LACUNA NO CÉREBRO E NA CORAGEM INTELECTUAL – Delegado titular de Cubatão tentando defender a prisão em flagrante do casal vítima de roubo qualificado diminui a própria carreira 33

Enviado em 27/02/2015 as 12:48 – paulo

Estudante13, volta pra escola!
Se o “delegado não pode fazer nada”, como muitos desavisados aqui defendem, então, primeiro: pede pra não reconhecer o delegado como carreira jurídica, que carreira jurídica que não observa princípios de direito não serve pra nada;
Segundo: acaba com a carreira de delegado, afinal, segundo alguns aqui, não passam de escrivães de luxo e, aproveitando a audiência “preliminar” agora adota em SP, manda a PM entregar tudo direto pro MP e pro Juiz.
A PM já “investiga mesmo”, junto com GAECO e outros quetais, vamos economizar mandando esses cartorários (como alguns aqui querem ser vistos/ou exercer tão nobre profissão) pra casa!
Como o Dr. Guerra explicou: lavra o flagrante de tentativa de latrocinio/homicidio da vítima comerciante, “de cabo a rabo”, manda prender os malas e SÓ.
SE O SR. MP quiser, que, no futuro, assuma a p..a de prender vitimas em legítima defesa real.
Pior foi prender a mulher pelo porte/fraude processual, quando a arma estava na casa do cara que tinha autorização para ter a referida arma!
Ou o Majura flagrou ela levando a arma pra casa? Deveria deixar e arma no chão, pra algum “esperto pegar”?
Na modesta opinião de nove e meio entre dez advogados, juízes, promotores, e até delegados, com quem conversei, isso tem cheiro de “abusinho de autoridade”.
Mas isso não vai se falar na TV, lógico, senão a indenização que é quase certa, vai virar indubitável….
De todo modo, melhor mandar esse caso ser investigado pela Corró da Civil, afinal lá vão apurar se algum treco deu dado na cabeça da autoridade pra fazer isso ai…

_______________________________________________

Para quem estudou em escola pública, como eu:

Lembram daquele aluno – antigamente apelidado como “Turista” , “Pileque”  ou  “Patropi”; aquele que faltava o ano inteiro…

Mas fazia questão de comparecer justamente no dia que a classe combinou a “bolação de aula” coletiva; exigindo a sua presença para provar em casa a assiduidade?

Tem delegado que é assim!

Não lavra flagrante quando todos os demais lavrariam, mas prende quando todos os outros jamais o fariam.

E ainda prende a vítima!

Vigarice. 

Pior é o corporativismo reverso: um superior – defendendo o ato do subordinado – afirmar publicamente que não cabe aos delegados de polícia a decisão sobre excludente de crime; tarefa exclusiva do Juiz de Direito …

Que há lacuna na legislação; etc.

LACUNAS NO CÉREBRO E NA CORAGEM INTELECTUAL!

Não adianta, tem delegado que diante dos próprios erros  – para se justificar – prefere se mostrar como mero tira ou escriba com um salário melhorado.

Mas quando se trata de prejudicar desafetos ou se locupletar : A LEI SOU EU!

Episódio vergonhoso.

Chama o Zíngaro!

  1. Entregar tudo para o MP, Deus me livre!! Como alguém já disse, a concentração de poder é perniciosa.

  2. Reajuste zeroooooooo,aux alimentacao 120,00 contossssssssssss tamo fuuuuuuuuu..

  3. Jefão cunhado do Jão da Penita de araraquara, amigo do Tocera, do Jaiminho e do Jairo da Dise, além da Exciludida disse:

    ACRIMESP
    Associação dos Advogados Criminalistas do Estado de São PauloGabinete da Presidência do Conselho
    São Paulo, 26 de fevereiro de 2015.Ofício n.º 38/15
    Excelentíssimo Senhor Desembargador,A ACRIMESP – Associação dos Advogados Criminalistas do Estado de
    São Paulo, em nome dos Advogados Criminalistas de nosso Estado, vemcumprimentar e parabenizar V. Excia. e o DD. Secretário Estadual daSegurança Pública, Dr. Alexandre de Moraes, pela implantação do ProjetoPiloto de “Audiência de Custódia”, que prevê a entrevista por um Juiz depresos em flagrante em até 24 horas, ouvindo as manifestações de seudefensor e do Ministério Público.
    A Constituição Federal já enunciava, em 1988, em seu artigo 5º, que“Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza,garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País ainviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e àpropriedade”. Com isso, nossa Carta Magna estabelece que a liberdade sejaum direito fundamental intocável, pilar do Estado democrático de Direito.Estabelece, ainda, que “a prisão de qualquer pessoa e o local onde se
    encontre serão comunicados imediatamente ao juiz competente”.Sem dúvida alguma, o Projeto Piloto é um grande avanço na
    operacionalização da apresentação pessoal do preso em flagrante delito àautoridade judiciária, pois somos sabedores da cruel realidade que passa oindivíduo detido nos dias atuais, permanecendo por meses em celassuperlotadas dos centros de detenção provisória, gerando dificuldades eonerando o sistema prisional.Permita-nos, entretanto, levantar alguns pontos que vemos como
    entraves onerosos ao novo sistema e que geram dificuldades burocráticas.Das Centrais de Flagrante, os detidos que são encaminhados, em viaturapolicial, para o Fórum Criminal Ministro Mário Guimarães, na Barra Funda,Capital de São Paulo. Julgamos que esse deslocamento sejadesnecessário, já que para isso haverá ocupação de viaturas e agentespoliciais para um ponto centralizado, que é o complexo da Barra Funda,tirando das ruas dezenas de policias, cuja função primordial é a prevenção e
    isso é totalmente prejudicial à Sociedade.Pelo novo Projeto, nesse início de operação, foram destacados dez
    juízes do Departamento de Inquéritos Policiais e Polícia Judiciária (Dipo) edois promotores para atuar nas audiências de custódia. O ideal para ofuncionamento saudável desse novo e necessário projeto seria, permita-nosa proposta, deslocar ao menos um Juiz e um Promotor, e um posto do IMLem regime de plantão, para as Centrais de Flagrantes, onde, somente lá,entrevistariam o indivíduo detido e ouviriam as manifestações da defesa,evitando assim o translado centralizado para o Fórum Criminal da Barra
    Funda. Saudações Ademar Gomes Presidente do Conselho
    Excelentíssimo Senhor
    Dr. Des. José Renato Nalini
    Presidente doTribunal de Justiça de São Paulo Av. Dr. Abraão Ribeiro, 313 – 2º andar – conj. 2093 – Fórum Criminal Ministro

  4. Jefão cunhado do Jão da Penita de araraquara, amigo do Tocera, do Jaiminho e do Jairo da Dise, além da Exciludida disse:

    CENTRAIS DE FLAGRANTES Audiências de custódia deveriam ocorrer na polícia, dizem criminalistas

    As recém-implantadas audiências de custódia, que obrigam o contato de presos em flagrante com um juiz em 24 horas na capital paulista, erram ao deslocar diariamente suspeitos para o bairro da Barra Funda. É o que afirma a Associação dos Advogados Criminalistas do estado (Acrimesp) em ofício enviado nesta quarta-feira (26/2) ao presidente do Tribunal de Justiça de São Paulo, desembargador Renato Nalini.

  5. Pois é, depois o 13 aqui sou eu…kkkk… daqui a pouco vem o nick “DELPOL” aquele blá blá blá corporativista de carreira jurídica e etc…mas no fundo, todo mundo sabe a real nos DP’s e plantões da vida….. enfim, estamos lascados….fuui….

  6. Houve um tempo em que os majuras eram apenas policiais. Agora, na condição de juristas, acontece cada uma, que muitas vezes acabam não sendo nem uma coisa nem outra.

  7. APENAS UM DESABAFO: COM O NOVO DECRETO DO GOVERNADOR DE QUE NÃO HAVERÁ AUMENTO SALARIAL NESTE ANO LHE PERGUNTO: O QUE FAZEMOS COM ESSAS ASSOCIAÇÃO E SINDICATOS QUE FICARAM O ANO DE 2014 INTERIOR EM REUNIÕES E NENHUMA PROVIDÊNCIA TOMARAM. E AGORA QUE ESTE ANO QUE O PAÍS ESTA EM RECESSÃO, QUAL VAI SER A NOVA MENTIRA QUE IRÃO INVENTAR PARA NOS TAPEAR. TEM NÃO TEM CAPACIDADE DE SENTAR EM UMA MESA PARA NEGOCIAR CONTRATA UMA EMPRESA SÉRIA PARA ISSO. ESTAVOS FERRADOS.

  8. SIMPLES…

    GREVE! GREVE! GREVE! GREVE! GREVE! GREVE! GREVE! GREVE! GREVE!

    Acabando a GREVE…

    OPERAÇÃO PADRÃO – linhas gerais.

    1. Policiais civis operacionais (agentes, inspetores, investigadores etc):

    a) somente realizar investigações de campo com ordens por escrito (ordem de missão);

    b) não dirigir viaturas (ostensivas ou não), sem os equipamentos obrigatórios do veículo;

    c) não dirigir viaturas (ostensivas ou não), sem o curso de direção de veículos de emergência, obrigatório pelo Código de Trânsito Nacional.

    d) não dirigir viaturas (ostensivas ou não), sem a posse de seus documentos originais e atualizados.

    2. Policiais civis de cartório (escrivães):

    a) somente registrar ocorrências (BO) na presença do policial civil delegado, pois é ele que deve tipificar o delito;

    b) nas tomadas de declarações, depoimentos e interrogatórios, inclusive nos flagrantes, com a presença do policial civil delegado, que deve fazer todas as perguntas. O papel do escrivão deverá ser tão somente ‘escrever’, digitar. Não formule perguntas.

    EXIJAM, NO MÍNIMO, 60% DO SALÁRIO DE UM POLICIAL CIVIL QUE OCUPA O CARGO PÚBLICO EFETIVO DE DELEGADO.

    NÃO PERMITAM QUE HAJA ACORDO SALARIAL EM SEPARADO NA POLÍCIA CIVIL.

    TODOS SÃO POLICIAIS CIVIS.

  9. Deve ser um Dr Playboy com seu carro blindado criado pela vovózinha!

  10. Pelo amor de Deus! O Código Penal é claro, art. 23, II, NÃO HÁ CRIME quando o agente pratica o fato, EM LEGÍTIMA DEFESA (…)

    Sei que criticar a decisão alheia é mais fácil do que decidir, mas ao que parece a decisão a ser tomada não era tão complexa.

    Abraço!

  11. É DURO QUANDO O RESPONSÁVEL POR DIRIGIR A DISTRITAL MEIO QUE NÃO SABE EXATAMENTE O QUE ESTÁ FAZENDO. FALTA PRATICA E PRINCIPALMENTE HONESTIDADE MORAL. JULGAMENTOS EQUIVOCADOS QUALQUER UM PODE TER, MAS BARBEIRAGEM NA LEI, NAQUILO QUE ESTÁ ESCRITO, JÁ É DEMAIS. AGORA APÓS SEUS CINCO MINUTOS DE EGO INFLADO, TERÁ QUE RESPONDER A CASA CENSORA. E CHEGANDO LÁ, NÓS SABEMOS COMO A BANDA TOCA…

  12. PMERJ implantará carreira única: Soldado chegará a Coronel

    Boas notícias vindas da Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro (PMERJ): está prestes a ser finalizado o novo estatuto da Corporação, que possibilitará que praças ingressem no oficialato podendo chegar ao posto de Coronel.

    Por enquanto a medida ainda não foi detalhada, mas já está sendo comemorada na Corporação. Obviamente, será preciso ajustar a transição e a organização das promoções e seus critérios. Mas trata-se de uma medida inovadora que pode influenciar polícias em todo o Brasil.

    “Trata-se de uma medida inovadora que pode influenciar polícias em todo o Brasil”
    Confira matéria do Jornal O DIA sobre o assunto:

    “É como fazer uma revolução sem usar armas. Reivindicação antiga entre especialistas em segurança pública, a possibilidade de que praças e soldados cheguem a oficiais na Polícia Militar do Rio de Janeiro vai se transformar em realidade este ano.

    A medida, na fase final de elaboração pelo Estado-Maior da corporação, permitirá, por exemplo, que um soldado, caso estude e se especialize durante sua carreira, chegue a coronel e até a comandante-geral da PM. Hoje, o máximo a que se pode chegar, quando se entra como aspirante, é a sargento ou oficial de segunda linha.

    “A carreira fica mais atrativa e a polícia aproveitará seus melhores quadros”, disse o chefe do Estado-Maior, coronel Robson Rodrigues — que se tivesse entrado na PM como praça, não teria chance de chegar ao cargo que ocupa. “Teremos apenas um concurso, uma única entrada, ao contrário de hoje, em que existem dois separando praças e oficiais.”

    Pela novo estatuto, que precisa ser aprovado pela Alerj, todos terão de passar pela mesma porta de entrada. Aprovados, fazem um curso básico de 27 semanas. Depois, podem optar pelo curso de oficial. “Será um curso de tecnólogo feito no Ensino à Distância (EAD), reconhecido pelo Ministério da Educação e com provas presenciais, coisa que hoje não acontece com quem se forma oficial”, continua Robson. “O policial terá mais atrativos, terá de se especializar e ganhará mais conhecimento.”

    Segundo o policial, o concurso para oficial da PM, que aconteceria este ano, já foi suspenso para se adaptar às novas regras.

    Diretora do Centro de Estudos de Segurança e Cidadania (Cesec), da Universidade Candido Mendes, a doutora em Ciência Social Sílvia Ramos classificou a medida como “revolucionária.” Para ela, a reformulação na estrutura da Polícia Militar do Rio mudará os parâmetros de segurança pública do país, e tende a se espalhar por todos os estados.

    “É uma reivindicação antiga. Hoje, temos duas polícias dentro da PM: a dos oficiais e a dos praças”, afirma. “É muito importante que isso comece pela polícia do Rio, até pelo simbolismo.”

    Ela usa o exemplo da carreira policial nos Estados Unidos para defender a medida, e lembra que o mesmo acontece na Inglaterra. “Nos EUA, o chefe de polícia, um dia, dirigiu o carro como praça. Isso é fundamental para tornar a carreira atrativa e evitar esta separação atual, em que um jovem aspirante a tenente nunca dialogou com o soldado em sua formação. Este é um modelo que só existe no Brasil.””

  13. Existe uma solução simples pra resolver todos os problemas da Policia civil : promover todos os policiais civis que Flitam neste espaço ao cargo de delegados de policia, dos motoristas aos NU (que ganham menos que o fotógrafo) . Ai sim , as decisões serão sempre acertadas, abrilhantadas pelo conhecimento jurídico anormal . E o melhor de tudo : nao havera mais critica a carreira, porque a pedra vai virar vidraça .

  14. Infelizmente a Polícia Civil paulista esta em decadência á muitos anos, graças os ditos otoridades incompetentes ou vagabundos que somente pensam na$$$$quilo . Em contrapartida é gratificante a presença dos poucos que realmente são vocacionados e causam alguma motivação para as demais carreiras, mas esta em extinção essas raridades que servem como espelhos. Podemos lembrar também da falta de educação e respeito desses parasitas para com os servidores produtivos e bem intencionados, já com os seus pares em malandragens, eles são muito educados e solícitos. É comum as transferências em grupos para outras Delegacias, vai as otoridades e seus agregados, até parecem que são seres insubstituíveis se pensarmos que é para melhorar a qualidade dos serviços, mas não é, entendam bem, são insubstituíveis porque não se trata de equipes e sim de quadrilhas. Sabemos que esses comportamentos são como um câncer maligno na instituição, mas aqueles que “teriam” como ofício, combater esses grupos que agem para destruir a polícia, simplesmente não fazem nada e fingem não ver. É por essas razões que a polícia deteriora-se a cada dia, se quer, temos moral para exigirmos salário de boa qualidade, nem governo e nem sociedade são favoráveis ás reivindicações de melhorias, generalizadamente, temos o que merecemos, infelizmente eu faço parte dessa instituição. O noticiário que causou esse Post é apenas um no meio de milhares de outros que acontecem todos os dias nas delegacias dos rincons das periferias do Estado de São paulo, mas para o governo isso é apenas um detalhe, ele não é e nunca será polícia, no entanto esta pouco se linchando com essa instituição que já fora abandonada por muitos que deveriam proteger e não cumpriram com suas obrigações e deveres. Por incrível que pareça, nós já nos acostumamos com o modelo arcaico e as vezes defendemos acreditando que estamos fazendo o melhor quando na verdade estamos compactuando com os maus feitores e colaborando com a destruição continuada da Polícia Civil. Se formos discutir casos isolados como esse do Post, se errado ou certo, claro que estaremos ajudando um julgamento precoce e talvez injusto com o Delegado em tela, mas será que esse Delegado trabalha em condições razoáveis para desempenhar suas funções com qualidade como deveria? não podemos afirmar que sim ou não, mas podemos afirmar que a polícia civil trabalha em péssimas condições no contexto geral, é fato inegável . Quem devemos culpar por tudo isso? o governo? claro que é culpado, mas nós integrantes também tempos uma parcela de culpas, pois nunca lutamos para reverter a situação, sabemos sim lamentar aqui no flit e nas rodinhas de amigos, mas efetivamente nunca lutamos para defender a Polícia Civil forte , bem aparelhada, com materiais de primeira qualidade, efetivo suficiente, salário compatível , profissionais bem preparados.

  15. OS FUNCIONÁRIOS DO JUDICIÁRIO TIVERAM NA SURDINA 6,5% DE REAJUSTE ESTE MÊS.

  16. Parabéns aos funcionários do judiciário pelos 6,5% de reajuste, vocês merecem.

  17. A grande maioria dos Delegados são Advogados Frustados e muitos ainda nem possuem OAB e mto menos o doutorado, devereira ser banido para delegados e afins , os que não possuem Doutorado ter o titulo e ser chamados de doutorzinho, sendo assim qualquer um com nível acadêmico deveria ser chamado de Doutores. Apenas 20 % são Delegados de verdade, verdadeiros amigos, profissionais e grandes chefes, na grande maioria, principalmente os mais novos , não sabem nem o que estão fazendo na Policia Civil, abusam da sua Autoridade o tempo todo, primeiro com os seus subordindos, segundo com população mais pobre, mtos desses Delegados, jogavam bolinha de Gude no tapete do aparmento, não sabem o que e pobreza, não sabe o que sair para procurar emprego sem nenhum centavo no bolso, não sabe se quer como lidar com os policiais e a população mais carente, se acham Deuses, intocáveis, o dono da verdade e esquecem o valor da vida humana e da amizade. Pois é mais facil dominar e prejudicar um policial , bem como um pobre coitado do que fazer o seu papel que é prender bandidos, pessoas que fazem mal para nós e nossas familias, chutar cachorro morto e fácil, agora enfrenta lo falta coragem.

  18. Essa foi foda…

    Falar na Rede Globo ao vivo que a carteirinha de Delegado de Policia nao vale nada é de cair a bunda

    Nunca vi promotor falando que o “promotor não pode ….”

    Na boa?

    Muito bem dito acima no tópico:

    Delegado de Policia nada mais é do que um investigador com salario melhorado. Nao manda porra nenhuma.

    E só nao vai pra rua por abuso pq o Sao Paulo Futebol Clube não vai deixar.

    O apadrinhamento é gigantesco dos personagens deste episódio.

  19. Este tema sempre foi muito presente entre os doutrinadores. Antigamente crime era definido como fato típico, antijuridico e culpável. Com a reforma penal o crime passou a ser definido como fato típico e antijurídico. A culpabilidade passou a ser pressuposto da pena. Mas não é esse o cerne da questão. Apenas coloco para alicerçar o seguinte: Se é verdade que as excludentes de antijuridicidade (legitima defesa, estrito cumprimento do dever legal e exercício regular de direito), doutrinariamente são questões a serem reconhecidas pelo magistrado, não menos verdade é o fato de que a lei processual penal autoriza sim que a Autoridade Policial haja de forma coerente e de acordo com os princípios gerais de direito, além do direito consuetudinário. Por exemplo, quando um policial no exercício regular de direito e estrito cumprimento do dever legal, pratica homicídio quando ao intervir em ocorrência mata o ladrão, não vai preso. Logo se contrário fosse todos os policiais que praticassem homicídio no exercício da função deveriam ser presos em flagrante delito e recolhidos ao cárcere até o estado juiz se pronunciar. Tal fato é um absurdo jurídico e como sabemos não pode e não deve ocorrer. Tudo se resume na interpretação da lei, não de forma lexiológica ou etimológicamente. Analisando-se o Código de Processo Penal no capítulo da prisão em flagrante, ve-se que lá a Autoridade Policial ao entrevistar as partes e resultando disso infundadas suspeitas contra o agente (que até então é o autor do fato típico), deverá relaxar de forma legal o Auto de Prisão em Flagrante, ou mesmo colher as provas necessárias para documentação do ato. Não há outra alternativa, caso contrário se inverte a lógica da lei e impinge ao cidadão que defendeu-se a desgraça e a incongruência de uma lei mal feita. É claro e evidente que a resposta da lei deveria vir estampada no texto da lei de forma clara, mas assim não havendo previsão expressa, resolve-se pelos princípios gerais de direito, pela análise do sentido da lei e como respeito a pessoa humana. Não pode o cidadão, cujo mesmo para se defender de um criminoso age e mata o desgraçado, ser preso só porque defendeu-se. Primeiro porque o Estado-polícia não foi capaz de defende-lo de forma efetiva e segundo porque é da natureza humana defender-se de agressão atual e eminente. Não pode o mesmo estado que foi incompetente ao elaborar o texto legal, usá-lo contra o cidadão, que em última análise é o destinatário dos benefícios daquela mesma lei. Como se verifica, podemos resolver de múltiplas formas. O que não podemos, sob pena de incindir em abuso de autoridade é dar a lei uma interpretação que não se amolde a lógica da própria lei, desviando o sentido da mesma e criando situações absurdas como a que se criou. Direito é bom senso e o bom senso não indica a prisão de cidadão que defendeu-se da agressão ao seu patrimônio e a sua vida. O que a Autoridade Policias pode e deve fazer é fundamentar sua decisão, esta sim uma exigência constitucional. O delegado de Polícia como profissional do direito não deve ficar satisfeito ou compactuar com injustiças, mesmo quando a primeira vista possam estar presentes na própria lei, mas não está. É a tal da análise as avessas do texto da lei.

  20. SÓ AQUI EM SP É DESSE JEITO. PARECE OUTRO PAÍS COM LEGISLAÇÃO DIFERENTE. AINDA BEM QUE PELO MENOS VOCÊ É APRESENTADO EM JUÍZO EM 24 HORAS. PORQUE COM CERTEZA, ALGUÉM QUE TEM O “PODER” PODE ACABAR COM ESSA INJUSTIÇA. PASSOU DA HORA DE ACABAR COM CERTOS CARGOS NA POLICIA. DELEGADO É UM DELES.

  21. A REVOLTA DA POPULAÇÃO É QUE APESAR DE VOCÊ SER UM CIDADÃO DE BEM, CUMPRIDOR DOS SEUS DEVERES, ACABA ENVOLVIDO EM FATOS QUE PODEM ENSEJAR EM CADEIA OU MORTE. VEJA BEM, O COMERCIANTE ESTAVA CHEGANDO EM CASA. O BANDIDO PROCURANDO UMA VITIMA. NO FINAL BANDIDO MORTO, E CIDADÃO BALEADO E PRESO. QUAL A CULPA QUE O COMERCIANTE TEVE NO FATO? ELE APENAS SE DEFENDEU COM AQUILO QUE ELE TINHA EM MÃO, SEJA UMA .40 OU UM ESTILINGUE. O QUE NÃO DÁ PARA ENTENDER É QUE NÃO HOUVE CRIME CONTRA O ESTATUTO DO DESARMAMENTO. JÁ HOUVE CASOS DE ATIRADORES/COLECIONADORES SE DEFENDEREM USADOS ARMAS QUE CONSTAM NOS SEUS MAPAS DE ARMAS. É O ESTADO DE NECESSIDADE. USOU PARA SE DEFENDER, AQUILO QUE TINHA EM MÃO NO MOMENTO. NÃO HOUVE PREMEDITAÇÃO. NA MIN HA OPINIÃO FOI VONTADE DE FERRAR COM O COITADO DO COMERCIANTE. O MEDO É TANTO DE RESPONDER A UM PA QUE ACABA OCORRENDO ESSAS INJUSTIÇAS.

  22. Bom, quem já trabalhou no deinter 6 sabe do histórico desse delegado.

    A própria matéria diz que o rapaz estava com a documentação em relação à arma em dia.

    A propria matéria diz que o casal possui residência fixa, trabalho lícito.

    As lesões e os danos ocasionados na vítima e no local é a maior prova de que foi em legítima defesa.

    O juiz libera a vítima algumas horas depois com essas justificativas.

    Serão que não caberia uma condição de averiguado em vez de indiciado e flagrante?

  23. A rigor, titular só pensa na sua cadeira, mija pra pm, promotor, juiz, prefeito, vereador, assessor do assessor do assessor de qualquer bosta da administração, até escrevente do fórum fala alto com ele, e o bicho obedece igual a uma putinha, afinal tudo pelo $ocial, agora pra fuder o subordinado é um leão feroz, vem babando, vão ser covardes e medrosos assim na pqp

  24. Guarda civil atira em 3 pessoas após discussão de trânsito na Grande SP
    Confusão começou após guarda bater em carro de taxista em São Caetano.
    Tiros também acertaram outras duas pessoas em um restaurante.
    Do G1 São Paulo
    FACEBOOK

    Um guarda civil municipal atirou e deixou três pessoas feridas durante uma discussão de trânsito no Centro de São Caetano do Sul, na Grande São Paulo, no início da noite desta quinta-feira (26).
    O guarda civil foi estacionar o carro na Rua Manoel Coelho, encostou no veículo de um taxista que estava parado e os dois começaram a discutir. Durante a discussão, o guarda sacou a arma e atirou no taxista. Os tiros também acertaram outras duas pessoas que estavam em um restaurante próximo.
    O taxista foi atingido com um tiro de raspão na orelha. Um mulher foi baleada na perna e outro homem levou um tiro no ombro. Nenhuma das vítimas corre o risco de morte.
    A vítima, o taxista Marcio Matos, conta que o guarda, que estava à paisana, disse que ele tinha estacionado em local proibido. “Como uma pessoa dessa [guarda civil] em uma discussão boba pega a arma e dá um tiro?”, questiona Matos com indignação.
    O guarda foi preso em flagrante e vai responder por lesão corporal. A Corregedoria da Guarda Civil Municipal lamentou o ocorrido e disse que ele está à disposição da Justiça.

  25. Guarda civil atira em 3 pessoas após discussão de trânsito na Grande SP
    Confusão começou após guarda bater em carro de taxista em São Caetano.
    Tiros também acertaram outras duas pessoas em um restaurante.
    Do G1 São Paulo
    FACEBOOK

    Um guarda civil municipal atirou e deixou três pessoas feridas durante uma discussão de trânsito no Centro de São Caetano do Sul, na Grande São Paulo, no início da noite desta quinta-feira (26).
    O guarda civil foi estacionar o carro na Rua Manoel Coelho, encostou no veículo de um taxista que estava parado e os dois começaram a discutir. Durante a discussão, o guarda sacou a arma e atirou no taxista. Os tiros também acertaram outras duas pessoas que estavam em um restaurante próximo.
    O taxista foi atingido com um tiro de raspão na orelha. Um mulher foi baleada na perna e outro homem levou um tiro no ombro. Nenhuma das vítimas corre o risco de morte.
    A vítima, o taxista Marcio Matos, conta que o guarda, que estava à paisana, disse que ele tinha estacionado em local proibido. “Como uma pessoa dessa [guarda civil] em uma discussão boba pega a arma e dá um tiro?”, questiona Matos com indignação.
    O guarda foi preso em flagrante e vai responder por lesão corporal. A Corregedoria da Guarda Civil Municipal lamentou o ocorrido e disse que ele está à disposição.

  26. Doutor Guerra, o cerne da questão não está na legitima defesa, ou no porte de arma, mas perguntar: “quem” foi o meliante morto? Ele é parente “de quem”?
    É alguém do meio criminoso?
    Por uma MERA SUPOSIÇÃO, será que isso pesou na mão da autoridade ao lavrar o flagrante, que ficou temerosa com eventuais dissabores caso soltasse livre o algoz do irmãozinho de alguém??????

  27. JClaudio:

    Coincidência ou não, a defecada ocorreu em Cu … batão!

Os comentários estão desativados.