João Alkimin: DIFERENÇAS…( Des. Ivan Ricardo Garisio Sartori trata os funcionários do Poder Judiciário de outra maneira, dando-lhes dignidade e pagando-lhes o que é devido ) 51

DIFERENÇAS
sartori_w
Enquanto os Policiais Civis são tratados pelo Governo do Estado especificamente pelo Dr. Geraldo Alckmin como cidadãos e funcionários de 2ª classe, enquanto o governo do Estado se recusa a pagar o que lhes é devido por direito o Presidente do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo Des. Ivan Ricardo Garisio Sartori trata os funcionários do Poder Judiciário de outra maneira, dando-lhes dignidade e pagando-lhes o que lhes é devido, porque afirmo isso, por simples constatação e quero deixar claro que não sou amigo do Dr. Sartori, não o conheço pessoalmente nem faço questão, nunca nos encontramos e as informações que tenho são dos próprios serventuários da justiça.
Sua Excelência como chefe do Poder Judiciário determinou o pagamento de férias atrasadas e de valores financeiros que os funcionários tem direito de receber, e é bom que se deixe claro que o único presidente antes do Des. Sartori a fazer isso foi o Des. Francis Selwin Davis, esse sim meu pessoal amigo de décadas.
Por que o Governador do Estado, chefe do Poder Executivo não toma a mesma medida, não paga o que é devido aos Policiais, mágoa , ira contra a Polícia Civil ou simplesmente pura e simples maldade ?
Não é mais possível que os Policiais não recebam o que lhes é de direito como a ALE e NU, não é mais suportável que um Policial seja obrigado a trabalhar mesmo quando já poderia se aposentar porque se o fizer terá diminuição de seu salário. Isso é simplesmente vergonhoso.
O que pretende o Governador fazer com a Polícia Civil,  humilhá-la ainda mais ?
Hoje somente se sabe por ” Dá cá aquela palha” demitir o Policial e temos inúmeros exemplos para não ser cansativo os exemplos mais emblemáticos são o Delegado Conde Guerra e o Delegado Frederico Miguel. Isso sem falar nas centenas de operacionais demitidos, nas dezenas que estão presos muitas vezes preventivamente por um período acima do permitido pela nossa legislação simplesmente por inércia do Poder Judiciário.
Como cidadão não consigo entender qual a lógica da administração da Segurança Pública, e digo o porque: Temos um Delegado ou um Investigador de Polícia de classe especial, no caso do Delegado o mesmo se não for dócil, complacente e amigo de um Deputado de prestígio ficará sem função e no lugar que era seu por direito, será comissionado um 1ª classe, ganhando como classe especial, gerando despesas indevidas para o Estado. Isso não é Improbidade Administrativa, já no caso do Investigador, muitas vezes o mesmo é constrangido e até coagido a assinar um documento abrindo mão da chefia em prol de alguém de classe inferior, mas que certamente é amigo do Diretor, do Seccional ou do Titular do Distrito. Isso não é imoral.
Muito se fala em dar condições de trabalho e moralizar-se a Polícia Civil. Moralizar o que senhores, se a imoralidade começa nos escalões mais altos onde somente os apaniguados tem algum direito.
Se não estiver enganado e posso estar, pois não sou especialista em segurança pública, a Polícia Militar tem 54 coronéis, e 54 Cargos privativos de coronéis e dificilmente se encontra alguém comissionado no lugar de um um coronel full, já a Polícia Civil tem 138 cargos privativos de Delegado de classe especial e eu particularmente gostaria de saber quantos delegados de 1ª classe estão comissionados em classe superior gerando ônus para o erário.
A improbidade administrativa esta latente , mas todos fazem de conta que nada existe;  os que estão sem cargo por medo de um embate com quem está no momento mandando  e os que estão comissionados por motivos óbvios.
Falar em moralidade, falar em reformar a Polícia, falar que 900 delegados estavam sendo investigados como disse o demitido Ferreira Pinto é muito fácil, o difícil é tomar alguma atitude, o difícil é que venham receber um salário digno ou que pelo menos o governador pague aquilo que lhes é devido, e não fiquem extinguindo a Polícia Civil aos poucos, talvez o Governador se esqueça que Policial vota, que policial tem família, que policial tem amigos que votam, mas talvez o Dr. Geraldo já tenha se cansado da governança do Estado e pretenda disputar a próxima eleição a Vereador ou Prefeito de Pindamonhangaba, ou pretenda voltar a clinicar, pois provavelmente com alguma especialização poderá ser melhor médico anestesista do que é Governador do Estado.
Sugiro ao Governador que conviva ou tome algumas lições com o Presidente do Tribunal de Justiça aí sim talvez aprenda a diferença  entre ser chefe e ser líder e para não perder tempos já a digo a sua Excelência qual é a diferença, o chefe é temido o líder é respeitado.

João Alkimin

  1. Vale mais ser amado que temido, mas nunca é bom ser odiado (Machiavel).

  2. Parabéns Sr. Desembargador, pela justiça que o senhor lida com seus funcionários, pagando o que lhes é de direito. Que o nosso governador lhe tome como exemplo e cumpra as leis conosco, está insuportável (não só referente à salário) ser policial neste estado e, infelizmente, TODOS são prejudicados!!! Fui!!

  3. CAROS:

    VOCÊS JÁ VIRAM A CARTILHA DO DECAP SOBRE “PROPOSTA PARA UM PLANO DE MODERNIZAÇÃO” QUE JÁ TEM DATA PARA IMPLANTAÇÃO, QUE POSSIVELMENTE JÁ TERÁ INÍCIO NESTE MÊS? PESQUISEM.

  4. O secretário da Segurança Fernando Grella Vieira anunciou a ampliação das Centrais de Flagrantes da Capital. Serão criadas mais 16 unidades. A novidade foi anunciada durante um encontro regional em Campinas, na manhã de hoje (27), onde foram debatidas questões relacionadas à segurança juntamente com os chefes das polícias da região.

    Agora, São Paulo passará a contar com 27 Centrais de Flagrantes que funcionarão 24 horas e também aos sábados, domingos e feriados. O novo modelo faz parte de um plano em fase final de estudos.

    Para cada Central de Flagrante, haverá três Distritos Policiais subordinados que passam a funcionar das 8 às 20 horas. A medida também irá diminuir as distâncias percorridas pela população, em média 4 quilômetros, facilitando a comunicação do crime por meio do registro da ocorrência.

    Força na investigação criminal

    Com o novo modelo implantado, será possível fixar 367 equipes de investigação nos Distritos Policiais, fortalecendo a investigação, ampliando os resultados de identificação de criminosos e o esclarecimento dos crimes, além de ampliar o contato entre a comunidade e a polícia civil.

    As Centrais de Flagrantes

    A implantação das 16 novas centrais também ajudará a reduzir o tempo de deslocamento dos policiais militares até as unidades. Com isso, o registro dos flagrantes será agilizado, e por consequência, os PMs voltarão às ruas em menos tempo para reforçar a segurança na Capital.

    As Centrais de Flagrantes foram implantadas na Capital em agosto de 2011 e fazem parte de um pacote de mudanças proposto para reorganizar e melhorar o trabalho da Polícia Civil. Em maio do ano passado, o projeto foi agraciado com o prêmio Mario Covas, que reconhece as melhores iniciativas na área de gestão pública.

    Até hoje, a cidade contava com 11 unidades. Agora serão 27. Elas são exclusivas para o registro de ocorrências de flagrante delito, incluindo a captura de procurados da Justiça e atos infracionais. As informações são do portal da Secretaria da Segurança Pública do Estado de São Paulo (SSP).

  5. Vai chegar uma ocasião em que todos os distritos policiais da capital serão centrais de flagrante.

  6. Só por curiosidade, eu me lembro de ter visto em um filme que é melhor ser temido do que amado, uma vez que o medo dura mais que o amor.

  7. Na verdade caminhamos de volta ao modelo antigo, com pequenas modificações.

  8. Pingback: João Alkimin: DIFERENÇAS…( Des. Ivan Ricardo Garisio Sartori trata os funcionários do Poder Judiciário de outra maneira, dando-lhes dignidade e pagando-lhes o que é devido ) | " F I N I T U D E "

  9. Vale DO pARAÍBA perde Gabinete de Combate à Violência

    Projeto pioneiro de gestão integrada será instalado em Campinas, 3ª colocada no ranking de mortes

    Michelle Mendes
    São José dos Campos

    Líder da violência no interior paulista, O Vale ficou de fora de uma iniciativa pioneira do governo do Estado, que criou o Gabinete Metropolitano de Gestão Estratégica de Segurança Pública.
    O convênio foi assinado na quarta-feira e o gabinete será implantado na região de Campinas. A proposta é reunir representantes das polícias Civil, Militar e Científica, além de membros de secretarias estaduais e da sociedade civil para discutir ações de combate e prevenção a criminalidade. “Os municípios poderão discutir a segurança conjuntamente ou ações pontuais para cada uma das cidades”, informou, em nota, o secretário de Segurança Pública, Fernando Grella.
    Criminalidade.
    A RM Vale fechou 2012 com 450 vítimas de homicídios dolosos (com intenção de matar) e latrocínios (roubo seguido de morte). Foram 83 assassinatos a mais do que a região de Ribeirão Preto, segunda colocada no ranking. Campinas ficou em terceiro lugar, com 364 vítimas.
    Em janeiro deste ano já são 37 vítimas na região. Campinas e Piracicaba aparecem em segundo lugar, ambas com 33 vítimas, e Ribeirão Preto é a terceira, com 29 mortes.
    O governador Geraldo Alckmin (PSDB) disse ontem que “o Vale não deixará de ser atendido em relação ao gabinete”.
    A Secretaria de Segurança Pública não detalhou os critérios para implantar o gabinete metropolitano.

    Pressão.
    Deputados estaduais e prefeitos vão cobrar a implantação do gabinete na região. A prefeita de Cruzeiro e presidente do Codivap (Consórcio de Desenvolvimento Integrado do Vale do Paraíba, Litoral Norte e Mantiqueira), Ana Karin (PR), disse que pretende discutir em reunião no próximo dia 7 com os prefeitos ações para reduzir a criminalidade. “A implantação de um gabinete como esse, que une forças de diferentes esferas, é muito pertinente. Vamos discutir maneiras em que possamos ajudar a reduzir a criminalidade.”
    O prefeito de São José, Carlinhos Almeida (PT), pretende notificar o Estado. “Nossa região tem condições de pleitear esse trabalho. O Vale do Paraíba merece atenção e a instalação de um gabinete neste formato é algo muito importante para o combate ao crime. Vamos encaminhar uma solicitação ao secretário de Segurança Pública do Estado.”
    Hamilton Ribeiro (PT), prefeito de Jacareí, disse que vai se inteirar sobre as propostas. O prefeito de Taubaté, Ortiz Júnior (PSDB) não comentou.

  10. Ohhhhh, meuuuu Deus, alguem pode dizer ai que falta tudo, faltam policiais, meios, sem contar no horario escravizante, ALGUEM DISSE AI QUE MUITAS VEZES OS POLICIAIS -ESCRAVOES, TIRADOS – COMPRAM MATERIAL DE SERVIÇO DO BOLSO, tudo eh lindo no papel, mas como nao temos mais representatividade ( sindicatos e associaçoes) que deveriam passar em TODAS as delegacias para verem as condiçoes de trabalho e tomarem as providencias devidas, estamos fu…, acabados, alguem disse que o policial esta em uma escala de serviço, mas por falta de efetivo acaba sendo escalado pra trabalhar no final de semana, depois ainda concorre em escala de ronda, e por ai vai? Ate onde sei o RETP nao eh pra isso, transformar o policial em escravo sem remuneraçao justa..por isso volto a dizer, NAO QUERO MAIS GRATIFICAÇOES, DISSO OU DAQUILO, AJUDA ALIMENTAÇAO, RETP…EU QUERO SALARIO EFETIVO JUSTO…SALARIO INICIAL DE NO MINIMO R$10.000,00, AI SIM TEREMOS CONDIÇOES DE NOS DEDICARMOS AA POLICIA, NAO PRECISAREMOS MAIS FAZER BICOS, OU “CORRERIA” POR AI? O Estado pode pagar esse salario sim, so nao o faz por pura vingança e maldade…ALGUEM SABE DIZER AI SE EXTINGUIRAM OS SINDICATOS E AFINS?, POIS ANO OS VEJO MAIS,,,,CANSEI…..

  11. Caro comunicador João Alckmin

    Concordo literalmente com seu postado,participo que; na condição de cidadão, estando vivo na data das eleições 2.014, por não ver decência nos atuais e possíveis candidatos, votarei nulo para o poder executivo do estado de São Paulo.

    Se liga São Paulo,

    Acorda Brasil

  12. POLÍCIAIS CIVIS SÃO TRATADOS COMO SERES INFERIORES AOS FUNCIONÁRIOS DO JUDICIÁRIO, É UMA TRISTE REALIDADE, AS VEZES ME SINTO CONSTRANGIDO DE IR AO FORUM, ME SINTO REALMENTE COMO UM SER DE CLASSE SUB-HUMANA.

  13. País dos “supersalários”, Brasil tem juiz que recebe por mês o que colega de país rico ganha em um ano344
    Simon Romero*
    Em São Paulo
    28/02/201306h00

    Há muitas formas de enriquecer no Brasil, mas uma estratégia pode parecer uma surpresa no clima econômico atual: conseguir um emprego público.
    Enquanto os servidores públicos na Europa e nos Estados Unidos estão tendo seus salários reduzidos ou estão sendo demitidos, alguns funcionários públicos no Brasil estão recebendo salários e benefícios que deixam seus pares nos países desenvolvidos bem para trás.
    Um funcionário em um tribunal em Brasília, a capital, recebeu US$ 226 mil (R$ 445 mil) em um ano –mais do que o ministro-chefe do Supremo Tribunal Federal. Igualmente, um dos engenheiros do Departamento de Estradas de Rodagem de São Paulo recebeu US$ 263 mil (R$ 518 mil) em um ano, mais do que a presidente do país.
    E há os 168 funcionários públicos do Tribunal de Contas de São Paulo, que recebiam salários mensais de pelo menos US$ 12 mil (R$ 23 mil), às vezes de até US$ 25 mil (R$ 49 mil)–mais do que ganhava o prefeito da cidade, a maior do Brasil. De fato, o prefeito na época brincou que planejava se candidatar a um emprego no estacionamento da Câmara Municipal quando seu mandato terminasse em dezembro, depois que foi revelado que um manobrista ganhava US$ 11.500 (R$ 22.655) por mês.
    À medida que a economia antes próspera do Brasil começa a estagnar, esses “supersalários”, como são conhecidos aqui, estão alimentando um novo ressentimento a respeito da desigualdade nas burocracias desajeitadas do país. Sindicatos poderosos de certas classes de funcionários públicos, fortes proteções legais aos servidores públicos, um setor público inchado que cria muitos novos empregos bem-remunerados, e benefícios generosos que podem ser explorados pelos servidores, tudo isso torna o setor público do Brasil um cobiçado baluarte de privilégio.
    Mas as riquezas não são distribuídas igualmente. Enquanto milhares de funcionários públicos excedem os limites constitucionais em suas remunerações, muitos outros enfrentam dificuldades para se sustentar. Por todo o país, professores e policiais geralmente ganham pouco mais de US$ 1.000 (R$ 1.970) por mês, e às vezes menos, exacerbando os problemas de segurança e da educação no país.
    “As distorções salariais em nosso setor público chegaram a um ponto em que se tornaram uma desgraça completa e absoluta”, disse Gil Castello Branco, diretor do Contas Abertas, um grupo que monitora os orçamentos dos governos.
    Funcionários públicos privilegiados, antes chamados de marajás, em uma referência à opulência da antiga nobreza da Índia, existem há muito tempo no Brasil. Mas à medida que o Brasil nutre ambições de subir às fileiras dos países desenvolvidos, uma nova lei de liberdade de informação exige que as instituições públicas revelem os salários de seus funcionários, dos funcionários públicos mais baixos até os ministros do governo.
    Apesar de algumas autoridades resistirem às novas regras, as novas revelações das instituições públicas mostraram casos e mais casos de funcionários públicos ganhando mais do que ministros do Supremo Tribunal Federal, que ganhavam aproximadamente US$ 13.360 (R$ 26.723) por mês em 2012, um valor estabelecido pela Constituição como o salário mais alto que um funcionário público pode receber. Apenas no Senado e na Câmara dos Deputados, mais de 1.500 funcionários ganharam mais do que o limite constitucional, segundo o Congresso em Foco, um grupo de vigilância.
    Os juízes estaduais podem fazer ainda melhor. Um em São Paulo recebia recentemente US$ 361 mil (R$ 711.170) por mês. Não é erro de digitação: alguns juízes no Brasil recebem em um único mês mais do que seus pares nos países ricos ganham em um ano. (Os mais altos salários anuais dos juízes no Estado de Nova York foram aumentados para cerca de US$ 198.600)
    As revelações recentes, incluindo um auditor no Estado de Minas Gerais que ganhou US$ 81 mil (R$ 159.570) em um mês e uma bibliotecária que ganhou US$ 24 mil (R$ 47.280) em outro, provocaram uma forte reação em alguns setores. Joaquim Barbosa, o ministro-chefe do Supremo Tribunal Federal, revogou os supersalários dos 168 funcionários do Tribunal de Contas de São Paulo em dezembro. Outro juiz federal farto suspendeu em outubro os pagamentos acima do teto de 11 ministros do governo, mas a Advocacia-Geral da União disse que entraria com recurso.
    Alguns historiadores culpam Portugal, seu antigo poder colonial, pela criação de uma poderosa burocracia pública na qual mandarins contam com enorme influência e ganham salários excessivos. A justiça bizantina do Brasil também fornece formas para certos funcionários públicos contornarem os limites constitucionais às remunerações. Alguns recebem aposentadoria de cargos anteriores no governo –frequentemente o salário integral na época da aposentadoria– após passaram para outro cargo público bem-remunerado.
    E há os auxílios extras para moradia e alimentação, os reembolsos generosos por quilômetro rodado a serviço e, é claro, as brechas. Uma lei datada de 1955 permite que alguns funcionários públicos tirem três meses de licença remunerada a cada cinco anos. Mas aqueles que abrem mão da licença, que agora visa encorajar os funcionários a fazerem cursos de pós-graduação, podem receber o dinheiro extra em seu lugar.
    Alguns membros importantes do Partido dos Trabalhadores da situação, incluindo o ministro da Fazenda, Guido Mantega, conseguem contornar o limite constitucional ao receberem US$ 8 mil (R$ 15.760) extra por mês por servirem nos conselhos diretores de empresas estatais, e muitos legisladores têm direito a bônus anuais de mais de US$ 26 mil (R$ 51 mil), para que possam comprar roupas como ternos.
    Mas entre os países em desenvolvimento, o funcionalismo público do Brasil é invejado em alguns aspectos por seu profissionalismo. Exames rigorosos para uma série de cargos públicos cobiçados geralmente eliminam os candidatos despreparados. Bolsões de excelência, como algumas organizações públicas de pesquisa, conquistaram aclamação em áreas como agricultura tropical.
    Mas alguns contribuintes se irritam com os privilégios do setor público, cujas fileiras incharam em 30% na última década, atingindo 9,4 milhões de funcionários em um país de 194 milhões de habitantes. Sindicatos poderosos minam os esforços para demissão de funcionários públicos, tornando esses empregos excepcionalmente estáveis e bem protegidos.
    Enquanto o governo brasileiro financia confortavelmente a si mesmo com a cobrança de impostos e emissão de títulos da dívida, serviços como educação e tratamento de esgoto permanecem lamentáveis. Apesar dos altos impostos, o Brasil ficou em último lugar entre os 30 países industrializados e em desenvolvimento em qualidade de serviços que os cidadãos recebem pelo imposto que pagam, segundo o Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário, instituição sem fins lucrativos.
    Alguns legisladores se tornaram alvo de escrutínio pessoal. Fernando Collor de Mello, um ex-presidente que antes denunciava os marajás e agora é senador, foi apontado recentemente como tendo gasto mais de US$ 30 mil (R$ 59.100) por mês em dinheiro público para contratação de um jardineiro e dois arquivistas.
    No Maranhão, um dos Estados mais pobres do Brasil, os legisladores concederam a si mesmos o equivalente a 18 salários mensais –cada um de aproximadamente US$ 10 mil (R$ 19.700)– em um único ano, justificando a decisão como uma “ajuda de custo”.
    A nova lei de liberdade de informação, aprovada pela presidente Dilma Rousseff, que ganha em torno de US$ 174 mil (R$ 342.780) por ano, visa expor essas práticas. Sem causar surpresa, alguns interesses entrincheirados têm resistido a cumprir a lei.
    Quando o Congresso finalmente decidiu em 2012 permitir que as pessoas obtivessem a informação sobre os salários de seus funcionários, ele também exigiu que o nome de cada funcionário fosse apresentado e submetido online. Em outras palavras, se alguém quisesse informação sobre os 25 mil funcionários do Legislativo, então a pessoa teria que identificá-los independentemente e submeter 25 mil pedidos online separados.
    Quem dera fosse assim tão fácil em São Paulo. Uma funcionária da Justiça estadual, Ivete Sartorio, teria recebido aproximadamente US$ 115 mil (R$ 226.550) após convencer seus superiores de que devia ter sido compensada por não tirar suas licenças. Mas quando perguntado recentemente sobre os salários dela, um porta-voz do tribunal, Rômulo Pordeus, disse que o “número de matrícula” de Sartorio era necessário para obtenção da informação.
    Quando perguntado sobre como algum contribuinte curioso poderia obter esse número, ele respondeu que Sartorio é quem o tem, e que ele não a incomodaria a respeito dele.
    “Eu não vou pedir a ela seu número de matrícula, porque é um aborrecimento, entende?” disse Pordeus. “Ninguém gosta de dizer quanto ganha.”
    *Lis Horta Moriconi e Taylor Barnes, no Rio, contribuíram com reportagem
    http://noticias.uol.com.br/internacional/ultimas-noticias/the-new-york-times/2013/02/28/pais-dos-supersalarios-brasil-tem-juiz-que-recebe-em-um-mes-o-que-colega-de-pais-rico-ganha-em-um-ano.htm

  14. PESSOAL COM A INCORPORAÇAO DO ALE, AGORA QUE EU NAO SAIO MAIS DO NUCLEO DE PERICIA MEDICA, NAO VOU PERDER NADA E POSSO ESPERAR MINHA APOSENTADORIA COM PARIDADE E INTEGRALIDADE EM CASA.
    E SO IR EM QUALQUER MEDICO E FALAR NO AMBIENTE QUE TRABALHAMOS, QUE JA METEM UM ATESTADO DE 120 DIAS POR ESTRESSE.
    CHUCHU, FIQUE COM SUA PC E A POPULAÇÃO QUE ACERTE EM 2014.

    ABRAÇOS, TO INDO PRO MEDICO MARCAR CONSULTA.

  15. ENQUANTO NÃO VIER AUMENTO REAL DE SALÁRIO, BRACINHO DE HORÁCIO, E QUE SE DANE A POPULAÇÃO, TUCANALHAS, E DEMAIS HIPÓCRITAS DE PLANTÃO. EM 2014 “PT” NA CABEÇA.

  16. EU SÓ QUERIA SABER, DE ONDE SAI O NUMERÁRIO PARA QUE SE CUMPRA A LEI, AOS FUNCIONÁRIOS DO PODER JUDICIÁRIO, ESTE SAI DA FÁBRICA DA ARRECADAÇÃO DO PODER EXECUTIVO, PORÉM ESTE TAL PODER É O QUE PAGA MENOS AOS FUNCIONÁRIOS PÚBLICO DO ESTADO, VEJA EXEMPLO, CONTRARANDO A PRÓPRIA CONSTITUIÇÃO FEDERAL, QUE FUNCIONÁRIOS QUE EXERCE A MESMA FUNÇÃO GANHA POR IGUAL DESTA FUNÇÃO, POIS É, UM MOTORISTA DA ASSEMBLEIA LEGISLATIVA E DO JUDICIÁRIO QUANTO GANHA, COM APENAS ESTA FUNÇÃO, UM PM QUE EXERCE FUNÇÃO DE MOTORISTA E DE DE POLÍCIA COM HORÁRIOS EXORBIRTANTE E PRINCIPALMENTE DO C.B., COM CAMINHÃO DE JATO DE ÁGUA, PARA LOCAL DE INCÊNDIO QUE AGE COM MUITA HABILIDADE, QUANTO GANHA? VERGONHA NACIONAL. PEDRO BAIANO – MONGAGUÁ – SP

  17. Caro Pedro Baiano,se alguns ganham mais e por ter alguem que se preocupa com seus funcionarios ,diferente da Seguranca Publica onde os chefes so olham para si proprios e para seus apaniguados,veja os Delegados que torturaram a escriva , continuam na policia, e o Delegado Guerra que nem um crime sequer em tese cometeu foi demiitido portanto esse e o retratoda admimistracao da seguranca publica

  18. Caro João, suas palavras são provinientes de sua sabedoria e, também,da sua luta e respeito pelos servidores do estado de Sp!
    Com certeza, a MORALIZAÇÃO TEM QUE VIR DE CIMA E O PIOR, O ATUAL GOVERNDOR DE SP SAI PAGANDO DE BOM MOÇO NA IMPRENSA, MAS PELAS COSTAS DA POPULAÇÃO, O QUE ELE PUDER FAZER PARA FERIR E DESTRUIR O FUNCIONALISMO ESTADUAL, ELE FAZ!!
    João, o senhor sabia que agora o “nobre governador” de Sp, ALCKIMM, QUER PROIBIR UMA CLASSE DE SERVIDORES DE USAR O IAMSP??
    POR FAVOR, SE INTEIRE SOBRE ESSE FATO E NOS DIVULGUE MELHOR AQUI NO FLIT, PODE SER?

  19. O PROBLEMA É O SEGUINTE : MUITOS OU QUASE TODOS QUE AQUI ACESSAM FICAM ” CANTANDO DE GALO”, E COM MUITA CONVERSA “FIADA”. ACONTECE É QUE ESSES “COBRADORES”, TEEM É QUE IR PARA O EMBATE. EU PARTICULARMENTE, NA GREVE DE 2008, FUI VÍTIMA DE UM “MAJURA” , O QUAL TENCIONOU ME AUTUAR E COMUNICAR ESSA TAL DE CORRÓ, NÃO RECALCITREI UM MILIMETRO . O “INDIGITADO” CIENTE DA INJUSTIÇA QUE IRIA COMETER, ABDICOU DE SEU ATO IMPENSADO. O QUE ACONTECE É QUE SE NÃO FORMOS PARA CIMA, NADA TEREMOS.

  20. Os policiais não tem condiçoes de se esforçar mais no combate ao crime pois eles têm que guardar energia para poder fazer o bico diário, caso contrário eles e seus filhos morrem de fome com esse salário de merda que o estado de sp paga aos policiais. Em resumo o picolé de chuchu finge que paga bem aos policiais e os policiais fingem para o picolé que se esforçam no combate ao crime. Nada mais justo.

  21. OS DEPARTAMENTOS ESPECIALIZADOS, EXCETO O DHPP, SÃO O MAIOR EXEMPLO DE QUE NÃO HÁ VONTADE INSTITUCIONAL E POLÍTICA EM SE FAZER UMA POLÍCIA SÉRIA. DEIC, DPPC, DENARC E SETORES DE TRANSITO AO LOnGO DE TODOS OS ANOS SÓ FIZERAM MINAR A DESIGUALDADE ENTRE POLICIAIS.

    Nenhum policial é tolo o bastante para não ter conhecimento de que especializadas sempre foram formadas para atenderem a interesses a fim de privilegiar alguém. Nunca verificou-se que após a extinção do DECON os ilícitos investigados por esse departamento sofressem aumentos extraordinários, ou seja, não se verificou a necessidade de recriar um departamento com a mesma finalidade do DECON, portanto, o DPPC é um departamentosem razão alguma para existir, aliás muito menos quando sabemos que os policiais ali classificados não possuem cursos ou especialização para ali atuarem, possuem sim “amizades” com pessoas influentes ou com chefes imediatos que ali os colocam, a única diferença dos policiais do DPPC para os do DECAP, como por exemplo, são as roupas, sapatos e acessórios. Por que o crime contra a Fazenda não pode ser investigado pelo distrito policial?Já que esse tipo de crime se faz necessária a participação de técnico em contabilidade e assessoramento do agente fiscal, pois eu desconheço que um policial da fazendária pode chegar em qualquer empresa e solicitar livros e realizar fiscalização, cai nessa o empresário mal informa o ou quem estiver “devendo” algo,só assim para não bater de frente, é o velho atira no que viu e acerta no que não viu.Há também os policiais da “Saúde Pública” que quando agem pensam ser médicos veterinários ou sanitaristas, sempre cheios de razão e mau sabem distinguir uma varejeira de um pernilongo, por isso que não raras as vezes os réus desses crimes sempre são absolvidos, pois é tudo feito nas “coxas”, também queremos o que agentes sem qualificação não podem realizar um trabalho de nível. Temos também os “colegas”do meio ambiente que o mínimo que deveriam possuir era conhecimento sobre gestão ambiental, mas acreditam que podem sair por ai adentrando as empresas e fiscalizando ao bel prazer, sem mandado em empresa séria não entram mesmo.Entenderam porque esse trabalho poderia ser feito pelos distritos e delegacias do município, aliás no interior nem se sabe o que é DPPC. Esse departamento deveria imediatamente ser extinto, nunca fez ou fará falta á população. Fará falta para quem?
    No Deic eu cito a Divecar, a 3ª, por exemplo, que fiscaliza desmanches, porra dá até vergonha!!! Chegam geralmente três antigões numa barca, amarrados nos cordões de ouro, até parecem sócio do proprietário do desmanche, tamanha a cordialidade, assinam o “Livro Preto” e tchau, não sujam um único dedo de graxa, não verificam um único chassi ou motor.Que Especializada é essa? Caso essa delegacia seja extinta qual será o prejuízo do cidadão paulista? Vejamos também a 1ª DIG”Antipirataria”, nem faz cócegas no comércio ilegal ou falsificação de marcas e produtos,pois essa delegacia deveria chamar 25ª, já que parece que foi criada para agir somente na 25 de março.Delegacias como as da DIVECAR e DIG deveriam apenas existir para reunirem dados estatisticos einteligencia policial e distribuir informações aos Distritos de área, pois essas equipes não atingem nem 1 por cento dos criems para os quais foram criadas.Há ainda o fato de comentarem que essas delegacias movimentam bastante papel,sendo esse o fim principal, carregar papel, não o A4.
    Discorrer sobre o DENARC é ser redundante, é chover no molhado, a Secretaria de Segurança Pública devia cobrar combate ao tráfico dos distritos policiais,conhec um Delegado e Equipe que hoje encontram-se no Denarc que á épocaque estavam num distrito do Decap, davam inúmeras cana de “droga ” na sua circunscrição e outras áreas, o que manda é a equipe com determinação e conhecimento ,não o DEPARTAMENTO, sem contar que o Denarc não fica um único período sem trazer um escandalo, com envolvimento de seus policiais, à tona. O engraçado é que a Pm apreende muito mais droga que a Civil sem possuir um setor específico para tal tarefa, não esqueçamos que quando digo pm , estou falando do P2 que levanta as informações , oras porque os distritos não podem fazer esse serviço? De quem é o interesse em manter o Denarc.?
    O DPPC, Denarc e Deic fazem parecer que existe outra polícia dentro da polícia, os policiais dessas especializadas acreditam que são superiores, aliás quando de suas “canas” adoram dizer em bom português que “Aqui é o Depto Tal ,não é distritooooooo”, sempre desmerecendo os policiais da delegacia da área, querendo valorizar Engraçado isso não, uma vez que todos sairam da mesma academia e são pagos pelo mesmo”patrão”. Inúmeras foram as vezes que cruzei “colegas” de departamento que se colocaram numa posição superior, gerando discussão e insultos depreciadores, se fosse tudo por uma boa causa pra ver quem prenderia , tudo bem ,mas o interesse da Especializada era outro.
    Escrever sobre o Detran e as Ciretrans é chover no molhado, só quem teve o privilégio de trabalhar nesses lugares sabe quão grande covardia é querer se igualar a policiais operacionais de delegacias e distritos, quantos policiais não fizeram as histórias de suas vidas nesses setores, quantos não foram os que puxaram o saco, caguetaram, pisaram e fuderam colegas para irem e permanecerem nesses lugares. Tanto Detran quanto Ciretran por anos amarraram a Polícia Civil, enquanto os nobres policiais disputavam quem iria para essa ou aquela circunscrição de trânsito a PM , o MP, o Judiciário corriam atras dos interesses gerais de suas instituições. Como reparar tamanho desperdício?
    Somente com a extinção desses departamentos e que teremos uma polícia mais justa; sem demagogia barata, já passou da hora de valorizarmos os distritos e delegacias de área, o policial tem que se sentir e estar apto para atuar em qualquer modalidade de crime. Não pode existir “duas Marias mexendo o mesmo bolo”.
    Quem será o maior interessado em centralizar setores especializados? Por que não se reestrutura definitivamente a Polícia Civil?
    Não conseguem enxergar, os senhores Conselheiros, que a Polícia Civil está por um fio, que é hora de inovar, aceitar mudanças, ousar! Ninguém dentre esses cardeais tem uma visão empreendedora? Reúnam se e debatam o que fazer para melhorar para todos, independente de “rixas”, partido político o qual lhe convém. Deixar revanchismos e perseguições e olhar à frente. Como está não dura muito.

    .

  22. Ae Dr. Guerra, chique a pousadinha em juquehy, hein…………. Parabéns pela evolução do flit.

    Quase 21 milhões de acessos não podem ser deixados de lado. Aproveite esse filão, isso não vai desmerecer o senhor ou o blog…….

  23. Não há quaisquer interesses financeiros de nossa parte; no caso da LocaFestas e Pousada da Lua são amigos de longa data.

    Em relação ao João Alkimin e o Dr. Daniel Leon Bialski é uma questão de gratidão por toda a ajuda que nos dispensam.

    Não fiz antes porque a outra plataforma não aceitava link com a imagem; agora conseguimos, embora o resultado não tenha ficado muito bom…Hehhehehhe

    Ah, a pousada é simples , mas muito bacana!

    Pode ir lá e pedir desconto.

  24. GRANDE ‘FUBICA”, ASSINO EM BAIXO O QUE VOCÊ NARROU COERENTEMENTE, MEU AMIGO, SÓ PARA CORROBORAR COM O QUE VOCÊ EXPÔS, TE DIGO FUI ESCRIVÃO DE POLÍCIA ,DURANTEMAIS DE TRÊS DECADAS, POIS, JA ME APOSENTEI. MEU IRMÃO !, PASME, SOU ENGENHEIRO DE SEGURANÇA DO TRABALHO, FORMADO DESDE 1982, PELA UNIVERSIDADE MACKENZIE E MINISTÉRIO DO TRABALHO. ASSUNTE SÓ, O QUE OCORRE, S.M.J., EU TENHO UM CERTO CONHECIMENTO EM ACIDENTE DO TRABALHO, ACONTECE QUE EU TENTEI IR TRABALHAR NAQUELA EXTINTA “DOSAT”, A QUAL ERA SUBORDINADA AO DECAP, ONDE EU SEMPRE TRABALHEI. OCORRER QUE ME PRETERIRAM, EM DETRIMENTO DE CERTOS “APANIGUADOS”, QUE NÃO SABIAM NEM O QUE SIGNIFICAVA A SIGLA ” CIPA “. ME AJUDE AÍ Ó !…

  25. Beleza doutor, quando sobrar uma graninha vou na pousada e dizer que é vossa recomendação…

    Assim como muitos flitadores, torço muito pelo senhor, pelo seu regresso. Tenho asco a injustiças.

    Como o senhor já tá um tempinho longe das fileiras, imagino que deveria explorar comercialmente o blog, para manter a família e quiçá, uma brahma bem gelada com os amigos… Ficou legal os anúncios que colocou…..

    Tenho certeza que o senhor sabe o que faz…….. Mais uma vez parabéns pelo sucesso do blog

  26. PS….. Horra eu, musicas muito boas na rádio showtime……..gostei…..Parabens ao joão alkimim…..Já virei ouvinte

  27. Depois que eu ouvi de um juiz que policial é feito pra ser desacatado eu desanimei de vez, afinal a classe policial é vista como uma sub-raça em um sub-mundo sub-humano.

  28. 01/03/2013 19:54
    Projeto do Executivo autoriza indenização por morte ou invalidez a policiais
    Seguro de vida em grupo poderá ser contratado para as carreiras policiais
    Da Redação

    O Projeto de Lei 76/2013, do Executivo, publicado no dia 1º/3, autoriza o pagamento, em caso de morte ou invalidez permanente, total ou parcial, de indenização de até R$ 200 mil aos militares do Estado e aos servidores sujeitos ao Regime Especial de Trabalho Policial ou que exerçam atividades de risco acentuado em unidades da Secretaria da Administração Penitenciária. Também a proposta autoriza a contratação de um seguro de vida em grupo, a ser pago pelo Estado.
    Essa indenização será devida em caso de morte ou invalidez que ocorram em serviço, no deslocamento entre o domicílio do militar ou do servidor e o seu local de trabalho e em razão da função pública, ainda que o evento causador da morte ou invalidez se dê após a passagem do militar ou do servidor à inatividade.
    Segundo o projeto, a concessão da indenização será estabelecida em procedimento investigativo administrativo, independente da existência de procedimento disciplinar e da regulação do sinistro por parte da seguradora. Não caberá indenização se na investigação ficar demonstrada a prática de ilícito administrativo ou penal por parte do militar ou servidor vitimado.
    O PL 76/2013 está em pauta para recebimento de emendas. A seguir, irá para análise das comissões temáticas atinentes, para então seguir para aprovação em Plenário.

  29. A INCORPORAÇÃO DO ALE VAI SER PAGA SIM, COMO O ANUNCIADO PELO GOVERNO MAS POR DECRETO, NEM VAI PRECISAR PASSAR PELA ALESP, FIQUEM TRANQUILOS A INCORPORAÇÃO JÁ ESTÁ VALENDO DESDE HOJE, JÁ RECEBEREMOS A DIFERENÇA EM ABRIL JUNTAMENTO COM O REAJUSTE DA INSALUBRIDADE.

  30. A proposta é reunir representantes das polícias Civil, Militar e Científica, além de membros de secretarias estaduais e da sociedade civil para aprovar uma aumento de 100 % para toda a policia civil isto sim seria uma reuniao para resolver de vez a nossa situaçao o resto horario, central de fragrantes, centro de umbanda, vigilia da pqp,boas novas que vem de kosovo,reengenharia do cacete, uniforme da policia civil, projeto, proposta, etc e tudo mentira e enrolaçao

  31. Passaram-se tempos de descobrimento do Brasil, hoje ninguém vive mais do mundo da lua, as informações e comentários circulam e são propagados constantemente.
    A improbidade administrativa realmente está configurada em diversos atos discricionarios, será que um dia teremos um homem publico igual a esse Desembargador, que administra nos moldes do artigo 37 caput da Constituição de 1988, Lei Magna/Maior, ou a desconsidera, administrando nos moldes do Coronelismo, onde prevalecia somente os interesses privados; não acredito muito que fai ser possível um administrador nesses termos na PC de SP, que leva a risca o interesse público, avocando atos para si, quando se refere a interesse coletivos; então não é preciso ir muito fundo, no dia 12/01/2013, foi publicado na Imprensa Oficial, no caderno 2, na parte da Secretaria de Segurança Pública, a lista provisória referente as promoções das carreiras e classes policiais civis, e advinham os critérios de escolhas que utilizaram; 1- aqueles que sempre ou quase sempre trabalham em serviços diversos de sua atividade fim, os chamados profissionais administrativos, muitos com um pouco mais de 10 anos de serviço policial, nunca presidiram em apresentações de ocorrências e nem e nunca elucidaram crimes relativos a sua função típica, mas tem privilégios e são dignos de promoções, não tem se quer noção do que são suas prerrogativas públicas e quais são suas atribuições de verdade na instuição (PC), infelizmente não vamos generalizar, mas ainda uma minória é levada a sério pelos seus méritos; 2- Estão usando do poder para promoção pessoal, é só verificarem os que foram indicados e confrontar os nomes, vão confirmar que muitos deles possuem vinculos afetivos tais como: ( Pai, Mãe, Tio, Tia, Irmão, Irmã, Avô, Avó etc), usando da máquina pública para promoção pessoal, passando por cima dos principios basilares da Administração pública, art. 37 da constituição 88, por cima da lei do nepotismo, por cima do art.111 da constituição do Estadual, e da a Lei do Nepotismo, promovendo pessoas com laços familiares de primeiro, segundo e terceiro grau, é lamentável, é desmotivador, o exemplo tem que vim primeiramente dos preceitos constitucionais, isto é, tem que vim de cima para baixo, mas na prática não é assim que funciona. É uma vergonha, faz quanto tempo que vem ocorrendo essa extrema injustiça nas escolhas de promoções na PC, isto não e equivoco e sim fato comprovado, é facil e só realizar levantamentos internos comprovaram, agora no dia 27/02/2013, publicou-se na Imprensa oficial, no caderno 2, na Secretaria de Segurança a lista definitiva e critério de pessoalidade está evidente, é triste, motivação zero, além das questões salarias, situações iguais esta vem acontecendo com frequência na PC, não verificam o histórico de trabalhos apresentados pelo policial civil, ao contrário disso o que se tem mais peso nesse ambiente é o tal leva e traz, o famoso “puxa saco”, exemplos iguais a esse que faz do profissional de segurança um integrante desmotivado, sem auto estima para o trabalho, entra gestão e saí gestão e tudo continua a mesma pessoalidade, ninguém quer ver nada, ou finge em não ver, mas o Estado todo tem conhecimento.

  32. PORQUE TODO SECRETÁRIO ENTRA FALANDO EM FAZER A REESTRUTURAÇÃO MAS NUNCA FAZ?

    PORQUE A MAIS DE 20 ANOS QUE ESTOU NA POLÍCIA TODOS OS SECRETÁRIOS QUE PASSARAM FALARAM EM REESTRUTURAR A POLÍCIA, MAS DEPOIS SE CALARAM?

    QUAL A DIFICULDADE EM REESTRUTURAR A POLÍCIA CIVIL? AFINAL, JÁ PASSARAM VÁRIOS SECRETÁRIOS COM ESSA INTENÇÃO, MAS NENHUM CONCLUIU SEU DESEJO…

    SINDICATOS E ASSOCIAÇÕES QUE FIM LEVOU?

  33. O jeitinho psdb de enganar a população dando nomes fantasiosos á antipática reengenharia. são as fictícias centrais de flagrantes, as proezas do nobre Governador de SP nada mais é que o fechamento de várias Delegacias por falta de funcionários, então reúne-se esses funcionários em uma única Delegacia denominada centrais de flagrantes e, estas por suas vezes passam a funcionar com a quantidade necessária para uma Delegacia normal com o quadro de funcionários recomendado, mas na verdade a população ganha uma delegacia bem equipada mas perde outras várias Delegacias. Isso chama-se enganação, pois se a moda pega, fecharia-se vários Hospitais para manter apenas um bem equipado e com quadro de médicos e enfermeiros na quantidade correta ou então mata-se vários enfermos para salvar apenas um. Acontece que o público que antes eram atendidos em outras Delegacias, agora se aglomerarão na única central de Flagrantes, ou seja, todos problemas espalhados agora estarão em um único local. Eu como cidadão e usuário dos serviços públicos, faço a seguinte pergunta :qual é o benefício que a sociedade recebe com essas Centrais de Flagrantes? Antes o(a) cidadão(ã) tinha uma Delegacia sucateada próximo á sua residência, agora ele(a) tem que viajar quilômetros para encontrar uma central de flagrantes se desejar formalizar uma queixa, mas lá encontrará outros moradores de vários bairros que também tiveram suas Delegacias fechadas, todos em busca de atendimentos da Polícia Judiciária. Na minha opinião, o governo apenas engana a sociedade, pois dessa forma ele trocou seis por meia dúzia, com várias agravantes, temos que viajar para formalizar uma queixa, temos que enfrentar uma fila enorme para sermos atendidos, estaremos mais distantes da Polícia Judiciária e assim finalmente conseguiram implantar algo que realmente não passa de enganação, pois nada melhorou, apenas aglomeraram , juntaram os problemas que antes eram espalhados, só isso. Continuando com minha opinião, acredito que o racional seria equipar as Delegacias com materiais de boa qualidade e com a quantidade correta de funcionários, mas não fechar as Delegacias como estão fazendo . Acredito que o Governo Geraldo Alckimim esta é racionando a mão de obra, pois deveria abrir concursos para suprir o déficit de Policiais Civis que chega hoje á soma de pelos menos 15 mil novas vagas necessárias; Dessa forma, poderíamos entender que, o Exº Governador estaria com boas intensões na área de Segurança Pública, mas do jeito que estão fazendo, estão nos chamando de trouxas e desinformados, pior, subestimando nossa capacidade de raciocinar o que é razoável ou não, mas engana-se, nós temos inteligência suficiente para distinguir o que é bom ou ruim. Acredito em repostas duríssimas nas urnas em 2014, pois a população já esta de saco cheio de políticos falsos.

  34. Pingback: http://flitparalisante.wordpress.com/ | " F I N I T U D E "

  35. O TRABALHO DOS POLICIAIS CIVIS É MUITO MAIS COMPLEXO E DE RISCO QUE OS OFICIAIS DE JUSTIÇA, EU COMO INVESTIGADOR DE POLÍCIA CARREIRA NÍVEL SUPERIOR, SÓ DESEJO TER UM SALÁRIO EM IGUALDADE AOS OFICIAIS DE JUSTIÇA QUE SÃO NÍVEM MÉDIO…

  36. O BRASIL É CAMPEÃO MUNDIAL EM HOMICÍDIOS ABSOLUTOS!

    GRAÇAS A NOSSA JUSTIÇA FROUXA E LEVE!

    Fonte Programa da Regina Casé.

  37. Desculpe Tira Veio,nao e a justica que e frouxa e leve,sao nossas leis feitas por politicos que sao descabidas,mas quem vai legislar contra si proprio politico e tudo menos burro ,burros somos nos que votamos neles,Abracos

  38. 04/03/2013 19:27
    Da Tribuna
    Da Redação

    Hospital em Parelheiros

    Luiz Claudio Marcolino (PT) informou que esteve no bairro de Parelheiros nesta segunda-feira, 4/3, com o prefeito Fernando Haddad, a fim de fazer um levantamento de áreas viáveis para a construção de hospital na região. Estiveram presentes deputados, vereadores e representantes da população. Marcolino comentou a importância da obra: “Cerca de 200 mil pessoas vão buscar atendimento nos municípios próximos à região e isso superlota o atendimento. Esse novo hospital trará melhorias à população”, concluiu. (SC)

    Reajuste salarial

    Carlos Giannazi (PSOL) cobrou novamente do governo estadual o cumprimento da data-base salarial do funcionalismo público estadual, conforme manda a Lei estadual 12.391/06. O deputado afirmou que as gestões do PSDB têm políticas calcadas no arrocho salarial e que o reajuste aprovado na Casa pela base do governo não contabiliza as taxas inflacionárias e não resulta em aumento de fato. O parlamentar concluiu dizendo que o Estado não cumpriu a lei até agora. (SC)

    Blitz da segurança

    Jooji Hato (PMDB) relatou caso de um garupa de moto que matou um homem de 30 anos com diversos tiros disparados na frente dos filhos em Barueri. O deputado disse estar indignado com a criminalidade e a violência com que os bandidos agem: “Não temos mais direito de usar objetos, não temos direito de viver. Temos que tirar as armas dos bandidos, usadas para roubar e matar.” Concluiu alertando que a melhor forma de desarmamento é por meio da realização de blitz. (SC)

    Seguro de vida para policiais

    Olimpio Gomes (PDT) informou que após 130 dias do anúncio do governador Geraldo Alckmin a respeito do reajuste no valor do seguro de vida dos policiais, deu entrada na Assembleia o projeto de lei complementar que trata do assunto. “Não tínhamos seguro de vida e sim seguro de trabalho. Agora, com esse PLC, o seguro passa a indenizar as famílias com efeito retroativo a 1° de janeiro”. Segundo o deputado, desde outubro passado, data da promessa do governador, já morreram 35 policiais. (SC)

    Banco do Povo em Araçatuba

    Ramalho da Construção (PSDB) parabenizou o governador Geraldo Alckmin pelo lançamento do Banco do Povo na cidade de Araçatuba. O deputado afirmou que o banco será muito benéfico para a economia da cidade e facilitará ao cidadão os empréstimos com juros baixos. Ramalho também falou da inauguração de uma unidade de terapia em Araçatuba que irá atender casos de oncologia. (GA)

    Soldados no Haiti

    Welson Gasparini (PSDB) comentou a audiência que teve com o governador Geraldo Alckmin e com a cooperativa Unimed Regional para tratar da construção de um grande centro hospitalar em Ribeirão Preto. O deputado criticou a missão militar no Haiti e pediu à presidente Dilma para trazer os quase 2 mil militares de volta. “Era para estabilizar o Haiti em alguns meses, já se passaram oito anos e os soldados ainda continuam lá”, disse. (GA)

    Máquina de escrever

    Carlos Neder (PT) comentou que o Brasil precisa de mais controle público. O deputado falou que o Ministério Público tem função constitucional de fiscalizar as denúncias de irregularidades relacionadas a gestões públicas. Neder recordou que, quando foi secretário da Saúde na administração da ex-prefeita Luiza Erundina, foi acionado pelo MP pela compra de três máquinas de escrever. “Naquela época, o Brasil não era informatizado como hoje, e o Ministério Público entendia que máquina de escrever não tinha a ver com a saúde.” (GA)

  39. Nota às entidades representativas de policiais civis e militares

    O Secretário da Segurança Pública Dr Fernando Grella deverá comparecer à reunião da comissão de Segurança Pública da Assembleia Legislativa para prestar contas da atuação da secretaria e apresentar seu plano de trabalho, oportunidade em que o questionarei sobre os problemas que afligem a população e principalmente o massacre que o governo do Estado vem impondo aos policiais, pelo que solicito ampla divulgação do evento, convidando a todos os interessados a comparecer para municiar os membros da comissão quanto aos questionamentos necessários.

    Deputado Estadual Major Olimpio Gomes

    LOCAL: Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo, avenida
    Pedro Alvares Cabral, 201 Ibirapuera – Auditório Dom Pedro I
    DATA: 07/03/2013 às 15:00 horas

  40. Sr. João Alkimin, no quesito comparação e aulas com o E. Desembargador e Presidente do TJSP sugerido ao Governador de SP, acrescentaria ainda a sugestão para tirar seus quinze dias de licença e aproveitar esse afastamento para se submeter a estágio junto ao Governador do PR, o S. Beto Richa, e com esse apreender como se trata com respeito e dignidade os Policiais do Estado que governa.

    Proporciona o governador do PR um clima amistoso entre as duas corporações, e estas com o titular da Pasta SSP, nada é forçado e sim levado em consideração, e ainda, as providências de sua exclusiva iniciativa são adotadas e assim tem sido para exemplo neste país.

    Hodiernamente, os senhores Delegados estão recebendo o subsídio disponibilizada às carreiras jurídicas, assim também ficou ratificada tal condição na CE/PR. Seus valores figuram na segunda posição do tabela de vencimentos, subsídios e/ou proventos (inativos). Tem investido na modernidade da Polícia Paranaense.

    Quanto aos senhores Policiais das demais carreiras civis, tem sido recebidos de igual e respeitosa maneira pelo nomeado Governador do PR, com vencimentos melhores que os dos paulistas.

    Essas informações são colhidas através da mídia televisa, escrita, e meios sociais de comunicação (internet).

    O Governo do PR, mormente, o atual (reeleito) tem dispensado os melhores tratamento aos Policiais e proporcionado a elevação autoestima dos citados policiais.

    Para não estender mais esse relato e a sugestão, arremato afirmando que está o PR remunerando seus ilustres Policiais com melhores subsídios do que até a própria congênere federal e a do DF.

    Mas, ainda, aproveito desse ensejo para solicitar esforços junto ao Presidente do TJSP, no sentido de liberar o pagamento de todos os precatórios que se encontram depositados na conta bancária desse E. Tribunal, os quais viriam ajudar em muito a amenizar o sofrimento dos Policiais paulistas credores do Estado, com Decisões proferidas em Ações da década de 90, cujas Ordens Judiciais para pagamento do crédito estão datadas desde 1998, 2001, por exemplo e até essa data não foram repassadas tais verbas às contas dos servidores policiais credores, acredito que o mesmo se dá com servidores de outras Pastas, e tudo isso se resume em uma “gangorra”, i.e., se tem um grupo de credores (servidores) sendo prejudicados com a demora pré-concebida e orquestrada pelo Tribunal, outro grupo está sendo favorecido, seja ele qual for. Em parte, a FESP que não deposita toda verba da qual é devedora, e de outro lado o TJSP que não agiliza a liberação daquelas já depositadas e com isso causa enorme prejuízo e sofrimento a centenas, milhares de credores (servidores do Estado). Um absurdo !!!

    Nos ajude por aí, o quanto puder, nesses dois quesitos!

    Att.

  41. O preço da vida dos homens

    Em 2012 mais de uma centena de Policiais foi assassinada (na verdade, agentes da lei, já que essa categoria engloba policiais civis, militares, agentes penitenciários e demais trabalhadores da área). Eu fui à maioria dos enterros, estive com a maioria das famílias e falei o nome de cada um deles no plenário. Pedi atenção, apoio e dignidade no trato com esses profissionais. Parece clichê repetir que são pessoas que saem de casa, que deixam suas famílias para proteger o que é nosso, nossas vidas e nosso patrimônio. Esses homens são mortos em função de serem policiais, recebem pouco, trabalham muito e muitas vezes são alvo de injustiças da própria sociedade que protegem.

    Mas injustiça maior é a que vem do governo, que parece esquecer as condições aviltantes que impõe a esses servidores; como no caso do não pagamento do seguro de vida.

    Uma lei estadual de 1994 autorizou o poder executivo a contratar um seguro de vida a seus servidores, e o contrato celebrado com a COSESP se deu só em 1999. Desde essa data, os policiais mortos no horário de serviço (com algumas horas de tolerância para quem estiver em trânsito) têm direito ao seguro de vida, mas aqueles que morreram durante a folga, estão descobertos e as famílias à mercê da sorte.

    Insisti muito no pagamento desse seguro às famílias dos mortos de 2012, foi um ano de muita luta e muita dor. Mas essa é uma tecla na qual venho batendo desde 2008, quando fiz uma indicação ao Governo do Estado (394/2008), na época, mencionei o avanço da criminalidade aliado ao inegável espírito público dos policiais, que acabam se envolvendo em ocorrências decorrentes da função, mesmo nas horas de folga. Esses homens são alvos preferenciais e quando não perdem a vida, ficam incapacitados para o trabalho. A indicação pedia o pagamento de seguro de vida aos policiais, seguro extensivo àqueles vitimados nas horas de folga.

    A resposta do governo veio em agosto de 2008 e afirmava que estavam em fase de andamento, providências para o oportuno atendimento da solicitação. Mas o fato é que nada foi feito.

    A pressão foi grande, e com a repercussão na mídia o governo acenou com algumas respostas (como a promessa do pagamento em dobro), mas nada de concreto aconteceu. No começo de 2013, voltei à carga: NENHUMA família recebera o seguro.

    Enfim, em 27 de fevereiro, o governador enviou à Assembleia Legislativa o projeto que estabelece novo valor para o seguro de vida dos policiais e agentes penitenciários (até 200 mil reais) e indeniza as famílias de policiais mortos fora do serviço, inclusive inativos e aposentados, mas que foram mortos justamente em decorrência da profissão, a contar de 1 de janeiro de 2012.

    Para mim é um alento, mas não uma satisfação. Vou lutar para que esse pagamento seja retroativo à data da criação do seguro (1999). Uma vida não vale mais que outra, e nossos homens não podem virar números.

    TEXTO PUBLICADO NO DIARIO OFICIAL DE HOJE 07/03/2012

  42. SAIU o resultado da prova de tira 1200 aprovados!

    Estou entre eles. Com a incorporação do ALE o salario sobre mais 500 pau será

    Alguma dica das melhores regioes

  43. Porque será, que agora que chegou a hora, véspera da copa das confederações, véspera de ano de copa do mundo, véspera do ano das eleições, a Lei do Nivel Universitário “pegando fogo”, o Projeto de Lei que o governo disse que iria mandar e até agora não mandou, agora seria a hora de uma greve geral, etc, etc etc., porque será que os SINDICALISTAS, SE CALARAM?
    PORQUE SERA?
    Eu não sei, não estou acusando ninguém e nem quero fazer qualquer tipo de especulação, mas que dá a entender que estão do lado do governo, dá.
    Será que estão ganhando algum beneficio do governo para se calarem dessa forma?
    Existem inúmeros comentários, aqui no FLIT a respeito desse tema.
    Os “sites’ do SIPESP e do AIPESP está parados. O SEPESP não abre mais. O AEPESP só escreve artigos que não interessam em nada. E por aí vai.
    A RESPOSTA AGORA ESTÁ COM ELES.

  44. Ué, o Ivan Sartori permite que o TJ faça contratações sem concurso de temporários pela Lei 500/73, e isso é abertamente inconstitucional, e ele queria um delegado apenas para lidar com juízes. Só no Brasil mesmo. Enquanto isso, no Reino Unido, um ex-secretário de gabinete corre o risco de ir para a cadeia por ter colocado pontos da carteira de motorista na mulher.

  45. Engano Andre,quem queria o delegado especial era o ex presidente Bedran

O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade civil e penal do comentarista que venha a ofender, perturbar a tranquilidade alheia, perseguir, ameaçar ou, de qualquer outra forma, violar direitos de terceiros.O autor do comentário deve ter um comentário aprovado anteriormente. Em caso de abuso o IP do comentarista poderá ser fornecido ao ofendido!...Comentários impertinentes ou fora do contexto serão excluídos...Contato: dipol@flitparalisante.com

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s