Polícia Civil prende quadrilha que falsificava uísque na zona oeste 6

Da Redação – SP NOTÍCIAS

uisque
O galpão armazenava 1.800 garrafas vazias de uísque e vodca (foto:Polícia Civil)

Policiais do Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic) descobriram um novo desdobramento nas atividades do crime organizado: investir dinheiro do tráfico de drogas no comércio de bebidas falsificadas. Três pessoas foram presas na tarde de quinta-feira (11/6) desenvolvendo o esquema. A ação permitiu estourar dois depósitos e aprender 2.800 garrafas uísque e vodca. Os imóveis estão localizados na região de Pirituba, na zona oeste da Capital.

Segundo o delegado Carlos Alberto da Cunha, da 4ª Patrimônio (Delegacia de Investigações sobre Roubo a Condomínio), responsável pelo flagrante, as apurações apontavam uma diversificação de negócios no crime organizado. “Detectamos que parte do dinheiro obtido no tráfico de drogas estava sendo utilizado na compra de bebidas falsificadas de importantes marcas”, disse o delegado. A mercadoria abastecia restaurantes e casas noturnas da cidade de São Paulo.

As apurações permitiram identificar um possível ponto de distribuição. As equipes realizaram uma ação em um galpão na Rua Tatsuo Okachi, no Jardim Felicidade. O local armazenava 1.800 garrafas vazias de uísque e vodca. Os agentes também encontraram todo o aparato de falsificação: os líquidos para encher os vasilhames, rótulos, selos, tampas e até mesmo as embalagens de papelão com as marcas das bebidas.

A equipe da 4ª Patrimônio prendeu os vendedores J.D.C., de 59 anos, E.L.C., de 35, e H.L.C., o Nenzinho. Eles forneceram a localização de um novo deposito na Rua Constância da Conceição, na Vila Jaguari, na mesma região.

Os três presos foram autuados por falsificação e por associação criminosa. O material passará por perícia. O prosseguimento das investigações procura descobrir quais os estabelecimentos comerciais compravam as mercadorias falsificadas. Um exemplo é que uma garrafa de determinada marca de uísque 18 anos produzida pelos detidos pode custar aproximadamente R$ 650.

Com informações da Secretaria da Segurança Pública do Estado de SP

  1. Pena que é mais um crime que não punirá ninguém, imaginem o veneno que compõe o liquido para dar cor, aroma, sabor….próximos ao original. Tinham que tirar uma cadeia grandona, aliás, desculpem, isso não existe aqui!!!

  2. O que deve ter de chefe que ganhou uísque falsificado de presente.

  3. Esse dr. DA cunha eh fenomenal. Consegue transformar uma cana ridicula, de uns chechelentos de pirituba, numa mega operacao de crime organizado e trafico de drogas. Parabens.

  4. Esses se foderam… poucos meses atrás, quando o pcc ainda permitia a fabricação de maria louca nas cadeias, eles iriam ser reis lá dentro, agora se foderam!

  5. Hj foi liberada a vacina gratuita para professor, carteiro e policial militar

    Policial civil que se foda e morra de gripe

    Parabéns ao Conselho da PC.

    Depois cobram produção

  6. Eu tomo a vacina todos os anos lá na Brigadeiro Tobias de graça.
    Vamos nos informar antes de criticar, é fácil ficar sentado só reclamando

Os comentários estão desativados.