A VISÃO EQUIVOCADA DO SECRETÁRIO DE SEGURANÇA PÚBLICA SOBRE A POLÍCIA CIVIL 19

Para: A GUERRA

Guerra: por favor publicar em sua página inicial.

  

A VISÃO EQUIVOCADA DO SECRETÁRIO DE SEGURANÇA PÚBLICA  SOBRE A POLÍCIA CIVIL

A partir de 19 de março de 2.009, data em que o atual Secretário de Segurança Pública do Estado de São Paulo tomou posse, instalou-se um processo de depreciação da Polícia Civil de São Paulo, fato facilmente comprovado pelas declarações do titular da pasta a determinados segmentos jornalísticos e em certos meios de comunicação, que, sem nenhuma responsabilidade, divulgaram dados inverídicos, ou, no mínimo, distorcidos da realidade, senão vejamos:

26/08/2009 – 14h29

Secretário diz que Polícia Civil de SP está em “letargia” e precisa resgatar investigação

GABRIEL MESTIERI – colaboração para a Folha Online

O secretário da Segurança Pública de São Paulo, Antônio Ferreira Pinto, afirmou nesta quarta-feira que a Polícia Civil está em estado de “letargia e inépcia” e anunciou mudanças para resgatar seu “caráter investigativo”. 

Dentre tantas outras falas e reportagens publicadas em diversos meios de comunicações, e que tiveram como finalidade, única e exclusivamente, desqualificar e menosprezar a Polícia Civil paulista, não se levando em consideração o reconhecimento em todo o Brasil, como uma das policias mais eficientes, que esclareceu crimes complexos e de difíceis elucidações e prendeu toda a cúpula de determinada organização criminosa que tem aterrorizado o Estado de São Paulo. Não cabe aqui elencar todos os casos emblemáticos solucionados pela Polícia Civil paulista, entretanto, ninguém esquece o seqüestro e morte do menino Yves Ota, homicídio da menina Isabella Nardoni, o furto dos valiosíssimos quadros do Masp etc, o que demonstra que a Polícia Civil de São Paulo não é inepta e nem letárgica;

 

A Polícia Civil de São Paulo está fervendo, isso porque, Antônio Ferreira Pinto foi mantido no cargo de Secretário de Segurança Pública. Antônio não simpatiza muito com a Polícia Civil do Estado, mas a Polícia Militar está em absoluta tranquilidade. O secretário deve manter o comandante geral da PM, e provavelmente as mudanças serão mesmo na Polícia Civil. Confira os detalhes com Thiago Samora.

Joven Pan online – 21/12/2010

 

A Polícia Civil não está fervendo porque o Secretário de Segurança Pública foi mantido no cargo, está fervendo porque não está sendo respeitada. A Polícia Civil deve ser tratada como um órgão do Governo e que faz parte da estrutura do Estado, o que não vem ocorrendo nos últimos tempos. A Constituição Federal, a Constituição Estadual e a legislação vigente devem ser aplicadas e observadas por todos, mas principalmente pelo poder público, em especial no trato com os seus órgãos estruturais e seus respectivos servidores, seres humanos que merecem um bom tratamento.

 

“Por conta das investigações em torno de policiais suspeitos de corrupção, Ferreira Pinto é tido como um inimigo da Polícia Civil.”

FOLHA DE S. PAULO – 08/01/11

Esta frase é fruto da imaginação de quem a pronunciou, pois, nunca foi dito por quem representa a Polícia Civil no âmbito administrativo (Delegado Geral de Polícia e Conselho da Polícia Civil), nem por entidades representantes das classes dos policiais civis (Associações e Sindicatos) e pelo que sabemos, também não foi dito pelo Secretário de que a Polícia Civil o tem como inimigo.  Mas o pior desta desinformação jornalística é a razão pela qual se atribui que as partes citadas sejam inimigas;  “por conta das investigações em torno de policiais suspeitos de corrupção.”

A corrupção é um mal que, infelizmente, assola o mundo, e o Brasil está entre os 70 países mais corruptos do mundo (fonte Transparência Brasil, e segundo pesquisas já esteve entre os cinco primeiros), e neste ponto, estamos plenamente de acordo com o Secretário. Precisamos combater este mal, entretanto, o que não concordamos é com a adoção de dois pesos e de duas medidas.  Não se pode julgar uma classe toda, aproximadamente 36.000 policiais civis, por causa de uma parcela. Atitudes como estas que vem sendo praticadas há mais de um ano, prejudicam a democracia, o espírito de civismo e as negociações, além de serem injustas, e, jamais devem ser praticadas por pessoas de bem.

O governo precisa, urgentemente, reavaliar a sua postura, um povo civilizado deve conversar e resolver os problemas da melhor maneira possível, porém, não podemos nos calar diante de tantas injustiças que estão sendo praticadas contra o funcionalismo público em geral, em especial contra a Polícia Civil paulista. Em nenhum lugar do mundo lutar para ter seus direitos reconhecidos é tão difícil quanto no Estado de São Paulo, principalmente quando se refere a servidores públicos, onde a imprensa, salvo raras exceções, não abre qualquer espaço para que a classe trabalhadora demonstre sua situação fática, os motivos deste boicote, todos sabem, são os anúncios publicitários que o estado possui nestes importantes canais de comunicação.

Mas nem tudo está perdido, ainda existem pessoas que são escolhidas para cargos políticos pelo seu conhecimento técnico na área, pelo seu caráter, pela sua capacidade intelectual, pelo respeito que nutre pelo próximo e desapego ao cargo que, atualmente, está ocupando.

Vejamos um pequeno trecho do pronunciamento de um verdadeiro Secretário de Estado interessado e comprometido em resolver os problemas de sua pasta, o da educação, Sr. HERMAN VOORWALD, conforme entrevista concedida ao jornal Folha de São Paulo em 10/01/11.

“NOVO SECRETÁRIO DA EDUCAÇÃO DE SÃO PAULO AFIRMA QUE PROFESSORES ESTÃO SEM MOTIVAÇÃO DEVIDO A BAIXOS SALÁRIOS, CARREIRA PROFISSIONAL RUIM E FALTA DE DIÁLOGO”

“Estado não se preocupou em ter docente motivado”

“Pretendo resgatar a dignidade dos professores, o que passa por salário e carreiras dignos. Se conseguir dar um passo nesse sentido, acho que trarei algo novo.”

Não precisamos falar mais nada, os fatos estão aí para que a sociedade e o Governador os analisem.

GEORGE MELÃO
Presidente do Sindicato dos Delegados de Polícia do Estado de São Paulo – SINDPESP 
 

  1. Novo delegado-geral de São Paulo troca policiais em cargos de chefia

    AFONSO BENITES
    ANDRÉ CARAMANTE
    DE SÃO PAULO

    O novo delegado-geral da Polícia Civil de São Paulo, Marco Carneiro Lima, decidiu trocar parte dos policiais que estão há mais de dez anos em cargos de chefia.
    O objetivo é trazer novas ideias para a instituição e incentivar que os profissionais mais jovens ocupem postos de comando.

    “Não significa que eles desenvolveram um trabalho ruim, mas temos que dar oportunidade para novos quadros”, disse Carneiro.

    Um dos delegados que será substituído até a próxima semana é Osvaldo Nico Gonçalves, que há 14 anos dirige o Garra (Grupo de Repressão a Roubos). No lugar de Gonçalves entrará Roberto Krasovic, que era o responsável pela Divisão Policial de Portos, Aeroportos, Proteção ao Turista e Dignitários, órgão que cuida da Deatur.

    Krasovic será substituído pelo delegado Mauro Marcelo Lima e Silva, que já foi diretor da Abin (Agência Brasileira de Inteligência), que é um órgão federal.

    O delegado Gonçalves foi responsável por várias operações midiáticas, como a que usou policiais disfarçados de cabos eleitorais para prender suspeitos de tráfico de drogas em Heliópolis (zona sul de SP) na campanha eleitoral do ano passado.

    Outros dois que têm seus dias contados nos cargos são Carlos Antônio Guimarães de Sequeira, diretor do IIRGD (Instituto de Identificação Ricardo Gumbleton Daunt), e Edison Geraldo Schiavinato, da Divisão de Transportes da Delegacia Geral de Polícia.

    Os dois estão há 12 anos em suas funções. Para a presidente da Associação dos Delegados de São Paulo, Marilda Pansonato Pinheiro, as mudanças são “um alento” para a polícia. “Hoje, os delegados não têm perspectivas de futuro, estão desmotivados. Essa oxigenação é bem vinda”, afirmou a policial.

    PROCESSO

    Apesar de ter dito que faria poucas trocas no comando da polícia paulista, desde que assumiu o cargo, no início da semana, o delegado-geral já promoveu a substituição de sete diretores. Outros nove foram mantidos em seus cargos.

    Alguns órgãos especializados também passaram a ter novos diretores.

    No Deic (crime organizado) chegou o veterano Nelson Guimarães; no Denarc (narcóticos) entrou Wagner Giudice, que era da DAS (divisão antissequestro).

    Já no Decap (93 DPs da capital) entrou Carlos José Paschoal de Toledo, ex-chefe do Detran, órgão que irá para a Secretaria de Gestão Pública e deixará a polícia.

  2. Então, tá…mas de efetivo para nos tirar dessa lama psdbista vai ser feito o que mesmo?!? :(

  3. E TEM GENTE QUE VEM AQUI RECLAMAR DE ALGUNS COMENTARIOS FEITO POR NÓS FLITADORES, DIZENDO QUE NÓS É QUE DESMORALIZAMOS A POLICIA COM NOSSOS COMENTÁRIOS.

  4. NÃO SOMOS NÓS NÃO QUE ACABAMOS COM A POLICIA , É A CUPULA TANTO A MAIORAL, QUANTO AS IMEDIATAMENTE SUBORDINADAS, SÓ UM EXEMPLO, APRENDI A TRBALHAR COM ESCUTAS TELEFONICAS, INFORMATICAS ETC, HOJE NÃO NEM SENHAS DO JUDICIARO NEM PARA PESQUISAS, JUIZ NEGA E DA RISADA NA CARA DE DELEGADO, NINGUEM FALA NADA.

  5. Bom, isso não é novidade pois é exatamente essa postura que os aprovados no concurso FTP-1/2008 estão denunciando desde o começo, quando a Folha de SP mentiu sobre a fraude do concurso.

    A realidade é que não temos um secretário na SSP, mas um POLÍTICO. E como a maioria dos políticos, só sabe falar, prometer, etc, mas com pouquíssimas ações reais e palpáveis.

  6. OU PEDEM AO GOVERNO FEDERAL PARA INDICAREM UM SECRETÁRIO DE SEGURANÇA PARA SÃO PAULO,(ESTILO JOSE MARIANO BELTRAME) OU VAI HAVER UM CATASTROFE NA SEGURANÇA PUBLICA ESTADUAL.
    PODEM AGUARDAR NOVIDADES E ESCANDALOS, JÁ ESTÁ APARECENDO OS PODRES.
    QUEM VIGIA QUEM?

  7. QUERO VER SE O NOVO DIRETOR DA ACADEPOL E O DGP, CONTINUARÃO COM A IDÉIA DE COBRAR INGLÊS NOS CONCURSOS, NÃO PREENCHERÁ METADE DAS VAGAS.

  8. TENHO QUE CONCORDAR QUE NOSSA INSTITUÍÇÃO NÃO É UM MOSTEIRO, NEM UM CONVENTO, POREM SE ASSIM ESTÁ É PORQUE SERVE PRA ALGUEM E ACHO QUE A MAIORIA CONCORDA, POIS TODO MUNDO SABE QUEM É QUEM NA NOSSA CASA. SE ELES LÁ ESTÃO E PELO JEITO FICARÃO, NÃO É CULPA MINHA, NEM DA MAIORIA, QUE SE VÊ HUMILHADA POR CAUSA DA NEFASTA PRESENÇA DELES. JÁ DISSE QUE POR TODODS NO MESMO SACO SÓ PIORA AS COISAS. QUE SE DÊ NOMES AOS “BOIS” (OU LEÕES) E COBREM POSTURA ÉTICA DESTES. MAS É MAIS FÁCIL CHAMAR TODOS DE “LETARGICOS”, “BOÇAIS”, “CORRUPTOS” E IR EMPURRANDO COM A BARRIGA OS PROBLEMAS MAIS URGENTES. BALA NELES!!!!!!!!!!!

  9. A VERDADE É O SEGUINTE O PINTO É O AGENTE 86 DO SERRA, A MISSAO DELE É PREJUDICAR A IMAGEM DO ALCKIM, PARA EVITAR QUE SE CANDIDATE A PRESIDENTE EM 2014!
    ELE VAI FAZER DE TUDO PARA INFLAR OS POLICIAIS E CRIAR UMA CRISE NO GOVERNO ALCKIM…AGUARDEM….!!

  10. Respeito as lamentações lançadas neste espaço, pois revelam em parte a situação de desespero de muitos colegas da Polícia Civil. Se reclamam de salários estão corretíssimos, pois o regime vigente é capitalista e aqueles que não podem usufruir do capital, necessariamente vendem sua força de trabalho. E os que reclamam por melhores salários, o fazem por honestidade e merecem respeito. Logo, qualquer crítica contra essas exigências de melhoria salarial é absurda ou orquestrada por interessados em defender o Governo do momento. Ninguém tem vocação para ver a família passando por necessidades, pois é com salário que se consegue alimentação, moradia, transporte, educação, lazer, serviços de saúde etc ! Apesar de óbvio, isto deve ser repetido e reforçado sempre.

    Então, algumas perguntas se impõem: a quem interessa desmoralizar a Polícia Civil ?

    Outra pergunta: por qual motivo há interesse em desmoralizar a Polícia Civil ?

    Posso estar enganado, mas uma possibilidade é a seguinte: como os policiais civis promoveram uma inusitada manifestação grevista, amparada pelos tribunais, há a preocupação de desmoralizar previamente a instituição e seus integrantes, a fim de que nossas manifestações não sejam levadas a sério pela população. Logo, atribuir adjetivos pejorativos aos policiais civis virou palavra de ordem.

    Mas, vamos considerar os seguintes fatos.

    Há crise ? Sim há, mas não apenas na Polícia Civil. Há crise no sistema criminal de controle social como um todo, que é formado pelo conjunto de todas as polícias, Ministérios Públicos, judiciários e sistemas penitenciários do país. Há crise na efetividade do processo, há crise na aplicação da pena privativa de liberdade e das demais penas, há crise na segurança pública, há crise nas gestões de governos !

    E qual é a política de segurança pública neste país ? Qual é a política de segurança pública do Estado de São Paulo ? Qual é a posição da SSP, do Governo do Estado quanto ao atual projeto de Código de Processo Penal ?

    Se todo um sistema está em crise, a responsabilidade não é dos simples policiais. A responsabilidade é dos governos Não apenas de um governo, deste ou daquele estado. É dos governos da União e dos Estados.

    Nós não votamos o atual Código de Processo Penal, nós não escolhemos as penas, não temos o dever de aplicar as penas, não criamos jurisprudência, não estabelecemos recursos nos orçamentos para a segurança pública, não aprovamos leis nem decretos que estabelecem contingentes de policiais, não destruímos as escolas públicas nas últimas décadas, não sucatemos os serviços públicos de saúde, não desprestigiamos os professores deste país.

    Não podemos tolerar o tratamento de idiotas, nem podemos deixar as pessoas aceitarem essas informações tendenciosas e simplistas. Quando aparecem índices de diminuição de homicídios, isto é resultado das ações de governo e quando aparecem notícias de violência descontrolada ou de problemas de segurança, então a responsabilidade é apenas dos policiais.

    Se não nos pagam melhor por opção política, assumam essa opção e suas conseqüências. De nosso lado, temos o dever de exigir um mínimo de respeito para com a nossa condição de assalariados.

  11. O SECRETÁRIO DE SEGURANÇA PÚBLICA ESTÁ VENDIDO PARA O PCC

    FATO!

  12. Este Secretário com este pensamento de Dinossauro, só se mostra que é um péssimo administrador, em qualquer empresa privada ja teria sido demitido.

  13. o Secretário não pouco se lichando para a PC e para sociedade de SP .

    Greve nele unico jeito dele se lichar sim de vez o resto esquece e demagogia .

    gerra ou derrota assim sempre foi assim sempre será

  14. LULA GOVERNADOR 2014, TIRIRICA SSP
    LULA GOVERNADOR 2014, TIRIRICA SSP
    LULA GOVERNADOR 2014, TIRIRICA SSP
    LULA GOVERNADOR 2014, TIRIRICA SSP
    LULA GOVERNADOR 2014, TIRIRICA SSP
    LULA GOVERNADOR 2014, TIRIRICA SSP

    PIOR QUE TÁ NÃO FICA

  15. SEGUNDO A RÁDIO PEÃO O GOVERNADOR NÃO GOSTA DELE E ESSE SECRETÁRIO NÃO PASSA DE MAIO. É VER PRA CRER.

  16. Parabéns Dr.MELÃO,ótimas palavras.
    Caros amigos policiais civis, um patrão que da ao seu funcionário o tratamento que estamos infelizmente nos acostumando a receber,não merece o nosso respeito, nem de nossos familiares e amigos.Não sei oque podemos fazer para melhorar a nossa situação, mas sem dúvida não haverá melhorias partindo do lado do dito patrão,o Secretário deveria ser imparcial quanto as “suas” polícias, deveria ser um elo de ligação de todos nós com o chefe de estado, não é oque faz, pelo contrário, nos ofende com comentários depreciativos, e parece ignorar os absurdos cometidos pela PM, sabemos o motivo. Na verdade o cargo de Secretário de Segurança Pública não deveria ser ocupado por ex-policiais de qualquer esfera, o mais sensato seria um desembargador de justiça, e, para evitar a politicagem deveria adotar-se o critério de antiguidade.Não sei se esta medida adiantaria alguma coisa, mas seria melhor do que ver ex-PM e promotor assumindo um cargo tão complexo.

Os comentários estão desativados.