DEINTER-6 – Polícia Civil realiza operação contra o PCC na Baixada Santista 26

Os agentes vistoriam 13 endereços em busca de drogas, armas e outros objetos relacionados às ações da facção criminosa

EDUARDO VELOZO FUCCIA – A TRIBUNA DE SANTOS
17/04/2015

Uma grande operação para desarticular um braço do primeiro Comando da Capital (PCC) é realizada na manhã desta sexta-feira (17) pela Polícia Civil.

Com o respaldo de mandados de busca e apreensão, os agentes vistoriam 13 endereços em busca de drogas, armas e outros objetos relacionados às ações da facção criminosa.

O outro objetivo é capturar sete investigados, que tiveram a prisão temporária decretada pela Justiça.

Operação ocorre desde a madrugada desta sexta-feira. Várias pessoas foram presas

O trabalho é fruto de investigação da Delegacia Especializada Antissequestro (Deas) de Santos iniciada há dois meses e meio.

Batizada de Onion (cebola em inglês), a investigação recebeu este nome em alusão à mensalidade que os membros do PCC devem pagar à facção.

“Ela já foi chamada de caixinha, mas atualmente é denominada cebola”, explica o chefe dos investigadores da Deas, Marcelo Canuto.

Titular da especializada, o delegado Renato Mazagão Júnior solicitou apoio aos colegas de outras unidades, como Delegacia de Investigações Gerais (DIG), Delegacia de Investigações sobre Entorpecentes (Dise) e 3º DP de São Vicente, para o cumprimento simultâneo das ordens de captura e dos mandados de busca e apreensão.

Organização criminosa tem estrutura empresarial

Drogas, dinheiros, celulares foram apreendidos

Durante as investigações da Operação Onion apurou-se que os investigados integram uma organização criminosa com estrutura empresarial.

O que difere de uma simples quadrilha é que, além da divisão de tarefas, existe uma hierarquia ordenada, com um comando central.

O tráfico de drogas é a principal atividade da organização criminosa, mas também são cometidos crimes contra o patrimônio, entre os quais os furtos e roubos a caixas eletrônicos.

Os mandados de busca e apreensão foram cumpridos na Vila Fátima, na Cidade Náutica e no Jardim Rio Negro, em São Vicente, e na Vila Nova, em Cubatão.

  1. Esta em todos os sites:

    Investigação contra policiais que agrediram a travesti .

    Isso pq ela arrancou a dentadas a orelha de um policial.

    E querem q eu trabalhe????

    Kkkkkk

    Jkkkkkkkkkkkk

    Mais um pouquinho de kkkkkkkkk

    Kkkkkkkkk

    Só quero saber do meu jota no 5 dia útil.

    Que se foda tudo.

    Kkkkkkkk

    Kkkkkkkkkkkkkkkkk

    Kkkkkkkkkkkkkkkkk

  2. CARTA ABERTA AOS DELEGADOS DE POLÍCIA.

    Caríssimos colegas – sim, reporto-me aos meus pares, mas o que aqui vai interessa a todos os brasileiros. Hoje, pela manhã, como faço habitualmente, visitei os sites e blogs dos articulistas políticos que aprecio.
    Deparei-me então com uma epígrafe que me chamou a atenção.
    Estava lá – retificando: está lá – na página do Reinado Azevedo o seguinte destaque:

    “Confronto entre PF e Ministério Público paralisa Lava Jato. A quem interessa a briga entre corporações?”

    Pressurosamente, li o teor do texto respectivo. E preciso confessar: fiquei estarrecido.
    Pode-se ler lá, candidamente, a seguinte passagem:

    “O que se deu nos bastidores? Procuradores telefonaram a parlamentares para informar que eles não precisariam depor na sede da Polícia Federal. Tudo poderia se resolver com uma oitiva na própria Procuradoria-Geral. Ao tomar ciência do fato, o comando da PF foi apurar o que tinha acontecido e descobriu que os próprios procuradores estavam passando aos investigados essa orientação. Rodrigo Janot, procurador-geral, e Leandro Daiello, superintendente da PF, falaram-se ao telefone. A conversa não foi proveitosa.”

    Ao lê-la, franzi o cenho e cocei os olhos. É isso mesmo? Procuradores ligaram para INVESTIGADOS, a sugerir que eles não fossem à polícia, porque “tudo poderia se resolver” no âmbito de uma oitiva ministerial?
    Em qualquer país do mundo, algo dessa natureza provocaria um escândalo de grandes proporções, sem octanagem possível.
    Não aqui. Aqui tudo é tolerável. Um ministério público agigantado, plenipotenciário, que, mesmo mal se desincumbindo de suas atribuições, quer se imiscuir em todas outras instituições, subjugando-as. (Mero despeito desse delegado aqui? Antes o fosse. Os exemplos desse já proverbial afã, dessa já decantada desídia, bom, eles pululam por aí. Vamos lá, pois recordar é viver. Quem do mundo jurídico não se lembra da oposição incompreensível esgrimida pelo “parquet” ante a possibilidade da defensoria pública ter seu rol ampliado na defesa de interesses difusos? Quem ignora a fiscalização mambembe, quando há, de promotores em estabelecimentos prisionais. Exemplos dessa jaez não cessam.) Aqui, onde patrimonialismo e ideologia anacrônica se irmanam num abraço insano, um ministério público assim é tolerável.
    Mas, por favor, desculpem-me. Desde “Ao lê-la…” ate aqui, fui engolfado por uma digressão inelutável.
    De início, eu queria dizer o seguinte: a epígrafe do eminente jornalista está equivocada.
    Por favor, não me tomem por presunçoso. Não serei eu a dar escólios de um mister que ele tão bem domina.
    Mas se trata mesmo de uma questão sutil, estando afeita a ela quem conhece os escaninhos das instituições policiais.
    A guerra não se opera entre corporações, porém, sim, entre delegados e procuradores.
    Parece uma filigrana, já que ambos são órgãos de cúpula, mas faz toda a diferença.
    Os promotores já não escondem mais. Eles avançam destemidos sobre a competência de presidir inquéritos. Eles querem-na. E para tanto, lançam mão dos expedientes mais disparatados, mais desleais. Transformam a impostura em palavra de ordem.
    No Brasil, quem preside os inquéritos? Ora, os delegados. Mas os doutos promotores não se resignam. Afinal, não são eles os monopolistas das virtudes?
    Há um sem-número de exemplos arroláveis da aleivosia ministerial, do expediente obnóxio para se chegar ao almejado fim.
    Cinjamo-nos àqueles mais gritantes.
    1 – desqualificar os delegados. Para eles, nós somos uma espécie de párias. Uma subcategoria, sei lá. Pouco lhes importa que tenhamos a mesma formação e que nos submetamos a rigoroso certame. Eles não gostam da gente. Reputam-nos corruptos e despreparados.
    2 – desqualificar o inquérito policial, pespegando-lhe os piores adjetivos possíveis. Sem embargo, querem-no. Nos mesmos moldes, apenas mudando-lhe o nome.
    3 – talvez o pior e mais irresponsáveis de todos: insuflar as bases das polícias. Para tanto, ora eles manejam o ressentimento de alguns (policiais que se queriam delegados, mas não passaram no certame), ora, eles açulam o descontentamento de outros (policiais que amam sê-lo, mas que se insurgem contra condições salariais ou estruturais)
    No tocante aos primeiros, os procuradores, quando não instilam, reforçam nas mentes movidas por sentimentos subalternos, bobagens do tipo: desmilitarização, ciclo completo, carreira única, fim da burocracia etc etc. De mais a mais, essa categoria de policias, além de sofrem as injunções dos procuradores, são facilmente ludibriados por associações classistas e sindicatos açambarcados pela CUT e designações quejandas.
    Claro que todas essas enormidades são facilmente refutáveis.
    Uma entretanto, merece especial atenção. A tal da carreira única. Ora, é incrível a cara de pau dessa gente. Sabe o que significa carreira única? Ingresso único.
    Ilustro: o indivíduo entra como policial, independente da formação que tenha. Na instituição, ele vai progredindo na carreira. Eles argumentam que tal progressão se daria por mérito e tempo. Até o momento em que ele seria alçado a chefe, o que hoje equivale ao delegado. Mas como? Por indicação de alguém. É risível né. Talvez a indicação parta sei lá de um promotor, de um político. Seria, com efeito, a institucionalização do apadrinhamento. É indefensável.
    Mas eles defendem. Como? Argumentam que o delegado não precisa ter formação jurídica. Não? Passe um dia num plantão de polícia, meus caros. Verão o quanto faz-se necessário profundo conhecimento jurídico.
    Poderia, mais uma vez, desafiar os beócios, lançando-lhes as questões mais comezinhas, mas eles nunca respondem. Então, não o farei.
    É por essas e outras que, hoje, o MP, de importante protagonista na luta contras as injustiças, transmudou-se numa instituição que mais prejudica do que ajuda.
    Finalizo com um episódio vivenciado por mim semana passada. Penso que ele ilustra bem a mentalidade vigente e o descalabro que ela gera.
    Estava na iminência de se findar meu plantão noturno. Súbito, o telefone toca. Somos informados que um policial militar fora encontrado morto, com um disparo na têmpora, no banco de trás de seu veículo.
    Ninguém ignora que, recentemente, aqui em São Paulo, o secretário editou uma resolução no caso de morte de agentes policiais ou que decorra da intervenção de tais agentes. Dentre as medidas elencadas, figura a necessidade do delegado reportar o havido ao promotor para que ele, em reputando curial, vá até o local.
    Pois então. Liguei para o ilustríssimo. Ele, verdade seja dita, tratou-me com toda urbanidade. Nada obstante, ignorava por completo a resolução referida e, claro, respondeu com um não peremptório quando indagado se iria até o local.
    Esse pormenor toda teve sim o condão de atrasar o registro da ocorrência e foi completamente ocioso.

  3. vai ser pago no Natal………………acorda ai………todo ano é igual…………esses DEMÔNIOS não gostam de POLÍCIA……

  4. Delegados não são POLICIAIS………………São cachorros de políticos ………..kkk

    Podem ter dinheiro………….mas continuam cachorros de políticos……….almas vazias………

  5. Decap tá balançando.

    Pro clero (escravos) não muda nada, mas é bom ver alguns chefes perdendo as cadeiras.

  6. VEJAM SE DÁ GRANA OU NÃO…………FAZER CAMPANHA PARA O MALKIMIM……….

    POPULAÇÃO……………VOCÊS TEM A SEG. PÚBLICA QUE MERECEM…………

  7. Falei ontem no telefone com o Rebouças, presidente do SIPESP e o mesmo me afirmou pessoalmente que paralisação por melhores salários, como a Apeoesp está fazendo, é uma bobagem e que não adianta nada fazer paralisação. Só quer viajar as custas do nosso suado dinheiro (do trouxa que é associado), para ficar de blá, blá, blá em Brasília. Ele mesmo admitiu que o Judiciário não pode interferir em aumento salarial, mas o mesmo fica enrolando com essas viagens e contatos inúteis que estão fazendo via judiciário.

    Precisamos parar, precisamos reinvidicar, senão não virá nada. Eu vivo do meu salário e de bicos e estou desgastado fisicamente e mentalmente e nosso representante vai tirar o feriado na boa. Quanto tempo faz que o Rebouças não faz um plantão numa EPJ no fundão do Decap? tá na maciota e vai virar mais um Bailone e ou Hilkias.

    Vou me desfiliar quarta feira, sindicato (SIPESP) nojento, são todos vendidos, não temos representação nenhuma, quiçá alguns esforços da Feipol -SE ou do Sipol, fora isso, são um bando de malandros.

    Desfiliem. Não sustentem estes vagabundos!

  8. meu amigo..eu já saí faz teeeeeempo da aipesp e sipesp. entrei no sipol prudente e estou muito satisfeito. lá, até a tabela do bonus foi publicada, enquanto no sipesp e aipesp nada foi publicado.

  9. Publicar tabela!? Basta apenas verificar no DO; agora qual das entidades representativas está cutucando este bando de bastardo fdp que não estão nem aí conosco!? Estão todos quietos, letárgicos e pode-se dizer que até submissos; dependendo sempre de Associação ou Sindicado de Delegados para poder iniciar alguma coisa.
    Agora; se existe qualquer manifesto por parte dos Srs. Delegados de Polícia aí todo mundo vira fodão e faz e acontece.
    Estamos aqui matando um leão por dia, e sem nenhuma representação, atenção ou se quer um vislumbre de atenção de qualquer um que seja.

  10. Pela 1 vez em anos nao se fala de reajuste, aumento, greve, auxilio, melhora….

    Nem pacote de boas novas.

    Pela 1 vez em anos.

    Pq isso?

    O que acontece ?

    Pq o silencio principalmente do DGP?

    Nunca vi um DGP tão ausente quanto a notícias para os policiais honestos que vivem do minguado salario?

  11. Sabe por quê? O atual ssp é querido por delegados e muitos outros policiais de outras carreiras, devido suas aulas e palestras ministradas nos mais variados cursos de direito a mesma simpatia que o Capez desfruta.

  12. quem mandou que as investigações fossem assim feitas, por “cotas” do MPF, foi o Ministro do STF. Para colher o essencial, sem bolhagem. O interesse público se faz presente nessas investigações. Não custa colaborar.

  13. Parabéns aos Doutores Renato Aragão, Garrido, Salvador e respectivas equipes. Aproveitem e ensinem ao “Dr. Spider e Cia” como se faz uma investigação de verdade!!!

  14. A quem interessar possa:

    Planejamento e Gestão
    GABINETE DO SECRETÁRIO
    Resolução Conjunta CC/SG/SF/SPG-5, de 17-4-2015
    Dispõe sobre a fixação das metas dos indicadores criminais estratégicos do Estado e do desdobramento das metas,
    para fins de pagamento da Bonificação por Resultados – BR, instituída pela LC 1.245-2014, para o período do 4º
    trimestre de 2014
    O Secretário-Chefe da Casa Civil e os Secretários de Governo, da Fazenda e de Planejamento e Gestão, considerando o disposto no art. 6º da
    LC 1.245-2014, resolvem:
    Artigo 1º – Para o 4º trimestre de 2014, tendo em vista o pagamento da Bonificação por Resultados – BR, instituída pela Lei Complementar nº
    1.245, de 27 de junho de 2014, as metas globais do Estado de São Paulo referentes aos indicadores criminais estratégicos, definidos pela Resolução
    Conjunta CC/SGP/SF/SPDR-7, de 5-9-2014, ficam fixadas em:
    I – 52.198 ocorrências para o Indicador Roubo e Furto de Veículos;
    II – 1.230 vítimas para o Indicador Vítimas de Letalidade Violenta.
    Artigo 2º – Os critérios adotados para a fixação da meta global do Estado, bem como para seu desdobramento, estão disponíveis na Nota
    Técnica 01/2014 constante no Anexo I que faz parte integrante desta resolução conjunta.
    Artigo 3º – O desdobramento das metas de que trata o parágrafo único do artigo 4º da Resolução Conjunta CC/SGP/SF/SPDR-7, de 5-9-2014,
    está disponível no Anexo II que faz parte integrante desta resolução conjunta.
    Artigo 4º – Esta resolução conjunta entra em vigor na data de sua publicação, retroagindo seus efeitos a 1º de outubro de 2014.
    ANEXO I
    a que se refere o artigo 2º da
    Resolução Conjunta CC/SG/SF/SPG-5, de 17-4-2015
    Nota Técnica 01/2014 – FIXAÇAO DE METAS PARA OS INDICADORES DA BONIFICAÇÃO POR RESULTADOS – BR DA SECRETARIA DA SEGURANÇA
    PÚBLICA
    Período 4º Trimestre de 2014

    pág. 56 – Executivo I de 18/04/2015, continua até pág. 80

    http://diariooficial.imprensaoficial.com.br/nav_v4/index.asp?c=4&e=20150418&p=1

  15. SÓ NOS RESTA UMA AJUDA DO DR OLIM . NOS AJUDA AI DR.

    AGORA QUE TEMOS O DR OLIM COMO UM NOVO POLÍTICO ..
    BEM QUE ELE PODERIA NOS DAR UMA FORÇA NESTE QUESITO AI.
    POIS NÃO É JUSTO A LP NOS CASTIGAR PERANTE O BÔNUS………………………….

    DR OLIM . FAZ UMA PROS POLICIAIS CIVIS E MILITARES,. ACABE COM ESTA PUNIÇÃO AOS POLICIAIS..

    FAÇA UMA EMENDA DE URGENCIA URGENTÍSSIMA…

    DR. FAÇA UMA EMENDA COMPLEMENTAR NESTA LEI ESTADUAL Nº 1245/ 2014 .

    -ALTERANDO 0 §2 DO ART 9º DA LEI 1245/2014. INCLUINDO OS POLICIAIS QUE ESTÃO GOZANDO.
    AS MERECIDAS LICENÇAS PRÊMIOS. PARA TER DIREITO AO RECEBIMENTO DO BÔNUS TRIMESTRAL.

    DR: ESTAMOS AGUARDANDO UMA FORÇA DO SENHOR. SÓ O SR PRA NOS AJUDAR.
    ESTAMOS NAS SUAS MÃOS. MOSTRE QUE O SR É UM REPRESENTANTE FORTE DA POLICIA. DE SP…

  16. FALEI E TA FALADO , QUEM GOSTOU GOSTOU, QUEM NÃO GOSTOU QUE SE FODA JUNTO COM O PSDBOSTA ! disse:

    PRA DIZER A VERDADE, ENFIEM ESSA PORRA DE BÔNUS NO CU, PORQUE EU QUERO É MEU SALÁRIO, BÔNUS NÃO É SALÁRIO, PORTANTO SRº GOVERNADOR E SEUS SÚDITOS, EU NÃO QUERO ESSA PORCARIA DE BÔNUS, PODEM ENFIAR NO RABO ESSA BOSTA ! EU TRABALHO E TENHO DIREITO EM SALÁRIO E NÃO Á GORJETAS !

    O REAJUSTE SALARIAL ANUAL É DIREITO NOSSO E EU NÃO ABRO MÃO, FALANDO NISSO A DATA BASE DA POLÍCIA É 30 DE MARÇO E ATÉ AGORA O GOVERNADOR E SEUS PUXA SACOS NÃO SE MANIFESTARAM, JÁ ESTA ATRASADO . QUANTO A MERDA DE BÔNUS PODEM ENFIAR NO RABO E VOCÊS ! HAAAA NO HORÁRIO DE TRABALHO EU SÓ FAÇO AQUILO QUE FOR ESTRITAMENTE NECESSÁRIO E COM MUITA CALMA , DO RESTO QUERO SE FODAM OS PREOCUPADOS !

  17. puro engano, se alguém que tenha o mínimo de conhecimento de como funciona a política aqui no brasil.
    pensar que o que esta acontecendo com a lava jato. cpi petrobras … dará em alguma coisa…
    isso não dará em nada…. pois os acusados são todos pertencentes ao governo federal, como titular do partido que esta mandando, ou esta aliado aos políticos poderosos atuais. que tem como vice presidente da república o principal
    representante do partido…….

    isso vai dar na maior PIZZA do mundo…..
    nós brasileiros poderemos revindicar, a inclusão no livro dos records GUINNES BOOK……

    PELO MENOS SEREMOS CONHECIDOS MUNDIALMENTE POR ALGUMA PROEZA….

  18. em relação ao post..

    o negócio é o seguinte., a pc só vai enxugar gelo..
    pois daqui a 02 anos no máximo todos estes indiciados, com certeza , comandará das ruas o comércio das drogas.
    digo das RUAS porque , agora eles irão comandar de dentro das cadeias….

  19. a única diferença para estes presos nestas operações, é que hoje eles estão comercializando das ruas…
    e agora terão que comerciar da cadeia…………….

Os comentários estão desativados.