Inconstitucionalidade das Leis Complementares 419/85 e 1.150/11, que favorecem os policiais militares 141

Jamil de Aguiar, Bacharel em Direito pela PUC-SP, Pós-Graduado em Direito Público pela UNISAL

A não Recepção Constitucional Material dos artigos 5º, 6º incisos I, II e artigo 19º da Lei Complementar Estadual nº 419, de 25/10/85 e a Inconstitucionalidade Material do § 2º do artigo 2º da Lei Complementar Estadual nº 1.150, de 20/10/11.

O presente trabalho tem por escopo demonstrar sob a óptica de nossa Constituição Federal, que os benefícios previstos pela Lei Complementar Estadual nº 419/85 em seus artigos 5º, 6º incisos I, II e artigo 19º e pela lei Complementar Estadual nº 1.150/11 em seu § 2º do artigo 2º, conferidos às Praças, 1º Sargentos e Subtenentes da Polícia Militar e de seu Corpo de Bombeiros do Estado de São Paulo são incompatíveis com o ordenamento jurídico pátrio em vigor, no que tange aos Institutos da Recepção e Constitucionalidade.

Para a referida análise, utilizaremos de pesquisas doutrinárias, do próprio texto constitucional e da Súmula Vinculante 43 do Supremo Tribunal Federal.

Primeiramente faremos uma breve explanação sobre as Carreiras existentes na Polícia Militar e no seu Corpo de Bombeiros do Estado de São Paulo com fulcro no Decreto-Lei nº 667, de 2 de julho de 1969, disciplina “ in verbis”:

Analisando o Decreto–Lei em comento, verificamos que a Milícia Estadual congrega basicamente duas Carreiras de Policiais bem distintas entre si a saber: a Carreira dos Oficiais de Polícia, que exercem comando, chefia e direção na Instituição Militar e a Carreira dos Graduados que são as Praças de Polícia, que exercem atividades complementares e de execução operacional. As referidas Carreiras tem formas de ingresso, formação e atribuições bem diversas entre si. Para ser Oficial de Polícia, o candidato presta um concurso público em sendo aprovado cursará três anos na Academia de Polícia Militar do Barro Branco, no Curso de Bacharelado em Ciências Policiais de Segurança e Ordem Pública  e após formado, exercerá dentre outras funções o comando, a chefia e a coordenação das Praças de Polícia. Já para ser Graduado, o candidato presta um outro concurso público e se for aprovado cursará um ano na Escola Superior de Soldados, no Curso Superior de Técnico de Polícia Ostensiva e Preservação da Ordem Pública  e ao término exercerá as suas funções na atividade de patrulhamento ostensivo dentre outras.

Isso posto,teceremos as nossas considerações sobre as legislações objeto de nosso trabalho.

A Lei Complementar Estadual nº 419, de 25 de outubro de 1985 em seus artigos 5º, 6º incisos I, II e artigo 19º, assim dispõe:

Os artigos em apreço da Lei 419/85 permitem que Praças da Polícia Militar e de seu Corpo de Bombeiros do Estado de São Paulo, que sejam portadoras de Diploma de Curso Superior e que contem mais de 15 anos de efetivo exercício na corporação (artigo 6º, I) ; Subtenentes e  1º Sargentos com Curso de Aperfeiçoamento de Sargentos  (artigo 6º, II), além dos Subtenentes e 1º Sargentos Músicos (artigo 19º). Serão alçados ao posto de 2º Tenente, depois de aprovados em um Curso de Habilitação Específico, com duração de um ano, mediante prévia aprovação em um “concurso”interno.

Tais fatos descritos em tela, sob a óptica do leigo cidadão comum poderão até configurar um ato de justiça aos valorosos componentes de nossa histórica e gloriosa Instituição Policial Militar e seu Corpo de Bombeiros, na medida que, permitem aos não Oficiais de Polícia ascenderem ao Posto de Oficial de Polícia, participando de um concurso dentro da própria corporação. Porém, fazendo uma análise jurídica dos benefícios elencados nos artigos supracitados da referida legislação. Entendemos que não se trata de ato de justiça, mas sim de tratamento não isonômico que contraria o disposto no artigo 5º, caput de nossa Constituição Federal, que consagra o denominado Princípio da Isonomia, ou seja, o postulado que assegura a igualdade entre todos os indivíduos, sem se ater à  qualquer característica peculiar ou aspecto que distingua um indivíduo de seus semelhantes.

O artigo 5º, caput de nossa Constituição Federal, disciplina “ad litteram”:

Os supracitados artigos também contrariam o artigo 37º, inciso II de nossa Constituição Federal, na medida que, burlam a previsão de concurso público para acesso/investidura em cargo ou emprego público uma vez que não incidem nenhuma das exceções mitigadoras da regra.

O artigo 37º, inciso II de nossa Constituição Federal, disciplina, “in verbis”:

Podemos citar ainda a incompatibilidade material dos artigos em comento com a Súmula Vinculante 43 do Supremo Tribunal Federal, disciplina,”ad litteram”:

Lembrando que, Súmula Vinculante é emitida pelo Supremo Tribunal Federal após reiteradas decisões uniformes sobre um mesmo assunto, tornando obrigatório seu cumprimento pelos demais órgãos do Poder Judiciário e pela Administração Pública de todas as esferas federativas.

Com efeito, é ancilar o entendimento jurisprudencial:

Numa visão constitucionalista da referida norma, notamos que é anterior a nossa Constituição Federal, portanto, não há que se falar em inconstitucionalidade dos artigos da lei em comento, mas sim em recepção ou não recepção constitucional material dos dispositivos legais supracitados.

Logo, cabe agora uma breve comentário sobre o instituto da Recepção Constitucional.

Nesse sentido, necessário  se faz mencionar o entendimento da Ilustre Maria Helena Diniz que preconiza,” in verbis”:

A esse propósito, faz-se mister trazer `a colação o entendimento do eminente Michel Temer que assevera,”ipsis litteris”:

Podemos dizer que, Recepção Constitucional é o instituto que ocorre com o advento de uma nova constituição e as normas infraconstitucionais que existem passam por uma análise de adequação com o texto constitucional novo. Em sendo as normas infraconstitucionais compatíveis materialmente com o novo texto constitucional continuarão em vigor. Do contrário, não sendo compatíveis com o sistema constitucional, serão consideradas revogadas, portanto deixam de existir no arcabouço jurídico em vigor.

Sendo assim, segundo o exposto em tela entendemos que, os artigos 5º, 6º I, II e artigo 19º da Lei Complementar Estadual nº 419/85 não foram recepcionados materialmente por nossa Constituição Federal, na medida que, tais artigos permitem que a Carreira dos Graduados (Praças de Polícia) ingressem em outra Carreira diversa que é a dos Oficiais de Polícia, por intermédio de um “concurso”interno, ou seja, existe a previsão na lei em comento de acesso a cargo diverso daquele no qual foi o servidor legitimamente admitido.

Portanto, existe a manifesta, clara, flagrante, notória incompatibilidade material dos referidos dispositivos legais com: o artigo 5º, caput de nossa Constituição Federal que consagra o princípio da isonomia; com o artigo 37º, inciso II do mesmo diploma legal, que prevê a aprovação prévia em concurso público e também com a Súmula Vinculante 43 do Supremo Tribunal Federal.

Logo, em nosso humilde entendimento os dispositivos legais mencionados da Lei 419/85 estão revogados por nossa Constituição Federal, por falta de recepção material. Faltando a competente ação de Declaração de não recepção da norma pela ordem constitucional superveniente com fulcro na Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental (ADPF), prevista no artigo102º, §1º de nossa Constituição Federal e regulamentada pela Lei nº 9.882/99, segundo a qual a ADPF é cabível mesmo quando o ato ou lei federal,estadual ou municipal, que seja objeto de controvérsia constitucional, viole a constituição atual(1988), para retirá-la de nosso arcabouço jurídico .

No caso “sub-examine”, é juridicamente possível a aplicação da técnica de modulação ou manipulação temporal dos efeitos da Declaração de Não Recepção Constitucional Material, nas mesmas circunstâncias em que se admite, excepcionalmente, a aplicação da mesma técnica decisória, em sede de declaração da inconstitucionalidade propriamente dita, não obstante a ausência de previsão normativa positivada a respeito, segundo entendimento do Supremo Tribunal Federal.

No que tange a Lei Complementar Estadual nº 1.150, de 20 de outubro de 2011, que dispõe em seu § 2º do artigo 2º o seguinte:

No caso em tela, o referido dispositivo legal permite que o Subtenente PM (Carreia dos Graduados) seja “promovido”ao posto de 2º Tenente ( Carreira dos Oficiais de Polícia), desde que conte, pelo menos, 30 (trinta) anos de serviço ativo.

Segundo o ensinamento de Maria Sylvia di Pietro:

No dispositivo legal em análise o que temos na verdade não é promoção, mas sim transposição de cargo, pois o Subtente PM e o 2º tenente PM são de Carreiras Policiais  distintas. Logo, o supracitado dispositivo legal burla a previsão constitucional do concurso público previsto no artigo 37º, II de nossa Constituição Federal, usando o termo promoção para o que é na verdade uma transposição de cargo.

Lembrando que, a Súmula Vinculante 43 não veda a promoção, desde que seja na mesma Carreira.

Tendo em vista que, a Lei 1.150/11 é posterior a nossa atual Constituição Federal, devemos falar em inconstitucionalidade ou constitucionalidade do § 2º do artigo 2º da referida Lei.

Diante disso, faremos uma sucinta explicação sobre o Instituto da Constitucionalidade da Norma.

No entendimento do Ilustre, Gomes Canotilho:

Para o eminente jurista, Lucio Bittencourt:

De maneira geral, a inconstitucionalidade ocorrerá em caso de afronta à constituição. Tal afronta pode se dar de duas maneiras:

do ponto de vista formal
do ponto de vista material
A inconstitucionalidade formal se verifica quando a lei ou o ato normativo contiver um vício em sua “forma”, ou seja, em seu processo de formação podendo aparecer em dois momentos do processo legislativo: iniciativa   (vício formal subjetivo) ou nas fases posteriores (vício formal objetivo).

Já no que diz respeito a inconstitucionalidade material ( refere-se à matéria, ao conteúdo do ato normativo), ou seja, quando o conteúdo da norma não se coaduna com o texto constitucional, existe um vício material.

À luz do expendido, o § 2º do artigo 2º da Lei 1.150/11 é em nossa análise inconstitucional materialmente, pois, contraria os preceitos constitucionais contidos no artigo 5º, caput (Princípio da Isonomia); artigo 37º, II (aprovação prévia em concurso público) e na Súmula Vinculante 43 do Supremo Tribunal Federal. Lembrando que, todos esses dispositivos já foram objetos de nossa análise.

Cabendo então somente, a competente Declaração de Inconstitucionalidade do referido dispositivo legal, com fulcro no artigo 102º,I, alínea “a”de nossa Constituição Federal,que prevê a Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADIN), que foi regulamentada pela Lei nº 9868/99.

No vertente caso,o efeito da decisão de inconstitucionalidade, poderá ser “ex nunc”( iniciando-se com a decisão), por razões de segurança jurídica ou de especial interesse social,  “ex vi” do artigo 27º da Lei nº 9.868/99. A referida modulação deve ser realizada somente em casos extremos, pois, haverá um prestigio à segurança jurídica em detrimento da supremacia da Constituição.

Temos ciência que, as nossas gloriosas Corporações Policiais em sua grande maioria, padecem com o desamparo governamental nas esferas de governo pertinentes, que os nossos valorosos policiais como consequência direta disso enfrentam no dia a dia: baixo salário, péssimas condições de trabalho, treinamento ineficiente, equipamento tecnologicamente ultrapassado, etc.

Isso é fato, mas não serão com dispositivos legais que contrariem o nosso arcabouço jurídico em vigor e em especial a nossa Constituição Federal que, nossas Instituições Policiais, alcançarão a sonhada valorização/reconhecimento profissional e/ou funcional de alguns de seus dignos policiais. Já que em plena vigência do Estado Democrático de Direito, conquista histórica de nossa jovem Democracia, já não se admite o desrespeito ao nosso Texto Maior, sob pena de restar apenas a barbárie de um passado nosso não muito distante, em que o respeito à Constituição ficava ao livre arbítrio dos poderosos de então.

É importante deixar bem claro, que a nossa única intenção na realização desse trabalho foi o compromisso legal e moral que temos em respeitar e zelar pelo fiel cumprimento de nossa Constituição Federal.

Concluímos nosso trabalho, citando um pequeno trecho do belo discurso de Ulysses Guimarães, quando da Promulgação de nossa Constituição Federal de 1988, no dia 5/10/1988:

(…) A Constituição certamente não é perfeita. Ela própria o confessa, ao admitir a reforma. Quanto a ela, discordar, sim. Divergir, sim. Descumprir, jamais. Afrontá-la, nunca. Traidor da Constituição é traidor da Pátria. Conhecemos o caminho maldito: rasgar a Constituição, trancar as portas do Parlamento, garrotear a liberdade, mandar os patriotas para a cadeia, o exílio, o cemitério.(…)

                            Bibliografia

Bittencourt, Lucio. O Controle Jurisdicional da Constitucionalidade das Leis. Rio de Janeiro. Forense.1989

Canotilho,Jose Joaquim Gomes. Direito Constitucional. 6ª Edição. Livraria Almedina. Coimbra. 1993

Da Cunha Jr, Dirley; Novelino, Marcelo. Constituição Federal para Concursos. 4ª Edição. Jus Podium

De Moraes, Alexandre. Direito Constitucional. 21ª. Edição. Atlas. 2007

Diniz, Maria Helena. Dicionário Jurídico Universitário. Saraiva. 2010

Di Pietro,Maria Sylvia Zanella. Direito Administrativo. 25ª Edição. Atlas.2011.

Lenza,Pedro. Direito Constitucional Esquematizado.Método. 2007

Temer, Michel. Elementos de Direito Constitucional.Malheiros Editores. 22ª Edição. 2007.

Sabbag, Eduardo de Moraes. Redação Forense e Elementos da Gramática.5ª.Edição. Rev. RT. 2011

                                 Notas

Quadro Auxiliar de Oficiais da Polícia Militar
Hoje, Curso Superior de Tecnólogo de Administração Policial- Militar, segundo o Decreto 54.911/09
Atualmente denominado Curso Superior de Tecnólogo de Polícia Ostensiva e Preservação da Ordem Pública II, segundo o Decreto 54.911/09.
STF-Pleno-Adinn 248-I/RJ-Rel.Min.Celso de Mello, Diário da Justica,8 abr.1994.
Informativo STF, Brasília 19 a 23 ago. 1996, n 41: “Precedente citado: Adin 231-RJ (RTJ 144/24). Adin 1.030-SC, Rel. Min. Carlos Velloso, 22-8-96”
Diniz, Maria Helena. Dicionário Juridico Univesitário. Saraiva. 2010, p.493
Temer, Michel. Elementos de Direito Constitucional. Malheiros Editores.2007, p.40.
Di Pietro, Maria Sylvia Zanella. Direito Administrativo.25ª Edição. Atlas.2011, p.659
Di Pietro, Maria Sylvia Zanella. Direito Administrativo.25ª Edição. Atlas.2011, p.660
Canotilho,Jose Joaquim Gomes. Direito Constitucional. 6ª Edição. Livraria Almedina. Coimbra. 1993, p.1003
Bittencourt, Lucio. O Controle Jurisdicional da Constitucionalidade das Leis.Rio de Janeiro. Forense. 1989, p.131

Autor: Jamil de Aguiar, Bacharel em Direito pela PUC-SP, Pós-Graduado em Direito Público pela UNISAL

  1. Alguém poderia me dizer se na aposentadoria com paridade e integralidade recebemos insalubridade quando aposentado?

    Outra duvida! Continua ocorrendo o desconto de 11% previdenciário?

    O que muda nos seus recebimentos?

    Agradeço a resposta de alguém!

  2. DOUTOR GUERRA BOM DIA!!
    ABRA UM POST PARA QUE FALEMOS E SAIBAMOS O QUE ANDAM FAZENDO OS NOBRES DEPUTADOS ESTADUAIS QUE SE DIZEM REPRESENTANTES DA POLÍCIA CIVIL!
    POR ONDE ANDAM? QUE PROJETOS APRESENTARAM??
    DIREITOS NA APOSENTADORIA…VALE REFEIÇÃO…SALÁRIOS…PLANO DE CARREIRA!!!
    ALGUÉM SABE, ALGUÉM VIU POR ONDE ANDAM????

  3. Bom dia!

    Senhoras e Senhores.

    Curso Superior ou Especialista em Segurança? Mas e aí:

    Estou por fora destes quesitos. Expliquem por favor.

    Qual destes cursos é homologado pelo MEC?

    E pode ser considerado como equivalência aos exigidos com Nível Universitário?

    É preciso que se explique bem isso para não dar interpretação duvidosa caso haja no futuro alguma tentativa de equiparação com outras carreiras.

    Caronte.

  4. Para vc INVESTIPOL:
    Se voce estiver em condições de se aposentar com integralidade e paridade, os descontos são de IR, Contribuição do Imanspe e Previdenciaria a qual consiste no seguinte: até o valor do teto do INSS voce não paga nada, o que passar disso é 11% – ou seja ex: se seu salario total for de 6000,00 e o teto do inss 4.000,00 vc paga 220,00 de contribuição, ou seja pelos r$ 2.000,00.

  5. Caro colega. Os cursos superiores da pm são regulamentados por lei estadual devido a lei de ensino em instituições militares. Portanto são sim reconhecidos pelo mec e seus alunos são formados em curso superior e graduados em tecnologo ou bacharelado.

  6. Sargento não diga o que vc não sabe, os cursos de formação da pm não são reconhecidos pelo mec , …

  7. Mas o curso superior de sordado é reconhecido para fins de outros concursos fora da Mega corporation?O de oficiar serve pra que?Tambem pode prestar outros concursos fora do ambito da Mega corporation?Então tá poruque não podem prestar outros concursos que exigem nivel superior!!A mega corporation forma o caboclo em 1 ano e ele já esta apto a……..?Essa tropa “moral ” do estado sempre se achando kkkkkkkk apica das galaxias!Se ele nem reconhece a das carreiras de Investigadores e Escrivães….quem dirá do resto!!Alias já que é assim a Mega deveria brigar para que os praças recebessem o nivel superior

  8. Os cursos da PM são SIM reconhecidos devido à lei de ensino em instituições militares.
    Quanto a não ser possível apenas com o curso de formação de soldados prestar concurso para investigador ou escrivão por exemplo, isso se deve ao fato de que o Curso de formação de Soldados não é um curso de licenciatura ou bacharelado e sim um curso de tecnólogo, e como para esses concursos se exige bacharelado e/ou licenciatura isso não é possível.
    Bacharelado ocorre no curso do Barro Branco de formação de oficiais, doravante, ninguém formado lá vai andar pra trás e prestar qq concurso da PC que não seja de Delegado, só que para isso é necessário mais 02 anos(antes era 01) numa faculdade de Direto.

  9. Os concursos públicos que indicam a obrigatoriedade de formação em nível superior assinalam que o termo “NÍVEL SUPERIOR” são efetivamente os cursos de bacharelado, licenciatura e similares, e esse não é o caso do Curso de Formação de Soldados e nem dos Cursos de Formação de Sargentos ou o de Aperfeiçoamento de Sargentos, pois são eles, respectivamente, “curso superior de técnico” (que é o CFSd) e “curso superior de tecnólogo” (que é o CFS e o CAS). Há, portanto, uma grande diferença, inclusive de cargas horárias.
    Os cursos superiores de bacharelado e licenciatura têm a duração entre 4 e 5 anos, e os técnicos e tecnólogos em nível superior têm a duração de 1 a 3 anos, que são os casos do Curso de Formação de Soldados (técnico superior de 1 ano) e o caso do Curso de Formação de Sargentos e o Curso de Aperfeiçoamento de Sargentos (ambos tecnólogos, nível I e II, respectivamente, que não ultrapassam a 1 ano).
    De qualquer forma, na Polícia Militar do Estado de São Paulo, os Cursos de Bacharelado são: o Curso de Formação de Oficiais (4 anos período integral) e o Curso de Formação de Professores de Educação Física (1,5 ano em período integral).
    O Curso de Formação de Soldados, o Curso de Formação de Sargentos e o Curso de Aperfeiçoamento de Sargentos, possuem, respectivamente, os níveis de “superior de técnico” e “superior de tecnólogo I e II”. São eles formações devidamente regulamentadas e reconhecidas por lei, porém, não são bacharelados.
    Destarte, para os concursos públicos que exigem a formação universitária, o termo “Curso Superior” é a necessidade expressa de que cada candidato tenha uma vivência universitária maior, o que vem a ser um curso de maior duração, que nada mais é, de uma forma geral e em nível mais simplificado, o Bacharelado.
    Por fim, é necessário que se saiba que as graduações dos cursos superiores na PMESP – regidos pela Lei Complementar nº 1.036, de 11 de janeiro de 2008, que institui o Sistema de Ensino da Polícia Militar do Estado de São Paulo e que foi regulamentada pelo Decreto nº 54.911, de 14 de outubro de 2009 –, partindo dos níveis iniciais, são as seguintes:
    1. Curso Superior de Técnico de Polícia Ostensiva e Preservação da Ordem Pública (Curso de Formação de Soldados PM);
    2. Curso Superior de Tecnólogo de Polícia Ostensiva e Preservação da Ordem Pública I (Curso de Formação de Sargentos);
    3. Curso Superior de Tecnólogo de Polícia Ostensiva e Preservação da Ordem Pública II (Curso de Aperfeiçoamento de Sargentos),
    4. Curso Superior de Tecnólogo de Administração Policial-Militar (Curso de Habilitação ao Quadro de Administração de Oficiais PM);
    5. Bacharelado em Ciências Policiais de Segurança e Ordem Pública (Curso de Formação de Oficiais);
    6. Mestrado em Ciências Policiais de Segurança e Ordem Pública (Curso de Aperfeiçoamento de Oficiais);
    7. Doutorado em Ciências Policiais de Segurança e Ordem Pública (Curso Superior de Polícia);
    8. Curso de Bacharel em Educação Física;
    9. Curso de Bombeiros para Oficiais e Curso de Bombeiros para Sargentos.

  10. Boooooooommmm…..

    E o ” X ” da questão?

    Os Sgt e os Sub não poderão mais serem promovidos a 2 tenente nesses moldes?

    E os que já são, vão voltar para traz?

    Essa eu quero ver!!!!!!!!!

    Praça só toma no rabo mesmo.

  11. Quanta asneira. Me desculpe se falo algo que te ofendi, mas eu como sargento aprendi que não devo falar o que não tenho certeza. Ocorre que no momento estou postando de um smartphone e fica difícil referenciar as leis que norteiam o ensino militar, mas em breve poderei informar a todos q tem duvidas.
    Gente asneira é o titulo dessa matéria. Me desculpem mas eu (e o estado) entendo que a ascensão dos praças ao oficialato é uma carrera diferente daquela em que os oficiais ingressam diretamente, pois há uma serie de restrições que um oficial do quadro auxiliar não pode realizar.
    Quanto ao tempo de curso na PM. Façam-me o favor, quem é a pc para falar em treinamento. Os escribas e os invest pol se formam em 3 meses.

  12. Apoiado Sargento, fora isso, o próximo certame para investigador e escrivão apenas vai exigir graduação, o que vai facultar SIM a qq soldado da PM prestar o concurso, apenas com o diploma do Curso Superior de Soldados.
    Já se vão querer não sei, visto que, ganha o mesmo durante a carreira, auxílio alimentação menor, não tem paridade e integralidade na aposentadoria. Fora a promoção imediata, que no caso da PC o camarada com menos de 5 anos no cargo “vorta pa trazidas”…kkk
    Aí o cara pesa…se eu não morrer durante a carreira, na PC me aposento mal pra Caralho com mais de 60 anos… Na PM, só seguindo a carreira de Praça posso chegar a 2° Ten da reserva, ganhando R$ 9500,00 entre os 45 até os 48 anos.
    Sei lá, qual será melhor hj em dia????

  13. Apoiado Sargento.
    Ademais, o próximo certame para investigador e escrivão vão exigir apenas graduação, o que vai facultar a todo Soldado formado em Pirituba prestar ou não o concurso.
    No entanto, nos dias atuais, onde a carreira de Praça na PM paga o mesmo que a de investigador e/ou escrivão, sem se levar em conta uma DA do triplo do valor para a PM.
    Onde o PC para aposentar com paridade e integralidade tem que ter mais de 60 anos de idade, enquanto na PM o camarada, seguindo apenas a carreira de Praça pode se aposentar tenente com aproximadamente R$ 9500 aos 45, 47 anos…isso sem falar q na PM a promoção imediata é uma certeza, já na PC se não tiver 5 anos na função, volta uma classe…
    Qual será melhor?

  14. Sgto. Esses três meses é o tempo suficiente para os que já estão selecionados pelo Grande Criador !

    Veja por exemplo : Deus formou os Céus e a Terra e Sete dias, em cada dia Deus fez uma coisa excelente e quando formou o homem . . . Pronto estragou tudo !

    Eu tenho a impressão que existe muita gente inteligente, muitos cursos, treinamentos, etc, O governo deveria parar de pagar os que se dizem professores e os por para trabalhar na rua .

    E tropa de banda; É tropa do Detran; É tropa da corregedoria; É tropa da Assembléia, É tropa do Palácio do Governo; É tropa da Rota, Rocan, Tática, Cavalaria, Museu, Secretária da Segurança, Câmara dos Vereadores, e os que fazem parte da Tropa Civil que não fazem porra nenhuma.

    Na Grécia o maior gasto que está tendo é com os militares.
    É vergonhoso Oficiais e Civis fazerem cursos no exterior se aposentar e prestar serviços para a inciativa privada, usam o dinheiro do Estado para aprender e depois cobram para passar o conhecimento para o Estado.

    Precisamos acabar com esses processos na Justiça…Até criança de colo sabe o que está ou fez de errado !
    Errou paga na hora ! Emprestou, devolva, quebrou, conserte, agrediu sem motivos, cana, Deu prejuízo e não tem como pagar, trabalhe nas horas de folga. Justiça tem que ser na hora !

    É muita gente Inteligente, muitos estudos, muitas justificativas, só as 10 Leis já são suficientes !!!!

  15. Aos ignorantes e invejosos, essa lei não benefecia apenas 1 Sgt e subtenentes, mas sim qualquer praça que tenha 15 anos de serviços prestados e tenha curso superior. Por isso que ganham menos que a PM, cuidam muito da vida alheia e pouco a vossa.

  16. Enquanto isso no zapzap dos Mikes ……

    Repassando o que alguns PMs estão postando em grupos..

    Srs…peço apoio à mensagem abaixo. Não há o porque o Policial Militar em serviço não ser reconhecido como Autoridade Policial Militar. O que ocorre é um jogo de poder feito pelos delegados de policia que querem ser os únicos que decidem sobre o crime por interesses classistas. E o PM, ao atender a ocorrência leva os dados ao “despachante”, que investiga menos de 3% do que é instaurado. Aqui em SP paga-se para a ocorrência ser investigada ou não ser. Se for de intere$$e, aí vão atrás. Por isso que prendemos um monte de marginais com 10, 20, 50 passagens. Inquérito mal feito ou feito errado propositalmente. E aí muitos malas ficam com “pendências financeiras” com quem deveria investigar e prender. Isso é assim há décadas. E isso é que tem aumentado a criminalidade, e com isso a morte de PMs. A impunidade por causa de “acertos”. Como disse um Cmt de Unidade há algum tempo: “basta ver os carros do pessoal da tiragem”. Tem gente boa? Com certeza. Mas 3% de apuração indica o que??? Então…não chamemos mais de Autoridade ao elaborarmos qualquer documento ou nos referirmos a determinadas pessoas.
    Curioso … na primeira vez que levei um conduzido à DP, por “engano” assinei no espaço que constava: Autoridade Policial, e o escrivão falou que ali quem assinava era o Delegado, eu assinaria no “condutor”….. Até nas aulas na academia, nos livros de Doutrina policial ….. é comum usar a expressão conduzir à “autoridade policial”. De fato, o Delegado é autoridade, tal qual nós policiais militares, PRF, PRF… Então dizer que levará à autoridade policial não está errado, mas traz o entendimento principalmente para a tropa, de que “autoridade policial” é o delegado! Nos anos na Cavalaria, na qualidade de subcmt de Esquadrão de policiamento, tive apoio do Cmdo para correção da redação das ocorrências, orientando os policiais a não mais escreverem …”levamos o conduzido à autoridade policial …” (dando idéia de que o condutor também não o seja, mas sim, e tão somente, o Delegado) são ideias a ser combatidas que trazem implicitamente essa subordinação (que infelizmente acaba existindo, maiormente da nossa cultura). A audiência de custódia, acompanhando o trâmite dela aqui no CN, não mudaria o trabalho da Polícia Militar, a comunicação em 24h ao Juiz ocorre ao término do Flagrante, quando o trabalho da PM ja acabou, e agora…com a audiência de custódia, a diferença continua sendo após o término do nosso trabalho, ao invés de “comunicar”, passa a ser “apresentar”, onde não puder ser apresentado, continua a regra antiga de “comunicar” ate que haja suporte para plena implementação. Mas isto é, na nossa parte PM não muda o trabalho. Os delegados não querem porque há inúmeros projetos em que eles pleiteiam poderes de juiz, como determinar medidas cautelares e etc …. e com a audiência de custódia isso cai por terra ….
    Para a PM a audiência de custódia valoriza o nosso trabalho pois o juiz reconhece como legal a prisão, evitando distorções ao longo do tempo….
    Em são Paulo, onde há audiência de custódia, somente 3% das prisões em flagrante foram relaxadas, significa dizer que 97% da atuação da PM foi valorizada.
    A audiência de custódia é o embrião para a PM não ser mais garçom da PC, pois em breve entregaremos diretamente ao juiz, sem atravessadores.
    Cel Sérgio Payão do PMESP 1 , pediu pra repassar👆👆

  17. O dia que o ciclo completo chegar, e será logo, só não vê quem não quer, veremos quem sobrevive, se a PM, ou esse bando de vagabundos que não vtira o rabo de casa prabir ao DP fazer um flagrante fora di expediente, delegando ao pobre trabalhador escrivão/investigador fazer apenas um TC.

  18. Boa tarde!

    Senhoras e Senhores.

    Agradeço a explicação de alguns companheiros.

    Mas devo salientar que a Polícia Militar é um braço auxiliar do Exército. Assim como as Polícias Federais e Civis dos respectivos Estados.

    Por serem considerados profissionais. Muitos destes envolvidos, ou seja “Policiais”, boa parte já fizeram parte no passado das Forças Armadas como Primeira ou Segunda Categoria. Portanto todos são Auxiliares.

    Apenas a Polícia Militar ostenta hoje o nome “Militar”, mas todos sabemos também que ela descende sim de uma Milícia Municipal. À de Tobias de Aguiar. Esposo da Marquesa de Santos. Ex-amante de Dom Pedro I.

    Agora por favor me corrijam:

    Se fossem realmente iguais aos Militares do Exército não haveria necessidade do reconhecimento de uma Lei Estadual.

    Me corrijam também mais uma vez:

    Quanto à aposentadoria ser integral e tão diferente da Policia Civil, com relação a isso, modestamente falando, é um equivoco pensarem serem diferentes, tenho quase uma certeza de que estas arestas logo logo serão sentidas pelos PMs quando anunciarem o desmembramento de algumas esferas. Tais como Bombeiros; Florestais; Rodoviários por exemplo. Ou talvez quando se atentarem de certas disparidades da lei.

    Disparidades?

    Sim! Porque em certas ocasiões os PMs se locupletam das benesses dos Civis, ora se beneficiam dos benefícios estendidos aos Militares das Forças Armadas. Estas disparidades são gritantes. Ou estou errado?

    Sem ofender, mas em qual galho eles estão afinal?

    Sou Policial Civil com muita honra. Servi o Exército e também exerci a profissão de Praça da Policia Militar. Portanto alguma coisa aprendi nesta história toda.

    Acredito que ainda existe esta hipotética discrepância, simplesmente por existir certos anseios de alguns em não equacionar esta situação e, podemos até dizer que se trate apenas de uma falta de vontade politica.

    Caronte.

  19. Sargento (26/07/2015 às 13:32)

    Sargento, o escravão e o investigador não estão formados em três meses. A academia dá um curso com noções básicas, mas isso está longe de atender às necessidades das carreiras.

    O que acontece é que o escravão e o investigador aprendem já na labuta, com os mais antigos da mesma carreira e de outras carreiras.

  20. MUITO PAPO DE PM POR AQUI…..ELES QUE PROCUREM OUTRO SITE!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
    QUERO SABER O QUE TEM FEITO OS DELEGADOS PARLAMENTARES EM DEFESA DA PC???!!!!
    ALGUÉM SABE , ALGUÉM VIU??????

  21. NÃO DÊ BOI PRA ESSA RAÇA DOUTOR GUERRA!!
    OUTRO DIA, ONDE ALMOÇO PAGANDO, TINHA UNS 20 PEGANDO MARMITA!
    DOMINGO DE SOL BONITO…BOM PRA ENGRAXAR BOTINA E DEIXAR NO SOL !!!
    QUE PROCUREM OUTRO SITE!!!!

  22. O Curso de Formação da Polícia Civil pode ter três meses de duração, mas quais são as matérias do edital dos consursos da Polícia Civil, e as do edital da PM?? É só parar e analisar… Coisas do tipo “quanto é 2+2, ou “quem descobriu o Brasil”, por exemplo.

  23. COM TODA A CERTEZA SER PM É BEM MELHOR QUE SER PC!!!KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK
    CADA MERDA QUE A GENTE LÊ NA INTERNET!KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK
    DEVE SER POR ISSO QUE EXISTEM CENTENAS DE PC’S PRESTANDO ESCOLINHA DE SOLDADO!!!!!!!!
    OU SERÁ O CONTRÁRIO? VÁÁÁRIOS COXAS TENTANDO E TENTANDO E TENTANDO ENTRAR NA PC?
    SE ENCHEREM MUITO O SACO AQUI, JOGO NA REDE UMA MEIA DÚZIA DE NOME DE CABO E SARGENTO QUE HOJE SÃO CARREIRA DE NÍVEL FUNDAMENTAL NA PC E DÃO GRAÇAS A DEUS!!!
    EM TROCA VOU PEDIR MEIA DÚZIA DE NOMES DE PC’S QUE SAÍRAM PRA SER PM! COMBINADO??
    PROCUREM OUTRO SITE!! NÃO TINHA FLITE GENÉRICO DE PM OUTRO DIA? CADÊ??? ACABOU?

  24. Caro sargento,

    A matéria trata-se apenas de um estudo, distante ainda de a declaração
    De inconstitucionalidade .

    Com relação a alguns cursos da PM me permita:

    O curso de formação de soldados e de sargentos são sim reconhecidos como nível superior, porém são cursos de aperfeiçoamento e não de graduação.

    Está questão foi dirimida no tj qdo de impetração de vários mandados de segurança impetrados recentemented por policiais militares que prestaram o concurso para investigador , onde edital exige curso de graduação
    Nível superior, razão pela qual os policiais foram eliminados dos certames por não possuírem curso de graduação e sim de aperfeiçoamento em nível superior.

    O Mec é rigoroso qto a isto

  25. Notícias sobre data base? sindicatos?associações???????????? Todo mundo quieto????????

  26. Duas, digo, três observações:
    – o cidadão presta FUVEST (Barro Branco) para continuar com diploma de nível médio?
    – as Secretarias de Estado da Educação têm competência para regulamentar níveis de ensino;
    – concordo com o estudo, mas em parte. Tudo o que foi escrito aplica-se integralmente a servidores…. CIVIS.

  27. Sargento,
    Disse que não fala o que não sabe né ?
    Por acaso você estará amanhã na ala A ou F da Acadepol? Já esteve algum dia lá?

    O ex Mike da minha sala disse que no curso inteiro da formação dele na PM ele deu uns oitenta disparos …só minha habilitação de revólver foram 150 em um mês de curso …

    O mesmo disse que metade da carga horária de formação dele era carpindo, limpando os ambientes e etc.

    Na Acadepol temos uma carga semanal de aproximadamente 60 horas (de aula), ontem (sábado) entrei às 7:00 e sai 19:30. Assim são 720 horas de aula no final do curso, aproximadamente uma carga de cursos superiores.

    Por falar nisso nós já entramos lá com cinco anos de curso superior, na minha sala são 9 que trocaram a carteira da OAB pela funcional, portanto não se iluda com a duração do tempo de curso, a diferença é que lá os alunos são outro nível, aguentam a enxurrada de matérias e de conteúdos porque já estão acostumados sentar na cadeira para estudar, fizeram isso na faculdade, fizeram isso nos cursinhos para entrar, e fazem isso agora com naturalidade.

  28. kkkkk. Já vi Pm querendo apresentar ocorrência de flagrante sem vitima. Depois não quer levar canseira na Delpol…….

  29. Nossa só 3 meses para se formarem,por isso que pms levam canseira..falta de camaradagem e isso na pm é punição,olha só uma diferença básica.

  30. O oficial QAOPM é uma quadro a parte não disputando vagas com os oficiais QOPM ou seja seria uma carreira distinta !!Simples assim.

  31. EM 3 MESES NÃO DA PARA FORMAR UM ATENDENTE DE LOJA DE FAST FOOD QUEM DIRÁ UM POLICIAL

  32. Pergunta para qualquer mike que passou por Pirituba se ele lembra do tempo que limpava os banheiros , vasos sanitarios cheios de merda e se lembra das materias MATOmática e GRAMÁtica????

  33. Oficial,
    Um graduado pela Usp se forma atendende de fast food em um dia, um postulante a coxa precisa de três meses mesmo ou mais.

  34. Façamos o seguinte nesta briga de adolescente :

    A PM é a melhor …… Para os pms

    A civil é melhor ……… Para nós civis.

    Quem não estiver satisfeito que preste concurso para a outra instituição. Comum da PM para a PC , absolutamente incomum ao contrário.

    Eu particularmente é com todo o respeito, jais seria policial militar, pelo simples fato de que não gosto da natureza da atividade.

    Sempre trabalhei na investigação . Tirei apenas um ano , o primeiro da carreira, no plantão, o restante sempre em atividade de investigação e inteligência.

    Quem acha q o trabalho na PM é melhor fique por lá, quem não gosta…….

  35. Pode ficar até dez anos, mas se ficar só limpando banheiro e aparando grama, não vai adiantar nada… Tenha dó!
    KKKKKKKKKKKKKK

  36. A posição do autor é respeitável e merece ser debatida. Como fonte para reflexão e estudo é brilhante. Todavia, não concordamos ou comungamos com tal tese. A carreira policial militar – essencialmente, intrinsecamente – é única; com suas especialidades, peculiaridades e necessárias delimitações hierárquicas. Mas – posição pessoal – não se pode falar em carreiras das praças e carreira dos oficiais. A PM segue do soldado-soldado ao soldado-coronel. Por que o soldado que não logra ingressar no Barro Branco ( nunca haverá vagas para todos ) , mas logra – além da experiência funcional diária; mais cursos internos – obter graduações em outras escolas , não pode ser promovido a oficial por concurso interno ?
    Por que o soldado que se forma em medicina não pode ser coronel da PM ?
    Idem, veterinários, odontólogos , advogados; etc. ?

    Ofensa à isônoma é ter que concorrer de igual para igual com menos qualificados.

    Nas palavras do Ministro Marco Aurélio do STF:

    A mudança de categoria, sem concurso, mediante nova investidura, somente está expungida do cenário jurídico quando entre o cargo ocupado e o pretendido inexiste a indispensável relação, de modo a que se conclua situarem-se, ambos, na mesma carreira, entendida esta em seu real significado, ou seja, como fenômeno viabilizador do aprimoramento constante, quer do servidor enquanto pessoa humana, quer da Administração Pública, no que voltada à prestação de bons serviços à comunidade.

  37. caronte, você está confundindo as coisas!

    primeiro, em vez de falar curso superior (que não representa faculdade somente), fale graduação (esse termo sim engloba todas as faculdades no brasil, segundo o mec).

    então no brasil nós temos tres modalidades de faculdade: tecnólogo, bacharelado e licenciatura. só depois de fazer um desses tres cursos de graduação (faculdade), você pode fazer uma pós-graduação (para se tornar especialista – pós-graduação lato sensu). além de especialização, você pode optar por mestrado ou doutorado (stricto sensu).

    a polícia civil para ingresso atualmente como investigador e escrivão exige diploma de graduação. para perito criminal eles exigem bacharelado em áreas específicas.

    qualquer duvida, é só perguntar.

    minha formação: eu sou tecnólogo e tenho duas pós-graduações, sou especialista e mestre.

  38. Jamiro, que péssimas informações você trouxe hein! puxa vida!!

    pra entrar na polícia civil, é exigido curso de graduação!!! e curso de graduação é: bacharelado, licenciatura e tecnólogo!!!

    usando a expressão escrito por voce “superior” seria englobado o curso chamado de “sequencial de complementação” (que não é graduação e passa longe de bacharelado, licenciatura e tecnólogo!!! vai estudar, entra no site do mec!!!

    e não a polícia civil não aceita nenhum curso da pm para entrar como investigador ou escrivão! a pm realiza cursos de aperfeiçoamento…

  39. FUTUROPOL – AGORAPOL/ACADEPOL disse:
    26/07/2015 ÀS 17:18
    Sargento,
    Disse que não fala o que não sabe né ?
    Por acaso você estará amanhã na ala A ou F da Acadepol? Já esteve algum dia lá?

    O ex Mike da minha sala disse que no curso inteiro da formação dele na PM ele deu uns oitenta disparos …só minha habilitação de revólver foram 150 em um mês de curso …

    O mesmo disse que metade da carga horária de formação dele era carpindo, limpando os ambientes e etc.

    Na Acadepol temos uma carga semanal de aproximadamente 60 horas (de aula), ontem (sábado) entrei às 7:00 e sai 19:30. Assim são 720 horas de aula no final do curso, aproximadamente uma carga de cursos superiores.

    Por falar nisso nós já entramos lá com cinco anos de curso superior, na minha sala são 9 que trocaram a carteira da OAB pela funcional, portanto não se iluda com a duração do tempo de curso, a diferença é que lá os alunos são outro nível, aguentam a enxurrada de matérias e de conteúdos porque já estão acostumados sentar na cadeira para estudar, fizeram isso na faculdade, fizeram isso nos cursinhos para entrar, e fazem isso agora com naturalidade.

    =========================================================================================

    MENOS FUTUROPOL- ACORDE- – !!!!!!

    pare com isso !!! não fique se vangloriando por estar na acadepol , fique sabendo que la é uma coisa ,
    aqui na faixa de gaza é outra. não fique pensando que se tu for um mestre em PHd ou um poliglota será
    mais eficiente que os que ja estão na guerra..

    te aconselho a ter mais humildade , pois fique sabendo que tudo o que ouviu e ouvir la na acadepol será somente
    as teorias, tu só vai se tornar um bom policial quando tiver na pratica , que é onde o bicho pega.

    —- quando tu se apresentar ao chefe , ele e (seus novos colegas da ativa antigões ) vai dizer pra tu esquecer quase tudo o que ouviu la ,pois se tu não ter saco roxo não fica nem um ano na policia…………………………..

    para ser um bom policial , antes de tudo o cara necessita ser corajoso e macho…….
    de que adianta o cara entrar na PC com um monte de curso ,um verdadeiro gênio e ser um CAGÃO , PIPOCA ?

    O PRIMEIRO QUESITO PARA SER PC É ESTE

    SER MACHO DE VERDADE.

    se não ter estas qualidades é melhor prestarem para a secretaria da educação como PROFESSOR.

  40. Repetirei pela enésima vez:

    Investigadores e escrivães egressos da PM são infinitamente melhores do que quaisquer NU ( graduado ).

    Da mesma forma, os delegados que foram policiais militares são excelentes.

    Antigamente a PC formava investigadores em poucas semanas, pois a maioria era PM : aprovados com mérito.

  41. FUTUROPOL – AGORAPOL/ACADEPOL disse:
    26/07/2015 ÀS 17:18
    Sargento,
    Disse que não fala o que não sabe né ?
    Por acaso você estará amanhã na ala A ou F da Acadepol? Já esteve algum dia lá?

    O ex Mike da minha sala disse que no curso inteiro da formação dele na PM ele deu uns oitenta disparos …só minha habilitação de revólver foram 150 em um mês de curso …

    O mesmo disse que metade da carga horária de formação dele era carpindo, limpando os ambientes e etc.

    Na Acadepol temos uma carga semanal de aproximadamente 60 horas (de aula), ontem (sábado) entrei às 7:00 e sai 19:30. Assim são 720 horas de aula no final do curso, aproximadamente uma carga de cursos superiores.

    Por falar nisso nós já entramos lá com cinco anos de curso superior, na minha sala são 9 que trocaram a carteira da OAB pela funcional, portanto não se iluda com a duração do tempo de curso, a diferença é que lá os alunos são outro nível, aguentam a enxurrada de matérias e de conteúdos porque já estão acostumados sentar na cadeira para estudar, fizeram isso na faculdade, fizeram isso nos cursinhos para entrar, e fazem isso agora com naturalidade.

    ————————————

    O CERTO É EXIGIR PARA O INGRESSO NA POLICIA CIVIL , TER CORAGEM, E POSSUIR TESTOSTERONA.
    E EXIGIR LOGO NA PRIMEIRA ENTREVISTA QUE O CANDIDATO SEJA MACHO . POIS ULTIMAMENTE ESTÃO ENTRANDO MUITOS MAURICINHOS MAÇANETAS , TEM MUITOS DELICADOS QUE SÃO UMAS COMÉDIAS PARA OS ANTIGÕES,

    MUITOS ESTÃO SENDO ALVO DE BULLING. KIKIKIKIKIKI TAMANHA A BICHEZA DELES.

  42. Delegados que foram policiais militares são excelentes? Não, não! Os que conheço – e são muitos – são horríveis, principalmente no quesito conhecimentos jurídicos! Sabem o arroz com feijão e olha lá. Conheci um que era egresso da GCM paulista; para esse sim, eu tirava o chapéu: moço fino, esforçado e de bom nível cultural. Para os PM’s eu tiro a minha chapeleta!

  43. .3. Proventos integrais ou proporcionais?

    DIREITOS DA APOSENTADORIA ESPECIAL.

    Falar em proventos proporcionais seria tão cruel quanto exigir idade mínima do servidor público. Assim, somente fará algum sentido a aposentadoria especial com tempo de serviço reduzido, se esta redução não afetar os proventos a serem pagos pelo Estado, do contrário, o servidor se veria obrigado a permanecer exposto aos agentes de risco, sujeitando-se aos danos em sua saúde, justamente para não sofrer prejuízo nos valores de seus proventos. Estes, portanto, para atenderem a finalidade do instituto em estudo, devem ser equivalentes àqueles percebidos pelos demais servidores públicos que jubilam com proventos integrais nas demais modalidades de aposentadorias.

  44. FUTUROPOL – AGORAPOL/ACADEPOL,

    NU para as carreiras de investigador e escrivão representa “capitis diminutio”!

    Não faz muito tempo o policial civil cursava cinco anos de faculdade para trocar a funcional pela OAB ou pela carreira de delegado.

    Ora, entre morrer de fome como advogado e morrer de fome como “restopol” NU , melhor e mais respeitável continuar advogando.

  45. Delegado Ex PM Excelente É Igual A Cabaço Na Fazendinha: Não Existe!

    Há controvérsias!

    Inicialmente, não são muitos os delegados que foram PMs. Eu conheço e trabalhei com pouquíssimos.

    Muitos são os delegados que foram tiras, escribas, agentes; etc.

    A MAIORIA!

    Boa parcela dessa “prata da casa”, além de ignaros, são vagabundos, prepotentes, soberbos e CORRUPTOS até a medula.

  46. a polícia, outros órgãos públicos e empresas privadas só exigem faculdade para aumentar os níveis de exigência da prova e de alguma maneira chamar pessoas mais instruídas.

    mas a verdade é que pras funções pra quais não há faculdade… graduação é totalmente desnecessário..

    não existe faculdade que ensine alguém a fazer investigação criminal…

    no estados unidos tem a faculdade de justiça criminal que muitos detetives fazem…

    tem pessoas (que claro tiveram um excelente estudo até o ensino médio ou tem uma prática de leitura muito forte.. coisa que no brasil é dificil…) que são muito mais capazes do que pessoas com inúmeras faculdades e pós…

    vemos pessoas na faculdade que escrevem e falam muito mal… não leem nem um artigo por ano…

    há tantos milionários empreendedores que saíram do nada que às vezes nem ensino médio têm, como exemplos…

    na europa só se faz faculdade normalmente pessoas que pensam em realizar pesquisas e serem professores… não existe essa mania de querer ter faculdade pra ser operacional..

    no brasil vemos isso.. pessoas que fizeram 5 anos de faculdade de administração e são assistentes e auxiliares, secretárias… tempo e dinheiro desperdiçados… enquanto técnicos ganhando o triplo que esses bachareis…

  47. O QUE NINGUÉM QUER FALAR, PELO ÓBVIO, E CLARO, E QUE CERTAS CARREIRAS, NA POLÍCIA CIVIL, SÃO LIMITADAS NA ESCALA DE COMANDO, OU SEJA, UM INVESTIGADOR DE CLASSE ESPECIAL, E ANOS LUZ ATRÁS DA CARREIRA DE DELEGADO ESPECIAL, NÃO PARTICIPA DE NENHUMA ESCALA DE COMANDO NEM MESMO, PODE USAR DESTA CLASSE PARA TER O MÍNIMO PRIVILÉGIO, POIS A QUALQUER MOMENTO, POR UM DELEGADO DE 4 CLASSE PODE ESCALAR ESTE INVESTIGADOR DE CLASSE ESPECIAL PARA FAZER PLANTÃO NOTURNO, SEM PESTANEJAR, JOGANDO SEUS 30 ANOS DE POLÍCIA NO LIXO.
    ASSIM , PELA ÓTICA DA EVOLUÇÃO, PERCEBEMOS QUE AS CARREIRAS DEMINUTAS, SÃO APENAS CUMPRIDORAS DA CLASSE DE DELEGADO DE POLÍCIA, SEM QUALQUER MODO DE INVERSÃO DE VALORES, ESTE VERSA A FORMA ARCAICA E FORMAL DE PROIBIR DE FORMA CLÁSSICA A ASCENSÃO DE CARREIRA, QUE SÓ PODERÁ SER FEITA ATRAVÉS DE CONCURSO PÚBLICO, CONCORRENDO A UMA VAGA COM QUALQUER FORMANDO EM BACHARELADO DE DIREITO. JUSTO OU NÃO, TEREMOS SEMPRE NA ACADEMIA DE POLÍCIA PESSOAS INESPERIENTES, OU SIMPLES CONCURCEIROS QUE NÃO QUEREM SEGUIR A CARREIRA MAS SIM AS QUE MELHOR PAGAM. ESTA É A VERDADE DE NÃO SEREM COMPLETADOS OS CONCURSOS ABERTOS HOJE EM DIA.

  48. Fodam-se as carreiras da PM! É problema deles! Temos que nos preocupar com as nossas carreiras. Hoje temos carreiras de nível superior com três salários distintos e carreiras de nível médio com dois salários distintos. Seria isso juridicamente correto? Alguém saberia informar?

  49. Na verdade a policia civil deveria pegar carona e agir da mesma forma com os policiais civis abrindo concurso interno para quem apresentasse prova de títulos ao invés de ficar discutindo um assunto tão corporativista. Isso se chama corporativismo, uma forma de ajudar os seus. Acho bom nossos dirigentes pensar nisso e abrir um concurso interno a instituição tem muito mais a ganhar.

  50. E outra coisa, o que o colega Mensagem do Além disse é a mais pura verdade…

  51. sou tecnólogo em gestão de segurança pública, especialista em metodologia do ensino superior e mestre em políticas de segurança pública.

    adoro ser policial civil, mas não posso confiar ou depender do governo. eu deveria ganhar no mínimo 10 mil reais? sim! mas não ganho. o mundo não é perfeito. então. faço a minha parte. tenho outras atividades profissionais lícitas, previdência privada e outros investimentos. não perco tempo ou paciência pensando em aposentadoria do governo.

    e se eu for demitido amanhã… eu só perco o distintivo e porte de arma…

  52. Vamos la …vou dar uma aula de Graduação e Ensino Superior para os presentes:

    Há trêsopções de graduação/curso superior: bacharelado, licenciatura e curso tecnológico. A principal diferença, além do conteúdo, é o tempo que o aluno passa estudando: enquanto um bacharelado leva, em média, quatro anos para ser concluído, um curso tecnológico pode levar dois.

    O bacharelado, segundo o MEC (Ministério da Educação), é o curso superior que “confere ao diplomado competências em determinado campo do saber para o exercício de atividade acadêmica ou profissional”. A licenciatura, por sua vez, prepara o estudante para dar aula como professor na educação básica.

    Os dois costumam dividir boa parte do currículo, mas quem prefere a licenciatura pode ter matérias específicas, mais focadas em aspectos pedagógicos. Para dar aula nos anos finais dos ensinos fundamental e médio, o estudante precisa ter cursado uma área do conhecimento, como matemática, física ou letras. Um aluno formado em engenharia, por exemplo, não pode dar aula de química.

    O tempo de curso, seja bacharelado ou licenciatura, depende de cada instituição de ensino superior, mas, em média, um bacharelado leva quatro anos –período que pode ser ligeiramente maior no segundo caso. Os dois fornecem diploma.

    O tecnologo são cursos que oferecem graduação em apenas dois anos. Esses são os chamados tecnológicos. Além do tempo reduzido, eles têm um objeto de estudo bastante específico. Por exemplo: não há um curso tecnológico de jornalismo, mas é possível encontrar um de fotografia. Como a carga de conteúdo é menor e mais centralizada, os estudos são mais focados.

    De acordo com o MEC, os cursos tecnológicos também conferem diploma aos concluintes. Como todo curso de graduação, é aberto a quem terminou o ensino médio (ou nível equivalente) e passou por algum processo seletivo.

    Por fim existem também os cursos sequenciais. O ministério não os considera como graduação e eles são voltados a quem já é formado em alguma área e procuram uma certa especialização. Há dois tipos: o de formação específica, que, se for reconhecido pelo MEC, pode conceder diploma; e o de complementação de estudos, que não tem esse poder.

    Logo temos:

    Para ingressar como tira e escriba precisa ser graduado: Ou seja possuir diploma de um curso tecnologo, bacharel ou licenciatura.

    Para ser soldado precisa ter concluido ensino médio somente.

    Por fim o CURSO DE FORMAÇAO DE SOLDADO é visto como um CURSO SEQUENCIAL, logo não é graduação. Por isso não é reconhecido para ingresso nas carreiras de escriba e tira.

    E o curso de oficial da PM é tecnolgo, pois seu tempo foi reduzido para 3 anos.

    Fonte: SSP/ MEC/ PC/ PM/ CAPES

    Jamiro, me desculpe a indelicadeza mas voce so fala merda amigao.

  53. O MEC não reconhece o curso da PM por ser semelhante ao curso Tabajara e Instituto Universal.

  54. Que se foda a meganha, o bombeiro e a puta que os pariu, que caralho interessa ao Policial Civil essa merda ?????
    Não temos aposentadoria de acordo com a Lei federal respeitada, temos um salário de merda, a PC está uma putaria só !!!!!
    Foda a porra da meganha caralho, vamos focar no nossos problemas e tentar resolvê-los !!!!!

  55. O rasgado falando do remendado, todo mundo na merda e ainda querem ser melhor que o outro. Do que adianta ser “nível superior” ser “tecnólogo”, ser lorde, ser doutor, ser o raio que o parta, se até a tal “polícia legislativa” ganha melhor que as policias de “verdade”. Como diz o ditado: Policial é igual hiena, come coco e da dá risada.

  56. CICLO COMPLETO DE POLÍCIA
    Dos irmãos Naves à lâmpada LED.

    Imaginem um lugar tão tão distante. Imaginem que neste lugar tem o chamado ciclo completo de polícia.
    Imaginem que um grupo de pessoas consiga deter um homem por um suposto crime e este homem é levado à presença de um delegado de polícia. O delegado ouve todo mundo e entende que o crime não existiu, ou o fato é atípico ou aquele detido não é o autor. Um terceiro que a tudo assistia chega para este grupo de pessoas e diz: “Este delegado é muito mole, leva ele para o quartel que o tenente prende”.
    Pois bem, vamos ao um caso verídico em um lugar não tão tão distante assim. Trecho retirado do site http://advivo.com.br/comentario/re-vaccarezza-vai-entrar-com-acao-popular-contra-gurgel-3
    “Em 1937 teve início um dos casos mais célebres de injustiça e erro judiciário de nosso país, o caso dos irmãos Naves. Dois irmãos simples da cidade de Araguari em Minas Gerais são os protagonistas desta triste história. Sebastião José Naves contava com trinta e dois anos, enquanto seu irmão, Joaquim Rosa Naves, vinte e cinco. Ambos trabalhavam na lavoura e comercialização de cereais. Joaquim também era sócio de seu primo, Benedito Pereira Caetano, outra figura notável nesse episódio, em um caminhão Ford V-8, que transportava as mercadorias.
      Benedito compra muitas sacas de arroz, gasta 136:000$000 (cento e trinta e seis contos de réis), esperando revendê-las e lucrar consideravelmente. Contudo, o preço do arroz cai, e recebe apenas um cheque no valor 90:048$500 por toda mercadoria. Não haveria lucro, aliás, a soma não cobriria todas as suas dívidas. Logo após receber o cheque Benedito resolve sacá-lo e, dois dias depois, desaparece.
    Os irmãos procuram o primo que estava hospedado na casa de Joaquim, visitam sua amante, Floriza, o fornecedor e o comprador das sacas de arroz. Com o passar do tempo, a preocupação aumenta e eles procuram a polícia, relatando, ao delegado Ismael do Nascimento, os últimos fatos. A polícia realiza buscas, porém Benedito não estava na fazenda dos pais, nem em parte alguma.
    O inquérito é instaurado, os irmãos Naves, bem como Floriza, José Lemos (comprador das sacas de café) e outros dois amigos do desaparecido são testemunhas. Eles recontam os últimos momentos com Benedito, na festa de inauguração de uma ponte, entre Araguari e Goiás. Joaquim explica que depois da comemoração, jantaram em casa e o primo resolveu sair para passear no parque de diversões, levando toda a importância de que era portador. Floriza conta que, na verdade, dançou com o desaparecido no cabaré naquela madrugada, mas não haviam passado a noite juntos.
    Estava difícil resolver o sumiço de Benedito, a polícia não tinha pistas e a pressão popular aumentava.
    Nada. Tudo sem rumo. O povo inquieto. O delegado malvisto. Mole. Mole. Mas não era. Honesto, sensato. Não via, não atirava no escuro. Podia acertar noutro. Não queria ser perigoso, nem injusto[1].
    Na busca por uma solução do caso, um delegado militar (da força pública) é convocado para conduzir as investigações, Francisco Vieira dos Santos, figura central para a transformação do episódio. No mesmo dia em que assume o posto, intima novas testemunhas. Dentre elas, José Prontidão, que trabalha no mesmo ramo dos irmãos Naves e afirma ter visto e trabalhado com Benedito em Uberlândia, pouco tempo após seu desaparecimento.
    Dona Ana Rosa Naves, mãe dos irmãos e de mais outros 12 filhos, viúva, contava com sessenta e seis anos, foi ouvida pelo delegado e confirmou a versão de Prontidão. Em seguida, o delegado tomou os depoimentos da esposa de Sebastião, Salvina e a de Joaquim, Antônia. Ambas sabiam que na noite anterior ao sumiço do primo, os irmãos estavam nas respectivas casas. Um amigo de Benedito, Orcalino da Costa, em seu testemunho sugeriu que os responsáveis pelo desaparecimento de Benedito eram os irmãos Naves. O delegado preferiu seguir esta última “pista”.
    Os Naves e Prontidão são presos, sofrem muitas agressões, passam fome e sede. O último não agüenta a tortura por muito tempo, modifica seu testemunho, diz que os irmãos mandaram-no dizer aquelas coisas em troca de uma gratificação posterior. Deste modo, o delegado consegue a acusação que tanto desejava para revelar aquele “crime”, mas ainda espera a confissão.
    Os irmãos continuam presos no porão da delegacia, nus, ainda sem receber alimentos ou água, apanhando muito, porém nada diziam. Assim sendo, prendem Dona Ana, retiram-lhe as roupas e mandam os filhos baterem na mãe idosa, e eles, obviamente, recusam-se. Todos são torturados, Dona Ana chega a ser estuprada, porém é solta após alguns dias e procura um advogado. Já não era a primeira vez em que ela procurava o Dr. João Alamy Filho, que, por fim, resolve defender os irmãos.”
    Não precisamos continuar a contar a história, pois esta aberração virou filme e todos sabem o final. Tivemos aí, o verdadeiro ciclo completo de polícia.
    Pesquisando sobre ciclo completo de policia, tive a oportunidade de entrar no site http://www.feneme.org.br/ e lá encontrei um artigo com o seguinte título O SISTEMA POLICIAL BRASILEIRO E O FIM DA LÂMPADA INCANDESCENTE.
    Neste artigo, o nobre articulista faz uma comparação entre o ciclo completo e a evolução da lâmpada elétrica. Para ele a separação entre a função investigativa e ostensiva seria equiparada a lâmpada incandescente e o ciclo completo de polícia seria a luz LED.
    Mas se retornarmos e analisarmos o novo modelo proposto e a história contada, creio que haveria um retrocesso, em vez de se chegar a lâmpada LED, iríamos retornar à lamparina. Ou seja, todo o trabalho de Thomas Edson seria jogado no lixo.
    Continuando o artigo, o articulista informa que em 30 de junho deste ano foi proibida a venda de qualquer lâmpada incandescente.
    Ele esquece que em 1988, a Constituição Federal dispôs em seu artigo 144:
    § 4º Às polícias civis, dirigidas por delegados de polícia de carreira, incumbem, ressalvada a competência da União, as funções de polícia judiciária e a apuração de infrações penais, exceto as militares.
    Neste exato momento a Constituição Federal proibiu que a lamparina pudesse emitir qualquer luz, que qualquer querosene fosse queimado e que qualquer mau cheiro ficasse impregnado na sociedade. E o melhor, passou a impedir que qualquer tenente Francisco Vieira dos Santos prendesse quaisquer irmãos Naves ou quaisquer Amarildos. Impediu, assim, o Ciclo Completo dos Naves e o Ciclo Completo dos Amarildos.
    A partir deste momento poderíamos, de fato, evoluir. E evoluir dentro da investigação, com policiais civis e federais capacitados e especializados, com equipamentos modernos, com viaturas modernas e um salário digno. Com uma polícia uniformizada nas ruas, da mesma forma, com equipamentos modernos e com salários dignos, sem pressão das famigeradas prisões administrativas e dando à sociedade a tão sonhada sensação de segurança
    Por fim, eu tenho que concordar com o autor do artigo que fala da evolução da lâmpada incandescente. Temos que, de fato, evoluir para a LED. Só que esta L.E.D tem outro significado LUZ, EVOLUÇÃO E DESMILITARIZAÇÃO.

    SERGIO RICARDO MATTOS
    Delegado de Polícia

  57. Brucutu,
    Me desculpe se pareceu falta de humildade, mas o sargento, que é PM e nunca pisou lá, estava questionando o fato do curso da Acadepol ter apenas três meses de duração, quis mostrar que não importa o tempo de duração, mas sim a carga horária e o quanto se aproveita dela.
    Sobre entrar lá com nível superior faz sim diferença, uma pessoa não acostumada a estudar e com a “mente enferrujada” não aguenta, e não passa. Pelo menos no curso que eu estou tendo. Nós temos que estudar (em casa) todos os dias para conseguir absorver o conteúdo e ir bem nas provas, o curso é bastante puxado.
    Isso tudo não quer dizer que o aluno será um bom policial, você tem toda razão, só quer dizer que uma pessoa com um nível acadêmico mais baixo (no sentido de costume de estudar e absorver conteúdo) dificilmente consegue sair de lá.

  58. FUTUROPOL – AGORAPOL/ACADEPOL disse:
    26/07/2015 ÀS 17:18
    Sargento,
    Disse que não fala o que não sabe né ?
    Por acaso você estará amanhã na ala A ou F da Acadepol? Já esteve algum dia lá?

    O ex Mike da minha sala disse que no curso inteiro da formação dele na PM ele deu uns oitenta disparos …só minha habilitação de revólver foram 150 em um mês de curso …

    O mesmo disse que metade da carga horária de formação dele era carpindo, limpando os ambientes e etc.

    Na Acadepol temos uma carga semanal de aproximadamente 60 horas (de aula), ontem (sábado) entrei às 7:00 e sai 19:30. Assim são 720 horas de aula no final do curso, aproximadamente uma carga de cursos superiores.

    Por falar nisso nós já entramos lá com cinco anos de curso superior, na minha sala são 9 que trocaram a carteira da OAB pela funcional, portanto não se iluda com a duração do tempo de curso, a diferença é que lá os alunos são outro nível, aguentam a enxurrada de matérias e de conteúdos porque já estão acostumados sentar na cadeira para estudar, fizeram isso na faculdade, fizeram isso nos cursinhos para entrar, e fazem isso agora com naturalidade.

    ************************************************************************************************************************************************

    FUTUROPOL – AGORAPOL/ACADEPOL disse:
    26/07/2015 ÀS 17:50
    Oficial,
    Um graduado pela Usp se forma atendende de fast food em um dia, um postulante a coxa precisa de três meses mesmo ou mais

    ************************************************************************************************************************************************

    RESPOSTA PARA A SUA PRIMEIRA POSTAGEM, VC MANDOU MUITO BEM, SOMENTE COMPLEMENTANDO COLEGA, VC, A SUA TURMA E OUTRAS TURMAS FORMADAS DE 03 ANOS PRA CA, FOGE AS REGRAS, POIS, APOS AS EXIGÊNCIAS DE TER O ENSINO SUPERIOR PARA ENTRAREM NA PC NAS CARREIRAS DE ESCRIVÃO E INVESTIGADOR DE POLICIA, REALMENTE OS NOVOS PROFISSIONAIS SÃO BEM QUALIFICADOS, UMA VEZ QUE TIVERAM QUE FREQUENTAREM AULAS SENTADOS NUMA CADEIRA DE FACULDADE/UNIVERSIDADE, MAS ISSO COLEGA SÓ SERVE PARA OS QUE ENTRARAM NESSAS CARREIRAS DE TRÊS ANOS PRA CÁ TÁ, OS DEMAIS, UMA PEQUENA PARCELA ESQUENTARAM SUAS BUNDAS NUMA CADEIRA DE FACULDADE TÁ, QUERO AQUI INCLUSIVE ORIENTAREM VCS QUE ENTRARAM NA PC COM AS EXIGÊNCIAS DE ( NU), QUE VCS POSSAM REALMENTE PREITEAREM ( $$$$$) ISSO TÁ, SOMENTE QUEM POSSUEM UM DIPLOMA LEGAL DE ( NU) PODE EXIGIR O PRO-LABORE DISSO, OS DEMAIS NÃO FAZ JUS.

    OBS: ANARFA EXIGINDO PRO-LABORE DE ( NU) , SÓ SE FOR NÍVEL UNIVERSITÁRIO DE ANARFABETISMO (IRONIA), ANARFABETISMO DE ANARFA MESMO.

    **********************************************************************************************************************************************

    QUANTO A SUA SEGUNDA POSTAGEM COLEGA, VC DEMONSTROU QUE SERÁ MAIS UM PC BABACA ENTRANDO NOS QUADRO DE UMA INSTITUIÇÃO QUE SOMARÁ AOS VÁRIOS QUE MANCHARAM O BOM NOME DELA, VC COM CERTEZA COM ESSA ARROGÂNCIA NÃO CHEGARÁ A LUGAR NENHUM, VC NEM POLICIA É, E JÁ SE ACHA NO DIREITO DE FALAR ASNEIRAS DE UMA INSTITUIÇÃO, COMEÇA COLEGA, PRIMEIRAMENTE EM CONHECER BEM A SUA CASA, AI SE SOBRAR UM TEMPINHO, COMEÇA A CONHECER A CASA DO SEU VIZINHO TÁ, COM ESSA VISÃO INTELECTUAL SUA, SERÁ MAIS UM RECOLHA, ACHARCADOR DA PC, DIGO ISSO SEM MEDO DE ERRAR TÁ, BOA SORTE, QUEM SABE VC CONSEGUE SE FORMAR, DUVIDO QUE TERMINE O ESTÁGIO PROBATÓRIO.

  59. AO COLEGA * JAMIRO, PARABÉNS PELA BOA AULA DADA GRATUITAMENTE PARA TODOS QUE PARTICIPA DESTE ESPAÇO PÚBLICO DEMOCRÁTICO, VC DEMONSTROU CONHECIMENTO PROFUNDO NO ASSUNTO, QUE A SUA EXPLICAÇÃO POSSA SERVIR PARA TAPAR MUITAS BOCAS FEDORENTAS QUE EXPELEM MERDAS NESTE ESPAÇO.

  60. Dr.
    Não tenho dúvida, pelo menos na sala de aula os dois ex mikes estão entre os melhores da turma, eles tem a pegada policial aliada ao bom nível educacional, sendo que esse primeiro item falta em quase todo o resto.

    Sei que a pouco tempo era como o Dr. diz e não sei o que se passa, só sei o que disse: de 36, 17 são bacharéis em Direito, e destes, 9 cancelaram a carteira.

  61. AO COLEGA (SÓ RINDO), VC JÁ COMEÇOU ERRADO, QUEM VIVE SÓ RINDO É HIENA QUE VIVE COMENDO CARNIÇAS E DANDO RISADAS.
    LEMBRA-TE, ESTE ESPAÇO É UM LUGAR PÚBLICO, DEMOCRÁTICO, MANTIDO POR UMA PESSOA CIVIL ( QUE NÃO É POLICIA) PARA TRATAR DE ASSUNTOS POLICIAIS DE INTERESSES COLETIVOS TÁ, ONDE TODOS POSSAM EXPRESSAREM AS SUAS OPINIÕES A RESPEITO.
    EM NENHUM COMENTÁRIO DO ADMINISTRADOR ATE AGORA DEIXOU DÚVIDAS DISSO, OU SEJA, O DR. CONDE GUERRA NUNCA ESCREVEU AQUI QUE ESTE ESPAÇO É DE EXCLUSIVIDADE DE ALGUMA INSTITUIÇÃO, NEM DA PC, NEM DA PM, E NEM DE NINGUÉM TÁ, ENTÃO COLEGA, ANTES DE POSTAR MERDAS, PROCURE A SE INTEIRAR, POIS VC FEZ PAPEL DE UM BOBÃO, UM ZÉ RUELA, UM ZÉ MANÉ.

  62. Flit Paralisante disse:
    26/07/2015 ÀS 19:21
    A posição do autor é respeitável e merece ser debatida. Como fonte para reflexão e estudo é brilhante. Todavia, não concordamos ou comungamos com tal tese. A carreira policial militar – essencialmente, intrinsecamente – é única; com suas especialidades, peculiaridades e necessárias delimitações hierárquicas. Mas – posição pessoal – não se pode falar em carreiras das praças e carreira dos oficiais. A PM segue do soldado-soldado ao soldado-coronel. Por que o soldado que não logra ingressar no Barro Branco ( nunca haverá vagas para todos ) , mas logra – além da experiência funcional diária; mais cursos internos – obter graduações em outras escolas , não pode ser promovido a oficial por concurso interno ?
    Por que o soldado que se forma em medicina não pode ser coronel da PM ?
    Idem, veterinários, odontólogos , advogados; etc. ?

    Ofensa à isônoma é ter que concorrer de igual para igual com menos qualificados.

    Nas palavras do Ministro Marco Aurélio do STF:

    A mudança de categoria, sem concurso, mediante nova investidura, somente está expungida do cenário jurídico quando entre o cargo ocupado e o pretendido inexiste a indispensável relação, de modo a que se conclua situarem-se, ambos, na mesma carreira, entendida esta em seu real significado, ou seja, como fenômeno viabilizador do aprimoramento constante, quer do servidor enquanto pessoa humana, quer da Administração Pública, no que voltada à prestação de bons serviços à comunidade.

    DR.GUERRA, EU PARTICULARMENTE NÃO CONCORDO QUE DEVERIA SER DA FORMA QUE É HOJE NO QUADRO DA PM SP, EU CONCORDO QUE DEVERIA SIM EXISTIR UMA FORMA LEGAL, ONDE UM SOLDADO COM SEUS ESFORÇOS/ESTUDOS, POSSAM ATE CHEGAREM A UM CORONEL ( MAIS ALTO CARGO EXISTENTE NAS PMS) MAS TENDO NA PM APENAS UM QUADRO.
    HOJE COM ESSES QUADROS DIFERENTES DE OFICIAIS, SÓ SERVE PARA (FAZ DE CONTA), OU REMÉDIO FALSIFICADO, PARECE MAIS NÃO É!, KKKKK, ( QUADRO DE OFICIAIS QUEBRA FACAS) ONDE ESSES OFICIAIS SÓ SERVEM DE CHACOTAS DOS OUTROS OFICIAIS DO QUADRO REAL (BARRA BRANCO), ESSES OFICIAIS EM TELA, NÃO PODEM OCUPAREM OS MESMOS SERVIÇOS DOS DEMAIS OFICIAIS, NÃO PODEM COMANDAREM NADA, NÃO PODEM TRABALHAREM NA RUA, NÃO PODEM COMANDAREM COMPANHIAS, BATALHÕES, ETC…,NA VERDADE NÃO SÃO NADA NA VOLTA DO DIA, MISSO É A VERDADE.
    E OUTRA GUERRA, COMO UM SISTEMA PREVIDENCIÁRIO POSSA SE SUSTENTAR, RECEBENDO UM XIS % POR MÊS DE UM SALÁRIO DE UM SOLDADO/CABO/SARGENTO/SUB.TENENTE, E DA NOITE PRO DIA ESSE SISTEMA TEM QUE SE MANTER EM PAGAR APOSENTADORIAS DUAS VEZES O SOLDO QUE ELA RECEBIA, SÓ PARA ILUSTRAÇÃO, O SALÁRIO DE UM SUB.TENENTE PRÓXIMO A APOSENTAR GERA EM TORNO DE 6000,00 LIVRE, O DE UM SEGUNDO TENENTE 10.000,00.

    AGORA GUERRA, EM ALGUNS ESTADOS BRASILEIRO, AS REGRAS SÃO MAIS OU MENOS PARECIDAS, BEM COMO AS FEDERAIS DAS FORÇAS ARMADAS, ONDE UM SUBTENENTE OU SUB.OFICIAL AO APOSENTAR-SE, GANHA O POSTO IMEDIATO A SEGUNDO TENENTE, ENTÃO GUERRA, O BURACO É UM POUCO MAIS EM BAIXO,NÃO É BEM NA FORMA DO COMENTÁRIO DO TÓPICO, ABÇ,E BOM DIA

  63. O Jacaré Sem Ponto, Ponto E Vírgula E Ponto Final Fez Mobral. Tem Até Uma Fotinha Junto Com "Os Familiar" Chorando Com Seu Lindo Terno Azul Calcinha. Depois Vndeu Embaré De Leite No Trem. Entrou Para A Meganha: Virou O Orgulho Da Família disse:

    O Jacaré fez Mobral!

  64. O Jacaré Sem Ponto, Ponto E Vírgula E Ponto Final Fez Mobral. Tem Até Uma Fotinha Junto Com "Os Familiar" Chorando Com Seu Lindo Terno Azul Calcinha. Depois Vndeu Embaré De Leite No Trem. Entrou Para A Meganha: Virou O Orgulho Da Família disse:

    “Espaço mantido por uma pessoa civil”. Jacaré o que seria uma “pessoa civil”? Uma pessoa civil (que não é polícia) foi o cu da cobra! De resto? Está uma bosta: não flexionou um verbo que seja corretamente! Não teve gramática na formação do Mobral? Ou era Sobral? A sobra do Mobral! Às vezes eu acho que você é Waldir de Souza “mocozado” de Jacaré sem Dente!

  65. Jacaré,
    Fique com o primeiro, não sou destes que desagrega, inimigo do meu inimigo será sempre meu amigo, independente de credo, cor, ou classe social. Na sala os ex pms estão entre os melhores alunos, admiro a instituição e o trabalho que ela exerce, entenda que estou na fase mais vibrante da minha carreira e ouvir comentários depreciativos sobre a instituição na qual estou vestindo a camisa é difícil, ainda mais de um oficial, classe esta que sempre fez de tudo para nos atrasar, é muito difícil, e faz um calça branca fale besteira visando somente atingir. Mas aproveito para pedir desculpa aos colegas pms pelo segundo.

  66. Meu, vai cuidar da sua vida, deixa a PM em paz.
    Escala de 12 por 48 horas que a polícia civil faz, você não alega inconstitucionalidade, mesmo sabendo que tem que cumprir 40 horas semanais.
    Delegado utilizando viatura 24 horas, mesmo fora do horário de servico, você também não comenta, e não vem me fala a balela que ele tá 24 horas de serviço, fosse assim, nenhum delegado poderia viajar no final de semana, coisa que não acontece.
    Essa quase não acontece, Delegado que só cumpre o horário da tarde na delegacia, você tb não alega inconstitucionalidade.
    Delegado que nem vai no flagrante, você vai falar que isso também não acontece no interior.
    E me vem querer falar da PM, como minha bunda é suja.

  67. Segunda-feira – 27/07/2015 – 07h25

    SP fez acordo com PCC para cessar ataque, diz delegado
    ESTADÃO CONTEÚDO

    Tweet WhatsApp

    Atualização: 07h28 de 27/07/2015

    Depoimento obtido com exclusividade pelo jornal “O Estado de S. Paulo” mostra que representantes da cúpula do governo estadual fizeram um acordo com o chefe do Primeiro Comando da Capital (PCC), Marco Willians Herbas Camacho, o Marcola, para pôr fim à onda de ataques da facção criminosa, em maio de 2006. A reunião foi feita dentro do presídio de segurança máxima de Presidente Bernardes.

    A declaração, do delegado José Luiz Ramos Cavalcanti, foi dada durante depoimento em processo judicial que investigou advogadas supostamente ligadas ao crime organizado. Ele foi um dos escolhidos pelo governo para participar do encontro em 2006. Apesar de essa possibilidade ter sido divulgada na época dos atentados, o governo do Estado sempre negou o acordo com o PCC e admitiu apenas que a conversa com Marcola foi uma condição para a rendição da facção.

    A proposta do crime organizado foi levada pela advogada Iracema Vasciaveo, então presidente da ONG Nova Ordem, que defendia o direito dos presos e, na época, representava o PCC: se os responsáveis pelo comando dos atentados nas ruas fossem informados de que Marcola estava bem fisicamente, que não havia sido torturado por policiais e que os presos amotinados não seriam agredidos pela Polícia Militar, os ataques seriam encerrados.

    O recado deveria ser dado pelo próprio chefe do PCC. O papel de Iracema era convencer Marcola a aceitar a ideia.

    A cúpula das secretarias de Segurança Pública e da Administração Penitenciária, cujos chefes na época eram Saulo de Castro Abreu Filho e Nagashi Furukawa, respectivamente, aceitou a ideia da advogada. O então governador, Claudio Lembo, autorizou o encontro.

    Missão
    No depoimento, que está no processo criminal 1352/06, Cavalcanti conta que recebeu uma ligação em 14 de maio, dois dias depois do início dos ataques, do seu chefe Emílio Françolim – diretor do Departamento de Narcóticos, o Denarc -, convocando-o para a viagem. Na ocasião, dezenas de policiais já haviam sido mortos em atentados.

    A missão do delegado era acompanhar a advogada Iracema Vasciaveo até o Presídio de Presidente Bernardes. Os dois e mais o corregedor da Secretaria da Administração Penitenciária, Antonio Ruiz Lopes, foram no avião da PM até Presidente Prudente, onde se encontraram com o comandante da região, coronel Ailton Brandão, e seguiram para o presídio.

    Cavalcanti contou que Ruiz Lopes e o diretor do Presídio de Presidente Bernardes, Luciano Orlando, autorizaram que a advogada entrasse com celulares. Todos ficaram em uma sala e Marcola foi levado por um agente penitenciário. Iracema então se apresentou e começou a conversar com o chefe do PCC. Inicialmente, ela tentou convencê-lo a falar ao celular com outro criminoso, que comandava os ataques – o homem nunca foi identificado pela polícia.

    Lamento
    Marcola se recusou. Ele teria lamentado a morte tanto de policiais quanto de bandidos. A advogada insistiu e, finalmente, o chefe do PCC aceitou a proposta. Como não fala ao celular, ele pediu para chamar o preso Luis Henrique Fernandes, o LH, que é de sua confiança.

    Segundo Cavalcanti, “LH foi trazido para a sala e Marcola disse que ele poderia falar ao telefone e dar a mensagem da advogada; LH concordou, e a advogada entregou o seu telefone, que já tinha um número previamente gravado na memória, para onde LH ligou e conversou com uma pessoa desconhecida”.

    O delegado negou a proposta de qualquer acordo, mas disse que Marcola pediu que a polícia respeitasse o direito dos presos, o que lhe foi garantido pelo comando da PM. Cavalcanti ainda relatou que “supõe que o bloqueador de celular tenha sido desligado”, pois LH fez algumas tentativas antes de completar a ligação. Por fim, declarou que “no fim daquele dia e no dia seguinte os ataques definitivamente pararam”. O policial não quis dar entrevista, mas confirmou as declarações.

    Celulares
    A advogada Iracema Vasciaveo confirmou os fatos narrados por Cavalcanti. Segundo ela, a situação estava “fora de controle”. Ela contou que, quando recebeu a proposta dos bandidos, levou ao conhecimento de colegas na Polícia Civil.

    “Naquele domingo (14 de maio de 2006), recebi um telefonema com uma ordem: que eu fosse para o Campo de Marte, porque de lá seguiria para Presidente Bernardes.” Lá, a advogada afirma que recebeu de um policial os celulares usados no presídio.

    Ela também rejeita a palavra “acordo”. Segundo Iracema, “havia uma chance para encerrar os ataques, e tudo foi feito para que isso fosse possível”. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

    DEMOROU MAS AGORA VEIO A PÚBLICO, E FICO A ME PERGUNTAR, E AGORA.
    ?

  68. NO ESTADO DE SÃO PAULO , O FIM JUSTIFICA OS MEIOS, MESMO QUE PARA ISSO O ESTADO ABAIXE A CABEÇA PARA MARGINAIS, REALMENTE É O FIM DA SEGURANÇA PUBLUCA NESSE ESTADO, REDICULO.

  69. OS COXAS ESTÃO CERTOS!
    TEM QUE RESERVAR VAGAS PARA OS INTERNOS.
    CARREIRA UNICA JÁ!

  70. Esse é nosso sistemas policial complexo, quiçá um dia, sejamos carreira única como o Polícia Rodoviária Federal. Concordo que todo mundo quer ser cacique no Brasil mas, aproveitando a polêmica, o que é melhor para o STF? Ser magistrado de carreira ou ser ex-advogado do PT/MST, etc? Será que um dia haverá um advogado de associação policial no supremo? Creio que não.

  71. Meu Deus!!!!! Discussão boba, PC é PC e PM é PM, nada a ver uma com outra e então parem de discutir bobagens e dar trela prá PM, a vida deles não interessa. Agora, não se ouve e não se vê qualquer movimento dos sindicatos e associações visando melhoria salarial. A inflação está altíssima e alimentos e remédios estão custando o “olho da cara”. Almoçar fora, viajar, andar de automóvel sem necessidade…kkkk isso já era. Os aposentados estão à míngua, enquanto que os da ativa comemoram ” os aboninhos” e eventuais vantagens em lugares considerados bons…Lembrem-se todos irão se aposentar, por isso lutem por melhores salários, não se iludam…..

  72. ONDE ESTÃO OS DEPUTADOS DELEGADOS??? TEM FEITO O QUÊ???? ALGUÉM SABE, ALGUÉM VIU??

  73. Os Comandantes da PM, possuem ranço, fazem desdem, pouco caso e não reconhecem o mérito dos Praças que se formam e apresentam nos seus assentamentos, os Diplomas de Cursos Superiores reconhecidos pelo MEC em uma das Universidades da República Federativa do Brasil. Na PM, existem Praças com formação superior em Direito, Odontologia, Engenharia, Contabilidade, Administração, Biologia, História, Geografia, Ciências Sociais, Sociólogos, Psicólogos, Filósofos, Economistas, Tecnólogos da Informação, Assistentes Sociais, Nutricionistas, Professores, etc. e sem fazer lobi com donos de faculdades usando a carga horária de noções em ciências da Academia do Barro Branco Os Praças se formam às próprias custas e despesas. Não bastando o desprezo da casta social dos Oficiais acima, o Governo não reconhece, nem aproveita essa mão de obra disponível, pela qual não teve gastos em sua formação para o aperfeiçoamento e desenvolvimento das instituições do Estado de São Paulo. O Comando da PM não faz conta dessas capacidades em detrimento de manter a monarquia absolutista dos oficiais no comando, só reconhecendo o 2.º grau de ensino na Academia do Barro Branco pagos as custas dos Contribuintes. É só o Governo e a Sociedade Organizada ameaçar em extinguir a PM, os Comandantes inventam cursos técnicos e científicos que só servem como status interno entre seus integrantes. Estão certos alguns comentarista acima, que os cursos da PM, não são reconhecidos pelo MEC. Já as Praças com formação em cursos superiores acima mencionados, são reconhecidos em qualquer lugar da República Federativa do Brasil quando nos concursos público assim o exigirem.

  74. ESCOLA NACIONAL DE FORMAÇÃO DE ASSASSINOS - SÓ NO BRASIL EXISTE ESSA "FACULDADE" disse:

    Levantamento exclusivo feito pelo G1 com base nos dados das secretarias da Segurança Pública mostra que ao menos 2.526 pessoas morreram em 2014 somente em ações de policiais militares em serviço em 22 estados do país. Isso significa sete mortos por dia, em média.

    Cinco estados concentram os maiores números: São Paulo (695 mortes), Rio de Janeiro (582), Bahia (256), Paraná (178) e Pará (159). Veja a lista completa abaixo.
    É preciso maior transparência. Também há outro aspecto: pode haver corporativismo”

    Minas Gerais informou o dado (115 pessoas mortas em confronto) após a publicação da reportagem. Rondônia afirmou não possuir o número de 2014. Já as PMs do Distrito Federal e de Mato Grosso do Sul não responderam aos questionamentos da reportagem.

    Em Goiás, o tenente-coronel Ricardo Mendes, porta-voz da assessoria de imprensa da PM, disse que não achava necessário repassar o número à reportagem. “Não vemos necessidade de divulgar os dados. Por qual motivo você precisa disso? As estatísticas que você precisa sobre segurança pública estão no site”, respondeu o oficial, referindo-se a dados gerais sobre crimes, como homicídios e roubos.
    Estado mortos em confronto média/100 mil habitantes total de PMs mortos
    SP 695 1,58 14
    RJ 582 3,54 16
    BA 256 1,69 31
    PR 178 1,61 9
    PA 159 1,97 2
    MG 115 0,55 7
    SC 76 1,13 0
    RN 69 2,02 5
    MA 57 0,83 16
    RS 55 0,5 1
    CE 53 0,6 1
    AL 50 1,5 1
    SE 43 1,94 0
    AP 25 3,33 0
    PE 25 0,27 4
    AM 23 0,6 3
    ES 21 0,54 1
    PB 21 0,53 0
    TO 11 0,73 0
    MT 8 0,25 18
    AC 2 0,25 0
    PI 2* 0,06 0
    RR 0 0 0
    DF não respondeu 4
    GO não divulgou não divulgou
    MS não respondeu 6
    RO não tem 0
    Total 2.526 139
    * números de novembro e dezembro não incluídos

    Segundo o Anuário Brasileiro de Segurança Pública, 1.231 pessoas foram mortas em confronto por PMs em serviço no país em 2013, enquanto que, em 2012, foram 1.457.
    Considerando a média por 100 mil habitantes, o Rio de Janeiro lidera em 2014 o ranking de mortes provocadas por PMs em relação à população do estado (3,54 mortes).
    Questionada, a PM disse que a Secretaria da Segurança do Rio deveria comentar o assunto. Em nota, a pasta afirma que “estabeleceu desde 2009, com a implantação do Sistema Integrado de Metas e Acompanhamento de Resultados, a redução das mortes decorrentes de ações policiais como um dos índices da chamada letalidade violenta”. Segundo o texto, nas áreas pacificadas, a redução destas mortes foi de 85% na comparação entre 2008 e o ano passado. “Apesar do aumento registrado nos últimos dois anos, a redução das mortes decorrentes de ações policiais foi de 56,1%, na comparação entre 2014 e 2007, ano anterior à atual gestão quando as mortes em ações policiais chegaram a 1.330.”
    Também no ano de 2014, conforme os dados obtidos pelo G1, 139 PMs foram mortos no país durante o trabalho. Bahia e Mato Grosso lideram o ranking de policiais mortos, com 31 e 18 casos, respectivamente.
    Falta de informações
    O procurador Marcelo Godoy, secretário-executivo da câmara do Ministério Público Federal responsável pelo controle da atividade policial, diz que um dos obstáculos para que a sociedade possa monitorar o que acontece nas ruas é a falta de transparência.

    “De um modo geral, temos dificuldade e imprecisão em relação aos dados de segurança pública. Em relação às mortes provocadas por policiais, enfrentamos resistência, em alguns casos, ao acesso do MP aos dados. É preciso maior transparência. Também há outro aspecto: pode haver corporativismo”, afirma.
    O ex-secretário nacional de Segurança Pública e coronel da reserva da PM de São Paulo José Vicente também critica a falta de informações. “A maioria dos estados não divulga praticamente nada. Algumas situações são legítimas e necessárias para a defesa do policial. Outras merecem ser investigadas e analisadas com cuidado”, diz ele.
    “O uso da força letal pelo estado deveria ser apresentado permanentemente. O Brasil precisa assumir que a letalidade policial é um ponto que precisa ser trabalhado pelas polícias”, defende a coordenadora da área de Segurança Pública da ONG Sou da Paz, Carolina Ricardo.

    VIOLÊNCIA NO BRASIL

    Para tentar entender a questão, o Conselho Nacional do Ministério Público iniciou neste ano um cadastro nacional de ocorrências em que haja mortes provocadas por agentes do estado, sejam PMs, policiais civis, guardas, agentes penitenciários ou policiais federais.
    O objetivo é ter detalhes sobre os casos, como os locais onde ocorrem, nomes dos envolvidos e das vítimas, além de potencializar a presença do MP na apuração dos casos.

    Em um caso emblemático na Bahia, o Ministério Público denunciou 9 PMs pela morte de 12 pessoas durante um tiroteio em fevereiro no bairro Cabula, em Salvador. A Secretaria de Segurança do Estado divulgou áudios tentando provar a ligação dos suspeitos com o crime organizado e, assim, confirmar a tese de resistência. A reportagem questionou a PM da Bahia sobre como é a fiscalização interna em relação a confrontos, mas não obteve retorno.
    “A sociedade deveria parar de tratar este tema como tabu. A questão não é apontar o dedo, mas entender o que está acontecendo, e as polícias têm total condição de fazer esta apuração, verificando procedimentos, quantidade de tiros disparados, se houve algum tipo de falsificação de provas, se alguém deve ser responsabilizado”, afirma Carolina Ricardo, da ONG Sou da Paz. “Primeiro, é necessário conhecer o problema, dar transparência e começar a analisar.”
    Parte da apresentação do inquérito apresentado pela SSP (Foto: Divulgação/PC)
    Imagem do inquérito sobre as 12 mortes
    em Salvador (Foto: Divulgação/PC)
    O vice-presidente do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, Renato Sérgio de Lima, defende melhoria na investigação dos inquéritos sobre mortes provocadas por PMs.

    “Em geral, as justificativas dos policiais são que atiraram por legítima defesa, e as próprias testemunhas são PMs. Nenhum órgão, nem o MP, pode impedir a polícia de matar, até porque pode ser necessário isso. Mas o que temos que garantir é que os fatos sejam apurados com técnica e perícia para inocentar quem não agiu com excesso e até para quem errar ter receio de ser punido”, diz Renato de Lima.

    “Quando o estado mata, alguém, ou o delegado, deve ir ao local, preservar a cena do crime, tomar as medidas necessárias nas primeiras horas, para poder identificar e retratar o que aconteceu de verdade”, afirma.

    Ouvidoria externa
    Para o ouvidor das polícias de São Paulo, Júlio Cesar Fernandes Neves, o fato de alguns governos se negarem a passar o número sobre mortes em confrontos mostra que é necessária maior autonomia a órgãos independentes, como as ouvidorias externas, para receberem denúncias e atuarem com pressão sobre os governos, quando necessário.
    O primeiro passo para que se possa reduzir os índices é criar coragem de divulgar os números corretos. Quem tem medo de divulgar é porque, com certeza, tem vergonha ou algo a temer”

    Em São Paulo, explica ele, os dados são publicados semestralmente desde 1995 por força de lei e também há resoluções internas que obrigam as polícias Civil e Militar a divulgar os números mensalmente no Diário Oficial.
    Em maio, o G1 divulgou com exclusividade que o número de mortos pela PM em São Paulo no primeiro trimestre de 2015 – 185 – foi o maior nos últimos 12 anos.

    A Secretaria de Segurança Pública não comentou os dados do trimestre. Mas questionada antes sobre o aumento da letalidade nos dois primeiros meses do ano, a SSP havia dito em comunicado que “a atuação da polícia de São Paulo se dá estritamente dentro dos limites da lei. As exceções são apuradas com rigor e terminam com a punição dos policiais acusados de crimes. Em 2014, 128 policiais militares foram demitidos e 177, expulsos. No caso da Polícia Civil, 55 agentes foram expulsos e 17, demitidos. A SSP tem trabalhado para reduzir os índices de letalidade”.
    Especialistas apontaram que a cultura da impunidade e as redes sociais servem como motivadores para incitar a violência entre policiais e criminosos.

    Maior fiscalização das ocorrências, além da formação de uma polícia única – investigativa e ostensiva – foram fatores apontados como alternativos para reduzir os indicadores de letalidade policial.

    “O primeiro passo para que se possa reduzir os índices é criar coragem de divulgar os números corretos. Quem tem medo de divulgar é porque, com certeza, tem vergonha ou algo a temer. Se os dados fossem coerentes, os estados [que não abrem estes dados] divulgariam, com certeza”, critica Neves, que diz pressionar o governo sempre que os indicadores sobem.

  75. Retratos da Polícia Investigativa e Judiciária de São Paulo

    “Delegado confirma acordo com PCC na crise de 2006
    Estado fez acordo com PCC para cessar ataques”

    http://sao-paulo.estadao.com.br/noticias/geral,estado-fez-acordo-com-pcc-para-cessar-ataques-de-2006–mostra-depoimento,1732413

    “Para reduzir crime, SP quer agente federal de rodovias no Estado”

    http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2015/07/1660753-governo-de-sp-nao-quer-agente-federal-em-estradas-no-estado-diz-secretario.shtml

    Nessas horas dá uma saudade do Grella e do saudoso Blazeck

    E, por favor, algum deputado que respeito aos homens de bem, por favor mude a Lei Orgânica da Polícia

    1. Impedindo a Via Rápida (demitir por crime sem julgamento criminal)
    2. Obrigando ao Estado reconhecer seus erros e reintegrar, com todos os devidos direitos, aqueles que foram demitidos por crimes e foram absolvidos criminalmente.

    Porque essa ideia de “jênio” ( com J mesmo) serviu apenas para demitir desafetos, bodes expiatórios e bois de piranha e, com isso, a corrupção nadou de braçada na Administração. Afinal, quem vai se aventurar a indiciar um criminoso “patrocinador” de algum superior sabendo que pode ser demitido por isso?

  76. http://noticias.uol.com.br/ultimas-noticias/agencia-estado/2015/07/27/estado-fez-acordo-com-pcc-para-cessar-ataques-de-2006-mostra-depoimento.htm

    Matéria requentada, mas tá valendo…

    http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2015/07/1660753-governo-de-sp-nao-quer-agente-federal-em-estradas-no-estado-diz-secretario.shtml

    O professor xavier da SSP realmente parece ser um gravata do partido com uma idéia dessas…. Vamos tocar a PRF, com seu caminhão scanner para longe… eles estão atrapalhando as coisas! Deixa o pessoal de bota de cano alto e quepe do fucker and sucker que eles correm conosco! Afff… só no tucanistão para ter uma coisa dessas….

  77. Pelo jeito, o acordo PSDB/PCC foi tão bom que estão querendo tirar a Polícia Rodoviária Federal de São Paulo. Depois será a Federal, e quem sabe, até o Exército. Pior que está vai ficar…Lembro-me dos tempos de Pirituba e ACADEPOL onde a gente aprende o seguinte: policial que troca tiro com ladrão, vai pra corregedoria, presídio ou cemitério. Viva o Brasil.

  78. Alguém sabe como anda a greve dos Asps! A única possibilidade de termos algum mísero reajuste este ano é pegando carona com os caras.

  79. Dr. Guerra, admiro e respeito sua opinião, porém o que vejo hoje em dia é muito ex-pm entrando para a PC para fazer o mesmo trabalho, ou seja, usar farda e rodar por aí.
    Já disse e repito, enquanto a PC não acabar com esse trabalho de pm camuflado pelo apelido de “prevenção especializada”, não temos moral alguma para falar da investigação da mike.

  80. AO ‘FACULDADE’

    Deixa de navegar na maionese… a Polícia gostaria que não existisse nenhum bandido para ela trabalhar menos.
    Você acha que durante uma troca de tiros é possível bater um bolo, fazer um cálculo de raiz quadrada? Acha que a polícia, um advogado fariam alguma coisa nesse bordel que é nosso país? A polícia mata muito pouco pelo tanto de bandido que existe.

  81. eis que a verdade sempre aparece

    e

    se resta mais alguma dúvida aos crédulos . . . não se trata mais de crédulos . . .

    eis o GOVERN4DOR DO ISTADU DE SUN PALU . . .

    é este que vai fabricar cenas e números

    para enfiarem o anel da transpçç na prefeitur4 . . .

    SERVIDORES PÚBLICOS POLICIAIS AS CARTAS ESTÃO NA MESA . . .CLARAS . . .

  82. É cada uma que me aparece… Cuidar da própria vida ninguém quer, então por que não fazer um bem real para o País. Vá colocar em discussão a aposentadoria dos deputados, senadores e tantos outros políticos Brasil a fora e faça uma lista completa de detalhada dos custos das regalias monárquicas, que eles chamam de auxílios. Depois estude e descubra quem realmente faz alguma coisa por esse País. Finalmente calcule quem é mais caro, o útil ou o inútil. Francamente, é muito fácil inflamar a discórdia entre os policiais das duas instituições de São Paulo. Nem parece que quem decide para os dois lados é o mesmo governador ou secretário, nem parece que estamos todos no mesmo buraco. Enquanto estivermos divididos estaremos fracos.

  83. temos alguns daqui que ficam defendendo que policia tem que ser bachareu disso , bacharel daquilo,
    formado nisso, formado naquilo….é até compreensível que se exija isso a cargos de comando das policias .
    mas operacionais não dara certo.

    outros dizem que tem que ser como os federais , onde todos tem que ser de nivel superior………

    — será que alguem daqui ja reparou que todas as vezes que a federal vai dar cana em traficantes perigosos,
    ou naquelas canas da federal ,contra quadrilhas perigosas de roubos de cargas., onde tem o famoso PCC na fita …
    sempre os federais vão acompanhados dos POLICIAIS MILITARES .

    ALGUEM JA REPAROU ISTO….. ??????? mas porque pedem ajuda aos POLICIAIS MILITARES ????

    porque eles não vão sozinhos ??????? ja que são todos nivel superior ……e são mais inteligentes que os niveis médios?

    porque não vão sozinhos….?????? é incrivel isso … mas é a mais pura verdade.

    e o mesmo acontece com o GAECO.. quando o bicho vai pegar chamam sempre os POLICIAIS MILITARES
    para dar as canas…..porque os bacanas do GAECO só ficam no comando da operação….

    ;;;;; entenderam porque sempre vou achar que carreiras operacionais tem que ser de nível médio….

    então os estudadinhos daqui cheios de cursos , sempre se sentirão abandonados se não tiverem o apoio
    dos policiais de nível médio, principalmente quando o bicho pega.

    pois uma policia operacional composta somente de estudadinhos nunca ira pra frente.

    ou melhor . nunca farão sózinhos um serviço independente verdadeiro de policia , amarelarão muitas vezes
    ficarão com medos .

    é o que vejo em muitos N. SUPERIOR.

  84. Grosso modo, a lei 419/85 “reparou” gravíssimo desestímulo à carreira policial-militar. Durante o curso de soldado, comemorei meus 24 anos de idade, em 1979; naquele ano seguinte, concluí o curso de cabo; no seguinte, o de sargento, de modo que me deparei com a idade-limite para o CFO. Lamentável era aquela conjuntura, pelo idealismo, pela entrega total empenho e absoluta dedicação à atividade policial. Era quase fanatismo.

    Não por acaso, quando do advento da citada lei, ampliou-se a idade-limite (para 30 anos) aos interessados em ingressar no CFO. Inicialmente, era MUITO RENHIDA a discriminação, tanto contra Praças que ingressavam no CFO e, pior, contra os que ingressavam no CHQAOPM. Acho que a APMBB aprendeu a lição: ao enxotar minha Turma (segundo de 1994) para o então CFAP – Curso de Formação e Aperfeiçoamento de Praças -, no final daquele ano, por ocasião da formatura, o Comandante da APMBB foi nos pedir arrego, para que o CFAP não a realizasse. Votei contra a APMBB, preferindo ser solidário a quem me acolheu. Aprendi, desde muito cedo, a não tratar como prioridade quem me trata como detalhe. Enfim, a formatura foi na APMBB, por falta de ombridade da grande maioria dos formandos. Argumentei que faltaria à formatura. A “turma do deixa disso” me alertou que eu perderia o curso. Enfim, não arrisquei.

    Dignidade não tem preço!

  85. A questão não é interpretação de lei, nem nível superior ou médio. A questão é, vc tem aptidão para ser POLICIAL????Vc tem coragem de ser POLICIAL???? Vc quer ser POLICIAL???? O Estado tem obrigação de prover meios para o seu funcionário, aplicado, crescer na carreira. Isso deve ser essencial na gestão pública. Nível superior não garante que o servidor não será um profissional frustrado, tentando a vida numa carreira que não lhe agrada.

  86. O cara perder esse tempo precioso para falar dos policiais que foram aposentados como 2º tenente é de doer. Falar de um senador que se aposenta com 8 anos ninguém quer saber. Outras carreiras e aposentadorias indevidas de alguns privilegiados no brasil ninguém ousa tocar.
    Perdemos muito tempo se atacando, para ver quem é o “menos pior” ou o “menos ruim”. Estamos todos na merda. Qual merda é melhor? Tanto faz, é merda. O salário continua o mesmo e as condições de trabalho também. O governo nos trata como massa de manobra, os nossos superiores ou chefes como lixos, a sociedade não reconhece o trabalho policial. Para que tanto curso na PM ou na Civil se o salário não acompanha esta pretensa “gama de conhecimentos”. Que vale dar tantos tiros de pistola no curso, semanalmente, nos estágios da vida, se diariamente recebemos “tiros” desse sistema falido e corrupto. Precisamos mudar o foco. Os inimigos são outros. Precisamos lutar por melhores condições de trabalho, salário compatível com a carreira policial e por mais dignidade dos policiais.

  87. Keda dos roubos e homicídios ? Esta keda é só na cabeça dos “governantes” que não passam de políticos enganadores que, como sempre foi desde a Babilônia e Egito, fazem estatísticas para proveito próprio … para que atendam seus interesses egoísticos, malandros e safados ! Não acredita ? Ah … meu camarada, então quero ver se você tem coragem de sair à pé na Av. Paulista às 10 horas da noite ! Essa keda na criminalidade está na cabeça do “governante” e este sim tem coragem de passar pela Av. Paulista às 10 horas da noite … mas de helicóptero (DE GRAÇA !) ou de jatinho (DE GRAÇA !), seus paulistas bôbos que têm que suar o lombo à pé, ou pagando ônibus, custeando seu carro ou pagando o metrô ! MORAL DA HISTÓRIA: Se ninguém mais votasse em ninguém, ESTE SISTEMA MALDITO DA MAÇONARIA/ILUMINATT CAIRIA ! ACORDEM ! PAREM DE DORMIR ! VOCÊS TÊM A ARMA NA MÃO MAS NÃO SABEM USÁ-LA !

  88. CADE O BÔNUS? GOVERNO PROMETEU PAGAR TRIMESTRALMENTE, DEPOIS MUDOU PARA SEMESTRALMENTE, MAS ATÉ AGORA NÃO PAGOU O BÔNUS REFERENTE AO ANO DE 2015 ! CADE A PORRHA DO BÔNUS HEIM?

  89. 27/07/2015 14h20 – Atualizado em 27/07/2015 14h30
    Depoimento mostra que governo fez acordo com facção em 2006, diz jornal
    Declaração de delegado foi obtida pelo ‘O Estado de São Paulo’.
    Secretário de Segurança Pública de SP negou negociação com criminosos.
    Do G1 São Paulo
    FACEBOOK

    O depoimento de um delegado obtido pelo jornal “O Estado de S. Paulo” mostrou que o governo paulista fez um acordo com uma facção criminosa para encerrar ataques contra policias em 2006, informou o Jornal Hoje nesta segunda-feira (27). Já o atual secretário da Segurança Pública, Alexandre de Moraes, nega qualquer negociação do governo com criminosos.
    Segundo a reportagem do jornal “O Estado”, a declaração sobre o acordo foi dada pelo delegado Luiz Ramos Cavalcanti em um processo judicial que investiga advogados supostamente ligados ao crime organizado. Os 293 ataques contra bases e postos da Polícia Militar, além de delegacias mataram 152 pessoas, entre elas 45 civis, policiais civis, militares, agentes carcerários e guardas.
    saiba mais
    LINHA DO TEMPO: os ataques do crime organizado em São Paulo
    Na época, então secretário estadual da Administração Penitenciária Nagashi Furukawa determinou o isolamento de 765 presos, incluindo um dos líderes da facção Marcos Camacho, o Marcola, que estava preso em Presidente Venceslau e foi transferido para o presídio de Presidente Bernardes.
    De acordo com a reportagem de “O Estado”, o delegado participou do encontro. A proposta da facção, feita pela advogada Iracema Vasciaveo, era que os ataques parariam depois que houvesse a confirmação de que Marcola não havia sido torturado por policiais e que os presos amotinados não seriam agredidos.
    No depoimento, o delegado também afirmou que o então governador Cláudio Lembo autorizou o encontro, que ocorreu dentro do presídio de segurança máxima Presidente Bernardes. Ao Jornal Hoje, a assessoria do governo de São Paulo divulgou uma nota afirmando que o fato do estado concordar que não haveria represálias contra os presos não significa acordo.
    GNews – Marcola (Foto: globonews)
    Acordo teria sido feito após garantia de que Marcola
    não seria torturado (Foto: Reprodução/Globonews)
    O comunicado informou ainda que é obrigação do estado não fazer represálias. Segundo a assessoria de imprensa do governo, a nota também responde pelo ex-secretário da Segurança Pública Saulo de Castro Abreu Filho, que atualmente é secretário de governo.
    A produção do Jornal Hoje não conseguiu falar com então governador Cláudio Lembo nem com então secretário da Administração Penitenciária Nagashi Furukawa para comentarem o assunto.
    Durante divulgação de dados sobre a criminalidade em São Paulo na manhã desta segunda-feira, o atual secretário da Segurança Pública, Alexandre de Moraes, negou qualquer acordo do governo com facções e/ou criminosos.
    “Nós não fazemos nenhum acordo com bandido, nenhum acordo com criminosos, sejam eles de facções criminosas, sejam eles de não facções criminosas. Tanto que todos os líderes, os grandes líderes de facção criminosas continuam presos em regime diferenciado disciplinar”, disse.

  90. SIPESP recebe mais denúncias sobre abusos nas Escalas de Serviço
    17 de julho de 2015 Notícias
    O SIPESP permanece recebendo reclamações de sindicalizados, com relação aos abusos nas escalas de serviço.

    Alguns sindicalizados relataram que além do abuso nas escalas, ainda são submetidos a chamada escala de sobreaviso, ficando à disposição da Administração, mesmo nos momentos de folga.

    Segundo relatos, em algumas Centrais de Flagrantes, investigadores e escrivães de polícia, chegam a trabalhar mais de 60 horas na semana e alguns chegam a cumprir escala de 24 horas de serviços ininterruptos. Alguns policiais, inclusive, já ingressaram com ações que visam o ressarcimento das horas trabalhadas a mais.

    O artigo 5º do Decreto 52.054/2007 estabelece:

    Artigo 5º – A jornada de trabalho nos locais onde os serviços são prestados vinte e quatro horas diárias, todos os dias da semana, poderá ser cumprida sob regime de plantão, a critério da Administração, com a prestação diária de doze horas contínuas de trabalho, respeitado o intervalo mínimo de uma hora para descanso e alimentação, e trinta e seis horas contínuas de descanso.

    O SIPESP mais uma vez cobrará as autoridades sobre os abusos denunciados e tomará as medidas cabíveis, pois entende que os nossos policiais, não podem ser penalizados pela deficiência de pessoal, que ainda não foi corrigida pelo Governo.

    A Diretoria

    AIPESP – DEPARTAMENTO JURÍDICO

    – EXCLUSIVO –

    A AIPESP, que tem como seu maior objetivo lutar contra as injustiças a que são submetidos os Policiais Civis do Estado de São Paulo, mais uma vez sai a frente e em caráter inovador ingressa com Ação Civil Pública em face do Estado buscando indenização pelo Danos Existenciais havidos ao policial.

    Certo é que por conta das Escalas de Plantão ininterruptas a que são obrigados os policiais, são estes suprimidos dos seus projetos pessoais, das atividades espirituais e de lazer, do convívio com seus familiares e do necessário descanso, o que tem como consequência natural a frustração do bem-estar psíquico que leva ao comprometimento da Felicidade do indivíduo.

    Ao nosso ver o Regime Especial de Trabalho Policial nada mais é do que nova modalidade de Escravidão, que fere a dignidade da pessoa humana, princípio fundamental da Constituição Federal.

    O Policial Civil ao vender sua mão-de-obra para o Estado, não perde sua condição de ser humano e como tal deve ser tratado!

    Essa é a luta da AIPESP!

    Vanderlei Bailoni
    Presidente “AIPESP”

  91. Gestão Alckmin nega acordo com líder do PCC2
    Estadão Conteúdo27/07/201519h20
    Ouvir texto

    0:00
    Imprimir Comunicar erro
    São Paulo – “Não há nenhum acordo, não houve nenhum acordo e não haverá enquanto for o governador, Geraldo Alckmin, e eu for o secretário da segurança.” Foi desta forma que Alexandre de Moraes reagiu nesta segunda-feira, 27, ao ser questionado sobre o suposto acordo feito em 2006 entre o Palácio dos Bandeirantes e Marco Willians Herbas Camacho, o Marcola, chefe do Primeiro Comando da Capital (PCC), para por fim à onda de ataques da facção criminosa.
    Uma reportagem publicada pelo jornal O Estado de S.Paulo, feita com base no depoimento de um delegado da Polícia Civil à Justiça, revela que ele e representantes do então secretário estadual de Segurança Pública na época, Saulo de Castro Abreu Filho, hoje na Casa Civil do Palácio dos Bandeirantes, e o ex-secretário da Administração Penitenciária, Nagashi Furokawa, fecharam um acordo com Marcola dentro do presídio de segurança máxima de Presidente Bernardes, no interior paulista.

    A pauta da reunião foi a rendição dos criminosos, desde que a integridade física deles e do líder fosse mantida. O encontro foi autorizado pelo ex-governador Claudio Lembo. Ele substituiu Alckmin que na época tinha renunciado ao cargo à corrida presidencial.

    “O governo do Estado de São Paulo, o governador Geraldo Alckmin, a Secretaria de Segurança Pública e eu, nós não fazemos nenhum acordo com bandido, não fazemos nenhum acordo com criminosos, sejam eles de facção criminosa, sejam eles de não facção criminosa”, disse o secretário Moraes, durante a coletiva de imprensa para apresentar os indicadores da criminalidade. Ainda segundo ele, os principais líderes do PCC estão presos em Regime Disciplinar Diferenciado (RDD).

    O Palácio dos Bandeirantes afirma que o depoimento do delegado “não fala em acordo” e questiona a reportagem. “Que acordo é esse que manteve no RDD, em regime de isolamento total, os líderes da facção criminosa? Que vantagens teria obtido a facção criminosa além de um confronto nas ruas no qual 800 criminosos foram presos e 100 perderam a vida?”, perguntou o Palácio dos Bandeirantes, em nota.

    Ainda de acordo com a gestão Alckmin, “o fato de o Estado ter concordado em não haver represália contra os presos não significa acordo. É obrigação do Estado não fazer represálias. E, como lembrou o governador à época, Claudio Lembo, comprovar que presos não haviam sido torturados e estavam em boa condição de saúde.”

  92. segundo o site do sipol, o governo esta contratando 1380 investigadoreas de nível superior , para compor as equipes de investigação da policia civil..

    e os carcereiros que la estão, serão transformados em auxiliares dos escrivães dos plantões.
    vão todos fazer RDO, quem não sabe , vai aprender , não vão ter desculpas alegando que não sabem fazer RDO.
    terão que aprender na marra , se fizerem corpo mole o escrivão vai por o carcereiro no papel, e mandar pra
    corregedoria, pelos motivos , de displicencia, e prevaricação , e a pica vai ser grossona pro carcepol que der uma
    de migué,

    se der uma de vagabundo vai pra corró e depois disso poderá ser demitido a bem do serviço público.

    novos tempos virão para os carcereiros , que ficam voando pelas ruas dando uma de investigadores,
    enfrentarão novos tempos, e vão ter que se acostumar a ter o ESCRIVÃO DE PLANTÃO COMO CHEFÃO DELES,

    quem não estiver de acordo com a nova denominação de ( AUXILIARES DE ESCRIVÃES DOS PLANTÕES)
    restarão trabalharem nas trancas ,

    a outra opção será pedirem demissão , é pegar ou largar carcereiros.

    num futuro próximo vocês terão 03 opções.

    1- continuarem a ser carcereiros, e irem trabalhar nas cadeias.
    2- aceitarem ser auxiliares dos escrivães dos plantões.
    3- ou pedirem demissões.

  93. Todos que acompanham meus comentários aqui ou me conhecem pessoalmente sabem que fui soldado da Polícia Militar por mais de dez anos antes de ser Delegado de Polícia e mesmo quando estava na PM sempre defendi a extinção da PM. Na PM só quem trabalha são os Cabos e Soldados e os Sargentos que exercem função de CGP (que coordenam e fiscalizam o policiamento ostensivo), os demais são tão úteis quanto buzina em avião.

    Com relação a duração do curso de formação da PM, vou falar por experiencia própria: a PM forma um soldado em pouco mais de um ano apenas para dizer que se adequa a preceitos da ONU, principalmente, depois dos casos Carandiru e Favela Naval, nesses episódios os próprios oficiais da PM aguardaram ansiosamente a extinção, pena que o país não teve a coragem suficiente para dá esse passo inevitável.

    Quando entrei na PM em 2002, fiz um curso de formação de um ano e dois meses, que poderia ser resumido a seis meses no máximo, como ocorre na maioria dos países do mundo. Por que o curso da PM demora um ano? Porque fica-se durante um tempo absurdo doutrinando os soldados para serem militares, quando deveriam aprender a ser policiais.

    Minha formatura na PM foi adiada duas vezes para coincidir com entrega de viaturas, sem falar que as mesmas viaturas foram entregues duas vezes em duas cerimônias distintas.

    Fica-se um tempo absurdo na PM aprendendo a marchar, a cantar hino nacional, hino da independência, hino da PM, hino a Bandeira, canção do Exercito, canção da infantaria, canção da cavalaria, canção da artilharia, canção do expedicionário, canção do infante, canção do centro de formação de soldados, etc.

    Gasta-se outro tempo absurdo com noções de direito penal militar e processual penal militar; história da PM, etc.

    Outra grande parte do curso de formação é gasta com faxinas no quartel e educação física, sem falar as aulas vagas e palestras autobiográficas inúteis, onde instrutores contam suas ocorrências do “tempo áureo da PM”, quando matavam e torturavam impunemente.

    Os soldados saem formados sem saber apresentar uma ocorrência na delegacia ou como se portarem durante uma ocorrência de prisão em flagrante. Vejo PMs apresentarem ocorrência de tráfico dentro de bar, onde conduzem apenas o indivíduo preso com a droga e nem sequer qualificam ou apresentam o dono do bar. A única testemunha é o outro PM. Os oficiais inculcam nas cabeças dos PMs que eles tem fé pública em todos os seus atos e eles acabam acreditando.

    A maioria dos PMs não tem sequer noção de como funciona a Polícia Civil, a divisão entre plantão e chefia, que as ocorrências que eles apresentam e não são casos de prisão em flagrante, em regra, gerará um inquérito, etc., mas a culpa não é deles, é da má formação que recebem em seus cursos superiores e da fumaça que lhes vendem. Saem bons militares, mas péssimos policiais. Leva-se em média de três a cinco anos para ficarem prontos, que é o tempo necessário para começarem a contestar (intimamente, ou entre praças apenas) seus oficiais.

    Sei que muitos PMs acompanham este blog e podem ficar a vontade para apontar o que não é verdade do que falei.

    O PM mais recruta que chega na delegacia e solicita falar com o Delegado, em regra é prontamente atendido, agora vai lá no quartel deles pra ver se consegue ter o mesmo acesso a um simples segundo tenente. Os soldados morrem de medo dos oficiais e de suas humilhações, não podem sequer almoçarem juntos ou frequentarem o mesmo alojamento.

    Paro por aqui para o texto não ficar longo e chato.

    Abraço!

  94. JClaudio,
    Gostei do seu comentário específico.
    Taí! Então, por qual razão a PM e PC não criam “tópicos” nos cursos abordando as maiores dificuldades no enfrentamento diário de diferenças de uma e de outra instituição.
    Aos PMs (realmente, há alunos doutrinados por ALGUNS Oficiais celebridades de Facebook e na lida diária os infantes acabam imitando os “modelos”, oficiais imunes ao CPM), aulas com Delegados sobre as especificidades relatadas por você. Aos PCs (todos!), aulas nas academias da PM para entenderem a dinâmica que antecede uma ocorrência e a razão de certas posturas… Certamente, haveria ao menos um resultado positivo: cursos unificados, em pelo menos uma etapa e o começo de uma “unificação de fato” da formação das polícias.
    Não conheço o cotidiano da policia, a não ser pelo Flit.
    Mas receio de que você está perdendo uma boa oportunidade nas academias de polícias.

  95. Sr. Escrivão de plantão : novo chefe dos carcereiros ! Se o senhor não sabe, fique sabendo : eu quando na ativa conheci diversos carcereiros fazendo as funções de Escrivães e, todos que conheci, sem exceção atuavam tanto quanto os Escrivães, não sei se você é Escrivão, mais diante das circunstância, cuidado, pois muitos deles são competentes e poderá trabalhar na Chefia e você no plantão, quem avisa amigo é, e me ajudem aí ó !….

  96. Complementando o acima exposto, como já disse, não sei se o referido é Escrivão ,a classe e nem o tempo de serviço, mais eu só digo uma coisa para ele, conheci um carcereiro, “Pietro”, que sem sombra de dúvidas secretariando inquéritos policiais, dava de mil a zero nesse invejo acima, pois só não dá porque já aposentou-se. E me ajudem aí ó !..

  97. ALOPRADO,

    Discussão inútil.

    Um carcereiro pode secretariar IPs melhor do que escrivão, mas sempre será carcereiro.

    Um escrivão pode ser mais cana do que qualquer tira ou PM da Rota, mas continuará sendo escrivão…Aliás, talvez um péssimo escrivão!

  98. Mestre ! concordo plenamente, mais questionei tão somente a falta de coleguismo e de consideração pra com os colegas por parte daquele “nada”. E, me ajudem aí ó !…

  99. Grande Josep !, além de “travoltinha” sou o verdadeiro “blindado”. Meu irmão, graças a Deus há mais de cinco anos me safei das garras dos “gigi”, “malvadesa” e de outros contumazes. Apesar de que quando na ativa em detrimento de certos “majuras” e outros incompetentes, cumpri nada mais nada menos do que 38 portarias e todas a contento, subtendendo-se que foram 38 Repartições (Seccionais e D.Ps.) . Um grande abraço do “blindado”, anteriormente alcunhado de “travoltinha”, E me ajudem aí ó !…..

  100. escrivão de plantão : novo chefe dos carcereiros .

    Meu caro, carcereiro como auxilar de escrivania É PROMOÇÃO!

    Qual o desconforto ?

    Na ordem do dia, o trabalho na carceragem está para a Polícia tal como o serviço dos garís para a Saúde Pública.

    Se eu fosse carcereiro estaria muito feliz pelas novas atribuições.

    Meu caro, 1m60 é menos que 1m85, ser feio é pior do que ser bonito; a burrice è dominante, a inteligência é coisa rara. O cargo de escrivão é mais importante do que o de carcereiro; assim como é melhor ser carcereiro do que limpador de banheiro público.

  101. Dr. me desculpe !, mais esse “nada” deve ser do tipo de um escrivão que conheci o qual escreveu “agreção” e com um detalhe já era “classe especial”. Agora não venham me “triturar”, pois eu já fui ESCRIVÃO CLASSE ESPECIAL. E me ajudem aí ó !….

  102. Josep ! só complementando o acima exposto, Você sabia que existiu um Escrivão de Polícia Classe Especial, hoje aposentado que só cumpriu uma portaria ! infelizmente sim, e s.m.j. o Sr Milton Neves (BAND) cumpriu tão somente esta portaria integralmente, mas no antigo Detran. Enquanto que o “blindado”, anteriormente apelidado de “travoltinha” se ferrou na Periferia, inclusive no Saudoso 47 D.P. Capão Redondo. Um abraço…

  103. ALOPRADO,

    Eu acho que esse “nada” é carcereiro que não quer fazer nada no plantão, salvo pegar a viatura e ir pra Fazendinha.

    Em Hortolândia trabalhei com o Marcelinho; carcereiro – como pessoa um cara bacana – parasita que achava que estava lá de favor.

  104. ALVO DE BOMBA disse:

    28/07/2015 ÀS 14:34

    ESCRIVÃO DE PLANTÃO ,RSRS TU ÉS UM COMEDIA ,QUE NEM QUANDO EU BRINCAVA DE POLICIA E LADRÃO VC NUNCA EXISTIU SÓ EXISTIA O POLICIA QUE CORRIA ATRÁS (TIRA) E O QUE TOMAVA CONTA DE LADRÃO (CARCEREIRO) TUA FUNÇÃO PRA MIM NEM TEM HAVER COM OPERACIONAL ,PRA MIM TU ÉS VIADO COMO A MAIORIA DOS ESCRIVÃOS QUE EU CONHEÇO TA NESSA FUNÇAO PORQUE TENS MEDO DE LADRÃO SEU PUTO ,PELO MENOS SE O CARCEREIRO FOR TOMAR TUA FUNÇÃO NÃO VAI PRECISAR DE NINGUEM DA TIRAGEM PRA ESCOLTAR O PRESO DURANTE O FLAGRANTE COISA QUE TANTO TE ASSUSTA SEU MERDA….

    //////////////////// /////////////////////////// //////////////////////////////

    calma !!!!! não se irrite , meu futuro auxiliar. pode chiar a vontade, quero ver você falar assim quando se apresentar
    ao escrivão de plantão , e se submeter a ser subordinado a ele .garanto que você vai ficar pianinho .

    esqueci de dizer que o meu futuro ajudante ( atual carcereiro ) , vai ter que comprar lanche na padaria ,fazer cafezinho,
    pagar as contas no banco, ir na loteca quando eu quiser jogar na megassena , e atender todos os telefonemas ,
    fazer os livros do plantão, pegar assinaturas das partes, etc…. quero ficar de boa fumando o meu cigarrinho la
    na frente da delegacia. vou deixar o meu ajudante sentado na minha poltrona de chefe , pois passarei a maior parte do tempo no meu facebbok. pois agora serei um previlegiado, terei um ajudante. serei um previlegiado .
    obrigado nobre governador !!! por esta iluminada , e muito sábia idéia…

    e para falar a verdade !!! vou ser um chefe bem rígido!!! não vou dar moleza aos carcereiros, pois terão que fazer jus
    a ser meu ajudante durante o plantão zicado onde eu trabalho.

    estou pensando em exigir que o meu ajudante me chame de DOUTOR, pois como sabem sou NÍVEL SUPERIOR.
    e o meu futuro ajudante ( carcereiro ) é nível fundamental.

    seja bem vindo ALVO DE BOMBA, te espero em breve.

    vocês não queriam a restruturação ? pronto !!! ela chegou… para meu beneficio….

  105. ALVO DE BOMBA disse:

    28/07/2015 ÀS 14:34
    ESCRIVÃO DE PLANTÃO ,RSRS TU ÉS UM COMEDIA ,QUE NEM QUANDO EU BRINCAVA DE POLICIA E LADRÃO VC NUNCA EXISTIU SÓ EXISTIA O POLICIA QUE CORRIA ATRÁS (TIRA) E O QUE TOMAVA CONTA DE LADRÃO (CARCEREIRO) TUA FUNÇÃO PRA MIM NEM TEM HAVER COM OPERACIONAL ,PRA MIM TU ÉS VIADO COMO A MAIORIA DOS ESCRIVÃOS QUE EU CONHEÇO TA NESSA FUNÇAO PORQUE TENS MEDO DE LADRÃO SEU PUTO ,PELO MENOS SE O CARCEREIRO FOR TOMAR TUA FUNÇÃO NÃO VAI PRECISAR DE NINGUEM DA TIRAGEM PRA ESCOLTAR O PRESO DURANTE O FLAGRANTE COISA QUE TANTO TE ASSUSTA SEU MERDA….

    //////////////////// /////////////////////////// //////////////////////////////

    calma !!!!! não se irrite , meu futuro auxiliar. pode chiar a vontade, quero ver você falar assim quando se apresentar
    ao escrivão de plantão , e se submeter a ser subordinado a ele .garanto que você vai ficar pianinho .

    esqueci de dizer que o meu futuro ajudante ( atual carcereiro ) , vai ter que comprar lanche na padaria ,fazer cafezinho,
    pagar as contas no banco, ir na loteca quando eu quiser jogar na megassena , e atender todos os telefonemas ,
    fazer os livros do plantão, pegar assinaturas das partes, etc…. quero ficar de boa fumando o meu cigarrinho la
    na frente da delegacia. vou deixar o meu ajudante sentado na minha poltrona de chefe , pois passarei a maior parte do tempo no meu facebbok. pois agora serei um previlegiado, terei um ajudante. serei um previlegiado .
    obrigado nobre governador !!! por esta iluminada , e muito sábia idéia…

    e para falar a verdade !!! vou ser um chefe bem rígido!!! não vou dar moleza aos carcereiros, pois terão que fazer jus
    a ser meu ajudante durante o plantão zicado onde eu trabalho.

    estou pensando em exigir que o meu ajudante me chame de DOUTOR, pois como sabem sou NÍVEL SUPERIOR.
    e o meu futuro ajudante ( carcereiro ) é nível fundamental.

    seja bem vindo ALVO DE BOMBA, te espero em breve.

    vocês não queriam a restruturação ? pronto !!! ela chegou… para meu beneficio….

  106. Dr. Me desculpe !, mais apesar, concordo com todo o exposto. lembro-me de uma” passagem” quando ainda estava no plantão do 4 D.P. Consolação, precisamente num dias que me recordo, às 02:00 horas, Plantão presidido pelo decújus meu amigo DR. JOSÉ CARLOS GOMES, eu e o carcereiro, hoje também falecido, fomos “tomar um café na esquina”. Mais declinamos e fomos para na “FAMOSA BOITE SACHAS, Ocorre que ato continuo aportou no D.P. nada mais nada menos do que o DEL.POL. GERAL. da época. Ao voltarmos para o D.P., lá estava o “MAGUILA” e o DG à nossa esperado, visto que o DG, queria “vistoriar” a carceragem, mais as chaves estavam com o Carcereiro. Sabe o que ocorreu naquela época “nadinha”, Agora eu pergunto, e se fosse hoje !..R.U.A…..

  107. A SAUDADE DOS TEMPOS DE PAULO SALIM MALUF ESTÁ AUMENTANDO … E AUMENTANDO:

    O Secretário diz que a criminalidade caiu … então liga no DATENA na Bandeirantes e verás que está acontecendo exatamente o CONTRÁRIO ! Enquanto isto tôda a cúpula do “Governo” anda de helicóptero e jatinho e NÃO CORRE RISCO ALGUM com os bandidos … e o povo paulista tonto que tanto ama este PSDB fica chupando o dêdo !
    Vejam mais: o pai do Michael Jackson é socorrido no Hospital Albert Einstein, local das celebridades e ricaços, enquanto um paulista como você irá morrer na fila deste tal de SUS ou nos Pronto Socorros ! Continuem votando seus bobalhões … e assim vocês estarão cavando suas próprias sepulturas ! Ou será que vocês não sabem que tem a ARMA NA MÃO: é só anular o voto, não votando em NINGUÉM, e este sistema maldito da MAÇONARIA/ILLUMINATE fatalmente cairá e os políticos, que são TODOS (100%) sanguessugas, ladrões e vagabundos, terão que suar o lombo como NÓS pagar o que comem … e não comerão mais de GRAÇA como fazem atualmente e nem guardarão nosso dinheiro em suas cuecas ou em suas calcinhas !

  108. JClaudio:

    Irretocável seu comentário, muito convidativo à leitura, sem causar – pelo menos a mim – nenhuma “chatice”. Nada de enfadonho. Excelente!

    Apenas uma dúvida: permanecestes na PM entre 2002 e 2012?

  109. MESTRE !, ME DESCULPE, MAIS NÃO DEVEMOS PERDER TEMPO COM CERTAS PESSOAS OCIOSAS, POIS O “CABRA” VIR USUFRUIR DO ERÁRIO, EM DETRIMENTO DE OUTROS NECESSITADOS, S.M.J., É O FIM DO MUNDO. CONCLUINDO ELE NÃO DIZ QUE É DE “MUZAMBINHO” !. E ME AJUDEM AÍ Ó !….

  110. Orientação, entrei com a ação do quinquenio para incidir sobre a insalubridade e perdi em segunda instancia e já vi varios julgados de colegas que ganharam e estão recebendo o que posso fazer?? Alguém ajuda.

  111. VALDIR DE SOUZA,

    Fiquei na PM de fevereiro de 2002 até o início do segundo semestre de 2012, quando tomei posse como Delegado.

    Abraço!

  112. A anos tivemos uma polícia de ciclo completo, sim tivemos a GCM trabalhava em consonância com a polícia civil, ( tanto que depois de extinta vários guardas viraram investigadores) o que aconteceu?? Golpe militar, alias onde exército atua contra o povo da merda, todos os lugares ” o militarismo foi pra polícia, o equivalente com que a igreja católica foi pra humanidade no decorrer de sua historicidade ” atrasou em uns 200 anos de evolução…

  113. JClaudio:

    Sanada a dúvida, advinda de possível erro de digitação quanto ao ano 2002, posso vos garantir: não seria exagero a multiplicação, por 100 (CEM) vezes, as asneiras, babaquices, perdas de tempo (a rigor, crimes de desvios de finalidade) nos cursos, estágios, palestras, simpósios, conferências e reuniões na Polícia Militar.

    Os paradoxos eram (apesar de possivelmente continuarem) muito recorrentes. Vossa estada na PM deu-se no momento “mais áureo”, portanto, muito depois da Constituição de 1988. Mesmo antes do advento da nossa atual Carta Magna, a truculência, a humilhação explícita e todas as demais formas criminosas de arbitrariedades começaram a perder força no final de 1985, por força da lei 419, quero dizer, aos subordinados execrados surgia a oportunidade de, mediante concurso (caso do CHQAOPM), passarem a superiores dos seus próprios algozes. Tão estupidamente medieval era a perseguição que a praxe era a seguinte “advertência”, dos arbitrários, sobre os pretendentes a concursos: “se eu quiser, recruta, te mando para ‘a preta’ (mau comportamento) o que equivale a dizer que qualquer infundada “canetada”, guiada pela mais pífia pobreza espiritual, punha a perder os sonhos dos “recrutas”. Estes, portanto, reféns incondicionais dos mais “antigos”. Dizia-se, nos cursos de “formação”, como premissa maior: “mije para o de cima, mas, em compensação, cague na cabeça do de baixo”. Esse era o lema do senso “ético” que embalava, no berço, o futuro policial-militar que TINHA O DEVER LEGAL de preservar a incolumidade das pessoas e do patrimônio. Em síntese, sabia dos próprios direitos surrupiados, mesmo obrigado a GARANTIR os dos cidadãos, uma vez engajado no “policiamento comunitário”. Basta se verificar quando o PM foi “autorizado” a votar!

    Caso alguém acredite na miraculosa “eficácia” de chutar a cria de casa para que esta reproduza benéficos comportamentos em prol da cidadania, então seria melhor acreditar em buzina para avião.

    Perdoe-me por plagiar o finalzinho do texto. Essa tirada, da buzina, é produto final da instituição que vive em si e para si mesma, afundada em onerosa autofagia, agravada por arrogâncias, roubalheiras, interesses politicamente escusos, licitações fraudulentas e molecagens institucionais que simbolizam a “prima rica”, representativa da mais rotunda dilapidação do erário, até porque não previne a criminalidade que a sucateada “prima pobre”, Polícia Civil, jamais investigará.

  114. A extinta Guarda Civil nunca fez ciclo completo.

    E a ditadura militar era socialista, sempre atuou contra as elites em favor do “povo de merda”.

    Quando acabou o dinheiro ( do alheio ), deu no que deu…

  115. Eis, pelo documentário, abaixo, em vídeo, a “evolução” da insegurança pública paulista.

  116. caro escrivao chefe, te falo o seguinte escrivao nao e policia e sim meramente um escriturario muitos deles nem arma usam e morrem de medo de conversar com ladrao frente a frente.

  117. Aproveita e muda Agente para Auxiliar de Investigador, assim os auxiliares, por serem auxiliares, continuarão com os salários menores que as demais carreiras de E.M, esta é a jogada do governo, só pra não dar equiparação.

  118. Todas as carreiras de E.M deveriam ser Auxiliares de Polícia Judiciária. Afinal das contas ninguém exerce sua função mesmo, todas fazem tudo, menos a obrigação se sua carreira. disse:

    Se todas as carreiras de E.M passarem para Auxiliar de Polícia Judiciária os salários seriam os mesmos, assim carcepa e agente seriam justiçados.

  119. Todas as carreiras de E.M deveriam ser Auxiliares de Polícia Judiciária. Afinal das contas ninguém exerce sua função mesmo, todas fazem tudo, menos a obrigação se sua carreira. disse:

    Superior Tribunal de Justiça (STJ)
    O Superior Tribunal de Justiça (STJ) divulgou edital de concurso público para 65 vagas em cargos de níveis médio e superior. Os salários são de R$ 5.365,92 e R$ 8.803,97, respectivamente. O Cespe/UnB é a empresa responsável pela seleção.

  120. CARO GUERRA NA POLICIA NÃO EXISTE NENHUM CARGO IMPORTANTE ,PORQUE SE FOSSE IMPORTANTE ,RESPEITARIAM OS QUE TEM HIERARQUIA ,E NUNCA PRESENCIEI ISSO NESSA INSTITUIÇÃO ,TU MESMO SE ME LEMBRO BEM, FOI VITIMA DESSES PILANTRAS ,QUE TENTARAM TE FRITAR NO CASQUEIRO , LEMBRA DO TEU SOFÁ E TAMBEM EM HORTOLANDIA , O PERNIL NA SUA GELADEIRA ,TO VENDO QUE VC AINDA VIVE LUDICAMENTE PENSANDO QUE DELEGADO É ALGUM SER SUPERIOR , MEU PARCEIRO É CARCEREIRO E DENTRO DE UMA FAVELA NÃO TROCO A PRESENÇA DELE PELA SUA INTELIGENCIA DE MAJURA ,MAIS QUEM SABE OS ANOS DE CIRETRAM NÃO TROCARAM A $UA CORAGEM ,PELA IGNORANCIA DE ACHAR QUE NUNCA VAI DEPENDER DE UM POLICIAL COM CULHÕES ,ENTÃO QUANDO FORES COMPARAR QUALQUER POLICIAL COM FAXINEIRO OU ACHAR QUE UM É MELHOR QUE OUTRO PENSE NISSO …QUEM SABE NÃO VAIS PRECISAR….AFINAL O QUE MAIS TEM NESSA PORRA É CARA SE ACHANDO A ULTIMA BOLACHA DO PACOTE ,NUNCA FUI CARCEREIRO MAIS PRESENCIEI MUITAS VEZES A TRANCA DO SOL E POSSO LHE DIZER ,TEM QUE SER HOMEM ,COISA QUE ACHO QUE TU NÃO TA MUITO PREOCUPADO QUE A INSTITUIÇÃO CRIE ESSE TIPO DE POLICIAL ESPERO QUE UM DIA NA POLICIA TODOS OS POLICIAIS QUE REALMENTE FAZEM POLICIA SEJAM VALORIZADOS ….AHHHH ESCRIVÃO DE PLANTÃO VAI TOMAR NO SEU CÚ COMÉDIA …SAUDADES DO PEDRINHO PERES ESSE SIM ESCRIVÃO DE POLICIA COM TINO POLICIAL IGUAL A ANDRADE ,TOLEDO, HOJE DELEGADOS XAVIER, CLAUDIO ROSSI E MUITOS OUTROS BONS ESCRIVÃOS DA EPOCA DO FLAGRANTE EM 6 VIAS E NA MAQUINA DE ESCREVER…

  121. UIIIIII. CADE O ALMENTOOOOOOOOOOO FODA-SE DISCUSSÃO QUERO MEU N.U. PORQUE SE DEPENDER DO ESTADO VOU ANDAR N.U.

  122. GENTE !, ESSA É DE “RACHAR O BONÉ DO GUARDA”. HOJE TOMEI CONHECIMENTO QUE UM CLIENTE FOI TER NO ATACADÃO, A FIM DE REALIZAR COMPRAS. AO CHEGAR NAQUELE ESTABELECIMENTO, DIRIGIU-SE ´`AS FILEIRAS DE CARRINHOS PARA COMPRA, SENDO QUE AO PUXAR O PRIMEIRO CARRINHO, NÃO VISLUMBROU QUE UM CACHORRO ESTAVA EMBAIXO DO CARRINHO , ATO CONTINUO, O CÃO AVANÇOU CONTRA AS PERNAS DA INDEFESA VÍTIMA, QUANDO O SEGUNDO CARRINHO VEIO E ATINGIU E FERIU SUA PERNA ESQUERDA. AQUELE ANIMAL, CONTUMAZ FEROZ NÃO DAVA TRÉGUA, SEMPRE INVESTINDO CONTRA A VÍTIMA, A QUAL USANDO AQUELE CARRINHO, PROCURAVA DESVENCILHAR-SE DO ANIMAL, SENDO QUE OS FUNCIONÁRIOS DO ESTABELECIMENTO ATIÇAVAM O ANIMAL DIZENDO “PEGA, PEGA, PEGA….), SENDO QUE UM DOS INDIGITADOS DOS FUNCIONÁRIOS AINDA USAVA UM TELEFONE CELULAR E FILMAVA OU GRAVAVA AQUELA CENA. O CÃO SÓ DEIXOU DE PERSEGUIR A VÍTIMA NA ENTRADA DO ESTABELECIMENTO, POIS SE UM “SEGURANÇA” NÃO O AÇOITASSE, SEM SOMBRA DE DÚVIDAS ELE INGRESSARIA NAQUELE ESTABELECIMENTO. POSTERIORMENTE JÁ EM CASA, A VÍTIMA COMEÇOU A SENTIR DORES, QUANDO RETORNOU AO LOCAL, A FIM DE CONVERSAR COM O GERENTE DO ESTABELECIMENTO, SENDO QUE O MESMO NÃO DEU A MÍNIMA, NÃO ATENDEU. PORTANTO, S.M.J., SÓ RESTAVA ACIONAR O 190, O QUE FOI FEITO. LÁ APORTOU UM POLICIAL MILITAR, O QUAL CIENTE DO OCORRIDO, A VÍTIMA O SOLICITOU QUE IDENTIFICASSE O GERENTE, A FIM DE QUE ELE TOMASSE CIÊNCIA DO OCORRIDO. RESPOSTA DO P.M., “NÃO VOU IDENTIFICAR NINGUÉM, POIS ISTO É UM CASO DE JUIZADO DE PEQUENAS CAUSAS”. PORTANTO A VÍTIMA, SOLICITOU QUE ELE ACIONASSE NO LOCAL UM SUPERIOR HIERÁRQUICO, RESPOSTA DO P.M. ” AQUI NÃO EXISTE SUPERIOR HIERÁRQUICO, O SUPERIOR AQUI SOU EU “. PESSOAL !, DIANTE DO EXPOSTO, S.M.J., O POSTE ESTA MIJANDO NO CACHORRO. FINALIZANDO IDADE DAQUELA VÍTIMA 63 ANOS. NNIGUEM ME AJUDOU AÍ Ó !…

  123. COMPLEMENTANDO O ACIMA NARRADO, A INDEFESA VÍTIMA TEVE QUE SER SOCORRIDA NUM HOSPITAL, SENDO QUE APÓS MEDICADA, FOI TER NA DELEGACIA DO BAIRRO, ONDE FOI REGISTRADO OS FATOS. RESUMINDO : NATUREZA DA OCORRÊNCIA LESÃO CORPORAL. EXAMES REQUISITADOS 01 I.M.L., SOLUÇÃO – DEPENDE DE REPRESENTAÇÃO. S.M.J., AMANHÃ CEDINHO, A VÍTIMA NÃO TITUBEARÁ EM PRESENTAR CONTRA ” O ESTABELECIMENTO COMERCIAL, CONTRA SEUS FUNCIONÁRIOS CONTUMAZES OMISSOS E CONTRA ESSE P.M.SUPERIOR HIERÁRQUICO “, ISTO NO JUDICIÁRIO E NA CORREGEDORIA DA EGRÉGIA POLICIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO. GENTE!, AJUDEM O HOMEM AÍ Ó !…..

  124. GENTE !, MAIS UMA VEZ, COMPLEMENTANDO O EXPOSTO ACIMA, AGORA É O VERDADEIRO QUE IRÁ COMENTAR, OCORRE QUE S.M.J., NEM ESSE LIXO DO “CHUCHU”, INTERCEDERÁ CONTRA ESSA VÍTIMA INDEFESA ACIMA, LOGO MAIS OS FATOS E DEMAIS OCORRÊNCIAS APORTARAM PERANTE O NOSSO EGRÉGIO PODER JUDICIÁRIO, A FIM DE QUE OS VERDADEIROS CULPADOS PAGUEM POR EVENTUAL PREVARICAÇÃO, OMISSÃO, OU MESMO OUTROS ATOS À CRITÉRIO DE SUA EXCELÊNCIA. E, ME AJUDEM AÍ Ó !…..

  125. ALVO DE BOMBA,

    A Polícia Civil é organizada – por lei – em carreiras; alguns cargos – em razão da multiplicidade e complexidade de atribuições – são mais importantes do que outros. O cargo de delegado – na esfera policial civil – é o mais importante deles; quem revela isso é a própria Constituição Federal. Estamos falando de cargos! As qualidades pessoais de seus ocupantes é uma outra questão, temos pessoas dignas e muitas indecentes. Em todas as carreiras, aliás! Quanto a culhões ( no sentido de coragem moral e intelectual , na PC ninguém tem.
    Fique tranquilo comigo, não espero ( nunca esperei ) nada de bom de policiais civis; especialmente: JUSTIÇA E CORAGEM!
    Lembrando dos dois pilantras – até hoje não identificados – que tentaram me fritar na Casqueiro: NÃO APARECEU UM CÃO PARA ME DEFENDER OU TENTAR ME AJUDAR!
    A grande maioria bateu palmas!

  126. PESSOAL !, O ACIMA EXPOSTO PELO VERDADEIRO É SIMPLESMENTE A ESSÊNCIA DA VERDADE, POIS BEM, QUANDO DA APRESENTAÇÃO DA OCORRÊNCIA ACIMA CITADA PELA INDEFESA VÍTIMA, O ATENDENTE QUE LÁ ESTAVA TEVE A PETULÂNCIA DE PERGUNTAR ! VAIS REPRESENTAR CONTRA O CACHORRO ! RAPAZ !, S.M.J., NOS AJUDEM AÍ Ó!…..

  127. FALTA DE ORGANIZAÇÃO E COMANDO SÉRIO, A POLÍCIA CIVIL É FEITA DE SERVIDORES, SE ESTES NÃO TEM COMANDO, ORGANIZAÇÃO E FISCALIZAÇÃO O CAMINHO É O ENFRAQUECIMENTO E EXTINÇÃO, LOGO PERDERÁ A FUNÇÃO E O SENTIDO DE EXISTIR:

    A culpa da Civil não ter prestigio é da própria Civil…..

    Muitos “antigões” ficam falando que hoje não está entrando mais gente na Polícia com Aptidão para a Carreira, pois bem olha o que os “antigão” fizeram com a Polícia Civil … Sem prestigio ……

    25% da Polícia Civil: só quer saber dos seus Bicos…..
    25% da Policia Civil: é encostado só fazem o Básico do Básico quando fazem….
    25% da Polícia Civil: é Ladrão ou corrupta….
    25% que são os que fazem alguma coisa, trabalham pra valer…..

    Então meus amigos é pouquíssimo Policial Trabalhando mesmo, tá ai a Falta de prestigio….

  128. Quanta BABAQUICE, enquanto se degladeiam aqui, o ÍNDICE DE 2015 FOI 0,00000%. IDIOTICES E PRECONCEITOS A PARTE, VAMOS TORNAR ISSO AQUI UM CANAL DE TROCA DE IDÉIAS, DE INFORMAÇÕES, DE BUSCA DA UNIÃO PARA O BEM COMUM. JÁ NÃO TEMOS DESAFETOS DEMAIS?? ATÉ QUANDO VAMOS BRIGAR ENTRE NÓS. E PARA 2016, QUAL SERÁ O ÍNDICE??? VAMOS CONTINUAR COMO CÃES E GATOS, BRIGUINHAS O TEMPO TODO???

Os comentários estão desativados.