Homenagem de “Velho Músico” da Boca do Lixo, Flit e Bandida a Julio Michaelis, vocalista do Santuário…VIDA LONGA AO METAL DO BRASIL 5

Enviado em 25/12/2010 às 22:22SUB COMANDANTE INSURGENTE MARCOS

Dr. Guerra….é com pesar que fiquei sabendo desta perda

Morre Julio Michaelis, vocalista do Santuário

23 December 2010

A banda Santuário foi uma das precursoras do heavy metal brasileiro e teve seu auge em 1986, ironicamente o mesmo ano em que seu vocalista, Julio Michaelis adoeceu gravemente, precisando deixar o grupo.

Depois de recuperado, Julio passou a dedicar-se a produções musicais e a passar adiante sua experiência em ser músico no país na época pré-internet, pré-CD, onde tudo era muito caro e difícil de divulgar.

O Santuário foi formado em uma sexta-feira 13, em agosto de 1982, na cidade de São Vicente, litoral de São Paulo, por Julio Michaelis Jr. (vocal), Ricardo “Micka” Michaelis e Armando Bandech (guitarras), Jorge “Rato” Bastos (baixo) e Alessandro Marco (bateria). Tempos depois, ocorreu a saída de Bandech – TROCOU O ROCK PELA PM – e, como quarteto, participaram das gravações da segunda edição da coletânea “SP Metal”.

O Santuário, que já chamava a atenção em seus shows, obteve grande repercussão entre os fãs com as faixas Espartaco, Gladiador Rei e Santuário.

Tudo corria bem até o início de 1986, quando Julio Michaelis Jr. passou por sérios problemas de saúde e teve de se afastar. No período em que não se confirmou a saída do vocalista, a função nos shows inicialmente era dividida por “Micka” e “Rato” e, posteriormente, apenas por “Micka”, ficando o Santuário como um trio por menos de um ano, quando a banda acabou.

Em 2006, o baterista Alessandro Marco e sua banda V2 apresentaram um tributo ao Santuário, mas a participação de Julio Michaelis acabou não acontecendo por motivos de saúde.

A última participação musical de Julio aconteceu nas gravações do filme ainda inédito “Brasil Heavy Metal”, onde aparece cantando e contando sobre as aventuras na época do Santuário. O filme, inclusive, reúne depoimentos de quase todos os principais vocalistas do metal e muitas pessoas que colaboraram em sua divulgação no país.

Ao contrário do que estamos acostumados a dizer em relação ao nosso país, os bangers não tem memória curta e sempre que surge uma nova banda, fazem questão de reverenciar àqueles que abriram campo ao heavy metal nacional.

Por isso hoje, com a partida de Julio Michaelis( 48 anos ), todos nós – bangers, metaleiros ou roqueiros, como quiser chamar – estamos em luto. E agradecemos por suas composições e performances. Fique em paz Julio.

________________________________________________

Caro RiK (Sub):

Soubemos na data do passamento pelo pessoal da BLASTER, loja do grande guitarrista Rafa ( Rafael Paulino Neto ).

O Julio era  nosso vizinho e colega de adolescência; desde a filial da Tremendão-Opus de São Vicente. Bem antes da existência do Santuário, quando o Rato e o Alê ainda eram membros do PRESENSA ( com o Gilvan e Chico Pupo ).

Uma grande perda,  um menino  excelente, trabalhador, brilhante e sempre gentil. Não merecia os percalços decorrentes da doença que lhe roubou a saúde praticamente ainda menino ( anotando que os problemas de saúde iniciaram antes de 1986).  Lembrando que sua  irmã, uma garota angelical que compartilhava os sonhos do Julio e do Micka,  infelizmente, também,  faleceu há pouco.

Nossos sentimentos aos familiares e amigos.

Descanse em paz, Julio.

  1. Uma grande perda.
    Agora está na banda metálica do além com tantos outros que já se foram.
    Passei minha adolescência ouvindo esses sons, numa época em que fazer metal no Brasil era coisa pra maluco mesmo, sem infra estrutura e tecnologia (lembra bem a PC).
    Mas enfim, eu mesmo já velho continuo ouvindo os mesmos sons, sem perder as origens.

  2. Meus pêsames aos familiares.
    E ficamos um pouco mais pobres musicalmente falando.

  3. Meus pêsames.Infelizmente sofreu muito por toda a vida e
    ainda assim dedicou-se à arte musical ,exemplo de vida.

Os comentários estão desativados.