Promotoria investiga viagens de PMs de São Paulo a convite de empresas 13

REYNALDO TUROLLO JR.
ROGÉRIO PAGNAN
DE SÃO PAULO

Um grupo de oficiais ligados à cúpula da Polícia Militar de São Paulo é investigado pelo Ministério Público por ter feito viagens internacionais patrocinadas por empresas de segurança, potenciais fornecedoras da polícia.

Segundo a reportagem apurou, as investigações apontam que excursões de grupos de oficiais para o exterior pagas por empresas, sob a justificativa de conhecer novas tecnologias, são uma prática consolidada e recorrente na PM.

Como a Folha revelou em novembro passado, uma das viagens foi a do coronel Benedito Roberto Meira, então comandante-geral da PM, a Orlando, na Flórida (EUA).

Meira viajou com outros três oficiais, no início de novembro, para participar de uma feira sobre segurança —o coronel passou para a reserva em janeiro deste ano.

As despesas foram bancadas pela Motorola, uma das principais fornecedoras de equipamentos de comunicação da polícia, que havia vencido uma licitação de R$ 9,9 milhões uma semana antes.

À época, Meira afirmou que viagens bancadas por empresas eram comuns. “O que nós fizemos foi visando o interesse público e o interesse da PM de buscar novas tecnologias”, disse.

O inquérito que apura suposta improbidade administrativa nessa e em ao menos outras cinco viagens, realizadas em 2013 e 2014, foi instaurado pelo promotor Marcelo Milani, da Promotoria do Patrimônio Público e Social, após denúncia anônima.

Silva Junior/Folhapress
Benedito Meira, ex-comandante da Polícia Militar
Benedito Meira, ex-comandante da Polícia Militar

As supostas irregularidades desse tipo de viagem enquadram-se no artigo da Lei de Improbidade Administrativa que trata do recebimento, por parte de agente público, de vantagens de quem tenha algum interesse na ação do servidor agraciado. As punições previstas vão de multa a perda do cargo público.

Além de Meira, já foram ouvidos pelo Ministério Público o coronel da reserva Cesar Augusto Luciano Franco Morelli e o coronel Francisco Alberto Aires Mesquita, atual subcomandante-geral da PM.

Mesquita disse à Promotoria ter passado oito dias no Estado de New Hampshire (EUA), em dezembro de 2013, patrocinado pela fábrica de armas Sig Sauer, cuja sede teria ido visitar. Na viagem, ele teria sido acompanhado por outros cinco policiais, quatro oficiais e um soldado.

Pela legislação atual, as polícias brasileiras só podem adquirir armamento da indústria nacional, salvo mediante autorização do Exército.

Já Morelli mencionou ter viajado a Israel, custeado por três empresas de veículos militares, à França, patrocinado por uma empresa de segurança, e à África do Sul, bancado por uma fábrica de veículos blindados.

No último destino, ele teria sido acompanhado de mais cinco oficiais.

Outros oficiais da PM, suspeitos de terem participado de caravanas custeadas por empresas de segurança, devem ser ouvidos pela Promotoria nos próximos dias.

OUTRO LADO

A Secretaria da Segurança Pública afirmou, em nota, que os oficiais “viajaram a serviço, sempre com autorizações da Casa Civil, que foram publicadas no ‘Diário Oficial'”.

Segundo declaração do governador Geraldo Alckmin (PSDB), porém, viagens de agentes públicos devem ser pagas pelo Estado. A declaração do tucano veio após a revelação, em novembro passado, de que o ex-comandante-geral, coronel Benedito Meira, havia ido a Orlando patrocinado pela Motorola.

“Sempre que alguém for fazer viagem de trabalho, estudo, que agregue conhecimento, sempre o governo deve arcar com os custos disso”, afirmou Alckmin na ocasião.

Novamente questionada, a secretaria informou que, a partir dessa determinação, todas as viagens têm de ser custeadas pelo poder público.

A Motorola Solutions afirmou que “a empresa convida oficiais de segurança para conferências da indústria, a fim de conhecer produtos e tecnologias inovadoras […], em conformidade com a legislação local e internacional”.

A Folha não localizou a fabricante de armas Sig Sauer.

*

ENTENDA O CASO

Investigação

Após denúncia anônima, Promotoria do Patrimônio Público e Social instaurou inquérito para apurar suposta improbidade administrativa de oficiais da PM que tiveram despesas de viagens internacionais pagas por empresas de segurança

Destinos

Foram identificadas ao menos cinco viagens para Flórida (EUA), New Hampshire (EUA), França, África do Sul e Israel. Três oficiais já ouvidos pelo Ministério Público disseram ter viajado com outros dez policiais

O que pode ocorrer

Se forem processados e condenados, os PMs poderão sofrer as sanções previstas na Lei de Improbidade Administrativa, como perda da função pública, suspensão dos direitos políticos e pagamento de multa.

Transcrito da Folha de São Paulo ; nos termos do artigo 46 da Lei nº 9.610, de 19 de Fevereiro de 1998.‏

  1. Eu já sabia, que não caia no esquecimento foi este Benedito Meira que a pouco muitos da se aposentar passou a falar mal do governo e em especial da Polícia Civil, agora descobre-se que o honestão fez excursão com patrocínio coisa de gente muito honesta.
    Sem falar que ele como militar que ele foi e é deveria saber que é quase impossível a compra de material bélico quando há similar no industria nacional, nem vou entra no mérito se a Taurus presta ou não, mas viajar com grana de empresa bélica para conhecer produtos, $em nenhum Intere$$e faça o favor nem o mais dos ingênuos podem acreditar que não há interre$$es escusos, o $istema detecta da PM está ai para provar isto.
    Segundo, eles próprios, a PM seria a reserva moral da Estado, há que se fazer um revisão histórica, pelo visto lá só tem malandrão pagando de honesto, em especial entre s que se dizem de sangue azul.
    Enquanto isto o MP militar está fazendo o que?

  2. PROCURADORES, MAGISTRADOS, PROMOTORES E OFICIAIS PM - AQUI NÃO FALTA GRANA E MORDOMIAS disse:

    Ê LAIÁ…A FARRA DOS COXINHAS COM ESTRELINHAS É FARTA E INTERNACIONAL.

    PROVA PROVADA QUE PARA QUEM FAZ PARTE DA CASTA DESSE DESGOVERNO TUCANALHA, NÃO HÁ LIMITES PARA TRANSGRESSÕES.

    ENQUANTO OS POLICIAIS RALAM, SOFREM NOS PLANTÕES DA VIDA, NAS ESCALAS EXTRAS, OPERAÇÕES FAZ DE CONTA, PATRULHAMENTOS COM CHUVA E SOL, A CASTA DOS INÚTEIS CONTINUA USUFRUINDO DE TUDO QUE A LEI PERMITE E PRINCIPALMENTE, DO QUE ELA NÃO PERMITE ( MAS APENAS PARA A PLÉBE ).

    E ASSIM SEGUE A SOCIEDADE PAULISTA, ENGANADA E ILUDIDA, ACREDITANDO QUE AQUI NO TUCANISTÃO, TUDO É FEITO EM FAVOR DO INTERESSE PÚBLICO.

    JUSTIÇA ? KKKK…SÓ PARA OS INIMIGOS DO PSDB

    TUCANOS REALMENTE NÃO GOSTAM DE CORRUPÇÃO…MAS SÓ A DOS OUTROS.

  3. A PM de SP conseguiu, pelo menos no que realmente interessa, a patente de “GENERAL”, ainda que de maneira oblíqua, é claro: é que os coronéis quando passam para a inatividade recebem um plus nos seus vencimentos.

    A norma constitucional proíbe o generalato nas pms estaduais, mas, sempre há um jeitinho, né?

    Enquanto isso, na civil, ao se aposentar o servidor é despromovido caso não possua os 5 longos anos no CARGO/CARREIRA.

  4. Só internacionais entraram no bolo???

    Quer dizer que nunca houve pacotes de viagens nacionais em resorts bancadas pela indústria automotiva e outras de tecnologia?!

    Ainda bem que o MP averiguou e averígua direitinho a causa.

  5. O TJM/SP é tribunal de exceção e os Membros do MP Militar Estadual de SP, são figural folclóricas. As Justiças Militares Estaduais são feudos perniciosos da Justiça Brasileira.

  6. O MP não vai conseguir mexer nessa caixinha lacrada que é a instituição Polícia Militar, composta na sua maioria de valorosos guerreiros, os operacionais que se fodem 12 hs “pau dentro” de uma viatura pelas ruas. O alto clero da instituição é mais do que inviolável, existem essas viagens, a aquisição de equipamento de comunicação, de viaturas, da “maquiagem” que é feita no veículo para virar viatura e muitas outras coisas que pouquíssimos sabem. Até o padre da paróquia deles mete a mão….imaginem o resto!!!!

  7. FABIO, A POLÍCIA CIVIL FAZ APREENDE DESSAS MERDAS TODOS OS DIAS !

    GOSTARIA DE SABER ONDE ESTÁ A DIFERENÇA DESSES OPORTUNISTAS OFICIAIS PMS E OS APOSTADORES DO BINGO ?

    Pra mim os dois estão atrás de diversão.

    AO MEU VER QUEM GANHA NÃO É SÓ OS MAQUINEIROS É TAMBÉM OS APOSTADORES, LÓGICO QUE ALGUÉM TEM QUE GANHAR, AGORA NAS VIAGENS DOS OFICIAIS PMS É TODO O POVO QUE PAGA UM PREÇO MUITO ALTO PELAS VTRS, ARMAS, FARDAS, MUNIÇÕES, BOMBAS, BALAS DE BORRACHA, VEÍCULOS DESCARACTERIZADOS TOYOTAS, ETC. AQUÍ TEM MUITO MAIS VÍTIMAS . . . E O VALOR DO DANO TAMBÉM É BEM MAIOR !

  8. “… viagens bancadas por empresas eram comuns”: afirmou o então comandante-geral PM, oferecendo respectivas “motivações legais”, ou seja, alegando que tudo era prol do “interesse comum”.

    Muito mais comum é esse deslavado interesse CRIMINOSO da Operação Abafa, na Polícia Militar paulista, para tentar se eximir de responsabilidades, mediante “investigações” SEMPRE carregadas das mais toscas MENTIRAS. Revejamos o que comentei em 16/09/2014, neste Blog (em face da postagem intitulada: TRF DECIDE QUE LEI DA ANISTIA NÃO PROTEGE OS MILITARES QUE COMETERAM CRIMES), sobre o pífio resultado das “apurações” realizadas pela Polícia Militar paulista:

    16/09/2014 ÀS 14:03
    A “lei” do BANDIDO FARDADO que assinou o OFÍCIO Nº GABCMTG-3939/200/13, de 13/10/13 (Chefe de Gabinete do Cmt G da PM paulista), serve como anistia, à vista de crimes “perdidos no tempo” (decurso de prazo, prescritibilidade ou coisa que o valha), pois, é assim que ele se refere aos recorrentes registros de CRIMES e faltas disciplinares perpetrados na cúpula dessa nojenta instituição, conforme os documentei:
    “… os fatos trazidos pelo denunciante não encontram consonância fática com a realidade, quer seja pelo lapso temporal dos fatos descritos (1998 a 2010), quer pela inexatidão com que são apresentados”.
    Em resumo: bandido encontra atenuante para tudo. Ele afirma, descaradamente, que a culpa é de quem documenta os fatos, absolvendo, vergonhosamente, quem não os apurou, no citado interregno. Por que essa desbragada absolvição? Resposta: porque se puxar o fio desse novelo, restará ACACHAPANTEMENTE constatado que a diferença entre a PM carioca e a paulista é a cor da farda. Mesmas PATIFARIAS, mesma roubalheira, mesmas falcatruas. Talvez, por conta dessa nefasta absolvição, “ninguém” viu ou ouviu – exceto o então Tenente JOSEANE MONTEIRO DOS SANTOS LODI, durante a reunião de Oficiais do 10º BPM/M, em 24/04/02, o canalha e respectivo Comandante, Tenente-coronel WILSON ROBERTO SILVEIRA, escalar-me no CDP de Santo André, sob o definido propósito de “apertar e meter a caneta” nos “polícia de lá”, pois eles o denunciavam por “venda de policiamento”, mediante o emprego das Bases Comunitárias Móveis da Polícia Militar.
    É em nome dessa “amnésia geral” que também “esqueceram”, encartado no PD Nº DS-003/06/04, desde 20/05/04, o Termo de Declarações do identificado Tenente, relacionando minha escala de serviço naquele CDP com o uso das tais Bases Comunitárias, como se esse verdadeiro absurdo não fosse traduzido em mais que suficiente consonância fática para expulsão do mencionado “vendedor da PM”. Como se essa prática não fosse tão contumaz, exaustivamente explorada e esmiuçada quando a bomba da “Caixinha do Guarujá” explodiu (reportagens do Jornal Folha de São Paulo, de 08, 09 e 13/04/94, de autoria do mesmo jornalista, Marcelo Godoy, o qual, já no Estadão, em 11/05/01, pôs a nu as PATIFARIAS reinantes no Centro Médico PM.
    Como PATIFARIA pouca é bobagem, o citado Tenente-coronel é assessor do Vereador Coronel Edson Sardano, na Câmara Municipal de Santo André. A bem da MENTIRA, esse “digno do Oficialato” e “nobre” Vereador integra a “Comissão da Verdade” para “apurar” crimes cometidos por militares em tempo pretérito ao citado pelo canalha do outro Gabinete (o do Comando-geral). É por isso que viram a “lógica” do tamanduá “cuidando” do formigueiro, confiantes, portanto, na “segurança” que outro LADRÁO FARDADO – ex-Soldado PM CLAUDINEI DOTA – proporcionava no tal CDP, facilitando a fuga de 11 (ONZE) presos, dentre os quais um integrante do “PCC” (Reportagem do Jornal Diário do Grande ABC, de 01/06/02).

  9. “A VERDADE É FILHA DO TEMPO” (Galilleu Galilei).

    A PILANTRAGEM PERDIDA NO TEMPO (esta é de minha inopinada autoria). Ocorreu-me. Num repente, inventar essa frase. Dedico-a ao BANDIDO FARDADO, Coronel Camilo, pela safadeza de me ter acusado, SEM PROVAS (PD Nº CMTG-105/362/10), em cuja fase de instrução “recomprovei” o óbvio, ou seja, o que reinava nos quartéis pelas quais me puseram a perambular, em nome das movimentações “por conveniência do serviço público” às quais tanto fui subjugado. Pela oportunidade, desbanquei outros pilantras que se chafurdavam na pocilga desse Coronel FACÍNORA, a exemplo do Capitão CARLOS ARTHUR SARMENTO DE OLIVEIRA que queria “comer” a esposa do então Soldado PM RONALDO DE MOURA ANDRADE, ex-esposa de um policial civil o qual foi ao quartel do CRPM, sob visível transtorno psicológico – à vista do seu desfeito enlace conjugal -, para assassinar o Sd PM Moura, Este, escondido e trancado numa sala, pelos próprios PREVARICANTES, chegando a perder o horário de almoço, com a participação (ativa) do Chefe dele, Capitão Arthur. Tive ciência desse lamentável episódio ao retornar de tratamento fisioterápico. Ainda que eu o tivesse presenciado, teria, no máximo, de cumprir O QUE A LEI MANDA: desarmar e prender, em flagrante delito, o iminente agressor, por tentativa de assassinato e porte ilegal de arma, já que ele estava impedido de tal, em razão de tratamento psiquiátrico, afastado do serviço em decorrência daquela crise matrimonial. Eu DEVERIA, embora não exercesse nenhuma função naquele quartel, o CRPM, ter agido como já descrevi, caso me deparasse com a citada flagrância delituosa, obviamente. Estar sem função (por improbidade administrativa perpetrada pelo Tenente-coronel PM LUIZ FLÁVIO CODELO NASCIMENTO, e, continuado pelos seus COMPARSAS, Major PM ANTÔNIO RODRIGUES DE MORAES, Tenente-coronel EDUARDO PERIRA DA SILVA e Major PM DANIEL CÉSAR SIMÔES TEIXEIRA) não me serviria como “motivação legal” que me eximiria de responsabilidades.

    Vejamos, enfim, como efetivadas, pelo sem-vergonha, Capitão Arthur, as muito “imparciais investigações” daquela tentativa de assassinato: que “comer” a mulher do subordinado! Não lhe bastou praticar CRIME DE ASSÉDIO SEXUAL: foi “anistiado” pelo que seria o maior interessado, o Sd PM RONALDO DE MOURA ANDRADE. Este, apesar de por mim orientado a fazer que as “cantadas” fossem gravadas, em aparelho celular (ou por outro meio qualquer), aquiesceu para que tudo “acabasse em pizza”, anuindo com o absurdo de “anistiar” o identificado assediador sexual!

    PATIFARIA pouca é parcimônia na Polícia Militar paulista, senão vejamos o ANTRO escolhido para “instrução” do PD Nº CMTG-105/362/10: o 10º BPM/M, em Santo André, em 210, eleito como “minha última Unidade”, depois que falsificaram minha passagem à inatividade, no início daquele ano.

    Acusação: “Por ter 02/12/2009, protocolado na Administração do Cmdo Pol Metropol as Partes nº CRPM-122 e 123/14/09, ambas datadas em 01/12/09, por meio das quais, ironicamente, atribui farsas e omissões a Oficiais do CRPM, sem fundamentação, conforme restou aprovado na Investigação Preliminar nº CRPM-1/06/10, cujos autos seguem anexos. Dispensa-se a manifestação preliminar nos termos do Art. 28 do RDPM”.

    Coronel Camilo: tome vergonha nessa cara “de monge tibetano”. Seu caráter é absolutamente conspurcado. Não respeitou nem o local apropriado, ou campo, para datar, no tal PF, essa aberratio de libelo acusatório. Assinou “João da Cruz”, em nome desse nefasto e criminosos corporativismo que torna a PM paulista uma das mais onerosas e ineficazes instituições do Planeta Terra, a sustentar uma avassaladora corja de PILANTRAS, seus comparsas. Se fosse despojada de tamanha truculência, piorada pela dilapidação do erário, até que mereceria relativa ponderação. Arranquei da presidência desse famigerado PD o SAFADO, Major PM LUIZ ANTÔNIO DANTAS VALENTE, por explícita tendência (parcialidade) ao não “querer” constar as PATIFARIAS dos depoentes, ou seja, queria fazê-lo seletiva, covarde e criminosamente. Se o mínimo de moralidade administrativa restasse no descrito ANTRO, o 10º BPM/M, também teria sido enxotado aquele novo Presidente, Major PAULO CÉSAR FREITAS RODRIGUES. O citado ANTRO, ao me negar a solução dessa estúpida acusação, conforme REQUERIMENTO que lá protocolei (apesar de que nem isso seria necessário), já diz tudo do que é capaz, ocultar CRIMES e mais CRIMES.

    Resumindo: a cúpula da PM paulista é espécie fétida e irrecuperável de “PMTROBRAS”.

    “FIFA de botas” é outro codinome que muito bem a identificaria.

O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade civil e penal do comentarista que venha a ofender, perturbar a tranquilidade alheia, perseguir, ameaçar ou, de qualquer outra forma, violar direitos de terceiros.O autor do comentário deve ter um comentário aprovado anteriormente. Em caso de abuso o IP do comentarista poderá ser fornecido ao ofendido!...Comentários impertinentes ou FORA DO CONTEXTO SERÃO EXCLUÍDOS. Contato: dipolflitparalisante@gmail.com

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s