Semanário da Zona Norte presta homenagem ao Secretário de Segurança Pública Fernando Grella Vieira e ao Delegado Geral Luiz Mauricio Souza Blazeck 30

Semanário da Zona Norte presta homenagem ao delegado geral
Em cerimônia realizada na última segunda-feira (18), nas dependências do Novotel São Paulo Center Norte, o delegado geral de polícia Luiz Mauricio Souza Blazeck foi um dos homenageados da noite organizada pelo Semanário da Zona Norte.O diretor responsável do jornal Semanário da Zona Norte, João Carlos Dias, promoveu um jantar de homenagens e confraternização, onde estiveram presentes diversas autoridades dos Poderes Executivo, Legislativo e Judiciário, e das Forças Armadas, além de empresários, artistas e jornalistas.

Na oportunidade também foram homenageados o secretário da Segurança Pública Fernando Grella Vieira; o comandante geral da Polícia Militar, coronel Benedito Roberto Meira; e a superintendente da Polícia Técnico-Científica Norma Sueli Bonnacorso.

Medalha MMDC
A primeira solenidade da noite foi a outorga das medalhas MMCD alusivas ao Movimento Constitucionalista de 32, concedidas pela Sociedade Veteranos de 32, sendo uma delas recebida pelo delegado de polícia Eduardo Antonio Gobetti, da Delegacia de Estelionato do Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic). Ao receber a condecoração, Gobetti manifestou sua satisfação especialmente vinda de um representante da zona norte, local onde é a sede de seu trabalho.
O secretário municipal de Esportes, Lazer e Recreação Celso Jatene, também delegado de polícia, foi mais um dos agraciados e recebeu sua medalha pelas mãos do delegado geral.

A medalha visa homenagear personalidades civis e militares, nacionais e estrangeiras por seus méritos e serviços de excepcional relevância prestados ao culto da Epopeia Cívica de 9 de Julho de 1932 e a São Paulo.

Aniversariante
Outro delegado de polícia agraciado foi Francisco Alberto de Souza Campos, que recebeu, das mãos de João Carlos Dias e de Mauricio Blazeck, um quadro com seu nome, sua foto e os dizeres: “Mais do que um profissional de segurança pública de grande destaque, um irmão e um amigo. É assim que consideramos o delegado de Polícia Civil Francisco Alberto de Souza Campos a quem estaremos cumprimentando no dia 18 de novembro pela chegada de seu aniversário natalício. Parabéns e um grande abraço”.

Reconhecimento
João Carlos Dias ressaltou o filantropismo do delegado geral de polícia e o fato da maioria dos membros do Conselho da Polícia Civil estar presente. “Isso é sinal de integração, de trabalho integrado”, elogiou. Em seguida, convidou a empresária Gloria Baumgart para entregar a homenagem do Jornal ao delegado geral.Mauricio Blazeck recebeu seu retrato em quadro pintado pelo artista plástico Maurício Tedesco. Como sempre com muita gratidão em sinal de reconhecimento destacou o fato de que “toda vez que um artista plástico retrata uma pessoa, coloca ali sentimentos e isso é uma demonstração de carinho dos amigos, em especial da comunidade da Zona Norte, como um reconhecimento do trabalho de nossa instituição policial civil. Isso não deixa de ser uma recompensa. O maior dever do ser humano é a gratidão. E nós devemos ser gratos por aqueles que nos reconhecem”, finalizou.


Integração 
Em seu pronunciamento, o secretário Fernando Grella falou sobre o ato cívico e a responsabilidade de todos. “Segurança Pública não é um assunto só do Poder Público, mas é um tema que diz respeito a toda a sociedade. É dever do Poder Público, sim, mas é responsabilidade de todos”, disse referindo ao exemplo de integração que tem sido vivenciado na política de segurança pública e da importância das Políticas Públicas e do papel da imprensa.
Ao final, elogiou o equilíbrio e o bom senso que norteiam as ações do jornal Semanário da Zona Norte, que sempre divulga as boas ações da Segurança Pública, atuando de maneira institucional e cobrindo todos os temas com “independência, autonomia e responsabilidade”, agradecendo assim as honrarias promovidas pelo seu diretor.

Jornal Semanário da Zona Norte
O jornal existe há mais de 14 anos. O seu diretor responsável, João Carlos Dias, conheceu o trabalho da Polícia Civil quando presidia o Conselho Comunitário de Segurança (Conseg) da Zona Norte.

Nessa primeira festa fechada para homenagear integrantes da cúpula da Segurança Pública, ressaltou as qualidades do delegado geral Mauricio Blazeck: “É uma pessoa que aprendi a admirar. Pessoalmente pela filantropia, pela simplicidade, pelo grande profissional. Ele conseguiu unir a Polícia Civil com grandes ideias. Sempre digo que ‘Quem não sabe ouvir, não sabe falar’ e o Blazeck sabe ouvir muito. O mínimo que posso fazer é enaltecer o trabalho do delegado que, em breve, fará um ano que está ocupando a posição”, destacou o diretor.

por  Rina Ricci

PROPINOTREM – PSDB cada vez mais avacalhado; parece ser agremiação de quem bate carteira e grita pega ladrão 40

CÚPULA DO GOVERNO ALCKMIN CAI NO PROPINODUTO

Edição247-Divulgação:

Ex-diretor da Siemens Everton Rheinheimer denuncia formalmente ao Conselho Administrativo de Defesa Econômica um forte esquema de corrupção nos governos do PSDB em São Paulo; segundo ele, Edson Aparecido, braço direito do governador Geraldo Alckmin e hoje secretário da Casa Civil recebeu propinas das multinacionais entre 1998 e 2008; propinoduto na área de transportes, segundo Rheinheimer, visava abastecer o caixa dois do PSDB e do DEM; ele apontou ainda corrupção nos governos de José Serra e Mario Covas; outros nomes citados são dos secretários José Aníbal, de Energia, Jurandir Fernandes, de Transportes, Rodrigo Garcia, de Desenvolvimento Econômico, e até do senador Aloysio Nunes e do deputado Arnaldo Jardim; strike completo?

21 DE NOVEMBRO DE 2013 ÀS 06:53

SP 247 – É quase um strike. Um relatório entregue no dia 17 de abril deste ano ao Conselho Administrativo de Defesa Econômica cita praticamente toda a cúpula do governo de Geraldo Alckmin no chamado “propinoduto tucano”. A denúncia, formal, foi feita por Everton Rheinheimer, ex-diretor da Siemens, que afirmou dispor de “documentos que provam a existência de um forte esquema de corrupção no Estado de São Paulo durante os governos (Mário) Covas, (Geraldo) Alckmin e (José) Serra, e que tinha como objetivo principal o abastecimento do caixa 2 do PSDB e do DEM”.
O furo de reportagem, dos jornalistas Fernando Gallo, Ricardo Chapola e Fausto Macedo, do Estado de S. Paulo (leia aqui), aponta que o lobista Arthur Teixeira, denunciado por lavagem de dinheiro na Suíça, teria pago propinas ao deputado licenciado Edson Aparecido, atual secretário da Casa Civil e braço direito de Geraldo Alckmin. O documento também cita outros nomes graúdos do tucanato paulista, como os secretários José Aníbal, de Energia, Jurandir Fernandes, dos Transportes, e Rodrigo Garcia, de Desenvolvimento Econômico. Outros nomes mencionados pelo ex-diretor da Siemens são o do senador Aloysio Nunes Ferreira (PSDB-SP) e do deputado Arnaldo Jardim (PPS-SP) – este, também como beneficiário das propinas.
A denúncia do ex-diretor da Siemens tem peso importante porque é o primeiro documento oficial que vem a público com referência a propinas pagas a políticos ligados a governos tucanos. Até então, apenas ex-diretores de estatais como a Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) vinham sendo citados. Rheinheimer foi diretor da divisão de transportes da Siemens, onde atuou durante 22 anos. Ele disse ainda que o cartel “é um esquema de corrupção de grandes proporções, porque envolve as maiores empresas multinacionais do ramo ferroviário como Alstom, Bombardier, Siemens e Caterpillar e os governos do Estado de São Paulo e do Distrito Federal”.
No Distrito Federal, os desvios teriam ocorrido nos governos de Joaquim Roriz e José Roberto Arruda. Em São Paulo, ele cita os governos de Geraldo Alckmin, José Serra e Mario Covas. O fluxo das propinas ocorria por meio da empresa Procint, do lobista Arthur Teixeira, finalmente denunciado na Suíça, após dois anos de engavetamento do caso pela procuradoria-geral da República em São Paulo, por decisão do procurador Rodrigo de Grandis (leia mais aqui).Rheinheimer está colaborando com a Justiça, no regime de delação premiada. Sobre Edson Aparecido e Reynaldo Jardim, ele sustenta que “seus nomes foram mencionados pelo diretor-presidente da Procint, Arthur Teixeira, como sendo os destinatários de parte da comissão paga pelas empresas de sistemas (Alstom, Bombardier, Siemens, CAF, MGE, T’Trans, Temoinsa e Tejofran) à Procint”.

Sobre o senador Aloysio Nunes e os secretários Jurandir Fernandes e Rodrigo Garcia, o ex-diretor da Siemens diz ter tido “a oportunidade de presenciar o estreito relacionamento do diretor-presidente da Procint, Arthur Teixeira, com estes políticos”. Sobre José Aníbal, mencionou um assessor: “Tratava diretamente com seu assessor, vice-prefeito de Mairiporã, Silvio Ranciaro”.

http://www.brasil247.com/pt/247/sp247/121453/C%C3%BApula-do-governo-Alckmin-cai-no-propinoduto.htm