Modelo‘Ciclo completo’ eliminaria atritos entre corporações e traria eficiência…(Por que não unificar as polícias estaduais?) 119

Modelo‘Ciclo completo’ eliminaria atritos entre corporações e traria eficiência

Aline Louise – Hoje em Dia

Uma polícia que atue em todas as atividades relacionadas a um crime, ou delito, desde o patrulhamento nas ruas, o registro das ocorrências, até a investigação e a comunicação ao Ministério Público e à Justiça. Essa é a lógica da polícia de ciclo completo, modelo que tem sido defendido por especialistas e parlamentares para o Brasil, mas que encontra resistência, sobretudo dentro das próprias instituições policiais.

No Congresso, existem 598 propostas de mudanças, seja na Constituição Federal, seja em legislação ordinária ou especial, visando a viabilização jurídica da polícia de ciclo completo. Na próxima terça-feira, dia 26 de maio, o tema será debatido em audiência pública na Casa.

Dentre os convidados do evento está a professora, pesquisadora do Centro de Estudos de Criminalidade e Segurança Pública (Crisp), da UFMG, Ludmila Ribeiro. Segundo ela, o sistema policial brasileiro é uma exceção, por ter um modelo muito “bipartido”.

Hoje, à polícia militar compete o patrulhamento nas ruas, a prevenção dos delitos e o registro das ocorrência. Já a polícia civil fica responsável pela investigação e toda a comunicação com o Ministério Público e o Poder Judiciário para andamento do inquérito policial.

LÁ FORA
A maioria dos países também possui mais de uma força policial, porém, elas trabalham em ciclo completo. O sistema brasileiro, fragmentado, alimentaria ineficiências e atritos entre as instituições em função de disputa de espaço e poder. De acordo com Ludmila, estudo realizado pelo Crisp no ano passado, com dados de cinco cidades – Belo Horizonte, Porto Alegre, Belém, Recife e Goiânia –, mostra, por exemplo, que a Polícia Civil só toma conhecimento de um crime já registrado pela Polícia Militar, em média, 19 dias após o acontecimento do fato. “Três semanas depois de a PM ter acesso, a Civil sabe o que aconteceu. Com isso, você perde muitas informações, o calor dos fatos, fica mais difícil de o crime ser reconstituído, de os culpados serem indiciados, punidos”, reforça. Com a polícia de ciclo completo, esse é um dos problemas que desapareceriam, garante a especialista.

NOVA DENOMINAÇÃO
O deputado Jorginho Mello (PR/SC) é autor da Proposta de Emenda a Constituição (PEC) 423/14, que foi apensada a PEC 430/2009 – ambas tratam da instituição no Brasil do novo sistema. No texto, o parlamentar sugere, inclusive, a mudança de nome das polícias, para Forças Públicas estaduais e do Distrito Federal e Territórios.
As PECs estão em análise na Comissão de Constituição e Justiça, na Câmara dos Deputado. “O que se quer, sem tirar prestígios nem brilhos de polícia nenhuma, é fazer com que a polícia tenha mais eficácia. Hoje o ciclo é incompleto, o militar prende alguém e não tem ação que satisfaça o cidadão. Tem que prender, levar para Polícia Civil, depois que vai ser apresentado à Justiça”, alega.

Acadêmicos defendem mudanças e autonomia dos estados
Apesar de a adoção de uma polícia de ciclo completo no Brasil ser defendida por grande parte dos acadêmicos e especialistas em segurança pública, a mudança ainda está longe de acontecer. Ludmila Ribeiro, do Crisp, cita como principal entrave a necessidade de se conseguir um consenso para reformulação das “velhas estruturas” policiais. “Há resistência nas instituições – polícias Militar, Civil e até Polícia Federal – a mudanças nos arcabouços institucionais”, salienta.
Para o deputado Jorginho Mello, não há motivo para temer as alterações. “Cada polícia fica com seus planos de carreira, não meche em salário, mas cada uma vai ter suas competências em ciclo completo”, diz, sobre as propostas da PEC. “Não tiramos a competência de ninguém, simplesmente vamos pensar no cidadão”.

ESCOLHA
De acordo com Ludmila, outro ponto ainda a ser pacificado, antes do avanço da proposta, é definir qual o modelo a ser adotado: a atuação das polícias em ciclo completo por território ou por tipo de crime.

Mais independência
O professor da PUC Minas Robson Sávio Reis, filósofo, cientista social e especialista em estudos de criminalidade e segurança pública, explica que, após alteração na Constituição, poderia se definir que cada estado seria responsável por organizar sua atividade policial.
“Aqui em Minas, por exemplo, onde temos 853 municípios, você poderia ter 30, 40, 50 polícias se dividíssemos o estado em territórios, que englobariam um conjunto de cidades”, afirma Reis.

A outra possibilidade, a divisão das polícias por tipos de crimes, é apontada como a mais viável para o Brasil, na avaliação do coronel reformado da PM de São Paulo e diretor de assuntos parlamentares da Federação dos Oficiais, Elias Miler da Silva. Ele explica que esse é o modelo americano. Neste caso, diz, a PM ficaria a cargo dos crimes de menor potencial ofensivo, e a Civil dos mais graves.“Qual a teoria da polícia de Nova York? Se você atuar imediatamente nos crimes de menor potencial ofensivo, você acaba prevenindo os grandes delitos”.

Na teoria, mais agilidade nas instituições de segurança
Para o coronel Elias Miller da Silva, a divisão das polícias por tipo de crime faria com que a PM pudesse dar uma resposta mais rápida à população, evitando que uma equipe fique “presa” numa delegacia aguardando o registro do boletim de ocorrência. A própria PM poderia dar prosseguimento ao processo burocrático, encaminhando o caso à Justiça.

Já para a Polícia Civil, explica Elias da Silva, a atuação apenas em crimes mais graves, como homicídio, também resultaria em agilidade, redução da sobrecarga e maior grau de resolução dos delitos.

Para o professor Robson Sávio, o sistema também poderia reduzir os conflitos entre as duas corporações. “No modelo brasileiro, as duas polícias deveriam trabalhar de forma articulada, mas as iniciativas de integração fracassaram. O campo da segurança pública é de muita disputa por poder”, ressalta.

O delegado-geral da Polícia Civil de Minas, Antônio Alvarenga de Freiras, é contra a adoção de uma polícia de ciclo completo. Para ele é preciso mais investimento e autonomia para as polícias. O secretário de Estado de Defesa Social, Bernardo Santana, também acredita que o modelo é inviável, por ser inconstitucional.

  1. Polícia Civil regulamenta benefício para compensar horas extras (Mato Grosso)

    23 de maio de 2015 Publicações Sobre o Sindicato

    As horas extras trabalhadas por policiais civis serão compensadas com a regulamentação do Banco de Horas, no âmbito da Polícia Judiciária Civil de Mato Grosso. A Resolução 19/2015, que normatiza o regime de sobreaviso, foi publicada no Diário Oficial, que circulou na última sexta-feira (07.05).
    O projeto para elaboração da Resolução do Banco de Horas foi discutido em audiências públicas, realizada pela Diretoria Geral, com representantes das categorias de delegados, escrivães e investigadores de polícia, em amplo debate sobre adequar a jornada de trabalho às necessidades de produção e demandas dos serviços.
    O delegado geral da Polícia Civil, Adriano Peralta Moraes, informou que a resolução entra em vigor no dia 1º de junho de 2015 e é considerada uma iniciativa inédita de valorização do servidor policial. “Essa era uma luta de mais de 20 anos, que sempre tratou de forma igual os que trabalham de forma desigual. Com essa resolução muitos poderão adiantar o tempo de aposentadoria com o gozo dos créditos”, destacou Peralta.

    O banco de horas é uma forma de compensação em que as horas excedentes trabalhadas em um dia são compensadas com a correspondente diminuição da jornada em outro dia. A ideia do sistema consiste na inovação de compensação de horas extras, mais flexível, possibilitando adequar a jornada de trabalho dos servidores às necessidades de produção serviços e regulamentar o regime de sobreaviso existente.

    O banco de horas, no âmbito da Polícia Civil, tem natureza compensatória e é destinado ao policial civil, como forma de possibilitar à compensação das horas extras trabalhadas, no exercício da função atinente a apuração de infrações penais, e nas atividades operacionais transitórias.
    Conforme regulamentação, a compensação das horas excedentes trabalhadas consistirá na compensação à diminuição da jornada em outro dia, que deverá ser acordado entre o servidor e o chefe imediato, prevalecendo o interesse público. As horas trabalhadas além da jornada poderão ser compensadas com entrada mais tarde ao serviço ou saída mais cedo, assim como folgas a mais na semana ou acréscimo de dias de férias; sempre de acordo com o interesse público e mediante prévia autorização da chefia imediata.
    O sistema de banco de horas deverá ser compatível com a escala de serviço normal e descanso obrigatório. Destacando que a jornada de banco de horas não exime o policial civil das obrigações contidas no artigo 120, parágrafo único, da Lei Complementar 407, de 30 de Junho de 2010.
    As horas excedidas de trabalho serão processadas e controladas pela Diretoria de Execução Estratégica, com registro na Coordenadoria de Gestão de Pessoas e inseridas no sistema GEIA (banco de horas planilha, Excel, cálculo, formulário, regras). As informações deverão ser repassadas pela chefia imediata mensalmente à Diretoria respectiva em que o servidor estiver subordinado devendo conter a quantidade de horas extras efetivamente trabalhadas e a quantidade de horas extras em sobreaviso a serem gravadas no banco de horas, detalhando as mesmas e expondo a necessidade que gerou o acrescido de horas laboradas e em sobreaviso.
    Em seguida, o Diretor procederá com a analise e depois de aprovado remeterá à Diretoria de Execução Estratégica a planilha mensal com os nomes dos servidores e respectivas horas a serem gravadas no sistema GEIA.
    O parágrafo único da Resolução explica que o envio de horas a serem gravadas no sistema GEIA constitui processo excepcional, e só será procedido quando a unidade não dispuser de meios para efetuar a compensação de jornada no respectivo mês.
    São impedidos de realizar atividades do banco de horas, todos os diretores e diretores adjuntos; policial civil que ocupe cargo comissionado e receba DGA´s 2, 3, 4 e 5; o policial civil afastado preventivamente ou cumprindo punição disciplinar no período da prestação do serviço; o policial civil que esteja exercendo suas funções em outros órgãos, poderes ou entidades; o policial civil que estiver em curso de formação, capacitação ou aperfeiçoamento interno ou externo da instituição, durante todo o período de realização do respectivo curso.
    Para efeitos de sobreaviso para cada três horas em regime de sobreaviso, equivalerá a uma hora de trabalho efetivamente prestada e que poderá ser inserida no banco de horas.
    Considera hora efetivamente trabalhada, aquela em que o policial civil estiver à disposição do Poder Judiciário em audiência para a qual tenha sido convocado e que tenha pertinência com a atividade policial, sendo a audiência devidamente comprovada mediante a apresentação de certidão judicial.
    A Resolução 019/2015, também da outras providências e entrará em vigor no dia 1º de junho de 2015.
    Polícia Civil MT

  2. Boa tarde!

    Senhoras e Senhores.

    Enquanto certas pessoas não enxergarem o que acontece com a Polícia no Brasil. As coisas não mudarão.

    Enquanto a Polícia não tiver independência e ficar livre de dedos de políticos, as coisas não mudarão.

    Caronte.

  3. Cade disse:
    25/05/2015 ÀS 9:13
    CADE A VALORIZACAO DO NU ?

    QUEM TEM FE PUBLICA E O ” ESCRIVAO DE POLICIA”!!!!!!

    ————————————–

    FALTA VALORIZAÇÃO

  4. Quer ver é o ciclo completo do salário dos policiais isso sim! Não adiante unificar as polícias e continuar cada estado da federação pagando salários diferentes aos policiais.
    Onde se ganha bem, se trabalha bem e com certeza haverá sintonia e harmonia entre os policiais! (Veja o exemplo da Polícia Federal).
    Agora, se continuar essa diferenciação, o que vai continuar ocorrendo é que os bons policiais que estiverem em um estado que paga mal (como São Paulo), irão sair e prestar concurso em outros estados (como Mato Grosso, Distrito Federal, Paraná, Piauí etc)!

  5. caronte (25/05/2015 às 16:33)

    Concordo. Ter autonomia é fundamental. O melhor exemplo é a dificuldade que a PF está tendo para investigar membros do governo, do PT e dos partidos aliados.

    E, trocando de assunto, não consigo entender cel Elias defender a Polícia mais dividida ainda, tornando a PM em Polícia Judiciária, e o delegado DGP/MG Antônio Alvarenga de Freiras ser contra uma Polícia unificada de ciclo completo.

    A unificação (com a desmilitarização) é uma necessidade para a segurança da sociedade. Economia de recursos humanos e materiais para ter mais combate ao crime, mais eficiência, mais rapidez, mais poder de resposta.

  6. Se um dia isso ocorrer, aí sim estaremos ferrados, ganharemos igual a soldado o resto da vida. Matéria onde o repórter escreve “meche” não merece credibilidade alguma.

  7. Atrito só se for na base, porque no topo, tá tudo muito bem obrigado, principalmente na que$tão mais importante.

  8. A policia civil não ganha nada com isso. Ja tem o ciclo completo…Mais uma vez quem ganha é a PM, civil só toma.

  9. Será a melhor coisa que farão em termo de segurança pública, não tem cabimento ter duas meia polícia, será um grande avanço.

  10. CALMA QUE VEM MAIS BOOOOOONUS

    http://www.ssp.sp.gov.br/noticia/lenoticia.aspx?id=35644
    Segunda-feira, 25/05/15 – 18:21
    Estado de SP tem queda em todos os índices criminais em abril e no quadrimestre e recorde de prisões

    Atualizado às 18h21

    Com queda de homicídios, a taxa por 100 mil habitantes é a mais baixa da história: 9,65. Número de prisões aumentou e crimes patrimoniais recuaram, assim como os latrocínios

  11. A principal pergunta que devemos fazer quando falamos em Segurança Púbica é:

    Quem perderia com o aumento na eficiência do trabalho policial “Ostensivo e Repressivo”?

    Resposta:

    1-O crime organizado em todas as suas modalidades,
    Exemplo:
    Contrabando, sonegação fiscal, sonegação de direitos trabalhistas, lenocínio, jogo de azar pedofilia, Fraudes em licitações, receptação, tráfico de drogas, etc….

    2-Empresas que tem seus lucros aumentado com esta “Sensação de Insegurança”, pois se o Estado passar a fornecer Segurança de qualidade as pessoas não buscariam cada vez mais as Empresas de Segurança e as Seguradoras.

    3-Aqueles que recebem polpudas aposentadorias e ou tem vencimentos muito acima dos policiais linha de frente e utilizam-se de seus títulos para manter esta situação onde o policial que corre risco de vida ganha muito menos daquele que é na pratica não passam de burocratas.

    Exemplo:

    A-Oficiais Militares reformados que, segundo o Portão transparência SP, recebem salários astronômicos em comparação aos policiais que trabalham na rua.

    B-Delegados e Oficiais que prestam assessoria para empresas de Segurança e Seguradoras.

    4-O Governo que teria um aumento dos gastos com a população carcerária.

    Quando o Jânio Quadros falou sobre as “forças ocultas” foi dito como louco (ele era mesmo) só que elas existem. E a grande verdade é se por um lado os policiais, principalmente civis, tem que enfrentar a questão da corrupção a população deve entender que um Governante que não investe na Polícia Investigativa, deve, no mínimo, explicações.

    A corrupção é um câncer que está ameaçando este País.

  12. A argumentação referente ao ciclo completo , através do raciocínio de que é necessário diminuir o atrito entre as policias ao mesmo tempo em que se poderia oferecer uma resposta mais rápida contra o crime, leva a apenas uma conclusão : polícia única .

    Argumentar que é necessário ciclo completo para duas policias é conversa mole de quem sabe que a solução da segurança passa por uma polícia unificada, mas tenta garantir seu quinhão de poder.

    Com relação as pms trata-se unicamente da aspiração dos oficiais em serem reconhecidos como autoridade, mas não mais autoridade policial militar, e sim autoridade policial militar oficiando em procedimento criminal de natureza civil !!!

    E dai pra diante vem a reivindicação de carreira jurídica, isonomia salarial , etc etc etc

  13. o ciclo completo acabara com a pm igual na decada de 1960 que sao paulo era dividida por um paralelo entre forca publica e guarda civil

  14. o ciclo completo acabara com a pm igual na decada de 1960 que sao paulo era dividida por um paralelo entre forca publica e guarda civil

  15. O estado do Mato Grosso descobriu a Galinha dos Ovos de Ouro!!!!!!
    Os Policiais Civis de SP estão há muito cansados de fazer SOBREAVISO e PERMANÊNCIA sem qualquer remuneração!!!

    Vamos lá Sindicatos/Associações passa da hora de também brigarmos por este Direito!!!!

  16. NINGUÉM QUER RESOLVER ISSO, SE QUISESSEM AO INVÉS DE FICAR PEGANDO OPINIÕES DE QUEM NÃO SABE ESCREVER A LETRA ** O ** COM O TOBA, PEGA OPINIÕES DE QUEM REALMENTE TRABALHA COM CRIMINALIDADE, O QUE UM ZÉ MANE DE UM PROFESSOR DE FACULDADE OU UNIVERSIDADE SABE NA PRÁTICA O QUE É CRIMINALIDADE, O QUE É TRABALHAR COM A CRIMINALIDADE, SE QUER ELES NUNCA COLOCARAM O SEU BUM BUM NO BANCO DE UMA VIATURA POLICIAL, SE QUER ESSE ZÉ MANE JÁ PRESENCIOU UMA TROCA DE TIROS ENTRE POLICIAIS E BANDIDOS, SE QUER JÁ ENTROU NAS VIELAS DE UMA FAVELA, E ISSO SERVE TAMBÉM PARA OS OFICIAIS DA PM QUE A GRANDE MAIORIA NUNCA PRATICARAM POLICIAMENTO PREVENTIVO, ABORDANDO, ATENDENDO OCORRÊNCIAS, APRESENTANDO NUMA DELEGACIA, A GRANDE MAIORIA DOS OFICIAIS NEM REDIGIR UM BO PM ELES SE QUER DÃO CONTA.

    SENHORES QUE REALMENTE QUEREM UMA SOLUÇÃO PARA DIMINUÍREM A CRIMINALIDADES, COMEÇAM POR OUVIREM OS QUE TRABALHAM COM A CRIMINALIDADE DE FATO, E NÃO DE FICTÍCIOS ( PROFESSORES DE FACULDADE, OFICIAIS DA PM), COMECEM A OUVIREM OS POLICIAIS QUE TRABALHAM REALMENTE NO POLICIAMENTO DE RUA, POIS SÃO ESSES QUE SABEM COMO, ONDE, E DE QUE FORMA DEVE FAZER TAL POLICIAMENTO PARA QUE REALMENTE DÊ CERTO, AGORA SENHORES, OS QUE REALMENTE CONHECE AS FALHAS NUNCA FORAM CONSULTADOS A RESPEITO, OS BÁM BÁM BÁM ( PROFESSORES E OFICIAIS) SIMPLESMENTE USAM AS SUAS ACHOLOGIAS SEM LÓGICA, USANDO AS ESTATÍSTICAS NA SUA GRANDE MAIORIA MAQUIADA PARA SE JUSTIFICAREM, E NUNCA DÃO OS BRAÇOS A TORCEREM, ENTÃO SENHORES SE DESSEM CERTO VCS RECEBERIAM AS PALMAS, COMO DA FORMA QUE VCS USAM JAMAIS DEU CERTO, E JAMAIS DARÁS, SEGURAM O BO QUE A CRIANÇA É DE VCS.

    OBS: COMO PODE UM ZÉ MANE (PROFESSOR DE FACULDADE) QUERER ENTENDER E PIOR, INTROMETEREM EM ASSUNTOS DE SEGURANÇAS, UMA VEZ QUE A ÚNICA COISA QUE ELES CONHECEM SÃO AS ESTATÍSTICAS MAQUIADAS DOS NOSSOS INCOMPETENTES COMANDANTES, TANTO DA PM, QUANTO DA PC.

  17. Ciclo completo: nada faço -nada vi -nada perdi- nada ganhei. Pronto, simples assim.

  18. Não importa o que seja feito. O modelo de segurança pública usada não é eficiente, nem econômico, nem celere nem porra nenhuma. É um modelo onde o bandido corre solto e o povo encarcerado. Não sei qual o melhor caminho, mas algo tem que ser feito urgente.

  19. Neste modelo do post, o que aconteceria com os inquéritos? Continuam ou acabam de vez, pois o texto somente preve casos de flagrante, ou estou errado?

  20. O QUE ACONTECE HOJE, E QUE O ESTADO FÁBRICA DIFICULDADES PARA PODER FACILIDADES, ENTÃO MODERNIZAR A POLÍCIA TORNANDO-A AUTÔNOMA, ÚNICA E COM PLANO DE CARREIRA SERIA INVIÁVEL, POIS ISSO NÃO DÁ LUCRO, APENAS RESOLVERIA O PROBLEMA DA VIOLÊNCIA PARA A POPULAÇÃO. E NINGUÉM LUCRA COM ISSO.

  21. Com o modelo “circo completo” da PM… o país viraria um verdadeiros caos… hoje, muito embora a ineficiência e benevolência da PC (pra não dizer cagaço mesmo), os PM’s ainda se preocupam um pouco em tentar montar uma cena, etc… com o circo completo… viraria uma zona… a PM já é uma força militar alheia ao estado… já já vira uma FARC da vida… fazem o que querem, na maioria das vezes não respeitam ninguém, intrujam aos montes…

    Vai dando corda…

  22. O problema do Brasil é que tem muitos especialistas, todo mundo sabe tudo!
    Vem especialista disso e daquilo falar osta, sendo que nunca sequer acompanhou um trabalho policial.
    Aos policiais que são os verdadeiros profissionais, ninguém pergunta nada, além de contar com uma representação gatuna que não representa as classes!

  23. Publiquem aí….

    Comissão aprova adicional de periculosidade para profissionais de segurança pública

    Adicional será de, no mínimo, 30% sobre a remuneração total do profissional
    Subtenente Gonzaga: proposta beneficiará policiais dos estados que ainda não regulamentaram o adicional
    A Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado da Câmara dos Deputados aprovou, na última quarta-feira (20), o Projeto de Lei 193/15, que garante aos integrantes do sistema de segurança pública de todo o País o adicional de periculosidade.
    De autoria do deputado Major Olimpio (PDT-SP), a proposta regulamenta o artigo da Constituição que prevê que lei disciplinará a organização e o funcionamento dos órgãos responsáveis pela segurança pública.

    De acordo com a Constituição, são órgãos da segurança pública: a Polícia Federal; a Polícia Rodoviária Federal; a Polícia Ferroviária Federal; as polícias civis; as polícias militares e corpos de bombeiros militares. Atualmente, o adicional de periculosidade é limitado aos trabalhadores da iniciativa privada que trabalham em contato permanente com inflamáveis, com explosivos, com radiação e eletricidade.
    Pelo texto, cada estado vai estabelecer o valor do adicional, desde que observado um percentual mínimo de 30% sobre a remuneração total, excetuadas as vantagens de natureza pessoal.
    O projeto também prevê que esses profissionais serão considerados de atividade típica de Estado – ou seja, integrantes de um núcleo de atividades exclusivas que só o Estado pode realizar.
    Emendas
    O parecer do relator, deputado Subtenente Gonzaga (PDT-MG), foi favorável, com complementação de voto e emendas. “A lacuna legislativa sobre o assunto tem desestimulado os policiais dos estados que ainda não regulamentaram essa situação, o que causa verdadeira assimetria entre os integrantes dos órgãos de segurança pública no Brasil”, salientou.
    Uma das emendas estabelece que a atividade dos policiais legislativos federais, integrantes da Câmara dos Deputados e do Senado Federal, também é considerada típica de Estado para todos os efeitos legais. Outra emenda assegura aos profissionais desses órgãos, inclusive inativos, além dos inativos de todos os órgãos de segurança pública, o adicional de periculosidade, nos percentuais a serem definidos na legislação do respectivo ente federado.
    Além disso, foi aprovada emenda que estende o adicional de periculosidade aos agentes penitenciários e carreiras correlatas.
    Outra emenda aprovada conceitua profissão perigosa e penosa como aquela desenvolvida pelo profissional integrante dos órgãos de segurança pública no desempenho das operações que lhes são inerentes, pelo seu desgaste orgânico e danos psicossomáticos sofridos em decorrência da violência física e psíquica que estão sujeitos quando da preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio.
    Regras
    Pela proposta, o adicional de periculosidade será devido ainda que a atividade seja exercida a título de capacitação ou treinamento, assim como para a atividade que envolva a execução de tiro real, porte de arma ou manuseio de explosivos ou inflamáveis. O servidor continuará recebendo o benefício nos casos de afastamentos decorrentes de acidente em serviço, de moléstia contraída no exercício da função e durante os afastamentos legais de até 30 dias.

    Tramitação
    A proposta tem caráter conclusivo e ainda será votada pelas comissões de Trabalho, de Administração e Serviço Público; de Finanças e Tributação; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.
    Íntegra da proposta:
    PL-193/2015
    da ‘Agência Câmara Notícias’

  24. Ja faz pelo menos 20 anos que eu escuto isso…

    Todo mundo sabe que a PM é arcaica e que a PC não funciona com esse modelo ridículo de inquérito policial.

    Alguns estados estão se mexendo… são paulo continua parado…
    Isso que da uma classe sem sindicato.

  25. Ninguém leva a Polícia a sério, AQUI EM SÃO Paulo está uma bagunça, pra COMEÇAR TEM QUE INVESTIR NO POLICIAL, PADRONIZANDO SALÁRIOS COM A POLÍCIA DE BRASILIA, PARA COMEÇAR.

  26. Que a polícia tem que ser única não se discute, mas tem que ser civil. É mais fácil a Polícia Civil comandar o policiamento ostensivo do que a PM comandar as investigações. O sistema militar é bom pra guerra, mas péssimo pra segurança pública. No modelo atual a PC exerce um sistema de freio, ainda que limitado, sobre a PM, pois, apresentam a ocorrência para um delegado, que em tese, não está inserido no contexto dos fatos e age de forma moderada, agora se a PM registrar as proprias ocorrências, autuar e investigar, aí o cidadão, infrator ou não , será vilipendiado em seus direitos. Inviolabilidade do domicílio, incolumidade física, direito ao silêncio, democracia são conceitos desconhecidos na PM. Ainda hoje é comum oficiais PM dizerem (intra muros) que a Constituição Federal não entra no quartel.

    A PM em razão da essência militar tenta a todo custo dominar terreno, ser autossuficiente e infiltrar-se. Se for adotado o modelo de ciclo completo por tipo de infração, cabendo a PM as de menor potencial ofensivo, o próximo passo da PM será ter ciclo completo nas infrações de médio potencial ofensivo e depois nas demais. É da essencia militar a tendencia a dominação.

    Vejam o exemplo do ministério público, tentaram durante mais de vinte anos inserir na Constituição seu “poder de investigar” e todas as vezes foram rejeitados. Com a composição atual do STF que tem mais advogados e membros do ministerio publico do que juizes, conseguiram no “tapetão” o “poder de investigação”, agora não sabem o que fazer. Parecem o cachorro que fica correndo atrás do carro, quando o carro para ele não sabe como agir.

    Enquanto especialista em segurança pública for sociólogo e antropologo e secretário de segurança for do ministério púbico, os resultados serão os de sempre.

    “A maior loucura do ser humano é fazer sempre a mesma coisa e esperar por resultados diferentes”.

    Abraço!

  27. CONCORDO COM AS PALAVRAS DE J CLAÚDIO. É POR AÍ MESMO. A POLÍCIA CIVIL BRASILEIRA ESTÁ AOS FRANGALHOS. EM TODOS OS RINCÕES DO PAÍS OBSERVA-SE UMA POLÍCIA DECADENTE E AGONIZANTE. COM O CICLO COMPLETO DAS POLÍCIAS, A CIVIL SOFRERÁ BEM MAIS. COMO O MILITARISMO VISA A DOMINAÇÃO TALVEZ QUEIRAM DOMINAR O CICLO COMPLETO DA PC. E VIRÃO PRA CIMA PRINCIPALMENTE NAS INVESTIGAÇÕES CONTRA A PC.

  28. O ARTIGO 144 É PEQUENO. KKK
    O CICLO COMPLETO SERÁ O TIRO DE MISERICÓRIDA NA PC. ESSE PAPO DE CO-IRMÃS JÁ ERA. AS DISPUTAS DE PODER SERÃO MAIS ACIRRADAS E IRÁ IMPERAR O REVANCHISMO PRINCIPALMENTE POR PARTE DA PM EM RELAÇÃO A PC, UMA VEZ QUE OFICIAIS VISLUMBRAM AS PRERROGATIVAS DA PC ALÉM DE QUERER INVESTIGAR OS QUADROS DA PC. E FORA OUTROS TAMBÉM QUE QUEREM VIRAR POLÍCIA, GUARDA MUNICIPAL QUEREM SER GUARDA NACIONAL, AGENTES PENITENCIÁRIOS COM A PEC 308, PERITOS CRIMINAIS QUEREM AUTONOMIA MUITOS TEM SEDE DOS HOLOFOTES QUE SÓ VAI PRA DELEGADOS. DAQUI UM DIA ATÉ OS VIGIAS IRÃO SER INSERIDOS NO ARTIGO 144.

  29. O que vai esperar que um cidadão contribuinte que ingeriu 2 copos de cerveja e é flagrado na direção de veículo vai preso e perde seus direitos e o usuário de drogas não vai preso. O que vai esperar de governos que preferem fechar escolas públicas, não reconhecer o mérito do aluno que atinge excelentes notas escolares, mas apoia e constrói presídios atrás de presídios, o Político e os empresários mercenários do erário, são processados, condenados e possuem todos os direitos e garantias da lei, e por desfaçatez fala em público que não é culpado, além de ser adulado por seus companheiros que estão no poder ou ficam dando pitaco nas coisas do Estado.
    Agora o Ministro da Economia (empregado de Banco Privado), declara em Rede Nacional, que acabou o dinheiro público, mas os contribuintes continuam recolhendo tributos em todos fatos geradores previstos na vida e na morte. Este País está de ponta cabeça.

  30. Sou a favor da modernização da instituição. Qualquer leigo percebe que do jeito que está não dá mais. Até o câncer evolui e as polícias ainda se mantêm estagnadas em um modelo dos anos 40 que um dia funcionou, mas hoje não atende mais as necessidades da sociedade. Precisamos de uma polícia didinâmica, bem remunerada e motivada. Um Jovem policial precisa saber que seus esforços serão recompensados, e que poderá a galgar cargos superiores dentro da instituição. Hoje temos muitos escrivães, Investigadores e Carcereiros Bachareis em Direito,que dão show na maioria dos delegados que ingressam na instituição, os quais nunca entraram em uma carceragem ou órgão policial. Usam a policia como trampolim para outras carreiras. Não raros os que entram e pedem exoneração.Deveria haver concurso interno como ocorre na PM. Quer Ser delegado, tem que ingressar numa carreira operacional e amassar barro pelo menos 5 anos, aí sim poderá prestar concurso interno.Quer ser investigador, ou escrivão, íden.

  31. A unificação ocorrerá se não houver interesses de ambos os lados ( PC e PM ). O resto é bazófia.

  32. JClaudio disse:
    26/05/2015 ÀS 9:22
    Que a polícia tem que ser única não se discute, mas tem que ser civil. É mais fácil a Polícia Civil comandar o policiamento ostensivo do que a PM comandar as investigações. O sistema militar é bom pra guerra, mas péssimo pra segurança pública. No modelo atual a PC exerce um sistema de freio, ainda que limitado, sobre a PM, pois, apresentam a ocorrência para um delegado, que em tese, não está inserido no contexto dos fatos e age de forma moderada, agora se a PM registrar as proprias ocorrências, autuar e investigar, aí o cidadão, infrator ou não , será vilipendiado em seus direitos. Inviolabilidade do domicílio, incolumidade física, direito ao silêncio, democracia são conceitos desconhecidos na PM. Ainda hoje é comum oficiais PM dizerem (intra muros) que a Constituição Federal não entra no quartel.

    A PM em razão da essência militar tenta a todo custo dominar terreno, ser autossuficiente e infiltrar-se. Se for adotado o modelo de ciclo completo por tipo de infração, cabendo a PM as de menor potencial ofensivo, o próximo passo da PM será ter ciclo completo nas infrações de médio potencial ofensivo e depois nas demais. É da essencia militar a tendencia a dominação.

    Vejam o exemplo do ministério público, tentaram durante mais de vinte anos inserir na Constituição seu “poder de investigar” e todas as vezes foram rejeitados. Com a composição atual do STF que tem mais advogados e membros do ministerio publico do que juizes, conseguiram no “tapetão” o “poder de investigação”, agora não sabem o que fazer. Parecem o cachorro que fica correndo atrás do carro, quando o carro para ele não sabe como agir.

    Enquanto especialista em segurança pública for sociólogo e antropologo e secretário de segurança for do ministério púbico, os resultados serão os de sempre.

    “A maior loucura do ser humano é fazer sempre a mesma coisa e esperar por resultados diferentes”.

    Abraço!

    MEU CARO AI DE CIMA (J. CLAUDIO) CONCORDO PLENAMENTE COM O DESCRITO NO SEU TESTO, PARABÉNS.

  33. Uma forma fácil de unificar, bem barata e pouco traumática seria simplesmente a PC abrir concurso para “AGENTE PATRULHEIRO” e a PC exercer o ciclo completo.

    E, sinceramente, não apenas os atuais agentes e carcereiros, mas também para os PMs que quisesse ingressar, deveriam ser admitidos sem concurso, apenas precisariam de aprovação no curso de formação/adaptação que a maioria vai passar com tranquilidade.

    Claro que um patrulhamento ostensivo não funcionaria como o GOE e o GARRA. O preventivo da PC ficaria baseado nas delegacias e atenderiam o 190 ou algo assim.

    Só isso já resolveria uma boa parte dos problemas

    O problema é essa disputa infernal entre Polícia Investigativa/Repressiva/Judiciária e Polícia Preventiva/Ostensiva que dificulta tudo.

  34. SENHOR GOVERNADOR, SE VC QUISER UNIFICAREM AS POLICIAS SEM CHORADEIRAS, VC TEM DUAS FORMAS:UNIFICAM E PRONTO, USANDO SIMPLESMENTE A CANETA, E REGRAS SEVERAS PARA QUEM DESOBEDECEREM, OU COMEÇA A MESCLAREM DESDE NA SUA FORMAÇÃO, TIPO: ABREM CONCURSO PARA DELEGADO DE POLICIA E OFICIAL DE POLICIA, COM AS MESMAS EXIGÊNCIAS, MESMOS SALÁRIOS, E FAZEREM JUNTOS NA MESMA SALA DE AULA O CURSO PARA FORMAÇÃO, TENDO OS PROFESSORES MESCLADOS AS MESMAS PORCENTAGENS DE DELEGADOS E OFICIAIS, ASSIM ESSES FUTUROS NÃO VÃO APRENDEREM LÁ NO CURSO DE FORMAÇÃO, QUE SÃO INIMIGOS, E SIM AMIGOS COMO FOSSEM TODOS DE UMA SÓ INSTITUIÇÃO, E ASSIM POR DIANTE COM AS DEMAIS CARREIRAS E POSTOS DAS DUAS POLICIAS.

  35. JACARÉ SEM DENTE

    —————————-
    PORTUGUÊS PÉSSIMO AINDA BEM QUE SE APOSENTOU COMO NADA !!!!!!

  36. Na minha opinião, deveria juntar agenpol, carcepol e auxiliar de papi, numa carreira com a nomenclatura “Agente de Polícia Judiciária” de nível 2º grau. O q vcs acham?

  37. JACARÉ SEM DENTE,

    Até que enfim o senhor concordou comigo e dessa vez sem me xingar.

    Abraço!

  38. Não acredito que teu um burro aqui que escreveu que a Polícia Civil já tem o ciclo completo de Polícia. Acho que esse cara não sabe nem o que está fazendo na Polícia ou não é policial. Ciclo completo como animal? Garra, Goe e etc é tudo irregular, bem comocomo P-2 da PM investigando crimes. Por essa e outras que ganhamos tão mal! O cara não é porra nenhuma melhor que ninguém, mas acha que é! E ainda me escreve uma merda destas! Só na peixada mesmo prum cara desses entrar na Polícia.

  39. 1- isso não sai do papel nem daqui a 100 anos

    2- pq ” ciclo completo ” ? se já temos um CIRCO completo …somente faltando nariz vermelho …pois palhaços deste governo já somos…

    3- .KD aunmento real dos salários e data-base ? kd promoções ? kd concursos ????

    no mais…só bla bla bla

  40. “DADA”

    A POLICIA CIVIL não é que já tem o Ciclo Completo, ela “SEMPRE TEVE” seu energúmeno !!!

    Então me responda:

    É instaurado um inquérito, efetuam-se investigações, prende o marginal, remete ele e o seu respectivo inquérito, o qual só o DELEGADO DE POLÍCIA tem essa AUTORIDADE, tudo para o juiz, e você vai me dizer que isso não é o Ciclo Completo?

    Ou você vai me dizer que “Circo Completo” da PM é que vale?

    Vai na biqueira, pega um aviãozinho, leva pra CIA PM, dá um pau nele, toma uma nota e solta.

    Vai estudar um pouco vai.

    Acredito também que você acha super certo que os PM’s que apareceram ontem na reportagem da record, (25/05)os “highlander”
    estão corretíssimo e isso sim é ciclo completo.

    Pega um trouxa, corta mãos e cabeça do individuo e joga em um rio.

    Prendeu, julgou e executou.

    Parabéns seu ASNO.

  41. Ao só observando,
    Veja com o flit se tem como fazer uma matéria sobre tal assunto (periculosidade), pois é uma forma muito boa de ser reconhecida a aposentadoria especial, e ainda uma melhora significativa no salário nos tempos atuais (30%) é um milagre.
    Bem que o nobre do projeto aí poderia reviver o 23/09 para a Polícia Civil.

  42. JACARÉ SEM DENTE disse:
    25/05/2015 ÀS 22:04
    NINGUÉM QUER RESOLVER ISSO, SE QUISESSEM AO INVÉS DE FICAR PEGANDO OPINIÕES DE QUEM NÃO SABE ESCREVER A LETRA ** O ** COM O TOBA, PEGA OPINIÕES DE QUEM REALMENTE TRABALHA COM CRIMINALIDADE, O QUE UM ZÉ MANE DE UM PROFESSOR DE FACULDADE OU UNIVERSIDADE SABE NA PRÁTICA O QUE É CRIMINALIDADE, O QUE É TRABALHAR COM A CRIMINALIDADE,

    ——————————–

    é isso ai jacaré , tu falou tudo , foi um sábio comentário…………………………….

  43. tem caras aqui que fica dizendo que a pm com o p2 faz serviço de pcs. né ??

    e o goe ?? e o garra ??? e o ger ???? em rondas , fazem o serviço de quem ????????

  44. temos que copiar o sistema americano…….
    o cara entra fardado pra rua….. depois de algum tempo é promovido e uns vai para os serviços internos.
    outros vão para especializadas. até chegar ao cargo máximo…. com exigências de possuir curso superior.

    e os inquéritos tem que criar um setor único de serviço de inquéritos policial….

    o resto é para investigação e combate a criminalidade.

  45. Enquanto isso o IIRGD continua usando fax para legitimação. Pode isso Arnaldo????

  46. Ops, retrógrado.

  47. Eu concordo. A Pm assume os distritos de bairros, e a Polícia civil fica apenas com as especializadas.

  48. Carcetonto, a sua ideia de unificação das três carreiras é perfeita. Inclusive, em muitos departamentos, profissionais das três carreiras já executam as mesmas tarefas. O problema é que, quando se promove mudanças, as bases não são consultadas. O próprio delegado geral da época alegou não ter sido consultado, quando extinguiram a sua carreira. Imagine se algum dia irão nos consultar!

  49. Ex-Polegar é chamado de ‘Rafael Pilha’ em boletim de ocorrência
    Para delegado, policial ‘quis brincar’, ‘quis zoar’; ex-cantor já ingeriu pilhas.
    Rafael Ilha foi detido nesta segunda durante ação contra roubos de carro.
    Kleber Tomaz
    Do G1 São Paulo
    FACEBOOK

    Boletim de ocorrência chama Rafael Ilha de ‘Rafael Pilha’ (Foto: Kleber Tomaz/G1)
    Boletim de ocorrência chama Rafael Ilha de ‘Rafael Pilha’ (Foto: Montagem: Fernando Neves/Brazil Photo Press/Estadão Conteúdo/ e Kleber Tomaz/G1)
    Após ser detido nesta segunda-feira (25), o ex-integrante do grupo Polegar Rafael Ilha, de 42 anos, foi chamado de Rafael “Pilha” no boletim de ocorrência registrado no Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic) na cidade de São Paulo.
    Isso [escrever Rafael Pilha no boletim de ocorrência] deve ter sido alguém querendo zoar”
    Delegado do Deic José Renato Weselowski
    Questionado pela reportagem sobre o assunto, o delegado da 4ª Divisão de Investigações sobre Furtos, Roubos e Receptações de Veículos e Cargas (Divecar) do Deic, João Renato Weselowski, se mostrou supreso e disse desconhecer o termo. Ao olhar o boletim de ocorrência afirmou que a informação pode ter sido escrita por algum policial querendo “brincar”. “Isso deve ter sido alguém querendo zoar”, afirmou o delegado.
    Policiais ouvidos pelo G1 disseram que o ex-Polegar também é conhecido como “Rafael Pilha” pelo fato de ter engolido pilhas após ser detido em outras ocasiões. Em 2000, ele passou mal depois de engolir uma caneta, três isqueiros e uma pilha durante uma crise de abstinência. Meses depois, ele ingeriu outras duas pilhas e precisou ser submetido a uma cirurgia, em um hospital de São Paulo, para a retirada dos objetos.
    Rafael Ilha passou a noite na sede do Deic, na Zona Norte de São Paulo, após ter sido preso por policiais da Delegacia de Investigação sobre Roubo de Cargas.
    Segundo o boletim de ocorrência, policiais faziam uma ação contra roubos de veículos nesta segunda-feira, quando viram um carro estacionado irregularmente. Os policiais verificaram que o veículo estava com problemas no DETRAN, levantaram quem seria o dono e descobriram que era de Rafael Ilha, que mora na mesma rua onde o carro estava. Depois, confirmaram que havia um mandado de prisão contra ele. Tocaram a campainha da casa do ex-cantor, ele atendeu e foi dada voz de prisão. Rafael e seu carro foram levados ao Deic.
    O advogado do ex-integrante do grupo Polegar Rafael Ilha, José Beraldo, afirmou que a prisão de seu cliente nesta segunda foi um equívoco. Segundo Beraldo, o ex-cantor apenas esqueceu de atualizar seu endereço na Justiça.
    “Houve um equívoco e será corrigido. Há três meses pedi para o Rafael ir à Vara de Execuções Penais no Fórum da Barra Funda para dar o novo endereço, mas ele não o fez”, disse Beraldo.
    O delegado Weselowski afirmou que será levado pela prisão porque a “pena restritiva de direito” deve ter sido convertida para “pena restritiva de liberdade” porque ele não se apresentou à Justiça. A unidade prisional ainda deve ser definida de acordo com as vagas.
    O escritório do advogado vai à Justiça nesta terça-feira (26) primeiro pedir o alvará de soltura. “Vamos tentar um alvará de soltura para restabelecer a prisão domiciliar”, afirmou Beraldo.
    Beraldo afirmou que caso o alvará de soltura seja negado, ele vai pedir o habeas corpus ainda nesta terça-feira.
    De acordo com policiais civis do Deic ouvidos pelo G1, Rafael Ilha não foi levado para a carceragem com os demais presos. Ele passou a noite sem algemas em uma sala dos investigadores. Durante esse período, ele conversou com os policiais e demonstrou preocupação com a mulher que está grávida de 9 meses.
    Prisão anterior
    Ilha e sua mulher ficaram presos anteriormente entre 21 e 29 de julho de 2014 em Foz do Iguaçu e deixaram a cadeia após pagamento de fiança, respectivamente, de R$ 40 mil e R$ 15 mil. O ex-Polegar e a mulher foram presos com uma espingarda calibre 12, munição e uma arma de choque ao tentar passar pela fiscalização da Receita em duas moto-táxi.
    O Grupo Polegar estourou em 1989, com a música “Dá Para Mim”, e chegou a vender um milhão de discos. Rafael Ilha deixou o grupo em 1991. Depois disso, o ex-vocalista acumulou passagens pela polícia. Ele foi preso pela primeira vez em setembro de 1998, quando tentava assaltar pessoas em um cruzamento para comprar drogas. À época, ele roubou um vale-transporte e uma nota de R$ 1 de uma balconista na Zona Sul de São Paulo.
    No ano seguinte, ele foi detido por dirigir uma moto na contramão. Depois, foram duas outras prisões por porte de cocaína. Em 2000, o ex-integrante do grupo Polegar passou mal depois de engolir uma caneta, três isqueiros e uma pilha, durante uma crise de abstinência. Meses depois, ele ingeriu outras duas pilhas e precisou ser submetido a uma cirurgia, em um hospital de São Paulo, para a retirada dos objetos.
    Em 2005, foi detido em Itapecerica da Serra, em frente à clínica dele, com uma arma calibre 380, com numeração raspada. Ele acabou autuado em flagrante por porte ilegal de arma. Em setembro de 2007, o ex-Polegar voltou à delegacia, mas como vítima. Rafael se dirigiu à residência de um jovem de 30 anos com intuito de convencê-lo a se internar. De acordo com a polícia, quando o homem percebeu a chegada do ex-vocalista, acabou fugindo em seu carro. Rafael passou a persegui-lo e, após um tempo, o jovem parou o carro e teria agredido o ex-cantor.
    Em julho de 2008, Rafael Ilha passou 17 dias na prisão, acusado de tentativa de sequestro, formação de quadrilha e usurpação de função pública. Ele teria tentado, junto com outras duas pessoas, colocar à força em um carro a esteticista Karina Costa, de 28 anos. Ele informou à polícia que o ex-marido dela tinha entrado em contato e pedido para que a mulher fosse internada na clínica de reabilitação contra dependentes químicos do ex-Polegar. A esteticista negou ser usuária de drogas.
    Em 2009, o ex-cantor foi encontrado dentro de um elevador de um condomínio todo ensanguentado. Os policiais que atenderam a ocorrência relataram na delegacia que ele dizia a frase “eu vou me matar”. Rafael ficou internado quatro dias. De acordo com o psiquiatra Aloísio Priuli, Ilha foi diagnosticado com transtorno bipolar.
    Já em 2013, o ex-vocalista sofreu um acidente de moto na Ponte Octavio Frias de Oliveira, a ponte estaiada, na Zona Sul de São Paulo. Segundo a polícia, Rafael bateu com a motocicleta na mureta, depois de ser fechado por um carro. A moto pegou fogo e ficou totalmente destruída, mas o ex-Polegar conseguiu saltar do veículo e sofreu algumas escoriações.

    ++++++++++++++++++++++++++++++++++++++

    Será que esse tratamento “humano”… de deixar o capturado “de boa”, fora da carceragem é estendido a todos os capturados?
    Bem… acho que os malas ficarão muito felizes em saber que o tratamento no DEIC é “humanizado”… acredito que muitos passarão a se apresentar lá, afinal, pode aguardar em sala, tomando cafezinho, comendo lanche, jogando truco, até que o advogado consiga a sua liberdade…

    É.. .essa PC está de brincadeira…

  50. Se não fechar o ralo da CORRUPÇÃO nem o modelo mais eficiente do mundo caberá no Brasil.

    Por aqui todo mundo quer se dar bem, a começar pelo cidadão, empresário, fiscal, político, policial, etc., vejamos o exemplo do próprio País, que teve anos de superávit primário e recorde de arrecadações, mas ao invés de melhorias sólidas e permanentes, o que vemos hoje são escândalos emergindo, arrocho fiscal e crise econômica praticada pelo próprio Governo.

  51. Combater a faca, o instrumento de ataque agora em evidência, repete a lógica
    no caso, a falta dela – vista com o desarmamento, que retirou as armas da sociedade civil, mas, manteve o fuzil (e tudo mais que queiram) com os criminosos.
    Por que seria diferente agora?
    Não seria, por óbvio.

    Se é para eleger responsáveis diretos pelo desastre de nossa segurança pública, esqueça-se a faca.
    A culpa não é dela, como nunca foi da arma de fogo, seja o revólver que defendia o cidadão, seja o fuzil do traficante.
    Em qualquer caso de ação criminosa, o culpado é (O AGENTE) quem age por trás do instrumento, quem puxa o gatilho, desfere a facada, atira a pedra, dá a paulada ou espanca sua vítima.
    É o agente que precisa ser combatido, não o meio que ele usa.

  52. KKKKKKKKKKKKKKKKK

    tem um tal de ( dada ) ai e outro dizendo que o GARRA, GOE e outros operacionais é ilegal… Meu Deus….

    Pra vocês que concorda com esses asnos. Leiam a Lei Orgânica do SP.
    Vamos lá pra quem não sabe achar a lei Orgânica:
    Artigo 3º inciso 1
    Da Polícia Civil o exercício da Polícia Judiciária, administrativa e PREVENTIVA ESPECIALIZADA.

    Então mesmo colegas se esta na lei !!!!!!!!

    Agora a P2 ainda não achei em lei alguma, quem poder me ajudar ????

  53. EU GOSTARIA QUE FOSSE UMA POLICIA SÓ COM CICLO COMPLETO.
    MAS INFELIZMENTE TEMO NÃO SER POSSÍVEL NO BRASIL, PELOS PRÓXIMOS DUZENTOS ANOS, POIS VIVEMOS EM UMA REPUBLIQUETA DE FAZ DE CONTAS, ONDE A “LEI DE GERSON” IMPERA DESDE DO BRASIL COLONIAL. ENQUANTO HOUVER NA ADMINISTRAÇÃO PUBLICA PESSOAS QUE PENSAM EM SEU PRÓPRIO UMBIGO NÃO SAIREMOS DESSE ATOLEIRO MORAL QUE AUMENTOU DRASTICAMENTE NESSES ÚLTIMOS DOZE ANOS.
    SE NOS COLOCÁSSEMOS NO LUGAR DA AUTORIDADE QUE TEM O PODER DE FAZER UMA POLICIA UNICA, EU NÃO O FARIA NO MOMENTO, POIS SERIA UM TIRO NO PÉ, (DADA AS CIRCUNSTANCIAS CULTURAIS, MORAIS), PORQUE NA REALIDADE QUEM SEGURA A ONDA, PRINCIPALMENTE NOS ESTADOS MAIS POPULOSOS, SÃO AS POLICIAS MILITARES.

    NÃO TEM AUTORIDADE COM CULHÃO NO MOMENTO PARA DESMILITARIZAÇÃO

  54. repetindo…..

    o brasil term que copiar o sistema da policia norte americana….. = policia de 1º mundo…..

    o resto é conversa fiada… GOE usando farda pra que ????????????? kikikikikikikikiki..

  55. quem tem que usar farda atualmente na policia são os POLICIAIS MILITARES . PÔ !!!!!!!!!!

    POLICIAL CIVIL no máximo usar um coletinho pra se identificar nas operações , e ja éra……PÔ !!!!!!

  56. aproveitando o bonde em ref aos menores malas delinquentes ….

    vamos comparar os ladrões adultos como um bando de cobras venenosas adultas né ?
    vivem soltas por ai procurando vítimas para morde las e mata las com o seu veneno mortífero .
    só que não podemos nos esquecer que estas cobras adultas hoje . um dia foi filhotes. e quando filhotes ja eram
    venenosos. com picadas mortais.. e mataram muitas pessoas ja …..

    Agora sobre as cobras filhotes, devemos combate las agora , para evitar que elas cresçam , e saiam por ai
    procurando vítimas para pica las ….

    se não combate las agora elas se transformarão em cobras venenosas adultas, e farão muitas vítimas no futuro.

    — OBS= então chegaremos a conclusão que temos que aumentar as penas destes menores violentos que andam
    por ai afora, fazendo vitimas a cada dia que passa. quem defende estes vagabundos mirins , é porque vivem rodeados de seguranças, e não vivem o apovoro que a população no geral esta vivenciando…

  57. Por que será que todo idiota só sabe falar em ‘unir’ as polícias? Pelo amor de Deus! Meganha bem longe das delegacias. Já basta quando aparecem com as ‘grandes ocorrências’ de merda que sempre adoram apresentar nos DPs e assim ficarem parados um bom tempo enquanto são feitos os registros. Por que esses ‘gênios’ nunca pensam em cobrar alguma atitude do Judiciário e dos senhores políticos corruptos e ladrões que nada fazem para melhorar a punição a tantos bandidos? Por que não acabam com saidinhas, com visitas íntimas, com impunidade a ‘di menor’ e outras mazelas a que os lixos têm direito? Ciclo completo? Já basta o das mulheres uma vez por mês.

  58. Sr. remela du car alho

    O que nós policiais ganhamos com esta divisão?

    Resposta: o que a Maria ganhou atrás da horta.

    A divisão existente entre as carreiras policiais e entre as corporações (PC, PM e GCM) onde cada um só sabe olhar para seu umbigo é a principal culpada pela polícia estar na UTI, já com passaporte carimbado para o necrotério.

    Todos os movimentos reivindicatórios que lograram êxito em atingir seus objetivos tiveram como base a união das partes interessadas.

  59. É tão burro que ainda insiste no erro!!! Ta explicado pq ganhamos tão mal! Acorda!!! Quanta ilusão!!! Em todos os poderes está a PM através de suas assessorias, judiciário, legislativo, executivo, prefeituras,tribunais de contas e etc. Que mundo Vc vive? Só não enxerga quem não quer. É óbvio que se for unificar ou ter circo completo, será nos moldes da PM, e não da Civil. Nem que a Polícia seja Civil, ainda haverá o princípio da hierarquia e da disciplina, ou seja, uma corporação paramilitar, igual são as guardas municipais. A verdade é que a PM assume todos as f!nções DQ “nossa” Policia Civil em menos de 1 mês, é nós nunca conseguiremos fazer as funções deles nem em 100 anos. VERDADE SEJA DITA !!!

  60. E se Vc é tira veio, com certeza não passou em concurso nenhum! Quem deve estudar é Vc! Leia pelo menos o art. 144 da Constituição uma única vez e verá que está escrevendo um monte de merda!!! Burro pra “CARÁLEO”

  61. Vc é um puta dum otário tira veio. No dia que precisei, liguei 190 e brotava viatura do chão pra me ajudar. Eu e minha família! Vc tem DNA de bandido! Escrevendo um monte de merda, como se todos PMS fossem assassinos! Policia igual a Vc é um câncer que deve ser combatido e deputado das fileiras da honrada Policia Civil! Lixo de ser humano!

  62. Quem sabe um dia. disse:
    26/05/2015 ÀS 17:03
    KKKKKKKKKKKKKKKKK

    tem um tal de ( dada ) ai e outro dizendo que o GARRA, GOE e outros operacionais é ilegal… Meu Deus….

    Pra vocês que concorda com esses asnos. Leiam a Lei Orgânica do SP.
    Vamos lá pra quem não sabe achar a lei Orgânica:
    Artigo 3º inciso 1
    Da Polícia Civil o exercício da Polícia Judiciária, administrativa e PREVENTIVA ESPECIALIZADA.

    Então mesmo colegas se esta na lei !!!!!!!!

    Agora a P2 ainda não achei em lei alguma, quem poder me ajudar ????
    __________________________________________________________________________________________________

    Procura no Código de Processo Penal Militar.

    art. 8º, “a”, do CPPM.

    “Art. 8º Compete à Polícia Judiciária Militar:

    a) “apurar os crimes militares, bem como os que, por lei especial, estão sujeitos à jurisdição militar, e sua autoria;”

    Ou seja, compete à Polícia Judiciária a confecção do Inquérito Policial nas infrações penais comum, e à Polícia Militar a confecção do Inquérito Policial Militar, instaurado, por óbvio, para a apuração de infrações penais puramente militares. [02]

    Além disso, ainda de acordo com o CPPM, à Polícia Militar compete apenas cumprir os mandados de prisão expedidos pela Justiça Militar, representar a autoridades judiciárias militares acerca da prisão preventiva e da insanidade mental do indiciado, cumprir as determinações da Justiça Militar relativas aos presos sob sua guarda e responsabilidade.

    Em outras palavras, o cumprimento de eventuais mandados de prisão expedidos pela justiça comum, bem como representações acerca da prisão preventiva em crimes comuns, são de atribuição da Polícia Civil, por uma mera interpretação constitucional e legal.

    O Serviço Reservado da Polícia Militar (conhecido como P/2) é legal, e está amparada por lei, desde que atue dentro de suas atribuições legais, ou seja, os crimes propriamente militares.

    Entretanto, o que ocorre na prática é o verdadeiro “samba do crioulo doido”. A experiência nos mostra que a Polícia Militar vem não só realizando investigações de infrações penais comuns, como também recebe Mandados Judiciais para cumprimento, seja para localização de pessoas, prisões, ou outras determinações judiciais, bem como chega ao ponto de representar por medidas cautelares, tais como prisão preventiva, quebra de dados cadastrais e interceptações telefônicas. E o pior, tais pedidos têm sido comumente deferidos pelo judiciário.

    Em que pese manifestações em sentido diverso, quer me parecer evidente que tais situações, de verdadeira confusão institucional, têm ocorrido não em razão da vaidade de ocupantes de cargos dentro da Polícia Militar, mas sim em função do abandono, da falta de investimentos e estrutura, pessoal e de equipamentos, pela qual passa a Polícia Civil.

    Espero ter ajudado

  63. Eu quero meus reajustes dos anos de 2013/2014 e 2014/2015!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! disse:

    Polícia Civil regulamenta benefício para compensar horas extras (Mato Grosso)

    23 de maio de 2015 Publicações Sobre o Sindicato

    As horas extras trabalhadas por policiais civis serão compensadas com a regulamentação do Banco de Horas, no âmbito da Polícia Judiciária Civil de Mato Grosso. A Resolução 19/2015, que normatiza o regime de sobreaviso, foi publicada no Diário Oficial, que circulou na última sexta-feira (07.05).
    O projeto para elaboração da Resolução do Banco de Horas foi discutido em audiências públicas, realizada pela Diretoria Geral, com representantes das categorias de delegados, escrivães e investigadores de polícia, em amplo debate sobre adequar a jornada de trabalho às necessidades de produção e demandas dos serviços.
    O delegado geral da Polícia Civil, Adriano Peralta Moraes, informou que a resolução entra em vigor no dia 1º de junho de 2015 e é considerada uma iniciativa inédita de valorização do servidor policial. “Essa era uma luta de mais de 20 anos, que sempre tratou de forma igual os que trabalham de forma desigual. Com essa resolução muitos poderão adiantar o tempo de aposentadoria com o gozo dos créditos”, destacou Peralta.

    O banco de horas é uma forma de compensação em que as horas excedentes trabalhadas em um dia são compensadas com a correspondente diminuição da jornada em outro dia. A ideia do sistema consiste na inovação de compensação de horas extras, mais flexível, possibilitando adequar a jornada de trabalho dos servidores às necessidades de produção serviços e regulamentar o regime de sobreaviso existente.

    O banco de horas, no âmbito da Polícia Civil, tem natureza compensatória e é destinado ao policial civil, como forma de possibilitar à compensação das horas extras trabalhadas, no exercício da função atinente a apuração de infrações penais, e nas atividades operacionais transitórias.
    Conforme regulamentação, a compensação das horas excedentes trabalhadas consistirá na compensação à diminuição da jornada em outro dia, que deverá ser acordado entre o servidor e o chefe imediato, prevalecendo o interesse público. As horas trabalhadas além da jornada poderão ser compensadas com entrada mais tarde ao serviço ou saída mais cedo, assim como folgas a mais na semana ou acréscimo de dias de férias; sempre de acordo com o interesse público e mediante prévia autorização da chefia imediata.
    O sistema de banco de horas deverá ser compatível com a escala de serviço normal e descanso obrigatório. Destacando que a jornada de banco de horas não exime o policial civil das obrigações contidas no artigo 120, parágrafo único, da Lei Complementar 407, de 30 de Junho de 2010.
    As horas excedidas de trabalho serão processadas e controladas pela Diretoria de Execução Estratégica, com registro na Coordenadoria de Gestão de Pessoas e inseridas no sistema GEIA (banco de horas planilha, Excel, cálculo, formulário, regras). As informações deverão ser repassadas pela chefia imediata mensalmente à Diretoria respectiva em que o servidor estiver subordinado devendo conter a quantidade de horas extras efetivamente trabalhadas e a quantidade de horas extras em sobreaviso a serem gravadas no banco de horas, detalhando as mesmas e expondo a necessidade que gerou o acrescido de horas laboradas e em sobreaviso.
    Em seguida, o Diretor procederá com a analise e depois de aprovado remeterá à Diretoria de Execução Estratégica a planilha mensal com os nomes dos servidores e respectivas horas a serem gravadas no sistema GEIA.
    O parágrafo único da Resolução explica que o envio de horas a serem gravadas no sistema GEIA constitui processo excepcional, e só será procedido quando a unidade não dispuser de meios para efetuar a compensação de jornada no respectivo mês.
    São impedidos de realizar atividades do banco de horas, todos os diretores e diretores adjuntos; policial civil que ocupe cargo comissionado e receba DGA´s 2, 3, 4 e 5; o policial civil afastado preventivamente ou cumprindo punição disciplinar no período da prestação do serviço; o policial civil que esteja exercendo suas funções em outros órgãos, poderes ou entidades; o policial civil que estiver em curso de formação, capacitação ou aperfeiçoamento interno ou externo da instituição, durante todo o período de realização do respectivo curso.
    Para efeitos de sobreaviso para cada três horas em regime de sobreaviso, equivalerá a uma hora de trabalho efetivamente prestada e que poderá ser inserida no banco de horas.
    Considera hora efetivamente trabalhada, aquela em que o policial civil estiver à disposição do Poder Judiciário em audiência para a qual tenha sido convocado e que tenha pertinência com a atividade policial, sendo a audiência devidamente comprovada mediante a apresentação de certidão judicial.
    A Resolução 019/2015, também da outras providências e entrará em vigor no dia 1º de junho de 2015.
    Polícia Civil MT

    extraído de: http://sipol.com.br/?p=712#more-712

  64. ESSE “DADA” E SUAS PÉROLAS…..

    LEIA VOCÊ SEU ENERGUMENO, PRINCIPALMENTE O PARAGRAFO 4.

    VAI PRA ESCOLINHA VAI……

    E SÓ PRA TE REFRESCAR A MEMÓRIA, A PM NÃO ESTÁ NOS PODERES PARA A ASSESSORIA, E SIM PARA FICAR NAS PORTARIAS, SEGURANÇA DOS PRÉDIOS E CUIDANDO DOS SENHORES FEUDAIS.

    TIPO UMA EMPREGADA DOMÉSTICA NAS RESIDÊNCIAS, LÁ LABUTAM, CUIDAM DE TUDO, E NEM POR ISSO SÃO AS PATROAS.

    PARE DE FALAR ASNEIRAS SEU IDIOTA.

  65. Desde quando lei orgânica é acima da Constituição? Afff BANDO DE BURROS !!! São tão imbecis que falam tantas asneiras, mal sabem que a existem gratificações para todas assessorias prestadas pela PM. Ou seja, tem SD da PM ganhando mais que delegado de polícia, pois incorporou décimos no salário base. E sabe pq não existe PC nos poderes? Pq não somos confiáveis! Graças a imbecis iguais a vcs que com certeza não passaram em concurso nenhum e ficam ventilando essas asneiras pela internet! Defecam pelos dedos ao digitarem!

  66. Os caras são balconistas de DP e acham que realmente são melhores que alguém? Escolta do Governador PM, escolta do vice PM, escolta de Deputados PM, escolta do Presidente do TJ PM , etc etc etc etc. E cada dia que passa a PC se apequenando. Acordem! Se um dia houver unificação será aos moldes da PM. Se não gostarem, que vão trabalhar no MC Donalds! Pois já sabem ser balconista!!!

  67. § 5º Às polícias militares cabem a polícia ostensiva e a preservação da ordem pública; aos corpos de bombeiros militares, além das atribuições definidas em lei, incumbe a execução de atividades de defesa civil.
    É AUTO EXPLICATIVO! SÓ BURRO NÃO ENTENDE! LEI ORGÂNICA NÃO É E NEM NUNCA SERÁ ACIMA DA CONSTITUIÇÃO.

  68. E o animal mal sabe interpretar um texto! MEU DEUS, COMO PODE SER POLICIAL? Preventiva especializada, não é OSTENSIVA! NEM SÃO SINOÔNIMOS! ANALFABETO FUNCIONAL!!!!!!

  69. Dada

    Não sou bacharel em Direito e entendo muito pouco, mas o texto constitucional dá duas questões:

    A EXCLUSIVIDADE e a OBRIGAÇÃO

    o texto diz o seguinte:

    § 1º A POLÍCIA FEDERAL, instituída por lei como órgão permanente, estruturado em carreira, destina-se a:

    IV – exercer, com EXCLUSIVIDADE, as funções de POLÍCIA JUDICIÁRIA da União.

    § 4º Às POLÍCIAS CIVIS, dirigidas por delegados de polícia de carreira, incumbem, ressalvada a competência da União, as funções de POLÍCIA JUDICIÁRIA e a apuração de infrações penais, exceto as militares.

    § 5º Às polícias militares CABEM a polícia ostensiva e a preservação da ordem pública; aos corpos de bombeiros militares, além das atribuições definidas em lei, incumbe a execução de atividades de defesa civil.

    Ou seja, há até quem discorde, geralmente o pessoal da PM (como meu tio, oficial reformado), mas a interpretação que eu mais encontrei foi de que:

    A PM tem a OBRIGAÇÃO do Policiamento Ostensivo/Preventivo, mas não a EXCLUSIVIDADE.
    Exemplo as GCMs e os bombeiros civis.

    Enquanto a PF e, por extensão, as PCs, têm a EXCLUSIVIDADE DAS ATIVIDADES DE POLÍCIA JUDICIÁRIA.
    Logo, por que a PC não poderia colocar duas patrulhas por delegacia e passar a patrulhar e dar desde o primeiro socorro policial?

    Mas eu espero que os senhores delegados, promotores, advogados e juízes ou quem quiser nos socorram nessa questão, porque não sou eu que vou dar uma interpretação constitucional.

  70. Quem sabe um dia. disse:
    26/05/2015 ÀS 17:03
    KKKKKKKKKKKKKKKKK

    tem um tal de ( dada ) ai e outro dizendo que o GARRA, GOE e outros operacionais é ilegal… Meu Deus….

    Pra vocês que concorda com esses asnos. Leiam a Lei Orgânica do SP.
    Vamos lá pra quem não sabe achar a lei Orgânica:
    Artigo 3º inciso 1
    Da Polícia Civil o exercício da Polícia Judiciária, administrativa e PREVENTIVA ESPECIALIZADA.

    Então mesmo colegas se esta na lei !!!!!!!!

    Agora a P2 ainda não achei em lei alguma, quem poder me ajudar ????

    SÓ POR QUE UM ASNO BAIXOU UMA PORTARIA CRIANDO UMA LEI ORGÂNICA, NÃO SIGNIFICA QUE O DISCRIMINADO NESSA LEI ORGÂNICA É LEGAL, UMA VEZ QUE ELA PODE FERIR OUTRA LEI MAIOR TA SEU ASNO AO QUADRADO.

  71. dada,

    Peço-vos não permitir que o “ladrão de resposta” não se apodere da que seria vossa.

    Foi exatamente isso que fez o JUMENTARÉ, noutra postagem.

    Reconduza-o à LM (Lagoa Militar), onde ele “dá” plantões no “PS” (Pucha-Saquismo), cuja descontrolada empolgação induziu-o a ficar sem dentes!

  72. Gente burra é assim mesmo, insiste no erro a vida inteira! Novamente: “Preventiva” e “Ostensiva” nem sinônimos são. Consulte um dicionário pelo menos! Como pode essas pessoas, com a facilidade que temos hoje de pesquisar qualquer coisa, insistir em escrever esses absurdos! Mas fazer o quê? Gente chucra é assim mesmo!!!

  73. dada (29/05/2015 às 17:42)

    o texto constitucional menciona o policiamento preventivo e o policiamento ostensivo

    e nos dois casos, a PM tem a obrigação de fazer o policiamento preventivo/ostensivo, mas não tem a exclusividade, como a PC tem sobre os atos de Polícia Judiciária.

    Já expliquei isso acima e já estou me repetindo, desculpe.

    Só espero que os SENHORES DELEGADOS DE POLÍCIA comecem a pensar que a unificação precisa acontecer e colocar um policiamento ostensivo/preventivo da PC ajudaria muito, tanto pelos custos bem menores para a sociedade, como pela estrutura -administrativa e funcional- pronta quando a desmilitarização e a unificação acontecerem.

  74. ostensivo
    adjetivo
    1.
    que é para ser mostrado ou visto.
    “carta o.; lugar o.”
    que envolve o propósito de ser visto, notado; patente, manifesto.
    “comportamento o.”
    2.
    que se revela por evidências, sintomas etc.; manifesto.
    “apresenta funções o. e outras latentes”
    3.
    que chama a atenção; vistoso, ostentatório.
    “um conjunto o. de joias”
    4.
    em que há ou que envolve acinte; arrogante.
    “o. desrespeito”

  75. prevenção
    substantivo feminino
    1.
    ação ou resultado de prevenir(-se).
    2.
    conjunto de medidas ou preparação antecipada de (algo) que visa prevenir (um mal).
    “p. de acidentes”
    3.
    opinião desfavorável antecipada; ideia preconcebida.
    “examinar um pedido sem p.”
    4.
    sentimento de repulsa para com alguém ou algo, sem base racional; preconceito, cisma.
    “ter p. contra répteis”
    5.
    precaução, cautela.
    6.
    jur processo pelo qual um juiz estabelece competência para conhecer e julgar uma ação, excluindo a de outros juízes, por ter sido o primeiro a conhecê-la.

  76. Digo e repito: Prevenção não é sinônimo de ostensividade! Também sou favorável a unificação das policiais, justamente porque nenhuma das duas possuem ciclo completo e atuam de forma ilegal em muitos casos. PM investigando e Civil sendo ostensiva! Não tem nexo! Desperdício de meios!
    Só insisto aqui, pois tem alguns analfabetos funcionais que fazem comentários esdrúxulos, afirmando que uma Polícia e outra já possuem ciclo completo. ISSO É MENTIRA!!! QUANTA ARROGÂNCIA!!! MAL SABE A DIFERENÇA ENTRE UMA PALAVRA E OUTRA! Mesmo que houvesse uma lei orgânica e lá estivesse escrito que cabe a Polícia Civil o policiamento ostensivo, e não “preventivo”, era obviamente inconstitucional!!! Esse é X da questão! CONFLITO DE GOSTOSURA!

  77. Resumindo: Não cabe a Polícia Civil o policiamento ostensivo! Nem de vez em quando! É inconstitucional! Que se faça uma PEC para mudar o art. 144 da C.F. Que se unifique as Policias ou que se dê ciclo completo às duas, para que sejam mais eficazes. A polícia civil mal tem efetivo pra atender os plantões, quem dirá fazer policiamento ostensivo. Se a própria PM deixar de atender ocorrências de crimes já ocorridos e deixar de fazer o policiamento repressivo imediato, nós policiais civis jamais teríamos condições de fazê-lo, pois crimes já ocorridos é sim nossa função de investigar e não temos meios para fazê-lo. REFLITAM!!!

  78. dada (30/05/2015 às 2:01)

    dada, eu entendo que a PC não tem a estrutura e nem a vontade de fazer o preventivo/ostensivo (não são sinônimos, e a CF cita dos dois, mas como poderia haver um policiamento ostensivo que não seja preventivo?)

    O preventivo/ostensivo NÃO é uma EXCLUSIVIDADE da PM, se isso fosse verdade, não existiriam:

    – Polícia Rodoviária Federal
    – Polícia Ferroviária Federal
    – Guarda Civil Metropolitana
    – Bombeiro Civil

    A CF coloca a EXCLUSIVIDADE apenas para os ATOS DE POLÍCIA JUDICIÁRIA que só podem ser realizados pela PF e pelas PCs.

    Ou você vai dizer que a PRF e a PFF são inconstitucionais?

    Pelo menos foi isso que eu sempre ouvi e, se eu estiver errado, que os juristas me corrijam e eu irei agradecer.

    E, sobre a necessidade de OSTENSIVO ESPECIALIZADO, é só colocar um nome bacana e dizer que é uma “Assistência Operacional” para a Polícia Civil exercendo suas atividades nas delegacias, com preventivo/ostensivo. O termo “especializado” é muito vago e dá margem ao GARRA e ao GOE, então por que não?

    Portanto, a PC precisa começar a criar uma estrutura de preventivo/ostensivo para ir se adaptando à unificação. É só colocar duas viaturas, quatro homens (e mulheres) em cada delegacia do DECAP e do DEINTER e isso já vai criando rotinas de ciclo completo para o pessoal aprender como é e não ficar tudo no “de repente” que quebra o trabalho.

    Além disso, sem os mesmos custos administrativos, um policiamento ostensivo/preventivo civil iria significar uma boa economia para a sociedade que poderia se reverter em AUMENTO SALARIAL para todos os policiais e sem aumentar impostos, sem tirar um centavo de qualquer outra pasta, afinal todas pastas também têm os seus perrengues e o povo não aguenta mais tanto imposto.

    Com o deputado Cunha como presidente da Câmara dos Deputados várias votações que estavam na gaveta há décadas entraram na pauta. Quem sabe ele não coloca a desmilitarização e a unificação em votação?

    E, por mim, já colocaria a CARREIRA ÚNICA também, porque as castas só dificultam o trabalho policial.

    Como diz o Major Olímpio é a “A FAMÍLIA POLICIAL”. E esta família precisa de mais atenção dos governos e da sociedade para sair do século XIX e se tornar mais eficiente.

  79. dada,

    Se você vir (ou “ver”) um “guarda de trânsito” com o talonário de “multas” e a caneta na mão, sob o semáforo, seja sincero: você “passaria no vermelho”?

    Isso não é ostensividade? Não se encaixa na prevenção primaria.

    Pelo “jeitinho brasileiro”, e, acaso você seja amigo do Vereador Sargento Juliano (de Santo André), então mudemos a conversa. Pode “queimar” os semáforos que quiser, pois “se tratava de motivo de força maior”. Pelo menos foi esse o motivo da condenação desse Vereador, conforme recente sentença prolatada pela Juíza Maria Lucinda da Costa.

  80. Digo e repito: Não cabe a “Polícia Civil”, nem de vez em quando, o policiamento ostensivo! As gcms cuidam do patrimônio municipal, não são policiais. A policia rodoviária federal faz fiscalização de ” trânsito ” e consequentemente ajuda na prevenção de crimes. Não cabe a Polícia Civil, nem mesmo a Polícia Federal , não rodoviária federal, fazer policiamento ostensivo, em momento nenhum e nem de vez em quando! Devem fazer suas atribuições de Polícia “judiciária”, jamais ostensiva! Não tem cabimento e nem fundamentação legal! Tirar um investigador, que o próprio nome do cargo diz, deve investigar, e colocá-lo fardado ou uniformizado pra fazer policiamento ostensivo. Isso é uma aberração e desvio de função! Enquanto isso menos de 1% dos homicídios do Brasil são ” investigados”. Pelo amor de Deus! Não tem cabimento! Pra quê? Só pra dar votos aos Políticos que querem uma Polícia que apareça? QUANTA IGNORÂNCIA! Que se dê urgentemente esse ciclo completo as Policias, aí acabam-se as ilegalidades e interpretações errôneas da C.F.

  81. dada (31/05/2015 às 4:12)

    dada, você quer acabar com:

    – Polícia Rodoviária Federal?
    – Polícia Ferroviária Federal?
    – Guarda Civil Metropolitana (poder de Polícia – Lei 13.022/2014)?
    – Bombeiros Civis?

    Como diz o Código Penal, “… qualquer um do povo pode dar voz de prisão…” e, sinceramente, nunca encontrei algo proibindo alguma instituição policial de fazer o ostensivo, nunca li algo que dissesse que a PM tem a exclusividade sobre o patrulhamento ostensivo. Se eu estiver errado, por favor mostre que eu agradeço.

    E ninguém está falando de tirar investigadores da investigação. A PC só precisaria abrir concurso para Agente Patrulheiro ou algo assim. Investigador deveria investigar (apesar que isso não acontece na PC porque o Inquérito fica com o escravão e o escravão é que funciona como investigador, o que é um dos muitos erros da PC).

    Se a PC não aproveitar este momento para desenvolver o ciclo completo (que nunca fez porque os delegados nunca tiveram interesse), a unificação vai ser bem mais difícil quando tiver que mudar a rotina de trabalho do dia pra noite e o que vai acontecer é que os PMs serão desmilitarizados? Provavelmente continuarão com a “CULTURA MILITAR” no ostensivo, porque cadê a “CULTURA CIVIL” de patrulhamento ostensivo? Quem vai ensinar se ninguém sabe?

    dada, a Polícia precisa mudar, ser mais eficiente, gastar menos e pagar melhores salários, ter um poder de resposta ao crime que mude o Brasil, porque a insegurança está fora de controle há décadas.

  82. PM é uma praga que tenta tomar tudo de todos…principalmente da PC. Os butinudos morrem de inveja de ser policia de verdade. E vamos lá…GCM não é policia e nem deve ser. O ” circo completo” vai fuder com a população…so inocente indo em cana das cagas melicianas . Imagina o monte de arbitrariedades que vão cometer. Isso não funciona. Não tem que haver tal circo e em contrapartida tem que botar no papel os P2 que pensam que podem investigar.

  83. Meu amigo, polícia de verdade é a PM. Parem de escrever asneiras! Nem eu sei o número da Polícia Civil que tenho que ligar quando estou numa emergência! Pare de ser ridículo!
    Isso sim é inveja! Seja realista!
    As guardas municipais compete a guarda do patrimônio municipal. A PRF compete a fiscalização e policiamento de “trânsito” apenas nas rodovias federais. A polícia ferroviária, a fiscalização das ferrovias, embora quase instintas. O policiamento ostensivo em todos os casos, estados, logradouros, cabe sim única e exclusivamente a Polícia Militar!!! O texto constitucional é claríssimo!!! Não cabe a Policia Civil de forma alguma!!! É competência exclusiva da PM, o policiamento ostensivo e a manutenção da ordem pública! A polícia civil compete a polícia ” judiciária “, é totalmente diferente. Mais claro impossível! Por isso se deve dar ciclo completo ou unificar as duas!!! Se não nem precisava perder tempo criando uma PEC pra isso. É ÓBVIO E CRISTALINO!!!

  84. É também é óbvio que qualquer Polícia ostensiva, mesmo de caráter civil, será mantida a base da hierarquia e disciplina. Serão os famosos paramilitares. Assim como as Guardas Municipais são hoje. O Mundo evolui a base da hierarquia militar e se for pra se ter parâmetros para fazer uma nova polícia, nunca serão os da Polícia Civil, que infelizmente é uma Polícia ineficaz e desorganizada. Não se iludam!!!

  85. 4º Às polícias civis, dirigidas por delegados de polícia de carreira, incumbem, ressalvada a competência da União, as funções de polícia judiciária e a apuração de infrações penais, exceto as militares.

    Façamos nosso feijão com arroz. Não cabe a polícia civil o policiamento ostensivo, preservação da ordem etc.
    Não temos efetivo,estrutura, treinamento e etc , adequados pra exercer essa função! Nem amparo legal. Repito: Nem de vez em quando! Não nos compete de forma alguma! NUNCA!!!
    Realizar uma cana usando identificação por meio de uniforme, distintivo e etc é uma coisa. Agora, policiamento ostensivo, manutenção da ordem e etc é outro universo totalmente diferente. Não confundam!

  86. Dada, a Constituição tem o seguinte texto:

    Art 144…

    § 1º A POLÍCIA FEDERAL, instituída por lei como órgão permanente, estruturado em carreira, destina-se a:

    IV – exercer, com EXCLUSIVIDADE, as funções de POLÍCIA JUDICIÁRIA da União.

    § 4º Às POLÍCIAS CIVIS, dirigidas por delegados de polícia de carreira, incumbem, ressalvada a competência da União, as funções de POLÍCIA JUDICIÁRIA e a apuração de infrações penais, exceto as militares.

    § 5º Às polícias militares CABEM a polícia ostensiva e a preservação da ordem pública; aos corpos de bombeiros militares, além das atribuições definidas em lei, incumbe a execução de atividades de defesa civil.

    Então:

    1. Onde está escrito que a PM tem a exclusividade do policiamento preventivo/ostensivo?

    2. Onde está escrito que a PC não pode ter um patrulhamento preventivo/ostensivo?

    A ÚNICA EXCLUSIVIDADE que a Constituição cita é sobre o ATOS DE POLÍCIA JUDICIÁRIA que são atribuições apenas da PF e das PCs (exceto nos crimes militares).

    Se eu estiver errado, por favor me mostre que eu agradeceria, mas não com a sua opinião ou a sua vontade e sim com o texto constitucional ou alguma lei.

  87. Dada,

    E nenhuma Polícia funciona no Brasil, toda a estrutura de PC/PM já é um impeditivo.

    Além disso, a PCSP sofreu grandes perdas com as gestões desde o PMDB (exceto pelo Franco Montoro) e com o PSDB a coisa descambou de vez:

    – Baixos salários
    – Via Rápida (demitir por crime sem julgamento criminal que veio para dar poder aos corruptos)
    – Aposentadora (perda significativa do salário na passagem para a aposentadoria)
    – Número insuficiente de policiais

    E sem falar de problemas crônicos que estão na PC desde que Cabral pisou aqui como as castas, metodologia de trabalho quase medieval etc.

    Aí ainda vem os partidos de esquerda, o Foro de São Paulo com as FARC e o dinheiro, as armas e as drogas do narcotráfico e o Brasil se torna esse caos que estamos vivendo.

  88. O texto constitucional é claríssimo e atribui funções as Polícias. Em trecho nenhum do art. 144 diz que compete a Polícia Civil o policiamento ostensivo. É exclusividade sim da PM, fora das rodovias e ferrovias, e nelas também para garantir a ordem pública. Mas claro que isso IMPOSSÍVEL!!! E obviamente que se o art. 144 permitisse e desse essa atribuição a PC, não seria necessária uma PEC para alterá-lo e dar ciclo completo a Polícia Civil. Qual a dúvida??? Precisa escrever ao contrário no texto? “À Polícia Civil não compete o Policiamento ostensivo e a manutenção da ordem pública “. Kkkkkkkkkkkkkkkkk

  89. Também não diz ser exclusividade da Polícia Civil a apuração de crimes, apenas à Polícia Federal em âmbito da união. Claro, usando seu modo de vista, que me desculpe, não está correto!

  90. dada,

    Se você estivesse certo, não existiria a GCM com poder de Polícia. Sequer as viaturas da PC poderia ser caracterizadas.

    A PEC ou PECs são em vários sentidos, basicamente no congresso o que eu mais ouço é que há dois grupos mais organizados, um defende a desmilitarização e unificação e o outro grupo quer quer a extinção da PM.

    O que estou defendendo é a PC criar um policiamento preventivo/ostensivo para criar uma CULTURA CIVIL DE PATRULHAMENTO e isso por três motivos:

    1. Com a economia, aumentar os salários dos policiais
    2. Facilitar a unificação e as mudanças de conceitos e hábitos na unificação
    3. E, mais importante para todos, aumentar a eficiência da Polícia

  91. Por essas e outras se faz necessária a aprovação de emenda a constituição. Caso contrário nem estaríamos debatendo. É necessária a PEC justamente porque não é só a Polícia Civil querer criar uma polícia ostensiva. É preciso amparo legal! Entendeu agora? Nos moldes atuais não cabe a Polícia Civil o policiamento ostensivo! Tão pouco as guardas! Podem dar poder de polícia as guardas quanto ao patrimônio municipal, nunca quanto as outras atribuições policiais. Pra isso, também se faz necessária a modificação do art. 144. Nenhuma outra lei é acima da constituição.

  92. Dada,

    A PC nunca foi proibida de fazer o preventivo, só não é obrigada, ou você vai dizer que as rondas são ilegais? Você pode não gostar das rondas ou que as escalas são abusivas, mas dizer que policial fazer ronda é ilegal seria um fato inédito na história da humanidade.

    Além disso eu sou defensor da carreira única, porque essa conversa de “isso não é minha função” é um dos piores problemas da PC.

    E a obrigação do ostensivo/preventivo é da PM. Mas se você acredita que só a PM pode fazer o ostensivo/preventivo, então precisa explicar isso ao STF, porque a Lei 13.022/2014 (poder de Polícia das GCMs) fala o seguinte:

    Art 3o

    III – patrulhamento preventivo;

    E o STF não derrubou a lei e ninguém mudou o art 144.

    Além disso, as PCs começarem a fazer o preventivo (com aumento do efetivo obviamente) só vai trazer agilidade, poder de resposta, eficiência, grande economia, criar uma cultura de policiamento de ciclo completo civil, vai estar preparada para receber os PMs quando houver a desmilitarização e a unificação e, o principal, dará mais segurança à sociedade. Então, por que alguém seria contra?

  93. Bom, isso é um assunto sem fim e a constituição é claríssima. Por isso é urgente a aprovação de uma PEC pra dar legitimidade a qualquer súmula vinculante e etc. Da forma que está policiamento ostensivo é absurdamente claro que é função única da PM.

  94. Também sou favorável a desmilitarização, unificação, e etc. Mesmo sabendo que desmilitarizar é da boca pra fora, pois uma nova polícia será com certeza paramilitar baseada na hierarquia e disciplina. Do jeito que está é que não pode ficar! Uma querendo fazer a função da outra, mesmo não tendo amparo legal e nem estrutura, principalmente pra fazer policiamento ostensivo que demanda mais treinamento, equipamentos, efetivo, viaturas, central de operações, comandos e etc etc etc etc etc, coisas que a polícia civil e guardas civis não possuem. Mexer na Constituição é urgentíssimo, pois o texto limita a atuação das Polícias atuais e obviamente nenhuma delas pode sair por aí fazendo o que “ACHA” que pode, quando na realidade “NÃO PODE”.

  95. dada (03/06/2015 às 2:49)

    dada, vamos ser sinceros

    Você acha mesmo que a Constituição proíbe policiais de fazer policiamento nas ruas?

    Esse argumento de que a PC não pode fazer o ostensivo/preventivo é o desejo da PM que tem medo de perder prestígio político e dos investigadores que não querem fazer ronda. Só isso.

    Se tivesse alguma razão jurídica, a PM e até os sindicatos dos investigadores já teriam resolvido isso no STF.

    E se um investigador diz que tem treinamento para investigar, mas não tem treinamento para fazer ronda que é uma atividade preventiva/ostensiva, significa que ele não pode nem entregar uma intimação, e aí?

    Justamente para não criar uma estrutura militar dentro da Civil que a PC precisa urgentemente criar um policiamento preventivo/ostensivo e desenvolver uma CULTURA CIVIL de policiamento preventivo/ostensivo.

    Além disso, vai ser muito mais barato e a economia pode se reverter para AUMENTO DE SALÁRIO e o motivo principal é que vai aumentar a EFICIÊNCIA DA POLÍCIA, vai AUMENTAR A SEGURANÇA DAS PESSOAS.

    Se eu fosse governador, já teria determinado que a PC começasse a fazer preventivo/ostensivo (não como operações ou rondas, mas de modo definitivo e contínuo) há muito tempo.

    Óbvio que isso não vai substituir toda a PM, mas é uma estrutura necessária para receber os PMs quando houver a unificação.

  96. Não adianta a Polícia Civil “querer” criar rondas ostensivas. Não há amparo legal para fazê-lo. Por isso se faz necessário mexer na Constituição. Ninguém pode sair por aí fazendo o que bem quer, e o art. 144 é claríssimo, a PC não possui essa competência, bem como não compete a PM investigar.
    Não confunda ir em uma operação com cumprir mandados de prisão, intimar pessoas, e etc com policiamento ostensivo.
    Uma coisa não é nem parecida com a outra.
    Imagine um Policial Civil fazendo ronda e passar, por exemplo, numa rua onde esteja tendo um roubo em andamento? Vai morrer sentado na vtr sem ter a quem pedir apoio!!! Esse é só um exemplo besta.
    Não existe essa estrutura justamente porque não é função da PC fazer “policiamento ostensivo”.
    Como já disse, circular uniformizado não quer dizer que esteja fazendo ostensivo! Sé estiver fazendo está desamparado pela C.F. e brincando de fazer segurança pública.
    Por essas e outras que se faz necessário mexer na Constituição para mudar essa “REALIDADE”. NESTE CASO QUERER NÃO É PODER!

  97. dada

    1. O texto constitucional é bem claro, mas fala justamente o contrário da sua afirmação. Se você acredita mesmo nesse erro, então tenta o SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL

    Porque até agora eu só vi a SUA VONTADE e não qualquer proibição constitucional.

    2. Se precisar de apoio da PC não tem porque a PC não tem uma estrutura de ostensivo/preventivo. Quando tiver, dará apoio. Por isso que, toda vez que se precisa de apoio quem chega é a PM. Eu já perdi o número de vezes que pedi apoio e quem chegou primeiro foi a PM.

    Agora, além de AGRADECER ao trabalho da PM no apoio, quero deixar claro que não estou alimentando uma disputa entre instituições, mas estou defendendo que a PC crie toda a estrutura necessária para fazer uma parcela do preventivo/ostensivo de modo regular e contínuo, para criar uma CULTURA CIVIL DE POLICIAMENTO PREVENTIVO para receber os PMs quando houver a desmilitarização e a unificação. e também, com a economia do preventivo civil, dar AUMENTO DE SALÁRIO. AJUDAR NA EFICIÊNCIA policial e, principalmente MELHORAR A SEGURANÇA DA SOCIEDADE.

  98. Não é a minha vontade. Se fosse permitido a PC fazer policiamento ostensivo já teria sido feito. NÃO É ATRIBUIÇÃO DA PC FAZER OSTENSIVO!!! É A VONTADE CONSTITUCIONAL!!! MEU AMIGO, É SÓ SABER LER!!! A PC compete as atribuições de Polícia Judiciária, NADA MAIS!!! SE PUDESSE NÃO PRECISARIA DE UM PEC!!! É tão difícil assim de entender!!! E não se iluda, a Polícia Civil a qual pertenço, NUNCA, irá receber os PMs. Obviamente pq será criada uma NOVA polícia! Talvez de caráter civil, porém baseada na hierarquia e disciplina! Ou Vc acha que vai ser a bagunça que é hoje?
    Não se iluda!!!
    Até as guardas CIVIS são baseadas nesse princípio!!!

  99. Vendo pelo seu ponto de vista, também não há nada que impeça a PM de investigar. Mas veja bem” PELO SEU PONTO DE VISTA”, que com certeza está equivocado.
    Não é função da PM investigar e nem da Pc policiamento ostensivo.
    Por essas e outras que estão tentando por em votação o “CICLO COMPLETO” para as Policias.
    É SIMPLES ASSIM.
    Se não entendeu, me desculpe, precisa por o cérebro pra funcionar.

  100. dada,

    “exercer, com EXCLUSIVIDADE, as funções de POLÍCIA JUDICIÁRIA da União.”

    “Às polícias militares CABEM a polícia ostensiva e a preservação da ordem pública; aos corpos de bombeiros militares, além das atribuições definidas em lei, incumbe a execução de atividades de defesa civil.”

    exclusivo – adj (excluso+ivo) 1 Que exclui; que tem força ou direito para excluir. 2 Incompatível com outra coisa. 3 Especial, privativo, restrito. sm Direito de não ter concorrentes numa indústria ou numa empresa.

    http://michaelis.uol.com.br/moderno/portugues/index.php?lingua=portugues-portugues&palavra=exclusivo

    caber (lat capere) vti 1 Poder estar dentro; poder ser contido; ter lugar: O povo quase não cabia na praça. A roupa não cabe na mala. vti 2 Poder entrar: O senhor não cabe por essa porta. vti 3 Ter obrigação de; competir a: Cabe ao chefe apreciar a competência e eficiência de seus subordinados. vti 4 Pertencer por equidade: A eficiência e competência nem sempre ocupam o lugar que merecem ou a remuneração que lhes cabe. vti 5 Ser da responsabilidade de; pertencer a: Não me cabe essa culpa. vti 6 Pertencer em partilha ou quinhão; tocar: Quanto lhe caberá na herança? Aí tendes o que vos cabe por herança. vti 7 Poder fazer-se; realizar-se ou suceder (dentro de um prazo): Tal discurso não caberá em uma hora. vti 8 Ser compatível com: Esse milagre não cabe nos dias em que vivemos. vint 9 Vir a propósito: “Não cabia dizer agora o que só mais tarde presumi descobrir” (Machado de Assis). Não caber em si ou não caber na pele de contente: transbordar de contentamento ou de júbilo.

    http://michaelis.uol.com.br/moderno/portugues/definicao/caber%20_920124.html

    Além disso, não é a minha ou a sua leitura que vale, é a do STF

  101. Discussão desnecessária,não lhe assiste razão. Se fosse tão simples assim não era necessária uma mudança na Constituição. Então pra quê fazer uma Pec, debater o assunto e deixar o legislativo legislar, o presidente sancionar e etc?
    Você está muito equivocado.Ninguém está falando de exclusividade, aí está o seu engano. Estamos falando de atribuições e obrigações constitucionais. Um enfermeiro pode dar uma medicação a um paciente, mas nunca receitá-la, pois não tem competência e nem amparo do Crm para assim fazê-lo. A função do médico, só o médico pode fazer. Vc já viu algum Policial Civil Bombeiro, apagando chamas? Claro que não, é função Constitucional dos COrpos de Bombeiros. Podem até ter bombeiros civis, mas só atuam em empresas privadas, nunca em resgates, salvamentos, perícias, liberação de alvarás e muitos etcs. Você está fazendo uma tremenda confusão!

  102. Sua visão das coisas:
    Fulano de tal, aqui nesta empresa o Sr dever apertar parafusos.
    Simples e claro não?
    Sua visão:
    Pérai, ele disse que minha função é apertar parafusos, mas não disse que o Ciclano tem exclusividade em bater pregos, então quer dizer que eu posso bater pregos, mesmo que o meu chefe tenha dito que devo apertar parafusos.
    Conclusão:
    Eu deixo de apertar os parafusos, bato pregos e não faço o que fui contratado pra fazer.
    E agora?
    Quem está apertando os parafusos?
    NINGUÉM!
    Conclusão:
    É a merda que está acontecendo hoje!
    Os policiais querem fazer o serviço dos outros policiais e não fazem o que devem fazer!
    Desvios de função sem critério nenhum.
    Aberrações !!!
    Cabe ao legislativo legislar, o judiciário fazer cumprir as leis, o executivo fazer.
    A única forma de mudar a atual situação das coisas é modificar a Constituição.
    Caso contrário continuaremos vendo muitas aberrações, ao ponto de daqui a pouco, as Guardas Civis Municipais estarem investigando crimes, pois pelo seu modo de pensar, nada no art. 144 da exclusividade a Polícia Civil pra fazer os trâmites de Polícia Judiciária.
    Pelo seu modo de ver as coisas,somente o art. 144 iria ser maior que a Bíblia.

    Art.144 ” Cabe a Polícia Civil as atribuições de Policia Judiciária “, não deve em hipótese algumaa apagar o fogo, fazer o policiamento ostensivo, apitar jogos de Futebol, fiscalizar as rodovias, fiscalizar os portos, fiscalizar os aeroportos, fiscalizar os extra terrestres, medicar os enfermos, extrair dentes e etc etc etc
    “Mas espera aí, não tá escrito que é exclusividade dos homossexuais darem a bunda em lugar nenhum, e um ministro do STF aprova”.
    Ahhhhh, então eu vou começar a dar a bunda porque eu posso!
    Kkkkkkkkkkkkk
    ME POUPE!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

  103. dada

    1. médico tem a EXCLUSIVIDADE para diagnosticar e receitar, enquanto isso CABE ao enfermeiro dar a medicação, mas nada impede do próprio médico dar a medicação, ou até um familiar. Entendeu a diferença:

    2. Se você acha que bombeiro civil só tem a atribuição de fazer vistoria em empresa, assista:

    O pior que essas informações são fáceis de achar.

    Essa coisa de investigador não querer fazer BO e ronda não é algo que pode existir numa Polícia séria.

    E as PECs estão preocupada com a PM e não com a PC, infelizmente, porque por mim seria mesmo criada uma Polícia de Carreira Única, mas alguns sindicalistas (principalmente de delegados e investigadores) são contra, aí começa aquela história de extinção de delegados (papel que o MP vai aceitar de braços abertos) e de investigadores (que os agentes e carcereiros já estão fazendo). E, nessa briga por carreiras, quem perde é a população que paga caro por um serviço que não é feito: a Segurança Pública.

    A PEC 51 do senador do PT Lindberg Farias, que falava sobre carreira única, desmilitarização e unificação etc, tinha o problema de federalizar a Polícia, e depois da divulgação do Foro de São Paulo, Petrobrás etc quem vai confiar? Além disso, o melhor é municipalizar. E, depois da PEC 51, não vi qualquer PEC com força querer mudar a PC.

    O que vai acontecer, não tenho a mínima ideia, mas sei de uma coisa: do jeito que está, não funciona.

  104. dada (05/06/2015 às 4:50)

    1. Agora você está dizendo que o problema não é constitucional, é administrativo. E eu concordo.

    A Administração da Polícia é algo que faz tanto sentido como o suicídio. A Polícia precisa mesmo sair do século XIX urgentemente.

    2. “…“Mas espera aí, não tá escrito que é exclusividade dos homossexuais darem a bunda em lugar nenhum, e um ministro do STF aprova”.
    Ahhhhh, então eu vou começar a dar a bunda porque eu posso!”

    Apesar do exemplo estranho, mas se for do seu gosto, ninguém tem a exclusividade sobre os atos homossexuais, então você pode se tornar um homossexual quando bem entender.

    3. A investigação se faz, pelo menos oficialmente, através de INQUÉRITO POLICIAL, então como se pode falar no cargo de investigador que não toca Inquérito?

    Eu já falei no blog no Guerra algumas vezes: por mim, já teria unificado as carreiras de escravão e investigador e triplicaria o número de policiais tocando IP. Como está, só o escravão carrega o piano das investigações e dos atos de Polícia Judiciária e isso é péssimo:

    – para a saúde do escravão
    – para o investigador, que fica sem função nos Inquéritos (sem função na investigação, o que é, no mínimo, bizarro)
    – para a Polícia, porque cria um gargalo produtivo
    – para a Sociedade, que tem uma Polícia de baixa eficiência

    O que não pode acontecer é meia dúzia de investigadores dizerem que a carreira não pode trabalhar nem dentro das delegacias (fazendo pelo menos BO) e nem fora (rondas). Aí a carreira acaba se extinguindo, porque como justificar a existência de uma carreira assim?

  105. Concordo com quase tudo que disse.
    Só discordo que a PM e PC tenham ciclo completo.
    Nenhuma das duas tem ciclo completo e por isso se faz necessária uma modificação na Constituição.
    Do jeito que está não pode ficar!
    Uma usurpando a função da outra, e ambas fazendo um serviço mal feito,incompleto, ineficaz e etc, quando não deveria haver essa divisão.
    Uma polícia eficaz nunca será totalmente civil nem totalmente militar.
    BASTA SER POLÍCIA!

Os comentários estão desativados.

%d blogueiros gostam disto: