Gaeco e PM realizam operação contra esquema de jogos de azar na Baixada Santista 3

Mandados são cumpridos em Santos, São Vicente e Guarujá. Investigações apontam que o esquema criminoso envolve mais de 600 endereços.

Por G1 Santos

20/09/2021 09h43  Atualizado há 17 horas


Até a última atualização desta reportagem, o balanço parcial da operação apontava a apreensão de 550 máquinas caça-níqueis e R$ 1.240.000,00 em dinheiro.

A ação iniciou logo nas primeiras horas deste segunda-feira, quando equipes seguiram para 15 endereços alvos de busca e apreensão nas cidade de Santos, São Vicente e Guarujá, sendo cinco em cada um dos municípios. Além disso, outros imóveis em Itu, no interior paulista, e em São Paulo também serão vistoriados pelas autoridades.

Equipes da Polícia Militar e do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público, realizaram uma operação na manhã desta segunda-feira (20), em três cidades da Baixada Santista, no litoral de São Paulo. O objetivo é desmantelar uma organização criminosa responsável por um esquema de jogos de azar e lavagem de dinheiro. Ao todo, foram cumpridos mais de 42 mandados de busca e apreensão.

Gaeco cumpriu mais de 42 mandados de busca e apreensão na região — Foto: Divulgação/Gaeco

Gaeco cumpriu mais de 42 mandados de busca e apreensão na região — Foto: Divulgação/Gaeco

Em Santos, um dos cinco mandados expedidos foi cumprido em um imóvel na Rua Pereira Barreto, no Gonzaga, onde foram localizadas diversas máquinas caça-níquel. Segundo informado pelo Gaeco, após serem periciadas, elas são destruídas. Durante a manhã, as autoridades já haviam apreendido uma quantia em dinheiro e armas de fogo.

Arma foi localizada em um dos endereços alvo da investigação — Foto: Divulgação/Gaeco

Arma foi localizada em um dos endereços alvo da investigação — Foto: Divulgação/Gaeco

Investigação

De acordo com o Gaeco, as investigações começaram após as autoridades receberem denúncias de bingos nas cidades do litoral paulista. Durante a apuração, foi constatado que uma organização criminosa é responsável por mais de 600 pontos de exploração de jogos de azar, nas cidades de Guarujá, Bertioga, Cubatão, Santos e São Vicente.

Para controlar os locais onde ocorriam os jogos, conforme as autoridades, era utilizado um sofisticado sistema que garante o gerenciamento das atividades. Em um software, há informações como nome do estabelecimento, endereço, número de máquinas caça níquel e tipo de máquina utilizada, além de detalhes sobre prêmios e valores pagos.

Operação cumpre mandados de prisão em endereços relacionados a esquema de jogos de azar — Foto: Janaina Hohne/G1

Operação cumpre mandados de prisão em endereços relacionados a esquema de jogos de azar — Foto: Janaina Hohne/G1

Mais de R$ 1 milhão em dinheiro foram apreendidos durante operação do Gaeco e da PM  — Foto: Divulgação/Gaeco

Mais de R$ 1 milhão em dinheiro foram apreendidos durante operação do Gaeco e da PM — Foto: Divulgação/Gaeco

Solicito ajuda para contato com a Sra. Escrivã classe especial LEILA FARIA sobre o seu TCC juntado a incontáveis processos judiciais…Seu trabalho, em linhas gerais, vem sendo empregado como prova de que todo policial civil tem o dever de saber que tudo o que se escreve ou se veicula na imprensa sobre determinada pessoa trata-se de fraude financiada por rico empresário da Construção Civil vilipendiando a superioridade intelectual  do ex-genro 8

O assunto versa sobre o emprego do TCC da  Sra. Escrivã, quando do seu curso de aperfeiçoamento para promoção à classe especial ,  em centenas de autos processuais, como prova da imaculada conduta de um  então  investigado, ou melhor, denunciado caluniosamente pela ex-esposa e ex-sogro.
O investigador, hoje aposentado , em abril de 2009 , compartilhou em seu blog, uma notícia jornalística  do CONJUR , de rede de televisão e jornal do Mato Grosso do Sul, pura e simplesmente elogiando os trabalhos dos policiais civis daquele estado.
Sem nenhum julgamento pessoal sobre o mérito dos fatos narrados jornalisticamente.
Mesmo , diante de dificuldades  de acesso a internet , pois hoje reside nos confins do Rio Grande do Norte, espontaneamente, deletou um blog e no  blog espelho teve dificuldades de acesso, pois não possuía mais o e-mail original e nem sequer  Lan House na vila em que é domiciliado.    
Mas , com a ajuda do subscritor  , retirou a postagem no início de fevereiro;  sem nem sequer ter sido avisado pela advogada do “ofendido” que a ação exigindo-lhe R$ 40.000,00,  acabara de ser protocolada em 28 de janeiro. 
E ainda a ação de indenização foi  ajuizada em São Paulo em desfavor do investigador e da WordPress, mesmo sendo do conhecimento dos advogados do autor acerca do seu endereço e telefone celular do Rio Grande do Norte. 
Expressamente  indicado em e-mail aos advogados do autor. 
Foi qualificado na petição inicial como residente na Capital. E alertado pela família que um carteiro deixou a correspondência, mas não foi intimado e nem citado por oficial de justiça.
Consignando-se que nos procurou antes para ajudá-lo com o Blog inativo há 10 anos.   
A parte autora e seus advogados, em vez de fornecer o endereço e whatsapp ao juiz, dever de colaboração e lealdade processual , em abril ,  requereram ofícios ao BACENJUD, para localização do endereço do investigador que , em linhas gerais, foi descrito como responsável pelas calúnias noticiadas. 
Ah, bastaria solicitar o endereço ao órgão previdenciário do Estado. 
E , diga-se de passagem, o autor da ação foi de fato preso pela polícia civil , denunciado pelo MP e se vê processado pelo Poder Judiciário daquele estado. 
Aprendam uma coisa,  há profissionais da advocacia  que ,  para atrapalhar a defesa e o juiz, entulham um simples pedido no juizado especial  com 400 documentos, quando 10 já seria exagero. E  papelada sem nenhum interesse para o processo !  A maioria , apenas auto elogios ao bom moço de boa família.  E o pobre investigador foi condenado a pagar R$5.000,00 de indenização. Culpa de quem? Minha!

 Quem faz um favor o faz por completo, né? 

E fui ingênuo!

Contestei em uma lauda, uma singela lauda onde se diz tudo! E a encaminhei ao autor com quem já mantive contatos, com a certeza de que ele, como se diz perseguido, entenderia que o investigador foi mais uma vítima das armações supostamente financiadas pelo sogro.

Não respondeu!

Depois da sentença, tentando evitar polêmicas e um trabalho desgastante! Para mim e para o Poder Judiciário. O deles é copia e cola! Respondeu  que não podia por motivos contratuais com o escritório.  Uma delicada mentira! Voltei a insistir , meus e-mails são rastreados: leu , mas não deu atenção!

Então vamos ao STF;  sem rebuços! 

O camarada é rico e o Poder Judiciário lhe concede rotineiramente gratuidade. 
A do investigador foi cassada na  sentença condenatória,  arbitrando, de pronto,  R$ 600,00 para o preparo do  recurso inominado. Um recurso extraordinário endereçado ao STF custa menos de R$ 200,00. Eu até entendo que o juiz não quis meter a mão em cumbuca, pois o autor processa qualquer um que lhe seja desfavorável .

Contudo, caberão  inúmeros recursos, lamentavelmente ,   seria mais barato para o signatário , que ,” pro bono ” , tenta ajudar os  dois ( e também por já não ter disposição pra  arrumar encrenca ) , tirar os R$ 5.000,00 e pagar logo o pobre rapaz lesado pelo bilionário sogro .

 Ora, quem  não consegue  “embora a sua superior intelectualidade” ( palavras da escrivã ) , receber os R$ 235.000.000,00 ( duzentos e trinta e cinco milhões de reais) do ex-sogro.

Naquilo que depender da nossa diminuta intelectualidade não vai tomar R$ 5.000,00 do tira aposentado. 

E queria ajudar os dois pondo fim ai litigio , porque não tenho freios quando se trata de defender um injustiçado!   

Mas , repetindo , já deixo adiantado, sem arrogância,    se com a sua pretensa superioridade intelectual, de portador de diversos diplomas ,  tomou um golpe do bilionário ex-sogro, com maior razão não receberá nada de um simples investigador ganhando R $3.000,00 ( três mil reais ) , líquidos,  como aposentado em 1a. classe. 

O processo tramita em segredo de justiça, não sei o motivo.

Mas posso falar quem é o nosso amigo aposentado : O LIGEIRINHO! 

O BLOG DO LIGEIRINHO nunca causou problemas para ninguém! 

Mas vamos ao que interessa aqui, nos chamou atenção –  já que o camarada se mostrou  mesquinho – e pouco inteligente –  assim fui obrigado a ficar a semana inteira lendo o que é possível e , obviamente,  baixando cópias do que me aproveita , né?

Absurdamente,  em vários processos se faz menção ao TCC da  escrivã  e, também,  e um ou outro  , a relatório de um delegado ,  não sei se é o mesmo que eu conheci do Vale do Ribeira.

Ao delegado faço uma pequena observação, obviamente todo relatório, especialmente , versando sobre uma suposta organização criminosa,   ao se representar por prisões preventivas , logicamente , deve conter opinião jurídica e até um certo julgamento moral ( eu nunca fiz julgamento moral de investigados e não me cabe , mas compreendo que alguns fazem e ate exageram   ),   mas jamais resvalando numa quase condenação do investigado e transformando o documento num quase atestado de idoneidade da parte que se diz vítima de perseguição. 

Entretanto , o relatório não é utilizado tão reiteradamente como o TCC da Escrivã. 

Cujo trecho transcrito nos processos  é um libelo reprochante de uma parte e uma santificação da outra . 

Respeitável Escrivã, pode dizer que fui expulso e a Polícia Civil só melhorou , mas ainda que absolutamente verdadeiro o seu relato não deveria ser assunto para TCC de curso de promoção para Escrivã.

Eu lhe daria  zero lendo o que transcrevemos abaixo.

Que Vossa Senhoria, como respeitável funcionaria ,  ao menos tivesse o cuidado de expor o fato sem fazer acusação e defesa e , muito pior, nomeando os envolvidos. Não há contraditório em inquérito. E a suas impressões e palavras não podem ser empregadas como prova.

E , desculpe-me, será mesmo a verdade?  A Sra. era a escrivã responsável pelos inquéritos?

Cumpre dizer, na qualidade de delegado  “expulso” , logo, para alguns, sem moral pra comentar qualquer coisa, que ao ler apenas um pequeno trecho, penso que  – além de descabido como tema de TCC da Acadepol, pois versa sobre a intimidade alheia e sobre assunto sigiloso, intimidade de casal, está até sendo utilizado providencialmente  , provavelmente, sem autorização da autora.

Ou a Sra. autorizou por escrito? 

Obviamente, Juiz de juízo perfeito só deveria dar atenção para tese de delegado com doutorado serio!

Mas nem todos tem bom juízo.

E pelo seu TCC todo policial civil possui o dever de saber que tudo que foi escrito sobre o interessado era mentiroso, entendeu?

.E deste pequeno excerto abaixo o “ex” – que a esta subscreve –  só vê demérito na Polícia Civil.

Se um pai orquestra um verdadeiro assassinato moral contra o ex-genro,  empregando a filha para assinar as representações caluniosas , muito bem orientado por advogados com grande trânsito na Polícia Civil, o seu trabalho acadêmico é um atestado de pestilência do órgão. 

O nome dele em vez de constar no TCC, deveria constar em pedido e mandado de prisão! 

Enfim, gostaria , se possível , de ler integralmente o seu TCC, o qual não o irei  utilizar sem autorização da autora.

A qual, como experiente policial , é mencionada em cerca , dos que contei, 150 processos. 

Por outro aspecto, cumpre dizer aos Srs. que às vezes se empenham por esses “intelectos superiores” gratuitamente, que saibam que ele não perdoa R$ 5.000,00 de um investigador aposentado. Que nenhum dano lhe causou!

Todavia , há pouco tempo, na BAND , por um dos mais corretos repórteres que eu conheço, SANDRO BARBOZA , foi protagonista de um suposto golpe milionário contra uma viúva.

Não vou dizer que fiquei com muita pena da senhorinha, é um caso típico de torpeza bilateral . 

Tenho pena das duas filhas do falecido!

Com efeito, a Sra. foi uma ladra – em sentido genérico – que se deu  muito mal! Tentou se apropriar indevidamente da metade dos valores pertencentes as filhas.

Torpeza de dois golpistas , pressupondo a veracidade do que foi relatado, ou seja, ela queria ficar com os R $7.000.000,00 ( sete milhões ), só para si em conta no Uruguai sonegando , o ITCMD sobre a metade das duas filhas do anterior casamento do finado, inclusive!

E o pretenso  golpista já  lhe processa criminalmente, civilmente e, provavelmente, ganhará.

Gargalhando , de Lisboa, alias!

Ah, e a Fazenda estadual lhe cobrará 4% de todo o valor que não lhe cabia.

Sem multa, correção e juros de 1% ao mês seria apenas R $140.000.00, referente ao ITCMD da metade.

E será processada criminalmente pelas duas herdeiras.

Minha cara, em conta conjunta, todo o débito com o banco seria pago pelo  sobrevivente. 

Mas do saldo líquido apenas 50%  eram seus.  

Perdão, infelizmente, nunca mais verá esse dinheiro e venderá potinho de doce até morrer. 

Não foi ingenuidade sua, foi cobiça! 

Não e despiciendo observar que não se fala sobre sua fortuna com a sua sua psicóloga, ainda que lhe atenda há 18 anos. , mãe do pretenso administrador da herança desviada. Incontestavelmente, manipularam o seu egoísmo e desonestidade. 

Pra que ficar com apenas R$ 3.500.000,00, ne? Melhor ficar sem nada e logo nem o condomínio vai pagar!

Um dado a acrescentar, nessa mesma matéria da Band,  segundo o psiquiatra entrevistado , o administrador de fortuna alheia trata-se de um sociopata.

Não sei!

Narcisista não tenho dúvidas, mas não ter misericórdia de quem ganha R $3.000,00, pra mim é traço de psicopatia mesmo! 

Eu até a semana passada torcia por ele! 

Achava , pelo que sofri na pele, que poderia, de fato, ser vítima de perseguição monstruosa…A bem da verdade nem posso me dizer perseguido , tive lá uns 5 ou 6 desafetos e uns 6.000 camaradas.

Dele, depois da matéria da Band, já tenho minhas serias dúvidas! 

E depois de ler os autos criminais em trâmite no Mato Grosso do Sul, não tenho mais duvidas.

Tem inclinação pelo crime.

Se a praga de um certo ex-delegado pegar ele nunca vai ganhar nada do ex-sogro! E ainda vai passar algum tempo na cadeia.

Que vá ganhar de quem tem muito, mas empregar processo judicial para desfalcar policia aposentado, não!

Maldade pura!

Ademais,  no tocante  à pretensão de obter  indenização do investigador por danos morais,  opinião do expulso, abaixo assinado, penso que apenas os responsáveis pelo conteúdo das matérias poderiam ser responsabilizados financeiramente pelo que escreveram e publicaram para ampla divulgação. 

O Poder Judiciário so deveria responsabilizar quando a fraude jornalística e manifesta. A garantia de liberdade de manifestação compreende os direitos de obter informação e informar, ou seja, fazer com que ela circule.

Mas em São Paulo enquanto a magistratura continuar em seu cercadinho mental seguindo Camargo Aranha , Helly Lopes Meirelles e outros defuntos física e juridicamente, continuara a mais atrasada do Brasil.

Alias, aqui sempre foi inimiga da imprensa. E tudo ofende a dignidade humana, menos as descabidas condenações de pobres e negros.

Quanto aos fatos sob segredo de justiça, se alguém atingiu a dignidade da pessoa humana e do então preso  à situação vexatória foram os policiais daquele estado, os  profissionais e os proprietários  dos sites, dos jornais e da Televisão.

O Ligeirinho não possui nenhuma responsabilidade , nunca se negou , atendeu sempre a advogada. Encontrou dificuldades.

Quer dizer que enquanto os juízes trabalhavam “home office”, protegendo-se da COVID, o policial idoso deveria ambular pelo Rio Grande do Norte sem nem sequer ter sido citado e intimado?

É preciso lembrar que Juiz, indubitavelmente vive sobrecarregado; e pra “foder de vez” – desculpe-me a expressão ainda aparece cada advogado que faz tudo ao seu alcance pra dificultar. E se dão bem!

E olha a pilantragem jurídica, o autor diz morar em Lisboa, demandou o investigador que mora no Rio Grande do Norte e a WordPress fornecendo endereços falsos da Capital. Elegeram a jurisdição.

E pergunto, o cara leva 11 anos para processar o Ligeirinho; deve ter um sistema de rastreamento que sabe em tempo real qualquer menção ao seu nome.

Soube depois de 10 anos, algo que prescreve em três?

Ficou aborrecido moralmente ou melindrado por não ser atendido imediatamente. 

Quem esperou 11 anos ( pra mim estava prescrito e na cara do Juiz ), pode muito bem esperar a pandemia passar e aguardar alguém que mora no fim do mundo arrumar um computador com sinal digital. 

Sociopatia, psicopatia, sabe-se lá o quê.

Acredito e vou provar que o investigador não tem que indenizar ninguém. 

O juiz foi enganado e não percebeu, pois juntam um cópia da postagem , no meio de 380 folhas,  que você confunde a data da impressão como sendo a data da publicação ( janeiro de 2021, a data da cópia  ) , mas deixa de narrar na petição que o post e de abril de 2009, e que desde a época processa todos os verdadeiros sites que a divulgaram . 

E que há sentença condenatória , em outro processo , obrigando o verdadeiro autor da matéria a pagar por cada compartilhamento de leitores.

Aliás, tudo supostamente bancado pelo ex-sogro! Se sabe que o sogro manda fabricar as noticias como pode querer indenização de um mero leitor que a compartilha?

Mas não achei nada provando que o sogro financie isso. 

Será que ele também pagou para o Sandro Barboza, para a Band, para a viúva?

Paradoxalmente, li que o perseguido seria verdadeiro  gênio da tecnologia de informação e por isso o ex-sogro o explorou…rs 

Ah, diz ter sofrido um atentado e foi para Portugal.

Meu caro, sei que você lerá e  vai me processar civilmente , criminalmente e talvez na OAB, vai ser apenas mais um…Não passe vontade!

Mas preste atenção,  se o teu  sogro um dia quiser te ver morto corra e compre o teu caixão. 

Você não escapa,  ninguém como você ou eu escapa. 

Pode fugir para Portugal, pode ir pra Espanha ( será mais fácil ainda te matar na Espanha ). 

Em São Paulo , se o seu ex-sogro quisesse, há quem faria até de graça…

Penso que ele nunca quis, quantos seguranças policiais ele tem? 

Mas invertendo as posições , se eu fosse você e por conta do meu sogro perdesse a minha grana e a minha amada ( filha dele ):  

Hablaré  éste terrible portunhol de hijo de argentino –  criado en España: si me hubiera robado en una trampa 60 millones de dólares recibiría buenos años en la  cárcel, pero el padre de mi ex  puta me estaría esperando  en el infierno; donde lo volvería a matar.

Que a moça , linda que e , desculpe-me. Mas o teu bom mocismo descrito no TCC não passa de fingimento, interiormente tu a chama disso pra baixo. Manipulou os sentimentos da menina pra ficar milionário.

E para os trouxas policiais que afagam esses tipinhos; que são muitos:  

BUENA GENTE NO Y OTRA COSA..

RICOS NO SON MÁS QUE UNA GRAN MIERDA… PERO LES GUSTA DEFECAR EN LA CABEZA DE UN POLICÍA! 
O título da postagem do Ligeirinho: GENTE FINA É OUTRA COISA! 

Foi tudo o que ele escreveu , abaixo trasladou a matéria jornalística publicada no CONJUR!

Alias, notícia semelhante se encontra no site da OAB daquele estado…Você já leu?

Ainda não leu ou sabe que tem gente muito mais inteligente que você por ai… Juntei aos embargos!

Deve ter lido o que escrevi lá sobre a fórmula de uma grande inteligência? 

Irei repetir: pais amorosos, boa alimentação , um bom teto e escola rigorosa desde pequenino. 

Se for filho de pais  ricos e cultos, é mais fácil ainda!  

Já nascer bonito, além de pai e mãe bonitos, requer um pouco de sorte!…Assim como bons pais darem aa luz um sociopata ou psicopata e um puta de um azar !

E observe bem , o medico foi quem afirmou na TV Bandeirantes.

No que se refere a tua auto propalada inteligência, vê se te manca , pra quem nasceu numa família ajustada financeiramente e aculturada, não é mérito nem dádiva, não fez mais do que só uma obrigação!

Deveria parar de se auto elogiar…

Homem inteligente e correto com a esposa, penso seja impossível tomar golpe de sogro!

E meu caro, você quando casou era de uma família classe A, mas pobrinho perto do sogro…

O comum é o genro dar golpe no sogro rico! Nunca vi sogro milionário dar golpe no genro pobre!

Ah, eu não o conheço , nunca vi;  só ouvi falar dele quando você ficou famoso ou famigerado, conforme o ponto de vista, né? 

Mas se ele quiser meus serviços farei “pro bono”; veja bem serviços advocatícios, de pistolagem , não!  


O TEXTO  DA ESCRIVà


A artimanha (de tão notória) foi registrada em TCC na Academia de Polícia Civil de São Paulo, onde uma experiente policial relata a campanha caluniosa levada a cabo pelo “antigo sogro” contra o Requerente na imprensa e na polícia:

“Verificou-se que a suposta vitima, Sr. xxxxxxxxxxxxxxxxxxx, muito bem orientado por seus advogados, perpetrou diversas ações e Inquéritos Policiais contra yyyyyyyyyyyyyyyyyyyy,  muitas delas referentes a um mesmo, porém com contextos diferentes, com a única razão de NAO ver o seu patrimônio diminuído, depositando em yyyyyyyyyyyyy toda responsabilidade sobre os prejuízos da suas empresas, tendo como momento máximo de glória sua PRISÃO, mesmo que ilegal, porém mostrada em toda imprensa daquela região.   ( Nota do Blog: Mato Grosso do Sul ) 
Sem a menor consciência dos prejuízos psicológicos causados a sua filha zzzzzzzzzzzz, xxxxxxxxxxxxx acabou envolvendo-a cruelmente e, por mais que yyyyyyyyyyy tentava protege-la, novamente xxxxxxxxxxxxxxa jogava na linha de frente como forma de “diminuir” as possibilidades de defesa de yyyyyyyyyyyy. 

Por mais que fosse atacado por Inquéritos iniciados por petições subscritas por zzzzzzzzzzzzz, yyyyyyyyyyyyyyyy sempre dentro do possível se mostrou bastante preocupado em protegê-la, deixando pública a sua promessa de que assim que resolvido os “confrontas” com xxxxxxxxxxxxxxxxx, reparar os estragos por ele causados com suas atitudes inconsequentes vilipendiando o amor do casal e a superioridade intelectual de yyyyyyyyyyyy.
O inquérito Policial foi devidamente arquivado, assim como os demais inquéritos já concluídos. 
Não constam registros de condenações contra xxxxxxxxxxxxxx que continua sua luta incansável” (LEILA FARIA, ACADEMIA DE POLICIA CIVIL DE SÃO PAULO, 
“Relato de um caso apresentado ao Curso Específico de Aperfeiçoamento de Escrivão de Polícia de 1ª Classe, ministrado na Academia de Polícia Civil de São Paulo, exigido como Trabalho de Conclusão de Curso”, Prof Orient: Sergio F S M Silva

Ah, transcrito por um juiz em sentença !


Vilipendiando a superioridade intelectual  do genro ?

Sério isso? 

Gostaríamos de confirmar se a Sra. Escrivã escreveu exatamente o que se lê acima? 

Contudo, se eu fosse o DGP  ou o Corregedor Geral , desde ja, segunda-feira todos os inquéritos  e todos os  que neles funcionaram deveriam estar me aguardando às 9h00 , a Sra. com o seu TCC, inclusive!

Observem o que um Juiz de pouco juízo escreve denegrindo a Policia Civil:

“Em suma, foram investidos milhões de reais para que advogados com grande transito nas delegacias construíssem um artificial histórico de crimes praticados pelo Requerente, para que assessores de imprensa com infiltrações em segmentos do jornalismo de credibilidade discutível, arruinassem sua vida, nome e honra. Trata-se de um dos mais covardes ataques contra a honra de um jovem já vistos que até então era conhecido nacionalmente pelo seu brilhantismo acadêmico e profissional, que só sobreviveu aos ataques mercenários por ter demonstrado uma capacidade de sobrevivência e de estudos únicas e até históricas.”

Outra passagem: “Há um Trabalho Acadêmico de uma Escrivã da Policia Civil narrando a construção artificial de um histórico criminal contra a vítima para instruir processos e reportagens (fls. 4139), o que foi ratificado pela Escrivã em depoimento em juízo (fls. 4159/4172).
A vítima juntou ofício da Corte Interamericana de Direito Humanos da Organização dos Estados Americanos comunicando a instauração de processo contra o Brasil por esse episódio (fls. 4204).

 

Respeitosamente!


São Vicente, 5 de setembro de 2021.

Roberto Conde Guerra ( ex-delegado expulso ) 

robertocguerra@gmail.com

Gaeco estourou a banca do jogo do bicho do Nequinho? Quando? Estão funcionando tecnologicamente em toda a Baixada… Enquanto o GAECO corre atrás de peixe miúdo o jogo passou a ser administrado por provedores instalados na Bulgaria com a estrutura da máfia Russa…Que o GAECO ordene a PM prender apontador , pois banqueiro será difícil! 30

Atualizada em 14 de agosto de 2021

Gaeco estoura banca do jogo do bicho e denuncia família inteira e mais quatro pessoas

Por Eduardo Velozo Fuccia / Vade News em 21/07/2021 às 19:01

Foto por: Vade NewsPor Eduardo Velozo Fuccia / Vade News

A Justiça recebeu denúncia do Ministério Público (MP) contra nove pessoas, sendo cinco da mesma família. Elas são acusadas de constituírem organização criminosa armada para explorar a contravenção penal do jogo do bicho na Baixada Santista. Os delitos de lavagem de dinheiro e corrupção passiva e ativa também são atribuídos aos réus.

Com mais duas mil folhas, procedimento de investigação criminal (PIC) do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), órgão do MP, serviu de base à denúncia, recebida no dia 15 de junho. O dossiê apurou as atividades da suposta organização criminosa no período compreendido entre março de 2013 e julho de 2017.

Além dos nove réus, outras pessoas não identificadas fariam parte da organização, “estruturalmente ordenada e caracterizada pela divisão de tarefas”, conforme o Gaeco. O grupo seria liderado pelo empresário Manoel Rodrigues Júnior, o Neco. Ele pagaria propina a policiais civis e militares para o sucesso e a manutenção do esquema ilícito.

No entanto, apenas um agente público de segurança da ativa foi denunciado pelo MP: o cabo Ary Dias. Em abril de 2019, a Polícia Militar o expulsou de seus quadros por “conduta transgressional de natureza grave”, consistente em prestar serviço extra na banca do jogo do bicho de Neco, omitindo-se no dever de agir para cumprir a lei.

Gaeco estoura banca do jogo do bicho e denuncia família inteira e mais quatro pessoas
Construtora de Neco e das irmãs seria usada para branquear capitais e foi sequestrada pela Justiça (Foto: Reprodução / Vade News)

Outros réus da ação penal, que foi distribuída à 1ª Vara Criminal de Santos, são Tatiane Oliveira Gomes da Silva, mulher de Neco, e as três irmãs do empresário: Zilmara de Souza Rodrigues, Zilma de Souza Rodrigues e Zicely de Souza Rodrigues Alves Carneiro. O banqueiro e as irmãs são sócios da Construtora e Incorporadora 3Z.

Com o respaldo de mandado judicial e auxílio de força policial, promotores do Gaeco estiveram na sede da empresa, no bairro Aparecida, e recolheram farta documentação referente à prática e organização do jogo de azar, como documentos de contabilidade e centenas de pules (folhas nas quais são registradas as apostas do jogo do bicho).

O Gaeco apurou que Neco também é sócio da MR Eventos, no Valongo. Coincidência ou não, o capital social de cada empresa é de apenas R$ 10 mil e nelas não foi detectada a movimentação de pessoas em abril de 2016, quando o MP as monitorou. Para os promotores, os indícios são de que elas serviam para lavar o dinheiro do jogo do bicho.

Mandados de busca e apreensão também foram cumpridos em dois endereços vinculados a Neco e em um terceiro ligado a Zicely. Nos primeiros locais havia seis carregadores, munições, pistola, duas granadas e máquina de choque. No apartamento da irmã foram achados revólver, três espingardas, pistola, carregador e 57 munições.

Poder feminino

A central do jogo do bicho funcionava em um imóvel residencial na Rua Joaquim Távora, na Vila Mathias. O lugar passou a ser vigiado, resultando na identificação de veículos e pessoas que para lá se dirigiam. Depois, o quartel-general da jogatina se mudou para a Rua Comendador Martins, no mesmo bairro, e o monitoramento prosseguiu.

Pelo menos oito motocicletas eram utilizadas pelos “apanhas ou “recolhas”, funcionários da banca incumbidos de arrecadar as apostas e os valores pagos aos cambistas nos diversos pontos de jogo espalhados pela região, em especial Santos. Outro imóvel na Vila Mathias era utilizado como base de apoio da central, de acordo com a denúncia.

A acusação formal do MP aponta Tatiane como responsável por parte da contabilidade da organização. As irmãs de Neco, ainda conforme o MP, “não apenas usufruíam do lucro dos negócios ilícitos, mas participavam diretamente dos rumos da organização, chegando a cobrar do irmão Manoel maior poder de gerenciamento”.

Grampo telefônico

Assuntos relacionados à segurança e à organização da banca do jogo do bicho eram tratados por Fábio Carvalho Necchi, homem de confiança de Neco, com Wellington Luiz Gomes e o policial militar reformado Luiz Nogueira Filho. Ligações telefônicas interceptadas pelo Gaeco com autorização judicial revelaram tais diálogos.

A pedido do MP, a Justiça autorizou a quebra do sigilo telefônico de 11 linhas, envolvendo dez pessoas. Também com a devida permissão judicial, dados bancários dos investigados e das empresas de Neco foram devassados e “demonstraram enorme fluxo de dinheiro e ausência de qualquer atividade econômica real”.

Somados às investigações de campo e aos documentos, armas e demais objetos apreendidos nos endereços vistoriados, os dados provenientes das quebras dos sigilos telefônico e bancário possibilitaram aos promotores dividir os réus em três núcleos: gerencial, operacional e de segurança.

Integrado por Neco e sua família, o núcleo gerencial era o responsável pela gestão financeira do grupo e pela lavagem de capitais. O núcleo de segurança contava com a participação de policiais, da ativa ou não, e garantia a “tranquilidade” das atividades da organização. O setor operacional supervisionava o funcionamento da banca.

Os promotores Silvio Loubeh, Henrique Junqueira de Carvalho Neto, Vinicius Rodrigues França e Fabio Perez Fernandez assinaram a denúncia. Eles requereram o sequestro de bens móveis e imóveis, além do bloqueio das contas bancárias dos réus e das empresas até o montante de R$ 7.886.703,07, para fins de ressarcimento ao final da ação.

Este valor refere-se à soma do dinheiro em reais apreendido, bem como às quantias creditadas nas contas dos réus sem comprovação de origem lícita. O pedido de bloqueio foi deferido pelo Judiciário. Conforme a equipe do Gaeco, “a ciranda do lucro fácil e ilícito certamente apenas cessará com a intervenção do Estado-juiz”.

Outro lado

Defensor de Neco, Tatiane, Zilmara, Zicely e Zilma, o advogado Eugênio Malavasi disse os clientes optaram pelo silêncio quando foram intimados a depor no PIC porque não tiveram acesso a todos os dados da investigação do MP. “Eles afirmam que são inocentes, mas só se manifestarão no processo, com a ampla defesa e o contraditório garantidos”.

Advogado de Fábio Necchi e Wellington Gomes, Fábio Menezes Ziliotti justificou que os clientes nada declararam durante a investigação do MP, porque têm o direito de apenas se pronunciar em juízo. Porém, de antemão, ele afirmou que a dupla nega participação no esquema denunciado pelo Gaeco.

Luiz Nogueira Filho e Ary Dias são representados pelos advogados Guilherme Martins e Eduardo Durante, respectivamente. Os defensores já apresentaram no processo resposta à acusação por escrito, na qual pedem a rejeição da denúncia pelo não preenchimento de requisitos legais. No mérito, alegam não haver provas contra os clientes.

O CASO DO BICHEIRO OSTENTADOR CARLINHOS VIRTUOSO E A RIGOROSA CONDENAÇÃO DE CINCO EXCELENTES INVESTIGADORES 8

O CASO DO BICHEIRO OSTENTADOR CARLINHOS VIRTUOSO E A CONDENAÇÃO DE CINCO EXCELENTES INVESTIGADORES

0 juiz titular da 5ª Vara Criminal de Santos, no último dia 26 de julho , fez publicar sua sentença condenatória em desfavor de 5 policiais civis, do gerente da Banca Virtuoso e, também, em desfavor de cerca de 30 ex-funcionários da Banca, entre eles policiais militares ativos e inativos.

O processo foi iniciado em razão de investigação e denúncia do GAECO – Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado – que se iniciou em 2013.

As penas infligidas aos policiais civis foram demasiadamente exacerbadas, alcançando 13 anos e 4 meses de reclusão por corrupção passiva, que deverão cumprir em regime fechado.

O gerente do Carlinhos Virtuoso foi condenado a 18 anos e 10 meses em regime fechado.

A caixinha do jogo ajuda na renda de um grande numero de policiais civis…Ajuda no supermercado!

Não é nenhuma vergonha, perto do que gente que se acha acima de suspeitas faz para turbinar seus já vantajosos vencimentos.

Vergonha é tomar R$ 100.000,00 por mês e mandar pagar apenas R$ 100,00 , para o plantonista.

Vergonha é delegado titular receber R$ 20.000,00, mas não deixar o mensageiro nem sequer receber R$ 1.000,00.

Vergonha sofri ao não ser cumprimentado por uma magistrada, negando-me um simples aperto de mão.

Não que me fizesse falta; apenas cumpri o ritual de vinte e poucos anos. Esqueci que era o Réu que supostamentev caluniou o sogro de um desembargador. Sim, ele se arrependeu do crime e desistiu voluntariamente de dar continuidade depois da maracutaia virar noticia Global.

Não sou bandido e não se tratava de uma mulher numa festa. Era uma funcionaria publica em seu gabinete.

Mas a maior vergonha foi, ao final da audiência, ela levantar do seu trono indo abraçar o Dr. Ruy Estanislau Silveira Mello, se desculpando por ele ter vindo de Brasília arrolado como testemunha do ofendido , dando-lhe forte abraço e mandando lembranças para o presidente Michel Temer…Pode? E me condenou sabendo que, pela lei anterior a 2010, poderia ter declarado extinta a punibilidade. Condenou e na própria sentença já assinalou a prescrição e, depois, me negou o direito a apelar sob a alegação de que equivalia a absolvição. Se eu fosse amigo do Temer seria bem diferente.

Mas retomando o assunto, durante meses os Promotores do GAECO, muito bem remunerados pelo Erário – graças a legislação imoral e de duvidosa legalidade que concede privilégios a magistrados, promotores, procuradores do estado e fiscais de renda – sempre contando com o apoio da escumalha da honestíssima PM; que se presta a destruir a vida de policiais, mas quando se trata de bandidos violentos se escondem apavorados (quem ajuda a foder policial sem mostrar a cara não passam de alcaguetes, bajuladores e , também, corruptos, embolsam , a tal verba para operações sigilosas ) realizaram campanas nas cercanias da fortaleza do jogo do bicho.

Além das escutas telefônicas iniciadas ilegalmente pela Corregedoria da PM e depois coonestadas pelo MP e Poder Judiciário

Os cinco policiais civis apenas tiveram má sorte. Não são bandidos; a coletividade perdera bons elementos.

Não estou defendendo a corrupção, fazendo apologia ou o diabo a quatro. Penso que promotores e magistrado , sob o pretexto de cumprimento estrito da lei , agem com extrema crueldade contra policiais subalternos.

Pois é assim que a banda, há mais de 50 anos, toca!

E com o conhecimento de todas as hipócritas – mas muito bem subsidiadas graças a leis imorais – autoridades deste Estado. As quais as elaboram para se locupletar à custa da sociedade, posto serem verdadeiros alvarás para o butim legalizado.

O policial civil não toma dinheiro da coletividade. Não possui privilégios.

Vai buscar de criminosos!

E não é segredo que foi o subscritor, quando ainda era Delegado, que denunciou o 1530 na Baixada Santista, também não é segredo que fez diversas postagens relacionadas ao Sr. Carlinhos ostentador.

Um cara que se fosse cozinheiro, antes de servir o policial, cuspiria na comida.

Pois sempre teve asco pela Polícia. Nunca existiu nenhuma organização criminosa formada por policiais civis e contraventores.

A corrupção foi institucionalizada no tempo do Hely Lopes Meirelles pelos banqueiros e políticos alinhados a ditadura militar! Ora, ninguem vai torturar e matar por um salario de merda! Há sempre alguma vantagem financeira!

O signatário, também, prestou declarações formais ao GAECO, além de representações expressas, as vezes manuscritas, a Corregedoria e ao próprio MP.

Mas anteriormente não queriam pegar peixe miúdo como agora andam fazendo.

Aliás, já que são incapazes de serem rigorosos com os mais fortes deveriam ser benevolentes com os mais fracos.

Chefe de DP não fica rico com dinheiro de contraventores. Pagam escolas e supermercado, mais nada!

Dizem que tudo começou graças a um escrivão que não estava tentando reprimir a corrupção, estava mesmo com a vontade de obter um pedaço dela. Posso ate estar enganado, mas se eu fosse criar caso com apontador de jogo não me sobraria tempo para mais nada!

O valente policial se deparou com um deles dentro de um bar e “cumprindo seu honroso dever ” interveio na popular “fezinha” e apanhou da freguesia e o furdunço acabou sendo mais um elemento de produção de prova sobre o envolvimento policial com o jogo do bicho.

Melhor dizendo: mais um pretexto!

E ainda foi bocudo com policiais civis que mandaram o suposto ‘ingênuo” procurar o que fazer.

Queria, na verdade, por vaidade ferida, a desgraça funcional de colegas, tão subalternos quanto ele próprio.

Como não obteve o atendimento que exigiu de dois investigadores do 7 DP, chamou o GOE e a PM. No distrito o investigador chefe apenas quis evitar um desgaste desnecessário e salvaguardar a instituição e o “escrivão”, pois a retaliação certamente viria de outras bandas.

Pois bem, foi lavrada a ocorrência, mas sem menção a suposta atividade do apontador do jogo.

E com aquela conversa de policial desonesto, repetiu ao MP o velho enredo de PM chifrudo inconformado com decisão de delegado: suposta reunião reservada entre delegado titular, investigador-chefe e um advogado do apontador do jogo. Em palavras mais claras: ACERTAMENTO A PORTAS FECHADAS!

Consta dos autos que os “bagrinhos” recolhiam verdadeira fortuna para o Palácio da Policia Civil.

Uma grande novidade.

Há muitos outros palácios neste estado que recebem a maior parcela da arrecadação do jogo do bicho.

E há aqueles que recebem propina de grandes empresas de informática.

Mas uma coisa é ganhar uma gorda nota de um representante da Microsoft outra é tomar 10% do faturamento de um bicheiro.

O primeiro é barão, o segundo é ladrão!

Mas, verdadeiramente, de uns tempos para cá só tem guloso na São Francisco.

Com a ladainha do venha a nós primeiro, depois a gente vê se sobra para o resto.

E o resto que se lasque!

Diga-se de passagem, foi o subscritor que relatou a triste realidade institucionaliza aqui pela paulistanada ( paulista danado de ladrão ) ; que aportou nas nossas praias em 2015.

E , sem hipocrisia , não fez por amor a moralidade, muito menos para ficar com um pedaço da corrupção.

Fiz mesmo por, sentimento pessoal, ódio de quem me usou para se passar de bom moço, trabalhador e “honestíssimo”.

E de outro que tripudiou da minha “infelicidade”, “recalques” e “frustrações” funcionais. Ambos estão de boa! Aqui é São Paulo, terra de bandeirantes ( bandidos ).

Mas na policia sabe como é: dinheirinho na mão todo mundo quer, mas culhões para meter a cara ou o cano são poucos.

Antes pegava a propininha quem fosse buscar diretamente com o preposto dos bicheiros. Depois monopolizaram, e nem com R$ 50,00 ajudavam o tira do PS. E a minha opinião pessoal, bicheiro e maquineiro que estabelece o acertamento com a cúpula apenas vaib se ferrar. Eles não garantem nada, não podem fazer nada que não seja perseguir policial civil que se atrever a atravessar as atividades.

O resultado: a base boicota a cúpula e alcagueta a atividade todos os dias!

Mas neste caso, na verdade, nem foi por conta da confusão envolvendo o escrivão e os tiras do 7 DP.

Foram, certamente, as alterações nas leis sobre o crime organizado e lavagem de dinheiro, sancionadas pela Dilma em 2012.

Deram maiores instrumentos legais contra os bicheiros.

Antes não se punia lavagem de dinheiro de contravenções.

E, pelo que ouvi dizer, não li a sentença integralmente, o juiz romanceou a sua decisão. Se duvidar todos os dias um apontador entra no Fórum para que os funcionários façam uma fezinha.

Excelência, tenha do, condenar investigador – a penas tão graves – que não passa de um serviçal do titular da Secretaria de Segurança Pública não foi fazer Justiça; está mais para crueldade!

E os promotores querem mais rigor…No MP, nao sei, mas na policia Sanha persecutória é traço muito comum nos grandes corruptos.

Eu fico pensando, com tanto rigor, essa gente deve fazer xixi sentados, para não deixar um respingo macular o chão do banheiro.

O seu auxilio plano de saúde é o dobro do que um Delegado titular periférico pode receber de pau da contravenção.

Mas o pior: serão execrados por muitos dos demais policiais (gente que tem prazer com a desgraça funcional do colega) e demitidos pela hierarquia superior ( por quem recebeu, muitas e muitas vezes, o envelopinho das mãos dos reprochados) .

Dirão: “cada qual que carregue a sua cruz”…Deram azar, fazer o quê?

Finalizo: policial receber propina de contraventor faz parte da elástica moral policial. Deles tripudiar é psicopatia.

Imoral, abjeto , vergonhoso e nefasto: é ver juízes vendendo sentenças Brasil afora!

Sobre as drogas e armas no BAEP de Santos – BUTIM LEGÍTIMO 19

Há quem pergunte qual a finalidade de policiais desviarem drogas e armas, são muitas!

Inflacionar a produção do Batalhão para agradar o Comandante.

Coonestar abusos de autoridade contra inocentes, especialmente vítimas de homicídios por erro ou simples crueldade.

Invadir favelas , intrujando drogas e armas em criminosos sem passagens policiais. Os quais são conduzidos como membros do PCC.

Mas a principal finalidade: desvio para venda e prática de extorsões.

Sempre funcionou assim, toma-se drogas de um traficante e entrega-se para a concorrência. Auferindo-se bom lucro pelo risco que correm.

Extorquir patrões do tráfico, gente que não porta armas , não usa , muito menos traz consigo entorpecentes. Mas é dono do seu negócio. Invadem a casa ou o surpreendem transitando . A droga é introduzida e o “butim de guerra ” exigido. É traficante e rico. Ou paga pra polícia ou vai pra cadeia e gastará muito mais .

Estão errados?

Não! Procuradores recebem mais de R$ 20.000,00 de salário fixo , mais a complementação com o rateio da verba dos honorários. Ninguém fica com menos de R$ 40.000 00. E muitos são implacáveis com gente pobre , apenas para engordar ainda mais os seus vencimentos. Ninguém se indigna. Está na lei feita sob encomenda.

Fiscais da Fazenda, recebem ótimos salários e mais o rateio de multas e impostos muitas vezes inventados por eles próprios para forçar o contribuinte a pagar o que não deve. Ah, um seleta parcela rouba, mesmo!

Ninguém se indigna com a imoralidade e desonestidade exercida a pretexto de se estar defendendo o Erário. Mas a vis attractiva é outra!

Verdadeiramente, o governo do estado deu a determinadas carreiras o direito de exercer as funções objetivando o interesse pessoal. Não o coletivo. Recuperação de ativos conversa, vil privilégio que transformaram algumas dessas pessoas em corruptos oficiais.

Eu não embarcaria numa viatura policial , como Praça, por menos de R$ 1.000,00 ( mil reais por dia ). Do couro deve sair a correia ou a correria. E como ex delegado , hoje afirmo, isonomia nada. Deveriam ganhar muito mais do que magistrados e promotores. Oficias PM comandam o equivalente a enormes empresas. Ganhando uma porcaria que não pagará uma boa faculdade para os filhos. E em escola publica não há vagas para todos.

Não vale é ficar batendo e matando, muito menos perseguindo inocentes. Contudo, certamente , policial mal pago , tem “direito” ao butim. Tem que ficar rico como muitos outros servidores. Merece viver como rico , em vez de tomar cusparada na cara da elite funcional , política e empresarial .

Digo o mesmo para policiais civis que são tratados como escumalha.

Lixo do lixo, sob a ótica de gente perfumada no esgoto.

Apreenderam uma tonelada de cocaína , fiquem com a metade. Tomem tudo do ladrão, desde que não tenha vítima identificada.

E para todos digo: não maltratem, não matem quem não lhe quer matar, socorram o cidadão.

Mas tendo oportunidade fiquem com tudo o que for possível.

E com a certeza de que os falsos moralistas fazem muito pior.

A vida funcional é curta, a vida pode ser longa e deplorável com uma aposentadoria vil.

Não errem e não atravessem o negócio do colega.

Quem erra vai pra rua por fazer mal feito.

Quem se atravessa é safado.

E não digam que estou defendendo o banditismo policial.

Não!

Muito menos incentivando e enaltecendo a corrupção.

É apenas moralidade elástica. Apenas a cruel realidade!

Mas é assim que a casta da política e do funcionalismo quer que a banda toque.

E não há banda boa nem banda podre Há um grande bando armado desprezado , desvalorizado e escravizado.

E pergunto que mal faz vender cocaína e armas objeto de peculato quando autoridades superfaturam remédios e vacinas?

Tudo na vida tem um preço para a vitória : 1-ESQUECER O MAL; 2-CRER NO BEM; 3-SERVIR COM AMOR. 25

“Eu posso fazer todas as coisas que Deus me pede com a força que Cristo me dá.”Filipenses 4:13. 

Quaisquer crises podem ser vencidas. 

Quando o mundo proclama que você é um derrotado, doente, falido, incompetente, Deus lhe afirma que você é vencedor, forte inteligente, são e capaz de superar qualquer crise.

Deus nos vê fortes, Ele sabe quem somos, nós é que ainda nos enxergamos pequenos demais. 

A certeza da vitória nos estimula a cultivar a esperança e otimismo, verdadeiras chaves que abrem as portas para a vitória. 

Se,ao contrário,  cedermos ao pessimismo, achando que tudo vai dar errado, o que acreditamos se torna realidade. 

Devemos, portanto, acreditar na vitória, crer no sucesso, na paz em nosso lar, no nosso progresso profissional e em tudo que represente nossas necessidades materiais e profissionais. 

E como tudo na vida tem um preço, eis as três condições para a vitória: 

1-ESQUECER O MAL;

2-CRER NO BEM;

3-SERVIR COM AMOR. 

Uma sexta- feira e um final de semana repletos de amor e paz. Jesus por todos e todos por Jesus.

Mensagem recebida de uma grande amiga!
image.png

Anos atrás, quando era mais idiota do que hoje, também como o DA CUNHA, revelava um nojento preconceito em relação aos mais antigos…Embora, eu tivesse por parâmetro a idade de 65 anos. Eu me autoreprovo por muitas coisas, mas a única de que me arrependo e me causa vergonha foi externar tal pensamento preconceituoso, estupido, vil…Vilanesa , pois o que eu queria era o cargo deles sem ter a mesma experiência, competência e sabedoria…A pessoa deveria poder trabalhar enquanto possuir saúde, disposição e prazer…Hoje tenho preconceito apenas contra velhacos…Há milhares deles nas polícias com menos de 30. Da Cunha, você é da mesma espécie de quem não tolera negros …O tipinho cuja única pretensão é subir de oprimido para opressor…No seu caso, de camundongo passar a ratão! ( Se já não for! ) 31

” quantos anos você tem? 55, 60? Cara, 60 não é mais na polícia. Se tu tem 60 e está na polícia é porque você tem algum outro interesse, porque você não está afim de correr atrás de vagabundo’. Vai dar aula na faculdade, vai desenvolver outra atividade intelectual, vai ser advogado, secretário, qualquer coisa, mas para ser polícia você tem que ter um motivo… – Veja mais em https://noticias.uol.com.br/cotidiano/ultimas-noticias/2021/07/29/estrela-da-internet-delegado-chama-policiais-de-ratos-e-e-tirado-da-rua.htm?cmpid=copiaecola

Cara, tu foi polícia alguma vez na vida? Lembra que quando te conheci , não sei por que razão , você veio falar comigo, muito educadamente, alias, dizendo que queria mesmo ser MAGISTRADO. Lembra o que te falei? Não deveria ter ingressado aqui, você nunca ingressara na magistratura e será , provavelmente, mais um frustrado.

E salvo engano , você foi oficial R2 – um pessoal por quem tenho minhas “reservas” – do tipo de coisa assim como “meia-cerveja” .

Uma mão-de-obra barata e transitória que a sociedade ajuda no início da vida, tipo dentistas , médicos e jovens humildes que se formam com o soldo.

Tristemente, muitos , posteriormente, destilam uma falsa arrogância e prepotência que não se vê na maioria do Generalato.

Que tenham orgulho eterno pelos anos dedicados ao serviço militar. Mas conscientes de que não são militares e nunca foram militares de carreira.

Os poucos que conheci na polícia civil , não vou generalizar, alguns investigadores e dois ou três delegados , além da soberba , pareciam portadores de algo como uma espécie de disforia de identidade funcional. Meio-militar , meio-policial, meio porra-nenhuma; tal como meia-cerveja: inútil!

Eu só gosto de cerveja inteira, no mínimo seis garrafas. Se for pra beber uma apenas, bebo agua!

Meu irmão, policial de verdade “não corre atrás de vagabundo” , adiantadamente o aguarda ou o desperta aos primeiros raios do sol. Sem fazer escândalo, sem fazer média pra mídia.

Se alguém tiver que correr atrás de vagabundo que seja o projétil.

Correr atrás de vagabundo – com apito e cassetete – se fazia há 100 anos.

Ou os meus mestres , em 1988, todos com mais de 55 anos , que não pareciam ser ratazanas, não entendiam nada da matéria.

Mas ainda tenho bem viva a advertência: policial civil não corre atrás de vagabundo, policial civil não faz perseguição com viatura…

Pra fazer merda existe a PM!

Tanto que , dias atrás, um oficial morreu “correndo atrás de vagabundo”!

Perdemos um ser humano, um profissional que custou grande investimento da sociedade, uma viatura e do vagabundo ninguém sabe nem se existia.

E quem acha alguém com 55 anos velho , vive ainda no início do século XX…

Estamos em 2021!

Graças por eu ser um velho de 60 anos com coração de menino e menos idiota do que fui quando na fase da cobiça!

RATOS, RATAZANAS E O CAMUNDUNGO = A Polícia Civil esta mais democrática e legalista…O delegado DA CUNHA não pode reclamar…Por muito menos , a toque de caixa , fui de Santos para – plagas menos inóspitas , Hortolândia – com um PAD direto e mais de uma dezena subsequentemente…Nem sei o que seja uma AP! O “jovenzinho” – provavelmente deve estar trocando seus neurônios por hormônios. No seu caso estão sendo benevolentes, inclusive! Meu caro, você sempre foi apadrinhado por homens com mais de 55 anos e desempenhou muito bem o papel de camundungo …Esqueceu que com dias na carreira foi – imerecidamente – muito prestigiado pelo Dr. Tanganelli, que se ainda estiver nas fileiras deve beirar os 70 anos…Pior do que ratos e ratazanas são os ingratos camundungos! 16

Quanto a ligar sirene em benefício próprio pelo menos foi honesto; pois e o que a boa parcela desses pseudodelegados que vestem farda preta mais fazem, ne? Quer um bom conselho, submeta-se a  perícia médica , se afaste por evidentes problemas mentais vá desfrutar de uma imerecida merrequinha como camundongo aposentado. Alias, uma boa alma da Corregedoria Geral me deu tal oportunidade. Eu serei lhe serei eternamente grato, mas nunca compareci ao DPM. Mas o Sr. deveria ir, pois assistindo alguns segundos de um dos seus vídeos percebe-se uma certa deficiência de ordem psíquica…Talvez seja apenas desequilíbrio hormonal, em alguns meses o Sr. volta renovado, fininho como sempre foi e com o eixo normalizado. Entende, ne?

Eu digo imerecidamente porque delegado estagiário tem que ralar no plantão vestindo paletó e gravata; não esse papel bizarro de vestir fantasia de SWAT pra importunar maconheiros .

Dr. Nestor Sampaio Penteado Filho morre por Covid-19 57

Delegado da 1ª Seccional de Campinas morre por Covid-19

Nestor Sampaio Penteado Filho, de 54 anos, estava internado desde março, diz Polícia Civil.

Por G1 Campinas e Região

14/07/2021 20h05  Atualizado há 4 minutos


Nestor Sampaio Penteado Filho morreu por Covid-19 — Foto: Reprodução / Redes Sociais

Nestor Sampaio Penteado Filho morreu por Covid-19 — Foto: Reprodução / Redes

O delegado titular da 1ª Seccional de Campinas (SP) Nestor Sampaio Penteado Filho, de 54 anos, morreu na tarde desta quarta-feira (14) por Covid-19, segundo a Polícia Civil. De acordo com o diretor do Departamento de Polícia Judiciária na região (Deinter-2), José Henrique Ventura, o policial estava internado desde 18 de março no Hospital São Luiz, na capital paulista.

Segundo Ventura, a vítima deixa a mulher e um filho. Ainda não há informações sobre local de sepultamento. “Em nome da Polícia Civil e todos os policiais da região de Campinas, lamento imensamente a perda do colega, delegado titular da 1ª Seccional, e dar as condolências à família. Que a alma dele descanse em paz, pois cumpriu dignamente sua missão”, destaca o delegado.

Ventura informou que as equipes da Polícia Civil em Campinas foram vacinadas em 28 de março.

Em nota, a Secretaria de Segurança Pública (SSP) lamentou a morte do delegado e disse que desde o início da pandemia vem adotando medidas para garantir a proteção dos agentes contra Covid-19.

Prédio da Delegacia Seccional de Campinas, SP — Foto: Luiz Granzotto / Prefeitura de Campinas

Prédio da Delegacia Seccional de Campinas, SP — Foto: Luiz Granzotto / Prefeitura de Campinas

NESTOR, que Deus lhe acolha e dê forças aos seus familiares e amigos mais chegados!

Eu lastimo, mas sem hipocrisia, o colega fez maldades comigo desde os tempos da ADPESP.

Nem vou falar dos seus pareceres como “caneta fantasma” do seu dileto Diretor!

Especialmente a palavra “higienização” que o Sr. empregou em relação a minha pessoa , ocultamente, se manifestando pela nossa demissão.

Lembrando que sempre lhe tratei com total respeito , bem como ao seu saudoso pai! Nem vou dizer todo o sofrimento que o seu parecer pela nossa remoção “no interesse do serviço” , causou a mim e aos meus!

Enfim, que o seu espirito tenha paz e que seus familiares logo superem a tristeza e só guardem as doces lembranças!

ONDE ESTÃO AS NOVAS FUNCIONAIS DOS POLICIAIS CIVIS CLASSIFICADOS NA SPTC? 30

ONDE ESTÃO AS NOVAS FUNCIONAIS DOS POLICIAIS CIVIS CLASSIFICADOS NA SPTC?

9 de julho de 2021 10:55
Para: “dipolflitparalisante@gmail.com” <dipolflitparalisante@gmail.com>
Os policiais civis classificados na SPTC ainda não receberam as novas identidades funcionais.Onde estão? Foram feitas, não foram?Estão paradas em algum lugar…em alguma gaveta?Ao que tudo indica todos, ou a grande maioria dos demais colegas do estado, já receberam.Quando se pergunta no 4° andar da SPTC a resposta é que não sabem de nada…que depende do DAP.

INVESTIGADORA FANTASMA NA DPPC 16

fala meu amigo td bem ????conhece o,,,,,,,

policial civil lotada na DPPC- produtos controlados, ela esta quase dois anos sem aparecer na delegacia, você pode ver pela herbie dela e tudo mais …… sexta feira o divisionário dela chamou ela e pediu pra ela tirar uma licença premio pq a pica já vai estourar da corregedoria……. A mulher do seu ex-amigo ganhando previlegios, só na pc


Em que pese essa moça ter me chamado de lixo , por algo que eu não fiz , que ela trate de arrumar uma justificativa medica. Pois se for aplicar a lei, como deveria ser de rigor , ela leva consigo, para o olho da rua, gente que apenas se fez de cego pra não desagradar o Diretor.

Publicamos em respeito ao colaborador , porque dessa gente, mesmo mantendo-se cerca de 10.000 quilômetros de distância , ainda assim se corre perigo.

POLÍCIA CIVIL DE MINAS GERAIS ANUNCIA UNIFICAÇÃO DOS CARGOS DE ESCRIVÃO E INVESTIGADOR 28

POLÍCIA CIVIL DE MINAS GERAIS ANUNCIA UNIFICAÇÃO DOS CARGOS DE ESCRIVÃO E INVESTIGADOR

Chefe da Polícia Civil de Minas Gerais anuncia novo concurso público para a Polícia Civil de MG, e informa que serão disponibilizados somente 30 vagas para investigador, e explica que isto deve ao fato de que os cargos dessa carreira deverão ser transformados com os cargos de escrivão de polícia em cargos de uma nova carreira de inspetor de polícia. “Menos burocracia na investigação. Não estamos mais na época de Pero Vaz”, disse o chefe de polícia.

A Associação Nacional dos Escrivães de Polícia Federal (ANEPF) apoia as iniciativas de modernização e transformação do cargo de Escrivão de Polícia, inclusive no âmbito da Polícia Federal.

Fonte da informação: https://www.instagram.com/p/CRC4CTyh9CF/…

Colaboração do leitor: Defensor Publico

Saudades do Major Olímpio…Por quê um cara decente se vai e gente imunda permanece?…Gostava como ele se referia ao Flit: ” um blog sem rebuços”! Ele também nunca teve falsidade… 6

E quem não tem falsidade as vezes exagera…

Mas falta, no sentido acima, EXAGERADOS…

Sobrando exageros na maldade, na crueldade e na perfídia!

Não sei o motivo, mas ao recuperar o Flit foi o primeiro pensamento que me veio…

Que falta faz esse maluco , inteligente pra cacete , sem sorriso falso e sempre disposto a ajudar!

E só nos vimos duas vezes: numa festa de casamento de um outro cadete em 1982 ou 83 , ele ainda cursava o ultimo ano da Academia. Depois em 2010 , durante a greve!

Depois, aqui no Flit se tornou um amigo virtual, em finais de semana, feriados , sempre que vinha comentário de Ilha Bela eu sabia quem era.

Foi minha testemunha de defesa por duas vezes!

Major Olímpio , tenho muita saudade de você.

Suposto torturador , que virou Delegado por seus relevantes serviços como membro da tigrada do DOI-Codi- e que até hoje caça comunistas – foi simbolicamente condenado por sequestro 12

Em sentença inédita, juiz condena ex-agente da ditadura ‘Carlinhos Metralha’

Carlos Alberto Augusto, conhecido como Carlinhos Metralha, foi agente da Ditadura Militar - Michel Filho/O Globo
Carlos Alberto Augusto, conhecido como Carlinhos Metralha, foi agente da Ditadura Militar Imagem: Michel Filho/O Globo

Pepita Ortega e Marcelo Godoy

São Paulo

21/06/2021 16h52

O juiz Silvio César Arouk Gemaque, da 9ª Vara Criminal Federal de São Paulo, condenou o delegado Carlos Alberto Augusto, ex-agente da ditadura militar conhecido como ‘Carlinhos Metralha’, que atuava no Departamento Estadual de Ordem Política e Social de São Paulo (Deops/SP), a 2 anos e 11 meses de prisão, em regime inicial semi-aberto, pelo sequestro do ex-fuzileiro naval Edgar de Aquino Duarte, desaparecido desde 1971.

Trata-se da primeira condenação penal em relação a crimes cometidos durante o regime de exceção marcado por torturas, censura e assassinatos, diz o Ministério Público Federal. A Procuradoria informou que vai recorrer da decisão para pedir o aumento da pena imposta ao ex-agente da ditadura, bem como para que a Justiça acolha outras solicitações feitas na ação, como o cancelamento da aposentadoria do delegado.

A denúncia contra ‘Carlinhos Metralha’ foi apresentada à Justiça em 2012, e atingia também o ex-delegado Alcides Singillo, além de um dos principais torturadores da ditadura, o coronel Carlos Alberto Brilhante Ustra, ex-comandante do Destacamento de Operações de Informações do II Exército (DOI-Codi) em São Paulo – militar já exaltado pelo presidente Jair Bolsonaro em mais de uma ocasião. Os dois deixaram de figurar como réus na ação após falecerem em 2019 e 2015, respectivamente.

Segundo a Procuradoria, o caso de Carlos Alberto Augusto é um dos poucos que tiveram andamento na Justiça. Em nota, o MPF ressaltou que a maioria das 50 ações penais propostas nos últimos anos por crimes cometidos na ditadura foi rejeitada ou está paralisada, ‘em descumprimento a normas e decisões internacionais que obrigam o Brasil a investigar e punir quem tenha atuado no extermínio de militantes políticos entre 1964 e 1985’.

“Acho que essa sentença representa um marco histórico. É a primeira vez que o Judiciário reconhece que houve crimes contra a humanidade na ditadura militar e condena um agente estatal. Com isso, reconhece-se não apenas o caráter sistemático das violações estatais, que houve um terrorismo estatal, mas também reforça o Estado Democrático de Direito. Não há nenhum governo, governante ou agente estatal que esteja acima da lei. A relevância da sentença é, assim, não apenas para o passado, mas sobretudo para o presente e para o futuro”, afirmou ao Estadão o procurador da Republica Andrey Borges de Mendonça, responsável pela ação que levou à condenação de Carlos Alberto Augusto.

Edgar de Aquino Duarte foi preso no dia 13 de junho de 1971, sem qualquer ordem judicial. Na época, trabalhava como corretor da Bolsa de Valores de São Paulo. Ele já não integrava nenhum grupo de oposição à ditadura, uma vez que havia deixado a militância em 1968, após retornar do exílio. Antes havia sido expulso da Marinha, em 1964, em decorrência do Ato Institucional nº 1. Ainda assim, o ex-fuzileiro naval entrou no radar das autoridades após ter seu nome citado no depoimento de José Anselmo dos Santos, ex-colega de Marinha que se tornou um agente infiltrado dos órgãos de repressão.

De acordo com o MPF, ‘Carlinhos Metralha’, participou diretamente da ação que resultou na prisão de Edgar e sua condução ao DOI-Codi, um dospiores e mais violentos centros de repressão política da ditadura. A detenção do ex-fuzileiro foi mantida sem comunicação judicial pelos dois anos seguintes, sendo que testemunhas relataram ‘bárbaras torturas’ praticadas contra ele. Edgar também foi sucessivamente transferido entre a unidade comandada por Ustra e o Deops. O ex-fuzileiro foi visto por testemunhas pela última vez em junho de 1973.

Na sentença, Gemaque destacou que a responsabilidade penal de Carlos Alberto Augusto sobre o desaparecimento de Edgar de Aquino Duarte foi comprovada ‘além de qualquer dúvida razoável’. Segundo o magistrado, há provas ‘mais do que suficientes’ de que o ex-agente da ditadura participou da prisão do ex-fuzileiro e atuava em pelo menos um dos locais onde a vítima estava detida ilegalmente.

“Em hipótese alguma, é admissível que forças estatais de repressão, mesmo em regimes como os vivenciados naquela época, tivessem autorização para a prática de atos à margem da lei em relação a Edgar, permanecendo preso por pelo [menos] dois anos, incomunicável, submetido a toda a sorte de violências, torturas e tratamentos degradantes. Ora, espera-se das forças de Estado o exercício legítimo do direito da força, não a prática de crimes”, ressaltou o magistrado.

Gemaque destacou que as condutas, ‘criminosas e perversas’, exigem uma resposta penal a fim de afastar a impunidade. “A marginalidade estatal que prendia sem mandado, sequestrava, torturava, desaparecia e matava pessoas por suas posições políticas, ainda que envolvidas em ações violentas de guerrilha, praticava toda essa sorte de condutas ao abrigo, por ação ou omissão, das então forças repressivas, deve receber o mesmo tratamento processual compreendido para os graves crimes internacionais praticados contra direitos humanos, já que de um verdadeiro holocausto se tratava”, ponderou.

Nessa linha o juiz destacou que a responsabilização de crimes de sequestro praticados no contexto da repressão da ditadura militar não está alcançada pela Lei de Anistia em razão da ‘perenidade de seus efeitos no tempo’ e também dos inúmeros tratados internacionais dos quais o Brasil faz parte e que classificam o desaparecimento forçado de pessoas como crime contra a humanidade.

“Sem dúvida nenhuma o caráter de um ataque sistemático de perseguição política praticado durante o período de maior perseguição política pós-64 aplica-se ao caso retratado na denúncia, como bem salientou o representante do MPF em suas alegações finais, uma vez que o crime de sequestro imputado ao acusado pode ser caracterizado como desaparecimento forçado de pessoas, na esteira do que vem decidindo sistematicamente a Corte Interamericana de Direitos Humanos”, ressaltou.

COM A PALAVRA, O DELEGADO CARLOS ALBERTO AUGUSTO

Até a publicação desta matéria, a reportagem buscou contato com o ex-agente da ditadura, mas sem sucesso. O espaço permanece aberto a manifestações.