELTA UNO ORIGINAL,
    esta certissimo,sem greve nos so vamos ganhar
    O QUE MARIA GANHOU ATRAZ DA HORTA
    P,S.D.B.NUNCA MAIS

  35. ta brincando:

    Pois é, companheiro! O governador ainda vai sair com essa de que a Polícia, sob seu governo, faz o que pode, mas seguindo suas ordens, é uma polícia legalista e a lei é que é arcaica.

    Ele ainda vai sair com essa.

    Eu, claro, torço (E COLABORO!!!) para que dê certo, mas já vi esse filme com outros nomes: “Operação Tartaruga”, “Greve Branca”, e, agora, “Operação Padrão”.

    Só não vi foi dar certo.

  36. Investigador que ganhou a Copa da SWAT é elogiado pela Polícia Civil
    Elcio Mario Correa de Mello Junior, investigador de polícia que ganhou em primeiro lugar a 27ª Super SWAT Cop, ocorrida entre os dias 29 de novembro a 4 de dezembro na Flórida, Estados Unidos, recebe elogio oficial da Polícia Civil do Estado de São Paulo.

    O reconhecimento foi publicado no Diário Oficial do Estado neste sábado, 27 de março, conforme desígnio do Conselho da Polícia Civil, que considera a participação de Elcio Mello nessa competição mundial um verdadeiro marco para a polícia brasileira. Sua participação repercutiu positivamente para a instituição, e o elogio oficial é uma forma de enaltecer o funcionário pelo seu ato.

    Cerca de 500 policiais de diversas partes do mundo participaram do evento. A Super SWAT Cop avalia a inteligência, força e precisão de policiais que trabalham em grupos táticos policiais. O investigador conquistou o primeiro lugar entre todos os concorrentes, sendo esta a primeira vez que um estrangeiro ganha a competição.

    Elcio Melo trabalha no SOE (Setor de Operações Especiais) do DHPP (Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa). Seu treinamento é diário, necessitando muita dedicação e sessões de tiros a toda semana. Na competição ele provou o quão preparado está para situações que sua profissão exige, mesmo porque teve que correr, escalar, rastejar, nadar, pular obstáculos e atirar com precisão.

    O prêmio do investigador na SWAT Cop foi um certificado e uma arma de fogo.

    OBS: QUEM PAGA ESTA VIAGEM? COMO PODE MONSTRAREM ESTA IMAGEM DA POLICIA COMO SE POLICIA TEM TEMPO OU GRANA PRA TREINAR?
    HELOGIO O POLICIA, MAIS DE 35 MIL ELE É O UNICO QUE TEM COMO TREINAR, POIS GANHA 2.300 POR MES, COMO TEM ROUPAS BOAS ETC, DEVER TER BICO ETC.

    TEMOS QUE MOSTRAR A VERDADE DA POLICIA NÃO FILMINHO NA RECORD COM VTR NOVAS FARDAS LINDAS ETC, TEMOS QUE MONSTRAR A REALIDADE DO PLANTÃO

  37. POLÍCIA CIVIL DO ESTADO
    DELEGACIA GERAL DE POLÍCIA“MAURÍCIO
    HENRIQUE GUIMARÃES PEREIRA”
    Portarias do Delegado Geral, de 31-3-2010
    Classificado
    no DEMACRO – Sede o Dr. FABIO PINHEIRO LOPES – RG 12.594.066, Delegado de Polícia de 2ª classe, padrão III, lotado na Delegacia Geral de Polícia, anteriormente classificado no DIPOL. (DGP-1839-P)

  38. PAPO FURADO!

    AQUI NO MEU DP ESTÁ TUDO DO MESMO JEITO.
    TUDO FUNCIONA COMO ANTES.
    E AINDA TEM UM “BABACA” DE UM DELEGADO PLANTONISTA QUE VEIO DA “CORRÓ”! PARAQUEDISTA “NU ÚRTIMU”! ACHA QUE VAI ADERIR A ALGUM MOVIMENTO?
    AQUI AO CONTRÁRIO DO QUE PREGA A CARTILHA, O TITULAR TÁ É COBRANDO SERVIÇO E BASTA UM TELEFONEMA DA SECCIONAL, QUE TAMBÉM É CONTRA PARALISAÇÕES, E O “TITO” TOCA PANDEIRO!
    MORRE DE MEDO DE UM TAL DE “HOMEM DA LAJE”!
    QUEREM FAZER UM MOVIMENTO SÉRIO? UNAM-SE A TODOS OS SINDICATOS E FAÇAM UMA PARALISAÇÃO GERAL NESTA MERDA!

  39. ou nos partimos mpara uma greve franca ou seremos esmagados preferivel morrer em pé do que vivier de joelhos o me desculpem de quatro vamso aproveitar o momento politico bem como greve dos professores não adianta adiar o inevitavem choque frontal acredito que a maioria pensa da mesma ideia a não ser os rabos presos de cargos de comissão$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$

  40. temos que mandaR PARA O PROGRAMA CQC a respeito do SERRA seria otimo queria ver responder perguntas verdadeiras com respsotas mentirosas em seguida desmentindo

  41. ACABOUUUUUUUUUUUUUUU, ELE FOI E ESPERO QUE NUNCA MAIS VOLTE , ADEUS SERRA, AGORA VAMOS PREPARAR PARA COMEÇAMOS AS NEGOCIAÇOES COM O PROXIMO GOVERNADOR, ESPERO NAO SER DO PSDB.

    FIMMMMMMMMMMMMMMM

  42. ilusão arrombo…ops…rambo!

    vai ser aquela peste do xuxú …

    MAD vai voltar a ser DG… ops…quis dizer china…

    nós tá tudo F*** e mal pago!

  43. Essa foi foda.. rss
    O Governador Alberto Goldman elogiou a operação padrão. hahahaha!!!

    Emissora:Rádio Bandeirantes AM – SP
    Programa:Jornal Gente
    Tipo de Clipping:Rádio
    Data/Hora Fonte:1/4/2010 – 9:48

    Entrevista com o vice-governador Alberto Goldman. O tucano comenta que ainda não pode ser chamado de governador, pois José Serra irá renunciar apenas na sexta-feira. Ele explica que a partir de sábado será governador em exercício e a oficialização ocorrerá apenas na terça-feira. Sobre a questão da vinculação do salário do governador do estado com o dos servidores públicos, Goldman comenta que esse é um assunto apenas para o ano que vem. Apesar disso, um projeto de reajuste deverá ser mandado para a Assembléia até o final do ano. Goldman diz que não há vinculação dos salários dos professores e delegados com o do governador. O vice-governador diz que praticamente não há greve de professores. Ele destaca que o governo pagou bônus neste mês para as escolas que alcançaram suas metas e também assinou um convênio com universidades para oferecer cursos de aperfeiçoamento aos professores. A respeito da Operação Padrão da Polícia Civil, o tucano ressalta que isso é ótimo, pois é exatamente o que o estado espera dos servidores públicos: servir bem a população. Alberto Goldman explica como funcionam os gastos da máquina pública e destaca que o dinheiro previsto no orçamento está sendo utilizado corretamente. O vice-governador disse que não inaugurou o Rodoanel, pois isso já havia sido feito por Serra. Ele ressalta que apenas abriu o tráfego de veículos hoje para ver quais problemas ainda existem. Como exemplo, ele revela que há ferros soltos perto de um posto de pedágio que irá existir na chega da Rodovia Anchieta. Ele também destaca que ainda falta uma ponte na Marginal Tietê. Goldman comenta que o Governo do Estado tem ajudado muito a Prefeitura de São Paulo. Sobre o nome para a disputa pela sucessão do governo estadual, ele diz que irá apoiar o nome que o partido definir, que deve ser o ex-governador Geraldo Alckmin.

  44. “A respeito da Operação Padrão da Polícia Civil, o tucano ressalta que isso é ótimo, pois é exatamente o que o estado espera dos servidores públicos: servir bem a população”.

  45. adorei a noticia, Jow….
    quem sabe todos agora se toquem …
    não haverá aumento…. não vai ter reestruturação…
    alckimin governador…
    estamos f…dos e mal pagos…
    só nos resta tentar convencer nossos familiares e
    amigos a tentar outra opção, ou seja, mercadante…
    sei lá se vai ser bom mas ao menos não é PSDB…
    e na greve, que os sindicatos criem vergonha e se unam, ao menos para as reinvindicações…
    noto como somos fracos perto do resto do funcionalismo, por exemplo, professores, que são super organizados e determinados.

  46. Prometi pra mim mesmo que não postaria nada sobre a “operação padrão”. Isto e nada é a mesma coisa. Se a grande mídia fosse imparcial a “operação padrão seria uma boa alternativa”, mas para as pessoas comuns parece que não existe seuquer greve dos professores, quem dirá “operação padrão”, recentemente elogiada por Goldman.

    A nossa luta é POLÍTICA, sim senhor! Pena que nós somos analfabetos políticos porque achamos esta palavra feia. Toda conquista se faz com: 1º- Diplomacia, negociação e bom senso, se não der; 2º- GREVE GERAL, protestos organizados, pacíficos e desarmados; e que venha o choque! O resto é conversa (a)fiada. Fui pro cêis!

  47. É isso aí, caro Zé Francisco. Lúcido como sempre!

    Forte abraço!

  48. Lula será a arma de Mercadante contra tucanos em SP

    03 de abril de 2010 | 8h 56

    CLARISSA OLIVEIRA – Agência Estado

    Por trás da decisão de trocar uma reeleição quase certa ao Senado pela corrida ao Palácio dos Bandeirantes, Aloizio Mercadante (PT) arrancou do presidente Luiz Inácio Lula da Silva o compromisso de que não se lançará sem apoio na tentativa de vencer o favoritismo tucano no maior colégio eleitoral do País.

    Como parte da fatura para enfrentar o ex-governador Geraldo Alckmin (PSDB), que larga com mais de 50% nas pesquisas, o petista obteve a garantia de que Lula terá farta presença na propaganda eleitoral no rádio e na televisão e participará de comícios pelo Estado afora, independentemente da agenda da pré-candidata ao Planalto, Dilma Rousseff.

    O reforço foi a maneira encontrada por Lula para amenizar a preocupação de Mercadante com o risco de ficar sem mandato a partir de 2011. Enquanto negociava a candidatura, o senador tentou sem sucesso buscar um ponto de apoio na eleição de 2012. Queria convencer a ex-prefeita Marta Suplicy a lhe dar prioridade para disputar a prefeitura paulistana, mas ouviu dela e de outros líderes petistas que era cedo demais para um acerto.

    Com a promessa de Lula, Mercadante torce para abocanhar parte da popularidade do presidente. Entrou na conta a tese de que será mais fácil, por exemplo, atrair o voto de beneficiários de programas de transferência de renda. Só no Bolsa-Família, há 3,5 milhões de paulistas, distribuídos por 1,1 milhão de famílias no Estado, que até a semana passada estava sob comando do pré-candidato do PSDB à Presidência, José Serra. A conta do Planalto sobe para 8 milhões de pessoas, se considerados todos os programas assistenciais.

    Ponto fundamental também a estratégia de Dilma, a promessa de Lula de entrar em campo em São Paulo alimenta o otimismo do time de Mercadante. “Estamos entrando nesta eleição para ganhar”, diz o líder do governo na Câmara, deputado Cândido Vaccarezza (SP).

    Ao mesmo tempo em que colará no presidente, Mercadante dará prioridade total à desconstrução da gestão tucana. A ideia é casar o discurso com o da campanha de Dilma, quem sabe com a contratação de um marqueteiro próximo a João Santana, que está à frente da comunicação da pré-candidata petista.

    Mesmo que a estratégia naufrague, petistas apostam que a candidatura valerá a pena para Mercadante. Dizem que é no mínimo uma oportunidade de cair nas graças de Lula, revertendo arranhões na relação entre o presidente e o senador. Também predomina a avaliação de que as urnas vão enterrar o desgaste de 2006, quando Mercadante foi eliminado da corrida estadual em meio às denúncias sobre o dossiê dos aloprados. Mas petistas insistem que, mesmo com esse episódio e os vestígios do escândalo do mensalão, o senador teve 32% dos votos naquela eleição. “Agora, por outro lado, o cenário nunca foi tão favorável para o PT em São Paulo”, diz Vaccarezza. As informações são do jornal O Estado de S.Paulo

  49. Parece que o projeto de reestruturação foi mandado para a ALESP essa semana…

    Segundo alguns colegas, saiu no jornal AGORA de hoje, seção funcionalismo.

  50. Operação-padrão é a coisa mais ridícula que alguém pôde inventar. Primeiro por que os majuras acham que o movimento é somente deles, pois não vi em nenhum momento outras categorias serem incluídas. O que eles almejam em termos salariais e profissionais é só para eles e ponto. As outras categorias que eles julgam ralé, eles querem mais que se ferrem. Na verdade são inocentes, pois a partir do momento que dizem que na operação-padrão eles irão acompanhar os atos de polícia judiciária, estão simplesmente assumindo que não fazem nada. E a verdade seja dita: os delegados têm que agradecer a Deus pelo fato de ainda se precisar da assinatura deles nos documentos, pois do contrário eles poderiam ficar em casa que não fariam falta alguma. Imaginem a hora em que assinatura de um delegado for dispensável ou substituível no B.O., flagrante, oitivas, etc. Discutem o status de um promotor e até os salários que eles ganham, mas o que ocorre é que em doze anos de polícia eu não conheci nenhum delegado que servisse para engraxar a botina de um promotor de justiça, quanto mais querer isonomia salarial.

  51. sempre tem um pelego que acha que alguma coisa vai acontecer. Tentei contato na AL esta semana para ver como estava indo o projeto do ALE e aproveitei para perguntar sonre a restruturação. E vou dar nome aos bois. Mauro, assessor da liderança do PPS me garantiu que não existe nenhum projeto de restruturação da PC na Casa. Me perguntou pelo numero do PLC e eu não soube informar. Algúem sabe o número do PLC???

  52. OPERAÇÃO PADRÃO!
    MAIS UMA DOS DELEGADOS.
    CHEGA! CHEGA! CHEGA!
    CARREIRA UNICA JÁ!

  53. esquece primeiro restruturação com aumento salarial de verdade.

    segundo caso não houver nos proximos dias greve greve mesmo estão procrastinando até as eleições e copa tec depois esquecimento e letragia total .

    porque os sindicatos e a adepesp não deflagrou greve de verdade?

    carreira juridica já possuimos diploma em Direito , e muitos já inscritos na OAB basta verificarem Juizes Promotores Procuradores não mencionam carreira Juridica na CF o que deve ser mudado é sim a retirada da Policia Civil e Federal do artigo 144 e esculpido nas funções da Justiça no Poder Judiciario aí sim o resto é venda de fumaça para perder tempo e desviar nossa atenção nos salarios e garantias na CF isso sim .

    portanto digo estão novamente nos enganando já não sei mais se o Governo ou Delegados Pau mandado do Governo infiltrados nas Associações e Sindicatos devido a lentidão destes injustificada

  54. operação padrão ????eu parei de vez ,só faltam vcs delegados acordarem e pararem com essas firulas, resultados exigem um comprometimento, É GREVE PORRA!!!!larguem de ter medo…

  55. “sempre tem um pelego que acha que alguma coisa vai acontecer”

    Eu acho que não vai acontecer nada, coloquei essa informação justamente para saber se algum “iluminado” aqui teria como comfirmar…

    Para mim, se esse lixo de projeto não virar será melhor, não trará nada de bom para minha carreira.

    “Desculpe Dr.Gerra, mas é só o que vejo nessa policia, egoismo..
    Pelego é a mãe!!!

  56. Pelego Sim!!!

    o que fode a Polícia ha anos são colegas “passadores de fumaça”…eles que ficam passando esperanças e bizus…a policia só vai melhorar qdo esses lixos pararem com isso…..é o que fode a policia…..”passadores de fumaça”
    e tenho dito…..

  57. SOU OBRIGADO A CONCORDAR COM O COLEGA FERNANDO AGEPOL, ESTE PROJETO DE REESTRUTURAÇÃO PREJUDICARÁ MAIS DO QUE AJUDARÁ, PRINCIPALMENTE PARA A NOSSA CARREIRA. ALÉM DO QUE HAVERÁ UM AUMENTO DE CARGA HORARIA E OUTRAS COISINHAS MAIS……

  58. “Operação Vou por só a cabecinha” (e põe mesmo) ou “Operação em cima do Muro” ou ainda “Operação Delegados Fodões sem medo do Serra”

  59. o delegado do meu distrito só fuma e bebe cerveja bem antes do expediente acabar…operação padrão…só pros outros trouxas….e nós? restopol? vai prestar outro concurso !!!! assim ele diz

  60. Não temos mais o que falar, o negócio e greve coletiva de todos os setores:

    – Saude
    – Educação
    – Segurança
    – Judiciario (oficiais e escreventes)
    – Agentes Penitenciário
    – Sabesp
    e outros

    Todo estes já decidiram por ela é questão de semana, menos nós Policiais Civis, com uma pifia operação padrão, demonstra que estamos em cima do muro. Essa operação so vai dar em trocas de unidades, no primeiro espirro de qualquer um.

    O negocio é greve. Se não for desta vez, nunca mais será, a união é agora, mostrar que podemos nos unir rapidamente assusta governo de qualquer parte do mundo.

    (As minhas diarias a receber fazem aniversário, 5º mês, a greve é mais que justa, é muita coisa errada, só descaso. Se não agirmos agora, vou fazer parte do “FAZ-ME RIR…” vou ter que aprender isso na marra, e receber parte do que tenho direito).

    O DÓ.

  61. hc tem toda razão: UNIÃO MACIÇA DE TODA CLASSE TRABALHADORA DOS SERVIDORES DE SP! TODOS QUE ESTÃO NA MESMA PENÚRIA! AOS LIDERES SINDICAIS!!! CRIEM UMA CENTRAL UNICA SINDICAL DE TODAS AS CATEGORIAS !!! JÁ!!!! COM 200 MIL SERVIDORES PARADOS E MANIFESTANDO NAS RUAS OS CANALHAS DO PSDB NÃO TERÃO DESCULPA DE DIZER QUE A GREVE É DE UNS POUCOS BADERNEIROS DA CUT E DO PT!!

  62. É isso ai, JUSTIÇA, EDUCAÇÃO, SAUDE, SABESP, METRO, POLICIA, VAMO PARAR TODO MUNDOOOOOOOO!!!

  63. não tem mais dialogo com os governantes se é que são governantes

    greve geral em todos os setores da administração duvido que não cause impacto no governo duvido que não altere o quadro politico caotico no qual nos encontramos

  64. Sindicatos conseguem reduzir jornada
    Enquanto a proposta de emenda constitucional espera no Congresso, 32% dos trabalhadores formais já trabalham 40 horas semanais
    05 de abril de 2010 | 0h 00
    Leia a notícia
    Comentários 7EmailImprimirTwitterFacebookDeliciousDiggNewsvineLinkedInLiveRedditTexto – + Marcelo Rehder – O Estado de S.Paulo
    Sindicatos de categorias mais organizadas de trabalhadores estão conquistando acordos de redução da jornada sem cortes nos salários, enquanto a proposta de emenda constitucional (PEC) que reduz a jornada legal, das atuais 44 horas para 40 horas semanais, permanece parada no Congresso, sem previsão de data para ser votada.

    O movimento pela redução da jornada cresce ano a ano e virou a principal bandeira de luta das centrais sindicais em 2010. Segundo cálculos do professor José Pastore, da Faculdade de Economia e Administração da Universidade São Paulo (FEA-USP), em seis anos o número de trabalhadores que trabalham até 40 horas subiu de 28,6% para 31,97% do total.

    Só este ano, o Sindicato dos Metalúrgicos de São Paulo, Mogi das Cruzes e Região fechou acordos com 22 empresas, que beneficiam mais de 5,5 mil trabalhadores. A maioria prevê redução gradual da jornada.

    É o caso dos 900 metalúrgicos da Schneider Electric Brasil, fabricante de aparelhagem elétrica e equipamento para automação. A partir de julho próximo, eles passarão a trabalhar 43 horas por semana. Em de maio de 2011, o período deverá ser reduzido para 42 horas. Em novembro do mesmo ano, está prevista nova negociação para se chegar às 40 horas semanais.

    “Estamos buscando acordos que atendem tanto os trabalhadores quanto as empresas e mostram que a redução da jornada é possível”, afirma o presidente do sindicato, Miguel Torres.

    Outras categorias. No mês passado, o Sindicato dos Trabalhadores em Processamento de Dados do Estado de São Paulo e o sindicato das empresas chegaram a um acordo para renovação da convenção coletiva da categoria. Além de reajuste linear de 6% nos salários, o acordo prevê redução da jornada para 40 horas a partir de janeiro do próximo ano. Existem hoje 80 mil profissionais dessa área no Estado.

    “A redução da jornada é a nossa principal vitória”, diz o presidente do sindicato, Antonio Neto, também presidente da Central Geral dos Trabalhadores do Brasil (CGTB).

    Os trabalhadores químicos nas indústrias farmacêuticas de São Paulo cumprem jornada de 40 horas desde setembro de 2009. A conquista, obtida na convenção coletiva em 2008, beneficiou 80 mil químicos associados a sindicatos da Força e da CUT.

    A luta pela jornada de 40 horas é uma bandeira das centrais há quase duas décadas. Acordos têm garantido jornada reduzida às categorias com poder de mobilização. Entre as grandes empresas, como as montadoras, a jornada de 40 horas já é praxe. “80% da nossa categoria têm jornada entre 40 e 42 horas”, diz o presidente do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, Sérgio Nobre.

    O número de acordos tem crescido em todo o País. Entre 2002 e 2008 (último dado disponível), a quantidade de brasileiros com carteira assinada e jornada de 40 horas deu um salto de 56%, conta Pastore, da USP.

    Com base em dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD), do IBGE, Pastore estima que o número de trabalhadores com jornada de 40 horas subiu de 6,9 milhões para 10,8 milhões. Com isso, o grupo passou a representar 31,97% do total de trabalhadores formais no País, ante 28,6% em 2002.

    Teste. Há pouco mais de um mês, o Laboratório Buenos Ayres, farmácia de manipulação de medicamentos com cerca de 500 funcionários, resolveu fazer um teste, e reduziu a jornada de 44 para 40 horas semanais. O presidente da empresa, Sérgio Marques, se comprometeu em manter a jornada reduzida desde que houvesse ganhos de produtividade. “Reduzimos quatro horas na semana e ganhamos o dobro em produtividade”, diz.

    Os sindicatos acham, no entanto, que isso tem um limite. O problema são as micro, pequenas e médias empresas, que enfrentam dificuldades para absorver ou repassar aumentos de custos, e alguns ramos de atividade. No comércio, os trabalhadores precisam cumprir jornadas longas, que chegam a superar 50 horas semanais, porque o salário base é baixo e eles precisam complementar a renda com comissões sobre as vendas.

    “Vamos ampliar a pressão sobre o Congresso para garantir jornada de 40 horas com adicional de 75% sobre as horas extras para todos os trabalhadores brasileiros”, diz o presidente da CUT, Artur Henrique.

    As entidades patronais se mobilizam na defesa do interesse das empresas. “Não há nenhuma possibilidade de adotar a medida sem comprometer a competitividade das empresas e ameaçar o emprego”, diz o diretor do departamento sindical da Fiesp, Roberto Della Manna.

  65. Operação padrão?? Mas que ridícula a idéia disso, até o governador disse que isso é ótimo! Uma idéia tão esquisita que deve estar sendo motivo de chacota para o governo. A PC vai continuar piorando dia a dia, jamais vão resolver os dois piores problemas da PC, a falta de pessoal e o salário. A manutenção do efetivo da PC seria a estrutura para o futuro, e sem efetivo crescente (como a PM tem) sem futuro!

  66. Por favor colegas, por gentileza…………

    Alguém pode me informar o dia que esta marcado para começar a tal OPERAÇÃO PADRÃO dos Delegados…..

    É sério, que dia começa mesmo…..
    KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

  67. OPERAÇÃO PADRÃO ” LIMPEZA” SE LIGA PESSOAL…AQUI NA SECCIONAL NORTE OS DISTRITOS ESTÃO SEM FAXINEIRAS HÁ CERCA DE UM MÊS…IMAGINEM SE OS CHEFES, DIGO, COLABORADORES, NÃO PAGASSEM O SEMANAL PARA OS CHEFES, AGORA SIM, PAGAR ” DO BOLSO” AS FAXINEIRAS…É ISSO MESMO, ACABOU O CONTRATO E A SECCIONAL NÃO RENOVOU NEM CONTRATOU QUALQUER EMPRESA…CADÊ A CORRÓ PARA APURAR CRIME DE IMPROBIDADE…CADÊ O MINISTÉRIO PÚBLICO…CADÊ A IMPRENSA…E OS ” SEM-VERGONHA ” ( NÃO NO SENTIDO PEJORATIVO )AINDA PAGAM DO ” BOLSO “…É POR ISSO QUE ELES ( OS MAJURA QUE ACHAM QUE ADMINISTRAM ) PINTAM E BORDAM, OU MELHOR, CAGAM MESMO NAS NOSSAS CABEÇAS…PSDB NUNCA MAIS.

  68. 3.2.2. Redefinição paradigmática e instituição de três cargos estritamente policiais
    Ainda que a investigação policial seja um procedimento juridicamente submetido à lógica do processo penal, é inegável que ela também deva ser um manancial de informações estruturantes sobre a prática criminal no tempo e no espaço. Esta dimensão é absolutamente importante do ponto de vista operacional, superando-se a prática de investigações estanques, tão somente direcionadas para a persecução penal movida no Judiciário, sem retornos de dados qualitativos sobre os cenários criminais que são descritos nos procedimentos formais.

    Esta última condição é essencial ao planejamento estratégico e tático-operativo da inserção policial civil no ambiente social e comunitário das ocorrências criminais. Conforme assentado nas premissas da modernização, pode-se dizer que o procedimento formal de investigação policial é também um instrumento de estruturação de dados qualitativos sobre os comportamentos de indivíduos e grupos infratores, motivo pelo qual deve fornecer, ao sistema de inteligência, todo o conhecimento acumulado.

    Sendo assim, a idéia de uma investigação eficaz atenta às premissas supramencionadas, precisa ser realizada em regime interdisciplinar, em que os servidores ocupantes dos cargos que compõem a carreira policial civil desempenhem rotinas imbricadas de ações apuratórias, incidentes sobre o ambiente social e a repercussão extrínseca dos comportamentos. Devem atuar em conjunto, de forma solidária ética e tecnicamente, segundo uma agenda formulada sob o método hipotético-dedutivo, proporcionando unidade ao serviço de investigação, otimizando as rotinas e com permanente análise de progresso.

    Nesse aspecto, três são os cargos que devem compor o quadro da carreira estritamente policial civil: Delegado de Polícia, Perito Policial e Agente Policial. Esta tríade, descritas adequadamente as atribuições de cada um dos seus componentes, garante a interação eficaz entre os responsáveis pela execução técnica da dinâmica da ação policial investigativa, em regime de interdiciplinaridade:

    a) Delegado de Polícia: com formação superior em Direito, destina-se ao comando estratégico e tático-operativo das ações investigativas, mantendo o controle da legalidade e da unidade técnico-científica das variáveis apuratórias de natureza subjetiva e objetiva. Na formação policial, deve agregar profundos conhecimentos de epistemologia, compondo um conhecimento heterogêneo, generalista, capaz de promover a articulação eficiente e eficaz das ações baseadas nas ciências que marcam a característica e dão o suporte técnico-científico e jurídico aos procedimentos da investigação;

    b) Perito Policial: com formação superior nas diversas áreas das ciências naturalísticas. Dentro da equipe de investigação, atua diretamente sobre as evidências materiais extrínsecas do fato criminal, inclusive o próprio corpo humano. São recrutados por especialidade, conforme o quadro setorial da organização policial. Recrutados por especialidade, nas disciplinas derivadas da biologia, química, física e matemática. Deve integrar o processo de produção da investigação policial, de modo a permitir o desempenho articulado, imbricado, em tempo real, entre a prova subjetiva e a objetiva. Deve ter absoluta autonomia nas conclusões técnico-científicas de sua esfera, participando ativamente dos passos investigativos da equipe interdiciplinar de investigação;

    c) Agente Policial: com formação superior em qualquer área do conhecimento universitário, preferencialmente, nas disciplinas das ciências sociais e humanas. Dentro da equipe de investigação, atua diretamente sobre as evidências subjetivas do fato criminal, realizando registros cartorários dentro e fora do inquérito policial ou de outros instrumentos apuratórios, investigações e buscas de campo acerca da trama criminal e, quando for o caso, executando as ações de força proporcionais às eventuais resistências à ação policial. Deve executar a plataforma de ação técnica baseada em conhecimentos sobre a psicologia, a lógica, a lingüística, a antropologia, de maneira a compreender adequadamente a gênese do comportamento criminal, sem estigmatizar os infratores, mas com a consciência ética e as normas técnicas referentes ao caráter proporcional da força autorizadora do ordenamento jurídico vigente.

  69. Essa “operação pidão”, é ridícula, piora ainda mais a imagem da PC. O cidadão chega no DP pra fazer um simples B.O. e fica aguadando horas, SEM SABER O MOTIVO DE TANTO DESRESPEITO!

  70. Completando: isso é coisa de veado! Porra, esclarece à população o que esta acontecendo! O cidadão sai do DP fulo da vida. Ou COLOCA FAIXAS ESTAMOS EM GREVE e realmente entra em greve, ou PÕE O RABO NO MEIO DAS PERNAS E ACEITA A POLITICA DO PSDB. DEVERIA CHAMAR OPERAÇÃO DELEGADO NEM CAGA NEM SAI DA MOITA, OU OPERAÇÃO “DELEGADO EMPATA FODA”

  71. Parabéns Sr. Agente Policial:

    Nessa masturbação sociológica que voce viajou, posso
    concluir que vc deve ser neto bastardo do FHC ou
    um filho não reconhecido do Serra………

  72. ” AGENTE POLICIAL “: O BAGULHO É “LOCO” ! A MAIOR PARTE DA PC JÁ NÃO FAZ INVESTIGAÇCÃO HÁ ANOS. O DECAP VIROU UMA LINHA DE PRODUÇAO DE RDO. E NÃO ADIANTA O DIRETOR FICAR TECENDO ELOGIOS NO BID…TEM QUE ACABAR COM A “AR” PARA O INVESTIGADOR DE RUA VOLTAR A SER RESPEITADO COMO MERECE. FAÇA CHUVA OU FAÇA SOL O DELES CHEGA E A NÓS CABE RALAR, FAZER BICO, PRA VER SE ENTRA ALGUM POR FORA PRA NÃO CAIR NA INADIMPLÊNCIA… ENTENDA! NA POLÍCIA EXISTEM DOIS “CÂNCER” DECRITO POR DUAS SIGLAS – P.S.D.B. ; J.A

  73. Ei DECAP-TADOR, ta louco se queremos fazer greve, por ganharmos tao pouco, como podem os funcionarios pagarem as faxineiras para limparem os DPs. e não adianta falar em corro, pelo que soube o pessoal dai da norte veio de lá da corro….i$$o é muito amor a cadeira rsrsr

  74. BOM DIA ESCRIPOL !!!!

    POR INCRIVEL QUE NOS POSSA PARECER, POIS AINDA ESTAMOS INVESTIGANDO COMO NA IDADE DA PEDRA, ESTE DOCUMENTO É UMA ASPIRAÇÃO DA POLICIA CIVIL DO SUL, OU SEJA TEMOS QUE LUTAR PELO IDEAL E NÃO NOS CONTENTAR COM MIGALHAS.
    SINDICATO UNICO JÁ

  75. Há 32 anos escuto falar nesse papo furado de greve e operação padrão. Isso é palhaçada!!! Enquanto o bando de manés entram nessa de operação padrão, o DEIC, DETRAN, DENARC, etc… estão a todo vapor, pq os caras lá não param. Operação padrão só serve aos interesses dos delegados e quando conseguem o que querem, dão uma grande banana para o “resto”, pq a polícia, segundo eles, é constituída de delegados e o resto, que somos nós, um bando de otários nas mãos deles. Se fôssemos uma classe unida, Escrivães e Investigadores, Agentes, Operadores, etc… poderíamos conseguir o que quiséssemos, mas não somos. Somos um bando de covardes, pois basta um delegado bater o pé, pra enfiarmos o rabo no meio das pernas e dizer: “sim senhor”. Isso me envergonha!!! Quando precisam, fazem de conta que nos apóiam e o pior, é que ainda tem gente que acredita. É mole?!?! Querem fazer greve? Parem de fazer as Portarias de IPs., despachos, relatórios, só ouçam as partes se o delegado ditar, parem as intimações, ordens de serviço, zerem a produção cartorária, e no plantão, flagrante ditado pela autoridade policial. Quem tem peito? Passeata, manifestação, etc… isso é tudo “bullshit”. Não acredito em greve da maneira como tem sido organizada. Ou todos param ou de nada adianta. Não temos respaldo de delegados nem daqueles que estão se lixando pra salário. Essa é a verdade!!! Os delegados apóiam até conseguirem o que querem. Tão logo conseguem, começam a pressionar as demais carreiras para que voltem às atividades. São USURPADORES da nossa dignidade, porque permitimos que o sejam!!! Tenho 52 anos de idade, 32 dos quais dedicados à Polícia Civil e posso afirmar que NUNCA VI UMA GRAVE DAR CERTO A NÃO SER PRA DELEGADO!!! O governo lhes concede o aumento e a nós, das demais carreiras policiais, eles concedem UM GRANDE NABO, sem vaselina!!! Greve parcial, política e de fachada é palhaçada!!!

  76. À vista do apurado nos autos de processo administrativo
    disciplinar GS/1033/09 – DGP/5237/08 – Vols. I e II, e nos termos
    dos artigos 67, inciso IV, 69 e 70, inciso II, da LC 207/79, alterada
    pela LC 922/02, a pena disciplinar de DEMISSÃO a OSVALDO
    JOAQUIM LOPES, RG n.º 13.102.312, Investigador de Polícia de
    3.ª Classe e JADIR ANTONIO CORREIA NUNES, RG n.º 8.289.914,
    Agente Policial de 2.ª Classe, efetivos, do QSSP, lotados na DGP e
    classificados no DECAP, por infração ao disposto nos artigos 62,
    incisos II, III e IX, 63, inciso XXVII e 74, inciso II, todos do mesmo
    diploma legal. ADV.: HELIO BIALSKI, OAB/SP/16.758; DANIEL
    LEON BIALSKI, OAB/SP/125.000; DANIEL ROGÉRIO FORNAZZA,
    OAB/SP/106.570 e PALOMA IZAGUIRRE, OAB/SP/188.858.

  77. OPERAÇÃO PADRÃO NO MEU DP

    O TITULAR E O CHEFE ARRANCARAM TODOS OS ADESIVOS QUE FORAM COLOCADOS NOS VITRAUX E PORTAS DA DELEGACIA.
    ORDEM DO SECCIONAL!
    O SECCIONAL É CONTRA A GREVE E DIZ QUE ELA É IRRACIONAL PORQUE TEMOS O DEVER DE RESPEITAR A LEI!
    NÃO É COMOVENTE?
    O TITULAR E O CHEFE POR SUA VEZ, CONCORDAM COM O SECCIONAL EM GÊNERO, “NÚMEROS” E GRAU!
    ALÉM DA OPERAÇÃO NÃO EXISTIR, NEM OS ADESIVOS PODEM SER COLADOS NAS DEPENDÊNCIAS DO DP.
    FALA SÉRIO!!!

  78. Colega Luizinho, todos os chefes e titulares pensam da mesma forma, com raras exceções no interior. Agora, essa operação padrão não esta surgindo efeito significativo. A corrida presidencia começou e ninguem ta nem ai pra situação da poicia. Acredito eu que para nos enrrolar mais uma vez, agora estã dizendo que o projeto esta na Secretaria d Gesta Publica, mas almento salarial podem esquecer.
    Gostaria muito de estar errado.

  79. É SIMPLES. PASSAR A PC PARA O MP E PAGAR O QUE PAGAM AO OFICIAL DO MP (2 GRAU) JÁ SERIA UM GRANDE PASSO. QUERO VER OS ALMOFADINHAS METENDO O PÉ NA LAMA E CONVERSNANDO COM NÓIA, GANSO, DANDO CANA EM TRAFICA, ENTRANDO EM MOCÓ FEDIDO, BOTANDOA MÃO EM MALA DE ROUPA DE FAVELA, QUERO VER. VOU FIAR NA ARQUIBANCADA VENDO.

  80. não vai dar o governo nada e sim uma puta banana vejam o tempo passou e nada ainda aconteceu nen vai acontecer é só ficar esperando como estamos parados

  81. NUNCA TRABALHEI TANTO QUANTO ESSES ÚLTIMOS PLANTÕES…

  82. Paralisação da POlícia Federal causa fila em frente à sede, em São Paulo (Foto: Débora Miranda/G1)A Polícia Federal promove paralisação nesta quarta-feira (14) em todo o país, reivindicando reajuste salarial. De acordo com Sindicato dos Servidores da Polícia Federal, os serviços essenciais como passaporte, escolta de presos e aeroportos não devem ser interrompidos, mas haverá a chamada “operação padrão” nos aeroportos de Congonhas e Cumbica, que deve gerar filas para os usuários.

    Durante a operação, policiais federais pedirão documentos a quem for embarcar após a passagem no detector de metais –atualmente os documentos são requisitados apenas no salão de embarque. A ação faz parte dos protestos e a PF já antecipa: vai criar filas. Em Congonhas, a operação acontecerá das 12h às 14h, e em Cumbica das 17h até 20h, afirma o sindicato.

    A paralisação acontece nesta manhã, na sede da Polícia Federal, na Lapa, Zona Oeste de São Paulo. Às 10h, quando os portões foram fechados, uma fila já se aglomerava na entrada. Os funcionários estavam liberando apenas a entrada de quem tinha agendamento para fazer passaporte. As outras pessoas eram orientadas a retornar outro dia – já que a princípio a paralisação deve durar apenas um dia.

    Se as reivindicações não forem atendidas, no entanto, os policiais federais já têm data para a próxima parada: dia 28 de abril. Nessa data, a paralisação deve ser maior, de dois dias. E as interrupções no trabalho devem aumentar.

    De acordo com Francisco Carlos Sabino, diretor de relações de trabalho da Federação Nacional dos Policiais Federais e vice-presidente do Sindicato dos Servidores da Polícia Federal, o reajuste salarial pedido é de cerca de 24%. Segundo ele, de 2002 a 2009, o governo federal deu reajuste de 552% a algumas classe do Executivo, enquanto que a PF teve, no mesmo período, 83%.

    “Nosso movimento pela reestruturação salarial é nacional. Queremos que seja dado a nós o que foi dado a eles. Nunca se trabalhou tanto na PF, mas não queremos apenas elogios”. Ele afirma que a expectativa é deixar os salários equivalentes aos da Receita Federal. “O salário inicial seria de cerca de R$ 12 mil”, afirma. “Em 2002, nosso salário era referência para os servidores”.

    A expectativa do sindicato é que cerca de 600 pessoas se reúnam na mobilização de São Paulo e cerca de 10 mil no país todo.

  83. A ÚNICA DIFERENÇA:

    A ÚNICA DIFERENÇA ENTRE NÓS E A PF E QUE FAZ TODA A DIFERENÇA É QUE ELES TEM UNIÃO!
    QUANDO ELES DECIDEM PARAR, PARAM MESMO E NÃO FICAM NESSA PUTARIA FRANCISCANA QUE VEMOS AQUI NA CIVIL.
    E CONSEQUENTEMENTE, OS SALÁRIOS DELES FAZEM A DIFERENÇA ANTE OS NOSSOS!
    E OS CARAS AINDA ACHAM QUE TÁ RUIM!!!!
    IMAGINEM A GENTE…
    EU HÁ ANOS ATRÁS PARTICIPARIA DE UMA OPERAÇÃO NO AEROPORTO DE CUMBICA EM CONJUNTO DENARC/PF.
    MEIA HORA ANTES DE TER INÍCIO A OPERAÇÃO, VEIO UM AGENTE FEDERAL COMUNICAR AO DELEGADO QUE NÃO HAVERIA MAIS OPERAÇÃO NENHUMA, PORQUE A PARTIR DAQUELE MOMENTO, POR ORDEM DO SINDICATO, ELES ESTAVAM EM GREVE.
    O MAJURA FICOU VERMELHO, VERDE, AMARELO, E PERGUNTOU: “MAS, COMO?”
    E O AGENTE RESPONDEU: “A CATEGORIA DECIDIU PELA GREVE, O SINDICATO LIGOU, E MANDOU PARAR, E PRONTO. NÃO TEM MAIS OPERAÇÃO! E FOI EMBORA DEIXANDO O DELEGADO FALANDO SOZINHO!”
    O MAJURA, COM UMA PUTA CARA DE BUNDÃO, VEIO ATÉ NOSSO DELEGADO E PEDIU MIL DESCULPAS, E A OPERAÇÃO FOI CANCELADA!
    É ISSO QUE FALTA NA POLÍCIA CIVIL!
    SE UM DIA CHEGARMOS A TER 10% DESSA UNIÃO, JÁ TEREMOS ALCANÇADO UMA GRANDE VITÓRIA!
    NINGUÉM VÊ NOME DE AGENTE FEDERAL ESCRACHADO EM JORNAL POR MAIS QUE O CARA ESTEJA ERRADO!
    ELES SE PROTEGEM, OU MELHOR, PROTEGEM O NOME DA INSTITUIÇÃO!
    AQUI, AO CONTRÁRIO, O CARA TEM O NOME ESCANCARADO NA TV E EM TUDO QUANTO É JORNAL, COM DIREITO A DELEGADO DANDO ENTREVISTA E TUDO MAIS.
    QUANDO BALANÇA A CADEIRA O DIGNÍSSIMO TITULAR VEM E DIZ: “FOMOS SURPREENDIDOS” ERA UM EXCELENTE FUNCIONÁRIO MAS, INFELIZMENTE SE DESVIOU SERÁ PUNIDO EXEMPLARMENTE”!
    MAL IMAGINA O IDIOTA, QUE ESTÁ JOGANDO MAIS UMA PÁ DE CAL EM CIMA DA INSTITUIÇÃO QUE A CADA DIA CAI MAIS NO DESCRÉDITO DA POPULAÇÃO.
    O DEIC PEGOU UM OFICIAL DA ROTA NA ERRADA HÁ POUCO TEMPO ATRÁS, E CHOVEU VIATURA DA TIA “R” NA PORTA DO DEPARTAMENTO. E DIZEM QUE POR ORDEM SUPERIOR, NADA DEVERIA SER DIVULGADO, SENÃO SOBRARIA UM “PINTO”!
    E ASSIM FOI FEITO E NINGUÉM VIU NADA NA TV, NEM NO JORNAL, AO CONTRÁRIO DA CIVIL ONDE A PRÓPRIA CORREGEDORIA, PASSA TODOS OS DETALHES DE UMA PRISÃO DE POLICIAIS E FAZ A ALEGRIA DA GLOBO!
    AQUI TÁ CHEIO DE ARTISTA!
    PRECISAMOS URGENTEMENTE E PRINCIPALMENTE DE “UNIÃO”!!!
    ENQUANTO ISSO NÃO ACONTECE, CONTINUAMOS NESSA MESMA M….!

  84. Caros colegas, a restruturação sera novamente negada pela Secretaria de Gestões Publica, pois segundo informaçao obtida la de dentro, o governo não tem dinheiro, pois a restruturação causara um impacto de 2 bilhões de reais. Infelismente, a informação é verdadeira, então, não havera mais motivos para não ser feita uma VERDADEIRA GREVE. A educação ainda esta parada, vamos seguir o exemplo dos professores.

    Eu acho a operaçao padrão ridicula, desculpem pela minha opinião, ,mas não consigo acreditar no que estão fazendo, fazer o Delegado fazer o trabalho que o escrivão sempre fez SOZINHO.

    Mas, pelo menos a ADESP é a UNICA que esta fazendo pelos menos alguma coisa, o resto: o SIPESP me decepcionou, o resto não passa de resto, não servem pra nada.

    POR FAVOR VAMOS FAZER UMA GREVE VERDADEIRA E ORGANIZADA, QUE VENHA DE CIMA PARA BAIXO, OU SEJA, (SEI QUE PARECE ILUSÃO) MAS DO DPG PRA BAIXO. TEM QUE COMEÇAR POR ELE, AI O DIRETORES, SECCIONAIS E DIVISIONARIOS, NÃO TERAM O PORQUE IMPEDIR OS DEMAIS FUNCIONARIOS. NEM A JUSTIÇA IRA SE METER, AFINAL SOMOS OU NÃO P O L I C I A.

    GREVE JÁ

  85. Senhor Greve!!!!

    Pelo menos por aqui, essa tal de Operação Padrão nunca começou………Estamos aguardando anciosamente seu início, pois até agora nada. Nem sequer comentário……Ridículo………para não dizer Vergonhoso………Agora acho que passou o “timing” da gente iniciar uma greve coesa………Vão tachá-la de política……..Infelizmente….

  86. Caro Guerra,a situação é vergonhosa no Estado mais rico da federação, a união é fundamental como aliceerçe para qualquer movimento.Estou há 32 anos na Instituição e quando se fala em greve,o movimento não prospera,fforças estranhas atuam no pessoal,que tem interesses escus- sos e não há solidariedade alguma em movimentos sérios,principalmente o aspecto salarial,que significa dignidade e respeito.Com a vitória da Dil- ma para presidente,teremos a quebra da continuidade do PSDB no go- verno de São Paulo e seremos tratados com respeito e profissionalismo que uma Instituição como a Polícia merece em alto e bom som.Obriga- do pelo espaço,enquanto isso a Adpesp está dormindo e não cum – prindo a plataforma eleitoral,apregoada pela Dra.Marilda e diretoria.

O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade civil e penal do comentarista que venha a ofender, perturbar a tranquilidade alheia, perseguir, ameaçar ou, de qualquer outra forma, violar direitos de terceiros.O autor do comentário deve ter um comentário aprovado anteriormente. Em caso de abuso o IP do comentarista poderá ser fornecido ao ofendido!...Comentários impertinentes ou FORA DO CONTEXTO SERÃO EXCLUÍDOS...Contato: dipol@flitparalisante.com

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s