1. Se for aprovado, fodeu de vez..

    Em um mês as cadeias vão dobrar a capacidade..

  2. A Polícia Civil será dirigida por Delegados de Polícia de Carreira. Isso está no texto da CF/88 quanto no texto da Constituição Estadual/SP. Toda glória da PC aos Srs. Delegados de Polícia. Toda crítica contra a PC responsabilidade dos Srs. Delegados.. Finalmente descobriram que no fundo do poço da PC/SP existe o porão. Nada não é tão ruim que não possa ser piorado. Sou humilhado dia sim dia sim por Delegados de Polícia. Eles recebem um bom salário e batalharam por merecer. Eu recebo bosta e me mantenho firme a meus princípio éticos. A PC/SP não é minha. Se a PM/SP quiser tomar tudo, que leve, comecem por meu local de trabalho. Levem tudo, IPS, relatórios de investigação, pasta de ofício, anos de conhecimento, minha agenda, o computador que utilizo, anulem minha senha da Prodesp, mas por favor, levem os Srs. Delegados de Polícia juntos. Não todos, afinal alguns são pessoas que pensam como um todo. Levem só 99,99% dos majuras. Meu respeito e admiração pelos poucos que seguram essa carroça à beira do precipício chamada PC/SP.

  3. Qdo avisamos a Adpesp que estavam gastando energia em Brasília, e comemorando algo totalmente utópico, fomos chamados de “invejosos”.

    A luta tem que ser Estadual. Aproveitar o Olim. Queira ou não é um canal.
    Brigar por melhorias para toda PC.

    Mas não, quiseram ir pra Brasília pra ganhar igual Juiz, sabendo que o próprio Eduardo Cunha já tinha dito que a PEC 172 seria aprovada em breve aniquilando toda pseudo-vitória.

    Mas aí vem a falácia: “a adpesp é órgão privado e tem como obrigação lutar apenas para a classe de Delegados”.

    Porra! É diferente de juiz, auditor fiscal, procurador….essas carreiras são únicas. Querem que se foda a instituição. Mas Delegado não, são os comandantes de uma Instituição gigantesca chamada Polícia Civil.
    Mataram os operacionais quando quase todos delegados passaram a ganhar mais de 15 mil reais por mês líquido, enquanto Escrivães Investigadores e todo o resto 3.900.

    Deu no que deu. A Pm tá engolindo e sinceramente: a base operacional tá cagando e andando. Assistindo de camarote. Uma pena.

  4. Mike, se dobrar a capacidade tá ótimo! Foda é que vai dobrar é o número de presos.. Se a moda pegar, não duvido que a PM comece a atropelar o Judiciário também.
    A Polícia Civil que não se cuide pra ver se logo menos não rola uns projetos de Emenda Constitucional em seu desfavor!

  5. PERA AIIIIIIIIIIIIIIIII, PERAIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIII, PERAIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIII, MAS NÃO QUEREM É ACABAREM COM A PM, MAS SE APROVADO ISSO, QUEM VAI PRA VALA VAI SER A OUTRA POLICIA HEM.
    EU SINCERAMENTE NÃO ACREDITO QUE ISSO VENHA A ACONTECER, MAS JÁ É UM BOM COMEÇO PARA QUE AS CABEÇAS PENSANTES DAS POLICIAS, PRINCIPALMENTE OS DA CIVIL COMEÇAM A PENSAREM MAIS E MAIS HEM, QUE TAL UNIFICAREM ESSA PORRA LOGO HEM MEUS IRMÃOS POLICIAIS CIVIS E MILITARES, A COISA TÁ ENTORNANDO PARA UM LADO QUE NÃO É BOM PRA NINGUÉM, SE ESSA PORRA FOR APROVADO, A PC VAI AFUNDAR DE VEZ, SE FAZEREM UMA PESQUISA PERANTE A SOCIEDADE, OU QUEM SABE UM REFERENDO, PODE ACREDITAR QUE A SOCIEDADE CONHECE COMO SENDO POLICIA É A PM, E NÃO ADIANTA CHORAMINGAR, E VIR COM MEM, MEM ,MEM NÃO TÁ, EU NÃO QUERO E NÃO ACREDITO QUE ISSO POSSA ACONTECER, MAS SE ACONTECER JÁ ERA, A CIVIL VAI TER QUE COLOCAR FARDA E MARCHAR SIM, E MUITO TÁ.

  6. Juiz : Sr. Pm onde o Sr. encontrou desinteligencia para lavrar o flagrante.
    Não sei não juiz mas se não fizer o que to mandando eu dou um jeito de criar uma lei pra gente julgar também.

  7. Uma coisa é certa se for os oficiais da Pm que forem fazer o flagrante conseguiram arranjar alguma coisa pra oficial fazer.

  8. Todos nós sabemos que isso irá acontecer, maus cedo ou mais tarde, não acredito que será desta vez ainda, mas que está bom próximo, isto está. Agora pq a PC tem tanto medo disso, oras!!, na PM só tem analfabeto, não é isso que sempre vemos aqui??, então será apenas uma questão de tempo, não é??. Quem viver verá, qual instituição sobreviverá.

  9. QUERO VER AQUI NESTE ESPAÇO OS SENHORES DOUTORES DE TECLADO, VIR AQUI EXPLICAREM ESSA SITUAÇÃO, O FIM DO MILITARISMO, O FIM DA PM, E BLÁ BLÁ BLÁ, ESTOU AGUARDANDO OS SENHORES, PRINCIPALMENTE OS REBELDES DE ESQUERDAS MAIS CONHECIDOS POR INTEGRANTES DOS PTRALHAS, KKKKKKKKKK ( VALDIR, FREEMAN, AQUELE BABACA DENOMINADO FIM DO PRESÍDIO ROMÃO GOMES, E OUTROS BABACAS DO MESMO NAIPE, KKKKKKKKKKKKKKK, CHUUUUUUUUUUUUUUUUUUUPA CAMBADAS.

  10. MEU CARO JUSTIÇA, VC LEMBROU MUITO BEM, TODOS DA PM SÃO ANARFA, INCLUSIVE OS OFICIAIS QUE TEM APENAS O SEGUNDO GRÁU, HEHEHEHEHE, PARA QUE TER MEDINHA DE ANARFA, KKKKKKKKKKKK

  11. Melhor assim, vai sobrar mais tempo para as festas no meu DP, estamos com quase todo nosso tempo comprometido até o final do ano e não podemos perder tempo com essas besteiras de flagrantes.

    Já fizemos um contrato anual com um agência de strippers bizarros e vamos ter apresentação toda semana. To ansiosissimo para ver a apresentação da mulher barbada, da velhinha de 80 anos e a melhor: a tiazinha sem pernas.

    Só assim eu sinto que meu salário condiz com o meu trabalho. To até achando q to ganhando muito pelo que faço.

  12. Prazo máximo para apresentação de preso em flagrante ao juiz é aprovado pela CCJ

    Simone Franco | 09/09/2015, 15h45 – ATUALIZADO EM 09/09/2015, 17h11

    Marcos Oliveira/Agência Senado
    A Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) aprovou definitivamente, em turno suplementar, substitutivo a projeto de lei (PLS 554/2011) do senador Antônio Carlos Valadares (PSB-SE) que regulamenta a audiência de custódia e estabelece prazo máximo para um preso em flagrante ser apresentado ao juiz. Nesta quarta-feira (9), o entendimento girou em torno de seis emendas oferecidas pelos senadores Antonio Anastasia (PSDB-MG), Marta Suplicy (sem partido–SP) e Ronaldo Caiado (DEM-GO) durante o período de vista coletiva da proposta.

    — Entendo que o objetivo precípuo do projeto é incentivar o desencarceramento. Procuramos harmonizar o texto com a Constituição, o Código de Processo Penal (CPP) e outras legislações correlatas. Estamos discutindo uma coisa (audiência de custódia) que já está acontecendo em 16 estados por iniciativa do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) — comentou o relator, senador Humberto Costa (PT-PE).

    Das novas emendas apresentadas, foram aproveitadas apenas duas das três sugeridas por Caiado. As demais — uma de Anastasia, duas de Marta e uma terceira de Caiado — foram rejeitadas pela relatoria. Humberto também reviu sua posição e decidiu acatar mais duas emendas do senador Randolfe Rodrigues (PSOL-AP) — ele tinha acatado apenas uma das sete propostas pelo socialista.

    As mudanças de Caiado agregadas ao substitutivo estabelecem prazo de 12 meses para a vigência da futura lei nos municípios que não forem sede de comarca e deixam expresso de que o eventual descumprimento do prazo para apresentação do preso ao juiz não enseja, por si só, o relaxamento da prisão em flagrante.

    — O Pacto de São José de Costa Rica [acordo internacional que trata da audiência de custódia] não está sendo descumprido quando pedimos a flexibilização para a cidade que não é sede de comarca — observou Caiado.

    Destaques

    Quanto às duas novas emendas de Randolfe, foram incorporadas ao substitutivo depois de serem destacadas para votação em separado pelo autor. Uma delas recomenda a substituição da expressão “delegado de polícia” por “autoridade policial” no texto. A justificativa é usar um termo “mais adequado à técnica legislativa do CPP.”

    Quanto à outra emenda, retira dispositivo do substitutivo que daria margem à fixação de medida cautelar pelo delegado de polícia.

    “Como o juiz irá decidir pelo descumprimento de uma medida cautelar que não foi prevista por ele, nas condições que não foram fixadas por ele, com decretação de prisão? Assim, a possibilidade do delegado fixar medida cautelar, qualquer que seja ela, invade atribuições jurisdicionais”, sustentou Randolfe na justificação da emenda.

    Integridade física

    O substitutivo ao PLS 554/2011 estabelece prazo máximo de 24 horas para o preso em flagrante ser apresentado ao juiz. Determina ainda, entre outras medidas, que tanto o ato quanto o local da prisão sejam comunicados de imediato pelo delegado não só ao juiz, mas também ao Ministério Público, à Defensoria Pública — caso não tenha sido constituído advogado —, à família ou a pessoa indicada pelo preso.

    A defesa da integridade física do preso foi outra preocupação incorporada à proposta. Assim, caberá ao delegado, logo após lavrar a prisão em flagrante e diante de suposta violação dos direitos fundamentais do preso, determinar a adoção de medidas necessárias não só para preservar a integridade do prisioneiro, como também para apurar a responsabilidade pelas violações apontadas.

    A apresentação do preso ao juiz nas 24 horas após a realização do flagrante terá o objetivo de colher seus esclarecimentos e checar eventual violação em seus direitos fundamentais. Na ocasião, também deverá ser ouvido o Ministério Público que, caso entenda necessário, poderá requerer a prisão preventiva ou outra medida cautelar alternativa à prisão.

    Também houve o cuidado de deixar claro, no substitutivo, que as informações obtidas na audiência de custódia serão registradas em autos apartados e não poderão servir de meio de prova contra o depoente. Deverão versar, exclusivamente, sobre a legalidade e a necessidade de prisão; a prevenção da ocorrência de tortura ou de maus-tratos; e os direitos assegurados ao preso e ao acusado.

    Presos em situação irregular

    Não só os autores das emendas no período de vista, mas também outros senadores fizeram ponderações sobre eventuais dificuldades à aplicação prática da proposta.

    — Ninguém aqui faz reparo sobre o mérito do projeto. Estamos preocupados é em colocar o projeto em prática — comentou o senador Jader Barbalho (PMDB-PA).

    Essa mesma linha de argumentação foi seguida pelos senadores Alvaro Dias (PSDB-PR), José Medeiros (PPS-MT), Aloysio Nunes (PSDB-SP), Roberto Rocha (PSB-MA) e Marcelo Crivella (PRB-RJ).

    De acordo com Valadares, autor do PLS 554/2011, dos 600 mil presos do país, pelo menos 120 mil estão em situação irregular e poderiam ser soltos. A disseminação da audiência de custódia por todos os estados facilitaria o processo de desencarceramento e geraria uma economia de R$ 4,3 bilhões com a manutenção do sistema prisional brasileiro.

    — Com o tempo, essa lei vai ser a saída que nós precisamos para cumprir os acordos internacionais e diminuir esse protagonismo de prisão que acontece em todo o Brasil — reforçou Valadares.

    Se não houver recurso para votação pelo Plenário do Senado, a proposta será enviada direto para a Câmara dos Deputados.

  13. A MAIORIA DAS PESSOAS PRESAS EM FLAGRANTE, JÁ SÃO PRESAS POR POLICIAIS MILITARES, QUE APRESENTA AS PARTES E OS ACONTECIMENTOS NA DP SIMPLESMENTE PARA QUE O DELEGADO RATIFICA E ELABORA AS PEÇAS DO FLAGRANTE E APRESENTA TUDO NO FÓRUM, ENTÃO POR QUAIS MOTIVOS ISSO NÃO PODEM SER FEITO POR UM OFICIAL DA PM BEL. EM DIREITO, E CERCADO DE LIVROS PARA CONSULTAS.
    O QUE VAI FICAR PARA O DELEGADO É APENAS A INVESTIGAÇÃO E A ELUCIDAÇÃO DOS CRIMES DESCONHECIDOS, INQUÉRITOS E APRESENTAR TUDO NO FÓRUM.
    POR QUE TER QUE SER UM DELEGADO PARA ASSINAR O FLAGRANTE, SENÃO DEVIDO O DESCRITO NA CONSTITUIÇÃO, UMA VEZ FEITO EMENDAS, ISSO SE TORNA LEGAL, POR QUE NÃO SENHORES, ACORDEM VAI.
    CLARO QUE A CHORADEIRA A PARTIR DE AGORA VAI SER GERAL, MAS CONTINUAM DORMINDO PARA VCS VEREM ONDE VÃO PARAREM TÁ.

  14. Deveriam lutar pelas desmilitarização, unificação e carreira única.

    Mas eu acho que os políticos não querem uma Polícia mais eficiente e, depois de eleitos, poucos lembram da sociedade e das milhares de vítimas que morrem por simples descaso político com a Segurança Pública.

  15. Oficial PM não é autoridade policial , mas se quiserem , façam flagrante , peguem tudo pra vcs , eu só quero investigar , crimes de autoria desconhecida , mas se quiserem investiguem também , fiquem com tudo , mas concordo com o colega acima , levem os delegados com vcs e por favor não devolvam ……

  16. Enquanto isso a pc “deitada eternamente em berço esplêndido”…,… Ja ja teremos que apresentar relatórios de investigação p eles tbem.

  17. PESSOAL !, HÁ UM ANO E POUCO, CONHECI UM SARGENTO, SECRETARIANDO OS AUTOS DE UMA SINDICÂNCIA/APURAÇÃO DA MORTEM DE MEU FILHO EX-POLICIAL MILITAR. SINCERAMENTE, FUI ESCRIVÃO POR SETE DÉCADAS, ESSE SARGENTE, NA MINHA OPINIÃO DAR DE MIL A ZERO EM CERTAS TENTATIVAS DE ESCRIVÃES MESMO CLASSE ESPECIAL QUE EXISTEM POR AÍ. E, ME AJUDEM AÍ ´Ó !….

  18. ALIÁS, SE EXISTE O TRIBUNAL MILITAR, SE COMPONENTES DA POLÍCIA MILITAR, EXERCE A FUNÇÃO JURISDICIONAL, DE JUSTIÇA, ( JUIZ ) CONDENANDO E AINDA ABSOLVENDO, ENTÃO É CARREIRA JUDICIÁRIA, O PORQUE EXCLUÍDO, DA LEI 12.830/2013, VEJAMOS ENTÃO, O DECRETO LEI 1.001 E 1.002,>> QUAIS SÃO MESMO A FUNÇÃO COM DIREITO E DEVERES EM SEUS JULGADOS. PEDRO BAIANO, ESTÁ OU NÃO, ENQUADRADO NO ART. 5º, INC. II., DA C.F. >>> PEDRO BAIANO, 77a

  19. O PORQUE, DE DEMISSÃO, POR ESTE ATO DE UMA COMEMORAÇÃO, A MÍDIA, PARA DENIGRIR A CLASSE TÃO SOFRIDA, QUE ARRISCA A VIDA A TODO MOMENTO, PRECISA DE UM LAZER, PARA QUE CONTINUE VIVENDO, O SECRETÁRIO, ESTÁ CERTO, NÃO CABE DEMISSÃO, SE COMPROVAR ALGUM ATO QUE DESABONE, PARA ISTO, TEM A L.C. 207/79, COM TODOS ENQUADRAMENTOS DISCIPLINAR, TAMBÉM DÁ A ENTENDER, QUE OS DELEGADOS DE POLÍCIA JUDICIÁRIA, CONFORME A LEI 12.830/2.013, TEM LIVRE ARBÍTRIO PARA AGIR, E AGE COM A SUA CONSCIÊNCIA, POR ISTO, TEM DELEGADO, QUE, ATÉ EXIGE O TRATAMENTO DE EXCELÊNCIA, MESMO NÃO SE ENQUADRANDO NOS ARTIGOS 95, E 128, INC. I, DA C.F., AFINAL, OS DELEGADOS ESTÃO SUBORDINADOS AO S.S.P., POR DELEGAÇÃO DE GOVERNADORES, POR SER CARGO DE CONFIANÇA, OU PARA SER DEMITIDO, É ATRAVÉS DA SECRETARIA DE JUSTIÇA, A QUEM DEVERIA ESTÁ SUBORDINADO. PEDRO BAIANO, 77a

  20. ALIÁS, QUEM GANHARÁ COM ISTO, É A SOCIEDADE BRASILEIRA, QUEM ATENDEU ESTA OCORRÊNCIA, DARÁ CONTINUIDADE ATÉ O FINAL, ONDE DEVE ESCLARECER OS FATOS, E A JUSTIÇA, TERÁ MAIS SUBSÍDIO ARA O JULGAMENTO, >>> ATÉ AÍ, É MESMO FUNÇÃO DA P.M., CONSTITUCIONALMENTE, ART. ‘ 144, DA C. F., ( PREVENTIVO ) , AGORA, PRESERVAR LOCAL DE CRIME E OUTROS LEVANTAMENTOS EM OCORRÊNCIA , CONTINUARÁ ERRADO ESTE ATENDIMENTO, VEZ QUE , É FUNÇÃO DE POLÍCIA JUDICIÁRIA, NÃO MAIS PREVENTIVO, E SIM, ( REPRESSIVO ) OU SEJA NÃO MAIS PREVINE, NÉ ? JÁ PASSOU A SER AÇÃO >>>( JUDICIÁRIA. >>> PEDRO BAIANO.

  21. JAMAIS ISSO OCORRERÁ!

    A PM, PELA CONSTITUIÇÃO, NÃO É CONSIDERADA AUTORIDADE E NO FRAGLANTE O PRESO PODE OU NÃO FALAR.

    COMO PODE UMA PESSOA SER INDAGADA A FALAR NO FRAGLANTE, SENDO QUE O POLICIAL MILITAR QUE A INTERROGA SEQUER PODE FAZER PERGUNTAS PARA UM ABORDADO QUE ESTEJA COM SEUS DOCUMENTOS EM MÃOS NA HORA DA ABORDAGEM?

    O QUE ASSISTIMOS NOS PROGRAMAS DA TARDE (CIDADE ALERTA, BRASIL URGENTE E ENTRES OUTROS) DEMONSTRAM TOTAL ABUSOS COMETIDOS POR QUEM SEQUER SÃO AUTORIDADES,

    QUERO DIZER QUE UMA PESSOA JAMAIS É OBRIGADA A FALAR COM UM POLICIALMILITAR QUANDO ESTÁ SENDO ABORDADA, O SIMPLES FATO DE APRESENTAR UM DOCUMENTO QUE COMPROVA O SEU RG JÁ ISENTA O MÍNIMO PODER DE POLICIA QUE O PM TEM, A INSISTÊNCIA EM OBRIGAR O ABORDADO A FICAR COM AS MÃOS PARA TRÁZ E ATÉ MESMO RESPONDER AS PERGUNTAS DO POLICIAL MILITAR É TUDO UM ABUSO!

    EU NUNCA VI TANTA IGNORÂNCIA DESSE JACARÉ SEM DENTE E OLHA VOCÊS QUE TAMBÉM SOU POLICIAL MILITAR.

  22. quem prende cuida portanto o preso vai ficar com a pm? a comissao de justica aprova tudo
    e a guarda minicipal que esta prendendo mais que a pm
    daqui para a frente a pm perdeu acabou os flagrantes forcados

  23. alguem lembra do mario covas queria o ciclo completo portanto na pratica teremos duas policias fazendo tudo
    mais a guarda minicipal
    portanto a policia que o custo for mais barato e que ficara e aposentadorias
    logo com o ciclo completo teremos a mini pm

  24. Isso é questão de tempo. Acompanhei uma audiência pública sobre o assunto pela TV SENADO, onde constavam PM, MP, PGR e Delpol da PF (Delpol PC, nem pensar:trabalham muito), e ficou bem claro que o caminho será esse…Pelo menos, vai sobrar mais tempo pro pagode!

  25. Nossa estou muito feliz por mais essa vitoria alcançada ,agora vou fazer meu serviço com muito mais afinco , tendo serteza que agora somos a unica policia neste estado não precisamos mais apresentar ocorrencias em dp muito booommm

  26. Tenho certeza que isso jamais passará, esse país ainda é cumpridor de leis. Entretanto se esta aberração jurídica passar, por favor que levem tudo, inclusive a investigação, mas não se esqueçam de levar os delegados, deixem apenas os comprometidos com a polícia civil, com a sociedade, que como dito acima daria 0,01%.

  27. Olhe, se isso passar, e mais que provavelmente passará, logo após a PM regulamentar a ação, que provavelmente (desculpem a redundância) dar-se-a colocando um Oficial intermediário (Capitão) ou até um Superior (Major) em um plantão nas sedes dos Batalhões, com duas ou três equipes completas de /2… com 03 Soldados 02 Cabos e 01 Sargento cada equipe para proceder toda documentação dos flagrantes e apresentação ao Poder Judiciário, com um Pelotão de Escolta (que já existe em todas as FT) para transporte dos presos aos CDP`s, então, nesse caso, o melhor é se cancelar qualquer outro concurso para a Polícia Civil (como ocorreu com a Polícia Ferroviária Federal) e nos acostumamos com a ideia de Delegados apenas Federais pois, se assim for, a Polícia Civil acabou!

  28. SOU DA PC MAS DOU PARABÉNS A PM POR CORREREM ATRÁS DAQUILO QUE CONSIDERAM DE SEU INTERESSE!
    ERRADOS ESTAMOS NÓS, PC’s, QUE NÃO FAZEMOS NAAAADA POR NOSSA MELHORIA! NAAADAAAAA!
    DÁ-LHE PAGODE E REBOLADO!!

  29. Devagar, devagar, mas não tão devagarinho, a Polícia Militar vai tomando conta de tudo. Nos casos de homicídios praticados por policiais militares contra civis, por exemplo, a PM, SOB OS OLHARES COMPLACENTES DA POLÍCIA CIVIL E DA JUSTIÇA COMUM, instaura “inquéritos”, realiza diligências, requer e obtém prisões cautelares junto à (pasmem!) Justiça Militar, enfim, fazem todo o trabalho de polícia judiciária e, depois, encaminham tudo para o DHPP que põe a “capa” nos autos e envia para a Justiça Comum.
    Dessa forma, se doravante essa “intenção” do diligente Deputado Capitão Augusto se concretizar, está “implodida” de vez a Polícia Civil, que por si só já vem se “auto-implodindo” a cada dia.

  30. Que façam o flagrante e levem o preso para casa se quiserem… Como não fazem nada o dia todo pelo menos justifiquem o salário que recebem. Há. E que passem a tocar os IP´s e fiquem com as cotas que virão. Nada mais justo.

  31. então por esta linha de raciocino os Delegados Federais também deixarão o Exercito lavar Flagrantes , sim pois a unica diferença ente delegados federais e estaduais além do salário são taõ e somente atribuições funcionais diversas .

  32. ELES AO MENOS SÃO REPRESENTADOS POR SEU PARLAMENTARES!
    E NÓS???? POR ONDE ANDAM OS DELEGADOS PARLAMENTARES???? ALGUÉM SABE ALGUÉM VIU???
    MAIS FÁCIL COMPARECER A ENTERRO DE ANÃO…SEM TROCADILHOS FESTIVOS…DO QUE VER UM MÍSERO PROJETO EM NOSSA DEFESA!

  33. HÁ TEMPOS QUE EU DIGO, INFELIZMENTE EM DETRIMENTO DOS MAJURAS QUE SE FORAM E OS QUE AÍ ESTÃO, A NOSSA EGRÉGIA POLÍCIA CIVIL DE SÃO ENCONTRA-SE NO FUNDO DO POÇO. A MAIORIA DELES SÓ PENSAM NAS CADEIRAS O QUE ENSEJA “RECOLHAS” CONTUMAZES. E O RESTOPOL QUE SE EXPLODAM. E, ME AJUDEM AÍ Ó !…

  34. Acabei de ver uma barca da guarda municipal de Barueri, toda camuflada, idêntica a um veículo do Exército Brasileiro, parando um carro no meio de uma avenida e dando ordens de mãos pra cabeça, polícia, desçam do carro!!!
    Minha dúvida é a seguinte: guarda municipal deverá apresentar o preso à “autoridade policial da base GCM” ou deverá apresentar à autoridade coxinha militar antes de irem ao juiz?

  35. Senhores

    Muita fumaça para pouco fogo, o projeto foi aprovado na CCJ, isso não quer dizer que “já vale”, ela tem que enfrentar plenário em duas casas ainda, depois a vontade do Presidente de plantão, e caso haja veto, volta para o legislativo, nada impede que este projeto, tenha o mesmo destino de outras centenas, que habitam os fundos das gavetas da mesa do Presidente do Senado e da Câmara dos Deputados, pois cabe a eles a ordem do dia.

    C.A.

  36. caso alguém se interesse

    em saber o que pode ser um tal de

    . . . estado de direito . . .

    esta ai o melhor exemplo . . .

    ESTADO DE DIREITO SRS

    pesquisem . . . .

    desde 1988 alguém faz exatamente o contrário

    do que diz a tal da prostituição cidadã, o laico . . .

    estado constitucional ???

    república ???

    democracia ???

    nação ???

    pátria ???

    sem paralelos, sem comparações, sem adjetivos . . . repito . .daqui a mil se ainda existir memória . . .

    seremos olhados apenas como um território do krymy

    nada mais além de um espaço colonia dominado pelo krymy . . .

    pes associados pççs $db e pççspts

    istadu violência istadu genocida istadu krymy . . .

    gozar do bom sentido e pensar bem não é privilégio de ideologias . . .

  37. Não conhecer a Constituição Federal é um problema, pois na terra de cego quem tem um olho é rei.

    O descaso de nossa instituição parte principalmente de nossas lideranças (Delegados) e representantes como associações e sindicatos que pouco, ou seja, nada fazem para uma melhoria. Dizem que estão correndo atrás de políticos e secretário de segurança é até tiram fotografias com estes, ABRAÇADOS, com as cara lavadas de sempre, isto não passa de uma falacia, uma mentira. O Governo diz que estão estudando um projeto de mudanças na polícia civil que pelas minhas contas chega ha uns 20 (vinte) anos “conta e projeto difícil de fazer???” dando assim uma nítida falta de comprometimento, com os que “trabalham” na instituição. O que nos interessa é saber que temos 8.000 (oito mil) lacunas na policia civil desde o ano 2000, vagas que não preenchem nunca, pergunto onde está o dinheiro destas vagas ????, isto sem contar que a população aumentou. Dentro da instituição quem trabalha em sua maioria é uma só carreira, não ha como negar, pois o que muitos fazem é ficar tentando segurar suas cadeiras em visitas a gabinetes e dizem sim senhor a políticos CORRUPTOS. Deus nos ajude. Chega de brincar com a nossa instituição, chega de fazer-nos de idiotas, chega de tirar fotos, que tal arregaçar as mangas e exigir uma melhoria já. Cadê o bonus ?? cadê o projeto de estruturação ? Cadê o nível universitário que deveria ser para todos da polícia civil?? Nosso salário é justo em comparação com o judiciário??? Cadê nosso salário ?? quando é mesmo nosso dissídio ?? Quem pode lavrar ocorrência policial ??? é só Escrivão de Polícia???Como devemos facilitar os diversos documentos de uma flagrante, que em sua maioria é repetitivo ??? Quanto quem vai fazer o flagrante não importa desde que seja para o bem da sociedade, quem sabe assim algum iluminado trabalhe para melhorar estes documentos que poderiam ser reduzidos e muito.

  38. Esse projeto ainda deve ser votado nas duas casas. E se a emenda apenas trocou a expressão Delegado de Polícia por Autoridade Policial, já utilizada no Código de Processo Penal, então, o que mudou? Se Oficiais da PM são autoridades policiais, porque nunca presidiram um flagrante?

  39. QUE ÓTIMO, ASSIM NOS VAMOS SER INSPETOR DE QUARTEIRÃO, OFFICE BOY DA PM, AUXILIAR DE GUARDA MUNICIPAL, SUB-CHEFE DE GUARDA NOTURNO, PODEMOS ATÉ FICAR COM AQUELAS MOTOS COM AQUELE APITINHO MALDITO QUE FICA PASSANDO A NOITE TODA NA PORTA DOS IDIOTAS QUE PAGAM PRA ESSE SERVIÇO, ETC, ETC

  40. Pessoal não duvidem de nada!!Mostra mais uma vez a fraqueza em que se encontra as Policias Civil do Brasil!A mim não afeta mais nada,não me surpreende!!Pos acaso o Sr Governador de São Paulo respeita a POLICIA CIVIL de São Paulo?

  41. Enquanto isso, lá pelas bandas da PC, bundinhas de anões são apalpadas.

  42. PM lavrando flagrante, adorei o projeto, estou torcendo por isso, quem sabe poderiam lavrar BO não criminal, BO criminal, deixar a investigação só com a PC e atender a população, tomara, tomara que passe, ai Deus, eu invoco, eu determino, eu profetizo senhor!!!

  43. Podem levar a vontade, façam tudo, inclusive legitimar o ladrão e ficar uma hora e meia para passar a legitimação, quando der sorte, porque o IIRGD há meses só tem 1 (uma) linha para receber todas as legitimações do estado, não sentiremos falta alguma de fazer flagrante,

  44. Muito bom, sou pc, e não vejo futuro nesta puliça,
    Tomara que tomem alguma atitude e criem logo uma Polícia que funcione.
    Parabéns aos PMs.

  45. e alguém por enquanto fica com um artiguinho

    na tal prostituição cidadã

    para constar no card . . .

    é o que sobrou, uma impressão, um símbolo, uma grafia

    para estudos em Chauvet ???

    . . . sobrevida . . . perdemos o respeito . . .

    nos tiraram o algum justo controle, a responsável liberdade e totalmente a esperança . . .

    agora é passar os anos e torcer para que a

    aparência do istado permaneça assim capenga e krymynoza,

    com a possibilidade de alguma misera aposentação . . .

    que para alguns poucos privilegiados, a la luiz 16, talvez refletirá o descompromisso

    com tudo e com todos . .

    descompromisso é ver e poder fazer alguma coisa pelo teu filho a beira do precipício

    mas vc escolher só por vc . . .

    da para salvar os dois mas a oportunidade no homem médio opta pela matéria efêmera . .. o egoismo .. Hobbes puro . . .

    assim é nossa matriz dna no homem médio da bruzundanga . . .

    algum PAI aqui de verdade faria o q ??

    percebam que isto, decidir, não é uma questão de inteligência, é fraternidade, é humanidade, é sentimento elevado,

    as mulheres talvez ainda entendem melhor isto . . .

    o respeito também acabou . . .

    e como fica a família ??? família ???

    a base de qualquer nação, cultura, pátria, exige família,

    se nem isto temos mais,

    mulheres e homens justos, bons, respeito,

    TEMOS O Q ?????

    ACABOU SRS . . COM PM SEM PM COM ISTADU SEM ISTADU

    ACABOU . . .

    anotem ai

    É SÓ UMA QUESTÃO DE TEMPO . . .

    ou o gate do aeroporto mais próximo . . .

    TERRITÓRIO GENOCIDA . . .

    falência absoluta de princípios . . .

  46. Eu também espero que a PM faça flagrantes, TCs e etc. Estou cagando 1kg para as atribuições da PCxPM, sou escrivão e trabalho demais, havendo alguém para dividir o trabalho fico muito contente. Só não vale me subordinar a meganha ai eu choro.

  47. Quando uma instituição é abandonada e os seus líderes nada fazem para mudar essa realidade é só uma questão de tempo para a sua extinção.

  48. Eu invoco a deus pai, filho e espírito santo, esse projeto senhor, abençoa agora, abre as portas do congresso pai, oh paizinho, ilumina a cabeça daqueles corruptos pai, tira toda sujeira do pensamento, ooooohhhh senhoooorrr, o blarrajará, decarrecaga, o degerree de bagebee, ooohhh glooooria, óhhh glóriiaaaa, ai,,,, aii… apaizinho….oooo blaaarraaachará…alibaba….ohhhh lullaaaa…..eu…eu…determino…eu…eu…pro-fe-TIZOOOOO!!!!!! EU, invoco, EM-NO-NOME-DO-SE-NHOR…..AAAAAA—-MEEEEMMMM!!!!

  49. Investipol_Plantonista_e_se_Deus_quiser_sem_flagrantes. disse:
    10/09/2015 ÀS 12:03
    Podem levar a vontade, façam tudo, inclusive legitimar o ladrão e ficar uma hora e meia para passar a legitimação, quando der sorte, porque o IIRGD há meses só tem 1 (uma) linha para receber todas as legitimações do estado, não sentiremos falta alguma de fazer flagrante,

    MAS COLEGA, QUEM FOI QUE TE DISSE QUE APOS A PM ASSUMIR TUDO, O IIRGD VAI CONTINUAR SENDO FISCALIZADOS PELOS SEUS DIRETORES, VC ENDOIDO MESMO, CLARO QUE A PM COLOCARÁ OS SEUS POLICIAIS LÁ TAMBÉM, PARA TORNAR AGIU TODO O SISTEMA CARA, DUVIDA DISSO! TUDO QUE ORA PERTENCE A PC, MUDARÁ DE MÃOS LOGO LOGO, ATE MESMO A POLICIA TÉCNICO CIENTIFICA PASSARÁ É ÓBVIO PARA RESPONSABILIDADE E ADMINISTRADA POR COMPETENTES POLICIAIS MILITARES HEHEHEHE, MAS COM CERTEZA AINDA SOBRARÁ ALGUMAS FUNÇÕES A SEREM EXECUTADOS PELOS POLICIAIS CIVIS, COMO POR EXEMPLOS: A VIGILÂNCIA DAS REPARTIÇÕES POLICIAIS CIVIS E MILITARES, MARCHAREM NAS COMEMORAÇÕES, OS SERVIÇOS GERAIS BRAÇAIS DO TIPO, FAXINA, PINTOR, PEDREIRO, ENCANADOR, ELETRICISTA, MECÂNICOS, DENTRE OUTROS KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK, CHUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUPA QUE É DE UUUUUUUUUUUUUUUUUUUUVA, HEHEHEHEHEHEHE

    OBS: AOS POLICIAIS CIVIS!, ENTRAREM EM FORMA!, POR TRÊS!, SENTIDO !!!!!!, COBRIIIIIIIIR!!!!!!!, FIIIIIIIIIIIIRME!!!!!!!!!, DESCANÇAAAAAAAAAAAAAR, KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

  50. OU MUDA TUDO, OU NÃO MUDA NADA!
    ESTÃO RETALHANDO O LENÇOL QUE ERA INTEIRO, TROCANDO O PANO E A COR, POR MERO INTERESSE DE PODER!

  51. COM ESSA POSSÍVEL MUDANÇAS RADICAIS, VC PODERÃO VER QUE VENTOS MUDARÃO SEU CURSOS, COM CERTEZA AS MORTES DE POLICIAIS VÃO ACABAREM, POIS O SISTEMA MUDARÁ DE MÃOS, E O BURACO SERÁ MAIS EM BAIXO. BANDIDO SERÁ COLOCADO NO LUGAR DE BANDIDO, E NÃO NO LUGAR DE TRABALHADOR HONESTO, E LUGAR DE BANDIDO BOM É NA PEDRA E NÃO NA CADEIA PARA FICAR DANDO DESPESAS.

  52. Carandirú, Eldorado dos Carajás, mortos de maio, mortos de agosto e, em breve, mortos de todos os dias disse:

    Que bom! Vão poder assassinar a vontade. Montar o circo completo, digo, os inquéritos e arquivar tudo em juízo. Isso se chama Brasil, terra da impunidade.

  53. MARCHA PC, CABEÇA DE PAPEL, SE NÃO MARCHAR DIREITO, VAI SER JOGADO NO RIO TIETÊ, KKKKKKKKKKKKKKKKKKK, CARAMBA, BEM DIZIA O MEU AVÔ, NADA MELHOR DO QUE UM DIA APOS O OUTRO NÉ, TUDO QUE SOBE, UM DIA VAI DESCER.

    OS DEUSES DA PC (DELEGADOS) SÓ PENSARAM NELES, E ESQUECERAM DAS DEMAIS CARREIRAS, DEIXANDO TODAS A VEREM NAVIOS COM CASCOS FURADOS, E UMA GRANDE PARCELAS DESSAS CARREIRAS AINDA FICAM MAMANDO NOS SACOS DESSES DELEGADOS, TA AI O RESULTADO, VCS SERÃO TODOS EXTINTOS NUM FUTURO QUASE PRESENTE, HEHEHEHEHE

  54. SOU PM E NÃO TENHO INTERESSE EM CONFLITAR COM MEUS COLEGAS DA PC, AS BRIGAS SÃO LÁ EM CIMA, DEVIDO AO PODER. ACHO MELHOR OS PCs AGIREM, SEI QUE A COISA TÁ FEIA PARA A MAIORIA QUE TRABALHA, SE NÃO MUDAR SEREMOS TODOS ESCRAVOS DE UM ÚNICO SENHOR ABAIXO DO GOV E SEU SECRETARIO DA SSP!

  55. EU CONCLAMO, TODOS OS ESCRIVÃOS, VAMOS FAZER UMA CORRENTE, eu pela autoridade de que fui investido (tenho curso de Teologia em EAD, semi presencial, pela Assembléia de Deus, com certificado e valor de curso superior), eu conclamo todos os escrivães, investigadores e agentes em desviu de função, bem como carcereiros, que são obrigados a fazer BO e lavrar flagrantes, EEEEUUUU CONCLAMOOOO vamos fazer a CORRENTE DE ORAÇÃO PARA ABRIR AS PORTAS DESSE PROJETO.

    Irmão PC, pegue seu copo com água, coloque na frente desse computador, vamos orar:

    Eu invoco a deus pai, filho e espírito santo, esse projeto senhor, abençoa agora, abre as portas do congresso pai, oh paizinho, ilumina a cabeça daqueles corruptos pai, tira toda sujeira do pensamento, ooooohhhh senhoooorrr, o blarrajará, decarrecaga, o degerree de bagebee, ooohhh glooooria, óhhh glóriiaaaa, ai,,,, aii… apaizinho….oooo blaaarraaachará…alibaba….ohhhh lullaaaa…..eu…eu…determino…eu…eu…pro-fe-TIZOOOOO!!!!!! EU, invoco, EM-NO-NOME-DO-SE-NHOR…..AAAAMEEEEMMMM!!!!

  56. Cômico, nesta bagaça só tem “isqueirinho” e “malandro folha seca”

    C.A.

  57. Minha oração foi para a moderação o senhor, eu invoco, liberta, liberta, libertaaaaaa senhor!!!!

  58. Podem ficar com tudo.
    Eu não consigo nem ver a cara de vítima na minha frente.
    Imaginem a de ladrão.

  59. JACARÉ SEM DENTE disse:
    10/09/2015 ÀS 0:46
    QUERO VER AQUI NESTE ESPAÇO OS SENHORES DOUTORES DE TECLADO, VIR AQUI EXPLICAREM ESSA SITUAÇÃO, O FIM DO MILITARISMO, O FIM DA PM, E BLÁ BLÁ BLÁ, ESTOU AGUARDANDO OS SENHORES, PRINCIPALMENTE OS REBELDES DE ESQUERDAS MAIS CONHECIDOS POR INTEGRANTES DOS PTRALHAS, KKKKKKKKKK ( VALDIR, FREEMAN, AQUELE BABACA DENOMINADO FIM DO PRESÍDIO ROMÃO GOMES, E OUTROS BABACAS DO MESMO NAIPE, KKKKKKKKKKKKKKK, CHUUUUUUUUUUUUUUUUUUUPA CAMBADAS.

    Muito me enojaria se eu tivesse um lixo de subordinado como você.

    Jã predi o Lula (em 1980, no Estádio de Vila Euclides – São Bernardo do Campo): sabe por que? Burice dos meus superiores, à época. Lamento que, indiretamente (por cumprimento de ordem) eu tenha ajudado a potencializar a figura de alguém tão nefasto,

    Quanto a você, seu lixo, eu sentiria imenso dissabor em de tê-lo como subordinado. No mínimo, eu estipularia prazo para que você se alfabetizasse!

    É por falta de argumentos E DE VERGONHA NA CARA que você me chama de petralha: atitude de canalha!

    Gostou da rima???

  60. Não entendo a indignação dos delegados. Onde eu trabalho no decap, não querem registrar b.o. (são muito competentes para esse tipo de trabalho), não querem instaurar i.p. (estão muito acima desse tipo de trabalho), querem entrar na magistratura pela porta dos fundos (ou será pelo boi do tj?) com esse tal de Necrim.
    Resumindo, querem que o mundo dependa deles para tudo, não querem fazer porra nenhuma e ainda acham ruim com quem quer fazer.

  61. Ai João, parabéns por sua explanação, assim fica “FRAGLANTE” mesmo, todo esse seu conhecimento!!!! Vc sabe mesmo como ser polícia. Tá sabendo legal. Vc aprendeu isso onde???? Será que foi em um desses programas legais e instrutivos que vc citou???? Um abraço.

  62. É a hora da Polícia Civil se especializar em investigação de crimes específicos, tais como crimes cibernéticos, colarinho Branco, crime organizado, tráfico de armas e drogas, homicídios Ee latrocínio, além de cuidar dos mandados do judiciário.

  63. A gloriosa não sabe fazer o "ó" com o fundo da garrafa, em matéria de saber jurídico! Jacaré está rindo a toa com a notícia, mesmo sem saber interpretá-la! Assim é a gloriosa diante do tal ciclo! disse:

    Jacaré, a PM não tem condições de efetuar um flagrante! Vai por mim, a PM não sabe conduzir um flagrante! Não se esqueça, a Polícia Militar de São Paulo não sabe – nem aqui, nem na china -, e não sabe porque não tem saber jurídico suficiente para fazer. Não adianta um montanha de livros! Jamais saberá!

  64. Vaquinha para pagar um curso de alfabetização do Jacaré, quem quer cooperar? Ele ficou um burro velho, será difícil, mas temos que ter esperança! Jacaré não morrerá - se depender de nós - analfabeto! disse:

    Vamos criar uma subvenção para alfabetizar o Jacaré Sem Dente? O que acha, Flit? A pergunta que não quer calar: como ele passou no concurso da Polícia Militar se ele é analfabeto e sabe apenas assinar o nome, o dito analfabeto funcional? Ou será que é condição sem a qual para entrar na polícia militar é ser analfabeto?

  65. ALARME FALSO: Muito blablabla, mas a questão é bem simples: Ainda que exista num futuro um ciclo completo de policia, ela será de natureza civil e não militar. Alguns deputados eleitos pelos milicianos buscam, a qualquer custo, criar invencionices para agradar o eleitorado. Só isso. Pesquisem as PEC’s que tratam da matéria e confirmem o que estou escrevendo. O Congresso jamais entregara à pm esse ciclo completo. Percebemos que alguns da policia civil, quanto pior melhor… Chega de pessimismo. Chega de ficar dando ouvido para a pm. Alias, eles nao tem ambiente nem entre eles próprios e frequentam o FLIT só pra criar embaraços e desavenças. Criticam os indices de esclarecimentos com a finalidade pura e simples de nos atacar, quando na verdade deveriam se preocupar com os indices criminais; com o numero de delitos que eles nao conseguiram prevenir, nem reprimir. Criticar a policia civil é fácil, difícil é ser policial civil, mas o pior é querer ser e não conseguir…. Ai querem “ganhar” no tapetão, com numeros ficticios; com mentiras.

  66. “Valdir de Souza disse:
    10/09/2015 ÀS 13:45
    JACARÉ SEM DENTE disse:
    10/09/2015 ÀS 0:46
    QUERO VER AQUI NESTE ESPAÇO OS SENHORES DOUTORES DE TECLADO, VIR AQUI EXPLICAREM ESSA SITUAÇÃO, O FIM DO MILITARISMO, O FIM DA PM, E BLÁ BLÁ BLÁ, ESTOU AGUARDANDO OS SENHORES, PRINCIPALMENTE OS REBELDES DE ESQUERDAS MAIS CONHECIDOS POR INTEGRANTES DOS PTRALHAS, KKKKKKKKKK ( VALDIR, FREEMAN, AQUELE BABACA DENOMINADO FIM DO PRESÍDIO ROMÃO GOMES, E OUTROS BABACAS DO MESMO NAIPE, KKKKKKKKKKKKKKK, CHUUUUUUUUUUUUUUUUUUUPA CAMBADAS.

    Muito me enojaria se eu tivesse um lixo de subordinado como você.

    Jã predi o Lula (em 1980, no Estádio de Vila Euclides – São Bernardo do Campo): sabe por que? Burice dos meus superiores, à época. Lamento que, indiretamente (por cumprimento de ordem) eu tenha ajudado a potencializar a figura de alguém tão nefasto,

    Quanto a você, seu lixo, eu sentiria imenso dissabor em de tê-lo como subordinado. No mínimo, eu estipularia prazo para que você se alfabetizasse!

    É por falta de argumentos E DE VERGONHA NA CARA que você me chama de petralha: atitude de canalha!

    Gostou da rima???”
    JAMAIS VOCÊ TERIA O JACARÉ SEM DENTE COMO SEU SUBORDINADO, PRIMEIRO ELE ESTA APOSENTADO E SEGUNDO VOCÊ FOI CHUTADO IGUAL A CACHORRO, VOCÊ E EX TCHAU MANÉ. KKKKKKKKKKKKKKK

  67. PM mentiroso…só mudou os termos e nem foi proposição dele. Autoridade Policial e Delegado de Polícia da na mesma… 171 de merda!!

  68. O PIOR NÃO É LER OS COMETÁRIOS SEM CONTEÚDO LÓGICO DESTE SR. JACARÉ SEM DENTE, E SIM, OS ERROS GROSSEIROS DE PORTUGUÊS. QUE FALTA FAZ INVESTIMENTO EM EDUCAÇÃO!!!!

  69. NÃO TEM NOVIDADE…EXCETO PRA NÓS SERVIÇAIS…
    .
    .
    .
    A FAVELA JÁ SABIA DO CICLO COMPLETO DESDE O ANO PASSADO…
    .
    .
    .
    CHAMARAM DE O CICLO ONDE A VACA ENQUADRA…
    .
    .
    .

    .
    .
    .
    APAGA A LUZ…

  70. JACARÉ SEM DENTE disse:

    10/09/2015 às 0:46

    QUERO VER AQUI NESTE ESPAÇO OS SENHORES DOUTORES DE TECLADO, VIR AQUI EXPLICAREM ESSA SITUAÇÃO, O FIM DO MILITARISMO, O FIM DA PM, E BLÁ BLÁ BLÁ, ESTOU AGUARDANDO OS SENHORES, PRINCIPALMENTE OS REBELDES DE ESQUERDAS MAIS CONHECIDOS POR INTEGRANTES DOS PTRALHAS, KKKKKKKKKK ( VALDIR, FREEMAN, AQUELE BABACA DENOMINADO FIM DO PRESÍDIO ROMÃO GOMES, E OUTROS BABACAS DO MESMO NAIPE, KKKKKKKKKKKKKKK, CHUUUUUUUUUUUUUUUUUUUPA CAMBADAS.
    ——————————————————————————————————————————————————————-

    JACARÉ SEU LIXO!

    VOCÊ É BURRO DEMAIS POR ESTAR SE ENFORCANDO E NÃO PERCEBE,

    UM DIA A SUA CASA VAI CAIR, SE É QUE VOCÊ TENHA CASA!

    SEU VERME, VOCÊ ACHA QUE O PAIS NÃO ESTÁ SENDO ASSISTIDO POR REPRESENTANTES DE OUTROS PAÍSES DE PRIMEIRO MUNDO QUE SE INTERESSAM EM NOS COLOCAR NESSA MESMA POSIÇÃO, PORÉM HÁ UM “DEGRAU QUEBRADO NO CAMINHO” QUE SE CHAMA Á VIOLÊNCIA COMETIDA POR UMA POLÍCIA MARGINALIZADA E PRÉ-COLOMBIANA FARDADA E COM COSTUMES DOS MONSTROS ESPARTANOS; EU NÃO SEI SE ADIANTA FALAR DE HISTÓRIA PARA VOCÊ PORQUE ACHO QUE VOCÊ SOMENTE CONHECE AS QUE ENGANAM MOLEQUES E ESTÃO ESCRITAS NO RDPM.

    ENTRE MUITOS COMENTÁRIOS AMARZENADOS EM BANCO DE DADOS, ABAIXO ESTÁ UMA DAS SUAS ÚLTIMAS AFIRMAÇÕES DE COMO DEVE EXECUTAR UM BANDIDO APÓS A PERDA DE UM POLICIAL MILITAR.

    OUÇA BEM O QUE ESTOU DIZENDO: A SUA TAPERA AINDA VAI CAIR NAS MÃOS DA JUSTIÇA!
    ———————————————————————————————————————————————————————

    JACARÉ SEM DENTE disse:

    08/09/2015 às 13:59

    CARA O QUE DEVE SER FEITO RAPIDAMENTE É UM LEVANTAMENTO/INVESTIGAÇÃO BEM MINUCIOSA DE TODOS OS SINTONIAS DO CRIME ( PCC) DE TODAS AS CIDADES DO ESTADO, MORREU POLICIA MATADO POR ESSES COVARDES DO PCC, VAI ALGUÉM E SENTA O PAU NESSE FILHO DA PUTA DO SINTONIA DAQUELA ÁREA OU REGIÃO, VERÁS QUE LOGO LOGO, ELES MUDARÃO O FOCO DE MATAREM POLICIAIS, VÃO PARTIREM PARA OUTRO TIPO DE ALVO: POLÍTICO, JUDICIÁRIO, MP, INDUSTRIAL, GERENTE DE BANCOS, ETC…., NÃO PRECISA FAZER DA FORMA QUE FIZERAM EM OSASCO, SAÍREM MATANDO TUDO E TODOS QUE SE ENCONTRAVAM PELA FRENTE, ALÉM DO MAIS AÇÃO DESSE NAIPE ALÉM DE CHAMAR MUITA ATENÇÃO ( CHACINA), TEM MUITA GENTE ENVOLVIDAS, E A POSSIBILIDADE DE RACHAREM ENTRE OS PARTICIPANTES É GRANDE, AGORA SE DEREM O TROCO COM APENAS O SINTONIA, ISSO NÃO CHAMARÁ A ATENÇÃO DE NINGUÉM, E É INCLUÍDO NAS BRIGAS DE TRAFICANTES RIVAIS PELO ESTADO/POLICIA, E NINGUÉM VAI DAR A MÍNIMA, PAREM, PENSEM SENHORES COM MATURIDADE.

    OBS: LEMBREM-SE, TODAS AS MORTES EFETUADAS PELO PESSOAL DO PCC, SÃO ESTUDADAS ANTERIORMENTE POR ELES, E COM AVAL DO SINTONIA, SEM ESSE AVAL/AUTORIZAÇÃO ESSAS AÇÕES NÃO SÃO COMETIDAS, ENTÃO NADA MAIS JUSTO O QUE PROPUS ACIMA, OU ELES MUDAM O FOCO ( SUAS VÍTIMAS) OU PARAM DE MATAREM POLICIAIS COVARDEMENTE COMO TEM FEITOS.

  71. Não mudou nada, Este capitão não sabe o que fala. Continuou como no CPP. Imagina um cara deste no congresso.

  72. Ta aí, gostei!

    Qual a novidade? O restopol só se ferra mesmo, seja por falta de funcionários ou condições de trabalho, de boa, nada vai mudar muito para a gente…

  73. AQUELES POLICIAIS CIVIS EM TAUBATÉ… QUE DESFILARAM E MARCHARAM FARDADOS E USANDO TOUCAS NINJAS
    LEMBRAM SE ????

    ACHO QUE ELES JA SABIAM DESTA MUDANÇA. POR ISSO ELES JA TREINARAM PARA MARCHAREM FARDADOS..

    OS CARAS SÃO UNS VERDADEIROS NOSTRADAMOUS…

    É BOM A GENTE APRENDER A DAR CONTINENCIA , LUSTRA O BUTE, CORTA O BIGODINHO,SENÃO O SARGENTÃO METE A GENTE NO PAPEL E PUXAR CADEIA NO QUARTEL.

    AQUELES POLICIAIS DE TAUBATÉ JA ESTÃO TREINADOS… ESTÃO NA NOSSA FRENTE…..
    ..

  74. Marcelo disse:
    10/09/2015 ÀS 14:30
    O PIOR NÃO É LER OS COMETÁRIOS SEM CONTEÚDO LÓGICO DESTE SR. JACARÉ SEM DENTE, E SIM, OS ERROS GROSSEIROS DE PORTUGUÊS. QUE FALTA FAZ INVESTIMENTO EM EDUCAÇÃO!!!!

    ———————

    SR MARCELO !! de que adianta o sr ser exímio em gramática, e ficar criticando o JACARÉ SEM DENTE .
    pois num futuro próximo o SR sera obrigado a dar continência ao jacaré, e chama lo SENHOR JACARÉ ??

    respeite o sr jacaré , pois ele é sargentão senãoa o sr pode ir tirar uns dias na cadeia , do quartel,

    va se acostumando,, hein ?????? o SR jacaré sera seu superior. KIKIKIKIKIKI

  75. NOSSA… TEM UNS CARAS BRABOS AÍ EM CIMA!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

  76. sou policial civil , e nenhum pm nunca vai ser meu superior, eles podem mandar nos praças, e caramba a quatro.
    mas na minha carreira não seremos subordinados a coxinha algum, muito menos mandarão em mim, nunquinha , nunca .

    – é que ~minha carreira não existe mais nos quadros da policia civil

    SOU UM DOS EXTERMINADO CARCEREIRO.

  77. E por qual razão o pessoal aqui teme que, nesse caso, o do assunto que deu origem ao tópico, policiais civis seriam/ficariam subordinados a policiais militares? Pelo que entendi, a polícia militar, com essa idéia, pretende ela mesma ter a estrutura para elaborar a prisão em flagrante, sem depender de uma delegacia. Apenas isso, não é?

  78. Vamos lá quem elabora o flagrante e todos os procedimentos nos distritos é o ‘ESCRIVÃO’, e tem um curso simples para tal, ele merece ser respeitado como autoridade policial delegados só rubricam, com todo respeito aos policiais civis.

  79. Não sei o por que, alguns PMs estão festejando aposto que nem foram ler o que realmente aconteceu, quem irá avisar o juiz e o MP em 24 horas será o delegado, no máximo agora vocês terão que chama- lo de autoridade policial, que foi o que mudou…

  80. Maravilha!!! não dá pra passar mais coisas para os mikes e deixar a gente com mais dias de folgas com a nossa família???

  81. EM UMA POSTAGEM ANTERIOR, EU DESCREVI QUE A MELHOR RESPOSTA PARA PESSOA ANTIPÁTICA SERIA IGNORÁ-LO, E AINDA ACRESCENTEI QUE NÃO IRIA MAIS CONFRONTAR COM ESSAS PESSOAS DEVIDO CONSIDERÁ-LAS DE ESQUERDA, PERTENCENTES AO GRUPO DOS PTRALHAS, POIS UMA VEZ DISCUTIR COM ESSE ZÉ POVÍM NÃO LEVA A NADA, E A LUGAR NENHUM, ELES NÃO ACEITAM PERDEREM, ELES USAM PALAVREADOS DE BAIXO NÍVEL, DÃO PATADAS, E SÃO LEGITIMAMENTE CONSIDERADOS PERTENCEREM A FAMÍLIA DO BURRO: JUMENTO, BURRO, MULA, JEGUE E ASNO, COMO JUMENTO NÃO CONVERSA, E NEM SABE ESCREVER, ENTÃO NÃO TENHO TEMPO A PERDER COM ESSES.VOU APENAS DESCREVER ALGUNS NOMES FICTÍCIOS AQUI, MAS TEM MUITOS AQUI ENRUSTIDOS: VALDIR (VELHO GAGÁ), É SÓ ACABAR COM O ROMÃO GOMES QUE ELES DEIXARÃO DE COMETER OS ABSURDOS, MARCELO E FREEMAN, A ESTES EU NÃO MAIS PERCO TEMPO, PERTENCE A FAMÍLIA DO BURRO, E JUMENTO NÃO CONVERSA A LINGUAGEM DOS HUMANOS, OK, PODEM CHIAREM A VONTADE, VOU IGNORÁ-LOS A PARTIR DE AGORA, PASTAR BEM KKKKKKKKKKKK.

  82. Prefiro a GCM deveria ser jacaré sem cérebro… disse:
    10/09/2015 ÀS 17:03
    Não sei o por que, alguns PMs estão festejando aposto que nem foram ler o que realmente aconteceu, quem irá avisar o juiz e o MP em 24 horas será o delegado, no máximo agora vocês terão que chama- lo de autoridade policial, que foi o que mudou…

    SE QUEM VAI ELABORAR O FLAGRANTE VAI SER O OFICIAL DA PM, ENTÃO COLEGA QUEM VAI SER AUTORIDADE POLICIAL SERÁ ELE ISSO É QUESTÃO LÓGICA, E QUEM DEVERÁ AVISAR O JUIZ E MP EM 24 HORAS TAMBÉM É LÓGICO QUE É QUEM EFETUOU A PRISÃO EM FLAGRANTE, SERÁ QUE VC ENTENDEU, OU TEREI QUE DESENHAR HEM COLEGA.

  83. CARAMBA, SERÁ QUE VC TAMBÉM FAZ PARTE DA FAMÍLIA CITADA LOGO ACIMA, NÃO É POSSÍVEL, SE FOR TEREI QUE TE INCLUIR NELA TAMBÉM TÁ.

  84. XUPACABRA disse:
    10/09/2015 ÀS 17:07
    Maravilha!!! não dá pra passar mais coisas para os mikes e deixar a gente com mais dias de folgas com a nossa família???

    CLARO QUE DÁ COLEGA, PRÓXIMO PASSO É COMPLETAR O CICLO, PASSAR TAMBÉM A INVESTIGAÇÃO PARA O SERVIÇO RESERVADO DA PM ( VELADO E P/2) QUE JÁ O FAZ JUNTO COM MP (GAECO), E VCS TERÃO TODO O TEMPO PARA PASSAR COM A FAMÍLIA, POIS COM CERTEZA ESTARÃO DESEMPREGADOS, POIS ISSO SERÁ O FIM DA PC.KKKKKKK

  85. Sou um Candidato à Carreira na P. Civil:

    Acredito que a PM está correndo atrás do seus interesses:

    A Polícia Civil começa errado em seus concursos;
    Hoje a PM faz concurso pra 2000 mil candidatos e em um ano já estão todos na Academia
    P. Civil quase 2 anos pra conseguir encerra um concurso é lamentável.

  86. Vixi escrevi tudo errado no post anterior, mais tudo bem da pra entender:

    Sou Candidato a um vaga na P. Civil:

    Acredito que a PM está correndo atrás do seus interesses:

    A Polícia Civil começa errado em seus concursos;
    Hoje a PM faz concurso para 2000 mil candidatos e em um ano já estão todos na Academia
    P. Civil quase 2 anos pra conseguir encerra um concurso é lamentável.

  87. Ao indivíduo que se identifica pela alcunha de Jacaré sem dente:
    .
    Rapaz, você não é engraçado! É apenas bobo!!!
    Você não tem capacidade de dizer nada que preste! Não tem argumentos, não transmite conhecimentos… escreve somente um “conjunto de nadas”,
    Somente fala asneiras e conta piadinhas bobinhas, sem graça…
    Nem dá pra saber ao certo se você é policial pois suas tentativas de argumentação são infantis e não demonstram conhecimento de policial!
    Em uma das suas opiniões encontramos a seguinte pérola: “AS MORTES DE POLICIAIS VÃO ACABAREM…” Deixemos de lado o erro grosseiro de concordância para analisar a sua afirmação: quer dizer que o assassinato de policiais irá diminuir em razão do ciclo completo idealizado pela PM? Baseado no que você faz tal afirmação?
    Na sua opinião policial civil deve ser transformado em serviçal da polícia militar…isso é algum tipo de tara sua???
    .
    Faça um favor a todos que postam opiniões aqui no Flit e deixe de ser bobo, moleque e sem graça!!!

  88. Nada de ciclo completo nem PM fazendo flagrante. Leia a integra do site oficial
    :

    Prazo máximo para apresentação de preso em flagrante ao juiz é aprovado pela CCJ

    Simone Franco | 09/09/2015, 15h45 – ATUALIZADO EM 09/09/2015, 17h11

    Marcos Oliveira/Agência Senado
    Proposições legislativas

    PLS 554/2011
    A Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) aprovou definitivamente, em turno suplementar, substitutivo a projeto de lei (PLS 554/2011) do senador Antônio Carlos Valadares (PSB-SE) que regulamenta a audiência de custódia e estabelece prazo máximo para um preso em flagrante ser apresentado ao juiz. Nesta quarta-feira (9), o entendimento girou em torno de seis emendas oferecidas pelos senadores Antonio Anastasia (PSDB-MG), Marta Suplicy (sem partido–SP) e Ronaldo Caiado (DEM-GO) durante o período de vista coletiva da proposta.

    — Entendo que o objetivo precípuo do projeto é incentivar o desencarceramento. Procuramos harmonizar o texto com a Constituição, o Código de Processo Penal (CPP) e outras legislações correlatas. Estamos discutindo uma coisa (audiência de custódia) que já está acontecendo em 16 estados por iniciativa do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) — comentou o relator, senador Humberto Costa (PT-PE).

    Das novas emendas apresentadas, foram aproveitadas apenas duas das três sugeridas por Caiado. As demais — uma de Anastasia, duas de Marta e uma terceira de Caiado — foram rejeitadas pela relatoria. Humberto também reviu sua posição e decidiu acatar mais duas emendas do senador Randolfe Rodrigues (PSOL-AP) — ele tinha acatado apenas uma das sete propostas pelo socialista.

    As mudanças de Caiado agregadas ao substitutivo estabelecem prazo de 12 meses para a vigência da futura lei nos municípios que não forem sede de comarca e deixam expresso de que o eventual descumprimento do prazo para apresentação do preso ao juiz não enseja, por si só, o relaxamento da prisão em flagrante.

    — O Pacto de São José de Costa Rica [acordo internacional que trata da audiência de custódia] não está sendo descumprido quando pedimos a flexibilização para a cidade que não é sede de comarca — observou Caiado.

    Destaques

    Quanto às duas novas emendas de Randolfe, foram incorporadas ao substitutivo depois de serem destacadas para votação em separado pelo autor. Uma delas recomenda a substituição da expressão “delegado de polícia” por “autoridade policial” no texto. A justificativa é usar um termo “mais adequado à técnica legislativa do CPP.”

    Quanto à outra emenda, retira dispositivo do substitutivo que daria margem à fixação de medida cautelar pelo delegado de polícia.

    “Como o juiz irá decidir pelo descumprimento de uma medida cautelar que não foi prevista por ele, nas condições que não foram fixadas por ele, com decretação de prisão? Assim, a possibilidade do delegado fixar medida cautelar, qualquer que seja ela, invade atribuições jurisdicionais”, sustentou Randolfe na justificação da emenda.

    Integridade física

    O substitutivo ao PLS 554/2011 estabelece prazo máximo de 24 horas para o preso em flagrante ser apresentado ao juiz. Determina ainda, entre outras medidas, que tanto o ato quanto o local da prisão sejam comunicados de imediato pelo delegado não só ao juiz, mas também ao Ministério Público, à Defensoria Pública — caso não tenha sido constituído advogado —, à família ou a pessoa indicada pelo preso.

    A defesa da integridade física do preso foi outra preocupação incorporada à proposta. Assim, caberá ao delegado, logo após lavrar a prisão em flagrante e diante de suposta violação dos direitos fundamentais do preso, determinar a adoção de medidas necessárias não só para preservar a integridade do prisioneiro, como também para apurar a responsabilidade pelas violações apontadas.

    A apresentação do preso ao juiz nas 24 horas após a realização do flagrante terá o objetivo de colher seus esclarecimentos e checar eventual violação em seus direitos fundamentais. Na ocasião, também deverá ser ouvido o Ministério Público que, caso entenda necessário, poderá requerer a prisão preventiva ou outra medida cautelar alternativa à prisão.

    Também houve o cuidado de deixar claro, no substitutivo, que as informações obtidas na audiência de custódia serão registradas em autos apartados e não poderão servir de meio de prova contra o depoente. Deverão versar, exclusivamente, sobre a legalidade e a necessidade de prisão; a prevenção da ocorrência de tortura ou de maus-tratos; e os direitos assegurados ao preso e ao acusado.

    Presos em situação irregular

    Não só os autores das emendas no período de vista, mas também outros senadores fizeram ponderações sobre eventuais dificuldades à aplicação prática da proposta.

    — Ninguém aqui faz reparo sobre o mérito do projeto. Estamos preocupados é em colocar o projeto em prática — comentou o senador Jader Barbalho (PMDB-PA).

    Essa mesma linha de argumentação foi seguida pelos senadores Alvaro Dias (PSDB-PR), José Medeiros (PPS-MT), Aloysio Nunes (PSDB-SP), Roberto Rocha (PSB-MA) e Marcelo Crivella (PRB-RJ).

    De acordo com Valadares, autor do PLS 554/2011, dos 600 mil presos do país, pelo menos 120 mil estão em situação irregular e poderiam ser soltos. A disseminação da audiência de custódia por todos os estados facilitaria o processo de desencarceramento e geraria uma economia de R$ 4,3 bilhões com a manutenção do sistema prisional brasileiro.

    — Com o tempo, essa lei vai ser a saída que nós precisamos para cumprir os acordos internacionais e diminuir esse protagonismo de prisão que acontece em todo o Brasil — reforçou Valadares.

    Se não houver recurso para votação pelo Plenário do Senado, a proposta será enviada direto para a Câmara dos Deputados.

    Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

  89. Oficiais e Delegados brigarem por elaborar o flagrante é o cúmulo para quem realmente trabalha, como se todos os policiais gostassem de elaborar, tem delegacia que em cada flagrante que chega vem junto um princípio de infarto.

    Os praças e escrivães vão continuar com a pior parte do serviço e salário.

  90. MEU CARO AI DE CIMA, SE VC ESTÁ DE SERVIÇO NO PLANTÃO, SAI LOGO DESSE ESPAÇO, POIS VC TEM A OBRIGAÇÃO DE ESTAR TRABALHANDO NO ATENDIMENTO AO PÚBLICO, ATENDENDO O BALCÃO, RECEBENDO AS OCORRÊNCIAS DOS COLEGAS PMS QUE JÁ DEVEM ESTAR ESPERANDO OK, DEIXA PRA FAZER ISSO QUANDO ESTIVER DE FOLGA TÁ, E NA SUA CASA, GASTANDO ENERGIA ELÉTRICA DA SUA CONTA E NÃO DO SEU LOCAL DE TRABALHO, POIS ISSO TAMBÉM É PROBLEMA MEU, E COMO CIDADÃO PAGADOR DE IMPOSTOS, EU EXIJO ISSO DE VC TÁ, PASSAR MUITÍSSIMO BEM, E PRODUZ BASTANTE OK, ESCRAVATÃO.

  91. PERDA DE TEMPO. ESSA “ABERRAÇÃO” NÃO PASSA. NÃO PRECISA PASSAR TEMPO DISCUTINDO ESSA EXCRESCÊNCIA JURÍDICA. TERIA QUE MUDAR A CF E COMO FICARIA A POLICIA FEDERA? NINGUEM CONSEGUE MUDAR ESSA MERDA.

  92. Flagrante por PM ?
    e se vier cota do Ministerio Público ?

    cada uma ….

  93. Eu particularmente acho muito bom, que eles se expliquem ao Juiz custódia o que estiver nos autos de Prisão em flagrante junto a situação do indiciado. Na verdade quem vai assumir a pica de uma lesão ou abuso de autoridade serão os magistrados e promotores, eles que terão que fazer boa parte do que um delegado filtra, coloca no papel e assume ao realizar um flagrante. (SAIBAM QUE A PRISÃO É ELEMENTO DRÁSTICO PARA PUNIR O DELINQUENTE, PODE SE ESTAR COMETENDO CRIME CONTRA HUMANIDADE)

    VIVA, vai sobrar tempo para investigar organizações criminosas.

  94. JACARÉ SEM DENTE = comédia do FLIT
    Não manda nem na própria casa e vem querer argumentar algo.

    Hipocrisia seria falar que alguém adora elaborar Flagrante, sendo um sacrifício tremendo em curto espaço de tempo para que a ocorrência seja entendida, caracterizada a sua natureza e incidência e resguardados os direitos constitucionais do preso, a fim de chegar ao Judiciário de forma objetiva e inteligível. Ao final ainda sobrará um Inquérito Policial e suas arestas. Mas se tiver que ser feito, vamos fazer ao melhor de cada um.

    Ademais, também sou cidadão e pago meus impostos ordinária e fielmente.

  95. Muito barulho, por nada! Os novos artigos serão acrescentados no Código de Processo Penal, que já fala em Autoridade Policial. A apresentação ao Juiz ocorrerá depois da lavratura do flagrante pelo Delegado de Polícia. Será apenas um trabalho a mais. Em vez de mandar só a papelada, vai apresentar o próprio preso. Aliás, a Lei 12.830/2013 é clara: Autoridade Policial é o Delegado de Polícia (art. 2o, § 1o) e ninguém mais.

  96. Pelo andar da carruagem, os majuras irão virar juízes de pequeníssimas causas e o restopol irá para a meganha.

  97. Estão dando muita trela para um jacaré.
    Jacaré é aquele animal que se defende usando o rabo.

  98. QUERO QUE SE FODA QUEM VAI LEVAR OU NÃO O MALACO PARA O JUIZ, PARA MIM POUCO IMPORTA ESSAS MUDANÇAS, QUERO É MAIS, PODIA POR NO TEXTO QUE O POVO PODERIA LEVAR O MALA PARA O JUIZ OU PARA PQP…..QUERO SABER É DA REPOSIÇÃO SALARIAL QUE ATÉ AGORA NÃO APARECEU UM MALDITO DEPUTADO PARA FALAR POR NÓS…QUERO SABER TAMBÉM DA PORRA DO BÔNUS QUE ATÉ AGORA NINGUÉM SE MANIFESTOU…VAI PAGAR OU NÃO VAI PORRAAAAAAAAA ! SE NÃO VAI PAGAR ENTÃO QUE ENFIEM TUDO NO C….DE QUEM INVENTOU ESSA PALHAÇADA !

  99. MacNamara:

    Durante as aulas de conjugação verbal, onde você estava?

    Observe o tempo verbal na seguinte oração: se eu tivesse um lixo de subordinado como você.

    Entendeu ou gostaria que eu a tivesse escrito com a seguinte modificação: se eu tivesse tido …..

    Deixo as seguinte perguntas:

    1ª) Quem me garante que esse BANDIDO ANÔNIMO não foi, de fato, meu subordinado, tendo em vista a via crucis pela qual passei, por várias Unidades da PM, depois que desconfiei de trapaças num acidente de trânsito provocado por duas viaturas do 10º BPM/M?

    2ª) Para que vossa consideração sobre mim ganhe força e credibilidade, responda: qual o motivo da cassação de meu posto e patente?

    3ª) Onde está o BANDIDO FARDADO que assinou o documento originário do Conselho de Justificação para a cassação acima citada?

    4ª) Vais responder ou JACAREZAR???

    Vou te prestar uma “ajudazinha verbal”: como não sei onde você estava, durante as referidas aulas, perceba que JACAREZAR é neologismo (palavra nova) que significa: acovardar-se; omitir-se; dizer algo sem nexo, por impulso; plantar patifarias, sem provas; externar ilações e dubiedades. Enfim: “deu” para entender?

  100. Muito mais do mesmo, de novo, Tem regiões da cidade que só tem a guarnição do sargento e mais duas para cobrir toda a área. Pergunto então que vai apresentar o vagabundo ao juiz e quando isso será feito depois de 12hs de pau dentro???? Muito barulho.

  101. É SÓ ACABAR COM O ROMÃO GOMES QUE ELES DEIXARÃO DE COMETER OS ABSURDOS:

    Esse FILHO DA PUTA DE JACARÉ (PATIFERÉ SEM DENTE) nivela pela dos outros a limitação de discernimento dele!

    Imediatamente após a chacina, ele pediu muita calma, muita cautela, antes de se ter em conta a suspeita de Policiais Militares como autores. Quando a “casa começou a cair” (tanto pela identificação do carro cor prata, quanto pelo atirador que canhoto) ele passou a admitir a possível realidade, porém, antecipando elogios aos tais atiradores, chamando-os de “MENINOS DE OURO”!

  102. Parabéns PM, a população de Osasco/Barueri clama pelo ciclo completo de investigação PM. Vamos propor uma emenda suprimindo também a figura do juiz da execução, no seu lugar será criado o PM da execução.

  103. Vaquinha para pagar um curso de alfabetização do Jacaré:

    O Jacaré entrou na PM na época que se alistava, este sujeito nunca estudou para ingressar em nada.

    Agora me explica aqui, seu crápula, você não tem argumento melhor que chamar os outros de ESQUERDISTA ou PETRALHA?

    Qual DP sua esposa trabalha? vou convidar ela pra um pagode. Ela deve estar muito carente, já que o corno passa o dia inteiro defendendo os “meninos de ouro” no Flit.

  104. Freeman:

    No início do vosso comentário, a palavra “vaquinha” me fez lembrar alguma moradora da lagoa suja do JACARÉ!

  105. A PM então, além de fazer os tenentes ( só tenentes) trabalharem querem transformar os JUIZES em delegados de polícia.

    KKKKKKK -Tô pagando pra ver!!!

  106. PSDBosta:

    Óbvia a explicação para essas discrepâncias salarias: os cofres públicos brasileiros alimentam até “JACARÉ ANARFA”!

  107. Juízes recebendo presos (fedidinhos) em 24 horas – KKKK

    Isso é pra funcionar na Alemanha? Se for, vai dar certo!

  108. Imagine: o cara é preso- DESACATO – vai pro quartel – depois um juiz irá recebê-lo em 24 horas – HAJA JUIZ.

    Será que esses OFICIAIS que estão armando essa presepada conhecem o sistema do Brasil? Ficaram toda a carreira na caserna tratando da grama do campo, das baias, e canetando a recrutada. Não têm noção de como funciona realmente a segurança pública.

  109. Dá minha parte eu quero é mais que a PM abrace tudo e mais um pouco.
    Não quero nem saber se a PM vai fazer o ciclo completo, circo completo ou cerco completo.
    Débito mais este esculacho aos incompetentes dos delegados de polícia, quem sabe agora, se tal medida for implantada, e espero que sim, eles resolvam fazer terapia, regressão, hipnose….. para resolver o problema de dupla personalidade que acomete todos os delegados de policia.
    Eles não sabem o que querem ser policial ou carreira jurídica.
    E por conta deste distúrbio que acomete todos os delegados surgem idéias e iniciativas como a em discussão.
    Eu como fiz do caminho PMxPC, sugiro agora que a PM encampe a PC, e que sabe surja uma pequena possibilidade de fazer o caminho inverso PCxPM.
    Como falta um ano para a minha aposentadoria sendo PM terei integralidade, paridade uma promoção ao posto imediato, no final da carreira, poi estes melzinho que a PM têm e nos não, adivinha que são os culpados por esta situação?
    Sim, deles mesmos os incompetentes de sempre que se julgam as cabeças pensantes da falida Polícia Civil.

  110. Eduardo Bolsonaro acaba de protocolizar o PL 2771/2015 – que define autoridade policial e estabelece as competências para os ocupantes dos cargos que exercem atividade policial.

    http://www.camara.gov.br/proposicoesWeb/prop_mostrarintegra;jsessionid=47C43220043874F84AD7D9E0DDE6DBEA.proposicoesWeb2?codteor=1376946&filename=PL+2771/2015

    Segundo o texto:

    Art. 2º Considera-se autoridade policial o agente do Poder Público que ocupa cargo e exerce funções policiais, investido legalmente para atuar nas atividades de polícia administrativa ou polícia judiciária.

    Art. 3º São autoridades policiais, nos termos especificados nesta Lei:
    I – integrantes das carreiras da Polícia Federal;
    II – integrantes das carreiras da Polícia Rodoviária Federal;
    III – integrantes das carreiras da Polícia Ferroviária Federal;
    IV – integrantes das carreiras das Polícias Civis dos Estados e do Distrito Federal;
    V – membros das Polícias Militares e Corpos de Bombeiros Militares dos Estados e do Distrito Federal;
    VI – membros das Forças Armadas; e
    VII – servidores policiais da Câmara dos Deputados e do Senado Federal, consoante os artigos 51, IV e 52, XIII, da Constituição Federal.

    Art. 4º Compete à autoridade policial, além do que for expressamente
    previsto em lei:
    I – efetuar registro de ocorrência policial que presenciar ou receber a
    solicitação;
    II – lavrar Termo Circunstanciado de Ocorrência e encaminhá-lo ao juizado competente;
    III – lavrar Auto de Prisão em Flagrante e encaminhar o preso, juntamente com objetos apreendidos e outros meios de prova coletados, à autoridade competente;
    IV – assegurar o cumprimento de medidas protetivas, que tenham sido determinadas pela autoridade judicial competente, nos termos legais; e
    V – outros procedimentos previstos em lei, nas áreas de polícia administrativa e polícia judiciária, que não sejam definidos como competência exclusiva.

    Parágrafo único. Nos procedimentos de registro de ocorrência e outros atos que ensejem o início da persecução penal, no âmbito da atividade policial, observar-se-ão o direito de acesso à justiça, a celeridade e a simplicidade.

    http://www.camara.gov.br/proposicoesWeb/fichadetramitacao?idProposicao=1692980

  111. Quando algum policial extrapola nas suas ações ele comete crime de: abuso de autoridade, ou abuso de poder?

    se for abuso de autoridade, como alguém pode ser criminalmente responsabilizado por algo que ele não tem ou não possui, e eu nunca vi alguém ser responsabilizado criminalmente por abuso de poder.
    Então senhores, pensem um pouco e me responde com justificativa legal.

  112. http://ponte.org/pl-aprovado-no-senado-pode-dar-aval-a-torturas-praticadas-pela-pm-dizem-defensores-de-direitos-humanos/

    PL aprovado no Senado pode dar aval a torturas praticadas pela PM, dizem defensores de direitos humanos

    Maitê Berna

    Ponte Jornalismo

    *Arthur Stabile, especial para a Ponte

    O projeto de Lei (PLS) 554/2011– que regulamenta a chamada audiência de custódia, nome dado ao procedimento de levar presos em flagrante ao juiz de execução num prazo de 24 horas – foi aprovado na Comissão de Constituição e Justiça do Senado nesta quarta-feira (09/09), em meio a críticas.

    Defendida por entidades de direitos humanos, a audiência de custódia está prevista na Convenção Americana de Direitos Humanos, ou Pacto de San José da Costa Rica, e desde fevereiro está sendo aplicado pelo Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) em parceria com o Conselho Nacional de Justiça (CNJ), com o objetivo de reduzir o encarceramento.

    “A falência completa do sistema penitenciário pedia uma resposta”, disse, à Ponte, o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Marco Aurélio de Mello. Para ele, a decisão foi muito importante porque, na realidade, a audiência de custódia estava prevista no Código de Processo Penal, mas tem sido ignorada. “A grande questão é que a prisão preventiva no Brasil deveria ser exceção, mas virou regra”, disse.

    Porém, há críticas em relação ao texto no que se refere à atribuição da investigação, já que, na emenda aprovada, o termo “delegado de polícia” foi substituído por “autoridade policial”, atribuindo a função a qualquer funcionário da corporação, como Policiais Militares. O relator da proposta, senador Humberto Costa (PT-PE), defendeu que a competência fosse exclusiva dos delegados de polícia. Porém, a maioria dos senadores aprovou a emenda defendida pelo senador Randolfe Rodrigues (PSOL-AP).

    Ampliação papel PM

    De acordo com a defensora pública Daniela Skromov de Albuquerque, essa emenda “amplia de maneira inconstitucional o papel da PM”. “Lavrar flagrante é função da polícia civil. Delegar isso para a PM só através de emenda constitucional”, avalia.

    A coordenadora do núcleo de direitos humanos da defensoria pública de São Paulo explica que uma das funções da audiência de custódia “é aferir se o detido sofreu maus tratos ou tortura quando da prisão, que é feita majoritariamente pela PM. Ou seja, a escolta pela própria PM pode servir como forma de evitar que o preso fale em juízo o que sofreu”.

    A votação terminou com 18 votos a favor e uma abstenção, e teve caráter terminativo no Senado, ou seja, pode haver a possibilidade de apresentação de recurso, e, depois disso, deverá ainda passar por votação da Câmara dos Deputados.

    Retrocesso

    O advogado Ariel de Castro Alves é um dos defensores da realização das audiências de custódia, mas acredita que a forma como o PL aprovada representa um retrocesso. “Tratados internacionais definem essa necessidade [das audiências]”, mas a emenda é “um grande equívoco, um erro gravíssimo. Qualquer autoridade policial poderá fazer o ato de prisão em flagrante, um escrivão, um soldado na rua. Ela abre margem para vários abusos. Da forma que ficou, está tão aberto, que é possível que nem se leve mais as pessoas para as delegacias, já se julga na rua, se faz tudo na rua, os reconhecimentos em botecos. É uma avacalhação”, afirma. Para ele, “hoje, ao menos os delegados são pessoas formadas em direito, verificam se o flagrante da polícia cumpriu a legalidade ou não. Ao ter a militarização da PM, usurpa as funções da policia civil. Daí, certamente, abre um precedente muito perigoso para uma militarização completa da segurança”.

    O ministro do STF Marco Aurélio Mello discorda e explica que a discussão não pode ficar no âmbito de quem terá mais ou menos poder no julgamento: “A PM é uma polícia repressora. Ela prende o sujeito na rua e precisa necessariamente encaminhar a outra instância. Nesse caso, vai encaminhar diretamente à Justiça. A polícia judiciária, que é civil, tem relação direta com a Justiça e vai dar o andamento desses processos. É tempo de pensarmos no todo. O antagonismo é péssimo”, salientou.

    STF

    No mesmo dia, o Supremo Tribunal Federal também discutiu o tema, por causa da Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental (ADPF) 347 – encaminhada pelo legislativo à Corte, pedindo medidas urgentes de correção ao sistema prisional -, e endossou o prazo de 24 horas para audiência de custódia para os casos de flagrante e o prazo máximo de 90 dias para que os estados passem a adotar essa medida.

    Além disso, determinou a liberação do Fundo Penitenciário Nacional, uma verba destinada especificamente para melhorias do sistema, mas que, de acordo com o ministro relator Marco Aurélio Mello estava sendo utilizada para outros fins. “Os recursos do fundo na teoria estavam bloqueados e por isso a votação aprovou o descontingenciamento, porque, na prática, a verba estava sendo desviada e isso é ilícito, porque é um dinheiro que visa ser empregado no sistema prisional, nada mais que isso”, afirmou o ministro.

    Em junho deste ano, o Ministério da Justiça por meio do departamento Penitenciário Nacional divulgou um levantamento que mostra que quatro em cada dez presos estão atrás das grades guardando julgamento. Em mais de um terço das unidades prisionais do país, 60% deles estão há mais de 90 dias na cadeia.

    O Instituto de Defesa do Direito de Defesa (IDDD) faz o monitoramento das audiências de custódia em São Paulo e avalia como positivo o sistema até o momento.

    De acordo com o IDDD, independentemente do projeto de lei, já há outros 16 estados – além de São Paulo – que firmaram acordo com o IDDD e o CNJ para começarem com as audiências de custódia. O presidente do IDDD, Augusto de Arruda Botelho afirma que os dois resultados práticos que puderam ser observados foram o desafogamento bastante significativo das prisões na cidade e a diminuição de violência policial nas prisões em flagrante, já que nos casos em que há indícios de maus tratos ou tortura, em 24 horas a denúncia é encaminhada as autoridades competentes. “Há uma função pedagógica e preventiva. E também tem a questão da própria punição, já que o mau policial sabe que, se ele usar da violência, o detido chegará na frente de um juiz em menos de 24 horas e as marcas denunciarão o óbvio. É bem diferente um preso que vai ver o juiz pela frente três quatro meses depois de ser capturado. As marcas já saíram e, às vezes, até perde-se o interesse em fazer a denúncia”, explica.

    O ministro Marco Aurélio Mello concorda e ressalta que o julgamento não pode acontecer na rua. “O mais importante disso tudo é que o conduzido tem que ser tratado como ser humano não como um animal, especialmente porque não podemos nos esquecer da presunção da inocência. Não se pode fazer justiça com as próprias mãos, principalmente quando se tem uma estrela no peito e um revólver na cintura”, conclui.

  113. JACARÉ SEM DENTE:

    Tudo depende de como se quer ver o ato, ao sabor do interesse “polixolítico” do momento.

    Em 2009, quando indiquei o nome do Soldado Temporário PM Oliveira para Policial do mês, o safado do Comandante, Coronel Admir Gervásio Moreira, a pretexto de me tentar humilhar, na durante a reunião de oficiais, ironizou: nem ‘polícia’ o Oliveira é”. Acho que isso nem vai pra votação”. Em seguida, perguntou ao Capitão Edy, a respeito daquele “ser ou não ser”. De plano e ironicamente, respondeu-lhe o Capitão: “se ele roubar uma arma aqui, o Senhor vai ver se ele é ou não policial militar”!

    A votação foi praticamente unânime para que o “escravoldado” PM Oliveira se tornasse agraciado com a honra de policial do mês.

    Entendeu, JACARÉ?

    Na Polícia Militar paulista, tudo é questão de ponto de vi$$$$$$ta!

  114. valdir muito obrigado pelo seu comentário, entendi sim, porém, um agente de segurança, todos, exceto o delegado tem ou não autoridade, pois quando extrapola todos esses agente responde por abuso de autoridade e não abuso de poder, quem não tem autoridade não pode responder por isso, concorda ou não, explique?

  115. JACARÉ: lembro-me de debates renhidos, na APMBB, por conta desse “impasse”.Parecia discussão do sexo “dos” anjos!

    Sua pergunta é curta. Lamento que o mesmo não posso dizer da resposta:

    Fonte: site JusBrasil
    14 de dezembro de 2011

    Autoridade policial, polícia militar e segurança pública
    1
    1. INTRODUÇÃO
    No ambiente acadêmico muito se discute se policial militar é autoridade policial, sendo dito por diversos doutrinadores e renomados juristas que não.
    Este não é o nosso posicionamento, pelas razões que a seguir exporemos, com a devida máxima vênia aos que pensam em contrário.
    A segurança pública é um assunto bastante discutido em nossa sociedade, sobretudo por estar relacionado diretamente com a criminalidade. Os órgãos responsáveis pela preservação da ordem pública constam no art. 144 da Carta Máxima, a saber:
    Art. 144. A segurança pública, dever do Estado, direito e responsabilidade de todos, é exercida para a preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio, através dos seguintes órgãos:
    I – polícia federal;
    II – polícia rodoviária federal;
    III – polícia ferroviária federal;
    IV – polícias civis;
    V – polícias militares e corpos de bombeiros militares.
    § 1º A polícia federal, instituída por lei como órgão permanente, organizado e mantido pela União e estruturado em carreira, destina-se a:(Redação dada pela Emenda Constitucional nº 19, de 1998)
    I – apurar infrações penais contra a ordem política e social ou em detrimento de bens, serviços e interesses da União ou de suas entidades autárquicas e empresas públicas, assim como outras infrações cuja prática tenha repercussão interestadual ou internacional e exija repressão uniforme, segundo se dispuser em lei;
    II – prevenir e reprimir o tráfico ilícito de entorpecentes e drogas afins, o contrabando e o descaminho, sem prejuízo da ação fazendária e de outros órgãos públicos nas respectivas áreas de competência;
    III – exercer as funções de polícia marítima, aeroportuária e de fronteiras; (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 19, de 1998)
    IV – exercer, com exclusividade, as funções de polícia judiciária da União.
    § 2º A polícia rodoviária federal, órgão permanente, organizado e mantido pela União e estruturado em carreira, destina-se, na forma da lei, ao patrulhamento ostensivo das rodovias federais.(Redação dada pela Emenda Constitucional nº 19, de 1998)
    § 3º A polícia ferroviária federal, órgão permanente, organizado e mantido pela União e estruturado em carreira, destina-se, na forma da lei, ao patrulhamento ostensivo das ferrovias federais. (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 19, de 1998)
    § 4º – às polícias civis, dirigidas por delegados de polícia de carreira, incumbem, ressalvada a competência da União, as funções de polícia judiciária e a apuração de infrações penais, exceto as militares.
    § 5º – às polícias militares cabem a polícia ostensiva e a preservação da ordem pública; aos corpos de bombeiros militares, além das atribuições definidas em lei, incumbe a execução de atividades de defesa civil.
    Nota-se que a Constituição tentou delimitar as atribuições de cada órgão imbuído da missão constitucional de preservar a ordem pública.
    O problema da criminalidade não está afeto somente aos órgãos de segurança pública, sobretudo à Polícia Militar, que lhe compete o policiamento ostensivo e a preservação da ordem pública. A questão é muito mais complexa, e a raiz do crime encontra-se na questão social, nas desigualdades sociais, má distribuição de rendas, ensino deficiente, corruptos políticos, etc.
    Como muito bem exposto por Jorge César de Assis (1), ao mencionar o ex-prefeito Roberto Requião, ao asseverar que “enquanto a periferia não come, o centro da cidade não dorme.”
    Assim, afirmamos, sem dúvida, que a Polícia Militar, como diz o outro “existe não para estabelecer o paraíso, mas para evitar que o inferno se instaure.”
    Pois bem, feito este breve intróito, passamos a analisar o policial militar enquanto autoridade policial.
    2. POLICIAL MILITAR E A AUTORIDADE POLICIAL
    Rogério Greco (2) leciona que:
    “A Polícia Militar, principalmente através dos seus Batalhões de Operações Policiais Especiais espalhados pelo Brasil, bem como as Polícias Civil e Federal vêm reconquistando, aos poucos, a confiança da população. Hoje, a separação existente entre a polícia militar, considerada, ao mesmo tempo, como uma polícia repressiva e preventiva, e a polícia civil (e mesmo a federal, em sua área de atuação), cuja finalidade precípua é investigar os delitos já ocorridos.”
    E prossegue: “Assim, resumidamente, caberia à polícia militar, precipuamente, o papel ostensivo de prevenir a prática de futuras infrações penais, enquanto que à polícia judiciária, civil, caberia, também de forma precípua, o papel investigativo.”
    Jorge César de Assis (3) ensina que “No campo da segurança pública propriamente dito, a Polícia Militar tem como exercício regular de sua atividade, o policiamento ostensivo fardado e a preservação da ordem pública. A competência para tal mister é decorrente da Constituição da República. Daí por que, seus integrantes, respeitado o grau hierárquico e as atribuições que lhe forem dadas, têm AUTORIDADE POLICIAL, correspondente a sua missão constitucional da ordem pública.”(grifo no original)
    E ainda que:
    “Essa autoridade, conhecida, por AUTORIDADE POLICIAL MILITAR, só cessa quando, onde houver, a ocorrência é entregue a outra autoridade policial, a civil, encarregada da feitura do inquérito. E isto é feito diariamente, com a apresentação de infratores nas delegacias competentes. O já tão conhecido telefone 190, recebe diariamente, centenas de pedidos de atendimento, que a Polícia Militar cumpre dentro das possibilidades existentes, com elevado espírito de sacrifício. O inquérito, peça informativa, contém as diligências investigatórias e tudo o que possa interessar à realização da Justiça. Uma vez conclusa a fase cartorária da atividade policial judiciária, e assim, com o envio do inquérito policial à Justiça, também cessa a autoridade de quem o tenha presidido, pois o fato ficará agora, sub judice.” (grifo no original)
    O Conselho Superior da Magistratura de São Paulo por intermédio do Provimento 806/2003, que consolidou as Normas relativas aos Juizados Informais de Conciliação, Juizados Especiais Cíveis e Criminais e Juizados Criminais com ofício específico no Estado de São Paulo diz que:
    4.1. A autoridade policial, ao tomar conhecimento da ocorrência, lavrará termo circunstanciado, que encaminhará imediatamente ao Juizado e, considerando a peculiaridade de cada caso, determinar que as partes compareçam, de pronto ou em prazo determinado pelo Juízo, ao Juizado Especial.
    4.1.1. Considera-se autoridade policial, apta a tomar conhecimento da ocorrência e a lavrar termo circunstanciado, o agente do Poder Público, investido legalmente para intervir na vida da pessoa natural, que atue no policiamento ostensivo ou investigatório. (grifo nosso)
    4.1.2. O Juiz de Direito, responsável pelas atividades do Juizado, é autorizado a tomar conhecimento dos termos circunstanciados elaborados por policiais militares, desde que também assinados por Oficial da Polícia Militar. (grifo nosso)
    O Tribunal de Justiça de Santa Catarina no julgamento da Apelação Criminal n. 2010.047422-0, de Itapoá, de relator do Desembargador Irineu João da Silva, asseverou que:
    A expressão “autoridade”, conceituada como “aquele que tem por encargo fazer respeitar as leis; representante do poder público” (Dicionário Aurélio Eletrônico, versão 2.0) é utilizada pela legislação pátria para designar “o poder pelo qual uma pessoa ou entidade se impõe às outras, em razão de seu estado ou situação. É o poder de direito de uma pessoa em virtude de sua especial capacidade de fato” (GOFFREDO TELLES JÚNIOR, Enciclopédia Saraiva do Direito, SP: Saraiva, 1978, v. 9, p. 330). (grifo nosso)
    Mas várias são as derivações que se pode dar ao conceito de “autoridade”, de acordo com o prefalado “estado ou situação” e sua “especial capacidade de fato”, dando origem, entre outras, à expressão autoridade policial, indicativa da “pessoa que ocupa cargo e exerce funções policiais, como agente do Poder Executivo, subordinado ao Ministério da Justiça. Tais agentes têm o poder de zelar pela ordem e segurança públicas, reprimir os atentados à lei, ao direito, aos bons costumes” (Enciclopédia Saraiva do Direito, SP: Saraiva, 1978, v. 9, p. 351). (grifo nosso)
    Daí os conceitos de polícia administrativa (preventiva e inerente aos órgãos da Administração Pública), polícia judiciária (Polícia Civil) e polícia de manutenção da ordem pública (Polícia Militar); enquanto a primeira incide sobre bens ou restringe direitos, as demais agem visando reprimir a criminalidade, auxiliando a “ação judiciária penal, de competência dos Juízos e Tribunais Criminais”, como preleciona o Dr. ROGÉRIO LAURIA TUCCI (A Lei dos Juizados Especiais, Porto Alegre: Revista Unidade, ano XIV, n. 27, jul/set-96, p. 11) (Ap. Crim. N. 00.002909-2, de Blumenau, rel. Des. Nilton Macedo Machado, j. 18.4.2000).(grifo nosso)
    O Senador Demóstenes Torres apresentou a Emenda nº 5 ao Projeto de Lei do Senado 156/08 que trata do novo Código de Processo Penal, e a emenda constava:
    Modifica a redação do caput do art. 291 do Substitutivo do Relator, para substituir a expressão “delegado de polícia” por “autoridade policial”. (grifo nosso)
    O autor justifica que o conceito de autoridade policial é mais abrangente, abarcando, por exemplo, os integrantes das polícias militares. (grifo nosso)
    Ressalta que a autorização para que os agentes encarregados do policiamento ostensivo possam lavrar o termo circunstanciado implica desafogar as delegacias, possibilitando um desempenho mais eficiente do Estado na área da segurança pública.
    Percebe-se claramente que o Código de Processo Penal ao se referir a autoridade policial abrange também o policial militar, e não somente o Delegado de Polícia. Verifica-se exatamente que essa é a vontade do legislador, conforme a Emenda nº 5ao Projeto de Lei do Senado 156/08 supra exposta.
    Podemos dizer que autoridade policial é gênero, que subdivide-se em autoridade policial militar e civil.
    Em algumas passagens do Código de Processo Penal, a expressão autoridade policial refere-se exclusivamente ao Delegado de Polícia (autoridade policial civil); noutras passagens refere-se ao Delegado de Polícia e policiais militares, mais especificamente aos oficiais, conforme detalharemos melhor abaixo.
    O art. 6º do CPP diz que “Logo que tiver conhecimento da prática da infração penal, a autoridade policial deverá: (…)” e elenca variar providências a serem adotadas pela autoridade policial, dirigir-se ao local, providenciando para que não se alterem o estado e conservação das coisas, até a chegada dos peritos criminais. Na prática, quase na totalidade das ocorrências é a Polícia Militar que faz esse papel, de deslocar-se imediatamente ao local do crime, pois a preservação da ordem pública foi rompida, e à PM incumbe restaurá-la imediatamente.
    Dessa forma, o art. 6º refere-se à Polícia Civil e à Polícia Militar, assim como o art.301 do CPP ao tratar que “Qualquer do povo poderá e as autoridades policiais e seus agentes deverão prender quem quer que seja encontrado em flagrante delito.”
    Os artigos. 7º, 15, 16, 17, 18, 32, § 2o e vários outros referem-se exclusivamente à autoridade policial civil (Delegado de Polícia), uma vez que tratam de medidas relacionadas a inquérito policial.
    Importante mencionar também a Lei Maria da Penha (Lei 11.340/06), que diz em seu art. 11 que “No atendimento à mulher em situação de violência doméstica e familiar, aautoridade policial deverá, entre outras providências:
    I – garantir proteção policial, quando necessário, comunicando de imediato ao Ministério Público e ao Poder Judiciário;
    II – encaminhar a ofendida ao hospital ou posto de saúde e ao Instituto Médico Legal;
    III – fornecer transporte para a ofendida e seus dependentes para abrigo ou local seguro, quando houver risco de vida;
    IV – se necessário, acompanhar a ofendida para assegurar a retirada de seus pertences do local da ocorrência ou do domicílio familiar;
    V – informar à ofendida os direitos a ela conferidos nesta Lei e os serviços disponíveis.
    A autoridade policial a que se refere o art. 11 é a Polícia Civil ou Militar? A nosso ver às duas, uma vez que a intenção da lei é exatamente dar amparo à mulher, ampliando o leque de apoio e proteção estatal.
    Outrossim, na prática verifica-se que em quase a totalidade dos casos é a Polícia Militar que realiza as determinações contidas nos incisos supra citado.
    Interessante mencionar a mutação constitucional que consiste em um processo informal de modificação do conteúdo da Constituição, sem no entanto ocorrer qualquer alteração em seu texto, em decorrência de um novo costume constitucional. Conforme ensina o constitucionalista Marcelo Novelino “São processo informais de alteração da Constituição, sem que haja qualquer modificação em seu texto.” E através da “interpretação se altera o sentido de uma norma, sem modificar o seu texto. A interpretação é um elemento que pode ser utilizado para a mutação constitucional.” Outra forma de se alterar o conteúdo da Constituição é através dos “costumes”, que é muito comum na Inglaterra.
    Como exemplo citamos o art. 5º, XI CF, in verbis:
    XI – a casa é asilo inviolável do indivíduo, ninguém nela podendo penetrar sem consentimento do morador, salvo em caso de flagrante delito ou desastre, ou para prestar socorro, ou, durante o dia, por determinação judicial;
    “Quando a Constituição surgiu, o conceito de casa limitava-se a residência ou domicilio. Atualmente, a interpretação que se da é bem mais ampla, segundo o entendimento do próprio STF, passou-se a abrangir local de trabalho, quarto de hotel, quarto de motel, trailer, etc.” (4)
    Dessa forma, podemos falar em mutação legal, que consistiria em um processo informal de modificação do conteúdo de uma lei, sem no entanto ocorrer qualquer alteração em seu texto, em decorrência dos costumes, prática e realidade da sociedade, o que, sem dúvidas, adéqua perfeitamente a Polícia Militar dentro do conceito de autoridade policial e seus agentes utilizado pelo Código de Processo Penal.
    Vale ressaltar que diversos mandados de busca e apreensão expedidos por autoridades judiciárias constam exatamente “MANDA A AUTORIDADE POLICIAL MILITAR” realizar as diligências determinadas no mandado, o que reforça que policial militar é autoridade policial, eis que essas interpretações decorrem do próprio Poder Judiciário.
    Discordamos do entendimento de Márcio Ferreira Rodrigues Pereira (5) que equipara os policiais militares a agentes, conforme aduz:
    Primeiramente, é preciso lembrar que, segundo o art. 301, caput, do Código de Processo Penal, enquanto os particulares têm a faculdade de prender quem quer que se encontre em situação de flagrante delito (é o chamado flagrante facultativo), os agentes policiais (policiais militares, federais, rodoviários federais e civis) e autoridades policiais (civis e federais) têm o dever de agir (flagrante compulsório). (grifo no original)
    Outrossim, ousamos discordar também do ilustre Doutor Jorge César de Assis (6) que diz que “o agente da autoridade é o colaborador do serviço público de polícia: vigilantes, guardas e detetives particulares e todos aqueles que necessitam de prévia licença da autoridade policial competente para o desempenho de suas funções.”
    O art. 301 transmite, a nosso ver, uma idéia de subordinação hierárquica ao mencionar as autoridades policiais e seus agentes, nota-se, “e seus agentes”. O e é uma conjunção aditiva e “seus’ é um pronome possessivo que significa dizer que os agentes estão subordinados à autoridades policial.
    Dessa forma, é inadmissível inserir a Polícia Militar em patamar inferior à Polícia Civil, simplesmente porque este patamar não existe e ambas as Instituições ocupam o mesmo degrau no Poder Executivo. Não há hierarquia entre civis e militares, com exceção do Governador do Estado, que é o Comandante Supremo das Forças Auxiliares.
    Quanto aos agentes serem os colaboradores do serviço público de polícia, temos que não se refere aos agentes mencionados no Código de Processo Penal, haja vista que estes não detêm o poder decorrente de lei que os obrigam a efetuar a prisão em flagrante, nos termos do art. 301 do CPP.
    Pois bem, na prática, percebe-se que a Polícia Militar exerce n atividades previstas noCódigo de Processo Penal e em legislações esparsas que a própria lei diz competir à “autoridade policial”.
    Quanto ao cumprimento do mandado de busca e apreensão no dia a dia operacional, nota-se que há certo desgaste entre a Polícia Civil e a Polícia Militar, sendo esta questionada por aquela se possui competência para o cumprimento.
    O Supremo Tribunal Federal já decidiu que sim, senão vejamos:
    RECURSO. EXTRAORDINÁRIO. INADMISSIBILIDADE. NECESSIDADE DE EXAME PRÉVIO DE EVENTUAL OFENSA À LEI ORDINÁRIA. […] 2. AÇÃO PENAL. PROVA.MANDADO DE BUSCA E APREENSÃO. CUMPRIMENTO PELA POLÍCIA MILITAR. LICITUDE. Providência de caráter cautelar emergencial. Diligência abrangida na competência da atividade de polícia ostensiva e de preservação da ordem pública. Recurso extraordinário improvido. Inteligência do Art. 144, §§ 4º e 5º da CF. Não constitui prova ilícita a que resulte do cumprimento de mandado de busca e apreensão emergencial pela polícia militar. (Recurso Extraordinário nº 404.593/ES, 2ª Turma do STF, Rel. Cezar Peluso. J. 18.08.2009, unânime, DJe 23.10.2009). (grifo nosso)
    E ainda:
    BUSCA E APREENSÃO – TRÁFICO DE DROGAS – ORDEM JUDICIAL – CUMPRIMENTO PELA POLÍCIA MILITAR. Ante o disposto no artigo 144 daConstituição Federal, a circunstância de haver atuado a polícia militar não contamina o flagrante e a busca e apreensão realizadas. AUTO CIRCUNSTANCIADO – § 7º DO ARTIGO 245 DO CÓDIGO DE PROCESSO PENAL. Atende ao disposto no § 7º do artigo 245 do Código de Processo Penal procedimento a revelar auto de prisão em flagrante assinado pela autoridade competente, do qual constam o condutor, o conduzido e as testemunhas; despacho ratificando a prisão em flagrante; nota de culpa e consciência das garantias constitucionais; comunicação do recolhimento do envolvido à autoridade judicial; lavratura do boletim de ocorrência; auto de apreensão e solicitação de perícia ao Instituto de Criminalística. (STF HC 91481/MG, Relator: Min. MARCO AURÉLIO, Data de Julgamento: 19/08/2008, Primeira Turma, Data de Publicação: DJe-202 DIVULG 23-10-2008) (grifo nosso)
    Ademais, o Tribunal de Justiça de Santa Catarina no julgamento da Apelação Criminal n. 2010.047422-0, de Itapoá, de relator do Desembargador Irineu João da Silva, considerou que a Polícia Militar pode também exercer as atividades de polícia judiciária, eis que não é exclusiva da Polícia Civil, nos seguintes termos:
    Insurge-se o apenado (…) quanto à regularidade da interceptação telefônica, ao argumento de que a polícia militar não detinha competência para tanto, sendo o “munus” restrito à polícia judiciária. Entretanto, na tônica do que assentou o nobre parecerista, cuja manifestação serve de embasamento para afastar a insurgência, “não há vedação constitucional ou legal na realização, pela polícia militar, de escutas telefônicas autorizadas judicialmente, considerando que a polícia judiciária não é exercida, exclusivamente, pela polícia civil no âmbito estadual” (grifo nosso)
    No dia 15 de maio de 2012, a 2ª Turma do Supremo Tribunal Federal no HC-96986 de relatoria do Ministro Gilmar Mendes, “indeferiu habeas corpus em que se alegava nulidade de interceptação telefônica realizada pela polícia militar em suposta ofensa ao art. 6º da Lei 9.296/96 (“Deferido o pedido, a autoridade policial conduzirá os procedimentos de interceptação, dando ciência ao Ministério Público, que poderá acompanhar a sua realização”). Na espécie, diante de ofício da polícia militar, dando conta de suposta prática dos crimes de rufianismo, manutenção de casa de prostituição e submissão de menor à exploração sexual, a promotoria de justiça requerera autorização para interceptação telefônica e filmagens da área externa do estabelecimento da paciente, o que fora deferida pelo juízo. Asseverou-se que o texto constitucional autorizaria interceptação telefônica para fins de investigação criminal ou de instrução processual penal, por ordem judicial, nas hipóteses e na forma da lei (CF, art. 5º, XII). Sublinhou-se que seria típica reserva legal qualificada, na qual a autorização para intervenção legal estaria submetida à condição de destinar-se à investigação criminal ou à instrução processual penal. Reconheceu-se a possibilidade excepcional de a polícia militar, mediante autorização judicial, sob supervisão do parquet, efetuar a mera execução das interceptações, na circunstância de haver singularidades que justificassem esse deslocamento, especialmente quando, como no caso, houvesse suspeita de envolvimento de autoridades policias da delegacia local. Consignou-se não haver ilicitude, já que a execução da medida não seria exclusiva de autoridade policial, pois a própria lei autorizaria o uso de serviços e técnicos das concessionárias (Lei 9.296/96, art. 7º) e que, além de sujeitar-se a ao controle judicial durante a execução, tratar-se-ia apenas de meio de obtenção da prova (instrumento), com ela não se confundindo” (grifo nosso).
    A Associação dos Magistrados Mineiros manifestou-se no Ofício 080/2010 direcionado ao Secretario do Estado de Defesa Social de Minas Gerais ser lícito o cumprimento de mandado de busca e apreensão pela Polícia Militar, inclusive citando os precedentes do STF.
    Ora, nota-se que quando a lei processual penal menciona “autoridade policial”, a própria Polícia Civil reconhece que é nossa competência, como chegar ao local do crime e preservá-lo; garantir proteção policial e acompanhar as mulheres para buscar seus pertences em casos de violência doméstica, dentre outras.
    Em se tratando de cumprimento de mandado de busca e apreensão a Polícia Civil já entende que a Polícia Militar não detém competência para o cumprimento de tal, chegando ao ponto de querer autuar o policial militar por usurpação de função pública e liberar o meliante, por entender que a prisão foi ilegal.
    Citamos como exemplo o fato ocorrido na Comarca de Almenara, em que o Delegado de Polícia deixou de ratificar prisão em flagrante por tráfico ilícito de drogas devido a “irregularidades apontadas no caso em tela promovida pelos policiais militares”, enquadrando os policiais militares no crime de “usurpação de função pública”, uma vez que prenderam traficante dentro de sua residência com drogas, mas sem mandado de prisão
    O juiz Thiago França de Resende, nos autos do processo feito nº 0049125-97.2010.8.13.0017, originado com o comunicado do Delegado que deixou de ratificar o flagrante fez notar que:
    Outrossim, tenho que a autoridade policial assim agindo deixou de praticar ato de ofício para satisfazer sentimento de ordem pessoal, o que configura, menos em tese, em crime de prevaricação, pelo que determino a extração de cópia destes autos, bem como sua remessa ao representante do Ministério Público e à Corregedoria de Polícia Civil, para as ações que entenderem cabíveis. (grifo nosso)
    Patente a flagrância delitiva, é lícito a qualquer do povo realizar a prisão do agente, ou seja, a situação de um crime em execução autoriza a atuação de qualquer pessoa para fazer cessar a sua prática, ainda que usurpação de competência ou desprovido de autorização legal ou judicial, notadamente àqueles que integram a Polícia Militar, a quem compete “a polícia ostensiva de prevenção criminal” (CF, art. 142, I), lição das mais comezinhas, mas que não informou a atuação da autoridade policial por ocasião dos fatos.
    Tenho, contudo, que andou mal a autoridade policial, já que suas convicções pessoais não devem dominar nem condicionar sua atuação profissional – e no caso vertente comprometram-na de forma veemente, já que culminou na soltura indevida e restituição à sociedade de elemento nocivo que foi flagrado em patente atividade criminosa.
    Não vou, aqui fazer qualquer digressão acerca das inesgotáveis divergências institucionais entre as Polícia Civil e Militar, que vêm de longa data e somente enfraquecem o compromisso com a segurança pública não rendendo qualquer dividendo à sociedade, só prejuízo. Não há disposição, nem tempo para isso. Mas não poderia me furtar de reconhecer que, não raro, em inúmeros rincões deste Estado, a Milícia de Tiradentes acaba por se incumbir das funções de polícia judiciária por pura inexistência ou deficiência estrutural da Polícia Civil local, ainda que não sejam preparados para essa finalidade exercendo-a com esforço e dedicação. (grifo nosso)
    Por fim, decretou a prisão preventiva expedindo o competente mandado de prisão do investigado que fora liberado pelo Delegado.
    Nota-se diante de todo o exposto, em se tratando do ”bônus” da legislação processual penal, que pode desencadear em reconhecimento de mérito (apreensão de drogas e armas; prisão de criminosos) e repercussão positiva perante a sociedade, a Polícia Civil entende ser tão somente ela a autoridade competente. Em se tratando do “ônus” que são as atividades de polícia naturais do dia a dia, como cercar local de crimes, acompanhar vítimas da Lei Maria da Penha em domicílio para retirar pertences, recaem sobre a Polícia Militar. Sem dúvidas, a Polícia Militar exerce essas atribuições com dedicação, esforço e satisfação, visando sempre a paz social.
    A rigor, se pensarmos assim, a Polícia Militar somente deverá atuar no policiamento ostensivo, preservando a ordem pública, sem deslocar nas ocorrências após o cometimento do crime, pois se este ocorreu, iniciar-se-á a investigação criminal, e esta é de competência da Polícia Civil.
    Logo, os cidadãos deveriam ligar 197, e não 190.
    O que não pode ocorrer é o conceito de autoridade policial oscilar de acordo com as convicções íntimas de cada autoridade. Ou é autoridade policial, ou não é!
    Dessa forma, nosso entendimento é que a autoridade policial referida na legislações processual penal comum refere-se ao Delegado de Polícia e ao Oficial da Polícia Militar.
    O Delegado por ser bacharel em Direito e concursado para o seu respectivo cargo. O Oficial da Polícia Militar por realizar o Curso de Formação de Oficiais, que em muitos Estados é curso superior, como é em Minas Gerais até as turmas que se formarem em 2013. E em alguns Estados já se exige o curso de Direito, como é exigido em Minas Gerais para ingressar em 2012, já no concurso de 2011.
    Insta salientar que o oficial da Polícia Militar exerce atividades típicas de polícia judiciária, como condução de Inquéritos Policiais Militares e lavratura de Auto de Prisão em Flagrante. Ademais, os oficiais podem exercer ainda a função de juiz militar perante os Conselhos de Justiça da Justiça Militar, tem durante o processo, inclusive, os mesmo poderes de um juiz de direito concursado em diversos atos processuais.
    O legislador como se notou na Emenda nº 5 ao Projeto de Lei do Senado 156/08 substituiu o termo “Delegado de Polícia” para “autoridade policial”, exatamente para abarcar os policiais militares na proposta do novo Código de Processo Penal que tramita pelo Senado. Isto é, a mens legis, a finalidade do legislador foi inserir o policial militar dentro do termo “autoridade policial”, sendo esta a interpretação teleológica.
    Defendemos que o termo “agente” do Código de Processo Penal não se refere a policiais militares, muito menos a vigilantes e outros congêneres.
    Caso a autoridade policial a que se refere for o Delegado de Polícia (autoridade policial civil), os “seus agentes” serão os investigadores (7), agentes e detetives que com ele trabalham.
    Caso a autoridade policial mencionada possa ser o Oficial da Policia Militar (autoridade policial militar), os “seus agentes” serão as praças.
    Percebe-se que há uma relação hierárquica entre autoridade policial e agente, sendo inadmissível inserir a Polícia Militar como agente no Código de Processo Penal.
    O Conselho Superior da Magistratura de São Paulo por intermédio do Provimento 806/2003 conforme supracitado autoriza que policiais militares lavrem TCO, e a lei9.099/95 menciona “a autoridade policial” (art. 69). O Termo Circunstanciado de Ocorrência somente terá validade “desde que também assinados por Oficial da Polícia Militar” (item 41.2) O que comprova mais ainda que o Oficial da Polícia Militar é autoridade policial, se a praça fosse autoridade policial não haveria necessidade de ser assinado por Oficial da Polícia Militar.
    Resumindo:
    1. Autoridade policial é gênero que subdivide-se em militar e civil;
    2. A autoridade policial militar é o oficial da Polícia Militar, e seus agentes são as praças;
    3. A autoridade policial civil é o Delegado de Polícia, e seus agentes são os investigadores;
    3. TEORIA DOS PODERES IMPLÍCITOS E A INVESTIGAÇÃO POLICIAL
    A Polícia Militar tem o dever de preservar a ordem pública (art. 144, § 5º, CF), e para preservá-la, está autorizada implicitamente a investigar preventivamente, antes da ocorrência do crime, atuando durante o iter criminis.
    O iter criminis é o caminho percorrido pela infração penal, é conjunto de fases que se sucedem em ordem cronológica para a ocorrência do crime. Esse percurso do crime divide-se em duas fases, a interna (cogitação e atos preparatórios) e a externa (execução e consumação).
    A cogitação, em decorrência do princípio da materialização do fato é impunível. Todos são livres para pensar o que quiser
    Os atos preparatórios (conatus remotus), via de regra, são impuníveis. Como exceção à regra citamos, para a maior parte da doutrina, o art. 288 do CP (formação de quadrilha). A doutrina moderna entende que todo ato preparatório é impunível.
    A execução é a maneira pelo qual o agente atua para realizar o núcleo do tipo.
    Na consumação o iter criminis completa o seu ciclo, com a composição plena do fato criminoso.
    Pois bem, nota-se que o crime só se consuma na última fase do iter crminis, logo não há vedação constitucional, nem legal, para que a Polícia Militar atue nas três primeiras etapas do “caminho do crime”, por motivos óbvios, uma vez que a Polícia Militar não estará usurpando função da Polícia Civil, tendo em vista que não estará a investigar crimes comuns, até mesmo porque estes não ocorreram, mas estará realizando uma investigação preventiva, exatamente para cumprir com sua missão constitucional, o de preservar a ordem pública, e uma das formas de se preservar é “cortar o mal pela raiz”, é decepando o futuro nascimento do crime, enquanto ainda for um embrião.
    Por ser ainda um “embrião” não há se falar em investigação de crime, pois este ainda não existe, e a Polícia Militar estará cumprindo seu dever, abortando este embrião para preservar a sociedade de um futuro mal, mantendo a ordem pública.
    Trata-se de uma forma inteligência de se preservar a ordem pública, não é a toa que as atividades de P/2 chamam-se Atividades de Inteligência.
    Rogério Greco (8) leciona que:
    “Dissemos, anteriormente, que à polícia militar caberia o papel precípuo de, ostensivamente, prevenir a prática de futuras infrações penais, com a finalidade de preservar a ordem pública, o que não a impede, outrossim, de exercer também uma função investigativa, que caberia, inicialmente, e também de forma precípua à polícia civil. Também não se descarta a possibilidade de a Polícia Militar exercer um papel auxiliar ao Poder Judiciário, o que na verdade é muito comum, a exemplo do que ocorre com frequência no Tribunal do Júri, onde a escolta dos presos é por ela realizada.” (grifo nosso)
    Álvaro Lazzarini (9) ensina que:
    “A competência ampla da Polícia Militar na preservação da ordem pública engloba, inclusive, a competência específica dos demais órgãos policiais, no caso de falência operacional deles, a exemplo de suas greves e outras causas, que os tornem inoperantes ou ainda incapazes de dar conta de suas atribuições,pois, a Polícia Militar é verdadeira força pública da sociedade. Bem por isso asPolícias Militares constituem os órgãos de preservação da ordem pública e, especificamente, da segurança pública. A investigação policial militar preventiva, aliás, é a atribuição da Polícia Militar, conforme concluiu o E. TJSP, pela sua C. 4 Câmara Criminal, ao referendar a missão que policial militar desenvolvia, em trajes civis, e que culminou na prisão de traficante de entorpecentes.”(grifo nosso)
    Como forma de locupletar nossos argumentos, a realização da investigação preventiva encontra amparo na teoria dos poderes implícitos (inherent powers), de origem norte-americana, segundo o qual, quando a Constituição Federal concede os fins, dá os meios.
    Se a atividade fim – preservação da ordem pública – foi outorgada à Polícia Militar (art.144, § 5º, CF), não se concebe como não lhe oportunizar a investigação preventiva (meios), antes da ocorrência do crime, exatamente para preservar a ordem pública. (fim).
    Assim, é a interpretação dada pelo STF em relação às investigações realizadas pelo Ministério Público, ao afirmar que a Polícia Civil não detém o monopólio das investigações, em decorrência da teoria dos poderes implícitos.
    Se a atividade fim – promoção da ação penal pública – foi outorgada ao parquet em foro de privatividade, não se concebe como não lhe oportunizar a colheita de prova para tanto, já que o CPP autoriza que”peças de informação”embasem a denúncia. (STF – HC 91.661-PE) (grifo nosso)
    Nas palavras de Renato Brasileiro (10) se o Parquet tem a titularidade para o exercício da ação penal pública, é claro que tem o poder de investigar para colher esses elementos, sob pena de não se lhe garantir o meio idôneo para realizar a persecução criminal.
    Dessa forma, se a Polícia Militar tem o dever constitucional de preservar a ordem pública, é claro que tem o poder de investigar preventivamente para preservar a ordem pública, sob pena de não se lhe garantir o meio idôneo para a preservação da ordem pública.
    4. CONCLUSÃO
    Não diria que conclusão seja o termo mais adequado para encerrar este artigo, pois o assunto é bastante polêmico e não temos dúvidas que sofrerão inúmeras críticas de estudiosos e renomados conhecedores do assunto. Mas Direito é convencimento, e cada cabeça um raciocínio jurídico.
    Em entrevista concedida à Revista Veja (11), Cláudio Beato, sociólogo mineiro e um dos maiores estudiosos no Brasil, em se tratando de segurança pública, ao ser questionado por que unificar as polícias é tão crucial, respondeu que:
    “É vital para obter ganhos de eficiência. Nas grandes economias do mundo e em países da América Latina, já funciona assim. O Brasil é um dos poucos que têm duas polícias atuando de forma independente e ainda por cima competindo entre si. Pela lei, cabe à Polícia Civil investigar e à Militar, fazer o policiamento ostensivo. Só que na prática as atribuições se sobrepõem. Afinal, onde começa a investigação e acaba a vigilância? Prender um criminoso em flagrante não seria uma etapa do trabalho de investigação? Os conflitos que decorrem daí só se prejudicam a apuração dos crimes. A ineficácia é espantosa: na grande maioria dos estados, não mais do que 15% dos homicídios são elucidados. É preciso também reformular o Código Penal, que torna os inquéritos peças jurídicas tão arcaicas quanto ineficientes. Nosso arcabouço institucional ainda tem muito a ser melhorado.”
    A interpretação que tentamos dar é a de um sistema constitucional processual penal como um todo, visando exatamente cumprir com uma das principais finalidades da existência de nosso direito: a pacificação social.
    Peço vênia para dizer que devemos pensar no bem-estar social, na paz da coletividade, na harmonia de nossa sociedade, de forma que possamos garantir paz para que todos possam exercer suas funções e viver com tranqüilidade. A segurança pública deve ser vista como um todo, composto por órgãos de Defesa Social em perfeita convivência harmônica, respeito e colaboração mútua.
    Em se tratando de segurança pública não há espaço para vaidades e discussões acadêmicas, e como muito bem dito pelo juiz Thiago França de Resende as “divergências institucionais entre as Polícia Civil e Militar, que vêm de longa data e somente enfraquecem o compromisso com a segurança pública não rendendo qualquer dividendo à sociedade, só prejuízo.”
    REFERÊNCIAS
    (1) ASSIS, Jorge César de. Lições de Direito para a Atividade das Polícias Militares e das Forças Armadas. 6ª ed. Ver. Atual. E ampl. Editora Juruá, p. 17.
    (2) GRECO, Rogério. Atividade Policial: Aspectos penais, processuais penais, administrativos e constitucionais. Editora Impetus. P.4.
    (3) ASSIS, Jorge César de. Lições de Direito para a Atividade das Polícias Militares e das Forças Armadas. 6ª ed. Ver. Atual. E ampl. Editora Juruá, p. 22.
    (4) CORRÊA, Heloísa Luz. O que se entende por mutação constitucio_ nal? Disponível em: http://www.lfg.com.br/public_html/article.phpstory=20090310142426338 – 10 de abril de 2009. Acesso em: 17Dez2011
    (5) PEREIRA, Márcio Ferreira Rodrigues. O agente policial, durante o período de folga, tem o dever de prender em flagrante http://jus.com.br/revista/texto/17388/o-agente-policial-duranteo-periodo-de-folga-temodever-de-pre… – Julho/2010. Acesso em 17Dez2011
    (6) ASSIS, Jorge César de. Lições de Direito para a Atividade das Polícias Militares e das Forças Armadas. 6ª ed. Ver. Atual. E ampl. Editora Juruá, p. 25.
    (7) Em Minas Gerais, utiliza-se termo “investigado”, para se referir a agentes e detetives.
    (8) GRECO, Rogério. Atividade Policial: Aspectos penais, processuais penais, administrativos e constitucionais. Editora Impetus. P.5.
    (9) GRECO, Rogério. Atividade Policial: Aspectos penais, processuais penais, administrativos e constitucionais. Editora Impetus. P.5.
    (10) LIMA, Renato Brasileiro de. Manual de Processo Penal. Vol. 1. Rio de Janeiro: Impetus, 2011. P. 462.
    (11) BEATO, Cláudio. É hora de limpar a Polícia. Veja, São Paulo, edição n. 2247, n.

  116. VALDIR, TIVE A CURIOSIDADE DE LER TUDO, GOSTEI DO TESTO, E SERVIU MUITO PARA O ENRIQUECIMENTO PARA MEUS CONHECIMENTO, SOU MUITO GRATO A TI, COMO ESTE SEU TESTO JÁ ESTA PARA SER RETIRADO DE TELA, VOU RECOLOCAR NUM POST MAIS RECENTE, PARA SERVIR DE CONSULTAS DE OUTROS FLITADOR QUE QUEIRA TAMBÉM TER CONHECIMENTO

  117. ENTÃO PELO ENTENDIMENTO TODOS OS POLICIAIS CIVIS E MILITARES TEM AUTORIDADE POLICIAL

  118. JACARÉ SEM DENTE:

    Pelo menos é o que já “garantia” o Lazzarini, na APMBB, dentre outros adeptos dessa linha.De qualquer forma, o abuso de poder teria a mesma equivalência, para fins de responsabilidades. Grosso modo, seria o caso de professores que extrapolam dos rigores educacionais.

    É assunto muito polêmico, tanto quanto o dever ou “direito” de força policial nos campus da USP.

  119. É de dar tristeza ver os próprios policiais militares serem contra o CICLO COMPLETO, pois é sabedor que quanto mais valor você agregar à sua função mais valorizados vocês serão, não é de se estranhar o temor dos delegados, pois ninguém quer perder poder, a divergência interna da PM prejudica a própria corporação, não mais injusto que o policial trabalhar sob o sol e a noite inteira para quando pegar um flagrante ter que esperar 12 horas para entregar a ocorrência à policia civil, hora sendo de ciclo completo entregaria para o Oficial de dia, ou outro oficial responsável e agilizaria a ocorrência , terminando em não mais que duas horas, o ciclo completo visa a demonstrar que a sociedade não suporta mais ficar a mercê de duas polícias apenas investigar, veja o caso dos EUA, lá tem vários órgãos investigativos, inclusive Policias municipais, o Brasil para dar um grande salto deveria fazer o mesmo as gerações futuras iriam nos agradecer, quem deve ter o ciclo completo no Brasil, todas as forças de fiscalização, imagine o grande salto do IBAMA poder investigar os crimes de exploração de madeiras e tráficos de animais, a Funai investigar a venda de terras indigenas, a RECEITA FEDERAl investigar os crimes de sonegação e desvio de recursos, seria mais políticos com medo não só da PF mas também da Receita devido a seu poder investigatório, imagine PRF não precisando ficar contando com a boa ação da PC nos crimes das rodovias federais, a guarda municipal podendo investigar vereador com desvio de recursos, além de funcionários fantasmas, não consigo entender o porquê de além da PC e PF existir um brasileiro em sã consicência ser contra o ciclo completo.

  120. Além do que, a Polícia Civil e Federal já com mais experiência ficariam encarregadas de crimes grande, investigações complexas, não teriam que ficar trabalhando em crimes menores que poderiam ser facilmente resolvido pelas outras forças. Sendo essa a principal dificuldade das PC e PF, o grande volume de serviço que todas as outras policias encaminham, não há como a PC e PF dar vazão a essa crescente demanda.

  121. A gloriosa pm ja investiga e o faz muito melhor que a PC..a maioria dos criminosos que são pegos pela PM são frutos de uma intensa investigação e campanas..a PM É O MACHO A PC É A FÊMEA…A femea tem que ficar esperando o macho chegar, assim como a civil fica esperando a PM no DP rsrs enfim, só quem vai ganhar com o ciclo completo é a população que está cansada de morosidade nos DPs….É só ver nos EUA como o sistema funciona, por que não funcionaria aqui? por acaso no Brasil não vivem pessoas com um minimo de inteligência? ou aqui só vive gente das cavernas? EU SEI,EU SOU O CARA!!

  122. vocês acreditam que esse tal de ciclo completo e com intenção de melhorar alguma coisa para a cidadania,ou mesmo para a justiça? Claro que não!!!eles estão doidos para soltar os presos rapidinho, ou mesmo ate evitar de prende-los, o estado esta mais é querendo esvaziar os presídios, economizar a verba!!!o povo é que vai ter que se esconder, correr da bandidagem!!!e vocês PM e PC ficam trocando insultos enquanto delegados e oficiais estão querendo puxar a sardinha só pra eles, eles querem e arrumar mais serviço pra vocês enquanto o salário deles incha e o nosso murcha.Vamos acordar pessoal….Eles começam a guerra e quem briga são os soldados e os civis,mostrem um pouco mais de inteligência, Enquanto soldado PM defende sua instituição com amor e assim também os policiais civis defendem a sua instituição, os que armaram toda essa guerra defendem o poder, a ganancia e avareza.ACORDEM

Os comentários estão desativados.