CASO RICARDO BOECHAT – O Poder Judiciário de São Paulo não pode se curvar diante dos interesses liberticidas da Polícia Militar… Ações enredadas são grave ameaça à liberdade de expressão 135

Ao longo de sua existência, o Brasil  conheceu a fúria repressiva dos militares  contra a liberdade de imprensa, como se deu sob a ditadura militar que nos infectou entre 1964 e 1985.

Entre 1964 e 1984, a ditadura destruiu a economia, institucionalizou a corrupção e fez da tortura e da execução sumária, práticas políticas. Envileceu os órgãos e serviços públicos  e, literalmente, assassinou dezenas de jornalistas que ousaram críticas contra homens fardados e seus simpatizantes.

Por achar feio tudo o que não é espelho: a ditadura criou as Polícias Militares…Até os dias de  hoje a sua mais completa tradução.

Contudo , jamais assistíramos  a uma investida contra a liberdade de informação com a abrangência e o conteúdo desta que , atualmente ,  se materializa nas ações judiciais armadas contra Ricardo Boechat e Band News.

Chicana pura…Litigância de má-fé manifesta!

Por meio desse procedimento,  caracterizado por dezenas de ações individuais e algumas coletivas pulverizadas por diversas Comarcas , buscam os autores de tais ações obter a cobertura do Poder Judiciário para cercear e condicionar o exercício do direito de informação.

Absurdamente, iniciativa judicial partida de pessoas estranhas aos fatos e aos comentários do jornalista ; pertinentes a determinada ação protagonizada por dois policiais militares da Capital.

Segundo os ofendidos, Boechat teria chamado toda a cadeia de comando da PM de idiotas; assim – todo e qualquer policial militar daqui ou alhures  – foi  atacado  em sua honra subjetiva .

Nada mais insano.

Verdadeiramente,   essas ensandecidas ações judiciais  e seus autores confundem orgulho ferido com honra.

Evidentemente,  há um cérebro e um comando a centralizar a instauração dessas demandas , seus autores estão espalhados por diversas regiões deste Estado;  observe-se que no caso o jornalista Ricardo Boechat possui domicílio em São Paulo, ajuizaram esses feitos em municípios longínquos, numa manifesta demonstração de que a ação assim coordenada tem por objetivo dificultar a defesa da parte adversa.

Aliás, a iniciativa foi estimulada por meio de campanha contra o jornalista.

Com efeito, há a nítida intenção de dificultar o direito de ampla defesa e do contraditório assegurado pela Constituição, em face da disposição da lei processual de que o alegado na inicial será tido como procedente se não houver contestação, ainda que se ressalve, nesta hipótese, a formulação de convicção própria pelo juiz.

Bastará o  jornalista deixar de comparecer ou nomear um preposto para audiência ajuizada em Presidente Prudente, por exemplo , para que seja condenado à revelia.

A existência de um comando na ação liberticida fica patente também em outros aspectos desse conjunto de ações, que repetem a mesma formatação em quase todas as petições, à exceção de umas poucas, fazendo a mesma descrição, exibindo os mesmos argumentos e formulando os mesmos requerimentos, entre as quais a concessão do benefício da justiça gratuita, para livrar os autores dos ônus materiais de sua iniciativa.

Curiosamente, consultando-se os nomes dos autores são encontradas em desfavor de diversos deles graves notícias acerca de envolvimento em diversos crimes . Alguns são egressos do Romão Gomes e submetidos a julgamento pelo Tribunal do Júri.

Será orquestração com a escalação de voluntários  ?

Enfim ,  a ação coletiva desses policiais militares emprega o mais democrático dos Poderes para justamente atacar a mais democrática das profissões.

O Poder Judiciário de São Paulo deve dizer: Basta!

Não pode se curvar aos pruridos autoritários da PM.

ditadura

  1. discordo, todo o cidadão tem o direito de se socorrer ao poder judiciario quando um direito esta ameaçado ou pilhado. No policiais de um modo geral, temos a preguiça de entrar a justica

    Curtir

    • REGRAS DO JOGO:

      As críticas – mesmo que veementes – fazem parte do jogo democrático, não ensejando, por si só, o direito de indenização, desde que não ultrapassem os limites do questionamento jornalistico e não descambem nem para o insulto pessoal, ou seja, nomeadamente a pessoas determinadas , nem para a increpação de conduta penalmente coibida ( calúnia ou difamação ).
      Além, claro, da proibição de se veicular fatos sabidamente inverídicos.
      A conduta do Boechat nem de longe caracteriza crime contra a honra – INJÚRIA – a ensejar queixa-crime coletiva ; muito menos ação por indenização por danos morais por quem não protagonizou os fatos objeto da matéria da Band News.
      Salvo melhor juízo , apenas os policiais envolvidos poderiam propor a indenizatória .
      Por outro lado , a dor moral – que é passível de reparação – também deve ser provada.
      Com as dezenas de denúncias e casos de prisão diariamente noticiados pela imprensa acho pouco provável alguém se dizer ofendido pelas palavras do jornalista, salvo os policiais diretamente envolvidos nos fatos.

      Curtir

  2. A mesma Constituição que garante a liberdade de expressão garante também a honra e imagem das pessoas. E o Poder Judiciário é o ÚNICO competente para decidir, diante do caso concreto, se houve abuso na liberdade de expressão e se esse abuso causou ou não dano à honra e à imagem de alguém.
    O jornalista Boechat, nos microfones da Band News, praticou crime de injúria sim contra os policiais militares de duas determinadas viaturas; instigou a população à prática de crime (mandando que urinassem e jogassem tijolos nos tais policiais) e, ainda, desta feita contra toda a classe, lançou comentários ofensivos e desnecessários para o objetivo daquela reportagem.
    E a competência para o julgamento civil não é exclusivamente a do domicílio do réu e sim também a do domicílio de cada um dos autores, ainda mais se se optar pelo ajuizamento no Juizado Especial.
    Precisamos sim de Imprensa livre, Judiciário forte e Congresso funcionando; mas Imprensa livre não se confunde com Imprensa irresponsável.
    Admiro – tal como a grande maioria dos brasileiros – o jornalista Ricardo Eugênio Boechat; mas dessa feita ele foi além do que deveria, e fez aquilo desnecessariamente. Que a reação desencadeada lhe sirva de lição, afinal, “pau que bate em Chico deve bater também em Francisco”.

    Curtir

  3. IMPRENSA LIVRE, GRAÇAS A DEUS!

    Não fosse a liberdade de imprensa, esses mesmos que ajuízam ações contra o jornalista estariam em maus lençóis. Não se lembram, talvez, das humilhações, a cada minuto, em média, nas escolas de “formação” – quando éramos colocados na forma da HIPOCRISIA de um sistema POLICIAL MILITAR que jã se revela IRREMEDIAVELMENTE FALIDO.

    Afinal, quem nunca viu uma viatura da PM, à esquerda da pista, em baixíssima velocidade, literalmente travando o trânsito?

    Quem nunca viu aqueles holofotes na cara do condutor do veículo do qual a PM exige ABSOLUTA LISURA E CORREÇÃO?

    PM usa cinto de segurança? Respeita velocidade? Respeita semáforo? Respeita a cidadania?

    Muito bem conceituada afirmação do autor do livro O GUARDIÃO DA CIDADE pela qual o PM, acostumado a achincalhar os direitos alheios, quando vê o próprio ameaçado ……

    É bom, vez por outra, sentir na pele como é bom chamar os “suspeitos” de “vagabundos”, antes do “mão pa cabeça”!!!

    Curtir

  4. De maneira geral eu gosto do RIcardo Boechat, mas ele chamar os PM`s de idiotas, dizendo que estavam atrapalhando o trânsito, sendo que os mesmos aguardavam a merda da perícia que demora pra caralho, é inadimissível! E digo mais, se os Pms quisessem fazer uma blitz, tb é inerente ao serviço deles. Resumindo! Vai tomar no cu Boechat!

    Curtir

  5. Se esse trânsito todo foi causado pelo rotineiro atraso pericial conforme dito pelo colega acima isso não acontecerá mais afinal, Dr. Grella não quer mais PM’s aguardando o CSI tupiniquim solucionando crimes de roubo, através de sua altamente tecnológica técnica que extrai resultados devidamente emanados à LAUDOS CONCLUSIVOS, com precisão cirúrgica na colheita de impressões digitais e bitucas de cigarro cotendo o dna do roubador dentro do veículo localizado que posteriormente será utilizado pelo membro do parquet na peça acusatória e resultará em condenação inicial de regime fechado.
    Foram tantos casos de sucesso na perícia de encontro de auto que não há cadeia que aguente tanto vagabundo sendo preso por conta dessas perícias.

    Curtir

  6. O Ricardo Boechat não poderia desmerecer os PM´s da forma que ele fez. Chama-los de idiotas ofende a honra dos PM´s envolvidos com a ocorrência. Estes que foram ofendidos que deveriam representa-lo na justiça.

    Curtir

  7. Boechat apenas disse o q a maioria do povo quer dizer !!! Os idiotas só fazem merda e os seus mandantes os oficiais nem isso fazem .

    Curtir

  8. Mas foi uma bela articulada da defesa, verdadeiro gol de letra, ”diga-se de passage” parafraseando NETO o eterno ídolo da fiel, principalmente levando-se em conta os CONTUMAZES ‘cavaletes homéricos’ da PERÍCIA e do CARRO DE CADÁVER, quem vai dizer que eles não demoram?

    Curtir

  9. Dr. por falar nisso, por onde anda nosso querido e saudoso amigo CONTUMAZ Dr. ALOPRADO? Já foi gastar a Pamonha do N.U lá para as bandas da Paraíba?

    Curtir

    • Zigoto,

      No contexto dos comentários e conduta da PM não verifico excessos.

      Horra, todos o dias algum jornalista fala em alto e bom som: A PM É CORRUPTA E VIOLENTA…A PC É CORRUPTA, etc.
      Nenhum policial se insurge judicialmente contra a generalização.
      Ora, no caso em questão as ofensas foram direcionadas aos componentes de duas viaturas e seus comandantes imediatos.
      Como pode um PM de Aparecida , Jundiaí, SBC , se passar como vítima…É muita cara- de- pau.
      Na verdade, instituições brasileiras como a PM não aceitam críticas “calientes” no melhor estilo da cultura hispânico-argentina.
      Certamente, as ações não são espontâneas.
      Alguns PMs e entidades foram ” voluntariamente convocados”.
      O grande objetivo seria impedir futuras críticas semelhantes.
      Entretanto, dias atrás , o jornalismo da Rede Globo fez coisa bem pior ao falar do café e do pão com manteiga da PM.

      Curtir

  10. O jornalista está ali para divulgar o noticiário, e não para tecer comentário, desse ou daquele cidadão. Corretíssima a PM, E alguém acha que se fosse algum caso envolvendo a policia civil, o comentário seria diferente?

    Curtir

    • Minha cara, jornalista da Globo é que está lá apenas para ler a notícia.

      Noutros veículos , profissionais como o Boechat são pagos para exercerem o direito de dizer o que pensam enquanto apresentam seus jornais. São chamados de “âncoras” .

      Curtir

  11. Depois dessa que mandaram nosso NU para o carnaval, perdi até o animo e as forças.

    Foda-se os jornalistas, foda-se a Pm, eu que me foda.

    Tanto faz.

    To respirando pra nao morrer.

    Mas imagine um policial desanimado?

    Tenho até dó de populares que precisam da ajuda deste humilde policial

    Joguei a toalha.

    Essa do NU foi foda.

    O governador nao sancionou pra jogar o aumento pra depois do carnaval.

    Tipo tiro de 12 na nuca.

    Curtir

  12. Dr.

    A diferença é que o BOECHAT disse algo direto, de forma surpreendentemente natural, ao chamar os patrulheiros de idiotas e o CHICO PINHEIRO disse algo indireto, ainda que de forma direta, que na mike ecoou como ‘tomem cuidado, estamos de olho’ e isso fez soar aquele sinal na outra parte do ‘eu tb não to muito certo vou retrucar pra quê?’ por isso soltou notinha de repúdio e ficou por isso mesmo.

    Concordo em gênero e grau que a PORRADA que o Chico Pinheiro deu na mike foi mais dura e portanto merecia uma interpelação judicial, contudo esta, desagradaria à todos do princípio ao fim, do dono da padaria ao juiz da causa, lembrando que este último, dentre outras situações, trata com os policiais militares no dia a dia na segurança do fórum e também pelo fato do fato noticiado pelo jornalista da globo, não ser nada mais do que, uma verdade sabida, porém não assumida por nenhum de nós na sociedade, os comerciantes agradam os praças pois vira e mexe precisam deles, já a insinuação ao comandante dos praças, aí fica por conta da conjectura do jornalista da globo, hehehe…..

    Curtir

  13. Gostaria de saber, porque não existiu nenhuma postagem ou comentário do “Dr. Guerra” neste site, referente aos fatos que acontecerem essa semana na DIG de Santos?
    Na quarta-feira por volta das 13:30hs chegaram da Capital seis viaturas caracterizadas da Corregedoria Geral da Polícia Civil e mais cinco viaturas descaracterizadas, acompanhadas de uma equipe de peritos do IC também da Capital.
    Dentre as viaturas caracterizadas estava uma viatura da Diretora com o Delegado Corregedor Adjunto e as demais viaturas todas do DOP, setor operacional daquele órgão.
    Na comitiva da Corregedoria, existiam diversos delegados, e todos vieram munidos de inúmeras denuncias contra policiais daquela unidade policial (DIG-Santos), várias são as ramificações dos policiais quadrilheiros daquela célula criminosa travestida de delegacia de polícia.
    Policiais que operavam as escutas telefônicas que monitoram o PCC, ao invés de prendê-los, resolveram interceptá-los quando em viagens entre a baixada santista para capital, oportunidade em que levavam o dinheiro obtido com a arrecadação das operações criminosas, e como qualquer outro assaltante, roubaram o dinheiro do crime. Nas denuncias enviadas pelo MP para a Corregedoria, constam o nome de todos os policiais civis envolvidos caso alguém tenha alguma dúvida. Além desse fato, outros policiais da mesma unidade quando do encontro do cativeiro do sequestro da menina de Cubatão, encontraram cerca de R$ 80.000,00 dentro de uma panela de pressão e ao invés de apreenderem o $$ ficaram com a quantia. Consta ainda das denuncias que um dos policiais no dia seguinte comprou uma moto nova e de valor alto. Outra parte de policiais civis, esses os piores , se podemos classificar assim, vem a muito tempo extorquindo marginais do PCC para não interferirem na venda de entorpecentes, além muitas vezes terem mantido sob carcere familiares dos marginais para poderem receberem os valores exigidos.
    A operação que realizou a Corregedoria, contou com um cerco ao entorno do Palácio da Polícia, com a realização de revista em todas as viaturas policiais da DIG, carros particulares dos “margipoliciais”, armários, além da sede da própria delegacia. Os peritos copiaram todos os dados de todos os computadores da unidade e também dos computadores pessoais. Os policiais da Corregedoria chegaram até mesmo a remover e quebrarem as privadas da unidade e foi feita minuciosa revista dentro de um cofre da unidade, além de terem sido apreendidos diversos documentos publicos da unidade.
    Todo isso foi acompanhado pelo Delegado Titular daquela unidade e pelo Delegado Seccional.

    É lamentável ver a polícia civil nessa situação, mais tava demorando para a Corregedoria de São Paulo tomar alguma atitude, pois todos os policiais da região sabiam da forma que os “margpoliciais” da DIG agiam a bastante tempo.

    Enfim, nada foi divulgado no Flit, porque???? Aquele repórter policial da A Tribuna que passa o dia puxando o saco dos delegados também nada publicou, porque??? Estão querendo abafar o ocorrido??? Qual o interesse???

    Curtir

  14. Onde está aquela camaradagem dos tempos de antigamente Doutor? Onde já se viu o âncora do noticiário mais importante do dia criticar a atuação de um CNPJ que tem um importante contrato com a emissora para divulgar seus trabalhos? Isso é um acinte!

    Aliás Dr. acho que o CHICO PINHEIRO andou assistindo demais o TROPA DE ELITE é só ver no 0:42. Aliás um chopinho tulipa como esse não cairia nada mal hehehe…

    Curtir

  15. A verdade é clara e só não a vê quem está adormecido: no tempo dos Governos Militares de 1964 até 1984 havia ordem no país, o Brasil crescia agradavelmente e com uma inflação aceitável. Hoje, depois dessas tais de “Diretas Já”, virou uma BADERNA GENERALIZADA em todos os setores; naquela época se um indivíduo, mesmo se fosse menor de idade, fosse surpreendido praticando algum algum crime IMEDIATAMENTE ficava detido na delegacia ou em qualquer cela lá existente, e só saía quando seus familiares PAGASSEM ou se responsabilizassem pelos erros; não se podia nem falar em MACONHA quando mais se fosse surpreendido USANDO-A, pois ía pra cadeia e FIM DE CONVERSA. Hoje ninguem tem medo de NADA, pois não existe um controle AUTOMÁTICO como havia no REGIME MILITAR, por exemplo: se um vizinho estivesse fazendo barulho perturbando a coletividade: a viatura chegava e o levava para a Cadeia e FIM DE PAPO, só saía de lá muitas horas depois, ou no dia seguinte, quando a porta da cela lhe era aberta … e não havia superlotação de presos ! É disto que estamos precisando: ERROU PAGOU e fim de papo ! Advogado e juiz prá quê se haver uma LEGISLAÇÃO CLARA e OBJETIVA ?

    Curtir

    • WAGNER,

      Taxa Anual de Inflação
      % Ano %
      1970 19.3 1980 110.2
      1971 19.5 1981 95.1
      1972 15.8 1982 99.7
      1973 15.5 1983 211.0
      1974 34.6 1984 223.8
      1975 29.4 1985 235.1
      1976 46.2
      1977 38.8
      1978 40.8
      1979 77.2

      De fato , ” Brasil crescia agradavelmente e com uma inflação aceitável” ( como você disse ).

      O melhor: não havia indexadores para correção salariais ( GATILHOS ) .

      Tu és um pandego!

      De resto concordo com você, advogado e juiz prá quê se nós podemos aplicar a lei, né ?
      Errou: morreu!

      Curtir

  16. E FATO QUE AMBAS AS POLICIAS ESTÃO DESAJUSTADAS E INCOERENTES PERANTE AO JUDICIÁRIO, A FORMAÇÃO JURÍDICA DE SUAS BASES COM LEIS ORGÂNICAS ARCAICAS, E COM NORMAS DISCIPLINANDO CARREIRAS COMO UMA COLCHA DE RETALHOS, DA A IMPRESSÃO QUE JÁ PASSOU DA HORA DE MUDARMOS NOSSAS LEIS ORGÂNICAS.
    A ÚNICA ESPERANÇA QUE TEREMOS E COM A APROVAÇÃO DA PEC 51/2013 , POIS SÓ ASSIM, MUDAREMOS AS POLICIAS DO BRASIL, REFORMULANDO AS INSTITUIÇÕES.
    O PSDB DANDO AUMENTOS PÍFIOS, E REDICULOS, NUNCA PODERÁ ESPERAR DIMINUIR OS ÍNDICES DE CRIMINALIDADE EM NOSSO ESTADO.
    MUITOS COMO EU, ESTÃO ESTUDANDO PARA OUTRAS ÁREAS ABANDONANDO A SEGURANÇA PUBLICA E O DIREITO, POIS AMBAS ESTÃO SEM RUMO.

    Curtir

  17. Receita de Cidade Alerta e Datena dão certo.

    Todo chilique por conta de ações em que caberá ao Judiciário julgar a procedência ou não?!.

    Acredito que a Band já está bem servida de advogados, deixa os PM ingressarem com as ações, oras.

    O repórter não fala o que quer, fala o que é conveniente no momento para a direção do jornal, essa sim é a liberdade de imprensa (do diretor), ele só fala o que quer em uma entrevista pessoal olhe lá.

    Notícia séria e arbitrariedade acontceria se eles fossem lá e agredissem o repórter, que de passagem falou o quis para sua audiência aumentar e agora lida com as consequências.

    O repórter não fala o que quer, fala o que é conveniente no momento para a direção do jornal, essa é a liberdade de imprensa (do diretor).

    Curtir

  18. Eu sou tira de 3ª classe, entrei já com o NU,o mais foda pé ter que ver essa velharada que fizeram o 2º grau na escola da periferia,ganharem um aumento maior que o meu.
    Antigão bom é antigão aposentado.
    Quem esta tocando a polícia são os 3ª classe,verdadeiros NUs mais capacitados.
    Nós de 3º deveríamos ganhar um aumento superior de verdade, e esses antigões do nível medio um aumento nu de mentira.

    Curtir

  19. C.A. dá um desconto para o BEL, nem vc acertou a palavra corretamente na primeira!

    Curtir

  20. O Sr Boechat, o carioca, acho que se perdeu. Achou que aqui é o Rio. Ele deveria pedir desculpas aos policial, e fazer uma acordo, antes que saia mais caro.
    A autoridade deve ser respeitada, é o cargo e não a pessoa. Até a crítica, do fato, conforme li aqui, na época, me pareceu equivocada.
    Vai ser didático para os jornalistas. Eles são prepotentes e precisam saber os limites da democracia.
    Dia 26 de novembro, o grande jornal aqui dá região, publicou errado, invertou o total de homicicidios na Baixada Santista, este ano , a redução para 180 casos, com o dado maior de 2012!!! Basta somar a tabela, na pagina 3, cidades, que o próprio jornal publicou! Reclamei duas vezes, ainda assim, persistiram no erro!
    Oras se reduz melhora, antes de mais nada, mérito dos policial que prendem, morrem e são criticados diariamente.
    Hás um ma vontade inercial contra as autoridades…para ..vender jornal, estão cada vez mais ricos, como esse Sr Boechat que trabalha em 3 veículos de divulgação.
    O direito a honra é pra todos. Senão serve para um policial, acabou o Estado de Direito!
    Se a polícia é corrupta…..a imprensa também o é! Mas …não é!
    Na verdade hoje, ações justas contra a imprensa , é um filão hoje aos advogados! E…quem vai recusar? Quem recusou …dessas 50 ações, ainda que “indevidas…até aqui”!

    Curtir

  21. Realmente, um texto que defende a liberdade de expressão da imprensa deve chamar a atenção de todos. É lamentável que um jornalista seja bombardeado por ações.
    Mas, já no segundo parágrafo do texto misturaram alhos com bugalhos. Colocaram um ponto de vista que não tem nada a ver com a história. Não que eu seja simpatizante de ditaduras, mas afirmar que a corrupção e economia explodiram durante a Ditadura Militar é querer desinformar o leitor. O PIB, em certos anos, cresceu 11%, 12%. A economia desacelerou em razão da crise do petróleo, crise, aliás, que foi mundial. Houve um êxodo: milhões vieram dos campos para morar e trabalhar nas cidades porque havia empregos. Em relação à segurança pública, não há nem o que discutir: podia-se até mesmo namorar na praça, sem perigo de ser morto por ladrão. Corrupção? Me apontem uma só família de general que ficou rica no período.
    E hoje, nesta democracia maravilhosa? Economia crescendo a 1,5% ao ano. Violência na casa dos 50.000 mortos por ano, inclusive com o assassinato de mais de 100 policiais em 12 meses. Vá tentar utilizar uma praça para descansar!!!
    Famílias Sarney, Mello, Cardoso e Lula da Silva, estão milionárias. Parte da elite do partido que está no poder presa por corrupção.
    É louvável e necessário defender a liberdade de expressão e de imprensa, mas não venham com inverdades.
    PT, PSDB, PSOL… tudo partido de esquerda… tudo bando de FDP.

    Curtir

    • Fodido e Mal Pago:

      O Brasil , naquele período , experimentou uma curta expansão da economia em função dos bilhões de dólares que foram emprestados para financiamento de outros investimentos estrangeiros . Não houve milagre econômico , houve dinheiro a rodo até a crise do petróleo no meado dos anos 1970. Neste sentido , é suficiente consultar qualquer bom livro de história.

      Acerca da corrupção naquele período , de se consultar livros como A DUPLA FACE DA CORRUPÇÃO de J. Carlos de Assis.

      Na obra você verificará como os familiares de militares em concurso com políticos e empresários operavam a corrupção .

      Tenha certeza que familiares de Generais até hoje estão muito bem empregados , alguns são executivos de empresas que muito devem à corrupção castrense .

      Famílias como Sarney , Mello e Magalhães da Bahia apoiaram e financiaram a ditadura militar.

      Em São Paulo , ainda temos expoentes da ditadura como Maluf , Claudio Lembo e Hermínio de Morais; este com todo o seu talento empresarial jamais dispensou uma obra pública como hidrelétricas para beneficiar seus domínios.

      A única diferença entre a corrupção de ontem e atualmente: NAQUELA ÉPOCA SÓ OS AMIGOS DOS MILICOS PODIAM ROUBAR…Os ladrões eram todos da ARENA.

      Curtir

  22. Complicado dizer que o jornalista não pode expressar o que sente em relação ao domínio do trânsito por indivíduos armados e que não querem críticas. Aliás, um PM certa vez disse que vez ou outra vem ordem direta para bloquear vias de trânsito para fazer “operação visibilidade”. Estranho isso…ser visível para o povo parado no tráfego é dar um tiro no pé.

    Curtir

  23. A PM não necessita de inimigos externos. Por si própria, se desgasta. Viu o quanto um comentário mais incisivo doeu nos mesmos que, direta ou indiretamente, “nunca viram” as reiteradas arbitrariedades, assédio moral, dezenas de transferências, recorrentes períodos nos quais fiquei sem função ou desempenhando funções ABSOLUTAMENTE ao arrepio da legalidade?

    Esses mesmos agora ressentidos “nunca viram” nenhum PM “denunciante” de PATIFARIAS na própria PM sendo transferido “por conveniência do serviço público”?

    Esses “ressentidos” nunca sentiram ou hesitaram, por um segundo, ao impingirem aos outros diversas formas de crueldade!

    Coloquei-me à inteira disposição do identificado jornalista, desde o dia do mencionado comentário, sendo-lhe absolutamente solidário. A PM está anos-luz distante de se arvorar moralista. Pelo menos é o que demonstra, plantando alguns PILANTRAS DE PLANTÃO neste Blog.

    Caso sirva a carapuça a alguns desses “defensores da PM que “esquecem” o mal que ela pratica, tendo-os como “casos isolados”, que liguem para o Comandante-geral e pede para ele se envergonhar do OFÍCIO Nº CMTG-3939/200/13, de 14/10/13, no qual ele MENTIU, da mais descarada forma possível, para a Chefe de Gabinete do Secretário de Segurança Pública do “Estrago” de São Paulo, acerca das PATIFARIAS da PM.

    De igual sentimento, ou seja, se essas minhas considerações atingem esses “defensores da PM”, perguntem ao Assessor “Especial” do Palácio dos Bandeirantes se ele pretende enviar ao Ricardo Boechat cópia do Requerimento que a ele (Assessor) enviei – pelos préstimos do Vereador Eduardo Leite, de Santo André – em cujo expediente o coloco como inveterado MENTIROSO, descompromissado com as VERDADES que deveriam ter chegado ao Governador.

    Por si só, o expediente em pauta é, milhares de vezes, mais contundente que os comentários do Boechat, pois o fiz diretamente a esse “Especial MENTIROSO”, dissimulado “filtro” de PATIFARIAS. Por isso o Governador certamente dirá: “eu não sabia de nada”!

    Observação: o significado do vocábulo idiota é associado à ausência de valores políticos.

    Que valor político esse “IDIOTA ESPECIAL”, ASSESSOR do Governador, atribuiu às PATIFARIAS que deveria saber passíveis de investigação?

    Curtir

  24. A questão aqui não é a liberdade de imprensa e sim como como essa liberdade é usada. A policia deveria sim se unir, pois quando se denigre a imagem de uma policia para a população se generaliza tudo, pois muitos não sabem nem distinguir a diferença entre PM e PC. Qualquer um sem conhecimento que falar mal de nós deve responder pelo que falou. Vai falar mal da imprensa pra ver o que acontece…….processo na hora!!

    Curtir

    • Art. 5º Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza…

      Nada obstante , os funcionários públicos brasileiros – especialmente policiais, magistrados e promotores – ainda se julgam no direito de recebimento de tratamento diferenciado e maior proteção da lei.

      Assim , crimes contra a honra de funcionários públicos merecem agravamento da pena , em face de um pretenso prestígio das funções…

      Nada mais falso!

      Há tempos querem especial agravamento da pena para quem comete violência contra funcionários públicos no exercício das funções ou em razão delas.

      Com efeito , e a contrapartida ?

      Quedê especial agravamento de pena para funcionário que vilipendia o patrimônio , a honra e a integridade física do cidadão ?

      Ah, isso ninguém quer!

      Funcionário público, especialmente aqueles que gozam do direito de portar armas , não é vulnerável ou hipossuficiente.

      Curtir

  25. Meu singelo pensamento
    Apenas uma opinião…. (quer gostem ou não)….

    Sou favorável à toda legítima liberdade de expressão, e no caso, liberdade de imprensa
    (desde que com toda a responsabilidade advinda daquilo que se comenta ou se divulga nas mídias jornalísticas)

    TODOS sabemos que a imprensa pode ser uma “faca de dois legumes”, por vezes favorável ou desfavorável à “nois” Policiais;

    Por outro lado, entendo que NÃO sabemos e nos incomodamos com as críticas….

    CRÍTICAS por várias e várias vezes, muito verdadeiras…..

    Como Policial Civil Eu posso dizer que conheço muito bem o “status” atual da nossa PULIÇA, que chamo de Falida e Combalida….

    Àqueles que NÃO aceitam as críticas contra “nóis”, poderiam se colocar no lugar do cidadão comum….

    COLOQUE-SE no LUGAR do CIDADÃO (comum, não os VIPs, os abastados, etc.), e procure IMAGINAR qual a CONCEPÇÃO atual que fazem da nossa PULIÇA…..

    – o que o Cidadão PENSA de suas “PULIÇAS”, já que “pagam” seus impostos e sonham em ter uma Segurança Pública de qualidade….??????
    – o que o Cidadão PENSA de “nóis”…..??????, muitos ainda acreditam que P.M. e P.C. são uma coisa só…..

    – O que o cidadão PENSA….???? Têm confiabilidade nas suas Polícias…??????
    SABEMOS as respostas e não aceitamos as críticas…..

    MERECEMOS quase tudo que se fala contra nós…..
    Porque somos RESULTADO de um “Estado” corrompido, adverso, que ao longo de quase vinte anos fêz sucumbir as necessidades essenciais da população: Saúde, Educação e Segurança….. essas áreas, todas falidas….
    (fale com qualquer funcionário público)…..

    Por acaso o TEXTO acima postado conta alguma inverdade…..????
    Já não se discute na sociedade, em tom acalorado, por uma desmilitarização das policias…..?????
    Já não se fala nos corredores do Congresso sobre um novo modelo de Segurança Pública, que seja ao mínimo, melhor do que este que convivemos há décadas….??????

    Para mim, particularmente, o jornalista Ricardo Boechat é dos poucos expoentes SÉRIOS do jornalismo brasileiro; por vezes, se vê um jornalismo “vendido” aos interesses capitais e políticos…..

    As CRÍTICAS que as Polícias recebem (seja Civil ou Militar) é que deveriam servir de ânimo para que novas propostas e atitudes surgissem….mas, só resultam em indignação e revolta de alguns….

    Curtir

    • Verdades , Escriba 2013!

      Infelizmente a maioria não pensa como você.

      As polícias são fabricas de doentes e de celerados , ninguém delas possui moral para se sentir ofendido com o termo idiota.

      Diga-se de passagem, o governo de São Paulo diariamente , elogiosamente , nos faz de idiotas…

      A melhor PC do Brasil , a melhor PM do Brasil…E tem idiota que acredita!

      Curtir

  26. 02/12/2013 – 11h24
    Permitir greve de servidor é demagogia, diz ministro Luiz Fux
    PUBLICIDADE
    BERNARDO MELLO FRANCO
    DO RIO

    Ouvir o texto
    O ministro Luiz Fux, do STF (Supremo Tribunal Federal), afirmou nesta segunda-feira (2) que é “demagogia” e “desatino” permitir a greve de servidores públicos.

    Em seminário sobre direito no Rio, ele criticou a Constituição de 1988 por ter aprovado o direito de greve para os funcionários dos Três Poderes.

    “A Constituição Federal, a meu ver num rasgo demagógico, permitiu a greve dos servidores públicos”, disse Fux. “A verdade é que a greve do servidor público não tem nenhuma eficácia. Ela só prejudica aqueles que dependem do serviço público”, afirmou.

    Nelson Jr.-24.set.13/STF
    O ministro Luiz Fux afirma que é “desatino” permitir a greve de servidores públicos
    O ministro Luiz Fux afirma que é “desatino” permitir a greve de servidores públicos
    O ministro criticou a greve dos professores no Rio e as manifestações de rua promovidas por funcionários das redes estadual e municipal. “Tudo o que (isso) consegue é facilitar a infiltração de black blocs e destruir a nossa belíssima cidade do Rio de Janeiro”, disse.

    Em outubro, Fux revogou o corte de ponto dos professores no Rio e promoveu reunião de conciliação entre o sindicato da categoria e representantes do Estado e da prefeitura.

    O ministro do STF não quis falar sobre as prisões de réus condenados no processo do mensalão. Ele participou do seminário “Panorama atual da mediação e da arbitragem no Brasil”, na sede da Associação Comercial do Rio.

    Curtir

  27. Esse capitão Fábio, dá um imagem muito negativa da polícia do Rio. Hoje deve estar bem melhor.

    Curtir

  28. Pelo menos o sargento do capitão Fábio pagou a conta! Há esperanças!
    O capitão nascimento saiu da polícia e foi pra Globo, sabiam?

    Curtir

  29. Não entendo o porque de tanto alvoroço??? Se os PMs se sentiram ofendidos, tem mais que entrar com uma ação mesmo. O judiciário que julgue. Parece até dor de cotovelo.

    Curtir

  30. Não aprenderam ainda? Aqui nesse blog só tem razão quem fala mal da PM ou de algum PM, seja ele quem for. Caso fosse o policial que estivesse xingado o repórter, com certeza haveria uma matéria enorme por cá, dizendo, “tem que prender o policial, a ditadura, etc.,” como não houve isso, resta-lhe defender o repórter. Comparar matérias jornalísticas, onde o repórter xingou sem pestanejar o policial de idiota, com matérias que trazem em seu bojo indícios de crimes que sustentam o trabalho do repórter, não tem nada haver. Uma foi mera liberalidade subjetiva alheia ao direito de imprensa, outra, por estar o baseada em fatos, é a verdadeira essência jornalísticas, que é imune a intervenção do judiciário. Obs: Concordo somente no que diz que não cabe ação por parte de quem não estava diretamente ligado ao fato que gerou o xingamento.

    Curtir

    • Revolta,

      Quem concorda ” somente no que diz que não cabe ação por parte de quem não estava diretamente ligado ao fato que gerou o xingamento” ( “sic” ) , na verdade está concordando com tudo aquilo que aqui se discute.

      O jornalista Ricardo Boechat pode ser imputado e processado apenas por quem estava naquelas viaturas ou seus superiores imediatos do respectivo batalhão de área.

      Quem não é parte legítima é tão desonesto quanto teria sido o jornalista ao fabricar sob suposta encomenda matéria de interesse de grupos financeiros.

      Aliás, se for para comparar matérias jornalísticas: QUAL A DIFERANÇA ENTRE BOECHAT E REINALDO AZEVEDO ?

      Respondo: AS FONTES ( informadoras e pagadoras ).

      Retornando aos demandantes, mais do que idiotas: ESTÃO SENDO USADOS POR VERDADEIROS PILANTRAS QUE ABUSAM DO DIREITO DE AÇÃO !

      Aqui não se trata de defender a pessoa do jornalista, discutimos esse verdadeiro atentado contra a democracia patrocinado por policiais militares.

      Ressalto, quem não estava no local dos fatos não é idiota: É DESONESTO!

      Curtir

  31. Curiosa a situação dos Coxinhas.

    Podem entrar na Justiça comum para acionar um jornalista que emitiu apenas uma opinião, mas são presos, desrespeitados e humilhados por seus superiores, sumariamente, sem nenhum direito de defesa na esfera comum e aí, vão bovinamente para trás das grades.

    E ô ô vida de gado, coxinha marcado ê…coxinha feliz.

    Curtir

  32. Agora compreendi o que quis dizer. Nesses termos, concordo com sua opinião Doutor Guerra. Quanto ao “rabiola”, alcunha RAMÃO GOMES, como processar aquilo que dificilmente se pode provar? No caso do repórter, ele nem titubeou e xingar ao vivo os policiais. A prova foi a própria gravação. Agora, não venha você com esse discursinho barato, se garantindo no anonimato de um blog pra querer ofender tudo e todos. Caso seja tão machão assim, por que não cria seu blog ou página de facebook com perfil público, e xingue todos? Acho que não faria isso, teria medo de ser processado também.

    Curtir

  33. RICARDO BOECHAT melhor ancora da tv. porém na democracia é permitido discordar daquilo que se ouve seja dito por quem for.Para alguns parece que só há erros da PM pelo simples motivo dela ser militar, me responda quem puder a respeito de muitas instituições que são civis em que ocorrem um monte de irregularidades,outra coisa, a reportagem pode e deve criticar, porém o cuidado com as palavras é fundamental pois forma opinião, e por falar em liberdade de expressão ,todos do povo,incluindo este capiá ref pm do sítio também posso, e todos os componentes da PMESP,pois a democracia permite

    Curtir

  34. Silencio conveniente disse:
    02/12/2013 ÀS 1:32
    Gostaria de saber, porque não existiu nenhuma postagem ou comentário do “Dr. Guerra” neste site, referente aos fatos que acontecerem essa semana na DIG de Santos?
    Na quarta-feira por volta das 13:30hs chegaram da Capital seis viaturas caracterizadas da Corregedoria Geral da Polícia Civil e mais cinco viaturas descaracterizadas, acompanhadas de uma equipe de peritos do IC também da Capital.
    Dentre as viaturas caracterizadas estava uma viatura da Diretora com o Delegado Corregedor Adjunto e as demais viaturas todas do DOP, setor operacional daquele órgão.
    Na comitiva da Corregedoria, existiam diversos delegados, e todos vieram munidos de inúmeras denuncias contra policiais daquela unidade policial (DIG-Santos), várias são as ramificações dos policiais quadrilheiros daquela célula criminosa travestida de delegacia de polícia.
    Policiais que operavam as escutas telefônicas que monitoram o PCC, ao invés de prendê-los, resolveram interceptá-los quando em viagens entre a baixada santista para capital, oportunidade em que levavam o dinheiro obtido com a arrecadação das operações criminosas, e como qualquer outro assaltante, roubaram o dinheiro do crime. Nas denuncias enviadas pelo MP para a Corregedoria, constam o nome de todos os policiais civis envolvidos caso alguém tenha alguma dúvida. Além desse fato, outros policiais da mesma unidade quando do encontro do cativeiro do sequestro da menina de Cubatão, encontraram cerca de R$ 80.000,00 dentro de uma panela de pressão e ao invés de apreenderem o $$ ficaram com a quantia. Consta ainda das denuncias que um dos policiais no dia seguinte comprou uma moto nova e de valor alto. Outra parte de policiais civis, esses os piores , se podemos classificar assim, vem a muito tempo extorquindo marginais do PCC para não interferirem na venda de entorpecentes, além muitas vezes terem mantido sob carcere familiares dos marginais para poderem receberem os valores exigidos.
    A operação que realizou a Corregedoria, contou com um cerco ao entorno do Palácio da Polícia, com a realização de revista em todas as viaturas policiais da DIG, carros particulares dos “margipoliciais”, armários, além da sede da própria delegacia. Os peritos copiaram todos os dados de todos os computadores da unidade e também dos computadores pessoais. Os policiais da Corregedoria chegaram até mesmo a remover e quebrarem as privadas da unidade e foi feita minuciosa revista dentro de um cofre da unidade, além de terem sido apreendidos diversos documentos publicos da unidade.
    Todo isso foi acompanhado pelo Delegado Titular daquela unidade e pelo Delegado Seccional.

    É lamentável ver a polícia civil nessa situação, mais tava demorando para a Corregedoria de São Paulo tomar alguma atitude, pois todos os policiais da região sabiam da forma que os “margpoliciais” da DIG agiam a bastante tempo.

    Enfim, nada foi divulgado no Flit, porque???? Aquele repórter policial da A Tribuna que passa o dia puxando o saco dos delegados também nada publicou, porque??? Estão querendo abafar o ocorrido??? Qual o interesse???

    Curtir

  35. JAMAIS ACONTECERA NA MINHA CIDADE

    Tropa de elite da Islândia mata homem pela primeira vez na história

    As Forças Especiais da Polícia Nacional da Islândia foram obrigadas, pela primeira vez na história, a matar um homem em uma operação nesta segunda-feira.
    Segundo os agentes, a vítima tem 59 anos e começou a disparar sem motivo aparente da janela de seu apartamento na capital Reykjavík durante a madrugada.
    Em entrevista coletiva, o chefe da polícia na cidade, Stefan Eiriksson, afirmou que os agentes chegaram ao local por volta das 3h (1h em Brasília) e tentaram em vão entrar em contato com o homem. Em seguida, atiraram bombas de gás lacrimogêneo para detê-lo, novamente sem sucesso.
    Diante do fracasso das primeiras tentativas, as Forças Especiais foram chamadas e entraram no apartamento por volta das 6h (4h em Brasília). Os agentes foram recebidos a balas, sendo que uma delas passou de raspão pelo capacete de um policial. Eles responderam ao ataque baleando o homem com uma pistola 9 milímetros.
    O agressor foi levado ao hospital, mas não resistiu aos ferimentos e morreu. A polícia abriu uma investigação para determinar as razões que levaram o indivíduo a disparar e ver se ele estava sob a influência de álcool ou drogas.
    O comissário nacional da polícia, Haraldur Johannessen, afirmou que este foi um “incidente sem precedentes” na Islândia. “Esta foi a primeira vez que uma pessoa morreu em uma ação como essa. A polícia lamenta esse incidente e presta as nossas mais profundas condolências à família deste homem”.
    Ele afirmou que, após o incidente, foi feita uma reunião entre os comandantes e a tropa e que os soldados envolvidos na morte receberão ajuda psicológica.
    Este país, com uma população de apenas 322 mil habitantes, tem uma das menores taxas de criminalidade do mundo e os agentes da polícia usam suas armas de forma muito excepcional. Em geral, a polícia controla os criminosos com uso de armas não letais, como bombas de gás lacrimogêneo e armas de choque.
    Fonte:
    http://www1.folha.uol.com.br/mundo/2013/12/1379559-tropa-de-elite-da-policia-da-islandia-mata-homem-pela-1-vez.shtml

    Curtir

  36. Será que vai funcionar????? ou será mais um engodo pré-copa ?????????.

    Segunda-feira, 02/12/13 – 12:00

    Governo instala Gamesp na região do Grande ABC

    O secretário da Segurança Pública, Fernando Grella Vieira, instala nesta segunda-feira (2) o Gabinete Metropolitano de Gestão Estratégica da Segurança Pública (Gamesp) da Região Metropolitana de São Paulo – sub-região Sudeste, que inclui os sete municípios do Grande ABC.

    Além de Grella, participam do encontro o secretário-adjunto da pasta e coordenador dos Gamesps, Antonio Carlos da Ponte, o secretário de Desenvolvimento Metropolitano, Edmur Mesquita, e os prefeitos das sete cidades da região.

    O objetivo do grupo é estimular ações de prevenção e combate ao crime, integrando membros das polícias Civil, Militar, Científica, Federal, Polícia Rodoviária Federal, Receita Federal, guardas municipais, prefeituras, secretarias estaduais, Ministério Público, Poder Judiciário e sociedade civil.

    Outras cinco regiões do Estado já contam com os trabalhos do Gamesp: Região Metropolitana de Campinas, Baixada Santista e Vale do Ribeira, Vale do Paraíba e Litoral Norte, Jundiaí e Piracicaba.

    Serviço

    Instalação do Gamesp da Grande SP – sub-região Sudeste

    Data e hora: Segunda-feira (2), às 15 horas

    Local: Salão Nobre da Prefeitura Municipal de São Bernardo do Campo: Praça Samuel Sabatini, 50 – 19º andar.

    Assessoria de Imprensa e Comunicação da Secretaria da Segurança Pública

    Curtir

  37. Silencio conveniente disse:
    02/12/2013 ÀS 1:32
    Gostaria de saber, porque não existiu nenhuma postagem ou comentário do “Dr. Guerra” neste site, referente aos fatos que acontecerem essa semana na DIG de Santos?
    Na quarta-feira por volta das 13:30hs chegaram da Capital seis viaturas caracterizadas da Corregedoria Geral da Polícia Civil e mais cinco viaturas descaracterizadas, acompanhadas de uma equipe de peritos do IC também da Capital.
    Dentre as viaturas caracterizadas estava uma viatura da Diretora com o Delegado Corregedor Adjunto e as demais viaturas todas do DOP, setor operacional daquele órgão.
    Na comitiva da Corregedoria, existiam diversos delegados, e todos vieram munidos de inúmeras denuncias contra policiais daquela unidade policial (DIG-Santos), várias são as ramificações dos policiais quadrilheiros daquela célula criminosa travestida de delegacia de polícia.
    Policiais que operavam as escutas telefônicas que monitoram o PCC, ao invés de prendê-los, resolveram interceptá-los quando em viagens entre a baixada santista para capital, oportunidade em que levavam o dinheiro obtido com a arrecadação das operações criminosas, e como qualquer outro assaltante, roubaram o dinheiro do crime. Nas denuncias enviadas pelo MP para a Corregedoria, constam o nome de todos os policiais civis envolvidos caso alguém tenha alguma dúvida. Além desse fato, outros policiais da mesma unidade quando do encontro do cativeiro do sequestro da menina de Cubatão, encontraram cerca de R$ 80.000,00 dentro de uma panela de pressão e ao invés de apreenderem o $$ ficaram com a quantia. Consta ainda das denuncias que um dos policiais no dia seguinte comprou uma moto nova e de valor alto. Outra parte de policiais civis, esses os piores , se podemos classificar assim, vem a muito tempo extorquindo marginais do PCC para não interferirem na venda de entorpecentes, além muitas vezes terem mantido sob carcere familiares dos marginais para poderem receberem os valores exigidos.
    A operação que realizou a Corregedoria, contou com um cerco ao entorno do Palácio da Polícia, com a realização de revista em todas as viaturas policiais da DIG, carros particulares dos “margipoliciais”, armários, além da sede da própria delegacia. Os peritos copiaram todos os dados de todos os computadores da unidade e também dos computadores pessoais. Os policiais da Corregedoria chegaram até mesmo a remover e quebrarem as privadas da unidade e foi feita minuciosa revista dentro de um cofre da unidade, além de terem sido apreendidos diversos documentos publicos da unidade.
    Todo isso foi acompanhado pelo Delegado Titular daquela unidade e pelo Delegado Seccional.

    É lamentável ver a polícia civil nessa situação, mais tava demorando para a Corregedoria de São Paulo tomar alguma atitude, pois todos os policiais da região sabiam da forma que os “margpoliciais” da DIG agiam a bastante tempo.

    Enfim, nada foi divulgado no Flit, porque???? Aquele repórter policial da A Tribuna que passa o dia puxando o saco dos delegados também nada publicou, porque??? Estão querendo abafar o ocorrido??? Qual o interesse???

    Curtir

  38. “V”

    “V”eja bem….

    “Não dá nem para comparar, a Islândia é uma Ilha….”

    “O povo lá têm educação de primeiro mundo…..”

    Curtir

  39. Boa Noite!

    Senhoras e Senhores.

    Todo bom profissional deveria, “a priori”, ao realizar seus afazeres, fazer o bom uso do respeito e da imparcialidade, pois na maioria das vezes, opiniões ou sugestões nem sempre são bem entendidas ou recepcionadas, aliás, como já dizia o meu finado pai:

    “Tenho muita dó de falecido, pois inevitavelmente mesmo na hora da morte ou badaladas antes de entrarem para a terra prometida, serão cercados e atormentados por infelizes e danosas carpideiras”.

    Realmente!

    Nesta terra abençoada encontramos de tudo: Árvores em cima de viadutos; Poste fazendo xixi no cachorro; Banana comendo macaco; e, o que é pior: Analfabetos de pai e mãe, se passando por mártires ou sendo recepcionados por grandes Estadistas.

    E nós meros mortais para sobrevivermos temos que tirar linha da cueca para costurar a calça; latir no quintal para economizar o cachorro; e, sem falar que: Se cobiçarmos um dia sentir o verdadeiro sabor de uma boa carne, fatalmente teremos que morder a própria língua ou ser mais um contumaz freguês da Friboi.

    Sugiro “VIVA” à memória e a verdadeira lobotomia à franciscana.

    Caronte.

    Curtir

  40. caronte……

    Caro Caronte……

    Esqueceu de dizer: …… “Estou vendo o almoço para comprar a janta…..”

    “Na briga do Mar com a Praia, quem sofre é caranguejo…..”

    Curtir

  41. A BOMBA VAI EXPLODIR disse:
    02/12/2013 ÀS 18:06
    TODOS SABEM DA CORRUPÇÃO QUE EXISTE NA POLICIA CIVIL E JÁ FAZ É TEMPO. É COMO ALGO INSTITUCIONALIZADO E SÓ VEJO ESTÁ MALDITA IMPRENSA GOLPISTA METER O PAU NA POLICIA MILITAR E NA MAIORIA DAS VEZES SÃO COISAS QUE PERTO DAS PRATICADAS PELA PC, SÃO FICHINHA. ÓBVIO QUE EXISTE GRANDE INTERESSE EM DESMORALIZAR A PM, INTERESSES OUTROS, MUITO MAIORES EXISTEM. ESTE PAÍS É MUITO RICO E VISADO. A PM É DAS POUCAS INSTITUIÇÕES QUE FUNCIONAM E NÃO SE CURVAM NESTE PAÍS. POR MIM SE ACABAR A PM OU PC TANTO FAZ, PORÉM PARA O PAÍS E PARA O POVO NÃO SERIA NADA BOM, PELO MENOS NOS PRÓXIMOS 30 ANOS. ANTES DE SE MUDAR ALGUMA COISA NESTE PAÍS SE TEM QUE INVESTIR EM EDUCAÇÃO DE QUALIDADE, COISA ALIÁS QUE O PSDBOSTA NÃO FEZ, NO CASO DE SP, EM CUMPRIMENTO A DETERMINAÇÃO DA ONU ( A MESMA QUE DIZ SER CONTRA INSTITUIÇÃO POLICIA MILITAR), O PSDBOSTA CRIOU ESTA MALDITA APROVAÇÃO AUTOMÁTICA NAS ESCOLAS, ONDE HOJE É COMUM VERMOS ALUNOS DE 10, 12 ANOS QUE NÃO SABEM LER E ESCREVER OU FAZER AS QUATRO OPERAÇÕES, ISTO PORQUE A ONU NA GESTÃO TUCANA, ALERTOU QUE O ÍNDICE DE REPETÊNCIA NO PAÍS ERA MUITO GRANDE. E QUE TAL FATO PREJUDICARIA O PAÍS, QUE DEVIA ATÉ AS CALÇAS AO FMI, DE PEDIR EMPRÉSTIMOS OU NEGOCIAR SUA DIVIDA. MORAL DA HISTÓRIA POVO DESQUALIFICADO, NAÇÃO FRACA. ACABAR COM A POLICIA MILITAR SERIA UM TRUNFO PRA ESTES ANTI BRASILEIROS.

    Curtir

  42. Passei em Escrivão e em Agente Policial, dos futuros colegas que já são da casa, qual das duas carreiras vocês me sugerem? Estive hoje no DAP para entregar os exames médicos e conversei com a Chefe dos Agentes, achei muito gente boa por sinal.

    Curtir

  43. Parabéns Boechat, somente um jornalista experiente e com coragem de falar a verdade poderia agir assim, pois estes seres, sobras da ditadura, pensam que são donos do mundo . Há muito tempo admiro o seu trabalho e depois desta reportagem o considero o melhor jornalista em atuação no momento.

    Curtir

  44. Tô na PC há um pouquinho mais que quinze anos, e é de praxe “abrirem concursos, para mãos de obras mais baratas”, isto é, abrem vagas para cargos, cuja exigência para ingresso é de menor nível de escolaridade, e depois desviam o “aprovado” para executar tarefas que nada tinha a ver com as tarefas do concurso que prestou, e se algo de errado a cobrança vem para o concursado, aprovado no cargo e que exerce as tarefas do cargo original. Afinal quem está no desvio de função, a princípio, não será cobrado. E assim caminha, a fábrica de ilusões, de que a segurança pública funciona com os parcos recursos, que ainda não foram desviados.

    Curtir

  45. Escriludida:
    Naum sabia que o plural de mao-de-obra e essa perola que a senhora acabou de postar. Vivendo e aprendendo com quem ha 15 anos deveria ter a obrigacao profissional de redigir corretamente. O jacare banguela deve estar se sentindo o Aurelio.

    Curtir

  46. Pascoale C.Neto Filho disse:
    02/12/2013 ÀS 21:58
    Oh! colega, sabes o que significa, em termos da língua portuguesa, uma frase entre apas (“…..”). Vá estudar.

    Curtir

  47. Uma oitiva tomada pela senhora, permeada com frases entre aspas, teria destino certo…a lata.

    Curtir

  48. o direito de liberdade e expressar é o direito garantido na nossa CARTA MAGNA. O MAIS ABSURDO QUE QUALQUER UM SABE O SEU DIREITO. O mais engraçado que os mili não sabem os direitos dos outros. Sou favoravel ao direito da liberdade de imprensa desde que justa. Como sou assiduo ouvinte da BAND NEWS não vejo perseguição orquestrada pelo citado e notório jornalista

    Curtir

  49. Pascoale C.Neto Filho & Filtro disse:
    02/12/2013 ÀS 22:31
    Uma oitiva tomada pela senhora, permeada com frases entre aspas, teria destino certo…a lata.
    ————————————————————————————————————————————-
    Vai depender do coeficiente de inteligência de quem ler.

    Curtir

  50. Retomando o cerne do caso: o apresentador Ricardo Boechat se indignou com o congestionamento no trânsito, provocado por viaturas da Polícia Militar, aliás, da mesma instituição que “não detectou” nenhum problema no trânsito, no dia 06/03/09, entre as ruas Rosa de Siqueira, em Santo André, e o final da Avenida Água Fria – Zona Norte da Capital/SP. Para quem desconhece o itinerário: Avenida dos Estados, seguindo pela Avenida Cruzeiro do Sul, depois, Rua Dr. Zuquim, entrando na última Avenida citada. Em horário “normal”, esse percurso pode ser realizado em aproximadamente uma hora. A depender dos transtornos, porém, nem em TRÊS HORAS isso é possível. No referido dia houve um dos piores congestionamentos na cidade de São Paulo, fato tecnicamente comprovado pela CET, ou seja, naqueles dois meses e uma semana do ano 2009 somente outros dois dias foram piores.

    Tudo seria considerado razoável se eu não tivesse sido transferido para uma Umidade Policial Militar “daquelas bandas”, por mero capricho pessoal, medo e covardia dos PATIFES FARDADOS, “enrolados até o pescoço”, em decorrência das PATIFARIAS nas quais os contextualizei, com sobejas provas e requintes de detalhes.

    Moral da história: tudo o que queriam, dentre outros transtornos e despesas que me impingiam, era eventual atraso meu ao “serviço”, na referida Unidade Policial Militar, “do outro lado do mundo”.

    Qual era minha função? Resposta: NENHUMA!

    Quem havia assumido minha função, no CPA/M-6? Resposta: o BANDIDO FARDADO mancomunado com outro, das BANDIDAGENS do 10º BPM/M.

    “Resumão”: melhor que o “PROCEDIMENTO DISCIPLINAR Nº CRPM-003/06/09, para apuração de 33 minutos, que se tornaram 40, de meu atraso ao “serviço”, fosse coisa de idiota, porque ainda poder-se-ia alentar esperança de algo aproveitável nessa Polícia Militar. Lamento dizer, sem medo de nenhuma discordância, que isso é COISA DE BANDIDOS DA PIOR ESPÉCIE, zombadores do erário, custeado pelo pobre do contribuinte que não dispõe de helicóptero para apanhar parentes no aeroporto de Cumbica.

    A Polícia Militar paulista está muito longe de merecer o mesmo respeito que ela se recusa a oferecer!

    Parabéns Boechat!!!

    Curtir

  51. REPETINDO o que já foi publicado no FLIT, para não esquecer
    Em reunião com o Delegado Geral de Polícia Dr. Luiz Maurício Souza Blazeck, fomos informados que em 2014, possivelmente, ainda no 1° semestre será concluída a reestruturação das carreiras Policiais Civis e que, também, será antecipada a segunda parcela contida no anexo II para Investigadores e Escrivães e que, na forma de Lei Complementar, por sugestão da AIPESP e AEPESP, todos esses Policiais da 3° classe com interticio cumprido seriam promovidos automaticamente para a 2° classe.
    Parece que tal reunião foi realizada com o SIPOL.

    Curtir

  52. Não estou defendendo a PM, que não precisa de minha defesa, mas, contudo, porém, entretanto, gostaria de ver esse jornalista se referir nos termos citados ao Poder Judiciário ou Ministério Público. Aí o dano moral não seria estipulado em cinco mil reais e sim em cinco milhões.

    Quando a vítima é do PJ ou MP, as indenizações são altíssimas. Para eles nunca se entende ser enriquecimento sem causa.

    Temos muitos jornalistas/experts em segurança pública/política/engenharia/medicina/física/química/astronomia/zoologia/sociologia/geografia/economia, etc., sabe tudo, entende tudo critica todos.

    Quando são contraditados aí é violação da liberdade de expressão.

    Como dizia um grande icone da sociedade brasileira: “DEMOCRACIA É QUANDO VOCÊ MANDA EM MIM, QUANDO SOU EU QUEM MANDA EM VOCÊ AÍ É DITADURA”.

    ABRAÇOS.

    Curtir

  53. kkkk
    Essa foi foda ein Doutor, o pior é que esse tipo de frase de efeito ressoa no boca a boca dos corredores por ser uma situação emblemática.
    Esconder R$80.000,00 dentro de uma panela de pressão é algo surreal ainda mais com os ‘polícia’ passando fome do jeito que estão com esse salário do alquimim, quando os tiras caem pra dentro do barraco a primeira coisa que reviram é geladeira e panelas atrás de comida!

    Curtir

  54. SENHORES AGENTES DE TELECOMUNICAÇÕES A HORA É AGORA !

    VAMOS APOIAR O PROJETO DE LEI NÚMERO 47/13, DO CARLÃO PIGNATÁRI; AGORA, JÁ TEMOS O AVAL DO DR FERNANDO CAPEZ, NA COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA !

    ENTREM EM CONTATO COM OS SEUS DEPUTADOS ESTADUAIS E ATÉ MESMO COM O PRESIDENTE DA ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA ! PARA QUE COLOQUEM EM PAUTA O PROJETO.

    CONVERSEM COM OS SEUS DELEGADOS, QUEM TIVER ACESSO COM O DGP, SSP E GOVERNADOR !

    VAMOS NÃO DEIXEM DE LADO, VAMOS LUTAR ! PELO NÍVEL SUPERIOR !

    ACESSEM O SITE DA ASSEMBLÉIA E DO NOSSO SINDICATO SINTELPOL….

    Curtir

  55. Quanta inveja, tudo isso é vontade de ser Polícia? PC = POLÍCIA DE COMÉDIAS, KKKKKK, bando de covardes que se escondem em plantões e só sabem reclamar e por a culpa de tudo na PM, VAGABUNDOS, nunca serão e nunca saberão o que é ser policial de verdade, bando de COMÉDIAS!!! PAMONHA PAMONHA PAMONHA, vendem-se pros criminosos por merreca!!!! canalhas, fomentam o crime e pessoas como esse outro bandido repórter preconceituoso e também covarde, que ataca quem mal pode se defender com as mesmas armas!!! E vcs apoiam isso??? e se dizem policiais??? A justiça é o mínimo que todos os Policiais de verdade devem recorrer, e não aos donos de biqueira, desmanches, jogo de azar e etc!!! Onde vamos parar com Policiais Civis que pensam dessa forma, merecem todo descaso do Governo, da População e da Polícia de verdade que é a GLORIOSA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO!!!!!!!!!!!!!!!!!

    Curtir

  56. NOSSA, QUANTO IBOPE JOGADO FORA. VIRA A PÁGINA AE MEU. CHEGA. JÁ SATUROU JÁ. AFF.QTA BABOSEIRA

    Curtir

  57. A liberda de de emprensa deve ser ratificada, mas o Ricardo passou de todos os limites possíveis. O seu direito vai até quando começa o direito dos outros. Ele abusou do palavriado de baixo calão. Acho que deveria ter o direito de resposta e ação contra ele sim…

    Curtir

  58. ISSO AQUI TÁ PARECENDO BLOG DE LADRÃO!!!!!!!!!!!!!!!! TODOS CONTRA A PM. INDEPENDENTE DE NOSSAS OPINIÕES QUANTO A PM SER RESQUICIO DA DITADURA MILITAR, VIOLENTA ETC…ETC… A ELA SE DEVE RESPEITO, COMO SE DEVE RESPEITO A QUALQUER INSTITUIÇÃO E SEUS MEMBROS. A IMPRENSA FORMA OPINIÃO E A PARTIR DO MOMENTO EM QUE A POPULAÇÃO TOMA CONHECIMENTO QUE UM APRESENTADOR E JORNALISTA RENOMADO OFENDE POLICIAIS E TODA A CADEIA HIERARQUICA VÃO SE ACHAR NO DIREITO DE LIGAR NO 190 E CHAMAR O PM DE IDIOTA, VÃO SE AHAR NO DIRETIO DE ACIONAREM A PM PELO GRITO ” O IDIOTAS ACABEI DE SER ROUBADO, VCS PODEM ME LEVAR PRA DELEGACIA ABRIR UM BO”.
    NUM DETERMINADO MOMENTO O JORNALISTA DIZ, VAMOS IDENTIFICAR QUEM ÉO CABO IDIOTA, O SGT IDIOTA, O MAJOR IDIOTA, O CEL IDIOTA….”
    SERIA JUSTO SE UM AGENTE OPERACIONAL DA PC FIZESSE UMA CAGADA, E ALGUÉM FALASSE TITULAR IDIOTA SECCIONAL IDIOTA, DIRETOR IDIOTA, DG IDIOTA…?????????????????????
    DEMONIOCRACIA OU DEMOCRACIA, FALEM SÉRIO DEMOCRACIA NESSE PAIS?????????????????/ SÓ SE FOR DEMOCRACIA DOS POLÍTICOS BANDIDOS POR QUE A GRANDE MAIORIA DO POVO QUE INCLUSIVE ESTÁ CAGANDO E ANDANDO PRA O QUE É UMA DEMOCRACIA DE VERDADE ISSO AQUI É UMA DITADURA CHEFIADA POR CIVIS.

    Curtir

  59. De: Biltge Advogados
    Enviada: Quinta-feira, 28 de Novembro de 2013 09:27
    Para: Biltge Advogados
    Assunto: RETIFICANDO: Ação da URV ( NOVA ação judicial)‏

    Prezado(a) cliente, esclareço que nos últimos dias o Poder Judiciário publicou decisões judiciais afirmando que TODOS os servidores (ativos ou inativos) e pensionistas terão direito a ajuizar a ação da URV ( estendendo o direito à ação da URV àqueles servidores que ingressaram no serviço público APÓS março de 1994). Desta forma, hoje, QUALQUER servidor (ativo ou inativo) ou pensionista terá direito a ingressar com a ação da URV, POUCO IMPORTANDO O ANO em que o servidor ingressou no serviço público. Sendo assim, agora a ação da URV é viável para TODOS!

    Caso Vossa Senhoria ainda NÃO tenha encaminhado sua procuração para meu escritório, deverá envia-la o quanto antes para que a prescrição seja interrompida! Acrescento que, todos os servidores públicos que trabalham na sua unidade policial também terão direito ao ajuizamento da ação e poderão enviar a procuração. Finalizo este email informando que todos aqueles servidores/pensionistas que colocarem a documentação em um mesmo envelope, os manterei no mesmo processo, pois sei que os senhores gostam disto.

    Logo abaixo segue uma breve explicação da ação da URV.

    Atenciosamente, Dra. Déborah

    Biltge Advogados (Dr. Manoel M. Biltge e Dra. Déborah Monte Biltge)

    Av. Paulista, n° 726, 17° andar, conj. 1707, CEP 01310-910 – São Paulo/SP – Fone (11) 3254-7573 ou (14) 3413-9497
    Dra. Déborah Biltge (11) 98388-6696 Dr. Manoel Biltge (11) 98625-2057
    __________________________________________________________________________________________________
    From: biltgeadvogados@hotmail.com

    Prezado(a) cliente, em virtude da recente decisão do STF (26/09/2013), agora tornasse bastante viável o ajuizamento da ação da URV (Unidade Real de Valor), uma vez que o Supremo decidiu que o Governador deveria ter corrigido os salários dos seus servidores e pensionistas em março de 1994, quando a moeda do país mudou de URV para Real, considerando os valores da Lei 8.880/94. Por tal motivo, encaminho em anexo a procuração da ação da URV, a qual precisará preencher (não é necessário reconhecer firma), juntar um hollerith/demonstrativo da intranet recente, RG e CPF; e me enviar pelo correio (carta registrada ou sedex). Assim que eu a receber, mandarei email com o recibo.

    Saliento, que ANTES de ajuizar qualquer ação em favor dos meus clientes, eu SEMPRE tomo a cautela de verificar junto ao Poder Judiciário se o mesmo não ajuizou anteriormente a mesma ação, e se verificar que ele já ajuizou a ação, devolvo TUDO(inclusive o dinheiro), pois nosso ordenamento jurídico não permite duplicidade de ações. Caso Vossa Senhoria, esteja em dúvida se ingressou com a ação da URV, pode enviar a documentação que farei a pesquisa em seu favor, e qualquer coisa devolverei TUDO.

    Acrescento, ainda, que TODOS os policiais/oficiais administrativos/auxiliares de serviços (ativos ou inativos e pensionistas) interessados em ajuizar referida demanda (URV), todos poderão colocar as procurações em um único envelope e, na medida do possível, deixarei todos os amigos no mesmo processo. Tenho recebido em meu escritório malotes de Seccionais e Departamentos com as procurações dos seus integrantes, e em seguida, envio o recibo por email para todos.

    Consigne-se que se os policiais não se sentirem confortáveis de enviar dinheiro pelo correio (adianto que em 17 anos de atividades, meus clientes NUNCA tiveram problema de extravio de correspondência), eles poderão fazer um depósito de R$ 50,00 na conta corrente do meu escritório e encaminhar o comprovante juntamente com a documentação:

    Banco do Brasil
    agência 5949-8
    conta corrente 40151-x
    beneficiário Biltge Sociedade de Advogados
    valor R$ 50,00 (cinquenta reais)

    Caso tenha alguma dúvida entre em contato (celulares seguem abaixo), pois será um prazer auxilia-lo(a).

    Por fim, informo que o escritório “BILTGE Sociedade de Advogados” SEMPRE foi composto de apenas, e tão somente, DOIS advogados (Manoel Biltge e Déborah Biltge). Esclareço que NÃO há NENHUM parente do Dr. Manoel Biltge que seja advogado e muito menos que trabalhe no meu escritório! Recebi a informação que há outros supostos profissionais do Direito, afirmando fazerem parte do meu escritório e até mesmo serem parentes do Dr. Manoel (por favor, preste atenção na grafia do nome BILTGE). Diante de tal fato, não me restou outra alternativa senão fazer uma representação perante a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), para que esta tome as providências cabíveis. Peço que comente com seus colegas, para que os mesmos não sejam enganados/ludibriados por profissionais que envergonham a classe dos advogados!

    Atenciosamente, Dra. Déborah

    Biltge Advogados (Dr. Manoel M. Biltge e Dra. Déborah Monte Biltge)

    Av. Paulista, n° 726, 17° andar, conj. 1707, CEP 01310-910 – São Paulo/SP – Fone (11) 3254-7573 ou (14) 3413-9497
    Dra. Déborah Biltge (11) 98388-6696 Dr. Manoel Biltge (11) 98625-2057

    Curtir

  60. FUBICA:

    Ainda não percebi a “democracia” da Polícia Militar contestando as impactantes reportagens, veiculadas pela TV Bandeirantes (Jornalista SANDRO BARBOSA), sobre a cooptação de Policiais Militares pelo “PCC”;

    Da mesma forma, nunca foi “democraticamente contestada” a entrevista do Tenente-coronel Wagner Dimas, ex-comandante do Cabo Andréia Pesseghinn, concedida ao radialista Agostinho (Band News FM) i!!!!

    FUBICA: sejamos DEMOCRATICAMENTE REALISTAS: a PM se transformou numa corja de espertalhões, patifes, falsos moralistas, querendo, agora, desviar o foco no lombo do Ricardo Boechat.

    Quer testar a legalidade da PM? Apenas uma sugestão: ligue para o Comandante-geral e pergunte se ele não se envergonha do crime de PREVARICAÇÃO (muito pior que simples idiotice) que alicerça o OFÍCIO Nº CMTG-3939/200/13, de 14/10/13.

    Curtir

  61. Esse é o maior exemplo de democracia …… todos tem liberdade para expressar seus pensamentos, desde que depois arquem com as consequências!
    Essa é a primeira de muitas outras condenações……..CHUPA BOECHAT

    Certidão de Publicação Expedida
    Relação :0237/2013 Data da Disponibilização: 26/11/2013 Data da Publicação: 27/11/2013 Número do Diário: 1547 Página: 12781281
    25/11/2013 Remetido ao DJE
    Relação: 0237/2013 Teor do ato: Vistos. É dispensável o relatório nos termos da lei 9099/95. Fundamento e decido. Alegou o autor que é Policial Militar e que ficou ofendido com as declarações do requerido no momento em que este, em uma programação jornalística, ofendeu toda a hierarquia da Polícia Militar de São Paulo ao chamar todos de idiotas. Pleiteia indenização por danos morais. Na contestação a parte requerida afirmou que seu profissional fez apenas uma manifestação genérica, em razão do que não teve o condão de ofender o autor. A preliminar se confunde com o mérito e com este será analisada. Como o autor se sentiu ofendido em razão de uma matéria veiculada pela imprensa, cabem algumas considerações. Em nossa Constituição Federal, como nela estão previstos diversos direitos e garantias individuais e coletivos, em certos momentos, na vida prática, podem ocorrer colidências, cabendo ao Judiciário estabelecer qual, no caso concreto, deve prevalecer. Todos têm direito ao sigilo telefônico, porém, para investigação criminal, com outros requisitos, é possível ser afastado este sigilo (Art. 5°, XII, da CF). Da mesma forma, o Art. 5°, XI, da Constituição Federal preserva a inviolabilidade de domicílio, porém esta garantia é afastada, caso ocorra alguma das hipóteses previstas neste mesmo inciso. Até o direito a vida é relativizado no Art. 5, XLVII, alínea “a”, da CF, onde há permissão para pena de morte em caso de guerra declarada. Percebe-se assim que em nosso ordenamento jurídico nenhum direito é absoluto, todos devem ser harmonizados e no caso concreto prevalecer o de maior relevância. Isto também se refere ao chamado “direito de informação”. O Art. 220, §1°, da CF assim dispõe: “Art. 220 – A manifestação do pensamento, a criação, a expressão e a informação, sob qualquer forma, processo ou veículo não sofrerão qualquer restrição, observado o disposto nesta Constituição. § 1º – Nenhuma lei conterá dispositivo que possa constituir embaraço à plena liberdade de informação jornalística em qualquer veículo de comunicação social, observado o disposto no Art. 5º, IV, V, X, XIII e XIV””. O direito que podemos falar que é quase absoluto não é “direito de imprensa” e sim direito de informação, o qual não está previsto de modo a ser uma prerrogativa do jornalista de falar o que bem entender e sim em um direito de todos a receber a informação adequada. O Artigo acima referido (Art.220, §1°, da CF) disciplina a liberdade de informação jornalística, esta é entendida mais do que um direito e sim uma garantia constitucional. A existência da opinião pública livre é um pressuposto da democracia de um país, todavia está relacionada a fatos que sejam importantes para que uma pessoa participe da sociedade em que vive. Ficam excluídos os sem importância, destinados à vida íntima de uma pessoa. O direito à informação, assim, sempre prevalecerá sobre o direito à intimidade quando disser respeito a fatos tidos como importantes. A nossa Constituição Federal também garante indenização àqueles que sofrerem ofensas em razão de matérias jornalísticas sensacionalistas, as quais visam apenas ofender pessoas sem qualquer conteúdo relevante. Assim, uma pessoa que sofre ofensa por um veículo de comunicação, sem qualquer conteúdo relevante, pode exigir a reparação por danos morais. Nos termos do Art. 5°, V, da CF, que assim dispõe: “V – é assegurado o direito de resposta, proporcional ao agravo, além da indenização por dano material, moral ou à imagem;” No caso dos autos, o autor, por ser Policial Militar, se sentiu ofendido com as declarações do requerido e pleiteou indenização. Trata-se de ação de responsabilidade civil, fundamentada nos artigos 186 e 927, ambos do Código Civil. ”Art. 186. Aquele que, por ação ou omissão voluntária, negligência ou imprudência, violar direito e causar dano a outrem, ainda que exclusivamente moral, comete ato ilícito. Art. 927. Aquele que, por ato ilícito (arts. 186 e 187), causar dano a outrem, fica obrigado a repará-lo.” Para ter sucesso nesta demanda, o autor deve comprovar os requisitos da responsabilidade civil aquiliana, quais sejam, conduta culposa, dano e nexo causal entre a ação e o dano. É incontroverso nos autos que o requerido durante a matéria jornalística afirmou: “Têm um idiota cabo, um idiota soldado, um idiota sargento, um idiota major, um idiota tenente, um idiota coronel, a gente quer saber toda a cadeia de idiotas na hierarquia da PM.” O jornalista, ao proferir estas palavras, não ficou acobertado com o direito/dever de informação, pois suas ofensas em nada possuem relevância, além do que não interessam à sociedade destinatária. Se houve ofensa, é passível de indenização, pois, como descrito, não é acobertada pela garantia constitucional. O primeiro requisito da responsabilidade civil é a conduta culposa, na qual estão inseridos o dolo e a culpa. No fato em comento, o requerido pode ter proferido as palavras com a intenção de ofender alguém (dolo), ou acaba por ofender em razão de um agir imprudente. Ao chamar todos de uma instituição de idiotas, o requerido agiu, no mínimo, de maneira imprudente . Estas injúrias, também, são capazes de causar dano (nexo causal). O ponto controvertido nestes autos reside em, para haver dano moral, é necessário que a ofensa tenha sido feita diretamente ao autor ou não, matéria também posta como preliminar de ilegitimidade ativa. Se o jornalista tivesse chamado o autor de “idiota” nenhuma dúvida haveria de que houve dano moral, no entanto as palavras injuriosas foram proferidas contra aqueles que pertencem a uma instituição, dentro da qual está o autor. Nos dois casos, respeitado entendimento diverso, há dano moral. Quando você ofende diretamente uma pessoa, é lógico que sim, mas também existe o dano quando a ofensa atinge o todo do qual faz parte o indivíduo. Se assim não fosse, haveria um salvo conduto para que pessoas ofendessem de maneira indiscriminada instituições, acabando por atingir de maneira reflexa indivíduos, o que deve ser coibido. Quando um jornalista chama toda a cadeia de hierarquia da Policia Militar de “idiota”, acaba por ofender todos os integrantes da mesma. Claro, um Policial Militar, que tem orgulho de sua carreira, ao ouvir estas palavras, certamente ficou magoado, principalmente porque acaba por perder respeito perante as pessoas próximas e na comunidade em que vive. Respeito este essencial ao próprio exercício da função. Imagine-se o contrário. Um Policial Militar, ao se valer de um programa de televisão, chamasse todos os Apresentadores de telejornal de “idiotas”. O requerido certamente e com razão se ofenderia por estar incluído neste todo. Além do mais, não há nenhum dispositivo legal no Brasil que exclui o dano moral para o caso de ofensas indiretas. Assim, presente está o dano moral em virtude de as declarações do requerido ter ofendido o autor. A questão da ofensa direta ou indireta, contudo, serve para quantificar o valor, pois, quando a injúria é feita de maneira direta, por certo o dano é maior . O valor de R$ 5.000,00 parece ser mais prudente do que o pleiteado, já que de certa maneira repara o dano sofrido pelo requerente, sem acarretar enriquecimento indevido, e de certa forma coíbe novas práticas abusivas da parte requerida. Desse modo, deve ser o acolhido. Os requeridos são solidariamente responsáveis por este dano moral, nos termos do Art. 932, III, do Código Civil, que assim dispõe: “Art. 932. São também responsáveis pela reparação civil: III – o empregador ou comitente, por seus empregados, serviçais e prepostos, no exercício do trabalho que lhes competir, ou em razão dele;” Desse modo, a procedência da ação é medida que se impõe. Ante o exposto, JULGO PROCEDENTE a ação para condenar os requeridos RADIO E TELEVISÃO BANDEIRANTES LTDA E RICARDO EUGÊNIO BOECHAT, de forma solidária, em danos morais no valor de R$ 5.000,00 (Cinco mil reais), quantia esta atualizada de acordo com a tabela do Tribunal de Justiça de São Paulo, desde a citação, e com juros de mora de 1% ao mês, desde a citação. Extingo o processo, com resolução de mérito (art. 269, I, do Código de Processo Civil). Sem custas e honorários advocatícios (art. 55 da Lei n° 9099/95). Para fins de recurso inominado: O prazo para recurso é de 10 (DEZ) dias, contados da ciência da sentença. O recurso deverá ser interposto por advogado e deverá vir acompanhado do preparo e do porte de remessa, recolhimentos feitos nas 48 horas seguintes à interposição (independentemente de intimação para tal fim), não havendo prazo suplementar para sua apresentação ou complementação. O valor do preparo, nos termos da Lei Estadual nº 11.608/2003, regulamentada pelos Provimentos CSM n° 831 e 833, ambos de 2004, englobando as custas do próprio recurso e ainda aquelas dispensadas em primeiro grau de jurisdição corresponde, em São Paulo, a 3% do valor da causa. No caso de condenação, tal como na presente hipótese, porém, deve se entender em 1% do valor da causa, visto ser este o valor que seria pago em 1º grau de jurisdição, havendo sido dispensado, nos termos do art. 54, parágrafo único, da Lei n° 9.099/95, desde que não seja inferior a 5 UFESPs, acrescido de 2% sobre o valor da condenação, também respeitando o valor mínimo de 5 UFESPs, tudo nos termos do art. 4º, incisos I e II e parágrafo primeiro e segundo, da Lei supra citada, o que resulta no valor de R$ 340,00 (Código da Receita 230-6 Imposto Estadual). O valor do porte e remessa e retorno é de R$ 29,50, por volume de autos nos termos do Provimento n. 833/2004 do CSM (guia do fundo de despesa – código da Receita 110-4). Para fins de execução da sentença: Transitada em julgada a sentença, deverá o(a) devedor (a) cumprir voluntariamente a condenação, no prazo de 15 dias, independente de citação ou intimação para esse fim, sob pena da incidência da multa de 10% sobre o valor total da condenação, nos termos do disposto no art. 52, inciso V, da Lei n° 9.099/95 c.c. art. 475-J, do Código de Processo Civil. No prazo de 30 (trinta) dias, a contar da data do descumprimento da obrigação fixada em sentença, a parte credora deverá requerer o início da execução. A parte assistida por advogado deverá apresentar planilha de cálculo com a multa de 10% do artigo 475-J do Código de Processo Civil. Defiro, desde já, o encaminhamento dos autos ao Contador para elaboração do cálculo, no caso da parte desassistida por advogado. P.I.C. São Paulo, 22 de novembro de 2013. Advogados(s): Fabian Asin Rodriguez (OAB 310578/SP), Marcus Vinicius Braga Jones (OAB 339225/SP)

    Curtir

  62. Aberto o concurso para OFICIAL ADMINISTRATIVO. O salário é de 900,00.

    Mas não é por causa do salário que o pessoal diz que não vai prestar, é porque não tem porte de arma.

    O fascínio pela polício é grande e o governo sabe disso, não importa o salário, somente dizer que é policial já esta de bom tamanho.

    Curtir

  63. Esse é o maior exemplo de democracia …… todos tem liberdade para expressar seus pensamentos, desde que depois arquem com as consequências!
    Essa é a primeira de muitas outras condenações……..CHUPA BOECHAT

    Certidão de Publicação Expedida
    Relação :0237/2013 Data da Disponibilização: 26/11/2013 Data da Publicação: 27/11/2013 Número do Diário: 1547 Página: 12781281
    25/11/2013 Remetido ao DJE
    Relação: 0237/2013 Teor do ato: Vistos. É dispensável o relatório nos termos da lei 9099/95. Fundamento e decido. Alegou o autor que é Policial Militar e que ficou ofendido com as declarações do requerido no momento em que este, em uma programação jornalística, ofendeu toda a hierarquia da Polícia Militar de São Paulo ao chamar todos de idiotas. Pleiteia indenização por danos morais. Na contestação a parte requerida afirmou que seu profissional fez apenas uma manifestação genérica, em razão do que não teve o condão de ofender o autor. A preliminar se confunde com o mérito e com este será analisada. Como o autor se sentiu ofendido em razão de uma matéria veiculada pela imprensa, cabem algumas considerações. Em nossa Constituição Federal, como nela estão previstos diversos direitos e garantias individuais e coletivos, em certos momentos, na vida prática, podem ocorrer colidências, cabendo ao Judiciário estabelecer qual, no caso concreto, deve prevalecer. Todos têm direito ao sigilo telefônico, porém, para investigação criminal, com outros requisitos, é possível ser afastado este sigilo (Art. 5°, XII, da CF). Da mesma forma, o Art. 5°, XI, da Constituição Federal preserva a inviolabilidade de domicílio, porém esta garantia é afastada, caso ocorra alguma das hipóteses previstas neste mesmo inciso. Até o direito a vida é relativizado no Art. 5, XLVII, alínea “a”, da CF, onde há permissão para pena de morte em caso de guerra declarada. Percebe-se assim que em nosso ordenamento jurídico nenhum direito é absoluto, todos devem ser harmonizados e no caso concreto prevalecer o de maior relevância. Isto também se refere ao chamado “direito de informação”. O Art. 220, §1°, da CF assim dispõe: “Art. 220 – A manifestação do pensamento, a criação, a expressão e a informação, sob qualquer forma, processo ou veículo não sofrerão qualquer restrição, observado o disposto nesta Constituição. § 1º – Nenhuma lei conterá dispositivo que possa constituir embaraço à plena liberdade de informação jornalística em qualquer veículo de comunicação social, observado o disposto no Art. 5º, IV, V, X, XIII e XIV””. O direito que podemos falar que é quase absoluto não é “direito de imprensa” e sim direito de informação, o qual não está previsto de modo a ser uma prerrogativa do jornalista de falar o que bem entender e sim em um direito de todos a receber a informação adequada. O Artigo acima referido (Art.220, §1°, da CF) disciplina a liberdade de informação jornalística, esta é entendida mais do que um direito e sim uma garantia constitucional. A existência da opinião pública livre é um pressuposto da democracia de um país, todavia está relacionada a fatos que sejam importantes para que uma pessoa participe da sociedade em que vive. Ficam excluídos os sem importância, destinados à vida íntima de uma pessoa. O direito à informação, assim, sempre prevalecerá sobre o direito à intimidade quando disser respeito a fatos tidos como importantes. A nossa Constituição Federal também garante indenização àqueles que sofrerem ofensas em razão de matérias jornalísticas sensacionalistas, as quais visam apenas ofender pessoas sem qualquer conteúdo relevante. Assim, uma pessoa que sofre ofensa por um veículo de comunicação, sem qualquer conteúdo relevante, pode exigir a reparação por danos morais. Nos termos do Art. 5°, V, da CF, que assim dispõe: “V – é assegurado o direito de resposta, proporcional ao agravo, além da indenização por dano material, moral ou à imagem;” No caso dos autos, o autor, por ser Policial Militar, se sentiu ofendido com as declarações do requerido e pleiteou indenização. Trata-se de ação de responsabilidade civil, fundamentada nos artigos 186 e 927, ambos do Código Civil. ”Art. 186. Aquele que, por ação ou omissão voluntária, negligência ou imprudência, violar direito e causar dano a outrem, ainda que exclusivamente moral, comete ato ilícito. Art. 927. Aquele que, por ato ilícito (arts. 186 e 187), causar dano a outrem, fica obrigado a repará-lo.” Para ter sucesso nesta demanda, o autor deve comprovar os requisitos da responsabilidade civil aquiliana, quais sejam, conduta culposa, dano e nexo causal entre a ação e o dano. É incontroverso nos autos que o requerido durante a matéria jornalística afirmou: “Têm um idiota cabo, um idiota soldado, um idiota sargento, um idiota major, um idiota tenente, um idiota coronel, a gente quer saber toda a cadeia de idiotas na hierarquia da PM.” O jornalista, ao proferir estas palavras, não ficou acobertado com o direito/dever de informação, pois suas ofensas em nada possuem relevância, além do que não interessam à sociedade destinatária. Se houve ofensa, é passível de indenização, pois, como descrito, não é acobertada pela garantia constitucional. O primeiro requisito da responsabilidade civil é a conduta culposa, na qual estão inseridos o dolo e a culpa. No fato em comento, o requerido pode ter proferido as palavras com a intenção de ofender alguém (dolo), ou acaba por ofender em razão de um agir imprudente. Ao chamar todos de uma instituição de idiotas, o requerido agiu, no mínimo, de maneira imprudente . Estas injúrias, também, são capazes de causar dano (nexo causal). O ponto controvertido nestes autos reside em, para haver dano moral, é necessário que a ofensa tenha sido feita diretamente ao autor ou não, matéria também posta como preliminar de ilegitimidade ativa. Se o jornalista tivesse chamado o autor de “idiota” nenhuma dúvida haveria de que houve dano moral, no entanto as palavras injuriosas foram proferidas contra aqueles que pertencem a uma instituição, dentro da qual está o autor. Nos dois casos, respeitado entendimento diverso, há dano moral. Quando você ofende diretamente uma pessoa, é lógico que sim, mas também existe o dano quando a ofensa atinge o todo do qual faz parte o indivíduo. Se assim não fosse, haveria um salvo conduto para que pessoas ofendessem de maneira indiscriminada instituições, acabando por atingir de maneira reflexa indivíduos, o que deve ser coibido. Quando um jornalista chama toda a cadeia de hierarquia da Policia Militar de “idiota”, acaba por ofender todos os integrantes da mesma. Claro, um Policial Militar, que tem orgulho de sua carreira, ao ouvir estas palavras, certamente ficou magoado, principalmente porque acaba por perder respeito perante as pessoas próximas e na comunidade em que vive. Respeito este essencial ao próprio exercício da função. Imagine-se o contrário. Um Policial Militar, ao se valer de um programa de televisão, chamasse todos os Apresentadores de telejornal de “idiotas”. O requerido certamente e com razão se ofenderia por estar incluído neste todo. Além do mais, não há nenhum dispositivo legal no Brasil que exclui o dano moral para o caso de ofensas indiretas. Assim, presente está o dano moral em virtude de as declarações do requerido ter ofendido o autor. A questão da ofensa direta ou indireta, contudo, serve para quantificar o valor, pois, quando a injúria é feita de maneira direta, por certo o dano é maior . O valor de R$ 5.000,00 parece ser mais prudente do que o pleiteado, já que de certa maneira repara o dano sofrido pelo requerente, sem acarretar enriquecimento indevido, e de certa forma coíbe novas práticas abusivas da parte requerida. Desse modo, deve ser o acolhido. Os requeridos são solidariamente responsáveis por este dano moral, nos termos do Art. 932, III, do Código Civil, que assim dispõe: “Art. 932. São também responsáveis pela reparação civil: III – o empregador ou comitente, por seus empregados, serviçais e prepostos, no exercício do trabalho que lhes competir, ou em razão dele;” Desse modo, a procedência da ação é medida que se impõe. Ante o exposto, JULGO PROCEDENTE a ação para condenar os requeridos RADIO E TELEVISÃO BANDEIRANTES LTDA E RICARDO EUGÊNIO BOECHAT, de forma solidária, em danos morais no valor de R$ 5.000,00 (Cinco mil reais), quantia esta atualizada de acordo com a tabela do Tribunal de Justiça de São Paulo, desde a citação, e com juros de mora de 1% ao mês, desde a citação. Extingo o processo, com resolução de mérito (art. 269, I, do Código de Processo Civil). Sem custas e honorários advocatícios (art. 55 da Lei n° 9099/95). Para fins de recurso inominado: O prazo para recurso é de 10 (DEZ) dias, contados da ciência da sentença. O recurso deverá ser interposto por advogado e deverá vir acompanhado do preparo e do porte de remessa, recolhimentos feitos nas 48 horas seguintes à interposição (independentemente de intimação para tal fim), não havendo prazo suplementar para sua apresentação ou complementação. O valor do preparo, nos termos da Lei Estadual nº 11.608/2003, regulamentada pelos Provimentos CSM n° 831 e 833, ambos de 2004, englobando as custas do próprio recurso e ainda aquelas dispensadas em primeiro grau de jurisdição corresponde, em São Paulo, a 3% do valor da causa. No caso de condenação, tal como na presente hipótese, porém, deve se entender em 1% do valor da causa, visto ser este o valor que seria pago em 1º grau de jurisdição, havendo sido dispensado, nos termos do art. 54, parágrafo único, da Lei n° 9.099/95, desde que não seja inferior a 5 UFESPs, acrescido de 2% sobre o valor da condenação, também respeitando o valor mínimo de 5 UFESPs, tudo nos termos do art. 4º, incisos I e II e parágrafo primeiro e segundo, da Lei supra citada, o que resulta no valor de R$ 340,00 (Código da Receita 230-6 Imposto Estadual). O valor do porte e remessa e retorno é de R$ 29,50, por volume de autos nos termos do Provimento n. 833/2004 do CSM (guia do fundo de despesa – código da Receita 110-4). Para fins de execução da sentença: Transitada em julgada a sentença, deverá o(a) devedor (a) cumprir voluntariamente a condenação, no prazo de 15 dias, independente de citação ou intimação para esse fim, sob pena da incidência da multa de 10% sobre o valor total da condenação, nos termos do disposto no art. 52, inciso V, da Lei n° 9.099/95 c.c. art. 475-J, do Código de Processo Civil. No prazo de 30 (trinta) dias, a contar da data do descumprimento da obrigação fixada em sentença, a parte credora deverá requerer o início da execução. A parte assistida por advogado deverá apresentar planilha de cálculo com a multa de 10% do artigo 475-J do Código de Processo Civil. Defiro, desde já, o encaminhamento dos autos ao Contador para elaboração do cálculo, no caso da parte desassistida por advogado. P.I.C. São Paulo, 22 de novembro de 2013. Advogados(s): Fabian Asin Rodriguez (OAB 310578/SP), Marcus Vinicius Braga Jones (OAB 339225/SP)

    Curtir

  64. Voltando à ativa. Bom …é simples. Toda vez que vejo algum idiota na Tv , eu mudo de canal.

    Curtir

  65. Tem como alguém avisar para o DGP que me pagaram só metade do ticket, ou seja, me tiraram 110 reais e ainda mandaram o NU para o carnaval???

    Pergunta pra ele se tenho q me manter ordeiro e legalista?

    Curtir

  66. quando alguém sugerir e incitar alguém a mijar na sua mãe, não tratem como difamação!!! afinal não passa de liberdade de expressão…por isso esse país está a bosta que está!

    Curtir

  67. policial militar, não confunda alhos com bugalhos, são situações totalmente distintas, não há relação com o exemplo que você deu com os fatos em tela.

    Curtir

  68. Acho estranho a PM ficar preocupada com isso.

    A PM, assim como a PC e todos os funcionários públicos, precisa lutar por salários compatíveis, condições de trabalho, qualificação profissional, reestruturação, unificação etc.

    Um amigo meu, sargento, mais de 10 anos de PM, vai casar e precisa vender o carro para dar a entrada no apto. Ele ainda brinca que, se tudo der certo, daqui a 20 anos já pode ter o primeiro filho. E eu digo que poderia ser pior, porque ele poderia estar no meu lugar.

    A gente ri para não chorar.

    Curtir

  69. otógrafo italiano vai à Cracolândia e registra efeito da droga: “Queria saber até onde o ser humano pode chegar”
    Alessio Ortu passou um ano clicando a realidade de moradores na região do centro de São Paulo. O resultado é o projeto “Simulacrum Praecipitii”, que deu origem a um livro, exposição e documentário. Em entrevista à Marie Claire, ele fala sobre a experiência
    Siga Marie Claire no Pinterest

    Michelle, uma das clicadas, já se prostituiu para comprar crack. Hoje, não faz mais isso (Foto: Alessio Ortu)
    MICHELLE, UMA DAS CLICADAS, JÁ SE PROSTITUIU PARA COMPRAR CRACK. HOJE, NÃO FAZ MAIS ISSO (FOTO: ALESSIO ORTU)
    Na última semana de novembro, o atual governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, anunciou a decisão de terceirizar o atendimento aos usuários de crack da região central da capital paulistana. O novo espaço da Cracolândia, que funcionará de segunda a sábado e tem previsão de ficar pronto até fevereiro de 2014, deve contar com área de internação que terá “moradias de crise” para 30 dependentes químicos, atividades esportivas e culturais para 100 usuários por dia, 21 leitos de desintoxicação e dormitórios onde os dependentes poderão morar por até três meses.
    LEIA TAMBÉM
    Escravas do crack: mulheres que trocam as próprias vidas pela droga
    Eu, Leitora: “Internei meu filho 14 vezes para livrá-lo do crack. Não consegui”
    Com o objetivo de “devolver o sentido de dignidade e humanidade a quem é desprezado por todos”, o fotógrafo italiano Alessio Ortu passou um ano clicando a cada 15 dias os viciados em crack. O resultado da série foi o projeto “Simulacrum Praecipitii” (“A imagem do abismo”, em latim), composto de livro, exposição e documentário. Este último percorre atualmente vários festivais de cinema, de Gramado a Mar Del Plata. Em entrevista à Marie Claire, Alessio falou sobre o que viu durante o período em que frequentou a Cracolândia e afirma: “Nem todo dependente de lá é ladrão como mostram”.
    Marie Claire: De onde surgiu a ideia de fazer o projeto “Simulacrum Praecipitii”?
    Alessio Ortu: Tudo começou quando, alguns anos atrás, me mudei para São Paulo e me impressionei com essa realidade vista no centro da cidade. Algo tão diferente de outros lugares que morei na Europa e América do Norte. Em setembro de 2011 dei início ao projeto e fotografei durante um ano.
    MC: As fotos geraram um livro, uma exposição e um documentário, certo?
    A.O: Sim. Do livro surgiu a exposição, que ficou em cartaz no Palácio da Justiça em novembro. O documentário “Simulacrum Preacipitii – a visão do abismo” estreou em festivais de Gramado, Goiás, Cuba e Mar Del Plata. No início do próximo ano a exposição entrará em cartaz na OAB. (Confira o trailer clicando aqui ou na imagem abaixo).
    Danielle (à esq.) e Sabrina são prostitutas e vivem a realidade de quem se prostitui como uma das formas de alimentar o vício (Foto: Alessio Ortu)
    DANIELLE (À ESQ.) E SABRINA SÃO PROSTITUTAS E VIVEM A REALIDADE DE QUEM SE PROSTITUI COMO UMA DAS FORMAS DE ALIMENTAR O VÍCIO (FOTO: ALESSIO ORTU)
    MC: Como se comportavam as mulheres que você clicou? Eram violentas?
    A.O: O temperamento de todos eles –homens e mulheres – é igual. Quando percebem que você chega lá com boas intenções, querendo ajudá-los e não se aproveitar de uma situação, eles colaboram. Eles querem ser ouvidos. Fui quase sempre bem acolhido.
    MC: Como elas reagiam quando propôs clicá-las?
    A.O: A maioria pedia dinheiro para alguma coisa e perguntavam qual era o objetivo. O que ajudou também é que cheguei neles de modo diferente dos jornalistas. Antes mesmo de começar a clicar, via outros profissionais tentando fazer fotos de longe, sem serem percebidos. Isso deixa os moradores de lá muito irritados porque se sentem roubados. Agi diferente: fui lá e pedi autorização.
    LEIA TAMBÉM
    São Paulo ocupada: a rotina de quem vive em moradias irregulares na cidade
    MC: Como era a rotina de fotos?
    A.O: Não dá para ir todo dia, pois você fica marcado e é perigoso. Ia lá toda semana ou a cada 15 dias, saía bem cedo de casa e ia direto para o foco da Cracolândia. Às vezes levava horas para chegar na pessoa certa, porque tem fugitivos, traficantes, pessoas que não queriam aparecer e outras que estavam loucas e não entendiam nada do que eu falava. Mas, quando começava a fotografar, ficava mais fácil. Quando um deles já estava sendo clicado, os outros ficavam mais confiantes. Às vezes tinha até fila de espera para as fotos.
    MC: Como você os abordava?
    A.O: Eu os parava nas ruas e ia direto ao ponto: perguntava se fumavam crack, se moravam nas ruas e se queriam ser clicados. Explicava que estava fazendo um projeto pessoal, sem ligação com a mídia ou fins comerciais. Acho que o fato de eu ser estrangeiro também ajudou um pouco, pois eles ficavam interessados nos meus motivos para me interessar por essa realidade em São Paulo.
    Sabrina, uma das clicadas da série (Foto: Alessio Ortu)
    SABRINA, UMA DAS CLICADAS DA SÉRIE (FOTO: ALESSIO ORTU)
    MC: Foi atacado por algum viciado?
    A.O: Não, em nenhum momento. Havia pessoas mais agressivas, que não queriam ser clicadas, mas eu respeitava e não insistia. Vi brigas entre elas, algumas até mais violentas, mas simplesmente observei. Vi prostitutas que usavam a prostituição para comprar o crack.
    LEIA TAMBÉM
    Pornografia de revanche: “Nossa sociedade julga as mulheres como se o sexo denegrisse a honra”, diz Romário
    MC: Como foi ver uma realidade bem diferente da europeia?
    A.O: Foi bem impactante ver o tamanho do problema. Na Europa a realidade social é mais controlada. Não tem essa pobreza extrema. O mais chocante é que isso acontece sob nossos olhos, num lugar lindo e histórico. É muito descuido.
    MC: Muitas fotos de sua série têm o foco nas mãos. Por quê?
    A.O: Veio de forma muito natural, já que as mãos retratam muito de nossa alma. Elas fazem tudo, principalmente para quem mora nas ruas. Eles as usam para comer, catar lixo, roubar, se prostituir, se drogar. As mãos dessas pessoas são destruídas, mostrando os sinais da devastação da vida nas ruas. São claramente feias, mas consigo ver uma beleza plastificada nelas.
    MC: Você viu coisas que as pessoas associam às drogas? Prostituição, crimes…
    A.O: Vi mulheres que usavam a prostituição para comprar o crack. Também não me interessava porque acho isso sensacionalista, já que, infelizmente, é um dos únicos jeitos que elas têm de conseguir as drogas. Mulheres se prostituem, crianças e outras pessoas catam lixo, tralhas de casas. Por incrível que pareça, a minoria rouba para se drogar. Apesar da mídia mostrar o contrário, poucos roubam. Na Cracolândia as pessoas catam lixo para comprar a droga. Essa é a realidade.
    Alessio Ortu, o autor do projeto (Foto: divulgação)
    ALESSIO ORTU, O AUTOR DO PROJETO (FOTO: DIVULGAÇÃO)
    MC: Qual história mais mexeu com você?
    A.O: Vários casos, mas o dos menores de idade é impressionante. Não pude mostrar o rosto deles, então tive que clicar com as mãos cobrindo, já que, segundo a lei, eles não devem aparecer. A história deles é muito triste: são meninos e meninas entre 14 e 16 anos, que estão vivendo nas ruas.
    LEIA TAMBÉM
    Diário de um transexual: polonês mostra seu processo de transformação na web
    MC: Você se envolveu emocionalmente em algum momento?
    A.O: Sem dúvida. Fui lá principalmente para conhecer a história dessas pessoas e devolver a dignidade e humanidade para elas, que são ignoradas e desprezadas por todos. Cada pessoa que encontrava perguntava a história pessoal, para saber como acabaram nessa situação. Cada caso é muito impactante porque mostra a gravidade do problema e o quanto é difícil escapar da situação.
    MC: É uma realidade paralela?
    A.O: Sim, e o pior: acontece no meio da cidade. Ninguém se importa com esse problema, as pessoas preferem fingir que nada está acontecendo. Isso também foi um dos motivos que me levaram a fazer esse projeto: deixar de ignorar o assunto. As pessoas tendem a não querer saber sobre isso, até como forma de autoproteção. É uma carga espiritual muito negativa, a tendência é que a população evite contato com os moradores de lá. Com essa série, quis me confrontar com esse aspecto da população que mora num nível de pura sobrevivência. Queria saber até onde o ser humano pode chegar para continuar existindo.

    Curtir

  70. 03/12/2013 17h50 – Atualizado em 03/12/2013 20h54
    MP pede ao Metrô de SP suspensão de contratos de reformas de trens
    Promotor aponta aumento do valor com fracionamento de contratos.
    Metrô diz que tem ‘fornecido todos os esclarecimentos e documentos’.
    Márcio Pinho
    Do G1 São Paulo

    24 comentários

    O promotor Marcelo Milani pediu nesta terça-feira (3) à diretoria do Metrô de São Paulo a suspensão de contratos de reformas de trens da companhia. Os contratos foram assinados entre 2008 e 2010 e são referentes à reforma de 98 trens das linhas 1-Azul e 3-Vermelha. Juntos somam, segundo a Promotoria, R$ 2,5 bilhões.
    Entre as possíveis irregularidades está o fracionamento de contratos – segundo o promotor, foram firmados 10 deles e não quatro como previsto inicialmente. “O que era para ser uma coisa só acabou virando 10 contratos”, disse. Com isso, o valor inicial previsto, de R$ 1,622 bilhão, saltou para quase R$ 2,5 bilhões, um aumento de quase R$ 875 milhões, o que, para ele, tornou a reforma mais cara do que a compra de trens novos. “É um prejuízo ao erário evidente. Um prejuízo absurdo para os cofres públicos”, afirmou Milani.
    O Metrô afirma, em nota, que o custo unitário de cada composição “saiu em torno de 60% de um trem novo, o que justifica a opção pela reforma”. “Os valores estão inseridos no contexto econômico financeiro da época em que os quatro lotes foram licitados (data-base 2008). A informação de que um trem modernizado custa 80% de um novo resulta de um cálculo absurdo, que ignora os custos de um trem novo em 2008 – época da licitação – e usa, para efeitos comparativos, o preço do trem em 2011, três anos depois do processo licitatório.”
    saiba mais
    Metrô apura contrato com Siemens para construção da Linha-2 Verde
    Não há motivo para romper contratos com Siemens, diz presidente do Metrô
    Milani diz também que não houve competitividade nas licitações. Apenas uma proposta foi apresentada em cada uma delas e venceu. O promotor citou que já aconteceram três acidentes, desde então, em trens reformados.
    Outro motivo apontado pela Promotoria do Patrimônio Público é a suspeita de que um cartel tenha sido feito em um contrato para que trens fossem adaptados e pudessem operar sem condutores (sistema CBTC), no valor de R$ 708 milhões.
    O promotor afirma que um ex-diretor da empresa Siemens trouxe a denúncia e uma prova documental. Em um e-mail, o denunciante relatou à Alstom, ainda de acordo com Milani, que o Metrô se mostrava interessado em que as duas empresas uma licitação para implantação do sistema CBTC nos trens que seriam reformados.
    “Um executivo da Siemens relatando que houve o contato, que houve uma reunião, que essa reunião foi pedida pelo Metrô, que estavam contando com a Alstom e que queriam fazer um acordo para oferecer um desses contratos”, afirmou o promotor.
    Essa denúncia da prática de cartel não consta do contrato de leniência firmado entre o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) e a Siemens, segundo Marcelo Milani, e se trata de apuração do Ministério Público de São Paulo. A Siemens também denunciou a prática de cartel em outros contratos do Metrô e da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) e que teriam ocorrido durante os governos Mário Covas, Geraldo Alckmin e José Serra.
    O Metrô tem 30 dias para responder à recomendação e decidir sobre a continuidade, ou não, dos contratos. A companhia informou que “tem fornecido todos os esclarecimentos e documentos solicitados pelo Ministério Público”. “Há uma reunião agendada para a próxima semana entre o promotor e o presidente da Companhia para tratar desse assunto.”
    A Siemens disse, em nota, que “todas as investigações atuais referentes ao setor metroferroviário têm como fonte a denúncia da Siemens que, em suas investigações internas desde 2008, não encontrou evidências de corrupção”. “Com base em sua política de integridade e obediência às leis (Compliance), a Siemens forneceu documentos resultantes de suas averiguações internas para que as autoridades competentes possam prosseguir com suas investigações”, afirma o documento da empresa.
    A Alstom declarou, também em nota, que “os contratos são objetos de licitação pública onde são respeitados os marcos legais aplicáveis”. “A empresa reforça que segue um rígido código de ética, definido e implementado por meio de sérios procedimentos, de maneira a respeitar todas as leis e regulamentações”, disse a empresa.
    O ex-governador de São Paulo, José Serra, disse, em nota, que nunca teve conhecimento de “nenhuma irregularidade em licitações de metrô” durante sua gestão. “Tais licitações sempre foram conduzidas pela diretoria da empresa, no âmbito da STM. Quaisquer indícios de irregularidades que eventualmente surgirem devem ser rigorosamente apurados.”

    Curtir

  71. Esse BOECHAT é um bosta, além de tudo é Argentino, nasceu em Buenos Aires, no ano de 1953, é só consultar o google, fica metendo o pau em tudo e em todos, menos no psdBosta e seus asseclas, critica o Brasil e seu povo todos os dias. Tem mais de de ser processado mesmo. Eu mesmo fui vítima de uma matéria canalha a alguns anos atrás, quase respondi um PA por causa de um repórter.

    Curtir

  72. VIVA A CRIAÇÃO DO PSDB EM SP disse:

    03/12/2013 às 21:22

    otógrafo italiano vai à Cracolândia e registra efeito da droga: “Queria saber até onde o ser humano pode chegar”

    Peça à ele para se infiltrar no PSDB pra ver até onde um “ser humano” pode chegar! Vai conhecer a pior espécie de “ser humano” já existente, consubstancialmente comparada a Hitler!

    Curtir

  73. Este Jornalista ainda tem o ranço da DITADURA encravado em sua garganta, a policia evoluiu entre outras instituições e a imprensa também, mas sempre há um jornalista que vive de passado. Lamentável, o jornalista deve e tem o direito de passar as informações, depois de checa-las e somente informações e jamais denegrir pessoas, instituições etc etc, ainda mais sem saber o que estava falando, muito feio isso, portanto, os PMs estão certinhos.
    CHUPA BOECHAT!!! ACHEI FOI BOMMM

    Curtir

  74. Esse governador realmente é uma pessoa má, reduziu o nosso auxílio alimentação pela metade, Vergonha levou o meu peru de natal. DEVOLVE O MEU PERU GOVERNADOR!!! O Senhor está nos tratando como moleques, não como homens e chefes de família, não sei como consegue frequentar igreja semanalmente, se diz um católico fervoroso e faz isso com os seus funcionários. Enquanto funcionários do TJ tem aumento ao final do ano, com os lucros obtidos em cotas judiciais, nós, funcionários do executivo, seus funcionários, temos o auxílio alimentação reduzido. Só se conclui que administra pessimamente, Dá 2 bilhões para Alstom reformar vagões antigos do metrô, mas precisa reduzir a metade o nosso auxílio. Ehhh Governador pegou o meu peru de natal.

    Curtir

  75. O jornalista esta certo, a PM é idiota, se tornou idiota e fica mais idiota ainda, trabalha que nem escravo, e ganha uma merreca dada como esmola pelo desgovernador, cresce PM, vocês trabalham e nós recebemos o NU , aumento de 4.000 reais etc….Acorda.

    Curtir

  76. exescravão – apoio à PEC 51 do senador Lindbergh Farias:

    A verdade é filha do tempo. A indignação de Ricardo Boechat levou-o ao comentário sobre congestionamento, provocado por duas viaturas, provoca, agora, toda essa reação na Polícia Militar, a mesma que me impediu de investigar (como Presidente de sindicância) o gravíssimo acidente provocado por duas viaturas que “tiravam racha”. Desde então, passou a me perseguir, sistematicamente, piorando a situação no ano seguinte, 1997, quando sugeri ao Tenente Ayres, do 10º BPM/M (Santo André) que cientificasse o P/2 das ameaças de morte que ele recebia.

    Resultado do acidente: versões mentirosas apresentadas no 2º DP de São Caetano do Sul; abandono de local de crime: farsas para capciosa retirada do turbo da viatura M-10290; outras mentiras e farsas no decorrer das “investigações” cuja sindicância teria desaparecido”, e, por fim. montagem da referida viatura sobre veículo roubado, em Santo André. As falcatruas não pararam por aí: quem me disse, à época, que “na política não importa o fato, mas, a versão que a ele se dá” é Vereador em Santo André, eleito atrás do binômio CIDADANIA E SEGURANÇA”. Pelas declarações dele, à imprensa, sobre o acidente, tem-se ideia da corja na qual se transformou a PM, infestada de espertalhões, politiqueiros, demagogos e mentirosos. Para você fazer juízo de valor dessa esculhambação generalizada, “ninguém” viu os recorrentes períodos nos quais passei a ficar sem função ou investido de impropriamente admitidas em lei; das recorrentes transferências “por conveniência do serviço público”; das sistemáticas “pegadinhas” que tive de superar, obviamente eivada de vários crimes, sobretudo os de prevaricação; “ninguém” viu que o “ex-cocomandante-geral” Coronel Camilo, não teria o mais pálido resquício de legalidade e moralidade para instaurar, contra mim, o PD Nº CMTG-105/362/10 no qual, sob a mais absoluta maestria, “dei o troco”, mostrando a ele os PATIFES FARDADOS que arrolei como “testemunhas. A PM se transformou em tão deplorável “lixeira” que ainda mantém esses BANDIDOS FARDADOS como dignos do oficialato, por isso sem a menor razão para peitar Ricardo Boechat.

    Resultado das ameaças que o Tenente Ayres vinha recebendo: foram cumpridas. Foi assassinado, atrás do COPOM-ABC, no dia 23/03/98. Houve a ridícula (IDIOTA) “apuração” para se detectar a falta de apuração, sendo punido o Oficial P/2..Quem o impediu de investigar tais ameaças de morte? Alguem muito interessado nas favelas Tamarutaca e Sacadura Cabral? Alguém que acobertou a surra de que foi vítima a policial feminino, dentro da Base PM Sacadura Cabral? Quem compareceu ao 4º DP de Santo André pra o “deixa disso”? Por que foi a vítima transferida (escondida) na “Corregedoria PM”? Por que a vítima, depois da 4ª cirurgia para tentar, em vão, recrudescer a acuidade visual, GRAVISSIMAMENTE lesionada, durante a surra, “esqueceu” o episódio? Por que nenhum PM, testemunha do fato criminoso, se revelou com essa mesma indignação? E o comandante de todos, “não viu nada”? É desses que acredita em “coincidências de “transferências por conveniência do serviço público”???

    Agora, a mesma PM sente na pele o que significa reivindicar o respeito que, literalmente, ela permitiu atropelado pelas viaturas, durante “racha”, aliás, isso ultrapassa as barreiras de quaisquer IDIOTICES: são crimes agravados por outros: prevaricações.

    Caso você queira a dimensão do real significado de IDIOTICE na PM, bastaria perguntar ao Comandante-geral se ele continuará convencido das DESCARADAMENTE consignadas no OFÍCIO Nº GABCMTG-3939/200/13, de 14/10/13.

    Curtir

  77. Greve da polícia na Argentina e o bicho tá pegando. Imagina uma greve dessa na COPA?

    http://oglobo.globo.com/mundo/saques-na-argentina-deixam-tres-mortos-mais-de-100-feridos-10963756

    BUENOS AIRES – A província argentina de Córdoba foi cenário nesta quarta-feira de violentos saques a supermercados e estabelecimentos comerciais, em meio a uma greve dos policiais, que exigem reajustes salariais. Um jovem de 20 anos morreu baleado durante os saques, 52 pessoas foram presas e mais de 100 estão feridas. Um homem de 85 anos também morreu ao passar mal ao ter sua casa invadida. Em Glew, na Grande Buenos Aires, 50 pessoas tentaram invadir e roubar um supermercado durante um corte de energia. O dono reagiu e morreu asfixiado, depois que os ladrões atearam fogo ao mercado.

    Em Córdoba, os problemas começaram ainda na tarde de terça-feira e se estenderam até a manhã desta quarta. Foram saqueados mais de 30 estabelecimentos comerciais, entre supermercados, lojas de eletrodomésticos e outras empresas. O governador peronista José Manuel de la Sota, que se encontrava em viagem oficial pela América Latina, regressou ao país. O governo da presidente Cristina Kirchner informou que não vai interferir no conflito.

    – Lamentamos as vítimas, mas este é um conflito interno da província de Córdoba – declarou o chefe de gabinete, Jorge Capitanich.
    De la Sota é um dos governadores críticos ao governo Kirchner, e considerado um potencial candidato do Partido Justicialista (PJ) nas eleições presidenciais de 2015. Nas últimas eleições legislativas, seus candidatos foram os mais votados em Córdoba, província na qual o kirchnerismo ficou em quarto lugar.

    – Meu telefone não recebeu ligação alguma do governador De la Sota – disse Capitanich, negando que o governador de Córdoba tenha pedido ajuda ao governo nacional.
    No entanto, o governo de Córdoba assegura ter pedido o envio da Gendarmeria (corpo de segurança nacional) à província. No fim da tarde, o governador e os policiais grevistas assinaram um acordo. A polícia começou a se mobilizar, mas os saques continuam em algumas regiões.

    Assunto chega ao Congresso

    Em Glew, cerca de 50 pessoas tentaram saquear o supermercado do chinês Lin Zhang Xian durante a falta de luz provocada por um temporal. Lin tentou evitar o roubo com tiros, ferindo duas pessoas. Em represália, os ladrões colocaram fogo no supermercado, matando o dono asfixiado.
    Os policiais foram atacados com pedradas ao chegarem ao local. Seis suspeitos foram presos.
    No Congresso, deputados da oposição pediram a implantação de uma Lei de Emergência de Segurança Nacional. Integrantes dos partidos União Para Todos, Democrata de Mendoza e PRO apresentaram um projeto de lei de emergência com o objetivo de dar à polícia poder “para superar a situação de perigo coletivo que a nação possa enfrentar”.
    “Como vimos mais de uma província necessita da colaboração das Forças de Segurança Nacionais para combater situações de violência, distúrbios sociais ou a luta contra o narcotráfico e o delito. No entanto, travas jurisdicionais ou burocráticas negam essa ajuda ou fazem com que ela chegue de forma tardia. Esse projeto busca pôr fim a esses impedimentos”, disseram os deputados em comunicado conjunto.

    Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/mundo/saques-na-argentina-deixam-tres-mortos-mais-de-100-feridos-10963756#ixzz2mXpH9slf
    © 1996 – 2013. Todos direitos reservados a Infoglobo Comunicação e Participações S.A. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

    Curtir

  78. Valdir de Souza,

    Eu acredito que a melhor solução é uma corregedoria externa e independente, com participação do Judiciário, da OAB, do MP.

    Há outros casos difíceis de descrever aqui, sem falar na “via rápida” que, no meu pobre entendimento, fere o direito à estabilidade e é um instrumento para as “forças ocultas”.

    O problema é que administrar a Polícia, ou toda a máquina administrativa, é como comandar um navio: ele não para ou muda de curso facilmente, existe uma inércia que precisa ser considerada para não causar acidente, mas é preciso fazer algo, porque o problema nem é o iceberg, mas sim a ferrugem que vem consumindo o navio e pessoas estão morrendo afogadas ou são devoradas por tubarões.

    Uma sugestão, além da corregedoria externa, é chamar a USP, Unesp, Unicamp, a FGV, a PUC e outras universidades sérias e pedir estudos sobre questões de eficiência, produtividade, custos, qualificação etc.E fazer desse trabalho uma constante, com o pessoal acadêmico apresentando soluções sempre.

    Curtir

  79. NA ARGENTINA A POLÍCIA RESOLVEU FAZER GREVE, SEM ENROLAÇÃO OU INSEGURANÇA E O GOVERNO DE LÁ NEGOCIOU O AUMENTO QUE ELES QUERIAM EM MENOS DE 40 HORAS DE PARALISAÇÃO. SÓ NESSE PAÍS DE MERDA QUE A GALERA TEM MEDO.
    NÃO ME CONFORMO EM TER MINHA AJUDA DE CUSTO ALIMENTAÇÃO REDUZIDA. A PM TEVE DE CARA 341 REAIS DE AUMENTO, OU SEJA, A PC VEM HÁ ANOS COM MURMURINHOS DE GRVE, NÃO FAZ NADA E A PM BATEU O PÉ E EM POUCOS DIAS GANHAU UM MONTÃO DE BENEFÍCIOS. NÃO DÁ PARA ME CONFORMAR COM A PC NESSA SITUAÇÃO DE HUMILHAÇÃO. OS SOLDADOS AÍ FORA ESTÃO DANDO RISADAS E NOS CHAMANDO DE PERDEDORES CONFORMADOS.
    ESSE TRIBUNAL DO TRABALHO DE SÃO PAULO É INCAPAZ DE INTERVIR E SUGERIR A ELEVAÇÃO DO MESMO VALOR DO ALIMENTAÇÃO PARA 580 REAIS. É MUITA MERDA PARA SUPORTAR. EU ME SINTO NO FUNDO DO POÇO, UM LIXO, UM SUBJULGADO. OS DELEGADOS SÃO INCAPAZES DE CRIAR UMA FORÇA TAREFA E EXIGIR DO GOVERNADOR ESSA MELHORA NA NOSSA AJUDA DE CUSTO ALIMENTAÇÃO.
    DROGA DE VIDA, DROGA DE GOVERNO, DROGA DE POLÍCIA. NÃO TENHO COMO MENSURAR A MINHA REVOLTA E NÃO ENCONTRO ÂNIMO PARA SEGUIR EM FRENTE DESSE JEITO.

    Curtir

  80. O QUE OCORREU COM O JORNALISTA E PM NAO INTERESSA PARA NOS PARA OS RESTOPOL DA POLICIA CIVIL A PRINCIPAL NOTICIA E QUE DERAM 7% VERGONHOSO SEM RETROAÇAO A MARÇO DESTE ANO E ESTA MERDA DE TABELA DO NU ATE AGORA NAO PAGARAM BOSTA NENHUMA ISTO SIM É UM ABSURDO ESTADUAL DE FALTA DE PALAVRA E RESPEITO PELOS FUNCIONARIOS DA POLICI CIVIL DE SP++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++

    Curtir

  81. A CRACOLANDIA VOLTOU E OS INDICIÇES ESTAO ESTOURANDO E A COPA VAI PRO BREJO

    Curtir

  82. exescravão – apoio à PEC 51 do senador Lindbergh Farias:

    Não há, nem de longe, pobreza no seu entendimento. As instituições que você menciona (Judiciário, OAB, MP) a exemplo de outras, pouco fariam sem a efetiva participação (entenda-se por “cobrança”) da imprensa. Eu não teria a mínima dificuldade na descrição de fatos que, comprovadamente, abafados pela Polícia Militar paulista, apesar da imprnesa. A equivalência da máxima esportiva pela qual “O BRASIL É A PÁTRIA DE CHUTEIRAS” corresponde, na segurança pública, à que atribuo à PM paulista, sem temer contestação: “TRAMPOLINÍCIA MILITARIZADA DO ESTRAGO DE SÃO PAULO”. As “forças ocultas”, para piorar e desestabilizar, ainda mais, esse trampolim (que você implicitamente chama de navio, continuam negando tudo o que é ruim, desmentindo dotas as evidências criminais, apagando provas e tentando se locupletar da própria imprensa. quando esta discorda, começam os bombardeios, como os mais recentes. Vide a hipocrisia do Comandante-geral (sem moral para me contestar, pois, eu “daria o troco”) ao refutar o que “só o Chico Pinheiro sabia” a respeito desse vergonhoso e tradicional QSA do pãozinho com manteiga. Vide, também, essa retaliação ao Ricardo Boechat acerca da idiotice que provocou congestionamento no trânsito, como se esse mesmo Comando Geral não escondesse tantas PATIFARIAS no OFÍCIO Nº GABCMTG-3939/200/13, de 14/10/13, muito piores que idiotices, pois, indiretamente, ao abafar uma safadeza ocorrida no âmbito do CPA/M-6, sequer constatou que essa “pegadinha” está intimamente ligada a tantas outras, inclusive a do meu atraso ao “serviço” que os BANDIDOS FARDADOS conseguiram vislumbrar no PROCEDIMENTO DISCIPLINAR Nº CRPM-003/06/09, pelo qual não admitiram transtornos no trânsito entre a Rua Rosa de Siqueira – em Santo André e os cafundós da Zona Norte (final da Avenida Água Fria) onde eu já estava sem função havia UM ANO. Esses são os “lixos” de gestores públicos que afundam esse navio, porém, treinam, no dia a dia, como pular do trampolim militarizado. O Capitão do Costa Concórdia é “marinheiro de primeira viagem”, comparado com os “velhos marujos” desse “Titanic PM” que ainda não naufragou graças aos desgraçados contribuintes, subjugados a mantê-lo em “operação”, ainda que à deriva, nesse mar de PATIFARIAS, quando esses mesmos mantenedores se lascam nos congestionamentos de trânsito “inexistentes” para o PATIFES FARDADOS a bordo.

    Veja o início do caso da família Pesseghinni: quando o apresentador Marcelo Resende começou a desconfiar da tramóia, apostando na própria experiência de que o Marcelinho, depois de “não ter dormido” (embora tenha “pousado” no veículo) não teria tido lucidez para freqüentar, normalmente, as aulas daquele dia seguinte, tive a mesma impressão, aliás, mais abrangentes, sem os atropelos vivenciados por um apresentador de telejornal, bombardeado de informes, avisos, alertas, regras da empresa etc. Por exemplos, intuí, àquela ocasião: se dormiu, dificilmente teria acordado, na exata e necessária antecedência de ir à escola (aparentemente em jejum), pois não houve tempo para a PM mentir sobre o menino ter usado algum despertador, considerando já a certeza de não ter levado nenhum equipamento para tal. Se não dormiu, complica-se a situação sobre a qual nem carece detalhes (insônia e jejum, simultaneamente). Todo policial sabe o que significa “brigar com o sono”, isso já na vida adulta, depois de longa e morosa adaptação do ciclo cardiano, o que é impossível a criança ter internalizado. O adulto, por conveniências sociais, finge. A criança, ao contrário, tem em si ainda inabalados e invioláveis os “princípios éticos” – forçando a expressão para a VERDADE REAL da inocência. Vejamos, para não delongar, o que fez, de pronto, a SSP: enviou, de “mão beijada”, ao Marcelo Resende, as imagens. A TV Record, obviamente, se esbaldou na “exclusividade”! Era o “Plano A” para “ganhar” o apresentador. As descrições de dezenas de outras contradições e afrontas à ética profissional demandariam, aqui, texto infinitamente longo, bastando nos ater à primeira tese (DEFENDIDA COM UNHAS E DENTES PELA POLÍCIA MILITAR) de que o Marcelinho era autor do crime. Quem deu carona a ele? Por que o tão “abnegado” ofertador da carona não se apresentou à imprensa? Por que não avisou ao profissional (da perua escolar) que o menino já havia sido levado para casa? Por que oferecer carona a quem disponha de transporte regular? Era praxe o “perueiro” não conduzir a criança, apesar do contrato? Havia autorização da escola, nesse sentido, ou seja, sem absoluto controle de quem apanha quem, à entrada da escola? E a “desversão” do Tenente-coronel Wagner Dimas? Por que a intromissão da OAB, se o Dr. Arles Gonçalves Júnior ainda não dispunha de elementos convictos para “defender” a mesma tese da Polícia Militar? E o Capitão Paganoto: ainda terá ânimo para detectar falcatruas na PM ou a “Corregedoria” também já “conversou com ele” a respeito?
    Acho que, agora, você entendeu porque pincei esses casos (dentre tantos). Perceba OAB e PM falando a “mesma língua”! Mencionei a “desversão” desse Tenente-coronel porque a situação dele era muito semelhante a do Tenente-coronel Antônio Flávio de Faria, calado numa Sindicância e em 4 (QUATRO) Procedimentos Disciplinares instaurados no 22º BPM/M onde ouros 10 (DEZ) foram omitidos, pois certamente os outros “Wagner Dimas” já haviam “conversado” com a máfia.
    Portanto, meu caro exescravão, esse navio militarizado necessita de inércia ou de celeridade, a depender do acidente que esconde ou do que forja, mas é preciso fazer algo, concordo com você, aplaudir a imprensa, única capacitada a remover a ferrugem do cérebro desses PATIFES FARDADOS que tem o azimute do iceberg, por isso “salvam a vida” nas subprefeituras para se juntarem a outros $iemensados tubarões enquanto o “inexistente PCC” abocanhou os quase 130 de 31 que se tornaram petiscos de uma guerra suja e assimétrica. “Tropa de Elite” não é obra de ficção.
    Não resta a menor dúvida da urgente contribuição da USP, Unesp, Unicamp, FGV, PUC e outras universidades sérias quanto a estudos, ainda que estes não evitem, por exemplo, essa roubada compra de milhares de pistolas e tablets refugados, a fundo perdido, ou seja, mais uma vez o contribuinte oferece a chibata (paga antecipadamente) para senti-la no lombo. Enquanto isso, a “puritana” PM finge que Chico Pinheiro e Ricardo Boechat não estão coberto de razão, mesmo sabendo que, como eu, eles sabem que, vez por outra, não custa a PM “desengasgar um bebê” para mostrar a sua cara de Madre Teresa de Calcutá, a mesma que teve coração de Hitler para não sentir as ameaças de morte (cumpridas) ao Tenente Ayres, do 10º BPM/M, em 1998, por isso continua apegada à mesma desfaçatez do “nada a declarar” à imprensa, a exemplo do suicídio do Sd PM Fábio Vieira Jupi, covardia que pode ser confirmada pelo Jornal Folha de Ribeirão Pires, edição de 12/06/12, pelo cerceamento (pior que idiotice) que lhe foi imposto na obtenção dos dados da ocorrência. Segura mais essa, Major Noda!!!

    Curtir

  83. o tão somente filme ” TROPA ” mostra o que ocorre com as polícias mundo afora………………………

    muitos ” POLICIAIS ” SE FINGEM DE MORTO ,DE TONTO, DE OTÁRIO, MÃO CANSADA,MAÇANETA !!!!!!!

    MAS NO FINAL PASSEIAM NO PILOTO DE SEUS ” BARCOS “………………..IGUAL NO TROPA II.

    Curtir

  84. BOECHAT , XINGA NOS TAMBÉM DE IDIOTA PARA QUE RECEBAMOS ALGUMA COISINHA, PORQUE ALÉM DE CORTAREM NOSSA ALIMENTAÇÃO DE 220,00 CONTOS PARA 110,00 CONTOS, NÃO TIVEMOS ATÉ AGORA O GRANDE AUMENTO DE 10,90 (ISSO MESMO DEZ REAIS E NOVENTA CENTAVOS) DE NÍVEL UNIVERSITÁRIO, E ESTAMOS SENDO TRATADOS COMO IDIOTA PELO PICOLÉ DE XUXU.

    ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DO ESTADO DE SÃO PAULO17ª Legislatura – São Paulo, 5 de Dezembro de 2013
    AGENDAPROJETOSLEGISLAÇÃO

    Página Inicial
    A Assembleia
    Administração da ALESP
    Deputados
    Processo Legislativo
    Projetos
    Pesquisa de Proposições
    Proposições em Destaque
    Legislação
    Comissões
    Notícias
    Documentação
    Participe
    PROCESSO LEGISLATIVO DO ESTADO DE SÃO PAULO – ASSEMBLEIA LEGISLATIVA

    Projeto de lei Complementar Nº 44 / 2013
    Documento Número Legislativo
    Projeto de lei Complementar 44 / 2013
    Ementa
    Dispõe sobre a reclassificação dos vencimentos dos integrantes das carreiras de Escrivão de Polícia e de Investigador de Polícia. Parecer nº 2088, de 2013, de relator especial pela Comissão de Justiça e Redação.
    Regime
    Tramitação Urgência
    Indexação
    CARREIRA, ESCRIVÃO DE POLÍCIA, INVESTIGADOR DE POLÍCIA, RECLASSIFICAÇÃO, VENCIMENTOS
    Autor(es) Apoiador(es)
    Governador
    Situação Atual
    Último andamento 29/11/2013 Aguardando Sanção
    Andamento
    Data Descrição
    11/10/2013 Publicado no Diário da Assembleia, página 13 em 11/10/2013
    14/10/2013 Pauta de 1ª sessão.
    15/10/2013 Pauta de 2ª sessão.
    16/10/2013 Publicada a Emenda 01 do Deputado Campos Machado, a este PLC . DA (p. 34)
    16/10/2013 Pauta de 3ª sessão.
    17/10/2013 Publicado o substitutivo nº 1 do Deputado José Zico Prado. DA (p. 26)
    17/10/2013 Publicadas as Emendas nº 2, e 3 do Deputado Luiz Cláudio Marcolino; nº 4 do deputado Campo Machado; nº 5 do Deputado fernando Capez e 6 do Deputado Hamilton Pereira. DA (p. 27 )
    17/10/2013 Distribuído: CCJR – Comissão de Constituição Justiça e Redação. CAPRT – Comissão de Administração Pública e Relações do Trabalho. CFOP – Comissão de Finanças Orçamento e Planejamento.
    18/10/2013 Publicado a Retificação da Emenda nº 6. DA (p. 16)
    21/10/2013 Presidente solicita Relator Especial.
    22/10/2013 Publicado o Requerimento de autoria do Deputado Campos Machado solicitando a retirada da emenda nº 01 . DA (p. 24 )
    22/10/2013 Recebido do relator, Deputado Carlos Cezar, pela Comissão de Constituição Justiça e Redação, com voto favorável ao projeto e contrário ao substitutivo n°1 e contrário as emendas 1,2,3,4,5,6.
    07/11/2013 Publicada a Mensagem A-nº 198/2013, do Senhor Governador do Estado de São Paulo, solicitando alterações constantes dos: “Anexo, Anexo I e Anexo II”. (DA. pág. 34)
    12/11/2013 Recebido com voto Pela aprovação do PLC e da Mensagem Aditiva A-nº198/2013, e pela rejeição do substitutivo nº 01 e das emendas 2 a 6 apresentadas., do relator especial Barros Munhoz, pela Comissão de Constituição Justiça e Redação
    18/11/2013 Presidente solicita Relator Especial
    19/11/2013 Aprovado no congresso de comissões Comissão de Finanças Orçamento e Planejamento, Comissão de Administração Pública e Relações do Trabalho, o voto do relator Carlos Cezar, favorável ao projeto, à Mensagem Aditiva A-198/2013 e pela rejeição do Substitutivo nº 1 e das emendas 2 a 6
    19/11/2013 69 Sessão Extraordinária – Aprovado o Projeto e a Mensagem Aditiva; prejudicado o Substitutivo de nº 1 e rejeitadas as Emendas de nºs 2 a 6.
    20/11/2013 Publicados pareceres nº 2034, de 2013, de Relator Especial, pela Comissão de Constituição, Justiça e Redação, Deputado Barros Munhoz e nº 2035, de 2013, da Reunião Conjunta das Comissões de Administração Pública e Relações do Trabalho e de Finanças , Orçamento e Planejamento, ambos favoráveis ao projeto e à mensagem Aditiva nº 198/2013 e contrários ao substitutivo nº 1 e às emendas de 2 a 6, . (DA. págs. 50 e 51)
    21/11/2013 Distribuído: CCJR – Comissão de Constituição Justiça e Redação.
    21/11/2013 Entrada na Comissão de Constituição Justiça e Redação
    25/11/2013 Comunicado Vencimento do Prazo
    25/11/2013 Juntado pedido de Relator Especial
    25/11/2013 Presidente solicita Relator Especial.
    25/11/2013 Designado como Relator Especial, o Deputado Mauro Bragato, pela comissão CCJR
    26/11/2013 Recebido com voto propondo redação final, do relator especial Mauro Bragato, pela Comissão de Constituição Justiça e Redação
    27/11/2013 Publicado parecer nº 2088, de 2013, de Relator Especial pela Comissão de Constituição, Justiça e Redação, Deputado Mauro Bragato, propondo redação final. (DA. pág. 27)
    27/11/2013 Pauta de 1ª sessão.
    28/11/2013 Recebido pelo Governador em: 28/11/2013
    29/11/2013 Publicado autógrafo nº 30.472. (DA. pág. 22)
    29/11/2013 Aguardando Sanção

    Curtir

  85. Zigoto disse:
    03/12/2013 ÀS 0:44
    kkkk
    Essa foi foda ein Doutor, o pior é que esse tipo de frase de efeito ressoa no boca a boca dos corredores por ser uma situação emblemática.
    Esconder R$80.000,00 dentro de uma panela de pressão é algo surreal ainda mais com os ‘polícia’ passando fome do jeito que estão com esse salário do alquimim, quando os tiras caem pra dentro do barraco a primeira coisa que reviram é geladeira e panelas atrás de comida!

    =============================================================================

    EM TERRA ONDE NÃO SE EXISTE SALÁRIO CRIA-SE ” OS MERCENÁRIOS”, TROPA QUE ARRASTA TUDO O QUE ACHA PELO CAMINHO PARA “FAZER SEU SALÁRIO”, É ASSIM EM ALGUNS EXÉRCITOS GUIANA FRANCESA POR EXEMPLO.

    Curtir

  86. 05/12/2013 – 03h15
    Nova facção mais violenta se organiza em presídios de SP
    PUBLICIDADE
    JOSMAR JOZINO
    DO “AGORA”

    Ouvir o texto
    Uma nova facção criminosa tem atuado nos presídios de São Paulo sob a marca de ações violentas, como a decapitação de inimigos.

    A organização chamada de Cerol Fino já foi responsável pela morte de pelo menos sete detentos neste ano em penitenciárias paulistas.

    O nome do grupo, segundo agentes penitenciários, é uma alusão às linhas de pipa feitas com cola de madeira e caco de vidro moído, que cortam como navalha.

    O preso Anderson de Castro Moraes Borges, 28, da Penitenciária de Andradina (627 km de SP), foi a última vítima da facção criminosa.

    Borges dividia uma cela com outros dois detentos no setor disciplinar. Ele foi decapitado no último dia 28. O coração foi arrancado. A barriga foi cortada e a cabeça, colocada dentro dela.

    Os dois presos acusados pelo crime foram transferidos para a Penitenciária 1 de Presidente Venceslau (611 km de SP). O presídio abriga, em setores separados, integrantes de diversas facções que cometeram falta grave no sistema prisional. Ao menos 50 deles são do Cerol Fino.

    Segundo agentes penitenciários, detentos da facção também já mataram neste ano dois rivais na Penitenciária 1 de Itirapina (212 km de SP), um na Penitenciária 1 de Presidente Venceslau, dois na Penitenciária de Presidente Prudente (558 km de SP) e um em Sorocaba (99 km de SP).

    INQUÉRITO

    A Secretaria da Administração Penitenciária não comentou a existência da facção, mas informou que abriu procedimento disciplinar para apurar a morte do preso e que foi instaurado inquérito.

    Segundo a pasta, também será solicitada a internação em RDD (Regime Disciplinar Diferenciado) dos presos envolvidos na morte de Borges.

    A pasta informou ainda que os presos já estão cumprindo sanção disciplinar.

    Curtir

  87. A ÚNICA FORMA DE CONQUISTARMOS ALGUM BENEFÍCIO DIGNO SERÁ ATRAVÉS DA GREVE. PROPONHO UMA GREVE GERAL DE TODAS AS POLÍCIAS DO BRASIL NO MÊS DE ABRIL OU MAIO, ASSIM TERÍAMOS TEMPO PARA NOS ORGANIZAR E PRINCIPALMENTE ESTARIA PRÓXIMO AO COMEÇO DA COPA DO MUNDO. A GREVE DA COPA.

    Curtir

  88. Em reunião com o Delegado Geral de Polícia Dr. Luiz Maurício Souza Blazeck, fomos informados que em 2014, possivelmente, ainda no 1° semestre será concluída a reestruturação das carreiras Policiais Civis e que, também, será antecipada a segunda parcela contida no anexo II para Investigadores e Escrivães e que, na forma de Lei Complementar, por sugestão da AIPESP e AEPESP, todos esses Policiais da 3° classe com interticio cumprido seriam promovidos automaticamente para a 2° classe. CACETE HOJE ESTAMOS NO DIA 05/12/2013 E A PARCELA DO ANEXO I NAO FOI PAGA ATE AGORA ENTAO VAMOS SE FUDER ESTE ANO MAIS UMA VEZ TUDO CHUTADO PARA O CARNAVAL PQP
    TEMOS QUE IR PARA CIMA E SE DANE COPA, ETC

    Curtir

  89. PARA OS MAIS NOVINHOS, EM 1987, A POLICIA MILITAR DE SP ENTROU EM GREVE, OU MOTIM COMO QUEIRAM E NA ÉPOCA O GOVERNO QUÉRCIA FICOU DE QUATRO E EM CURTO ESPAÇO DE TEMPO DEU UM AUMENTO DE DE MAIS OU MENOS 200%, O INCRÍVEL É QUE NINGUÉM LEMBRA DISTO

    Curtir

  90. E a promoção dos 2º para 1º classe que estão trabalhando na civil a mais tempo. Por isso insisto na pergunta alguém sabe desta lista de 3500 promoções que o Delegado Geral assinou seria somente dos 3º classe e como fica os mais antigos.

    Curtir

  91. Pelo que entendi no post acima a Aepesp e Aipesp estão solicitando algo que já é de direito.

    Incrível.

    Temos agora que solicitar algo que já é garantido.

    Pq ao invés de falar essa besteira essas associações não cobram do Dgp a seguinte reestruturaçao:

    10 anos – 2 classe
    20 anos – 1 classe
    25 anos – classe especial

    Isso é o minino do mínimo.

    brincadeira de mau gosto o cara ter 25 anos de polícia para ir pra 1 classe…..puta absurdo.

    Curtir

  92. DORIVA E ENGANADO ATÉ O TALO

    Data base do funcionalismo paulista é Março a ‘sujesta’ é que as lideranças sindicais se mobilizem para semanalmente a partir de Março, promoverem de forma unificada para os operacionais um ato reivindicatório, para isso primeiramente eles devem definir uma pauta de exigências do contrário é gritar no vazio!

    Curtir

  93. Este instrumento é muito democrático, portando vamos respeitar as regras.Mas não posso perder a oportunidade de brevemente tecer um comentário ocorrido comigo quando policial civil. Sim ? um fato muito, mas muito constrangedor, profundamente marcante e dolorido e que servirá de lição aos nobres servidores. Procurarei sintetizar o máximo, mas por favor leiam. Aguardem !

    Curtir

  94. MARIA APARECIDA DOS ANJOS disse:
    05/12/2013 às 19:09
    E a promoção dos 2º para 1º classe que estão trabalhando na civil a mais tempo. Por isso insisto na pergunta alguém sabe desta lista de 3500 promoções que o Delegado Geral assinou seria somente dos 3º classe e como fica os mais antigos.

    …………………………………………………………………………………………………………………
    Não tem nenhuma policil civil com esse nome.

    Curtir

  95. Esse blog e maluco mesmo, fala de uma liberdade de expressao sem limites e para comentar no mesmo, tem uns avisos dizendo que a responsabilidade e de quem comentar, o lixo que esta se tornando a nossa sociedade, sem leis, sem limites,sem respeito, teria que voltar a adm militar sem ditadura, pior q ta fica sim.

    Curtir

  96. Liberdade de expressão é uma ova!!! Os mikes perderam a ação porque são… POLICIAS BRASILEIROS!!! Qualquer outra categoria, ofendida em horário nobre como foram os PMs de São Paulo, ganharia essa ação! O tal do jornalista se sentiu prejudicado e resolveu ofender toda uma categoria e isso é “liberdade de expressão?”
    Não me sai da memória um fato que ocorreu comigo em sala de aula. Um desembargador aposentado ensinava a respeito do chamado “flagrante preparado” quando, este inútil aqui, resolveu trazer ao conhecimento da sala a prisão de dois policiais civis através de flagrante nitidamente preparado. O outrora semi-deus da elite judiciária paulista, nitidamente incomodado com a audácia do quartanista aqui, soltou a seguinte afirmação: “O QUE ACONTECE É QUE POLICIAL, MAIS DO QUE NINGUÉM, NÃO PODE SE DEIXAR ENVOLVER EM SITUAÇÕES COMO ESSA. NESSE CASO A PRISÃO FOI JUSTA.”
    Quando de trata de policial, grande parte do judiciário e MP usam dois pesos e das medidas!!!

    Curtir

  97. E se os comentários fossem direcionados a um magistrado?
    Pera lá! O Poder Judiciário também não quer ser telhado de vidro, não!
    E se tivessem julgado procedente? Quantos outros “deuses” e “depositários de Eike” não teriam vindo à tona por meio da mídia???

    Curtir

  98. Os policiais militares em sua grande maioria são ignorantes e desprovidos do mínimo de bom senso… servem para forjar flagrantes, matar e bater cascos!

    Curtir

  99. E se fosse ao contrário, jornalistas da Rede Bandeirantes chamados de idiotas em rede nacional?

    Curtir

  100. Se os malacos invadirem a residência do ilustre jornalista, a quem ele vai chamar? Vai telefonar para aqueles que julga idiotas?

    Curtir

Os comentários estão desativados.