Governo Alckmin inclina-se pela desonra aos seus compromissos…Será culpa da Dilma ? 40

 – Comunicado Urgente – ADPJ

comunicado

Como é sabido, tivemos problemas para que o ADPJ dos colegas da Ativa fosse devidamente efetuado. Para evitar que o mesmo acontecesse com o destinado aos aposentados, nos antecipamos com uma série de iniciativas, por conta do conhecimento prévio da burocracia que envolve o pagamento de benefícios.

Todavia, baldos esforços, recebemos, informalmente, a notícia de que o benefício não será pago no período próximo. A SPPREV alegou que os motivos são todos de ordem interna e técnica.

De qualquer modo, a Diretoria reitera que a Associação não poupou esforços e continuará em contato contínuo com a   São Paulo Previdência, visando o pagamento do benefício.

 

Inobstante,  orientamos  o aposentado associado a entrar em contato diretamente com a Previdência, através do número 0800 777 7738, sem que nossa luta seja prejudicada.

O atendimento funciona de segunda à sexta, das 8h às 21h, e aos sábados das 8h às 16h.
Diretoria da Adpesp

 

  1. afastado desde setembro e com a documentação imcompleta, a unica resposta
    ÉSTAMOS REGULARIZANDO A SUA DOCUMENTAÇÃO E MENOS 18% NO SALARIO
    ATE QUANDO.

  2. A Dilma serve como bode expiatório da incompetência e má administração dos governantes do PSDB.

  3. Sim, tudo é culpa da Dilma. Ou seja, se tudo é culpa da Dilma, governadores não servem para nada. Parem de pagar salário ao XUXU cara de XERECA.

  4. QUEM VOTOU NA DILMA E NO CHUCHU , AGORA CHUPA QUE É DE UVA E ENGOLE O CHOROOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOO

  5. dois dias depois, o judiciário dá ganho de causa, em primeira instância aos Delegados aposentados, no que se refere ao direito deles receberem o ADPJ. Fora isso, a Ação Coletiva do SINDPSP, está prestes a ser julgado, em reexame obrigatório na Seção de Direito Público do TJ, analisando sentença que também reconheceu direito dos Delegados aposentados:

    Movimento

    20/03/2015 Julgada Procedente a Ação
    VISTOS. HELIO VIEIRA DE FREITAS, AFRÂNIO FEITOSA JUNIOR, ARIELZO TAGLIARELLA, DERCIO GARBIN, ERI CAMPOS VIEIRA, FERNANDO JORDAO, MANOEL LUIZ RIBEIRO JUNIOR, JOSÉ NABUCO BASTOS ANDRADE, MARIO DIAS, JOSE FONSECA LAGO, ARMANDO DE BARROS SOUZA NETO, BENEDITO GONÇALVES DA CRUZ, CARLOS FERREIRA CASTRO, CARLOS GOMES DE SÁ, FRANCISCO FLAVIANO DE BARROS BAHIA, MAURO EVALDY DE SOUZA, SERGIO NARDI, VALDEMAR MANZANO MORENO, SEBASTIAO ANTUNES DE ALENCAR, MAURO ALBERTO NEGRAO, FRANCISCO JOSÉ DE CAMARGO BARROS, JOSE GNECCO, JOSE MANOEL DE OLIVEIRA, LEA MARIA FERREIRA, LIBERATO MAGDALENA, LINEU CARDOSO BRUNO, WILSON RODRIGUES, MAURICIO JOSE RODRIGUES, MOYSES JOSE COCITO ajuizou a presente AÇÃO ORDINÁRIA em face de SÃO PAULO PREVIDÊNCIA – SPPREV, alegando, em suma, que são servidores públicos aposentados, e que pretendem o recebimento do Adicional por Direção da Atividade de polícia Judiciária (ADPJ), instituído pela Lei Complementar nº 1.222/13, a qual, contudo, excluiu de sua incidência os aposentados, burlando, assim, o disposto no art. 40, parágrafo 8º, da Constituição Federal, com a nova redação dada pela Emenda Constitucional n. 41/03. Requereram, assim, a procedência da ação, a fim de que a requerida seja condenada a incorporar, apostilar no prontuário e passar a pagar a referida gratificação nos seus proventos, bem como a pagar as diferenças retroativas. Regularmente citada, apresentou a requerida defesa, na qual argumentou, em suma, que os autores não fazem jus ao referido adicional, o qual é devido somente aos servidores em atividade. Ademais, aduziu que a isonomia entre os servidores ativos e inativos deve ser observada somente naquilo que for possível e compatível, o que não se verifica nos autos. Adveio réplica. É O RELATÓRIO. DECIDO. Impõe-se o julgamento antecipado da lide, eis que a questão é apenas de direito, sendo desnecessária a produção de provas, nos termos do que dispõe o artigo 330, inciso I, do Código de Processo Civil. A ação é procedente. Com efeito, tem-se que a verba postulada foi instituída pela Lei Complementar nº 1.222/13, cujo teor restringiu sua incidência aos servidores em atividade, estabelecendo, não obstante, que ela deve ser considerada no cálculo do abono de férias e do 13º salário. Afasta-se, desde logo, o caráter pro labore faciendo, na medida em que ela não visa remunerar uma condição específica, como um ônus, um risco de um trabalho exercido em situação anormal, ou ainda uma habilidade especial, nem tampouco exige-se, para seu recebimento, qualquer requisito diferenciado do servidor, a não ser aquele genérico, comum a todos para o exercício da função. Verifica-se, outrossim, que a gratificação incide sobre o abono de férias, décimo terceiro salário, bem como figura na base de cálculo dos descontos previdenciários e de assistência médica, fatos que comprovam não se tratar de remuneração destinada à contraprestação de um serviço específico e determinado. De fato, fosse ela uma gratificação no significado técnico-jurídico do termo, não seria paga a todos os servidores em atividade de forma indiscriminada, e muito menos em percentual fixo. Conclui-se, pois, que a Fazenda buscou camuflar uma majoração dos salários dos delegados com a finalidade de reduzir sua folha de pagamento, especialmente pela exclusão dos inativos de sua abrangência. No entanto, ao negar-lhes o pagamento desta verdadeira parcela de vencimentos, incorreu a FESP em inegável inconstitucionalidade, por flagrante violação ao artigo 37, inciso XV, da Constituição Federal. Com efeito, em se tratando de verdadeira majoração de vencimentos, não se observa justificativa plausível para a pretendida exclusão dos aposentados de sua abrangência. Diga-se, aliás, que tal diferenciação foi repelida pela Constituição Federal, em seu art. 40, § 8º, com a redação dada pela EC nº 20/98, que estabeleceu tratamento isonômico entre o pessoal ativo e inativo, garantindo a estes a revisão de suas aposentadorias e pensões na mesma proporção e na mesma data, sempre que se modificasse a remuneração dos servidores em atividade, estendendo-se aos inativos e pensionistas quaisquer benefícios ou vantagens posteriormente concedidos aos servidores ativos. É certo que a EC 41/03 alterou profundamente o panorama anteriormente existente, na medida em que pôs fim a esta paridade, ao conferir nova redação ao artigo 40, parágrafo 8º, nos seguintes termos: “É assegurado o reajustamento dos benefícios para preserva-lhes, em caráter permanente, o valor real, conforme critérios estabelecidos em lei.” A despeito de r. opiniões em sentido contrário, inclusive já defendida por esta subscritora, o STF já decidiu a questão com repercussão geral -, no sentido de que o tratamento paritário estabelecido pelo aludido dispositivo com a anterior redação da EC 20/98 está assegurado aos servidores que se aposentaram antes do advento da EC 41/03, bem como àqueles que, até esta data, já haviam ingressado no serviço público, embora não tivessem logrado se aposentar, nem tampouco reunir os requisitos necessários, por força de determinação contida na EC 47/05, que finalizou a reforma previdenciária brasileira. Oportuno transcrever trecho do referido acórdão: “Com efeito, a EC 41/2003 extinguiu o direito à paridade dos proventos para os servidores que ingressaram no serviço público após a sua publicação, mas o garantiu aos que estavam na fruição da aposentadoria na data de sua publicação, estendendo-lhes quaisquer vantagens ou benefícios posteriormente concedidos aos servidores em atividade, ‘inclusive quando decorrentes da transformação ou reclassificação do cargo ou função em que se deu a aposentadoria ou que serviu de referência para a concessão da pensão’ (artigo 7º da EC 41/2003). Quanto à situação dos servidores que ingressaram no serviço público antes da EC 41/2003, mas que se aposentaram após sua edição, é preciso observar a incidência das regras de transição estabelecidas pela EC 47/2005. Esta Emenda complementou a reforma previdenciária com efeitos retroativos à data de vigência da EC 41/2003 (artigo 6º da EC 47/2005). Nesses casos, duas situações ensejam o direito à paridade e à integralidade de vencimentos: [i] servidores que ingressaram, de modo geral, antes da EC 41/2003, e [ii] servidores que ingressaram antes da EC 20/1998. Na primeira hipótese, o artigo 2º da EC 47/2005, ao estabelecer que se aplica ‘aos proventos de aposentadorias dos servidores públicos que se aposentarem na forma do caput do artigo 6º da EC 41/2003, o disposto no artigo 7º da mesma Emenda’, garantiu a integralidade e a paridade aos servidores que ingressaram no serviço público até a publicação da EC 41/2003, desde que observados, cumulativamente, os seguintes requisitos: [i] sessenta anos de idade, se homem, e cinquenta e cinco anos de idade, se mulher, [ii] trinta e cinco anos de contribuição, se homem, e trinta anos de contribuição, se mulher, [iii] vinte anos de efetivo exercício no serviço público, e [iv] dez anos de carreira e cinco anos de efetivo exercício no cargo em que se der a aposentadoria. Ressalte-se, ainda, que os limites de idade e de tempo de contribuição são reduzidos em cinco anos para os professores do ensino infantil, fundamental (como na espécie) e médio. De outro lado na segunda situação, o artigo 3º, parágrafo único, da EC 47/2005, estendeu aos servidores públicos que ingressaram no serviço até a publicação da EC 20/1998 o direito à paridade e à integralidade, desde que preenchidas, cumulativamente, as seguintes condições: [i] trinta e cinco anos de contribuição, se homem, e trinta anos de contribuição, se mulher, [ ii ] vinte e cinco anos de efetivo exercício no serviço público, quinze anos de carreira e cinco anos no cargo em que se der a aposentadoria e, por fim, [ iii ] idade mínima resultante da redução, relativamente aos limites do artigo 40, parágrafo 1º, inciso III, a, da Constituição Republicana, de um ano de idade para cada ano de contribuição que exceder os limites acima descritos. Sobre a matéria, Maria Sylvia Zanella di Pietro assentou que: ‘Também tem que ser respeitada a paridade dos proventos e da pensão com os vencimentos e demais vantagens concedidas aos servidores em atividade, seja para os benefícios já concedidos na data da Emenda Constitucional nº 41/03, seja para os que já completaram os requisitos para obtenção da aposentadoria ou da pensão, nos termos do artigo 3º. A Emenda Constitucional nº 47/05 estende o mesmo benefício aos que ingressaram no serviço público até 16-12-98 (data de entrada em vigor da Emenda nº 20/98) e que tenham cumprido os requisitos previstos no artigo 6º da Emenda nº 41/03 ou no artigo 3º da Emenda Constitucional nº 47/05’ (Direito Administrativo. São Paulo: Atlas, 2006, p. 553)”. E, nesta esteira, extrai-se dos autos que a maioria dos autores se aposentou antes da edição da referida emenda constitucional, sendo que os demais por certo ingressam no serviço público antes do advento desta, razão pela qual fazem todos jus ao tratamento paritário ora postulado. Ademais, cabia à ré eventual demonstração de que eles não preenchem os requisitos das ECs 41/03 e 47/05, na medida em que dispõe de todas as informações relativas aos mesmos, presumindo-se, pois, que não o fez porque estes efetivamente se enquadram na hipótese que lhes confere a extensão do benefício. Conclui-se, pois, que a ausência de pagamento do ADPJ nos proventos dos requerentes importa em inegável violação aos comandos constitucionais, de tal sorte que a procedência de suas pretensões se mostra medida de rigor. Posto isto, JULGO PROCEDENTE o pedido, para o fim de determinar a incorporação do Adicional por Direção da Atividade de Polícia Judiciária nos proventos dos autores desde a sua instituição pela Lei 1.222/13, apostilando-se o referido direito, bem como para condenar a requerida ao pagamento das verbas de natureza alimentar consistentes nas parcelas retroativas do ADPJ, às quais deverão ser acrescidas de juros de mora, a partir da citação, e correção monetária, incidente a partir da data em que cada parcela deveria ter sido paga, ambos calculados nos termos da Lei 11.960/09, a saber, de acordo com os índices oficiais de remuneração básica e juros aplicáveis às caderneta de poupança. Não se desconhece que o STF recentemente declarou a inconstitucionalidade da utilização da TR como índice de correção monetária (critério adotado pela Lei 11.960/09), nas ADIs 4357 e 4425. E, embora os acórdãos já tenham sido publicados, há perspectivas de que a referida Corte venha a modular os efeitos da declaração de inconstitucionalidade para o futuro, razão pela qual mantenho a forma de atualização monetária disciplinada naquele diploma para o caso em exame. Tendo a autora sucumbido em parte ínfima do pedido, arcará a requerida com o pagamento integral de custas e despesas processuais, além de honorários advocatícios do patrono do autor, os quais arbitro, por eqüidade, em R$ 2.000,00, devidamente atualizados. Transcorrido os prazos para interposição de recursos voluntários, remetam-se os autos ao E. Tribunal de Justiça de São Paulo Seção de Direito Público, para

  6. De nada adianta tantas denúncias, enquanto houver promotores e juízes corruptos e vitalícios.
    A lei anti corrupção deve ser feita pelo plebiscito do povo.
    Corruptos teve ter a condenação por decapitação, parentes e amigos a amputação dos membros superiores. Basta comprovar o elo de ligação com a corrupção a pena será executada em praça pública para qualquer um do povo auxiliar na execução.
    Homicidas, latrocidas, sequestradores execução por injeção letal.
    Furtos e roubos, 100 anos de reclusão com trabalhos forçados, sem nenhum benefício.
    Parentes e amigos terão todos os bens sequestrados pelo Estado, caso não comprove a licitude da aquisição.
    Nossa, como seria lindo e seguro o nosso país.
    Opa. Acordei, estou no Brasil, oh não eu morro em São Paulo, fudeu. O chuchu é o governador. Caralho, porque fui acordar.

  7. Tudo pra mim e dana para os outros!!!Agora chamam os NUS novamente para nova negociação, quem sabe sai um negócio melhor!!!!!e sobra um pouco para os outros!!!!

  8. wagner nunes leite gonçalves disse:
    21/03/2015 ÀS 9:01
    A Dilma serve como bode expiatório da incompetência e má administração dos governantes do PSDB.
    ——————
    Alem do PT serviu o PAULO MALUF o ORESTES QUÉRCIA, realmente não há como dizer o contrário deles, mas quanto ao partido do governador, nunca estiveram em esquema de corrupção, quando são, foram inocentados e nunca foram presos, agora é que vemos que só os que morrem do partido estão envolvidos ou se aceita estar. São intocáveis ou são incorruptíveis.
    ——————

    Esperar o que se é assim a mais de 20 anos. Ainda temos aqui e nas ruas defensores ferrenhos, verdadeiros trolls, E agora o ADPJ de grande conquista passou a ser grande fiasco, enquanto isso a PM que não comete crime contra seus funcionários vai de vento em poupa, cargas de trabalho humana, demonstração de amor a instituição. Aqui amores pelo acento, humilhações e desumanidade, e ainda se acham defensores de alguma coisa, que fechem as portas que mudem de nome, seremos sempre os incompetentes não funcionais, mas os que não soubemos nem pedir mais gente e quem dirá melhoras, nem as pontuais.

    Dizer mais o quê, se as coisas já passaram da impressões para dolorosas percepções.

  9. O FLIT BANCOU O PSDB, PQ VCS NÃO O COBRAM????

  10. Perguntaram ao Oráculo quando o policial civil terá direito a se aposentar sem ter de voltar à classe anterior (DESPROMOÇÃO).

    RESPOSTA: no próximo eclípse do sol sobre a cidade de Nhandeara, lá pelo ano 3061, aproximadamente…

  11. Alguém avisou o Chuchu que a única consequência do bônus foi o aumento do número de flagrantes forjados. Mas nem tudo está perdido, é só partilhar a grana que seria paga como bônus para alguns, e distribuir em forma de aumento salarial para todos.

  12. Imaginem se usar o método da PM, 20 mil metros da consolação ficaram tomadas, moral da história 100.000, mas não os organizadores estimam que eram uns 30 mil.

  13. Tudo bem, tudo muito bonito, mas a pergunta que não quer calar é: CADE A PORRA DO BÔNUS? QUANDO VAI PAGAR ESSA MERRÉCA? OU NÃO VAI PAGAR?

  14. Mostrar golpista que não querem reconhecer resultado das urnas mostraram e insitar isso fizeram, mas mostrar quem nos ensina fazendo história, mais uma vez ninguém viu ou algumas pessoas não quiseram que você vê-se.

    Havia uma Policia civil na consolação, há vinte anos não eramos 39 mil, agora com 30 mil nos resumimos a uma manifestação de famigerados professores. Nem ousarei dizer que as cidades e violências aumentaram, culpa da POLICIA CIVIL e da DILMA.

    ISSO APOIEM ESSE GOVERNO, POR MAIS 20 ANOS, .

  15. Estavam, os professores, embaixo de um temporal, claro que é melhor estar em um sofá de couro, forjado com sofrimento de cada profissão operacional das secretarias destes estado.

  16. Para justificar o injustificável – o não pagamento na folha de março/2015 do ADPJ para os Delegados aposentados e seus pensionistas, previsto desde 03 de julho de 2014 em Lei Complementar (a lei, ora a lei) -, a SPPrev saiu-se com uma desculpa lacônica e esfarrapada, segundo a ADPESP: “os motivos são todos de ordem interna e técnica”!!! Não cumprem assim nem a ordem emanada de seu próprio chefe-maior, o Governador, que assinou a Lei Complementar 1249/2014, editada em 03/07/2014, da qual têm conhecimento há mais de oito meses e só agora dizem, informalmente à ADPESP (por que será que não põe no papel, oficialmente, esta resposta),que não o fazem por problemas de ordem interna e técnica. Quais são esses empecilhos internos e problemas técnicos (o famoso ‘sistema’ deu pau?!, falta dinheiro?!) que os impedem de cumprirem a lei. Há se nosso holerite chega com 5 centavos a mais… Já no mês seguinte as “ordens internas e técnicas” funcionam a 100% de sua capacidade e já vem o seu desconto em folho, urgente urgentíssimo! Mas, para pagar nosso direito, que é VERBA ALIMENTÍCIA, diga-se de passagem, oito meses de conhecimento da Lei é pouco, muito pouco! Como já disse acima, bisando Getúlio Vargas, “a lei, ora a lei”!
    A propósito do pedido da ADPESP, entrei em contato com o 0800 da SPPrev e não me espantei quando sua atendente me informou que até o momento não tem conhecimento do assunto para dar qualquer informação e que, era para retornar até o final do mês ou até o dia 10 de abril (por que não 1º de abril?!!) próximo, ou seja, depois da folha regulamentar no 5º dia útil, quando poderiam ter alguma resposta ao nosso probleminha.
    Tudo isso a par deste nosso direito estar reconhecido pela Justiça paulista, em 1ª e 2ª instância, não a partir de março/2015, mas sim a partir de janeiro de 2014 quando o ‘adicional’ (na realidade um reajuste de vencimentos) foi concedido para os Delegados de Polícia em atividade, independentemente de qualquer outra condição, a não ser o exercício do cargo de Delegado!
    É o descaso agora com a Polícia Civil não só dos mandatários desse governo PSDB(osta), mas também de seu segundo escalão, mirando-se nos exemplos que vêm de cima… Também, o que esperarmos de uma instituição previdenciária que agraciou com as funções de gerenciadores dos pagamentos da Polícia Civil paulista, dois gloriosos PMs?!!
    Nós, aposentados e pensionistas, devemos esperar, eu creio, o pagamento do ADPJ de março até no máximo, em final de abril próximo. Caso nada seja concretizado, que tal um ‘panelaço’ com faixas e cartazes, ordeiro, mas firme e intransigente, defronte a sede da SPPrev em São Paulo?!! Tempo nós temos para isso…

  17. O desgoverno do PSDB e seus puxa-sacos, só vão respeitar a PC e nossos direitos, quando os CADEIRANTES da PC

    tomarem vergonha na cara e exigirem que se cumpram as leis e respeitem a todos, não somente seus pares……..

    Enquanto a PC estiver rachada……………..só vai compensar aos CADEIRANTES….

    Quem carrega piano…………vai continuar sendo usurpado por cretinos…

  18. É simples…………..Aposentadoria voluntária especial, com integralidade e paridade……………É UM BEM COMUM A TODAS AS CARREIRAS DA PC……………………

    POR QUE NÃO HÁ UMA SÓ REIVINDICAÇÃO SOBRE ESTE ASSUNTO ????????????????

    R: Porque os CADEIRANTES querem ficar até os 70 anos mamando………..e precisam de serviçais para produzirem…….
    então, nada de repor o efetivo…………nada de aposentadoria como se manda a Lei.

  19. hc (23/03/2015 às 23:04)

    hc, seguindo a sua linha de pensamento, então todo policial deve receber voz de prisão em flagrante e todo ladrão preso deve ser solto. Todos os cidadãos honestos e todos operadores do Direito seriam golpistas e a Constituição Federal seria uma carta golpista.

    Lícito para um governo, pela sua definição, seria roubar o povo, enganar o povo e escravizar o povo. A lei seria baseada no “roubo” (MST, Petrobrás, BNDES, Mensalão etc) e as cadeias seriam destinadas aos “coxinhas” (pessoas que trabalham e querem o direito de receber por seu trabalho).

    Eu sei que você foi enganado pelo discurso mentiroso da esquerda, então procure os fatos e não os discursos e você encontrará a verdade.

    Não quero defender qualquer partido, muito menos o PSDB, mas nada é pior que o PT e a esquerda para o Brasil. A época dos faraós já acabou, mesmo que hoje eles chamem de socialismo ou comunismo, só mudou o significante, mas o significado e, principalmente, o sentido, continuaram os mesmos.

    E, 12 de abril, vamos pras ruas pedir o IMPEACHMENT da Dilma, aquela que vem, de verdade, cometendo o GRANDE GOLPE BOLIVIARIANO contra o BRASIL tentando criar aqui uma DITADURA ESCRAVOCRATA como em CUBA.

  20. Fiquei sabendo que a Adpesp ao procurar o Spprev para saber pq nao foi pago o dindin dos aposentados, quem recebeu foi um Ex-escrivão de Policia.
    Mas, no momento ele tava tomando café e mandou o agente do Spprev falar para a Marilda o seguinte: “o escrivão falou que ta sem Sistema, e sem precisão de volta. Já abriu um chamado”.

    E continuou: “só sentar e aguardar”…

    Kkkkkkkk
    Kkkkkkkkkkkkk
    Kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkklkkkkkkkkk

  21. Boa Tarde!

    Senhoras e Senhores.

    Estamos caindo numa vala sem fundo, pois não demorará e estaremos vendo uma daquelas notícias escabrosas onde “certa pessoa” na calada da noite desapareceu e com ele, todo o dinheiro do trabalhador, igualzinho a história da CAPEMI e outras Instituições Previdenciárias que se pirulitaram e somente ficou o roliço para o povo.

    Porque será que somente alguns enxergam estas maracutaias?

    Caronte.

  22. Os roubos e todos os tipos de crimes tendem aumentar significativamente nos próximos meses, enquanto governos estaduais e federal empenham-se em arrecadar mais e mais deixando sua sociedade desprovida de sustento aos seus familiares, a tendencia é ficar pior. Os incompetentes governadores cobram de suas polícias produtividade, mas não tem a ombridade de reconhecer que os altos índices de criminalidade estão ligados diretamente a má distribuição de rendas, agora vai ficando pior com o achatamento dos salários e inflação galopante e, cada vez mais o desemprego , tudo colabora para índices alarmantes de criminalidade e grande repercussão. A solução em combate a criminalidade não esta ligada diretamente em gerenciamento de policiamento, não nesse momento, mas é inegável que será necessário maior contingente para o enfrentamento do que esta por vir nos próximos meses. A cobrança na produtividade deve ser deixada de lado por uma só razão (instabilidade econômica do País), não há mais que se falar em produtividade enquanto o País não voltar a crescer propiciando melhor distribuição de rendas. O mais curioso de tudo isso é que os governadores mantém tudo sob anonimato, não possuem o menor zelo para prevenir a todos quanto a grave situação que as Polícias enfrentarão ou seja, já estão enfrentando, mas será muito maior a demanda nos próximos meses e com isso debita-se os altos índices de criminalidade á ineficiência, incompetência, falta de gerenciamento dos comandos tanto da PM como da Polícia Civil, com isso o governo se esconde das suas responsabilidades e procede aquela famosa dança das cadeiras como se isso solucionasse a questão, mas pouco importa para o governo que só pensa em fazer políticas estelionatárias, o que importa que a dança das cadeiras é uma resposta que a sociedade mal informada quer receber. Pode esperar dias muito mais difícil no quesito segurança pública, o que é ruim ficará muito pior em breve.

  23. boa noite amigos do flit,fui diagnosticado com 3 cataratas em setembro do ano passado no sofredor público,voltei na especialista em 2 de dezembro, aqual disse que precisaria operar o quanto antes e me deu uma lista de exames marcando meu retorno para 24 de março do corrente,fiz todos exames e compareci as 12.15hs lá no sofredor, as 14 hs a dra me chamou e disse que não podia marcar as cirurgias porque o gov do estado de são paulo suspendeu as verbas para o hospital que os médicos do sofredor fariam as cirurgias e que o hospital estava em obras e que não tinha previsão de retornar as cirurgias , resumindo estrou com 20% da visão e e não sei o que fazer,minhas férias acabam no fim do mes e a seccional não quer me dar a guia médica pois o laudo da minha situação não veio em forma de atestado!!! 31 anos de csa e é assim que este maldidito gov trata seus agentes e funcionários,se fosse pm estaria promovido aposentado desde 2010 com paridade e integralidade, vou botar pra fud nas emissoras de tv e rádio e o ministério público, não enxergo o rosto de uma pessoa a menos de 1,5m ,tv 1m,dirigir nem pensar!!!

  24. Como para nós ledos mortais e policiais, não tem noticia boa, a culpa é do PT que saiu falando que não teria aumento, depois de um decreto. Fala muito essa oposição…. É que a data base já se fora, fora mesmo não é piada de 1 de Abril não. Os professores se irritaram com o governo que falou que eles nunca tentaram conversar.

    Fico imaginando será que este decreto vale há 20 anos, aquelas coisas de segurança de Estado, acho que segurança de Governo. O negócio é que o PT mentiu ou não mentiu?

    Tenho noticias boas a quem tem ações da Petrobrás subiram 5% essa semana, ninguém falou mas subiram podem conferir.
    O Brasil agora vai produzir seus jatos de caças, e aqui.
    A rede de fibra ótica que liga aqui a Europa vai indo bem
    Temos um satélite próprio agora.
    Temos uma ferrovia que vai atravessar quase que do Oiapoque ao Chui, e fala-se de uma outra que entronque com essa e passe pelo Peru atingindo o oceano Pacifico, será uma nova rota para o comércio? Será?
    Uma grande filial da Globo caiu em uma operação da PF, OPERAÇÃO ZELOTTES, ninguém falou nada ainda, mas era de se esperar, em breve descobriremos que a ditadura militar foi um engano a todos inclusive aos militares, que pena quantas cabeças pensantes e denunciantes de mazelas se foram para o além.
    Estão protestando agora para o GILMAR MENDES devolver um processo que acaba com financiamento de campanha por empresas, caso já perdido mesmo que o ministro vote contra a ação da OAB de 2011, ele está com vista ao processo há um ano e não devolve, faz aniversário esta semana. PARABÉNS.
    O HSBC só nos revela surpresas dos inimputáveis honestíssimos que venderam tudo e depois se pediram penico duas vezes no FMI, pena que a lista se tornou fonte da informação e não ela, e não foi revelada completamente, somente aos poucos e a vontade de quem a tem, será uma nova bíblia?

    Fica a pergunta será que estamos cortando o cordão umbilical ou estamos afrouxando as amarras?

  25. Há o DEMÓSTENES amigo do CARLINHOS CACHOEIRA acabou de desabafar sobre, um do invocados aqui, o CAIADO, você não vai ver isso também, coisa pequena que não merece nem rodapé, mas o desabafo é surpreendente para quem vê multiplicar videos pelo YOUTUBE de CAIADO.
    A respeito do HSBC a lista em posse da França via MP vai para a CPI especifica que investiga o caso. Esperemos resultados de pelo menos saber alguma coisa do dinheiro ilícito e sua geração.

  26. Depois de mais de 20 anos desse desgoverno em SP…………….ainda não aprendemos…………..eles não cumprem Leis…..

    É um desgoverno ditador e fora da Lei……….

Os comentários estão desativados.