Governo impõe “idade ideal” à aposentadoria: 60 anos mulheres e 63 anos para os homens 26

 CORREIO BRAZILIENSE

Governo impõe “idade ideal” à aposentadoria

07 Fev 2013

Aplicação do fator previdenciário reduz os benefícios de quem apenas cumpre o tempo mínimo de contribuição ao INSS. Com isso, os brasileiros precisam trabalhar por mais tempo para ter direito à renda total programada

» ANA D”ANGELO

Mesmo sem proibir o trabalhador da iniciativa privada de se aposentar, desde que tenha cumprido o prazo mínimo de recolhimento à Previdência Social — homens, 35 anos e mulheres, 30 anos —, na prática, o governo federal conseguiu estabelecer uma idade mínima para que as pessoas comecem a receber os benefícios por tempo de contribuição. Atualmente, para garantir uma renda equivalente àquela para a qual recolheram ao longo da vida profissional, as mulheres já estão tendo que optar pela aposentadoria por idade, ao completar 60 anos.

Dessa forma, elas se livram da mordida do fator previdenciário — regra criada para estimular as pessoas a trabalharem por mais tempo —, cuja aplicação é opcional nos benefícios por idade. Não fosse essa possibilidade, as seguradas com apenas 30 anos de contribuição receberiam no máximo 74,2% do valor a que teriam direito, sem o redutor, com base no que recolheram para o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) até os 60 anos de vida. A integralidade só seria obtida quando completassem 67 anos. Antes disso, só se tivessem mais tempo de contribuição (veja a tabela).

Já a aposentadoria por idade dos homens é aos 65 anos. Mas eles ainda conseguem garantir benefício sem redução se completarem, aos 63 anos, os 35 anos de recolhimento exigidos. Nesse caso, o valor a ser recebido sofre corte de apenas 0,8%. Aos 64 anos, eles já conseguem embolsar até mais do que a média de contribuição: em vez de redução na quantia paga pelo INSS, recebem um acréscimo de 3,8%. Aos 65 anos, esse adicional chega a 8,6%.

“O governo está conseguindo empurrar os brasileiros para se aposentarem por idade”, reconheceu um técnico do Ministério da Previdência Social. Tudo isso sem precisar alterar a Constituição, processo legislativo difícil de ser aprovado.

A lógica do fator previdenciário é esta: desestimular as aposentadorias antes de certa idade e oferecer um ganho sobre o benefício para quem adiá-la e contribuir por mais tempo. Atualmente, o objetivo é evitar que isso aconteça antes dos 60 anos, no caso das mulheres, e dos 63 anos, para os homens. O segurado que pedir o benefício antes receberá menos. Se contribuir por mais tempo e encostar as chuteiras mais tarde, pode receber valor até maior do que a renda para a qual contribuiu durante o tempo de trabalho. É uma espécie de prêmio que o INSS dá a quem adia a inatividade. Porém, quem sempre recolheu pelo teto da Previdência, hoje de R$ 4.159 não tem ganho algum se postergar a saída do mercado, pois não pode receber além desse limite.

Sem vantagens

Criado no fim de 1998, o fator é uma fórmula de cálculo do valor da aposentadoria que leva em conta o tempo de contribuição, a idade do segurado na hora de se aposentar e o tempo estimado durante o qual ele deve receber o benefício. Ele se baseia na tabela de sobrevida do brasileiro divulgada todo ano pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE). Como a população tem vivido mais, o peso do fator tem aumentado a cada ano.

A tabela do fator válida para 2003 só está garantindo aposentadoria equivalente à renda para a qual contribuiram ao INSS às mulheres que completam 30 anos de pagamento aos 67 anos. Quem atinge esses 30 anos antes, e se aposenta, têm perda no valor do benefício. Uma segurada com 55 anos recebe apenas 60,8% do montante a que teria direito sem o fator.

Outro efeito desse redutor foi o de praticamente eliminar a vantagem que as mulheres tinham, em relação aos homens, de se aposentarem com cinco anos a menos de recolhimento para o INSS. Isso porque o tamanho da mordida do fator leva em conta o tempo de contribuição — quanto menor for este, maior o abatimento.

“O fator surgiu porque não havia limite de idade no regime geral da Previdência. Se não se consegue estipular esse limite, então ajusta-se pelo valor”, resumiu Marcelo Estevão Viana, ex-secretário da Previdência Social e ex-secretário de Gestão do Ministério do Planejamento, lembrando que a idade mínima de 60 anos para mulheres e de 65 anos para homens é uma regra já válida há tempos em outros países que passam pelo processo de envelhecimento da população.

Para o deputado federal Paulo Pereira da Silva (PDT-SP), presidente da Força Sindical, “o fator está muito violento”. As centrais sindicais vêm tentando acabar com a regra e programaram para 6 de março uma manifestação de protesto na Esplanada dos Ministérios. No ano passado, elas não conseguiram convencer o Congresso a aprovar um projeto de lei que elimina o redutor.

“O fator vai piorando conforme o tempo passa, exigindo que as pessoas trabalhem mais”, disse Paulinho, que defende a troca do mecanismo pela fórmula “85/95″. Por ela, a integralidade do benefício estaria garantida às mulheres cuja soma do tempo de contribuição e da idade desse os 85. No caso dos homens, a soma dos dois fatores teria que dar 95. Assim, uma mulher se aposentaria aos 55 anos com 30 anos de contribuição. Os homens, aos 60 anos de idade, com 35 anos de recolhimentos. Hoje, nessas condições, ambos têm redução na aposentadoria.

Segundo Marcelo Viana, gestor público de carreira, o país não conseguiu equalizar a situação do seu regime previdenciário no melhor momento da história, em que tem a maior força de trabalho, portanto, mais contribuintes. “Nunca tivemos tantas pessoas empregadas, formalizadas e contribuindo para a Previdência, com a melhor renda da história recente. A demografia e o mercado de trabalho estão no auge. Com tudo isso, estamos com desequilíbrio no financiamento da Previdência Social, em torno de R$ 44 bilhões por ano”, disse.

  1. espero que todos estejam sabendo do redutor que estao sofrendo os inativos do serviço publico, passou do teto, la vem o redutor

  2. GREVE GERAL, GREVE TOTAL, GREVE JÁ!!! GANHAMOS O PIOR SALÁRIO DO BRASIL, ENQUANTO PARA OS VAGABUNDOS O AUXÍLIO RECLUSÃO NÃO PARA DE SUBIR…

  3. LAIS

    O DESGOVERNO KRIMINOSO NOS EXECUTA TODOS OS DIAS PARA

    ALIMENTAR AS BACTÉRIAS

    E PARA OS NOSSOS FILHOS: LIMITAÇÕES ???!!!

    QUAL O PRESENTE E O FUTURO DISTO ???

    EU NÃO CONCORDO COM NOSSO MODELO DE REPRESENTAÇÃO !!!

    EU NÃO VOTEI EM NENHUM DESTES KNLHS QUE NOS DESGOVERNAM !!!

    EU NÃO DEVO NENHUM RESPEITO A ISTO !!!

    SOMOS EXECUTADOS TODOS OS DIAS !!! SOMOS VITIMAS DESTE

    GENOCÍDIO . . .

    TALVEZ PULEMOS DA GREVE DIRETO PARA A CONVULSÃO SOCIAL EM BREVE !!!???

  4. A lei 51 de 1985 que dá ao policial civil (integralidade e paridade) vai ser extinta pela Dilma por lei própria criada pelo governo federal. Sabe o que isso significa?…… Para quem ainda vai aposentar (nem com mandado de segurança vai conseguir mais integralidade e paridade). Com a palavra alguns imbecis que acham que a solução para São Paulo é p.t. Nem p.t., muito menos psdb ou qualquer outro, a solução para São Paulo é a união e luta das classes.

  5. Só sei que está pra sair alguma lei que vai prejudicar em muito quem fica moscando em não pedir aposentadoria mesmo já tendo tempo.
    Vão ficando aí vão, que vocês vão ver o que vocês vão ganhar em moscar.
    A coisa caminha pra só se aposentar lá pelos 65 anos de idade.
    Quem não for esperto, corre o risco de ter que puxar muitos anos ainda nessa situação caótica em que nós se encontramos.
    Vai moscando pra ver!

  6. pessoal acorda, a spprev está aplicando o teto previdenciario do decreto 48407 de 7 de janeiro de 2004 e fixado atraves do art. 8 da EC 41/2003, quem portanto se aposentou apos 2003 ou ira se aposentar, terá o redutor ja nos holerites

    vejam a materia

    RevistaArtigo

    Regras de aposentadoria do servidor público civil, após a Emenda Constitucional nº 41/03

    A EC nº 41/03 introduziu quatro regimes normativos de aposentação, um regime geral (regra geral de aposentadoria) e três regimes de transição (regras de transição de aposentadoria). A regra geral de aposentadoria está prevista no art. 40 da CF. Já as regras de transição são as positivadas nos arts. 2º, 3º e 6º da EC nº 41/03.

    Para efeitos de sistematização das regras de aposentadoria, existem dois grandes grupos:

    Os servidores aposentados após a EC nº 41/03 terão o seu regime normativo de aposentadoria definido de acordo com a data de ingresso no serviço público [3], dividindo-se em três subgrupos:

    1.Servidores que ingressaram no serviço público a partir de 1º.1.2004 (regra geral):

    – APOSENTADORIA REGIDA PELO ART. 40 DA CF/88

    – 60/55 ANOS DE IDADE

    – 35/30 ANOS DE CONTRIBUIÇÃO

    – 10 ANOS DE EFETIVO EXECÍCIO NO SERVIÇO PÚBLICO

    – 5 ANOS NO CARGO EM QUE SE DER A APOSENTADORIA

    – FIM DA INTEGRALIDADE E DA PARIDADE – proventos calculados e reajustados de acordo com as regras permanentes (§§ 3º, 8º e 17 do art. 40 da CF/88) [4]

    – ABONO DE PERMANÊNCIA PARA OS ELEGÍVEIS E CONTRIBUIÇÃO PREVIDENCIÁRIA PARA OS INATIVO

  7. Pingback: " F I N I T U D E "

  8. Isso é PT!
    Tiram o fator e aumentam a idade de aposentadoria; logo, aumentam o tempo de contribuição atrelado à idade…

  9. Serviço insalubre sempre enseja aposentadoria especial. Para estragar a festa do trabalhador, faz-se uma salada de regras, misturando regimes de trabalho para confundir os otários. O coitado do policial se aposenta com uma redução de 50% no holerite ao arrepio da lei. Ao final vai pra justiça, cuja homologação favorável demanda trocentos anos. Na decisão, ou o caboclo já morreu ou o governo já mudou, ficando os encargos para o mandato seguinte. Pura sacanagem.

  10. E pensar que o governo federal está nas mãos de um partido que se diz defensor dos trabalhadores. Na verdade querem que os trabalhadores morram antes de se aposentar, assim não precisam pagar o benefício para ninguém. Nunca fizeram nada pelos trabalhadores ou pelos aposentados. Aliás, fizeram sim. Enriqueceram um vagabundo metalúrgico sem um dedo e criaram a maior rede de corrupção do país. Esse bando de corruptos travestidos de políticos só sabem tirar o pouco que tem a classe trabalhadora desse miserável país. Por que não mudam também as regras para a aposentadoria deles? Por que com apenas dois mandatos esses parasitas se aposentam com o salário integral? Por que esses miseráveis não recebem também o teto do valor de aposentadoria semelhante ao dos trabalhadores comuns? Por que somos obrigados a sustentar essa corja com tantos impostos? Até quando teremos que suportar o poder coercitivo do Estado que nos impõe esse confisco humilhante e injusto? O Estado foi criado para organizar e servir a população que sentiu a necessidade de viver em grupos, porém, e principalmente no Brasil que possui um povo formado pelos piores elementos vindos de Portugal, não cumpre com a finalidade para a qual existe e utiliza a força para impor a sua vontade. É como na antiga Roma, onde o Imperador e o Senado viviam sob o luxo e a luxúria mantida com o sangue de todos nós, os pobres escravos.

  11. Esses FDP, traidores do pior nível, mantêm apenas os interesses de construtoras e de grandes empresas que bancam seus respectivos cargos eletivos. Viraram as costas ao Zé povinho trouxa que vota em vagabundos safados de tamanha grandeza. São os piores criminosos que se possa catalogar. E o restante da massa, que está no mesmo barco, vai de arrasto. Pena capital pra colarinho é pouco!

  12. A reforma PREVIDENCIÁRIA está próxima! Quem já possui tempo pra se aposentar que se aposente o mais rápido possível.
    O zum zumzum é isso mesmo; que a idade mínima suba pra lá dos 60 anos, daí pra quem trabalha num ambiente estressante como o nosso, fatalmente sofrerá muito no final de sua carreira, pois estará carregado de doenças típicas de quem é submetido a uma série pesada de nervoso, frustrações e sono desregrado; tais como as doenças psiquiátricas e de coração, que é comum você encontrar na maioria dos policiais civis com mais de 45 anos de idade.
    Conheço muitos colegas que não conseguem mais dormir sem tomar remédios fortíssimos, outros com pressão arterial completamente desregulada, e depressão que chegam a chorar sozinhos pelos cantos.
    Saibam de uma coisa, a população brasileira não dá a mínima para as doenças que acometem com frequência os policiais, muito pelo contrário, muitos nos amaldiçoam por onde passam, seja num churrasco com amigos, seja num ponto de ônibus, seja na faculdade, portanto, se você já tem o tempo pra se aposentar, não espere, pois as normas previdenciárias logo serão mudadas, atingindo em cheio quem trabalha num serviço insalubre como o nosso.
    Conheço muitos colegas que já possuem tempo pra sair, porém ficam dizendo que não querem sair agora, pois vão perder alguns trocados aqui e acolá, e daí ficam correndo o risco de sofrerem um infarto, ou algum incidente policial violento, além de se ocorrer mudanças nas normas previdenciárias, terem que amargar mais longos anos pela frente, podendo até nem chegarem com vida no tempo necessário à aposentadoria.
    Enfim, quem tiver já o tempo de se aposentar, e tiver um mínimo de inteligencia, certamente sairá dessa vida de noites sem dormir e frustrações de todo o tipo, para aí sim; viver em paz.
    Sejam inteligentes!

  13. Infelizmente a maioria ou é alienada ou está engessada. Tenho dó de quando chegar a vez deles. Aí será tarde. Fazer o que…

  14. A classe política também está inclusa nessa novidade????? No cú dos outros é fácil né, nas próximas eleições todos devem anular votos para deputados e vereadores, são uns lixos que só olham pro próprio rabo, ainda dizem que é partido dos “trabalhadores”………são todos a mesma bosta!!!!!!!Fui!!!

  15. Provavelmente será um grande evento, caso contrário não seria cancelado a reunião, creio que é muito importante para os Delegados de Polícia. Como eu sou restopol, não será do meu interesse, pois ninguém quer lutar pela a Polícia Civil e sim por classes, não acredito que é o melhor meio de lutar contra o baixo salário e o sucateamento da Polícia Civil, pois todos classes fazem parte dela, mas nos dias atuais o individualismo é comum até na área de segurança pública (estado de necessidade), pois todos ganham pouco e a classe mais forte julga inconveniente ajudar as mais fracas, isso atrapalharia o sucesso dos Delegados, compreendo em partes, pois a situação é tão caótica que os Delegados estão tentando uma cartada de desespero que é a carreira jurídica. Desejo sucessos para eles, quem sabe seremos agraciados com alguma melhora também em razão da luta deles. Acredito que seria o momento oportuno para as demais classes realizar manifestações também, assim o Governo ouvia o clamor das demais classes também. Falta lideranças sindicais para fazer as coisas acontecerem, mas duvido que querem se opor ao atual Governo. Portanto nos resta aguardar se haverá algumas migalhas para o restopol.

  16. Caro colega Tubarão Santos, CONCORDO PLENAMENTE COM VC, E INFELIZMENTE, não é só aqui em SP, que o povo pensa que o PT é maravilhoso, bom o que esperar de uma guerrilheira no poder?

  17. 08/02/2013 19:24
    Da Tribuna
    Da redação

    Penas alternativas

    Osvaldo Vergínio (PSD) ressaltou a importância de se implantar penas alternativas, “pois deve haver outra forma de se pagar os débitos com a sociedade além do encarceramento.” O deputado agradeceu aos mais de 100 mil presos que se inscreveram no Programa de Pena e Medidas Alternativas e afirmou ainda que um condenado cumprindo pena alternativa custa ao Estado R$ 20, enquanto um preso encarcerado comum custa cerca de R$ 2 mil por mês. (SC)

    Projeto inconstitucional

    Carlos Giannazi (PSOL) discorreu sobre o Projeto de Lei Complementar 50/2012, encaminhado pelo Executivo, para votação em regime de urgência. Segundo o deputado, o projeto é inconstitucional, pois abre margem para que a Secretaria da Fazenda contrate técnicos por indicação, e não mais por meio de concurso público. “Nós, do PSOL, apresentamos três emendas para ajustar o projeto, pois não houve discussão. O PLC veio sem observar os reais interesses dos servidores, que estão tendo seus direitos afrontados e sua carreira colocada em risco.” (SC)

    PAC Cidades Históricas

    José Bittencourt (PSD) comentou o ótimo trabalho realizado pelo prefeito de Santo André, Carlos Grana, que conseguiu recursos do PAC Cidades Históricas junto ao governo federal. O objetivo é aplicar os recursos para a restauração de monumentos históricos na Vila de Paranapiacaba. “Por ser uma vila fundada por ingleses, tenho esperança que a seleção de futebol da Inglaterra faça durante a Copa um treino em Paranapiacaba para atrair turistas”, concluiu o parlamentar. (SC)

    Orçamento regionalizado

    Luiz Claudio Marcolino (PT) informou que em 2012 acompanhou os debates do Orçamento 2013 e ressaltou a importância da regionalização dos recursos orçamentários e da transparência à população. O deputado enumerou investimentos do Estado em moradia e comparou o número de unidades previstas à demanda necessária. “Apenas estou mostrando a incapacidade do governo estadual de fazer um Orçamento que atenda de fato à necessidade da população”. (SC)

    Trânsito e Carnaval

    Jooji Hato (PMDB) comentou a lentidão no trânsito em estradas e rodovias. Segundo o deputado, deveria ser liberada a pista de acostamento na rodovia Castelo Branco para que o tráfego de veículos fluísse melhor. Destacou a importância da Lei Seca, com tolerância zero, no Carnaval. “Recomendo a abstinência de bebidas alcoólicas para evitar acidentes.” O parlamentar desejou um feliz Carnaval a todos, além de prudência no trânsito. (GA)

    Hospital Sorocabana

    Carlos Neder (PT) criticou o fechamento do Hospital Sorocabana, no bairro paulistano da Lapa. Segundo o deputado, o hospital é extremamente importante para a zona Oeste da capital e municípios vizinhos. “Fiz uma solicitação ao governo estadual e à prefeitura de São Paulo para que o atendimento não fosse suspenso.” O parlamentar acusou o ex-prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, pela falta de investimentos no hospital. “O Sorocabana poderia dar retaguarda ao HC”, concluiu o parlamentar. (GA)

    USP

    Carlos Giannazi (PSOL) manifestou seu apoio aos estudantes da USP, acusados de formação de quadrilha pelo Ministério Público. O parlamentar criticou a gestão do reitor João Grandino Rodas. “O reitor foi nomeado para o cargo sem que houvesse eleição.” Giannazi destacou que os 72 alunos foram vítimas de ação violenta da PM durante a reintegração de posse da reitoria. “Agora todos eles estão sendo acusados de crime hediondo e podem ser expulsos da USP. Nem na época da ditadura militar o Ministério Público se comportou dessa maneira.” (GA)

    Demora no IML

    Osvaldo Vergínio criticou a fuga de pedágios, na região de Osasco, onde os motoristas trafegam por vias urbanas para evitar a tarifação. O deputado também comentou a demora na liberação de corpos nas unidades do IML no Estado de São Paulo. “Além disso, a família tem de reconhecer o corpo de seu ente querido no mesmo ambiente em que o preso é levado para realizar exame de corpo de delito”, lamentou. (GA)

    CPIs

    Carlos Giannazi (PSOL) comentou reportagem publicada na Folha de S. Paulo, que abordou “a pouca relevância das CPIs instaladas na Casa”. O deputado afirmou que as CPIs que visam à fiscalização de ações do governo estadual não têm andamento na Assembleia. “A fiscalização do governo estadual não acontece porque apenas 25 deputados não têm vínculo com a base governista”, disse. (JF)

  18. Alckmin ‘vitamina’ orçamento e quer gastar 26% a mais
    Bruno Boghossian e Julia Dualibi | Agência Estado

    Tags: orçamento São PAulo

    COMENTÁRIOS (2) -AA+
    O governo de São Paulo aumentou em 26% seu orçamento com ações de publicidade em 2013, em comparação com as despesas ordenadas durante o ano passado. A gestão de Geraldo Alckmin (PSDB), candidato à reeleição em 2014, prevê gastar R$ 226 milhões para divulgar suas realizações e veicular propagandas de utilidade pública.
    Nos bastidores, a equipe de Alckmin admite que precisa vitaminar a divulgação das ações da gestão para colar no governador os projetos considerados bem-sucedidos da sua gestão. Inicialmente, não estava nos planos de Alckmin aumentar os gastos com publicidade neste ano. Mas ele acabou convencido por integrantes do governo, que apontaram a importância estratégica das campanhas de marketing.
    Ao assumir o governo, em 2011, Alckmin apertou o cinto do departamento de comunicação: gastou R$ 118 milhões do orçamento de R$ 225 milhões elaborado pela gestão dos antecessores, José Serra e Alberto Goldman, ambos do PSDB. O aumento de gastos com publicidade no ano pré-eleitoral é comum no governo paulista. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

  19. Deixa ver se entendi…idade minima p mulher continua 60 so que sem adicional apos isso, ja o homem baixou para 63, tendo adicional apos esta idade, então se deixou de considerar a dupla jornada da mulher?! Alem de trabalhadora, tambem mãe! A pessoa que esta por traz disso so pode ter problema com mulher, ahah cada umaaa!!!

  20. É desanimador o que se propõe a respeito da aposentadoria de quem já contribuiu anos a fio com a certeza de que teria um futuro ao menos tranquilo. Pena mesmo o sentimento de descrença e vergonha que aumenta a cada dia em cada um de nós, brasileiros honestos

  21. Poxa sou um ignorante mais o que posso dizer é que todo dia comemos compramos para comer compramos para vestir compramos remedios e tudo mais tudo mesmo pagamos este pequeno imposto Brasileiro e quando finalmente chegamos a idade de se aposentar encotramos esses pequenos problemas acredito eu que nas eleições não encontramos este problema é eu tenho 32 anos que Deus me ajude que eu não precise desse meu direito de cidadão brasileiro não quero ter que pagar para ter esse direito e provar que preciso dele que Deus abençoe os politicos Brasileiros por nos permitir se aposentar

  22. OS HOMENS MORREM PRIMEIRO E AS MULHERES APOSENTAM ANTES E CURTEM O RICARDÃO DEPOIS.

  23. Conheço varios colegas que já tem tempo pra se aposentar, mas ficam embromando por achar que logo terão um aumento de uns 5000 reais, e assim, ficam os velhotes passando raiva nesse sistema carregado de problemas.
    Quero ver a hora que mudar a idade mínima, e esses “espertões” que esperam por um milagre salarial, terem que ficar mais uns 10 anos nesse trabalho estressante.
    Muitos desses não vão chegar a se aposentar, pois o estresse é fator marcante pra nos causar doenças fatais.
    Policial deve se aposentar com no máximo 50 anos, pois se passar disso, corre sério risco de morrer vítima das doenças típicas do ELEVADO ESTRESSE.
    Se liguem senhores! Não esperem milagre, pois isso pode lhes custar a vida.

  24. Bom Dia!

    Senhoras e Senhores.

    “Posso ser considerado por muitos uma pequena gota deste imenso oceano e, tal qual majoro que mesmo sendo aos olhos destas personalidades um “diminuto”, sinto-me na obrigação de alertá-los, pois no final para suas desditas, esta gota que negativamente apregoam, pode ser de fato, a derradeira que determinará o principio do fim e como implicação efetuará o transbordo definitivo de tudo”.

    Desde o mais tempo remoto ou por assim dizer: Meados do que podemos chamar de Estado Federativo, nossas legislações atinentes aos reais direitos dos trabalhadores, direitos estes obtidos através de lutas e conquistas, vêm sendo através dos tempos “achatados, negados e porque não dizer, desdenhados ou esquecidos”.

    Trabalhador neste País que realmente esteja inserido e reconhecido pela Legislação Trabalhista, que definitivamente segue à risca tudo o que preceitua a respectiva cartilha, deve no mínimo ter seus direitos garantidos e protegidos e, os outros que efetivamente estejam exercendo suas atividades e que são obviamente regidos por Estatutos e que são os casos dos Funcionários Públicos Concursados, o patrão devem a estes os mesmos princípios e na figura de “contratante”, devem através de seus representantes respeitarem fazer-se respeitar e acima de tudo garantir plenamente que estes respectivos direitos sejam de fato e sem delongas devidamente restituídos.

    Trabalhador neste País não deve ser tratado como gado ou cordeirinho e que quando não é mais útil, vai literalmente para o abatedouro.

    Trabalhador neste País tem é sim de ser muitíssimo respeitado, pois é através do seu trabalho e do seu suor que o Estado consegue pagar e financiar as suas dívidas e as suas devidas obras.

    É através do seu suor também que o Estado tenta ou deveria tentar mais dar plenas condições e uma mínima qualidade de vida como retorno garantido a este referido trabalhador.

    Infelizmente pelo que se observa nitidamente, trabalhador neste País somente é lembrado nos dias de eleição ou quando ao receber o seu mísero e minguado salário, efetuam rapidamente verdadeiros rombos no seu pagamento, restando somente alguns pingados para que ele sobreviva.

    Infelizmente trabalhador neste País somente é lembrado para efetuar pagamentos e ser incumbido de assumir prejuízos de outrem.

    Infelizmente e pelo que parece o trabalhador neste País não possui “direito”, pois quando este ao tentar recebe-los, percebe que estes foram transferidos para outros ou que definitivamente serão negados, pois as regras do jogo não são de fato bilaterais, portanto são impositivas e doa a quem doer e quem não estiver a fim, virem-se.

    Portanto que me desculpem os especialistas, mas desde a criação do antigo INPS (década de 70) onde seus valores tiveram obviamente sidos originados dos antigos sistemas previdenciários das diversas categorias de trabalho do passado e hoje apesar da nova roupagem e um novo nome “INSS”, definitivamente não conseguem efetuar suas devidas restituições muito menos dar garantias dos plenos direitos do verdadeiro profissional, isto tudo devido aos altíssimos rombos ocorridos ou ocasionados por “desconhecidos”, ainda assim com pretensas e até eventuais desculpas impõem sem dó e sem medo, novas regras para o já tão esmerilhado trabalhador.

    Notamos que trabalhador honesto neste país é sinônimo de fraqueza ou é tido como vaquinha de presépio, pois observamos também que nem tampouco seus dignos representantes sindicais conseguem sequer alguma coisa a não ser, serem agraciados com as injustas contribuições sindicais, assistências e até as confederativas. E ai eu pergunto para que? Se estes em nada fazem como obrigação devida? Mas sabemos que este “ônus” também sai do esfarrapado bolso do trabalhador. Portanto é somente dividas e contas e sem nenhum direito.

    Precisamos mudar rapidamente estes enunciados, pois senão num futuro não muito distante, ao acordarmos perceberemos que nunca mais teremos sequer aonde reclamarmos dos nossos hipotéticos direitos, pois certamente estaremos vivendo num quiçá “Estado de Sítio” ou pior ainda “Estado do Socialismo”.

    Caronte.

  25. É COM MUITA INDIGUINAÇÃO COM ESSES POLÍTICOS DE M…., CORRUPTOS, PARA ELES TUDO PARA A CLASSE DOS APOSENTADOS NADA . É UMA VERGONHA ONE ESSE SEM DEDO LADRÃO COM SE NÃO BASTASSE FEZ SEU FILHO UM DOS MAIORES IMPREZÁRIO DO PAÍS. DA ONDE VEIO TODO ESSE DINHEIRO SR. LINGUA PRESA LADRÃO.
    O SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL JÁ TEM AMAIORIA PARA PT E COMPANIA FAZEREM TUDO CONTRA TODOS.

    TEMOS QUE DAR UM BASTA , TEMOS QUE DAR OA RESPOSTA NAS URNAS.

    ASS. INDIGUINADO

O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade civil e penal do comentarista que venha a ofender, perturbar a tranquilidade alheia, perseguir, ameaçar ou, de qualquer outra forma, violar direitos de terceiros.O autor do comentário deve ter um comentário aprovado anteriormente. Em caso de abuso o IP do comentarista poderá ser fornecido ao ofendido!...Comentários impertinentes ou FORA DO CONTEXTO SERÃO EXCLUÍDOS...Contato: dipol@flitparalisante.com

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s