UNIÃO PALAVRA DE ORDEM: Na Polícia Civil, o terrorismo, o “bonde”, as ameaças veladas são os argumentos utilizados por aqueles que não conseguem se fazer respeitar por não se dar ao respeito 21

Enviado em 10/01/2011 às 23:32

De: Marilda Aparecida Pansonato Pinheiro
Assunto: [DELEGADOS] UNIÃO : Palavra de Ordem
Para: delpol—pc@googlegroups.com
Data: Domingo, 9 de Janeiro de 2011, 23:53

Colegas,

Mensagem no anexo… desculpem ter me alongado
Espero que todos leiam e reflitam.
O momento é delicado, mas também importante e talvez único.
UNIÃO é a palavra de ordem.

Um forte abraço a todos,

Marilda

Colegas,

Desde que ingressei na Polícia Civil, ouço as mesmas frases que, de tanto serem repetidas, acabam se tornado verdades absolutas, desanimando os seus integrantes a promoverem alguma mudança, já que “a Polícia é assim mesmo” ou “manda quem pode, obedece quem tem juízo” ou “desde que entrei na Polícia é assim e nunca vai mudar” ou “tenho 987650486756 anos de Polícia e desde que ingressei ouvi que ia melhorar”, enfim, exemplos como esse temos aos montes. Essa repetição das mesmas idéias consolidou-se na nossa cultura de tal forma que, por muitos anos, aceitamos que, de fato, não havia mesmo nenhuma saída para nós, até que – em 2008 – a primeira GREVE na Polícia Civil.

A partir disso, alguma coisa mudou, quando uma nova categoria de DELEGADOS DE POLÍCIA despontou com enorme força, demonstrando que sabíamos fazer e que os NOVOS DELEGADOS (de mãos limpas, lembram-se?). Desde então, estamos travando luta incansável para sermos reconhecidos, resgatarmos nossa dignidade e nos fazermos ouvir e respeitar, sendo inegável a magnífica participação do Dr. Domingos nesse processo.

Alguma coisa mudou… Ainda sinto o gosto e o cheiro da “batalha” do dia 16 de outubro de 2008… TODOS estiveram conosco de uma forma ou de outra. Tivemos CORAGEM de mudar, de lutar, de reivindicar direitos e acima do resultado pífio, restou a certeza de que PODEMOS e FAREMOS a diferença.

Estamos iniciando um novo tempo e escrevendo uma nova história que deve ser escrita com o sangue de cada um de nós, que ama e acredita na mudança, no novo.

O Grupo Delpol PC (pelo qual tenho o maior carinho), surgiu do inconformismo e da resistência à mesmice, aos desmandos, como um grito de liberdade para nós, os dirigentes da Polícia Civil. Tomou forma e força. Serviu como a maior e melhor ferramenta durante a GREVE… SUSTENTOU a greve… Através dele, sabíamos tudo o que ocorria com os demais colegas em cada parte desse estado. Muito do sucesso do movimento deve-se ao Delpol PC, haja vista o arremedo de greve em 2007 que desandou na “contra informação” da administração que lutava contra nós.

Vivemos hoje momentos de luta. Somos hoje muito mais que meia dúzia (Revolução Francesa) e que dois (Ministério Público), fazendo acontecer.

O Grupo Delpol PC e os DELEGADOS DE POLÍCIA idealistas, comprometidos com as necessidades da nossa sofrida classe, leais aos seus objetivos, que dele fazem parte, não podem e não devem aceitar seu enfraquecimento porque esse é o objetivo daqueles que querem nos ENFRAQUECER, DESAGREGAR, DESMOBILIZAR, DESARMONIZAR, DESESTIMULAR, para DOMINAR, DITAR AS REGRAS, COLOCAR DE JOELHOS, HUMILHAR PARA DEMONSTRAR a força que já não se tem.

A FORÇA é NOSSA… Nós somos o DELPOL PC…. Nós somos os DELEGADOS DE POLÍCIA DO ESTADO DE SÃO PAULO inconformados, vilipendiados, humilhados, desacreditados, buscando a luz, o reconhecimento, a VERDADE porque nada temos a temer.

Se fomos traídos por interesses escusos, devemos nos unir ainda mais em torno do nosso objetivo para que “colegas” desse naipe, sejam expurgados do nosso meio, pois graças a eles, estamos onde estamos e não nos deixar levar pelo sentimento de desagregação que se pretende alcançar com atitudes vis como essa.

Manifestações sobre a necessidade de se rever o modelo do nosso Egrégio Conselho que deixa, por exemplo, de atender direitos constitucionais dos Policiais Civis ao inviabilizar a manifestação do interessado em julgamentos de processos de sua competência, por si ou por advogado; sobre a imprescindível implantação das CPJs no DECAP/DEMACRO, como forma de viabilizar a prestação de serviços de qualidade para a sociedade e dar aos colegas as mínimas condições de trabalho, de voltar os olhos para o interior e para os aposentados que parecem inexistir, devem ser, no mínimo, ouvidas e respeitadas porque advindas de Delegados de Polícia.

Sempre disse que na polícia militar, a hierarquia é institucionalizada, regulamentada e se avista de longe no luzir das tampinhas prata/ouro, enquanto na Polícia Civil, o terrorismo, o “bonde”, as ameaças veladas são os argumentos utilizados por aqueles que não conseguem se fazer respeitar por não se dar ao respeito. Lutar contra esse mecanismo abjeto é exercer direito e não pode ser interpretado extensivamente ou sob a análise jurisprudencial de qualquer “colega”, atendendo, exclusivamente, sua tese.

Permito-me não me manifestar acerca da postagem do colega, mas sua indignação deve ser analisada, à vista do tratamento dispensado a todos nós durante todos esses anos e a reprimenda não pode ser maior que a violação do nosso sagrado direito à intimidade, à manifestação de pensamento, ao exercício pleno do direito de “desabafarmos”, especialmente quando julgamos estar em um grupo onde a LEALDADE e os interesses sejam os mesmos.

Reprimenda, indignação de toda classe, expurgo e desprezo, merece aquele ou aqueles que se valeram da covardia e da deslealdade para atingir algum objetivo que ainda não sabemos, mas vamos saber, tão logo os colegas “intimados” tragam as informações à ADPESP que tomará, conforme já dito através do Departamento Jurídico, as providências cabíveis.

Somos legalistas, aplicadores do Direito e este deve ser extensivo a todos. Na ADPESP inexiste hierarquia ou “classes”. Somos associados. Nunca fomos nem seremos, longa manus de ninguém. Respeitamos as instituições e seus componentes. Respeitamos o Conselho, o Delegado Geral de Polícia, os conselheiros, os nossos superiores “hierárquicos”, mas também exigimos ser respeitados por possuirmos a mesma condição que todos, ou seja, somos Delegados de Polícia e para que se instale uma nova forma de hierarquização, mude-se a legislação. Respeito se adquire não se impõe. Respeito se incorpora não se implora ou se explora por práticas terroristas.

Penso que a QUALIDADE se sobreponha à QUANTIDADE, portanto, não vejo com preocupação o silêncio de muitos dos integrantes do nosso Grupo, dada as diversas razões que os levam a silenciar. Tenho como certo que entre os silentes, muitos estão preparados para a luta e ouso dizer, até mais que alguns que se manifestam de forma veemente atrás de um teclado, mas refugam no mundo real.

De qualquer modo, penso que teremos dias difíceis pela frente e o que menos precisamos agora é de ataques entre nós, principalmente quando nos deparamos com “colegas” que sentem a atmosfera do nosso Grupo e se encarregam de fazer o “dever de casa”, levando a quem interessar possa, nossos “desabafos” e discordâncias. Engana-se aquele ou aqueles que pensam conseguir nos desmotivar ou cooptar (mas que termo mais nojento esse…).

Claro que já me senti ofendida, já deixei de postar, já me magoei com algumas mensagens mas, decididamente, o Grupo Delpol PC é a melhor ferramenta que temos e vamos precisar dele, e muito… Existem outras formas de termos informações confidenciais e como Delegados de Polícia que somos, saberemos usá-las no momento certo.

Por fim, mais uma vez, peço UNIÃO. Somos poucos? Éramos NADA, NENHUM… Se somamos 100, estamos no lucro porque temos 100 “guerreiros”…

Conforme já postado, a ADPESP estará ao lado dos colegas “intimados” , a fim de apurarmos se tais intimações atenderam os mínimos princípios legais do Direito, ou seja, a legalidade e a legitimidade, pois que iremos até final julgamento para que a Justiça seja feita e os direitos fundamentais de todos nós conhecidos se restabeleçam, responsabilizando-se civil, administrativa e criminalmente quem os desatender.

É hora de demonstrarmos que, apesar de “poucos”, não nos intimidamos, não fugimos à luta e não compactuamos com desmandos, ilegalidades e arbitrariedades.

A escravidão acabou há tempos e somente se submeterá á ela o colega que assim o desejar.

A arbitrariedade não se sustenta num Estado Democrático de Direito e o colega apenas será desrespeitado, se assim o desejar.

A ilegalidade sucumbe aos ditames da lei, aos quais TODOS nós estamos submetidos e o colega somente suportará desmandos, se assim o desejar.

A miopia se dilui na visão ampla, futurista, impregnada de novas cores e o colega somente continuará a enxergar preto e branco se assim o desejar.

COLEGAS, por favor, olhem para o futuro para podermos caminhar. Vamos caminhar JUNTOS porque sozinhos nada somos, nada temos e nada conseguiremos. Essa é a idéia de tantos. Apostam na nossa desunião, na troca de ofensas e nos interesses pessoais se sobrepondo aos da classe, portanto, conhecemos o jogo e podemos jogar diferente porque temos as cartas.

Ninguém, ninguém e ninguém se sustenta no terror, no medo, na ameaça, na política do “quanto pior, melhor”. Nada restará se nada fizermos AGORA.

Então vamos fazer… Nunca (ou quase nunca) tivemos ninguém lutando por nós, defendendo interesses que não fossem os seus. Hoje temos e não podemos perder o que conquistamos, Deus sabe a que custo…

Por favor, colegas, VAMOS LUTAR JUNTOS, DO MESMO LADO para que tenhamos amanhã, para resolvermos nossas discordâncias, nossos mal entendidos, nossas mágoas, nossas ofensas, nossas palavras mal colocadas… Mas vamos garantir um AMANHÃ.

Desculpem-me pela mensagem longa, mas garanto que ainda não conseguiu refletir tudo o que queria dizer a todos.

Um forte abraço…

Marilda

  1. È Dra. Marilda
    seu dscurso sempre deixa claro: estou pouco me lixando para polícia, para outras carreiras, para a instituição; seno bom para os majuras, o resto, bem que se dane o resto

  2. Quanta baboseira. É desanimador. Alguém já pensou em conversar menos e agir mais ? Falar até meu papagaio fala, agora fazer demonstra a real intenção da pessoa. Infelizmente a polícia depende dos delegados, afinal o restopol não passa de meros auxiliares. Por isso os delegados são escolhidos a dedo. Só fico imaginando onde enfiam esse dedo antes de escolherem os delegados.

  3. DElegados, servem pra musurfruir o dinheiro das corrupções e depois não sabem de nada, dos nomes que estão no poder apenas 2%, devem serem honestos, o resto é tudo corrupto, dependem do valor oferecido , ficam atras da mesa pressionando escrivão e tiras pra trazerem dinheiro e prenderem pobres, depois não sabem de nada, a maioria é safados….chega de oba oba, vamos falar a verdade, olha o patrimonio que a maioria dos delegados tem , fala sério…

  4. Alguem falou em salario para todoas as carreira?

    Nós queremos salarios dignios!!!!!!

    interior PRAPAREM-SE

    greve já!!!!!

  5. o titular daqui vai assinando, assinando e no final, “embaça” em alguma coisinha, pedindo para refazer,
    para mostrar que “entende mesmo” de i.p.
    ficaria mal ele assinar tudo, pois precisa colocar
    defeito no meu trabalho.
    plagiando alguém: “faz me rir”.

  6. a Sra. Marilda pede união blá blá bla, mas somente dos majuras, não achei uma citação do restopol.

    Faz o seguinte, vão novamente na porta do bandejão, com nariz vermelho e batendo panelas pra ver se o xuxu vai lembrar de vcs. Cambada de hipócritas individualistas.

    A POLÍCIA CIVIL É UNA! CHEGA DE ELITES! NÃO EXISTE HIERARQUIA PARA CUMPRIMENTO DA LEI / NEM PARA EXERCER A CORRUPÇÃO / MUITO MENOS NA GREVE

  7. Alguns momentos de amnésia da Dona Marilda:

    “Ainda sinto o gosto e o cheiro da “batalha” do dia 16 de outubro de 2008… TODOS estiveram conosco de uma forma ou de outra.(?? TODOS QUEM??) Tivemos CORAGEM de mudar, de lutar, de reivindicar direitos e acima do resultado pífio, restou a certeza de que PODEMOS e FAREMOS a diferença.” (??QUEM FAZEMOS A DIFERENÇA??)

    “A FORÇA é NOSSA… Nós somos o DELPOL PC…. Nós somos os DELEGADOS DE POLÍCIA DO ESTADO DE SÃO PAULO inconformados, vilipendiados, humilhados, desacreditados,”

    AH TÁ… SE OS DELPOL TÃO HUMILHADOS E VILIPENDIADOS IMAGINA O RESTOPOL …

    FALA SÉRIO HEM DRA. MARILDA

    E A VERDADE DOLORIDA, É QUE GREVE SÓ SAI COM INICIATIVA DOS DELEGADOS. EXPERIMENTA OS OPERACIONAIS FAZEREM GREVE. ISSO AQUI NÃO É PF NÃO.

  8. muitos agora falam de greve,esquecendo-se do passado, pois quando investigadores e esccrivães foram agraciados com o nivel superior, chegaram ao cumulo de menospresarem as outras carreiras e agora querem o apoio destas para uma outra greve? para beneficio de quêm, ops de qual carreira?

  9. juro nao consigo realmente entender uma coisa como os conselheiros chefes da policia civil com os vencimentos que recebem conseguem explicar para suas esposas ,filhos que seus salarios sao o pior salario do brasil e que tudo continua na mesma anos e anos e sem qualquer expectativa ,e pior de tudo ,quando da aposentadoria o salario diminui 30% falar das outras carreiras entao sem comentarios … triste fim da policia civil

  10. Agora que não tem mais Detran e o carro de cadáveres não para mesmo, ninguém vai notar falta de delegado.

  11. blá , blá , blá , blá , blá , blá …

  12. Assistam o vídeo postado na matéria que inicia “GARUPOL”.
    E assim teremos o problema do restopol resolvido rapidinho.O inspetor(investigador)diz em entrevista como
    os policiais conseguiram seu aumento, facilmente.
    Sem greve.Sem brigas.Sem nada.Só inteligência, mas isso é para quem tem,vamos nos unir e fazer o mesmo.

  13. XENTE,

    UMA COISA, TEMOS QUE RECONHECER, ESSA MARILDA É, DE LONGE, A RAINHA DA FALTA DE VERGONHA NA CARA DESTA PC…

    O GRUPO DELPOL PC FOI IMPORTANTE FERRAMENTA DA GREVE???

    TOMA TENTO, PALHAÇA!!! O QUE SEGUROU E MANTEVE A GREVE, PELO TEMPO QUE ELA DUROU, FORAM O FLIT E OS ROÇAPOL!

    VOCE SENTE O GOSTO DE 16 DE OUTUBRO???

    GOSTO DO QUE??? EU ESTAVA LÁ NA FRENTE E NÃO VÍ SUA CARA FEIA EM MOMENTO ALGUM…

    VOCE E O ESTRELINHA ANDREZINHO – O RIDÍCULO – ME TRAZEM A BOCA, O GOSTO DO FIM DA GREVE – GOSTO DE MERDA…

    É ISSO O QUE VC E GENTE DA SUA LAIA, DEIXAM PRÁ NÓS PCS, QUE TEM VERGONHA NA CARA, GOSTO DE MERDA NA BOCA!

    E MUUUUUITA AZIA!

    O QUE MAIS ME DOI, É QUE VC – EU TENHO CERTEZA DISSO – FOI ELEITA PELO FLIT! PELO VOTO DE CONFIANÇA QUE O DR GUERRA LHE DEU!

    FAZER O QUE NÉ?

    FAZ PARTE DO CHARME DO DR GUERRA…

    SER UM SONHADOR…

    VC FALA EM UNIÃO… QUE FOI? O PINTO MANDOU VC IR CAÇAR EM OUTRA FREGUESIA??? O GERALDO OLHOU PRA SUA CARA FEIA E RECONHECEU O LIXO “DOS QUE SÓ QUEREM SE DAR BEM???” ACABOU O PACTO???

    SUA IDIOTA… OPERACIONAL, AINDA FAZ ALGUMA COISA SEM DELEGADO, MAS DELEGADO NÃO FAZ NADA, SEM OPERACIONAL!

    GREVE DE DELEGADO??? QUE DIFERENÇA FARÁ???

    QUANTOS, DOS 3 MIL E TANTOS DELEGADOS FAZEM ALGUMA COISA ALÉM DE ASSINAR EM CRUZ, OS PAPEIS QUE LHES SÃO POSTOS A FRENTE???

    O QUE ME CONFORTA, É SABER QUE VC TÁ ACABADA… NÃO VAI CONSEGUIR SE ELEGER NEM PRÁ CHEFE DE BANHEIRO, QUANDO TERMINAR SUA INÓSPITA GESTÃO FRENTE A ADPESP!

    NOSSA! DELCULPEM O DESABAFO!

    MAS ESSA PALHAÇA ME IRRITA…….

  14. daqui a pouco estarão dando ordens para gansos e funcionários de prefeituras, falei.fui…

  15. daqui a pouco estarão dando ordens para gansos e funcionários de prefeituras, falei.fui……….

  16. Essa senhora não vale um comentário de policial operacional. O desprezo é o melhor remédio.

  17. Quando essa sujeita foi eleita, eu bem que avisei, mas…….. quase fui apedrejada

Os comentários estão desativados.