Operação da Corregedoria de SP desmonta esquema de fraude no Detran.SP 18

———- Mensagem encaminhada ———-
De: Portal do Governo do Estado de São Paulosaopaulosite@comunicacao.sp.gov.br
Data: 20 de dezembro de 2011 19:36
Assunto: Operação da Corregedoria de SP desmonta esquema de fraude no Detran.SP
Para: dipol@flitparalisante.com
Caso não consiga visualizar, clique aqui
Terça-feira, 20 de Dezembro de 2011

Operação da Corregedoria de SP desmonta esquema de fraude no Detran.SP

Cinco servidores públicos foram presos em flagrante por cobrança de propina em troca da liberação de documentos

Operação conduzida pela Corregedoria Geral da Administração, entidade estadual vinculada à Casa Civil, em conjunto com o Detran.SP e Polícia Civil flagrou a atuação de uma quadrilha formada por servidores públicos, funcionários terceirizados e despachantes, cobrando propina para facilitar a liberação de documentos dentro da sede administrativa do órgão de trânsito, no centro da capital paulista.

Na ação ocorrida na segunda-feira, 19, e que seguiu na madrugada do dia seguinte, 18 pessoas (14 servidores públicos, dois terceirizados e dois despachantes) foram detidas e levadas para a 2ª Delegacia de Crimes contra a Administração Pública. Deste total, cinco servidores públicos do Detran foram presos em flagrante. Eles responderão por crime de corrupção passiva e formação de quadrilha. Na operação, foram apreendidos R$ 14 mil em espécie que estavam em salas dos funcionários. Os demais detidos foram liberados após serem ouvidos por policiais e serão investigados. Os servidores públicos envolvidos foram afastados de seus cargos e também estão sujeitos às penalidades administrativas.

A investigação, realizada desde junho de 2011 pelo grupo de inteligência da Corregedoria e desde setembro a pedido da coordenadoria do Detran.SP, conseguiu reunir provas consistentes para incriminar servidores, despachantes e mobilizou nove corregedores. Os presos praticaram diversos delitos na capital paulista como crimes contra a administração pública, recebimento de propinas para facilitar a liberação de documentos, formação de quadrilha e falsidade ideológica.

No Detran.SP, três setores específicos foram investigados: o Protocolo Geral, o Suporte aos Ciretrans do Interior de São Paulo e Renavam. No setor de Suporte aos Ciretrans, foram apreendidos mais de R$ 12 mil em espécie e os funcionários públicos foram presos em flagrante. No setor de Protocolo, os policiais apreenderam cerca de R$ 2 mil, fruto da cobrança de propina.

As informações foram dadas em entrevista coletiva pelo presidente da CGA, Gustavo Ungaro, o delegado Anderson Giampaoli e o coordenador do Detran.SP, Daniel Annemberg. Eles informaram que a investigação continuará em todos os setores do Detran não só da capital paulista, mas também da Grande São Paulo e interior.

Redes Sociais Twitter YouTube Facebook Flickr Orkut
Da Casa Civil

(11) 2193-8716

www.saopaulo.sp.gov.br

Governo do Estado de São Paulo

  1. NOSSA QUE EFICIÊNCIA DO CACETE HEIN, SÓ AGORA DESCOBRIRAM QUE HAVIA UM ESQUEMA DE CORRUPÇÃO NO DETRAN, NÃO ACREDITO. QUEM SERÁ QUE FOI BANHADO?

  2. Terça, 20 de Dezembro de 2011 – 14h21

    Ex-vereador, policial e funcionário da Ciretran são presos por venda de CNHs
    Esquema de fraudes começou em Taquaritinga, mas as prisões foram em Várzea Paulista
    EPTV
    Tamanho da Letra A- A+

    Um ex-vereador, um policial civil e um funcionário da Circunscrição Regional de Trânsito (Ciretran) foram presos em Várzea Paulista, acusados de participar de um esquema de venda de Carteira Nacional de Habilitação (CNH), em Taquaritinga.

    O dono de autoescola e ex-vereador Émerson Afonso, o funcionário da Ciretran Elói Rodrigues da Fonseca e o policial civil Lugero José Arantes, que já foi investigador-chefe da Ciretran de Várzea Paulista, foram presos em suas casa e levados para a sede da Corregedoria da Polícia Civil, em Campinas. Eles irão responder por formação de quadrilha e corrupção passiva.

    A denúncia do esquema foi encaminhada pela promotoria de Taquaritinga, após a prisão do dono de uma autoescola e duas pessoas responsáveis por negociar os documentos, em outubro.

    As investigações começaram há cinco meses. “Duas pessoas agenciavam alunos interessados na carteira de habilitação. Eles levavam os clientes para a cidade de Várzea Paulista, onde era feita toda a parte de falsificação de documentos, comprovante de residência e autenticação falsa de documentos”, explicou o delegado Claudemir da Silva. Cada CNH era vendida por R$ 2,8 mil.

    As presenças nas aulas práticas e teóricas eram feitas utilizando formas de silicone com as digitais dos supostos alunos na identificação biométrica exigida pela Ciretran.

    A polícia já identificou 200 CNHs tiradas pelo esquema. Nove pessoas de Taquaritinga foram ouvidas, a maioria analfabeta. Todas serão indiciadas por falsidade ideológica, falsificação de documentos particulares e uso de documento público falso.

  3. É Caos, só porque há corrupção, tem de ser nossa…oras, isso já era esperado. Os hipócritas sempre associaram corrupção a polícia civil, e o restooooooo?????

  4. TEM DONO DE BLOG E PRESIDENTE DE ASSOCIAÇÃO QUE TRABALHAVAM EM CIRETRANS E NUNCA VI DENÚNCIA DE ESQUEMA DE CORRUPÇÃO CONTRA ELES. (he,he,he,he, he……..).

  5. O DETRAN SAIU DA POLÍCIA CIVIL POIS DERAM TODO O ESQUEMA PRO SECRETÁRIO FERREIRA PINTO E EU SEI QUEM FOI QUE DELATOU.

  6. ” HOMEM QUE SABIA DEMAIS ”

    -PRESIDENTE DE QUAL ASSOCIAÇÃO ?

  7. a diferença ´e que agora da para prender os ladroes que ainda atuam no DETRAN, antes estes ladrões eram “colegas”. o esquema é antigo e a corregedoria sempre soube e,acho eu, levava o “arrego”. parabens ao sr. secretario por ter extirpado este antro de ladroes da PC e parabens por ter extirpado outro antro que era a tal delegacia de acidentes do trabalho. ainda falta muito a fazer entre outros ainda falta acabar com o DPPC, primeiramente isto não é serviço de policia em segundo só tem ladrao e não serve pra nada.

  8. Alguém sab quanto custa $$$ uma C.N.H. agora com a nova gestão??????

    Preciso comprar uma C.N.H. ……?????

    Me ajudem por favor…..

  9. a SAÍDA do DETRAN deixando a SSP para a SGE……

    SÓ mudou as “MOSCAS”, …….,

    Porque a m………., continua a mesma!!!!

  10. Os Usuários não tem nada haver com a corrupção no DETRAN – SP, e estamos sendo prejudicados injustamente, porque enviamos documentos de outro Estado para a ridícula atualização de CRV e exclusão de sinistro através do CSV. E, agora nossos colegas Despachantes de SP, alegam que o DETRAN, não quer fazer o serviço e se ficar para o ano que vem, vão ter prejuízos e pagar IPVA adiantado

  11. “O HOMEM QUE SABIA DEMAIS :
    PARÁBENS REBOUÇAS, PARABÉNS BAILONI,AGORA INVESTIGADOR DE POLÍCIA VAI SER TAMBÉM CARCEREIRO, BELO NÍVEL SUPERIOR QUE OS SENHORES CONSEGUIRAM, FILHOS DE UMA PUTA, SÓ SABEM COBRAR MENSALIDADES CARAS E NADA FAZEM.”
    ————————————————————————————————————————–
    ACIMA UM COMENTÁRIO DE UM TIRA QUE SE PREOCUPA SÓ COM SEU UMBIGO.

    Os carcereiros merecem essa promoção, já fazem trabalho de investigador faz tempo!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    Não sou carcereiro não, sou aux. de papiloscopista policial, mas fico alegre com essa noticia.

    Agora falta o governador unificar os auxiliares com os papiloscopistas, para se fazer justiça, já que os aux. de papiloscopistas a muito fazem boa parte do trabalho dos papiloscopistas.

    Meus mais sinceros parabens aos carcereiros da policia civil.

    E aos tiras arrogantes, vão se foder seus bostas, todas carreiras são policiais seus arrombados!!!!!!!!!!!!!!!

  12. O CIDADÃO BRASILEIRO QUE GANHA 1 SALÁRIO MÍNIMO TEM QUE ARCAR COM SUA MORADIA, SEJA PAGANDO ALUGUÉIS OU CONSTRUINDO UMA CASINHA AOS POUCOS. JÁ OS MAGNATAS DO PODER RECEBEM POUPUDOS VALORES A TÍTULOS DE AUXÍLIO MORADIA. ESSE BRASIL PRECISA DE UMA SUPER DOSE DE VERGONHA.

    21/12/2011 – 13h01
    Peluso, que recebeu R$ 700 mil do TJ-SP, defende Lewandowski
    PUBLICIDADE
    MÔNICA BERGAMO
    COLUNISTA DA FOLHA

    O presidente do STF (Supremo Tribunal Federal), Cezar Peluso, fez uma nota para defender a decisão do ministro Ricardo Lewandowski, que suspendeu inspeção feita pelo CNJ (Conselho Nacional de Justiça) na folha de pagamento do Tribunal de Justiça de São Paulo.

    Lewandowski recebeu pagamentos sob investigação, feitos a todos os desembargadores da corte por conta de um passivo trabalhista da década de 90.

    Leia a íntegra da nota em que Peluso defende decisão de Lewandowski
    Ministro do Supremo beneficiou a si próprio ao paralisar inspeção

    O próprio ministro Peluso, que, como Lewandowski, foi desembargador do TJ paulista, recebeu recursos desse passivo.

    Ele recebeu R$ 700 mil. Peluso considera que, apesar dos recebimentos, nem ele nem Lewandowski estão impedidos de julgar ações sobre o tema porque os ministros do STF não se sujeitam ao CNJ.

    Portanto, não seria possível falar que agem em causa própria ou que estão impedidos quando julgam a legalidade de iniciativas daquele órgão, já que não estão submetidos a ele, e sim o contrário, de acordo com a Constituição e com decisão do próprio STF.

    A corregedoria do CNJ iniciou em novembro uma inspeção no Tribunal de Justiça de São Paulo para investigar pagamentos que magistrados teriam recebido indevidamente junto com seus salários e examinar a evolução patrimonial de alguns deles, que seria incompatível com sua renda.

    Um dos pagamentos que estão sendo examinados é associado à pendência salarial da década de 90, quando o auxílio moradia que era pago apenas a deputados e senadores foi estendido a magistrados de todo o país.

    Em São Paulo, 17 desembargadores receberam pagamentos individuais de quase R$ 1 milhão de uma só vez, e na frente de outros juízes que também tinham direito a diferenças salariais.

    Tanto Peluso quanto Lewandowski dizem ter recebido menos do que esse valor.

    Lewandowski afirmou ontem, por meio de sua assessoria, que se lembra de ter recebido seu dinheiro em parcelas, como todos os outros.

    O ministro disse que o próprio STF reconheceu que os desembargadores tinham direito à verba, que é declarada no Imposto de Renda. Ele afirmou que não entende a polêmica pois não há nada de irregular no recebimento.

    A corregedoria tem deixado claro desde o início das inspeções que não está investigando ministros do STF, e sim procedimentos dos tribunais no pagamento dos passivos da década de 90. Ou seja, quem está sob investigação são os tribunais, e não os magistrados, que eventualmente se beneficiaram dos pagamentos.

    O órgão afirmou ontem ainda, por meio de nota, que não quebrou o sigilo dos juízes e informou que em suas inspeções “deve ter acesso aos dados relativos à declarações de bens e à folha de pagamento, como órgão de controle, assim como tem acesso o próprio tribunal”. Disse também que as informações coletadas nunca foram divulgadas.

    No caso de São Paulo, a decisão do Supremo de esvaziar os poderes do CNJ suspendeu investigações sobre o patrimônio de cerca de 70 pessoas, incluindo juízes e servidores do Tribunal de Justiça.

    Liminar concedida anteontem pelo ministro Marco Aurélio Mello impede que o conselho investigue juízes antes que os tribunais onde eles atuam analisem sua conduta –o que, na prática, suspendeu todas as apurações abertas por iniciativa do CNJ.

    No caso de São Paulo, a equipe do conselho havia começado a cruzar dados da folha de pagamento do tribunal com as declarações de renda dos juízes. O trabalho foi paralisado ontem.

    Leia a íntegra da nota de Peluso:

    “O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Cezar Peluso, repudia insinuações irresponsáveis de que o ministro Ricardo Lewandowski teria beneficiado a si próprio ao conceder liminar que sustou investigação realizada pela Corregedoria do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) contra magistrados de 22 tribunais do país. Em conduta que não surpreende a quem acompanha sua exemplar vida profissional, o ministro Lewandowski agiu no estrito cumprimento de seu dever legal e no exercício de suas competências constitucionais. Inexistia e inexiste, no caso concreto, condição que justifique suspeição ou impedimento da prestação jurisdicional por parte do ministro Lewandowski.

    Nos termos expressos da Constituição, a vida funcional do ministro Lewandowski e a dos demais ministros do Supremo Tribunal Federal não podem ser objeto de cogitação, de investigação ou de violação de sigilo fiscal e bancário por parte da Corregedoria do Conselho Nacional de Justiça. Se o foi, como parecem indicar covardes e anônimos “vazamentos” veiculados pela imprensa, a questão pode assumir gravidade ainda maior por constituir flagrante abuso de poder em desrespeito a mandamentos constitucionais, passível de punição na forma da lei a título de crimes.”

  13. o DG já avisou que a DCT vai acabar…
    vai entender.. cada dia tem mais gente barbarizando no trânsito, e o SSP vai extinguir a Delegacia de Crimes de Trânsito…
    O Desgualdo já foi avisado, e o Aldo, diretor do Dird, nem sabendo ele estava.. está cada vez mais desprestigiado com essa gestão

  14. http://www.md-despachantes.pt
    Intrastat

    • Todos os operadores económicos obrigam-se
    a enviar, mensalmente, ao Instituto Nacional
    de Estatística a declaração das transacções
    de bens, enviados e recebidos de/ou para
    a Comunidade Europeia, se forem atingidos
    os seguintes valores:

    Chegada Expedição
    Assimilação | 70.000,00 € | 110.000,00 €

    • Apoiamos os nossos clientes na obrigação legal de transmissão desta informação estatística

Os comentários estão desativados.