O delegado Renzo Santi Barbin foi afastado de seu trabalho no núcleo da Corregedoria da Polícia Civil de Bauru 45

26/02/2011

Delegado corregedor de Bauru é afastado

 

Vitor Oshiro/Com Redação

O delegado Renzo Santi Barbin foi afastado de seu trabalho no núcleo da Corregedoria da Polícia Civil de Bauru. Ele é um dos quatro envolvidos no caso da escrivã que, após constatada suspeita de recebimento de propina, foi despida à força na Delegacia de Parelheiros, em São Paulo.

Juntamente com outros dois delegados, Barbin aparece no vídeo da prisão em flagrante de V.F.S.L. O caso ocorreu um junho de 2009, quando a escrivã foi acusada de receber R$ 200,00 para favorecer um suspeito de portar munição.

De acordo com a assessoria de comunicação da Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo, Renzo Santi Barbin, que veio trabalhar na unidade de Bauru depois de sair de Parelheiros, está afastado de qualquer atividade na Corregedoria desde a decisão tomada no início dessa semana pelo secretário Antônio Ferreira Pinto. O afastamento ainda não foi oficializado no Diário Oficial.

O titular da divisão de Operações Especiais da época, Emílio Antonio Pascoal, também será alvo do mesmo processo, uma vez que, de acordo com o entendimento do secretário, “concorreu para o desfecho daquela intervenção policial”.

No vídeo de 12 minutos, a escrivã diz que os policiais poderiam revistá-la, porém, somente tiraria a roupa para policiais femininas. Entretanto, sem a presença de qualquer investigadora da Corregedoria, os homens rtiram a calça e a calcinha da mulher. Após encontrar o dinheiro supostamente de origem ilícita, ela foi demitida da Polícia Civil, porém, recorre da decisão.

  1. na DGPAD, o Dr. GUSTAVO HENRIQUE GONÇALVES, RG
    16.100.720, Delegado de Polícia de 3ª classe, padrão II, lotado
    na Delegacia Geral de Polícia, anteriormente classificado na
    CORREGEDORIA. (DGP 1700/P)
    na DGPAD, o Dr. EDUARDO HENRIQUE DE CARVALHO
    FILHO, RG 29.332.817, Delegado de Polícia de 3ª classe, padrão
    II, lotado na Delegacia Geral de Polícia, anteriormente classificado
    na CORREGEDORIA.(DGP 1701/P)

    UÉ , OS VALENTÕES FICARAM COM MEDINHO DE VIREM TRABALHAR EM UMA DELEGACIA DE VERDADE? KKKKKKKKK
    SE VOCÊS SÃO TÃO HOMENS ASSIM, VENHAM TRABALHAR NO DECAP, PARA SABEREM O QUE É SER POLICIAL DE VERDADE SEU BOSTAS.

    • FORAM PARA OS BRAÇOS DA FODA MADRINHA.

      TE CUIDA DRA.DELEGADA ADJUNTA, SENÃO A TIA VAI TE DERRUBAR RAPIDINHO.
      ELA VAI FAZER INTRIGA, VAI DIZER QUE VC CORRE COM A BANDALHEIRA, QUE É CORRUPTA E OUTRAS MERDAS QUE SAEM DA BOCA DA TIA.
      ELA FALA SEMPRE NA TV QUE NA POLÍCIA “SO TEM LADRÃO E CORRUPTO ”
      SO ELA É HONESTA, NÉ ?
      AGUARDEM O NOVO ESCÂNDALO….

  2. Estou procurando, mas não acho confirmação;

    Tá correndo nos bastidores que o Secretário acabou de ser exonerado.

    Procede?

  3. no DEINTER 4 – BAURU-SEDE, o Dr. RENZO SANTI BARBIN,
    RG 27.157.982, Delegado de Polícia de 3ª classe, padrão II, lotado
    na Delegacia Geral de Polícia, anteriormente classificado na
    CORREGEDORIA (4ª Corregedoria Auxiliar – Bauru) (DGP 1702/P)

  4. dr guerra, que peninha os dois brutamontes foram se esconder no9 dgpad, com medo, lamentamos….vamos aguardar que oportunamente venham pras quebradas da zona leste, fazer e conhecer policiais de verdade. e quem sabe tirta a calça e calçinha de algum familiar de policia ou membros do pcc. que deus os protejam econduzam seus p-0assos para…….inferno.

  5. FORAM PARA OS BRAÇOS DA FODA MADRINHA.

    SE CUIDA DRA.PAULA DELPOL ADJUNTA, SENÃO A TIA TE DERRUBA RAPIDINHO.

    MUITO CUIDADO, ELA VAI FALAR QUE VC É CORRUPTA, QUE CORRE JUNTO COM A BANDALHEIRA,E OUTRAS ASNEIRAS, POIS FALA SEMPRE NA TV QUE “TODO POLÍCIA É LADRÃO E CORRUPTO”.

    SO A TIA QUE É HONESTA.

  6. Dr. EDUARDO HENRIQUE DE CARVALHO
    FILHO, RG 29.332.817, Delegado de Polícia de 3ª classe,Dr. EDUARDO HENRIQUE DE CARVALHO
    FILHO, RG 29.332.817, Delegado de Polícia de 3ª classe, não adianta se esconderem em Departamento , nós do Flit , não deixaremos que esqueçam de vocês!!!!!!

  7. QUE ESTRAGO QUE VCS FIZERAM SEUS DELEGADINHOS!!!!

    DERRUBARM O SECRETÁRIO

    DERRUBARAM A CORREGEDORA

    DERRUBARAM O DIVISIONARIO

    DERRUBARAM QQ TENTATIVA DOS DELPOLS VIRAREM CARREIRA JURIDICA

    DERRUBARAM NOSSA GREVE E MANIFESTAÇÃO POR AUMENTO

    DERRUBARAM NOSSA AUTO ESTIMA

    DERRUBARAM TODA DISPOSIÇÃO E ANIMO QUE ASSUMIRAM OS NOVOS SECCIONAIS…

    QUE ESTRAGO FIZERAM ESSES DELEGADOS DO DOP!!! E AINDA TEM 2 DELEGADINHAS BONITINHAS E FOFINHAS LA NO DOP QUE TB TÃO FAZENDO ESTRAGO….FALTA PEGAR AS DUAS….

    QUE ESTRAGO…QUE ESTRAGO PARA A IMAGEM DE DELEGADO DE POLÍCIA.

    FIM.

  8. E o investigador Daniel “Spielberg” Baldi, que filmou toda a encrenca? Dizem que é filho de delegado. De qualquer forma, papai deve estar orgulhoso do bambino! Que menino talentoso! Como ele enquadrou bem o majurinha arrancando as calças da escrivã e todas as outras agressões!
    Indicações ao Oscar:
    – Melhor filme: Onze corregedores e um segredo;
    – Melhor ator: Eduardinho;
    – Melhor ator coadjuvante: Gustavinho;
    – Melhor atriz: PM fem;
    – Melhor atriz coadjuvante: GCM fem;
    – melhor edição de imagens: Dudu & Gugu Produções;

  9. Causa-me espécie a forma corriqueira e contumaz com que se movimenta policiais civis de uma unidade para outra, com uma facilidade e com o que entendo até um desapego impressionante ao estado de direito, em especial, em relação a nossa carreira de delegados de polícia, em face da clareza solar da legislação vigente, bem mais rigorosa e solene nessa questão, exatamente para se protege-los de movimentações inconsequentes, intempestivas, desnecessárias e muitas vezes bastante prejudiciais ao interesse público. E causa-me maior espanto exatamente o meu entendimento de que se acha no cerne do desprestígio da Polícia Civil hoje, essa forma de seu gerenciamento, que é o que na verdade estrutura e solidifica a corrupção endêmica que vemos e todos os frequentes escândalos que ocorrem. Pois, paradoxalmente, é nesse formato que reside a maior garantia da incompetência e da má gestão do serviço policial, já que não se busca a consequência legalmente prevista para a maior parte dos policiais que não correspondem no exercício de suas funções ou que agem e atuam fora dos padrões fixados pelo legislador, pois, de regra, são apenas transferidos, muitas vezes para locais bem mais privilegiados.

    Portanto, é preciso se reagir contra isso, fazer-se um movimento de resgate do verdadeiro interesse público em todas movimentações de pessoal, com o absoluto respeito ao estado de direito, através da observância do procedimento legal e dos princípios legais fixados, não se permitindo assim se prescindir da forma, tão importante quanto o mérito, em especial, dos rigores solenes fixados no art. 4° da Constituição Estadual, desrespeitado a todo instante.

    É preciso se compreender que as movimentações de policiails vem sendo feitas, em muitos casos, por solicitações e pleitos de pessoas influentes e autoridades estranhas ao serviço policial e muitas delas até por atos de autoridades sem competência legal. Também, que em qualquer movimentação de delegados de polícia, exceto quando houver o pedido formal do interessado, deve se aplicar obrigatoriamente disposto no § 1° do art. 140 da Constitução Estadual, diariamente violentado!

    Aliás, para maior clareza, transcrevo abaixo, trecho de argumentação que desenvolvi, usada no ajuizamento de uma ação em andamento na Fazenda Pública Estadual, ainda pendente de julgamento, para que outros colegas, caso queiram, possam também usá-lo na busca de por fim a essa forma de movimentação do nosso quadro de pessoal. E menciona entender que parte desses argumentos, excluídos a questão do Conselho da Polícia Civil, também pode ser aproveitado para as demais carreiras policiais.
    Recomendo, porém, lapidar e aprimorar meu entendimento abaixo:

    <>

  10. Causa-me espécie a forma corriqueira e contumaz com que se movimenta policiais civis de uma unidade para outra, com uma facilidade e com o que entendo até um desapego impressionante ao estado de direito, em especial, em relação a nossa carreira de delegados de polícia, em face da clareza solar da legislação vigente, bem mais rigorosa e solene nessa questão, exatamente para se protege-los de movimentações inconsequentes, intempestivas, desnecessárias e muitas vezes bastante prejudiciais ao interesse público. E causa-me maior espanto exatamente o meu entendimento de que se acha no cerne do desprestígio da Polícia Civil hoje, essa forma de seu gerenciamento, que é o que na verdade estrutura e solidifica a corrupção endêmica que vemos e todos os frequentes escândalos que ocorrem. Pois, paradoxalmente, é nesse formato que reside a maior garantia da incompetência e da má gestão do serviço policial, já que não se busca a consequência legalmente prevista para a maior parte dos policiais que não correspondem no exercício de suas funções ou que agem e atuam fora dos padrões fixados pelo legislador, pois, de regra, são apenas transferidos, muitas vezes para locais bem mais privilegiados.

    Portanto, é preciso se reagir contra isso, fazer-se um movimento de resgate do verdadeiro interesse público em todas movimentações de pessoal, com o absoluto respeito ao estado de direito, através da observância do procedimento legal e dos princípios legais fixados, não se permitindo assim se prescindir da forma, tão importante quanto o mérito, em especial, dos rigores solenes fixados no art. 4° da Constituição Estadual, desrespeitado a todo instante.

    É preciso se compreender que as movimentações de policiails vem sendo feitas, em muitos casos, por solicitações e pleitos de pessoas influentes e autoridades estranhas ao serviço policial e muitas delas até por atos de autoridades sem competência legal. Também, que em qualquer movimentação de delegados de polícia, exceto quando houver o pedido formal do interessado, deve se aplicar obrigatoriamente disposto no § 1° do art. 140 da Constitução Estadual, diariamente violentado!

    Aliás, para maior clareza, transcrevo abaixo, trecho de argumentação que desenvolvi, usada no ajuizamento de uma ação em andamento na Fazenda Pública Estadual, ainda pendente de julgamento, para que outros colegas, caso queiram, possam também usá-lo na busca de por fim a essa forma de movimentação do nosso quadro de pessoal. E menciona entender que parte desses argumentos, excluídos a questão do Conselho da Polícia Civil, também pode ser aproveitado para as demais carreiras policiais.
    Recomendo, porém, lapidar e aprimorar meu entendimento abaixo:

    “Outro aspecto que se deseja ver analisado no mérito da causa, diz respeito à nulidade dos atos de remoção do autor, em face das garantias que lhe são asseguradas, enquanto delegado de polícia, uma vez que a Constituição Estadual, em seu art. 140, § 3º, assegura aos integrantes dessa carreira somente poderem ser removidos de uma unidade para outra mediante prévia autorização do Conselho da Polícia Civil e que, no caso concreto, o aval desse órgão somente foi obtido num caso específico, isto é, na sua transferência para São José dos Campos, já que os demais atos administrativos que o removeram da Cadeia Pública 11 para o 2º DP de Americana e da Delegacia Seccional de Polícia de São José dos Campos para o Plantão Policial Sul ou para o Plantão do 3º DP daquela localidade, não foram precedidos de qualquer autorização nessa direção.

    Se é certo que o legislador estadual não concedeu a segurança que a Magistratura e o Ministério Público merecidamente gozam nesse particular, é certo ao menos que ele assegurou e estabeleceu a excepcionalidade da remoção dos integrantes da carreira de delegados de polícia, claramente buscando impedir a insegurança do exercício de suas funções, portanto, estabelecendo como concepção uma espécie de inamovibilidade, isto é, fixando a regra da não movimentação dos delegados de uma unidade para outra, conforme se vê expressamente do disposto no § 3º, do art. 140, da Carta Política de nosso Estado:

    “Art. 140 ……………………………………………………………………………………………
    ………………………………………………………………………………………………………….
    § 3º – A remoção de integrante da carreira de delegado de polícia somente poderá ocorrer mediante pedido do interessado ou manifestação favorável do Colegiado Superior da Polícia Civil, nos termos da lei.”

    Outro aspecto a se considerar, é que a Lei a que se refere o § 3º, do art. 140, da Constituição Federal, é evidentemente aquela compatível com essa norma; jamais lei incompatível, notadamente quando hierarquicamente inferior, tal como o é a Lei complementar Estadual nº 207/79, quiçá eventuais decretos ou resoluções administrativos. Desse modo, eventual apoio ou invocação de norma inferior, não pode ser considerado para a validação dos atos de remoção, quando essas normas estejam a permitir remoções fora das garantias estabelecidas na norma maior, tal como é o caso.
    Na incompatibilidade entre o art. 36, da Lei Complementar nº 207/79, que somente exige a aprovação do Colegiado nas remoções de um para outro município, e a Constituição do Estado, que fixa essa exigência para qualquer remoção que não seja por pedido do interessado, deverá haver a prevalência desta norma, enquanto hierarquicamente superior. A propósito, pede-se notar que os termos da Lei a que se refere o § 3º, do art. 140, da C.E, diz respeito apenas à forma de remoção, não se constituindo em permissão para se abdicar da observância dos requisitos e restrições nele mesmo fixados.
    Desse modo, pede-se considerar que sem manifestação favorável do Conselho da Polícia Civil, aprovada por dois terços de seus membros, é ilegal qualquer remoção de delegado de polícia, ainda que dentro do mesmo município, já que a Constituição Estadual não fez qualquer discriminação nesse sentido, constituindo-se pois os atos praticados em desfavor do autor em flagrante violação do princípio da inamovibilidade relativa de que gozam todos ocupantes desse cargo.
    Apenas à guisa de argumentação, ainda que se quisesse admitir a competência das autoridades que os editaram e a prescindibilidade da prévia aprovação do Conselho da Polícia Civil, mesmo assim a validade desses atos estaria irremediavelmente comprometida em virtude dos princípios da ampla defesa, do devido processo legal e do contraditório, estendidos e fixados pelo Constituinte Estadual como obrigatórios em quaisquer procedimentos administrativo e qualquer que seja seu objeto, conforme solenemente estabelece o art. 4º da Constituição Estadual, “verbis”:

    “Art. 4º – Nos procedimentos administrativos, qualquer que seja o objeto, observar-se-ão, entre outros requisitos de validade, a igualdade entre os administrados e o devido processo legal, especialmente quanto à exigência da publicidade, do contraditório, da ampla defesa e do despacho ou decisão motivados.”
    Pede-se considerar, ainda, na mesma esteira do art. 4º da Constituição Estadual, e espancando qualquer possibilidade da edição sumária de atos de remoção de delegados de polícia sem um mínimo de formalismo legal antecedente, que o art. 22, da Lei Estadual nº 10.177/98, após repetir no “caput” a mesma redação daquele dispositivo, cuidou, através do seu § 1º, de assegurar forma de se atender esses princípios e de sorte a não se torná-los em letra morta:
    “Art.22……………………………………………………………………………………
    § 1º – Para atendimento dos princípios previstos neste artigo, serão assegurados às partes o direito de emitir manifestação, de oferecer provas e acompanhar sua produção, de obter vista e de recorrer.
    Mas não é só. Pede-se reconhecer a invalidade desses atos até mesmo em observância ao que a própria Lei Estadual nº 10.177/98, manifestamente ignorada, já o faz em seu art. 8º, que fulmina de inválidos todos os atos que desatendam aos pressupostos legais e regulamentares de sua edição, e tendo em vista que a motivação que ela considera válida não é a mera menção de um suposto interesse público, ma sim aquela que atenda os requisitos do seu art. 9º.

    Artigo 8.º – São inválidos os atos administrativos que desatendam os pressupostos legais e regulamentares de sua edição, ou os princípios da Administração, especialmente nos casos de:
    I – incompetência da pessoa jurídica, órgão ou agente de que emane;
    II – omissão de formalidades ou procedimentos essenciais;
    III – impropriedade do objeto;
    IV – inexistência ou impropriedade do motivo de fato ou de direito;
    V – desvio de poder;
    VI – falta ou insuficiência de motivação.
    Parágrafo único – Nos atos discricionários, será razão de invalidade a falta de correlação lógica entre o motivo e o conteúdo do ato, tendo em vista sua finalidade.
    Artigo 9.º – A motivação indicará as razões que justifiquem a edição do ato, especialmente a regra de competência, os fundamentos de fato e de direito e a finalidade objetivada.

    Ademais, espancando qualquer possibilidade de remoção de um servidor público, no âmbito estadual, sem se lhe abrir oportunidade de se manifestar previamente a respeito, tal como ocorrido na espécie, chama a colação os arts. 21 e 22, da já citada Lei Estadual nº 10.177/98, que assim estabelecem:

    Artigo 21 – Os atos da Administração serão precedidos do procedimento adequado à sua validade e à proteção dos direitos e interesses dos particulares.
    Artigo 22 – Nos procedimentos administrativos observar-se-ão, entre outros requisitos de validade, a igualdade entre os administrados e o devido processo legal, especialmente quanto à exigência de publicidade, do contraditório, da ampla defesa e, quando for o caso, do despacho ou decisão motivados.
    § 1º – Para atendimento dos princípios previstos neste artigo, serão assegurados às partes o direito de emitir manifestação, de oferecer provas e acompanhar sua produção, de obter vista e de recorrer.
    § 2º – Somente poderão ser recusadas, mediante decisão fundamentada, as provas propostas pelos interessados quando sejam ilícitas, impertinentes, desnecessárias ou protelatórias.””

    • Caríssimo Windor:

      Esse livro que você transcreveu por inteiro nesse post está à venda em alguma livraria?
      Em caso positivo, quantos volumes compõe essa obra?

  11. ANTES DE JOGAR NO LIXO O NOME DE UMA DELEGADA….QUAL A PARTICIPAÇÃO DA DELEGADA PATRICIA MAUAD DO DOP NAS INVESTIGAÇÕES??

    ELA ERA A PRESIDENTE DO INQUÉRITO??

    O BLOG DO PANUNZIO TRAZ ISSO HJ….

    QUAL RESPONSABILIDADE DELA?

    TEM QUE SOBRAR PRA TODO MUNDO.

  12. A cana foi limpa como ficará comprovado no decorrer do julgamento. Toda essa cortina tem o objetivo de derrubar o Secretário. Daqui há alguns dias, com o novo secretário e as coisas mais frias a escrivã vai responder pelos crimes de que é acusada. e vai ser condenada. A cana foi lima e a meliante enquadrada aos costumes. Não se iludam voces defensores de corruptos. Ninguém está pensando nela. Querem é derrubar o secretário e esse foi o meio que conseguira,. Até a primeira audiência dela em junho tudo já ,esfriou. E a meliante, após condenada será recolhida, aos costumes.

  13. Operação Pelada: como a Corregedoria preparou o flagrante contra a escrivã e mentiu para incriminá-la
    February 26 | Posted by Fábio Pannunzio | Direitos humanos, Manchetes, Notícias, Segurança Tags: escrivã, Operação Pelada

    Os vícios do rumoroso caso da escrivã despida à força numa delegacia da Zona Sul de São Paulo começaram assim que o Ministério Público encaminhou o motoboyAlex Alves de Souza, de 27 anos, à Corregedoria da Polícia Civil, no dia 9 de junho de 2.008. Como o Blog do Pannunzio revelou nesta sexta-feira, ao prestar declarações sobre a suposta tentativa de suborno, Alex passou recebeu instruções detalhadas dos delegados sobre o que deveria fazer para comprovar a acusação (leia post sobre o assunto aqui).

    Cinco dias se passaram até que a prisão em flagrante de V.F.S.L,. fosse consumada. Nesse período, o motoboy tentou contato, em duas oportunidades diferentes, com a escrivã por telefone. A degravação dos diálogos, juntada ao inquérito policial, deixa claro que é o denunciante quem insinua a existência de um acerto prévio. Para materializar o crime de conussão, V. teria que ter exigido dinheiro, situação que não se verifica em nenhum dos registros.

    Os dois telefonemas foram feitos por Alex. Os documentos anexados ao inquérito não indicam com precisão a data em que o primeiro deles aconteceu. É provável que a ligação tenha ocorrido no dia 11 de junho, um dia depois de Alex foi ouvido pela primeira vez pela Corregedoria. É certo que a iniciativa de falar implicitamente sobre algo previamente combinado, que não podia ser discutido por telefone, foi do denunciante, e não da escrivã.

    – “Então, Vanessa, é consegui só… uma parte”, diz o motoboy.

    – “Isso aí não se fala, entendeu ? Telefone é embaçado”, responde a policial.

    Apesar da cautela recomendada por V. na abordagem, é literalmente impossível saber exatamente a que ambos estavam se referindo. O certo é que o diálogo (veja fac-símile à esquerda), a exemplo do que foi anteriormente revelado pelo Blog, nem de longe denota a condição exigida para a tipificação do crime de concussão: exigir, em razão do cargo que ocupa, vantagem indevida, como prescrito pelo Artigo 316 do Código Penal.

    O segundo telefonema foi disparado por Alex no dia 15, data em que V. foi presa em flagrante. A conversa foi registrada num gravador microcassete da Corregedoria e estava sendo monitorada — e provavelmente instruída — pela equipe de delegados. É clara a intenção de incriminar V. Mas, ao final, a expectativa nã ose materializou.

    Na degravação, é possível depreender que Alex e a escrivã tratam da intimação do pai do denunciante. A iniciativa de insinuar um suposto acordo financeiro, mais uma vez, é do motoboy. E não encontra eco na resposta da escrivã.

    – “Deixa eu te falar. Eu arrumei só uma parte daquele negócio”, diz Alex.

    – “Então dá uma passadinha aqui que a gente conversa, tá bom?”, responde a policial.

    “É uma conversar suspeita”, diz um advogado criminalista consultado pelo Blog do Pannunzio, mas insuficiente para caracterizar concussão ou corrupção. “Eles podiam estar falando sobre rojões, confeitos ou qualquer outra coisa. E ninguém pode ser condenado com base em suposições”, arremata a fonte.
    A afirmação inverídica de que a exigência de suborno foi gravada consta de várias peças do inquérito. O Blog teve acesso a todo o processo, que tem 269 páginas, distribuídas em dois volumes, e não encontrou nenhum documento, trancrição ou lado pericial que comprove isso.

    No relatório do inquérito encaminhado à Justiça quando a investigação foi concluída, a delegada Patrícia Vaiano Mauad afirma que “a fita da gravação da ligação efetuada na data dos fatos foi devidamente apreendida em auto próprio e encaminhada à perícia pra degravação”. Não há registro dessa perícia nos autos.

    Conforme se pode ver no trecho destacado no fac-símile ao lado, a mesma delegada afirma que a conversa onde houve a exigência de propina foi “gravada em seu telefone celular [do denunciante]“. Mais adiante, na mesma página, lê-se que no dia 15 de junho houve “um novo contato telefônico entre entre Alex e a escrivã Vanessa, o qual foi gravado pelos Delegados da Corregedoria, onde foi marcado um encontro pessoal no cartório do VigésimoQuinto DP (…) para a entrega de parte da quantia exigida, estipulada pela vítima e policiais civis da Corregedoria em R$ 200,00″. Tampouco há, na perícia das gravações, qualquer menção à entrega de propina.

    Embora os delegados-corregedores afirmem o tempo todo que o momento da entrega do suborno foi gravado, não há registro dessa gravação no inquérito. A rigor, ninguém sabe o que se passou enquanto enquanto Alex e V. estavam a sós no cartório da Delegacia.Se esse momento foi efetivamente gravado, tal gravação foi suprimida dos autos por iniciativa da própria Corregedoria.

    Causa estranheza também que o video gravado pelos delegados-corregedores, que registra a humilhação imposta à escrivã, não tenha sido juntado ao inquérito, apesar das diversas requisições feitas pelos advogados de V. nas instâncias criminal e administrativa. A peça só passou a ser considerada depois que o Blog do Pannunzio e a Rede Bandeirantes divulgaram o material, no último dia 18.

  14. 1 – A DEMOCRACIA BRASILEIRA está totalmente consolidada?

    2 – Há, no mundo, em alguma Democracia séria e respeitável, alguma POLÍCIA MILITAR?

    3 – Entendo que a causa geradora de tudo isso que estamos discutindo esteja, sim, diretamente ligada ao MILITARISMO que só funciona, a meu ver, em ocasiões de Guerra e “olhe lá”;

    3.1. Em SP, há mais 13 anos, não há nenhum Secretário de Segurança proveniente da Polícia Civil (que tantos insistem em generalizar injustamente, precisamente no caso em questão), nem sequer um Delegado de Polícia, não obstante haver inúmeros BRILHANTES DELEGADOS DE POLÍCIA EM SP;

    3.2. Grande parte dos escolhidos para Secretário de Segurança são escolhidos, em SÃO PAULO, das fileiras da POLÍCIA MILITAR.

    3.3 Pois bem, o atual Secretário de Segurança Pública, Antonio Ferreira Pinto, ex-Policial Militar, resolveu, mediante DECRETO nº 54.710, de 25 de agosto de 2009 (ALCUNHA POR ALGUNS DE MULA SEM CABEÇA), retirar a Corregedoria da Polícia Civil dos quadros da Polícia Civil (como assim?…. tentarei explicar:), criando assim, uma espécie de “mula sem cabeça”, diretamente subordinada a ele. É óbvio que há reconhecer inúmeros trabalhos honestos e bem feitos por inúmeros corregedores sérios e honrados. Todavia, no fundo no fundo, deu no que deu.

    3.4. Detalhe: Esse DECRETO 54.710/2009 (apelidado de DECRETO DA MULA SEM CABEÇA) VIOLA, ao mesmo tempo, A Constituição do Estado de São Paulo e a Lei Orgânica da Polícia.

    3.5. Outro detalhe não menos curioso: A Corregedoria da PM continuou subordinada diretamente ao Comando da PM. Aqui sim, aleatoriamente, resolveu-se obedecer as Leis do Estado. Por que a discriminação (?) ao arrepio da Constituição de SP e da Lei Orgânica da Polícia? Fica a dúvida.

    Pois bem, lanço a seguinte indagação: VALE A PENA A MILITARIZAÇÃO DAS POLÍCIAS? Por ironia, graças a um Decreto INCONSTITUCIONAL (flagrantemente) idealizado pelo atual Secretário, um ex – Policial Militar, deu-se origem a todo esse presente imbróglio. E a culpa não pode recair sobre a Polícia Civil, já que a Corregedoria, desde então, não pertence formalmente, mais à Polícia Civil.

    A Corregedoria, no atual modelo, É DA SECRETARIA DE SEGURANÇA OU É DA POLÍCIA CIVIL?

    Com o nobre pretexto de melhor combater a Corrupção, vejam como ocorreu a criação do DECRETO 54.710/09, alcunhado por alguns de DECRETO DA MULA SEM CABEÇA:

  15. DGPAD, SERA QUE LA TEM QUATRO EQUIPES, VIATURAS COM MAIS DE 10 ANOS DE USO, PELADO NOS NOIAS QUE A PM TRAZ, PLANTAO 24 HORAS,PIZZA FRIA DE MADRUGADA, FLAGRANTE AS 6 A MANHA? MANDA PRO DECAP QUE ELES VAO CHORAR QUANDO CHEGAR NA QUEBRADA,TA PRECISANDO DE GENTE AQUI, NO PRIMEIRO DIA PAGO O ALMOCO NO BUTECO DA DONA MARIA, E MEIO FORTE, MAS DEPOIS ACOSTUMA.

  16. COLEGA DOUTOR WINDOR GOMES,parabéns pelo comentário.É verossímel que o Secretário não pode a seu alvitre,remover a torto e a direito,os Delegados como peão em jogo de xadrez,a Constituição Estadual em sua condição mandamental,invalidade tal iter administrativo-funcional.MANDADO DE SEGURANÇA O QTO ANTES,para que se restaure a legalidade do ato decretado.Obrigado e abrs.

  17. Pois é……
    Cadê o investigador que filmou a palhaçada??
    Cadê os promotores que arquivaram o caso??
    Cadê e quem eram os polícia q tb estavam na sala???
    Se o Eduardinho bombadinho foi o condutor do flagroso, quem foi o delegado que fez o flagrante?
    Cadê os testemunhos dos policiais que mentiram descaradamente???
    Nada será feito????
    E os Delegados foram afastados??? Ué…. a escrivã foi exonerada rapidinho né, e os delegados….demora mais pq??? Aaaaah ta…pq são delegados. Entendi.
    Tem tanta gente envolvida nessa história….

    Quero ver se vão realmente fazer alguma coisa.
    Pq afastar é fácil….. queremos vê-los EXONERADOS!!!
    E eles não foram afastados, afinal de contas, eles ainda estão recebendo seus salários direitinho.
    Pq ELES não levaram bonde para o plantão do Decap???
    Hããããã…..
    Estão é se borrando de medo de serem jogados no Decap??? Nada. Nunca serão!! No final, ngm fez nada, acabou em pizza.

  18. AZEITONAS:

    CALMA CALMA, ISSO N~ÇAO VAI DURAR MUITO TEMPO. A TIA NÃO FOI ACEITA POR NENHUM CARDEAL, ELA NÃO TINHA PRA ONDE IR, NEM ELA MEN SEUS ÓTIMOS DELEGADINHOS. PRESTEM ATENÇÃO: QUANDO O SSPINTO CAIR, LOGO APÓS O CARNAVAL, ELES, OS DELEGADOS, SÃO ESSES QUE NÓS QUEREMOS, VIRÃO PARA OS NOSSOS BRAÇOS, PULE DE DEZ QUE VEM AQUI PRO DECAP. É SÓ ESPERAR O SSPINTO CAIR, NÃO VAI DEMORAR.

    O AZEITONÃO AQUI SABE O QUE FALA.

    AVANTE AZEINAS!!!

  19. Alguem sabe onde foi registrado o boletim do delegado que atirou no cunhado, uns diziam que foi no 24 dp, ou no 13 casa verde, no dia 23/08/2010

  20. NÃO INTERESSA ONDE ESTES LIXOS ESTEJAM.
    NUNCA MAIS SEUS NOMES SERÃO ESQUECIDOS.
    NO DECAP (VIETNÃ) SUAS CADEIRAS SÃO CATIVAS.

  21. A CORREGEDORIA PRECISA DE GENTE SÉRIA PRA TRABALHAR, ACREDITO QUE A FUNÇÃO DESTE ORGÃO DEVERIA SER ”PUNIR E PROTEGER’ O POLICIAL QUANDO ACUSADO INJUSTAMENTE, E ISSO SÓ SE CONSEGUE COM GENTE QUE SAIBA FAZER JUSTIÇA, HA MUITAS DENUNCIAS FALSAS CONTRA POLICIAIS, O QUE DEVERIA PRIMEIRO SER INVESTIGADO E NÃO PREPARAR O FLAGRANTE JUNTAMENTE COM O DENUNCIANTE QUE MUITAS VEZES SÃO BANDIDOS,TRAFICANTES,VERIFIQUEM O ANTECEDENTE DE QUEM ESTA DENUNCIANDO UM POLICIAL.

  22. TEM MAIS LÁ QUE QUEREMOS NO DECAP:

    MONICA E PATRICIA, TINHA OUTRA BESTA LÁ MAS FOI RIPADA PARA O DHPP.

  23. DIZEM QUE CAIU HOJE AS 11 HORAS DA MNH~, APÓS UMA REUNIÃO QUE TEVE NO PALÁCIO.
    O NOVO SECRETÁRIO PODE SER O REGIS DE OLIVEIRA, SAULO E UM OUTRO….

  24. AFINAL, O QUE VOCES ESPERAVAM DA CORREGEDORA ?
    POR ONDE ELA PASSOU SO FEZ MERDA, ANGARIOU INIMIGOS, TROUXE A DEGRAÇA COM ELA, EXU, POMBAGIRA,GALINHA PRETA, E DESPACHO NA ENCRUZILHADA.
    ELA DEVE VOLTAR URGENTEMENTE A SER DONA DO LAR.
    LAR QUE HA MUITO TEMPO JÁ ACABOU.

    TEMOS DE PARABENIZAR NOSSOS HEROIS, ESTAGIÁRIOS PROBATÓRIOS, APADRINHADOS QUE A DERRUBARAM E DERRUBARAM FEIO !
    TANGANELI, IVANEY,PÓRRIO,ABADIA, NENHUM DELES CONSEGUIU DESPACHAR A MEDEIA, MAS OS PROBATÓRIO CONSEGUIRAM COM HONRAS INTERNACIONAL.

    ISSO É QUE FOI UM VERDADEIRO TIRO NO PEZINHO, QUE COISA MAIS LINDA… TORTURADORES E CALOUROS NA POLÍCIA, PROTEGIDOS PELA EGRÉGIA CORREGEDORIA.

    A CORREGEDORIA HOJE É UM ÓRGÃO QUE DEVERIA ATÉ MUDAR DE NOME, PORQUE NÃO TEM MAIS A MÍNIMA CREDIBILIDADE.

    UM DETERMINADO ADVOGADO JÁ ENTROU COM PEDIDO NA JUSTIÇA PARA DESARQUIVAR 9 PROCESSOS.
    VOCES SABEM QUE OS TONTOS DOS CALÇOLAS SÓ ASSINAVAM AS TROLHAS, MAS QUEM DETERMINAVA O QUE SERIA FEITO ERA A HITLER DE SAIAS ?
    TEM DELEGADO ANTIGO QUE PEDIA ABSOLVIÇÃO PARA O POLÍCIA E ELA MANDAVA DESCER A SINDICÂNCIA COM PEDIDO DE PROCESSO ADMINISTRATIVO.

    COMO DIZIA O POETA….INEZ É MORTA.
    MORREU HA MUITO TEMPO PARA A INSTITUIÇÃO, PARA OS FILHOS, MARIDO, E AGORA SERÁ SUICÍDIO LENTO.

    COMEÇA PARA ELA UMA LONGA NOITE DE DIAS INTERMINÁVEIS, ENTREGUES A PRÓPRIA CONSCIÊNCIA , O MUNDO LHE SERÁ PEQUENO…

    SE ONTEM PEDIA PRA SAIR, HOJE PEDE PRA SUMIR.

  25. Atenção, você do povo que foram vítimas de extorsão por parte de policiais corruptos. Entrem neste blog e postem quem exigiu dinheiro, quanto foi e como efetuaram o pagamento.
    Corrupto não faz um, faz mais de cem.
    Vocês ai de Parelheiros… Postem aqui se alguma vez alguém do 25 DP pediu dinheiro para acertar algum fato.

  26. O RENZO TÁ INDO PRA SEDE DO DEINTER 4 BAURU. MAIS UM PARA ENCOSTARNO DEINTER 4. AGORA TERÃO QUE ARRUMAR UMA VIATURA PARA ELETAMBÉM. UM MOTORISTA PARA LEVAR E TRAZER ETC….OPROBLEMA SERÁ DIVIRID A TAREFA COM OS OUTROS DELEGADOS QUE LÁ ESTÃO “TRABALHANDO, VIAJANDO ETC”. SE TOROS OD DELEGADOS QUISEREM DESPIR UMA ESCRIVÃ NÃO HAVERA CADEIRA SUFICIENTE NA DESDE DOS DEPARTAMENTOS.ETHA ADMINISTRAÇÃO PORRETA

  27. ESSE AÍ FOI PARA A SEDE DO DEINTER 4. MAIS UM PARA ATRAPALHAR OS “TRABALHOS” DOS OUTROS CINCO QUE LÉESTÃO

  28. Cuspo Atômico – vítima é a sua mãe, que gerou um lixou feito você!

  29. VAMOS PARABENIZAR, OS SENHORES DELEGADOS DE POLÍCIA:
    RENZO SANTI BARBIN, EDUARDO HENRIQUE DE CARVALHO PINTO “DUDA LOUCA” BIXONA NÉ?, E GUSTAVO HENRIQUE GONÇALVES, QUE CONSEGUIRAM MANDAR PARA A CASA DO CARALHO A “BRUXA DO MAR” TIA MARIA INÊS. OS QUAIS PARTICIPARAM DA “CANA” DO ANO DE 2009 DA CORRÓ. E O OSCAR VAI PARA…………….. VCS MAJURAS DE BOSTA . MEUS SINCEROS AGRADECIMENTOS!!!!!!!!
    SÓ GOSTARIA DE SABER QUEM VOCÊS VÃO PRENDER AGORA? RSS

  30. Cuspo Atômico – AHEEEEEEE, SABIA QUE VOCÊ ERA UMA “BIXONA”. !!!!! COM CERTEZA NÃO GOSTA DAS MULHERES, OU TEM O PAU MUITO PEQUENO.!!!!! KKKKKKKKKK

  31. Vamo mostrar os cara das fita
    que acharca nois com papo terrorista
    é dois palito pra nois dedá e dar os nome
    dos polica ladrão lá do 25 depê…

    Vamo lá, maluco, mostrar as cara
    de tudos eles que fais as fita patrimonio….
    Que nois sabe que o esquema é quadrilha

    Todos voces sangue bom desse nosso cenário,
    fundão de Parelheiros, que a noite define,
    muito dedo no gatilho, ferro lotado até a boca
    no tambor tem seis , mundo do crime!
    Vem chegando, vem chegando na moral…..

    Mano, pode crer ! Isso aqui vai ser
    um microfone ligado do nosso proceder!
    Mano Eduardo aqui do meu lado,
    esse sim é meu aliado; é nóis !!!

  32. Cambada de manés. Corregedoria não é pra proteger nem para orientar.
    Vcs ão policia pra que? Pra orientar ladrão? Pra proteger 171 ?
    Polícia é pra dar cana. Apurar os fatos. Meter IP e indiciar.
    Proteger e orientar é serviço de psicólogo. Lá na mike tem disso.

  33. O INTERRESSANTE É QUE A AUTORIDADE SAI DA DGP. E VAE PARA A HOMICIDIOS E DE LA NÃO SAI NINGUEM,QUANTAS EQUIPES TEM LA. SEGUNDO AS ESTATISTICAS DA SECRETARIA OS HOMICIDIOS ESTÃO SUMINDO ENTÃO O QUE É QUE OS POLICIAS INVESTIGAM NO DHPP.
    NO DECAP ESTA PRECISANDO DE DELEGADOS,ELES APRENDEM A FAZER PLANTÃO,E VÃO CONHECER O CRIME,É SO NÃO QUERER VTR. PARA ZOAR PELO PEDAÇO,SENÃO O TITO VAE CHIAR

  34. PO OS CARAS FIZERAM TUDO ISSO E FORAM PARA A DGPAD, EU QUE TO AQUI NO VELHO DECAP DE GUERRA, ZERADO DE BRONCA NA CORRO, QUEBRANDO PEDRA, NINGUEM ME CONVIDA PRA IR PRA DGPAD. TO FICANDO MOLE MESMO!

  35. Cuspo Atômico

    Por que vc não diz pra todos que foram vítimas de extorsão irem à Corregedoria fazer denúncias, por que vc só diz pra irem os da área do 25 DP? Você quer o que, defender esses delegados? É advogado deles ou um deles? Pelo que vi a única pessoa q defende esses delegados de merda é a Maria Ines, porque o resto já deixou eles na mão.

Os comentários estão desativados.