SP fecha 2010 com menor taxa de homicídios da história 44

———- Mensagem encaminhada ———-
De: Portal do Governo do Estado de São Paulo <saopaulosite@comunicacao.sp.gov.br>
Data: 29 de janeiro de 2011 18:31
Assunto: SP fecha 2010 com menor taxa de homicídios da história
Para: dipol@flitparalisante.com

Caso não consiga visualizar, clique aqui
Sábado, 29 de Janeiro de 2011

SP fecha 2010 com menor taxa de homicídios da história

Indicador caiu mais de 70% entre 1999 e 2009

O governador Geraldo Alckmin apresentou neste sábado, 29, um balanço com os números da taxa de homicídios no Estado. “São Paulo atingiu o menor índice de homicídios da história, com 10,47 mortes intencionais por 100 mil habitantes. O resultado é menos do que a metade da média nacional, que é de 24,5 para cada 100 mil habitantes”, disse o governador.

Para o governador, “os números comprovam que a política adotada pelo Estado de São Paulo de investir constantemente em Segurança Pública é o caminho para reduzir a violência”. Alckmin comentou os resultados logo após a homenagem aos policiais militares do Grupamento Aéreo que participaram do socorro às vítimas das chuvas na região Serrana do Rio de Janeiro, na Operação Redentor. Os demais indicadores criminais serão apresentados pela Secretaria de Segurança Pública na próxima semana.

Desde 1999, São Paulo vem reduzindo o número de homicídios dolosos. No acumulado do período, a redução já é superior a 70%. No intervalo, a taxa de homicídios dolosos caiu de 35,27 por grupo de 100 mil habitantes/ano, em 1999, para 10,47/100 mil, em 2010. Veja o gráfico comparativo em http://saopaulo.sp.gov.br/usr/share/documents/224.pdf.

PROCURADO: bêbado dono do Jetta placas DSW 7992…Será que é delegado mesmo? 82

Enviado em 30/01/2011 às 0:42Carlos Dias

Sera que é delegado mesmo?

E se for quem é?

http://www.blogcidadania.com.br/2011/01/%E2%80%9Cdelegado%E2%80%9D-bebado-atropela-insulta-e-foge/

“Delegado” bêbado atropela, insulta e foge
Posted by eduguim on 28/01/11 • Categorized as denúncia

Escrevo poucos minutos após assistir a uma das cenas mais revoltantes de que me lembro. E não assisti sozinho.

O que denuncio a seguir aconteceu na rua em que resido. Aliás, estava com a minha esposa e no local havia transeuntes, funcionários do meu prédio, dos prédios vizinhos e do comércio adjacente. Havia até uma viatura da Companhia de Engenharia de Tráfego de São Paulo, no local.

Por volta das 17 horas de 28 de janeiro de 2011, no bairro do Paraíso, em São Paulo, um automóvel Jetta de cor prata, placas DSW 7992 abalroou uma moto de entregas, derrubando o motorista. Estávamos em uma ladeira e o Jetta, depois de abalroar, continuou empurrando moto e motoqueiro por mais alguns metros, ainda.

Como o trânsito estava quase parado, foi surpreendente a violência do acidente, ainda que o motoqueiro não tenha tido maiores ferimentos além de uma aparente torção no pé direito e danos consideráveis à sua moto.

Voltava do supermercado com a minha esposa e já nos preparávamos para entrar no prédio quando aconteceu o acidente. Assistimos de uma distância de uns 20 metros, mas o carro da CET estava em frente ao que abalroou o motoqueiro.

Fiquei ainda um tempo parado com as compras no colo enquanto a minha Cristina saiu correndo, com a mania que tem de super mulher. E se meteu no caso, amparando o jovem, que tremia como uma vara-verde.

Enquanto isso, os funcionários da CET Carlos Alberto Siqueira e Sergio Luis Carlos interpelaram o motorista do Jetta porque ele já manobrava para fugir do local. Sob a interpelação dos funcionários, de transeuntes e de motoristas, o sujeito finalmente se dignou a descer do carro.

Um homem corpulento, grisalho, aparentando uns cinqüenta e tantos anos, de mais ou menos 1, 90 metro de altura, pesando uns 100 quilos, saiu cambaleando do carro. Segundo relatos das testemunhas presentes, estava completamente alcoolizado.

Esse indivíduo criminoso disse alguns impropérios às pessoas, inclusive aos funcionários administrativos da CET, entrou no carro e fugiu, deixando a vítima se contorcendo de dor e lamentando o prejuízo.

Antes de entrar no carro, disse que estava “bêbado”, que era “delegado” e que iria fugir, e mandou que toda aquela gente indignada fosse se f…

O nome da vítima é Ednilson Tadeu da Silva, um jovem de cerca de 25 anos, de mais ou menos 1,70 de altura, pesando em torno de uns 65 quilos, moreno. Sentia dor, revolta e tanta impotência quanto qualquer um de nós que assistimos àquela indignidade.

Peço a alguma autoridade que ler isto que, por favor, tome uma providência. A vítima prometeu registrar queixa na delegacia da rua Tutóia, no bairro de Ibirapuera. Minha esposa ordenou que eu não saísse deste quarto até publicar esta denúncia no blog.

PS: tenho o telefone dos funcionários administrativos da CET, que não tinham treinamento para tal situação, bem como da própria vítima.

PROCURADO: dono do Jetta placas DSW 7992

CRITICAMOS A POLÍCIA MILITAR POR BUSCAR APRIMORAR SEUS MEMBROS, MAS SABEM QUAL CURSO A NOSSA POLÍCIA NOS CONCEDEU: “CURSO DE RECICLAGEM”! 106

Sim, RECICLAGEM COMPULSÓRIA; nos termos da Portaria DGP 24/2010.

Conforme despacho de nº 680/2010, de 10 de dezembro de 2010; subscrito pelo ex-DGP adjunto:

Doutor LUIZ EDUARDO PASCUIM.

Motivo: lavratura de RDO, dando conta de eventuais irregularidades; com representação para instauração de inquérito policial acerca das circunstâncias pertinentes ao caso TERNOS VIRAM CASO DE POLÍCIA.

Argumento da autoridade acima referida: encaminhar cópia do RDO, por meio de ofício ao Delegado Geral de Polícia, consignando: “visto que o fato ocorreu na área de Vossa distrital” (exatamente como está formatado no sistema).

De fato, o DGP não possui distrital; se tivesse, ainda sim, melhor seria: na área de sua distrital.

Consignando-se que o reciclando, também, por meio de ofícios determinou remessa de cópias ao Exmº Secretário de Segurança e Ilustríssima Srª Corregedora Geral.

Além da necessidade de o subscritor ser submetido a reciclagem compulsória, em face de “inadequações técnicas”, vislumbrou faltas disciplinares  e ação criminosa, por manifesto sentimento de vingança: “inimicícia” e interesse pessoal.

A única verdade: o signatário necessita reciclar e adquirir novos conhecimentos. Contudo, pressupondo que o doutor Pasquim foi o autor do despacho – não mero subscritor de papel elaborado por assistente – a digna autoridade também deveria ser submetida a curso de reciclagem. Além de reciclar conhecimentos, urge  reciclar seus conceitos.   

Enfim, preocupa-se com a aparência do papel; não com a essência do escrito.

Quanto ao DGP, de fato a autoridade maior da Polícia Civil não possui distrital; possui uma circunscrição policial de 248. 209, 426 quilômetros quadrados, com população superior a 40 milhões de habitantes.

Consignando-se que o despacho da ilustre autoridade, aliás, bastante providencial,  instruirá requerimento endereçado ao Poder Judiciário, conforme o art. 5º II, § 2º, do Código de Processo Penal, nos seguintes termos:

“Preclaro magistrado, do teor do doc. de fls. 9/20, verifica-se a intenção – por espírito corporativista – de não se instaurar inquérito policial para apuração do eventual  crime  contra a Administração Pública. Suprimindo-se da apreciação do Poder Judiciário a suposta tentativa de peculato, fazendo-se coisa julgada da mera opinião de membro do Ministério Público, nos autos de procedimento informal, no sentido de restar  afastado o crime em face de desistência voluntária e arrependimento eficaz. 

Ora, Excelência!

Veja que peculiar paradoxo: investigação ministerial para lastrear denúncia contra Delegado de Polícia é ilícita, posto contrariar a Constituição Federal.

Mas quando a  investigação do MP esculpa autoridade de crime, faz prova irrefutável em favor do interessado, afastando a justa causa para instauração de inquérito policial.” 

Durma-se com um barulho desses…

 
 
 
 
 
 

 

http://jornalnacional.globo.com/Telejornais/JN/0,,MUL577926-10406,00-TERNOS+VIRAM+CASO+DE+POLICIA.html

Vai apurar =

EU ME AUTOINVESTIGO…

TU AUTOINVESTIGA-SE…

NÓS NOS AUTOABSOLVEMOS!