Brasil já é o maior do mundo , segundo ONU 40

Consumo de cocaína no Brasil é 4 vezes superior à média mundial

Jamil Chade – Correspondente de O Estado de S. Paulo

26 Junho 2015 | 06h 54

Prevalência de usuários supera a dos Estados Unidos; segundo ONU, País se tornou o maior centro de distribuição da droga

GENEBRA – O Brasil se transforma em um dos maiores mercados para a cocaína, com uma prevalência que supera a dos Estados Unidos e atinge mais de quatro vezes a média mundial. Os dados foram publicados nesta sexta-feira, 26, pelo Escritório de Drogas e Crimes da Organização das Nações Unidas (UNODC, na sigla em inglês), que também revela que o Brasil passou a ser o maior centro de distribuição de cocaína no mundo da última década, citado em 56 países como o local de trânsito da droga.

Segundo a ONU, produção de coca no mundo parece ter atingido seu ponto mais baixo desde 1990. O informe também aponta para uma contração nos mercados dos Estados Unidos e da Europa.

Cocaína apreendida pela PF no Aerporto de Cumbica, em Guarulhos, na Grande São Paulo; 30% da droga confiscada no País tem o mercado externo como objetivo
Cocaína apreendida pela PF no Aerporto de Cumbica, em Guarulhos, na Grande São Paulo; 30% da droga confiscada no País tem o mercado externo como objetivo

Mas é o consumo na cocaína na América do Sul que mais preocupa e o Brasil segue uma tendência inversa. A taxa de prevalência da droga na região passou de 0,7% da população em 2010 – com 1,8 milhões de usuários – para 1,2% em 2012, um total de 3,3 milhões de pessoas. As taxas sul-americanos são hoje três meses a média mundial e parte do aumento teria ocorrido por causa do aumento do mercado no Chile e na Costa Rica.

“Mas o aumento do uso de cocaína na região é liderada pelo aumento do uso no Brasil, que é o maior mercado de cocaína na América do Sul”, alertou a ONU. “Apesar de não haver uma pesquisa recente no Brasil, extrapolando dados a partir de pesquisas com estudantes universitários, a UNODC estima que a prevalência do uso da cocaína seja de 1,75% da população adulta do País”, indicou.

O dado se contrasta com a estimativa da ONU de que a cocaína seja consumida por 0,4% da população adulta mundial. Se ela continua elevada na América do Norte e na Europa, o informe revela também que existe uma “tendência geral de queda” nesses mercados.

Nos Estados Unidos, a estimativa é de que a prevalência da cocaína chegue a 1,6% da população a partir dos 12 anos de idade. No total, o mundo contaria com um total de 17 milhões a 20 milhões de usuários da droga.

Neste ano, o informe aponta para uma queda do cultivo da coca, chegando a seus menores níveis desde 1990. Na Colômbia, a capacidade de produção seria a menor desde 1996. Mesmo com um cultivo mundial equivalente a 170 mil campos de futebol, a destruição de áreas levou a uma redução da plantação em 10% entre 2012 e 2013.

Para a ONU, a queda do cultivo pode ter tido um impacto também na queda do consumo, com menor acesso ao produto nos Estados Unidos e no Canadá. Ações coordenadas entre vários países e uma guerra entre grupos criminosos também ajudaram na redução do consumo.

Trânsito. O Brasil ainda foi mencionado 1,7 mil vezes como país de trânsito entre 2005 e 2014. Em termos de citações, é superado pela Argentina, mencionada em cerca de 2,1 mil casos em dez anos. Mas o número de países que indicaram o Brasil é o maior do mundo, revelando que o território nacional seria a maior base de exportação da droga.

Quarenta e cinco países de destino da cocaína mencionaram a Argentina como ponto de trânsito, contra 31 para a Colomba. Incluindo todas as demais drogas, apenas o Paquistão supera o Brasil, com 178 países do mundo o citando local de trânsito da heroína.

“Por conta de sua posição geográfica, o Brasil tem um papel estratégico no tráfico de cocaína, e os confiscos dobraram no País em 2013 para mais de 40 toneladas”, indicou a ONU.

“A cocaína entra no Brasil por avião, por terra (carros, caminhões e ônibus), por rio (barcos que cruzam o Amazonas), antes de ser enviada para o exterior, principalmente para a Europa, tanto de forma direta como via África”, declarou a ONU – 30% da droga confiscada no Brasil tem o mercado externo como objetivo.

Somando todas as drogas ilícitas, a ONU estima que existam 246 milhões de usuários no mundo, pouco mais de 5% da população entre 15 e 64 anos de idade – 27 milhões de pessoas seriam dependentes, dos quais metade por drogas injetáveis.

  1. O Brasil não é produtor, mas talvez seja o país que oferece mais facilidades para a entrada de entorpecentes do que qualquer outro no planeta. O foco principal das forças de segurança deve ser coibir a entrada da droga no território brasileiro, e não o que se vê no dia a dia, quando se faz o maior estardalhaço pela apreensão de uma duzia de porções de cocaína, por exemplo.

  2. Parabéns DILMA, já pode se orgulhar com um grande feito seu…..

  3. Na década de 90 perdi colega por causa de droga injetável (pegou HIV e morreu). Quem usa drogas é imbecil, no começo se auto julga o espertão, descolado, mas quando está enterrado e não consegue mais largar, “cai a ficha” do buraco sem fundo que se meteu e aí às vezes é tarde demais. Lamentável.

  4. RELATÓRIO SOBRE AS QUESTÕES ABORDADAS NO SEMINÁRIO “A ATUAÇÃO DAS POLÍCIAS E DA JUSTIÇA NO ESTADO DE SÃO PAULO”.

    As Seções Regional de São Paulo e Brasileira da IPA realizaram, nos dias 19 e 20 de maio de 2015, no auditório Santander da Universidade Cruzeiro do Sul, na rua Galvão Bueno nº 868, no bairro da Liberdade, um Seminário em que foram debatidas questões cruciais da segurança pública e da justiça no Estado de São Paulo.
    Para o evento foram convidadas, formal e insistentemente, as principais autoridades das áreas envolvidas. Lamentavelmente, muitas delas não compareceram, mas, mesmo assim, o evento coroou-se de pleno êxito.

    Abertura dos trabalhos: 9 horas de 19/5

    Composição da Mesa de Honra

    A Mesa de Honra foi composta pelo presidente da IPA, Jarim Lopes Roseira, que recepcionou as seguintes autoridades convidadas:
    a) Exmo. Sr. Desembargador José Renato Nalini, presidente do Tribunal de Justiça de São Paulo;
    b) Exmo. Sr. Coronel PM Reinaldo Zychan de Moraes, Comandante do Policiamento da Capital – CPC, que no ato representou o Comandante Geral Cel. Ricardo Gambaroni;
    c) Exmo. Sr. Coronel PM Washington Luiz Gonçalves Pestana, Chefe da Assessoria Policial Militar do Tribunal de Justiça;
    d) Exmo. Sr. Delegado de Polícia e professor da Academia de Polícia, Dr. Rafael Francisco Marcondes de Moraes, que representou o Delegado Geral de Polícia;
    e) Exmo. Sr. Professor Wagner Antonio Alves, que representou a magnífica Reitora da Universidade, Dra. Sueli Cristina Marquesi;
    f) Exmo. Sr. Professor João Alexandre dos Santos, presidente do Centro de Estudos em Segurança Pública e Direitos Humanos;
    g) Exmo. Sr. Professor Dr. Haroldo Ferreira, 1º Vice-Presidente da IPA;
    h) Exmo. Sr. Ten-Cel. PM Edson Sant’Anna Fabri, diretor de Assuntos Sociais da IPA;
    i) Exmo. Sr. Escrivão de Polícia e Jornalista Horácio Garcia de Oliveira, presidente da Associação dos Escrivães de Polícia do Estado de São Paulo.

    Composta a Mesa, foram executados os hinos Nacional e da IPA.
    Em seguida, o presidente da IPA deu por instalados os trabalhos do Seminário, resumiu os objetivos deste, previamente difundidos, e voltados à atuação das Polícias e da Justiça na luta contra a criminalidade que intranqüiliza São Paulo e o Brasil, passou a palavra ao Desembargador José Renato Nalini, presidente do Tribunal de Justiça, para a fala inaugural.

    Primeira Palestra (9:30 às 10:30) – Desembargador José Renato Nalini

    Depois de enaltecer a iniciativa da IPA e tecer breves considerações sobre as propostas do Seminário, o ilustre magistrado se propôs a discorrer sobre o tema que lhe coube abordar, a Audiência de Custódia.
    Antes porém, o Dr. Nalini asseverou que segurança pública é dever do Estado, direito e responsabilidade de todos. Vivemos dias de violência. Violência da insensibilidade das pessoas, que pouco se importam com as 15 mil pessoas moradoras de rua na cidade de São Paulo, quando se sabe que a rua não é lugar para ninguém morar. Falou do abandono da ética.
    Destacou a importância do trabalho policial e disse que hoje, em lugar de se defender o bom policial, o que ganha manchete é a eventual violência de um caso isolado. Admitiu que o governo não pode resolver todos os problemas. As pessoas entram em juízo por qualquer coisa, com isso acarretando um número absurdo de 100 milhões de processos para uma população de 200 milhões de pessoas. Falou da crise moral e de cidadania. Apontou a degradação atual, em todos os níveis, do centro de São Paulo, o que disse ser lamentável.
    Discorrendo sobre a Audiência de Custódia, auspiciosa novidade que passou a ser adotada no Estado de São Paulo, ainda a título experimental, nas áreas dos Distritos Policiais da 1ª e 2ª Delegacias Seccionais de Polícia do DECAP, disse tratar-se de significativo avanço decorrente de deliberação do Pacto de São José da Costa Rica que, em síntese, obriga que toda pessoa presa em flagrante delito seja, imediatamente, submetida à apreciação e decisão da autoridade judiciária competente.
    Asseverou que conquanto a medida já constasse do ordenamento jurídico-constitucional brasileiro, somente agora vem sendo efetivamente cumprida, significando alvissareiro progresso social.
    A título ilustrativo dessa performance, disse o ilustre Desembargador que de fevereiro a março deste ano, quando a medida entrou em vigor, para as 453 prisões em flagrante ocorridas no território das duas Seccionais, foram expedidos 146 alvarás de soltura e concedidos 25 termos de exibição de fiança.
    Dizendo que prisão é fator criminógeno, lamentou que no Brasil as pessoas não tenham apreço pela liberdade, diferentemente da cultura do povo alemão, por exemplo, onde há penas de prisão por uma ou por duas horas, ou seja, uma pena moral. Lamentou estarmos perdendo algumas batalhas, como aquela contra as drogas.
    Ao término de sua brilhante exposição, o Desembargador Nalini se disse entusiasmado com a inovação representada pela audiência de custódia, certo de que os 2.500 magistrados de São Paulo contribuirão decisivamente para a plena implantação da nova sistemática jurídica em todo o Estado. Foi bastante aplaudido.
    Em agradecimento, o presidente da IPA ofertou-lhe um mimo e uma flâmula da entidade, o mesmo fazendo a Coopmil com um brinde institucional da empresa.

    Das 10:30 às 11:00 horas fez-se a tradicional coffe-break para os participantes.

    Segunda Palestra (11 às 11:40 hs.) – Cel. Reinaldo Zychan de Moraes

    Na seqüência, falou o segundo palestrante, o Coronel PM Reinaldo Zychan de Moraes, Comandante do Policiamento da Capital, que dirige o efetivo dos oito comandos de policiamento de área (CPAs), com mais de vinte batalhões que cobrem toda a área da capital do Estado, com seus 1,5 milhão de quilômetros quadrados e mais de 13 milhões de habitantes, entre a população fixa e flutuante.
    Mostrou através de projeções, as estratégias adotadas para o atendimento do grande número de ocorrências policiais de toda natureza, demandando o emprego de numerosos efetivos e muitas viaturas, nos quatro turnos de trabalho. São viaturas de radiopatrulhamento, com dois policiais cada uma; de Força Tática, com três policiais, além de 176 motocicletas, para atuar com maior agilidade no trânsito.
    Destacou que em São Paulo raros são os dias que não tem pelo menos uma crise instalada, com os chamados movimentos sociais, as manifestações de protestos, passeatas e reintegração de posse determinadas pela Justiça. Disse que essas crises precisam ser cuidadosamente gerenciadas, muitas vezes com o emprego de serviços públicos integrados (Bombeiros, CET, DSV, SAMU), além do deslocamento de boa parte do efetivo e das viaturas que deveriam estar disponíveis para o policiamento.
    Mostrou como atua o COPOM (Centro de Comunicações e Operações da Polícia Militar), órgão de fundamental importância no georeferenciamento dos locais de crises e na efetivação do policiamento preventivo, recebendo e retransmitindo todo o tipo de ocorrências. Afirmou que o órgão, através das suas 210 posições, operadas por policiais com domínio de inglês e espanhol, recebe cerca de 40 mil ligações/dia, das quais 2 mil são trotes. Explicou como funciona a Sala de Situação, com a interação de diversos órgãos de prestação de serviços públicos e o Sistema Olho de Águia, que integra as 382 câmaras da Prefeitura, da GCM, CET, CPTM, SPTrans e Vivo, gerando 572 unidades de imagem.
    Finalizou dizendo que todo esse aparato é utilizado com vistas a propiciar maior segurança à comunidade, reconhecendo não ser essa uma tarefa fácil.
    Mereceu aplausos.
    Em demonstração de reconhecimento, os diretores da IPA ofertaram ao palestrante um mimo e uma flâmula da entidade, no que foram seguidos pela representante da Coopmil, que também lhe entregou um brinde institucional.

    Terceira Palestra (11:40 às 12:30 hs.) – Profesor João Alexandre

    Coube ao Professor João Alexandre dos Santos, diretor do Centro de Estudos em Segurança Pública e Direitos Humanos, discorrer sobre a questão do uso indiscriminado de drogas de todo o tipo, com foco na chamada “Cracolândia”, que hoje está disseminada em trinta pontos da cidade de São Paulo, com mais de mil usuários de crack, em adiantado estado de dependência.
    Falou da multiplicação do consumo em espaços públicos, assunto multidisciplinar e transversal. Disse que muitas vezes a Polícia assume responsabilidades que não são suas e que, por fazer aquilo que não é sua de sua obrigação, o policial muitas vezes deixa de fazer aquilo que é do seu dever fundamental.
    Verberou contra a leniência do aparato legal em vigor, pouco eficaz na prevenção e na repressão ao uso e ao tráfico de drogas ilícitas.
    Na mesma linha falou que o tráfico e o uso de drogas são crimes transnacionais e de conectividade, constituindo-se, juntamente com o tráfico de pessoas e o de armas, nas três maiores fontes de renda ilícitas em qualquer parte do mundo.
    Ressaltou que, enquanto isso, o parágrafo 7º do Artigo 144 da Constituição Federal, que manda que uma lei discipline a “organização e o funcionamento dos órgãos responsáveis pela segurança pública, de maneira a garantir a eficiência de suas atividades”, essa lei simplesmente ainda não existe! Criticou os baixos salários pagos aos policiais de São Paulo, condição que reputa inaceitável.
    Disse da dificuldade de reprimir o tráfico praticado por adolescentes, muitos dos quais se tornam contumazes, chegando a ser conhecidos dos policiais que os apreendem e os conduzem à presença da autoridade, que, muitas vezes, reputa inútil fazer o procedimento previsto na lei.
    Registrou, sempre em linguagem de fácil compreensão, que o Brasil, que antes era conhecido como país-rota, passou à condição de país consumidor, fruto de uma política nacional temporária, instável e de leis brandas e inaplicáveis.
    Falou que o chamado Terceiro Setor, atuando muitas vezes de forma destorcida, limita-se a criticar o trabalho da Polícia, ao invés de contribuir para a implementação das políticas públicas.
    Referiu-se a um acompanhamento científico feito com dez dependentes, durante dez anos e que, depois desse período, apenas dois deles sobreviveram. Isso é muito grave, disse, e revela que a questão da Cracolândia é um problema de falta de prioridade por parte dos gestores públicos, que optam por colocar os recursos da Operação Delegada na repressão a camelôs, como se isso fosse a primeira prioridade.
    Arrematou que o tráfico atua como uma atividade econômica, com vendedor, distribuidor e fornecedor. Coibindo-se essas três etapas, estanca-se o problema, disse.
    Franqueada a palavra à platéia, o Escrivão de Polícia Paulo Dantas Fonseca questionou se não era o caso de se adotar a teoria de “janela quebrada”, ao que o expositor concordou, dizendo: “sim, desde que seja aplicada para todos os níveis”.
    Também da platéia, o presidente da AEPESP, Horácio Garcia fez breves considerações, começando por condenar o que chamou de “trabalho por meta”, que vem sendo adotado, de forma equivocada pela direção da Polícia Civil, em detrimento da estruturação e do aumento dos recursos humanos, resultando que não se tem condição de sequer concluir os inquéritos já instaurados, quanto mais os que venham a surgir. Em resposta, o palestrante disse reconhecer que a falta de pessoal e de um salário condizente é um absurdo inconcebível, citando o fato de que o Delegado de Polícia de Pontal, acumula a Delegacia de Sertãozinho, cidades relativamente populosas e distantes uma da outra. E isso se repete em várias regiões do Estado.
    Quando encerrou sua fala, o palestrante foi bastante aplaudido.
    A exemplo do que se fez com os demais expositores, a IPA, pelo seu presidente e diretores, agradeceu e o brindou com um mimo e uma flâmula da entidade, no que foi seguido pela representante da Coopmil, que também o presenteou.

    2º Dia – Quarta Palestra (9 às 10:30 hs.) – Professor Rafael Francisco Marcondes de Moraes

    A primeira palestra do dia 20/5/2015, ficou a cargo do Dr. Rafael Francisco Marcondes de Moraes, Delegado e Professor da Academia de Polícia, o qual abordou o tema Maioridade Penal aos 18 anos – Diminuir esse limite soluciona o problema?
    Ancorado num bem elaborado quadro sinótico, depois de breves considerações sobre o tema, o expositor mostrou o Artigo 228 da Constituição Federal que consagra que “são penalmente inimputável os menores de dezoito anos, sujeito às normas da legislação especial”, assim como exibiu aspectos da lei nº 8.069/90, o Estatuto da Criança e do Adolescente – ECA.
    Teceu considerações sobre a PEC 171 (Proposta de Emenda Constitucional), que trata da redução da maioridade civil para dezesseis anos. Disse que aos dezesseis anos o menor pode votar, embora facultativamente, e, aos dezoito, já pode ser votado.
    Falou do Projeto de Lei nº 5554/13, originário do governo do Estado de São Paulo, propondo a ampliação do tempo de privação da liberdade do menor infrator, dos atuais três anos para oito anos. Disse que o principal objetivo da medida é o de terminar com a sensação de impunidade. Por outro lado, afirmou que “não adianta ter pena de 30 anos, se não se cumpre. É preciso alterar o cenário e aumentar a certeza da punibilidade”.
    Nessa linha, finalizando sua bem fundamentada exposição, afirmou ser fundamental estimular a paternidade responsável, fazendo com que a educação venha do berço.
    Foi aplaudido pelos participantes do evento.
    Seguindo a praxe, diretores da IPA agraciaram o jovem expositor com um mimo e uma flâmula da entidade, no que foram seguidos para representantes da Coopmil, que igualmente o mimosearam.

    Das 10:30 às 11 horas, fez-se a tradicional coffee-break para os participantes

    Quinta Palestra (11 às 11:40) – Professor Renato Del Moura

    O segundo palestrante do dia foi o Escrivão de Polícia e Professor Universitário, Dr. Renato Del Moura, que durante alguns anos exerceu as funções de Escrivão-Chefe da Divisão de Prevenção e Educação do DENARC (Departamento de Investigações sobre Narcóticos) do Estado de São Paulo.
    Tomando por base a Lei nº 11.343/2006 (“Lei de Drogas”), sobre a qual teceu algumas rápidas considerações, o Professor Renato, de forma didática, passou a discorrer sobre os males causados pelos mais diversos tipos de drogas. Antes porém falou da atuação da SENAD (Secretaria Nacional de Combate às Drogas) e da disposição do Artigo 28 da Lei nº 11.343/2006.
    Na seqüência, utilizando-se de projeção eletrônica, começou a descrever o que disse ser a droga mais prejudicial na atualidade, o chamado crack, que nada mais é que o refugo da cocaína transformado em pedra, sendo cinco vezes mais danosa que qualquer outra. Depois mostrou o oxi, que é uma mistura de crack, cal, querosene e gasolina. Falou do ecstasy , estimulante e perturbador mental; da maconha, que entra na corrente sanguínea em cinco minutos e causa efeitos psíquicos, delírios e alucinações.
    Mostrou igualmente os efeitos maléficos de outros esteróides e anabolizantes, que provocam alterações das funções orgânicas.
    Por último, falou de uma nova, terrível e mortal droga, ao que consta proveniente da Rússia, e que tem o nome de krokodil, cujo uso provoca o descolamento da carne dos ossos, matando o usuário em curto espaço de tempo.
    Encerrando sua esclarecedora exposição, o professor Renato, falando do alto de sua larga experiência, chamou a atenção para as duas principais causas do ingresso de crianças e adolescentes no mundo das drogas: a curiosidade e as amizades.
    O expositor foi aplaudido pelas pessoas presentes e os diretores da IPA, a exemplo do que fizeram com os demais palestrantes, ofereceram-lhe um brinde e uma flâmula da entidade. A representante da Coopmil também ofertou-lhe um brinde oferecido pela empresa.

    Sexta palestra (11:40 às 12:20) – Professor Marcos Tupinambá Martins Alves Pereira

    Encerrando o ciclo de palestras do Seminário, foi a vez do Investigador e Professor da Academia de Polícia Marcos Tupinambá Martins Alves Pereira, especialista em crimes cibernéticos, chefe do Laboratório respectivo do DIPOL (Departamento de Inteligência da Polícia Civil). Tem cursos e estágios feitos no Brasil e no exterior.
    Iniciando sua enriquecedora palestra, o ilustrado professor disse que os crimes de calúnia, difamação e injúria, consta do código penal desde sua promulgação, em 1941, assim como a pedofilia, que também sempre existiu, só passaram a ter sua consumação mais conhecida depois que migraram para a Internet. Antes, pouco deles se ouvia falar e, consequentemente, muitos dos seus autores ficavam impunes.
    Disse que o mesmo se poderia dizer da tão comentada lavagem de dinheiro e de outros crimes correlatos, geralmente perpetrados via internet banking.
    Lembrou que recentemente pararam o site da Fazenda. Quem pode fazer isso? Só pessoas altamente especializadas e, em muitos casos, são obra de governos.
    Ressaltou que, ultimamente, vem sendo objeto de muita preocupação dos órgãos de prevenção/repressão, a chamada transnacionalidade. Ela vem propiciando até mesmo a espionagem internacional, que ocorre com maior freqüência do que se imagina. Que o digam Dilma Roussef, Barack Obama, Ângela Merkel, entre outros chefes de Estado e de governos.
    Disse que recentemente as Filipinas registraram um ataque cibernético originário do Brasil. Os investigadores apontaram a África do Sul como a verdadeira origem do crime. De lá apontou-se o Canadá. Os policiais daquele país, agindo rápido e com alta tecnologia, identificaram e prenderam os criminosos. Tudo isso levou 26 horas!
    O ilustrado professor ressaltou que, nesse campo, a polícia tem que agir preventivamente: “Correr atrás do prejuízo é burrice”, disse. E recomendou: troquem sempre suas senhas, para dificultar a ação dos criminosos. “Antivírus grátis, não vele a pena”.
    Na seqüência, falou de arquivo em nuvem, registro.Br e outras questões correlatas.
    Antes de encerrar sua proveitosa aula, o professor Marcos Tupinambá chamou a atenção para a duplicação de cartões, recomendando a troca deles com certa freqüência. Disse que quanto mais informatizado o bem (casa, carro, etc.), por incrível que pareça, mais ele fica suscetível a fraudes, furtos, roubos e até mesmo à prática de outros tipos de crimes.
    Recebeu intensos aplausos.
    Diretores da IPA ofertaram-lhe um mimo e uma flâmula da entidade. A Coopmil, pela sua representante, também ofereceu-lhe uma lembrança em nome da empresa.

    Relato do Inspetor Ivair Antonio Cantelli de Oliveira, da GCM, sobre o
    curso feito no Castelo IBZ Gimborn, Alemanha, através de bolsa IPA

    Antes do encerramento do Seminário, a Mestre de Cerimônia do evento, Sra. Natália Gomes, anunciou a breve exposição que seria feita pelo Inspetor da Guarda Civil Metropolitana de São Paulo, Inspetor Ivair Antonio Cantelli de Oliveira, Mestre em Segurança Pública e associado da IPA desde o ano de 2004.
    O Inspetor Cantelli foi selecionado pelas diversas instâncias da IPA para freqüentar, mediante uma bolsa de estudos, um dos cursos ministrados no famoso Castelo de Gimborn, “a Academia de Polícia da IPA”, na cidade de Colônia, na Alemanha.
    Com a palavra, ele disse ter sido uma honra muito grande ter sido selecionado para representar a IPA Brasileira na Alemanha, ao lado de policiais de diversos outros países. Relatou detalhes dos dias que permaneceu nas dependências do histórico castelo, das aulas que lhe foram ministradas, dos passeios pelas cercanias, enfim do congraçamento com os colegas de outros países.
    Ao final, foi aplaudido pelos presentes.

    No encerramento, o presidente da IPA franqueou a palavra aos integrantes da Mesa para que tecessem suas considerações finais, tendo se manifestado o Professor João Alexandre dos Santos e o presidente da AEPESP, Horácio Garcia de Oliveira, os quais o cumprimentaram pela realização do proveitoso Seminário.

    Em palavras finais, o presidente Jarim Lopes Roseira agradeceu, formalmente, aos palestrantes, aos diretores, associados e inscritos presentes e lamentou que não tivessem comparecido os Srs. Secretário da Segurança Pública, Delegado Geral de Polícia, Superintendente da SPTC, Secretário de Segurança Urbana e Comandante da Guarda Civil Metropolitana, formalmente convidados e que, em razão dos cargos que ocupam, teriam muito a dizer a respeito das relevantes questões elencadas e postas em debate: a atuação das Polícias e da Justiça no Estado de São Paulo.

    Enalteceu e fez com que ficassem registrados o seu agradecimento, pessoal e da entidade que preside, à Sua Excelência o Sr. Desembargador José Renato Nalini, presidente do EgrégioTribunal de Justiça de São Paulo; ao Sr. Coronel PM Reinaldo Zychan de Moraes, Comandante do Policiamento da Capital, que representou o Sr. Comandante Geral da Polícia Militar; ao Sr. Coronel PM Mauro Cezar dos Santos Riciarelli, Comandante do Policiamento Rodoviário; ao Coronel Wagner Antonio Alves, diretor da Universidade Cruzeiro do Sul e que representou a magnífica Reitora, Professora Sueli Cristina Marquesi e, também de forma especial, aos palestrantes, que prestigiaram o evento com suas honrosas presenças e/ou pelas brilhantes palestras que fizeram.

    Cópia do presente Relatório será enviada a cada autoridade convidada e aos palestrantes. Seu inteiro teor será posto no site da IPA e encaminhado a todos os associados.

    São Paulo, 10 de junho de 2015

    Visto, de acordo.

    Jarim Lopes Roseira
    Presidente

    Av. Cásper Líbero, 390, 5º. a, cj, 503, Luz, São Paulo – SP, CEP 01033.000, Tel. 55 – 11 – 3313.5077
    E-mail: ipa.saopaulo@ipa-brasil.org.br

  5. Na Guerra contra as drogas á polícia e a sociedade já perderam há muito tempo. A solução é investir na prevenção e educação dos jovens e adultos, fazer propaganda maciça mostrando os males que a droga produz, por outro lado os governos tem que investir mais no social das periferias com educação decente, policiamento, rigor na lei contra o traficante e efetivo cumprimento de pena. É preciso dar condições e salários honestos a estes profissionais bem como mostrar aos jovens que através da educação e do conhecimento existe um outro caminho mais digno e honesto.

  6. não sei porque tanta admiração por sermos o primeiro em consumo mundialmente…..

    eu ja sabia que desde a mudança benefica aos usuários , dizendo que não éra crime usar drogas… mas sim doentes
    facilmente chegaríamos a este momento aterrorizante…… e a tendencia é aumentar a porcentagem de usuários…

    e digo mais !!!! não adianta combater os traficantes…..é enxugar gelo…..

    temos que cortar o mau pela raiz…. temos que combater os usuários….

    porque sem usuários, não teremos traficantes…..é a lei da oferta e da procura….
    se temos consumidores, sempre teremos os fornecedores…

    se prendermos os fornecedores hoje , amanha ja tera outro pra substitui lo…,

    agora se não termos os consumidores , não terão pra quem fornecer ……

    o aumento dos zumbis brasileiros é só uma questão de tempo…..

  7. Eu quero que se foda quem usa drogas. Outro dia parei em um semáforo e vieram 2 moças com um panfleto explicativo dizendo que eram de uma ONG que trabalha na recuperação de pessoas viciadas. Eu fechei o vidro na cára e sem nenhum remorso!

    Faço filantropia dentro das minhas limitações, mas procuro ajudar aquelas associações sérias que estão envolvidas com causas de saúde de crianças com cancer, coisas assim. A criança não pediu para ter uma doença. Essa sim precisa de ajuda!!!

    Agora falar que drogado é um doente…só a lei Brasileira mesmo. Quem usa droga é um grande filho da puta, pior que o traficante, isso sim!!!

    Sempre falo para os meus 02 filhos que se um dia eles ousarem a experimentar drogas e eu descobrir eles não ficam 01 minuto sequer em casa. Chuto para a rua na Hora ou então saio eu. Sou bem ignorante pra este tipo de coisa.

    Eu não dou um centavo pra FDP de viciado e também não tenho dó. Todo mundo que entra nisso, o faz consciente dos males. Depois não adianta ficar reclamando!!!

  8. FIM DA VIOLÊNCIA POLICIAL! A SOLUÇÃO É ACABAR COM O PRESÍDIO MILITAR ROMÃO GOMES. disse:

    CLARO QUE DEVE SER O PRIMEIRO,

    O TRAFICANTE COLOMBIANO AFIRMOU: QUER ACABAR COM O TRÁFICO DE DROGAS, ENTÃO ACABE COM O DENARC.

    NINGUÉM DEU ATENÇÃO AO COLOMBIANO E UM GRANDE NÚMERO DE “POLICIAIS” TRAFICANTES DO DENARC FORAM PRESOS EM OUTRA SITUAÇÃO A QUAL JÁ HAVIA INDÍCIOS DE TRÁFICO DE DROGAS DESDE AS REVELAÇÕES DO COLOMBIANO.

    A MALDITA ROTA É FILMADA SEPARANDO UMA GRANDE QUANTIDADE DE COCAÍNA EM UMA APREENSÃO DE DROGAS EM UMA EMPRESA NA CIDADE DE SÃO PAULO.

    UM OFICIAL BANDIDO DA PM É PRESO EM TAQUARITINGA/SP PORQUE TINHA ESQUEMA COM UM GANSO QUE DAVA A CANA E DEPOIS DA APREENSÃO DA DROGA REPARTIA COM A QUADRILHA DO OFICIAL E ENTÃO A REVENDIAM.

    COMBATER TRÁFICO DE DROGAS COMO?

  9. Noticia aos calças brancas e marrons. Foi deferida em 2º grau o pagamento da insalubridade desde o inicio da academia. O estado recorreu mas perdeu.

    Processo:
    0015369-61.2015.8.26.0405

    Decisão de 2ª Instância – Recurso Não Provido – Juntada
    Ante o exposto, VOTO pelo desprovimento do recurso interposto, mantendo=-se a solução adotada na r.sentença recorrida tal como lançada. Em razão da sucumbência, arcará a parte recorrente com o pagamento de despesas processuais, reembolsando, inclusive, aquelas eventualmente suportadas pela parte recorrida devidamente corrigidas pelos índices previstos na Tabela Prática pertinente do E,.Tribunal de Justiça do Estado desde a data do desembolso, bem como de honorários advocatícios, ora arbitrados, com fulcro no art.55, caput, 2ºparte, da Lei nº 9.099/1995, no importe de 15%(quinze por cento) do valor da condenação, revelando-se incabível, todavia, a imposição do pagamento de custas, em vista da isenção prevista no art. 6º, da Lei Estadual nº 11.608/2003.

  10. Bom dia!

    Senhoras e Senhores.

    Bem! Para que haja comércio deste lixo é imprescindível que haja facilidades;

    Para que haja consumo é necessário que haja “venda” nos olhos de alguns;

    Para que haja dependentes deste lixo é necessário que haja mais interesse político de barrar o produto na fronteira e, condenações severas;

    Não se pode dizer que a Polícia não faz o seu papel, pois se assim está, alguém está ganhando muito com isto; e,

    Ou estou redondamente errado?

    Infelizmente meus caros, a droga hoje em dia pelo visto, movimenta milhões de dólares e não será fácil aniquilá-la, pois este lixo patrocina muitas mordomias para muitos desocupados nesta terra.

    Caronte

  11. DENUNCIA
    Vocês devem se lembrar do ex investigador chefe de Mongaguá que foi preso porque foi pego em escuta com bicheiros, maquineiros e que ainda por cima tinha um vasto arsenal em casa para alugar para criminosos.
    Depois do ator pornô que foi aprovado como investigador, a nova piada é o ganso, filho desse investigador que foi preso em Mongaguá, que também foi denunciado e é réu no mesmo processo que motivou a exoneração do seu pai, foi chamado na lista de agentes policiais remanescentes.
    Esse investigador tem mesmo a corregedoria no bolso.
    Alguém ainda acredita em investigação social?

  12. mande a denúncia para o Ministério Público…
    .
    lá, e somente lá, providências serão adotadas !

  13. Sem informações. Caso o Governo esteja estudando algum índice de reajuste, o faz sem conhecimento de nenhuma das Polícias

    27 de junho de 2015 Publicações Sobre o Sindicato

    Qualquer notícia contrária é mero boato.

    Informações da DGP e da SSP dão conta de que não há qualquer novidade quanto a índice de reajuste para 2015.

    Há, como todo ano, vários boatos. Nada confirmado.

    O índice de reajuste para 2015, sem falar em readequação salarial da Polícia Civil, que foi vilipendiada a 25 anos atrás, não deveria ser inferior a 15%.

    Essa é a reivindicação do SIPOL. Vamos à SSP tratar desse índice, que não pode esperar.

    O nível universitário não foi reconhecido financeiramente. A valorização das carreiras que passaram para 2º grau também não tiveram reenquadramento.

    A impressão que todo Policial Civil tem é de que o Governo mina sua base. Desvaloriza e menospreza quem pratica os atos de Polícia Judiciária. Deixa definhar à própria sorte a Polícia Investigativa.

    Informações desencontradas dão conta de que dos cerca de 150 escrivães remanescentes convocados, menos de 100 tomaram posse. Precisamos de detalhes sobre a veracidade disso.

    Pois é muito grave que os cargos da Polícia Civil de São Paulo sejam tão pouco atrativos. A Polícia Civil tem sendo procurada por concurseiros de passagem.

    É verdade que há um certo índice de evasão em todas as áreas do serviço público. MAS NADA IGUAL À POLÍCIA CIVIL DO ESTADO DE SÃO PAULO.

    Não se pode comparar o absurdo e inacreditavelmente contemporizado índice de evasão da Polícia Civil do Estado de São Paulo, com o índice de evasão dos Oficiais de Justiça, ou Escreventes do FORUM, ou mesmo de soldados da polícia militar.

  14. Nao sou sindicalizada, tampouco tenho simpatia por esses deputados que se dizem defensores da policia civil, mas a impressao que eu tenho é que hoje, SOMENTE podemos contar com o Sipol…

  15. hoje no brasil combater os traficantes sera o mesmo que combater a cachaça do AL CAPONE nos EUA
    na década de 50 e 60, nunca irão dar conta ( tamanho a quantidade que temos no pais).

    o único jeito é. mudar o código PENAL e transformar o uso de drogas como crime inafiançavel, e hediondo
    com penas de no mínimo 10 anos em regime fechado… e toda vez que catar um cara usando drogas .
    ( maconha, crack, cocaina, LSD, extase. etc…) dar o flagrante no pião e manda lo pra cadeia, e montar uma cadeia somente para os usuários… pois la é o lugar deles…..

  16. O Brasil é o campeão do trafico de drogas, dai graças aos Governantes, ao Congresso Nacional, às Assembleias Legislativas às Câmaras Municipais, aos Intelectuais de vários seguimentos (Artistas, Cantores, Poetas, Escritores, Professores, Educadores, Lideres de Comunidades, pais imprudentes que praticam a paternidade irresponsável, e por aí a fora). O que se espera de um povo que se julga o mais esperto, o mais gostoso do mundo, não quer estudar na escolas e quer diploma sem ter o mérito. O País está de cabeça para baixo.

  17. EU QUERO MEUS REAJUSTES SALARIAS DOS ANOS DE 2013/2014 e 2014/2015!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! disse:

    153 Escrivães remanescentes do concurso de 2012 foram nomeados. Apenas 90 tomaram posse. Por quê?!

    29 de junho de 2015 Publicações Sobre o Sindicato

    E tem quem diga que essa evasão é normal em todos os concursos públicos.

    Não. Não é.

    É um sinal grave, um alerta decisivo. Uma demonstração de que não há atrativo para o cargos de servidores OPERACIONAIS da Polícia Civil.

    Os servidores Investigadores, Escrivães, Agentes, Carcereiros, etc, não tiveram valorização correspondente aos Delegados de Polícia.

    O Governo vem patrocinando esse abismo salarial, colaborando para o descontentamento geral dos servidores operacionais.

    Governador Geraldo Alckmin não recebe os representantes dos servidores operacionais, não ouve a base. Destina as Entidades a se reunirem em encontros estéreis, sempre requisitados. Parece não querer ouvir a real situação dos servidores Operacionais, a partir dos próprios, sem interlocutores.

    Senhor Governador. A força e eficiência de um órgão público não depende apenas de uma carreira. Mas do esforço concatenado de todas que o compõe.

    Intolerável para qualquer empresa, órgão estatal, entidade, não ter política salarial e de reposição de pessoal ágeis, criteriosas, justas e eficientes.

    Temos que a situação dos Delegados de Polícia ainda precisa melhorar. Se comparada à de outros Estados. Mas, se olharmos para dentro de nossa casa, o momento é de urgente trabalho por todas as outras carreiras, buscando reconhecimento isonômico:

    Investigadores e Escrivães: N.U. aviltante;

    Carcereiros, Agentes, etc.: Carreiras erigidas ao Segundo Grau sem a devida implementação financeira.

    fonte: http://sipol.com.br/?p=887

  18. EU QUERO MEUS REAJUSTES SALARIAS DOS ANOS DE 2013/2014 e 2014/2015!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! disse:

    respondendo:

    Porque ninguém quer ARRISCAR sua vida por apenas R$3.500,00 iniciais num cargo de NÍVEL SUPERIOR enquanto o TJ/SP, INSS, e outros de NÍVEL MÉDIO pagam quase 5.000!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    Isso sem levar em consideração as cobranças, produção, responder por outras cidades, volume de serviço…

  19. dizem que alcool é droga lícita né ?

    tudo bem, se quizerem proibir o alcool tornando o droga ilícita transformando o em crime , o único jeito é prender os cachaceiros , nas cadeias em regime fechado , né memo ?????????????????????????????????????

    1- pois nunca conseguíamos combater a venda de alcool prendendo os fornecedores …….
    a única forma seria: prender os consumidores tornando os criminosos e mandando os para a cadeia.
    devido a quantidade de consumidores e fornecedores que temos…..

    2- e a única forma de acabar mos com as drogas aqui no brasil , seria na mesma regra do alcool , teríamos
    que prender os consumidores e condena los em regime fechado no mínimo 10 anos sem regalias alguma..

    ou alguem daqui acha que temos outra solução ?

  20. podia se fazer uma pesquisa destas prisões dos traficantes, tipo quanto tempo eles estão ficando trancafiados,
    senão veremos o seguinte exemplo:::

    hoje um traficante é preso , e condenado a 5 anos de cadeia… outro da firma o substituirá, e ele vai comandar a boca
    de dentro da cadeia …..
    .
    daqui a 1/6 da pena = 10 meses o trafica estara solto no regime semi aberto a comandara a boca durante o dia
    voltando a noite para dormir na cadeia.

    passa se mais 1/6 da pena = 10 meses e ele vai pra liberdade condicional… = livrinho = como um pássaro.

    e os consumidores a cada dia que passa só aumenta….

  21. para acabar com as drogas, tem que – mudar o CPB.

    1- cadeia de no mínimo 10 anos regime fechado para quem for pego consumindo.

    ai veremos a diminuição do número de consumidores.
    caso contrário, continuaremos a enxugar gelo.

    sem consumidor= não existirá fornecedor.

  22. “mas que novidade”

    Mandar um usuário pra cadeia não vai fazer ele parar de usar…
    Ele vai sair, não vai arrumar emprego, não vai ter dinheiro, vai ter sido influenciado por outros presos…
    O que espera de um usuário saindo da cadeia após 10 anos ?
    Droga precisa ser tratada como problema de saude pública, mandar usuário pra cadeia vai piorar o cara com esse sistema prisional falho…

    Traficante sim deveria ser tratado como a Causa do problema… se esse ficasse preso por 10 anos, ja estava bom… o ruim é que não fica… É só ver quantos presidiários voltam dos indultos…

  23. O senador amigo do Aócio Never, cujo helicóptero particular levava mais de 300 kgs de COCAÍNA pura, está prêso ?

    Os maiores financiadores do narcotráfico, que vivem lavando dinheiro de sua empresas com as drogas, estão na cadeia ?

    O ex-presidente do TCE de SP, que comprou duas ilhas com dinheiro desviado, está prêso ?

    A tchurma do governo do estado, envolvida no caso do Metrô paulista e corrupção nos transportes públicos, está detida ?

    Alguém está apurando quem foi o responsável direto pela queda do helicóptero que matou quatro trabalhadores da empresa que fazia a manutenção, ou sequer questionou o que o responsável fazia dentro daquela aeronave ?

    O Fernando Collor, contumaz usuário e deposto do cargo de presidente da República, alguma vêz cumpriu pena, trancafiado ?

    Outro ex-presidente, FHC, defende abertamente a liberação de substâncias entorpecentes, já foi admoestado ou indiciado por apologia às drogas ?

    ENTÃO DEIXE DE SER IDIOTA E FAÇA POR MERECER O CARGO DE POLICIAL QUE VOCÊ OCUPA 1

    Ficar aqui babando para botar pés-de-chinélos, fudidos da periferia, na cadeia, querendo punição rigorosa aos usuários, pensando que vai ser condecorado como herói e colaborador na extinção do tráfico de drogas é de uma IMBECILIDADE acima da ignorância total.

    É por essa e outras que os governantes te ignoram, cagam e andam para suas reivindicações. Sabem que você é extremamente manipulável, ingênuo e pior, pensa que é inteligente.

    O PIOR IDIOTA É AQUELE QUE TEM INICIATIVA E AGE SERVINDO AOS INTERESSES DAQUELES QUE O MANIPULAM.

  24. CABEÇA DE ERVILHA A SERVIÇO DA MÁQUINA:

    Vosso comentário, como um todo, merece os mais incontestáveis aplausos, a meu pensar.

    A frase final: “O PIOR IDIOTA É AQUELE QUE TEM INICIATIVA E AGE SERVINDO AOS INTERESSES DAQUELES QUE O MANIPULAM”, lembra-me a “muito bem aplicada punição” que consegui, publicada no BOLETIM INTERNO RESERVADO Nº 27, de 29/05/98.

    04 (QUATRO) dias de “permanência” – interprete-a como prisão administrativa – porque publiquei, no final de 1997, artigo intitulado BANDA (OU BANDO), em homenagem à Banda Planet Hemp, cujos integrantes, enquanto autuados em flagrante delito, no Distrito Federal, tiveram apoio do então Senador Suplicy e do Deputado Federal Fernando Gabeira, os quais mobilizaram populares, concitando-os a irem par o Distrito Policial, onde exerceram “pressão” sobre o Delegado de Polícia Civil para que o “flagrante fosse relaxado”.

    Você sabe qual a implacável punição aplicada ao Oficial do Serviço Reservado do 10º BPM/M, Tenente ARmando Paulillo Júnior, por não ter investigado ameaças de morte contra o nosso colega (meu e dele), Tenente José Ayres, presumidamente oriundas da Favela Sacadura Cabral – Santo André?

    Reposta: 02 (DOIS) dias da equivalente punição infligida a mim, por ironia, publicada no descrito Boletim Interno!

    Sabe onde e como aquelas ameaças foram consumadas? Resposta: no quarteirão vizinho ao da sede do CPA/M-6, dia 24/03/98, nas proximidades de 05 (CINCO) quartéis. Exceto o do Tiro de Guerra, os demais eram da Polícia Militar.

    Sabe quem exercia exagerada influência sobre a mencionada “comunidade”? Resposta: o dependente químico e Tenente-coronel Francisco Risso, acometido de fulminante “AVC” – Ainda Vivia Cheirando -, em 17/05/10, aos 53 (cinquenta e três) anos de idade. “Cheirador” precoce resulta, quase sempre, em morte precoce.

    O senador Suplicy, em resposta a mim, no mesmo Jornal, alegou que a “solidariedade” prestada àqueles integrantes da Banda era por causa justa. Aduziu que seria solidário a qualquer um, inclusivo a mim, se preso ou na iminência de sê-lo. Chegou a afirmar que me visitaria, caso eu estivesse preso. Ou esqueceram de avisá-lo da minha prisão ou não se pode confiar em promessa de políticos.

    Vejamos o que mudou no Brasil, PARA MUITO PIOR, tocante ao narcotráfico, de 1997 até os dias atuais. Onde está Gabeira? Onde está Suplicy? Onde e como se perdeu a crença da mãe do Tenente José Ayres na “reserva moral”?

    Como consegui renovar minha resiliência para continuar denunciando PATIFARIAS, respondendo a outros 45 (QUARENTA E CINCO) Procedimentos “Disciplinares”, 04 (quatro) Sindicâncias, 03 (TRÊS) processos-crime e 02 (DOIS) Conselhos de Justificação, até início de 2010?

    Para esta última pergunta, eis a mais sincera das respostas: não sei!

  25. FODA-SE! NEM ÁLCOOL EU USO. QUEM QUISER QUE ENFIE O NARIZ NUM SACO DE COCAÍNA. PAPO FURADO. O ESTADO QUER PASSAR A MÃO NA CABEÇA DE USUÁRIO COMO SE FOSSE VITIMA. USUÁRIO NÃO É VITIMA, É COMPARSA.

  26. Resultado de uma politica de enfrentamento direto, e um verdadeiro esquecimento proposital da investigação, as razões são obvias.
    Isso que dá limpar somente sarjeta e preferir o confronto. Esqueceram de dizer qual local, no País (per capita) mais se consomem essas drogas. Sem falar de onde se originou a tal “FIRMA”, digo PCC, que engoliu o CV, e que hoje se espalha pelo Brasil, levando a mensagem a todos, e fazendo uma verdadeira leva de bandidos.
    Se a investigação fosse levada a sério, não haveria MP investigando, nem P2 realizando interceptações, ao invés do preventivo, que também é necessário. Se as xícaras de café falassem?
    Quanto as cabeças pensantes nem se tocaram para isso, acha que somente dar cana é o legal, o legal é investigar com vanguarda coisa de homem a frente dos algozes e de tudo que for danoso ao erário e a sociedade, mas ficar ai perseguindo os “fracos” (inveterados) por entorpecentes, coitados metais, com defeito genéticos que lhe impele a uso frenético a droga.
    Estamos vendo pessoas da terceira idade usando pela primeira essas drogas, não devemos esquecer que a pressão para usar droga hoje é maior que a de não ser virgem, não adianta esse papo de “usa quem quiser”, nosso jovens usam sapatilhas por conta de propaganda de TV, e isso é uma marca passageira, a droga continua. “PREFIRO PENSAR QUE ESTAMOS EM GUERRA DO ÓPIO”, só que os Chineses se revoltaram contra os Ingleses.

    “Apenas um produto, em particular, parecia despertar o interesse dos chineses: o ópio, uma substância entorpecente, altamente viciante, extraída da papoula que causa dependência química em seus usuários, introduzido ilegalmente na China por comerciantes ingleses e norte-americanos. Produzido na Índia, e também em partes do Império Otomano no início do século XIX, os comerciantes britânicos traficavam-no ilegalmente para a China e muitas vezes forçavam os cidadãos a consumir as drogas, provocando dependência química, auferindo grandes lucros e aumentando o volume do comércio em geral”
    ” Majestade, o preço da prata está caindo por causa do pagamento da droga. Em breve, vosso império estará falido. Quanto tempo ainda vamos tolerar este jogo com o diabo? Logo não teremos mais moeda para pagar armas e munição. Pior ainda, não haverá soldados capazes de manejar uma arma porque estarão todos viciados” — Ministro Chinês

    https://pt.wikipedia.org/wiki/Guerras_do_%C3%B3pio.

    Aqui no Brasil temos vários tipos destas vantagens, como a do ópio, a esta empresas internacionais, que não tem a minima responsabilidade social.

  27. Se nos trechos do wikipedia não encontrarem analogia de nossa vida atual a dos Chineses no século XVIII é um mal sinal, pois temos facilidade para trazer essa droga, facilidade para encontrar e comprar, a pressão para usar e uma exercito de zumbis drogados.

  28. Enquanto tiver 1 fdp pra comprar terão 10 fdp pra vender. A lei antidrogas foi feita as avessas privilegiando o viciado. Sendo que o fdp do drogado é quem espalha o vício. Agora o País colhe o que plantou e nós policiais vamos continuar, assim, enxugando gelo.

  29. PORQUE NÃO EXISTE UM EFETIVO ENVOLVIMENTO NO COMBATE AO TRAFICO? PORQUE PARTE DOS POLÍTICOS SÃO ELEITOS COM O DINHEIRO DO NARCOTRÁFICO. A BANDEIRA IDEOLÓGICA PETISTA SE AJUNTOU COM AS FARC QUE COMO ODO MUNDO SABE ALEM DE GUERRILHA, TRAFICA TAMBÉM. HELICÓPTERO DO ASSESSOR DO AECIO NEVER: ATÉ A BOCA COM COCAÍNA. POLÍGONO DA MACONHA NO NORDESTE: TODO MUNDO SABE ONDE FICA, MAS A HISTORIA É SEMPRE A MESMA: FALTA EFETIVO PARA COMBATER.O BRASIL É O PAÍS DO FAZ DE CONTA. NINGUÉM TÁ NEM AI.

  30. QUER ACABAR COM A CRIMINALIDADE, COM O TRAFICO, LATROCÍNIO É SIMPLES FAÇA COMO OS PAÍSES DE PRIMEIRO MUNDO, USA OS INSTRUMENTOS PRISÃO PERPÉTUA E PENA DE MORTE, QUANTOS TRAFICANTES DO BRASIL IRÃO PARA INDONÉSIA? NÃO SÃO PRIMEIRO MUNDO, MAS SÃO BEM MAIS SÁBIOS QUE BRASILEIROS E DESCOBRIRAM QUE COM BANDIDO É CANA DURA.
    PAÍS DE LEIS FRACAS O CRIME É FORTE

    INDONÉSIA – PENA DE MORTE FUZILAMENTO
    FRANÇA – PRISÃO PERPÉTUA
    CHINA – PENA DE MORTE FUZILAMENTO – http://www.youtube.com/watch?v=VtJZd7wXNzw
    JAPÃO – MORTE NA FORCA – http://www.youtube.com/watch?v=Dy-wSS93btQ
    ÍNDIA – PENA DE MORTE – http://www.youtube.com/watch?v=id9EFAqTiQ0
    EUA – PENA DE MORTE – http://www.youtube.com/watch?v=RqWL0eFfmE0
    ARGENTINA – INJEÇÃO EM ESTUPRADORES – http://wjdwdefesadamulher.blogspot.com.br/2013/04/argentina-adota-castracao-quimica-para.html

    NO MUNDO INTEIRO O FUMO NA BUNDA DE BANDIDO É GRANDE, SÓ AQUI NO BRASIL É QUE PASSAMOS A MÃO NA CABEÇA DE BANDIDOS.

  31. FIM DA VIOLÊNCIA POLICIAL! A SOLUÇÃO É ACABAR COM O PRESÍDIO MILITAR ROMÃO GOMES. disse:

    mas que novidade . disse:

    29/06/2015 às 14:07

    hoje no brasil combater os traficantes sera o mesmo que combater a cachaça do AL CAPONE nos EUA
    na década de 50 e 60, nunca irão dar conta ( tamanho a quantidade que temos no pais).

    o único jeito é. mudar o código PENAL e transformar o uso de drogas como crime inafiançavel, e hediondo
    com penas de no mínimo 10 anos em regime fechado… e toda vez que catar um cara usando drogas .
    ( maconha, crack, cocaina, LSD, extase. etc…) dar o flagrante no pião e manda lo pra cadeia, e montar uma cadeia somente para os usuários… pois la é o lugar deles…..
    ———————————————————————————————————————————————————————

    CONFORME EU AFIRMEI EM UM COMENTÁRIO ANTES DA SUA POSTAGEM E TAMBÉM SEGUNDO UM TRAFICANTE COLOMBIANO INTERNACIONAL AFIRMOU, CONFORME MOSTRA ACIMA,

    QUER ACABAR COM O TRÁFICO, ENTÃO ACABEM COM O DENARC E EU ACRESCENTO: ACABE COM OS COSTUMES DA POLÍCIA MILITAR (ROTA) QUE FOI FILMADA SEPARANDO UMA GRANDE QUANTIDADE DE COCAÍNA EM UMA APREENSÃO DE DROGAS EM UMA EMPRESA NA CIDADE DE SÃO PAULO E AINDA UM OFICIAL DA POLÍCIA MILITAR QUE FOI PRESO NA CIDADE DE TAQUARITINGA/SP POR, COM SUA GANGUE, SER TRAFICANTE DE DROGA APREENDIDA.

    OS MAIORES TRAFICANTES, CONFORME VEMOS CONSTANTEMENTE ATRAVÉS DA IMPRENSA, ESTÃO DENTRO DAS PRÓPRIAS POLÍCIAS.

  32. Nessa guerra todas as policias já perderam.

    Já conheci alguns PM’s que davam alguns tiros, inclusive.

  33. ZÓIM DE VIDRO,

    Basta ver como são tratados Lula, Dilma,Evo Morales, Nicolas Maduro, Cristina Kirhner, Zé Dirceu, Pizolato, Cesari Batisti, Paulo Roberto Costa, Graça Foster, dentre outros bandidos da mesma laia.

    Compare o tratamento dos acima apontados com o dispensado a Tiradentes, JK, Getúlio Vargas,Ulisses Guimarães, Celso Daniel, Eduardo Campos, dentre outros que, cada qual a seu modo, ainda sonhavam com justiça social.

  34. POLICIAIS DE SÃO PAULO

    SÓ POSSO DIZER: PARABÉNS DONA DILMA, A SENHORA CONSEGUIU, COM A AJUDA DO PT E DO PSDB A SENHORA

    AINDA IRÁ MAIS LONGE, VIDA LONGA A DONA DILMA E AO “CUMPANHERO BARBUDIM”

    PC SÃO PAULO.

Os comentários estão desativados.