Disco voador (S.O.S) : ÓDIO AO DIREITO DE INFORMAÇÃO – Delegado do DEINTER-5 ( Departamento rotineiramente envolvido em escândalos de corrupção ) além de indiciar o jornalista Allan Abreu, agora instaura IP contra o FLIT PARALISANTE; por difamação, organização criminosa e outras baboseiras…Enfim, Delegados de Polícia fazem prova contra si mesmo de serem covardes e , também, uma grande nulidade jurídica ! 21

ÓDIO AO DIREITO DE INFORMAÇÃO – Delegado do DEINTER-5 ( Departamento rotineiramente envolvido em escândalos de corrupção ) indicia jornalista responsável por reportagens contra agentes públicos

oficiod5

SECCIONAL SJRPRETO  MSG  917/15    28082015     15:13 HS

lmo. Dr. Roberto Conde Guerra

Encaminho em arquivo anexo (digitalizado e em formato .pdf), o ofício nº 0242/2015-CPJ-lgl, relativo ao Inquérito Policial nº 029/2015, em trâmite nesta Delegacia Seccional de Polícia.

Atenciosamente

Acusar recebimento

Dr. Alexandre Del Nero Arid

Delegado de Polícia Assistente da Seccional

Transmitido por: Gustavo

Oficio 242-2015 – Dr. Roberto Conde Guerra

_____________________________________

Será possível ?

Presumindo seja verdadeiro, daqui a pouco complementaremos esta postagem…

Mas não sei se dou risada ou choro… 

Choro pelos delegados, obviamente!

IP nº 29 / 2015 (neste mês ) , significa que a Seccional de Rio Preto não tem muito trabalho, né ?

  1. É velho Conde Guerra… o que dizer da composição, do que integra a polícia civil, do seu quadro orgânico, da qualidade moral e intelectual dos seus dirigentes? O fim irrefragavel dos grandes répteis foi de fato a sua adiposa e sem mais propósito existência!

  2. Não baixe o tom Guerra. Siga em frente. A vossa reintegração é questão de tempo!

    BRASILEIROS PRECISAM DE MESMA OUSADIA DOS “CANALHAS” PARA AJUDAR PAÍS, DIZ CARMEM LÚCIA.

    quinta-feira, 20 de agosto de 2015 19:51 BRT Imprimir | Uma página [-] Texto [+]
    Ministra Cármen Lúcia, do STF, em julgamento do mensalão. 4/10/2012. REUTERS/Ueslei Marcelino

    RIO DE JANEIRO (Reuters) – Os brasileiros de bem precisam ter a mesma ousadia dos “canalhas” para ajudar a tirar o país da crise político-econômica-finaceira pela qual passa o Brasil, afirmou nesta quinta-feira a vice-presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministra Cármen Lúcia.

    A ministra, que fez uma palestra na Associação Comercial do Rio de Janeiro, não esclareceu a quem se referia ao falar de canalhas e preferiu focar no discurso sobre os homens de bem.

    “Nós, brasileiros, precisamos assumir a ousadia que os canalhas têm”, afirmou ela, acrescentando que “essa ousadia não pode ser de pessoas que não cumprem as leis, que usam o espaço público para interesses particulares. Essa ousadia não pode ser exclusiva”.

    Cármen Lúcia acredita que chegou a hora de a população mudar de postura, “reivindicar, e não apenas reclamar” e ajudar o país a superar a fase difícil.

    “Reclamação nunca levou a lugar nenhum”, disse.

    A insatisfação popular com escândalos de corrupção e o governo federal levou centenas de milhares de pessoas às ruas em todo o país no fim de semana para pedir o impeachment da presidente Dilma Rousseff na terceira manifestação nacional neste ano contra a gestão da petista.

    Cármen Lúcia afirmou, no entanto, que “o impeachment é um instituto que está previsto na Constituição, só que aplica-se em casos de processo de crime de responsabilidade e não tem nada disso em andamento”.

    A ministra disse que a palavra que mais esteve presente na vida dos brasileiros até agora neste ano foi crise e defendeu que todos se unam para construir e oferecer propostas aos governantes para tirar o país do que ela chamou de “estado de perplexidade”.

    “Nós, brasileiros, sabemos o que nós não queremos: corrupção, serviços de má qualidade. Mas não sabemos propor como superar tudo isso… a minha ideia é que como a Constituição permite iniciativa popular de leis e participação dos cidadãos, nós também ofereçamos propostas de políticas públicas. Não há bons ventos para marinheiro que não sabe onde quer chegar”, disse.

  3. Oportuno seria João Alkimin entrevistar o Dr. Ronaldo Tovani sobre essa “medievalesca” mordaça!

    É a mais vergonhosa “kirchnerização” do Brasil!

  4. Ofício nº 242/2015, IP nº29/2015? Tem trabalho lá, ou não vai nada pro papel? Lastimável! Será que se essa reportagem fosse veiculada na Globo, Record ou Bandeirantes algum inquérito seria instaurado? Pra mim, isso é censura.

  5. IP. contra a Globo?????
    Instaurado por Delegado da PC???
    Só assim mesmo pra eu rir um pouco….kkkkkkkkkkkkkkkk!!!

  6. Se o Sr. Secretário Alexandre de Moraes já se manifestou no caso do jornalista com pedido de apuração sobre tais fatos, certamente não se oporá em ser citado pelo Dr. Guerra em sua oitiva, né?

  7. Boa tarde!

    Senhoras e Senhores

    Tive um tio que jurava de pé junto que tinha sido abduzido por ETs.

    Foram tempos terríveis para a família e em especial para ele, pois de vez em quando ficava às noites em claro assustado e suando frio e sempre olhando pelas frestas das janelas e portas se escondendo dos ETs.

    Depois de anos ficamos sabendo que ele na verdade tinha sido é preso pelo DOI CODI.

    Anos passaram e os monstros mudaram de nome e, persistem em existir e incomodar.

    Caronte

  8. ESSE PAIS ESTA DO AVESSO. O QUE ERA CERTO, NÃO E MAIS. TUDO POR BAIXO DO PANOS. O PAIZINHO NOJENTO ESSE NOSSO BRASIL.

  9. O SINPCRES (Sindicato dos Peritos Criminais do Estado de São Paulo, juntantemente com a AMLESP (Associação dos Médicos Legistas do Estrado de São Paulo) e a ASPC (Associação dos Servidores Públicos da Polícia Científica do Estado de São Paulo) se manifestam contrários a aprovação da PEC 07/2015, pois esta PEC atenta contra a manutenção da garantia dos direitos do cidadão, afronta legislação federal e manifestação da vontade da própria ALESP (Assembléia Legislativa do Estado de São Paulo),que é favorável a autonomia da perícia (SPTC).

    CARTA ABERTA À POPULAÇÃO

    A PEC – Proposta de Emenda à Constituição do Estado de São Paulo, de número 7/2015, que dá nova redação ao artigo 140 da Constituição do Estado, que dispõe sobre a Polícia Civil, atenta contra as liberdades democráticas e contra os direitos humanos, na medida em que extingue a Superintendência de Polícia Técnico-Científica – SPTC e submete, aos Delegados de Polícia, administrativamente, funcionalmente, tecnicamente e financeiramente a Perícia Oficial no Foro Criminal, no Estado de São Paulo.
    A Superintendência de Polícia Técnico Científica – SPTC -, foi criada pela Lei Estadual 756/94 e regulamentada pelo Decreto 42847 de 9 de fevereiro de 1998, no Governo Covas. A criação da SPTC, em São Paulo, veio corrigir uma grave violação dos direitos humanos que ocorria durante os governos militares, posto que os Médicos Legistas e os Peritos Criminais eram totalmente subordinados aos Delegados de Polícia, o que ensejou, à época, a realização de exames periciais sob pressão, resultando em casos como o de Wladimir Herzog, jornalista que foi torturado e morreu sob a custódia do Estado devido à tortura, sendo que a autópsia afirmou que Herzog havia se suicidado – o que recentemente foi revertido pela justiça. Vários outros casos de autópsias realizadas sob pressão das autoridades, com a conivência dos peritos devido à subordinação a que se submetiam, redundaram em perícias tendenciosas, que calaram a verdade em casos de tortura ou execuções sumárias praticadas por agentes do Estado, à época do estado de exceção, durante a ditadura militar. Esses casos têm sido reiteradamente divulgados pela imprensa e, inclusive, Médicos Legistas tiveram cassados seus registros profissionais no Conselho Federal de Medicina, devido terem atuado de maneira tendenciosa ou conivente com a tortura e com execuções sumárias daqueles que ousavam se rebelar contra o sistema vigente à época.

    A PEC 7/2015 também traz em seu bojo a possibilidade da extinção do cargo de Médico-Legista e, se isto ocorrer, a possível extinção do Instituto Médico-Legal, instituto tradicional e que foi criado em 1886, posto que propala a criação da “carreira de perito oficial criminal”, extinguindo, desta forma, a denominação do cargo de Médico-Legista. Isto poderia implicar na possibilidade de peritos não Médicos realizarem perícias médicas tais como autopsias, exames em vítimas de violência sexual, exames clínicos de embriaguez, exames de lesão corporal, dentre outros, não se submetendo à ética médica. Os Conselhos Regional de Medicina do Estado de São Paulo e Federal de Medicina norteiam e balizam o exercício ético da profissão de Médico: se aqueles que realizam perícias médicas não se submeterem a estes preceitos a sociedade corre sério risco de violação de seus direitos fundamentais, dentre eles a inviolabilidade da intimidade, posto que o Médico está preso ao sigilo médico ético-profissional e outros profissionais não se submetem a estes princípios e normas. A possibilidade da extinção do cargo de Médico Legista e, consequentemente do IML, se dá na medida em que, na exposição de motivos da PEC 7/2015, está descrito que o Delegado de Polícia pode “nomear para a realização de uma perícia, até de natureza médica, um “expert” que detenha o conhecimento necessário, bastando tomar-lhe compromisso de bem realizar a função”.

    A Lei Federal nº 12.030/2009, de autoria do Deputado Arlindo Chinaglia, dentre seus artigos, reza que “o exercício da atividade de perícia oficial de natureza criminal, é assegurado autonomia técnica, científica e funcional, exigido concurso público, com formação acadêmica específica, para o provimento do cargo de perito oficial”, bem como dita que “observado o disposto na legislação específica de cada ente a que o perito se encontra vinculado, são peritos de natureza criminal os peritos criminais, peritos médico-legistas e peritos odontolegistas com formação superior específica detalhada em regulamento, de acordo com a necessidade de cada órgão e por área de atuação profissional”. Disso se pode concluir que a PEC em tela confronta a Lei Federal que rege as carreiras dos Peritos Oficiais no foro criminal, pois aventa a hipótese da extinção do cargo de Médico-Legista.
    É necessário, ainda, deixar claro que a própria Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo, no ao passado se manifestou, perante o Supremo Tribunal Federal, a favor da autonomia da perícia no foro criminal, consignando que: “Esta Casa Legislativa ressalta, por fim, que a lei complementar impugnada está em vigor desde 1994, de tal sorte que, na remota hipótese de vir a ser declarada, por essa Excelsa Corte, a inconstitucionalidade do § 8º do art. 140 da CE, e, por arrastamento, da LCE nº 756/1994, incomensurável será o prejuízo sofrido não apenas pelo órgão diretamente afetado, cuja estrutura encontra-se hoje totalmente consolidada, mas por toda a sociedade paulista, que ao longo de vinte anos vem usufruindo dos relevantes serviços prestados pela Polícia Técnico-Científica do Estado de São Paulo”. Será uma total incoerência que a Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo aprove uma emenda à Constituição do Estado, com valores totalmente diversos daqueles que defendeu no ano passado.

    Portanto, trazemos ao conhecimento de toda sociedade o perigo grave e iminente da violação dos direitos humanos, remetendo-nos à época do regime de exceção ditatorial.

    AMLESP
    Associação dos Médicos Legistas do Estrado de São Paulo

    SINPCRESP
    Sindicato dos Peritos Criminais do Estado de São Paulo

    ASPC
    Associação dos Servidores Públicos da Polícia Científica do Estado de São Paulo
    Curtir Comentar

    Principais comentários

  10. Inicialmente nossos parabéns ao Senhor Mario Neto, Presidente da Associação dos Oficiais de Justiça do Estado de São Paulo.
    Alguns questionamentos estão sendo feitos via E-mail e telefone ao SIPOL.
    Sim, acompanhamos o Projeto dos Oficiais de Justiça que, para ser aprovado, foi acordada uma “vacatio legis” para SETEMBRO de 2018. Foi discutida uma “vacatio legis” menor, para 2017. Mas o colégio de líderes não aceitou. E fecharam que, não haveria veto do Governador se fosse para 2018. Até lá os reajustes serão normais. E a reclassificação na tabela no nível 7 incidirá sobre esses aumentos normais em setembro. Mas isso para aprovação na Assembleia com promessa de sanção. Ainda há mínima possibilidade de veto.
    Mas o acordo foi com a Assembleia. O não com o Governo. Por isso ainda há a necessidade de transposição do veto Governamental.
    Resultado de uma luta justa, sem greve, sem reclamações exacerbadas e irresponsáveis pela Internet, em que oficiais até nos procuraram para levá-los a alguns parlamentares.
    Um parlamentar já nos informara que os Oficiais, em comitiva, visitaram todos os Deputados, várias e várias semanas. Fizeram o trabalho político desde 2013.
    Não foi uma luta de dentro do sindicato, nem nas ruas da cidade, nem nas portas de FORUM.
    Foi uma luta em conjunto com o Presidente do Tribunal DENTRO DA ASSEMBLEIA, alinhados com o Governo.

  11. Luís: agora colei na postagem correspondente!

    O que sugeri ao “ALOPRADO” (em decorrência outra postagem) caberia na vossa consideração (comentário). Leia. abaixo:

    Esperemos a manifestação do Guerra, com relação à possível criação de Associação na qual trataríamos dos casos mais gritantes, aliás, não são poucos. A colaboração de João Alkimin seria indispensável, reconhecendo-se, no entanto, a grata contribuição que vem prestando, notadamente pela recente entrevista ao Dr. Ronaldo Tovani, quando ambos expressaram profunda indignação pela demissão do Guerra.

    Diante de tantos outros casos, poderíamos nos aquietar, por ABSOLUTA COVARDIA?

    Não seria descarado oportunismo nosso essa pretensão de “um mundo melhor”, desde que a melhora comece pelo empenho e sacrifício dos outros?

    Seria demais organizarmos manifestação (direta e ativamente), na hora local e diante de quem deve presenciá-la, para expressarmos o nosso mais rotundo repúdio à demissão do Guerra, seguida desse covarde massacre persecutório que lhe SURRUPIA a dignidade pessoal?

    Por que não tomemos como parâmetro a atitude dos moradores da pequena Jacarezinho – PR, os quais não se submeteram às vaidades e ao SAQUEAMENTO do erário, promovidos pelos seus “legítimos representantes”, os vereadores? (Na verdade, um bando de gatunos da mais repugnante espécie).

    Como ficou a vida pessoal daquela escrivã, desnudada dentro da Delegacia de Polícia Civil?

    Quem assassinou o Soldado PM Júlio César Nascimento?

    Que futuro (de MERDA) estamos permitindo, acocorados e acovardados, para as gerações vindouras?

    Temos a suficiente vergonha na cara para detonar os “de menor”, se nós, “de maior”, por ação ou omissão, colocanos no Palácio do Planalto um quadrilha que olha para Ronald Bigs como um reles batedor de carteira?

    Como podemos falar em “justiça social” se aceitamos, ACOVARDADAMENTE, a pífia e vingativa demissão do primeiro garantidor da cidadania (Delegado de Polícia), no caso o Guerra, mas, poderia ser qualquer outro?

    A ministra Carmem Lúcia nos deixaria a ver navios, caso ela veja uma grande faixa, durante essa possível manifestação, com o lema que ele sugere, quanto a sermos imbuídos da mesma ousadia dos canalhas?

    Calar ou comprar a imprensa, sim, isso os canalhas até podem tentar.

    Prender e amordaçar blogueiros, no Brasil, isso também é possível, infelizmente, pela mesma kirchnerização que tentou sacanear o Clarin.

    Por acaso, algum CANALHA (ainda que de marca maior) poderia calar as redes sociais (internet)???

  12. Reitero aqui comentário que fiz em post anterior:

    Ronaldo TOVANI disse:
    29/08/2015 ÀS 0:34
    Meu Caro Dr. CONDE GUERRA, por favor me esclareça os termos do ofício cuja cópia vejo acima. É que, com 35 anos de exercício profissional, já tendo exercido os cargos e as funções de delegado de Polícia, promotor de Justiça e juiz de Direito, cargo este último no qual me aposentei, e agora estando a advogar, na chefia de 62 advogados, além de ser professor universitário há 28 anos, com especialização pela USP, mestrado pela PUC/SP e doutorado, infelizmente não sou suficiente inteligente para entender os “termos” e principalmente os “objetivos finais” do referido ofício. Buscam processá-lo…mais uma vez?! E demiti-lo também, a despeito de já demitido duas ou três vezes?! Sei lá! Eu tenho medo dessas coisas. Não seria melhor pedir desculpas e doravante publicar neste blog somente receitas de bolo?! Pense nisso!…

  13. Caro Dr. Ronaldo Tovani,

    Popularescamente: “tô cagando e andando” para o Deinter-5, para mais esse inquérito e, especialmente, tô cagando e andando para o poder requisitório dos delegados daquele departamento policial; nos termos que foram colocados no “ofício” acima.

    Respeitosamente, não limparei a bunda com ele, pois nem sequer gastarei papel e tinta para imprimi-lo !

    Até a faxineira da Seccional de Rio Preto sabe que eu sou o responsável por todas as publicações neste Blog; e quando não há menção expressa a terceiros e fonte a autoria, o autor sou eu.

    Por outro lado, não sou obrigado a fornecer dados de ninguém!

    Não somos Banco, repartição pública , empresa de telefonia ; muito menos provedor de serviços de internet.

  14. Reitero aqui comentário que fiz em post anterior:

    essa informação, posta no ofício acima publicado, no sentido de que, no âmbito do DEINTER-5, foi instaurado IP para apurar a conduta do Dr. CONDE GUERRA, de que teria sido o responsável, ou coautor, ou pelo menos partícipe, de publicação, neste blog, de matéria supostamente ofensiva ao DEINTER-5, foi recebida com tamanho espanto e indignação que, em seguida, acabou se transformando em piada entre os convivas do blog, dando ensejo então a diversos comentários – inclusive de minha parte – em tons merecidamente irônicos.
    Considerando que um IP, uma vez instaurado, não pode (ainda que mereça) ser rasgado e jogado no lixo, como também não pode ser prontamente arquivado no âmbito da própria Polícia por ordem de autoridade superior, muito menos pode, in casu, o investigado se apoderar dos respetivos autos e com eles limpar o traseiro, aguarda-se do Exmo. Sr. Delegado Geral que, objetivando preservar a honra e seriedade da Polícia Civil como um todo, não permitindo que caia no ridículo com a instauração desse IP, proceda sua imediata “avocação”, ou, quando menos, designe para presidi-lo autoridade policial que não esteja afeta ao DEINTER-5. É isso o que, em princípio, se espera de alguém que, com competência, honradez e denodo, chefia uma Instituição secular como a Polícia Civil de São Paulo.

  15. Ronaldo TOVANI,

    Podem encaminhar para o 1º DP de São Vicente, delegacia que compreende o nosso domicílio.

    Lembrando aos doutos delegados do DEINTER- 5, que a competência para investigar se dá pelo local da ação ou sendo incerto pelo local do domicílio do autor; onde, também, deverá ser julgado.

    Pedalada processual, não !

  16. O Jornal Nacional acaba de detonar o empertigado DEINTER!

    Vichi!!!!!!!!!!!!!!

O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade civil e penal do comentarista que venha a ofender, perturbar a tranquilidade alheia, perseguir, ameaçar ou, de qualquer outra forma, violar direitos de terceiros.O autor do comentário deve ter um comentário aprovado anteriormente. Em caso de abuso o IP do comentarista poderá ser fornecido ao ofendido!...Comentários impertinentes ou FORA DO CONTEXTO SERÃO EXCLUÍDOS. Contato: dipolflitparalisante@gmail.com

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s