Delegado-geral anuncia novos diretores da Polícia Civil 206

Enviado em 11/01/2011 às 22:04Du MAKRO  ( atacadão di Nersão )

Terça-feira, 11/01/11 – 20:30

Delegado-geral anuncia novos diretores da Polícia Civil
Fábio Portugal
Anúncio foi feito pelo delegado-geral, Marcos Carneiro Lima

Um dia depois de assumir o comando da Polícia Civil no Estado, o novo delegado-geral, Marcos Carneiro Lima, anunciou nesta terça-feira (11) os nomes de oito diretores de departamentos da instituição. Terão novos chefes o Decap (Departamento de Polícia Judiciária da Capital), Demacro (Departamento de Polícia Judiciária da Macro São Paulo), Denarc (Departamento de Narcóticos), Deic (Departamento de Investigação sobre Crime Organizado) e Dipol (Departamento de Inteligência).

Também haverá modificação na direção da Academia de Polícia Civil, na Assistência Policial Civil da Secretaria da Segurança Pública e na Delegacia Geral Adjunta, que será comandada por uma mulher, a delegada Ana Paula Soares.

Foram mantidos os diretores dos nove departamentos de Polícia Judiciária do Interior, além do DHPP, DPPC, Dird, DAP e Corregedoria Geral da Polícia Civil.

Decap
O novo diretor do Departamento de Polícia Judiciária da Capital (Decap) é o delegado Carlos José Paschoal de Toledo. O delegado formou-se em Direito pela Universidade de São Paulo (USP) em 1984 e, dois anos depois, ingressou na Polícia Civil como delegado. Já foi diretor do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) e do Departamento de Administração e Planejamento (DAP). Desde outubro de 2009, Toledo ocupava a diretoria do Departamento Estadual de Trânsito (Detran).

Demacro
Assume o Departamento de Polícia Judiciária da Macro São Paulo (Demacro) o delegado Youssef Abou Chahin, que exercia a função de delegado seccional de Carapicuíba, também na Grande São Paulo. Chahin já foi diretor do Departamento de Investigações sobre Crime Organizado (Deic) e titular da 8ª Delegacia Seccional da Capital (São Mateus).

Dipol
O atual diretor do Deic, delegado Gaetano Vergine, assumirá o Departamento de Inteligência da Polícia Civil (Dipol). O delegado já chefiou a Corregedoria Geral da Polícia Civil e foi titular a Divisão de Crimes contra o Patrimônio, do Deic, onde esteve à frente de importantes investigações, como a recuperação das obras do Masp e da Pinacoteca.

Deic
Atual titular da 5ª Delegacia Seccional da Capital (Leste), o delegado Nelson Silveira Guimarães assume o Deic. Guimarães já dirigiu o Demacro e atuou no DHPP.

Denarc
O delegado Wagner Giudice chefiará o Departamento de Investigações sobre Narcóticos (Denarc). Ele construiu boa parte de sua carreira na Divisão Antissequestro do Deic. Atuou em casos de grande repercussão, como os sequestros do publicitário Washington Olivetto e da filha do empresário Silvio Santos, Patrícia Abravanel. Em dezembro do ano passado, a equipe chefiada por Giudice ministrou curso antissequestro para a Polícia Federal.

Delegacia Geral Adjunta (DGPad)
Pela primeira vez, uma mulher assume o cargo de delegada-geral adjunta. Ana Paula Batista Ramalho Soares já foi diretora do Departamento de Análise e Planejamento (DAP) da Polícia Civil, e atuava como delegada divisionária do Demacro.

Acadepol
Marco Antonio Martins Ribeiro Campos deixa a chefia da Assistência Policial Civil da Secretaria da Segurança Pública e assume a Academia de Polícia Civil (Acadepol). Com mais de 50 anos de carreira na polícia, Campos já dirigiu o Denarc.

Assistência Policial Civil
O delegado Nelson Rodrigues, que atuava na Assessoria para Assuntos Prisionais da Secretaria da Segurança Pública, comandará a Assistência Policial Civil.

DHPP
Delegado-geral de polícia entre 1999 e 2007, Marco Antônio Desgualdo foi mantido pelo novo delegado-geral, Marcos Carneiro Lima. Desgualdo continuará no comando do DHPP, assumido em agosto de 2009. Antes de chefiar o departamento, ele foi diretor do Departamento de Investigações sobre Crime Organizado (Deic). Desgualdo também havia chefiado o DHPP de 1996 a 1999.

Dird
Chefe do Departamento de Identificação e Registros Diversos (Dird) desde janeiro de 2010, o delegado Elson Alexandre Sayão continuará no cargo, a pedido do delegado-geral Marcos Carneiro Lima. Sayão foi diretor do Demacro de setembro de 2007 até receber o convite. Antes disso, exercia a função de delegado-geral adjunto.

DPPC
O delegado Dejar Gomes Neto, diretor do Departamento de Polícia de Proteção à Cidadania (DPPC) desde sua criação, em meio de 2009, continua no cargo. Antes, foi titular da 1ª Delegacia Seccional (Centro).

DAP
Luiz Maurício Souza Blazeck é outro delegado mantido em seu posto pelo delegado-geral, continuando à frente do Departamento de Análise e Planejamento (DAP) da Polícia Civil. Blazeck também atuou como divisionário do DHPP.

Corregedoria
A atual corregedora da Polícia Civil, Maria Inês Trefiglio Valente, foi mantida pelo secretário da Segurança Pública, Antonio Ferreira Pinto, no cargo desde março de 2009. Em 2008, assumiu a Corregedoria do Departamento Estadual de Trânsito (Detran), onde ficou até receber o convite para assumir a Corregedoria Geral da Polícia Civil.

Deinters
O delegado-geral informou que manterá os nove diretores dos Departamentos de Polícia Judiciária do Interior (Deinter).

Assessoria de Imprensa da Secretaria da Segurança Pública

ESSE NEGÓCIO DE JUNTAR BO PM É COISA QUE ESTÁ NO MANUAL DE ATUAÇÃO FUNCIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO DESDE 1987…POR TAL RAZÃO TODO E QUALQUER PROMOTOR GOSTA DE ATRAVESSAR A COTINHA: “r. juntada do BO-PM”….( tudo experto ) 9

Enviado em 11/01/2011 às 15:37 – ESCRIVÃO

BO/PM? TESTEMUNHA CHAVE CONSTANTE DO BO/PM?
EU NUNCA OBTIVE NENHUMA INFORMAÇÃO IMPORTANTE ATRAVÉS DO BO/PM.
AS TESTEMUNHAS ARROLADAS NO BO/PM, GERALMENTE, SÃO PARENTES DA VÍTIMA, OS QUAIS SERIAM NOTIFICADOS PARA DEPOR, AUTOMATICAMENTE.
MAIS UMA VEZ O DELEGADO GERAL DEMONSTROU QUE ESTÁ FOCADO EM LOCAL DE HOMICÍDIO.
EXISTEM OUTROS CRIMES ALÉM DE HOMICÍDIO. CRIMES QUE SÃO INVESTIGADOS UNICAMENTE PELA POLÍCIA CIVIL, SEM A MENOR PARTICIPAÇÃO DA PM.

DELTA, DGP “OFF LINE”…FOI BOA ESSA!…Ora, os 310 dias pode ser do tal N.P.O.R. 20

Enviado em 11/01/2011 às 21:23 – DELTA UNO – ORIGINAL

O RDO em si já é uma excrescência, porque foi inventado por Delegados que jamais puxaram um plantão na vida!

E, pelo que vejo, o Dr. Carneiro é quem tem sérias chances de se tornar um DGP “offline”.

Ademais, S. Exa. tem 8341 dias no serviço público de São Paulo. Destes, 8035 dias como Delegado de Polícia. A diferença deve ser o tempo como aluno da ACADEPOL. Ou seja, ele NÃO FOI “TIRA”!

Deve ser “natu nobilis”.

EMPRESÁRIO PAULISTA, CUIDADO COM O SEU CONTADOR…O PIOR ( ou será melhor ) TIPO DE INFORMANTE DO DECON 8

Enviado em 11/01/2011 às 18:44 – Dr. JOSÉ DA SILVA

Pelos comentarios explicitos, o descontentamento é geral, pois aparecer as verdades verdadeiras, que aqui a censura libera sem punição. Foi que a P.C., não se preocupou em eletizar e dar valor aos seus homens, que são trabalhadores. Criaram o DECON, onde o J, , nada ver nada fala, só pehga a mala, por que é conveniente e lucrativo. Voces Tiras e Escrivães, correm o risco de irem para Cadeia, mais para ficar sobre a escravidão do “Dinheiro”, se sugeitam a tudo.
Na verdade lá no DECON, só se investiga crimes que dão lucro, pagam a diretoria, chefia de Majuras, Escriba, Informante, e as vezes ficam com eslastico. Ai criou-se a imobiliaria de venda de cadeira, crer trabalhar precisa pagar. Ai clube dos falsos moralistas, J,  e seus assessores querem 40% do acerto, chefe 20%, e a equipe 20% o informante 20% = 100%. Quando alguem esbarra no interesse deles, a ordem “sai dai”, isto não é da sua competência, como pagam muito bem, a gente sai e enfia o serviço no rabo, “Prevaricando”, ou sera que mudaram o C.P.B. Este ligam para o cliente que esta na ação delituosa e disee” Pode deixar se aprecer mais alguem me liga, que ponho para correr”. Sera que o Pinto tem peito para mecher lá ou vai se acertar com esta corja de ladrões, que só usam a carteira para acerto. SANTANA , voce precisa usar oculos senão eles vão te cegar, e quando um politico liga, e quando ficam socios dos criminosos, cobrando acertos mensais. Isto serve , para Fazendaria, Para Saude Publica, Meio Ambiente, Economia Popular, Crimes ce relação de consumo, até as maquininhas. Sabe se Deus escolhese uma profissão seria vendido pelos acerto. Acorda Coromé, pois a Policia vai descobrir seu telhada de vidro nesta gestão. até breve com noticia urgente em edição extraordinaria.

__________________________

Libero não!  Segue com a necessária censura.

DOUTOR CARNEIRO na Prodesp não há off line…Só “on bolso”! – QUEM DEIXOU PARA PAGAR O IPVA COM DESCONTO HOJE SIFU…SISTEMA INOPERANTE E PHODA-SE O CONTRIBUINTE…SOMOS DELEGADOS DE POLÍCIA DE UM ESTADO GOVERNADO POR PICARETAS ( para ser polido tal como o nosso Secretário ) 20

Aê Geraldo, prorroga o pagamento…

A enchente é culpa de vocês; a inoperância do sistema é culpa de vocês!

Off line o caralho…O caralho prá nós!

Na Prodesp não há off line…Só “on bolso”!

DIRECIONADAS e AMADORAMENTE FORJADAS O “ka”, A BOCA GRANDE FALA O MOTIVO DA ALIVIADA NAS PROVAS…ELE SAIRÁ IMPUNE, MAS VÁRIOS DE SEUS TIRAS COLABORADORES JAZEM NA CADEIA OU SUICIDADOS 3

Enviado em 11/01/2011 às 20:02– CANA DURA

Quem teve acesso as investigações sabe que em ambos os casos em que Dr. Carrel figura como reu as investigações foram direcionadas e as provas amadoramente forjadas, acredito – por conclusão óbvia – que por motivação pessoal. Não estou dizendo que ele é inocente, isso não sei, mas que as investigações foram direcionadas isso não resta duvidas, tanto é que nem o Del. mais zica da corro (atual divisionário da P.A.) conseguiu pega-lo, tanto que esta se apegando a irregularidades administrativas para puni-lo.

ORA, A PM – DESDE ANTANHO – É O PRINCIPAL PILAR DA SEGURANÇA “DO GOVERNO DO ESTADO”…O CIDADÃO COMUM CONTINUA APENAS COM A FÉ NO CRIADOR, ALÉM DE UMA BAITA VONTADE DE AFOGAR NO TIETE O GERALDO, O SERRA, O KASSAB 33

Enviado em 11/01/2011 às 12:48 – JOW

ESTADÃO: A PM é o pilar da segurança pública paulista dos governadores TUCANOS. Não tem nem como comparará-la com a PC.

A PC tá sofrendo da sindrome Tostines: Tá na merda porque não presta ou não presta porque a deixaram na merda?

http://www.estadao.com.br/estadaodehoje/20110111/not_imp664490,0.php

Com a manutenção do comandante-geral da Polícia Militar, Alvaro Batista Camilo, de 49 anos, no posto que já ocupava desde abril de 2009, foi definida ontem a cúpula das polícias em São Paulo. Na sexta-feira, o delegado Marcos Carneiro Lima, de 53 anos, havia sido confirmado no posto de delegado-geral da Polícia Civil – o superintendente da Polícia Científica, Celso Perioli, também continua no cargo.

A principal marca da gestão de Camilo nos últimos dois anos foi a criação e a implementação das chamadas operações delegadas, parceria entre a PM e a Prefeitura para aumentar o efetivo nas ruas nos períodos de folga dos policiais. Criado em dezembro de 2009, o “bico oficial” passou a funcionar em 20 regiões da cidade, com resultados que chegaram a promover a redução de 70% nos crimes, segundo dados da PM. Depois de vários prefeitos se interessarem pela ideia, o plano agora é estender o projeto para o interior do Estado.

A queda nas taxas de criminalidade no ano passado foi outro fator positivo na gestão de Camilo. O ano anterior havia sido repleto de complicações e ficou marcado pela primeira alta de homicídios em 10 anos. O último trimestre, cujos dados ainda não foram revelados, deve confirmar a tendência de queda, principalmente nos roubos, a maior preocupação na Segurança.

Descontentamento. Na corporação, Camilo também teve de enfrentar descontentamento de parte dos oficiais. A principal crítica que recebeu dizia respeito ao fato de ter aceitado com relativa passividade a decisão da Secretaria de Segurança Pública em passar para a Polícia Militar a escolta de presos no Estado, missão que cabia à Polícia Civil. A decisão acabou tirando cerca de 4 mil homens da corporação das ruas de São Paulo. A justificativa da secretaria era que dessa maneira poderia cobrar a Polícia Civil com maior rigor resultados de investigações que vinham sendo deixadas de lado.

O trabalho que vem sendo feito pela Polícia Militar, no entanto, já convenceu os últimos governadores que passaram pelo posto que a instituição é o principal pilar da Segurança Pública no Estado, com resultados que dificultam qualquer comparação com a Polícia Civil, tamanho o disparate nos números. Para o ano que entra, o comandante-geral pretende incentivar a participação da equipe das Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar (Rota) em operações de combate ao tráfico de crack em São Paulo.

_________________________

O imbecil quer comparar coisas  absolutamente diferentes: BUNDA É BUNDA; RETO É RETO!

A PM é uma grande bunda: todo mundo vê.

A PC é o reto: todo mundo quer phoder.

___________________

Até mais , está na hora de ir tomar no Cometa.

Será que chego a Baixada?

Tomar no Cometa ( umas cervejas  ).

Pelo Brasil façam-se grandes coisas: IMITEM AOS ARGENTINOS ( lá não tem inquérito policial ) 36

Enviado em 11/01/2011 às 12:43

EMBLEMÁTICO: O Dr. Cordeiro é contra o latim na PC e sai a foto atrás do brasão do Estado que diz (em latim) : “PRO BRASILIA FIANT EXIMIA”, que significa: pelo Brasil façam-se grandes coisas. Será uma mensagem subliminar?!?

__________________________________

Também não tem muito bandido;  a maioria deles ( bandidos ) são facilmente identificáveis: vestem farda, portam distintivos ou concorrem a cargos eleitorais.  

CARA FERNANDA, O NOSSO ATUAL DGP – COM O RESPEITO QUE LHE DEVO – INICIA COMETENDO SÉRIE DE EQUIVOCOS ( pequenos erros primários ), GOSTARIA QUE ELE NOS ENSINASSE A UTILIZAR O SISTEMA RDO OFF LINE…VOCÊ CONHECE ALGUM BANCO, SUPERMERCADO, GRANDE EMPRESA QUE FAÇA OPERAÇÕES OFF LINE QUANDO SEUS SISTEMAS SE MOSTRAM INOPERANTES?…PARA A JUSTIÇA O QUE VALE MAIS: UM RELATÓRIO POLICIAL DE QUEM É OBRIGADO A MOSTRAR SERVIÇO OU DEPOIMENTO CARTORIAL DE UMA TESTEMUNHA INSUSPEITA? 33

Enviado em 11/01/2011 às 13:45 – FERNANDA EX-9

realmente lamento profundamente informar que o avião à época envolvido no caso do desvio da cocaina, ( cujo piloto era o Delannoy)talvez por falta de assessoria, o nosso recem empossado DG está equivocado quando afirmou que o avião nao decolaria com 300 kg de carga… O Cessna 210 suporta muito mais que 300 kg além do peso do combustível!!! (tenho instrutor de voo e perito expert em CESSNA dentro de casa…)

DELEGADO Dr. LILICO: O HOMEM DO BUMBO 72

Conforme o delegado-geral, há uma “cultura cartorária” dentro da polícia que atrapalha as investigações. Ou seja, atualmente, vale muito mais o depoimento de uma testemunha dentro da delegacia do que um relatório de campo feito pelos investigadores, diz o policial.

Ex-diretor do Demacro (departamento da região metropolitana de SP), Carneiro Lima afirmou que vai emitir uma portaria que impede que termos em latim sejam usados nos boletins de ocorrência e memorandos internos da Polícia Civil. Na sua avaliação, os registros de ocorrências precisam ser claros e objetivos para, dessa forma, auxiliar no esclarecimento dos crimes. “O pior é quando escrevem em latim de maneira errada”, reclamou.

_______________________

O NOVO DELEGADO GERAL ESTÁ MAIS QUE CERTO: A PC É UMA POLÍCIA MERAMENTE CARTORÁRIA; ASSIM DEVEMOS EXTINGUIR A FORMALIZAÇÃO DE INVESTIGAÇÕES…

VALERÁ AQUILO QUE O POLICIAL – CIVIL OU MILITAR – ESCREVER.

DESSE MODO O ESPÍRITO DE PROMOTORES E JUÍZES NÃO MAIS SERÃO AFETADOS POR DEPOIMENTOS MENTIROSOS COLHIDOS NAS REPARTIÇÕES CHAMADAS IMPROPRIAMENTE DELEGACIA.

IMPROPRIAMENTE, POIS O QUE MENOS SE VÊ NESSAS REPARTIÇÕES SÃO DELEGADOS ( trabalhando ).

A PM TEM QUE FAZER BO, TC E LAVRAR SEUS FLAGRANTES ( bando de vibrador  que não nos deixa dormir em paz ).

O CÓDIGO DE PROCESSO PENAL É UMA VELHACARIA SÓ, ACABEMOS COM ELE TAMBÉM. 

Vamos acabar, outrossim,  com a intermediação. O  policial militar e civil ( o GM, idem )  deve ser chamado ao local da confusão ou crime;  elaborando, ” in loco” ,  de próprio punho,  um circunstanciado boletim de ocorrência relatando tudo aquilo que pode apurar sobre o caso, requisitando os exames “ad perpetuam rei memoriam” ( antecipação de prova ).

Em seguida , pessoalmente, levará a ocorrência ao Promotor.  Se necessário o policial representará por autorizações jurisdicionais: prisão, busca, quebra de sigilo, etc.

O promotor oferecerá oralmente denúncia ou instaurará um processo investigativo para melhor fundamentar sua denúncia, a qual não poderá ser instruída com depoimentos de testemunhas, partes e autores do crime.  Para quem não sabe: impedindo-se a incorporação de prova do sumário ( investigação ) à instrução contraditória. 

 A denúncia será acompanhada só com laudos e provas anteriormente jurisdicionalizadas: busca e apreensão, mandado de prisão temporária, por exemplos.

Toda a instrução será oral, dos debates serão elaboradas atas sucintas.

O que se faz , até o presente,  nos autos de inquérito, é uma grande porcaria mecanicamente burocratizada, servindo para impunidade dos culpados e condenação de inocentes ( os pobres, obviamente ).

Vamos acabar com esse negócio de o Estado sustentar 3.300 inúteis, corruptos  e obsoletos bacharéis em Direito.

Parabéns ao novo DGP. Finalmente encontrei alguém com quem me identifico…

É isso aí! Delegado não presta nem para elaborar BO.

O inquérito é  uma porcaria.

A Polícia Civil é uma grande porcaria…

Um grande Ó, portanto não tem banda podre.

Ó não tem lado!

Tempo bom  não volta mais, saudade de outros tempos iguais.

Trabalhas na casa?

Vamo acabá com esse negócio!

 

GUARUPOL, LEMBRE-SE AO CRITICAR OS DELEGADOS QUE A GRANDE MAIORIA É – SEMPRE FOI – ORIUNDA DAS FILEIRAS POLICIAIS…NA PC SAPO DE FORA NUNCA TEVE VEZ, QUEM TEM UM OLHO NÃO VIRA REI: MORRE ASSASSINADO! 22

Enviado em 11/01/2011 às 0:30 – GUARUPOL

Quanta baboseira. É desanimador. Alguém já pensou em conversar menos e agir mais ? Falar até meu papagaio fala, agora fazer demonstra a real intenção da pessoa. Infelizmente a polícia depende dos delegados, afinal o restopol não passa de meros auxiliares. Por isso os delegados são escolhidos a dedo. Só fico imaginando onde enfiam esse dedo antes de escolherem os delegados.

_________________________________________

Será que devemos repensar o modelo de seleção dos Delegados; assim  impedindo que investigadores, escrivães, carcereiros, agentes em geral; policiais militares e oficiais de justiça, inclusive,  sejam aprovados e  transformados em dirigentes da PC ?

Fala-se em carreira única ou concurso interno para Delegados, mas desde 1983 a cúpula da Polícia Civil é formada por Delegados oriundos – a grande maioria –  da carreira de Investigador; mais alguns da carreira de Escrivão. Diga-se de passagem, além de ex-operacionais,  essa maioria esmagadora é descendente de antigos Delegados, os quais, por sua vez, também ex-tiras.

Ora, se a nossa Polícia permanece no século XIX –  conforme brilhante revelação do atual DGP, provavelmente mais um ex-tira –  por culpa dos Delegados, obviamente a culpa é maior desses esforçados, valorosos  e competentes operacionais que com muito  esforço lograram galgar a carreira dirigente.

Assim começarei a classificar os Delegados conforme a origem:

Era operacional: não presta!

Filho de Delegado: não presta!

Operacional filho de Delegado: não presta ao quadrado!

Era PM: traíra ladrão  que ingressa caguetando e pondo defeitos !

Era Oficial de Justiça: corrupto de ninharia!

Advogado: bom ladrão!

Mulher: tudo puta!

Solteiro: tudo viado! 

Filho de Juiz: retardado mental!

Filho de político:  burro e ladrão!

Judeu: traficante de arma e coca!

Àrabe: muito ladrão!

Italiano: mafioso  ou carcamano!

Cristão Romano: ladrão hipócrita que não perde a dominical, mas não confessa o butim da semana!

Cristão Protestante: ladrão e estelionatário!

Euro ou  afro-espíritas : desequilibrados mentais chegados ao copo sobre a mesa !

Vagabundos: vagabundos.

Com o gravame: TUDO BACHAREL EM DIREITO, CURSO TÍPICO DE GENTE DESONESTA.

Corolário:

Por melhor  que faça; por mais digno que seja :  DELEGADO  NÃO PRESTA!

PEDIDO DO DELPOL-PC; UNIÃO, UNIÃO, UNIÃO, UNIÃO…( O GOVERNO NÃO NEGOCIA COM POLICIAIS, ASSIM FIQUEM PREPARADOS E UNIDOS ) 22

———- Mensagem encaminhada ———-
De: DÉCIO
Data: 10 de janeiro de 2011 22:44
Assunto: [DELPOL-SP] PEDIDO DO DELPOL-PC
Para: A DELPOL-PC <delpol—pc@googlegroups.com>
PREZADOS COLEGAS,
  
DORAVANTE, NOSSO CAMINHO PODERÁ SER SUAVE OU MUITO TUMULTUADO, NÃO DEPENDE DE NÓS, VAI DEPENDER EXCLUSIVAMENTE DO GOVERNO; EM AMBOS OS CASOS, SÓ TENHO QUATRO PEDIDOS A FAZER A TODOS OS MEMBROS DESTE VALOROSO GRUPO, E AINDA PEÇO QUE FAÇAM PROSPERAR FORA DO GRUPO:
 
 
 
 
 
1) UNIÃO
2) UNIÃO
3) UNIÃO
4) UNIÃO
 
 
Espero contar com todos.
Obrigado
DELPOL-PC
Décio ®

UNIÃO PALAVRA DE ORDEM: Na Polícia Civil, o terrorismo, o “bonde”, as ameaças veladas são os argumentos utilizados por aqueles que não conseguem se fazer respeitar por não se dar ao respeito 21

Enviado em 10/01/2011 às 23:32

De: Marilda Aparecida Pansonato Pinheiro
Assunto: [DELEGADOS] UNIÃO : Palavra de Ordem
Para: delpol—pc@googlegroups.com
Data: Domingo, 9 de Janeiro de 2011, 23:53

Colegas,

Mensagem no anexo… desculpem ter me alongado
Espero que todos leiam e reflitam.
O momento é delicado, mas também importante e talvez único.
UNIÃO é a palavra de ordem.

Um forte abraço a todos,

Marilda

Colegas,

Desde que ingressei na Polícia Civil, ouço as mesmas frases que, de tanto serem repetidas, acabam se tornado verdades absolutas, desanimando os seus integrantes a promoverem alguma mudança, já que “a Polícia é assim mesmo” ou “manda quem pode, obedece quem tem juízo” ou “desde que entrei na Polícia é assim e nunca vai mudar” ou “tenho 987650486756 anos de Polícia e desde que ingressei ouvi que ia melhorar”, enfim, exemplos como esse temos aos montes. Essa repetição das mesmas idéias consolidou-se na nossa cultura de tal forma que, por muitos anos, aceitamos que, de fato, não havia mesmo nenhuma saída para nós, até que – em 2008 – a primeira GREVE na Polícia Civil.

A partir disso, alguma coisa mudou, quando uma nova categoria de DELEGADOS DE POLÍCIA despontou com enorme força, demonstrando que sabíamos fazer e que os NOVOS DELEGADOS (de mãos limpas, lembram-se?). Desde então, estamos travando luta incansável para sermos reconhecidos, resgatarmos nossa dignidade e nos fazermos ouvir e respeitar, sendo inegável a magnífica participação do Dr. Domingos nesse processo.

Alguma coisa mudou… Ainda sinto o gosto e o cheiro da “batalha” do dia 16 de outubro de 2008… TODOS estiveram conosco de uma forma ou de outra. Tivemos CORAGEM de mudar, de lutar, de reivindicar direitos e acima do resultado pífio, restou a certeza de que PODEMOS e FAREMOS a diferença.

Estamos iniciando um novo tempo e escrevendo uma nova história que deve ser escrita com o sangue de cada um de nós, que ama e acredita na mudança, no novo.

O Grupo Delpol PC (pelo qual tenho o maior carinho), surgiu do inconformismo e da resistência à mesmice, aos desmandos, como um grito de liberdade para nós, os dirigentes da Polícia Civil. Tomou forma e força. Serviu como a maior e melhor ferramenta durante a GREVE… SUSTENTOU a greve… Através dele, sabíamos tudo o que ocorria com os demais colegas em cada parte desse estado. Muito do sucesso do movimento deve-se ao Delpol PC, haja vista o arremedo de greve em 2007 que desandou na “contra informação” da administração que lutava contra nós.

Vivemos hoje momentos de luta. Somos hoje muito mais que meia dúzia (Revolução Francesa) e que dois (Ministério Público), fazendo acontecer.

O Grupo Delpol PC e os DELEGADOS DE POLÍCIA idealistas, comprometidos com as necessidades da nossa sofrida classe, leais aos seus objetivos, que dele fazem parte, não podem e não devem aceitar seu enfraquecimento porque esse é o objetivo daqueles que querem nos ENFRAQUECER, DESAGREGAR, DESMOBILIZAR, DESARMONIZAR, DESESTIMULAR, para DOMINAR, DITAR AS REGRAS, COLOCAR DE JOELHOS, HUMILHAR PARA DEMONSTRAR a força que já não se tem.

A FORÇA é NOSSA… Nós somos o DELPOL PC…. Nós somos os DELEGADOS DE POLÍCIA DO ESTADO DE SÃO PAULO inconformados, vilipendiados, humilhados, desacreditados, buscando a luz, o reconhecimento, a VERDADE porque nada temos a temer.

Se fomos traídos por interesses escusos, devemos nos unir ainda mais em torno do nosso objetivo para que “colegas” desse naipe, sejam expurgados do nosso meio, pois graças a eles, estamos onde estamos e não nos deixar levar pelo sentimento de desagregação que se pretende alcançar com atitudes vis como essa.

Manifestações sobre a necessidade de se rever o modelo do nosso Egrégio Conselho que deixa, por exemplo, de atender direitos constitucionais dos Policiais Civis ao inviabilizar a manifestação do interessado em julgamentos de processos de sua competência, por si ou por advogado; sobre a imprescindível implantação das CPJs no DECAP/DEMACRO, como forma de viabilizar a prestação de serviços de qualidade para a sociedade e dar aos colegas as mínimas condições de trabalho, de voltar os olhos para o interior e para os aposentados que parecem inexistir, devem ser, no mínimo, ouvidas e respeitadas porque advindas de Delegados de Polícia.

Sempre disse que na polícia militar, a hierarquia é institucionalizada, regulamentada e se avista de longe no luzir das tampinhas prata/ouro, enquanto na Polícia Civil, o terrorismo, o “bonde”, as ameaças veladas são os argumentos utilizados por aqueles que não conseguem se fazer respeitar por não se dar ao respeito. Lutar contra esse mecanismo abjeto é exercer direito e não pode ser interpretado extensivamente ou sob a análise jurisprudencial de qualquer “colega”, atendendo, exclusivamente, sua tese.

Permito-me não me manifestar acerca da postagem do colega, mas sua indignação deve ser analisada, à vista do tratamento dispensado a todos nós durante todos esses anos e a reprimenda não pode ser maior que a violação do nosso sagrado direito à intimidade, à manifestação de pensamento, ao exercício pleno do direito de “desabafarmos”, especialmente quando julgamos estar em um grupo onde a LEALDADE e os interesses sejam os mesmos.

Reprimenda, indignação de toda classe, expurgo e desprezo, merece aquele ou aqueles que se valeram da covardia e da deslealdade para atingir algum objetivo que ainda não sabemos, mas vamos saber, tão logo os colegas “intimados” tragam as informações à ADPESP que tomará, conforme já dito através do Departamento Jurídico, as providências cabíveis.

Somos legalistas, aplicadores do Direito e este deve ser extensivo a todos. Na ADPESP inexiste hierarquia ou “classes”. Somos associados. Nunca fomos nem seremos, longa manus de ninguém. Respeitamos as instituições e seus componentes. Respeitamos o Conselho, o Delegado Geral de Polícia, os conselheiros, os nossos superiores “hierárquicos”, mas também exigimos ser respeitados por possuirmos a mesma condição que todos, ou seja, somos Delegados de Polícia e para que se instale uma nova forma de hierarquização, mude-se a legislação. Respeito se adquire não se impõe. Respeito se incorpora não se implora ou se explora por práticas terroristas.

Penso que a QUALIDADE se sobreponha à QUANTIDADE, portanto, não vejo com preocupação o silêncio de muitos dos integrantes do nosso Grupo, dada as diversas razões que os levam a silenciar. Tenho como certo que entre os silentes, muitos estão preparados para a luta e ouso dizer, até mais que alguns que se manifestam de forma veemente atrás de um teclado, mas refugam no mundo real.

De qualquer modo, penso que teremos dias difíceis pela frente e o que menos precisamos agora é de ataques entre nós, principalmente quando nos deparamos com “colegas” que sentem a atmosfera do nosso Grupo e se encarregam de fazer o “dever de casa”, levando a quem interessar possa, nossos “desabafos” e discordâncias. Engana-se aquele ou aqueles que pensam conseguir nos desmotivar ou cooptar (mas que termo mais nojento esse…).

Claro que já me senti ofendida, já deixei de postar, já me magoei com algumas mensagens mas, decididamente, o Grupo Delpol PC é a melhor ferramenta que temos e vamos precisar dele, e muito… Existem outras formas de termos informações confidenciais e como Delegados de Polícia que somos, saberemos usá-las no momento certo.

Por fim, mais uma vez, peço UNIÃO. Somos poucos? Éramos NADA, NENHUM… Se somamos 100, estamos no lucro porque temos 100 “guerreiros”…

Conforme já postado, a ADPESP estará ao lado dos colegas “intimados” , a fim de apurarmos se tais intimações atenderam os mínimos princípios legais do Direito, ou seja, a legalidade e a legitimidade, pois que iremos até final julgamento para que a Justiça seja feita e os direitos fundamentais de todos nós conhecidos se restabeleçam, responsabilizando-se civil, administrativa e criminalmente quem os desatender.

É hora de demonstrarmos que, apesar de “poucos”, não nos intimidamos, não fugimos à luta e não compactuamos com desmandos, ilegalidades e arbitrariedades.

A escravidão acabou há tempos e somente se submeterá á ela o colega que assim o desejar.

A arbitrariedade não se sustenta num Estado Democrático de Direito e o colega apenas será desrespeitado, se assim o desejar.

A ilegalidade sucumbe aos ditames da lei, aos quais TODOS nós estamos submetidos e o colega somente suportará desmandos, se assim o desejar.

A miopia se dilui na visão ampla, futurista, impregnada de novas cores e o colega somente continuará a enxergar preto e branco se assim o desejar.

COLEGAS, por favor, olhem para o futuro para podermos caminhar. Vamos caminhar JUNTOS porque sozinhos nada somos, nada temos e nada conseguiremos. Essa é a idéia de tantos. Apostam na nossa desunião, na troca de ofensas e nos interesses pessoais se sobrepondo aos da classe, portanto, conhecemos o jogo e podemos jogar diferente porque temos as cartas.

Ninguém, ninguém e ninguém se sustenta no terror, no medo, na ameaça, na política do “quanto pior, melhor”. Nada restará se nada fizermos AGORA.

Então vamos fazer… Nunca (ou quase nunca) tivemos ninguém lutando por nós, defendendo interesses que não fossem os seus. Hoje temos e não podemos perder o que conquistamos, Deus sabe a que custo…

Por favor, colegas, VAMOS LUTAR JUNTOS, DO MESMO LADO para que tenhamos amanhã, para resolvermos nossas discordâncias, nossos mal entendidos, nossas mágoas, nossas ofensas, nossas palavras mal colocadas… Mas vamos garantir um AMANHÃ.

Desculpem-me pela mensagem longa, mas garanto que ainda não conseguiu refletir tudo o que queria dizer a todos.

Um forte abraço…

Marilda