Detecta emperrado, coronel bem empregado 32

Promessa eleitoral contra crime em SP emperra, e Alckmin recorre à PM

CATIA SEABRA
REYNALDO TUROLLO JR.
ROGÉRIO PAGNAN
DE SÃO PAULO

Bandeira de campanha de Geraldo Alckmin (PSDB), reeleito no ano passado, a tecnologia importada de Nova York e anunciada como principal aposta da polícia paulista para melhorar a segurança pública em São Paulo atrasou e continua sem funcionar com as funções prometidas.

Na eleição, em meio à escalada de roubos, a promessa do governo era que, no final de 2014, esse sistema, batizado de Detecta, estaria em funcionamento pleno, com a integração de bancos de dados da polícia e câmeras de ruas e estradas para identificar atitudes suspeitas em tempo real.

Seria capaz, por exemplo, de alertar a PM automaticamente quando um homem de capacete entrasse numa loja.

Na prática, porém, a gestão Alckmin diz que a tecnologia continua “em testes” –mesma informação dada em setembro, ao ser questionada sobre a inoperância do sistema exaltado na campanha como aquilo que “existe de mais avançado em segurança”.

Editoria de Arte/Folhapress

RADAR

O Detecta, da Microsoft, custou R$ 9,7 milhões aos cofres do Estado. Agora, porém, as primeiras operações oficialmente creditadas ao sistema virão de outro programa, que já existe há um ano. Trata-se do Projeto Radar, desenvolvido pelo Centro de Processamento de Dados da PM quase sem custos ao Estado.

O Radar pode identificar, por meio de câmeras, placas de carros com queixa de roubo ou furto –função prevista também para o Detecta.

Mas é mais simples que o sistema de Nova York –que promete identificar atitudes suspeitas no Brasil, apesar de elas diferirem das americanas.

O Radar está funcionando em cidades da Grande SP e do interior e em rodovias estaduais, em parceria com prefeituras e concessionárias.

Em até três segundos, diz a PM, envia automaticamente um alerta para os carros da polícia mais próximos.

Questionada sobre a situação do Detecta, a gestão Alckmin não deu entrevista e passou dados relativos ao Radar.

PMs registraram essa tecnologia no Instituto Nacional de Propriedade Industrial em nome da corporação. Segundo a Folha apurou, a intenção é evitar que ela seja apropriada para execução do Detecta.

O tipo de registro impede que a tecnologia seja compartilhada com empresas privadas, como a Microsoft.

Em dezembro, a Secretaria da Segurança e a CET elaboraram a minuta de uma parceria para permitir a implantação do Radar nas ruas da capital, usando as câmeras da empresa municipal.

Após três meses na secretaria, a minuta voltou para a CET, segundo a assessoria da companhia, para a inclusão do nome do novo titular da Segurança, Alexandre de Moraes. O Radar ainda não foi implantado na capital.

Editoria de Arte/Folhapress

OUTRO LADO

A Secretaria da Segurança Pública do governo Geraldo Alckmin (PSDB) afirmou, por meio de nota, que o Detecta está “em testes” e que sua implantação ocorre em ritmo acelerado “dentro do cronograma estabelecido a partir da necessidade de várias adaptações para as funcionalidades exigidas”.

Ainda de acordo com a secretaria, o sistema já foi totalmente traduzido para o português e adaptado para as informações utilizadas pelas polícias de São Paulo.

“Atualmente, estamos em fase de implantação do uso operacional do sistema [Detecta], com a implantação do sistema Radar de leitores de placas e integração de câmeras da capital”, afirmou.

Na quarta-feira (6), a Folha solicitou mais informações sobre a incorporação do Projeto Radar ao Detecta. Até a noite desta quinta-feira (7), a Secretaria da Segurança Pública não havia respondido.

Contratada para a instalação do Detecta em São Paulo, a multinacional Microsoft afirmou, em nota, “que cumpriu integralmente o que estava estabelecido no escopo do contrato”. A empresa não detalhou, no entanto, em que pé está o sistema.

Embora apresentando dados relativos ao Radar, a Secretaria da Segurança Pública afirmou que existem “372 leitores de placas integrados ao Detecta”, em municípios como Guarulhos e Santos, além de rodovias de SP.

Conforme apresentado pelo governo no ano passado, o Detecta não se restringiria a leituras de placas –como faz o Radar. Uma das principais funções previstas seria identificar, por meio de câmeras, comportamentos suspeitos e emitir alarmes automáticos a policiais militares nas ruas.

Outra função seria dar ao PM, durante o atendimento de uma ocorrência, dados sobre o histórico criminal da área.

Coronel da PM ajudou multinacional a vender Detecta para governo Alckmin

REYNALDO TUROLLO JR.
CATIA SEABRA
ROGÉRIO PAGNAN
DE SÃO PAULO

04/10/2014

Um coronel da ativa da Polícia Militar trabalhou para ajudar a Microsoft a vender ao governo de São Paulo o sistema de combate ao crime que se transformou numa das vitrines da campanha do governador Geraldo Alckmin (PSDB) à reeleição neste ano.

Com o negócio fechado, Alfredo Deak Jr. se aposentou e assumiu o posto de chefe da divisão de segurança pública da Microsoft para as Américas. O software do Detecta, como o sistema foi batizado pelo governo paulista, custou R$ 9,7 milhões ao Estado.

Em maio de 2013, quando ainda estava na ativa, Deak recepcionou, em nome da Microsoft, uma comitiva do governo que viajou a Nova York em busca de opções de sistemas de inteligência para a polícia de São Paulo. Deak só entrou oficialmente para a reserva em julho do ano passado.

Composta por integrantes das polícias e pelo secretário de Planejamento, Julio Semeghini, a delegação esteve ainda em Londres e Amsterdã.

Segundo a assessoria da Microsoft, Deak cumpriu a tarefa de mostrar ao governo para o qual trabalhava que o Detecta era o sistema ideal para a segurança do Estado.

O coronel comandou o Departamento de Telemática da PM de 2009 a 2012. Nesse período, anunciou a criação de programas que prometiam funções semelhantes às hoje propostas pelo Detecta, mas que jamais chegaram às ruas.

Um desses programas prometia entregar aos policiais nas ruas o histórico dos crimes de qualquer lugar, além de fotos de suspeitos que atuam na região, à medida que o carro passasse por ela.

Em outro, alertas avisariam automaticamente a polícia sobre brigas de torcidas e outros eventos violentos.

Deak também foi responsável, em 2012, pela compra dos 11,5 mil tablets instalados nos carros da Polícia Militar. Segundo relatório de policiais enviado na época à Assembleia Legislativa, os tablets nunca funcionaram bem.

Em 2012, o então secretário da Segurança, Antonio Ferreira Pinto, suspendeu compras feitas na gestão Deak –no valor de R$ 300 milhões–, afastou-o do comando da área de tecnologia e transferiu-o para uma unidade na zona leste de São Paulo.

Na ocasião, Ferreira Pinto justificou à Folha ter tomado a decisão após suspeitas de irregularidade nas licitações.

Uma delas –a compra de R$ 196 milhões em software da Microsoft– é alvo de análise no Tribunal de Contas do Estado por suspeita de direcionamento para uma revendedora da Microsoft. O TCE questiona ainda a dependência de um único fabricante.

O Detecta foi comprado pela Prodesp, empresa estatal de processamento de dados. A aquisição foi coordenada por Semeghini. Para usá-lo por 12 meses, a Secretaria da Segurança vai pagar R$ 8,6 milhões à Prodesp. O contrato poderá ser renovado depois disso.

Rodrigo Capote – 15.jul.11/Folhapress
SO PAULO, SP, BRASIL, 15-07-2011, 19h: Desde setembro do ano passado, a PM do Estado de So Paulo testa o uso de tablets em suas viaturas para a transmisso de dados em tempo real entre os carros e as centrais de operao. Coronel Alfredo Deak Jr., diretor de tecnologia da PM, posa com tablet no COPOM no quartel da Policia Militar no centro da cidade. (Foto: Rodrigo Capote/Folhapress, TEC) ***EXCLUSIVO FOLHA***
Alfredo Deak Jr., que se aposentou da PM e assumiu o posto de chefe da divisão de segurança pública da Microsoft para as Américas

OUTRO LADO

O secretário da Segurança, Fernando Grella, disse por meio de sua assessoria que não vê conflito de interesse no fato de o coronel Alfredo Deak Jr. ter trabalhado para a Microsoft quando ainda estava na ativa, porque ele estava de licença da corporação.

Hoje na reserva e diretor da Microsoft, o coronel Deak disse que “não há irregularidade”. “Estava na ativa, mas afastado. Não sei se de licença. Pergunte à PM”, disse.

Sobre suspeitas de irregularidades em licitações na época em que chefiou o setor de tecnologia da PM, Deak afirmou desconhecê-las.

A assessoria da Microsoft informou que o projeto do Detecta, no Brasil, é implantado pela equipe comandada por Deak, “profissional que conhece a realidade local e tem grande experiência em Tecnologia da Informação aplicada para segurança”.

Responsável pela compra do Detecta, o secretário de Planejamento, Julio Semeghini, disse que a participação de Deak na escolha do software foi “zero”. “Nunca na minha vida eu tomei um café com o Deak fora daqui, nunca conversei com ele, nunca o vi fora daqui”, disse.

Transcrito da Folha de São Paulo ; nos termos do artigo 46 da Lei nº 9.610, de 19 de Fevereiro de 1998.‏

  1. A PM não oferece nem o minímo necessário para realizar o patrulhamento preventivo , e vem falar em tecnologia .Quando trabalhei na PM existia uma ordem para ir até o local onde estavam instaladas cameras interligas ao COPOM para verificar se as mesmas ainda estavam lá.Pois varias delas foram furtadas na area. KKKKKKKKKKK

  2. puta merda, que coisa não!!!!!!!!!!, que assunto hem guerra, num tem algum assunto melhor para colocar não meu caro, pela importância do assunto, se vê o tanto de comentário dos flitantes.

  3. Por muito menos, caiu o SECRETÁRIO DE SEGURANÇA PÚBLICA do Paraná !!!

    Surrupiaram R$ 9,7 MILHÕES com essa engenhoca inútil e ainda não conseguiram colocar em operação.

    Caso similar aos tablets para as viaturas, decantados em prosa e verso como a solução para baixar a criminalidade no estado e até hoje…NADA !

    A população paulista continua choramingando nos balcões das Delegacias, porque continua sendo roubada nas ruas, mas na hora de exercer de fato a sua cidadania, vota nesses crápulas, incompetentes, tiranos e corruptos.

    De fracasso em fracasso, novos secretários de insegurança pública e velhos desgovernadores, vão vendo suas contas bancárias aqui e lá na Suiça, aumentando gigantescamente, enquanto aqueles que deveriam ter condições reais de combater a criminalidade nas ruas, mal sabem se poderão pagar pelo atestado de óbito daqui há alguns anos, porque estão com salários de fome e sem perspectivas de pensão digna na merecida aposentadoria.

    DETECTOU GOVERNADOR ?

  4. Com esse bônus de R$2464,00 vou conseguir ficar dois meses com o nome limpo, depois volta tudo na mesma.

  5. Detecta QSJ na conta de alguém. Ás vezes esqueço que o governo de São Paulo é honesto de mais.

  6. Não acho uma engenhoca inútil, é um sistema super eficiência quando usado em um sistema policial eficiente também. Não adianta culpar o Detecta ou o Radar ( este último desenvolvido pela PMESP) pois os programas são ótimos, o problema é a estrutura policial do Brasil que não se adapta com esses equipamentos. Mês passado eu tirei escala de DEJEM na Base da Polícia Rodoviária na rodovia dos Tamoios em Jambeiro/SP, e 01 (um) KM antes da base tem o sistema Radar, quando um veículo roubado, furtado ou com problemas no documento passa, o sistema acusa no computador da base, aí o policial vai para a pista abordar o carro, muito bom, só que esqueceram que na base fica um soldado apenas com uma .40, e segundo ele, de madrugada eles não abordam o carro devido a falta de estrutura e segurança, até mesmo de dia é um risco muito alto. Ou seja, tecnologia sem estrutura não resolve.

  7. Eu já sabia.

    Agora ganha um doce quem descobrir quem era o comandante geral da PM na época em que esta bosta foi comprada

    Alguém se arisca?

    Ele mesmo coronel Benedito Roberto Meira, aquele hosnetão,que quando saiu do comando da PM, daquela boca rica,falou mal da Polícia Civil,.
    Ele questionou o valor do aluguel do prédio da corregedoria, e falo mais uma montão da Polícia Civil.
    Foi na gestão dele que foi comprado esta maravilha.
    Ganha um doce,mais doce ainda,quem conseguir falar com ele pedir que ele explique esta mágica, besta, um programa comprado a peso de ouro, que rendeu uma outra boca rica para um colega seu, que não funciona.
    Vou dar uma de adivinho quem conseguir questiona-lo ele vai mandar procurar o atual comando, da honestíssima PM, para dar explicação,.
    Porque ele não está mais na corporação e blá, blá, blá,………………que a sua gestão foram adotados os melhores e mais avançados estudos que indicou que o programa, que não funcionou até hoje, era o melhor que o dinheiro podia comprar e era a melhor opção para São Paulo, mesmo que haja uma diferença abissal entre a polícia de Nova York, que por sinal é civil é composta somente por civis e é municipal, com a polícia militar estadual e tome blá, blá, blá………….
    E a PM,por sua vez, vai responder que o programa está em implementação que blá, blá, blá,…….que o software está sendo atualizado e que blá, blá, blá……..mesmo que isto leve mais de 10 anos para sua completa implementação.
    E até lá esta m…….já estará mais do que desatualizado a o polícia de Nova York já estará utilizando uma outra maravilha que vai aguçar a inveja dos militares paulista.
    Tudo isto com a chancela do TCE analisou a compra e referendou que todos os carimbos foram carimbados de modo correto e com a cor certa da tinta da carimbera e que a diagramação do texto está nos conformes da lei que regulamenta a diagramação dos textos e dos processos ali analisados e blá, blá, blá………,
    Já o operoso Ministério Público Militar não viu e não vê ou tomou qualquer conhecimento de qualquer ilegalidade ou prática de crime militar, que não abriu nenhuma processo ou pediu para a não mesmo operosa corregedoria da PM investigar os coronéis porque blá, blá, blá……………………,e que assaltar os cofres públicos não constitui crime militar e blá, blá, blá………

    Tudo isto só para confirmar QUE EU JÁ SABIA que está m……do detecta não funciona e nunca irá funcionar.

  8. TÁ FALTANDO O TRIBUNAL DE CONTAS ENTRAR EM AÇÃO EM MUITA LICITAÇÃO AQUI EM SÃO PAULO COM FEZ NO RIO DE JANEIRO E DEVASSAR AS LICITAÇÕES DAS POLÍCIAS.

  9. ESSE É O PROBLEMA DA SEGURANÇA PÚBLICA, UM CORONEL DA PM, COM CERTEZA COMO POLICIAL UM DESASTRE, ALIÁS PARA QUE SERVE TANTA PATENTE PARA OFICIAIS DA PM, SENÃO PARA VIRAREM ADMINISTRATIVOS? ESSE DE TANTO TEMPO VAGO E SEM FAZER NADA, ARRUMOU UM “JEITINHO BRASILEIRO” DE GANHAR UM DINHEIRO, SE O APARELHO FUNCIONA OU NÃO, TANTO FAZ, O IMPORTANTE É QUE GANHOU UMA BOA GRANA. E PARA VOCÊS QUE FICAM AMANHECENDO EM PLANTÃO, FINS DE SEMANA, DIAS DAS MÃES, NATAL, COM CERTEZA NÃO TEM TEMPO VAGO PARA ESSAS COISAS, ISSO É BRASIL!!!

  10. O projeto atrasa 6 meses e já falam de corrupção, caralho, que indício de corrupção tem nisso?

  11. mas os radares das multas do detran das ciretrans
    funcionam que é uma beleza
    e tome multas e mais multas.
    eta governinho de bosta

  12. Eu recebi R$2.800,00 de bônus quem não recebeu é porque não cumpriu as metas, portanto não trabalhou direito paciência. o governo fez sua parte e está cumprindo a promessa do bônus.

  13. Tá certo o coxinha comandante.
    Afinal de contas, vivemos no País dos espertos.
    O importante é se adiantar !
    O importante é o dinheiro $$$$$$$$$$$$$, muito dinheiro….
    Fodam-se os princípios de decência, hombridade, família, irmandade, …
    Qualquer um dos leitores aqui presentes não deixariam passar uma oportunidade dessas.
    Não sejamos hipócritas.
    Bando de invejosos do cara.. .!
    Políticos pensam assim.
    Presidentes de associações de todos os cargos da P. C. pensam assim. ( não pago ).
    Síndicos de condomínio pensam da mesma forma.
    Chego a conclusão que somente se voltássemos ao regime militar seríamos um povo decente novamente.
    Enquanto isso só temos a lamentar.

  14. Esse ladrões desses Coronéis estão todos com contas na Suíça e eu não posso fazer nada porque tenho o rabo preso com eles.

  15. Bônus maravilhoso, aguarde o próximo bônus e verás. Bônus é pra enganar OTÁRIO, e aqui tá cheio deles.

  16. Tanto lá como aqui tem ladrãããããããããããão especialista em licitação disse:

    Prezado Guerra,

    Contratos na área de inteligência policial firmados pela SSP na última década são bem semelhantes aos firmados nas décadas anteriores para construção de distritos policiais. Por conta disso, temos virtualmente cento e três distritos policiais na capital que na realidade são apenas oitenta e cinco, tudo devidamente pago às empresas construtoras.

    No largo período em que a comissão de licitação do Dipol era presidida pelo vigarista criminal, vários contratos foram firmados para a compra de equipamentos de informática, de aquisição de ferramentas de inteligência policial, informatização de departamentos policiais, como por exemplo da própria Corregedoria da Polícia Civil e da Academia de Polícia, tendo como contratadas, entre outras, a bem conhecidas Black Bee, e nada do que foi contratado e pago foi entregue. Fora as verbas recebidas e desviadas da Senasp a título de investimento na área de tecnologia da informação, como por exemplo na compra fictícia de equipamentos de informática.

    Por conta de toda essa roubalheira, vários são os procedimentos instaurados na área criminal e administrativa e não velo ninguém punido, nem tampouco estornado o dinheiro surrupiado por esses rapinos.

    Não é só no governo federal que tem mutreta em licitações, aqui também tem e ao que me parece o Ministério Público e o Tribunal de Contas do Estado estão fazendo olho de vidro para isso.

  17. Resolução SSP 57/15 – Atendimento e Registro de Ocorrências

    9 de maio de 2015 Publicações Sobre o Sindicato

    Diário Oficial do Estado.

    Sábado, 9 de maio de 2015 Diário Ofi cial Poder Executivo – Seção I São Paulo, 125 (85) – 13

    GABINETE DO SECRETÁRIO

    Resolução SSP-57, de 08-05-2015

    Dispõe sobre o atendimento e o registro de ocorrências e dá outras providências

    O Secretário da Segurança Pública,

    Considerando que compete ao Estado aprimorar a qualidade e eficiência dos serviços prestados à coletividade;

    Considerando que a atuação conjunta dos organismos policiais deve nortear a política de segurança pública;

    Considerando que a integração dos esforços dispendidos concorre para a melhoria da eficiência das ações desenvolvidas;

    Considerando que o atendimento e o registro das ocorrências apresentadas nas unidades policiais devem ser céleres, de modo a permitir o imediato retorno dos agentes ao patrulhamento, resolve:

    Artigo 1º – Os policiais militares e civis de serviço terão atendimento preferencial em todas as ocorrências criminais apresentadas à Polícia Civil, devendo ainda ser observado:

    I – No acionamento de policial militar para comparecimento em hospitais, prontos socorros ou congêneres relacionados à entrada de vítimas de crimes diversos e, verificando não haver campo para ações da Polícia Militar ou pessoas a serem presas e não estando o ofendido com alta médica, deverá ser elaborado o BO/PM e informado à Polícia Civil;

    II – Em caso de flagrante delito, deverão ser adotadas posturas para a rápida liberação dos policiais militares, previamente lavrando-se as peças complementares que dependam de suas assinaturas, buscando a pronta liberação da guarnição após as suas oitivas e a entrega do recibo de preso;

    III – Nas ocorrências de constatação de morte natural, ou seja, não havendo indícios da prática de crime, o policial militar deverá realizar o registro do BO/PM, comunicar o distrito policial com circunscrição local e retornar ao policiamento preventivo. Parágrafo único – Nas situações previstas nos incisos I e III deste artigo, o BO/PM será enviado ao órgão da Polícia Civil com atribuição para os atos de polícia judiciária, sem prejuízo da prévia comunicação do fato pelo COPOM para o CEPOL ou centro de comunicação equivalente.

    Artigo 2º – Nas ocorrências criminais de mera transmissão de dados, a Polícia Militar deverá tão somente elaborar BO/ PM, devendo encaminhar cópia ao órgão da Polícia Civil, com atribuição do local dos fatos.

    Parágrafo único – Nessas hipóteses, o policial militar notificará as pessoas envolvidas na ocorrência para que compareçam àquele órgão ou, por questões de segurança, prestará o apoio para que isso ocorra, devendo retornar, em ambos os casos, imediatamente ao policiamento preventivo.

    Artigo 3º – Nas ocorrências em que a prisão em flagrante delito for realizada por qualquer do povo, o policial militar ou civil, quando acionado, prestará o apoio necessário na condução da ocorrência à Polícia Civil, fornecendo os seus dados qualificativos.

    § 1º – O policial militar ou civil que prestar o apoio será, imediatamente, dispensado para o retorno às suas respectivas atribuições não sendo necessária sua oitiva nem assinatura no auto de prisão em flagrante que deverá, somente, conter seus dados qualificativos.

    § 2º – A pessoa que efetivou a prisão figurará como condutor da ocorrência, devendo ser ouvida, assim como as testemunhas presenciais do fato, nos termos da lei.

    § 3º – Caso o delegado de polícia entenda necessária a oitiva dos policiais militares que apresentaram a ocorrência, para a formação de sua convicção, poderá fazê-lo imediatamente ou, ainda, intimá-los para outros esclarecimentos.

    Artigo 4º – O policial militar ou civil que atender ocorrência de localização de veículo produto de ilícito penal, nos termos da Resolução SSP 173/2013, tomará as providências necessárias visando ao comparecimento do proprietário ou responsável no local em que se encontra o veículo, para acompanhar os registros e procedimentos necessários junto à Polícia Civil.

    § 1º – Em havendo o comparecimento do proprietário ou responsável ao local de encontro do veículo, o policial militar ou civil encarregado da ocorrência o acompanhará à Polícia Civil.

    § 2º – O policial militar ou civil, com vistas ao pronto retorno às suas respectivas atribuições, fornecerá ao proprietário ou responsável, em documento próprio, os dados para as providências legalmente cometidas à Polícia Civil, do qual constará a ciência sobre a necessidade de imediato registro da ocorrência.

    Artigo 5º – A elaboração do BO/PM deverá ser feita no local dos fatos, exceto nos casos em que for necessária a apresentação pessoal da ocorrência à Polícia Civil, sem prejuízo da comunicação prévia e do envio, nos termos desta resolução.

    Parágrafo único – A apresentação pessoal da ocorrência deverá ser feita nos crimes cometidos com violência à pessoa ou grave ameaça, salvo nas hipóteses autorizadas pela Secretaria da Segurança Pública para realização de BO eletrônico e nos crimes definidos em Portaria Conjunta pelo Delegado Geral de Polícia e Comandante Geral da Polícia Militar.

    Artigo 6º – Se no atendimento de ocorrência for constatada a necessidade de preservação de local de crime, o policial militar deverá, imediatamente, transmitir os dados da ocorrência ao COPOM que os retransmitirá ao CEPOL ou ao centro de comunicação equivalente da Polícia Civil para a adoção das providências determinadas na Resolução SSP-382, de 1/09/1999.

    Artigo 7º – O Delegado Geral de Polícia e o Comandante Geral da Polícia Militar, em portaria conjunta, adequarão os procedimentos operacionais e administrativos para o cumprimento do estabelecido na presente Resolução.

    Artigo 8º – Esta Resolução entra em vigor na data de sua publicação.

  18. BONUS DE 364,00 REAIS, VOU CONTINUAR DEVENDO, NÃO DA PRÁ PAGAR NEN OS REMEDIOS DE DEPRESSÃO QUE ESSA POLICIA ESTA ME DANDO.

  19. calma pessoal, vamos tomar um sorvete da diletto para esfriar os ânimos! hahahaha

    corrupção em sp? isso no ecxiste! és mentira! Isso é coisa de petralha, de infiltrado, de black block, vou bater umas panelas na minha varanda gourmet para exorcizar esse uruca!!!! Jamais vai existir corrupção no tucanistão!!!! A ALESP está de prova… lá nunca conseguem emplacar uma cpi.. pq? pq não existe motivo para isso aqui!!!! hahaha

  20. DETECTA que não funciona, e alguém aí em cima falou em “ingenuidade do governador”…. Isso é piada, né? Não sei se rio ou se choro!

  21. Aliás por falar em PM, o bônus recebido pela PM deve um desconto bem menor que o bônus recebido pelos PC, na minha região o bônus foi de R$3.375,00 bruto e o líquido R$2.489,00 enquanto na PM um cabo que ganha o mesmo que eu, recebeu R$2.870,00 e outro PM recebeu R$3.100,00 o calculo do I.R esta comendo mais o bônus da PC que o da PM, porque será?

  22. ESSE GOVERNO TEM MUITA SORTE, E ISSO O LEVOU AO PALÁCIO. FORAM VÁRIOS INGREDIENTES Q ALEM DA SORTE Q ESSE MENTIROSO, DESLUMBRADO, INSEGURO, BUNDA MOLE O COLOCOU NESSA CADEIRA. COM REFERENCIA AO DETECTA, É MUITA CARA DE PAU, SENSACIONALISMO BARATO, MENTIRA E INJUSTIFICÁVEL GASTO DE MUITA GRANA DO CONTRIBUINTE, Q IRRESPONSAVELMENTE GASTOU NUM PROJETO FURADO DESSE. ” ISSO É UMA V E R G O N H A “

  23. Policia Militar deveria ter no máximo Patente de Tenente.

    Até Tenente trabalha os demais fazem políticas de arrastão nos cofres públicos, e alguns se elegem através do engodo.

  24. De todos servidores públicos que eu conheço e dependo, os PMs ainda são os “menos piores”, mais produtivos e essenciais no corre corre do cidadão de bem.

  25. Bom Dia!

    Senhoras e Senhores.

    Num País onde:

    Tudo é mormente.

    Queres o quê?

    Caronte.

  26. DETECTA, antigamente, era o “zóio” do polícia. e funcionava…

  27. JACARÉ SEM DENTE:

    JACARÉ desdentado e desavergonhado: você não larga a velha imagem da raposa diante das inacessíveis uvas.

    Ao invés de menoscabar um tema de tão merecido significado criminoso (interpretando-o como ESTELIONATO ELEITORAL), melhor seria que você o associasse a outros, de similar importância, sem fugir do contexto, aliás, outra nefasta prática sua, tentando desviar os flitantes do foco.

    Sem dente, até que mereceria ponderação, todavia, “sem discernimento” ou usando-o de maneira capciosa, realmente, fica-lhe impossível transmitir a vossa “opinião” (imposição).

Os comentários estão desativados.