CHACINA EM CAMPINAS PODE TER SIDO PRATICADA POR PMs 18

Polícia investiga participação de PMs em chacina de quatro da mesma família em Campinas

18/05 às 14h52 EPTV

fachada da residência onde as vítimas foram mortas - reprodução/eptv

SÃO PAULO – A Delegacia de Investigações Gerais (DIG) investiga a suspeita da participação de policiais militares numa chacina que deixou quatro mortos na noite de segunda-feira em Campinas. De acordo com o delegado Rodrigo Otávio Aydar, o motivo do crime teria sido a participação de um dos mortos numa troca de tiros durante um assalto com um policial militar à paisana e a noiva dele. O crime ocorreu em Hortolândia. Na ocasião os três ficaram feridos, o policial e a noiva teriam ficado paraplégicos.

Leia também: justiça decreta prisão preventiva e aceita denúncia contra 4 pms por morte de motoboy em sp )

A chacina ocorreu por volta de 19 horas. Segundo testemunhas, três homens chegaram num Gol branco, dois deles encapuzados desceram a abriram fogo. A vítima, William Camargo, de 20 anos, que teria assaltado um PM, foi morto junto com o pai, Isaias Ribeiro, de 44 anos, na frente da casa. Os dois homens entraram na residência e mataram a mãe de William, Silvana Camargo, de 43 anos, e a avó, Lídia Silva, de 82 anos.

A polícia não confirmou que havia uma menina de sete anos na casa e que teria sobrevivido, mas uma testemunha diz que além da menina havia ainda uma adolescente de 17 anos, que só escapou porque pulou o muro ao ouvir os tiros.

Antes de fugir, os bandidos cortaram e levaram uma das mãos de William. De acordo com essa mesma testemunha o assassino teria dito “com essa mão você nunca mais vai trocar tiro com polícia”. O comando a Polícia Militar em Campinas ainda não se pronunciou sobre o caso.

Morte no quartel

Também na cidade de São Paulo, 12 policiais militares foram presos acusados de envolvimento na morte do também motoboy Eduardo Luis Pinheiro de Souza, torturado e espancado até a morte dentro de um quartel da Polícia Militar, ao lado do 13º Distrito Policial (Casa Verde), na Zona Norte. O crime aconteceu no dia 9 de abril.

  1. Dr. Guerra, como pode acontecer o que vou narrar-lhe. O sr.não vai acreditar mais ainda acontece coisas terriveis nas terra de braz cubas, que o sr. disse que é Mogi das Cruzes. O seccional João Roque Américo, que aí está a mais de um ano, vem cometendo alguns erros graves. Tem policiais afastados, que deveria estar encostado mais está trabalhado e que é pior tá cobrando acharque no comércio e dos maquininha. Quem são os policiais que deveria estar encostados. Um é o Toninho Gaginho que estava preso no PPC e agora está no primero distrito de Mogi. É o recolhedor do Dr. Marcos Batalha. Outro é o Carvalho, que está na Seccional de Mogi das Cruzes para recolher para o Dr. João Américo. não é um abisurdo dotor

  2. Ah a MODA da VEZ !!!

    morre mais de 2, pronto é chacina e quem matou foi a PM !!?? hehehehe VIVA o BRASIL !!!

    bom se essa lenda funcionar pra impedir e passar medo em Vagabundo do PCC, evitando desta forma que matem Policial Civil, matem Bombeiros, matme Agente Penitênciário, será valida a modinha de jogar tudo nas costas da PM !!

    Aliás a Polícia já carrega o Estado nas costas mesmo !!

    Viva o BRASIL !!

    VIVA O SERRA !!

    VIVA O DUNGA !!!

  3. http://eptv.globo.com/noticias/noticias_interna.aspx?299167

    Polícia Militar nega envolvimento de policiais em chacina
    Quatro pessoas da mesma família foram mortas na segunda-feira

    18/05/2010 – 20:27

    EPTV
    Alterar o tamanho da letra A-A+

    O comando da Polícia Militar de Campinas negou nesta terça-feira (18) o envolvimento de policiais militares na chacina de quatro pessoas da mesma família no final da tarde de segunda-feira (17) no Jardim Novo Maracanã, em Campinas. “Estamos surpresos com esta afirmação”, disse o major da PM, Redicliff Sierra dos Santos. A Polícia Militar informou que vai colaborar com as investigações.
    A hipótese de participação de policiais militares no caso foi levantada pelo delegado, Rodrigo Aydar Monteiro, que investiga o caso. Uma das vítimas da chacina teria trocado tiros com um PM há cerca de um mês e a execução da família teria sido uma vingança. Familiares das vítimas também disseram acreditar na hipótese de envolvimento de policiais nas mortes. Um dos parentes, que pediu para não se identificar, disse que dias antes da chacina um amigo de uma das vítimas foi ameaçado por dois homens. Segundo este amigo, William Camargo, de 20 anos, morto na chacina seria o alvo destas ameaças junto com ele.

    A Chacina
    De acordo com testemunhas, três homens chegaram num Gol branco, dois deles encapuzados. Eles desceram do carro e abriram fogo contra as vítimas. William Camargo, de 20 anos, que teria assaltado um PM, foi morto junto com o pai, Isaias Ribeiro, de 44 anos na frente da casa.
    Os dois homens entraram na residência e mataram a mãe de William, Silvana Camargo, de 43 anos e a avó, Lídia Silva, de 82 anos. A polícia não confirmou que havia uma menina de sete anos na casa e que teria sobrevivido, mas uma testemunha diz que além da menina havia ainda uma adolescente de 17 anos, que só escapou porque pulou o muro ao ouvir os tiros.
    Antes de fugir, os bandidos cortaram e levaram uma das mãos de William. De acordo com essa mesma testemunha o assassino teria dito “com essa mão você nunca mais vai trocar tiros com a polícia”.
    Prisões
    Na tarde desta terça-feira sete homens foram presos pela Guarda Municipal na mesma rua onde a chacina aconteceu. Apenas dois continuam detidos, por porte ilegal de armas.

    http://eptv.globo.com/noticias/noticias_interna.aspx?299167

  4. falar O quê, que eles estão errados?????? tá tudo errado, como podemos criticá-los, e muito forte o que aconteceu, mas diante do que está acontecendo com os policiais , pra mim fica difícil criticá-los, o problema é que a moda tá pegando, começou no litoral, está em stand by até as eleições, devido a pressão em cima dos policiais (ninjas) pelo comando, pela investigação da civil e pela forte presença da ROTA e reforço em todos os demais setores da polícia, até os rodoviários, não que eles (reforço) estejam aí pra prender os “colegas ninjas”, mas é que fica difícil agir com tantas VTRs nas ruas e pressão política por causa das eleições e as cadeiras dos comandantes estão balançando. Em Campinas, mesmo “modus operandi” só que lá foi à moda antiga, bem antiga, matou ou atirou em polícia, vai a família toda pro saco, o negócio tende a crescer em todo o Estado, pois as medidas que as OTORIDADES tomam só aumenta a revolta dos policiais, vagabundo é indenizado rapidinho sem o devido processo legal, enquanto família de policial assassinado em serviço passa fome e muitas outras sacanagens que fazem conosco, vejam a novela do ALE, PEC 300, salário de fome etc. safadeza pura destes deputados FDP. Final de ano promete no litoral, será após eleições, com o rodoanel vai bombar de turistas (vítimas preferidas dos manos), enchem de recrutas que não enchergam um palmo do nariz, só sabem multar, sem falar na saidinha de natal, este é o país das maravilhas pros bandidos, porque pra policiais aqui é o INFERNO.
    Digo mais uma vez, os policiais são formados por indivíduos oriundos da sociedade, se esta é hipócrita, interesseira, gosta de levar vantagem, não gosta de estudar, não gosta de trabalhar, como querem policias do primeiro mundo, só se importar, mas será que eles enfrentariam a situação????? O POVO TEM A POLÍCIA E OS POLÍTICOS QUE MERECE.

  5. Matar o mala pelo que ele fez com o Pm e a noiva convenhamos que qualquer um pensaria nisso , mas a família do mala ; apesar de qualquer erro na criação dele ; não deveria ter sido morta , coisa de louco necessitando urgente de internação e pro resto da vida.

  6. O JOÃO ROQUE É FHODA MESMO. O CARA É FAZENDEIRO E AINDA ENCONTRA TEMPO$$$$ PARA SER SECCIONAL. ISSO NINGUEM INVESTIGA? ENTROU NA POLICIA POBRE E HOJE É FAZENDEIRO. BENDITA GUARULHOS EM? E AGORA MOGI. O CARA VAI APOSENTAR NADANDO NA GRANA. E SE FOR RESPONDER IP NADA QUE UM BOM HÉLIO BIALSK ( ADV. DOS POLICIAIS CORRUPTOS) NÃO RESOLVA. ALIAS PAGAR OS HONORARIOS DESSE ADVO TEM QUE TER MUITO GUARDADO. UMA PEQUENA FORTUNA PARA OS RELES MORTAIS.

  7. Ak47,

    Bastante realista seu comentário.Mas em sendo verdade que foram policiais,não está correto, ou prezamos e respeitamos a ordem, ou vamos voltar a época do cangaço.Lamentável o ocorrido,suspeitar é uma coisa,prefiro aguardar o resultado das investigações.

  8. O ocorrido em Campinas é recente, mas logo veremos, porém no litoral a real é esta, pelo menos aparentemente não deixaram provas, todo mundo sabe, mas ninguém prova, parece que depois de tantas cagadas eles estão aprendendo. Todos se esquecem que no litoral desde o ano passado vem ocorrendo diversos assassinatos de PMs´e mesmo alertando o comando da PM que alguns policiais estavam ameaçados de morte, não fizeram nada, nem transferiram o policial pra outro lugar, resultado o policial que todos sabiam que estava ameaçado foi EXECUTADO, havia até uma lista de policiais marcados pra morrer, o major Olímpio até denunciou isto na AL. Após várias execuções começaram a mandar um monte de viaturas da ROTA pra desfilar no litoral, porém não esclareceram as mortes dos Pms, nem a policia civil, agora que passaram de caça a caçadores, apareceu mais viaturas da ROTA do que quando os PMs eram vítimas, reforçaram todas as unidades, inclusive rodoviários, apareceu também só agora os DIREITOD HUMANOS, O MP, PADRES, EMBAIXADA DOS EUA , O SSP, PREFEITOS, GOVERNADOR E ATÉ A PUTA QUE PARIU, quando eram os policiais as vítimas ninguém estava nem aí, muitos destes policiais morreram na folga, ou seja, a família não recebe seguro, agora os malas o Estado paga sem precatório, sem demora, um valor altíssimo e o pior de tudo SEM O DEVIDO PROCESSO LEGAL, então quem criou os ninjas foi o próprio Estado.
    Gostaria de ver este empenho para esclarecer a morte dos policiais, a indenização a suas famílias, a participação e apoio dos D.H, padres, prefeitos, governo, Ongs e quem sabe a Embaixada dos EUA, matam policiais aos montes no RJ e nem por isso os EUA fazem recomendação para seus concidadãos evitarem a “cidade maravilhosa pros manos”
    A nossa querida(no bom sentido mesmo) polícia civil parece que está mais empenhada em investigar a morte dos malas do que dos policiais, posso até está enganado, mas é o que está parecendo.

  9. AK47,

    Concordo plenamente, não existimos enquanto cidadãos para nenhuma organização (Dir.Humanos-ou dos manos),para nossa própria instituição,veja o caso do Mondadori, e da Passarelli,só existe apuração e ação, e indenização para quem lhes interessa.Perdemos muitos
    dos nossos em circunstâncias sordidas,e covardes, e como vc disse até hoje sem solução,sem indenização, como disse o Chico:”A dor da gente não saí no jornal.”

  10. Que Ninja o quê ??? que piada até batizaram já !!!

    Será que tem algum japonês ???

    Aprende aqui com a FEDERAL : Delegado lá ganha 24.000 por mês e tá de GREVE e vai aumentar certeza

    Polícia Federal anuncia paralisação de 24 horas
    Aeroportos, portos e fronteiras terão operação padrão dos agentes
    AE | 18/05/2010 17:49
    Mudar o tamanho da letra: A+ A-
    Policiais Federais de todo o País vão paralisar as atividades por 24 horas a partir desta quarta-feira. Em alguns locais, como aeroportos, portos e fronteiras, os agentes realizarão operação padrão.

    De acordo com nota da Federação Nacional do Policiais Federais (Fenapef), os profissionais pedem a reestruturação da carreira e da tabela salarial da categoria.

    Nesta quarta-feira, os policiais farão uma avaliação do diretor-geral, superintendentes e chefes de delegacia em todas as unidades da PF no País.

    Leia mais sobre: operação padrão •

  11. Assunto DIREITO PENAL – Crimes Praticados por Funcionários Públicos Contra a Administração em Geral – Corrupção passiva
    Origem Comarca de Mogi das Cruzes / Fórum de Brás Cubas / 1ª. Vara Judicial
    Números de origem 208/2009
    Distribuição 15ª Câmara de Direito Criminal
    Relator PEDRO GAGLIARDI
    Volume / Apenso 1 / 0
    Última carga Origem: Serviço de Processamento de Grupos/Câmaras / SJ 5.8.1 – Seção de Proces. da 15ª Câmara de Dir. Criminal Remessa: 10/05/2010
    Destino: Procuradoria Geral de Justiça / Procuradoria Geral de Justiça Recebimento: 10/05/2010

    Apensos / Vinculados
    Nº processo A/V Volume Folhas Classe Obs.
    Não há processos apensos ou vinculados para este processo.
    Números de 1ª Instância
    Nº de 1ª instância Foro Vara Juiz Obs.
    Não há números de 1ª instância para este processo.
    Partes do Processo (Todas)
    Participação Partes e Representantes
    Paciente Odir de Souza Galhardo
    Advogada TANIA LIS TIZZONI NOGUEIRA
    Advogado Benedito Ernesto da Camara Coelho
    Impetrante TANIA LIS TIZZONI NOGUEIRA
    Impetrante Benedito Ernesto da Camara Coelho
    Co-Réu Eduardo Peretti Guimarães
    Co-Réu Hélio Akira Kajitani
    Co-Réu Alex Smokou
    Co-Réu Davi Costa
    Co-Réu Douglas Marques Chrispim
    Co-Réu Maurimar Batalha
    Co-Réu José Izaias Bezerra
    Co-Réu Antonio Carlos Alves de Mello
    Co-Réu Luiz Carlos Giamatei
    Co-Réu Ricardo Corsine
    Co-Réu Paulo Antonio Carvalho da Silva
    Co-Réu Wilson Roberto Muniz
    Co-Réu Luiz Roberto Faberge
    Co-Réu Silvia Ferreira dos Santos
    Co-Réu Mário Ferreira
    Co-Réu Eliza Teixeira

  12. Será que ressuscitaram a “Scuderie Detetive Le Coq”.

    é mas agora apelidaram de ” A FIRMA” ….. bem que o pessoal do DHPP de SP deveria dar uma passadinha aqui em Campinas e verificar essas mortes ….. com certeza algo encontrarão ….

    http://maierovitch.blog.terra.com.br/2009/03/09/a-volta-do-esquadrao-da-morte-como-no-tempo-da-ditadura-militar/

    Para quem não lembra, a primeira associação criminosa de policiais para promover a execução sumária de pessoas presumidas como sendo marginais nasceu no Rio de Janeiro. Ficou conhecida como “Scuderie Detetive Le Coq”.

    O nome dado a esse grupo de extermínio representou uma homenagem a um detetive de sobrenome francês. O policial Le Coq havia sido baleado e morto pelo temido bandido Manuel Moreira, apelidado de Cara de Cavalo.

    No final dos anos 60, um grupo de policiais de São Paulo esteve no Rio para conhecer a experiência dos congêneres que faziam Justiça privada.

    Com a conivência do então governador paulista Roberto de Abreu Sodré e o apoio incondicional do secretário de segurança pública Hely Lopes Mereilles, –um jurista de nome no campo do direito Administrativo–, formou-se em São Paulo o denominado Esquadrão da Morte.

    O Esquadrão da Morte, de triste memória, atendia aos interesses da ditadura militar instalada no Brasil com o golpe de 1964. O governador Sodré ajudava a sustentar a ditadura. Ao secretário Meirelles incumbia propalar que a polícia estava a proteger os homens de bem contra os bandidos, enfrentados com as mesmas armas.

    O líder desse famigerado Esquadrão da Morte foi o delegado Sérgio Paranhos Fleury. Ele acabou aproveitado pela ditadura militar para, como delegado da Ordem Política e Social (Dops), torturar e matar os que enfrentaram com armas aquele regime de exceção. O delegado Fleury, por exemplo, foi o responsável pelo fuzilamento e morte, em rua da capital de São Paulo, de Carlos Marighella.

    Não demorou para o Esquadrão da Morte se aliar a um grupo de narcotraficantes e se encarregar da eliminação do grupo rival, para controle da distribuição de drogas ilícitas.

    Em 22 de julho de 1970, diante do descalabro, o presidente do Tribunal de Justiça de São Paulo, desembargador Cantidiano Garcia de Almeida, reunião a corte paulista e, em resumo, protestou e avisou da inadmissibilidade de grupo de policiais a promover execuções sumárias. Para as apurações, designou-se o competente, corajoso e honrado juiz Nelson Fonseca.

    O regime de exceção, com relação ao delegado Fleury, levado a Júri Popular, preparou-lhe uma lei para aguardar em liberdade o julgamento. Naquele tempo, o contemplado com sentença de pronuncia, ou seja, de envio a julgamento pelo Júri popular, era imediatamente preso.

    O Esquadrão da Morte matou uma centena de pessoas.

    No ano passado, 2008, o supracitado Esquadrão da Morte parece ter inspirado um grupo de 15 policiais militares que, associados a um comerciante financiador, matou 12 pessoas, sendo que cinco delas foram decapitadas.

    Por enquanto, os 15 policiais militares e o comerciante estão presos.

    O inquérito instaurado pela polícia civil já foi encaminhado ao promotor de Itapecerica da Serra, pois, a exemplo do que ocorria com o Esquadrão da Morte do delegado Fleury, os corpos das vítimas eram jogados naquela região serrana.

    Segundo relatos de testemunhas, seis das vítimas eliminadas foram vistas, pouco antes do crime, em viaturas policiais.

    Dos policiais sob suspeitas, 14 estavam lotados no 37º.Batalhão da zona sul da capital de São Paulo. Um deles era da Rondas Ostensivas Tobias Aguiar (ROTA).

    PANO RÁPIDO. Num estado democrático de Direito, não se pode admitir grupos de “justiceiros” e “esquadrões da morte”. Vamos aguardar que o ministério Público consiga, por investigações complementares, verificar se o novo “esquadrão da morte de São Paulo” contava com a cobertura de oficiais da polícia militar.

    Mais ainda, se nas execuções sumárias eram empregadas armas, munições, viaturas da corporação.

    Espera-se, também, que a prisão preventiva dos suspeitos tenha sido decretada com motivação sólida, para não ser derrubada nos tribunais, em especial no Supremo Tribunal Federal (STF).

    Wálter Fanganiello Maierovitch.

  13. Mataram inocentes por culpa de um moleque!!!!Por ganancia!!! Vergonha dessa sociedade que matam pessoas por vingança, e pior, que matam por simplemente matar…Pessoas que nos deveriam proteger, nos dao medo…
    Concordo com AK47….os pais nao tem culpa pelo que o “mala” fez, eles deram educaçao, ensinaram o certo e o errado, só que depois de um tempo nos mesmos decidimos por qual caminho queremos seguir,,,se ele escolheu seguir este, aqueles que ensinaram o correto nao deveriam pagar pelo caminho escolhido do filho.

  14. ooooooooooooo
    vai se fude porra logico q é chacina
    imagine vc no lugar dessa familia antes de fala bosta

O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade civil e penal do comentarista que venha a ofender, perturbar a tranquilidade alheia, perseguir, ameaçar ou, de qualquer outra forma, violar direitos de terceiros.O autor do comentário deve ter um comentário aprovado anteriormente. Em caso de abuso o IP do comentarista poderá ser fornecido ao ofendido!...Comentários impertinentes ou fora do contexto serão excluídos...Contato: dipol@flitparalisante.com

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s