A Delegacia Eletrônica tem que parar!!! 73

Caro Dr. Guerra

Faço parte da Delegacia Eletrônica a algum tempo e sei que todos leem seu blog.
Divulgue uma iniciativa para que participemos dos Blecautes convocados pela ADESP.
Se a DE e CEPOL param por seis horas, a repercussão será enorme na mídia (vide a matéria que saiu no site da PC na última semana), principalmente os Furtos de Veículos.
Grato por sua  luta e coragem, conte conosco.

Abços

  1. Até que enfim algum iluminado!
    Esse cara tinha de ganhar um prêmio.

    Culhão pra parar a Del. Eletrônica na cara do DGP é pra poucos e nem sei se vira. Os calças brancas vão segurar a onda…

  2. CATA UM TROJAN QUALQUER NA INTERNET, DESABILITA FIREWALL E ANTI-VIRUS E SOLTA O BICHO NA RAIZ DO SERVIDOR… JÁ ERA…

  3. Olha, se parar a delegacia eletrônica ( ?????? ) e o CEPOl……aí sim teremos um movimento sério !
    Querem que comente ou só a simples repetição basta ? Sem risos por favor……..

  4. Querer que o Cepol pare… Ue os investigadores e escribas não precisam dos optel (restopol) e aposto que a maioria dos funcionários da delegacia eletrônica a maioria são optel (operadores de telex) não vamos parar… E tem mais ainda hoje tem muito investigador que não sabe desligar micro e muito menos colocar papel na impressora que dirá colocar arquivo na pen drive…

  5. Mudança: sai domingo, entra a segunda-feira !

  6. Os Optels já tiveram seu aumento de 7%. Tá bom, agora eles vão brigar pelo N.U dos escribas e investipol e também pelo fim da própria carreira. Os Optels estão concorrendo a um vaga de anjo no céu.

  7. não vou brigar porra nenhuma, que os investigadores e escrivaes se fodam

  8. Na real,
    A verdade é que o Governador não quer que saia de jeito nenhum a greve da civil. Isso iria detoná-lo.
    O que está faltando é o pessoal ir para rua por para fuder logo e pronto.
    Ele que vá se danar!
    Demoramos muito para continuarmos nessa de trouxas.
    Porra ! A meganha ganha mais coisas que a gente da civil. Falam em isonômia e vemos que isso é uma mentira e fica por isso mesmo.
    Depois vem o comédia dizer que vai anunciar o aumento. Isso, depois de se passar duas semanas ele anuncia na sexta e a noite que, irá encaminhar o decreto do aumento em caráter de urgência a AL.

    Pessoal ! Para tudo.

    Vamos amenos mostrar que ele que vá se catar.

    MILICIANOS, dá um tempo!
    Da outra vez vocês se deram bem na greve de 2008. Nos colocamos a cara e vocês levaram muito mais benefícios que a gente. Só na surdina. Dessa vez se acontecer a greve nossa vocês não vão levar nada. Por isso que existe um bando de MILICOS fazendo a contra informação, mas o pessoal das classes de AGENTES e CARCEREIROS já sabem que vocês não querem de jeito nenhum a desvinculação. Depois a reestruturação fica fácil!

    Mas vai ter que vir, mesmo que não venha um real para nós.

    Por mim é greve !

  9. ÀS 11 CARREIRAS DIA 17 TRABALHEM EM DOBRO DAS 10 AS 16 ATÉ POR QUE O DISSIDIO NOSSO JÁ FOI, EU ACREDITO QUE DÁ PRA DAR CONTA SEM OS DITOS AUSENTES…
    ATÉ POR QUE A LUTA É INDIVIDUAL E NADA TEM HAVER COM AS DEMAIS 11 CARREIRAS…

  10. A Delegacia Eletrônica não faz parte da Polícia? Então tem de parar também, como qualquer outra.

  11. Polícia em ação disse:
    15/09/2013 ÀS 23:58
    ÀS 11 CARREIRAS DIA 17 TRABALHEM EM DOBRO DAS 10 AS 16 ATÉ POR QUE O DISSIDIO NOSSO JÁ FOI, EU ACREDITO QUE DÁ PRA DAR CONTA SEM OS DITOS AUSENTES…
    ATÉ POR QUE A LUTA É INDIVIDUAL E NADA TEM HAVER COM AS DEMAIS 11 CARREIRAS…
    ===============================================================================================
    Nao leve a mal, mas você deve ser pm! se o delegado mandar, seu chefe determinar você nem senta na cadeira para digitar!
    Tem certas pregações aqui que com certeza nos leva a crer que não são policiais civis!
    se o titular, chefe de cartório e chefe dos tiras determinar que não façam, pode ir tomar café!
    O problema é esses mandarem….

  12. Vendo aqui comentários de alguns “colegas” que certamente são Optéis, dá pra entender perfeitamente o por quê de somente 7%, e da desvalorização da Polícia Civil.

  13. Eles, os chefes e delegas vão sim. A maioria estão preocupados xom chuveradas que tomaram dos Meganhas.%
    Eles um dia vão se aposentar. Não adianta pensar em si. O conselho tá com a gente.

  14. O CEPOL já está parado faz tempo. Vai abrir talão pra constatar.

  15. Pingback: A Delegacia Eletrônica tem que parar!!! |...

  16. Pingback: A Delegacia Eletrônica tem que parar!!! | C O O LTURA

  17. SERÁ QUE O PESSOAL DO ”RECOLHE” VAI PARAR TAMBÉM???? QUANTOS POLICIAIS PRECISAM REALMENTE DE AUMENTO???QUANTOS VIVEM DO SALARIO???? ESSES QUE TEM CARROS IMPORTADOS,MANSÕES,SITIOS,APTO NA PRAIA,KILOS DE CORDÕES DE OURO ETC..ETC.. ESTÃO POUCO SE LIXANDO PRA AUMENTO,ENQUANTO TEM ”COLEGAS” QUE NÃO TEM DINHEIRO PRA COMER UM PÃO COM MORTADELA. ESSA É A NOSSA REALIDADE,NOSSA POLICIA CIVIL DE VERDADE.

  18. GENTE !, S.M.J., O NOSSO CHUCHU LOGO MAIS IRÁ NOS FAZER FELIZES, POIS EU ESTOU A FIM DE VER AQUELA COLEGUINHA PEITUDA E DAR MUITAS RISADAS DESSES OPTEIS.E OUTROS N.M. CONTUMAZES INVEJOSOS. E, ME AJUDEM AÍ Ó !…

  19. Tem uma pá de bobalhão comentando que vão trabalhar em dobro. kkkkk Quero ver carcepol, agepol e optel fazendo b.o e atendimento sem a anuencia do delpol… é pra cagar de tanto rir… kkkkkkk

  20. ESTA SEMANA TEREMOS UM ANUNCIO DO SECRETARIO DA SEGURANCA………..MEUS PARABENS DR. BLAZEK, FINALMENTE UM DG COM. ATITUDE.

  21. Quando chega o 5º dia útil, dia do seu pagamento, voces pensam no valor que seus subordinados vão receber.
    Já que preocupam com eles, quando o assunto é aumento para a Policica Civil, deviam ter a mesma preocupação, na diferença de salario entre o de voces e o deles.
    Esses Policiais, quase todos eles, detestam voces e cumprem as determinações, não por causa de medo ou obdiencia, mas pela familia que eles tem, por isso “engolem tudo que voces dizem”.

  22. Dr. GUERRA POR FAVOR PUBLIQUE
    MEU POST, POIS, NÃO PUBLICA NADA DO QUE EU MANDO
    OBRIGADO!
    Todas as virtudes do mundo
    Não pode inocentar um homem
    Que forçosamente, já tem uma opinião
    Formada sobre tudo,
    Viveu assim, e existe assim.
    É assim, que o Major Olímpio
    Não pode ser a favor do Policial Civil
    Ele é PM, pode ter boas intenções, mas,
    É PM… Uso a farda e é seu defensor
    No frigir dos ovos,
    Vai ficar a favor de quem?!

  23. Uma salva de Palmas ao Sr. Delegado Geral de Polícia e Secretário, além dos meus sinceros agradecimentos ao Ex- Secretário de Segurança Pública e aos Invejosos e Antidemocratas PMs que se mostram contrários ao cumprimento da Lei : Paulo disse:

    Senhores e Senhoras Policiais Civis do Estado de São Paulo:

    Peço a todos os Policiais Civis, independente de carreira, que ao avistarem o Sr. Delegado Geral de Polícia ou porventura o Sr. Secretário de Segurança Pública adentrando ao Palácio da Polícia ou em outro Departamento, que se manifestem através de uma salva de palmas, cuja finalidade maior será o reconhecimento e incondicional apoio de todos os Policiais Civis em prol do resgate de nosso BRIO e DIGNIDADE.
    Quando adentrei aos quadros da Polícia Civil através do concurso I.P.-88, tive a Honra de ter trabalhado sob a batuta de um Delegado de Polícia chamado Dr. Mitsuyuki Taniguchi. Recordo-me que no início da década de 90, o Delegado de Polícia Divisionário do DEIC, (que hierarquicamente é superior ao Delegado Supervisor), se deparou com uma viatura do Garra estacionada em frente ao bar, que ainda se encontra localizado no mesmo lugar, próximo a garagem Alfredo Issa. Após o desempenho de um ridículo e indigno papel para um homem, além de sê-lo para um Delegado de Polícia Divisionário, fez questão de “se mostrar” perante todos os presentes, recolhendo os três policiais do Garra do DEIC., pra bem longe…
    No Garra, fazia parte do mesmo grupo dos policiais “recém-recolhdos”. Estava chegando à Base, no oitavo andar, para à confecção do meu relatório de Ronda quando ouvi o Dr. Taniguchi gritando: “Rambo”, “Rambo”, “Hugo,” “Hugo”… Quando me viu, estando reunido com os três policiais “ripados” pelo Divisionário, me perguntou: “Sr. Paulinho, quem manda no Garra” e eu prontamente respondi: “ o Sr.” Um dos Policiais disse: “…mas Dr., foi o Divisionário que nos recolheu.” Nesse momento, o Dr. Taniguchi passou as mãos sob os cabelos, e eu prontamente disse ao meu colega, “mas no Garra, é o Dr. que manda.” Ele fez o seguinte som: “hummmmmmmmmmmm” e disse: “seu Paulinho, pega a viatura. Vamos devidamente equipado,( entenda-se: sub-metralhadora beretta 9mm e 45), que eu vou mostrar praquele … quem é que manda no Garra .” Ele ainda ligou e tentou falar com o Divisionário. Não conseguindo disse à sua secretária: “diga que o Taniguchi está indo ai pra quebrar a cara dele.” Confesso aos Senhores que há 22 ou 23 anos, com a imaturidade da idade, eu pensava como cumprir a ordem do Dr. Taniguchi: “…seu Paulinho, se ele não se retratar com Taniguchi, não deixa ninguém se meter, porque ele vai ver quem manda no GARRA.” E eu, louco pro bicho pegar, e se possível, distribuir algumas caneladas de brinde no velho estilo kyokushin, aos puxa-sacos de plantão (que sempre existiram, desde que o mundo é mundo). Para encerrar: o Divisionário, que era faixa preta de karaté, não estava no Deic. Ah, o mais importante: – nenhum dos três policiais foi recolhido do Garra.
    Traço a história acima para demonstrar que o brio que havia entre nós está sendo resgatado nesse histórico momento, como uma Fénix renascida das cinzas. Por isso peço tal atitude aos Senhores e Senhoras, não me esquecendo de agradecer o Ex- Secretário que teria nos classificado como ineptos e letárgicos, bem como a alguns pms que não querem a aplicação e o cumprimento da Lei. É compreensivo não terem entendido que a Lei tem de ser cumprida, porque concorreram em um disputado concurso de Segundo Grau, com milhares de outros jovens, para ingresso no Barro Branco, aonde com certeza, tiveram inúmeras e incontáveis aulas de ordem unida, técnicas de patrulhamento preventivo ostensivo, educação física, armamento e tiro, comando de operações especiais, técnicas de comando e sobrevivência na selva, e tantos outros inerentes à sua atividade fim, faltando a meu ver, com todo o respeito, conceitos básicos na Área de Direito.
    Após o reconhecimento salarial da Carreira Jurídica e do nível universitário para quem as obteve através da Lei (como ocorreu com os peritos criminais), deveremos brigar para que o menor salário do Policial Civil esteja atrelado a 70% dos vencimentos do policial de nível universitário.
    Portanto, senhores e senhoras policiais vamos nos unir pois, “a Batalha só termina para o soldado que morre.”
    Respeitosamente:
    Paulo – Investigador de Polícia

  24. Paulo, meu concurso é anterior ao seu. Trabalhei no GARRA, Grupo 30, na época em que o Dr. laranjeira era motorista do Piloto, Dr. Araújo. Época boa, Heitor ( ex-ROTA), Maurício, Vicente, André, e tantos outros excelentes AMIGOS !
    A BASE era junto com CERCO, DIVECAR, Polícia ainda era respeitada e o que dizer então do Bom e Velho ” Galinhão ” que sempre chegava “chegando” ! Bons tempos !
    O velho Penazzi, Gaúcho na Chefia, o bom Amigo Ferrari e tantos outros !
    Mas os tempos mudaram, os Velhos Guerreiros estão cansados de esmurrar a ponta da lança e ver os que saem sempre vitoriosos.
    Só nos resta rezar e esperar, aposentarei o quanto antes, com tristeza e saudades dos velhos tempos!
    Fort abraço e lembranças felizes do G.A.R.R.A. que tivemos o prazer e orgulo de fazer parte !

  25. Não poderia deixar jamais de lembrar o saudoso Dr. Matrone ! Realmete bons tempos !

  26. E alguém sente falta da PC????? Quantas dessas operações já foram feitas e até hoje ninguém comenta nada na imprensa. A única Polícia que realmente aparece na mídia é a PM e é por isso que os governadores abrem as pernas pra eles. Tem um Estado lá no Nordeste que a PC está em greve faz meses e ninguém tá nem aí. Portanto parem de ficar sonhando com aumento diferenciado, porquê só estes 7% que ele deu já vai causar um aumento brusco nas contas do governo. Logo não fiquem esperando que após estes 7%, o governador irá dar mais 1.000,00 para os tiras e escribas. E só pra terminar: NA POLÍCIA EXISTE DELEGADO, O RESTO É RESTO….

  27. Estimado Colega, estava no Garra, no antigo prédio da prefeitura, cuja sede do Degran ficava ao lado, trabalhando em conjunto com o 1.DP.
    Lembra que fazíamos um improvisado stand de tiro no fundo, próximo ao banheiro, que vivia entupido. Você se lembra quando morria um policial civil e o Dr. Taniguchi entrava na rede e falava: ” Hummmm, nenhum polícia do Garra encerra talão. Todos policia do Garra vai pro local caça os vagabundos” Tive a honra de partilhar esses momentos juntamente com você e outros que já se foram (homenagem ao Siri, ao Sr. Durvalino meu chefe de grupo, e ao meu falecido parceiro Dragão) Meu grupo era o ex-50 que virou 90, quando da nossa chegada. Vamos manter a chama acessa, pois o posicionamento do DGP nos fez recordar os bons tempos, quando ouvíamos: “…meu garoto a coisa tá feia pra você. Você quebrou a cara do fulano e eu vou ver o que dá pra fazer por você. Enquanto isso me traz dois cheeseburgers e uma Coca-Cola” E lá ia esse para-quedas buscar os lanches além de duas cocas para o Penazzi, não deixando de paquerar a filha da dona da cantina.
    Forte abraço
    Seu Paulinho – Investigador de Polícia com muito Orgulho.
    Em tempo: Hoje temos pistolas, viaturas com ar condicionado mas não temos mais o que tínhamos…, portanto vamos restituir aquilo que possuíamos à polícia Civil, mesmo quando estivermos com os nossos pijamas.

  28. Paulo.
    Eu lembro que o Hugo ativara com uma 12 como ninguém. E o Rambo mais o Vicente, se não me engano, com o Dr. Tanigushi foram quem ministraram o curso da swat pra nós aqui em Prudente. Era uma outra época realmente.
    Tenho certeza de que já resgatamos boa parte do brio de lutar e se impor que sempre tivemos, como você disse.
    Falta claro o reconhecimento governamental que está por vir. Não tarda. Porque é LEI. E Lei foi feita para ser cumprida, e se o PSDB quiser ser o partido que continuará a não cumprir A LEI terá uma polícia civil cada vez mais combativa, e não combalida, no sentido de dar efetividade aos mandamentos legais.
    O Estado Democrático de Direito não pode ficar à mercê de fanfarrões que se acham superiores à Instituição Policial Civil.
    Fábio Morrone.

  29. Eu não sei como funciona a capital, mas aqui na terra dos caipira já abrimos o talão de nossas vtr, elaboramos mensagens no computador e todas nossas pesquisas de investigação (Prodesp, infoseg, alpha, etc…, enfim, não precisamos do optel para nada. já passou da hora de sermos reconhecidos.

  30. A competência residual da Polícia Militar na Constituição Federal de 1988

    Invest Paula disse:

    15/09/2013 às 18:53
    SÓ PRA CONSTAR – Constituição Federal – Em caso de falência de quaisquer órgão de segurança quem assume é a PM. Será que não tá na hora da PC assumir que está falida e deixar o serviço para os militares??? Reflitam. O PM pode fazer tudo o que a PC faz, isso mesmo TUDO, Se por acaso a PM parar a PC assume tudo? Claro que não, quem assume é o exército. Então parem de falar besteira achando que são melhores do que alguém.

    A competência residual da Polícia Militar aparece quando da falência operacional dos outros órgãos de segurança pública, como por exemplo, para restabelecer a segurança interna em estabelecimentos presidiários, executar o serviço da Polícia Civil em caso de greve, ou até mesmo lavrar o flagrante delito.
    Resumo: Este trabalho visa demonstrar a ampla competência da Polícia Militar na Constituição Federal de 1988, mais especificamente a chamada a competência residual. O procedimento de pesquisa adotado foi o bibliográfico, com base em doutrina, legislação e pareceres sobre o assunto. O trabalho foi estruturado em três segmentos principais onde foi analisado profundamente o artigo 144 da Constituição Federal, com atenção especial ao parágrafo quinto. Primeiramente, buscou-se apresentar todos os órgãos de segurança pública previstos no artigo 144 da Carta Magna, posteriormente foi aprofundando as atribuições da Polícia Militar, ou seja, a polícia ostensiva e a preservação da ordem pública, finalmente com base na construção teórica feita nos dois tópicos anteriores foi analisada a questão da competência residual da Polícia Militar. O fundamento para a chamada competência residual da Polícia Militar sem dúvida encontra-se na preservação da ordem pública, agindo dessa maneira na falência dos demais órgãos de segurança pública e também quando a competência não for definida a nenhum órgão de segurança pública do artigo 144 da Constituição Federal, para qualquer ato que vise preservar a ordem pública.
    Palavras-chave: Preservação da Ordem Pública. Polícia Militar. Competência Residual. Órgãos Policiais.
    ________________________________________
    INTRODUÇÃO
    Embora a Constituição Federal de 1988 tenha ampliado em muito a competência da Polícia Militar, grande parcela da população e também alguns doutrinadores acreditam que a referida instituição tem competência somente para o policiamento ostensivo.
    A segurança, prevista no preâmbulo e artigos 5º, 6º e 144 da Constituição atribuiu a Polícia Militar como alguns afirmam um “presente’’, pois no parágrafo quinto do artigo 144 deu a mesma a responsabilidade da preservação da ordem pública e polícia ostensiva.
    Os termos polícia ostensiva e preservação da ordem pública são termos abrangentes como será demonstrado neste artigo, a polícia ostensiva engloba as quatros fases do poder de polícia (ordem de polícia, consentimento de polícia, fiscalização de polícia e sanção de polícia) e não apenas uma, como era o termo policiamento ostensivo (fiscalização de polícia), e age diretamente na polícia administrativa. Já a preservação da ordem pública, engloba sua manutenção e a restauração e envolve uma questão de grande importância em qualquer sociedade.
    Diante desse cenário, as Polícias Militares estão “descobrindo” a sua ampla competência, que envolve inclusive a competência exclusiva dos demais órgãos em caso de falência operacional dos mesmos, bem como possuir a competência quando não for atribuída a nenhum órgão policial e o ato que vise preservar a ordem pública.
    Estruturado em três tópicos, sendo o primeiro especificando a competência dos outros órgãos na CF de 88, posteriormente explicou-se os termos polícia ostensiva e preservação da ordem pública, finalmente foi explicada a competência residual da Polícia Militar. Foi encontrada uma grande dificuldade no que concerne principalmente a material doutrinário sobre a competência residual.
    Busca-se com este artigo, evidenciar e mostrar a ampla competência da Polícia Militar na preservação da ordem pública, especialmente a competência residual, uma vez que a mesma é deixada de lado por boa parte da doutrina de polícia.
    ________________________________________
    1 ÓRGÃOS POLÍCIAIS NA CONSTITUIÇÃO FEDERAL DE 1988
    A Constituição Federal de 1988 (CF/88) é a principal referência, no que diz respeito às atribuições de qualquer instituição pública, e nela e nos seus princípios que as demais leis devem se nortear. Assim, para poder definir a competência da Polícia Militar e explicar a competência residual da mesma é essencial conhecer as atribuições dos outros órgãos policiais, conforme define a nossa Carta Magna.
    O artigo 144 da Carta Magna é taxativo ao afirmar que a segurança pública é dever do Estado, porém com responsabilidade de todos os cidadãos. Compõem o sistema de segurança pública os seguintes órgãos: polícia federal, polícia rodoviária federal, polícia ferroviária federal, polícias civis e as polícias e corpos de bombeiros militares.
    A atividade policial dos órgãos componentes do sistema de segurança pública tem sido classificada, conforme o momento de sua atuação. Quando a atuação policial é antes do crime, diz-se preventiva, quando a atuação policial surge após o crime diz-se repressiva. Para Caldas Jr. (2010), a polícia preventiva é classificada como “polícia administrativa” e a polícia repressiva é classificada como “polícia judiciária”.
    Moreira Neto (2009) sustenta que a polícia administrativa atua nas atividades das pessoas, na liberdade e nos direitos fundamentais, já a polícia judiciária atua nas pessoas, no seu direito de ir e vir, e é voltada à repressão da conduta típica.
    Outra diferença entre os tipos de polícia, segundo Vieira (2010), é que quando se fala na área do ilícito puramente administrativo (preventiva ou repressivamente), a polícia é administrativa e quando o ilícito é penal a polícia é judiciária, porém o autor complementa que a Polícia Militar (polícia administrativa) tem competência para a repressão imediata.
    Para elucidar as diferenças, segue figura explicativa segundo Faria (2004).
    Figura 1 – Demonstra as diferenças entre a Polícia Administrativa e a Polícia Judiciária.
    Polícia Administrativa Polícia Judiciária
    Atua por intermédio de agentes credenciados de diversos órgãos públicos (policiais ou não). Atua sempre por agentes policiais civis ou militares.
    Visa impedir a prática de atos lesivos ao Direito Administrativo, cujas sanções não privam liberdade. Colabora com órgãos da Justiça Criminal na atividade de apenar criminosos, pautadas em normas de Direito Processual Penal.
    Preocupa-se com o comportamento anti-social. Visa especificamente à repressão ao crime.
    Fonte: Faria (2004)
    Dessa maneira os órgãos policiais, como por exemplo, a Polícia Federal, tem a sua competência expressa no parágrafo primeiro do artigo 144, incisos I a IV da CF/88, infere-se que a mesma é o único órgão do sistema de segurança pública que executa o círculo completo de polícia. Assevera Lenza (2009) que a Polícia Federal exerce tanto a polícia administrativa, bem como a polícia judiciária.
    Ainda, observa-se que os incisos I e IV estão interligados, sendo que a única atribuição exclusiva da Polícia Federal é o exercício da polícia judiciária da União. Se fosse diferente, nos outros incisos, que não o IV, a palavra “exclusividade” também apareceria.
    Outro órgão da esfera federal, a Polícia Rodoviária Federal, tem suas atribuições definidas no parágrafo segundo da Carta Magna, e também no decreto 1655 de 1995 que dispõe sobre as atividades da Polícia Rodoviária Federal.
    Já a Polícia Civil, tem suas atribuições definidas no parágrafo quarto do artigo 144 da Constituição Federal, sendo elas a polícia judiciária e a apuração de infração penais, atuando basicamente na repressão mediata.
    Da análise do citado parágrafo, se desprende que o exercício da Polícia Judiciária não é exclusivo visto que o exercício da polícia judiciária federal é realizado como visto alhures pela Polícia Federal e também não compete a polícia judiciária militar para a Polícia Civil. Ademais, o constituinte não trouxe o termo exclusividade no texto.
    Os Bombeiros Militares atuam nas atividades de defesa civil, exercendo também a fiscalização em construções para a liberação de obras, agindo de maneira preventiva no tocante ao combate de incêndios, exercendo papel importante na preservação da ordem pública.
    Mas esse sistema com competências definidas para cada órgão, não havendo um ciclo de polícia completo recebe inúmeras críticas, sustenta Santos Jr. (2011) que o atual sistema não satisfaz minimamente aos anseios da sociedade, pois não propicia sinergia eficaz à produção de serviços adequados.
    Por fim, cabe esclarecer que a Polícia Ferroviária o outro órgão de segurança pública, atualmente está praticamente extinta, não possuindo efetivo.
    ________________________________________
    2 A POLÍCIA MILITAR E A CONSTITUIÇÃO FEDERAL DE 1988
    No tópico anterior apresentaram-se as atribuições dos outros órgãos componentes do sistema de segurança pública brasileiro para poder definir e delimitar as atribuições das Polícias Militares com o texto Constitucional de 1988.
    Nessa senda, abaixo se fará uma construção teórica acerca da competência da Polícia Militar, com o fito de ao final buscar a sua competência residual. A Polícia Militar tem sua competência estabelecida no artigo 144 parágrafo quinto da Constituição Federal, trazendo para a mesma a polícia ostensiva e a preservação da ordem pública.
    “Expositis” é essencial entender os termos preservação da ordem pública e polícia ostensiva.
    2.1 Preservação da Ordem Pública
    Diferentemente que as antigas Constituições a Carta Magna de 1988, trouxe o termo “preservação” da ordem pública ao invés de “manutenção” da ordem pública. Nesse contexto, a palavra prevenção possui um sentindo mais amplo que a palavra manutenção, isso porque está contido dento do sentido de preservação da ordem pública, a manutenção da ordem pública.
    Em outras palavras a preservação da ordem pública, nada mais é do que a manutenção da ordem pública mais o restabelecimento da ordem pública. Outrossim, o parecer Gm 25 (2001), ensina que o legislador constitucional, se referiu a preservação, somente no artigo 144 e não mencionou no artigo 136, pois a preservação seria ampla suficiente para abranger a repressão, desde que essa seja imediata.
    Argumenta Neto (2008), que a expressão prevenção é usualmente utilizada por alguns profissionais de segurança pública, como sendo uma ampliação das missões das Polícias Militares, cabendo às mesmas a prevenção e a restauração em caso de quebra de ordem.
    Superada tal questão, vem a tona a difícil conceituação do que é ordem pública? Como afirma Cretella Jr, (apud, LAZZARINI, 2003) a sua definição é muito vaga e abrangente, visto que não se trataria apenas da manutenção da ordem na rua, mas também de uma manutenção de valores.
    Aduz Moreira Neto (2005), que a ordem pública seria um estado aprazível de relações pessoais, não se satisfazendo somente com a lei e os princípios democráticos para o autor a ordem pública teria uma “dimensão moral”, esta ligada aos princípios éticos de cada setor da sociedade. Assim, a ordem pública teria que ser legal, legítima e moral.
    Ainda, segue o autor dizendo que é mais fácil conseguir entender o que é ordem pública do que explicar a sua definição, sendo ela um “[...] conjunto de princípios de ordem superior, políticos, econômicos, morais e algumas vezes religiosos, aos quais uma sociedade considera estreitamente vinculada à existência e conservação da organização estabelecida [...].”
    Assegura Náufel (1989), o conceito de ordem pública seria tão importante, que os particulares não poderiam transigir sobre a mesma, nem excluir em suas convenções, visto que a mesma é essencial para a manutenção de um país, bom funcionamento dos serviços públicos e da moralidade das relações entre os particulares.
    Assevera Rosa (2010), a ordem pública se constituiria na tentativa de se chegar à paz e harmonia, evitando assim, a violência, o terror, a intimidação e os antagonismos deletérios.
    Legalmente, temos a definição de ordem pública no decreto número 88.777 (R-200), artigo 2º, nº 21 que conceituou ordem pública como sendo:
    conjunto de regras formais, que emanam do ordenamento jurídico da Nação, tendo por escopo regular as relações sociais de todos os níveis, do interesse público, estabelecendo um clima de convivência harmoniosa e pacífica, fiscalizado pelo poder de polícia, e constituindo uma situação que conduza ao bem comum.
    Porém, a definição mais usada, pela doutrina policial atualmente é a definição de Rolland (apud LAZZARINI, 2003) que partindo de textos legais franceses, afirmou que a polícia tem por fim assegurar a ordem, compreendendo nela a tranqüilidade pública, a segurança pública e a salubridade pública.
    A tranqüilidade pública seria um nível em que a sociedade convivesse de forma pacífica e harmoniosa, gerando dessa forma um bem-estar geral. Lazzarini (1999), deve se levar em conta o aspecto legal da tranqüilidade pública, pois a mesma constitui direito inerente a qualquer pessoa. Dessa forma, ocorrendo perturbação da paz, poderá se pedir a proteção pública para que se restabeleça paz e o infrator sofra as sanções definidas em lei.
    Já a salubridade pública, consiste em a sociedade viver em condições de sanidade e higiene, mantendo as condições de vidas adequadas aos habitantes. Nesse sentido, ocorrendo algo que ponha em risco as condições acima descritas, providências devem ser tomadas, portanto a Polícia Militar deve atuar quando houver risco iminente para a população.(MOREIRA NETO, 2009)
    Outro elemento da ordem pública, a segurança pública segundo Silva (2000), pode ser definida como estado no qual estamos livres de perigos, incertezas, afastados de todo mal, de danos a imagem ou quaisquer prejuízos eventuais.
    No que concerne à segurança pública Valla (2004) ensina que a mesma pode ser entendida por dois aspectos: objetivo e subjetivo. O primeiro pode ser compreendido por aquela situação na qual o indivíduo sabe conscientemente de que não corre risco algum e também que todos os seus direitos e garantias serão devidamente respeitados. Já o segundo aspecto explica-se pela convicção do indivíduo na ausência de risco.
    Assim, entende-se que a segurança pública deve ser medida pelo aspecto subjetivo, pois a segurança objetiva plena é utópica, sendo o crime inerente a condição humana.
    Tema de primordial importância é diferenciar segurança pública de ordem pública; como já afirmado alhures segurança pública está dentro do conceito de ordem pública, não sendo assim sinônimos, como muitas pessoas que trabalham na área policial propagam por desconhecimento da parte conceitual e doutrinária.
    Devido à importância da segurança pública nos dias atuais, eis que a mesma é uma das principais aflições da sociedade moderna, o constituinte originário, como afirma Simas (2009), elegeu a segurança como aspecto primordial da ordem pública.
    Inobstante esses fundamentos, outro princípio tem se destacado na formação da ordem pública, qual seja: a dignidade da pessoa humana. Esse princípio é norteador de todos os demais, sendo que a ordem pública deve estar sempre pautada no mesmo.
    Sustenta Vaz (2011), que a dignidade da pessoa humana é um princípio fundamental e deve nortear toda e qualquer relação constituindo uma conquista dos seres humanos oriunda de razões éticas e jurídicas contra crueldades e atrocidades praticadas pelos próprios seres humanos.
    Na Franca, segundo Gomes (1996), desde o ano de 1995, uma decisão do Tribunal Administrativo de Versailles, já elencava a dignidade da pessoa humana como componente da ordem pública, ao impedir que um circo local mantivesse uma atração a qual consistia em arremessar um anão, com base no princípio da dignidade da pessoa humana.
    Para finalizar a definição de ordem pública, nada melhor do que os argumentos de Lazzarini (2003) que a explica a referida como sendo um estado antidelitual, onde há observância dos códigos, através de ações de polícia preventiva e repressiva, afastando qualquer perigo, restringindo as liberdades individuais, para que seja assegurada a liberdade dos demais da sociedade.
    Com base nos diversos autores acima elencados coloca-se um quadro explicativo da formação da ordem pública.
    Figura 2 – Demonstra a composição da ordem pública.
    CONSTRUCTO DEFINIÇÃO AUTOR
    Tranqüilidade Pública Convivência harmoniosa e pacífica da sociedade de forma geral. Lazzarini (1999)
    Segurança Pública Estado em que a sociedade encontra-se livre de perigos, incertezas. Deve-se ser compreendida primordialmente no aspecto subjetivo Lazzarini (1999) e Valla (2004)
    Salubridade Pública Condições de vida adequadas a sociedade, mantendo as condições de sanidade e higiene. Moreira Neto
    Dignidade da pessoa humana Princípio norteador de toda e qualquer relação, devendo a ordem pública estar fundamentada nesse princípio. Vaz (2011)
    Fonte: Elaborado por este pesquisador.
    Ainda, cabe destacar que não é função somente da Polícia Militar preservar a ordem pública, tendo a participação de outros órgãos e instituições do Estado, tais como o poder Legislativo, as Polícia Administrativa e Judiciária, o Ministério Público e o Sistema Penitenciário. (MARCINEIRO E PACHECO, 2005)
    2.2 Polícia Ostensiva
    Como já afirmado anteriormente a competência das Polícias Militares encontra respaldo no artigo 144 da Constituição Federal, mais especificamente no parágrafo quinto.
    Primeiramente, cumpre destacar que o constituinte de 1988, ampliou a atuação das polícias militares, pois anteriormente tínhamos a previsão do termo policiamento ostensivo no decreto 667/69, ao invés de polícia ostensiva.
    O policiamento ostensivo, segundo a definição legal do decreto 667/69 pode ser entendido como ação policial realizada unicamente pelas Policias Militares, em que os militares são identificados de relance, quer pela farda, equipamentos ou viaturas com o objetivo de manter a ordem pública.
    Insta ressaltar que a polícia ostensiva desenvolve-se através do poder de polícia Estadal, que segundo Di Pietro (2009) o mesmo pode ser definido como a atividade do Estado consistente em limitar o exercício dos direitos individuais em benefício do interesse público.
    Dessa maneira, o policiamento ostensivo, é apenas umas das fases da polícia ostensiva, isso porque a polícia ostensiva desenvolve-se em quatro fases: a ordem de polícia, o consentimento de polícia, a fiscalização de polícia e a sanção de polícia. Nesse sentido o policiamento ostensivo corresponderia apenas a fase da fiscalização de polícia.
    Assevera Moreira Neto (1993) que a polícia ostensiva é uma expressão nova não somente na CF/88, mas também na nomenclatura da especialidade. Para o autor, a expressão foi adotada por dois motivos: o primeiro fixar a exclusividade constitucional e o segundo para marcar o aumento da competência em favor das Polícias Militares, além do policiamento ostensivo.
    Outrossim, o policiamento ostensivo, segundo esse entendimento, corresponderia apenas a atividade de fiscalização, sendo que o termo “ostensivo” conforme Moreira Neto (1993), referir-se-ia a ação pública de dissuasão, caracterizada pelo policial fardado e armado.
    Para um melhor entendimento do que é polícia ostensiva essencial delimitars\ as suas quatro fases que remetem essencialmente a polícia administrativa, com o objetivo maior de preservar a ordem pública. Assim, como ensina Ruiz (2008), a atividade de polícia administrativa é essencialmente preventiva em relação ao caráter repressivo da polícia judiciária.
    Destaca Boni (2006), as peculiaridades de cada fase do poder de polícia: a ordem de polícia advêm necessariamente da lei; o consentimento de polícia , podendo o mesmo ser vinculado ou discricionário; a fiscalização de polícia onde verifica-se o cumprimentos das ordens de polícia e por fim a sanção de polícia que destina-se repressão das infrações.
    Tem-se que a ordem de polícia, necessariamente, baseia-se num preceito oriundo da lei, pois trata-se de uma reserva legal (Art. 5º, II da CF), e pode, de acordo com as circunstâncias, ser enriquecida discricionariamente pela Administração. Tanto pode ser um preceito negativo absoluto, quanto um preceito negativo relativo, ou também chamado negativo com reserva de consentimento. Nesta segunda hipótese são vedadas certas formas de exercício de atividades e de uso da propriedade privada, sem que a administração prévia e expressamente as consinta, impondo-se certas condições
    O consentimento de polícia é ato de anuência, o qual possibilita a utilização da propriedade pelo particular ou o exercício da atividade privada, quando o legislador tiver exigido controle prévio da compatibilização do uso do bem ou do exercício da atividade com o interesse público.
    Em outros termos, será a anuência vinculada ou discricionária do Estado com a atividade submetida ao preceito negativo relativo, sempre que satisfeitos os condicionamentos exigidos. Se as exigências condicionadas estão todas na lei, tem-se um consentimento vinculado, isto é, a licença; se estão parcialmente na lei e parcialmente no ato administrativo, tem-se um consentimento discricionário, ou seja, a autorização.
    A fiscalização de polícia é uma forma ordinária e inafastável de atuação administrativa, através da qual se fará a verificação do cumprimento das ordens de polícia, bem como também a regularidade nas utilizações de bens e atividades já consentidas por licença ou autorização. Destaque-se que a fiscalização pode ser preventiva ou repressiva, ex-ofício ou provocada. No caso específico da atuação da polícia de preservação da ordem pública, toma-se a denominação de policiamento.
    Finalmente, a sanção de polícia é a atuação administrativa autoexecutória que se destina à repressão da infração. Em outros temos, é a submissão coercitiva do infrator a medidas inibidoras ou dissuasórias impostas pela administração, quando falhar a fiscalização preventiva e verificada a ocorrência de infrações às ordens de polícia.

  31. Tenho quase 20 anos de Policia e sempre escuto e leio “historinhas” das antigas em que o delegado fudidão QUASE quebrou a cara do outro majura. É sempre assim…..

    Quer saber???

    Fudido é o Dr. Guerra que montou um blog desse de cara limpa, enfrentou de peito aberto todos os cardeais, foi pra rua e continua lutando pela Policia Civil.

    E pergunta se um desses delegados fudidões das “antiga” quebrou ele na mão??? Jamais

    Então se for vir aqui pra elogiar delegado fudido, não vem passar vergonha enganando a molecada.

    Delegado fudido de verdade teve um só : Roberto Conde Guerra

    O resto é historinha pra boi durmir.

  32. PRISCILA,EU HEIN,BEM FEITO ,ESTÃO NA MERDA PORQUE QUEREM,NÃO ESQUENTA NÃO,PIOR QUE TÁ NÃO FICA,SEMANA QUE VEM O DESGOVERNO SOLTA SEUS CÃES EM CIMA DAS MANIFESTAÇÕES DE NOVO disse:

    http://www1.folha.uol.com.br/saopaulo/2013/09/1341524-carros-oficiais-de-alckmin-afif-e-secretrarios-custam-r-1424-mil-por-mes.shtml

    Enquanto isso depois de 18 anos servindo esse desgoverno TUCANO ,meu marido insiste em permanecer ,após aumento vergonhoso de 7%.!

    Acho que vou entrar para Politica ,pena que PRAÇA NÃO VOTA EM PRAÇA.BAFORA NAS BOTAS DOS OFIÇA,são os peões,os gatos ,os tapa buraco e mesmo assim VOTAM NOS ESTRELINHAS.

  33. AO COLEGA BOB ESPONJA - RESTITUIÇÃO DO BRIO POLICIAL E O RESPEITO PARA COM TODAS ÀS CARREIRAS - Paulo disse:

    Ao colega Bob Esponja
    Com todo o respeito; acho que você não compreendeu os traçados acima, portanto, respeitosamente, peço que olhe atrás da montanha.
    Já trabalhei com colega Agente Policial que enxergava várias léguas a frente, comparando a sua visão com a minha. Já pude, juntamente com o meu colega de viatura, elucidar um caso de Homicídio graças a dedicação em incansáveis pesquisas, realizadas por um Colega do Cepol. Já presenciamos e contamos com o imprescindível auxílio de vários colegas carcereiros, bem como a preciosa informação através de vários Agentes Penitenciários que findou com grandes “canas.” (em memória de grandes policiais que trabalhavam no Roubo a Bancos.)
    Isto posto, peço todo o respeito possível, lembrando que a sepultura irá à todos nivelar.
    “Os homens não têm muito respeito pelos outros porque têm pouco até por si próprios.” (Leon Trotsky)
    Respeitosamente
    Paulo Investigador de Polícia

  34. TEM QUE PARAR NADA… QUEM TEM QUE PARAR SÃO OS SUPER MASTER POLICIAIS INVESTIGADORES. AS DEMAIS CARREIRAS, QUE SOMAM APROXIMADAMENTE 15 MIL POLICIAIS, ISSO MESMO, 15 MIL, QUE ATÉ ENTÃO ESTÃO SEM REPRESENTATIVIDADE ALGUMA POR PARTE DOS DELEGADOS, TEM QUE TRABALHAR E MOSTRAR QUE TAMBÉM EXISTEM… PAU NO CÚ DESSES SUPER TUDO…

  35. SUPER TUDO nada, nobre colega TANACARA! É SUPER MASTER POLICIAIS INVESTIGADORES NÍVEL UNIVERSITÁRIO! Respeita a polícia.

  36. A carreira de optel é realmente inútil….todos que conheci são uns vagabundos e qualquer macaco adestrado é capaz de realizar sua tarefa.
    As demais carreiras merecem respeito sim…

  37. PODRIDÃO DO SISTEMA ,BOCA DO LIXO TEM SIDO O CAMINHA DAS POLICIAS DO NOSSO PAÍS ,SE O BAIXO SALÁRIO É MOTIVO PARA TANTOS DESVIOS DE CONDUTA ,ENTÃO VAMOS PARAR DE PRENDER BANDIDOS ,PORQUE A MAIORIA SÃO POBRES ,SERES DE FAMÍLIA DESESTRUTURADA ETC.. N disse:

    AONDE VAMOS PARAR HEIN!

    PELOS COMENTÁRIOS DE ALGUNS AQUI DÁ PARA VER O CAMINHO QUE A NOSSA POLICIA BRASILEIRA VEM CAMINHANDO,A BOCA DO LIXO E SEM LUXO,A MAIS RALÉ DE TODAS.

    E DEPOIS VEM UM BOCA ROTA PREGAR MORAL AQUI ,OFENDER ,SÃO TÃO COVARDES QUE ALÉM DO ANONIMATO,AINDA PRECISAM DE PODER PARA COMETEREM SEUS DELITOS,PORQUE NEM PARTA ISSO SÃO MACHOS.

    VERGONHA,ESCÓRIA DA SOCIEDADE ,LIXOS DO SISTEMA,LIDAM COM AS LEIS E SÃO MAIS BANDIDOS QUE OS BANDIDOS QUE PRENDEM E PIOR MUITAS VEZES FORJAM PARA ACOBERTAREM O CRIME QUE COMETERA.

    COITADO DOS POUCOS BONS POLICIAIS QUE RESTAM EM AMBAS INSTITUIÇÕES,ESTÃO ALOPRANDO .

    Acho que tem gente ganhando bem até demais pelo o serviço sujo que fazem. Como as coisas mudaram em ambas policias ,hoje não se dá mais para saber quem é quem .

    Até me esqueci de falar sobre caso Tayna!
    Se lembram da menina do parque,que fora estuprada e morta?

    Que até o filho e o dono do parque cederam esperma ,os coitados dos trabalhadores apanharam dos policiais para assinarem a suas carta sentenças,e eu disse em casa,aí tem,quem me garante que não FORA POLICIAIS ?!

    DITO É FEITO ! CORJA PODRE ,ESSA SEMANA TIVERAM QUE CEDER ESPERMAS !

    FAZER O QUE NÉ ,NESSE MUNDÃO GOVERNADO POR HOMENS IDOLATRAS,O MAL SEMPRE CONVENCE ,OS BONS MOÇOS TRAVESTIDOS DE CORDEIROS CONSEGUEM LUDIBRIAR A TODOS ,MENOS A MIM!

    http://www.gazetadopovo.com.br/vidaecidadania/conteudo.phtml?id=1408175&tit=Delegado-e-policiais-sao-suspeitos-no-caso-Tayna

  38. PAGA PAU DE POLÍTICOS ,ELES AMA O POVO,A TÁ ! POLICIAIS CIVIS E MILITARES QUE NÃO COMEM MERDA DOS PODEROSOS DO ALTOS ESCALÃO ,DOS SINDICATOS E ASSOCIAÇÕES QUE DEPENDEM DOS DESCASOS E DAS MAZELAS DE VOCÊS PARA SE MANTEREM EM SEUS CARGOS,PARA TEREM MOTIVOS PARA LHES PEDIREM VOTOS E OU VENDEREM SEUS PLANOS ,ACORDEEEEMMMMM .

    Claro que eles não irão dizer,olha POLICIAIS QUANTO MAIS VOCÊS SE FEDEREM MAIS EU GANHO COM ISSO,CLARO QUE ELE DIRÃO O QUE VOCÊS QUEREM OUVIR, SE FALAREM DE FATO O QUE PENSAM E O QUE QUEREM E O QUE PRECISAM PARA PROSPERAREM EM SUA VIDAS ,QUE É DESGRAÇA DA MASSA,ELES NÃO SERÃO ELEITOS,ASSIM COMO QUANDO EU COMENTO VERDADES TODOS ME CRITICAM,POR QUE/

    PORQUE É VERDADE E VERDADE DÓI,VERDADE INCOMODA,UMA VERDADE COMPROVADA É PIOR QUE UMA MENTIRA MAL CONTADA E DEPOIS DESMASCARADA.

    MEU DEUS FIQUEI CHOCADA COM ESSA FOTO,EMBORA APARENTA SER UM DESRESPEITO,UMA ATITUDE AGRESSIVA,NEM SEI DIREITO ME EXPRESSAR,POSSO DIZER QUE ELE ESTA COBERTO DE RAZÃO !

    Mas que o SISTEMA É PODRE E FALIDO ,ISSO NÃO É DE HOJE NOBRE MINISTRO !

    MUNDO CÃOOOOOOO COMO DIZ GERALDO LUIZ !

    https://www.facebook.com/photo.php?fbid=468422919932181&set=a.335914903182984.79195.100002934311524&type=1&theater

  39. enquanto não vir a remuneração adequada para investigadores e escrivaes que a lie já manda, como vamos exigir toda a polícia com nível superior se ainda possuímos carreiras de primeiro grau ?
    è necessário cumprir a lei, exige-se cumprir a lei, e depois, passar todas as carreiras para segundo grau e após, todas para nível superior, cumprindo assim as exigências legais e assim a devida valorização de todos, aí sim teremos uma polícia verdadeira de nível superior e funcionários novos, contratados com nível superior.

  40. Eu conheço muitos investigadores que não sabem nem escrever, na Seccional Sorocaba tem um que não dirige e diz que não tem carteira de motorista que dirá, nível superior… Piada né

  41. PIADA,PÕE PIADA NISSO,TEM POLICIAIS QUE ENTRARAM COM O ANTIGO MOBRAL E O MADURESA disse:

    Enquanto não for para todos não vai acontecer… disse:
    16/09/2013 ÀS 18:39
    Eu conheço muitos investigadores que não sabem nem escrever, na Seccional Sorocaba tem um que não dirige e diz que não tem carteira de motorista que dirá, nível superior… Piada né

    PÕE PIADA NISSO,TEM POLICIAIS que entraram com o antigo madureza ,mas ainda acho mais louvável,porque tem POLICIAIS entrando com apadrinhamento até no Barro Branco,

  42. Precisamos da reestruturação das carreiras ( menos careira possível ), planos de carreiras, aposentadoria especial, vamos pedir aos deputados para votarem a PLC 23/09, Essa é muito importante pra todos.

  43. NÃO SOU MELHOR DO QUE NINGUÉM E QUE DEUS ME FULMINE CASO EU MUDE DE IDÉIA….
    O QUE AFUNDA A POLÍCIA CIVIL É ALGUNS SE ACHAREM MELHORES OU MAIS IMPORTANTES DO QUE OUTROS.
    MAS ISSO É DO SER HUMANO, ESSE BICHO MEDÍOCRE…

  44. ATENÇAO!!!

    Mensagem do Delegado Geral de Polícia – 16/9

    Prezados Policiais Civis,

    Em apoio às reivindicações que estão sendo apreciadas pelo Chefe do Poder Executivo, a Polícia Civil recebeu, hoje, manifestação expressa do Chefe do Poder Judiciário, Excelentíssimo Senhor Desembargador Ivan Ricardo Garisio Sartori, que endereçou ao Exmo. Sr. Dr. Geraldo Alckmin ofício afirmando que “a atividade desenvolvida pela autoridade policial, na estrutura funcional do Estado, se qualifica como carreira jurídica”. Assim, o reconhecimento da carreira jurídica aos Delegados de Polícia, de acordo com Sua Excelência, “propiciará verdadeira valorização das autoridades policiais, fundamental para o funcionamento da organização institucional do Estado”.

    Luiz Mauricio Souza Blazeck

    Delegado Geral de Polícia

    Representando o delegado geral de polícia, Luiz Mauricio Souza Blazeck, nesta segunda-feira (16), os delegados Laerte Idalino Marzagão Junior, divisionário da Assistência Policial de Comunicação Social, da Delegacia Geral de Polícia Adjunta (APCS/DGPAd), e Fernanda Herbella Maia, assistente da APCS/DGPAd, estiveram no Tribunal de Justiça de São Paulo reunidos com o presidente do TJSP, o desembargador Ivan Ricardo Sartori, a quem levaram cópia da Moção do Conselho da Polícia Civil (divulgada ao público dia 12), que dispõe sobre o reconhecimento da carreira jurídica aos delegados de polícia, conforme o art. 2º da Lei 12.830/13.

    O desembargador ratificou o seu apoio, bem como o do TJSP, a esse pleito pelo reconhecimento da carreira jurídica dos delegados do Estado de São Paulo.

    Participaram ainda da reunião, o presidente da Comissão de Segurança Pessoal e de Defesa das Prerrogativas do TJSP, desembargador Waldir Sebastião de Nuevo Campos Júnior, e o chefe da Assessoria Policial Civil do TJSP, delegado Fabio Augusto Pinto.

    http://www2.policiacivil.sp.gov.br/x2016/modules/news/article.php?storyid=4578

  45. engraçado esses super tiras, tirando agetel,agente e carcereiro que qualquer um faz esse trampo, entao seus bostas porque vcs não assumem o trampo do restopol, seus merdas, gostei do aumento, governo provou que vcs também nao valem nada

  46. Esse frustrado aí acima deveria primeiramente aprender a escrever “MADUREZA”, para depois criticar outras carreiras, inclusive, a de Investigador de polícia.
    A que ponto chega a incompetência e a frustração. Estude e pare de falar mal da vida alheia!…
    Preste concursos melhores, mostre que você tem capacidade e não fique querendo atrapalhar o progresso dos outros…

  47. Restol por favor fiquem na delegacia fazendo BO durante a operação padrão.
    para mostrar que vcs sabem fazer.
    Assim a a partir da semana que vem o Escrivão poderá fazer flagrante e toca IP mais tranquilo.
    e investigador poderá ir para rua investigar e esclarecer crimes.Pois essa é a fome da sociedade.

  48. os servidores da DE trabalham na maior apressão, a chefe de lá, alem de ser ríspida se acha dona do lugar. São obrigados a fazerem 200 BO’s por plantão, na constante ameaça de tomar ripa pro DKP

  49. Escriludida com outro e-mail disse:
    16/09/2013 às 20:11
    http://www2.policiacivil.sp.gov.br/x2016/modules/news/index.php?storytopic=1

    Escriludida com outro e-mail disse:
    16/09/2013 às 20:22
    Acessem o logo acima, é importantíssimo principalmente para os Escrivães e Investigadores. Tentei copiar e colar, várias vezes, sem êxito. Parece que a valorização da CJ para os Delpols vai sair brevemente. E consequentemente, como efeito cascata logo sairá também a valorização em R$r$r$ para os ocupantes das carreiras de Escrivão e Investigador. Tudo a seu tempo, o importante é não nublar as consquistas alheias e sim, ter foco no próximo passo, para que todos nós ocupantes dos cargos da polícia civil, tenhamos um salário descente, isso não quer dizer “todo mundo ganhar igual, cada um em seu quadrado”.

  50. VEIO DESCULPA AÍ,MAS UM ERRO NÃO JUSTIFICA O OUTRO ,FOI UM LAPSO,PELO MENSO EU NÃO REGISTRO BOS TCs E NEM IMPONHO RESPEITO,MORAL E LEIS A NINGUÉM SEM TER CONDIÇÕES PARA TANTO ,HEHEHE!

    QUANDO UM BURRO ESCREVE O OUTRO ABAIXA A ORELHA!

    E SE A CARAPUÇA SERVIU NÃO TENHO CULPA ,E DO MAIS APENAS APOIEI OUTRO COMENTÁRIO !CADA UM NO SEU QUADRADO E OUTROS NO CHILINDRÓ POR DESVIOS DE CONDUTA QUE É PIOR QUE ERRO DE PROTUGA NÉ?!

  51. 16/09/2013 ÀS 20:53
    VEIO DESCULPA AÍ,MAS UM ERRO NÃO JUSTIFICA O OUTRO ,FOI UM LAPSO,PELO MENSO EU NÃO REGISTRO BOS TCs E NEM IMPONHO RESPEITO,MORAL E LEIS A NINGUÉM SEM TER CONDIÇÕES PARA TANTO ,HEHEHE!

    QUANDO UM BURRO ESCREVE O OUTRO ABAIXA A ORELHA!

    E SE A CARAPUÇA SERVIU NÃO TENHO CULPA ,E DO MAIS APENAS APOIEI OUTRO COMENTÁRIO !CADA UM NO SEU QUADRADO E OUTROS NO CHILINDRÓ POR DESVIOS DE CONDUTA QUE É PIOR QUE ERRO DE PROTUGA NÉ?!

  52. QUE MERDA VOU COMEÇAR A CORRIGIR ,SE NÃO A BI VÃO ALOPRAR AQUI,TANTA COISA PIOR COMO COMEREM MERDA DO PICOLÉ DE XUXU E TEM GENTE CORRIGINDO PORTUGA ,PIOR QUE A BURRICE É A COVARDIA ,A OMISSÃO O PELEGUISMO . disse:

    QUE BOSTA TÁ FODA ,ERRANDO TUDO MESMO !RSRSRS

    VEIO DESCULPA AÍ,MAS UM ERRO NÃO JUSTIFICA O OUTRO ,FOI UM LAPSO,PELO MENOS EU NÃO REGISTRO BOs TCs E NEM IMPONHO RESPEITO,MORAL E LEIS A NINGUÉM SEM TER CONDIÇÕES PARA TANTO ,HEHEHE!

    QUANDO UM BURRO ESCREVE O OUTRO ABAIXA A ORELHA!

    E SE A CARAPUÇA SERVIU NÃO TENHO CULPA ,E DO MAIS APENAS APOIEI OUTRO COMENTÁRIO !CADA UM NO SEU QUADRADO E OUTROS NO CHILINDRÓ POR DESVIOS DE CONDUTA ,QUE É PIOR QUE ERRO DE PORTUGA NÉ?!

  53. Po se o agetel faz varios B O por dia entao nao somos tao inuteis heim… Janeirao Tem 160 indo pra acadepol e eu to incluso ajuajauah eu queria ser Charlie independente do cargo pq achava q policia eh policia sendo agetel, tira, papi, ou carcepa… mas to vendo q existe um preconceito idiota, e por isso vou fazer meu trabalho certinho, estudar pra delta e cuidar da minha vida… Queria msm ir pra rua mas como a PC tem 14 carreiras fica dificil entrar na desejada. Mas tudo bem, se eu cair numa DE vo digitar legal rsrs quem sabe nao poupo o trampo d algum preconceitouso jogado num DP da vida rrrs. Policia eh policia poha! Parem d peleguice

  54. 23 MOTIVOS PELOS QUAIS O POLICIAL MILITAR É DIFERENTE DE OUTRAS PROFISSÕES( TENENTE PAZ- ASSESSOR DO DEPUTADO ZICO PRADO)
    1. O exercício da cidadania ativa dos policiais militares é afetado, no sentido do conjunto de direitos, deveres e participação nas mudanças sociais por uma sociedade mais justa, igualitária, fraterna e solidária, apesar da primazia do artigo 1º, II, da Constituição Cidadã, fundamento do Estado Democrático de Direito;
    2. A dignidade da pessoa humana dos policiais militares é afetada no cotidiano desses profissionais, com iniludível afronta ao disposto no artigo 1º, III, da Constituição Federal, princípio fundamental do Estado Democrático de Direito;
    3. Não há prevalência dos direitos humanos, com previsão no artigo 4º, II, da Constituição Federal, em se tratando de policiais militares. Aliás, governantes, políticos, organizações da sociedade civil, Igrejas e organizações de defesa de direitos humanos chegam a subverter a escala de valores, reduzem o conjunto dos direitos humanos a uma simples relação polícia-bandido, e usam os direitos humanos como se fossem cassetete para bater na cabeça dos policiais militares e transformam delinquentes em mocinhos e os policiais militares em bandidos;
    4. A mulher policial militar, mesmo sujeita a dupla jornada como as demais mulheres brasileiras, contudo não gozam do direito à redução do tempo de serviço para fins de aposentadoria, em flagrante violação à inteligência do dispositivo constitucional insculpido no artigo 40, § 1º, III, “a”, da Constituição Federal, porquanto passam para a inatividade voluntariamente, com o mesmo tempo de serviço do homem policial militar;
    5. É proibido ao policial militar o exercício de outras atividades remuneradas, inclusive a de professor;
    6. É proibido ao policial militar filiar-se a sindicato, com inegável prejuízo à categoria de lutar por seus direitos, nos termos do artigo 142, § 3º, CF;
    7. É negado ao policial militar o direito de greve, fragilizando a categoria nas negociações sobre benefícios trabalhistas, conforme artigo 142, § 3º, da CF;
    8. É proibido ao policial militar filiar-se a partido político, afetando seu direito fundamental ao exercício da cidadania, em face do artigo 142, § 3º, da CF;
    9. Os policiais militares estão sujeitos à demissão do cargo público, caso tenham menos de 10 (dez) anos de serviço e se candidatem a cargo eletivo, em face do que dispõe os dispositivos dos art. 14, § 8º, c. c. o art. 42, § 1º, da CF;
    10. Os policias militares, em sendo eleitos a cargo eletivo, são transferidos ex ofício para a inatividade, no ato de sua diplomação, encerrando precocemente a carreira militar, conforme os artigo 14, § 8º, II, c. c. o artigo 42, § 1º, da CF;
    12. Ao policial militar é negada a garantia constitucional, assegurada pelo habeas corpus aos demais cidadãos brasileiros, no caso de privação da liberdade de ir e vir, causada por punição disciplinar, em face do artigo 142, § 2º, da CF;
    13. O policial militar é agregado, com perdas na carreira, caso seja comissionado em cargo, emprego ou função pública civil, conforme institui o artigo 142, § 3º, III, da Constituição Federal;
    14. O policial militar é rotineiramente empregado à noite, porém é privado do direito ao adicional noturno, assegurado pelo artigo. 7º, IX, da CF, aos demais trabalhadores brasileiros, em face do disposto no artigo 142, § 3º, VIII, da CF;
    15. O policial militar é obrigado a cumprir horas extras de trabalho, rotineiramente, contudo, é privado de receber a remuneração correspondente, conforme direito trabalhista previsto no artigo 7º, XVI, da CF, em face do disposto no artigo 142, § 3º, VIII, da CF;
    16. Ao policial militar é negado o direito constitucional da livre manifestação do pensamento, da crítica e da opinião, em contradição à garantia constitucional, consagrada no artigo 5º, lll, da Carta Cidadã;
    17. O policial militar é empregado diuturnamente em atividades perigosas, insalubres e penosas;
    18. Milhares de policiais militares já foram vítimas de violência, tornando-se paraplégicos e tetraplégicos, porém tratados com descaso pelo Poder Público e ignorados pela sociedade;
    19. Milhares de policiais procuram viver no anonimato, escondendo sua condição de policial militar, onde moram, para não colocarem a própria vida e a de seus familiares sob o risco de morte. Contudo, não contam com a proteção dos governantes e do Estado, nem com apoio e solidariedade da sociedade;
    20. Segundo estudos e pesquisas acadêmicas, cerca de 38% (trinta e oito por cento) dos policiais militares do Estado de São Paulo sofrem de transtorno mental, vítimas de sofrimento invisível, devido às condições institucionais, de trabalho e de vida adversos, um dos índices mais elevados do mundo, afetando inclusive a própria identidade. Mata e mata-se;
    21. Segundo estudos e pesquisas acadêmicas, os policiais militares exercem a profissão mais estressante do Estado de São Paulo. Estão submetidos cotidianamente a 77 (setenta e sete) fatores de estresse, causando-lhes descompensação psíquica, angústia, estresse e elevado sofrimento invisível;
    22. No Estado de São Paulo, os policiais militares estão submetidos a condições de verdadeira guerra civil, ou seja, em nenhum país do mundo matam mais policiais militares do que no Estado de São Paulo. Em 2012, foram 106 (cento e seis) policiais militares assassinados por delinquentes, muito deles executados a mando do crime organizado, além de centenas de feridos à bala. Muitos policiais militares vítimas da violência ficam presos a cadeiras de roda, paraplégicos e tetraplégicos. Os bandidos comemoram o assassinato de policiais militares, com churrascada, bebida, drogas e sexo. O Poder Público, os governantes, as Igrejas e a sociedade civil ignoram e se omitem completamente diante dessa barbárie criminosa, em desfavor dos policiais militares, do Estado e da própria sociedade;
    23. A dignidade da missão e das atividades dos policiais militares na preservação da ordem pública e no provimento da segurança pública é desqualificada e tratada com descaso, humilhação, preconceito e discriminação pela opinião publicada, elite governante e elite dominante da sociedade brasileira.

  55. Agetel, se voce quer ir para rua, faça concurso e passe para investigador ou agente policial. É isso que tem que entender. Se voce prestou para agetel tem que ficar na funçao apropriada, ou seja, na sala de meios, cepol, etc. Isso que muita gente nao entende, mesmo se voce for mais “cana dura” que linha de frente “investigador e agepol” voce sempre será um AGEPOL, entendeu. Nao é preconceito é cada macaco no seu galho. Eu sempre quis ir pra rua e só prestei concurso para investigador, se nao fosse investigador nao seria de outra carreira. O que nao pode acontencer é o carcereiro na rua dano cana e o investigador no plantao porque o carcereiro é amigo do chefe, titular, etc, mesmo que esse carcereiro seja melhor que o tira, afinal, nao é culpa do investigador cana zero e sim de quem deixou ele passar no concurso.

  56. TUDO FORA!

    DETRAN FORA DO AR

    PRODESP TAMBÉM……

    E aqui na OESTE ronda até uma hora da manhã, pode isso?????? VERGONHA

  57. TUDO AO SEU TEMPO!!!

    1Tudo tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo o propósito debaixo do céu.

    2Há tempo de nascer, e tempo de morrer; tempo de plantar, e tempo de arrancar o que se plantou;

    3Tempo de matar, e tempo de curar; tempo de derrubar, e tempo de edificar;

    4Tempo de chorar, e tempo de rir; tempo de prantear, e tempo de dançar;

    5Tempo de espalhar pedras, e tempo de ajuntar pedras; tempo de abraçar, e tempo de afastar-se de abraçar;

    6Tempo de buscar, e tempo de perder; tempo de guardar, e tempo de lançar fora;

    7Tempo de rasgar, e tempo de coser; tempo de estar calado, e tempo de falar;

  58. Se o Delegado não habilitar o sistema RDO , ou seja , não colocar de quem se diz “restopol”, nada é feito, nem Escrivães e Investigadores conseguiriam fazer BOS quanto mais os ditos “restopol” que sequer sabem escrever direito, normalmente dizem nunca saber fazer nada, só querem dicar na sombra dos demais.
    Não sejam contra as demais carreiras, pois no final também serão beneficiados com nível segundo grau e quiça depois superior, é só esperar como os que vocês dizem ser NU já esperaram por cerca de 20 anos.

  59. TIRADO

    Essa diferenca q vc ve entre as carreiras eh simsplesmente pela funcao, atribuicao operacional, e nao pelo cargo na carteira, as vezes o carcepol tem mais aptidao pra investigar do q o ip mas isso so acontece Pq a pc ta divida em 14 cargos. o correto seria vc entrar num cargo e ir subindo, ou entrar num cargo e poder passar pelo setores sem problemas ou no caso, sem DESVIO DE FUNCAO pq assim todos entram no msm cargo e cada um acha a funcao desejada, passei no meu 3 concurso, fiz ip ep e passei agetel. Vc msm sabe a letargia e a ma vontade governo pra abrir vagas, alem disso tem 14 carreiras, eu nao ia ficar a vida toda estudando. agora concurso eh so pra delegado mas torco pra q reestruture er mas nem vo ficar esperando pra v,

  60. Agetel, so em 2014, tb sou excedente deste concurso. Mas vou dizer pra vc não acreditei que iriam nos chamar não e continuei estudando ( pois qui é como diz o Silvio Santos: eu só acredito vendo!) e estou bem encaminhado nos de Agente e Investigador. Isso que vc disse aí é verdade, a polícia deveria ser assim mesmo, estilo em outros países, como EUA, por exemplo, em que o policial vai subindo na profissão, assim ele tem plano de carreira. Mas como aqui é Brasil, isso é uma Utopia. Então prefiro mesmo entrar logo no de Investigador que sempre foi meu sonho! Abraço. Nós vemos na Acadepol.

  61. Será que todos os delegados sabem como fazer a habilitação se sua equipe para acessar o RDO?

    bosta disse:
    17/09/2013 às 18:28
    Se o Delegado não habilitar o sistema RDO , ou seja , não colocar………………….

  62. Senhores!!

    Estou sentindo que está havendo um crescimento no interesse dos policiais civis de SP para que venha ocorrer a tão esperada REESTRUTURAÇÃO!! O que os senhores me dizem, é isso mesmo, ou estou sendo otimista demais?

  63. É a coisa mais engraçada do mundo ver alguns Agetels inúteis reclamando de tiras e escrivães. PRIMEIRO: carreira sem representatividade; SEGUNDO: a maioria tem escalas onde trabalham uma vez por semana; TERCEIRO: onde existem Plantões e setor de telecomunicações, o agente de tele só serve pra dormir a noite inteira; QUARTO: Alguns não sabem ligar um computador ou configurar uma máquina na intranet; QUINTO: ganham mais que tira e escrivão e não fazem 1/10 do serviço feito por eles. Por quê até agora os senhores que ainda ganham mais que as outras carreiras não reclamaram? Se tira e escrivão almejam pelo NU é porque merecem. Tem tira preguiçoso? Tem. Tem escrivão preguiçoso? Tem. Tem agetel preguiçoso? De monte. Agora parem de encher o saco e lutem também pelos seus direitos, parem de críticas, descruzem os braços e façam algo de útil. Parem de viver nas sombras e tentem agir como homens e mulheres que realmente almejam melhoras e as façam por merecer. Antes de criticar, vamos olhar para carcereiros, agentes e ver que, esses sim poderiam estar reclamando, pois há muito tempo deveriam ganhar como vocês ganham, pois de todas as carreiras da Polícia Civil (com exceção aos Delegados), vcs são os que melhor ganham e até agora ninguém veio encher o saco de vcs. Trabalhem mais, honrem a Instituição em que estão e parem de reclamar sem nada fazer.

  64. Uma salva de Palmas ao Sr. Delegado Geral de Polícia e Secretário, além dos meus sinceros agradecimentos ao Ex- Secretário de Segurança Pública e aos Invejosos e Antidemocratas PMs que se mostram contrários ao cumprimento da Lei : Paulo disse:
    16/09/2013 ÀS 10:43
    Senhores e Senhoras Policiais Civis do Estado de São Paulo:

    Peço a todos os Policiais Civis, independente de carreira, que ao avistarem o Sr. Delegado Geral de Polícia ou porventura o Sr. Secretário de Segurança Pública adentrando ao Palácio da Polícia ou em outro Departamento, que se manifestem através de uma salva de palmas, cuja finalidade maior será o reconhecimento e incondicional apoio de todos os Policiais Civis em prol do resgate de nosso BRIO e DIGNIDADE.
    Quando adentrei aos quadros da Polícia Civil através do concurso I.P.-88, tive a Honra de ter trabalhado sob a batuta de um Delegado de Polícia chamado Dr. Mitsuyuki Taniguchi. Recordo-me que no início da década de 90, o Delegado de Polícia Divisionário do DEIC, (que hierarquicamente é superior ao Delegado Supervisor), se deparou com uma viatura do Garra estacionada em frente ao bar, que ainda se encontra localizado no mesmo lugar, próximo a garagem Alfredo Issa. Após o desempenho de um ridículo e indigno papel para um homem, além de sê-lo para um Delegado de Polícia Divisionário, fez questão de “se mostrar” perante todos os presentes, recolhendo os três policiais do Garra do DEIC., pra bem longe…
    No Garra, fazia parte do mesmo grupo dos policiais “recém-recolhdos”. Estava chegando à Base, no oitavo andar, para à confecção do meu relatório de Ronda quando ouvi o Dr. Taniguchi gritando: “Rambo”, “Rambo”, “Hugo,” “Hugo”… Quando me viu, estando reunido com os três policiais “ripados” pelo Divisionário, me perguntou: “Sr. Paulinho, quem manda no Garra” e eu prontamente respondi: “ o Sr.” Um dos Policiais disse: “…mas Dr., foi o Divisionário que nos recolheu.” Nesse momento, o Dr. Taniguchi passou as mãos sob os cabelos, e eu prontamente disse ao meu colega, “mas no Garra, é o Dr. que manda.” Ele fez o seguinte som: “hummmmmmmmmmmm” e disse: “seu Paulinho, pega a viatura. Vamos devidamente equipado,( entenda-se: sub-metralhadora beretta 9mm e 45), que eu vou mostrar praquele … quem é que manda no Garra .” Ele ainda ligou e tentou falar com o Divisionário. Não conseguindo disse à sua secretária: “diga que o Taniguchi está indo ai pra quebrar a cara dele.” Confesso aos Senhores que há 22 ou 23 anos, com a imaturidade da idade, eu pensava como cumprir a ordem do Dr. Taniguchi: “…seu Paulinho, se ele não se retratar com Taniguchi, não deixa ninguém se meter, porque ele vai ver quem manda no GARRA.” E eu, louco pro bicho pegar, e se possível, distribuir algumas caneladas de brinde no velho estilo kyokushin, aos puxa-sacos de plantão (que sempre existiram, desde que o mundo é mundo). Para encerrar: o Divisionário, que era faixa preta de karaté, não estava no Deic. Ah, o mais importante: – nenhum dos três policiais foi recolhido do Garra.
    Traço a história acima para demonstrar que o brio que havia entre nós está sendo resgatado nesse histórico momento, como uma Fénix renascida das cinzas. Por isso peço tal atitude aos Senhores e Senhoras, não me esquecendo de agradecer o Ex- Secretário que teria nos classificado como ineptos e letárgicos, bem como a alguns pms que não querem a aplicação e o cumprimento da Lei. É compreensivo não terem entendido que a Lei tem de ser cumprida, porque concorreram em um disputado concurso de Segundo Grau, com milhares de outros jovens, para ingresso no Barro Branco, aonde com certeza, tiveram inúmeras e incontáveis aulas de ordem unida, técnicas de patrulhamento preventivo ostensivo, educação física, armamento e tiro, comando de operações especiais, técnicas de comando e sobrevivência na selva, e tantos outros inerentes à sua atividade fim, faltando a meu ver, com todo o respeito, conceitos básicos na Área de Direito.
    Após o reconhecimento salarial da Carreira Jurídica e do nível universitário para quem as obteve através da Lei (como ocorreu com os peritos criminais), deveremos brigar para que o menor salário do Policial Civil esteja atrelado a 70% dos vencimentos do policial de nível universitário.
    Portanto, senhores e senhoras policiais vamos nos unir pois, “a Batalha só termina para o soldado que morre.”
    Respeitosamente:
    Paulo – Investigador de Polícia

    PARCEIRO…. Sabe essa Polícia Civil aí, nunca mais!!!

O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade civil e penal do comentarista que venha a ofender, perturbar a tranquilidade alheia, perseguir, ameaçar ou, de qualquer outra forma, violar direitos de terceiros.O autor do comentário deve ter um comentário aprovado anteriormente. Em caso de abuso o IP do comentarista poderá ser fornecido ao ofendido!...Contato: dipol@flitparalisante.com

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s