Soldados, cabos e sargentos querem desmilitarização para que seja criada uma nova polícia. PEC 51/2013 tramita no senado. 62

Enviado em 07/03/2014 as 10:17 – RODRIGO

Soldados, cabos e sargentos querem desmilitarização para que seja criada uma nova polícia. PEC 51/2013 tramita no senado.

i

O fim da Polícia Militar para dar lugar à criação de uma nova polícia é defendido por cabos, soldados e sargentos da corporação em todo o País. Pode parecer contraditório os próprios policiais serem a favor da desmilitarização. Mas, segundo o presidente da Associação de Cabos e Soldados do Espírito Santo (ACS-ES), Flávio Gava, a organização militar gera insatisfação entre os que ingressam na corporação como praças, principalmente, cabos, soldados e sargentos.

A desmilitarização é um dos pontos defendidos pela Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 51/2013, que hoje tramita no Senado e propõe ainda o fim da divisão do trabalho policial, em que a Polícia Civil investiga, enquanto a Polícia Militar realiza o policiamento preventivo. Segunda a proposta, toda polícia deve ser de natureza civil e realizar o ciclo completo, que é prevenir e investigar. De acordo com Gava, cerca de 95% dos praças apoiam a PEC 51, que também sugere a carreira única nas polícias, o que acabaria com a divisão entre praças e oficiais. “O fato de não existir uma carreira única cria um monte de conflitos internos nas instituições. Na carreira única, a hierarquia permanece, só que ela é baseada numa quantidade menor de postos. Além disso, só vai haver uma porta de entrada para a carreira policial, diferentemente do que ocorre hoje, pois há dois concursos públicos para entrar na mesma instituição”.

O diretor jurídico da Associação Nacional de Praças, sargento Jean Ramalho Andrade, afirmou que a maioria dos praças no País é favorável à PEC 51. “Somos a favor da criação de uma polícia estadual, que vai ter o braço ostensivo e investigativo, só que num único corpo. Ainda que se possa ter hoje um trabalho conjunto entre Polícia Civil e Polícia Militar, ainda fica muito aquém do desejado pela sociedade”.

O professor de Direito Penal Clécio Lemos também defende a desmilitarização e a carreira única na polícia. “A estrutura militarizada provoca uma mentalidade de dominação, patente baixa obedece patente alta, e qualquer tentativa de mudar isso gera alta repressão. Isso é ruim para os policiais de patentes baixas (que são a imensa maioria), porque são docilizados de forma ameaçadora”.

FONTE – A TRIBUNA

  1. ESTA PUTARIA DO INFELIZ ESCREVER UM COMENTÁRIO E SAIR COLANDO ALEATÓRIAMENTE, JÁ PASSOU DA HORA DE EXAURIR, SEJA CAPAZ, ESCREVA UM TEXTO PERTINENTE AO COMENTARIO, NÃO ENCHA O SACO DE TODOS COM A MESMA COISA O TEMPO INTEIRO.. disse:

    (risos) e viva o contraditório…

    C.A.

  2. Ahhh tááá….como quem manda na PM é o soldado, cabo e sargento tá na cara que vão desmilitarizar a instituição recém criada. É simples, acaba com a carreira de oficial, demite os coronéis, fecha o Barro Branco e faz uma horta no terreno, passa os que conseguiram a desmilitarização para a Polícia Civil e pronto !
    Os tenentes poderão escolher se querem ser Investigador ou Escrivão, acima deles carreira extinta e vão procurar emprego.
    Se eu não tivesse lido aqui no Flit nunca teria pensado que esra só pedir que a desmilitarização aconteceria…e eu que pensava que seria complicado….!

  3. Delegado Conde, quanto a proposta em tela estamos convencidos que é um bom começo. Imaginamos que a grande dificuldade no processo será aparelhar mais de cem mil homens com cérebros capazes de pensar e abstrair.

  4. QUEM PAGA O ALTO PREÇO DA HERANÇA MALDITA?

    Instituições policiais militares imbricadas, “travadas” em si próprias, satisfazendo egos a qualquer custo. O que me parecia simples impressão foi-se convertendo em sedimentada convicção, desde que vivenciei episódios irremediavelmente contrastantes com o Estado Democrático de Direito. É necessária extrema cautela no ato de “condenar”, sem provas, as instituições incumbidas de defender a cidadania. É como se glorificássemos os vilões da sociedade, ou seja, fica a impressão de “torcer contra” as forças estatais encarregadas da proteção dessa mesma sociedade, portanto, sem o devido apoio para enfrentamento aos vilões. Sem provas fáticas, por falta de vivência, eu não ousaria “condenar” Polícias Militares de outros estados, exceto a do estado de São Paulo, na qual vivenciei, registrei, clamei, reiterei, e, enfim, me desencantei ante à estratosférica montanha de pendências engavetadas, dentre as raríssimas “deliberações” sarcásticas, debochadas, algumas destas transformadas em “provas” contra mim. Antes de insistirmos numa tese, nunca devemos ou podemos nos curvar ao oportunismo gratuito, covarde, rasteiro, para não nos nivelarmos com os estúpidos de plantão. Muito fácil condenarmos o rio que tudo arrasta, sem avaliarmos as margens que o comprimem. Eu não conseguiria separar o espírito corporativo da PM paulista do espírito criminoso de certas falanges criminosas. Se me pedirem prova disso, obviamente que as oferecerei, às torrentes. Se me pedirem comprovações factuais de aberrações perpetradas por outras Polícias Militares, ficarei retido nas “informações” jornalísticas, nas postagens (mídias) da internet, nos comentários de emissoras de rádio acerca de “entreveros”, sem, no entanto, aceitar indução a erros, aliás, por motivo legalmente muito consistido: não caberia aos veículos de comunicação social essa malévola indução a equívocos, pois que, concessionários do próprio Estado brasileiro, apelidado de “Democrático de Direito”. Da mesma forma, ninguém, ainda que em caráter particular (pessoa física) poderia, sem arcar com as consequências jurídicas, desabonar, desacreditar ou menoscabar a idoneidade alheia, mediante insinuações, mais-verdades, verossimilhanças e, pior, por infundados boatos, estes já profundamente esmiuçados – com perdão do pleonasmo – pelos cientistas dessa área do conhecimento humano, mais ligados à Sociologia.

    A Polícia Militar do Estado de São Paulo acha-se irremediavelmente passível de renovação, de reconstrução moral, enfim, de se livrar das velhas penugens e “bico vencido” da velha águia. Já não cabe a nenhum Comandante a expressão: “fiz porque quis”! Pouco ou nada lhe adiantaria escudar-se na própria arrogância de “medir um palmo no mapa” e chutar para longe os que “incomodam”. Analisemos a força brutal e subjetiva desse vocábulo “incomodar”. Juridicamente, analisa-se, com a mais absoluta isenção, o ato praticado. Por vezes, a própria omissão do Estado leva os seus servidores aos “jeitinhos”, aos “QSA”, aos “desmanches” que DEVERIA fiscalizar, às “padocas” cujo pão com manteiga gratuito “foge completamente ao conhecimento” do Comandante-geral, haja vista que “só falaram” para o Rodrigo Bocardi (TV Globo).

    Quando, por exemplo, a aceitação tácita ou escancarada da arraigada “Operação Abafa” ultrapassa a “raia miúda” e as barreiras do mais esdrúxulo absurdo para ser CRIMINOSAMENTE legitimada pelo subscritor do OFÍCIO Nº GABCMTG-3939/200/13, de 14/10/13, é hora de mudar. É hora de rasgar velhos conceitos, antigos rancores do tempo do mimeografo e cedermos lugar, espaço e moral para o garoto “travesso” que cria um programa de computador pelo qual a arma somente dispararia quando acionado pelo dedo do próprio portador. O novo incomoda. Se ao terrível Marcelinho Pesseguini fosse facultada essa impossibilidade, quem sabe, estaríamos diante da cura da “amnésia” do Tenente-coronel Wagner Dimas. Nem necessitaria “meio palmo” no mapa (por enquanto) ao Capitão Paganoto. Nem precisaria eu, num repente, estar no epílogo do presente texto, embora eu o reconheça absolutamente impossível ao Capitão C. A. S. O., pois já se fazia “meio adoentado” – memória “fraca” – enquanto literalmente esquentava a cadeira com as nádegas, cedendo-a, em seguida, ao R. M. A., já promovido a Cb PM, este também contagiado pela amnésia do anterior depoente, esquentador de cadeira, no PD Nº CMTG-105/362/10. “Esqueceu-se”, entre outros absurdos, o fato de quem queria a cama ainda quente com a mulher de quem! Pior: C. .A. .S. .O. “esqueceu” até a data do próprio nascimento, porquanto alegou que não pediu passagem à inatividade no mês de abril de 2009 porque tinha de esperar vantagem pecuniária ligada à data de nascimento (mês de maio). Bastaria que o Presidente do feito perdesse um segundo de tempo, voltando a folha, e vendo na, na qualificação do depoente, quem nasceu em 23/04/09, por ironia do destino, no mesmo dia em que a “conveniência do serviço público” me havia chutado para o CPI/8 – Presidente Prudente (OFÍCIO Nº CRPM-157/01/09).

    A “velha águia” não mais necessita de Majores Valentes que encubram PATIFARIAS, como o fez o “Valente” que se fez seduzido pela máfia fardada.

    Tudo em vão, meu “digno do Oficialato” e já LEGALMENTE promovido Major Valente! Locuplete-se do Coronelato estúpido da ancestral instituição militarizada que menoscaba e transforma em “indignos” os seus verdadeiros Irmãos Coragem!

  5. A DESMILITARIZAÇÃO NUNCA VAI OCORRER, PORQUE AS AUTORIDADES SABEM QUE, A POLÍCIA CIVIL É MUITO CORRUPTA E SÓ TRABALHA MEDIANTE PROPINA. QUEIRA OU NÃO, A FARDA E O MILITARISMO CONSTRANGE A CORRUPÇÃO. E SE ISSO OCORRER SERÁ UM CAOS. SOBRARAM POUQUISSÍMOS POLICIAS HONESTOS.

  6. A farda constrange a corrupção????? Ah meu deus, de onde surgiu esse brilhante sociólogo…..putz….se constrange a corrupção favorece a participação em furto de caixas,controle de biqueiras e outras coisas a mais….acorda o alienada.

  7. Então, meu caro, os militares só são honestos por causa da farda, KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK, tinha que ser pensamento de COXINHA.

    Pelo menos com a desmilitarização cairá brutalmente as chacinas e execuções sumárias de pobres e negros.

  8. Só há um probleminha nesta história: Quem manda é contra.

  9. o governo não tem interesse em desmilitarizar é cômodo p ele afinal pm trabalha sem reclamar e não pode fazer greve..simples assim

  10. A verdade é que esse país chegou em um ponto q tudo, mas tudo mesmo vai parar na Policia.

    Então sempre há necessidade de escalar por vezes 2, por vezes 200, por vezes 2000 trouxas em alguma operação ou serviço, reduzido praticamente a condição de trabalho escravo, pq “alguém” tem q fazer.

    Esse “alguém” sempre será o policial com formação militar para fazê-lo.

    No dia que desmilitarizar é o principio do caos moderno.

    Só um exemplo: imagina que todos os anos milhares de pms sao escalados no dia 31 para ficar igual um pateta fazendo cordão de isolamento na Sao Silvestre. E mais milhares de pateta a noite na Paulista.

    Digo: no dia que desmilitarizar mais da metade falta e manda a merda.

    Exemplo bôbo mas indago: que Sociedade abrira mão de uns trouxas ganhando uma miséria enquanto todos estão com seus familiares e latinha de skol na mão?

    Então pode esquecer.

    E só pra deixar claro: torço e muito para a desmilitarização. Tá na hora de mexer o tabuleiro do jogo e parar de só o policial se fuder.

    Ta na hora da Imprensa, povo e muitos outros se fuderem.

  11. A GREVE DO SINDASP ESTÁ SERIA MESMO, VEIO ATÉ COMUNICADO NAS DELEGACIAS.

  12. AINDA BEM QUE ESTAMOS NUMA DEMOCRACIA,TODOS FALAM E ESCREVEM
    O QUE QUEREM,SO VEJO O PESSOAL PUXANDO A BRASA PRA SUA SARDINHA
    TODOS QUEREM MAMAR NA VACA,MAS NINGUEM QUER TER A RESPONSABILIDADE
    DE ASSUMIR O FATO.
    MAMÃO É MACHO,E PASSARINHO COME POR BAIXO.
    AUMENTO QUE É BOM, CADE ELE
    PSDBosta nunca mais

  13. pro povo brasileiro nada ! Tudo ! então como é qu é ? é p...é p... é p.. rá e pa... no c...! brasileiros, brasileiros ! disse:

    Espero que o congresso militarize todas as policias do país, o povo brasileiro merece policia militarizada, para verem os oficiais cheios da nota, os praças se fudendo, e ele, povo, tomando porrada também de nós, futuros pms, e aplaudir-nos no dia 7 de setembro ! povo de merda que não luta pela maioridade penal aos 16 anos, que não luta pela criminalização total do uso e comercio de drogas,pela prisão perpétua, pela pena de morte de politicos corruptos e de assassinos crueis etc… Merecem merda na cara !

  14. A parlamentar que debateu sobre a extinção da PM, não conhece o asco, nem o ranço dos oficiais em face dos praças. Aqui em SP, as Associações de Praças, fazem tudo que os Oficiais querem na política, manutenção e preservação desse modelo obsoleto de segurança pública e a opressão contra os subordinados . Para se ter uma idéia, aqui em São Paulo, o Cmte. da PM e oficiais, estão legislando, modificando o RDPM que é promulgado por uma Lei Complementar, como se dizer, não sabiamos que os Oficiais possuem Poder Legiferante de mudar regulamento e leis, sem contar que existe um TJM, que recepciona o abuso sem jurisdicionar o fato anti politico e anti administrativo. Existem Juizes togados do TJM de São Paulo que eram Oficiais, e pensam que ainda são, proferindo despachos absurdos e ilegais sem ser limitado pelas jurisdições superiores. Esperamos que o CNJ esteja atento, seja acionado e intervenha logo nesse TJMSP, e tomem as providências cabíveis contra os magistrados que não servem a justiça, servem o desequilíbrio em prol dos próprios oficiais da PM, é uma justiça corporativa no interesses dos oficiais que perpetram abusos e crimes dentro dos quartéis. A Justiça Militar do Estado de SP é uma Ilha da Fantasia em face dos outros orgãos jurisdicionais do Estado de São Paulo que prestam serviços muito significantes aos jurisdicionados, O MP se prosta de joelhos diante os Coronéis auditores, não tomando providências contra as arbitrariedades.

  15. Dai eles acordaram – Que eles querem? virar PC ???? Investigar ??? rsrsrsrsrs

  16. Valdir de Souza monte um blog pemistico para o senhor por favor..

  17. Nunca haverá a desmilitarização da PM pelo simples motivo este tipo de instituição Polícia Militar só existe e só serve para países e governos de 3º mundo, até onde eu pude constatar na manhã de hoje o Brasil ainda continua a pertencer ao terceiro mundo, se é que já não caiu mais um pouco, simples assim.
    Já sei que irá surgir um montão de “especialista” falando que na Itália a polícia a militar, e mais alguns grupos extremamente especializados das forças armadas de alguns países da Europa que tem algumas atribuições da polícia, estes “especialistas” vão pegar a exceção para querer justificar a regra é sempre assim.
    Outros tantos dirão que a estética militar faz com que, e tome blá, blá, blá……….para justiçar o cabidão de emprego que são as PMs Brasil afora, onde já se viu uma ordem ter que passar por 14 graus de hierarquia para ser cumprida, e muito mal cumprida por sinal, realmente é muito cacique para pouco índio.
    Mas como não sou PM, mas tendo alguns amigos na PM e sendo todos estes praças o pensamento destes é que a desmilitarização seria boa para eles e para o população e ocorrendo a desmilitarização da PM estes finalmente poderiam mandar, os oficias que são um câncer tanto para a instituição quanto para o erário público, para aquele lugar.

  18. Querer nem sempre é poder:

    A Consultoria Legislativa da Câmara dos Deputados elaborou nota técnica com parecer contrário a propostas de emendas constitucionais que tentam instituir o modelo de cargo único na Polícia Federal. Atualmente, a carreira conta com cinco carreiras: delegados, peritos, agentes, escrivães e papiloscopistas.

    De acordo com o documento, “a simples promoção para outro cargo, mesmo se criado a partir de outros cargos extintos, esbarra em vedação constitucional expressa, que não pode ser olvidada, a menos que a regra constitucional também fosse alterada”.

    Ou seja, para mudar de carreira sem prestar concurso é necessário alterar o próprio artigo 37 da Constituição Federal de 1988. O dispositivo veda a transposição de cargos, a ascensão funcional e qualquer outra forma de investidura que não seja por meio de aprovação prévia em concurso público de provas ou de provas e títulos, de acordo com a natureza e a complexidade do cargo ou emprego público.

    Segundo o presidente da Associação Nacional dos Delegados de Polícia Federal, Marcos Leôncio Ribeiro, não há justificativa no interesse público para o concurso interno, já que ele fere o princípio da impessoalidade e isonomia.

    Segundo Ribeiro, o concurso público externo é a forma mais democrática para selecionar as pessoas que queiram entrar no serviço público. Além disso, a transferência de servidores para outros cargos oupara outras categorias, sem concurso público é inconstitucional, pois implicam o ingresso do servidor em cargos diversos daqueles nos quais foi ele legitimamente adminitido.

    De acordo com a nota, a carreira já é única. Os cargos é que não são. “Entretanto, os cargos possuem atribuições distintas, não obstante se exigir o mesmo nível de escolaridade. Não é possível, portanto, a existência de um cargo único, conforme mencionado anteriormente, visto que as atribuições do cargo de perito, por exemplo, não poderiam ser desempenhadas por delegado de polícia ou agente de polícia.”

    A Consultoria Legislativa da Câmara dos Deputados afirmou que “não seria prudente inovação constitucional tendente a alterar o regime de promoções de determinada categoria isoladamente, em detrimento de todas as outras”. A consequência imediata da existência de apenas um cargo na Polícia Federal seria o fim da hierarquia remuneratória. “Essa circunstância provocaria grande impacto na verba orçamentária destinada ao pagamento de pessoal, com repercussões em relação aos inativos e pensionistas”, esclarece o documento.

    Esse tipo de tentativa de burlar as normas constitucionais já é conhecido e rechaçado pela jurisprudência. Para os doutrinadores, se a transformação implicar em alteração da remuneração e das atribuições do cargo, configura novo provimento, violando o instituto do concurso público. Dessa forma, segundo a assessoria de imprensa da ADPF, a transformação dos cargos somente é constitucional quando os postos antigos e os novos possuem idêntico nível de escolaridade, de atribuições e de remuneração. O Supremo Tribunal Federal também tem pacificado que a transformação de cargos públicos não pode gerar aumento de remuneração e pressupõe a identidade legal de atribuições funcionais entre os componentes da carreira originária a ser transformada (ADI 3.930/RO e ADI 2.867/ES).

    Além de tentar burlar a regra constitucional de ingresso por meio de concurso público, para a Consultoria Legislativa da Câmara dos Deputados, fica evidente a tentativa de mesclar interesses diversos, colocando num mesmo pacote o debate da carreira única, a desmilitarização, o plano de cargos e salários e a progressão vertical e horizontal. “Ora, desmilitarização só se aplica às carreiras militares, plano de cargos e salários pressupõe mais de um cargo, além da hierarquia de cargos, assim como o próprio instituto da progressão”, rechaça o documento.

  19. O pessoal da S.A.P vão entrar em GREVE com comando do SINDASP, parabéns a esses lutadores… Aqui na Polícia Civil os delegados não deixam e melam qualquer movimento de GREVE, em 2013 os delegados tiveram R$2500,00 de reajuste salarial, foram os únicos que obtiveram vantagem significativa, são os únicos que tem um salário digno atualmente na Polícia Civil, lembrando que em 2013 a Dr. Marilda pegou carona no movimento grevista iniciado pelo Rebouças e Xavier, mas no final só os delegados saíram ganhando, após isso, ela chorou e abandonou os operacionais a própria sorte. Sorte do pessoal da S.A.P, ao menos lá não existe delegados para atrapalhar o movimento GREVISTA, aqui os sindicatos operacionais são incapazes de realizar uma GREVE sem o apoio da ADPESP, temos total dependência dos delegados para reivindicarmos alguma coisa, como agora em 2014, os delegados estão satisfeitos com o reajuste 2013, esse ano os operacionais vão passar em branco, o motivo é que os sindicatos dos operacionais não são nada sem os delegados, e se os operacionais tentarem algum movimento reivindicatório esse ano, sem dúvida será abafado e anulado pelo poder dos delegados, sorte dos dos funcionários da S.A.P, lá não tem nenhum delegado para impedi – los de reivindicar melhorias, direitos e vantagens, que terá como consequência uma melhoria na qualidade de trabalho e de vida.

  20. Boa Noite!

    Senhoras e Senhores.

    Desde que o homem sentiu a necessidade de sobreviver, de constituir família e de se fixar num só lugar, percebeu que em grupos a possibilidade de sobrevida seria muito maior, pois com alianças poderiam fazer e desempenhar atividades mais facilmente. O Tempo foi passando, a sociedade foi se fixando em locais férteis e estratégicos e dai foram evoluindo.

    Com o crescimento da população alguns membros sentiram que entre eles haviam certas diferenças. Começou a aparecer pessoas com ideias mirabolantes, algumas até sobrepujando a inteligência humana e partir disto, deu-se inicio a uma verdadeira lavagem cerebral e, por conseguinte, através da força e religiosidade, partiram para o controle dos mais fracos.

    É importante que se diga que até os dias de hoje as coisas continuam da mesma forma, apenas em certas ocasiões para certas “justificativas” ou contentamento da maioria, mudam ou maquiam o involucro, mas sempre mantendo a sua máxima, o mesmo conteúdo e tempero, para somente satisfação e a certeza de alegria de poucos.

    Lança-se esta insana empreitada e, para infelicidade geral, esta desastrosa questão perdura até os dias de hoje.

    Até quando teremos a insatisfação de encontrarmos sempre às mesmas caras ou quando não, visualizarmos certas pessoas com algumas semelhanças físicas e com o mesmo caráter duvidoso circundando o poder.

    Certas resoluções e finalizações devem ser muito bem planejadas, pois o seu resultado incidirá na grande maioria da população.

    O povo brasileiro vive circundado de péssimos elementos em tudo que é espaço e logradouro.

    Perante as Leis que regem a nação, são homens livres, mas diante de algumas almas perniciosas ainda continuam a serem vitimas e automaticamente financiadores do cancro nacional.

    Caronte.

  21. Basta olhar as estatísticas e comparar com outros países com quadros de pessoal semelhantes.

    Castas e militarismo apenas diminuem a eficiência da Polícia e a tornam mais cara e pesada.

    O resultado é o que se vê pelas ruas.

  22. Desculpa com um orcAmento cada vez mais usado para pagar inativos logo sera maior que inativos
    Portanto tem que deixar a pm existir e aquartelada e passar para as guardas municipais o policiamento ostensivo o que de fato esta assumindo

  23. Tá mais para um novo golpe, do que passar a PEC 51, por menos ou situação semelhante já aconteceu. Basta alguém mais pra cima apoiar novamente.

  24. “SD disse:
    07/03/2014 às 11:07

    Sou SD e não quero desmilitarização nenhuma essa de desmilitarizar a PM é pura balela o mundo todo possui um ciclo completo de Polícia Militar http://es.wikipedia.org/wiki/Gendarmer%C3%ADa Praticamente toda Europa tem um PM”

    kkkkkkkkkkkkk ao menos um q me fez rir alto hj kkkkkkkkkkkkk show… vlw pelas risadas kkkkkkkkkk PM sempre servindo o cidadão.. msm q seja pra rir kkkk

  25. QUERO VER A CAPACIDADE DE REIVINDICAÇÃO SALARIAL DOS SINDICATOS E ASSOCIAÇÕES SEM APOIO DA ADPESP EM 2014!!!

    EM TODOS ESSES ANOS SÓ ACONTECEU A GREVE E ALGUMAS CONQUISTAS PORQUE OS DELEGADOS E A ADPESP ENTRARAM NA BRIGA, E DERAM APOIO TOTAL…

    MAIS ESSE ANO OS DELEGADOS ESTÃO SATISFEITOS, PEGARAM CARONA NA MOBILIZAÇÃO DO SIPESP E DO SEPESP ANO PASSADO, MAS ADVINHA APENAS QUEM TEVE VANTAGEM?

    PRECISAMOS DE SINDICATO ÚNICO, COMO É O SINDASP, SÓ TEREMOS COESÃO FORTE O BASTANTE PARA NÃO DEPENDER DOS DELEGADOS PARA REIVINDICAR QUALQUER COISA QUE SEJA COM SINDICATO ÚNICO E FORTE…

    ESSE ANO VAI PROVAR QUE ESSE MONTE DE SINPOL E SIPESP NÃO SERVEM PARA NADA, ESSE ANO DE 2014 FICAREMOS A VER NAVIOS…

    QUERO VER A CAPACIDADE DE CAMPANHA SALARIAL 2014, DESSE MONTE DE SINDICATOS DIVIDIDOS, SEM APOIO DOS DELEGADOS, ESTE ANO ESTAMOS FUDIDOS…

  26. As mudanças são necessárias, não é impossível conforme sustenta o depol, no caso de criação de uma polícia única seria desejável que as atividades e responsabilidades fossem distribuídas , valorizando-se a competência . Não é mais possível existir uma carreira que somente assina aquilo que é produzido por outras carreiras. Deve haver sim distribuição de e de méritos. Hoje alguns ralam enquanto outros só recebem elogios.

  27. Realmente este ano os sindicatos terão que provar que são capazes de reivindicar melhoria salarial sem a ADPESP, este ano será um teste para os sindicatos, ao meu ver é muito sindicato e associação para poucos policiais, tem sindicatos na Polícia Civil que não chega a ter 300 filiados, isso é um absurdo, sindicato único é essencial para sairmos do buraco.

  28. A PM sempre foi complicada… Gambé sempre quis mandar… Lá pelos idos de 60, policial militar era visto como uma espécie de vigilante noturno… Servia para desfilar de farda. Tinha presença constante nas quebradas (o que hoje já não faz). Já não era respeitado pela malandragem naquela época, como não o é, até hoje. Mas, a gambezada era humilde. Sabia da sua condição. Agora, tem oficial pagando de galo! É balela! Essa gente é medrosa até hoje. Se o problema for com um tenente (que nem aquele da Rota que deu novidade numa delegacia do interior) não discute com ele não… Chama o capitão… Não dê moral à papagaio de pirata! Sempre foi assim.

  29. Eu quero saber é do reajuste COPA DO MUNDO 2014, os sindicatos precisam trabalhar!!! É ano de COPA, é ano de Eleição e os sindicato nada? Parece que os SAP é que estão certos, possuem apenas um sindicato SINDASP e logo vão estar ganhando o dobro dos Policiais Civis, operacionais é claro!!!

  30. ESTA PUTARIA DO INFELIZ ESCREVER UM COMENTÁRIO E SAIR COLANDO ALEATÓRIAMENTE, JÁ PASSOU DA HORA DE EXAURIR, SEJA CAPAZ, ESCREVA UM TEXTO PERTINENTE AO COMENTARIO, NÃO ENCHA O SACO DE TODOS COM A MESMA COISA O TEMPO INTEIRO.. disse:

    Senhores

    Em um post acima, li um assunto que me preocupou…e deveria também preocupar aos demais…
    Como pode uma instituição possuir 100 mil funcionarios em atividade e outros 60 mil na inatividade. Administrar economicamente o pagamento destas aposentadorias é impossível com a arrecadação efetuada nos ganhos dos funcionarios ativos. Há receita suplementar para que se efetue esta façanha?
    Imagino então, que este grande numero de aposentados seja por motivo de aposentadoria precoce, ou mesmo pensões…(tipo aquelas de filha solteira, lembram?)
    Presumo então, que a saga do nosso pai (governo) em prejudicar um dos filhos é para que o outro tenha de tudo.
    Será que em outros estados da União ocorre a mesma coisa. Será que nas forças armadas este fato se repete?
    Claro que não estou a crescer os globos oculares para o outro lado, mas…de um lado, temos 100 mil funcionarios desta forma e do outro, mais de 1 milhão de outros funcionarios destinados a um sistema previdênciario cruel e desumano, que abandona a pessoa na fase em que ela mais necessita de recursos, justamente pela fragilidade iminente.
    Outro dia, um conhecido, sabendo que movo ação contra o nosso estado por aposentadoria, disse-me bem assim…
    “Agora voce virará marajá, 30 anos de estado, já pensou o Fundo de Garantia? o Abono de 40%?”
    Quando eu expliquei-lhe o que realmente ocorre, que saímos apenas com o salário…ele comentou…
    “Vai se F….meu, 30 anos se fud…, escalas em dias de festas e finais de ano…arriscando a vida e a saúde, pois lidamos com todo tipo de gente e não estamos livres de contágio com alguma moléstia, as vezes até sem cura??? e o Governo quer te aposentar apenas com o salário, e ainda quer diminuir o que ganha??? Nem fud…. eu entro numa dessas….
    Aí, hoje em dia, de posse da maturidade e experiência adquiridas no decorrer de uma carreira, tive a plena certeza….
    EU SOU UM OTÁRIO.

    C.A.

  31. Viva a PEC 51, viva ,viva, Que venha com tudo. Fim deste modelo de Polícia arcaico, ultrapassado. Viva

  32. JÁ PASSA DA HORA DE ATUALIZAR A POLÍCIA!!

    MENOS ADMINISTRAÇÃO E MAIS AÇÃO!

    PLANOS DE CARREIRAS EFICIENTES AOS QUE SOBRAREM!!!

    EXTINÇÃO DOS CARGOS DE DELEGADOS E OFICIAIS NAS DATAS DE SUAS VACÂNCIAS, COMO OCORRERAM COM OS CARCEREIROS E ASSIM INÍCIO DA ———-N O V A P O L Í C I A ———– !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

  33. SÓ PASSEI AQUI PARA LEMBRAR AOS COLEGAS SERVIDORES DO ESTADO, QUE, O PRESIDENTE DO PSDB. O TAL DE GUERRA JÁ ESTÁ NOS QUINTOS DOS INFERNOS!!!!
    É MAIS UM CANALHA DO PSDB QUE VAI PARA O COLO DO CAPETA!!!

  34. Só fico imaginando uma Polícia comandada por Prefeitos nos rincões do País, será uma beleza. Quanto ao cargo único, já há parecer contrário no Congresso:

    A Consultoria Legislativa da Câmara dos Deputados elaborou nota técnica com parecer contrário a propostas de emendas constitucionais que tentam instituir o modelo de cargo único na Polícia Federal. Atualmente, a carreira conta com cinco carreiras: delegados, peritos, agentes, escrivães e papiloscopistas.

    De acordo com o documento, “a simples promoção para outro cargo, mesmo se criado a partir de outros cargos extintos, esbarra em vedação constitucional expressa, que não pode ser olvidada, a menos que a regra constitucional também fosse alterada”.

    Ou seja, para mudar de carreira sem prestar concurso é necessário alterar o próprio artigo 37 da Constituição Federal de 1988. O dispositivo veda a transposição de cargos, a ascensão funcional e qualquer outra forma de investidura que não seja por meio de aprovação prévia em concurso público de provas ou de provas e títulos, de acordo com a natureza e a complexidade do cargo ou emprego público.

    Segundo o presidente da Associação Nacional dos Delegados de Polícia Federal, Marcos Leôncio Ribeiro, não há justificativa no interesse público para o concurso interno, já que ele fere o princípio da impessoalidade e isonomia.

    Segundo Ribeiro, o concurso público externo é a forma mais democrática para selecionar as pessoas que queiram entrar no serviço público. Além disso, a transferência de servidores para outros cargos oupara outras categorias, sem concurso público é inconstitucional, pois implicam o ingresso do servidor em cargos diversos daqueles nos quais foi ele legitimamente adminitido.

    De acordo com a nota, a carreira já é única. Os cargos é que não são. “Entretanto, os cargos possuem atribuições distintas, não obstante se exigir o mesmo nível de escolaridade. Não é possível, portanto, a existência de um cargo único, conforme mencionado anteriormente, visto que as atribuições do cargo de perito, por exemplo, não poderiam ser desempenhadas por delegado de polícia ou agente de polícia.”

    A Consultoria Legislativa da Câmara dos Deputados afirmou que “não seria prudente inovação constitucional tendente a alterar o regime de promoções de determinada categoria isoladamente, em detrimento de todas as outras”. A consequência imediata da existência de apenas um cargo na Polícia Federal seria o fim da hierarquia remuneratória. “Essa circunstância provocaria grande impacto na verba orçamentária destinada ao pagamento de pessoal, com repercussões em relação aos inativos e pensionistas”, esclarece o documento.

    Esse tipo de tentativa de burlar as normas constitucionais já é conhecido e rechaçado pela jurisprudência. Para os doutrinadores, se a transformação implicar em alteração da remuneração e das atribuições do cargo, configura novo provimento, violando o instituto do concurso público. Dessa forma, segundo a assessoria de imprensa da ADPF, a transformação dos cargos somente é constitucional quando os postos antigos e os novos possuem idêntico nível de escolaridade, de atribuições e de remuneração. O Supremo Tribunal Federal também tem pacificado que a transformação de cargos públicos não pode gerar aumento de remuneração e pressupõe a identidade legal de atribuições funcionais entre os componentes da carreira originária a ser transformada (ADI 3.930/RO e ADI 2.867/ES).

    Além de tentar burlar a regra constitucional de ingresso por meio de concurso público, para a Consultoria Legislativa da Câmara dos Deputados, fica evidente a tentativa de mesclar interesses diversos, colocando num mesmo pacote o debate da carreira única, a desmilitarização, o plano de cargos e salários e a progressão vertical e horizontal. “Ora, desmilitarização só se aplica às carreiras militares, plano de cargos e salários pressupõe mais de um cargo, além da hierarquia de cargos, assim como o próprio instituto da progressão”, rechaça o documento.

  35. Vinicius de Moraes disse:
    07/03/2014 ÀS 12:34
    Delegado Conde, quanto a proposta em tela estamos convencidos que é um bom começo. Imaginamos que a grande dificuldade no processo será aparelhar mais de cem mil homens com cérebros capazes de pensar e abstrair.

    seu cu de ampola, desde quanto este zezão que vc citou é delegado cara, ele foi , mas jogou fora pelo ralo do esgoto, hoje ele não é nada na volta do dia, não passa de um carça cagada mesmo.

  36. Acho que a policia civil deveria ser militarizada. Que zona que é uma delegacia. Nao tem puniçao cada um faz o que quer.

  37. Que merda este tópico. Esse papo de desmilitarização é furado, independende da Polícia ser Militar ou Civil a hierarquia sempre vai existir, qualquer um com cérebro sabe que até dentro de um comércio de esquina existe hierarquia e uniforme. Só acrescentando o que faz um homem ter honra não é sua farda e sim os valores que lhe são transmitidos em sua vida, posso afirmar que na Polícia Militar, durante os cursos de formação, esses valores são até forjados para que o militar os possua, porém, se já estiver corrompido, não tem quem o recupere.

    Tenho até dó de algumas pessoas, reclamam de tudo e nunca fazem nada para seu próximo, foda-se se é militar ou civil.

    É triste ver o futuro da humanidade, em especial no Brasil, onde alguns políticos estão conseguindo destruir as bases de uma sociedade civilizada.

    Bom fim de semana a todos.

  38. MAS VOLTANDO NO ASSUNTO QUE NOS INTERESSA. CADE O REAJUSTE SALARIAL ? QUAL É A PROPOSTA DOS SINDICATOS E GOVERNO? A DATA BASE É 30/03/2014 E ATÉ AGORA NÃO OUVIMOS NADA QUE NOS ACALME.

  39. Olha eu as vezes verifico os comentários aqui, sei que são postados por Policiais Civis, porém acho que “Desmilitarizar a PM” não seria uma grande ideia, pois o que vejo é a falta de incompetência em ambos os lados, uma vez um cidadão foi fazer uma reclamação de PM na minha Unidade, por volta das 11 horas e antes de colher a termo suas declarações, resolvi pesquisar seus antecedentes, constou como procurado pelo artigo 157 do CP, diante disso encaminhei ao Distrito Policial da área, porém “esqueci” de almoçar antes, quando cheguei no “tal” Distrito Policial, o Delegado nem me recebeu saiu pela porta dos fundos e acho que foi “papar”, só ficou um funcionário lá que não sei se era escrivão ou funcionário municipal, só para encurtar o papo, depois de 02 horas chegou um Investigador que depois de se inteirar dos fatos passou via fone para o Delegado e me disse: ‘vou buscar a cópia do mandado de prisão” que estaria na Seccional, isso no mesmo município, a cerca de 2 Km do local, resumindo a “estória” só consegui almoçar lá pelas 16h30min. É ACHO QUE A DESMILITARIZAÇÃO VAI SER BOA PARA ALGUÉM NÉ…….OS MALAS E NÓS TEREMOS QUE VIVER PRESOS DENTRO DE CASA…………

    O QUE EU QUERIA MESMO ERA ALGUEM ALÉM DE MELHORAR NOSSOS SALÁRIOS PARASSE DE HIPOCRISIA COM BALELA COM PRESOS E MUITO MAIS ISSO SIM SERIA MELHOR QUE DESMILITARIZAR O QUE QUER QUE SEJA…….

  40. SERÁ QUE A DATA BASE 30/03/2014 SERÁ RESPEITADA ESSE ANO? SERÁ QUE ESSE AMONTOADO DE SINDICATOS E ASSOCIAÇÕES DA POLÍCIA CIVIL ESTÃO AGINDO EM BUSCA DE VALORIZAÇÃO SALARIAL EM 2014?

  41. PM não quer ser civil se quisesse teria prestado concurso para tal porque não unificar a GCM com a Policia Civil?

  42. uum agente civil submisso a PC realizando ostensivo preventivo e a PC controlando… certamente. os indices criminais hoje seriam menor…

  43. Ah Paulo que dizer que o delegado tem que te receber para vc. apresentar ocorrência, camarada na sua pm nem cabo olha direito para sua cara, cara mesmo, agora quer exigir que o delegado te dê toda atenção do mundo, vai se foder seu lambedor de bota de oficial e de cabos , vc. tem sorte do operacional falar com vc. seu otário. Exija do sr.. tenente tratamento dígno e não da policia civil, lá nem aperto de mão vc. pode oferecer ao superior, se não prestar continência é cadeia, pare de encher aquí e trate de preparar a documentação para pedir autorização para casar, quem sabe o tenente não deseje o ritual medieval da primeira noite com noiva,tenho certeza que vc. ficará super honrado, capacho do cassete !

  44. A PEC-51, a carreira única e a manutenção de castas
    sex, 03/01/2014 – 06:12 – Atualizado em 03/01/2014 – 06:14
    Por Leo Oliveira

    Desde a apresentação da PEC 51, que versa sobre, principalmente, o reajuste das instituições policiais brasileiras em polícias de ciclo completo, carreira única e desmilitarizadas, houve desde pronto diversas manifestações contrárias.

    Em especial, muitos delegados federais olham com asco a carreira única, atribuindo que esta seria, na verdade, um “trem da alegria” para que Agentes, na visão deles uma carreira auxiliar, ascendessem para o cargo de Delegado.

    Sobre isso, é importante frisar certos pontos.

    Em primeiro lugar, os Agentes Federais NÃO são carreira auxiliar na Polícia Federal. Em termos legais, tanto Delegados, quanto Agentes, Escrivães, Papiloscopistas e Peritos Criminais Federais são cargos que compõem uma mesma carreira, a chamada Carreira Policial Federal. Isso pode ser constatado de modo amplo no art. 144 §1º da CF e de modo específico no art. 1º da Lei 9266/97.

    Em termos práticos, carreiras auxiliares não exercem as atribuições que levam execução da atividade fim de um órgão ou “poder”. Os Magistrados, e só esses, julgam, dão a palavra final e decidem sobre o destino da vida de pessoas, empresas, entidades, seus bens e patrimônios. Ou já viram uma sentença assinada por um oficial de justiça? O Procuradores e promotores membros dos MP’s, e só esses, são detentores da Ação Penal (Dominus Litis), ou já viram um técnico do parquet acusando no tribunal do Júri?

    A função precípua de todo a polícia do mundo é INVESTIGAR, produzir, colher e demonstrar provas e indícios que mostrem a materialidade do crime e indiquem sua autoria. E quem faz isso, por óbvio, de forma absoluta, não pode ser considerado auxiliar. Em resumo: “QUEM INVESTIGA?”, quem faz a atividade policial fim por essência? A resposta, na prática, é o Agente. Isso porque o atual responsável (no caso o Delegado) não se dispõe a ir a campo realizar a investigação (salvo raras exceções). Ele espera que o Agente retorne com o resultado da diligência e relata o IPL baseado nessas informações e nas oitivas. Logo, a função investigativa em si é feita pelo Agente.

    Isto é fácil de observar quando comparamos com carreiras policiais de outros modelos do mundo: os Detectives ou Special Agents, por exemplo, como responsáveis por uma investigação, não requerem que outro cargo realize as diligências, eles mesmos vão a campo buscar a informação. Função análoga no Brasil é feita pelo Agente e não pelo Delegado.

    De fato, a carreira auxiliar da Polícia Federal na verdade é a dos Agentes Administrativos, pertencentes ao Plano Especial de Carreiras. Estes, sim, não atuam na atividade fim, de investigação policial, mas na atividade meio.

    Resolvido este ponto, quanto ao fato de o Delegado não exigir experiência policial anterior no seu processo seletivo: retomando as comparações, o cargo de Promotor e Juiz REQUEREM EXPERIÊNCIA MÍNIMA de 3 anos na área. Ou seja, é necessário ter experiência profissional afim anterior (ex:http://www.cespe.unb.br/concursos/MPE_TO_12_PROMOTOR/arquivos/ED_1_2012_MPE_TO___ABT.PDF)… ehttp://www.cespe.unb.br/concursos/TRT5_12_JUIZ/arquivos/ED_2_2012_TRT_5___JUIZ_DO_TRABALHO_ABERTURA_REPUBLICA____O.PDF) .

    Para Delegado NÃO É NECESSÁRIA EXPERIÊNCIA policial nenhuma, podendo um aluno que acabou de sair da faculdade sim ser o responsável por uma investigação criminal (ex:http://www.cespe.unb.br/concursos/DPF_12_DELEGADO/arquivos/ED_1_2012_DPF_DELEGADO.PDF). E como já foi dito pelo próprio Superintendente da PF de São Paulo, “investigação não se aprende em faculdade de Direito e nem se executa em gabinete”. Assim, apenas faculdade de direito não garante em nada que o aprovado em concurso de Delegado tenha capacidade para presidir uma investigação, e com a prática usual de o Delegado não ir a campo realizar a diligência, continuará sem dominar os aspectos fundamentais da investigação.

    Novamente comparando com modelos internacionais, os Detetives precisam ter tempo de experiência policial prática antes de serem considerados habilitados ao cargo de responsável pelas investigações. O que é, no mínimo, normal. Apenas no Brasil ainda se perpetua esse modelo em que chefias são alcançadas sem a experiência necessária para esse cargo.

    Numa proposta de carreira única, o delegado nem precisa deixar de existir, mas a terminologia que for dada para ser chefe de investigação venha a respeitar um posicionamento hierárquico que deflua da organização estrutural e funcional do órgão que corresponda aos feixes de atribuições de cada cargos (não carreira) ou funções providos em confiança, em decorrência da natureza dos seus encargos, porque inexiste, por si só, subordinação funcional entre os ocupantes de cargos efetivos. (PARECER Nº GQ – 35 da AGU: http://www.agu.gov.br/sistemas/site/PaginasInternas/NormasInternas/AtoDetalhado.aspx?idAto=8206&ID_SITE

    Quanto à formação em Direito. Concordo que deve haver precaução com a manutenção da legalidade das investigações, mas exigir que apenas o formado em direito possa ser responsável por uma investigação é um excesso. Nos outros modelos policiais fora do Brasil, não há essa exigência. O que é, no mínimo, curioso, se tal formação fosse realmente imprescindível. De fato, há uma preocupação que os investigadores tenham formações em diversas áreas, que possam ser aproveitadas nas investigações dos diversos tipos de crime. Não só isso, se fosse necessário ser formado em Direito para garantir a legalidade de todas as atividades policiais, TODO policial deveria ter essa formação, o que vemos mundialmente não ser verdade. A legalidade, por sua vez, pode ser mantida via controle interno pelas corregedorias e externo pelo MP, que já detém essa função. Ainda mais, o trabalho policial é altamente direcionado para dar subsídio para o Ministério Público iniciar a ação penal, e é ele quem decidirá pela tipificação e quais elementos são necessários para embasar tal ação.

    Ademais, a necessidade e exigência de conhecimentos sobre legislação é pré-requisito para o ingresso e o exercício das atividades de todas as carreiras de Estados, e desconheço um cargo de nível superior (lembrando aqui que TODOS os cargos policiais da Polícia Federal exigem nível superior) que não tenha essa exigência nos seus programas de concursos para ingresso.

    Mesmo nas funções de polícia administrativa, o Agente, quando atua como “agente de migração”, se vale do uso de inúmeras e complexas legislações e atos administrativos internos e tratados internacionais para decidir sobre entrada e saída de viajantes estrangeiros, ou multá-los por infrações administrativas pertinentes à esse trânsito, processos de permanência e inquéritos de expulsão; O Escrivão com todos os normativos aplicáveis a atividades cartorárias; O Agente atuando na análise da concessão, fiscalização e punição de atos relativos ás atividades de segurança privada, químicos, e controle de armas; Os auditores da receita no uso de complexa legislação tributária quando aplica uma milionária multa ou suspende as atividades de uma empresa; Auditores do Bacen no uso da legislação financeira nacional; O fiscais alfandegários, agrícolas, de portos, etc, nas suas atividades que interferem na produção de milhares de empresas, sempre usando diversos dispositivos normativos.

    Ou seja, os exemplos deixam claro, que saber direito e a necessidade de o quanto se exigir esse conhecimento numa carreira é variável e não é isso que torna um cargo mais importante que o outro. O tanto desse conhecimento na carreia pública é adquirido de acordo com a necessidade em 3 momentos: 1- O que se exige como programa de concurso, que deve se valer da real necessidade desses conhecimentos no exercício da atividade, 2 – Da formação que se dá ao servidor que ingressa no cargo (PF’s na ANP, Auditores e analista da receita em seus cursos de formação, etc) e na prática. 3 – não menos importante para o servidor, a LICC, que exige que ninguém pode alegar desconhecimento da lei, muito menos o responsáveis públicos pela aplicação dela.

    Em resumo, todo servidor público deve possuir conhecimento de direito, legislação, atos administrativos, etc. A formação em Direito é necessária para Advocacia, Ministério Público, Magistratura, Defensorias e Procuradorias Públicas etc., porque são atividades que envolvem primordialmente discutir e decidir sobre aplicação da lei. Não é o caso da Polícia. A Polícia tem sim que observar e aplicar a lei, mas sua função primordial é investigação e segurança pública, e não discussão da lei em si.

    Concluindo, a carreira única nada mais é que um ajuste do modelo policial brasileiro aos modelos internacionais que já se comprovaram mais eficientes. A carreira única garantirá que o policial responsável pela investigação tenha conhecimento prático da atividade e seja o mesmo que realize a diligência, que toda chefia seja ocupada por servidor necessariamente experiente e que todo policial tenha perspectiva de crescimento no órgão, diminuindo a evasão e as chances de corrupção. O princípio constitucional do concurso público será garantido para ingresso no início da carreira e a progressão se dará através de processo seletivo com requisitos objetivos.

    Ou seja, não há motivo para resistência a essa mudança, a não ser para se manter uma segregação social-funcional que privilegie castas ao invés da eficiência. E disso o Brasil já está farto.

    CARREIRA JURÍDICA – Verdade

    Os membros das carreiras jurídicas, ao menos conforme lição que tivemos quando acadêmico de direito, seriam aqueles que “promovem” a justiça e “falam” no processo, “operando” o Direito.

    Portanto, aqueles profissionais que fazem parte da trilogia processual e que são essenciais à Justiça! Vejamos: Advogados(atuam na tríade processual, apesar de não serem “carreira pública”), Advogados públicos(Defensores – DPU, DPE), Procuradores Estaduais, AGU(Procuradores Federais e Advogados da União), Ministério Público da União(MPF; MPT; MPM; MPDFT), Ministério Público Estadual(Promotores e Procuradores de Justiça), Magistrados(Juízes e Desembargadores Estaduais e Federais, inclusive o de “Paz”).

    Não existe definição doutrinária ou conceitual, do que seja “carreira jurídica”. Mas, a Constituição, traz quais as carreiras essenciais à promoção da justiça, e nela não está a de delegado de polícia.

    Logo, conclui-se que as carreiras jurídicas são apenas as referidas na Constituição Federal.

  45. Gostaria de avisar ao amigo acima que capacho, mas esta ele pois não faz nada sem ligar para o delegado de platão e quanto a isto não pode falar o contrario!!!!!

  46. Se este ano os sindicatos e associações não se mobilizarem na luta salarial, o jeito será mobilizar toda Polícia Civil e criar um Sindicato único operacional “SINOP”, é um absurdo e não faz sentido esse monte de sindicato e associação, que seccionados acumulam poucos filiados, além de não se intenderem e agirem de forma dispersa e desorganizada. Ninguém entende porque foi-se criando tanto sindicato em meio apenas 30 mil Policiais Civis, vejam a força de um sindicato único como o “SINDASP”, só de ameaçar o governo tremeu, enquanto na Polícia Civil na realidade tem tanto sindicato e associação que acabamos a não ter nada, é urgente fazer florescer a ideia do “SINOP” – SINDICATO ÚNICO OPERACIONAL, ai sim vamos ter coesão, organização e força nas reivindicações, ao meu ver o ADPESP é uma associação única dos Delegados, diante de tais fatos faz-se necessário urgentemente a criação do Sindicato único dos operacionais.

  47. GRAÇAS A DEUS OS POLICIAIS PERCEBERAM MESMO QUE TARDIAMENTE O ABSURDO E FALTA DE SENTIDO DESSE MONTE DE SINDICATOS E ASSOCIAÇÕES… ESSES INÚMEROS SINDICATOS FORAM CRIADOS APENAS PARA INTERESSES PARTICULARES… TEM INSTITUIÇÕES COM MAIS DE 200 MIL FUNCIONÁRIOS QUE POSSUEM APENAS DOIS SINDICATOS, ENQUANTO NA POLÍCIA CIVIL COM APENAS 30 MIL (MAJURA NÃO CONTA), SE NÃO ME ENGANO POSSUI 14 SINDICATADOS E ASSOCIAÇÕES, QUE NÃO SE COMUNICAM E NEM SE ENTENDEM, E TEM INTERESSES DIFERENTES UMAS DAS OUTRAS…AINDA BEM QUE OS POLICIAIS CIVIS ESTÃO PERCEBENDO A ABERRAÇÃO, A IDIOTICE E A INUTILIDADE DE TANTOS SINDICATOS E ASSOCIAÇÕES QUE REPRESENTAM NADA MAIS NADA MENOS, QUE O CAOS QUE ESTÁ A POLÍCIA CIVIL, UMA VERDADEIRA TORRE DE BABEL…

    PARABÉNS AOS GARIS PELOS 37% E PELA DEMONSTRAÇÃO DE FORÇA, COM CERTEZA POSSUÍ SINDICATO ÚNICO…

    OS S.A.P ESTÃO NO MESMO CAMINHO E CONSEGUIRÃO A VITÓRIA E VÃO DEIXAR OS POLICIAIS CIVIS PARA TRÁS, COMO TODOS ESTÃO DEIXANDO…

    BEM, OS SINDICATOS DA POLÍCIA CONTINUAM PERDIDOS, ENFRAQUECIDOS, DIVIDIDOS, SEM SENTIDO E DORMINDO EM BERÇO ESPLENDIDO COMO SEMPRE…

  48. EXCELENTE A PROPOSTA ! MELHORA A PARTE O BOLO DO SALÁRIO A SER REPARTIDO ENTRE OS INTEGRANTES DA BASE DE UMA ÚNICA E INTEGRADA INSTITUIÇÃO POLICIAL. SOU DO TEMPO QUE POLÍCIA MILITAR IA JUNTO EM VIATURA DA CIVIL PARA QUALQUER CHAMADO E VICE E VERSA. SOU DO TEMPO DO CHAMADO INSPETOR DE QUARTEIRÃO, QUE COBRIA, COM EFICIÊNCIA A INEXISTÊNCIA DOS APARÊLHOS “COMANDERS” DE HOJE, QUE, NÃO RARO, SERVEM PARA BISBILHOTAR, INDISCRIMINADAMENTE, A VIDA DOS POLICIAIS DE BEM, A TÍTULO DE ENCONTRAR PROVAS CONTRA OS CORRUPTOS E LADRÕES, COM AUTORIZAÇÃO JUDICIAL DA ESCUTA CONSEGUIDA, MUITAS VEZES, POSTERIORMENTE À GRAVAÇÃO, OU, À PRISÃO DO ACUSADO. UMA DIVISÃO NAS POLÍCIAS SÓ INTERESSA ÀS AUTORIDADES CORRUPTAS ! É PRECISO TER UMA POLÍCIA DE PATRULHAMENTO OSTENSIVO PREPARADA E APARELHADA PARA DISCERNIR ENTRE OS CIDADÃOS DE BEM E OS MAUS ELEMENTOS E UMA POLÍCIA DA INTELIGÊNCIA TAMBÉM PREPARADA E APARELHADA, MENOS PARA BISBILHOTAR A ESMO E MAIS PARA ENCONTRAR PROVAS CRISTALINAS QUE LEVEM À ELUCIDAÇÃO ABSOLUTA DE QUALQUER CRIME. QUANDO EU ESTAVA NA ATIVA DA CIVIL, EM ARAÇATUBA CONSEGUI BONS RESULTADOS COM MUITOS POLICIAS MILITARES QUE ME AJUDAVAM NA PARCERIA PARA O TRABALHO DE CADASTRAMENTO DOS MARGINAIS QUE ERAM ENCONTRADOS NAS BOCAS E, ASSIM QUE SAÍA UM MANDADO DE PRISÃO, EU LHES DAVA A FOTO DO MARGINAL DE FRENTE E DOS LADOS, ENDEREÇO, ETC. TUDO ISSO COMO FORMA DE SE ANTECIPAR AO CRIME-A POLÍCIA ESTAVA BASTANTE DEFASADA DE INFORMAÇÃO E EU SENTIA QUE HAVIA A NECESSIDADE DE INTEGRAR AS INFORMAÇÕES CHEGADAS DE CADA PM E DE CADA POLICIAL CIVIL, PARA ENRIQUECER OS BANCO DE DADOS INCLUSIVE ALINHAVANDO OS COMPARSAS PARA FACILITAR O TRABALHO DE DEDUÇÃO. NÃO RARO ERA O QUE EU DIZIA “BOLA NO GOL”, QUANDO UMA VÍTIMA CHORAVA EM MINHA SALA POR TER RECONHECIDO O SEU MAL-FEITOR POR UMA CICATRIZ, UMA PINTA NO ROSTO, UMA TATUAGEM OU UM MODO DIFERENTE DE FALAR, COMO UM “S CHIADO”, UMA DICÇÃO ESPECIAL PARA ALGUMAS LETRAS, OU UMA CAGUEIRA. TUDO SEM RECURSOS MAIORES QUE NÃO FOSSE A VONTADE DOS POLICIAIS ABNEGADOS EM ENRIQUECER O SISTEMA DE INFORMAÇÃO E A LIDERANÇA DE DELEGADOS E TENENTES QUE ERAM QUERIDOS PELO CONTINGENTE DE AMBAS AS POLÍCIAS. AINDA DÁ PARA MUDAR. FICA A SUGESTÃO. ABRAÇOS.

  49. Veja como os Oficiais e Delegados de Polícia tratam seus subalternos:

  50. Concordo que um sindicato único é mais forte politicamente.

    Mas, no caso dos garis do Rio, o SINDICATO NÃO APOIOU a greve. Foi uma vitória, mais que merecida, dos garis que se mobilizaram e enfrentaram a prefeitura, a imprensa, 300 demissões etc.

  51. O Brasil vive uma ditadura disfarçada de democracia.
    Com o fim dos tempos a tendência é militarizar cada vez mais as policias no mundo.
    Imagina uma polícia brasileira autônoma sem ingerencia de políticos e de classificação civil.
    Seria o pesadelo de qualquer político desosnesto.

  52. ESTA PUTARIA DO INFELIZ ESCREVER UM COMENTÁRIO E SAIR COLANDO ALEATÓRIAMENTE, JÁ PASSOU DA HORA DE EXAURIR, SEJA CAPAZ, ESCREVA UM TEXTO PERTINENTE AO COMENTARIO, NÃO ENCHA O SACO DE TODOS COM A MESMA COISA O TEMPO INTEIRO.. disse:

    Senhor Policia dominada por parasitas

    O vídeo como piada nem é tão engraçado, nos meus longos anos de carreira, sei que alguns permitem isso mesmo, as vezes em troca de uma cadeirinha de chefe, as vezes para ficar perto de casa, e outras coisas mais…
    Mas há também os que não se submetem, e a partir daí, sentem o peso da caneta.

    C.A.

  53. Fred Flintstone

    O Brasil vive uma ditadura disfarçada?

    Quiséramos que fosse disfarçada!

    Depois da blindagem aos PATIFES FARDADOS da “melhor” Polícia Militar do Brasil, posso te garantir que a ditadura já é escancarada.

Os comentários estão desativados.