MAIS UMA CENSURA DO GOOGLE AO FLIT PARALISANTE…AGORA POR CONTA DA SIMPLES EDIÇÃO DE VÍDEO PUBLICADO PELA PRÓPRIA ROTA NO YOU TUBE … 14

Entenda o caso:

O Flit Paralisante  quando das suspeitas sobre a ação da Rota que acabou na morte de seis criminosos que tentaram roubar caixas eletrônicos  aproveitou vídeos e imagens  - cerca de QUINZE DIAS  antes divulgados na Internet – para a elaboração de postagens acerca dos fatos;  como sempre APENAS  ILUSTRANDO E AGREGANDO CONTEÚDO A MATERIAL PREVIAMENTE DIVULGADO PELA IMPRENSA PROFISSIONAL…

As fotos e vídeo foram publicadas por policiais militares da própria ROTA: nov@es!!!

Contudo, absurdamente, uma vez mais, o FLIT PARALISANTE sofreu  as consequências.

https://flitparalisante.wordpress.com/2011/08/23/rota-suposto-crime-de-roubo-seguido-de-resistencia-e-morte-ocorrido-no-comprebem-fotos-originais-i/#comments

Rota é suspeita de emboscada para dar “recado” a ladrões em SP …a precisão dos tiros dados pelos PMs –a maior parte na cabeça– indica que não havia a intenção de prender, mas de matar.

Rota é suspeita de emboscada para dar “recado” a ladrões

Investigação indica que PMs chegaram ao local onde houve o suposto confronto 4 h antes de início do roubo

Ação em mercado da zona norte deixou seis mortos e pode ter sido feita para inibir ataques a caixas eletrônicos

ANDRÉ CARAMANTE

DE SÃO PAULO

A operação da Rota (grupo especial da PM) e do 18º Batalhão, que resultou na morte de seis homens que tentavam roubar caixas eletrônicos, pode ter sido uma emboscada, segundo investigação da Polícia Civil, da Corregedoria da PM e do Ministério Público Estadual. Inicialmente, o tenente-coronel Paulo Telhada, chefe da Rota, e o capitão Fábio Paganotto Carvalho, do 18º Batalhão, disseram à PM que a Rota estava em Santo André e foi chamada após a polícia ser avisada do assalto ao CompreBem de Parada de Taipas, zona norte, no dia 5. Os investigadores do caso, porém, foram avisados por policiais que os PMs chegaram ao local quatro horas antes e ficaram de tocaia até a chegada dos ladrões. A Folha apurou que a suspeita é que a ação foi premeditada para “mandar um recado” aos ladrões de caixas eletrônicos -500 equipamentos foram atacados em SP neste ano. A investigação quer descobrir por que os PMs não evitaram o suposto tiroteio, já que chegaram antes, e por que os policiais desviaram o foco da câmera de segurança. A Folha obteve 71 fotografias do local do crime e as enviou para Nelson Massini, professor da Faculdade de Direito da Uerj e uma das maiores autoridades em medicina legal do Brasil. Para ele, a precisão dos tiros dados pelos PMs -a maior parte na cabeça- indica que não havia a intenção de prender, mas de matar. “Nos corpos, há lesões que indicam que eles podem ter sido rendidos e mortos depois. Também há tiros nas mãos, o que evidencia uma tentativa de defesa.” “O laudo pericial dará segurança para afirmar se os tiros foram dados quando os homens estavam de joelhos, por exemplo”, disse. O capitão Carvalho, nos anos 2000, foi do Gradi, extinto setor da PM que recrutava presos irregularmente a fim de infiltrá-los no PCC. Em 2002, 12 homens foram mortos no pedágio de uma rodovia em Itu, numa emboscada do Gradi. Por causa disso, 53 PMs e dois presos são alvo de uma ação penal.

Governador Geraldo Alckmin encaminha proposta reconhecendo – por Direito e Justiça – como jurídica a carreira de Delegado de Polícia…Toda a Polícia Civil será fortalecida 50

Enviado em 24/11/2011 as 18:58 - CUNHA

 São Paulo propõe transformar função de delegado em carreira jurídica

Alteração aumenta a responsabilidade jurídica dos 3.200 delegados de polícia do Estado e as exigências para ingresso na carreira, por concurso público

Cris Castello Branco

Governador Geraldo Alckmin encaminha à Assembleia Legislativa a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) que modifica a função de delegado de polícia Download AnteriorPosterior

(Atualizada às 17h)

O governador Geraldo Alckmin assinou nesta quinta-feira, 24, uma Proposta de Emenda Constitucional (PEC) que transforma a função de delegado de polícia em carreira jurídica, como a dos juízes, promotores, procuradores e defensores públicos. A proposta segue agora para apreciação da Assembleia Legislativa.

Essa PEC é uma aspiração de décadas dos delegados de Polícia de São Paulo. É uma valorização do trabalho do delegado de polícia, do seu trabalho jurisdicional, uma valorização da carreira, melhor preparo para o concurso público e ingresso na carreira, é um salto de qualidade importante”, declarou o governador.

A alteração aumenta a responsabilidade jurídica dos 3.200 delegados de polícia do Estado e as exigências para ingresso na carreira, por concurso público. Se aprovada a PEC, os candidatos a delegado deverão comprovar experiência jurídica de dois anos.

“A exigência de tempo de atividade jurídica será dispensada para os que contarem com no mínimo dois anos de efetivo exercício em cargo de natureza policial civil, anteriormente à publicação do edital de concurso”, define o novo parágrafo 5º do artigo 140. A PEC altera a redação dos parágrafos 2º, 3º, 4º e 5º do artigo 140 da Constituição do Estado de São Paulo.

A mudança assegura aos delegados “independência funcional pela livre convicção nos atos de polícia judiciária”, por exercerem “atribuição essencial à função jurisdicional do Estado e à defesa da ordem jurídica”.

A transformação da função de delegado em carreira jurídica foi sugerida ao governador pela Secretaria da Segurança Pública, a partir de estudos para elevar a qualificação dos profissionais envolvidos na polícia judiciária, nesse caso em particular, os ocupantes do cargo de delegado,  a fim de proporcionar a população um serviço aperfeiçoado e melhor qualificado.

Na exposição de motivos encaminhada ao governador, o secretário da Segurança Pública, Antonio Ferreira Pinto, afirma que a PEC tem o “objetivo principal imediato de elevar o nível de qualificação dos profissionais envolvidos na atividade de polícia judiciária, em especial os integrantes da Polícia Civil ocupantes do cargo de Delegado de Polícia, e por extensão o próprio projeto de aperfeiçoamento institucional da Polícia Civil de São Paulo dentro do moderno Estado democrático e de Direito”.

A transformação da função de delegado de polícia em carreira jurídica proporcionará, de acordo com Ferreira, “as condições necessárias para a livre convicção motivada nos atos de polícia judiciária aos Delegados de Polícia, dando-lhes segurança quanto ao exercício de suas funções, e significando já, em termos de cenário, que o novo será melhor do que o atual”.

A reforma servirá para fundamentar a carreira de Delegado de Polícia como atribuição essencial à função jurisdicional do Estado e à defesa da ordem jurídica, correlato do Estado de Direito, e aumento na qualificação profissional exigida para o ingresso na carreira, com a introdução do requisito temporal inexistente hodiernamente.

A PEC da carreira jurídica dos delegados faz as seguintes alterações na Constituição Estadual:

“§ 2º – No desempenho da atividade de polícia judiciária, instrumental à propositura de ações penais, a Polícia Civil exerce atribuição essencial à função jurisdicional do Estado e à defesa da ordem jurídica.

§ 3º – Aos Delegados de Polícia é assegurada independência funcional pela livre convicção nos atos de polícia judiciária.

§ 4º – O ingresso na carreira de Delegado de Polícia dependerá de concurso público de provas e títulos, assegurada a participação da Ordem dos Advogados do Brasil em todas as suas fases, exigindo-se do bacharel em direito, no mínimo, dois anos de atividades jurídica e observando-se, nas nomeações, a ordem de classificação.

§ 5º – A exigência de tempo de atividade jurídica será dispensada para os que contarem com, no mínimo, dois anos de efetivo exercício em cargo de natureza policial-civil, anteriormente à publicação do edital de concurso. (NR)

Com a alteração, os atuais parágrafos terceiro, quarto e quinto do artigo 140 da Constituição do Estado serão renumerados para sexto, sétimo e oitavo, não sofrendo nenhuma mudança.

Da Secretaria da Segurança Pública

NOS AJUDE A DENUNCIAR ABUSOS DA PM AQUI EM PRESIDENTE PRUDENTE 19

———- Mensagem encaminhada ———-
De:
 24 de novembro de 2011 16:35
Assunto: RE: NOS AJUDE A DENUNCIA  ABUSOS da pm aqui em presidente prudente sp BRASIL
Para: dipol@flitparalisante.com
http://www.tvfronteira.com.br/site/index.php?ga=noticias&noticia_id=17295

Inquérito sobre torcedores baleados é prorrogado de novo
Do SPTV-2

Foi prorrogado pela segunda vez o prazo para a conclusão do inquérito que investiga os disparos que atingiram duas pessoas no confronto entre a Polícia Militar e torcedores. A confusão começou antes da partida entre Palmeiras e Corinthians, em Presidente Prudente, no dia 28 de agosto. As vítimas forma levadas ao Hospital Regional de Prudente. Um dos rapazes teve alta dias após o incidente e o outro ainda permanece internado. Roberto Vieira de Castro Filho, atingido na região da cintura, foi operado e passou nove dias na Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Hoje o rapaz já está na enfermaria, mas não há previsão de alta. “Meu filho veio para a cidade assistir o jogo cheio de saúde, andando e agora vai sair de maca. Não sei quando nem como vou levar ele embora“, comenta a mãe do torcedor internado, Lúcia Helena Vieira. Em nota, a Polícia Militar explica que os primeiros 40 dias não foram suficientes para concluir as perícias e os depoimentos de testemunhas. Também não bastaram os outros 20 dias de prorrogação, que terminaram quinta-feira (27). Por isso, mais um prazo extra foi pedido à Justiça Militar. “Eu não acredito nessa Justiça, eu acredito que a impunidade é muito grande e ninguém faz nada para ninguém. Eu tenho medo que o caso do meu filho seja mais um que vai acabar em PIZZA“, lamenta Lúcia. De acordo com a assessoria de comunicação do Batalhão de Prudente, a Justiça Militar deve se pronunciar no início da próxima semana, 31 de outubro, sobre o novo prazo para conclusão da investigação.


Moro em prudente e toda hora vejo abusos  Espancamentos, torturas, prisão ilegal, invasão de domicílio, homicídios e ameaças da pm .
 por favor ajude a divulga esses abuso da PM .
eles pratica os abusos e sai bem em todas. tem uma tatica de se defende e nao a puniçao para ele.
os policias milita do SJD se junta pra protege os PM
aqui vai um video de um abuso recente.

ERA UMA VEZ NO ESTADO MAIS RICO DA FEDERAÇÃO… 4

Sem transporte

Falta de viatura faz Justiça soltar presos por tráfico de drogas

Eduardo Velozo Fuccia

 

Créditos: Vanessa Rodrigues

Com o trio foram localizados 14,6 quilos de maconha
No Estado mais rico da federação, um homem e duas mulheres presos com 14,6 quilos de maconha e corréus de processo por tráfico de drogas foram colocados em liberdade pela Justiça devido à falta de viatura para levá-los a audiências judiciais.
A falta de transporte, por duas oportunidades, motivou o advogado William Cláudio Oliveira dos Santos a requerer a liberdade da cliente, Renata Villar de Souza, sob alegação de “excesso de prazo” no processo. O promotor Marcelo Perez Locatelli concordou.
A juíza Débora Faitarone Pereira, da 1ª Vara Criminal de São Vicente, deferiu o requerimento da defesa e, por um princípio de isonomia, o estendeu aos demais acusados: Klevson Márcio de Andrade Cabral Costa e Natasha Evekyn Pereira da Costa.
Os acusados foram presos em flagrante por policiais militares, na periferia de São Vicente, no dia 13 de abril deste ano. Renata, de 29 anos, dirigia um Fiat Palio e não obedeceu à ordem de parada, fugindo pela contramão. Momentos depois, os patrulheiros interceptaram o carro e o vistoriaram.
Klevson, de 33 anos, Natasha, de 18, e uma adolescente de apenas 14, namorada de Klevson, eram passageiros do carro. No banco traseiro, os policiais acharam uma mochila com 29 tabletes de maconha, totalizando 14,6 quilos. Os acusados teriam buscado o entorpecente em São Paulo.

Limeira: Mulher, filhos e cunhadas do prefeito ( PDT ) são presos em operação do MP…( FAMÍLIA QUE ROUBA UNIDA NUNCA PERMANECE UNIDA ) 11

SP: mulher e filhos de prefeito são presos suspeitos de corrupção

24 de novembro de 2011 09h17 atualizado às 13h15 

Rose Mary de Souza
Direto de Campinas

Uma operação do Grupo de Ação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Publico e Rondas Ostensivas Tobias Aguiar (Rota) da Polícia Militar deflagrada na manhã desta quinta-feira prendeu a primeira-dama de Limeira, no interior de São Paulo, Constância Dutra Félix, e seus dois filhos, Maurício Félix e Murilo Félix. Eles são suspeitos de fazer parte de uma quadrilha de lavagem de dinheiro.

A primeira-dama foi presa em casa onde também foram apreendidos documentos e computadores. Maurício foi localizado por volta das 10h em Piracicabade, cidade vizinha. O prefeito Silvio Félix (PDT), por outro lado, não teve a prisão decretada devido ao foro privilegiado.

Também já estão presos o assessor político Carlos Henrique Pinheiro, os irmãos da primeira-dama, Verônica Dutra Amador, Lucimar Berberti Dutra e David Berberti Dutra, o contador, Daniel Henrique Gomes da Silva, Lucélia Baliani e Maria Alves de Souza.

Foram expedidos 15 mandados de prisão contra pessoas suspeitas de lavagem de dinheiro, formação de quadrilha, falsidade ideológica e corrupção dentro da prefeitura. De acordo com o Ministério Público, os prejuízos aos cofres públicos ultrapassam R$ 20 milhões.

Colaborou com esta notícia o internauta Wagner Guidi, de Limeira (SP), que participou do vc repórter, canal de jornalismo participativo do Terra.

MARILDA e ADPESP conquistam assinatura da PEC dos Delegados de Polícia 18

Assunto: Obrigada

Caríssimos,

Estamos agora a  meio passo da maior conquista para nossa classe nas últimas décadas. É um  momento histórico, onde a Polícia Civil começa a escrever uma nova história…  na verdade a sua própria história.

É também o momento de agradecer a todos que,  de alguma forma, participaram desse doloroso e longo processo que se coroa de  êxito hoje ( 24 de novembro ), com a assinatura do governador do Estado encaminhando a nossa  sonhada PEC para a Alesp.

Cada um de nós é  parte dessa história que começa a ser escrita e a cada um de nós, estendo meus  agradecimentos, meu carinho e minha sincera amizade.

Rendo a cada um minhas  homenagens porque cada um é responsável pela criação da nova imagem dos  Delegados de Polícia que veio substituir aquela deturpada pelos resquícios da  corrupção, da subserviência, da venalidade e do descompromisso com nossos reais  e coletivos interesses.

Deus, em sua  infinita bondade é também e acima de tudo justo e está promovendo a esperada  Justiça para nossa classe tão sofrida, humilhada, esquecida, vilipendiada, mas  forte, altaneira, capaz de suportar todas as agruras e tentativas de  esvaziamento, porque Deus está onde a verdade está…

Obrigada a  todos… Deus proteja e abençoe a todos…

Forte abraço aos “irmãos” de sangue suor e lutas, cujos frutos estão começando a madurecer…  muitos outros virão.

Marilda

——————————————-

Constituição Estadual:

§4ºLei Orgânica e Estatuto disciplinarão a organização, o funcionamento, os direitos, deveres, vantagens e regime de trabalho da Polícia Civil e de seus integrantes, servidores especiais, assegurada na estruturação das carreiras o mesmo tratamento dispensado, para efeito de escalonamento e promoção, aos delegados de polícia, respeitadas as leis federais concernentes.

Observação: Na Polícia Civil não existe possibilidade de lei beneficiar os Delegados sem que , concomitantemente, também beneficie todos os demais integrantes.

Se a Marilda e Adpesp conquistarem o direito a aposentadoria na classe especial -  ISONOMICAMENTE  AOS OFICIAIS QUE PODERÃO SE APOSENTAR COMO CORONEIS – O MESMO DIREITO SERÁ APLICÁVEL A TODAS AS CARREIRAS.

Igualmente, caso se conquiste a diminuição do tempo de carreira -  de 25 para 21 anos  - para promoção a 1a. classe.

A ADPESP ,  sob a presidência da Marilda , tem conquistado benefícios para todos os Polícias Civis, pois não permaneceu em histórica inércia abençoando a Delegacia Geral.

CRIMINALIDADE COM LOCAL , DIA E HORA: Em São Paulo pai não pode beijar filho; irmão não abraça irmão…CARINHO E AFETO É COISA DE VIADO! 6

A agressão aconteceu na região da Avenida Paulista. O Governo de São Paulo sabe onde determinados crimes acontecem com frequência, mas não consegue prevenir. Estas e outras notícias do Brasil e do Mundo de segunda a sábado, 19h20, no Jornal da Band. Este vídeo também pode ser visto no portal band.com.br .

Reportagem de Sandro Barboza
Imagens de Josenildo Tavares
Edição de Camila Moraes

PM em greve invade Assembleia Legislativa por melhorias funcionais e salariais 13

Enviado em 24/11/2011 as 0:39 - MILTINHO

Policiais militares do Maranhão invadem Assembleia Legislativa Categoria decretou greve por tempo indeterminado na noite desta quarta-feira

Wilson Lima, iG Maranhão | 23/11/2011 23:25 Notícia anteriorPPS vai ao Supremo para impedir estatização da Fundação SarneyPróxima notíciaPoliciais militares do Maranhã invadem Assembleia Legislativa

Texto: Cerca de mil policiais militares do Maranhão invadiram na noite desta quarta-feira a Assembleia Legislativa do Estado após a categoria decretar greve por tempo indeterminado.

A ideia do movimento grevista é pressionar o governo do Estado a considerar um aumento salarial de 30%, entre outros benefícios.

O clima é tenso e os policiais militares que aderiram ao movimento falam que se houver qualquer tentativa de tirá-los do edifício haverá confronto.

Prevendo uma possível paralisação da categoria, a  governadora Roseane Sarney já solicitou apoio da Força Nacional de Segurança.

Os policiais que estão no local afirmaram que vão passar a madrugada no edifício e que estudam a possibilidade de invadir o plenário.

STF confirma que o Direito Brasileiro – apesar do bacharelado Paulista – continua evoluindo 8

23/11/2011 19h15 – Atualizado em 23/11/2011 19h32

STF confirma liberdade de protestos pela legalização de drogas

Tribunal confirmou decisão tomada em junho de liberar manifestações. Relator disse que não se pode confundir criminalização com debate.

Débora Santos Do G1, em Brasília

//

Os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) confirmaram nesta quarta-feira (23) a posição em defesa do direito de cidadãos promoverem manifestações pela legalização de drogas em todo o Brasil. Em junho deste ano, o STF já havia tomado a decisão de liberar os protestos.

A pedido da Procuradoria-Geral da República, o tribunal mudou a interpretação do artigo da Lei de Drogas, que proíbe induzir, instigar ou auxiliar alguém ao uso indevido de droga.

  • Por unamidade, o plenário da Corte decidiu que o argumento de apologia ao uso de drogas não pode mais ser usado para impedir a liberdade de expressão das manifestações.

No julgamento de junho, essa posição do STF tinha sido tomada apenas com relação ao Código Penal brasileiro.

Para o relator do caso, ministro Carlos Ayres Britto, impedir a realização das manifestações com esse objetivo seria ferir o direito à liberdade de expressão e reunião, garantido pela Constituição Federal.

“Não se pode confundir a criminalização da conduta com o debate dessa criminalização da conduta. Quem quer que seja pode se reunir para o que quer que seja, desde que se faça, obviamente, de forma pacifica. Só o pensamento critico é libertador. O direito de reunião assim constitucionalmente a céu aberto tonifica dois dos principais conteúdo da democracia, o pluralismo e a transparência”, disse Ayres.

Os ministros também voltaram a fazer a ressalva de que não é permitido nessas manifestações o uso de drogas, nem a defesa do consumo ilegal.

Alcance O ministro Gilmar Mendes argumentou sobre o alcance da decisão do Supremo. Ele afirmou que direito à liberdade de reunião talvez não possa ser permitido em todos os casos. Ele citou como exemplo a reação que a Justiça teria uma eventual marcha em favor da pedofilia.

“Não me parece que toda e qualquer reunião pode ser permitida. E se se começasse a defender a descriminalização da pedofilia, se quisessem fazer reunião na Praça dos Três Poderes com esse objetivo? Correremos o risco de tomar uma decisão que vai permitir algo que nós consideramos inclusive crime”, afirmou o ministro.

Os magistrados argumentaram que a interpretação deve ser feita em cada caso para não admitir que a liberdade de ideias seja usada para atacar outros direitos ou o funcionamento da sociedade.

“A questão da política das drogas é uma questão discutível, não significa necessariamente, em caso de descriminação, nenhuma autorização para a prática de atos capazes de vulnerar direitos fundamentais individuais e nem de atentar contra a própria estruturação da sociedade”, afirmou o presidente do STF, ministro Cezar Peluso.

JOÃO ALKIMIN: A coerência do Governador do Estado e do Secretário de Segurança Pública 9

Há alguns anos atrás o Delegado Calandra foi indicado para um posto nem tão importante assim na Policia Civil, imediatamente iniciou-se uma grita dizendo que o mesmo não poderia assumir nenhum cargo mesmo que não fosse de tanta relevância, pois teria supostamente pertencido ao DOI- CODI e teria sido torturador.
Haviam provas?
Não.
Existiam apenas informações, poderia ser verdade, poderia ser mentira.
Foi então o mesmo defenestrado imediatamente do cargo e escondido em alguma divisão sem expressão, no dia de sua aposentadoria ao completar 70 anos, o Ilustre senhor foi “convidado” a comparecer ao gabinete do Secretário de Segurança Pública e, para lá se dirigiu o provecto senhor certo de que receberia pelo menos um aperto de mão, um agradecimento por todos os anos de trabalho e dedicação doados a Policia Civil, santa ingenuidade!
Enquanto aguardava na ante-sala uma equipe da Corregedoria da Policia Civil, a nossa querida STASI dirigia-se a seu gabinete para vasculhá-lo e ver se encontrava algum documento esquecido da época da Ditadura Militar.
Talvez ai alguma culpa me caiba, pois foi logo depois que eu denunciei arquivos da Ditadura guardados, ou jogados no DEINTER de Santos, comenta-se que inclusive uma equipe queria ter ido a casa do Delegado, mesmo sem ordem judicial.
O Delegado Conde Guerra repercutiu uma noticia que foi dada pela Rede Globo de Televisão, imediatamente com um processo executado a toque de caixa foi demitido,  levando dor e sofrimento não somente a ele mas também a sua família, pois na melhor das hipóteses tiraram criminosamente seu sustento e, volto a dizer, o Delegado Conde Guerra pode ser destemperado, talvez como eu, mas não é ladrão.
Continuando: Nos anos de chumbo um jovem tenente de sobrenome Chiari prestava serviços no DOPS São Paulo e, certa noite procurou em sua cela o suposto terrorista Bacuri e disse-lhe, apresentando-lhe um jornal “Bacuri você morreu!Olhe a noticia no jornal!”, nessa noite Bacuri foi retirado do DOPS e até hoje seu corpo não foi encontrado.
Passam-se os anos, esse jovem tenente chega a Major, ha uma rebelião na casa de detenção e esse já não tão jovem Major comanda uma unidade que invade o presidio e massacra os presos, é por esse motivo processado.
Como dizia o jovem cantor Cazuza “o tempo não pára!”.
Passa-se mais algum tempo, o Major é promovido a Coronel e assume a assessoria Policial Militar do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo, sendo o homem responsável pela segurança dos prédios, dos juízes e em ultima instância dos Desembargadores que iriam julgá-lo pelos múltiplos homicídios, pois não podemos nos esquecer que o réu principal era o então Deputado Coronel Ubiratan que tinha foro privilegiado por conta de ter sido eleito.
O Deputado Ubiratan foi condenado junto com os co-réus em primeira instância e, absolvido pelo Pleno do Tribunal de Justiça que tinha como seu chefe de Segurança o então coronel Chiari.
Agora, leio que o Secretário de Segurança Pública obviamente com o aval do Governador do Estado, designa para Comandante da ROTA o Coronel Salvador Madia, também envolvido no massacre do Carandiru, que não podemos nos esquecer levou nosso país a barra dos Tribunais Internacionais de Direitos Humanos.
Onde está a coerência?
O Delegado Calandra é execrado, o Delegado Guerra é demitido em um processo administrativo que beira ao ridículo e, um Oficial da PM processado criminalmente por um massacre que ficou em nossa história é brindado com o comando da ROTA, unidade que é conhecida por sua truculência.
O que querem, aonde querem chegar o Governador do Estado e o Secretário de Segurança Pública?
Não fui, nem sou defensor de bandidos, mas essa atitude é uma bofetada na face de todos aqueles que querem que os marginais sejam tratados com dureza, mas dentro dos ditames constitucionais.
As tão propaladas entidades de direitos humanos, a Ordem dos Advogados do Brasil, a Comissão de Justiça e Paz cabe a palavra.
Relembro aos leitores que no episódio “castelinho” e Carandiru, nenhum Policial Civil foi envolvido.
 Estou absolutamente chocado com a maneira com que se trata a segurança pública nesse estado, parece que estamos chegando ao fundo do poço, a única luz no fim do túnel que vejo seria uma mudança radical.
Está provado e não sou eu que digo,mas a história que mostra que Promotores de Justiça não são talhados para o cargo de Secretário de Segurança.
Vejamos: Pedro Franco de Campos, Promotor de Justiça – massacre da detenção; Saulo de Castro- massacre da castelinho; Ferreira Pinto- massacre praticado pela ROTA em um supermercado em São Paulo.
E mais, a meu juízo existe hoje uma vontade política de destruir o amor próprio dos Policiais Civis e de desmonte da Policia Civil.
Sei de Policiais que ao irem a Corregedoria são alvo de zombaria e achincalhe.
 Bem, essa é uma história que fica para uma próxima vez.
Espero que o Governador tome com o Coronel Madia, sem nenhum juízo de valor de minha parte, a mesma atitude que tomou com o Delegado Calandra, pois do contrário, mais uma vez verei a política de “dois pesos e duas medidas”.
João Alkimin