TESTEMUNHO DE UM OFICIAL DA POLÍCIA MILITAR 77

Enviado em 11/09/2013 as 20:58 – SONHADOR

Depois de tanto ler este site, resolvi contribuir pela 2ª vez. Não quero, de maneira alguma, ser o dono da verdade, até porque acredito que raras vezes existe verdade absoluta; como disse, minha intenção é apenas contribuir.
Ingressei na PM como soldado e, por meu mérito e esforço, sem ter que puxar o saco de ninguém, fui aprovado no vestibular da Academia do Branco. Após 14 anos de serviço, cheguei a algumas conclusões. Nelas, escreverei mais sobre a PM, por ser a Corporação que conheço (logicamente por pertencer a ela), mas também escreverei um pouco sobre a PC, no entanto, baseado nos meus contatos profissionais.
1. Bons e maus profissionais existiram, existem e sempre existirão em todos os lugares, incluindo a PM e PC. A questão é: atualmente, o que é um bom policial, seja ele militar ou civil? É o policial honesto? É o policial honesto e esforçado, que realmente trabalha (e não enrola) durante seu turno de serviço? É o policial que “não dá novidades”, mas que é um mão cansada? Eu classifico o bom policial como aquele que é honesto e que realmente trabalha, mas o motivo deste questionamento é o fato de quê atualmente, me parece que ainda há mais bons do que maus policiais, mas infelizmente o número de maus policiais vem aumentando muito. Do soldado ao coronel, há casos de corrupção, extorsão, roubos, envolvimento com jogos ilícitos, com drogas e muitos outros ilícitos. E isso tem desestimulado muito os bons policiais. A PM é uma Corporação extremamente séria e a maior prova disto é que ela é o órgão público do Brasil que mais demite/expulsa seus maus profissionais; mesmo assim, isto parece já não surtir o efeito desejado, qual seja, o de impedir ou evitar que policiais militares cometam ilícitos. Com relação ao tratamento entre Oficiais e Praças, não negarei que há muitos que se aproveitam do posto ou graduação para serem arrogantes e mal educados, mas tais pessoas não estão restritas apenas ao quadro de Oficiais: há sim muitos Praças que são extremamente grossos e arrogantes. Logo, isto independe de posto ou graduação: depende tão somente da educação recebida na família.
2. Nunca houve, não há e nem haverá nenhum lugar no mundo onde o funcionário ganhará um salário igual (ou muito próximo) ao do diretor/gerente do local. Logo, não adianta ficar falando que os Oficiais e os Delegados ganham mais, pois isto é o natural de qualquer local. E para mim, a diferença tem que ser grande, tanto para compensar a responsabilidade maior que possuem, quanto como forma de reconhecimento do cargo. Mas isso não significa que os praças e as demais carreiras da PC devam receber um mau salário, significa apenas que sempre haverá uma diferença (que na maioria das vezes será grande) entre os que administram/chefiam e aqueles que executam. E para ser Oficial ou Delegado, não há outro caminho a não ser o do estudo. E outra coisa: há inúmeros cargos públicos no Brasil que pagam salários maiores do quê o de Oficial e Delegado; quem quiser, é só parar de choramingar e se dedicar aos estudos.
3. Fim da PM: vocês realmente acreditam que esta é a solução para todos os males? Vocês realmente acreditam que o simples fato de tirar o nome “militar” vai mudar muita coisa? Sempre haverá uma polícia fardada, ostensiva e com a missão de impedir que os crimes aconteçam. Se extinguir a PM, quem vai desempenhar tal função? A PC? Alguém da PC está realmente disposto a vestir uma farda e ir para a rua patrulhar? Pode até ser que um ou outro policial civil queira, até porque em alguns lugares há grupamentos da PC, tais como o GOE, GARRA, etc, mais militares do que a própria PM, mas eles são uma minoria muito pequena. Desta maneira, mesmo que haja a “desmilitarização” da polícia, a atividade de polícia ostensiva sempre existirá e, no caso do Brasil, por um bom tempo será desempenhada pelas mesmas pessoas que hoje a desempenham e, por óbvio, da mesma maneira. Maneira esta aliás que é muito boa, feita seriamente por muitos profissionais, quando há tempo para isto, e este tempo de efetivo patrulhamento está cada vez mais escasso, pois a PM tem que ficar atendendo um monte de ocorrência que não está diretamente relacionada a sua atividade.
Outra coisa: não entendendo por que tanto rancor contra o militarismo. É uma das formas de organização mais antigas das sociedades, baseada na hierarquia e disciplina. Não é o militarismo e nem a PM os culpados pelos abusos e erros cometidos por policiais. Nenhum curso de formação da PM ensina coisa errada; aliás, mesmo que muitos critiquem, os cursos da PM são muito bons e voltados e adaptados para a realidade paulista. Na verdade, os erros e abusos (que não são só cometidos por policiais militares, mas também por policiais civis) ocorrem em decorrência de uma soma de fatores, dentre os quais posso mencionar a falta de um treinamento constante após a formação, falta de uma boa supervisão, vistas grossas e participação dos supervisores (incluindo sargentos e oficiais) e uma boa legislação.
Na minha humilde opinião, o melhor para a população paulista seria uma única polícia, que tivesse sob seu poder o ciclo completo, mas ela não seria estadual e sim municipal. Isto porque a realidade dos municípios é muito, mas muito diferente e tudo que é planejado em São Paulo, desconsidera a realidade interiorana. Assim, cada município organizaria sua força policial da maneira que melhor lhe fosse possível. Mas sinceramente, pouquíssimos municípios teriam condições financeiras de arcar com a formação e manutenção de uma força policial bem estruturada; além disso, outro fator, talvez até mais importante do que a questão financeira, é o fato de que quase nenhum político (para não dizer nenhum) teria isenção para administrar tal poder visando apenas o benefício da população. Se com polícias estaduais sabemos que tais problemas, imaginem polícias municipais….
A PM é maior e melhor estruturada do que a PC e prende muito mais gente, mas isso é decorrência lógica do fato de que a “polícia fardada” tem que ter efetivo maior do que a “polícia sem farda” e, se ela tem efetivo maior, consequentemente prenderá mais gente, pois está mais tempo na rua e com mais recursos.
E por mais que argumentem ou não aceitem, o policial militar é autoridade policial sim. Não é autoridade policial no sentido definido pelo CPP, mas é autoridade igual a qualquer policial civil, pois se não fosse, por exemplo, com que poder ele abordaria pessoas e veículos e os submeteria a busca? Encontrem uma resposta plausível para esta pergunta e ficarei contente em lê-la.
4. Relacionamento PC x PM: é outro ponto no qual as realidades da capital distanciam e muito das de muitas regiões do interior; no interior, é normal, comum haver amizade entre policiais civis e militares e tal amizade reflete diretamente no serviço, pois há colaboração e cooperação entre os órgãos e o maior beneficiado é a população; e na maioria das vezes, o policial (civil ou militar) faz parte de tal população, pois ele mora onde trabalha. Nunca fui maltratado ou coisa do gênero em delegacias; já fui até tratado com indiferença, mas jamais com falta de respeito; e vi, no mesmo momento, que tal indiferença poderia ser fruto de várias coisas: o cara não estava em um dia bom, tinha brigado com a mulher (ou a amante), tinha levado uma bronca do chefe, estava sem bico, o carro tinha quebrado, sei lá, por vários motivos, mas não foi pelo fato de eu estar fardado e ser policial militar. Mas acima de tudo, mais uma vez na vida, percebi que somos tratado como tratamos: se o policial militar for rude, sem educação, etc, ele receberá isto de volta, seja de um policial civil, ou de qualquer outra pessoa.
As maiores broncas de policiais militares contra os Delegados são quando eles levam um “flagrante pro doutor”, mas o Delegado não ratifica a voz de prisão. Aí muitos policiais militares realmente ficam machos. É até engraçado. Eu nunca sequer pensei em argumentar com um Delegado nas ocorrências em que a opinião dele foi diferente da minha e isto por um motivo lógico: a lei deu, dá e dará esta prerrogativa a ele, ponto. Eu sempre me preocupei em fazer o meu trabalho; o Delegado tem seu trabalho e suas responsabilidades definidas em lei. Outro fato: eu nunca vi um delegado falar para um oficial onde ele deveria colocar as viaturas ou como atender uma ocorrência; ele pode até sugerir em reuniões ou conversas informais. Assim, se ele não dá palpite no meu trabalho, por que eu daria no dele?
Com relação aos vencimentos, uma coisa é verdade: a maior parte dos Oficiais não quer receber um salário menor do que o de Delegado. Eu não tenho este problema, de verdade. Quando fiz concurso para a PM, já sabia quanto receberia de salário; e naquela época já sabia também o que já disse acima: há outros cargos públicos que pagam salários maiores; se eu quisesse, poderia ter me dedicado e tentado tais concursos. No entanto, sempre tive o sonho de usar farda e por isso optei pela carreira militar. É lógico que eu gostaria de receber um bom aumento e receber um ótimo salário, mas se isso não acontecer, bola pra frente.
O que me deixa realmente triste e até certo ponto irritado é ver que não há um critério justo para se estabelecer os salários públicos. Para mim, o maior exemplo disso é o Oficial de Justiça: um carteiro de luxo, que nada mais faz do que entregar cartas; quando está no “perrengue”, liga 190 e pede apoio. Eu sinceramente não sei quais seriam os critérios mais justos para se estabelecer os vencimentos dos funcionários públicos, mas me pergunto: qual o grau de complexidade da função dele? A qual risco ele está exposto? Infelizmente, não consigo achar respostas que justifiquem o alto salário que recebem.
Mas o fato é que sempre haverá aqueles que ganham mais e os que ganham menos; não sei como isto é definido, só sei que professores recebiam igual a juízes e vejam como eles estão hoje e também sei, por ouvir dizer, pois não vivi tal época, que o soldado da PM recebia dez salários mínimos quando o governador era Franco Montoro. E então: qual é o critério, se é que há algum?
Por enquanto, vou encerrando por aqui. Não sou e nem tenho a mínima pretensão de ser o dono da verdade; apenas quis contribuir para o site. Só peço que se alguém for contrargumentar, que seja dentro da boa educação e com argumentos sólidos.

  1. CADÊ O REBOUÇAS, BAILONI, KIKO, EUMAURI, HORÁCIO, FÁBIO MARRONE, XAVIER ENTRE OUTROS? É HORA DE PRESSIONAR OS DEPUTADOS E FAZER LOBBY NA ALESP COMO ESTÁ FAZENDO DRA. MARILDA QUE ESTÁ DE PARABÉNS.

    É HORA DE BATER PONTO NA ALESP, PARA APROVAR O N.U E A CARREIRA JURÍDICA QUE FOI A RAZÃO DE TODAS MOBILIZAÇÕES, O TRABALHO AGORA E NA ALESP.

    http://www.adpesp.org.br/noticias_exibe.php?id=5669

  2. amigo o lance de todos estes que vc citou, e todas as ass. etc etc viram em torno de grana, venda de planos de saude, ninguem esta la pelo bem de ninguem, porem basta alguem ter culhão de investigar tudo ok?

    outra coisa tem seccional forte que quer ser DGP indo em suas delegacias e obrigando os tiras e delegados a não irem para a greve e nem participarem de operação blacaute, ou seja porque um seccional um chefe de tiras de seccional que ganha menos que eu, quer que continuemos com este salario? sera que realmente existe a recolha das maquinnhas etc aqui tanto falado?
    sera que tem grandes centros comerciais prédios inteiros de lojas que pagam o que se fala aqui? será que existe corrupção na policia?
    eu acho que não , mais se quem ganha menos que eu acha que esta bom, ou deve ser um idota ou deve ser catador de latinhas de refrigente e ganhar a vida fora da policia, pois com o salario, que ganhamos, num da nem para investigador trabalhar aqui e ir para a praia nem ir para outra cidade, então me explica isso se num tem diaria se num tem verba nem para arrumar viatura, como os caras conseguem morar tão longe e subir a serra ou ir para longe com tão pouco salario, sem falar nas vestimentas e nas NAVES RS ISSO É UMA VERGONHA

  3. O foda não é a falta de reajuste salarial, o foda é ser usado como massa de manobra e escada onde já se chegou no último degrau que são as cabeças dos subordinados. Sabemos muito bem quem trabalha nas duas policias e portanto a diferença salarial não tem razão de ser tão gritante. Lógico que em qualquer empresa, a chefia sempre tem um melhor salário, mais não confunda verdadeiros administradores, com vendilhões. O desabafo não foi direcionado ao oficial professor.

  4. Fui PM por 8 anos de minha vida,estou na PC ha 20 anos sei como funciona as duas!Sai da PM pois não concordava com algumas coisas de lá,Passei na mesma época(1993) no concurso para o extinto Tribunal de Alçada Civil,e para Investigador mas por opção fiquei na PC.e não pelo salario pois no TAC era melhor,não me arrependo da escolha!!Muito boa a colocação do oficial acima parabens!

  5. Concordo em partes amigo… Só um ponto a ressaltar que não existe a ideia de “acabar” com a PM e estruturar uma nova polícia como vc disse no sentido operacional e ostentivo (óbvio que sempre vai existir o trabalho repressivo da polícia), mas sim buscar um sentido prático para as funções que o alto escalão da PM exerce na sociedade com salários proporcionais condizentes com a realidade.

    Esta tudo desvirtuado. Os oficiais só procuram favorecer a política e perderam o foco há muito tempo… De que adianta o estado mais rico do país se 80% do erário direcionado a SSP é consumido pela PM devido ao contraste de salário?

    Pelo menos se a população tivesse retorno desse pagamento tudo bem, mas não! É só política, tapinha nas costas, troca de favores, desviar os praças de função para seus próprios bel-prezeres, enfim. De que adianta estrelinhas???

    abs

  6. 1° “minoria muito pequena”= PLEONASMO
    2° “o policial militar é autoridade policial sim. Não é autoridade policial no sentido definido pelo CPP, mas é autoridade igual a qualquer policial civil, pois se não fosse, por exemplo, com que poder ele abordaria pessoas e veículos e os submeteria a busca? Encontrem uma resposta plausível para esta pergunta e ficarei contente em lê-la.”
    R: O PODER QUE PERMITE UM POLICIAL ABORDAR PESSOAS E VEÍCULOS DECORRE DO PODER DE POLICIA – VIDE DIREITO ADMINISTRATIVO. O “Poder de Polícia é um conjunto de atribuições da Administração Pública, indelegáveis aos particulares, tendentes ao controle dos direitos e liberdades das pessoas, naturais ou jurídicas, a ser inspirado nos ideais do bem comum, e incidentes não só sobre elas, como também em seus bens e atividades” – PM(SEJA QUAL FOR A PATENTE) NÃO É, NUNCA FOI E NUNCA SERÁ AUTORIDADE POLICIAL.
    3° “Na minha humilde opinião, o melhor para a população paulista seria uma única polícia, que tivesse sob seu poder o ciclo completo, mas ela não seria estadual e sim municipal. Isto porque a realidade dos municípios é muito, mas muito diferente e tudo que é planejado em São Paulo, desconsidera a realidade interiorana. Assim, cada município organizaria sua força policial da maneira que melhor lhe fosse possível. Mas sinceramente, pouquíssimos municípios teriam condições financeiras de arcar com a formação e manutenção de uma força policial bem estruturada” – UM DOS PONTOS QUE TENHO QUE CONCORDAR COM VOCÊ. TENDO UMA RESSALVA, O POLICIAMENTO OSTENSIVO DEVERIA SER MUNICIPALIZADO E A POLICIA JUDICIARIA FEDERALIZADA.
    4° “Fim da PM: vocês realmente acreditam que esta é a solução para todos os males? Vocês realmente acreditam que o simples fato de tirar o nome “militar” vai mudar muita coisa? Sempre haverá uma polícia fardada, ostensiva e com a missão de impedir que os crimes aconteçam. Se extinguir a PM, quem vai desempenhar tal função?” – A PM HOJE É UM ELEFANTE BRANCO, CONSOME BILHÕES, MEDICOS PM, MUSICOS PM, COZINHEIRO PM, SECRETARIAS DE LUXO PM, MOTORISTAS PM, 300 MIL PATENTES DIFERENTES 1°,2°,3°,4° ……1000° SARGENTO, SUB-TENENTE, TENENTE, CAPITÃO, MAJOR, TENENTE-CORONEL, CORONEL, SEM FALAR NO TJM ESTADUAL QUE SÓ EXISTE POR CAUSA DA PM, A PM TEM SEU HOSPITAL, SUA BANDINHA, MOTORISTAS, PATENTES PRA DAR E VENDER, TEM ATÉ UM TRIBUNALZINHO PROPRIO QUE CONSOME OUTROS BILHOES E NADA PRODUZ PARA A POPULAÇÃO. QUEM DESEMPENHARIA AS FUNÇÕES SERIA A GCM (SERIA POLICIA MUNICIPAL OSTENSIVA) QUE FAZ O MESMO SERVIÇO MAIS BARATO, COM UMA ESTRUTURA DE 3 A 5 “PATENTES” E SEM BANDINHA.
    4° “As maiores broncas de policiais militares contra os Delegados são quando eles levam um “flagrante pro doutor”, mas o Delegado não ratifica a voz de prisão. Aí muitos policiais militares realmente ficam machos” = ATO DISCRICIONÁRIO DE LIVRE CONVICÇÃO JURÍDICA DA AUTORIDADE POLICIAL….NÃO GOSTOU BATE A CABEÇA NA PAREDE!

    ESPERO TER AJUDADO!

    Abraço Fraterno!

  7. O TJ ERA PRA SER IMPARCIAL, E LUTAR PELO SENTIDO DEMOCRÁTICO DA POLÍCIA CIVIL EXERCER O DIREITO DE GREVE.

  8. Se é oficial mesmo é bastante sensato, parabéns e concordo com quase tudo que ele falou!

  9. Não vou falar a respeito do que escreveu esse oficial, ele vive em outros tempos, então não dá, para comentar, uma coisa polêmica dessa, que no final ninguém terá razão nenhuma, agora quero ser reconhecido de verdade e valorizado, pois paguei para estudar fora da polícia, e me formei fora, onde tinha que me alimentar por conta própria, sem receber nenhuma salário e arcar com todas as minhas despesas, o Estado não me deu estudo nenhum com alojamento, comida, assistência médica, roupas, salário e outras mordomias.

  10. Oficial em qualque policia do mundo nao existe esta diferença salarial enorme como existe nas policias do brasil, Em qualquer pais do mundo entre o menor salario e o maior salario e no maximo 3x no brasil e 9 vezes.
    Sera que sociedade se tivesse conhecimento aceitaria que um coronel ganha 9 vezes que um bombeiro.

  11. Interessante o comentário do SONHADOR. Entretanto, continuo sem saber: pra quê serve o alto escalão da PM????

    Não precisa ser estudioso e ter tese de doutorado em segurança pública pra saber que está errada essa história de duas polícias. Que não se falam. Que não se entendem. Que não se comunicam.

    O correto seria UMA polícia, com plano de carreira. O sujeito começa fazendo patrulhamento, e continua no ostensivo até ser promovido por merecimento + cursos específicos para a investigação, podendo chegar à chefia. Com salário bom e justamente escalonado e não como ocorre hoje, em que o praça/restopol ganha 2x e o dotô otoridade/coroné ganha 20x.

    Existe plano de carreira em todos os países decentes. O brasil é indecente.

    O PSDB é muito pior do que a indecência.

  12. TAMBÉM NÃO ESTOU ENTENDENDO PORQUE RECUARAM EM DEFLAGRAR A TÃO COMENTADA E AMEAÇADA GREVE. SABE O QUE ESTOU PENSANDO AGORA? EU , SMJ, ESTOU ACREDITANDO QUE HOUVE UM ACORDO NÃO PUBLICADO, É ISSO MESMO, DESCONFIO QUE HOUVE UMA COMPOSIÇÃO E TRANCARAM A CONVERSA . VAMOS AGUARADAR PORQUE NÃO HÁ NADA QUE NÃO FIQYEMOS SABENDO, CEDO OU TARDE VAI VIR TONA.

    CONVENHAMOS, É MUITO ESTRANHO ESSA SITUAÇÃO, ALGUMA COISA ESTA ACONTECENDO E NÃO FOI DIVULGADA, SÓ RESTA SABER O QUE ACONTECEU DE FATO. VAMOS AGUARDAR, POIS É MUITO ESTRANHO, FICOU UM PONTO DE INTERROGAÇÃO ENORME !

  13. Policial militar sempre foi e é agente da autoridade policial, sendo sim autoridade ‘policial militar’ no âmbito de suas funções.
    Poder de polícia é prerrogativa única e exclusiva de funcionário público. Ex: poder de polícia dentro da Alesp é do presidente da mesa diretora. É comum associar-se o poder de polícia exclusivamente a policiais por eles exercê-lo diuturnamente.
    10 salários mínimos no governo André Franco Montoro = balela.
    No governo Montoro (83/87) quem ganhava 9,5 sm era um 3º Sgt PM, isto depois que foram valorizados no governo anterior (José Maria Marin) que revitalizou a polícia em 1978.
    Vejo sempre nos sites policiais referências a dez sm no governo Montoro, porém, embora nos últimos 30 anos tenha sido o melhor governador para o funcionalismo público e quiçá do estado, nunca se chegou a este patamar até porque àquela época reajustava-se o salário em um mês e já no outro estava defasado, mesmo que se chegasse aos propalados dez salários mínimos seria só para um mês, haja vista a galopante inflação de mais de 50% (isto mesmo, cinquenta por cento) ao mês, que inclusive levou o então governo Sarney a decretar congelamento de preços gerais e implantar com seu ministro da fazenda – Sr Dilson Funaro (in memorian), o plano cruzado, que foi bem por seis meses.

  14. Li os comentários do ilustre oficial PM com a merecida atenção e confesso que, em princípio, tive a melhor das impressões. Mas quando ele, referindo-se aos oficiais de Justiça, afirmou que se tratam de “carteiro de luxo, que nada mais faz do que entregar cartas; quando está no “perrengue”, liga 190 e pede apoio”, acrescentando, em forma de perguntas, que as funções deles não teriam qualquer “grau de complexidade” e nenhum “risco”, passei a vê-lo – a ele, oficial PM – como uma “vaca burra”, que dá 50 litros de leite e depois chuta o balde.
    Oficial de Justiça, meu caro sr. oficial PM, tem “fé pública”; credibilidade em seus atos que nenhum policial militar, do soldado ao coronel, possuem. Além disso, se o sr. revisitar (ou visitar) os Estatutos Adjetivos, tanto o penal quanto o civil, poderá constatar que, da mesma forma que as funções dos pms não estão limitadas a “prender bêbados”, ou “lançar gás de pimenta” em estudantes, as funções dos oficiais de Justiça não se resumem a “entregar cartas” (aos oficiais de Justiça, por exemplo, compete promover a citação e, consequentemente, a instauração do processo, com a força de sua fé pública, de oficiais PMs devedores de pensão alimentícia para filhos menores impúberes, ou de oficiais PMs criminalmente denunciados por crimes hediondos).
    Muito aqui poderia ser dito em relação aos comentários do ilustre oficial PM. No entanto, depois dessa “pisada no tomate”, vamos “passar a régua e fechar a conta”.
    Ah! Não sou e nunca fui oficial de Justiça, nem possuo entre meus familiares ou amigos mais próximos nenhum oficial de Justiça. Mas como acredito que, no serviço público, todos os cargos e/ou funções são importantes, não convivo bem com críticas gratuitas como essas feitas aos oficiais de Justiça, os quais, tal como os oficiais PMs, NÃO SÃO AUTORIDADES E SIM AGENTES DE AUTORIDADES.

  15. complementando…
    Policial militar = autoridade policial militar no âmbito de suas funções “apenas”, jamais teve ou tem autoridade de polícia judiciária.

  16. Em resposta ao Oficial:
    1. Em primeiro lugar pergunte aos funcionários operacionais da PM (Praças), os que realmente estão na linha de frente, não os motoristas e seguranças particulares, o que eles acham a respeito dos Oficiais da PM. – duvido que algum falará bem.
    2. Porque Oficiais trabalham apenas com o cérebro e quando o fazem nunca ajudam os Operacionais que estão na linha de frente, sempre prejudicam para dar uma resposta política?
    3. Porque os Oficiais não saem para as ruas para combater o crime? exceto alguns 2º ten PM. Dai para cima recebem as ocorrencias por telefone e só aparecem para dar entrevistas?
    4. Pergunte ao Povo nas ruas se estão contentes com a PM?
    5. Porque o TJM proteje Oficiais e nunca defendem os Praças??????
    6. Voce ainda está com a lavagem cerebral efetuada pela Academia de Oficiais na cabeça, sugiro efetuar uma pesquisa sem que seja necessário os Praças se identificarem, porque senão sei que serão punidos por manifestarem suas opniões, afinal o RDPM e CPPM são utilizados apenas contra os Praças, enquanto Oficiais são protegidos de todas as formas.
    7. Onde aprendem fazer a mão do bola da vez?
    8. Onde aprendem criar local de crime?
    9. Este é o ensino militar?
    7. VOCE ACREDITA NESTE TIPO DE POLICIA???????????

  17. Me parece que estamos diante de um dos raros casos que a LOBOTOMIA do Barro Branco nao foi um sucesso, afinal tirando alguns pontos vejo uma pessoa sensata e coerente.

  18. A PM é muito séria do ponto de vista do Coronel que manda seu subordinado elaborar sua própria folha de pagamento.
    A PM é muito séria sim, enquanto o Coronel ganha 20.000 pra sentar o cú na cadeira estofada o soldado ganha 2.500 pra se foder no banco da viatura madrugada afora.
    A PM é tão séria que tem vários tentáculos na política!
    A PM tornou-se uma máfia.
    Também tenho um sonho, Sr. Sonhador!!
    No dia que vcs caírem de seus confortáveis gabinetes, carguinhos políticos e etc eu estarei realizado. Pois vcs são homens e mulheres de quartel.
    Ao nosso lado estão os praças, o povo, algumas entidades não governamentais e alguns estudiosos da área.
    É o estado democrático de direito que está em risco.

  19. ” E para mim, a diferença tem que ser grande’. ESSA OPINIÃO É A MESMA DO PONTO DE VISTA DO SOLDADO? DO OPERACIONAL???? Faça-me o favor!!!

  20. Como sempre, palavra de Coxinha com Estrelinha que quer garantir a mamata!!! NÃO COLOU!!!

  21. Oficial de Justiça faz prisões, penhoras e busca e apreensões (leiam o CPC) disse:

    Na verdade esse babaca não sabe o que o oficial de Justiça faz, eis algumas tarefas prevista na lei (Código de Processo Civil):

    – efetuar citações, intimações, prisões, penhoras, arrestos….

    Além disso o oficial de justiça faz busca e apreensões, reintegrações de posse, e muitas outras atribuições, mas infelizmente não vou falar mais nada, pois falar com uma pessoa que não possui massa encefálica é a mesma coisa que falar para uma vaca.

    abraços.

  22. Acredito e muito que o Oficial que escreve seja diferente, mas uma coisa tenho que comentar. Ganhar mais para gerenciar é normal para quem gerencia com qualidade, sem colocar em pauta suas necessidades pessoais alavancando favores de cunho próprio, utilizando de subordinados para serviços pessoais de interesse tão somente seu. Na PM não há uma solução de continuidade. Todos que assumem o comando, querem de cera forma deixar sua marca, pouco se importando sobre as coisas boas que poderiam continuar. Começam do zero e só fazem coisas de cunho pessoal não aceitando palpites.
    Outro fator é sobre o militarismo. Totalmente obsoleto e arbitrário. Não serve mais para sociedade moderna. É totalmente desumano um subordinado não poder criticar um ato superior ou falar o que pensa, dizer não para condutas impróprias de seus superiores, serem punidos por coisas insignificantes como: deixar de engraxar as botas ou não portar a funcional. Sou totalmente a favor da hierarquia, mas a disciplina tem quer ser para todos e não para alguns. As multinacionais tem gerentes e operários e todos os anos batem recordes de arrecadação não precisando ter nenhum regulamento disciplinar ameaçador. Estas empresas trabalham com a motivação, coisa que os comandantes das policias não conseguem fazer ou não sabem…

  23. Complicado Sr. Oficial…

    Acredito sim que a forma de Polícia Militar no Brasil deva ter uma reforma.

    Existe nela resquícios da Ditadura!

    Infelizmente os Governantes ainda se utilizam dela, além do custo e benefício ao povo ser muito alto.

    Creio que existe muita estrela para pouca constelação como já foi comentado.

    E quanto ao policiamento preventivo x judiciário?

    Aprendi no dia-dia que quando o ostensivo não funciona sobra para a investigação.
    Tudo bem que há um problema social que não cabe aqui ficar comentando, mas as atribuições de uma investigação para poder executá-la a contento não é para qualquer um… não que eu queira menosprezar alguém ou outras carreiras. Há a necessidade de ser valorizada para atrair profissionais vocacionados e inteligentes para tal mister.

    E hoje o que desmotiva mais ainda os profissionais da Civil é ver o Governo abrir concursos para agente de Ciretran com salário inicial de R$ 4.500,00 e para analista de promotoria R$ 7.500,00 com atribuições semelhantes aos investigadores.

    Acredito que esse quadro só irá resolver com a desvinculação das polícias, pois apesar de se aproveitarem para

    conseguir benefícios em prol de uma só. A outra não faz jus da benesses igualmente. O quê é lamentável!

    A injustiça talvez esteja na falta de cumprimento de norma aprovada pelo legislativo e sancionada pelo Governador. Lei

    aprovada no ano de 2008 e não cumprida até hoje. E quando resolvem contemplá-la, vem pessoas mal intencionadas

    querer atrapalhar.

    Isso só acontece aquí em São Paulo. Por quê, né??

    Assista a explanação do nosso companheiro Investigador de Polícia:

    Não somos Militares e não gostariamos de mantermos vínculo isonômico.

  24. Rodou, rodou e rodou para defender o indefensável. O que se quer é exterminar o modelo de treinamento, doutrina e orientação que vigem na meganha, pois a milicagem transforma homens em seres frios e até desalmados, fazendo com que o tratamento que recebem dentro dos quartéis sejam incorporados e retransmitidos na íntegra no trato com o cidadão.
    A PM existe apenas para garantir e manter a distância entre o povo nobre do povo plebeu. A PM só prende ladrão de galinhas e pé de chinelo, fazendo vistas grossas aos verdadeiros ladrões poderosos e, muitas vezes, amigos e protegidos pela alta cúpula da instituição.
    A desmilitarização precisa ocorrer porque todos têm de ter liberdade para exercer suas funções, jamais sendo robotizados, como é o que acontece na PM. Disse Abraham Lincoln neste excerto: “Não fortalecerás a dignidade e o ânimo se subtraíres ao homem a iniciativa e a liberdade”.
    Aos bandidos e ladrões do oficialato, as benesses do TJM e da correge. Há casos e mais casos. Enquanto praças vão para a rua por caprichos de oficiais muitas vezes indignos, oficiais desonestos sequer são investigados, pois, como um casamento, estão unidos na probidade e na improbidade, cujo TJM é o arroz da união. Há também a coroação e os votos de união eterna nas seitas secretas e protetoras. O máximo que acontece com um oficial ladrão é ser promovido e passar para a reserva remunerada e com todos os direitos. Creio que seja por esse motivo que a PM chegou ao fundo do poço em credibilidade popular, fazendo com a chamada “tropa” seja o espelho de seus cumandantes, culminando com manifestações que pedem a desmilitarização das PMs brasileiras.
    A sua contribuição é para que tudo fique como sempre foi e é, pois oficial que preza pelos ensinamentos da academia jamais defenderá a modernização de sua polícia, mesmo com imensa reprovação da sociedade, e de benefícios incríveis para seus cumandantes e governantes autoritários.

  25. Não cabe o militarismo na Democracia, um dia este câncer sera extinto, a farda foi feita para identificar o policial, e este não precisa ser necessariamente um militar que existe para cumprir ordens sem contestar.

  26. OFICIAL DE MERDA:
    Nunca opinei e nem vou lá nos sitezinhos de vocês. Não publicamos matéria paga em jornais de bosta, pelegos. O CPP é Lei e diz quem DEVE e quem PODE. O PM DEVE, o Delegado muitas vezes além de dever PODE, pois isso é Autoridade.
    TODA ocorrência está relacionada a sua atividade seu omisso. Ninguém liga 190 pra ouvir a sua voz de veludo.
    E se GOI AGARRA fazem papel de otário nas ruas, é porque vocês ao invés de patrulhar bairros pobres, estão enfiados em Assembléias, Prefeituras, Foruns, Câmaras, Subprefeituras etc. Ou seja, não fazem seu trabalho. Por isso o crime anda e desanda São Paulo.
    E quem concorda com vc aqui é coxa disfarçado.
    Vai mandar seus filhos estudar seu f.d.p. Nenhum tira entra aqui sem ter feito faculdade com as próprias expensas.
    E se a hierarquia de vocês se baseia em salário, então não tem líderes e muito menos função. Mas para um militar você escreve bem demais, por isso deve ser um gozador qualquer se fazendo passar por sub-tenente.
    Ah sim…….militarismo tem no mundo todo: nas forças armadas. NÃO NA VIDA CÍVEL. Já notou que nem seus filhos gostam de vocês?!

  27. Esse negócio de sempre existiu e sempre será assim limita a brilhante tentativa de iniciar um debate lúcido.

  28. Eu vou imprimir toda a conversa e comentar depois, o debate começa assim, pelo todo. Farei uma crítica filosófica. Partir deste todo para uma abstração para separar crenças e conceitos. ” As árvores têm o poder de esconder a floresta. É muito interessante um debate sobre segurança pública por profissionais da segurança pública. À propósito, alguém já leu no site da Senasp o texto ” O que pensam os Profissionais da Segurança Pública no Brasil. Tem o texto completo e um resumo, sugiro ler ao menos o resumo.

  29. Desde o inicio tenho acessado Flit, leio e analiso com atenção os comentários, nunca postei comentários, mas não aguentei a falácia do Oficial PM acima, vejamos:.
    1) O único cargo do funcionalismo publico (União, Estado e Município) que primeiro ingressa e depois fica Q U A T R O anos estudando por conta do Estado, depois trabalha, ou melhor, tem que trabalhar ate a primeira promoção, a contar de então é Oficial PM, passa a frequentar cursos internos (bombeiro, educação física, ambiental, transito e outros), depois como 1º Ten PM, inicia atividades administrativas e a tão sonhada obseção de conseguir substituir a função de Capitão PM. Permanece assim ate conseguir a promoção para Capitão PM, assumindo uma Cia PM ou Seção, nesse meio tempo, novos cursos sem contar o tal CAO, mais uma vez por contato do Estado e distante da atividade fim. Promovido a Major PM continua na atividade administrativa nos diversos batalhões, diretorias e escolas de formação; passando não mais que dois anos, o Major passa a frequentar o CSP, novamente afastado da atividade fim, no seu termino a promoção de Tenente Coronel, o posto mais cobiçado da administração, pois passa a comandar uma Unidade Policial. Curso ali e aqui, amigo político, amigo do amigo, a promoção de Coronel chega, a contar de então, ele passa a ficar desesperado, pois tem apenas mais cinco anos para MAMAR as tetas do Estado, mas nesse período ele continua a procurar o amigo do amigo, políticos ate conseguir uma brecha na administração publica. Tendo certeza de um novo cargo publico, ele aposenta e leva mais 20% do salário. Assumi o novo cargo e passa a MAMAR por duas vezes o Estado, primeiro o salário de Cel. PM e o segundo o novo cargo. Assim é a vida de 90% dos Oficiais da Policia Militar do Estado de São Paulo, os outros 10% tentam a vida política (vereador, deputado e ate prefeito).
    2) A narrativa acima é de um ex-soldado PM, pois permaneceu naquela corporação por mais de cinco anos, quando saiu na década de 80 e desde então nada mudou.
    3) Incrível que o Oficial em momento algum ele menciona uma Força Policial Uniformizada, e não FARDADA.
    4) Ele também não informa que a ÚNICA Policia Militar do Planeta é do Brasil, pois em outros pais tem profissional uniformizado e sem os ditames militares.
    5) Por fim se o Comando da Corporação não consegue administrar seu efetivo sem a utilização de doutrinas militares, comprova que não tem capacidade funcional. JÁ IA ME ESQUECENDO, SOMENTE OFICIAL DA PM INFORMAR E COMEMORA QUE A POLICIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO É CENTENARIA, mais uma prova que não conhecem leis, pois a corporação acima foi constituída no inicio do ano de 1970. Não me venha com a tal Força Publica, organização extinta, isso mesmo extinta, quando do ato normativo do ano de 1970.
    6) DEIXO DE MENCIONAR QUANTO AS UNIDADES DE FARMACIA, MEDICA, MUSICA EDUCAÇÃO FISICA, SUBSISTENCIA, MOTOMECANIZAÇÃO.

  30. Só uma coisa: GOE, GARRA e etc. não são militarizados!!! Eles usam uniforme e servem para APOIAR os outros policiais civis em crises carcerárias, por exemplo. Eles fazem ronda porque podem ser chamados em qualquer lugar a qualquer hora. Nós, os policiais civis, temos verdadeiro horror por seguir regras militares.

  31. Sempre digo que em 2050, ainda estaremos discutindo sobre a briga PM x PC…

    Polícia eficiente é a que possui ciclo completo… e blá, blá , blá…

    TODO MUNDO SABE O QUE DEVE SER FEITO!!

    A pergunta é… PQ NÃO FAZ???

    Se depende de uma PEC… basta a aprovação dos políticos…

    Na minha opinião, policia ineficiente é muito EFICIENTE para os políticos..

    Casos como o do playboy bilionário, que foi “atropelado pelo ciclista”, mas ainda teve a humildade de doar 1 milhão para a família do falecido/suicida. SEMPRE ACONTECERÃO!!

    O ciclo de polícia, dividido entre dois órgãos quase antagônicos beneficia a quem??

    Somos peças em um jogo de xadrez, culpando a nós mesmos, sem saber os verdadeiros jogadores…

  32. gosto de ler as manifestações das pessoas que dizem o que pensa a respeito das policias , e concluo que parece as duas policias o Ceasa no final da feira ; so tem fruta podre !!!!! o ultimo que sair apague a luz e lacre a porta !!!!!

  33. Eu gostaria de comentar que com relação ao exposto acima, quase tudo tem coerencia, porém a existencia da pm, nos moldes atuais é totalmente ineficiente e improdutiva para a sociedade, é só verificarmos os super salários dos oficiais, além da quantidade absurda de oficiais, um verdadeiro cabide de empregos, parece que existem cerca de 15000 deles, pra que ????? Será que quem postou acima poderia informar pra que serve um oficial de 2º ten pra cima ???? O maximo que vejo na rua é 1º ten, o restante do oficialato vive aquartelado, com algumas secretarias e alguns motoristas, ou seja se multiplicarmos uns 10 ou 8 mil oficiais que não fazem nem servem para nada pelo numero de praças que mobilizam em seu entorno teremos uns 40 mil pms totalmente fora da atividade fim, abrindo porta pra oficial, outro levando o jornal, outro fazendo café, as mais bonitinhas de secretária, etc, sem contar os que estão em bandinhas, etc. Na folha saiu a lista dos super salários e mostrou que com o de apenas 6 marajas da pm seria suficiente para pagar 305 soldados, eu pergunto, o que seria melhor ????? 300 na rua, mesmo que a ´pé, ou 6 no ar condicionado aumentando a pança e de vez em quando assinando alguma coisa pra ferrar praça e escala que algum sgt fez ?????? Oficial na sua grande maioria nunca fez nada na atividade fim, nunca prendeu ninguém nunca trocou tiro, quem frequenta as varas criminais dos foruns sabe muito bem só se encontra praça, é quem dá cana, prende vai pra cima !!!!!! Se a pm fizer uma enquete vai verificar que todos os praças vão ser favoráveis a desmilitarização, continuariam fardados, do mesmo jeito que esta e nos mesmos locais, com o tempo esta multidão de oficiais inuteis iria se aposentando e quem sabe daqui há uns anos a coisa entraria nos eixos, se pagando melhor pra quem realmente trabalha e acabando com os parasitas que apenas sugam recursos que poderiam ser usados para diminuir o crime. Outra coisa, o mundo inteiro esta errado ???? a onu esta errada ????? em que pais sério e com boa segurança existe pm, alguém pode me informar um exemplo ?????? não adianta nadar contra a maré, POLICIA é CIVIL, militar é nas forças armadas, para proteger a nação, é questão de tempo, o que não funciona acaba, pode demorar um pouco ou muito, o comunismo acabou, a ditadura acabou ( aqui em SP esta demorando um pouco rsrsrs ) e a pm vai acabar, pode ser daqui 1 ano, 10 ou 100, mas é a evolução natural das coisas, o processo é irreversível.

  34. IRMAO, PARABENS PELA SUA VISÃO, SE, REALMENTE, VC É O QUE POSTOU; SOU UM POLICIAL CIVIL, É TENHO MUITOS AMIGOS, COLEGAS NA PM; NÃO PODEMOS GENERALIZAR A PM. DEVEMOS MOSTRAR A ALGUNS INDIVIDUOS, QU, ANTE DE QUALQUER COISA, ELE TAMBÉM É CIDADÃO E FAZ PARTE DA SOCIEDADE EM QUE VIVE, E QUE, PORTANTO, EM PRIMEIRO LUGAR DEVE SER EDUCADO E REALIZAR SEU TRABALHO COM EFICACIA, AFINAL FOI PRA ISSO QUE PRESTOU UM CONCURSO. APESAR DE EXISTIR EM TODOS OS MEIOS DE COMUNICAÇÃO, POUCOS APLICAM, MAS, O ESTADO DEVERIA DITRIBUIR AQUELE LIVRINHO CHAMADO “MINUTOS DE SABEDORIA”, ALIAS, ELE DEVERIA SER APLICADO NO DECORE DA ACADEMIA E DURANTE A PRESTAÇÃO DO SERVIÇO POLICIAL. NÃO PODEMOS E NÃO DEVEMOS FICAR COM FUTRICAS E GUERRINHAS ENTRE AS FORÇAS DE SEGURANÇA, POIS AFINAL, QUEM SAIRÁ PERDENDO COM ISSO? LOGICO, TODOS, MAIS A POPULAÇÃO QUE NÃO TEM NADA A VER COM NOSSOS PROBLEMAS. AS COISAS SÓ VÃO MELHORAR QUANDO NOS NOS MELHORARMOS. O QUE O OFICIAL DISSE TEM TODA RAZÃO, A POLICIAA, A SEGURANÇA PUBLICA NÃO E DO GOVERNADOR, NÃO E DE NANHUM POLICIAL, LA DE TODOS, E, QUANDO MORREREMOS ELA VAI CONTINUAR AI COM OUTROS COMPONENTES; NOSSO MAIOR PROBLEMA HOJE SÃO OS MÃOS CANSADAS E OS PSIQUIATRIAS QUE ENTRAM NA POLICIA PARA GARANTIR O SALARIO NO FINAL DO MES.

  35. Certa ocasião, o Serra na qualidade de secretario do Covas, pediu auxilio da Policia Militar, através do govenador, ocasião que o Covas disse : ” manda um oficio”. Ato continuo, o Serra disse: ” ja mandei”. Covas respondeu: ” não posso fazer nada eles não atende nem a mim”.
    Pensei que fosse apenas conversas que surgiram de “boca em boca”, mas não é, prova disso é que o atual governador, Geraldo Alckmin, confirma isso, obedecendo o que é determinado pela cúpula da Policia Militar, quando diz : “não pode dar aumento apenas para a Policia Civil”.
    Senhor governador, pensei que Vossa Excelencia, tivesse colocado o comando geral da PM, mas na verdade foi que o Comando da PM, disse : ” Pode nomear o fulano” e Vossa Excelencia disse “amem”.

  36. Somente um IDIOTA fardado para acreditar que é Autoridade, se enxerga meu filho o seu Tenente-Coronel é no máximo agente da Autoridade e não pode e nunca será diferente, até para vocês existe limite, mesmo que não cumpram a Lei, porque é certo que vocês nem de perto sabem o que significa cumprir a Lei, pois se o fizessem seriam o que chamamos de cana zero, podemos não desfrutar dos mesmos benefícios e salários de marajás, mais Delegados são Autoridade e PM’s um bando de coxinha bate cascos, a gravata ainda impõe mais respeito que o uniforme (farda quem usa são as Forças Armadas, Exercito), para um cidadão ou um magnata estrela e divisa são enfeites que não diferenciam o Oficial do simples Praça, este ultimo merece alguma consideração, por serem massacrados pelos covardes Oficiais, mais isto também não é regra, sei que a gravata impõe respeito.

  37. Conceito de autoridade policial
    Parecer do Professor Doutor HÉLIO TORNAGHI

    “A polícia judiciária será exercida pelas autoridades policiais no território de suas respectivas jurisdições e terá por fim a apuração das infrações penais e de sua autoria”.

    Autoridade.

    O conceito de autoridade está diretamente ligado ao de poder de Estado. Os juristas alemães, que mais profundamente do que quaisquer outros estudaram o assunto, consideram autoridade (Behörde) todo aquele que, com fundamento em lei (auf gesetzlicher Grundlage), é parte integrante da estrutura do Estado (in das Gefüge der Verfassung des Staates als Bestandteil eingegliederte) e órgão do poder público (Organ der Staatsgewalt), instituído especialmente para alcançar os fins do Estado (zur Herbeiführung der Zwecke des Staates), agindo por iniciativa própria, mercê de ordens e normas expedidas segundo sua discrição (nachPflichtgemässen Ermessen).

    Daí se vê que a Autoridade:

    a) é órgão do estado;
    b) exerce o poder público;
    c) age motu próprio;
    d) guia-se por sua prudência, dentro dos limites da Lei;
    e) pode ordenar e traçar normas;
    f) em sua atividade não visa apenas aos meios, mas fins do Estado.

    São ainda os publicistas alemães que proclamam: a autoridade é o titular e portador (Behörde ist der Träger) dos direitos e deveres do Estado (staatlicher Reche und Pflichten). Não tem personalidade (Sie besitzt Keine Rechtspersönlichkeit) mas faz parte da pessoa jurídica Estado.

    Em outras palavras: o Estado é o titular do poder público. Mas como o exerce? Evidentemente por meio de pessoas físicas que a lei investe daquele poder.

    Elas são o Estado. O pensamento delas é o dele: a vontade delas é a dele. Tudo é deixado à sua discrição. Não ao seu arbítrio, Que arbítrio é capricho e não conhece lei.

    Seria ilógico que o Estado traçasse os limites do conveniente ao bem público e a ele próprio, por meio de seus órgãos, violasse esses lindes. Mas dentro da área de legalidade delimitada pelo Estado, cabe aos órgãos encarregados de lhe atingir os fins, a escolha dos meios mais adequados. Têm eles autoridade para escolher os caminhos.

    Por outro lado, não se trata do exercício de um poder particular, mas do próprio poder público. Daí a posição proeminente da autoridade em relação aos particulares. O status subjectionis desses em relação ao Estado coloca-os como súditos dos que exercem o poder público. A autoridade, dentro de sua esfera de atribuições, não pede, manda. A desobediência á ordem as autoridade pode até configurar infração penal.

    Autoridade policial.

    Estabelecido o conceito de autoridade, vejamos o que se deve entender por autoridade policial.

    É de todos os tempos a preocupação das sociedades organizadas em zelar o bem comum.

    Deve o Estado velar por sua própria segurança e pela de cada um de seus súditos, proteger suas pessoas e resguardar as coisas contra investidas que possam lesioná-las, além de prover aos legítimos anseios de paz e de prosperidade. Esse cuidado especial que incumbe à Polis (palavra com que os gregos exprimiam o que hoje chamamos Estado) dá lugar a uma atividade conhecida como de polícia. Os órgãos que a exercem foram em toda a Antigüidade, considerados altas magistraturas.

    O edil, o censor, o cônsul eram, sobretudo, os policiadores da cidade. A polícia era – e é – um dos mais altos órgãos do poder público e por meio de uma atividade importantíssima ela assegura intransigentemente a ordem sem violar mas, ao contrário, protegendo os direitos individuais. A difícil tarefa de estabelecer o equilíbrio entre as exigências da segurança social e as legítimas aspirações individuais é a que ela tem de cumprir a cada instante, sem desfalecimento mas também sem prepotência. Não é fácil encontrar a fórmula conciliatória; esse, porém, é o desafio permanente aos que exercem a autoridade policial.

    É ela uma faceta do poder do estado e, exatamente, do poder de intervier a cada momento por meio de atos coercitivos, ou seja, de ordens, normas ou providência que restringem o gozo dos direitos individuais. Esse poder não é somente legítimo; é essencial à natureza do Estado, inclusive do Estado de direito, que encontra sua atividade limitada por lei, mas não está impedido de cumprir sua missão. O exercício dele pode ser contrastado, em cada caso, pelos recursos hierárquicos ou pelo acesso ao Judiciário, mas não poderia ser obstruído sem que se negasse o próprio Estado.

    A necessidade de agir com rapidez e a infinita variedade de situações que o legislador não pode prever e, muito menos, disciplinar mercê de normas gerais e abstratas, fazem com que esse poder tenha de ser exercitado discricionariamente, ou seja, segundo a prudência daqueles que o detêm e dentro dos marcos legais.

    Esse poder de polícia é próprio da administração em geral, mas particularmente necessário às autoridades policiais, que exercem de duas maneiras:

    – pela prevenção;
    – pela repressão.

    A prevenção se faz mercê de provimentos, ordens e providências tendentes a proteger as coisas (polícia administrativa) e as pessoas (polícia de segurança). É evidente que a defesa das coisas reverte em favor das pessoas e a destas tem como corolário a daquelas. Assim, para ilustrar a afirmação, uma polícia florestal, embora destinada a proteger bosque, parques, matas jardins, também acautela quem neles se acha. E, por outro lado, o socorro dado pela polícia de segurança a uma pessoa redunda em tutela para as coisas que tem consigo. Mas a finalidade precípua das polícias administrativas como, por exemplo, a polícia do cais do porto, a polícia de um edifício público, a de um barco do Estado, é cuidar do cais, do edifício, do banco. E o objetivo da polícia de segurança, que é a polícia por antonomásia, polícia por excelência, polícia em sentido estrito, é a proteção de pessoas.

    A repressão está entregue, no Estado moderno, ao Poder Judiciário. Mas a polícia colabora nessa tarefa e pratica atos tendentes a promovê-la (polícia judiciária). Entre eles os mais importantes são os que, em conjunto, constituem o inquérito policial. Destina-se esse à apuração das infrações penais e de sua autoria.

    E por ser a repressão ato de poder do Estado, somente aos que detêm esse poder é dado exercer funções de polícia judiciária.

    E por ser a repressão ato de poder do Estado somente aos que detêm esse Estado e os que servem de instrumento para os primeiros.

    Nem todo policial é autoridade, mas somente os que, investidos do poder público, têm por tarefa perseguir os fins do Estado. Não é, por exemplo autoridade policial um perito, ainda quando funcionários de polícia, ou um oficial da Força Pública, uma vez que as corporações a que pertencem são órgãos-meios postos à disposição d autoridade. Missão digníssima que, longe de amesquinhar, exalta os que a cumprem com finalidade e sem abuso, com zelo e sem usurpação do poder. Podem esses servidores, eventualmente atuar como agentes da autoridade, mas não são eles próprios autoridades. Para ficar dentro do exemplo citado: um perito é um instrumento ao serviço da polícia judiciária (contingentemente, da polícia de segurança); a Força Pública é uma arma posta a serviço da polícia de segurança (esporadicamente, da polícia judiciária).

    Costumeiramente sou avesso a citar autores quando o que se pede é o meu parecer. Mas não posso deixar de recordar aqui a distinção feita pelo mestre do Direito Público em França, Maurice Hauriou, entre a força pública e o poder público.

    Embora velha, a lição merece ser recordada. Em resumo: a força é uma energia física, meio de execução que se desgasta com o uso. O poder é a capacidade de dispor da força e se exercitar sem perda de substância. É a força em repouso, que poderia agir como força e não age. O homem forte não precisa usar os punhos para se impor; ele o consegue mercê do poder de que dispõe.

    Ele ordena, determina, decide. Hércules, em repouso, comanda.

    Essa distinção está ilustrada nos Estados modernos pela separação constitucional entre força pública e poder de decisão. A força pública, civil ou militar está cuidadosamente separada do poder de decidir; ela é instrumento de execução (Précis de Droit Administratif, 9.ª Ed., Paris, 1919, págs 24 e 25).

    O órgão que exerce o poder público pode enfeixar também a força. Mas um órgão criado para ser apenas força não pode licitamente assenhorear-se do poder público.

    Em geral a força está entregue a um e o poder a outro. É o caso típico da polícia de segurança: a polícia civil detém o poder, a autoridade, enquanto a polícia militar (Força Pública) dêem a força.

    Mas, para definir cumpridamente a autoridade policial de que fala o art. 4º, cumpre dar um passo adiante e lembrar que se trata de autoridade de polícia judiciária. Qualquer outro órgão, ainda que exerça autoridade em distinto terreno é estranho ao art. 4º do Código de processo Penal. Em meu anteprojeto, toda essa matéria está subordinada à epígrafe: Da Polícia Judiciária (Liv. II, tít. I, arts. 6º a 21). O código vigente, menos preciso, declara que “a polícia judiciária será exercida pelas autoridades policiais…” (sem grifo no original).

    Mas o próprio emprego da palavra autoridade exclui qualquer dúvida, pois seria rematado absurdo que um particular ou um órgão-meio do Estado se arvorasse em autoridade. E a referência à polícia judiciária elimina a intromissão de qualquer autoridade, agente da autoridade ou mero funcionário pertencente a outros ramos da administração pública, ainda que policiais, seria abusivo que um mata-mosquitos, por pertencer à polícia sanitária, resolvesse abrir inquéritos, arbitrar fianças, fazer apreensões etc. Ou que um oficial da Força Pública resolvesse tomar a iniciativa de investigar crimes.

    Aliás o sentido da lei surge cristalino quando se leva em conta o elemento histórico.

    Autoridade policiais sempre foram entre nós os chefes de polícia, seus delegados e, por vezes, os comissários. Quem pensaria, por exemplo, em transformar um oficial da Força Pública, em autoridade policial? Fugiria, por inteiro, ao papel das polícias militares.

    Por outro lado, o art. 4º não comporta outra interpretação literal. Ao dizer que “a polícia judiciária será exercida pelas autoridade policiais”, é evidente que ele se refere aos órgãos da polícia judiciária. Seria tautológico repetir: a polícia judiciária será exercida pelas autoridades da polícia judiciária.

    Mas é curial que só a essas ele refere. Ao falar em autoridade policiais esse dispositivo subentendeu: autoridades de polícia judiciária. Teve, portanto, em mira:

    1.º) as autoridades. Quem não é autoridade, quem não age motu próprio, quem é órgão instrumental, não está incluído;

    2.º) de polícia judiciária e não qualquer outras. Tanto isso é verdade que no parágrafo está dito que a lei poderá abrir exceções, isto é dar competência a autoridades administrativas para fazer inquérito policiais.

    Portanto, só mercê de lei especial pode instaurar inquérito para apuração de infrações penais e de sua autoria, quem é autoridade mas não de polícia judiciária.

    As premissas assentadas permitem concluir que são autoridades policiais de que fala a lei de processo , os que:

    1.º) exercem o poder de público para consecução dos fins do Estado;

    2.º) em matéria de polícia judiciária.

    Não são autoridades policiais, no sentido do art.4º:

    1.º) os que não perseguem os fins do Estado, mas são apenas órgãos-meios,como por exemplo, os médicos do serviço público, os procuradores de autarquias, os oficiais de Polícia Militar (ou força Pública);

    2.º) os que mesmo pertencendo à Polícia em seu sentido amplo, não são polícia judiciária, mas polícia administrativa (ex., Polícia de Parques, corpos de bombeiro) ou polícia de segurança (ex., Força Pública).

    Autoridade e agente de autoridade.

    Estabelecido o conceito de autoridade,vejamos agora que se deve entender por agente da autoridade.

    Existe entre os servidores do Estado, que diz respeito ao poder público, uma escala que pode ser assim reduzida à expressão mais simples.

    – servidores que exercem o nome próprio o poder de Estado. Tomam decisões, impõem regras, dão ordens, restringem bens jurídicos e direitos individuais, tudo dentro dos limites traçados por lei. São as autoridades;

    – servidores que não têm autoridade para praticar esses atos por iniciativa própria, mas que agem (agentes) a mando da autoridade. São os agentes da autoridade.

    – servidores que se restringem á prática de atos administrativos e não exercem o poder público; não praticam atos de autoridade, nem por iniciativa própria, nem como meros executores que agem a mando da autoridade. Não são autoridades nem agentes da autoridade.

    Exemplos dos primeiros: juízes, delegados de polícia.

    Exemplos dos segundos: oficiais de justiça, membros da força Pública.

    Exemplos dos últimos: oficiais judiciários, oficiais administrativos.

    Esses conceitos são por demais claros e precisos – claros em seu conteúdo e precisos em seus contornos-para que a lei necessitasse contê-los. Quando porém agentes da autoridade, quase sempre de boa fé e com o louvável intuito de servir, se arvoram em autoridades, convém que a própria lei reponha as coisas em seu lugar. Creio que seria vantajoso aproveitar o ensejo da modificação do Código de Processo Penal para fazê-los.

    Quando elaborei o Anteprojeto, o problema inexistia, pois não havia notícia de que agentes de autoridade se arrogassem autoridade própria. É lamentável engano supor que a tarefa do agente de autoridade o subalterniza e mais deplorável ainda entender que o detentor da força deve ser o titular do poder.

    Sobretudo quando esses enganos são causados por melindres pessoais ou de classe que se supõem humilhadas pelo papel de agentes que a lei lhes reserva. Assim como a força militar está ao serviço do poder civil, sem que isso lhe arranhe a dignidade ou o pundonor, assim também a Força Pública é agente da autoridade policial sem que isso importe qualquer diminuição ao eminente valor que ela representa. Ferida ela fica é quando esquece sua destinação legal para apropriar-se de um poder que não é seu.

    ______________________

    Hélio Bastos Tornaghi foi professor catedrático de Direito Processual Penal da Faculdade Nacional do Rio de Janeiro (atual Faculdade de Direito da Universidade Federal do Rio de Janeiro) e autor de diversas obras jurídicas, consideradas clássicos do Direito brasileiro, entre os quais, Processo Penal, Comentários ao Código de Processo Penal, Instituições de Processo Penal, Manual de Processo Penal e Curso de Processo Penal. Faleceu em 2004, na cidade do Rio de Janeiro, aos 89 anos.

  38. agora uma coisa é certa, não que seja culpa do nosso amigo, mas de toda uma instituição. fatos comentados pelos colegas acima:

    1- Por que o Oficial PM tem que ficar quatro anos na academia para se formar ? enquanto que as carreiras da Policia Civil não ultrapassa seis meses? apesar de uma ser ostensiva e a outra repressiva, as finalidades são as mesmas, ou estou enganado?
    2-por que tantos escalonamentos nas funções, se os unicos que a gente vê pelas ruas são soldados a saregentos, e, de vez em quando um Tenente., alias, qual a funçao de um coronel, major capitão? veja-se que, apesar de na policia civil haver muitos delegados escondidos atras de mesas, não existem tantas escalonações, ou seja, existe a funçao de Delegado, que é o unico cargo de comando.

    3 – apesar da incoerencia, gostaria que me explicassem o item 1 somente, afinal, imaginm o gasto publico com um aluno cinco anos dentro de uma academia

  39. Essse regime de escravidão da operacão delegada é o cúmulo, e ainda falam que a escravidão acabou.

  40. Referente ao “TESTEMUNHO DE UM OFICIAL DA PM”
    Concordo plenamente com um ponto do testemunho: Realmente a polícia “militar” deveria ser comandada pela Prefeitura de cada município e não pelo Estado, e com isso a PM poderia ser desmembrada com comando único em cada município e também a PM Bombeiros deveria sair da Polícia Militar deixando somente a Polícia Civil no Estado mais próxima do Ministério Público e uma última consideração, a frase ” Estado Maior” existe somente no Exército Brasileiro ou Forças Armadas.´

    Abs a todos!!!!

  41. Desabafo de um soldado

    Policial Militar com orgulho, soldado, com dupla e às vezes tripla jornada de trabalho para sustentar com dignidade minha família, injuriado fui coagido hoje pelo meu oficial a pedir para minha esposa, grávida do nosso segundo filho, minha mãe e minhas irmãs aderirem ao movimento do bate panelas na frente da secretaria de segurança pública na quinta-feira para que os “sangue azul” tenham ainda mais aumento e se distanciem cada vez mais de nós, os praças. Manda a mãe dele pra ver se ela vai. A dondoca da mulher dele idem.

    Passou da hora dos soldados, cabos e sargentos deixarem de ser capachos do oficialato que nos utilizam como massa de manobra para atacar seus inimigos que não são os nossos. Pensam neles, agem para eles e nos tratam como lixos. Recebemos tratamento pior que os cachorros e os cavalos. Somos do baixo clero e nunca teremos deles a menor consideração ou respeito. Seres apequenados e egoístas de nascença.

    Eu cansei. Não aceito mais ganhar menos de 10% do salário de um bando de coronéis que não prestam para nada, a não ser pensar nas maldades que farão conosco, como poderão lucrar com a nossa mão de obra (ganham até com nossos bicos), quantos dias de cadeia vou puxar se ousar desafiar qualquer um deles falando a verdade ou me recusando a servir de motorista particular, entregador de mimos para suas namoradas, office boy fardado, acompanhante da esposa , das filhas, da sogra, do cachorro e etc.

    Ficar em pé durante horas do lado de fora do restaurante tomando chuva, passando frio e fome enquanto eles se fartam acompanhados de outros arrogantes, bebendo e comendo do bom e do melhor porque até dentro do Batalhão tem rancho para os plebeus e a comida é separada. Não podemos permanecer sentados em recinto onde esteja um oficial, mesmo que seja um moleque recém saído do Barro Branco porque já é mais que qualquer praça velho que tem que lhe ceder o lugar, pedir permissão até pra peidar. Vem com lavagem mental de fábrica porque são todos tontos iguais.

    Isso não é vida. Isso é humilhação demais . Agora estão nos usando para conseguir atingir os delegados, os tiras, o capeta. Eles são assim mesmo. Tem uns filhos da puta na civil, mas tem aqueles que são melhores que os oficiais para arredondar o bagulho quando dá errado. Os boina azul vão pra prender e os majura pelo menos pra mim, sempre trataram com educação e acertaram pro meu lado.

    Tem oficial empregando praça e ganhando com isso. Enquanto a gente trabalha de domingo a domingo, sendo chamado de coxinha porque não tem dinheiro nem pra comprar um pão na padaria, eles engordam suas contas bancárias nas custas dos trouxas. Não vi meu primeiro filho crescer porque saio de um inferno pro outro. Bico de segurança a noite toda, estudando pra ser alguma coisa e pegando trampo na hora que mandam porque sou honesto e estou sendo escravizado pelo oficial que não vai com a minha cara e pega no meu pé desde o dia que soube que estudo pra sair dessa merda que é a Polícia Militar e que quero ir pra civil que eles querem acabar. Eu sei porque fui motorista de um filho da puta desses e não sou surdo mas se falo morro ou vou preso.

    Pensei que era só comigo mas é usual e já se enraizou na cultura militaresca. Praça é praça e oficial é oficial que aliás não tem qualquer serventia. Nada que o nosso sargento não saiba e possa fazer custando menos da metade. Se o governador for um pouco inteligente, investe na gente que trabalha, vai pra rua, toca tiro com vagabundo e se mata um, ferrou. PROER e as vezes cadeia. E os sangue azul faz o que? Nada porque só sabem puxar saco, dar tapinha nas costas e preparar o punham para enterrar nas costas de quem não concorda com eles.

    Senhor governador Geraldo Alkimin. Aposte nos praças e mande esses coronéis de bosta e esses oficiais de merda andar. Não tem precisão deles, garanto para o senhor. Eles não servem pra nada além de ferrar soldado, cabo e sargento e pensar na boa vida deles. E não duvide Vossa Exa. que estão arrumando sua cama. Se V. Exa ceder agora nunca mais controla . Vai por mim.

    Se V.Exa for um pouco só inteligente já deve ter percebido a manobra deles, portanto, só vai se ferrar se deixar. Se eles conseguirem dobrar seus joelhos, o senhor já era. Não que eu goste do seu governo ou de sua pessoa. Muito ao contrário. Eu não gosto e acredito que nenhum policia goste, mas gosto menos de ser trouxa e feito de massa de manobra de lixo com sangue azul porque o meu é vermelho feito meus pés que ainda estão cheios de barro da última novidade que caiu no meu colo. Vê se nos deles tem barro. Tem nada. Tem os bolsos cheios isso tem.

    Deixa de ser trouxa soldado, cabo e sargento. Não precisamos deles pra nada. Nem atirar sabem com algumas exceções. Viraram já faz tempo, marajás com salários de fazer inveja a qualquer juiz porque ganham comida boa, moradia, ordenança, mordomia, e um bando de palhaços para mandar. Em mim vão mandar só mais um pouco porque vou embora dessa merda e nunca mais volto, se Deus quiser. Que fique pros idiotas que aceitam a humilhação e se satisfazem com os restos e sobras nojentas dessa raça maldita . Pra mim não.

  42. Gostaria de dizer tecer aqui um pequeno comentário ao Testemunho do Oficial da PM. Por favor, a força política de vocês, que é grande demais junto o Governador e ajudem os humilde soldados de vossa corporação. Deixem de ser medíocres e vejam o quanto sofre um Policial Militar com escalas abusivas e pressão de um código penal militar inconstitucional em muitos dos seus artigos e que ninguém reage para muda-lo. Peçam aumento digno ao Governador para que eles possam ao menos viver com dignidade sem ter de fazer “bicos”. Acho humilhante um policial se sujeitar à atividade Delegada. Passam horas fazendo bicos e que poderiam estar estudando ou com a família. O policial militar está tão engessado, que qualquer passo em falso é o primeiro a ser punido.
    A questão salarial é conversa mesmo, não sei quanto cada função tem de ganhar, mas acho que o soldado tem que ganhar bem, o oficial tem que ganhar bem de acordo com sua função e o escrivão e investigador, tem que receber o adicional de Nível Universitário, isso está na lei. Agora a ingerência da polícia militar na remuneração da Polícia Civil é inadmissível. É uma verdadeira afronta o que fizeram, com a aquela publicação na folha de S. Paulo. Ah! ia me esquecendo a PM queira ou não, vocês são agentes da AUTORIDADE POLICIAL que é o DELEGADO DE POLÍCIA.

  43. SÓ A UNIÃO FARÁ A DIFERENÇA ,E DIGO MAIS RESGATAR O RESPEITO JUNTO A SOCIEDADE E ASSIM ALGO PODERÁ MUDAR TANTO PARA PC QUANTO PM,OS DO BAIXO ESCALÃO CLARO ,PORQUE OS QUE ESTÃO ACIMA JÁ TEM SUA CASA ARRUMADA,ANTES ,DURANTE E DEPOIS DO EXERCÍCIO DA disse:

    Bom dia a todos,PMs ,PCs ,Doutor Conde e sempre Cap. Valdir ,pois ao meu ver só não ó é vias de fato como Dr Conde porque não se deixou corromper,e bom dia aos demais leitores deste ESPAÇO ÚNICO E VERDADEIRO EM TODO SEU CONTEXTO.

    Ontem estava muito ,mas muito cansada,a unica coisa boa que tirei desses 02 dias que passei vendo a rotina do meu marido ,mesmo que de longe,posso dizer que fora o fato de ter constatado o QUANTO ELE ,E CLARO SEUS PARCEIROS TRABALHAM SIM ,TRABALHAM ,ou pelo menos naquela noite trabalharam ,eram 03 praças em uma BLASER .

    Quando aqui faço meus comentários ,eu busco não generalizar,sei que fatos que ocorrem na PM podem ocorrer em outras áreas ,mas na PM como na PC as CONSEQUÊNCIAS SÃO DESGASTANTES ,PRINCIPALMENTE DEVIDO AS PUNIÇÕES E SANÇÕES ADMINISTRATIVAS.

    E quando uma dessas punições ocorrem de forma nada imparcial acarreta prejuízo não só ao subordinado ao profissional,mas a toda sua família.

    Na PC como na PM ,um desafeto interno o ou para com um superior pode lhes custar sua liberdade ,em uma empresa funcionários apenas são ADVERTIDOS E OU DEMITIDOS.

    Por isso não se dá para comparar a carreira Militar com a de um civil,dizer ah ele escolheu ,ele quis ,ele gosta, é algo desumano demais ,e diria até uma justificativa DE QUEM CONFORMISTA E COMODISTA..

    Só que nem ele e nem ninguém , pediu para ser tratado como maquina,que não fala ,que só ouvi e que tem que sempre dizer amém ,uma coisa É ACATAR ORDENS E RESPEITAR SUA HIERARQUIA ,SEU SUPERIOR,OUTRA É VOCÊ DEIXAR DE SER GENTE,UM SER VIVO E PASSAR A VEGETAR,como se não tivesse vida extra corporação,como se não tivesse amor próprio e pelos que ama.

    Não estamos na era ditadura,embora seja sabido que existe uma DEMOCRATURA MASCARADA.,mas não somos obrigados a acata-la ,não deveríamos pelo menos em pleno seculo XXl ,o fato de um servidor dar sua opinião,defender seus interesses e de seus familiares não deveria ser visto como INSUBORDINAÇÃO,como pode os Comandos acharem que o seus subordinado vai tratar bem a sociedade se ele não consegue o mesmo tratamento a ele e ao seus ?!

    E o ponto mais importante nesses 3 dias ,contando com SÁBADO, é que eu percebi o QUANTO AMOOO MEU MARIDO,O QUANTO ELE É UM SER PRECIOSO ,ENRAIZADO E DIVIDIDO ENTRE SUA PROFISSÃO E SUA FAMILIA,PREOCUPADO COM SEU DEVER DE PATRIARCA DA CASA .

    Pois um EX POLICIAL E PIOR QUE UM EX BANDIDO !

    Espero que o TEMPO NÃO SEJA CRUEL CONOSCO E ESPERE MAIS UM POUCO !

    SD EU TENHO MUITO ,MAS MUITO ,TENHO ORGULHO DE VC ,E DAQUELES POUCOS QUE AINDA SE SALVA EM AMBAS INSTITUIÇÕES, POIS TODOS SOMOS FALHOS ,POIS SOMOS HUMANOS ,SÓ É PRECISO ADMITIR OS NOSSOS ERROS HUMILDEMENTE PARA QUE POSSAMOS CORRIGI-LOS.

    Espero que saiba o que está fazendo ,a profissão quem faz é você ,o dinheiro para quem tem DEUS ,para quem se ama ,o pouco se torna muito,porque de que vale o muito se ele te tira o bem maior que DEUS nos DEUS, A VIDA E A LIBERDADE ,e atualmente a PM não nós dá vida ,só nos dá dor e sofrimento ,mas se você gosta,siga seu rumo,sua jornada que eu seguirei em PAZ A MINHA !

    SÓ NÃO DEIXE PARA DECIDIR TARDE DEMAIS ,PORQUE NESSA HORA VERAS O QUANTO ESTÁ SOZINHO,QUE AMIGOS SÃO APENAS AMIGOS ,E NÃO FAMILIA!

    AMOOO VC MAIS QUE TUDO!

  44. Ao Flit paralisante,

    O João Paulo Valente me deu uma idéia!

    Porque que ao invés da gente alimentar esse verdadeiro “Muro das lamentações” em que se transformou este excelente blog, não tentamos fazer alguma coisa mais prática?

    Eu proponho que seja criado um post para que sejam feitas votações. Exemplo: vote na solução para a atual situação se manifestando a favor de:

    1 – Greve, com obediência à cartilha;
    2 – Greve, sem obediência à cartilha nem à justiça;
    3 – Operação padrão;
    4 – Entrega de cargos de confiança sem que ninguém assuma e se algum traíra assumir, ninguém acata nada;
    5 – Passeatas, campanhas publicitárias, etc.
    6 – Greve de fome, etc
    7- Outras sugestões …

    Talvez assim, a mobilização da polícia e eventuais manifestações ou seja lá o que for democraticamente decidido, possa ser feita por aqui, sem ficar dependendo de sindicato nenhum, já que pelo jeito, tá todo mundo com um pé atrás com esses sindicatos e associações.

    É a minha sugestão.

  45. O AUMENTO ESTA PROXIMO, PODE SER QUE SAI NA SEMANA QUE VEM…

    A RESTRUTURAÇÃO COM SEUS RESPCTIVOS CARGOS

    DELEGADO: CARREIRA JURITICA

    ESCRIVÃO E INVESTIGADOR: N.U

    OS OUTROS CARGOS COM SEGUNDO GRAU.

    AUMENTO AINDA NÃO TEM INDICE, E RECONHECIMENTOS DOS DELEGADOS E ESCRIVÃO E INVESTIGADOR SERA EM 3 VEZES 2013,2014,E 2015….

  46. NELO, DE ONDE VOCÊ TIROU ESSA INFORMAÇÃO? CÊ É ÍNTIMO DO GOVERNADOR, FILHO DO SECRETÁRIO, COXINHA GEMADA?

  47. Ao oficial.

    Não há como defender o indefensável.

    Não vou me perder em argumentos, já que foram produzidos muitos acima.

    Abandone a lavagem cerebral que sofreu e será pessoa mais justa.

  48. POLÍCIA MILITAR É AGENTE DA AUTORIDADE POLICIAL. NÃO IMPORTA SÉ É CORONEL OU SOLDADO, TEM QUE PAGAR PAU PARA DELEGADO OU MELHOR PRA CIVIL.
    QUALQUER CACA QUE ESSES MILITARES FIZEREM, NADA DE PASSAR PANO. É FAZER CUMPRIR A LEI SEM DÓ.
    SIMPLES ASSIM, EXCEDEU NA AÇÃO, ABUSO DE AUTORIDADE NELES.

  49. NELO ME DESCULPE MAS ESSA NOTICIA NÃO ERA PRA ESSA SEMANA?, JÁ DESISTI DE QUALQUER BENESSE DESTE GOVERNO, MAS ANO QUE VEM JÁ ESTÁ CHEGANDO E A RESPOSTA VAI VIR COM FORÇA.

  50. SÓ A GREVE NOS SALVA!!!!
    FORA PSDB!!!

  51. Olhaaa…..é uma vergonha o que aconteceu em 2008!!!!….o que resultou depois disso???…MAIS DESUNIÃO AINDA, preju pra todas as partes…o pessoal deveria repensar melhor…GREVE , UNIÃO AGORA OU NUNCA MAIS!!!

  52. Desculpem, mas tive que postar também…

    Esse governo é muito filho da puta!

  53. MEDICO LEGISTA no MP ???
    Só faltam JULGAR PROCESSOS!

    MP-SP abre concursos para assistente jurídico, agente de Promotoria e médico
    Inscrições começam na próxima segunda-feira e vão até 6 de outubro
    O Diário Oficial do Estado desta sexta-feira (06/09) publicou os editais de abertura de inscrições para os concursos do Ministério Público do Estado de São Paulo para o provimento de 98 cargos de Analista de Promotoria I (Assistente Jurídico), 29 cargos de Analista de Promotoria II (Agente de Promotoria), um cargo de Médico Clínico e três cargos de Médico Legista.

    Os cargos de Analista de Promotoria I (Assistente Jurídico) são destinados aos Órgãos e Unidades Administrativas da Capital e Grande São Paulo e às Áreas Regionais do Litoral e Interior. Os vencimentos são de R$ 4.877,84 e os cargos exigem cumprimento de Jornada Completa de Trabalho (40 horas semanais). Os candidatos devem ter Bacharelado em Direito. A taxa de inscrição é de R$ 70,00.

    Já os cargos de Analista de Promotoria II (Agente de Promotoria) são destinados aos Órgãos e Unidades Administrativas da Capital e Grande São Paulo e das Áreas Regionais do Litoral e Interior. Os vencimentos são de R$ 7.660,74 e o cargo exige cumprimento de Jornada Completa de Trabalho (40 horas semanais). Os candidatos devem possuir ensino superior completo. A taxa de inscrição é de R$ 80,00.

    Os cargos de Médico Clínico e de Médico Legista são destinados aos Órgãos e Unidades Administrativas da Capital e Grande São Paulo. Os vencimentos são de R$ 4.989,02 e os cargos exigem cumprimento de jornada de 20 horas semanais. Os candidatos devem ter graduação em medicina e registro no Conselho Regional de Medicina. A taxa de inscrição é de R$ 70,00.

    As inscrições para os três concursos serão realizadas exclusivamente pela Internet, no endereço eletrônico do IBFC (www.ibfc.org.br), no período das 8h do dia 09 de setembro às 23h59min do dia 06 de outubro de 2013, observado o horário de Brasília.

    Núcleo de Comunicação Social

    Ministério Público do Estado de São Paulo – Rua Riachuelo, 115 – São Paulo (SP)

  54. O problema é que os oficiais da PM, somente pensam que o PM deve prestar continência e prestar as reverências do RDPM. Esqueceram de evoluir pensando que o Estado ainda está sob o regime de exceção em favor da ditadura. Se os oficiais da PMESP estão contra o Estado Democrático de Direito, o Exército Brasileiro não está.

  55. Vou dizer pra que serve “autoridade policial”: para nada. Explico. A autoridade policial que vcs tanto exaltam na maior parte dos casos não passa de um “chefe de cartório”. Delegado de Polícia Civil deveria era se aplicar na investigação efetivamente, e não ficar simplesmente produzindo papel sem sair da cadeira e tirar o paletó. Mas isso não é culpa de vcs. O Processo Penal brasileiro tinha que ser mais dinâmico e mudar em vários pontos. O sistema é que tinha que ser reestruturado. Pena que a maioria pensa pequeno demais: “eu sou autoridade policial, vc não é, vc é autoridade administrativa…”. As instituições complementam-se, e todos são autoridade policial, cada um dentro da sua competência. É competência da Polícia Civil a preservação da ordem pública? Não. Portanto seus componentes não são autoridade policial de ordem pública… Sabe… Resumir o conceito de autoridade ao que está previsto no CPP é de uma tacanhez tremenda… Vou dizer pra quê serve o inquérito policial e a “autoridade policial”: pra “botar” medo nos outros, pelo poder da caneta e do indiciamento. Quem estudou história sabe que a nomenclatura do cargo, leia-se “delegado”, vem de delegação, um poder que é delegado a alguém, e isto numa época histórica brasileira na qual o governo usava com mais intensidade a polícia como instrumento de perseguição aos “inimigos do rei” e que nem formação jurídica era exigida (época de Getúlio Vargas). Acho que esta exigência começou a vigorar para colocar limites técnicos a tamanho poder que os delegados tinham. Com a Constituição Federal de 88 tudo mudou. Destarte, sou contra também a questão da formação jurídica para os policiais, seja militares (oficiais. É! Oficiais sim. Na PMESP, a grande maioria é bacharel em Direito, pois a Academia do Barro Branco tem 90% da carga jurídica de um curso regular de Direito, com professores em seus quadros que provêm também do judiciário, ministério público, e defensoria pública), sejam civis (delegados). Quem tem que se preocupar com “brocardos jurídicos” é lá o Sr. Promotor, Sr. Juiz, Sr. Advogado. A polícia tem que se preocupar é com a INVESTIGAÇÃO, em ser eficaz e eficiente neste sentido, e lógico, deve ser legalista, e conhecer bem suas ferramentais legais: processo penal e código penal (além de demais legislações APLICADAS). Mas para tanto, não é necessário lá um largo e extenso conhecimento jurídico. Um treinamento com uma certa carga horária já basta. Se o Estado quiser já pegar o cara formado em Direito, muito que bem, porém, que não seja a atividade burocrático-jurídica o foco da Instituição, mas sim, uma visão voltada para a gestão, de acordo com modernas práticas aplicadas nas melhores organizações, públicas ou privadas. Acho que boa parte da falência da Polícia Civil que tanto é alegada aqui neste e em outros “blogs”, lógico, deve-se a talvez investimentos insuficientes, porém, também acho que falta gestão interna, falta liderança por parte dos delegados. É isso. Que o Senhor Deus abençoe a todos os participantes deste “blog”, aos policiais civis e militares brasileiros, e nossa nação.

  56. Ao 1 tenente da PM:

    A falência que se encontra o Estado de SP na área de segurança se deve ao ex-policiais militares que foram colocados na Secretaria de Segurança para comandá-la.

    É bem verdade que tivemos uns promotores também.

    Isto quer dizer: só tivemos incompetentes que nada sabem a respeito de Segurança Pública.

    Só há uma maneira de consertar: colocar um Delegado de Polícia para ser Secretario de Segurança, e deste modo colocar a pm no lugar dela…..(que é na rua atrás de bandido, apresentando a ocorrencia para o policial civil de plantão, e este deliberando o que fazer, e aonde o pm deve permanecer até a decisão do policial civil que o atendeu, e passando a ser neste momento seu superior hierárquico, pois a partir daí, o policial militar fica sujeito as ordens do policial civil).

    É assim que esta na lei…..e será cumprida muito em breve qdo colocarmos policiais militares e promotores para correr da Secretaria de Segurança.

    O fim do PSDB esta próximo.

    Melhoraria e muito a segurança da população paulista.

    e passa a régua.

  57. Só uma coisa seu oficial de “meia tigela” : o problema em questa é a disparidade entre o salario de um praça e um oficial que é enorme e pela lógica era pra ser o contrario pois quem é linha de frente e mete “as cara” nas ruas sao os praças,mas é claro que sabemos que isso é incabível por uma questa lógica, entao eu até concordo que o “chefe” deve ganhar mais …só nao “tão tão tão a mais assim” ..nao é justo eu entrar na favela toda noite por meus 2conto e meio, enquanto voce OFICIAL (q se acha autoridade e não somos ) fica atras da mesa com seus milhões (vide site de transparencia publica onde alguns ganham, 50,100,150 mil reais por mês)

  58. Sonhador,
    Embora não concorde com tudo, não contra-argumentarei, pois é a SUA opinião e feita de modo sincero, direto, lúcido, atual, imparcial e conclusivo. Uma pérola.
    Porém, mesmo pedindo “boa educação e argumentos sólidos” nos comentários, então jogou pérolas a alguns porcos.
    Independente de qual polícia, se todos fossem iguais a vc talvez não estivéssemos vivendo esta crise.
    Obrigado

  59. Parabéns pelo excelente texto. É por isso que tenho orgulho de ser um Policial Militar.

  60. TESTEMUNHO DE UM EX-POLICIAL MILITAR

    1. Bons e maus profissionais existiram, existem e sempre existirão em todos os lugares, incluindo a PM e PC. A questão é que na Polícia Civil os maus profissionais são punidos, inclusive os Delegados, muitos tendo sido penalizados administrativamente com a pena de Demissão, enquanto que, na PM, Oficiais envolvidos em crimes graves muito raramente são demitidos. Existe um Corporativismo absurdo!

    2. Nunca houve, não há e nem haverá nenhum lugar no mundo onde o funcionário ganhará um salário igual (ou muito próximo) ao do diretor/gerente do local. Ocorre que Oficiais da PM recebem salários exorbitantes, muito além da realidade da grande maioria dos policiais, inclusive dos Delegados. Uma diferenciação injusta e descabida! Um verdadeiro desrespeito aos policiais que arriscam suas vidas diariamente nas ruas!

    3. Fim da PM: Querer o fim da PM não significa querer o fim da polícia uniformizada preventiva ostensiva, mas sim, querer uma polícia uniformizada que seja amiga do cidadão comum, polícia comunitária formada por policiais que interajam com esses cidadãos, livres do “fardo” do militarismo que os distancia das pessoas comuns e muitas vezes os faz vê-las como “inimigas” em potencial. Querer o fim da PM é querer o fim das humilhações e assédio moral que os policiais militares sofrem no interior dos próprios quartéis, assédio esse amparado pelo militarismo. Querer o fim da PM é querer uma polícia preventiva uniformizada mais humanizada, que, livre da burocracia militar, esteja mais presente nas ruas, garantindo a segurança dos cidadãos. Querer o fim da PM é querer o fim de formalidades tolas que nada tem a ver com policiamento preventivo como desfiles militares, continências, formações militares, aquartelamentos, etc.

    4. Relacionamento PC x PM: o maior entrave para o bom relacionamento entre policiais civis e militares é justamente o militarismo que faz com que muitos PM digam (eu presenciei isso inúmeras vezes) que os PC são “folgados”, por não estarem submetidos às formalidades medievais do militarismo no ambiente policial.

  61. O CONCURSO É APENAS REALIZADO PELA FUVEST, MAS NÃO É VESTIBULAR PORRA NENHUMA. DEPOIS QUE ACABAM A ESCOLINHA DO BARRO BRANCO SE ENTITULAM DOUTORES, PERGUNTO EM QUE? É ALGUM CURSO SUPERIOR RECONHECIDO PELO MEC? EXIGE-SE APENAS O ENSINO MÉDIO PARA PRESTAR ESSE CONCURSO DE OFICIAR DA PM. PROVAVELMENTE SEJA A CARREIRA MELHOR REMUNERADA DO BRASIL EM QUE CONCURSO EXIGE APENAS ESSE NÍVEL DE ESCOLARIDADE, ESTÃO RECLAMANDO DE BARRIGA CHEIA. O RESTOPOL ( ME INCLUO NESSES ) DEVERIA RECEBER DE REMUNERAÇÃO O QUE RECEBE ESSES COXINHAS OFICIAIS, COMEÇO DE CARREIRA POR VOLTA DOS 7MIL, OSTIRAS E ESCRIBAS 10MIL, E OS MAJURAS COMO DEFENSORES.

  62. 1º Ten PMSP Maiche:

    Em que pese todos os preceitos legais e normativos, nada funciona sem ÉTICA. Veja, por exemplo, como o Sonhador já se basta nas próprias contradições: “… pouquíssimos municípios teriam condições financeiras de arcar com a formação e manutenção de uma força policial bem estruturada”. Não é verdade. Aliás, nem poderia ser município sem a minimamente desejada autonomia. Se galgou esse status, de cidade, lembrando o significado de Estado como um povo politicamente organizado, então que se apresse em arregimentar toda a contrapartida, ou seja, fácil e ver apenas os bônus, esquecendo o ônus. Pode até existir cidades na citada condição, não duvido, porém: basta ver quem é o Chefe ou Comandante da Guarda Municipal; quem é o Secretário de Segurança; a dispendiosa logística para toda a assessoria, etc. São pretextos vagos, inconsistentes, do referido Sonhador (por isso ainda sonha). Na prática, vejamos alguns maus exemplos da “Ética” da cidade de Santo André, o que seria impossível e demonstrá-los sem citar nomes (senão eu cerraria filas com os desprovidos de ética):

    – Vereador Sardano: aquele que abafou o gravíssimo acidente de trânsito das viaturas M-10220 e M-10290; por ética, a ele caberia dizer dessa tragédia, não menos inaceitável que a maneira BANDIDA como foi recuperada uma das tais viaturas. Vive a “arrotar”, na tribuna, suas “especialidades” na mesma “segurança pública” da qual falsa e deslealmente se locupletou nos palanques “eleitraiçoeiros”;

    – Vereador Juliano: na “reinauguração” da 12ª Regional da Associação de Subtenentes e Sargentos, dia 21/06/12, eximiu-se de me esclarecer, e, bem assim, aos demais associados presentes, o trâmite da ação judicial sobre as GROTESCAS BANDIDAGENS havidas, motivo pela qual estava fechada há mais de DOIS anos. O Presidente Estadual, Senhor Ângelo Criscuolo, se limitou a me contestar quando afirmei da falta de seriedade da Raul Canal Advogados (contratada da ASSPM). Em resumo: o coitado do associado é esculhambado pela “excelente Polícia Militar”, obrigado a se valer de associações que o ROUBAM, na “cara dura”, e, quando questiona, é tido como mentiroso ou “criador de caso”!

    – Tenente-coronel WILSON ROBERTO SILVEIRA: enfiado na mesma Prefeitura Municipal (pelos “elogios” que a ele já fiz, noutras ocasiões, poupo, aqui, a paciência do leitor);

    – Ex-Sargento Juliani (irmão do Vereador-Sargento Ou Sargento-vereador Juliano). Expulso da PM, por motivos não muito republicanos. Basta verificar o nepotismo cruzado não apenas nessa administração municipal;

    – JOSÉ MILTON EUZÉBIO: é, ao mesmo tempo, Chefe de Gabinete do Vereador Juliano e Representante (ou Diretor) da referida “Regional da Roubalheira”, traidora dos seus tão carentes associados.

    Paro por aqui. Não por falta de lembrança dessa MALDITA LISTA de traidores. Espero ter oferecido demonstração, ainda que resumida, de que, realmente, “… pouquíssimos municípios teriam condições financeiras de arcar com a formação e manutenção de uma força policial bem estruturada”, porque entristeceria sobremaneira a RATAZANA FARDADA que se infiltra em todas as brechas e buracos sociais, traindo a confiança dos munícipes, e, pelo ROUBO, aumentando o ROMBO!

  63. Passa anos e anos ….e só ouço balela….comentários que na minha opinião não serve para nada….temos sim que nos unir e ir as ruas reivindicar…pois unidos somos fortes.

  64. Doriva para seu conhecimento, o curso não é feito pela FUVEST há algum tempo. Nunca ouvi um Oficial se entitular Doutor, a não ser aqueles que fazem Doutorado. Essa escolinha do Barro Branco é um curso superior reconhecido pelo MEC sim. E por último, já que a vida do Oficial PM é tão boa assim, por que você não presta o concurso, todo ano tem!!!
    Enquanto pessoas como você e alguns outros aqui virem a carreira POLICIAL como duas carreiras diferentes, que tem que brigar entre si(tudo que essa bosta de governo quer), continuaremos a ser TODOS NÓS o restopol como você falou.

  65. “PEMEZINHO” RIDÍCULO, PARA DIZER O “MÍNIMO”… SE ACHA AUTORIDADE…POBRE IGNORANTE…ASSINA UM FLAGRANTE ENTÃO “BACANA”…REPRESENTE POR UMA “TEMPORÁRIA / PREVENTIVA” “SUMIDADE”…SE LIGA “COXA”, VC E SEUS “CORONÉIS” NÃO PASSAM DE AGENTES DE AUTORIDADE POLICIAL ( DELEGADO DE POLÍCIA E SÓ ELE )…SE NÃO SE CONFORMAR COM ESSA REALIDADE INDELÉVEL, RASGA O CÚ COM A UNHA…POBRE COITADO DESSE “COXA”…

  66. DESMILITARIZAÇÃO O POVO EXIGE disse:
    11/09/2013 ÀS 23:05
    Em resposta ao Oficial:
    1. Em primeiro lugar pergunte aos funcionários operacionais da PM (Praças), os que realmente estão na linha de frente, não os motoristas e seguranças particulares, o que eles acham a respeito dos Oficiais da PM. – duvido que algum falará bem.
    2. Porque Oficiais trabalham apenas com o cérebro e quando o fazem nunca ajudam os Operacionais que estão na linha de frente, sempre prejudicam para dar uma resposta política?
    3. Porque os Oficiais não saem para as ruas para combater o crime? exceto alguns 2º ten PM. Dai para cima recebem as ocorrencias por telefone e só aparecem para dar entrevistas?
    4. Pergunte ao Povo nas ruas se estão contentes com a PM?
    5. Porque o TJM proteje Oficiais e nunca defendem os Praças??????
    6. Voce ainda está com a lavagem cerebral efetuada pela Academia de Oficiais na cabeça, sugiro efetuar uma pesquisa sem que seja necessário os Praças se identificarem, porque senão sei que serão punidos por manifestarem suas opniões, afinal o RDPM e CPPM são utilizados apenas contra os Praças, enquanto Oficiais são protegidos de todas as formas.
    7. Onde aprendem fazer a mão do bola da vez?
    8. Onde aprendem criar local de crime?
    9. Este é o ensino militar?
    7. VOCE ACREDITA NESTE TIPO DE POLICIA???????????

    AHHH …. MAS DEIXA DE ONDA!!! O POVO EXIGE PORRA NENHUMA. O POVO NEM SABE DE PORRA NENHUMA. SE É MILITAR OU CIVIL OU GCM!!

  67. Amigos, estamos perdendo nosso tempo com tanta ladainha. É logico que a PC esta uma merda, porque os Bels. deixaram os MPs. dominarem a instituição. A PM esta uma merda porque deixar os oficiais só olham pro próprio rabo e não valoriza os praça. Enquanto isso… a malandragem esta a solta, dando rizada e comemorando.

    A policia deveria ser ÚNICA, desmilitarização,iniciaria como polícia uniformizada preventiva, (soldado, sargento e tenente) curso interno para investigador de Polícia, escrivão, papiloscopista (nível universitário) e depois com toda a experiência de rua, concurso interno para Delegado de Polícia. Por último.. despolitizar a Polícia. Colocar no comando quem merece e não os maçanetas que são apadrinhado e não sabe nada.

    OBS: Vc acha que o executivo e o legislativo tem o interesse de uma Polícia Forte e independente…ahahah…

  68. A PC está uma merda por causa dos policiais civis mesmos. Muitos fecham os olhos para os corruptos. Greve??? vocês estão há muitos anos.

  69. Como nascem os Monstros – A história de um ex-soldado da Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro – Rodrigo Nogueira
    “O mais cru e acachapante retrato já pintado da Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro em toda a sua história…”. É o que promete o Ex soldado da PM Rodrigo Nogueira, no livro 83.214 COMO NASCEM OS MONSTROS, escrito por detrás das grades do presídio da corporação (aonde está até hoje). Condenado injustamente a mais de trinta anos de prisão, ele agora revela o que nunca antes alguém teve a coragem de revelar e explica como se dá o processo que transforma homens comuns em verdadeiros Monstros, que todas as semanas invariavelmente estampam novos escândalos de brutalidade e despreparo policial. Nas palavras do autor; “A PMERJ está terrivelmente doente, isto é notório, então, quais são os mecanismos, os fatores que levam tantos ao abismo após a decisão de abandonar a vida para viver a farda? Por que é tão grande assim o número de policiais criminosos? Que todos saibam daquilo que se passa dentro das viaturas e gabinetes e que isso ajude, de alguma forma, a impedir que mais homens sejam expostos a essa bactéria tão arrasadora, destruidora de tantos sonhos e espíritos. É uma obra com o intuito de fazer despertar.” Uma história verdadeira, forte, densa, que detalha desde o início a formação do PM carioca e vai até ponto em que ele se torna um assassino frio e impiedoso, um criminoso profissional, capaz das mais elaboradas artimanhas para atingir seus objetivos e esconder os seus pecados. Não há como atravessar estas páginas, escritas com o coração do autor, e manter-se indiferente a tantas e tão óbvias verdades, talvez a mais perturbadora de todas entregue já na frase que inicia o primeiro capítulo; “Não há inocentes.” Definitivamente, “…conheça a sujeira por detrás da farda e tire suas próprias conclusões; você nunca mais olhará uma viatura da mesma maneira…”

    http://www.skoob.com.br/livro/257296-como_nascem_os_monstros

O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade civil e penal do comentarista que venha a ofender, perturbar a tranquilidade alheia, perseguir, ameaçar ou, de qualquer outra forma, violar direitos de terceiros.O autor do comentário deve ter um comentário aprovado anteriormente. Em caso de abuso o IP do comentarista poderá ser fornecido ao ofendido!...Comentários impertinentes ou fora do contexto serão excluídos...Contato: dipol@flitparalisante.com

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s