POSSO JURAR QUE NÃO HOUVE FALHA DA DELEGADA…A PUNIÇÃO É SÓ PARA “DAR UMA RESPOSTA” ÀS VÍTIMAS E AO SENADOR “INTERLACE” 45

 

Delegada que investigou pedofilia em Catanduva, SP, é punida por falha na investigação

TV TEM

SÃO PAULO – A corregedoria da Polícia Civil decidiu punir uma das delegadas que investigaram casos de pedofilia em Catanduva, a 379 quilômetros de São Paulo. A sindicância realizada concluiu que Rosana da Silva Vanni não agiu de má fé, mas cometeu falha durante a apuração.

O caso está sob sigilo e não foi divulgado que tipo de punição ela pode sofrer. A delegada continua trabalhando normalmente. Já a delegada titular da delegacia da mulher, Maria Cecilia foi absolvida das acusações.

Os erros teriam ocorrido durante a apuração das denúncias envolvendo o borracheiro José Barra Nova de Mello, acusado pela polícia de aliciar menores, e o sobrinho dele William Melo de Souza.

Nesta semana, o Tribunal de Justiça absolveu William em um dos processos. Mas ele vai continuar preso porque responde a outras acusações de pedofilia. Os dois estão no Centro de Detenção Provisória de Rio Preto

INACREDITÁVEL: COM TAL HISTÓRICO FOI PREMIADO COM 30 DIAS DE DESCANSO REMUNERADO…ORA, DIANTE DE TAL CONDUTA ESCANDALOSA O CORRETO SERIA O CONSELHO FAZER O MESMO QUE FEZ COM AQUELE FAMIGERADO CAGUETA DE SANTOS, REMOVÊ-LO NO INTERESSE DO SERVIÇO PARA PLAGAS MENOS INÓSPITAS. 37

Enviado em 22/01/2011 às 10:53

Delegado é investigado por bater na ex-mulher

Agência Folha

SÃO JOSÉ DOS CAMPOS – O delegado Damasio Marino, que bateu em um cadeirante em São José dos Campos (91 km de SP) numa briga por vaga de estacionamento, é investigado desde 2009 pela Corregedoria da Polícia Civil por agredir a ex-mulher.

Ele também é investigado pelo órgão sob suspeita de enriquecimento ilícito. Anteontem, Marino foi afastado de suas funções pela Secretaria de Estado da Segurança Pública. De acordo com a delegada assistente da Corregedoria da cidade, Telma de Souza Barbosa, há relatos de “muitos casos de agressão” de Marino contra a ex.

Em um deles, disse a delegada, Marino chegou a atirar contra Olga de Fátima Priante Marino, 46 anos. O exame de corpo de delito comprovou que uma das balas ricocheteou e feriu o braço dela. “Pelo que a gente está apurando, ele tem sim um histórico violento”, disse.

Quanto à suspeita de enriquecimento ilícito, a delegada apontou que existem provas de que a evolução patrimonial de Marino não condiz com o salário que ele recebe.

Marino agrediu na segunda-feira o cadeirante Anatole Morandini. A confusão começou porque o cadeirante repreendeu o delegado por estacionar seu carro em uma vaga pública destinada a deficientes físicos. O policial não é deficiente. Morandini afirma que o delegado deu coronhadas em sua cabeça.

Resposta

O delegado, por meio de seu advogado, afirma que deu “dois tapas” em Morandini depois de ser xingado e de receber uma cusparada do cadeirante. O advogado dele, Luiz Antonio Lourenço da Silva, não quis comentar ontem as investigações da Corregedoria.

____________________________

Na  Polícia Civil  a interpretação da legislação é muito elástica, né? 

PORTARIA DO DELEGADO GERAL DETERMINA O AFASTAMENTO PREVENTIVO DO DELEGADO ACUSADO DE SUPOSTA AGRESSÃO CONTRA PORTADOR DE NECESSIDADES ESPECIAIS 38

Enviado em 22/01/2011 às 8:40- SYDNEY

Portarias do Delegado Geral
De 20-1-2011
Afastando Preventivamente, com fundamento no art. 86,
inciso I, da Lei Complementar 207, de 05 de janeiro de 1979,
com nova redação dada pela Lei Complementar 922, de 02 de
julho de 2002, à vista dos elementos de instrução constantes do
Protocolado Corregedoria nº 1431/2011, destacando-se a representação
da Delegada de Polícia Diretora da Corregedoria Geral
da Polícia Civil, afasta preventivamente do exercício do cargo,
sem prejuízo dos vencimentos ou vantagens, pelo prazo de 30
dias, a partir de 20 de janeiro de 2011, o Dr. DAMÁSIO MARINO,
RG 20.373.970/SSP/SP, Delegado de Polícia, 3ª Classe, Padrão
II, efetivo, do SQC-III, do Quadro da Secretaria da Segurança
Pública, lotado na Delegacia Geral de Polícia, classificado no
Departamento de Polícia Judiciária de São Paulo Interior – DEINTER
1 SÃO JOSÉ DOS CAMPOS – e com sede de exercício na
Delegacia Seccional de Polícia de São José dos Campos (Portaria
DGP 1307/2011