ESTAMOS, CADA VEZ MAIS, TODOS CORRUPTOS.

30/05/2007 – 04h01
Suposta lista de propinas provoca guerra entre polícias

São Paulo – As cúpulas das Polícias Civil e Militar de São Paulo estão em pé de guerra por causa do vazamento de notícias sobre uma suposta lista de propinas paga a distritos policiais. A polêmica esquentou ontem (29), com a reação dos militares à acusação, feita pela Polícia Civil, de que um PM admitiu ter fraudado a suposta lista. O comandante da PM, coronel Roberto Diniz, ligou logo cedo para o secretário da Segurança, Ronaldo Marzagão, contrariado com a divulgação do episódio pelo jornal “O Estado de S. Paulo”. O chefe da Polícia Civil, Mário Jordão Toledo Leme, manteve pela manhã a versão de que a fraude era um fato grave: “Aquilo era coisa do policial (militar) envolvido na ocorrência.” (“sic”, absurdamente).

Na sexta-feira, PMs encontraram envelopes com R$ 27 mil no carro do advogado Jamil Chokr, que bateu num poste ao tentar fugir de um ladrão de motocicleta na Vila Guilherme, zona norte de São Paulo. Chokr é ligado a empresas de caça-níqueis. Nos envelopes e numa lista à parte, estavam relacionados números que coincidem com os de DPs da capital.

Na noite de segunda-feira, três delegados de classe especial, posto mais alto da hierarquia da Polícia Civil, procuraram a reportagem. Queriam informar sobre a “confissão” de um policial militar, que admitiu ter “fraudado a lista”. Disseram que a Corregedoria da PM tinha detido o acusado. Na verdade, ele havia sido ouvido pela Corregedoria da Polícia Civil e liberado após o depoimento. As informações são de O Estado de S.Paulo