INFORMAMOS QUE – PARA SALVAGUARDA PESSOAL E DOS COMENTARISTAS – TODO O CONTEÚDO PERTINENTE AO RESPEITÁVEL POLÍTICO DO PSDB FOI INTEGRALMENTE SUPRIMIDO…LEMBRANDO QUE JÁ EXPERIMENTAMOS DA ARDILEZA E TRUCULÊNCIA OFICIAIS QUANDO SE TRATA DE PERSONALIDADES GOVERNAMENTAIS 51

Enviado em 11/02/2011 às 19:29- TÁ PIOR QUE O TALIBAN

Enviado em 11/02/2011 às 20:58 – ESCRIBA.2011

Colegas…
Primeira coisa…

Esse “pessoal”, da “Corró” quer agora apoio de “arapongas”…
Devem ler primeiro o que diz o

artigo 5º, inciso XII da CF/88….

Senhores, LEIAM primeiro a constituição federal… no artigo acima!
(apesar que a “corró” viola um montão de leis e normas… passa por cima como trator…)

Depois… em segundo plano, colegas…

instalem nos seus computadores…

FIREWALL e ANTIVÍRUS dos bons…

um programa “ANTI-SPYWARE” (anti programas espiões)
– recomendo procurar no “baixaqui” e no “superdownloads”;

criar E-MAIL em “site estrangeiro…”
têm um monte de “site” estrangeiro que fornece cadastro de e-mail grátis, e com sigilo…
só procurar…

NÃO usem “nicks” (pseudônimos) fáceis de identificar, e evitem comentários que possam identificar suas origens…

COMO diz a Constituição Federal… “é livre a manifestação do pensamento… vedado o anonimato…”

Mas a preservação da INTIMIDADE, da PRIVACIDADE, também são garantias constitucionais…

Lamentavelmente, temos que nos “prevalecer” do anonimato para podermos “PROTESTAR” nesse “blog”

Como disse anteriormente, já criou “VIDA PRÓPRIA”

Temos uma “lei orgânica” arcaica, ultrapassada, fruto e resquício de um período DITATORIAL…

e é com esse ÍMPETO ditatorial que QUEREM NOS CALAR…
é com ferocidade que a “Corró” quer “calar a boca” de muitos que aqui “postam” muitas verdades…
(algumas outras não…)

Só que, num ESTADO dito “DEMOCRÁTICO”, isto é CENSURA!
é querem “C E N S U R A R”
este “blog”…

A “internet” é um “mundo Livre”, e NÃO pode ser dominada e nem “controlada” por ninguém, sob o risco de vivermos um
“Adminrável Mundo Novo….”

NÃO vamos NUNCA nos INTIMIDAR… Nem TEMER
àqueles que querem impor o “TERROR” pela FORÇA!

(à exemplo…, traçando um paralelo, vejam o que aconteceu no EGITO, o tal Rosni Mubarack NÃO resistiu e RENUNCIU… ainda que tenha tentado “CENSURAR” a internet…);

Pois é POLICIAIS CIVIS de VERDADE e sem MEDO
Pois é colegas POLICIAIS CIVIS…

a LUTA CONTINUA COMPANHEIROS…..

Por fim… “apagem os cookies – rastros de uso… quando terminarem de navegar na internet…”

Querem agora nos impor o TERROR

O MAJOR OLÍMPIO GOMES – DEFINITAVEMENTE – É UM DOS HOMENS MAIS BRILHANTES DESTE PAÍS…SUA CORAGEM INTELECTUAL E AGUDA INTELIGÊNCIA É DE CAUSAR INVEJA 34

Enviado em 11/02/2011 às 19:50– KREMENSOV

quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011 – Diário Oficial Poder Legislativo São Paulo, 121 (26) – 23
003 – OLÍMPIO GOMES

Diz que tem sido questionado sobre sua participação na
composição do Partido Militar Brasileiro. Esclarece que não
assinou o documento sobre a criação da legenda. Afirma
que a substância de sua profissão é a de ser policial e não
militar. Relembra os antigos Ministérios relacionados às
Forças Armadas, aglutinados no Ministério da Defesa.
O SR. OLÍMPIO GOMES – PDT – Sr. Presidente, Sras. Deputadas,
Srs. Deputados, funcionários desta Casa, cidadãos que
nos acompanham pela TV Assembleia, muitas pessoas têm me
questionado – quando me encontram, por telefone, pelas redes
sociais – se estou compondo ou participando da composição de
um Partido Militar Brasileiro – PMB.
Quero deixar bem claro que não estou participando dessa
coleta de assinaturas numa tentativa de se montar um partido
de militares, tampouco aprovo tal iniciativa ou sequer incentivo.
Tenho a certeza absoluta de que a criação de um partido específico
de militares das Forças Armadas, das Polícias Militares e
dos Bombeiros Militares só aumentaria o distanciamento dos
militares federais e dos militares estaduais com a população.
É inocência imaginar que haverá uma agregação de força
a tal ponto que projetos ou medidas relacionadas aos militares
federais ou aos militares dos estados poderiam ser aprovados.
Ao contrário. Já temos exemplos recentes na nossa história,
quando se fomentou a criação de um partido de aposentados.
Dizia-se: “Olha, temos 30 milhões de aposentados no País. Vai
se eleger o Presidente da República.” Entretanto, acabou se
tornando um partido nanico, sem representatividade na Câmara
dos Deputados, no Senado ou nas Assembleias Legislativas.
Não dá para ficar com radicalismos dizendo que só o militar
tem capacidade. E mais, para os meus irmãos policiais militares
ou bombeiros militares: a substância da minha profissão
é ser policial; ser militar é uma forma de um estatuto que rege
a minha profissão. Se há alguns companheiros que entraram
na academia errada, que deveriam ter entrado nas academias
das Forças Armadas e têm os seus sonhos ou recalques, que
para lá sigam.
Não vejo o porquê dos já coitados e sofridos policiais
militares e bombeiros militares do País pagarem a conta dos
erros praticados pelas Forças Armadas, no passado. Muito
embora alguns que estejam tentando formatar esse partido
entendam que vai dar um corpo imenso, por conta dos seus
próprios erros as Forças Armadas só têm perdido força política
na história recente do Brasil. Quem tinha quatro ministérios – o
Estado Maior das Forças Armadas, o Ministério do Exército, o
Ministério da Aeronáutica e o Ministério da Marinha – acabou
perdendo o status de ministério e subordina-se ao Ministério da
Defesa, eminentemente de natureza civil.
Portanto, não participo, não estimulo e não concordo. Atualmente,
existem 29 partidos políticos no nosso País, e muitos
deles são nanicos sem representatividade para que os seus
dirigentes comercializem as legendas no momento das eleições.
Entendo que qualquer partido ou qualquer cidadão que
queira democraticamente se filiar esteja respeitando o livrearbítrio
e a conveniência de cada um. Mas digo inclusive me
dirigindo diretamente aos meus irmãos policiais militares. Não
entrem nessa cantilena que é simplesmente uma tentativa para
a elevação política pessoal, de algo que possa ser significativo
para a melhoria da condição de vida dos policiais que são
regidos por um estatuto militar. Não caiam em engodos, ou em
cantos da sereia.

FACILITANDO O TRABALHO DO KGB, EIS A IDENTIFICAÇÃO DO AUTOR DAS DEGRADANTES OFENSAS AO FUTURO OCUPANTE DE CADEIRA PERTENCENTE AO PSDB ( lembrando que ninguém ofendeu deputado, pois a suposta vítima não exerce mandato público) 27

Enviado em 11/02/2011 às 17:09policial civil não pilantra

confirmando o que reportou o colega, estão preparando aqui na casinha uma tremenda operação , visando atingir as pessoas que postaram ofensas ao deputado , ele esteve com o governador e o secretario de segurança determinou empenho total para que os que postaram neste blog sejam identificados e punidos.

dr guerra um colega esteve hoje agora a tarde no dipo e protocolou diversos papeis , fiquem alertas.

Enviado em 11/02/2011 às 17:21 Leandro

Tá ficando importante heim Dr Guerra! Ta incomodando a deputaiada!!!

_____________________________________________

 

ROBERTO CONDE GUERRA, brasileiro, funcionário público concursado, lotado e domiciliado na av. Flamboaiã nº 70, Parque dos Pinheiros, Hortolândia.

Crime:  repudiar a conduta de quem, por meio da imprensa, anuncia intervenção política no sentido de direcionar o desfecho de  decisões e sentenças dependentes de trâmites processuais cercados de garantias constitucionais.

   
“Conversei sobre isso com o Geraldo (o governador Alckmin) e ele também concorda. Os dois investigadores que me agrediram estavam bêbados, talvez até drogados, e se sentiram poderosos porque tinham uma arma“, diz o deputado, eleito com 62.310 votos. Ele aposta na exoneração dos dois.

Com um pouco de humildade, sem demonstração de vaidade e virilidade feridas, melhor seria dizer:

SENTIRAM-SE PODEROSOS PORQUE ERAM DOIS JOVENS CONTRA UM IDOSO. 

O TRIBUNAL DE JUSTIÇA DEVERIA FAZER MUTIRÃO REVENDO MILHARES DE CONDENAÇÕES…FLAGRANTE FORJADO VIROU INDÚSTRIA 10

10/02/2011
Possível flagrante forjado gera absolvição

        A 5ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de São Paulo absolveu hoje (10) um rapaz acusado por tráfico de entorpecentes, por entender que havia a possibilidade de ter ocorrido um flagrante forjado contra ele.
        Em outubro de 2009 o rapaz foi abordado no bairro da Casa Verde, na capital paulista, por dois policiais da 1ª Companhia do 9º Batalhão da Polícia Militar. No local da abordagem, após revista, nenhum entorpecente foi encontrado. No entanto, sendo levado às dependências do batalhão, em revista íntima teriam sido encontrados 37 papelotes de cocaína.
        De acordo com o voto do relator da apelação, desembargador Damião Cogan, o fato causa surpresa, uma vez que se trata de grande quantidade da droga para não ser percebida numa revista superficial sobre a roupa. Testemunhas também relataram no processo que, no dia dos fatos, houve uma briga entre os policias e o jovem, que teria sido agredido mesmo depois de dominado.
        O voto ainda menciona que um dos policiais envolvidos apresenta maus antecedentes funcionais e que, no mesmo batalhão onde foi realizada a revista íntima, o corregedor da Polícia Militar já havia encontrado drogas em um dos armários do lugar. “Não há como se pretender a condenação do apelante pela droga que só foi vista pelos milicianos envolvidos e encontrada no interior daquela Companhia”, afirma o relator.
        O rapaz foi absolvido por votação unânime. Também participaram do julgamento os desembargadores Pinheiro Franco e Luís Carlos de Souza Lourenço. O acórdão será encaminhado ao Comando Geral da Polícia Militar para ciência e providências que julgarem cabíveis.

        Assessoria de Imprensa TJSP – CA (texto) / AC (foto ilustrativa)

Apreensões no Alemão foram vendidas, diz PF…( VENDIDAS GRAÇAS AO SILÊNCIO DOS INOCENTES INÚTEIS ) 2

Enviado em 11/02/2011 às 13:26 – X9 – CAGUETO MAIS NÃO INVENTO

LÁ COMO CÁ….

A TROPA DE ELITE, OU A ELITE DA TROPA???

11/02/2011 – 11h02 / Atualizada 11/02/2011 – 13h23
Apreensões no Alemão foram vendidas, diz PF; megaoperação no RJ já tem 28 presos
Do UOL Notícias*

O secretário de Segurança Pública do Rio de Janeiro, José Mariano Beltrame, afirmou em entrevista coletiva no final desta manhã (11) na sede da Polícia Federal (PF), na zona portuária do Rio, que a corrupção policial no Estado é problema “antigo e sério” e que o combate a milícias “vai continuar”. Até as 11h30, 28 pessoas já haviam sido presas, 22 delas, policiais:: 16 militares, seis civis e seis pessoas que seriam informantes de criminosos. Para a PF, a operação pode se estender ainda por mais dez dias.

“As milícias estão sendo combatidas, e continuarão sendo. Acho que isso pode não ser bom para a instituição num primeiro momento, mas nós não estamos aqui para dizer o que é bom ou ruim, estamos para mostrar resultado para a população. Acho também que os policiais de bem não estão sozinhos”, afirmou.

Beltrame admitiu, aliás, que os problemas na própria instituição são o passo seguinte da segurança pública no Estado no combate à violência. “Primeiro, tínhamos UPP (Unidade de Polícia Pacificadora), regime de metas, enfim, era preciso mostrar à sociedade que tínhamos um plano de segurança. Agora os desafios são outros, outras frentes terão que ser atacadas. E pode ter certeza que assuntos internos é uma delas”.

As declarações do secretário foram dadas instantes depois de a Secretaria Especial de Ordem Pública do Rio de Janeiro anunciar a exoneração do delegado Carlos Antoni Luiz de Oliveira, ex-subchefe de Polícia Civil no Estado. Oliveira é um dos investigados da “Operação Guilhotina”, deflagrada hoje de madrugada por agentes da Polícia Federal e do Ministério Público (MP), e já é considerado foragido.

Atualmente subsecretário de operações da Secretaria Especial, Oliveira é suspeito de fornecer informações de operações policiais a criminosos, um dos argumentos da operação. Policiais estiveram na casa do oficial de manhã, no bairro de Campo Grande, com mandado de prisão, mas ele não foi localizado.

Já o chefe da Polícia Civil do Rio, Alan Turnowski, está sendo ouvido na sede da PF — ele foi chamado para prestar esclarecimentos sobre as investigações. Conforme a secretaria de Segurança Pública do Estado, Turnowski pode auxiliar os trabalhos da operação.

Sobre o chefe da Civil, Beltrame afirmou: “Ele goza da minha confiança, está sendo ouvido como chefe e daqui para a frente, com base no que for efetivamente coletado, vamos aguardar. Não vou fazer juízo de valor precipitado, esse tipo de hipocrisia — vamos analisar e tomar a decisão no momento oportuno”. Sobre Oliveira, disse: “Há lastro de provas contra ele, já o chefe da Civil está sendo ouvido ainda como testemunha”, reforçou.

Ao todo, há 45 mandados de prisão preventiva para serem cumpridos — 32 deles contra policiais civis (11, dos quais cinco são inspetores) e militares (21, um deles, do Batalhão de Campanha instalado no Alemão), além de 45 mandados de busca e apreensão.

Duas delegacias foram revistadas e interditadas de manhã pelos agentes da Guilhotina, a da Penha e a de São Cristóvão. Na da Penha foi encontrada uma caixa de munição, e a delegada Márcia Becker foi levada à PF para prestar esclarecimentos. A delegada era a chefe do local nas ações da polícia carioca na Vila Cruzeiro e no Morro do Alemão, em novembro de 2010. Ela também comandou a Delegacia de Repressão a Armas e Entorpecentes (Drae) e a delegacia em São Cristóvão.

Além de ligações com traficantes, a operação apura também envolvimento de policiais na segurança de pontos de jogos clandestinos e na venda de informações de investigações policiais para criminosos. Desvio de espólio de guerra — ou seja, material apreendido do tráfico, nas operações — para venda posterior e imediata, a traficantes, também foi investigada.
Apreensões no Alemão

Indagado sobre a possibilidade de policiais terem facilitado a fuga de traficantes do Morro do Alemão, após a ocupação ano passado, o superintendente da PF admitiu que os trabalho no local também forneceram elementos à megaoperação deflagrada hoje.

“Houve envolvimento efetivo dos presos, na condição de policiais, com traficantes — e muito disso relacionado ao espólio de guerra. A movimentação no Alemão também ajudou, sim, nas investigações. O volume de apreensões lá foi muito grande e houve desvios, muito sobrou e eles (policiais agora com mandado de prisão preventiva, ou já presos) revenderam. Muito foi apreendido e imediatamente subtraído”, declarou o superintendente da PF do Rio, Ângelo Gioia.

De acordo com o secretário de Segurança, as ações de combate à corrupção deverão continuar também por meio de força-tarefa. “A PF americana trabalha com força-tarefa, isso pode ser exemplo para nós — pois se com distanciamento junto com entidades que têm aprofundamento da situação. Juntar esses dois fatores só acontece quando existe confiança”.
Logística

Segundo nota divulgada nesta manhã pela PF, a operação policial iniciou a partir de vazamento de informação em uma operação policial que era conduzida pela delegacia de Polícia Federal em Macaé, denominada “Operação Paralelo 22”. O objetivo era prender o traficante conhecido como “Rupinol”, que atuava na favela da Rocinha junto com o traficante conhecido como “Nem”.

A partir daí, duas investigações paralelas foram iniciadas, uma da Corregedoria Geral Unificada da Secretaria de Segurança do Rio e outra da Superintendência da PF no Rio. A troca de informações entre os serviços de inteligência das duas instituições deu origem ao trabalho conjunto desta manhã.

Ao todo, além dos 380 agentes da PF, participam da operação 200 homens de segurança púlica no Estado, além de dois helicópteros e quatro lanchas. Conforme Gioia, além de longa, a Operação Guilhotina ainda poderá render novos pedidos de prisão preventiva.

* Com informações de Janaina Garcia, do UOL Notícias em São Paulo, e Daniel Milazzo, Especial para o UOL Notícias no Rio de Janeiro

O Delegado de Polícia Civil aposentado Clóvis de Oliveira Júnior publicou junto a All Print Editora o livro ¨Gestão Administrativa em Segurança Pública¨, ¨Anotações Superficiais em 12 Mandamentos¨. 4

 

O Delegado de Polícia Civil aposentado Clóvis de Oliveira Júnior publicou junto a All Print Editora o livro ¨Gestão Administrativa em Segurança Pública¨, ¨Anotações Superficiais em 12 Mandamentos¨.

 

Segundo o autor, o livro nada mais é que um opúsculo com uma copilação das sugestões que deu ao longo de sua carreira policial ao administrador público sobre as falhas profundas existentes na área da segurança.

 

A obra seguiu alguns princípios, dentre os quais a linguagem usual e direta, sem citação de Leis nem termos técnicos, acessível a qualquer cidadão ou universitário que se interesse pelo tema e a citação de algumas sugestões para a Segurança Pública do país.

 

Um dos destaques do livro é a afirmação do autor sobre a falta de investimento na qualificação e valorização do profissional, levando sérios prejuízos a toda população, sendo que tal falha grave governamental atinge também os servidores da saúde, educação e os municipais, levando ao sucateamento de todo funcionalismo, sendo a obra indicada para tais pessoas. ¨O administrador público oscila entre o desconhecimento, a incompetência e o descaso¨.

 

Clóvis de Oliveira Júnior foi Delegado da Polícia Civil de São Paulo por 21 anos, possui 46 cursos de operações especiais em seu currículo, foi Delegado Titular da DISE – Delegacia de Investigações Sobre Entorpecentes de Tupã/SP por dez anos, Diretor de Cadeia Pública por dez anos, além de coordenador do Setor de Inteligência da Delegacia Seccional de Tupã, Coordenador do GOE – Grupo de Operações Especiais, setor de elite da Polícia Civil paulista, além de professor concursado da Academia de Polícia Civil de São Paulo nas disciplinas Armamento e Tiro, Condicionamento Físico e Defesa Pessoal desde o ano de 1993; aposentou-se ano passado. Já à venda no site da editora : http://www.allprinteditora.com.br/produtos_det.php?cod_produto=657  

All Print Editora

Telefones: (11) 2478-3413 / 2478-3414

http://www.allprinteditora.com.br

www.twitter.com/editoraallprint 

Drª Pacheco, agradeço-lhe pela parte que me toca: “e outros inseticidas por aí…” 16

From: Ana Maria Pacheco,
Sent: Friday, February 11, 2011 10:27 AM
To: delpol—pc@googlegroups.com
Subject: Re: [DELEGADOS] Detran e a roubalheira
 
AC, desisto…
 
Continue a  “ajudar” a PC…malhando-a bastante.
 
Será somente munição, de inocente útil, para os demais que não estão afim de moralizar coisa nenhuma…nada…
 
Não nesse país sério.
 
Contribuirá somente com mais munição, como um inocente útil, para os demais que fazem igual, e somente não admitem concorrência.
 
Ac, o que explica o mal que não foi resolvido. Você fez parte do problema e não o resolveu. Ora, batesse o pé e ficasse sozinho…não era essa a solução?!
 
Mas, não, você teve outra saída…e que bela saída!
 
Requereu licença-prêmio e a seguir a aposentadoria…não resolvendo o problema que estava alí para resolver !
 
Nem todos podem fazer isso…ter a sua saída honrosa. Nem todos podem contar com tal saída e muito menos resolverem os problemas dessa maneira.
 
Portanto, as críticas efetuadas por você, em geral muito contudentes, deveriam ser motivo de reflexão.
 
Se você mesmo teve a oportunidade e pode fazer algo…tinha os poder nas mãos e não o fez…o que o faz pensar que outros podem ou devem fazê-lo…e que todos que estão alí são iguais. Você fazia parte de uma situação, de uma engrenagem, e, segundo você, não
necessariamente pactuava com ela.
 
Portanto, como pode julgar este ou aquele, ou todos, generalizando, com a veemência que faz?
 
Está numa posição confortável agora para “bater” em quem realmente não nos reconhece como profissionais e não nos dá salário. Rebater quem não gosta da gente, dos policiais, e nunca, jamais, em um dos nossos, e ao invés, acrescentar mais e mais acidez às críticas que já nos fazem.
 
Portanto, a nosso favor, observações feitas por você nada contribuem, muito menos sobre aquele que já está no chão. Não ajuda em nada e só nos denigre ainda mais.
 
É o que quer?!
 
Se for…continue…continue você…e outros inseticidas por aí
 
Mas, que é mais degradante e deprimente tais comentários do que a própria situação em si, é, vez que não somos os únicos detentores de todas essas mazelas.
 
Mas somos os únicos, com certeza, que o fazemos (comentários) publicamente. Feridas expostas deliberadamente? O que nos acrescenta essa política? Qual o intuito? Quem mais faz isso?  (não há, se houver me aponte uma carreira ou instituição que faz essas críticas PUBLICAMENTE)
 
E fico a me perguntar…
 
Como podemos fazer e deixar que alguns façam isso conosco deliberadamente, se, com certeza, só nos destrói mais e nos faz parecer piores, individualmente, do que tudo o que tem por aí…o que, definitivamente, não somos?

OLHA A POLÍCIA CIVIL CARIOCA TOMANDO NO KGB 2

Enviado em 11/02/2011 às 11:43x9 – CAGUETO MAS NÃO INVENTO

http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/874119-policiais-se-dividiam-em-quatro-organizacoes-no-rio-diz-pf.shtml

11/02/2011 – 11h33
Policiais se dividiam em quatro organizações no Rio, diz PF

Os policiais que são alvo da operação Guilhotina, da Polícia Federal, são suspeitos de se dividirem em quatro estruturas criminosas ligadas ao tráfico de drogas no Rio de Janeiro, segundo a PF.

Ao menos 12 dos 45 mandados de prisão expedidos –a maioria contra policiais civis e militares– foram cumpridos até as 8h30. Apesar disso, a PF não informou se havia policiais entre os detidos.

Segundo a PF, os policiais se dividiam em quatro organizações: duas atuavam no fornecimento de armas e munições a traficantes de drogas; uma terceira estaria ligada a atividades de milícias que atuam em comunidades do Rio e também fornecia armas e munições ao tráfico; e outra faria segurança privada de grupos criminosos.

De acordo com o Ministério Público Estadual, que instaurou inquérito para apurar a conduta de policiais, a suspeita é que eles também se apropriavam de bens e valores confiscados em apreensões da polícia.

SUSPEITOS

A Seop (Secretaria Especial da Ordem Pública), do Rio, informou na manhã desta sexta-feira, por meio de nota, que vai exonerar o delegado Carlos Antônio Luiz Oliveira das funções de subsecretário de operações. Ele é um dos policiais procurados na operação Guilhotina.

Segundo a secretaria, Oliveira estava no cargo de subsecretário há pouco mais de um mês, tendo assumido em janeiro deste ano. A Seop afirmou ainda que vai “acompanhar atentamente as investigações da Polícia Federal.”

A delegada Márcia Becker, titular da 22ª Delegacia de Polícia Civil, na Penha (zona norte), foi conduzida na manhã de hoje à sede da Polícia Federal devido à suspeita de que ela tenha protegido um inspetor com prisão decretada na operação.

O inspetor Cristiano Gaspar Fernandes, que seria filho do chefe de uma milícia, telefonou para a delegada quando ocorria busca e apreensão na delegacia. O chefe de milícia é Ricardo Afonso Fernandes e atua em Ramos, zona norte do Rio.

Cristiano, lotado na 22ª, supostamente pediu para Becker mentir que ele estava de férias. A suspeita é que a delegada tenha concordado, segundo uma fonte da PF, favorecendo dessa forma o inspetor.

OPERAÇÃO

Ao todo, são procurados pela PF 11 policiais civis, 13 policiais militares e outros oito policiais militares que estavam emprestados para a Polícia Civil. Os outros 13 mandados foram expedidos contra civis, que incluem ex-policiais e informantes.

As investigações que levaram a operação tiveram início durante uma ação policial, ocorrida em 2009, que era conduzida pela Delegacia da Polícia Federal em Macaé –denominada “Operação Paralelo 22″, que tinha o objetivo prender o traficante Rogério Rios Mosqueira, conhecido como “Roupinol”, que atuava na favela da Rocinha junto com o traficante “Nem”.

A partir daí, duas investigações paralelas foram iniciadas, uma da Corregedoria Geral Unificada da Secretaria de Segurança do Rio e outra da Superintendência da Polícia Federal no Rio. A troca de informações entre os serviços de inteligência das duas instituições deu origem ao trabalho conjunto de hoje.

O objetivo da ação desta sexta-feira é “dar fim à atuação de um grupo criminoso formado por policiais –civis e militares– e informantes envolvidos com o tráfico ilícito de drogas, armas e munições, com a segurança de pontos de jogos clandestinos (máquinas de caça-níqueis e jogo do bicho) e venda de informações sigilosas”.

As forças estaduais destacaram 200 homens, além de dois helicópteros e quatro lanchas. As equipes da Polícia Federal empregam um efetivo de 380 homens.

MELHOR CHAMAR A “CIA”…PEDIR O CONCURSO DA POLÍCIA FEDERAL PARA MONITORAR POLICIAIS CIVIS EM BLOG É RASGAR O KGB 42

Enviado em 11/02/2011 às 9:46AO LADO DE IDIOTAS 

Caro dr guerra ontem por volta das 20:30 horas aqui na casinha , estavam dois engenheiros da área de informática vindos da PF DE BRASILIA , fonte nossa garante a partir de hoje todos que postarem no seu blog serão identificados através de uma mensagem de que o seu comentário será verificado , não entendo disso falam sobre um programa chamado KGB usa
Apenas como alerta aos colegas que postam tenham cuidado do lugar de onde enviam seus comentários , a Diretora…ta no veneno , por causa do deputado que reclamou de ter sidi ofendido aqui.

CONGRATULAÇÕES AOS POLICIAIS DO DENARC 7

Dupla detida com cerca de 100 quilos de cocaína em Campinas (SP)

Além da droga, policiais apreenderam duas pistolas, munição para fuzil, uma máquina de contar dinheiro e uma balança digital

11 de fevereiro de 2011 | 3h 05

SÃO PAULO – Cerca de 100 quilos de cocaína foram apreendidos, na tarde de quinta-feira, 10, em Campinas, interior paulista, por agentes da 3ª Delegacia do Núcleo de Apoio e Proteção à Escolas (NAPE), do Departamento de Investigações sobre Narcóticos (Denarc), que iniciaram as investigações dois meses atrás.

Ao invadirem a casa da Rua Um, no bairro Itatiaia, os policiais detiveram Licio Altino Gomes Rocha e um adolescente de 16 anos. Um terceiro traficante, identificado como Leandro Pedroso dos Santos, conseguiu fugir. No local foram apreendidos também duas pistolas, munição para fuzil, uma máquina de contar dinheiro e uma balança digital.

A dupla foi encaminhada para a sede do Denarc, na região central de São Paulo.