O PEDIATRA DO POVO – Observem as origens do governador Márcio França e não acreditem nas mentiras do João Dólar 141

Resultado de imagem para márcio franca como pai

Pediatra do povo – O  médico Luiz Gonzaga de Oliveira Gomes, que nasceu a 25 de setembro de 1923, em Bebedouro, no Interior de São Paulo. Filho do médico Paulo de Almeida Gomes, teve forte atuação em Cananéia ,  Iguape e demais cidades da região de Registro e Vale do Ribeira.

O Dr. Luiz Gonzaga também abraçou a profissão do pai, formando-se médico na Universidade Federal de Curitiba, aos 26 anos.

Tornou-se um renomado pediatra, sempre sensível às comunidades mais carentes. Exerceu vários cargos na área de saúde da região, especialmente em São Vicente.

Por muitos anos foi o único médico a atender a população da cidade, especialmente os mais pobres…

De quem nada cobrava!

Foi diretor da Saúde em Cubatão; secretário-adjunto em Santos; secretário em São Vicente; chefe do Serviço de Fiscalização em Santos; chefe da Pediatria do Hospital São José; chefe do Serviço de Emergência Infantil da Santa Casa de Santos e, por muito tempo, diretor do Centro de Saúde de São Vicente.
Casou-se com Myrthes Giani França Gomes.

O casal teve quatro filhos: Heloisa, Cláudio, Márcio – o nosso governador –  e Flávio ; muitos netos e bisnetos.

Foi professor-assistente da Fundação Lusíada.

Na área esportiva destacou-se como goleiro em times de Iguape, onde ajudou a fundar o Clube Alvorada.

Também gostava de jogar tênis. Faleceu em 1996, aos 72 anos.

Dr Selfie – Delegados ridículos e narcisistas da Polícia Civil…( Deixem de mariquices e vão trabalhar de verdade seus embusteiros! ) 280

DR SELFIE – A piada operacional

A Polícia Civil definitivamente está se tornando, cada vez mais, um show de bizarrices. Já não bastasse meninos mimados e bombados brincando de Rambo e desfilando seus equipamentos fetichistas pelas ruas de São Paulo em suas viaturas pretas, agora o ego subiu às nuvens. Autointitulados “operacionais” despejam semanalmente dezenas de fotos autopromocionais nas mais diversas poses com equipamentos e armas, do Estado ou próprios, nas diversas redes sociais.
Não obstante tudo isso, agora temos um Delegado Operacional apelidado pelos próprios subordinados de “Dr. Selfie”. Pois é, o Super Delegado do GOE não perde um minuto do dia sem que o registre e publique em suas redes sociais. Pousando de SEAL ou SWAT boy, com o cabelo sempre bem arrumado, virou chacota nos grupos de whatsapp dos policiais civis. Isso sem mencionar o que podem estar dizendo nos grupos de PM e outros profissionais da Segurança Pública.

Há também o bom moço, carinha de bebê, cabelinho sempre arrumadinho como o do Dr Selfie, sempre pronto para o próximo ensaio fotográfico. Modelete de revista de moda.

Não vamos nos esquecer do Dr Bin Laden do DHPP. Este parece uma figura de desenho animado do tipo GI-Joe ou Falcon. Seus vídeos e fotos, tais quais os do Dr Selfie, estão sempre trazendo novidades do mundo operacional imaginário e arrebanhando fãs e seguidores.

Pois é amigos, estamos virando um zoológico policial. Não estaria na hora de alguém se preocupar em ser policial de verdade e deixar essa vaidade toda de lado? Nós que ralamos dia após dias nos plantões dos fundões das seccionais, temos que nos virar com o que sobra e fazer milagres.
Policiais como o Dr Selfie, que brincam de SWAT, e que não sabem o que é um plantão de verdade na Polícia Civil de São Paulo, nos causam vergonha. Cadê a Polícia que existia há uns 20 anos atrás, quando entramos e ainda havia um pouco de brio em ser o que somos, sem frescuras ou embustes. Cadê a Polícia de verdade, para a qual prestamos concursos e sonhamos um dia fazer parte?

 

Delegado preso em Minas Gerais é conhecido como “Doutor Selfie” 23

Delegado preso em Minas Gerais é conhecido como “Doutor Selfie”

Rodrigo Castro, do Grupo de Operações Especiais (GOE), é um dos quatro policiais que continuam detidos

O delegado Rodrigo Castro Salgado da Costa, do Grupo de Operações Especiais (GOE), um dos quatro policiais civis paulistas que permanecem presos em Juiz de Fora (MG) após uma troca de tiros com colegas mineiros, poderá passar seu aniversário de 32 anos, que ocorrerá na próxima sexta (26), na cadeia. No domingo (21), o juiz Paulo Tristão Machado Júnior, da Vara do Tribunal do Júri da cidade, converteu a prisão do quarteto, que era provisória, em preventiva, ou seja, não tem prazo para terminar.

Nas redes sociais pessoais e da corporação, o jovem delegado costuma aparecer em ações de combate ao crime e de treinamento. Em várias fotos, ao ser clicado portando armas de grosso calibre, o agente da lei recebe dezenas de elogios de mulheres. “Partiu ser presa”, disse uma uma internauta. Em grupos de policiais no WhatsApp e no Facebook, a detenção de Costa dividiu opiniões. Enquanto uns criticam sua exposição em demasia e o chamam de “Doutor Selfie”, outros colegas o defendem e elencam qualidades como capacidade e honestidade.

 (Reprodução/Facebook/Veja SP)

O caso

Na última sexta (19), pelo menos nove agentes da segurança pública paulista faziam escolta privada para um empresário chamado Flávio Guimarães, que foi ao estado vizinho trocar dólares por dinheiro brasileiro. Segundo as investigações, após os agentes de São Paulo perceberem que os 14 milhões de reais usados na transação seriam falsos, houve um tiroteio com policiais mineiros, que faziam a proteção particular, fora do horário de trabalho (ação conhecida como “bico”), para o responsável pelas cédulas ilegais. Na ação, uma pessoa morreu e outras duas ficaram feridas.

Na decisão que determinou a prisão dos agentes paulistas, o juiz Machado Júnior afirmou que os fatos causaram grande clamor público e perplexidade. “O abalo da população de Juiz de Fora tornou-se ainda maior quando da apreensão de 14 milhões de reais em notas falsas e ao tomar conhecimento que os policiais civis de São Paulo não estavam aqui como agentes públicos, representando seu estado, mas fazendo bico, na escolta privada de um empresário”, afirma. “Todos os envolvidos tinham a ciência da ilicitude da negociação e a falsidade das notas”, conclui. Os outro cincos policiais de São Paulo envolvidos vão aguardar o julgamento em liberdade, assim como os agentes mineiros.

Fogo contra fogo na terra do pão de queijo…Para a Polícia Civil só resta caixão e vela preta 29

Resultado de imagem para fogo contra fogo

Caro Guerra, esse pessoal tem que ir pra cadeia e pra rua.

Acreditando na melhor das versões apresentadas, não tem o menor cabimento, estarem em Juiz de Fora com 14 milhões de reais em notas falsas, fazendo escolta de bandido para comprarem dólares em estacionamento de hospital.
De onde vieram 14 milhões em notas falsas?

Estacionamento de hospital é Banco do Brasil? É Casa de Câmbio, ou seja, instituição financeira devidamente autorizada a negociar moeda estrangeira com recolhimento dos tributos devidos?

Precisa ser apurado a quanto tempo estavam hospedados em hotel próximo ao local dos fatos.

Se é que estavam escoltando “empresário” de segurança particular, precisava ser checado as câmeras dos pedágios por onde passaram e da cidade também para confirmar isso.

Precisa ser confirmado por exame pericial (confronto balístico) de qual arma partiu o projetil que vitimou o inspetor da Polícia Civil de MG.

Esses policiais, em atividade de segurança privada de bandido, estavam usando equipamentos patrimônio da Polícia Civil do Estado de São Paulo?

Cadê o doleiro mineiro que iria participar do negócio?

Cadê dólares falsos ou verdadeiros apreendidos?

Até agora existem muitas dúvidas sobre o que, verdadeiramente, ocorreu, mas com certeza não era coisa certa.

Chega-se a suspeitar que se tratava de uma negociação interestadual para compra de entorpecente(cocaína) e esse “empresário” de segurança seja ganso, bem como o “doleiro” mineiro o traficante. Estranho prenderem agentes mineiros por prevaricação, isso gera uma dúvida sobre a idoneidade moral do inspetor que faleceu.

E aquela estória de que os policiais paulistas estava no local para acompanhar uma negociação com anestésico. Que anestésico? Xilocaína, semelhante a cocaína? O que tem de verdade nisso e por que saiu esse comentário.

E a estória de que os policiais paulistas escoltavam um criminoso para o hospital. Policial de SP escoltar preso para hospital de MG? Por que saiu esse comentário?

Como Governador, Secretário da Segurança Pública, Delegado Geral, você determinar que uma equipe da Corregedoria Geral de Polícia do Estado de São Paulo vá até MG se inteirar do que está acontecendo é uma providência correta, mas mandar policiais do GOE para acompanhar o desenrolar dos fatos não dá pra se entender.

Não deveriam ter liberado ninguém até que inúmeras dúvidas fossem esclarecidas, os que não fossem presos em flagrante deveriam ficar presos, temporariamente ,até o esclarecimento dos fatos.

Por essas e por outras, amigo Guerra, tem muita sujeira ainda nessa estória. Acreditamos na justiça mineira, no Ministério Público do Estado de Minas Gerais, de modo especial, no GAECO de la e daqui, que acredito vão acompanhar como se deve as investigações para o cabal esclarecimento de tudo.

Com esse monte de moeda falsa, negociação ilegal de moeda estrangeira, eventual possibilidade de transação interestadual envolvendo entorpecente, etc. a POLÍCIA FEDERAL DEVERIA ENTRAR NO CASO.

Lembre-se sempre de uma coisa Guerra, alguns desses que ainda dirigem a Polícia, diga-se de passagem para o abismo, expropriaram lhe do cargo público que alcançou por mérito pessoal, em concurso de provas e títulos, sem o apadrinhamento de ninguém, nem tampouco ao preço de 30 mil dólares. Não teve qualquer fato que motivasse esse tipo de reprimenda. Com mais de vinte anos de bons serviços prestados à Polícia Civil deste Estado, seu prontuário funcional era absolutamente limpo.
Você foi perseguido, jogado numa cidade onde não tinha qualquer vínculo pessoal com ninguém, tudo para satisfazer interesse pessoal de quadrilheiro que se apossou da polícia judiciária de Santos na época.

Enquanto isso, até a presente data, se paga para ser classe especial, se paga para sentar numa boa cadeira, apadrinhados fazem essas cagadas tipo Juiz de Fora, tipo desvio de 1 tonelada de maconha e NÃO ACONTECE ABSOLUTAMENTE NADA.

Continuamos dirigidos por sócios ocultos da empreitada criminosa, ocultos em ternos de grife, alguns de cabelos brancos, porque afinal,os canalhas também envelhecem, sempre bem articulados, com o discurso afinado na recorrente retórica do tudo pela polícia, tudo para a polícia.

A bem da verdade, estão afundando cada vez mais a nossa polícia na fossa em que se encontra, até não ter mais jeito, ai vão embora, com os bolsos cheios de dinheiro usufruir o merecido descanso em suntuosas mansões no Condomínio Acapulco, na Ilha Bela, em Angra dos Reis e vai por ai afora.

A continuar nesse diapasão, para a Polícia Civil só resta caixão e vela preta.

Por: Delpol amigo lá da Consolação 

A verdade verdadeira: os delegados de São Paulo não foram roubar; eles foram treinar táticas policiais no Castelo Monalisa de propriedade do delegado aposentado – dono de empresas de segurança – Dr. Julio Moreira 28

POR QUE POLICIAIS DE SÃO PAULO FORAM AO CASTELO DO EDMAR?

12/fevereiro/2009 14:38

A torre do castelo é perfeita para treinar operações radicais

Um passarinho pousou na janela lá de casa e contou o seguinte:

Policiais que trabalham para José Pedágio foram passear no castelo do Edmar.

Edmar, como se sabe, é um empresário do setor de segurança particular e ex-policial.

Os policiais gostaram tanto do passeio que fizeram rapel na torre principal do castelo.

Deve ser uma forma de treinamento.

A polícia de Pedágio faz cada uma…

O interessante é que eles gravaram tudo em vídeo.

E o passarinho me disse que a Globo comprou o vídeo de um policial que prima pela honestidade.

Porém, a Globo não exibiu esse vídeo nem no jornal nacional nem no Fantástico.

Por que será?

Porque o vídeo não presta.

Porque o Pedágio ligou para a Globo e vetou o vídeo.

Por que ele vetaria?

Qual o mal de policiais de São Paulo fazerem rapel no castelo do Edmar?

Essas, amigo navegante, são apenas hipóteses, como se percebe.

Paulo Henrique Amorim – Conversa Afiada

Fonte: http://www2.paulohenriqueamorim.com.br/?p=5913

 

Resultado de imagem para castelo monalisa aluguel

Dr. Selfie em cana participando de organização criminosa – Não adianta tentar defender esse pessoal : SÃO BANDIDOS ! 60

NOME AOS BOIS CONFINADOS:

Jorge Alexandre Barbosa de Miranda, investigador lotado no DPPC ,  Caio Augusto Freitas Ferreira de Lira, ex-advogado que abraçou a carreira de investigador de polícia , Bruno Martins Magalhães Alves . delegado assistente do 95 DP e o delegado do GOE Rodrigo Castro Salgado da Costa foram detidos.

Vergonhoso!

Mas cadê o resto?

A Ordem ou autorização foi de quem ?

 

 

 

A Polícia Civil da Capital continua vestindo ternos superfaturados com a verba reservada pra fazer vez de segurança VIP de empresários bandidos…O Diretor ganha fortuna; o subordinado ganha demissão 17

Resultado de imagem para pedro herbella

Caro Guerra,

O momento político tem ocupado quase que totalmente este espaço virtual, visitado por um expressivo número de pessoas, principalmente policiais de todo o território nacional.
Alguns acontecimentos de intensa gravidade, em razão do momento eleitoral, infelizmente, estão passando sem a merecida repercussão, entre os quais o gravíssimo confronto entre policiais civis, na cidade de Juiz de Fora, no vizinho estado de Minas Gerais.

O fato demonstra o mais completo despreparo operacional, falta de direção, uniformidade de procedimentos, verdadeira torre de Babel, onde cada Departamento, Seccional, quiça Distrito Policial, faz o que quer e bem entende, sem qualquer controle de efetivo, armas, viaturas, sem a menor preocupação em dar satisfação a outros policiais do que vai fazer em circunscrição territorial de outras unidades policiais. Aliás, se não avisa, fica bem mais evidenciado que coisa certa não era.

Se não bastasse essa zona, casa da mãe Joana que ocorre aqui no Estado, polícia sem determinação de rumo, sem direção, sem a devida fiscalização do Ministério Público, destituída de órgão corregedor de fato, as irregularidades, quiça, ilegalidades, verdadeiras “cagadas” ultrapassaram as fronteiras do Estado, provocando consequências gravíssimas e deploráveis no Estado de Minas Gerais.

Um bando de policiais civis de São Paulo, não se sabendo a que unidade policial pertenciam, armados até os dentes, hospedados em hotel da cidade de Juiz de Fora, sem que no local qualquer policial civil ou militar ou guarda municipal soubesse de eventual operação ou diligência que, eventualmente, estivessem participando, são abordados por policiais civis do local, os quais são recebidos a bala. Do fato resultaram um policial civil de Minas Gerais morto, dois de São Paulo feridos e internados em hospital da cidade, bem como vários policiais civis de São Paulo evadidos do local. Coisa surreal, absurda e inaceitável que se possa imaginar, policiais civis de Estados diferentes trocando tiros, imaginando uns que os outros eram bandidos, enfim, a pergunta que todos fazem e que não tem uma resposta aceitável:

O QUE UMA DEZENA DE POLICIAIS CIVIS DE SÃO PAULO ARMADOS ATÉ OS DENTES FAZIAM HOSPEDADOS EM HOTEL DE JUIZ DE FORA SEM QUE NA CIDADE OU ESTADO DE MINAS GERAIS ALGUMA AUTORIDADE SOUBESSE DA PRESENÇA DELES?

São fatos assim que enlameiam nossa instituição. Denotam falta de hierarquia, disciplina, cada um faz o que quer.

Faz UM MÊS QUE BANDIDOS TRAVESTIDOS DE POLICIAIS DO 1º DP DA CAPITAL, REINSERIRAM NO MERCADO UMA TONELADA DE MACONHA QUE SE ENCONTRAVA APREENDIDA NO LOCAL. Não existe a mais remota possibilidade dessa droga ter saído de lá sem a participação dos bandidos policiais que lá trabalhavam. Pergunta:

SR GOVERNADOR DO ESTADO; SR SECRETÁRIO DE SEGURANÇA PÚBLICA DESTE ESTADO; SR RESPONSÁVEL PELO GAECO DO MINISTÉRIO PÚBLICO DESTE ESTADO; SR RESPONSÁVEL PELO GECEP DO MINISTÉRIO PÚBLICO DESTE ESTADO E, DE MODO ESPECIAL:

SENHOR CORREGEDOR GERAL DA POLÍCIA CIVIL DO ESTADO DE SÃO PAULO

Os traficantes bandidos do 1º DP – SÉ, da capital de SP, foram identificados e presos. Não importa se é delegado (a) , escrivão(a), investigador chefe, etc, se é classe diamante ou não, no caso em questão é bandido, é traficante.

O que esses “policiais” ou “bandidos travestidos de policiais” faziam em Juíz de Fora? Tinha investigação em curso devidamente autuada em unidade policial? Por que não foram avisadas as autoridades locais?

Em tempo: Pensei que aquela investigação por prática de crime cibernético de grande repercussão nacional, onde um rapino, mediante fraude, teria desviado uns 400 Milhões de Reais de correntistas de diversos banco, havia sido desencadeada em São Paulo, na verdade o mérito da investigação cabe a Polícia Civil do Tocantis e do DF, quando constataram que os protagonistas principais estavam em SP, avisaram os policiais daqui, os quais abocanharam a investigação de mão beijada como se tivesse sido feita desde o início por eles.

Se não houver uma reestruturação geral dessa, polícia com grande renovação nos cargos dirigentes, estamos fadados a acabar, isso sim. Chega dessa lixaiada que só depõe contra a instituição

 

DELPOL PC – Limpinho

O Guerra, me ajuda aí pô. “Puta cagada” interestadual dessas e ninguém fala nada. 1

Isso não é apenas uma “cagada”. É uma super mega hiper diarreia.
Policiais do GOE? “Num intendi”? GOE é subordinado ao Diretor do Decap não é? É subordinado ao ismail? Aquele que tem um relacionamento intimo com a titular do DP onde evaporou uma tonelada de maconha? Mas a “corró” esta apurando né? Então tá. Vai virar nada, nem aqui, nem em Juiz de Fora, ou melhor, lá parece-me que não tem esse negócio de apadrinhado de Diretor e os 11, 2 delegados inclusive, vão se “phoder” direitinho. Quem age como bandido tem que ser responsabilizado como tal.

Essa estória está muito mal contada. 14 milhões de reais em notas falsas e algumas verdadeiras acondicionados em 6 malas.

Mais de uma dezena de policiais de São Paulo em viaturas descaracterizadas, com toda essa “pacoteira” de dinheiro falso e verdadeiro, escoltando empresário de segurança particular, armados até os dentes, hospedados em hotel próximo ao local dos fatos, tudo acontecendo em outro Estado, sem sequer avisarem qualquer autoridade local. Reagirem a abordagem de policiais do local e, se desgraça pouca é bobagem, assassinaram um colega da policial civil de Minas Gerais.

Parabéns! Foram todos merecidamente autuados em flagrante. Desejo que permaneçam presos até o julgamento. Que todos sejam condenados. Após a condenação que venham cumprir a pena aqui no PPC. Que todos sejam expulsos da Polícia Civil. Que os familiares do policial civil mineiro assassinado constituam advogado e ingressem na justiça contra o Estado de São Paulo com ação indenizatória pelo assassinato do parente.

Duvido que esses policiais estivessem lá sem o consentimento, ao menos tácito, de algum superior hierárquico.

Mas pode deixar que a super corró vai investigar tudo.

É capaz dela empreender todos os esforços possíveis para querer imputar alguma responsabilidade àqueles que revelam essas mazelas deploráveis que enlameiam nossa polícia. Ai é rapidinho. PA relâmpago e rua por “CONDUTA IRREGULAR DE NATUREZA GRAVE”. Entende?

O Guerra, me ajuda aí pô. “Puta cagada” interestadual dessas e ninguém fala nada.

DELPOL PC ( LIMPINHO )

Na elite da Polícia Civil de São Paulo só tem gente honesta e trabalhadora…Fazendo horas extras interestaduais…( CAMBADA DE FILHOS DAS PUTAS DEVERIAM SER TODOS FUZILADOS ! ) 26

 

Os policiais de São Paulo afirmaram ter sido contratados para fazer a escolta de um empresário do setor de ramo de segurança de São Paulo sem saber de fato o que ele veio fazer na cidade. A identidade do suposto empresário não foi divulgada, a Polícia investiga relatos de que ele teria deixado Juiz de Fora em um jatinho.

DEVE SER EMPRESÁRIO DO RAMO DA COCAÍNA…

 

Malas com dinheiro foram apreendidas em MG

João Doria captou R$ 3,5 milhões da Lei Rouanat para projeto da esposa Bia Doria 15

Lei Rouanet libera R$ 3,5 milhões para mulher de Doria

Artista Bia Doria, casada com o prefeito eleito de São Paulo João Doria, lançou livro e participou de exposição no exterior com parte dos recursos financiados pela Souza Cruz

 por Diário de Pernambuco 11/10/2016 11:02

A artista plástica e futura primeira-dama de São Paulo  Bia Doria organizou uma exposição de esculturas de bronze em Miami e lançou um livro sobre seus 10 anos de carreira. Os recursos para ambos os projetos foram captados pela Lei Rouanet, que institui políticas públicas voltadas para a cultura. Desde 2014, Bia conseguiu autorização para arrecadar R$ 3,5 milhões (destinados a financiar também outros projetos próprios), e desse montante já recebeu R$ 702 mil.

A exposição em Miami, formada por 11 esculturas de bronze, ocorreu na feira Art Basel, em 2014, e utilizou R$ 400 mil financiados com incetivo do governo. No caso do livro Bia Doria:Preto no branco, publicado no primeiro semestre de 2016, a receita obtida pela Lei Rouanet foi de R$ 302 mil. O exemplar documenta cerca de 140 obras de Bia e, de acordo com o Sistema de Apoio às Leis de Incentivo à Cultura (Salic), tem por objetivo servir de “referência para estudantes, leitores interessados na arte brasileira, colecionadores que buscam informação e registro documental da artista”.

Os recursos com incentivo federal destinados à cultura são repassados por empresas privadas, já que parte dos impostos de renda das companhias podem ser revertidos para ações culturais. No caso de Bia Doria, os R$ 702 mil arrecados foram trasferidos pela Souza Cruz e Weg Equipamentos Eletrônicos S/A.

Além da mostra em Miami e dos recursos para o livro Preto no branco, a futura primeira-dama teve projetos aprovados para uma exposição em Roma, na Basílica de Paulo, no valor de mais de R$ 1 milhão, e para o livro Raízes do Brasil, publicado em 2014, todos com recursos captados pela Lei Rouanet.

Bia Doria é esposa do futuro prefeito de São Paulo João Doria, eleito nas votações desse ano. As empresas que destinaram recursos para a arte de Bia fazem parte do grupo Lide, associação criada,em 2003, e presidida pelo prefeito eleito com o objetivo de fortalecer “livre iniciativa do desenvolvimento econômico e social”.

Hamilton Mourão – ainda nem sequer foi eleito – mas já planeja tomar a presidência de Jair Bolsonaro; agora tem o João Dólar como aliado ! 32

Hamilton Mourão será o Zé Dirceu do Bolsonaro!

A relação entre o candidato Jair Bolsonaro e o vice  Hamilton Mourão azedou de vez, tanto que o General é mantido distante do núcleo da campanha.

Para Hamilton Mourão ( PRTB ) ,  PMs – como o Major Olímpio – são meros auxiliares; enquanto os civis insignificantes coadjuvantes no plano Bolsonaro.

O próprio capitão é apenas um instrumento, inclusive!

Quem já manda e desmanda é o Alto Comando do Exército.

Mourão se reuniu com Doria, o que será explorado pelo tucano em sua propaganda de TV. “É um apoio importante do vice do Bolsonaro”, disse o tucano.

 Mourão também confirmou o encontro. Disse que teve “uma boa conversa” com Doria e que gravou mensagens de apoio ao tucano.

Perguntado se a decisão não iria incomodar Bolsonaro, respondeu:

“Estou apoiando pelo meu partido, o PRTB, que está com Doria”.

Que belo trabalho em equipe, não é?

Cada qual com o seu partido e o seu projeto pessoal!

Mourão

GENERAL TRAPALHÃO – Não traz nenhum voto ao Bolsonaro, mas cada vez que abre a boca tira um punhado”, afirma o senador eleito Major Olímpio…( Certamente o João Dólar negociou esse apoio do vice de Bolsonaro ! ) 13

Mourão tira foto com Doria, e chefe do PSL em SP diz que ele só atrapalha Bolsonaro

Vice de Bolsonaro se encontrou com o Doria, candidato tucano ao governo de SP

Talita Fernandes
Rio de Janeiro

A manifestação de apoio do general Hamilton Mourão (PRTB) ao tucano João Doria, candidato ao governo de São Paulo, irritou dirigentes do PSL.

“Mais uma vez o Mourão só atrapalha. Não traz nenhum voto ao Bolsonaro, mas cada vez que abre a boca tira um punhado”, afirmou à Folha o senador eleito Major Olímpio, presidente do PSL em São Paulo.

Mourão é vice da chapa do presidenciável Jair Bolsonaro (PSL), que decidiu se manter neutro na disputa pelo Palácio dos Bandeirantes.

Ele teve um encontro com Doria em São Paulo na noite desta quarta-feira (17) para manifestar seu apoio. A reunião foi registrada e divulgada nas redes sociais pelo presidente da Assembleia Legislativa de São Paulo, Cauê Macris. O encontro aconteceu à revelia da campanha de Bolsonaro.

Cauê Macris publica no seu Instagram foto em que Mourão aparece ao lado de Doria
Cauê Macris publica no seu Instagram foto em que Mourão aparece ao lado de Doria – Reprodução Instagram/cauemacris

Mourão aparece na foto fazendo sinal de “acelera” com a mão, marca da candidatura do tucano, entre Doria e Levy Fidelix, presidente do PRTB, ao qual é filiado.

Na legenda, o deputado estadual usou as hashtags #bolsodoria e #acelera. Ele marcou o candidato Jair Bolsonaro na postagem.

A tentativa de aproximação de Doria à candidatura de Bolsonaro já gerou desconforto recentemente na campanha. O tucano foi ao Rio na última sexta-feira (12) para tentar encontrar e gravar com o presidenciável do PSL, mas não foi recebido.

Olímpio, que preside o diretório paulista, é opositor ferrenho a Doria e interveio para que Bolsonaro não encontrasse o candidato tucano. O presidenciável, por sua vez, negou que tivesse marcado o encontro.

Já Mourão protagonizou cenas de desgaste interno na campanha, como o episódio recente em que ele criticou o 13º salário.

A relação entre o candidato e o vice azedou e Mourão tem se mantido distante do núcleo da campanha.

____________________________________________________________

EMPATADOS – Márcio França continua subindo nas pesquisas e logo ultrapassará o João Dólar 12

Ibope em SP: Doria tem 52% dos votos válidos e França, 48%

Ex-prefeito e atual governador de São Paulo estão tecnicamente empatados dentro da margem de erro, que é de 3 pontos porcentuais, para mais ou para menos

O Ibope divulgou nesta quarta-feira, 17, a primeira pesquisa eleitoral do segundo turno da disputa pelo governo de São Paulo. O candidato do PSDB, João Doria, aparece no levantamento com 52% dos votos válidos, contra 48% do atual governador paulista, Márcio França (PSB). Os dois estão empatados dentro da margem de erro, que é de três pontos porcentuais, para mais ou para menos.

Os votos válidos são calculados excluindo eleitores que declaram votar nulo, em branco e os indecisos. Para vencer a eleição, um candidato deve obter 50% dos votos válidos mais um.

Em relação aos votos totais, isto é, levando em conta brancos, nulos e indecisos, Doria tem 46% das intenções de voto e França, 42%. Eleitores que pretendem anular seus votos ou votar em branco são 10%. Os que não sabem somam 2%.