Exultai e alegrai-vos Petralhas, Dilma ainda possui a chance de continuar governando o paço-da-mãe-joana 11

O Datafolha realizou uma pesquisa nesta segunda-feira. Dilma Rousseff, do PT, aparece à frente de Aécio Neves, do PSDB. Se a eleição fosse hoje, segundo o instituto, a petista teria 46% dos votos totais, contra 43% do tucano. Nos votos válidos, ela teria 52%, e ele 48%. A margem de erro da pesquisa é de 2 pontos, para cima ou para baixo, o que coloca os candidatos tecnicamente empatados.

dilma0

Tribunal de Justiça absolve o delegado Robert Leon Carrel e investigadores Cleuber Gilson Bueno e Ricardo Ganzerla acusados de desvio de cocaína 12

O Tribunal de Justiça de São Paulo absolveu na quinta-feira (16) o delegado Robert Leon Carrel em um  processo no qual ele era réu  acusado de, em companhia de outros policiais, ter desviado parte de uma carga de cocaína que havia sido apreendida pelo departamento em um avião em Itu, em setembro de 2003.

A sentença de primeira instância , de maio de 2013, foi dada pelo juiz Fernando Bonfutti Izidoro, da 29ª Vara Criminal de São Paulo.

Além de Carrel, também foram condenados a 5 anos de prisão os investigadores Cleuber Gilson Bueno e Ricardo Ganzerla. Todos sempre alegaram inocência.

O delegado Luiz Henrique Mendes de Moraes, também acusado, morreu – em razão de problemas de saúde agravados com o processo –  antes da decisão.

“O juiz decidiu contra a prova dos autos”, afirmou o advogado Daniel Bialski,  defensor dos policiais. Segundo ele, um laudo feito pela Polícia Federal foi inconclusivo a respeito da quantidade da droga apreendida no aeronave. O MPE baseava sua acusação em duas análises feitas pela PF na qual os peritos diziam ser factível – com base em fotos da droga feita ainda no avião – de que a carga tivesse pelo menos 30 quilos a mais do que os 98 quilos informados pelos policiais. No dia da apreensão, a Secretaria da Segurança Pública chegou a publicar em seu site que 200 quilos de cocaína haviam sido apreendidos.

O advogado de Carrel demonstrou ainda que as escutas telefônicas da investigação do Denarc mostraram que os criminosos pretendiam trazer para São Paulo uma centena de quilos de cocaína. “Eles nunca citaram quantidade maior”, afirmou Bialski. O advogado  entrou com pedido de habeas corpus no Tribunal de Justiça para anular a sentença, pois o juiz do caso não participou do recolhimento das provas. Além disso, Bialski encaminhou ao tribunal um recurso contra o mérito da condenação, alegando a inocência dos policiais. Todos receberam o direito de recorrer da decisão em liberdade.

Agora, à unanimidade, a Corte de Justiça de Justiça DEU PROVIMENTO AO RECURSO e o absolveu, assim como aos demais acusados (que deverão ser reintegrados aos seus cargos ) com fundamento no artigo 386, inciso II do Código de Processo Penal, declarando que NÃO HAVIA PROVA sequer da materialidade e existência do fato.

Robert Carrel  atualmente aposentado, também,  defendido pelo advogado Daniel Leon Bialski e associados, obteve o deferimento de liminar em Mandado de Segurança para SUSPENDER a decisão que cassou sua aposentadoria. A decisão – igualmente por unanimidade – é colegiada e foi proferida pelo órgão especial do Tribunal de Justiça

O advogado Daniel Leon Bialski obtém mais uma vitória no Tribunal de Justiça em favor de policiais: anulou a cassação da aposentadoria do delegado Robert Leon Carrel 20

Ele foi responsável pelas maiores apreensões de cocaína efetuadas pelo DENARC; acabou perseguido , preso e obrigado a aposentar-se precocemente

Responsável de 1996 a 2006 pelas principais operações sigilosas do Departamento Estadual de Investigações sobre Narcóticos (Denarc), o delegado Robert Leon Carrel , acabou sendo vítima do ciúme e da inveja de alguns de seus colegas e, também, de membros do MP. Carrel possui inteligência acima da média, educação formal de elite e domina vários idiomas

Mesmo enredado por alguns promotores de 1ª instância que encomendaram laudos a pessoas suspeitas, com pareceres favoráveis do próprio Ministério Público foi absolvido pelo Tribunal de Justiça.

Carrel foi acusado de, em companhia de outros policiais, ter desviado parte de uma carga de cocaína que havia sido apreendida pelo departamento em um avião em Itu, em setembro de 2003.

Perseguido pela Corregedoria Geral da Polícia Civil, especialmente pelo delegado Délio Marcos Montressor – acabou sofrendo a penalidade de demissão a bem do serviço público convertida em cassação de aposentadoria. 

Contudo, graças ao seu profundo saber jurídico e hercúleo esforço de toda a sua  banca,  o Doutor Daniel Leon Bialski , por meio de mandado de segurança impetrado contra o ato do governador deste estado,  obteve a anulação da cassação da aposentadoria do delegado aposentado Robert Leon Carrel.

Cujo acórdão servirá de paradigma para outros casos.

carrelacórdãorobertleoncarrel

FBI é carreira única? 31

FBI é Carreira única?
Verdade ou mentira?
Tirem suas conclusões.

Quem não ouviu falar sobre as famosas PECs do FBI( PEC 361, 51 e 73) tão pregadas e difundidas pelos chamados EPAs da Polícia Federal ( escrivães, agentes e papiloscopistas). Como fundamento para a famigerada carreira única, dizem que na polícia americana, mais especificamente no FBI, a carreira é única. Todos são agentes especiais que entrando pela base podem ocupar os maiores postos. Mas será que isso é verdade ou apenas mais uma artimanha para enganar aqueles que não tem conhecimento sobre a carreira do FBI?
Vamos falar um pouco sobre a(s) carreira(s) do FBI.
Logo que se abre o site oficial do FBI (https://www.fbijobs.gov/1.asp), ao tratar sobre a forma de ingresso naquela agência, temos os seguintes dizeres:
Juntando-se ao FBI
Juntando-se ao FBI é como nenhuma outra opção de carreira por você já explorada. É um desafio. É emocionante. É gratificante. E a cada dia você tem a oportunidade de servir o seu país.
Saiba mais sobre as nossas duas carreiras principais:
• Agente Especial
• Professional Staff
De plano, já se percebe que eles falam: “Saiba mais sobre as nossas duas carreiras principais”.
Perceberam a primeira falácia? Duas principais Carreiras
Clicando no link Agente Especial, vai perceber que esta carreira não se divide em nenhuma outra. É a carreira principal e de comando no FBI. Ou seja, é uma carreira única.
Inclusive no próprio site fala sobre o plano de carreira dos Agentes Especiais:
Com todos os cinco planos de carreira supervisionando inteligência e atividades investigativas, informações específicas sobre cada divisão são: Diretoria de Inteligência A missão do programa de inteligência é posicionar de forma otimizada o FBI para atender a segurança nacional atuais e emergentes e ameaças criminosas.
Clicando no link Professional Staff, perceberá que vai abrir com os seguintes cargos dentro desta carreira:
Saiba mais sobre as oportunidades de carreira no FBI:
• Análise de Inteligência
• Tecnologia da Informação
• Ciência Aplicada, Engenharia e Tecnologia
• Lingüística
• Gestão de Negócios
• Polícia FBI
• Apoio Investigativo e Vigilância
• Outras oportunidades de carreira.
Agora se clicar no link Apoio Investigativo e vigilância, teremos os seguintes cargos:
• Especialistas de investigação
• Especialistas de vigilância
Ao se pesquisar qual a atribuição do cargo de Especialista em investigação temos:
Investigadores do FBI

”Especialistas de investigação do FBI têm a tarefa essencial de fornecimento de funções de apoio por meio de atividades de vigilância física. Especialistas de investigação fornecem apoio através da recolha de informação em áreas como a contra-espionagem estrangeira, e contra-terrorismo. Especialistas também tem a função de coletar, analisar e difundir essa informação para uso por outros funcionários do FBI, se necessário. As informações obtidas durante as operações de vigilância é usado para avaliar cada missão de vigilância e determinar um curso de ação para os agentes em campo.”
Pelo exposto, vemos que no FBI, existem duas carreiras distintas, sendo uma de SPECIAL AGENT e outra de PRFESSIONAL STAFF. O Termo em ingles STAFF significa, em português, entre outros sinônimos, APOIO. Mas a quem o PROFESSIONAL STAFF presta apoio? Não há qualquer dificuldade em responder que estes profissionais prestam apoio ao SPECIAL AGENT.
Ao pesquisar sobre o FBI no wikipédia, temos os seguintes dizeres quanto ao pessoal do FBI: Em 31 de dezembro de 2009, o FBI tinha um total de 33.852 empregados. Isso inclui 13.412 agentes especiais e 20.420 profissionais de apoio, como os analistas de inteligência, especialistas em linguagem, cientistas, especialistas em tecnologia da informação e outros profissionais.
Ou seja, fora os Agentes Especiais, que tem carreira própria, todos os outros integrantes do FBI são de uma carreira distinta. Ou seja, todos os outros profissionais são auxiliares ou prestam apoio aos Agentes Especiais.
Isto mostra a falácia apresentada por não delegados, tanto da policia federal, quanto das polícias civis de que nas “melhores polícias do mundo”, existem carreira única, onde todos têm condições de chegar ao topo, mesmo sem concurso público, ou seja, mediante o já extinto, como ocorreu com os dinossauros que já andaram sobre o nosso planeta, “trem da alegria”.
Nas policias judiciárias estaduais ou distrital temos, como regra: Delegado de Polícia, Agente de Polícia ou Investigador policial, Escrivão de Polícia, Perito Criminal e papiloscopista, os quais se separam em duas carreiras, a de Delegado de Policia e a carreira que engloba todo o restante.
Na Polícia Federal, temos em uma mesma carreira, diversos cargos, sobre os quais os tribunais superiores entendem que tais cargos têm natureza de carreiras distintas temos: Delegado de Polícia, Escrivão de Polícia, Perito Crimina, Agente de Polícia e Papiloscopista.
Podemos concluir que as policias civis e federal seguem o modelo do FBI, onde temos a carreira principal ou de comando que é a de delegados de polícia (SPECIAL AGENT) e a outra carreira, auxiliar ou de apoio, que estão os cargos de agente de polícia, escrivão, papiloscopista e os peritos criminais ( PROFESSIONAL STAFF).

Sérgio Ricardo Mattos
Delegado de Polícia do Distrito Federal

Aécio tem 56,4% dos votos válidos e Dilma, 43,6% 66

IstoÉ/Sensus: Aécio tem 56,4% dos votos válidos e Dilma, 43,6%

Pesquisa  IstoÉ/Sensus sobre a corrida presidencial divulgada nesta sexta-feira (17) mostra o candidato do PSDB, Aécio Neves, com 56,4% dos votos válidos, contra 43,6% de Dilma Rousseff (PT).

Se fossem considerados os votos totais, Aécio teria 49,7% e Dilma, 38,4%; 12% dos eleitores ainda se manifestam indecisos ou dispostos a votar em branco.

A pesquisa indica ainda que na reta final da disputa os dois candidatos já são bastante conhecidos pelos eleitores. O índice de conhecimento de Dilma é de 94,4% e de Aécio, de 93,3%.

Rejeição

O índice de rejeição à candidata Dilma Rousseff, segundo o levantamento, é de 45,4%. Com relação ao tucano, a rejeição é de 29,9%.

O Sensus ouviu 2.000 eleitores de 136 municípios em 24 estados, entre terça-feira (14) e esta sexta (17). A pesquisa tem margem de erro de dois pontos percentuais, para mais ou para menos, e está registrada na Justiça Eleitoral.

A ADPESP já estaria liquidada!…Resposta ao Policial Civil Digno 29

Ok Dr.Guerra, porém me restou uma duvida :

O Flit que praticamente foi órgão oficial de informações nas greves, reuniões, reivindicações e tantas outras ajudas a instituição….ficou sozinho na hora que vieram pra cima, mais exatamente , na sua demissão ?

A Adpesp ficou quietinha?

A mesma Adpesp que o Sr. ajudou e muito a colocar em destaque,e quiçá eleger a atual diretoria?

Ficou na mão?

Sempre quis perguntar isso.

Até hj nao me conformo com o silencio da classe dos Delegados em relação a sua demissão.

Opiniao minha:

delegado de policia funciona assim – é pra derrubar alguem, conquistar alguma gratificação, conseguir alguma regalia: O Flit é verídico, corajoso, porta voz da PC

Delegado de policia vendo seu par ser cassado pela administração: “tb aquele delegado maluco, só entro lá de vez em qdo pra rir”.

É assim que eu vejo. Covardia.

—————————————————–

Aos meus ex-colegas da ADPESP, não fosse uma pequena ajuda do FLIT observem na mão de quem estariam os delegados de São Paulo 61

dignidadeeação

A ADPESP já estaria liquidada!

http://flitparalisante.wordpress.com/2009/12/10/andre-dahmer-foi-denunciado-e-condenado-por-apropriacao-indebita-de-valores-previdenciarios/ ( da Adpesp )

Ao Policial Civil Digno,

Inicialmente, a postagem acima não se trata de nenhuma espécie de cobrança à atual diretoria da ADPESP, especialmente à Dra. Marilda; que me ajudou e apoiou no limite do estatuto.

Trata-se de um lembrete à maioria dos associados da entidade, pelo menos àqueles que confiaram seus votos em Marilda.

Em 2009 , André Dahmer quase foi eleito;  em 2011 Domingos Paulo Neto com André Dahmer , novamente, quase foram eleitos com ampla maioria dos votos da Capital.

Com efeito, André Dahmer é processado por improbidade administrativa e superfaturamento de contratos, fraude em licitações e com a suspeita de conivência de Domingos Paulo Neto.

Em 2005 a classe elegeu o famigerado ANDRÉ DI RISSIO ( Petralha de carteirinha ) .

Vexame internacional!

Pois bem, a ADPESP sempre foi um curral das panelinhas formadas por delegados da Capital .

Ora NASA para Cardeal, ora trampolim para 1a. classe ganhar promoção à classe especial.

Em ambos os casos a trampolinagem sempre foi geral.

O patrimônio de nós delegados era dilapidado por delegados.

Isso é inadmissível.

Que roubem o erário, traficante , o PCC , o vendedor de DVD, mas desfalcar o patrimônio constituído pelos próprios colegas merece pena capital.

Mudou com Marilda, apesar de um funcionário gatuno que andou desviando valores da tesouraria.

Também mudou a maneira de se buscar apoio aos interesses da carreira e da Polícia Civil.

Quanto ao silêncio da classe em relação a minha demissão?

Ser solidário a mim é infração disciplinar!

Os colegas devem fazer manifestações públicas em favor de delegados da estirpe do Dr. Antônio Carlos de Carlos Machado Filho, pois este sim foi injustiçado.

Nem sequer foi julgado pelo Poder Judiciário.

 

OAB/RJ emite nota de apoio à MP 657/14 29

OAB/RJ emite nota de apoio à MP 657/14

“A MP fortalece e dignifica não apenas a função de Delegado, mas também a instituição da Polícia Federal”.

  • OAB
  • OAB/RJ

A OAB/RJ vem a público manifestar irrestrito apoio à Medida Provisória 657, editada no último dia 13 de outubro pela Presidência da República.

Ao exigir ainda mais experiência para o ingresso no cargo de Delegado de Polícia Federal, a aludida MP fortalece e dignifica não apenas a função, mas também a instituição da Polícia Federal.

Por outro lado, é merecedora dos nossos maiores encômios a MP, também por ter previsto expressamente a participação da Ordem dos Advogados do Brasil no concurso público para o cargo de Delegado de Polícia Federal, o que decerto contribuirá para a garantia da legalidade do certame, como, de resto, ocorre em concursos destinados ao ingresso nas carreiras da Magistratura, do Ministério Público e da Advocacia Pública.

Fenapef – A federação dos felões mais uma vez derrotada 60

Caríssimo, dr. Guerra. Vênia máxima, volta à carga.
Agora, já não me interessa tanto – ao menos não diretamente – as desventuras de um país sem legendas de direita.
Se bem que, ninguém ignora, o partido dos trabalhadores segue a cartilha, é fruto mesmo, daquela esquerda mais vulgar e subalterna – a sindicalizada.
Pois então. É de um sindicato ou figura correlata que eu quero falar.
Ganha uma tubaína quem acertar o nome.
Ora, claro, trata-se da Fenapef.
Para meu pasmo – ou melhor, pasmo nada -, a aludida federação se prodigalizou em cumular…derrotas.
Recentemente, mais uma, e acachapante, colheu-a. Refiro-me por óbvio à recente medida provisora versando sobre a organização da instituição. ( Medida Provisória (MP) 657/14 )
A federação lançou-se num proselitismo burlesco, insurgindo-se contra uma emenda dos deltas da PF.
Já davam como certo a edição da MP sem a emenda.
Mas foi só um sonho de verão, mais um.
A MP adveio e, claro, trazendo a reboque a emenda dos majuras.
Eu racho o bico.,
Será que esses agentes não percebem que são meros títeres, alegremente manuseados, por uma porção de pares encostados e obsedados com uma ambição estapafúrdia?
Ao menos os congêneres estaduais não são assim, como dizer?, tão amalucados.
Os tiras e escrivães estão, digamos, mais conscientizados que coadjuvam o delegado de polícia, não podendo, nem remotamente, querer ser desta importante figura um sucedâneo.
E é claro que tal fato causa uma natural espécie. Afinal, a depender dos humores e circunstâncias reinantes, os celerados da fenapef ora supõem incensar o governo de turno ora contra ele se insurgem.
E quando mais eles vociferam que a figura do del pol é anacrônica (não, eles não usam esse termo. Parece-lhes rebuscado e elitista) e prescindível, mais o judiciário assevera o contrário. Um sem-número de sentenças plasma a relevância, o caráter jurídico, singularidade e outros predicados dessa importante carreira de estado.
Quanto mais os próceres da fenapef alimentam o delírio da carreira única, mais leis são editadas prestigiando, destacando e conferindo poderes aos…delegados.
Porém, claro, eles apelam. Todavia, é uma apelação de tal sorte infantlilizada que não persuade ninguém. Algo do tipo: – os males da segurança pública são todos atribuíveis à figura do delegado. – O culpado é o sistema. – Não pode haver concurso para chefe – Não pode haver o apadrinhamento (mas alijando-se a figura do concurso para delegado, o que mais se recrudescerá será justamente o…apadrinhamento). Reside nessas e em outras pérolas o mote da sublevação da fenapef.
E é um discurso tão pueril, que mescla um viés revolucionário com um reacionarismo desconcertante. É um discurso tão quixotesco, e lunático, e delirante, que eu, bom…eu racho o bico. E, claro, agradeço: ainda bem que os agentes do delegado de polícia em âmbito estadual não são assim tão…amalucados.
Ps: o advento da aludida MP em nada mudou meu posicionamento. Continuo e sempre serie infenso ao discurso do PT, PSOL e tutti quanti.
Ps 1: obviamente, eu não ignoro que uma expressiva parcela dos agentes federais não compra a cantilena da fenapef. São sim valorosos e extremados policias.
Ps 2: de igual forma, estou plenamente cônscio, e de há muito, que os tiras e escrivães da polícia civil de São Paulo são profissionais altamente capacitados, sem os quais a polícia simplesmente não funciona. Do mesmo modo, tenho plena consciência de que eles são parcamente remunerados, sendo absolutamente legítimo que lutem por melhores vencimentos e condições de trabalho (mas claro, essa consciência não invalida uma outra, que lhe é avessa: para alguns, vagabundos, incompetentes, a remuneração e até demasiada. Percepção extensível, claro, a alguns delegados).
Ps 3: trevosos e arrivistas vulgares, sintam-se plenamente à vontade para me xingar, desqualificar etc. Só não venham com aquele papinho de que não entenderam nada, que sou pedante, escrevo difícil etc. Claramente, até aquele que padece da mais profunda e irreversível idiotia, até ele perceberá que não se trata do fácil falar difícil. O texto é plenamente inteligível.
Todavia, se à míngua de argumentos, quiserem me censurar o estilo, façam-no.

Dr. PACHECO

Diário dos Esquecidos – ELEIÇÃO E UNIÃO POLICIAL 40

 

Bom dia Dr. Guerra. Solicito que divulgue o nosso texto. 

Agradecemos.

ELEIÇÃO E UNIÃO POLICIAL

Senhores policiais, independentemente de quem vencerá as eleições para presidente do Brasil, tenham certeza absoluta de uma coisa: nós continuaremos abandonados pelo novo governante.

Ambos os candidatos não possuem nenhum plano para corrigir os equivocados caminhos que a segurança pública foi forçada a trilhar. O que há são propostas aparentemente criadas por especialistas que raramente saíram de seus gabinetes com ar condicionado, tais como magistrados e promotores de justiça. É a permanência da mesma política que ludibriou as pessoas a acreditarem que estariam mais seguras, pois o governo realizou mais uma compra de armas e veículos oficiais, esquecendo-se de valorizar àqueles que operarão tais equipamentos.

Para piorar, temos uma imprensa que se esforça em punir antecipadamente o policial que no meio de um tumulto agride um inocente cidadão. Esquece-se de ponderar seus inflamados discursos e textos, tendo em vista que somente pode errar aquele que participa. Desconsidera o fato de que agir no meio de uma multidão enfurecida é completamente diferente de analisar um processo folheando calmamente suas folhas.

Assim, saibam policiais, que estão na mais completa solidão, pois ninguém gosta de vocês. E quando se caminha sozinho, os perigos aumentam. Por esta razão, rogo para que não tenham nenhum envolvimento pessoal com as ocorrências que lhe forem apresentadas. Façam o mínimo necessário para não se comprometerem com os casos que lhe forem apresentados, independentemente da carreira que possuem. Lutem para desmotivar familiares e amigos que insistem em ingressar na instituição policial. Mostre a eles a triste realidade que enfrentam. Removam o manto que encobre a verdadeira face da polícia, e lhes revele tudo que seja digno de repulsa. Não permita que alguém que você estime faça parte dela.

Os heróis, os chamados linhas de frente e operacionais de outrora, são pessoas do passado. Perderam-se no tempo à procura de sonhos de uma sociedade melhor. A sociedade covardemente os traiu. O policial do presente deve limitar-se a cumprir fielmente o estereótipo do funcionário público, preocupado tão somente em cumprir o horário, não desagradar o chefe e cuidadosamente bater o carimbo no lugar certo, sempre esperando o maravilhoso momento de desfrutar o saboroso cafezinho. 

 

LEALDADE – Governador Geraldo Alckmin recebe visita da presidência da ADPESP 90

16/10/2014 – Governador Geraldo Alckmin recebe visita da presidência da ADPESP

comunicado

Na manhã desta quinta-feira (16/10), o Governador Geraldo Alckmin, recebeu em seu gabinete, no Palácio dos Bandeirantes, a presidente da ADPESP, Dra. Marilda Pansonato Pinheiro.

O Secretário de Planejamento e Desenvolvimento Regional, Julio Semeghini e o Doutor Andrea Calabi, Secretário da Fazenda, também foram visitados. Na oportunidade foram abordadas questões relacionadas à pauta de propostas sobre a valorização da carreira dos Delegados de Polícia .

A presidente da ADPESP, Dra. Marilda Pansonato Pinheiro, destacou que a sólida relação de respeito e diálogo da ADPESP com o Executivo, edificada ao longo dos últimos 3 anos, vem amplificando a  representatividade da Classe, não somente no âmbito Governamental, mas também nas esferas do Poder Judiciário e da sociedade civil.

Menino Marcos Vinicius morto com um tiro na cabeça disparado por PM – Dilema policial: agir ou não agir em horário de folga ? 27

Demora

Entre dor e revolta, casal aguarda cinco anos por indenização em Santos

Eduardo Velozo Fuccia

Um casal de Santos que teve o filho de 10 anos morto com um tiro na cabeça disparado por um soldado da Polícia Militar enfrenta uma fila, longa e demorada, para receber a indenização imposta ao Estado pela Justiça, a título de dano moral. A quantia devida é vultosa, mas os pais do menino pediram para não divulgá-la.

Enquanto não recebem a verba à qual fazem jus, Walney Xavier Pereira e a sua mulher, Rosana Aparecida Franco Pereira, enfrentam graves dificuldades econômicas, que só acentuam a lembrança da noite de 23 de dezembro de 1999.

Naquele dia, Marcos Vinicius Franco Pereira, filho caçula do casal, brincava na frente de sua casa, no Castelo, em Santos, e foi baleado por um policial militar, que estava de folga na residência da então namorada e saiu em perseguição a ladrões. Walney e Rosana têm outro filho, atualmente com 29 anos e casado, que não mora com eles.

Na esfera penal, os jurados reconheceram a tese de que o soldado agiu no estrito cumprimento do dever legal e o absolveram do homicídio. Mas o juiz José Vitor Teixeira de Freitas, da 1ª Vara da Fazenda Pública de Santos, considerou “irrelevante” a decisão do Tribunal do Júri ao julgar ação cível, na qual os pais do menino foram representados pela advogada Cássia Aparecida Rodrigues Sagrado da Hora.

“O policial militar tem regime especial de trabalho e se dedica, em tempo integral, às atividades de polícia. Ao reprimir um roubo em andamento, ele atuava como agente da requerida (Fazenda Pública de São Paulo)”, destacou Teixeira de Freitas.

Com essa observação, o magistrado considerou “evidenciada a responsabilidade da ré na reparação dos danos”, condenando-a a indenizar os pais da criança por causa do “profundo abalo psicológico” sofrido por eles devido à conduta do agente público.

Como determina a legislação neste tipo de ação cível contra o Poder Público, a decisão de Teixeira de Freitas foi reexaminada pelo Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP). A 11ª Câmara de Direito Público a manteve por unanimidade, tornando-a definitiva.

De acordo com os desembargadores Francisco Vicente Rossi, Ricardo Dip e Oscild de Lima Júnior, a Administração tem responsabilidade objetiva, que não exige a comprovação de dolo (intenção) ou de culpa (imprudência, imperícia ou negligência), porque o dano derivou da conduta do soldado no exercício das funções.

N/A

Walney e Rosana, pais da criança, enfrentam duplo drama: a ausência de filho e espera pela indenização

Fazenda tem 5.962 precatórios

A sentença da 1ª Vara da Fazenda Pública de Santos foi dada em 19 de dezembro de 2006, enquanto o acórdão do TJ-SP é de 14 de abril de 2008. Com o esgotamento das possibilidades de recursos, a decisão se tornou definitiva e a presidência do tribunal expediu o precatório, em 25 de junho de 2009, para que a indenização seja paga.

Porém, mais de cinco anos após essa expedição, os pais de Marcos Vinicius nada receberam e a expectativa quanto ao tempo que ainda aguardarão pelo pagamento não é nada animadora. A Fazenda do Estado de São Paulo tem uma lista com 5.692 precatórios pendentes de pagamento. O casal está na posição de número 4.103.

Walney, de 51 anos, e Rosana, de 48, não têm direito a qualquer prioridade nessa fila, como, por exemplo, possuem os credores com mais de 60 anos de idade ou portadores de doença grave. Portanto, eles deverão aguardar rigorosamente a ordem cronológica para a execução do precatório e o consequente pagamento da indenização.

Precatórios são requisições de pagamento feitas pela presidência de tribunal que condenou a Fazenda Pública, seja da União, dos estados ou do Distrito Federal, ou dos municípios. Segundo a Emenda Constitucional (EC) nº 62, de 2009, conhecida como Emenda do Calote, o prazo para se pagar os precatórios pode ser de até 15 anos.

Por maioria de votos, o Supremo Tribunal Federal (STF) cassou a EC 62/2009, por entender que ela era prejudicial ao cidadão. A discussão, porém, ainda continua para se estabelecer o prazo de pagamento dos precatórios pendentes, até que a situação se normalize e os credores recebam no ano subsequente ao da expedição da requisição.

Relator da ação direta de inconstitucionalidade que cassou a EC 62, cuja decisão foi publicada no último dia 26 de setembro, o ministro Luiz Fux defende o pagamento das dívidas pendentes do poder público em cinco anos. Mas a fixação desse ou de outro prazo ainda depende da concordância da maioria dos integrantes do STF.

Dr. Pacheco: SOU DELEGADO DE POLÍCIA do estado de São Paulo meu voto foi em Geraldo Alckmin, foi em Aécio e será desse último de novo 128

Trata-se de um rematado e rombudo engano. Fruto, claro, de um reducionismo muito comum e próprio de pessoas atrasadas.
Notem bem: o que rege meu voto não é um qualquer interesse periférico, subalterno e particularista.
O maior prócer do partido do trabalhadores, muito provavelmente o Lula em pessoa, poderia interpelar-me pessoalmente, a dizer: – “Vote no Padilha, companheiro. Vote na Dilma, meu filho. Vote em qualquer dos quadros do PT, e eu lhe prometo que ao cargo de delegado serão atribuídas todas as garantias asseguradas aos juízes de direito bem como estendível os mesmos vencimentos.”
Decerto, muitos não crêem, e me considerem demagogo, porém eu responderia com um sonoro NÃO.
Lógico que minha interdição não se circunscreve ao PT. Rigorosamente, ela alcança todo e qualquer partido de esquerda.
Alguém então, mais versado em política e na salada geral de nossas legendas, poderia redarguir: – ora, o PSDB e o PT têm a mesma pia batismal.
Verdade. Ocorre que o PSDB, de uns tempos a esta parte, malgrado ainda parcialmente, vem abdicando dos anacronismos muito típicos da esquerda.
O candidato Aécio fala abertamente em reduzir o tamanho do estado, algo em que eu acredito de modo pio.
Um estado agigantado, a se imiscuir nos mais diversos segmentos, não serve para nada. Apenas onera o cidadão.
Para mim, o estado tem de ser diminuto, enfeixando incumbências mínimas, e delas de desincumbindo com excelência. Serviços de truz, circunscritos às atribuições prementes.
Esse negócio de estado empresário é uma enormidade.
Juro, eu tenho preguiça de discutir com quem acredita nessas bobagens. Os exemplos são tantos e tão elucidativos. Alguém acredita genuinamente que se a Petrobras fosse privada, ela teria sido pilhada da forma que foi e se transmudado na sinecura dos companheiros. A exemplo dela, todas as demais estatais.
Claro, isso é só um aspecto mais, como dizer?, perfunctório da coisa.
As razões de fundo, penso, tê-las esmiuçado, senão todas, algumas. Mas não me custa e volto à carga.
Um indivíduo de esquerda acredita que somos todos iguais. Nossas capacitações, aptidões, anseios, vocações etc seriam, com efeito, niveláveis. Tem-se, para o empedernido esquerdista, um lógico consectário: faríamos jus a mesma renda, mereceríamos todos a mesma e indistinguível recompensa.
Então, eu já penso de modo absolutamente diverso. Acredito piamente que uns são muito mais capacitados que outros. Que somos essencialmente diferentes. Uns mais belos. Uns mais feios. Uns mais inteligentes. Outros mais burraldos. E assim indefinidamente. Claro, uns têm maior elã. Claro, outros maior pendor para o trabalho, seja intelectivo seja braçal. Uns empreendem.
O meu consectário lógico: a recompensa de alguns, justamente, tem de ser maior que a de outros, às vezes, infinitamente maior.
E, a rigor, não me faz tanta diferença assim. Porque, para mim, a riqueza de outrem é virtuosa. Eu não a invejo, como um bom esquerdista. Ao contrário, eu a admiro. Para mim, a riqueza de outrem se espraia. A do empreendedor, ela cria empregos, numa espiral auspiciosa. Para o esquerdista, trata-se de algo inconcebível. E ele vocifera: – absurdo, absurdo, vamos dividir o que ele conquistou.
Claro, o esquerdista sempre presumem que os ricos são essencialmente maus. Já o pobres, imaculados. Afinal,que esquerdista não bebe em Rousseau.
Digo: não sou teísta. Sem embargo, defendo ardorosamente os valores que conformaram nossa civilização judaico-cristã. Já um esquerdista, não. Para ele, tudo o que nossa civilização concebeu é algo a ser superado. Tudo: nossas tradições, nossa alta cultura, nossas religiões, sumamente tudo. Afinal, é ele um revolucionário. Ele acredita que, destruindo tudo, um novo ser humano exsurgirá puro e aperfeiçoado.
E tem mais, muito mais. Embora na retórica, um bom esquerdista diga que todos devam ser padronizados, no mundo fenomênico, onde as abstrações soçobram, eles são pródigos em estabelecer distinções. Eis que surgem as muitas minorias: negros, gays, mulheres, índios, funcionários públicos etc. Todas a reclamar direitos especiais, todas a reclamar uma justiça reparativa, como se elas fossem, desde sempre, apenas oprimidas pelos malvados homens brancos e heterossexuais.
Como se negros não houvessem seviciado…negros na história. Como se gays fossem só candura com outros…gays, segue-se um infindável etc.
Outra: um bom esquerdista já viceja com um inimigo figadal elegido: a igreja católica, ou num sentido mais lato, o cristianismo.
Isso mesmo. O mesmo cristianismo que concebeu o ser humano intransitivo, outorgando-lhe dignidade cristã desde a concepção. Não, a igreja católica, para um bom esquerdista é um monstro terrível. A inquisição, um período dos mais dantescos da humanidade. Claro que ele prefere ignorar que comparativamente, e num período risivelmente menor, o comunismo ceifou muito, mas muito mesmo, mais vidas. Ele prefere ignorar que, há muito, a igreja católica passou por seu iluminismo, e desde sempre fora um pilar inquebrantável das nossas mais significativas conquistas.
Mas tudo bem, um esquerdista não se dignará mesmo a estudar. Afinal, ele acredita que tudo o mais é uma bosta, apostando suas fichas num futuro redentor que ele moldará de acordo com a “perfeita dogmática esquerdista”.
Ele ainda acredita que o Partido, como o bom e insuperável “imperativo categórico”, deve mesmo ser gigante e de tal sorte capilarizado que a consciência de todo o mundo seja por ele regida.
Eu poderia me estender por longa linhas, a explicar o que distingue um conservador de boa cepa de um esquerdista estupidificado. Mas não o farei.
Quem se interessar pelo assunto, terá uma vasta gama de livros sobre ele versando. Na lista dos escritores contemporâneos, não poderá faltar: Olavo de Carvalho, Reinado Azevedo, João Pereira Coutinho, Pondé, Rodrigo Constantino, Felipe Moura Brasil, Guilherme Fiuza, Lobão, Leandro Narloch e outros.
Gustavo Corção e Nelson Rodrigues são insuperáveis.
Finalizo, então, como comecei: SOU DELEGADO DE POLÍCIA do estado de São Paulo, que historicamente remunera mal a categoria, nada obstante, meu voto foi em Geraldo Alckmin, foi em Aécio e será desse último de novo.

Dr. Pacheco

O Delpol Antonio Carlos de Castro Machado Júnior – filho do ex-DGP Dr. Caio – é demitido a bem do serviço público 64

castromachado

28/07/2009 – 09h20

Juiz decreta prisão de 4 policiais no caso El Negro

Em São Paulo
A 18ª Vara Criminal de São Paulo decretou a prisão preventiva de quatro dos cinco policiais civis acusados de extorquir US$ 260 mil do traficante colombiano Manuel Yespes Penágos, conhecido como El Negro, e de achacar a mulher de um empresário. Detida com o colombiano, ela foi obrigada a pagar R$ 300 mil para que os policiais não forjassem contra ela um flagrante de tráfico de drogas.

Prisão de El Negro

  • 06.fev.2009 - Sebastião Moreira/EFEO narcotraficante colombiano Manuel Yespes Penágos foi preso em maio de 2008, quando se identificou como o mineiro Manoel Oliveira Ortiz. Nove meses depois a fraude foi revelada

Além de decretar a prisão dos investigadores Nilton Cesar de Azevedo, Antônio Aparecido Silva, o Batata, Ricardo Oscar Grosser Travesso e Dimitri Spada, a 18ª Vara Criminal recebeu a denúncia dos promotores Pedro Baracat ( ex-investigador de polícia , irmão de delegado e filho de ex-delegado geral ) e Luiz Faggioni contra o grupo. O único acusado que não teve a prisão decretada foi o delegado Antônio Carlos de Castro Machado Júnior.

A acusação contra os policiais inclui, além do achaque, extorsão mediante sequestro, cárcere privado e tráfico de drogas. Segundo as investigações feitas pelo delegado Caetano de Paulo Filho, da Corregedoria da Polícia Civil, os réus sequestraram El Negro e sua mulher, Juliana Londono, quando eles saíam de uma boate em companhia da mulher do empresário, também detida pelos policiais.

Para justificar a prisão dos três, os policiais obrigaram uma informante a plantar comprimidos de ecstasy e um frasco com ecstasy líquido no carro da mulher do empresário e com o colombiano. O delegado Caetano descobriu os detalhes da trama depois de identificar a informante – uma jovem que conhecia a mulher do colombiano.

As vítimas dos policiais foram levadas à então sede do Departamento Estadual de Investigações sobre Narcóticos (Denarc), no Butantã, zona oeste de São Paulo. Ali foram mantidas enquanto não providenciavam o dinheiro. Procurado pela Interpol (polícia internacional) pelo envio de toneladas de cocaína para a Espanha, El Negro pagou US$ 150 mil para livrar sua mulher e ficar preso com a identidade falsa de Manoel de Oliveira Ortiz, um mineiro nascido em Borda do Campo. Mais tarde, os policiais exigiram mais dinheiro de El Negro. Eles alegam inocência. As informações são do jornal “O Estado de S. Paulo”

caiomachadojunior

PARAÍSO DOS PSICOPATAS – PMs “valentões” negam ter matado “parsa” de copo em Mauá 43

PMs são presos e indiciados por morte de jovem no ABC


14/10/201412h24

Um cabo e dois soldados da Polícia Militar foram presos e indiciados por homicídio qualificado do jovem Rafael Mendes Caetano, 23. O crime aconteceu em uma casa noturna de Mauá, no ABC paulista, na madrugada da sexta-feira (10). Os policiais foram levados ao Presídio Militar Romão Gomes, na zona norte da capital.

Além do homicídio, os policiais deverão responder por omissão de socorro e prevaricação, de acordo com o que foi informado em nota pela SSP-SP (Secretaria de Segurança Pública de São Paulo). Um civil de 28 anos também foi preso por suposto envolvimento no crime e está na Cadeia Pública de Santo André.

A Polícia Civil apura ainda a participação de outros cinco policiais militares que estavam no local no momento da ocorrência e que foram recolhidos administrativamente na Corregedoria da PM.

O delegado responsável pela investigação do caso, José Mesquita Alves, titular do 1º Distrito Policial de Mauá, solicitou a prisão temporária dos três PMs e do civil à Justiça. O período mínimo da reclusão é de 30 dias.

Dois policiais foram presos ainda na noite desta segunda-feira (13), e outro se apresentou na manhã desta terça-feira (14).

 

O caso teve início na madrugada da sexta-feira passada, quando Rafael Mendes Caetano se feriu gravemente após cair de um mezanino no interior de um bar em Mauá. A queda na altura aproximada de cinco metros causou morte cerebral no jovem, que foi socorrido para um hospital da região. Isso aconteceu após uma discussão iniciada com policiais militares de folga que também estavam no bar.

Segundo o delegado Alves, os homens assumem terem participado da confusão com Caetano, mas negam terem jogado o rapaz do mezanino. O cabo atua no Comando da Área 6 (CPAM-6), na região do ABC, e os dois soldados são do 30º Batalhão da PM, em Mauá.

—————————————-

O rapaz parece ter chamado um dos PMs de “parsa” referindo a parceiro ( de copo ); o brioso deve ter entendido como  comparsa ( de crime ).

Foi o bastante…

Nove contra um!

Prá arrematar o arremesso do infeliz mezanino abaixo .

Após a façanha não ficou um valente para contar o feito.

É por isso que eu sempre digo e volto a repetir: TEM PM  QUE É MUITO CORAJOSO EM BANDO!

Desculpem-me a maioria.

Entrevista com Antônio Ferreira Pinto – “Verdadeiro lixo” ( a preferência pela Polícia Civil é nítida ) 45

“Verdadeiro lixo”

Por Morris Kachani

14/10/14 15:49

antonio f pinto“Para os bandidos do crime organizado o momento atual é de céu de brigadeiro, pois este governo está segurando a polícia, que perdeu sua autonomia. Hoje o PCC, que lucra o dobro do que lucrava, não é molestado”.

“Minha visão sobre o governador Alckmin é de um homem que só decide por decurso de prazo. Seu governo fez da secretaria de segurança pública um sistema de capitanias hereditárias”.

Ao deparar com seu sucessor, Fernando Grella, em evento de troca de comando na Rota, no final de setembro, Antônio Ferreira Pinto, ex-Secretário de Segurança Pública (2009-2012), baixou o olhar, pigarreou e pronunciou “lixo”, sem estender a mão (veja o vídeo em https://www.youtube.com/watch?v=u0LCNm2KlxM).

Recentemente, o nome do ex-secretário apareceu em investigação envolvendo suposta relação entre Frank Aguiar, vice-prefeito de São Bernardo, e traficantes. Uma rede de proteção, da qual faria parte Ferreira Pinto, teria tentado livrar Aguiar da investigação.

“Isso foi montado por um delegado do Deic, o Alberto Matheus. Ele foi afastado na minha gestão por suspeita de envolvimento com o PCC, voltou agora e está se vingando. E o Fernando Grella está a par de tudo isso”, diz Ferreira Pinto.

Ele concorreu a deputado federal pelo PMDB, mas não conseguiu se eleger. Em compensação, dois de seus principais interlocutores, o coronel Telhada e o Major Olimpio, elegeram-se deputado estadual e federal, respectivamente. Em comum com eles, diz Ferreira Pinto, está a defesa dos interesses da Polícia Militar.

Sua atuação à frente da pasta nunca foi um consenso. O afastamento de diversos oficiais da Polícia Civil dos cargos de chefia, por suspeita de corrupção, a truculência e letalidade da Polícia Militar e a questionada extensão de um sistema de escutas nas investigações do crime organizado fazem parte do repertório.

Ex-tenente e capitão da Polícia Militar,promotor de Justiça, Ferreira Pinto transformou-se em feroz crítico não só de seu sucessor, a quem acusa de descontinuar políticas acertadas de sua gestão, mas também do governador Alckmin.

De acordo com ele, o tráfico de drogas cresceu “em progressão geométrica”, nos últimos anos.

Ferreira Pinto também critica o tratamento dispensado pelo governo à Polícia Militar: “A Rota é uma tropa especializada que só atua em momentos agudos. Não atende briga de marido e mulher, não atira para cima – só aparece quando o confronto é iminente. E a Rota foi tirada das ruas”.

O número de roubos ao patrimônio na capital e no Estado, que registraram alta pelo décimo quinto mês consecutivo, também é alvo das críticas do ex-secretário, que concluiu a entrevista dizendo: “verdadeiro lixo”.

*

Por que “lixo”?

Fui na solenidade da Rota e pela primeira vez, tive contato físico com o atual secretário. Tenho uma indignação muito grande pela forma como a secretaria está sendo conduzida, pelo desmando, pela falta de uma política de Estado, pelos retrocessos após minha saída.

O nível de corrupção nas polícias piorou?

Existe uma falta de combate mais efetivo da corrupção. Eu trouxe para meu gabinete a corregedoria da Polícia Civil, mas hoje isso é letra morta. Hoje a corregedoria não tem vinculação com o gabinete.

Enfim, fica difícil evidenciar se a corrupção piorou, mas a sensação de insegurança entre a população, sem dúvida aumentou.

No entanto o índice de homicídios caiu e se manteve baixo.

Isso é balela. O índice de homicídios vem caindo graças a um serviço implantado pelo DHPP, que descentralizou esta gestão, trazendo policiais vocacionados de todas as áreas. Um serviço muito bem feito pela Polícia Civil que trouxe o decréscimo nos homicídios desde 2006. Quando Alckmin voltou a assumir em 2011, o índice já era o mesmo de hoje.

E os roubos?

Dizer que os crimes de roubo aumentaram por conta da delegacia eletrônica é outra balela, que vem sendo propagada pelo atual secretário. Aumentou porque não existe combate efetivo aos crimes patrimoniais. O governo lançou com toda pompa no ano passado o programa “São Paulo contra o crime” mas a verdade é que o crime venceu.

Na hora em que você baixa uma resolução dizendo que a PM não pode atender ocorrência em que houve tiroteio, você está prejulgando toda uma instituição centenária, acusando-a de tendência homicida.

Quando o governador tira a Rota da rua, fica demonstrado que ele não tem interesse nenhum em combater com energia o crime.

A Rota foi tirada da rua?

Por vários meses a Rota só faz serviços internos e esporadicamente sai à rua. Existe uma preocupação por parte do governo de não passar a imagem de uma polícia repressora. Só que não podemos abrir mão da autoridade do Estado, isso não pode ser esgarçado. Por isso que põe-se fogo no dentista… nisso tudo o pano de fundo é o tráfico de drogas, que cresceu em progressão geométrica. O governo se vangloria de ter apreendido 60 toneladas de cocaína ano passado, mas nunca apresentou um traficante de médio porte.

O crime organizado cresceu?

O crime organizado aumentou.  A Rota é uma tropa especializada que só atua em momentos agudos. Não atende briga de marido e mulher, não atira para cima – só aparece quando o confronto é iminente. E a Rota saiu das ruas.

Quando você se desligou da pasta, muitos policiais estavam sendo executados.

Havia um combate efetivo ao tráfico de drogas e houve essa reação covarde por parte do crime organizado. E assim fui desligado. Uma decisão tomada com base no oportunismo.

No entanto a letalidade da polícia abaixou desde sua saída da secretaria.

O governador não entende o que é letalidade, o que é até compreensível, pois ele é médico anestesista. Letalidade é diferente de execução, isso sim algo execrável. Fizemos levantamento mostrando que em 55% dos confrontos ou o preso saía vivo ou fugia, em minha gestão.

Para os bandidos do crime organizado o momento atual é de céu de brigadeiro pois este governo está segurando a polícia, que perdeu sua autonomia. O crime organizado das prisões recebe a mensagem: ‘não me importune que não importuno’. Hoje o PCC não é molestado. Hoje o crime organizado aufere um lucro de R$ 8 milhões ao mês. Temos gravações mostrando isso. Antigamente, o lucro era de R$ 4 milhões.

Qual sua visão sobre o governador Alckmin?

Minha visão dele é de um homem que só decide por decurso de prazo. Alckmin não tem uma relação mais incisiva com a secretaria de segurança, que se ressente dessa autonomia. As manifestações de junho de 2013 são um exemplo claro. Ora a polícia era omissa, ora se excedia. O governador não sabe o que quer, está muito mais preocupado com as jogadas de marketing.

Como era sua relação pessoal com o governador?

Nunca fui da escolha pessoal dele. Só me nomeou secretário porque não teve outra alternativa. Nunca fui do agrado dele, nossa relação era absolutamente formal.

Qual o grau de violência de nossa polícia, em sua opinião?

Continua grande. Mas não existe polícia no mundo que não tenha um grau de violência. Não mataram um brasileiro em Londres? E o que dizer da polícia americana? O governo tem que ter a humildade de saber que desafio é grande e é preciso uma resposta adequada.

Violência tem que ser combatida com violência?

A violência está na sociedade, e para combatê-la, a autoridade do Estado é necessária. Mas o Alckmin quer passar uma imagem de bonzinho, se desfazer da imagem de uma polícia repressora. Ora, tem que se combater. Mas não faço uma apologia da violência. O confronto é uma opção do bandido.

Como está o ânimo dos policiais?

Os policiais estão indignados. Porque na hora que o governo baixa uma norma dizendo que o policial militar não pode socorrer, criando uma atmosfera de desconfiança, na hora que o governo coloca uma focinheira na PM, na hora em que o governo dá nitidamente preferência por uma organização policial em detrimento da outra, o ânimo cai.

Preferência?

Sim, a preferência pela Polícia Civil é nítida e sabemos que existe uma rivalidade entre as corporações. Existe uma deferência pela Polícia Civil. Ao menos o governo deveria pagá-los bem, e não na base dos adicionais e gratificações, o que afinal é um reconhecimento de que não está pagando direito.

Que tipo de retrocessos houve, desde sua saída?

Eles abriram mão do novo plano de gestão da polícia civil que havíamos elaborado. Voltou-se a um modelo de 40 anos atrás, antigo, arcaico, em que a polícia deixa de investigar os crimes e simplesmente os registra, sem dar prosseguimento. Voltou-se ao mero balcão de atendimento.

A polícia só elucida 2% dos crimes, segundo levantamento da FGV. Durante três meses fizemos um estudo sobre como melhorar o atendimento nos 93 distritos da capital. Levava-se de 10 a 12 horas para se fazer o registro de uma ocorrência, por exemplo. Em caso de entorpecente, para se fazer um flagrante, era preciso enviar a substância à Polícia Científica, no Butantã, para que se realizasse um auto de constatação. Imagine se você estivesse em Ermelino Matarazzo… nós instituímos um kit para fazer essa constatação.

Agilizamos os flagrantes, instituímos um atendimento diferenciado e mudamos os horários de trabalho, privilegiando os momentos de pico. Isso tudo foi abandonado quando saí, os kits foram abolidos.

A política de Estado virou uma política oportunista, casuística, feita para atender interesses partidários de parlamentares que mandam e têm ingerência muito grande na secretaria. Este governo fez da secretaria de segurança novamente um sistema de capitanias hereditárias. Há uma absoluta ausência de política de segurança pública em São Paulo. A secretaria de segurança se transformou em curral eleitoral.

Poderia nomear quem são esses parlamentares?

Posso dar exemplos. Piracicaba tem nove delegacias e todas elas fechavam à noite. Pretendíamos implantar o turno noturno em todo interior mas só conseguimos isso em Bauru, Presidente Prudente e Piracicaba. Esta política foi descontinuada. Retomou-se a política de se criar novas delegacias.

E qual o problema em se criar novas delegacias?

O governador criou por exemplo a delegacia de defesa do direito do deficiente. No décimo andar da secretaria de segurança, com acessibilidade apenas pela garagem, funcionando de segunda a sexta das 9 hs às 18 hs. Para que? Eu acho que o portador de deficiência tinha que ser bem atendido nos 93 distritos.

Essa foi uma medida eleitoreira que veio na esteira de uma decisão do governo Montoro, que com muito sucesso inaugurou a primeira delegacia da mulher no país inteiro. Entendo que no caso da mulher exista uma necessidade de delegacia própria, pois estamos lidando com peculiaridades que envolvem o maltrato no qual a vítima pode se sentir inibida em levar seu drama familiar para pessoas do sexo oposto. É a única delegacia especializada que se justifica.

Outra delegacia sem sentido que este governo criou, é a de crimes em eventos esportivos. Trata-se de pirotecnia de um governo que não enfrenta os problemas com seriedade.

E o Detecta?

Não adianta só comprar equipamento de última geração se não sabe operar. O governo gasta fortunas de TI sem retorno.

O Detecta é uma farsa. É um software para detectar explosivos, adquirido pela polícia de Nova York para ações antiterroristas. Custou R$ 9 mi aos cofres públicos, R$ 4 milhões só para implantar. Só que é um aplicativo incompatível com a realidade de São Paulo e ainda nem conseguiram traduzir o inglês. É mais um engodo

http://blogdomorris.blogfolha.uol.com.br/2014/10/14/verdadeiro-lixo/

Transcrito da Folha de São Paulo ; nos termos do artigo 46 da Lei nº 9.610, de 19 de Fevereiro de 1998.‏

Cyberfaturamentos no DIPOL – A Polícia Civil deveria perseguir a prisão temporária dos empresários envolvidos e propor a delação premiada 51

Roubalheira Geral

Não é de hoje que várias denúncias foram feitas sobre as escabrosas falcatruas que se transformaram os procedimentos licitatórios e contratos na área de tecnologia da informação no Departamento de Inteligência da Polícia Civil durante os anos de presidência do vigarista criminal na comissão de licitação do citado departamento.

Essa postagem de hoje, é apenas mais uma entre outras tantas que envolvem os mesmos protagonistas. O que nos deixa perplexo é o empenho de certa autoridade departamental em blindar o vigarista criminal desde os remotos tempos de seccional de santo amaro onde a dupla se formou. Sempre de mãos dadas orbitando em rumorosos casos de fraudes em licitações e desvios de milhões de cruzeiros em compras de sistemas e equipamentos que jamais foram vistos ou funcionaram.

Não é compreensível também, ter o Estado de São Paulo um dos mais atuantes Ministérios Públicos no combate à corrupção e a improbidade administrativa, com bem sucedidas investigações feitas pelo GAECO sobre enriquecimento ilícito e lavagem de dinheiro, se mostrar inerte diante de recorrentes denúncias na área. Por que será? Não acredito que seja por motivo político partidário, pois a bandeira da agremiação política que governa São Paulo é a do combate a corrupção. Não acredito que seja em razão de relações de parentesco entre integrantes de ambas as instituições, só sei que não vemos o mesmo empenho e brilhantismo vistos em outras intervenções ministeriais.

Licitações e Contratos na área de Tecnologia da Informação da Polícia Civil são na atualidade o que foram no passado as licitações e contratos para construção de distritos policiais em São Paulo. Por conta disso, temos até o distrito de nº 103, mas na verdade faltam dez. Entende?

Sr. Governador, Sr. Secretário, Ministério Público

Não é bravata, falácia, mentira, calúnia, etc. É fácil de ser provado. Quer ver?

Acessa o INFOCRIM. No menú principal aparece a sigla “SMS”. Sabe o que significa? Sistema de Mapeamento de Suspeito. Seria um sistema que navegaria nas bases de dados do arquivo criminal do IIRGD, do disque-denúncia, do próprio INFOCRIM e do FOTOCRIM. Sabe para que serviria? Serviria para verificar se nas proximidades de um local de crime, residia alguém, com as mesmas características físicas do autor do crime, que tivesse passagem pela polícia e/ou justiça por prática de crime da mesma natureza. Isso poderia ajudar na investigação. Esse sistema foi pago para a EBIZ SOLUTION, só que nunca foi entregue e basta clicar em cima da sigla SMS para constatar que nunca funcionou.

No mesmo menú, “clica” em cima da palavra ‘AUDITORIA” é outro sistema pago para a mesma empresa que nunca funcionou.

Sistemas por vezes pagos com verba da SECRETARIA NACIONAL DE SEGURANÇA PÚBLICA, por isso deveriam entrar nas investigações a Polícia Federal e o MP Federal.

Chega de ladrão de terno Armani se dizendo classista e que faz tudo pela polícia.

—————————————————————–

Relembre apenas um dos casos, pois as falcatruas , conforme denunciamos aqui desde 2008 , são recorrentes desde a gestão do Massilon Bernandes .

São Paulo

MP paulista apura fraude de policiais em licitações

Relatório da Controladoria-Geral de Administração encontrou indícios de conluio na licitação de unidades de delegacias móveis que nunca chegaram a circular. Empresa de software é suspeita de favorecimento

Delegacia de Botafogo, na zona sul, adere à greve

Corregedoria investiga envolvimento de onze policiais – nove são delegados (Cecília Ritto/VEJA)

O Ministério Público Estadual (MPE) de São Paulo investiga fraudes em licitações e crimes cometidos por policiais no Departamento de Inteligência da Polícia Civil (Dipol) na compra de 25 delegacias móveis, que ainda não entraram em funcionamento porque o programa de computador adquirido é incompatível. O governo estadual, por meio da Corregedoria-Geral de Administração (CGA), também apura irregularidades praticadas por onze policiais – nove são delegados.

O projeto do Dipol foi feito após um convênio com a Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp), do Ministério da Justiça, em 2008, por meio de três contratos. Em junho deste ano, o promotor do Patrimônio Público Valter Santin começou a investigar a licitação de 167.000 reais pelo software, 7,5 milhões de reais pelas unidades e 1,2 milhão de reais por equipamentos.

Um relatório da CGA concluiu que existem indícios de conluio na licitação e negligência no acompanhamento da execução dos contratos. Com isso, o Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado (Gaeco), do MPE, também pretende ouvir os policiais citados para apurar supostos crimes como fraude à licitação.

Segundo a sindicância da CGA, a empresa fornecedora de software, Black Bee, foi contratada sem negociação de preço nem disputa pelo menor valor de mercado “como é praxe nas licitações” depois que outra concorrente foi desclassificada. Além disso, um dos delegados que era gestor do contrato também assinou o atestado de que a empresa poderia executar os serviços. Os documentos apontam ainda ligação entre concorrentes.

Precariedade – Policiais civis disseram em depoimento na CGA que participaram de cursos de treinamento para operar os veículos apenas com foto, uma vez que as unidades ainda não podiam ser usadas. Em um dos veículos foram encontradas infiltrações e o sistema de internet não funciona em nenhuma das unidades.

O contrato com a Black Blee foi homologado em 2010 pelo ex-delegado-geral Domingos Paulo Neto, atual diretor do Departamento de Polícia Judiciária da Capital (Decap). A Secretaria da Segurança Pública (SSP) e a CGA explicaram que ele não é ainda alvo de processo administrativo por não ter participação direta nas licitações.

Em nota, a SSP afirmou que “não tolera desvios de conduta por agentes de Estado”. Segundo o órgão, o processo na CGA foi aberto a pedido da própria pasta, que também faz investigação interna. Nenhum representante da Black Bee foi encontrado para comentar o caso. A Senasp informou que fará ” fiscalização in loco” para verificar irregularidades.

(Com Estadão Conteúdo)

ABELHAS VENENOSAS NO DIPOL- Cardeal da Polícia Civil é processado por contratos milionários junto a desenvolvedor de software xing ling com parque industrial fantasma em São Vicente 62

 

bb

Segundo inquérito da Corregedoria Geral , a Black Bee foi contratada sem negociação de valores mais baixos depois da desclassificação de outras concorrentes.

Qual o problema ?

Não é praxe ?

Nenhum, desde que em São Vicente existisse algum parque industrial.

Aqui – minha terra natal – tem fábrica de prancha de surf , calçados do estilista Fernando Pires , defensivos agrícolas e uma ou outra pequena indústria. Nada mais!

A Black Bee Desenvolvimento de Sistemas Ltda é um piada!

O seu suposto parque industrial jamais será encontrado, nem seus donos.

Acabam de sofrer despejo por falta de pagamento do endereço comercial situado na Vila Mariana, Capital.

( Os interessados poderão consultar o site do Tribunal de Justiça de São Paulo. )

Mas e daí?

Por que o Diretor do DIPOL deveria saber que em São Vicente nunca existiu parque industrial; especialmente  de empresas desenvolvedoras de sistemas?

Primeiro, ele deveria visitar as instalações.

Segundo, porque ele morou e trabalhou em São Vicente e região.

Terceiro, foi Titular de Garra, DISE, DIG, Divisionário do DEIC, Diretor da Corregepol, Diretor do DIPOL, Diretor do DEIC, novamente Diretor do DIPOL.

Assim, não pode ser ingênuo.

Autoridade que firmou a compra: Gaetano Vergine (Delegado de Polícia Diretor).

Produto: Fornecimento de software de gestão de procedimentos disciplinares ( Qual objetivo ? ).

Contrato celebrado em 22-10-08 no valor de R$1.207.000,00.

Ah, tem muito mais!

Tanto que a Corregedoria e o Ministério Público  fazem um verdadeiro pente fino em todos os contratos e serviços prestados para o DIPOL pela Black Bee, E-bis Solution , etc.

É certo que nos autos do PAD 127/13 – DGP 6255/13 – os advogados dos réus ( nove delegados, Gaetano Vergine, Sérgio Luiz Zarelli , André Dahmer, inclusive!  ) procrastinam o andamento dos atos processuais o quanto podem.

Todo mundo se diz vítima, mas ninguém aponta os culpados.

Mais dois diretores de departamentos que também subscreveram os contratos serão formalmente indiciados e deverão ser afastados em breve.

Um dos advogados criou um novo sucedâneo processual objetivando a absolvição sumária do eminente cliente classe especial: pedido de reconsideração ao SSP em face da ilegitimidade passiva do réu, pois não lhe cumpria o dever de fiscalizar os atos dos membros da comissão de licitação instalada anteriormente. Uma espécie de defesa peremptória  pela qual , logo na prévia o réu quer demonstrar: assumi no dia 12, estava tudo preparado para ser formalizado pelo meu antecessor dias antes. Não existia razão para não assinar. Coisa assim.

O chamado princípio da confiança!

Verdadeiramente, coloco a minha mão no fogo afirmando que GAETANO VERGINE NÃO MALVERSOU O ERÁRIO POR MEIO DE LICITAÇÕES FRAUDULENTAS!

Mas tenho a certeza de que milhões de reais foram para os bolsos de outrem.

Foi entrutado pelos seus pares!

E enquanto “tempus fugit” os “laranjas” da Black Bee já ganharam o mundo; só deixando dívidas e muitas dúvidas.

De qualquer forma, a Fazenda Pública não perdoa; a dívida não prescreve!

E quem apanha jamais esquece!

Aécio dispara e abre 17 pontos de vantagem em cima da ex-presidenta 140

Segundo turno

Istoé/Sensus mostra Aécio com 17 pontos à frente de Dilma

De A Tribuna On-line
N/A

No total de votos, Dilma tem 36,7% e Aécio, 52,4%

A primeira pesquisa ISTOÉ\Sensus sobre o segundo turno das eleições presidencias, divulgada neste sábado (11), mostra que o candidato Aécio Neves (PSDB) disparou na preferência do eleitor, com 58,8% dos votos válidos. A petista Dilma Rousseff ficou com 41,2%, uma diferença de 17,6 pontos percentuais.

No total de votos, Aécio tem 52,4% dos votos, enquanto Dilma registra 36,7%. Brancos e nulos somam 11% e a margem de erro da pesquisa é de 2,2 pontos percentuais, com um índice de confiança de 95%.

Na consulta espontânea, quando os nomes dos candidatos não são apresentado aos eleitores, Aécio aparece com 52,1% da preferência dos pesquisas, já Dilma fica com 35,4%. O percentual de indecisos chega a 12,6%.

A pesquisa Sensus entrevistou 2 mil pessoas em 24 estados de 136 municípios nas cinco regiões do país, entre os dias 7 e 10 de outubro. O registro na Justiça Eleitoral é o BR-01076/2014.

Além do resultado positivo, a candidatura tucana pode comemorar também o aumento da rejeição da presidente Dilma. Conforme o Instituto Sensus, 46,3% dos entrevistados dizem que não votam na petista em hipótese alguma. Enquanto isso, a rejeição ao nome de Aécio Neves está em 29,2%.

Outra novidade nesta pesquisa é o fato de ser a primeira após o postulante à Presidência pelo PSDB captar o apoio de outras legendas, como o PSB, PV, PPS e o PSC.

Os resultados apresentados pela pesquisa podem representar parte dos efeitos provocados pelas declarações do ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa sobre o detalhamento do esquema de corrupção na estatal.

Teatralização armada por delegados e jornalistas no DEIC já tem bode expiatório: um Tira! 59

Policial é suspeito de vazar dados de inquérito sobre o caso Frank Aguiar

ROGÉRIO PAGNAN
REYNALDO TUROLLO JR.
GUSTAVO URIBE
DE SÃO PAULO

A Polícia Civil de São Paulo investiga a suspeita de que um policial do Deic (departamento de investigações criminais) tenha atuado para obter e vazar informações de uma investigação que liga o vice-prefeito de São Bernardo do Campo e cantor Frank Aguiar (PMDB) a um acusado de tráfico internacional de drogas.

A atuação deste policial, também investigado pela Corregedoria, teria provocado a paralisação do inquérito contra Jaílson de Souza, suspeito de traficar 230kg de cocaína apreendida em 2011.

O inquérito do caso ficou parado de abril de 2012 a fevereiro de 2014.

Luivo José de Souza Barros passou a ser investigado, segundo a polícia, após uma série de investidas dele em busca de informações de um inquérito sigiloso contra Souza e Frank Aguiar.

Barros, segundo documentos obtidos pela Folha, é ex-agente do Denarc (narcóticos) e “supostamente amigo íntimo” de Souza, o suspeito de tráfico. Hoje, trabalha no Deic, órgão que conduz a investigação contra a dupla, mas em outro setor.

Reprodução
Policial é suspeito de vazar dados de inquérito do caso Frank Aguiar
Policial é suspeito de vazar dados de inquérito do caso Frank Aguiar

“Referido policial, que nem se encontra lotado nesta delegacia especializada, costumeiramente vinha ao cartório solicitar informações do feito”, afirma documento entregue à Justiça.

O investigador passou a ser formalmente investigado no dia 9 de setembro após nova tentativa de obter informações do inquérito. Ele nega as acusações.

Nesse dia, a reportagem da Folha estava no Deic onde presenciou um corre-corre entre os policiais na tentativa de conter o delegado Alberto Pereira Matheus Jr. que, segundo seus colegas, “queria matar o investigador”.

Matheus Jr. é o responsável pela investigação.

A reportagem foi fechada em uma sala e, de lá, pôde escutar gritos do delegado ao investigador Barros. “Você está ajudando traficante.”

Desde então, a Folha tenta, sem sucesso, entrevistar o delegado Matheus Jr. e o superior dele, Ruy Ferraz Fontes. Eles afirmam que o caso está sob sigilo.

Na tarde de terça-feira (7), Aguiar esteve na sede da Polícia Federal para, segundo ele, colocar-se à disposição da polícia para qualquer explicação sobre o caso. A PF, porém, não participa dessa investigação do Deic.

Aguiar passou a ser investigado após ter conversas com Souza interceptadas.

Segundo a investigação, o vice-prefeito mora em um casa em nome do suspeito de tráfico e de quem também recebia depósitos de dinheiro.

A paralisação do inquérito, segundo a polícia, teve a participação do ex-secretário da Segurança Antonio Ferreira Pinto, que teria afastado policiais à frente da apuração. Ele nega envolvimento.

Isso é irreal, não tenho ligação com suspeito’, diz policial investigado

DE SÃO PAULO

O investigador suspeito de atuar em benefício de suposto envolvido em tráfico de drogas diz que sua inclusão no inquérito é um “absurdo” e trata-se de uma “ficção”.

O policial Luivo José de Souza Barros é suspeito de vazar informações de uma investigação que liga o vice-prefeito de São Bernardo do Campo e cantor Frank Aguiar (PMDB) a um acusado de tráfico internacional de drogas.

Barros, porém, disse que nunca conheceu ou teve qualquer relação com Jailson Lopes de Souza. Ele nega, ainda, ter buscado informações sobre o caso ou ter repassado qualquer dado ao suspeito.

“Isso é irreal. Eu sou investigador de classe especial. Eu não o conheço e não tenho relação nenhuma com ele. Eu nunca fui ao cartório buscar informações sobre isso e nunca soube que eu estava sendo investigado por isso”, disse Barros.

O policial atribuiu a inclusão de seu nome no inquérito enviado à Justiça a uma tentativa de vingança do delegado Alberto Pereira Matheus Jr., responsável pela investigação, e a um esforço de prejudicar o ex-secretario da Segurança Pública de São Paulo Antonio Ferreira Pinto.

No final do mês passado, ao ser procurado pela Folha, o ex-secretário disse que não sabia da apuração sobre o cantor Frank Aguiar. Segundo ele, a suspeita envolvendo seu nome “não faz nenhum sentido”.

“A minha biografia não permite insinuação em relação a isso”, afirmou. “Há motivação eleitoral nisso”, disse.

Na época, Ferreira Pinto concorria pelo PMDB a cargo na Câmara dos Deputados –ele não foi eleito.

Frank Aguiar, que também era candidato a deputado federal e não foi eleito, disse haver razão eleitoral no caso. Ele admitiu ter amizade com Souza, mas negou que soubesse da suspeita de ligação dele com o tráfico de drogas.

Transcrito da Folha de São Paulo ; nos termos do artigo 46 da Lei nº 9.610, de 19 de Fevereiro de 1998.‏

——————————————

Por que esse Dr. Matheus Jr. em vez de fazer escândalo pra jornalista ouvir não acionou a Corregedoria Geral?

O maior legado do Partido dos Trabalhadores foi a especulação e inflação imobiliárias 44

A especulação imobiliária em todo o Brasil, especialmente nas grandes metrópoles do país foi violenta nos últimos anos. Isso foi resultado dos incentivos para o setor imobiliário e da construção, associados à facilitação do crédito para o consumo; também da venda de ilusões como o milagre do pré-sal e do brasileiro mais rico do mundo. O Ex-“X”.   A demanda aumentou e com isso os preços. O mercado passou a colonizar regiões que antes eram apenas periféricas. Com isso houve uma expulsão de moradores que dependem do aluguel para regiões mais distantes, a periferia da periferia.

Uma casa própria digna é um sonho cada vez mais distante para o brasileiro comum.

FINANCIAMENTO
– 20% é a entrada mínima para o crédito bancário. Na compra de um bem de R$ 250 mil, são necessários R$ 50 mil de início.

- R$ 7.000 é a renda necessária para o crédito de R$ 200 mil. Os bancos costumam exigir um comprometimento máximo de 30% da renda bruta

Fontes: Banco do Brasil, Bradesco, Caixa Econômica Federal, Creci-SP, Fernanda Sakhuri, especialista em direito imobiliário da FAPPES, Ibape-SP, imobiliárias, Portal ZN Imóvel, Santander e Secovi-SP.

eike_dilma

Delegacias de Campinas têm média de 500 inquéritos por escrivão 87

Segundo o Sindicato da Polícia Civil, o ideal seriam 200 por profissional.
Cidade tem 105 trabalhando, mas seriam necessários o dobro.

Do G1 Campinas e Região

As delegacias de Campinas (SP) têm média de 500 inquéritos abertos por escrivão, segundo dados do Sindicato da Polícia Civil da região. O ideal seriam, no máximo, 200 processos por profissional.

Com 105 servidores nos distritos, a cidade precisaria dobrar o número de policiais para equilibrar o sistema de investigação, segundo os sindicalistas.

O escrivão é o profissional  responsável por tomar depoimentos, solicitar perícias, intimações e o acompanhamento do processo.

Segundo o presidente do Sindicato dos Policiais Civis de Campinas e Região, Aparecido Lima de Carvalho, o déficit de profissionais atrasa e até impede que crimes com menor potencial ofensivo sejam investigados.

“O Código Penal diz que todos os inquéritos devem ser abertos, mas infelizmente não é isso que acontece por falta de estrutura”, critica o sindicalista.

O químico José Claudio Moraes foi vítima de dois roubos na residência onde mora, mas ele disse que não obteve resultados em nenhum dos casos. “Nenhum retorno. Virei estatística. O boletim de ocorrência serve para atender as necessidades da seguradora”, lamenta.

O especialista em segurança Osvaldo Roberto Missio Júnior disse acreditar que mesmo com concursos abertos, não há nenhuma garantia que o aprovado vá trabalhar Campinas.

“Com a sobrecarga de trabalho, os casos de maior vulto têm prioridade. Os casos menos graves entram na fila e isso gera uma descrença na investigação”, opina. Procurada pela EPTV, afiliada da Rede Globo, a Secretaria de Segurança Pública ainda não se pronunciou sobre o déficit de escrivães.

O Primeiro Distrito Policial de Campinas, no Centro da cidade (Foto: Reprodução EPTV)O Primeiro Distrito Policial de Campinas, no Centro da cidade (Foto: Reprodução EPTV)

Delegados federais anunciam ato nacional para a próxima terça 19

FAUSTO MACEDO Repórter
10.10.2014 | 13:30 POLÍCIA FEDERALMobilização organizada pela Associação Nacional dos Delegados da Polícia Federal (Adpf) reivindica maior autonomia à PF

Mateus Coutinho e Fausto Macedo

Delegados Federais de todo o Brasil prometem realizar uma mobilização nacional em todos os Estados na próxima terça-feira, 14, em defesa de maior autonomia da Polícia Federal. Segundo nota da Associação Nacional dos Delegados da Polícia Federal (Adpf) divulgada nessa sexta, a mobilização servirá para discutir como o diretor-geral da PF vem administrando a instituição e “o tratamento dispensado pelo governo à classe e à autonomia reivindicada em lei para realizar investigações”, diz a nota.

Ainda de acordo com o informe, a manifestação, que será realizada por meio de assembleias dos delegados federais em seus respectivos Estados, não vai prejudicar os serviços da PF.

A iniciativa faz parte da campanha nacional em prol de uma Polícia Federal mais autônoma, realizada pela Associação Nacional dos Delegados de Polícia Federal (ADPF), que defende os seguintes pontos: aprovação da lei orgânica da Polícia Federal; a eleição para o Diretor-Geral da instituição; maior autonomia administrativa e orçamentária; criação de um gatilho de concursos públicos e a criação de unidades especializadas no combate à corrupção.

Os resultados das assembleias serão divulgados em um documento público com o posicionamento  dos delegados federais sobre a situação atual da PF.

Confira a explicação detalhada de cada um dos pontos conforme divulgado pela Adpf:

“Lei Orgânica da Polícia Federal: Um projeto de lei que discipline a organização e funcionamento da PF, ainda espera aprovação no Congresso Nacional. O Executivo deve estabelecer as atribuições dos cargos das carreiras e as atividades das unidades da Polícia Federal e assegurar a sua autonomia investigativa. Por outro lado, criar órgãos de controle da atuação dos policiais federais, por meio de conselhos que devem observar e orientar seus procedimentos. Sua aprovação é fundamental para que se tenha estabelecido a real autonomia da PF.

 Eleições para  Diretor-Geral PF: A escolha do Diretor-Geral passaria a ser feita por votação direta e secreta, mediante processo eleitoral conduzido por uma comissão eleitoral composta pelos representantes da ADPF e Fenadepol, cuja lista tríplice será encaminhada ao Ministro da Justiça e dele para a Presidência da República para indicação. O prazo do mandato do Diretor-Geral, o processo oficial de escolha e a forma de destituição serão previstos em lei. A primeira fase da votação para formação da lista tríplice já se iniciou na data de 29/9 com conclusão prevista para 05/11. Esse processo permite uma escolha técnica de servidor de carreira para oferecer mais estabilidade institucional.

 Autonomia Administrativa e Financeira: A Polícia Federal deve ter status de Secretaria Especial ou órgão autônomo, assegurada sua autonomia administrativa e a iniciativa para contribuir na sua proposta orçamentária, nos mesmos moldes da Defensoria Pública da União.

Gatilho de Concursos Públicos: A Polícia Federal defende o ingresso em todos os cargos das carreiras da Polícia Federal somente via concurso público. Também luta para tornar obrigatória a realização de concursos públicos sempre que vagarem 5% dos cargos já existentes com o objetivo de compatibilizar o efetivo policial com o rol de funções da instituição.

Combate à Corrupção: No campo do combate ao crime organizado serão priorizadas as investigações sobre desvio de recurso público e a corrupção, com a criação de uma Coordenação-Geral específica, além da garantia especial de recursos via Programa Orçamentário próprio, implantação das Delegacias especializadas em todas as unidades da Polícia Federal e alocação de recursos humanos e materiais necessários, atendido patamar mínimo definido anualmente pela Polícia Federal.”

Fundada em 1976, a Associação Nacional dos Delegados de Polícia Federal (Adpf), é uma entidade classe de âmbito nacional. Presidida pelo Delegado Federal Marcos Leôncio Ribeiro, a Adpf reúne mais de dois mil associados e é representada nas 27 Unidades da Federação por meio das Diretorias Regionais. A associação tem como missão aprimorar a instituição policial, sua doutrina, normas e princípios de atuação funcional.

http://politica.estadao.com.br/blogs/fausto-macedo/delegados-federais-anunciam-ato-nacional-para-a-proxima-terca/

A CARA DA MENTIRA – Prefeitura do PT maquia cidade antes de comício de Dilma 14

Leandro Prazeres
Do UOL, em Canoas (RS)

10/10/201419h59

  • Leandro Prazeres/UOL

    Prefeitura de Canoas (RS) pintou sarjetas, limpou paradas de ônibus, recuperou o pórtico do conjunto habitacional Guajuviras um dia antes da visita de Dilma Rousseff ao localPrefeitura de Canoas (RS) pintou sarjetas, limpou paradas de ônibus, recuperou o pórtico do conjunto habitacional Guajuviras um dia antes da visita de Dilma Rousseff ao local

A Prefeitura de Canoas, na região metropolitana de Porto Alegre, “maquiou” a área próxima à caminhada realizada pela presidente e candidata à reeleição, Dilma Rousseff (PT), na cidade nesta sexta-feira (10). A “maquiagem” foi feita um dia antes da ida da comitiva da presidente ao local e envolveu a pintura de sarjetas, reforma de um pórtico e a manutenção de um jardim na entrada do conjunto habitacional Guajuviras, onde o evento foi realizado.

O conjunto habitacional Guajuviras é um dos redutos do PT da cidade gaúcha, comandada pelo prefeito petista Jairo Jorge. A área é conhecida pelos altos índices de violência.

Um dia antes da chegada de Dilma ao local, equipes das secretarias municipais de Limpeza e Transportes pintaram as sarjetas, faixas de pedestres que estavam apagadas e fizeram a manutenção de um jardim localizado em uma rotatória que dá acesso ao conjunto habitacional.

A operação de limpeza a manutenção surpreendeu o comerciante Marcelo Cardoso, 36. “A última vez que eles tinham lavado as paradas de ônibus aqui tinha sido no Natal do ano passado. De um dia para o outro, eles limparam tudo, pintaram as sarjetas. Foi aí que a gente ouviu dizer que era por causa da presidente”, disse.

Leandro Prazeres/UOL

Prefeitura de Canoas pintou sarjetas e rotatória

O secretário municipal de Transportes, Oswaldo Steffen, confirmou a operação de limpeza e manutenção na região por onde Dilma passou, mas disse que tudo não passou de “coincidência”.

“Nós tínhamos uma programação de manutenção para a região. Foi uma coincidência que aconteceu na véspera de ela vir”, disse Oswaldo.

A caminhada de Dilma no conjunto habitacional Guajuviras foi realizada na tarde desta sexta-feira (10). Dilma estava acompanhada pelo candidato à reeleição ao governo do Rio Grande do Sul, Tarso Genro (PT) e o ex-governador do Estado e candidato derrotado ao Senado, Olívio Dutra (PT).

Na cidade, Dilma criticou a divulgação dos aúdios dos depoimentos do ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa e do doleiro Alberto Youssef. “Agora, na véspera eleitoral. Eles sempre querem dar um golpe. E estão dando um golpe”, disse Dilma ao final de uma caminhada em Canoas.

Leandro Prazeres/UOL

Letreiro do conjunto habitacional também foi pintado

PENITÊNCIA 25 ANOS DEPOIS !…Idem, na sede de Diadema brigava pelo maldito Lula criador da Bolsa Rose 16

Desde 1989 era eleitor do pt, briguei pela candidatura lula, certa vez estava num barzinho denominado Zanzibar em Santana, com vários colegas policiais, de repente começou uma cantoria olé , olê, olê, olá, lula pt, e confesso que iniciei o coro, um outro grupo gritava slogan do Fernando Collor. Poís bem, houve um inicio de fuzuê com os seguranças, discuti pacas, mandei muita gente tomar no c…., tinha até um policia grandão, forte para caralho, lutador marcial, que já havia quebrado um barraco alí, anos antes, quando não era policia, aí os seguranças chamaram a pm, surpresa, empatou, continuamos bebendo e arranjamos os pingentinhos do pt, e aí a noite foi e o dia chegou, tempo bom ! Hoje, diante de tanta nojeira, mar de lama, ninguém sabe de nada, filho de ex´presidente que fica milionário, PUTARIA total.! Abdico do pt, e me arrependo, amargamente, por ter, um dia, defendido e brigado por essa corja, que aplaude traficantes, criminosos, terroristas, ditadores cubanos. Mas, sei que agi inocentemente, pensando numa instituição melhor, num País melhor, mas o que vejo hoje, é o pior dos bandidos, porco, assim como todo o pt. , luiz inacio lula da silva, desejo tudo de mal para vc. e à sua corja de malditos, poís, carregam nas mãos milhares de morte de brasileiros, inclusive criancinhas. E se pudesse retornar ao passado, pediria desculpas aos seguranças, pagaria a conta e iria com meus colegas beber em outra casa. Segurança do Zanzibar, PERDÃO !

bolsarose

Somente Aécio Neves garantirá o Bolsa Família e programas de distribuição de renda a 27 milhões de famílias; se Dilma for reeleita o Brasil afundará na inflação e corrupção 35

Milhões de famílias que recebem ajuda estatal com programas como o Bolsa Família correm perigo se o PT mantiver o poder e não, como diz Dilma, se a oposição vencer. Alguns novos dados são reveladores da catástrofe do governo PT: o FMI cortou sua previsão de crescimento para 2014 em um ponto percentual, para 0,3%, e a inflação nos últimos 12 meses foi de mais de 6,7%, a pior em três anos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

PT manchado por roubalheiras some da campanha de Dilma 15

A presidente Dilma passou a esconder o PT na divulgação de seu material de campanha. O desgaste do partido é tamanho junto à opinião pública que o marqueteiro João Santana, com o consentimento de Lula, insere o PT apenas nas letras miúdas da coligação no material (em placas, folders, banners, outdoors). Predominam no material a foto dela, de Lula, a cor vermelha e frases de efeito. A decisão de dissociar a imagem de Dilma – a gerentona técnica – do PT, o partido problema e manchado no noticiário, não agradou obviamente a todos na executiva. Mas assim foi decidido por quem manda.ptdilma