Votará na Dilma quem gosta de ladrão 47

8 supostas revelações do escândalo da Petrobras

Exame.com
Beatriz Souza 20 minutos atrás

São Paulo – Depoimentos do doleiro Alberto Youssef e do ex-diretor da Petrobras, Paulo Roberto Costa, dados nesta quarta-feira à Justiça Federal vazaram na tarde de hoje. Os jornais O Estado de São Paulo e Folha de São Paulo tiveram acesso à gravação dos depoimentos que fazem parte do acordo de delação premiada.

Youssef e Costa são investigados por envolvimento em esquema de pagamento de propina na Petrobras estimado em 10 bilhões de reais. O esquema foi descoberto pela Polícia Federal na Operação Lava-Jato deflagrada em março deste ano.

Veja a seguir as principais revelações trazidas nos depoimentos de Youssef e Costa, segundo os jornais. Ao final, veja as notas do PT, Petrobras e Transpetro a respeito das acusações feitas.

1) Lula teria sido “obrigado” a nomear Paulo Roberto Costa como diretor da Petrobras

Segundo o depoimento do doleiro Alberto Youssef obtido pelo Estadão, os políticos envolvidos com Paulo Roberto Costa, ex-diretor de Abastecimento da Petrobras, teriam pressionado o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva a nomeá-lo para o cargo.

Para isso, eles teriam trancado a pauta do Congresso por 90 dias, de acordo com o jornal. O ex-presidente cedeu e nomeou Costa.

2) PT ficaria com 3% dos contratos da Petrobras

O ex-diretor de abastecimento da Petrobras teria afirmado que o PT ficava com 3% do valor dos contratos das diretorias de produção, gás e energia, além da área de serviços, de acordo com o jornal.

Segundo a Folha, Costa teria dito que o PT recebia 2% dos 3% cobrados sobre o valor das obras de maior tamanho. Outro 1% era destinado ao PP, partido que o indicou para o cargo na estatal.

3) Tesoureiro do PT seria responsável por entregar as propinas no partido

João Vaccari, tesoureiro do PT, teria sido apontado por Costa como o responsável por distribuir a propina no partido, segundo a publicação.

4) 13 empreiteiras teriam participado do esquemas

Youssef teria listado 13 construtoras que participariam de um “cartel” formado para fraudar as licitações da Petrobras e pagar propina a políticos do PT, PMDB e PP.

Seriam elas: Camargo Corrêa, OAS, UTC, Odebrecht, Queiroz Galvão, Toyo Setal, Galvão Engenharia, Andrade Gutierrez, Mendes Júnior, Engevix, Tomé Engenharia, Jaraguá Equipamentos e Engesa. Todas negam o envolvimento.

Segundo ele, todas pagariam 1% de propina nos contratos feitos com a diretoria de Abastecimento. Nos termos aditivos de contratos, a taxa variaria entre 2% e 5%.

Costa também teria apontado os nomes dos executivos das empreiteiras que teriam participado dos esquemas na Petrobras. Segundo ele, o dinheiro iria das empresas direto para os agentes políticos.

5) PT, PMDB e PP recebiam propinas

Costa também teria afirmado que a propina era repassada ao PMDB já que a diretoria internacional da estatal era indicada pelo partido.  Segundo o depoimento, Fernando Soares era quem fazia a articulação.

6) Todas as diretorias participariam do esquema

Paulo Roberto Costa teria revelado que outras diretorias da estatal também tinham esquema com as empreiteiras. Segundo a Folha, Costa afirmou que nas diretorias com indicações do PT — que segundo ele seriam as de Exploração e Produção, Gás e Energia e a de Serviços— os 3% eram repassados para o partido.

7) Como funcionava a distribuição

Segundo Youssef, 1% de todos os contratos da diretoria de Abastecimento eram distribuídos em propina: 30% para Paulo Roberto Costa, 60% para políticos, 5% para o doleiro e 5% para João Claudio Genu (ex-assessor do PP).

8) Transpetro também estaria envolvida

 A Transpetro, subsidiária da Petrobras, também teria pagado propina a Paulo Roberto Costa. Segundo ele, o presidente da estatal, Sérgio Machado, teria dado a ele 500 mil reais em dinheiro vivo.

Veja a seguir as notas do PT, Petrobras e da Transpetro sobre às denúncias:

- Nota do PT:

“O PT repudia com veemência e indignação as declarações caluniosas do réu Paulo Roberto Costa, proferidas em audiência perante o mesmo juiz que, anteriormente, acolhera seu depoimento, sob sigilo de Justiça, no curso de um processo de delação premiada.

O PT desmente a totalidade das ilações de que o partido teria recebido repasses financeiros originados de contratos com a Petrobras.

Todas as doações para o Partido dos Trabalhadores seguem as normas legais e são registradas na Justiça Eleitoral.

A Direção Nacional do PT estranha a repetição de vazamentos de depoimentos no Judiciário, tanto mais quando se trata de acusações sem provas.
Lamentamos que estejam sendo valorizadas as palavras do investigado, em detrimento de qualquer indício ou evidência comprovada.

A Direção Nacional do PT, por intermédio de seus advogados, analisa a adoção de medidas judiciais cabíveis.

Rui Falcão

Presidente Nacional do PT”

- Nota da Petrobras:

“Em relação às matérias publicadas hoje nos veículos de comunicação, repercutindo os depoimentos do ex-diretor Paulo Roberto Costa e do Sr. Alberto Youssef na 13ª Vara Federal do Paraná, na ação relacionada à “Operação Lava Jato” da Polícia Federal, a Petrobras informa que vem acompanhando as investigações e colaborando efetivamente com os trabalhos das autoridades públicas.

A Petrobras reforça, ainda, que está sendo oficialmente reconhecida por tais autoridades como vítima nesse processo de apuração.
Por fim, a Petrobras reitera enfaticamente que manterá seu empenho em continuar colaborando com as autoridades para a elucidação dos fatos.”

- Nota da Transpetro

Plataforma de petróleo: área está aquecida em função de investimentos em infraestrutura de energia © Acordo salgado Plataforma de petróleo: área está aquecida em função de investimentos em infraestrutura de energia

“O presidente da Transpetro, Sergio Machado, nega com veemência as afirmações feitas a seu respeito pelo ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa. As acusações são mentirosas e absurdas.

Machado faz questão de ressaltar o seu estranhamento com o fato de que as declarações estejam sendo divulgadas em pleno processo eleitoral.

Machado jamais foi processado em decorrência de qualquer dos seus atos ao longo de 30 anos de vida pública. E tomará todas as providências cabíveis, inclusive judiciais, para defender a sua honra e a imagem da Transpetro.”

http://www.msn.com/pt-br/noticias/brasil/8-supostas-revela%C3%A7%C3%B5es-do-esc%C3%A2ndalo-da-petrobras/ar-BB8oJ2y

Em São Paulo, Dilma foi campeã de votos. Nos presídios 25

Maquiavel

A presidente da república e candidata à reeleição pelo PT, Dilma Rousseff, durante reunião com governadores e senadores, nesta terça-feira (07), em Brasília

A presidente da república e candidata à reeleição pelo PT, Dilma Rousseff, durante reunião com governadores e senadores, nesta terça-feira (07), em Brasília (Evaristo SA/AFP)

Em ao menos um segmento do eleitorado no Estado de São Paulo, a presidente Dilma Rousseff (PT) e o candidato petista ao governo, Alexandre Padilha, foram campeões de votos: entre os presidiários. Segundo dados do Tribunal Regional Eleitoral, a petista recebeu 51% dos votos válidos (460 votos) contra 9% (81 votos) do tucano Aécio Neves — a candidata derrotada Marina Silva (PSB) teve 22% (203 votos). Para se ter uma ideia, em todo o Estado, Dilma conseguiu 25,82% dos votos (5.927.503 votos), enquanto Aécio angariou 44,22% (10.152.688 votos). Marina ficou com 23,09% (5.761.174 votos). O desempenho petista se manteve na disputa estadual. O candidato derrotado Padilha arrebanhou 42% dos votos válidos (382 votos), ante 13% (118 votos) de Geraldo Alckmin — Paulo Skaf (PMDB) ficou com 16% (150 votos).

O levantamento também mostrou que o ex-palhaço Tiririca foi o candidato a deputado mais votado (333 votos) nos presídios paulistas. Ao todo, 897 presos votaram nessas eleições em quatorze unidades prisionais do Estado. Apenas as prisões que tinham mais de cinquenta eleitores receberam urnas no último domingo. (Eduardo Gonçalves, de São Paulo)

http://veja.abril.com.br/noticia/brasil/sp-dilma-vence-entre-a-populacao-carceraria

FranK Aguiar vai à PF fazer um BO contra a Polícia Civil e diz que foi usado para atingir “alguém” 60

frank

Veja vídeo

FOLHA DE SÃO PAULO

08/10/2014 02h35

“É coisa suja da política. Estão usando a mim para atingir alguém.” É o que diz o cantor e vice-prefeito de São Bernardo do Campo (SP), Frank Aguiar, no vídeo acima, em resposta às recentes denúncias envolvendo seu nome.

Frank é investigado por ter ligações com um suspeito de “comandar rotas nacional e internacional de tráfico de drogas”.

O cantor, que esteve na tarde desta terça-feira (7) na sede da Polícia Federal em São Paulo, disse ter ido ao local para se colocar à disposição das autoridades. Nega ter sido chamado a depor em algum inquérito.

“Estou sendo usado. É drogas, tráfico e não sei o que. Depois vocês ficarão sabendo quem querem atingir.”

Segundo documentos obtidos pela Folha, Frank aparece em várias escutas telefônicas com Jailson Lopes de Souza, o Jabá, “largamente conhecido nos meios policiais como traficante internacional de entorpecentes”.

Essas interceptações, com autorização judicial, ocorreram em investigação iniciada pela polícia após uma apreensão de 230 quilos de cocaína ocorrida em 2011, em Itu (101 km de São Paulo).

Segundo o relatório da polícia, a casa de 949 m² em que Frank Aguiar mora no condomínio Swiss Park, em São Bernardo, está registrada em nome do suspeito de tráfico internacional.

Publicado em 07/10/2014

As principais notícias do Brasil e do Mundo você acompanha de segunda a sábado, às 19h20, no Jornal da Band. Este vídeo também pode ser visto no portal band.uol.com.br .
Reportagem de Sandro Barboza

Número de ex-policiais eleitos deputados aumenta 25% 30

Camilla Costa*
Em São Paulo

07/10/2014 06h20

O número de parlamentares ex-policiais eleitos no pleito de domingo (5) cresceu 25% em relação à eleição anterior. Segundo especialistas ouvidos pela “BBC Brasil”, esses deputados federais e estaduais tendem, além de se dedicar ao tema da segurança, a se organizar em “bancadas” para defender temas ligados à classe policial e para apoiar posições políticas comuns.

Segundo dados do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), policiais militares, civis e federais conquistaram 55 cadeiras nas assembleias estaduais e na Câmara federal nas eleições deste ano. No pleito anterior, o número de cargos alcançados foi de 44. Dos parlamentares ex-policiais eleitos no domingo, 15 são deputados federais e 40 estaduais.

De acordo com analistas, no Legislativo – principalmente na Câmara Federal – esses parlamentares tendem a trabalhar com temas relacionados à segurança, como debates sobre mudanças na legislação penal e no Estatuto da Criança e do Adolescente, a reforma do sistema prisional e políticas sobre drogas e menores infratores.

Entre os temas que devem estar na agenda desses novos parlamentares devem estar ainda a regulamentação dos papéis das polícias, a redução da maioridade penal e a punição mais dura a criminosos que cometem crimes contra policiais.

Organização

Para a cientista política Maria Teresa Micelli Kerbauy, da Universidade Estadual Paulista (Unesp), o crescimento da bancada de ex-policiais nos legislativos estaduais e federal está ligada ao fato de a violência ser um dos temas que mais preocupa os eleitores, sendo um dos principais assuntos da agenda política brasileira.

Além disso, interesses de classe e as críticas sofridas pela polícia por sua atuação dura nas manifestações ocorridas entre junho de 2013 e a Copa do Mundo neste ano foram mais um estímulo para que membros das forças de segurança se voltassem cada vez mais para a política.

“Eu acredito que eles (policiais) resolveram se organizar. É uma tendência que já vinha acontecendo, mas que se intensificou”, disse ela.

“Eles resolveram se colocar como representantes da categoria (no Legislativo) e defender os interesses da classe”.

Bancada

De acordo com a cientista política, mais numerosos no Legislativo, os ex-policiais tendem agora a formar bancadas para tentar votar temas de segurança – o que pode acontecer até de forma independente das posições de seus partidos.

O ex-deputado estadual e recém-eleito deputado federal major Olímpio Gomes (PDT-SP) disse que a aproximação dos parlamentares ex-policiais já está acontecendo. “Vamos trabalhar de forma suprapartidária para melhorar a segurança pública”, afirmou.

De acordo com ele, por outro lado, isso não significa que esses parlamentares restringirão sua atuação ao campo da segurança. “Vamos a fundo em todas as áreas, como saúde, educação e transporte, mas não se pode desconsiderar a especialidade (em segurança) desses deputados”.

Segundo Gomes, a articulação dos policiais na política já vem acontecendo de forma lenta há muitos anos, mas os candidatos ainda não conseguiram canalizar todos os votos que teriam capacidade de obter.

“Só em São Paulo, familiares e amigos de policiais podem formar um grupo de mais de 1,6 milhão de eleitores. Os grupos religiosos se juntam, os sindicalistas se juntam, os empresários se juntam – os policiais estão fazendo a mesma coisa”.

Para o presidente da Associação Nacional dos Delegados da Polícia Federal, Marcos Leôncio Ribeiro, os ex-policiais podem usar no Legislativo suas habilidades de investigação para exercer o papel de fiscalização e controle das ações do governo.

Eleitorado

De acordo com Kerbauy, não são apenas os policiais, seus familiares e amigos que formam o eleitorado dos candidatos ex-policiais. Parte da população, diz a analista, é favorável ao discurso usado por alguns desses candidatos – que, em linhas gerais, pregam que a melhor forma de combater a criminalidade é uma polícia mais robusta e enérgica.

Os que mais recebem votos seriam aqueles que usam o discurso do policial heroico, na “frente de combate”, para atingir o emocional no eleitor, segundo Marcos Fuchs, diretor adjunto da organização de defesa de direitos humanos Conectas.

Os ex-delegados ou ex-secretários de Segurança teriam um apelo menor. “Eles (candidatos ex-policiais) pegam carona nos altos índices de criminalidade. Usam o discurso de que falta polícia dura, polícia séria, e isso dá votos”, afirmou.

Porém, segundo Fuchs, o discurso de parte desses candidatos preocupa organizações de direitos humanos – que temem que eles ofereçam resistência no Legislativo a deputados alinhados com as pautas dessas entidades.

*Colaborou Luis Kawaguti, da BBC Brasil em São Paulo

O professor da ACADEPOL Fernando Capez é o campeão de votos para deputado estadual 62

MAIS VOTADO

O deputado mais votado foi o procurador de Justiça licenciado Fernando Capez (PSDB). Com 99,82% dos votos apurados, ele havia obtido 305.876 votos.

Capez foi reeleito para o terceiro mandato consecutivo, na melhor votação que conseguiu até hoje e recorde na Casa para um deputado.

Em 2010, ele havia ficado em terceiro na relação dos campeões de votos, atrás de dois outros tucanos: Bruno Covas, que neste domingo (5) se elegeu deputado federal, e Paulo Alexandre Barbosa, prefeito de Santos.

Mestre em direito penal, o deputado tem como uma dos seus temas prioritários a segurança pública. Ele ganhou notoriedade nos anos 1990, quando era promotor de Justiça, no combate às torcidas organizadas em São Paulo.

Bruno Poletti/Folhapress
Fernando Capez, deputado estadual
Fernando Capez, deputado estadual

SEGURANÇA

Dos dez deputados mais votados, três dos eleitos têm como segurança uma das suas atividades principais.

Além de Capez, também atuam na área os novatos Coronel Telhada (PSDB) e Delegado Olim (PP). Telhada, atualmente vereador, é coronel da reserva da Polícia Militar. Olim é delegado da Polícia Civil paulista. Fenômeno semelhante ocorreu com a Câmara em 2012.

Os chupins do Tiririca: sai um “sui generis” delegado comunista entra um abestado capitão “Dilmista” que era contra a Copa do Mundo e Bolsa Família 20

Protógenes derrotado

Fora de combate

O delegado da PF Protógenes Queiroz dessa vez vai ficar de fora. Em 2010, obteve 94 906 votos. Não seria eleito deputado federal, mas foi carregado para a Câmara pela enxurrada de votos de Tiririca.

Agora, menos de 30 000 paulistas votaram nele (neste momento, com 97% das urnas apuradas, amealhou 27 038 votos). Vai ficar longe de Brasília. Merecidamente.

Por Lauro Jardim

—————————————–

  • VOTOS 46.905 (0.22%)
  • POSIÇÃO 103

 

Graças ao Tiririca PM elege Capitão Augusto para Deputado federal. 

capitãoaugustoSeguindo a mesma fórmula do sucesso fácil , o Capitão Augusto obteve a legenda para disputar uma vaga na Câmara dos Deputados. Vaga garantida por conta do puxador da sigla, apesar de pífios 46.905 votos para quem é fundador e presidente de honra do Partido Militar.

Obviamente, não foi de graça,  né ?

Observação:  com  73.949 eleitores Conte Lopes não obteve vaga pelo PTB.

Serra mantém vantagem e deve ser eleito senador, diz Datafolha 18

GUSTAVO URIBE
DE SÃO PAULO

04/10/2014 18h00

A menos de um dia das eleições, o ex-governador de São Paulo José Serra (PSDB) manteve a liderança e deverá ser eleito senador por São Paulo neste domingo (5).

A última edição da pesquisa Datafolha, realizada entre sexta-feira (3) e sábado (4), mostra que, em relação a levantamento divulgado na quinta-feira (2), o tucano passou de 47% para 50% das intenções de votos válidos, sem computar brancos ou nulos.

Segundo colocado na disputa eleitoral, Eduardo Suplicy (PT) oscilou de 39% para 37%, enquanto Gilberto Kassab (PSD) manteve 9%.

A candidata Marlene Campos Machado (PTB) manteve 2% e Ana Luiza (PSTU) e Fernando Lucas (PRP) tiveram 1%.

Os demais candidatos não pontuaram. Se levados em conta os votos totais, Serra passou de 39% para 41%, Suplicy foi de 33% para 30% e Kassab oscilou de 8% para 7%.

A três dias da eleição, metade (50%) dos eleitores paulistas não sabe o número do candidato ao Senado Federal em que desejam votar.

A margem de erro da pesquisa é de dois pontos, para cima ou para baixo. O Datafolha entrevistou 3.119 eleitores em 59 cidades; a pesquisa está registrada com a sigla SP-00064/2014.

Editoria de Arte/Folhapress

Transcrito da Folha de São Paulo ; nos termos do artigo 46 da Lei nº 9.610, de 19 de Fevereiro de 1998.‏

Ligações perigosas: Ex-Secretário de Segurança Antônio Ferreira Pinto defenestrava policiais civis por telefone favorecendo o crime organizado 32

declaraçõesA polícia de São Paulo apura a relação do cantor Frank Aguiar com o traficante internacional de drogas Jailson Lopes de Souza, o Jabá. As investigações apontam que o músico, que é candidato a deputado e era vice-prefeito de São Bernardo do Campo, na Grande São Paulo, recebeu propina para facilitar a lavagem de dinheiro.

fonte: JORNAL DA BAND

Ex-secretário da Segurança Antonio Ferreira Pinto estaria envolvido em rede de proteção a narcotraficantes 37

Relação de Frank Aguiar com suspeito de tráfico de drogas é investigada

De acordo com a reportagem, Frank aparece em vários escutas telefônicas com Jailson Lopes de Souza, o Jabá, “conhecido como traficante internacional”

Da Redação (redacao@correio24horas.com.br)
03/10/2014 18:25:00 Atualizado em 03/10/2014 18:30:39

O vice-prefeito de São Bernardo do Campo (SP), Frank Aguiar, é investigado pela Polícia Civil de São Paulo por supostas ligações com um suspeito de “comandar rotas nacional e internacional de tráfico de drogas”. O inquérito também apura uma suposta rede de proteção para livrar Frank da investigação, segundo a Folha Online.

secretario015-0

O ex-secretário da Segurança Antonio Ferreira Pinto estaria envolvido nesta rede de proteção, segundo a investigação. Tanto Ferreira Pinto quanto Frank são candidatos à Câmara dos Deputados.

De acordo com a reportagem, Frank aparece em vários escutas telefônicas com Jailson Lopes de Souza, o Jabá, “conhecido como traficante internacional”. A investigação e as interceptações, com autorização judicial, começaram após uma apreensão de 230 kg de cocaína em 2011 na cidade de Itu.

(Foto: Ag. News)

QUEM É LIXO ? TV Bandeirantes acaba de apresentar documentos revelando que Ferreira Pinto deu proteção para traficante internacional associado a Frank Aguiar 17

sexta-feira, 3 de outubro de 2014 – 20h29Atualizado emsexta-feira, 3 de outubro de 2014 – 20h32

 

Frank Aguiar teria recebido propina de traficante

 

Segundo investigação da polícia, cantor e candidato a deputado mantinha relação de amizade com criminoso

Frank Aguiar teria sido pago para facilitar negócios de quadrilha / Leo Franco/AgNews

Frank Aguiar teria sido pago para facilitar negócios de quadrilha Leo Franco/AgNews

Da Redação com Jornal da Band noticias@band.com.br

A polícia de São Paulo apura a relação do cantor Frank Aguiar com o traficante internacional de drogas Jailson Lopes de Souza, o Jabá.  As investigações apontam que o músico, que é candidato a deputado e era vice-prefeito de São Bernardo do Campo, na Grande São Paulo, recebeu propina para facilitar a lavagem de dinheiro.

O político teria sido pago para facilitar os negócios da quadrilha, entre eles a venda de uma concessionária na Paraíba. Em escutas telefônicas, feitas com autorização judicial, Jabá fala para o amigo que o então vice-prefeito “já agilizou o esquema”. Em um vídeo feito no aeroporto de Congonhas, em São Paulo, Frank Aguiar encontra um amigo do traficante para finalizar o negócio.

De acordo com a Polícia Civil, o político vive numa mansão de quase mil metros quadrados que pertence ao criminoso e fica em um condomínio fechado em São Bernardo. Um inquérito aberto em 2011 mostra que os dois tinham uma relação de amizade estreita.

A polícia investiga se parte do dinheiro do tráfico de drogas foi usado para financiar campanhas eleitorais de Frank Aguiar. A desconfiança aumentou depois que policiais disseram ter sofrido pressão para paralisar a investigação a mando do ex-secretário de segurança pública de são paulo, Antônio Ferreira Pinto. Ambos são candidatos a deputado federal pelo PMDB.

No depoimento, um dos investigadores afirma que o então secretário ligou para o diretor do Deic (Departamento Estadual de Investigações Criminais) e ordenou que os policiais fossem afastados do caso. Depois disso, o inquérito ficou parado por dois anos e páginas do processo foram trocadas, com informações importantes que desapareceram.

A CASA CAIU – Ferreira Pinto recebeu muito “Jabá” para deixar vender o “morango do nordeste” em terras bandeirantes 34

Polícia apura relação de Frank Aguiar com suspeito de tráfico

ROGÉRIO PAGNAN
GUSTAVO URIBE
REYNALDO TUROLLO JR.
DE SÃO PAULO

03/10/2014 08h52

O vice-prefeito de São Bernardo do Campo (SP), Frank Aguiar, candidato a deputado federal pelo PMDB, é investigado pela Polícia Civil de São Paulo por ter ligações com um suspeito de “comandar rotas nacional e internacional de tráfico de drogas”.

O mesmo inquérito apura ainda uma suposta rede de proteção a Frank Aguiar, para tentar livrá-lo da investigação, da qual teria participado o ex-secretário da Segurança Antonio Ferreira Pinto, também candidato à Câmara dos Deputados.

Segundo documentos obtidos pela Folha, Frank aparece em várias escutas telefônicas com Jailson Lopes de Souza, o Jabá, “largamente conhecido nos meios policiais como traficante internacional de entorpecentes”.

Essas interceptações, com autorização judicial, ocorreram em investigação iniciada pela polícia após uma apreensão de 230 quilos de cocaína ocorrida em 2011, em Itu (101 km de São Paulo).

As escutas demonstraram que Souza, segundo o relatório policial, explorava o prestígio de Frank para beneficiar uma rede de empresas-fantasmas para lavagem de dinheiro do tráfico e venda de combustível adulterado.

Em uma das conversas, o vice-prefeito é indicado por Jabá a um empresário do Nordeste para tentar desenrolar a venda de uma concessionária da Volkswagen, pertencente a esse empresário, com a cúpula da montadora.

Souza passa o número do celular pessoal de Frank ao empresário e lhe dá a senha: dizer que vai “sobrar uma quirela” para o político. As conversas mostram, ainda, que ambos participam de eventos juntos, são vizinhos e trocam visitas.

Segundo o relatório da polícia, a casa de 949 m² em que Frank Aguiar mora no condomínio Swiss Park, em São Bernardo, está registrada em nome do suspeito de tráfico internacional.

Embora o inquérito tenha suspeitas graves, principalmente contra Souza, ele ficou parado de abril de 2012 até fevereiro deste ano. Isso aconteceu, segundo documentos, após dois investigadores serem afastados do caso.

Ouvidos em setembro, os policiais afirmaram que o afastamento deles ocorreu após ordem direita do então secretário Ferreira Pinto, conforme puderam ouvir em ligação telefônica com seu chefe.

Além disso, os policiais dizem que o relatório anexado no inquérito foi fraudado. O documento produzido por eles, com cinco páginas a mais que as três anexadas, continha citações a Frank.

No relatório supostamente fraudado a participação do cantor e político não aparece em nenhuma linha. A polícia já pediu à Justiça autorização para buscas nas casas de Frank e de Souza.

Reprodução
O cantor e candidato a deputado Frank Aguiar (PMDB)
O cantor e candidato a deputado Frank Aguiar (PMDB)

OUTRO LADO

Frank Aguiar e Ferreira Pinto negaram que se conhecem pessoalmente e disseram haver motivação eleitoral na investigação da Polícia Civil.

Frank Aguiar admitiu ter relação de amizade com Souza, mas negou que soubesse da suspeita de ligação dele com o tráfico de drogas. Também confirmou ter comprado imóvel do empresário e de ter intermediado venda de concessionária, mas negou ter recebido recursos pela ajuda.

Ferreira Pinto disse que não sabia de apuração sobre o cantor e que a suspeita envolvendo seu nome “não faz sentido”.”Minha biografia não permite insinuação em relação a isso”, afirmou.

Aécio caminha para o 2º turno 37

Datafolha mostra empate técnico entre Marina e Aécio; Dilma lidera com 40%

RICARDO MENDONÇA
DE SÃO PAULO

02/10/2014 18h49

A três dias da eleição, Aécio Neves (PSDB) conseguiu empatar com Marina Silva (PSB) na disputa pelo segundo lugar da corrida presidencial.

Pesquisa Datafolha concluída nesta quinta-feira (2) mostra Marina com 24% das intenções de voto, Aécio com 21%.

Como a margem de erro do estudo é de dois pontos para mais ou para menos, a situação é de empate técnico entre os dois postulantes.

A tendência é de uma briga bastante acirrada pelo ingresso no segundo turno contra a presidente Dilma Rousseff (PT), líder isolada do primeiro turno com 40% –o mesmo patamar dos dois últimos levantamentos.

Marina cai ou oscila para baixo pesquisa após pesquisa desde o início de setembro. No mesmo período, ocorreu o oposto com Aécio. A vantagem da pessebista sobre o tucano chegou a ser de 20 pontos. Hoje é de 3 pontos.

Juntos, os outros candidatos somam 4% das intenções de voto. Luciana Genro (PSOL), Pastor Everaldo (PSC) e Eduardo Jorge (PV) têm 1% cada, enquanto os demais totalizam 1%. Brancos são 5%, eleitores dispostos a votar nulo representam outros 5%.

Em votos válidos (conta que descarta brancos e nulos), o placar do primeiro turno é Dilma com 45%, Marina com 27%, Aécio com 24%.

Nos testes de segundo turno, Dilma vence tanto Marina quanto Aécio com o mesmo resultado: 48% a 41%.

O Datafolha fez 12.022 entrevistas em 433 municípios por encomenda da Folha em parceria com a TV Globo. Os eleitores foram ouvidos nesta quarta (1º) e nesta quinta (2). O nível de confiança é de 95% (em 100 levantamentos com os mesmos métodos, os resultados estarão dentro da margem de erro em 95 ocasiões). O registro da pesquisa no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) é BR-00933/2014

Editoria de Arte/Folhapress

 

Transcrito da Folha de São Paulo ; nos termos do artigo 46 da Lei nº 9.610, de 19 de Fevereiro de 1998.‏

ADM NOTA 10 ABSURDO – Drs. Grella e Blazeck, policial civil não é vigia de sucata 48

Bom Dia Dr. Guerra

Quando vemos índices de violência em São Paulo nas alturas, somada a questão critica de funcionários da Policia Civil, onde não se esclarecem praticamente a autoria de nem 2% dos delitos, vem um esperto ou melhor, um iluminado e faz uma escala de 24 horas, 7 dias por semana nos patios de veiculos abandonados pelo estado! No último que fui passamos a noite toda na Av Presidente Wilson 1873, numa situação degradante, sem condições nenhuma de higiene e para fazer a "segurança" de carcaças queimadas! Neste lugar por 12 horas sem um banheiro em condições de uso, etc.

Enfim, não existe com certeza motivo aparente para desviar diversos policiais das investigações para proteger esse "passivo", mas a administração prefere proteger ferro torcido a proteger a população.

Por ultimo, a chave do portão passa se mão em mão, de equipe para equipe e ainda temos que sair daqui e retornar para a base mas não podemos deixar de preparar o relatório, que alias nem para papel higiênico servirá.

Alguém poderia explicar isso ou essa "segurança" receberei no contra cheque!???

Revoltante, é o fim!

Fotos anexas!

Trinta anos depois : Aécio Neves – neto de Tancredo Neves – para salvar outra vez o Brasil 36

800px-Tancredo_aecio_neves

Empolgado com pesquisas, Aécio volta a criticar Dilma e Marina

PAULO PEIXOTO
ENVIADO ESPECIAL A GOVERNADOR VALADARES (MG)

01/10/2014 21h08

Em sua terceira escala na campanha desta quarta-feira (1º), em Governador Valadares (MG), o candidato do PSDB à Presidência, Aécio Neves, demonstrando animação com os resultados das últimas pesquisas, voltou a criticar suas concorrentes diretas, a presidente Dilma Rousseff (PT) e a ex-senadora Marina Silva (PSB).

“Mais quatro anos desse governo intervencionista será trágico para país. E a candidata Marina, infelizmente, não adquiriu as condições de governabilidade, não conseguiu superar as enormes contradições que permeiam a sua candidatura”, afirmou o tucano.

Aécio disse que apenas sua candidatura poderá recolocar o país no caminho do crescimento econômico e que “o problema não é o país, é esse governo que está aí”. Segundo ele, o Brasil não pode “perder essa oportunidade” de mudar o atual ciclo de governo.

Aécio disse que tem recebido informações sobre a manutenção de sua tendência de alta nas pesquisas e que irá para o segundo turno.

O tucano foi questionado sobre busca de apoios no segundo turno, inclusive com o PSB. Ele disse que “seria desrespeito” da sua parte abordar esse tema agora e que sua aliança é com a sociedade.

Pesquisa Datafolha divulgada nesta terça-feira (30) mostra que ele está cinco pontos atrás de Marina (25% a 20%). Dilma tem 40%.

O resultado empolgou Aécio e sua militância. Os assessores da campanha do tucano procuravam demonstrar animação com a receptividade ao tucano nos últimos dias.

Segundo esses assessores, houve aumento de contatos com pedidos de vídeos, fotos e outros materiais produzidos pela campanha.

CHEGADA TARDIA

Aécio começou o dia em Mogi das Cruzes, em São Paulo, passou por Juiz de Fora (MG) e chegou a Governador Valadares somente às 18h, com uma hora e meia de atraso. Muita gente o esperava no aeroporto.

Como ainda ele ainda concedeu entrevista no local, a carreata programada para 17h só chegou ao centro da cidade do leste mineiro às 19h20, quando o comércio já estava fechado. A saída da campanha foi cancelar o discurso que ele faria nas proximidades do mercado popular da cidade.

RIBEIRÃO PRETO E REGIÃO – O delegado de polícia candidato a deputado estadual Samuel Zanferdini 15200 também merece o nosso apoio 46

samuel

Caríssimos Irmãos,

 

Como é de conhecimento de todos os irmãos estou em plena campanha eleitoral para Deputado Estadual. É muito importante que os irmãos me ajudem a multiplicar esses votos já que  Sou Samuel Zanferdini, 46 anos, casado, pai de três filhos, Delegado de Polícia há 21 anos, 2a Classe, Titular do 6o Distrito Policial de Ribeirão Preto. Trabalhei em várias Unidades Policiais da capital (1º, 58º , 81º e 101ºDP’s). Fui eleito vereador pelo PMDB em 2004(3298votos), reeleito em 2008(6808). Estou no 3º mandato(eleito com 8101 votos – terceiro mais votado de Ribeirão Preto). Como vereador nunca me afastei da polícia, acumulei as funções, pois estou na política, mas sou Delegado de Polícia. Sou Pós Graduado em Administração Pública e Prevenção ao Uso Indevido de Drogas. Há cinco anos ministro palestras gratuitas de Prevenção às Drogas em escolas, igrejas e empresas. Sou mantenedor da Associação Grande Cidadão, que desenvolve trabalho social com instalação de bibliotecas e hortas comunitárias, fornecimento de alimentação e cursos profissionalizantes gratuitos. Sou candidato a Deputado Estadual, meu número é 15200. Meu compromisso é ser o representante da Polícia Civil na Assembléia Legislativa. Lutar, articular e defender os interesses da categoria como sempre fiz como vereador e Delegado. Participei ativamente das manifestações em apoio às nossas reivindicações. Preciso do seu voto, da sua família e dos seus amigos para ser o representante da Polícia Civil na Assembléia Legislativa de São Paulo.

Contatos: Site: http://www.samuelzanferdini.com.br / E-mail:
samuelzanferdini@hotmail.com
Fone: (16) 99991-8315 / Facebook: Samuel Zanferdini / Twitter: @Zanferdini

PARABÉNS MAGISTRADOS 30

———- Mensagem encaminhada ———-
De: Diário dos Esquecidos

Bom dia Dr. Guerra. Solicito que divulgue o nosso texto. É uma pequena homenagem para parabenizar àqueles que sempre terão incentivos para desenvolver sua atividade com motivação.

Obrigado.

 

 

PARABÉNS MAGISTRADOS

 

É nobre a preocupação que os magistrados possuem com suas despesas com moradia. O Supremo Tribunal Federal estabeleceu o valor de R$ 4.377,73 para o auxílio-moradia que terão direito todos os magistrados que não têm residência oficial a sua disposição. Nos cálculos realizados pelos Excelentíssimos Senhores Doutores, este valor seria adequado para promover uma moradia adequada.

Certamente estes cálculos não são os mesmos utilizados para definir a remuneração dos policiais civis. O último concurso realizado para a carreira de escrivão de polícia, estabeleceu uma remuneração inicial para os futuros funcionários em R$ 3.160,08. É desesperador pensar que neste valor, estão incluídas, além das despesas com moradia, todas as outras não menos essenciais, tais como alimentação, vestuário, transporte, educação de filhos etc.

Diferentemente de como ocorre no Poder Judiciário, onde os próprios magistrados definem quanto serão os reajustes de seus vencimentos, gratificações e auxílios, a polícia civil depende de outros órgãos para definir sua remuneração.

Teriam tais órgãos interesse em estabelecer uma política administrativa na instituição policial, espelhada naquela desenvolvida pelo Poder Judiciário?

A realidade nos dá a resposta. Aos policiais, cabem estabelecer suas moradias em bairros cujo índice de criminalidade é alto. Devem continuar impedindo que seus filhos se relacionem com outras crianças do bairro, pois mesmo sem intenção, podem revelar a profissão de seus pais. Também não devem se esquecer de continuar secando suas fardas e uniformes lavados atrás da geladeira, certamente financiada.

Parabéns a todos os magistrados por mais esta conquista. Da nossa parte, desejamos que continuem não hesitando em requisitar a intervenção policial todas as vezes que acreditarem estar na iminência de um perigo. Apenas rogamos que sempre permaneçam conscientes, no momento de vossas decisões envolvendo policiais, das obscuras limitações que lhe são impostas.

Para finalizar, humildemente rogamos por um favor. Caso Vossas Excelências sejam designadas para decidir sobre a palavra proferida pelo Ex-secretário da Segurança Pública, Antonio Ferreira Pinto ao dirigir-se ao seu sucessor Fernando Grella na cerimônia ocorrida no batalhão da ROTA, suspeitem que, talvez, não tenha ocorrido uma simples ofensa pessoal, mas um desabafo resumido do que a segurança pública se tornou.

 

VAI DAR CHUCHU NA CABEÇA – Campanha mais quatro anos para o Dr. Fernando Grella e Dr. Blazeck…O Pinguço “lixão” já está desesperado 77

Ibope: em SP, Alckmin tem 45%; Skaf, 19%; e Padilha, 11%

Do UOL, em São Paulo

30/09/201418h58

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), permanece à frente na disputa pela reeleição no Estado e com chances vitória já no primeiro turno. É o que mostra a pesquisa Ibope divulgada nesta terça-feira (30). De acordo com o levantamento, o tucano caiu de 49%, na última pesquisa no último dia 23, para 45%.

O empresário Paulo Skaf (PMDB) aparece em segundo lugar, mas oscilou de 17% para 19%. O ex-ministro da Saúde Alexandre Padilha (PT) está em terceiro, e cresceu de 9% para 11%.

 .

Segundo turno

Alckmin venceria no primeiro turno porque tem mais do que a soma das intenções de voto dos demais candidatos, mesmo levando em consideração a margem de erro de dois pontos percentuais para cima ou para baixo.

Mesmo com a vantagem do tucano, o Ibope escutou os eleitores sobre um eventual segundo turno entre Alckmin e Skaf. O governador seria reeleito com 49% dos votos, contra 28% do peemedebista. Brancos e nulos seriam 14% e 8% não sabem ou não responderam.

Rejeição e avaliação do governo

O Ibope também mediu a rejeição aos candidatos e a avaliação do governo estadual. Padilha é o mais rejeitado, com 20% dos entrevistados que dizem não votar no petista “de jeito nenhum”. A taxa de rejeição de Alckmin é de 18%. Os que descartam votar em Skaf representam 13%. Na pesquisa anterior, a taxa de rejeição de Padilha era 23%; a de Alckmin era de 16%, e a de Skaf, 13%.

Na sequência aparecem Maringoni (9%), Natalini (8%), Sena (8%), Benko (8%), Ciglioni (7%) e Farias (7%). Outros 16% disseram que votariam em todos e 37% não souberam ou não responderam.

O governo Alckmin é considerado ótimo ou bom por 43%, contra 45% no levantamento da semana passada,  33% avaliam a gestão como regular. O índice de eleitores que consideram a gestão tucana como “ruim ou péssima” cresceu, de 14% na semana passada para 20%. Outros 4% não sabem ou não responderam