Tolerância à violência e à corrupção estatal contribui – com muita razão – para a prática de chacinas. Ponto Final. 28

Tolerância à violência policial contribui para a prática de chacinas?

Luis Kawaguti
Da BBC Brasil em São Paulo

21/08/201513h11

Ouvir texto
0:00

Imprimir Comunicar erro

  • Júnior Lago/UOL

A cultura da tolerância à violência policial que originou a frase “bandido bom é bandido morto” – cultuada por alguns segmentos da sociedade – pode estar contribuindo para a atuação de grupos de extermínio integrados por membros de forças de segurança.

Nesse contexto, governantes e autoridades de segurança pública têm de passar um recado claro aos agentes policiais de que não tolerarão abusos, segundo especialistas ouvidos pela BBC Brasil.

A discussão ocorre pouco mais de uma semana após a maior chacina do ano no Estado de São Paulo, que deixou 18 mortos nas cidades de Barueri e Osasco, na periferia da capital.

Uma das principais linhas de investigação das autoridades é que policiais militares ou guardas civis tenham cometido o crime para vingar assassinatos recentes de colegas por criminosos. Contudo nenhum suspeito foi oficialmente identificado ou preso.

“A tolerância da sociedade a uma polícia violenta contribui para a criação de um terreno fértil para o surgimento de grupos de extermínio [integrados por policiais]”, afirmou a pesquisadora Camila Nunes Dias, da Universidade Federal do ABC e associada ao Núcleo de Estudos da Violência da Universidade de São Paulo (NEV-USP).

Segundo ela, um dos reflexos dessa posição da sociedade é que jurados em tribunais civis tendem a absolver muito mais policiais acusados de homicídio do que a própria Justiça Militar.

Outro fator que mostra essa tendência é o fato de que cada vez mais políticos vêm sendo eleitos com discursos baseados em ações robustas da polícia para o combate à violência.

Nas eleições do ano passado, 55 policiais militares, civis ou federais foram eleitos nas Assembleias estaduais e na Câmara Federal – contra 44 no pleito anterior. Muitos deles exploraram o combate à criminalidade em suas campanhas eleitorais.

“Os políticos que se declaram contra as práticas [de violência por policiais] acabam fragilizados em termos eleitorais”, afirmou Dias.

Para ela, ao não condenar de forma enérgica os abusos, as autoridades podem passar uma mensagem implícita às forças de segurança de que toleram a violência policial – o que estimularia mais abusos.

Em relação à chacina da semana passada, o secretário de Segurança Pública de São Paulo, Alexandre de Moraes, disse à imprensa que se for comprovada a participação de policial, “ele vai ser tratado como um criminoso”.

Para Rafael Custódio, da organização Conectas Direitos Humanos, a tolerância à violência policial é uma questão cultural originada na sensação de insegurança da sociedade.

“Há um consenso de que o Estado não é capaz de garantir a segurança, então muitas pessoas veem isso (abusos policiais) como violência contra o ‘inimigo’. É a sensação de que alguém está fazendo alguma coisa”, afirmou.

Porém, segundo ele, essa “legitimidade” dada aos maus policiais por setores da sociedade não pode ser adotada pelas autoridades.

“O Estado tem que reafirmar a legalidade. O Estado não pode ter emoção, tem que pautar suas ações pela legalidade”, disse.

‘Isso tem de ser reforçado todos os dias’

O coronel José Vicente da Silva Filho, ex-secretário Nacional de Segurança Pública e professor do Centro de Altos Estudos de Segurança da Polícia Militar de São Paulo, afirmou que o medo motiva parte da sociedade a apoiar abusos por parte de maus policiais.

Ele disse, porém, que não é possível afirmar que a tolerância da sociedade à violência policial motive maus policiais a se envolverem em chacinas.

Segundo ele, as autoridades da Segurança Pública devem fornecer treinamento adequado e passar mensagens claras a seus comandados de que não tolerarão abusos.

“Eu comandei um batalhão por mais de cinco anos. O recado para o policial tem que ser claro: eles têm que observar os limites da lei. Isso tem que ser reforçado todos os dias, independente de a população estar aplaudindo ou vaiando”, disse.

Ele afirmou que os casos de abusos por parte de policiais são exceções em um cenário em que a polícia de São Paulo realiza mais de 1 milhão de abordagens de suspeitos por mês no Estado.

Guerra entre polícia e criminosos

Os especialistas concordaram ao afirmar que, caso seja comprovada uma relação direta de agentes das forças de segurança com a chacina da semana passada, ela pode ser interpretada como consequência da “guerra” que vem sendo travada entre a polícia e o crime organizado no Estado de São Paulo ao menos desde 2012.

Nesse cenário, ações violentas da polícia são vingadas por criminosos que passam a atacar agentes das forças de segurança fora do horário de serviço. Esses atentados geram então novas retaliações da polícia – por vezes por meio de ações ilegais contra suspeitos.

José Vicente da Silva Filho afirmou que, em sua opinião, o envolvimento de policiais em chacinas não seria algo muito comum.

Mas disse que se for comprovado no caso ocorrido na semana passada que maus policiais agiram para vingar as mortes de um policial militar ou um guarda civil, ambos assassinados dias antes, a ação pode ser uma tentativa de dar um “recado”, de “não se metam com a polícia”.

Ampliar

Série de ataques deixa mortos e feridos na Grande São Paulo42 fotos

20.ago.2015 – Ato lembrou o sétimo dia da chacina que deixou 18 mortos e 6 feridos em Osasco e Barueri. Na foto, moradores e familiares se reuniram em frente ao bar onde aconteceram 10 mortes na última quinta-feira (13). Entre os dias 8 e 9, teria havido uma outra chacina que também pode estar ligada aos fatos do dia 13: seis pessoas foram executadas na cidade de Osasco em menos de 48 horas. Os crimes aconteceram logo após o assassinato do cabo da PM dentro de um posto de gasolina na cidade, possível motivo para a onda de mortes. A Secretaria de Segurança Pública ainda não apontou suspeitos para os crimes Leia mais Júnior Lago/UOL

  1. Só tem um detalhe…
    Em Osasco podem até terem matado ladrão… Só que mataram trouxa que não tinha nada a ver…

  2. Dunha em 21/08/2015 às 20:32

    Troxa que estava na biqueira rezando o terço

  3. Tinha acabado de ler isso, passei a raiva do dia.

    A resposta pra essa questão se responde com outra pergunta. Por que aqueles que se “chocam com a violência policial”, dão de ombros para a violência do criminoso? Por que quem denúncia a violência do criminoso, como é o caso dos programas policiais, é chamado de “sensacionalista”?

    Acontece é que nessa cleptocracia, a elite dominante, composta por essa legião de vagabundos, burgueses, doutrinados por Foucault, manipula o estado a bel prazer, chegam ao absurdo de criminalizar a polícia, e descriminalizar o criminoso, que é visto como coitadinho. É esse tipo de coisa que gera esse estado de violência, o POVO, e os policiais inclusos, vivem oprimidos por essa elite de milionários de “esquerda”, que fazem o estado favorecer suas paixões ideológicas, e abandonam a população á própria sorte. Quem faz JUSTIÇA mata o lobo para preservar a ovelha, são os únicos que agem a favor do cidadão, se o estado funcionace a favor do povo, chacinas como essas não seriam necessárias

  4. Poxa, que legal.
    Agora, no RDO, há um campo para excludentes de ilicitude.
    Oficializou-se a possibilidade de o majura deliberar e definir quando uma das hipóteses excludentes da antijuridicidade se verificou.
    Alvíssaras. Rá.
    Enquanto promotores vaidosos e tiras arrivistas (notadamente os agentes federais) se esmeram em nos desqualificar, nós só vamos nos fortalecendo.

  5. aposto que as passeatas em osasco nos ultimos dias foram impostas pelo crime organizado de la…..

    onde vários moradores acenderam velas para as vítimas da chacina… para comover o restante da sociedade….

    e automaticamente ficar no comando , querendo continuar cassando os pobres policiais….
    que ficarão somente como cordeirinhos… após estas passeatas…..
    pois se os policiais forem pra cima deles , serão cassados com toda rígides pelos governantes….

  6. Todos os locais eram biqueiras?!?!
    Comentário preconceituoso de quem não sabe o que é periferia…
    Eu não frequento bar…
    Mas meu pai vai no boteco da esquina jogar o dominó dele e tomar quem sabe uma cervejinha… Ae chegam atirando e matando…
    Quer vingar a morte do Policial?! Mata o cara que matou… E não qq um no boteco! Ou os 18 que morreram eram todos bandidos e estavam na biqueira?!?!

  7. Caralho cadê a Reestruturação, entrei nesta Policia Civil com 20 anos de idade, em 2005 com a esperança de alguma melhora ou promoção que nada… fui enganado igual a uma garotinha inocente… Devia ter entrado na Policia Militar mesmo como Soldado pelo menos não escutar alguns lixos falando Carcereiro pra lá Carcereiro pra cá “grade e etc” puro rotulismo.
    Se eu tivesse como meus 20 anos de idade entrado na Policia Militar como Soldado já teria virado Cabo, se estudado um pouco Sargento, se estudado um pouco mais Oficial. Agora nesta Policia Civil pra ser alguma coisa temos que disputar com o público externo. Na Policia Militar você disputa com o público e também com internos da corporação. VIVA A POLÍCIA MILITAR, onde todos são policiais sem preconceitos.

  8. A VIOLENCIA É SEMPRE DA POLICIA, NUNCA DOS BANDIDOS. SÃO OS POLICIAIS QUE MATAM PRA ROUBAR CELULAR, SAIDINHA DE BANCO, BICICLETA… EITA POLICIA VIOLENTA.

  9. A culpa pelo enfraquecimento, flagelo, decadência e sucateamento da Polícia Civil e também a militar é do governo; e por outro lado o culpado pelo fortalecimento, expansão, poderio, ascensão e domínio do PCC também é do governo, portanto um policial ganhar R$3000,00 para ser caçado e morto, e ainda não poder fazer nada só trás angustia, medo, revolta e raiva que resulta em chacinas.

  10. Hélio:

    Apostar em chacinas para “compensar” a ineficácia estatal equivale, a meu ver, a amputar o dedo para se livrar da unha encravada.

  11. Valdir de Souza:

    “Apostar em chacinas para “compensar” a ineficácia estatal equivale, a meu ver, a amputar o dedo para se livrar da unha encravada.”

    Excelente comentário!

  12. O caso não é apostar em chacinas para compensar o Estado, o fato se dá pelo desespero e pelo abandono da segurança pública, que se torna insegurança pública, onde os agentes de segurança viram caça, e como um animal encurralado passa a fazer de tudo para sobreviver, onde a loucura toma conta, onde a lei perde o sentido, ao perceberem que amigos estão caindo em poças de sangue, o agente em seu desespero nada tem a perder, pois sabe que pode ser ele o próximo a ter o corpo cravejado de tiros, e ele e nem sua família terão auxílio do estado, dos direitos humanos ou serão santificados pela imprensa.

  13. SIPESP – 20 de agosto de 2015 Notícias

    Voltamos à época do faroeste

    Após a chacina de Osasco e Barueri, o Governo oferece recompensa para quem oferecer pistas que levem a elucidação do crime.

    Gostaríamos que houvesse o mesmo empenho na valorização dos nossos policiais, que há tempos anseiam por melhorias.

    Um pouco mais de investimento em nossa Segurança Pública, especialmente nas condições de trabalho dos nossos policiais, elevaria o número de conclusões de crimes, que hoje é ínfimo em todo o Estado, sem a necessidade de pagar por informações.

    Entendemos que o pagamento de recompensas, além de não trazer segurança aos denunciantes, ainda demonstra a fragilidade por que passa a nossa Segurança Pública de forma geral.

    A Diretoria

  14. ISSO NÃO É A INTOLERÂNCIA NÃO, HOJE EM DIA NINGUÉM FICA PRESO POR MUITO TEMPO, ISSO AÍ É A FALTA DE AUTORIDADE E A IMPUNIDADE QUE O ESTADO TEM , VISTO QUE BANDIDO NÃO RESPEITA POLICIA E JUIZ, AI GERA UM CONFLITO UMA MEDIÇÃO DE FORÇA OU UM DESANIMO. TODO POLICIAL SABE DO SISTEMA FALIDO DA POLICIA CIVIL E MILITAR, COMO O ESTADO NÃO FORNECE MEIOS A JUSTIÇA AGE COM AS PRÓPRIA MÃOS. NA MINHA OPINIÃO O CRIME SEMPRE VAI EXISTIR NA POLICIA E PODE MUDAR O MILITARISMO A POLICIA CIVIL QUE MESMO ASSIM SE O ESTADO NÃO PUNIR COM SEVERIDADE E MELHORAR AS CONDIÇÕES DE TRABALHO E DAR MAIS AUTORIDADE PRA POLICIA VAI SER ISSO AI: O ESTADO AGINDO COM A PRÓPRIAS MÃOS –
    ME DIGA ADIANTA UPP NO RIO SE UMA CRIANÇA DE 13 ANOS CONSEGUE UM FUZIL IMPORTADO? ADIANTA PRENDER SE A JUSTIÇA SOLTA DEPOIS? ADIANTA VOCÊ ACREDITAR QUE A CIDADE TÁ PROTEGIDA SI TEM 4 VIATURA PARA CUIDAR DE DOI MILHOES DE PESSOAS SÓ NUM BAIRRO DE SÃO PAULO? ADIANTA NUMA DELEGACIA UM ESCRIVÃO DE POLICIA TRABALHAR PELOS AGENTE, INVESTIGADORES ENQUANTO MUITAS VEZES UM DELEGADO QUE GANHA MAIS E FICA DORMINDO? GENTE É UM SISTEMA FALIDO, A POLICIA VIVE DE STATUS E UM MONTE DE PUXA SACO EM VOLTA POLITIZANDO ELA, VOCE PODE DAR O CORO QUE NINGUEM VALORIZA. VALORIZAR NÃO É DAR PREMIO OU MEDALHA – NÃO É MOSTRAR DISTINTIVO DA POLICIA, NÃO É MEDIR FORÇA ENTRE AS POLICIAS, SABE O QUE É VALORIZAR É CADA UM FAZE A SUA PARTE, É O ESTADO CRIAR UMA CARREIRA UNICA, DAR CICLO COMPLETO DE POLICIA, É CRIAR UMA UNICA CORREGEDORIA PRAS POLICIA, NÃO É DAR MAIS PODER PRA UM E OUTRO NÃO, TUDO QUE É EXAGERADO DA ERRADO,……..

  15. CORIIGINDO: COMO O ESTADO NÃO FORNECE MEIOS A POLICIA AGE COM AS PRÓPRIA MÃOS……….

  16. PESSOAL !, S.M.J., PERGUNTAR NÃO FAZ MAL CERTO !, E OS SRS. REBOUÇAS, BAILONE, HORÁCIO, E OUTROS AINDA ESTÃO VIVOS ?. POIS QUE EU SAIBA APENAS O DR. HILKHIAS VEIO A FALECER. E, ME AJUDEM AÍ Ó !…..

  17. Que tristeza, um sindicato postar uma nota dessa…….
    Realmente estão com as mãos abanando, sem ter o que apresentar aos seus filiados…….
    Não conseguem nem externar nossa situação……..

    É DIFÍCIL DENUNCIAR AS DIFERENÇAS QUE ESTE GOVERNO VEM FAZENDO……..TRATANDO OS POLICIAIS DA POLÍCIA CIVIL COMO FUNCIONÁRIOS PÚBLICOS COMUNS (sem o regime especial de trabalho);

    E APENAS TRATANDO A POLÍCIA MILITAR, COMO O ÚNICO ÓRGÃO POLICIAL NO ESTADO, COM TODOS OS DIREITOS PRÓPRIOS DO TRABALHO POLICIAL;

    QUANDO A ÁGUA BATE NA BUNDA DESTE DESGOVERNO (é o caso do crime em discussão) , AI A POLÍCIA CIVIL É COBRADA COMO ÓRGÃO POLICIAL………………É UM ABSURDO ESTA SITUAÇÃO….

  18. Que tristeza, um sindicato postar uma nota dessa…….
    Realmente estão com as mãos abanando, sem ter o que apresentar aos seus filiados…….
    Não conseguem nem externar nossa situação……..

    É DIFÍCIL DENUNCIAR AS DIFERENÇAS QUE ESTE GOVERNO VEM FAZENDO……..TRATANDO OS POLICIAIS DA POLÍCIA CIVIL COMO FUNCIONÁRIOS PÚBLICOS COMUNS (sem o regime especial de trabalho);

    E APENAS TRATANDO A POLÍCIA MILITAR, COMO O ÚNICO ÓRGÃO POLICIAL NO ESTADO, COM TODOS OS DIREITOS PRÓPRIOS DO TRABALHO POLICIAL;

    QUANDO A ÁGUA BATE NA BUNDA DESTE DESGOVERNO (é o caso do crime em discussão) , AI A POLÍCIA CIVIL É COBRADA COMO ÓRGÃO POLICIAL………………É UM ABSURDO ESTA SITUAÇÃO….

    É repetido, mas não publicam…………!

  19. Que tristeza, um sindicato postar uma nota dessa…….
    Realmente estão com as mãos abanando, sem ter o que apresentar aos seus filiados…….
    Não conseguem nem externar nossa situação……..

    É DIFÍCIL DENUNCIAR AS DIFERENÇAS QUE ESTE GOVERNO VEM FAZENDO……..TRATANDO OS POLICIAIS DA POLÍCIA CIVIL COMO FUNCIONÁRIOS PÚBLICOS COMUNS (sem o regime especial de trabalho);

    E APENAS TRATANDO A POLÍCIA MILITAR, COMO O ÚNICO ÓRGÃO POLICIAL NO ESTADO, COM TODOS OS DIREITOS PRÓPRIOS DO TRABALHO POLICIAL;

    QUANDO ESTE DESGOVERNO PRECISA (é o caso do crime em discussão) , AI A POLÍCIA CIVIL É COBRADA COMO ÓRGÃO POLICIAL………………É UM ABSURDO ESTA SITUAÇÃO….

  20. Não acredito, 15 anos para ter uma promoção, isso é mentira, é papo de puliça revoltado.

  21. Valdir de Souza em 21/08/2015 às 22:17

    Isso se equivale a tratar um câncer, o tratamento pode ser ruim e te fazer mal, mas se não tratar o tumor te mata

  22. Dinheiro para recompensa o governo tem, mas reposição da inflação que é um direito constitucional, até agora nada.

  23. Esse Cel. José Vicente é colunista na Rádio Estadão e sempre mete o pau no inquérito policial da PC, nos delegados e sempre diz que os policiais civis já ganham o suficiente para o que fazem.
    Quem não acredita é só escutar a Rádio pelas manhãs.
    Ele defende uma polícia só MILITAR.
    Aí sim quero ver neguinho entrando em quartel para averiguação – só entrando…

Os comentários estão desativados.