João Alkimin: indigência da Polícia Civil 14

  1. febrabanÉ o fim do mundo, o Investigador de Policia do GARRA DEIC Alexandre que esteve na operação que desbaratou a quadrilha de roubos de caixas eletrônicos foi ferido com um tiro de fuzil no braço direito tendo corrido o risco de ter o braço amputado , estando no momento internado recebeu a visita do Governador que diga-se de passagem não fez nada mais que sua obrigação , mas o Delegado Geral e o Secre…tario de Segurança Publica ate agora não deram o ar de sua graça . Quem não tem sensibilidade para visitar um integrante da própria tropa ferido no cumprimento do dever não merece estar nos cargos que estão pois demostra de forma inequívoca que os Policiais estão abandonados , sem apoio ou reconhecimento , vergonhosa também a indigência da Policia Civil e incompetência da chamada Administração Superior pois permitir-se que não aja combustível para abastecimento das viaturas e manter-se o Diretor DAP chega as raias da prevaricação, mas o racionamento não e para todos, a DGP continua enchendo os tanques das viaturas de representação normalmente.


João Alkimin

————————————

( Flit:  Quem será que pagou o combustível para a operação em Minas Gerais ? )

 

MERCENARISMO POLICIAL – DEIC de São Paulo coadjuva operação milicianesca a soldo da FEBRABAN…Deixaram que os ladrões iniciassem a execução do assalto sequencial com o fim de executá-los sumariamente …Resultado: um inocente morto! 50

Refém está entre mortos após roubo a banco em Minas, diz delegado

DHIEGO MAIA
DE SÃO PAULO

24/02/2014 23h00

Uma das nove pessoas mortas em confronto com policiais civis, no último sábado (22), em Itamonte (sul de Minas Gerais), não integrava a quadrilha de assaltantes a bancos.

Investigação da Polícia Civil apontou nesta segunda-feira (24), que o professor Silmar Madeira, 31 – morto com um tiro nas costas -, foi feito refém durante a fuga de parte da quadrilha.

Fortemente armada, a quadrilha – composta por 15 suspeitos – pretendia explodir caixas eletrônicos de bancos da cidade mineira. O grupo acabou surpreendido por policiais –a operação envolveu 40 policiais civis de Minas e 40 de São Paulo.

Um caixa eletrônico chegou a ser explodido, e o dinheiro que estava no equipamento bancário roubado pelo grupo.

De acordo com Ruy Ferraz, delegado-titular de crimes contra o patrimônio, do Deic (Departamento Estadual de Investigações Criminais), de São Paulo, o professor foi feito refém por dois suspeitos que conseguiram fugir a pé do cerco da polícia.

“O professor deixava a casa da namorada em um veículo por volta das 2h15. A residência fica próxima de uma das agências bancárias atingidas. Os bandidos o renderam e o forçaram a dirigir para fora da cidade”, informou Ferraz.

Henrique Costa/Sigmapress/Folhapress
Policiais no centro de Itamonte (no sul de MG) trocam tiros com quadrilha de rouba a bancos; ação terminou com nove suspeitos mortos
Policiais no centro de Itamonte (no sul de MG) trocaram tiros com quadrilha de rouba a bancos

Para impedir a fuga dos suspeitos, a polícia montou uma barreira com uma carreta atravessada no meio da rodovia BR-354, na saída de Itamonte.

No local, segundo Ferraz, houve troca de tiros entre policiais e os suspeitos que faziam Silmar refém.

“Os policiais conseguiram acertar um dos criminosos que tinha ‘maior poder de fogo’. O outro suspeito e o professor saíram do veículo. No tiroteio, eles acabaram sendo atingidos e mortos ali mesmo”, explicou o delegado.

Além dos suspeitos e do professor mortos, um investigador do Deic acabou ferido no local.

Apenas perícia deverá apontar se o tiro que matou o professor foi disparado pelos criminosos ou saiu de uma arma dos policiais.

“Até então, não sabíamos que Silmar era vítima. Lamentamos muito”, afirmou o delegado.

Além dos suspeitos mortos durante o certo, cinco foram presos e um ainda está foragido.

INVESTIGAÇÃO

As investigações sobre o caso estão sob responsabilidade das Polícias Civis de Minas Gerais e São Paulo. Isso porque a quadrilha agia nos dois Estados.

Os criminosos estavam sendo monitorados pela polícia havia oito meses.

Ainda de acordo com a polícia, o que se sabe até agora é que a quadrilha tinha habilidade e treinamento para explodir caixas eletrônicos.

“Eles utilizavam uma comunicação perfeita”, disse Ferraz.

Há três meses, caixas eletrônicos de Itamonte foram explodidos.

A polícia quer saber se o grupo desarticulado na mesma região tem participação em outros crimes.

————————————————————–

A OPERAÇÃO POLICIAL FOI UMA GRANDE MERDA…

UM INOCENTE MORREU…NÃO INTERESSA DE QUE ARMA SAIU O TIRO!

QUE SE FODA O DINHEIRO DOS BANCOS! 

Leiam como cães fardados se referem ao delegado agredido e a toda Polícia Civil…Pior: ainda tem quem alise a PM dizendo que a covardia do tenente da ROTA não representa a instituição 79

Snap 2014-02-24 at 08.43.26Enviado em 24/02/2014 as 0:55

COMENTÁRIOS EXTRAÍDOS DO PERFIL DO TENENTE GUILHERME DERRITE. LEIAM E TIREM SUAS PRÓPRIAS CONCLUSÕES.!!

to andando e cagando para o delegado !!! não sabe trabalhar !quem dar mole para marginal , marginal é !
Curtir · Responder · 13 · há ± 1 hora · Editado

Euclides Rufino embora a rota mereça todo o nosso respeito e nossos agradecimentos. nao devemos desvalorizar nem menosprezar os policias militares de nossa cidade pq quando ligar 190 serão eles q viram por suas vidas em riscos por nos…..
Curtir · Responder · 7 · há 8 horas

Fernando Canassa delegado vagabundo é foda, ainda tem que chorar pro secretário pq não aguenta… policial civil é uma raça de preguiçoso mesmo, sei como são
Curtir · Responder · 9 · há 8 horas

Rafael Souza esse delegado deve ter envolvimento com o crime com certeza
Curtir · Responder · 4 · há 7 horas

Debora Esteves Briguinha ridícula…tá provado que quem gosta disto é bandido!!!! Enquanto houver estes desentendimentos ridículos quem sai ganhando é a bandidagem!!!
Curtir · Responder · 4 · há 8 horas

Jocafe Magalhaes a policia civil e fraca e não tem mínimo de respeito com a população , quem carrega a carga pesada e a Policia Militar que da total apoio quando discamos 190 ! parabéns a Rota !
Curtir · Responder · 4 · há 8 horas

Rafael Lima Delegado com acerto com ladrão. É pior que o próprio ladrão. A guarnição de Rota deveria ter dado voz de prisão ao Delegado.
Curtir · Responder · 4 · há 8 horas

Marcus Vinicius se for apurar a fundo esse caso….esse delegado estara na rua….ta na cara neh o que aconteceu..
Curtir · Responder · 4 · há 9 horas

Andréa Martines kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk adoroooooo ROTA EU AMO VC kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
Curtir · Responder · 6 · há 9 horas

João Paulo Gabriel DeSena Pois, quem já precisou ir a uma delegacia sabe o que o tenente passou.
Curtir · Responder · 3 · há 8 horas

Silvio Bages No mínimo o delegado se sentiu humilhado perante a ação da rota em Rio Claro, fez o que é de obrigação da polícia civil fazer, vai ser só a rota vir embora que tudo vai voltar a normalidade nessa cidade, bandidos na rua, delegado de boa sem esquentar a cabeça c/ investigação, só sombra e água fresca c/ a bunda colada na cadeira.
Curtir · Responder · 3 · há 8 horas

Guilherme Lhul ta certo o tenente mesmo, a PM prende e os delegado soltam, duvido esse soltar alguém denovo heuheuheuheu
Curtir · Responder · 3 · há 8 horas

Fabiano Don Cognolato ROTA chegou e acabou com a Mamata dos Policiais Civis na arrecadação e extorção do dinheiro do Tráfico. Daí o Delegado Aroldo Cesário Diniz quis enfrentar um Oficial de ROTA, ele só esqueceu que não é qualquer um que Enverga e Ostenta um Braçal do Tobias Aguiar no Braço Direito, e o Tenente Costa Lopes mostrou à ele oque quer dizer a Escrita no Pátio principal do Batalhão Tobias Aguiar: “A ROTA É RESERVADA AOS HERÓIS”!!! Esse mês vai ter Policial Civil em Rio Claro pedindo dinheiro emprestado pra Agiota pra pagar suas contas, pois com a ROTA na Cidade, a Corrupção realmente é combatida!!!! **ROTA**
Curtir · Responder · 4 · há 7 horas

Jeremy Pereira Na minha opinião isso chamasse preguiça de executar o serviço, que fora incumbido ao delegado, portanto acredito que se a pessoa não quer fazer seu trabalho pede para deixar o cargo!!! e vai se dedicar a fazer outra coisa …tipo paisagismo !!!!!!
Curtir · Responder · 2 · há 7 horas

Maria Gorete Vanoni Ruggiero Parabéns à ROTA!!! Já que o delegado não cumpriu seu dever então alguém o fez.
Curtir · Responder · 2 · há 7 horas

Rodrigo Ribeiro Delegado pau mandado … desculpe o palavrão … mas a ROTA é FODA … esse batalhão é o MÁXIMO …
Curtir · Responder · 2 · há 8 horas

Eliezer Martins Só assim deixa de ser folgado. rs
Curtir · Responder · 2 · há 8 horas

Fabio Rodrigo de Melo Moro em Rio Claro. As ruas ficaram mais tranquilas com a Rota aqui.
Curtir · Responder · 2 · há 8 horas

Paulo Consul Cada caso é um caso não estava no lugar da ocorrência mas função da Rota era entregar o preso pra autoridade Policial e cabe a ele decidir o que fazer segundo colegas falto autoridade por parte do Delegado citado pois ele deveria ter dado voz de prisão ao tenente por agressão e desacato repito não estava lá pra ver mas na Delegacia quem manda é autoridade Policial nao a Rota e olha que sou fã da Rota mas dessa vez extrapolou
Curtir · Responder · 2 · há 5 horas

Cristian Alvarenga Delegado recebeu dinheiro do fugitivo, como sempre fazendo o melhor para seu bolso.
Curtir · Responder · 2 · há 7 horas

Marcello Medina Infelizmente tem uns delegados que não respeitam os policiais militares, existe até uma reportagem no yuotube q o delegado xinga o PM de lixo, esses são os maus exemplos tinham q ser exonerados do cargo.
Curtir · Responder · 2 · há 7 horas

Erick Tufaniuk A P.M prende e a cilvil solta.
Devia existir so uma.policia no Brasil.
P.M e ponto final.
Curtir · Responder · 2 · há 8 horas

Daniel Belattor Quem solta é a LEI e não a Polícia Civil.
Curtir · 3 · há 8 horas
Eliseu Campos

Sérgio Alexandre o tenente da rota ta certo….foda se o delegado
Curtir · Responder · 1 · há 5 horas

Silvia Correia Bem estranha a atitude desse delegado.
Curtir · Responder · 1 · há 6 horas

Claudiney Antunes Esses “Papa c…, são foda,sabem q ñ tem competência de atuar como a ROTA, e então fazem isso procuram um jeito de prejudica los…
Curtir · Responder · 1 · há 7 horas

Nando Henrique Dos Santos A ROTA em pouco tempo, fez mais coisas do que esse delegado q conhece a cidade….não vou defender ninguém, mas ñ é fácil vc trabalhar c/ garra e dedicação, e na hr de apresentar um meliante a autoridade judiciária ocorrer desdéns.
Curtir · Responder · 1 · há 7 horas

Fernando Morais Defendendo vagabundo porrada nele também. Parabéns PM . Rotaaaaaaaa!!!
Curtir · Responder · 1 · há 7 horas

Fábio Waeteman Fáfa Só digo o seguinte: enquanto tivermos a rota para nos proteger ainda poderemos sonhar com um estado melhor para viver!
Curtir · Responder · 1 · há 7 horas

Nilson Machado Esse pessoal da Policia Civil (nem todos claro, mas são uma minoria) mas a maioria, atende mal o cidadão, são mal educados.
Curtir · Responder · 1 · há 7 horas

Coutinho Keep Walking Não pode facilitar a vida de vagabundo . O tenente deve ter comido o pão que o capeta amassou pra prender o vagabundo , e o delegado , por sua vez , liberou o individuo rapidamente . Não pode doutor ..
Curtir · Responder · 1 · há 7 horas

Adilson Alves Esse delegado deve está de coisinha com esse foragido, de não querer prender ele, não é normal, a Polícia Militar arriscar a vida nas ruas prendendo ladrão e ir para o D.P e o delegado não querer recolher o foragido ou até mesmo o criminoso.
Curtir · Responder · 1 · há 7 horas

Talita Novelli Também já fui muito destratada dentro de uma delegacia, pelo próprio delegado . É revoltante!
Curtir · Responder · 1 · há 8 horas

José Antonio A policia civil não presta só RM Goiás não é no País inteiro. O raça essa . A PM prende e esses preguiçosos não fazem nada. Parabéns Tenente pela iniciativa.
Curtir · Responder · 1 · há 8 horas

Patric Machado Bizerra Mas que tem Delegado folgado e que abusa da autoridade tem e muitos.
Curtir · Responder · 1 · há 8 horas

Vanderson Montanari Esses advogados macunado com Delegado
Curtir · Responder · 1 · há 8 horas

James Okypiter Pereira Falar é fácil !! Fique 12 horas num plantão de delegacia e aí chega a ocorrência quadrada !! Quero ver ter paciência
Curtir · Responder · 1 · há 8 horas

Rogerio Almeida Parabéns a ROTA, sou Fã n• 1 !!!
Curtir · Responder · 1 · há 8 horas

Flávio Smid Puxa saco da rota
Curtir · Responder · 1 · há 8 horas

Marcos Vinicius Era uma,vez um delegado…..
Curtir · Responder · 1 · há 9 horas

Felipe Monteiro A rota, está fazendo um excelente trabalho na cidade de rio claro. E paciência tem limite em relação ao delegado. parabéns pela atitude do oficial da pm…
Curtir · Responder · 2 · há 8 horas

Daniel Roman AQUI E ROTAAAAAAA
Curtir · Responder · 2 · há 9 horas

Sandro Moraes Esse manja dos Paranauê
Curtir · Responder · há 14 minutos

Sandro Moraes Poxa assistindo a um telejornal da Record vi um delegado tentando ofender e rebaixar um sargento que teve o jogo de cintura e colocou o delegado vagal no seu lugar o delegado falou: VC SOLDADO ESTÁ SUBORDINADO A MIM ENTÃO ME RESPEITE o Sgt mais esperto respondeu: EU ESTOU NA SUA DELEGACIA MAIS SUBORDINADO AO MEU SUPERIOR ENTÃO O SR NAO ME DESRESPEITE NA FRENTE DOS MEUS HOMENS. Então delegado baixou a cabeça e elaborou a ocorrência. Agora chega um outro delegado qualquer vagal e inútil querendo fazer média? Foi é pouco o que esse tenente fez deveria é ter quebrado os dentes do delegado.
Por isso que apoio Major Olimpio pra governador.

Volta DOPS.
Curtir · Responder · há 23 minutos

Eliene Ferreira Pimenta esta de parabéns o tenente da rota esses delegadinho se acha!!!
Curtir · Responder · há 43 minutos

Juninho Eugênio É um absurdo a forma q esses delegados de policia civil trabalham. Tem que levar sacode de Oficiais da gloriosa Policia Militar p aprenderem a trabalhar, pois criminoso é difícil de se prender!
Curtir · Responder · há ± 1 hora

Juninho Eugênio ados de
Curtir · Responder · há ± 1 hora

Ligia Marina Esse Delegado devia ter vergonha na cara e dar um atendimento especial para quem sai da Capital p ir cuidar da cidade dele… Mas pelo q vi ele não gostou mto da Rota comparecer e atrasar o lado dos marginais… Vá entender… Tem gente q corre junto…
Curtir · Responder · há ± 1 hora

Ramon Cruz Ta certo tenente coloca ordem nesta bagunça !!!
Curtir · Responder · há 2 horas

Roberto Pimenta Dos Santos Tenente, essa historia toda tem o objetivo de macular e denigrir essa nobre instituicao. Se essa “autoridade” fez bobagem, que aprenda a trabalhar fora desse marxismo todo e com quem entende e age: a nobre ROTA!
Curtir · Responder · há 2 horas

Jonas Tadeu Oliveira Quem quer respeito deve respeitar em primeiro lugar.

Alckmin gasta mais com propaganda do que com educação e segurança 35

Governo de SP gastou mais com publicidade do que com educação e segurança

Por Brasil Econômico - Gilberto Nascimento
O governo do Estado de São Paulo gastou em 2013 com publicidade R$ 238 milhões, segundo o portal Transparência. Este valor é duas vezes o total pago em investimentos na Secretaria de Educação do Estado (R$ 110 milhões). É mais do que os investimentos pagos, somados, nas secretarias de educação e segurança (R$ 108 milhões). Os valores não estão corrigidos. A Liderança do PT na Assembleia paulista encaminhará hoje ao secretário da Casa Civil, Edson Aparecido, pedido de informações sobre os critérios utilizados para a distribuição de recursos da publicidade oficial. O maior gasto foi justamente na Casa Civil: R$ 191 milhões. Segundo os números do PT, as despesas de publicidade do governo cresceram 141%, entre 2011 e 2013, saltando de R$ 99 milhões para R$ 238 milhões.
Nessa conta não estão incluídas os gastos de empresas independentes, como o Metrô, a Sabesp e a Dersa. O líder petista Luiz Cláudio Marcolino quer saber quem são os destinatários desses recursos, desde 2007, e se houve gastos de publicidade em publicações de circulação nacional. Pedidos de informações serão encaminhados também para o Metrô, Sabesp, Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano (CDHU), Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) e Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos. Em 2005, no terceiro ano da gestão anterior de Alckmin, foram gastos com publicidade R$ 67,5 milhões. No terceiro ano agora, houve um acréscimo de R$ 176 milhões. “Os gastos nada mais são do que uma tentativa de sobreviver a uma avaliação negativa da gestão pública”, diz Luiz Marcolino, líder do PT na Assembleia.
Professor aponta o poder das agências
Especialista em finanças públicas, o professor da Universidade de São Paulo (USP) Adriano Biava diz que o critério de pagamento do governo estadual revela quais são as prioridades da gestão. “Fica claro que as empresas de comunicação e propaganda têm um alto poder de barganha, ainda mais se considerarmos que estamos dentro de um ano eleitoral”, diz. Ele destaca que a ordem para efetuar os pagamentos não é decidida com base em critérios técnicos. O que não é pago em um ano fica como restos a pagar para o período seguinte. Procurada, a assessoria de comunicação do Palácio dos Bandeirantes não quis comentar.
Colaboração do leitor RCWiseman

JOÃO ALKIMIN – PARABÉNS A POLÍCIA CIVIL DE MOGI DAS CRUZES E AOS POLICIAIS DO DEIC…( Mandaram 10 para o saco ) 196

morto1

PARABENS A POLICIA CIVIL DE MOGI DAS CRUZES E AOS POLICIAIS DO DEIC

Investigação iniciada pelo Delegado Alexandre Batalha do 3 Distrito Policial de Cezar de Souza , bairro de Mogi das Cruzes culminou a alguns instantes com a morte de 10 assaltantes de bancos e 2 Policiais feridos , marginais continuam sendo presos em Minas Gerais, Vale do Paraíba e Mogi das Cruzes. A operação teve o comando… do Seccional de Mogi das Cruzes Marcos Batalha e do Divisionário dos Crimes contra o Patrimônio do DEIC Ruy Fontes, também o GARRA de Mogi das Cruzes, além dos Investigadores Rodolfo Batalha , Maurimar Batalha, Fabiano, Joao, Walter, Michel,e ainda Policiais do GOE .Essa e a Policia Civil que eu admiro e respeito , se a deixarem trabalhar e colocarem os homens certos no lugar certo teremos segurança pois temos a melhor Policia Civil do Brasil e uma das melhores do mundo, pois além de lutar contra a marginalidade ainda luta contra falta de meios, de material humano e contra injunções politicas.

João Alkimin

morto2

Hoje João Alkimin e Percival de Souza entrevistarão o Dr. George Melão sobre a covarde agressão sofrida pelo delegado de Rio Claro …Os cães fardados – como de praxe na PM – agora investem seus dentes contra a honra da vítima 84

A Delegacia Geral de Policia proibiu o Delegado de Rio Claro que foi agredido de conceder entrevistas ou falar sobre o caso , soube por vias transversas , atitude covarde da tal Administração Superior , São Paulo precisa urgentemente de um Secretario da Segurança Publica e de um Delegado Geral de Policia que não temam a Policia Militar. Amanha as 10 Horas Percival de Souza e eu estaremos entrevistando o Delegado de Policia George Melão Presidente do Sindicato dos Delegados de Policia do Estado de São Paulo na http://www.showtimeradio.com.br

João Alkimin: QUATRO PRESOS E UM FLAGRANTE 37

QUATRO PRESOS E UM FLAGRANTE

Vergonhosa a atitude do oficial da PM mais especificamente da Rota,que agrediu a uma autoridade Policial.
Isso é o retrato da gestão ferreira Pinto a frente da Secretaria de Segurança Pública, quando o defenestrado permitia tudo à Policia Militar e punia com ou sem motivo, indiscriminadamente aos Policiais Civis, tendo seus descalabros apoiados pelo Governador, não é verdade Dr. Guerra? Que é o maior exemplo da perseguição desse indivíduo aqueles que não lhe eram dóceis.
Sou várias vezes criticado quando afirmo que autoridade Policial é o Delegado de Policia, que um terceira classe é autoridade e o Coronel PM mesmo que comandante geral é agente da autoridade.
Que poderia fazer o Delegado de Policia agredido? Se nos plantões ficam somente um Delegado,, um ou dois Investigadores e um Escrivão, contra Policiais Militares fortemente armados e que com um simples grito no rádio da viatura poderiam cercar e tomar a Delegacia. Tal atitude é vergonhosa, despudorada e canalha… Um Tenente que toma essa atitude é indigno do oficialato, resta saber que providências tomará o Secretário de Segurança Pública, particularmente acredito que nenhum, porque parece-me que todos os Secretários ou veneram a Polícia Militar ou dela tem medo, afinal, a Policia Militar hoje está no Tribunal de Justiça, na Assembléia Legislativa, na Câmara de Vereadores, no Tribunal de Contas, na sede do Ministério Público, portanto seus oficiais detêm todos os órgãos importantes do Estado de São Paulo e a Policia Civil….nada.
O porquê do título? Essas atitudes da Polícia Militar não vem de hoje, há uma história presenciada e contada por meu amigo e colega de rádio Percival de Souza, que é a seguinte: “A Polícia Militar apresentou no primeiro Distrito Policial, ainda no parque Dom Pedro em São Paulo uma ocorrência em que quatro ladrões haviam sido presos em flagrante pela prática de roubo. O Delegado de Polícia plantonista, determinou que se lavrasse o flagrante, depois de certo tempo notou um desconforto dos Policiais Militares, quando um deles se retira da Delegacia, o flagrante prossegue. Depois de algum tempo, houve-se um tropel dentro do Distrito, era o Coronel João Baptista Torres de Melo, que lá chegava com seu indefectível bastão de comando a mão, olha  para o Delegado e lhe diz: Como os meus homens lhe apresentam quatro presos e o senhor tem a ousadia de somente fazer um flagrante? O senhor é louco? O Delegado, embora amedrontado com a presença do Comandante geral da Policia Militar, acompanhado por um numeroso contingente de Policiais Militares, explicou pacientemente ao Coronel que embora fossem quatro os presos, o flagrante era um só.”
Pelo visto, as coisas não mudaram muito.

João Alkimin é radialista – http://www.showtimeradio.com.br/

joaoshowtimejornalismo

 

Oficial PM em bando é valente…quando sozinhos é tudo CUZÃO! 87

Delegado X Rota: `me chamou de bandido´
“Me chamou de bandido e por aí as coisas foram se desencaminhando”, declarou o delegado Aroldo Cesário Diniz, que registrou boletim de ocorrência por agressão contra um tenente da Rota que atua em Rio Claro. PM nega agressão

 
“Fui agredido. Não houve saque de arma de nenhum Policial Civil, mas dos policiais militares da Rota” – declarou o delegado Aroldo Cesário Diniz, que teria sido chamado de bandido e levado uma gravata do oficial da Rota

Não foi nenhuma ocorrência de assalto, latrocínio, seqüestro ou tiroteio com traficantes que agitou o setor policial na noite de quinta-feira(20) em Rio Claro.

Os comandos das polícias Militar e Civil foram mobilizados em meio a um clima de tensão entre as forças de segurança, para apurar um caso de desinteligência que teria resultado em agressão física, envolvendo o delegado Aroldo Cesário Diniz e um tenente da Rota, que este mês está atuando na cidade com a missão de reduzir os elevados índices de criminalidade.

O delegado que disse ter sido agredido registrou boletim de ocorrência contra os agentes da Rota. A confusão começou depois que policiais da Rota foram à delegacia para apresentar um suspeito. Como ele não constava no sistema como procurado, o delegado se recusou a fazer a prisão. Foi aí que o tenente da PM teria discutido e depois agredido o delegado.

“A ocorrência estava sendo apresentada normalmente até que o oficial que a conduzia começou a debochar e rir, como se tivesse algum circo aqui no plantão, Depois me chamou de bandido e por aí as coisas foram se desencaminhando” – relatou Diniz à reportagem da EPTV Central, ao completar: “Fui agredido. Não houve saque de arma de nenhum Policial Civil, mas dos policiais militares da Rota”.

Clique AQUI e assista a reportagem completa.

Nenhum oficial da Rota quis comentar o assunto. O capitão da Polícia Militar Rodrigo Arena negou a agressão. “Acho que não chegou a esse ponto. A questão está sendo apurada pelos comandos das duas polícias. Tanto o comandando do batalhão quanto o delegado seccional vieram aqui na delegacia verificar o que realmente aconteceu”, informou.

http://www.guiarioclaro.com.br/materia.htm?serial=206002471

ADPESP – Nota de Repúdio 43

21/02/2014 – Nota de Repúdio

A Associação dos Delegados de Polícia do Estado de São Paulo recebeu com extrema indignação a notícia sobre  o grave ato de truculência e desrespeito aos mínimos princípios da urbanidade que deveriam nortear as condutas de servidores públicos, especialmente daqueles sobre os quais recai a responsabilidade de zelar pela sociedade e de combater a violência.
O ato protagonizado pelo tenente da Rota, que dentro do Plantão Policial, ao agredir verbal e fisicamente o Delegado de Polícia, Dr. Aroldo Cesário Diniz, em Rio Claro, deixa estarrecida toda sociedade, uma vez que atitudes dessa natureza não só colocam em xeque as prerrogativas garantidas pela Emenda nº 35 da Constituição do Estado de São Paulo, dentre as quais a independência funcional para que a Autoridade Policial, de forma soberana, tenha livre convicção dos atos de Polícia Judiciária, como nos faz questionar sobre o enraizamento desse tipo de conduta, que se reflete ainda mais no tratamento dispensado aos trabalhadores e cidadãos de bem.
Esse caso evidencia muito mais do que a falta de respeito e urbanidade, além do descontrole emocional, requisito básico para exercício da nossa profissão, mas demonstra, sobretudo, a forma de tratamento dispensada ao cidadão, ferindo de morte seus direitos fundamentais. Se assim agiu o policial no interior de uma repartição pública, diante de testemunhas e de uma Autoridade Policial, qual será sua conduta pelas ruas escuras e esquecidas da periferia?
Abominamos a força, a truculência, a imposição de vontades à revelia da lei, razão pela qual  requeremos providências junto ao Senhor Secretário da Segurança Pública, cujo desfecho acompanharemos par e passo, uma vez que a todos nós interessa a apuração cabal, justa e, acima de tudo, legal dos fatos, pois assim agimos na qualidade de primeiros garantidores dos direitos de todos os cidadãos.
Pobre sociedade que assiste tão lamentável episódio, mas que dele que deve se servir para profunda reflexão sobre a segurança pública que precisa e merece.
 
Marilda Pansonato Pinheiro
Presidente da Associação dos Delegados de Polícia do Estado de São Paulo.

Receita para se dar bem como delegado ! 19

Enviado em 21/02/2014 as 16:12 - triste

O delegado vai se foder, se ele está no plantão, ele não tem pós graduação a nivel de doutorado ou mestrado,já que não tem tempo para faze-lo,logo não é ou nunca será professor da academia, no entanto, aqueles que são detentores destes atributos darão razão ao tenente da rota, lógico para garantirem suas confortáveis cadeiras como dirigentes ,ou como parecedistas de poderosos (canetas). Poís,atualmente, só tem valor quem é delegado “jurista” , e escória quem é delegado de policia, vejam bem, em tempos passados titulos na policia , para efeito de concurso interno, era Policial do ano, policial do mês, elogio do governador, do SSP. DGP,do Diretor do dpto, isso para efeito de desempate nos certames internos. Hoje, nada vale ter títulos advindos de trabalhos policiais,o que vale é ter pós graduação á nivel de mestrado,doutorado, ser professor da academia, professor universitário,ser comissionado em especial (vejam bem, para ser comissionado, um dos requisitos é ser detentor do csp,fato que constitui uma discriminação com os que não tem apadrinhamento politico), e o pior ao contrário de todas as instituições do Brasil, os taís “titulos” são apresentados antes do resultado da prova vestibular,logo não são utilizados como critérios de desempate, mas sim como favorecimento de apadrinhados,ou sejam do delegados Mestres, doutores etc….Agora pergunto, quem exerce a atividde fim, ou seja, investigação etc..,tem disponibilidade para ter todos estes atributos ” jurídicos “?,claro que não,isso se conquista servindo-se de maçaneta e de caneta de alguém,sobrando tempo até para dar aulas em diversas universidades e na propria academia,e é por isso que a pc. vai acabar. Pobre delegado de policia plantonista,te aconselho ,se vc. quer ter sucesso na carreira, esqueça o fazer policia , tente sair da linha,se necessário diga que está co aids, aprenda quanquer atividade que náo esteja relacionada á policia, se inscreva numa pós, qualquer uma,de qualquer lugar,faça uns trabalhinhos, e deixe chegar ao conhecimento de um delpol jurista, pegue amizade com ele,queime sua cara bastante com o chefe,daí para frente vc. só terá sucesso,esqueça essa balela de fazer policia,devolva sua arma para o dap,esconda sua funcional na casa da sua mãe,distintivo nem pensar, e se alguém lhe perguntar sua profissão, diga que é catedrático em ciências juridicas ministrando aulas em universidades , aí vc. terá um futuro brilhante na pré extinta Policia Civil de são paulo !Ah ! nunca use seus conhecimentos contra a administração governamental, e nunca em favor dos policiais civis, respeite o mp, a pm acima de tudo. Fazendo isso, tenha certeza , vc. será um delegado que vai dar certo!

Tenente da ROTA viciado em metanfetamina agrediu covardemente delegado de Rio Claro…Delegados , uni-vos contra esses cães fardados ! 147

Tenentinho  da ROTA visivelmente bombado pelo uso de anfetaminas ou substância análoga , segundo relato de testemunhas ,  inconformado com o “não consta ordem de prisão ” contra um suposto procurado , além de debochar da autoridade da equipe de plantão de Rio Claro , agrediu fisicamente o delegado , causando-lhe lesões corporais.

Após as agressões fugiram da Delegacia para evitar a prisão em flagrante.

O Secretário de Segurança está a caminho de Rio Claro para tentar conter os cães valentes.

Valentes apenas em bando, pois quando sozinhos são todos bunda moles.

Fica o alerta para quem continua tratando essa raça com gentilezas.

 

Delegado que utiliza o facebook para propagandear atos de ofício desperta a revolta de leitores 82

Enviado em 20/02/2014 as 2:20 - faxineiro da policia civil

Roberto Von Haydin Junior compartilhou um link.

há 12 horas próximo a Santo André · Editado
.Snap 2014-02-20 at 07.21.58

No local do crime testei minha nova camera HD da Sony, ninguém percebeu a presença dela e ela tem uma abertura de 190, melhor que a GO PRO além de ser micro.

escrivao vitima de latrocinio

Curtir · · Compartilhar.

29 pessoas curtiram isso.
.

Ver mais 3 comentários
..

Junior Contadini IMAGEM PERFEITA

há 12 horas · Curtir
..

Franklin von Haydin Gostei da posição que ficou, aparece o distintivo de DELEGADO show!!!

há 12 horas · Curtir · 1
..

Tom Spina Grande Dr… quanto tempo… espero que esteja bem! Grande abraço, Tom Spina

há 9 horas · Curtir · 1
..

Jefferson Ariane Trabalhar com uma dessa fica show, queria uma dessa na minha epoca kkkkkk

há 3 horas · Curtir

Snap 2014-02-20 at 07.24.22

..ESSE DELEGADO POSTOU SOBRE A CAMERA QUE FILMOU….ALIAS A CAMERA TEM MAIS VALOR QUE O POLICIAL QUE VEIO A FALECER…. O VIDEO ESTAVA NO FACEBOOK…ALIAS ELE TINHA UMA PÁGINA NO YOU TUBE…MAS ELE MUIIIIIIIIIIIITO ESPERTO RETIROU….MAS FICA TRANQUILO SENHOR “DELEGADO” EU IMPRIMI A SUA PÁGINA E TB GRAVEI NO MEU E-MAIL….CASO FOR CHAMADO (A) NA CASA DO SOL NASCENTE…RSRSRSRSRS E TB NO MEU FACE ROBERTO VON HAYDIN…

“Não vou morrer para defender dinheiro de banco”, diz PM após assalto em Piracaia (SP) 44

Quarta, 19 de fevereiro de 2014

“Nove assaltos a bancos numa mesma região, em um ano e meio, é confissão de fracasso. Não há como enfrentar organizações criminosas, assaltantes, bandos, fuzis e dinamite apenas com discursos vazios”. O comentário é de Bob Fernandes em artigo no Terra Magazine, 18-02-2014.

Eis o artigo.

A 85 km de São Paulo, Piracaia é uma pacata cidadezinha de 26 mil habitantes. No entorno do município, represas do Sistema Cantareira.  Ao redor das represas, antigas fazendas de gado e café deram lugar a chácaras e casas de campo; da classe média alta e de ricos da capital e de cidades vizinhas.

Na madrugada do sábado, 15, cenas de cinema, e de faroeste, em Piracaia. Com fuzis 556, 762, pistolas 380 e dinamite, cerca de 30 assaltantes fecharam entrada e saída da cidade. Em 25 minutos explodiram e roubaram caixas eletrônicos dos bancos do Brasil, Itaú, Santander e Bradesco.

Em ação conjunta e cronometrada, ao mesmo tempo os assaltantes acuavam uma base da PM. Contra os PMs, e na cidade, dispararam mais de 80 tiros. Esse foi o nono assalto a bancos da região no último ano e meio. Mas nenhum dos anteriores com tal grau de organização e poder de fogo.

Desta vez, feriram uma jovem e um homem que, assustados, tentaram furar o bloqueio.

Há um mês, o assalto foi a um banco em Bom Jesus dos Perdões. As vizinhas Joanópolis, Vargem, Pedra Bela, e também Amparo, já viveram assaltos a bancos e caixas eletrônicos.

Por um tempo sem banco, o prefeito de Joanópolis se viu obrigado a sacar dinheiro nos bancos de Piracaia. Esses que agora foram detonados.

Jornalista que chegava à cidade quando o assalto terminava, procurou a base da PM. Quase foi recebido a tiros por 3 policiais -PMs acuados e lívidos, e com razão.

No dia seguinte, perguntado sobre por que os bandidos não foram cercados na estrada depois do assalto, um dos PMs explicou:

-Com o arsenal que eles têm é impossível enfrentá-los…

O policial expôs mais um motivo, de maneira bastante objetiva: “Os bancos têm seguro… e eu não vou morrer pra defender dinheiro de banco”.

É evidente que policiais não podem enfrentar bandidos se não têm estrutura e armamento adequados. Mas essa é só a porção visível desse gravíssimo problema.

No Rio, Bahia, Alagoas, Maranhão… Brasil afora o cenário varia, mas as deficiências são iguais. Bandos e bandidos devem ser enfrentados com armas, é claro. Mas não apenas. E não com tão pouco.

No estado de São Paulo, uma das organizações criminosas, o PCC, atua e cresce há 20 anos. O que se tem já é uma organização em estágio pré-mafioso.

Aqui, ou em qualquer lugar do mundo, é preciso Inteligência Policial, sofisticada, moderna, para encarar o crime. Para se chegar aos Chefões é necessário rastrear o dinheiro e seus caminhos.

Nove assaltos a bancos numa mesma região, em um ano e meio, é confissão de fracasso. Não há como enfrentar organizações criminosas, assaltantes, bandos, fuzis e dinamite apenas com discursos vazios.

http://terramagazine.terra.com.br/bobfernandes/blog/2014/02/18/nao-vou-morrer-para-defender-dinheiro-de-banco-diz-pm-apos-assalto-em-piracaia-sp/

Toda pessoa tem direito à verdade. O servidor não pode omiti-la ou falseá-la, ainda que contrária aos interesses da própria pessoa interessada ou da Administração Pública 33

 
Enviado em 19/02/2014 as 14:02 - Quadrúpede Andante

ESSA É A MELHOR DE TODAS:

Depois do último roubo, ela e o filho foram ao 80º Distrito Policial, na Vila Joaniza, para registrar um boletim de ocorrências. “Perguntei para o policial o que ele faria, se ele viria fazer uma diligência. Ele deu risada na minha cara e falou: ‘Essa rua onde a senhora mora tem assalto a cada dez minutos e, se nós tivermos que sair daqui para ir fazer diligência, a gente não tem funcionário para isso. A gente só pode ficar dentro da delegacia’ ”, afirmou.

A Secretaria de Segurança Pública (SSP) determinou que o delegado titular investigue o caso. O delegado afirmou que, se ficar provado que o policial deu esta declaração, ele sofrerá consequências administrativas. Uma equipe especializada, ainda de acordo com o delegado, investiga os roubos na Rua David Eid.

É CERTO QUE EXISTEM MANEIRAS E MANEIRAS DE DIZER A VERDADE, MAS O QUE MAIS O POLICIAL PODERIA TER DITO?????

http://g1.globo.com/sao-paulo/noticia/2014/02/ladroes-assaltaram-quase-todas-casas-de-rua-na-zona-sul-de-sp.html

 

KARMA INSTITUCIONAL OU SOCIAL? 39

Enviado em 19/02/2014 as 16:41 - Delegado Titular 86ª DP

KARMA INSTITUCIONAL OU SOCIAL?

Com pesar que opino sobre o falecimento de dois policiais civis, vitimados em assaltos enquanto desfrutavam de seus momentos de folga.

Derrubar Homem da Lei gera benefícios e hierarquia no sistema penitenciário.

A sociedade por sua vez reclama da criminalidade mas adora comprar uma ‘pecinha mais barata’ no desmanche que todos sabem que é o destino final de automóveis roubados ou furtados nas ruas brasileiras.

A Polícia Militar que preza pela excelência no bom andamento da papelada nos quartéis e nas cuidanças diversas que se arvora à exercer, totalmente desafetas à atividade policial militar, esquece de cumprir sua função constitucional no policiamento ostensivo deixando as ruas paulistas sem ver uma viatura policial durante horas e esta quando aparece, vem com a ‘talonário de multas’ na mão para penalizar pecuniariamente o cidadão bandeirante, predileta vítima contumaz em nosso estado nas diversas esferas da administração, do Partido do Crime inclusive.

A Polícia Civil que faz vistas grossas nas fiscalização hodierna aos desmanches e desmontes possibilitando que estes criem verdadeiras empresas criminosas que receptam veículos roubados, pejorativamente conhecidos como ‘PACOTINHOS’ que transitam do ‘BURACO’ para as ‘GÔNDOLAS’ em caminhões baú sem a menor importunação. Isso quando de forma descarada não colocam os maçaricos para cortar a todo vapor dentro do próprio estabelecimento comercial disfarçadamente através de PAREDE, CHÃO, PRATELEIRA E BALCÃO ‘falsos’ mas que não suportam o primeiro assopro para serem desmascarados.

A indústria de automóveis que agradece à cada veículo roubado que invariavelmente se traduz na venda de um zero km devidamente facilitado pelo crédito abundante na praça.

As seguradoras que pulverizam seus prejuízos entre os demais segurados, afinal uma empresa busca o lucro e não pode perder, tornando os preços do seguro cada vez mais exorbitantes, mesmo que sob a batuta do IRB por trás no caso de necessidade.

Analisando friamente não há como negar que a sociedade promove o roubo de auto do qual ela própria se alimenta e não há como escapar de um karma negativo desse porte – conforme já dizia o sábio yogue Vasistha “Não há força maior na Terra do que a ação correta no momento presente” – e justamente por conta disso sangue continuará a ser derramado e vidas serão ceifadas para que o comércio de peças roubadas coloque a peça na prateleira.

Peça essa que vai para a prateleira ainda que marcada pelo sangue da vítima, que o removedor Veja não conseguiu tirar, para ser vendida com o aval estatal concedido pelas autoridades mediante a propina cabível. Peça essa que será comprada pelo mesmo cidadão que recrimina a corrupção de agentes públicos e se arrepia ao cogitar a condescendência criminosa. Com dinheiro na mão o empresário do crime encomendará mais um ‘PACOTINHO’ que para chegar novamente à gôndola poderá derramar o sangue de um cidadão que nada teve haver, seja policial ou não, mas a sociedade como um organismo uno e indivisível haverá de pagar esse karma negativo que recairá sobre algum desafortunado, policial ou não, que nada teve haver com o BATER DE ASAS DE UMA BORBOLETA no culhão da zona sul que desencadeou um FOGO NO LADEIRÃO.

Mas nossos governantes são exímios queimadores de sofá, afinal LADEIRA FOI PARA SER DESCIDA, coloquemos os embriagados pela incompetência no cimeiro e empurremo-los ladeirão abaixo.

Atemildo José Nepomuceno Reis da Silveira
Delegado Titular
86ª Delegacia de Polícia
Departamento de Polícia Judiciária da Capital – DECAP

POLÍCIA CIVIL DO ESTADO DE SÃO PAULO
SECRETARIA DE ESTADO DOS NEGÓCIOS DA SEGURANÇA PÚBLICA
GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO
REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL

Dois policiais civis são mortos em tentativas de assalto em São Paulo 30

Uma das vítimas foi morta na frente da mulher e da filha na zona leste da capital. Em Santo André, na Grande SP, um escrivão foi baleado ao reagir ao ataque de dois assaltantes

Dois policiais civis foram motos em tentativas de assalto na noite de terça-feira (18) em São Paulo. Nos dois casos, os criminosos conseguiram fugir.

Em Santo André, na Grande São Paulo, o escrivão Fabio Luiz Gasparotti, de 35 anos, estava de moto na avenida dos Estados, em Bangu, quando foi atacado por dois suspeitos, também a bordo de uma motocicleta. Ele reagiu, foi baleado e morreu no local. O caso foi registrado no 2° Dstrito Policial da cidade.

O outro policial havia saído de carro da casa da mãe, com a esposa e a filha, quando foi abordado por dois suspeitos, no bairro do Cangaíba, zona leste de São Paulo. Ele levou três tiros e chegou a ser levado ao pronto-socorro, mas não resistiu as ferimentos. O caso foi registrado no 24° DP.

http://ultimosegundo.ig.com.br/brasil/sp/2014-02-19/dois-policiais-civis-sao-mortos-em-tentativas-de-assalto-em-sao-paulo.html

SP: 2 policiais civis morrem baleados em tentativas de roubo
19 de fevereiro de 2014 | 05h57 | atualizado às 06h00

Dois policiais civis morreram baleados após tentativas de assalto em um intervalo de quase quatro horas na noite dessa terça-feira na região metropolitana de São Paulo. Pouco antes das 20h, Fábio Luiz Gasparotti, 35 anos, estava de moto na avenida dos Estados, em Santo André, quando dois criminosos, também em uma motocicleta, armados o abordaram e anunciaram o assalto. Gasparotti reagiu e houve tiroteio. O escrivão foi baleado na cabeça e morreu no local, de acordo com informações da rádio CBN. O latrocínio foi registrado no 2º DP de Santo André, onde o incidente será investigado.

Quatro horas depois, outro policial civil morreu após uma tentativa de roubo, dessa vez no Cangaíba, na zona leste da capital paulista. O investigador André Makoto Hamazaki, 42 anos, deixava a casa da mãe com a mulher e a filha, de apenas 2 anos, quando foram abordados por suspeitos anunciando o assalto. O policial reagiu, teve tiroteio, e o agente acabou sendo atingido por vários disparos – ele ainda foi socorrido a um hospital da região, mas não resistiu aos ferimentos. A mulher e a filha não se feriram. O caso foi registrado no 24º DP – Ponte Rasa. Nos dois casos, os bandidos fugiram com as armas dos policiais civis, e não foram encontrados até o momento.

Policial militar é baleado
Um policial militar à paisana foi baleado na noite dessa terça-feira em Suzano, na Grande São Paulo. O incidente ocorreu depois que a pizzaria em que ele estava, com a família, foi invadida por dois homens armados. Temendo ser reconhecido como PM, o cabo deixou o estabelecimento correndo, mas foi seguido pelos criminosos até uma rua sem saída. O policial foi atingido três vezes e socorrido para um hospital da região, onde não corre risco de morte. Ninguém foi detido.

Fonte: portal Terra

Bolsonaro : “Os gays não são semideuses. A maioria é fruto do consumo de drogas” 17

Publicado originalmente EL Pais

Publicado por Nelci Gomes - JusBrasil

Os gays no so semideuses A maioria fruto do consumo de drogas

O deputado federal e militar da reserva Jair Bolsonaro (PP) concede uma entrevista atrás da outra. Desde que se autoproclamou candidato à presidência da Comissão de Direitos Humanos e Minorias, ele entrou no olho do furacão. Os partidos de esquerda veem com receio a possibilidade de repetir um mandato ainda mais polêmico que o do pastor evangélico Marco Feliciano (PSC), mas Bolsonaro cresce diante da adversidade. A cada entrevista, eleva o tom das suas afirmações homofóbicas, elitistas, racistas e incitadoras da violência. Nesta entrevista ao EL PAÍS, ele conta que pretende ser o representante dos direitos humanos no Brasil. Chama a presidenta Dilma Rousseff de terrorista, considera os gays produto do consumo de drogas e defende a cadeira elétrica para os criminosos. As únicas minorias que ele pretende defender são as que ele considera “decentes”: os cadeirantes, autistas e deficientes.

Bispo do luxo teria desviado dinheiro destinado a famlias carentes segundo jornal

Pergunta: A sua candidatura é só uma medida de pressão para conseguir a Comissão de Minas e Energia?

Resposta: Sim, eu não faço parte desse jogo, mas eu agora estou no jogo. Quando me lancei candidato foi porque havia possibilidade dessa comissão ir para o nosso partido. Eu conversei com vários parlamentares do meu partido e todos concordaram, ninguém quer ir para lá. No meio do caminho, quando a imprensa divulgou que eu seria candidato, o PT resolveu entrar no jogo. Aí meu partido propôs a troca. Mas o PT não quer abrir mão de Minas e Energia e tampouco que eu seja presidente.

P. Para o seu partido a Comissão não importa nada, é só um jogo político?

R. Não é para o meu partido. A Comissão de Direitos Humanos sempre foi uma das últimas a serem escolhidas.

P. E por que foi sempre assim?

R. Porque os parlamentares preferem comissões que são mais importantes para eles como transporte, agricultura, minas e energia, justiça, tributação e finanças… São comissões que dão visibilidade.

P. Bom, nos últimos tempos, a Comissão de Direitos Humanos foi alvo de manchetes diárias…

R. Esteve nas manchetes pela maneira como o presidente [Marco] Feliciano a conduziu. Eu agora quero, caso consiga a comissão, dar uma nova dinâmica para ela.

P. Por que o PT não quer você como presidente?

R. Eles não querem porque, segundo eles, eu não represento os direitos humanos no Brasil.

P. E você concorda?

R. Concordo. A maneira como eles induzem a política de direitos humanos, eu sou completamente contra.

P. O que está errado na maneira de o Governo orientar a política de direitos humanos?

R. Qual é a idade penal na Espanha? Não sei como é a violência por aí por parte de moleques de menos de 18 anos, mas aqui no Brasil praticamente não existe pena. Há uma molecada de 17 anos que são criminosos por esporte. Então se reduzir a idade penal vai sobrar cadeia para eles.

P. Mas os dados da Fundação Casa de São Paulo, por exemplo, certificam que apenas 1,5% dos internos são realmente responsáveis de algum crime maior, como o homicídio. Não é um percentual pequeno?

R. Não concordo contigo. Porque o roubo é uma violência, o estupro é uma violência que eu equiparo quase com o homicídio. Não existe isso de reduzir a idade penal apenas para o homicídio. Eu prefiro a cadeia cheia de vagabundo ao cemitério cheio de inocentes.

P. Mas nas cadeias do Brasil, em Pedrinhas por exemplo, há muitos internos que ainda não foram julgados…

R. Pedrinhas é o melhor presídio do Brasil. Se quiser desligar o telefone, pode desligar. Você quando comete um crime tem que pagar por ele. Não é para ir a um spa, para ter um retiro com cinco refeições por dia, médico, dentista, com biblioteca… Não. Ele tem que ir para o presídio para pagar pelo seu crime.

P. Se o senhor presidir a Comissão quais seriam suas prioridades?

R. Eu pretendo ecoar, falar para o povo brasileiro do mais importante: a redução da idade penal e de uma política de planejamento familiar, de reduzir o número de filhos dos mais pobres. Porque os mais pobres têm bolsas [benefícios] que os estimulam a terem mais filhos. Então, gente sem cultura acaba tendo mais filhos para ganhar 70 reais por mês. Todos esses aí vão ser eleitores do futuro para o PT. Uma terceira proposta seria uma luta para revogarmos o estatuto do desarmamento. Porque o governo desarmou as pessoas de bem, mas a bandidagem está cada vez mais armada. E o cidadão não tem como se defender.

P. Você vê realmente uma ligação das suas propostas com questões de direitos humanos?

R. As três têm a ver. Quando você bota um menor na cadeia, você consegue que as pessoas de bem não sofram violência. Quando você fala de planejamento familiar, vai ter muita criança que deixará de nascer que não teria a mínima dignidade nem condições no caso de nascer. Com o rearmamento, muita gente vai dormir tranquila em casa porque vai ter uma arma para se defender.

E eu também defendo a pena de morte. Se levar o cara para a cadeira elétrica ele nunca mais vai matar, nem vai assaltar.

P. Mas você também sabe que a pena de morte não é garantia de uma diminuição do índice de criminalidade.

R. Nunca vi um morto voltar a cometer um crime. Se com pena de morte a criminalidade aumenta 10%, sem pena de morte aumenta para 50%.

P. Seu partido tem as siglas de Partido Progressista, mas a sociedades em geral estão evoluindo para o lado oposto aos valores que você defende.

R. Eu não vou mudar minha opinião para ganhar simpatias. A sigla é para chamar a atenção. O nome não tem nada ver… Meu partido e só um nome.

P. O senhor não concorda que o homossexual tenha mais direitos que o heterossexual. Mas concorda que os homossexuais sofrem, além da violência endêmica do país, preconceitos e agressões pela sua condição?

R. Os homossexuais querem se passar por vítimas, querem superpoderes. Qualquer homossexual que morre no Brasil, logo a mídia está dizendo que é homofobia. Há muitos que são mortos pelos próprios colegas ou em locais de prostituição, ou por overdose. Ao morrer, os ativistas dizem que é homofobia. No Brasil dez mulheres por dia são assassinadas por seus parceiros, isso é muito mais grave.

Os crimes de homofobia tem que ser tratados da mesma forma que qualquer outra morte. Quantos heterossexuais morrem por dia? Morrem muitos mais que homossexuais.

P. Mas se o povo fosse educado para respeitar a diversidade não teríamos menos mortes?

R. Não concordo. Quem pensa dessa maneira de respeitar é quem quer levar essa matéria para as escolas para transformar crianças de seis anos em homossexuais. Ao ponto que daí facilita a pedofilia no Brasil.

P. Mas você acha que uma pessoa se transforma em homossexual?

R. A imensa maioria vem por comportamento. É amizade, é consumo de drogas. Apenas uma minoria nasce com defeito de fábrica. Aqui no Brasil se tem a ideia de que quem for homossexual vai ter sucesso na vida. As novelas sempre mostram os gays bem sucedidos, que trabalham pouco e ganham muito, têm carrões…

P. Em troca, o noticiário mostra como os gays podem ser vítimas da sua condição…

R. Mas você… Você é gay por acaso?

- Não.

Ah, tudo bem. Já tem pena para isso. Se houver motivo fútil a pena é elevada, tem agravante. Mas vocês querem o quê? Levar a PLC122 (projeto que criminaliza a homofobia) ao Código Penal? Só porque alguém gosta de dar o rabo dele passa a ser um semideus e não pode levar porrada…?


Fonte: http://brasil.elpais.com/brasil/2014/02/14/política/1392402426_093148.html

São Paulo – Capital Mundial do Roubo…Se ficar o ladrão rouba, se correr o ladrão mata 93

São Paulo – Capital Mundial do Roubo

Se ficar o ladrão rouba, se correr o ladrão mata

Se você ainda não vivenciou essa experiência incrível de ser roubado, mude-se para São Paulo. É pura adrenalina.O menú é variado, é roubo de carga, de carro, de residência, de condomínio, de banco e de qualquer tipo de comércio de modo isolado ou cumulativamente e se você contar com alguma sorte, da sua vida também, como tem acontecido muito ultimamente.
Fala-se tanto no avanço da criminalidade e na inércia do poder público em contê-la através de medidas preventivas e repressivas eficazes, que até mudar a mão de direção de toda a malha viária da capital serve como proposta a exemplo da solução encontrada para o “ladeirão” do Morumbi. É muito tecnocrata para pouco policial de verdade. Lugar comum em todas as mudanças administrativas na Pasta da Segurança Pública é a retórica em torno de temas como inteligência policial, estatísticas, reengenharia, etc. Anunciam a queda de todos os indicadores criminais, mas a sensação de insegurança da população não demonstra isso. Parece coisa de meteorologista, a temperatura é uma e a sensação térmica é outra.

Algumas medidas do pacote do marketing político do governo na área da segurança pública, demonstram a falta de visão, de boa assessoria e de experiência no assunto.
É inaceitável assistirmos atônitos uma pacata cidade do interior do Estado, distante apenas 100Km da capital, ser saqueada por uma quadrilha que dominou as forças de “insegurança” local e roubou 11 caixas eletrônicos, feriu dois munícipes e aterrorizou seus habitantes. Isso é coisa de sertão nordestino e mostrar a situação de caos que vivenciamos na área da segurança pública.

Gostaria de lembrar ao Governador que existem cidades do interior, mais distantes da capital, que possuem uma população três vezes menor que Piracaia e com uma população carcerária maior do que a população local.

Nos trabalhos sobre variação da criminalidade, é imprescindível a precisão e correção no que tange às informações sobre a modalidade criminosa e onde tenha ocorrido.Acompanhar os desdobramentos das tentativas de homicídio, mortes suspeitas e vítimas de roubos internadas em hospitais são cautelas indispensáveis para totalização correta dos dados e deveriam ser fiscalizadas por entidades da sociedade civil organizada.

Disponibilizar o auto-atendimento à vítima, possibilitando-lhe que registre pela internet o próprio roubo, é jogar na lata de lixo, informações valiosas para o seu esclarecimento. É o tiro que sai pela culatra. Facilitou a vida da vítima e a do bandido também, vez que o procedimento aumenta as chances de jamais ser identificado.

O monitoramento de câmeras é um recurso que a polícia parece só utilizar em casos de crimes graves. Desconheço um só caso onde uma vítima de furto ou roubo de veículo, ao chegar numa delegacia, antes de registrar o fato, tenha sido convidada a acompanhar um policial até o local onde teria acontecido, para que o mesmo analisasse eventual monitoramento por câmeras, a fim de resgatar as imagens que poderiam identificar não apenas os autores daquele fato, mas de outros tantos já ocorridos no mesmo local ou imediações. O procedimento só não é adotado em razão da absoluta falta de pessoal nas delegacias de polícia territorial. A equipe básica de plantão mal consegue atender a população que acorre à delegacia.

Elencar os distritos policiais onde a quantidade de veículos localizados é maior do que a de veículos roubados ou furtados é simplesmente dizer que lá residem ladrões de veículos que atuam em outras áreas. Com certeza, nas áreas desses distritos não existem grandes concentrações de desmanches, caso existisse, os veículos não seriam abandonados em via pública e sim em suas gôndolas. O que teria que ser levantado é onde ocorreram os furtos e roubos desses veículos localizados a fim de se estabelecer o elo entre eventuais ladrões residentes na área desses distritos e o local onde atuam. Não é surpresa nenhuma que em áreas mais periféricas e pobres a quantidade de veículos localizados supere a de roubados/furtados. Não existe qualquer “meritocracia” em razão disso.

Sequer o número de veículos roubados/furtados oficialmente divulgado pela Secretaria de Segurança Pública é confiável. O “quantum” mais correto, durante o período em análise (mês,ano,semestre,etc) poderia ser obtido junto a Prodesp, através da totalização das mensagens recebidas das unidades policiais para bloqueio de veículo por motivo de roubo ou furto. É sabido que muitas subtrações de veículos que ocorrem nos roubos à estabelecimentos(bancário, comercial, ensino) ou em residência e condomínios são subnotificadas.

Em outras oportunidades, postamos comentários sobre a vergonhosa situação dos inúmeros desmanches de motos encravados no centro de São Paulo, circunvizinhos de várias unidades policiais civis e militares, com os quais, ao que parece, convivem harmonio$amente. Reportagem da global, através do jornal “Bom dia São Paulo”, mostrou o descalabro da situação ao divulgar as imagens de inúmeros chassis de motociclos roubados descartados nas calçadas na cara de todo mundo.
O disque-denúncia em sua propaganda institucional do “webdenúncia” veiculada recentemente na televisão afirmou que das 2000 denúncias recebidas, 20 delas enviadas com imagens auxiliaram no esclarecimento de crimes, ou seja, apenas 1% das denúncias auxiliam a polícia no esclarecimento de crimes. Pergunta-se:
Quantos policiais o Estado disponibiliza para trabalhar no disque-denúncia? Quanto representa isso em termos de salários? Quanto é arrecadado do empresariado a título de colaboração para manutenção do serviço? A quem são prestadas as contas do arrecadado e se foi efetivamente investido na ampliação, modernização e manutenção do serviço? O Poder Público, além dos policiais disponibilizados, faz algum tipo de doação? Alguma entidade, além das polícias, compartilha informações sobre as denúncias recebidas? Em caso positivo, esse compartilhamento tem amparo legal? Todas as denúncias são averiguadas? Existem relatórios que comprovem isso? Por que na ouvidoria existem várias reclamações de denúncias que não foram averiguadas?. Tempos atrás, a polícia vivia problemas de abastecimento, com várias viaturas paradas. Nessa situação, com apenas 1% de sucesso entre as denúncias recebidas, é viável na relação custo/benefício, usar as viaturas para ficarem averiguando esse universo de denúncias recebidas? . Precisamos parar de mentir para a população a quem servimos.
Na direção da polícia sempre os mesmos, só muda a escalação do time principal. As renovações nada acrescentaram.
O DHPP destruído pela gestão anterior que o transformou em lavanderia de BO ensangüentado da PM.

No DECAP e no DEIC, empresários da área de segurança, titularizando várias unidades policiais.Pode não ser ilegal, mas não se afigura como moralmente correto.

O DPPC só atua bem se o MP estiver em cima. A Corregedoria só atua no interior, graças ao prestígio e acompanhamento dado pelos Gaeco’s. Na Grande São Paulo e Capital a coisa está leve e, segundo comentários, o ambiente de trabalho por lá está péssimo, pior que o DECAP na gestão anterior.
A Polícia Militar está treinando para o UFC coletivo, PM versus Black-Blocs. Faz de tudo, menos policiamento preventivo ostensivo fardado, pois caso o fizesse, não teríamos a ocorrência dessas centenas de milhares de roubos todos os meses. Os quartéis lotados de oficiais e praças fazendo serviços de escritórios ou nas unidades escolas como professores ou alunos. Por sua vez a Polícia Civil não investiga mais nada, mormente na capital, por conta da enorme defasagem de seu efetivo, o qual mal consegue documentar as ocorrências.

A Polícia Civil, com um efetivo menor do que o existente ha dez anos atrás, atende o dobro de ocorrências. Muitas delegacias de municípios do interior funcionam graças aos estagiários e funcionários municipais emprestados. Laudos periciais cujas finalizações se arrastam no tempo. Em contrapartida, a PM foi para mais de cem mil homens, somada a multiplicação do número de municípios que criaram suas guardas municipais, temos como resultado disso a piora significativa da qualidade de atendimento nas delegacias de polícia. Não se investiga mais nada e o efetivo existente, trabalhando em dobro, com escalas desumanas que impossibilitam qualquer tipo de “bico” para compensar o péssimo salário que o governo sempre nos pagou.

Se não bastasse tudo isso, somos enganados de forma recorrente pelo governo e administração superior da instituição, com recomposições salariais que, ao final, constatamos não representarem absolutamente nada, tais como: nível universitário e adicional de carreira jurídica, esta última, sequer alcançada pelos aposentados. Para aproximar o salário dos delegados às demais carreiras jurídicas usou dois pesos e duas medidas. Para defensores públicos, 50% de aumento, para os delegados 9%, excluindo os aposentados. Na fase da vida que você mais necessita em razão dos comprometimentos de saúde que são inevitáveis, o governo lhe vira as costas, mesmo sabendo tratar-se de um direito constitucional, sua recomposição salarial no mesmo nível do pessoal da ativa. Duvido que judicialmente esse descalabro não seja corrigido. Passou da hora de nossas entidades de classe provocarem o Judiciário com essa finalidade.

Só para lembrar: O tão festejado e aplaudido adicional, que mais se parece de burrice jurídica, valeu R$ 500,00 limpo no meu salário o que equivale ao valor do vale alimentação que a cúpula da polícia militar conseguiu para todos os seus patrulheiros, praças e oficiais. Além do mais, pensando em seus inativos, arrastou para todos os oficiais e praças que se aposentaram a partir de 2001 a inatividade no posto ou graduação superior.

Muito obrigado governador, secretário da segurança pública e cúpula da polícia civil, como delegado de polícia, eu e minha família agradecemos mais essa grande conquista da categoria profissional a que pertenço.

Resumo da ópera:

A Polícia Civil é uma instituição destinada aos membros da corte. Você jovem bacharel, não caia nessa arapuca.

Autor: Delpol PC

Cidade mais violenta de SP vai implantar guarda municipal armada 75

RICARDO HIAR
COLABORAÇÃO PARA A FOLHA, EM CARAGUATATUBA (SP)

17/02/2014 11h45

Considerado o município mais violento do Estado de SP nos últimos três anos, Caraguatatuba vai implantar uma guarda municipal armada para atuar já neste ano.

O edital para contratação dos agentes de segurança deve ser lançado em até 15 dias, de acordo com a administração municipal da cidade do litoral norte.

Segundo o prefeito Antonio Carlos da Silva (PSDB), o objetivo é realizar o concurso público e treinar os guardas para que até dezembro, quando começa a temporada de verão, o efetivo tenha condições de agir.

Em seu quarto mandato, o prefeito diz que só agora sentiu necessidade de um reforço policial na cidade e nega que a ação esteja ligada aos resultados do último índice de violência, que colocou Caraguatatuba no topo do ranking das mais violentas do Estado pela terceira vez consecutiva.

De acordo com dados da Secretaria de Segurança Pública, a cidade registrou no ano passado 31 homicídios. No cálculo de mortes violentas por 100 mil habitantes, Caraguatatuba tem índice de 28,3, quase o triplo da média de todo o Estado, de 10,5.

Apesar de ter decidido criar a guarda armada, o prefeito contesta a pesquisa e diz que ela não leva em consideração a população flutuante da cidade, que chega a triplicar na alta temporada.

“Esses dados estão errados. Eu nunca pensei antes em implantar guarda, porque sempre confiei no trabalho da Polícia Militar. Mas acho que a cidade está crescendo e agora é preciso ter um reforço policial”, disse.

Desde o início, a Guarda Municipal de Caraguatatuba será armada e deverá contar com um efetivo inicial de 80 profissionais -20% deles do sexo feminino.

Os critérios do edital ainda estão sendo definidos, mas, segundo o prefeito, é possível que seja exigido nível superior e que as inscrições só possam ser feitas pessoalmente, para priorizar o acesso de pessoas com familiaridade com o município.

Os guardas deverão portar pistolas 380 e ter também carabina calibre 12 para situações mais graves.

No litoral norte, São Sebastião e Ubatuba são outras cidades que têm Guarda Civil municipal armada.

CACHORRADA DE CACHORREIRAS – Delegada que lavrou BO em desfavor do Dr. Dr. Walter Cardoni Filho responderá por abuso de autoridade – Parabéns ao Dr. Nestor Sampaio Penteado Filho 67

Enviado em 15/02/2014 as 12:34 - João Alkimin

Confirmado, o Diretor da Corregedoria determinou instauração de Inquérito Policial em desfavor da Delegada da DOP por Abuso de Autoridade por ter determinado a elaboração BO por prevaricação contra o Delegado de Policia de Guarulhos no caso dos cães e a ex Apresentadora de Televisão.

João Alkimin: A INSTITUIÇÃO POLÍCIA CIVIL AINDA TEM SOLUÇÃO, A CHAMADA ADMINISTRAÇÃO SUPERIOR TALVEZ 93

A INSTITUIÇÃO POLÍCIA CIVIL AINDA TEM SOLUÇÃO, A CHAMADA ADMINISTRAÇÃO SUPERIOR TALVEZ… 

A minha afirmativa se prende a seguinte história:
 
A semana passada a diretora do DENARC Dra. Elaine Biasoli foi ser ouvida na Promotoria de Direitos Humanos e Habitação, acompanhava-a o Corregedor Geral de Polícia Civil do Estado de São Paulo, e –  a pedido de sua Advogada – o Dr. George Melão Presidente do Sindicato dos Delegados de Polícia do Estado de São Paulo.
Existe uma regra em que todos devem se identificar, e portar crachá ao adentrarem no prédio do Ministério Público do Estado de São Paulo.
A Dra. Elaine ao passar pelo detector de metais disparou e imediatamente um Policial Militar se aproximou, nesse momento o Dr. Melão toma a frente e diz o seguinte: ” Somos Delegados de Polícia, estamos armados e vamos entrar armados e sem portar crachá”!
O Policial Militar responde: “pois não Dr.”
E todos ingressaram no prédio portando suas armas e sem portar crachá.
Se mais Policiais se fizessem respeitar, fizessem valer suas prerrogativas, certamente a Polícia Civil de São Paulo seria mais respeitada, pois se o Policial pode ingressar no Palácio da Justiça, na Câmara Municipal e na Assembléia portando sua arma, porque não poderia no Ministério Público, onde inclusive alguns Promotores portam armas?
Houve agora o caso de Guarulhos onde uma ex apresentadora de televisão investe contra a Autoridade Policial reclamando da demora em um atendimento em uma ocorrência de suposto maus tratos contra animais, ora senhores, ninguém concorda que se maltrate animais, mas convenhamos que uma equipe de plantão ou Delegado Titular têm coisas muito mais importantes a fazer.
Depois porque não solicitou a presença da Guarda Municipal que em alguns locais faz o trabalho de Polícia?
Não sei se real ou não, mas tive a informação de que uma Delegada de plantão no DOP teria lavrado um Boletim de Ocorrência em desfavor do Delegado de Guarulhos, mas que o Diretor da Corregedoria havia avocado o mesmo por não concordar que tivesse a Autoridade Policial prevaricado. Se isso for real meus cumprimentos ao Dr. Nestor Sampaio Penteado Filho, pois assim não chegaremos ao ocorrido a tempos atrás em São José dos Campos em que um Delegado plantonista pressionado por essas entidades de defesa dos animais  solicitou necrópsia em um…gato morto. Ora senhores isso é o cumulo.
Porque afirmo que a administração superior é capenga, qualquer Delegado Geral com pulso já teria afastado o diretor que permitiu que a Polícia Civil ficasse sem combustível, e o que foi feito, nada, absolutamente nada. Parece-me que até agora a Polícia Civil esta com racionamento de gasolina e abastecendo somente as viaturas flex que permitem álcool como combustível.
Por derradeiro, uma notícia alvissareira, os procedimentos punitivos aplicados na nefasta era Antonio Ferreira Pinto e Delio Montresor estão sendo revistos, pois a maioria não possuía lastro jurídico, isso incluindo a criminosa, injusta e politica demissão do Delegado Roberto Conde Guerra.
Eu sempre afirmei que tal fato ocorreria, pois não existiu nenhum motivo para sua demissão a não ser persegui-lo e prejudica-lo por trazer a público as mazelas da administração, pois volto a repetir Roberto Conde Guerra é destemperado, de difícil trato, mas é um homem honesto, sendo claro, não é ladrão.
Se quisessem demiti-lo, assim como tanto outros , que fosse por um motivo justo e justificado, nunca para atender os interesses particulares de alguns como foi feito. 
 

João Alkimin

 

João Alkimin é radialista – http://www.showtimeradio.com.br/

joaoshowtimejornalismo

 

 

MANDADO DE SEGURANÇA COLETIVO – ASSOCIADO DA AEPESP NÃO PRECISARÁ CUMPRIR OS 5 ANOS NA CLASSE NO ATO DE SUA APOSENTADORIA 88

———- Mensagem encaminhada ———-
De: AEPESP – Assoc. dos Escrivães de Polícia do Est. de SP <aepesp@uol.com.br>
Data: 13 de fevereiro de 2014 14:34
Assunto: Divulgação
Para: dipol@flitparalisante.com
Cc:
SR. Conde Guerra boa tarde,
Solicito para divulgação em seu blog a matéria em anexo.
Desde já agradeço,
Horácio Garcia
Presidente da AEPESP
Associação dos Escrivães de Polícia do Estado de SP

Av. Cásper Líbero, 502 – 10º andar - Luz – Cep. 01033-000 – São Paulo – SP

Tel: (011) 3229-9014

“Sem o Escrivão a Polícia para”

A Associação dos Escrivães de Polícia do Estado de São Paulo, impetrou mandado de segurança, com pedido liminar, contra ato do Presidente da SPPREV-São Paulo Previdência, objetivando ver reconhecido o direito a proventos de aposentadoria dos Escrivães de Polícia sem a necessidade de permanecer 5 anos na mesma classe. Sustentou, para tanto, em resumo, a diferença entre cargo e classe, sendo que a autoridade impetrante vem exigindo, para aposentação, que o servidor conte com pelo menos 5 anos de efetivo exercício na classe em que se der a inativação, o que excede a exigência constitucional nos termos da redação dada pela EC nº41/2003, que exigiu o tempo mínimo de 5 anos de permanência no cargo. Requereu o deferimento da liminar e, ao final, a concessão da segurança.

Segue a sentença abaixo, favorável a ASSOCIAÇÃO DOS ESCRIVÃES DE POLÍCIA.

SENTENÇA

Processo nº: 0026379-62.2013.8.26.0053 – Mandado de Segurança Coletivo

Impetrante: Associação dos Escrivães de Polícia do Estado de São Paulo

Impetrado: Presidente do SPPREV – São Paulo Previdência

 CONCLUSÃO

Em 08 de outubro de 2013, faço estes autos conclusos ao MM. Juiz(ª) de Direito Dr.(ª):

Claudio Campos Silva

 Vistos.

Associação dos Escrivães de Polícia do Estado de São Paulo, qualificada na inicial, impetrou mandado de segurança, com pedido liminar, contra ato do Presidente da SPPREV-São Paulo Previdência, com qualificação nos autos, objetivando ver reconhecido o direito a proventos de aposentadoria dos Escrivães de Polícia sem a necessidade de permanecer 5 anos na mesma classe. Sustentou, para tanto, em resumo, a diferença entre cargo e classe, sendo que a autoridade impetrante vem exigindo, para aposentação, que o servidor conte com pelo menos 5 anos de efetivo exercício na classe em que se der a inativação, o que excede a exigência constitucional nos termos da redação dada pela EC nº41/2003, que exigiu o tempo mínimo de 5 anos de permanência no cargo. Requereu o deferimento da liminar e, ao final, a concessão da segurança (fls.2/17). Juntou documentos

(fls.18/38). Emendou a inicial (fls.43/161).

Foi indeferido o pedido liminar (fls.162/163).

A autoridade impetrada alegou, em preliminares, a ausência de documento indispensável à propositura da ação, a decadência do direito e a inadequação da via mandamental pela impossibilidade jurídica do pedido de pagamento de verbas anteriores à impetração. No mérito, em síntese, sustentou a ausência de direito líquido e certo do impetrante, pois a promoção à uma classe superior é uma forma de provimento de cargo público, havendo atribuições mais complexas e aumento salarial. Alegou que a alteração no cálculo dos proventos prejudicaria o equilíbrio dos sistemas previdenciários. Citou a emenda constitucional nº 41/2003 para sustentar a necessidade de permanência por 5 (cinco) anos no nível ocupado pelo impetrante, justificando que, na medida em que o cargo é objeto de sucessivas classificações, cada uma delas corresponde a um nível remuneratório mais elevado.

Requereu, ao final, a extinção do processo, nos termos do artigo 267 do CPC, ou, no mérito, a denegação da segurança (fls.191).

O Ministério Público opinou pela concessão da segurança (fls.193/196).

É o Relatório.

D E C I D O.

Quanto às preliminares suscitadas pelo impetrante, elas não encontram amparo legal para o acolhimento. A via mandamental não é inadequada, pois o pedido dos autores fica restrito as diferenças das parcelas vencidas a partir da impetração.

Quanto a ausência de documentos indispensáveis, não há a necessidade de indicação nominal ou autorização dos associados para a impetração, por tratar-se de mandado de segurança coletivo. A preliminar de decadência não prospera, uma vez que o prazo de impetração não se conta da data da lei que concretizou a ofensa ao direito, por se tratar de redução mensal de proventos, o marco inicial para a impetração renova-se mensalmente.

No mérito, obrigatória a concessão da segurança.

Se verificado que o preenchimento, para fins de fixação da base de cálculo da aposentadoria voluntária, dos requisitos constitucionais atuais, nos termos do que dispões a Constituição Federal, com a redação dada pelas Emendas Constitucionais nº20/98, nº41/03 e nº47/05, por ser servidor público do Estado e titular de Cargo efetivo há mais de 20 anos, cumprindo, assim, 10 anos de Carreira e tempo mínimo de 5 anos no último Cargo, o de Escrivão de Polícia, em que se dará a aposentadoria.

Isso porque, no caso da carreira de Escrivão de Polícia, o servidor, do começo ao fim, ocupa sempre o mesmo Cargo.

A Classe é elemento indicativo de promoção por acesso, forma de provimento derivado, que não implica, ao contrário do que sustenta o Estado, em ascensão a cargo diferente.

Neste sentido, o julgado do STF:

“EMENTA: Agravo regimental em agravo de instrumento. 2.Promoção retroativa. 3.Jurisprudência pacífica do Supremo Tribunal Federal. 4. Promoção por acesso do servidor constitui forma de provimento derivado e não implica ascensão a cargo diferente daquele em que o servidor já estava efetivado. 5.Inaplicável o prazo de cinco anos de efetivo exercício no cargo para cálculo dos proventos de aposentadoria (art. 40, §1º, III, da Constituição Federal). 6. Agravo regimental a que se nega provimento.” (Ag.Reg. no Agrav. Instrum. nº768.536 RGS, Relator Min. Gilmar Mendes).

Da alteração de Classe apenas resulta o aumento de remuneração do Cargo e não pode ser eleito, pelo Estado, como requisito temporal para deixar de observar, quando da fixação da base de cálculo do benefício da aposentação, como última remuneração recebida pelo impetrante.

Nesse sentido, também, a jurisprudência do TJ/SP:

“CONSTITUCIONAL E ADMINISTRATIVO MANDADO DE SEGURANÇA

SERVIDOR PÚBLICO AGENTE PENITENCIÁRIO APOSENTADORIA REQUISITO TEMPORAL. Para aposentadoria voluntária exige-se tempo mínimo de dez anos de efetivo exercício no serviço público e cinco anos no cargo efetivo em que se dará a aposentadoria (art. 40, § 1º, III, CF). O requisito temporal diz respeito à permanência no cargo e não na classe. Servidor que preencheu os requisitos legais. Segurança concedida. Reexame necessário e recurso desprovidos.” (Apelação nº 0008125-10.2010.8.26.0453, Rel. Des.Décio Notarangeli, j. 25 de abril de 2012)

Ementa: DIFERENÇAS SALARIAIS E INDENIZAÇÃO SERVIDORA PÚBLICA INATIVA AGENTE FISCAL DE RENDAS PROMOÇÃO DO NÍVEL III AO NÍVEL IV RECONHECIDA APÓS SUA APOSENTADORIA, COM EFEITOS RETROATIVOS ALEGADA AUSÊNCIA DE PREENCHIMENTO DO REQUISITO TEMPORAL DE CINCO

ANOS QUE A SERVIDORA DEVERIA SE MANTER NO NÍVEL DESCABIMENTO OREQUISITO TEMPORAL DIZ RESPEITO À PERMANÊNCIA NO CARGO E NÃO NO NÍVEL QUANDO DA PASSAGEM PARA A INATIVIDADE REQUISITO TEMPORAL PREENCHIDO INTELIGÊNCIA DO ART. 40, § 1º, III, DA CONSTITUIÇÃO FEDERAL,

COM REDAÇÃO DADA PELA EC Nº 20/98 SENTENÇA MANTIDA. RECURSO AO QUALSE NEGA PROVIMENTO. SENTENÇA MANTIDA. (Apelação nº 0027895-59.2009.8.26.0053, Rel. Des. Regina Capistrano, j. 24 de abril de 2012)

Assim, por qualquer ângulo que se examine a questão, não há como dar-se guarida à sustentação jurídica apresentada pela autoridade impetrada, tudo para obstar a pretensão deduzida pelo impetrante.

ANTE O EXPOSTO e o mais que dos autos consta, JULGO EXTINTO, com julgamento do mérito, o mandado de segurança impetrado por Associação dos Escrivães de Polícia do Estado de São Paulo contra ato do Presidente da SPPREV-São Paulo Previdência e CONCEDO a segurança, com fundamento no artigo 269, inciso I, do Código de Processo Civil, para reconhecer o direito à aposentadoria com proventos calculados com base no valor da Classe do Cargo de Escrivão de Polícia que ocupar no momento da apresentação do requerimento administrativo para fins de aposentadoria.

Isento de honorários.

Custas pelo impetrado.

P.R.I.

São Paulo, 09 de janeiro de 2014.

O brasileiro é assim: prefere os cães às crianças…( Mate seu cachorro e adote uma criança pobre! ) 241

Luisa Mell resgata cães e denuncia delegado por descaso em Guarulhos
Duas cadelas foram retiradas de terreno por maus tratos na manhã dessa quarta-feira (12)
Postada em: 12/02/2014 ás 21:48:09

Duas cadelas foram resgatadas de um terreno em Guarulhos por sofrerem maus tratos. A ação, capitaneada pela apresentadora e ativista Luisa Mell levou cerca de 17 horas para ser concluída. Uma das dificuldades para a liberação dos animais, segundo a apresentadora, foi o descaso do delegado do 5º Distrito Policial do município, Walter Cardoni Filho que, segundo a apresentadora recusou-se inicialmente a registrar o boletim de ocorrência.

Sem conseguir retirar as cadelas do local, Luisa registrou queixa contra o delegado na Corregedoria da Polícia Civil de São Paulo, que destacou dois policiais para acompanhar o caso ao lado da ativista. No retorno ao terreno, após a passagem pela Corregedoria, o caso passou a ser acompanhado pelo delegado do 2º Distrito Policial de Guarulhos.

Era necessário esperar pela perícia para que, constatada a situação precária de vida dos cães, eles fossem retirados do local. A equipe levou oito horas para chegar. Segundo a ativista, o motivo da demora é que há apenas uma equipe para atender oito municípios. “Uma incompetência para resolver uma coisa tão simples”, desabafa a apresentadora. “Depois reclamam que a população começa a resolver o problema com as próprias mãos.”

Concluída a perícia, as cadelas foram retiradas do dono do terreno e levadas pela ativista para São Paulo. Uma delas, com um tumor gigante, deve passar por cirurgia. Procurada pela reportagem, a Secretaria de Segurança Pública (SSP) informou que a Corregedoria da Polícia Civil vai investigar o caso.

Feira de adoção

Uma feira de adoção oferecerá mais de 50 cães, entre adultos e filhotes, a maioria vira-latas, na zona sul de São Paulo neste domingo (12). O evento é promovido pelo projeto #Adotei, lançado no ano passado por Luisa Mell.

Para levar um novo bicho de estimação para casa, o interessado deve legar RG, comprovante de residência e pagar uma taxa de R$ 50. Além disso, é necessário passar por uma entrevista antes de ser autorizado a levar o animal. acontece das 10h às 17h na avenida Hélio Pelegrino, 770.

 

EDUARDO DUSEK – ROCK DA CACHORRA

———————————————-

Nossa solidariedade e respeito ao delegado do 5º Distrito Policial do município de Guarulhos , Dr. Walter Cardoni Filho.

Essa cachorreira deveria parir uns filhos ou adotar alguns…

As cidades brasileiras não suportam mais tantos cachorros e tanta merda pelas calçadas.

Folha demite André Caramante 40

BLOG DO MIRO

Folha demite repórter jurado de morte

Por Altamiro Borges

“O repórter André Caramante foi demitido do jornal Folha de S.Paulo, na última segunda-feira (10/02). O profissional voltava de férias, mas não encontrou o seu nome na escala de trabalho da semana. Ao chegar à redação foi comunicado de sua demissão, sob a alegação de ‘contenção de despesas’”, informa a jornalista Jéssica Oliveira, do portal Imprensa. O caso é gravíssimo. André Caramante ficou famoso ao denunciar os abusos cometidos pelo ex-chefe da Ronda Ostensiva Tobias de Aguiar (Rota), o coronel Paulo Telhada, que hoje é vereador pelo PSDB de São Paulo. Ele foi ameaçado de morte e deixou o Brasil, com a sua família, por alguns meses. Agora, a Folha demite o repórter para “conter despesas”.

Especializado em segurança pública, o jornalista era funcionário do Grupo Folha há mais de 14 anos, atuando nos últimos oito anos na redação da Folha. Ele denunciou vários crimes da polícia de São Paulo, como o envolvimento com grupos de extermínio e a prática de corrupção. Em julho de 2012, Caramante publicou um artigo com o título: “Ex-chefe da Rota vira político e prega a violência no Facebook”, sobre o coronel reformado Paulo Adriano Lopes Lucinda Telhada, então candidato a vereador pelo PSDB. A partir daí a sua vida virou um inferno. Ele recebeu diversas ameaças de morte e passou a ser escoltado por motoristas do jornal para ir ao trabalho.

O próprio coronel Telhada escreveu no seu Facebook que o jornalista “é um notório defensor de bandidos”. Nas redes sociais, os seguidores do truculento tucano postaram mensagens criticando o “péssimo repórter” e ameaçando: “Bala nele”. Sua família também sofreu ameaças. Diante dos riscos, “a Folha pediu a investigação do caso e, em conjunto com o profissional, optou por afastá-lo do país por motivo de segurança. Em 11 de setembro de 2012, ele e sua família saíram do Brasil e permaneceram fora por 90 dias”, relata Jéssica Oliveira. Após seu retorno ao país, ele foi afastado da cobertura da área de segurança pública e passou a escrever textos no caderno “Cotidiano” e para a TV Folha.

Agora, porém, o renomado jornalista – vencedor do prêmio Santo Dias da Assembleia Legislativa de São Paulo e do Prêmio Nacional de Direitos Humanos – é demitido. Durante este período, a Folha evitou pressionar o governador Geraldo Alckmin e o PSDB. Num evento no final de 2012, a repórter Lúcia Rodrigues, da Rede Brasil Atual, até questionou: “Neste momento, André Caramante está fora do país por ter feito denúncias contra o ex-comandante da Rota. Como é que o senhor se posiciona, governador?”. Alckmin se fingiu de surdo e não respondeu. Coronel Telhada é hoje uma das vozes mais estridentes do PSDB na Câmara Municipal. Já André Caramante foi demitido pela Folha!

Gratidão de favelado: xingar , agredir e roubar quem acorre em seu socorro…( Por favor, no próximo incêndio deixem a comunidade se virar ) 82

Tenente desabafa após bombeiros serem assaltados: ‘Nojo deste país’

Criminosos levaram relógios, carteiras e celulares dos bombeiros.
Grupo combatia um incêndio em São Vicente, SP, quando foi assaltado.

Do G1 Santos 

Bombeiro falou sobre o assalto durante o incêndio (Foto: Reprodução/Facebook)
Bombeiro falou sobre o assalto durante o incêndio (Foto: Reprodução/Facebook)

Vários bombeiros que participaram das operações para apagar as chamas do incêndio na comunidade México 70, no bairro Vila Margarida, em São Vicente, no litoral de São Paulo, foram assaltados, durante o trabalho, por criminosos que estavam no local. Após a ação, um tenente da corporação fez um forte desabafo pelas redes sociais.

“Eu achava que tinha visto muita coisa inacreditável. Mas assaltarem uma viatura do Corpo de Bombeiros, a metros de distância do local da ocorrência, colocando duas armas no peito do bombeiro enquanto ele reabastecia a viatura com água para dar continuidade ao combate a um incêndio gigantesco que ocorria naquele mesmo bairro? Na boa? Nojo deste país! Não aconteceu nada de mais grave com o bombeiro. A nós resta dar continuidade a nosso trabalho, pois ainda existem pessoas as quais devemos ajudar”, publicou o tenente no Facebook.

De acordo com informações passadas pelos bombeiros de São Vicente, os profissionais tiveram relógios, carteiras e celulares roubados. O caso ocorreu quando a viatura passava pela Avenida Nações Unidas. Segundo informações da polícia, ninguém havia sido preso até às 7h desta quarta-feira (12).

Incêndio
Mais de 80 barracos foram destruídos após um incêndio na comunidade do México 70, no bairro Vila Margarida, em São Vicente, no litoral de São Paulo. As chamas foram extinguidas pelos bombeiros às 17h45 desta terça-feira (11). Em meio à fumaça e as chamas algumas pessoas acabaram se desentendendo e policiais militares dispersaram a multidão com bombas de efeito moral e balas de borracha.

Fogo se alastrou na tarde desta terça-feira (11), em São Vicente (Foto: Adriana Cutino / G1)
Fogo se alastrou na tarde desta terça-feira (11), em São Vicente (Foto: Adriana Cutino / G1)

Márcio França (PSB) governador com apoio de Eduardo Campos e Marina Silva (REDE). 24

  • Enviado em 12/02/2014 as 1:12 - sinto muito 

    Olha ai Dr War mais uma opção contra o império do psdb nas eleições em SP, Márcio França (PSB) com apoio de Eduardo Campos e Marina Silva (REDE).

  • Terça-feira, 11 de Fevereiro de 2014 – 23h08 
Eleições

Márcio França aceita concorrer ao governo de São Paulo

De A Tribuna On-line
Estadão Conteúdo
N/A

Márcio França iniciou sua trajetória política em SV

O deputado Márcio França (PSB-SP) informou nesta terça-feira, ao governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), que aceita ser candidato ao governo de São Paulo, alternativa que deve colocar um ponto final da principal divergência entre o PSB e a Rede, de Marina Silva, que não aceita uma coligação em torno da reeleição do governador Geraldo Alckmin (PSDB).

O governador desembarcou em Brasília numa agenda “secreta”, na qual discutiu a situação de São Paulo e de outros Estados considerados problemáticos para a aliança PSB-Rede. A agenda oficial de Campos informa que ele “não terá agenda pública nesta terça”, sem qualquer menção à viagem dele a Brasília. O Estado apurou que o governador retornou a Pernambuco no mesmo dia. A reportagem não conseguiu contato com a assessoria dele.

A decisão pela candidatura própria em São Paulo ficou praticamente fechada na reunião em Brasília, que também contou com a participação de integrantes da Rede. O Estado apurou que a decisão final, agora, depende de uma conversa entre Campos, que também é presidente do PSB, com candidatos da aliança PSB-Rede a deputados estaduais e prefeitos. O PSB discutia com o PSDB a possibilidade de indicar Márcio França para a chapa de Alckmin. Essa ideia, portanto, deve ser descartada.

Márcio França começou sua trajetória política no movimento estudantil. Em 1989, aos 26 anos, foi eleito vereador da Câmara de São Vicente, onde permaneceu por dois mandatos. No ano de 1997, tornou-se prefeito do Município, sendo reeleito quatro anos depois com 93,1% dos votos válidos.