CIRCO COMPLETO DA PF – Delegado federal vítima de roubo instaura e preside inquérito para recuperar seu celular e indicia – por reconhecimento indireto – inocente 85

Preconceito ou justiça? Prisão de jovem de classe média que decidiu viver na favela mobiliza acadêmicos

Thiago Guimarães
Da BBC Brasil em Londres

21/09/201515h13

  • Acervo pessoal/BBC

    Gabriel Barbosa com o filho de um ano; prisão motivou mobilização entre professores universitários e discussão sobre exclusão social no Brasil

    Gabriel Barbosa com o filho de um ano; prisão motivou mobilização entre professores universitários e discussão sobre exclusão social no Brasil

Filho de uma professora universitária com um engenheiro de multinacional, Gabriel Scarcelli Barbosa, 28 anos, optou por viver na favela.

Preso há três meses sob acusação de roubo, seu caso mobiliza a comunidade acadêmica e jurídica em São Paulo e outros 15 Estados – a alegação é que ele foi detido ilegalmente, e sobretudo por ter ultrapassado certas fronteiras de exclusão social.

O episódio coloca em cena o debate sobre preconceito de classe, ação policial e os labirintos do sistema penal no Brasil.

A história começa em setembro de 2013. O delegado da Polícia Federal Kleber Isshiky foi assaltado numa oficina mecânica perto da favela Mario Cardim, uma ocupação com 400 famílias incrustada há décadas na Vila Mariana, área nobre da capital paulista.

Crime de roubo é competência estadual, mas como um celular da PF foi levado na ocasião, o delegado abriu inquérito federal e assumiu a investigação.

Passou a levantar a rede de relações dos suspeitos identificados por imagens da oficina. Morador da favela, Gabriel aparecia no Facebook em fotos com essas pessoas e entrou na lista.

A apuração avançou sobre uma quadrilha de roubo de carros. O delegado levantou ocorrências em delegacias da região e associou as fotos do Facebook a características descritas pelas vítimas.

Em junho deste ano, Gabriel, que não tinha passagem pela polícia, foi preso na pizzaria em que trabalhava havia seis anos como motoboy – tinha sido reconhecido por vítimas de dois roubos ocorridos em 2013 e 2014.

Desde então, ele permanece detido no CDP (Centro de Detenção Provisória) 4 de Pinheiros, onde divide espaço com 818 presos numa unidade projetada para 566 pessoas. Sua participação no roubo à oficina foi descartada pela polícia.

Trajetória

Filho da professora do Instituto de Psicologia da USP Ianni Scarcelli e do supervisor de projetos da General Motors Rui Rogério Barbosa, Gabriel teve uma infância de classe média. Frequentou escola particular e fez viagens ao exterior com os pais, profissionais ligados a movimentos sociais e à militância de esquerda.

USP/BBC

Mãe de Gabriel, a professora Ianni Scarcelli diz lutar contra o preconceito social que afirma que “por ter sido preso, boa coisa não é”

A família morava num prédio ao lado da favela Mario Cardim. Na adolescência, Gabriel começou a fazer amigos por ali. Trocou a escola de elite por uma estadual, namorou uma moradora por quatro anos.

Segundo a família, ele começou a trabalhar aos 16 anos. Ao 18, entrou em um consórcio para comprar uma moto e passou a trabalhar como entregador – escolheu não cursar universidade.

“Ele sempre se construiu como um trabalhador honesto, e não tenho problema em relação à escolha que ele fez”, afirma a mãe, Ianni.

O pai diz ter certeza da inocência do filho. “Não sou daqueles que diz ‘meu filho é melhor’. Fui atrás, na comunidade, olhei nos olhos dele.”

Para Rui, a opção do filho muitas vezes transforma Gabriel em “estrangeiro”. “Tenho colegas próximos que perguntam: ‘Você tem certeza que ele não está envolvido?’ Recebo mensagens dizendo que não o educamos direito e questionando o que ele foi fazer na favela.”

Mobilização

A família de Gabriel aponta uma série de irregularidades no caso, o que a PF nega. Desde o fato de o próprio delegado que foi vítima ter conduzido o inquérito até o reconhecimento feito pelas vítimas – os roubos tinham ocorrido meses antes e, em ao menos um deles, o criminoso usava um capacete.

Quando o rapaz foi detido pela primeira vez, ainda em outubro de 2014, sob justificativa de ser conduzido para reconhecimento, a família diz que os policiais afirmaram à empregada da casa que “deveria ser muito triste para os pais, pessoas de bem, ter um filho assim”. E, ainda segundo a família, questionaram “o que uma pessoa que pode ter tudo foi fazer na favela”.

“Vejo o caso do Gabriel como a ponta de um iceberg (de discriminação no sistema judicial). É óbvio que está tendo repercussão porque somos de classe média, pela minha atuação profissional. Há muitos inocentes lá dentro. Esse é um caso entre muitos e espero que possa ajudar a iluminar essa situação”, afirma Ianni.

A mãe vem usando a mesma rede social que “ajudou” a incriminar o filho para mobilizar apoio por sua liberdade. Um abaixo-assinado nesse sentido reuniu cerca de 780 signatários, de 26 universidades públicas e 20 privadas, entre outras instituições.

BBC

Favela da rua Mario Cardim, em São Paulo; segundo família, rapaz optou por viver no local pelas amizades e pelas relações solidárias na comunidade

A sugestão do abaixo-assinado veio de Sérgio Shecaira, professor titular de Direito Penal da USP, que definiu a adesão como “verdadeira febre”. Entre os apoiadores há dramaturgos, atrizes, fotógrafos, psicanalistas, professores e assistentes administrativos.

O material foi anexado aos processos a pedido da defesa de Gabriel. Um desembargador que analisou o caso, ao negar um habeas corpus ao motoboy, escreveu: “Tangente ao abaixo-assinado cabe referir que é elevado o número de aderentes. Por elevado, caberia dizer do excesso, e, portanto, do exagero”.

Intitulada “Processo kafkiano: pela apuração”, a petição pede “apuração cuidadosa” do caso por motivos como “a maneira peculiar como jovens com trabalho lícito, residência fixa e sem antecedentes criminais foram colocados, abruptamente, a responder processos por roubo e em prisão cautelar unicamente pela circunstância de aparecerem em fotografias no Facebook”.

No último sábado, o filho que Gabriel teve com a namorada, também moradora da Mario Cardim, completou um ano. Quando foi detido pela primeira vez, havia terminado de reformar e mobiliar uma casa que alugara na favela – acabou perdendo esse dinheiro por não poder usufruir do aluguel.

A BBC Brasil solicitou entrevista com o delegado Kleber Isshiky, mas a Polícia Federal preferiu se pronunciar por meio de uma nota, dizendo que há proibição legal para a condução de inquérito por alguém envolvido nos fatos “desde que não seja amigo ou inimigo do investigado”.

Diz ainda que passou a investigar os roubos de veículos, crime estadual, porque “não poderia ficar inerte somente por estar investigando o caso envolvendo um bem de sua propriedade” – a Justiça Federal posteriormente enviou os casos à esfera estadual.

Aponta que Gabriel foi mantido preso por ter sido reconhecido pessoalmente e por foto por duas vítimas diferentes, e que todos os inquéritos da corporação passam por três controles: Corregedoria da PF, Ministério Público e Judiciário.

  1. O povo está tão acostumado com o fato de que nada é investigado que, quando se investiga alguma coisa e se prende alguém, passam a reclamar que não era pra ter prendido o sujeito. Morar na favela não é crime. Obvio que não. Mas manter relações pessoais com suspeitos de crimes, como as fotos do Facebook que esse rapaz tirou, lhe torna suspeito também. Quem é policial conhece muito bem a antiga frase: “na cadeia todo mundo vira inocente”. Deixemos que o processo criminal siga seu curso e que o judiciário decida.

  2. Essa é a lição: filho de esquerdistas, ultrarrevolucionários, pregam tantas coisas que o governo deveria fazer isso ou aquilo, todavia, educar o próprio filho, encaminhando-o para uma vida cultural produtiva, foram incapazes: tinham todos os recursos materiais, que tanto pregam sejam colocados à disposição dos pobres, no entanto, pouco fizeram pelo próprio filho.

    Fica a lição: educação não é questão de recursos materiais, isso é o mínimo; educação é questão de princípios, isso dinheiro nenhum compra!

  3. hoje escrivão, amanhã Delegado! disse:
    ssa é a lição: filho de esquerdistas, ultrarrevolucionários, pregam tantas coisas que o governo deveria fazer isso ou aquilo, todavia, educar o próprio filho, encaminhando-o para uma vida cultural produtiva,
    TOMARA QUE TU NAO PASSE NUNCA! MAIS UM LIXO FASCISTA QUE DETESTA POBRE NA PULISSA! ANALFABETO POLITICO!

  4. hoje escrivão, amanhã Delegado!
    o escritor preferido do PSDBosta deve ser Karl Marx. kkkkkkkk

  5. Os milhares de jovens brasileiros que foram pra Europa combater o nazismo, o fascismo e o totalitarismo e ficaram enterrados por lá mesmo, devem estar no céu, envergonhados da sua aventura, da sua imolação pelo estado democrático de direito, pela democracia

  6. Quase chorei de emoção, tadinho do “playboy” nóia que resolveu viver na maloca… Como diria minha avó: quem anda com gambá, cheira gambá…quem dorme com morcego, acorda de cabeça pra baixo..

  7. Bom dia!

    Senhoras e Senhores.

    Muitas pessoas apoiaram este abaixo assinado e por incrível que possa parecer a grande maioria são de pessoas de cultura acima da média e, simpatizantes dos governantes que aí estão à cerca de vinte anos no poder.

    Serão estes mesmos que defendem uma igualdade social justa de um lado, mas por outro lado, não fazem questão nenhuma de esbanjar as benesses que o capitalismo oferece?

    Quando citam que no país existe de fato
    “vários Brasis”, chego a uma triste conclusão:

    De fato existe sim, pois vejamos:

    1 – Daqueles que adoram se intitular “Socialistas”;
    2 – Daqueles que adoram dizer que são Corinthianos fervorosos;
    3 – Daqueles que fazem parte da casta governamental;
    4 – Daqueles que são latifundiários e mega empresários;
    5 – Daqueles que são os legítimos representantes de Deus na terra;
    7 – Daqueles que são os legítimos representantes do trabalhador brasileiro;
    8 – Daqueles que se auto intitulam “Salvadores da Pátria”;
    9 – Daqueles que adoram aparecer bem nas fotos e em eventos; e,
    10 – Daqueles que nada mais são do que os verdadeiros pagantes desta homérica comédia nacional.

    Caronte

  8. EXTRA EXTRA EXTRA A CORRETORA AIPESP (BAILONI ) NÃO É MAIS ASSOCIAÇÃO DOS INVESTIGADORES É SÓ CORRETORA,OBSERVEM O SITE SÓ SE FALA NA UNIMED

  9. o cara saiu de casa, do lar paterno, e foi prá favela…
    .
    agora está na cadeia…
    .
    é o “iter” normal…
    .
    de resto, apenas esquerdopatas signatários de qualquer papiro que fale mal do governo… menos o federal…rs

  10. nada justifica alguem deixar de morar em uma confortavel casa , e ir morar em uma favela…
    no mínimo este filho rebelde é adépto das drogas…….como milhões que existem por este brasil afora…
    não podemos nos esquecer que somos os primeiros lugares em consumo de drogas.
    ]
    alegar inocencia é a cara de todos os criminosos…….sempre negarão……jamais confessarão..

    e estes bando de defensores deste drogadinho ai , devem ser chegados a um baseado no mínimo….

    devem ser aqueles nóias que aparecem nas filmagens com carros bonitos e importados, nos pontos de vendas de drogas..
    nos dryve trus… das drogas……..

  11. tão vendo o que as drogas esta fazendo com as pessoas ?

    o mais incrivel disso , é a quantidade de pessoas que estão defendendo este rapaz..
    isso é a baderna geral..

    pra mim todas as pessoas que ficam usando drogas , tem mais é que se fuder.
    querem o que ???????????????????

  12. ESSE É MAIS UM CASO EM QUE O ACUSADO FOI, POR DUAS VÍTIMAS DE ROUBOS DISTINTOS, PRIMEIRO RECONHECIDO POR FOTO, E EM SEGUIDA PESSOALMENTE. E ATÉ ONDE SE SABE É UNICAMENTE O QUE SE TEM CONTRA ELE NOS AUTOS, ALIADO AO FATO DE QUE MORA NUMA FAVELA, A DESPEITO DE SER DE FAMÍLIA DE CLASSE MÉDIA-ALTA, O QUE, NESTA REPÚBLICA DE BANANAS, PESA MUITO.
    O DELEGADO QUE PRESIDIU O IP QUE RESULTOU NESSA PRISÃO FOI VÍTIMA DE UM ROUBO E POR ISSO DECIDIU ELE MESMO INVESTIGAR, O QUE MESMO SUA IMBECILIDADE E A IMBECILIDADE DO SEU TRABALHO.
    BOM, PELO QUE SE VÊ DA NARRATIVA ACIMA, HÁ, PELO MENOS EM PRINCÍPIO, MOTIVOS SUFICIENTES PARA A DENÚNCIA E CONSEQUENTE INSTAURAÇÃO DA AÇÃO PENAL, VEZ QUE OS RECONHECIMENTOS SE FEITOS DE CONFORMIDADE COM A LEI PROCESSUAL TÊM VALIA SIGNIFICATIVA.
    TODAVIA, SINCERAMENTE NÃO COMPREENDO A ALEGADA NECESSIDADE DA PRISÃO CAUTELAR, MUITO MENOS A EXISTÊNCIA DE UM ABAIXO-ASSINADO, COM ASSINATURAS BASICAMENTE DE PESSOAS TIDAS COMO “INTELECTUAIS”.
    O QUE OS SUBSCRITORES DESSE ABAIXO-ASSINADO ESTÃO “AFIRMANDO”? QUE CONHECEM O ACUSADO? Não conhecem. QUE NÃO FOI ELE QUE PRATICOU OS ROUBOS? Isso não podem afirmar. QUE POR SER FILHO DE RICOS NÃO É ASSALTANTE? Também nada tem a ver. QUE NÃO DEVERIA ESTAR NA PRISÃO? Para afirmarem isso deveriam entender de “direito processual” e não entendem. ENFIM, ESSE ABAIXO-ASSINADO É UMA BABAQUICE”…
    EM RAZÃO DAS CIRCUNSTÂNCIAS – o delegado que presidiu; o reconhecimento primeiro por foto e em seguida pessoal, o que não é recomendável, muito menos legal; os bons antecedentes; emprego; residência; família constituída etc. – O JUIZ, E SE NÃO O JUIZ, O TRIBUNAL, DEVERIA DEIXÁ-LO RESPONDER SOLTO O PROCESSO. MAS, PELO VISTO, OS CRIMES A ELE IMPUTADOS SÃO, PARA ALGUNS DESEMBARGADORES DO TJ/SP, MAIS GRAVES QUE A POSSE DE 1,5 TONELADA DE COCAÍNA E, PORTANTO, MERECE FICAR NA PRISÃO.

  13. pra mim :

    quem defende estuprador , é tambem.
    quem defende ladrão. é tambem.
    quem defende traficante . é tambem.
    quem defende nóias. é tambem.
    quem defende baderneiros. é tambem.

    me digas com quem tu andas, que te direi quem tu és.

  14. podia se mudar umas leis aqui no brasil .

    1= a partir de hoje quem for filmado com seu carrão na fila para comprar drogas , a placa sera escrachada para o mundio inteiro, inclusive no datena e no cidade alerta…..

    pois eu fico revoltado , quando vejo aqueles carrões enfileirados nestes programas televisivos, , mas as TVs fazem questão de por uma tarja . na cara do nóia comprador , e protejendo tambem as placas dos veiculos dos nóias fregueses….

    uma pergunta???

    pra que proteger ( com tarja ) os compradores e os carrões dos nóias..????

    isso não da apoio pra que isso se torne uma atividade eterna e sem fim ?????????????????l

    tem que escrachar este bando de vadios……

  15. Senhor Ronaldo Tovani

    Deixando o Direito de lado, vivemos em um país de grande miscigenação, portanto, conforme o lugar que more, filho de quem ou o que faz, a sociedade tem uma visão diferente….
    -Se o pobre rouba o rico, é ladrão.
    -Se o rico rouba o pobre, é cleptomaníaco.
    -Se o funcionário publico furta o governo, é peculato.
    -Se o governo furta o povo, é imposto, tributo e taxas.
    -Mas, se algum participe de certo partido o faz, é HEROI BRASILEIRO!

    C.A.

  16. vou dar uma idéia a algum deputado federal que queira propor uma lei para melhorar o combate as drogas , e não deixar que muitos jovens brasileiros sejam seduzidos atraidos e enganados pelas falsas ilusões que veem nas drogas :

    1) lei dos direitos de imagens.

    Paragrafo l-
    os programas televisivos , jornais, revistas que tem como função informar a população através de imagens de videos, audios, fotografias ou escritas, , poderão expor quem quer que seja , estarão isentos de qualquer reclamação ou
    representação judicial da pessoa exposta.. quando ::

    a) filmar ou capturar audio de qualquer cidadão obtendo drogas para uso , ou para comercializar.
    b) o veiculo podera ser identificado através das placas e ser exposto para o mundo todo através da internet.
    c) quem não quiser ser escrachado , que fique bem longe das bocas de fumos.
    d) esta lei é clara a todos.doa a quem doer.

    Dep……………………………………………………………..

    Brasilia…………. de …………………………de 2015.

  17. 515 anos assim . .

    só que agora é pátria educadora . . . 3x

  18. Foi morar na favela por OPÇÃO ! kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    Optou por não estudar !
    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    Porra o jornalista tem coragem de publicar isto, talvez o delegado errou ou abusou na prisão, sei lá. Mas favelado e sem estudo por opção ? PUTA QUE PARIU !

  19. C.A. disse:
    22/09/2015 ÀS 11:37
    Senhor Ronaldo Tovani

    C.A., CONCORDO PLENAMENTE COM O QUE VC ESCREVEU. E NÃO É SÓ NO BRASIL QUE É ASSIM, TENHA CERTEZA DISSO.

  20. REPORTAGEM DA TV RECORD “DESENTERRA” MAIS UMA EXECUÇÃO COMETIDA POR BANDIDOS FARDADOS DA POLÍCIA MILITAR DE SÃO PAULO:

    HÁ UM ANO ATRÁS O SARGENTO DA PM LUIS CARLOS RODRIGUES DE CARVALHO QUE COMANDAVA UMA EQUIPE, OU MELHOR, UMA QUADRILHA DA FORÇA TÁTICA, RECEBERAM UM COMUNICADO ATRAVÉS DO COPOM PARA QUE FIZESSEM A PERSEGUIÇÃO DE UM VEÍCULO LOGOTIPADO QUE HAVIA SIDO ROUBADO MINUTOS ATRÁS E O PRÓPRIO COPOM REPITIU INCANSAVELMENTE QUE NO INTERIOR DO VEÍCULO HAVIA UMA VÍTIMA DE SEQUESTRO.

    A QUADRILHA FARDADA EFETUOU DIVERSOS DISPAROS, SEIS NO TOTAL, CONTRA A VÍTIMA A QUAL ELES JÁ TINHAM A DESCRIÇÃO DESSA PESSOA, O SEQUESTRADOR LEVOU ALGUNS TIROS DERASPÃO E PASSA BEM NO PRESÍDIO.

    À PRINCÍPIO, OS MARGINAIS DE FARDA REGISTRARAM UM BOLETIM DE OCORRÊNCIAS AFIRMANDO QUE NÃO TINHAM CONHECIMENTO QUE NO VEÍCULO ESTAVA UMA VÍTIMA QUE MORREU NO LOCAL; A TV RECORD OBTEVE ACESSO A COMUNICAÇÃO DO COPOM E COMPROVADAMENTE SE HOUVE A CONVERSA ENTRE O OPERADOR DE RÁDIO E OS INTEGRANTES DA QUADRILHA.

    HÁ UM ANO ATRÁS, OUTROS OFICIAIS ORDINÁRIOS LEVARAM AO CONHECIMENTO DA MÃE DESSA VÍTIMA QUE NO MOMENTO DA COMUNICAÇÃO O RÁDIO ESTAVA QUEBRADO E OS BANDIDOS FARDADOS NÃO TINHAM COMO SABER SOBRE A EXISTÊNCIA DA VÍTIMA NO INTERIOR DO VEÍCULO, HOJE 22 DE SETEMBRO DE 2015 O FATO FOI DIVULGADO PELA TV RECORD E MOSTRA QUE A VERSÃO DOS BANDIDOS DA PM CONTRADIZ O RESULTADO DA PERÍCIA E ATÉ MESMO, PELO INCRÍVEL QUE PAREÇA, A VERSÃO SINCERA DE UM OFICIAL DESSA FACÇÃO CRIMINOSA FARDADA QUE AGE DENTRO DO ESTADO DE SÃO PAULO E TAMBÉM DENTRO DO PRÓPRIO BATALHÃO DO COMAND GERAL ONDE FOI DESVIADO 10 MILHÕES DE REAIS EM APENAS DOIS ANOS.

    SENHORES DEPUTADOS BRASILEIROS, NÃO FAÇAM LOUCURAS EM APROVAR O CICLO COMPLETO; EU TENHO CERTEZA QUE VCS SÃO HUMANOS E PAI DE FAMÍLIA.

  21. Confira a íntegra do posicionamento da Polícia Federal:

    Nota de Esclarecimento

    Tendo em vista as informações veiculadas por esse veículo de imprensa, mencionando as investigações da Polícia Federal conduzidas pelo Delegado Kleber Isshiki, esclarecemos que, contrariamente ao que foi noticiado:

    – Em 17/09/2013 houve um roubo a uma oficina mecânica onde se encontrava o Delegado Kleber Isshiki, no qual 3 pessoas, com armas de fogo, invadiram e roubaram uma oficina mecânica na Vila Mariana, aproveitando também para roubar os pertences dos clientes que lá estavam, como carteiras e telefones celulares. Um dos telefones celulares roubados pertencia à Polícia Federal;

    – A investigação do roubo de um telefone celular pertencente à Polícia Federal é de atribuição desta própria polícia, por ser um bem da União – a verdadeira “vítima”;

    – O crime, ao ser cometido, era de autoria desconhecida;

    – A atribuição para investigação desse crime é a Delegacia de Repressão a Crimes contra o Patrimônio da União, onde o Delegado Kleber já se encontrava lotado antes do evento. Trata-se de delegacia com estrutura enxuta, contando à época com três delegados, sendo que um deles não conduz investigações por ter outras atribuições administrativas;

    – O inquérito foi distribuído a outro servidor, que foi removido, sobrando então somente o Delegado Kleber, para quem todas as investigações foram encaminhadas;

    – Não há proibição legal, nem entendimento judicial, de que a condução do inquérito policial seja feita por alguém que esteve envolvido diretamente nos fatos, desde que não seja amigo ou inimigo do investigado;

    – A investigação do roubo do celular da Polícia Federal não aponta Gabriel Scarcelli Barbosa como autor do crime e os mandados de prisão expedidos contra ele não se referem a esse crime, mas sim a outros dois inquéritos policiais diferentes, referentes a roubos de outros dois veículos, com outras duas vítimas, que nada tem a ver com a PF;

    – Durante a investigação do roubo do celular, verificou-se que o automóvel utilizado no crime da oficina era roubado, e que nele havia documentação de outro veículo roubado, ambos nas proximidades da Vila Mariana, evidenciando que a quadrilha atuava também no roubo a veículos. Foram identificados, por meio de rastreamento dos telefones roubados, aqueles que estavam se utilizando deles. Dessa maneira chegou-se ao grupo, que passou a ser investigado;

    – Identificadas as pessoas, passaram ser realizadas atividades de campo nos locais onde os telefones eram usados, para complementação da investigação;

    – Assim, a identificação dos suspeitos pela polícia não foi realizada pelo Facebook, como foi veiculado, mas sim pelas diligências acima;

    – Ao longo do inquérito, foram identificados outros roubos de veículos e a Polícia Federal não poderia ficar inerte, somente por estar investigando aquele caso envolvendo um bem de sua propriedade;

    – Verificando-se a existência de outras vítimas de outros roubos de veículos, elas foram intimadas para prestar informações e consultar cadernos com fotografias nos quais há fotografias de diversas pessoas, inclusive daquelas pessoas apontadas na investigação como suspeitas do crime, com o fim de se identificar os autores dos crimes;

    – Cadernos de fotografias com pessoas podem ter as imagens provindas de qualquer local, como bancos de dados de documentos (como a do RG ou de crachás de servidores públicos), fotos de cadastros para entrada em portarias e sites públicos da internet como o Google ou o Facebook;

    – Nos casos em que o reconhecimento fotográfico realizado pelas vítimas dos outros roubos é positivo, realiza-se, num segundo momento, o reconhecimento pessoal dos investigados;

    – No reconhecimento pessoal, são colocadas lado a lado pessoas com características físicas semelhantes e a vítima fica em local apartado e não visível aos que estão sendo objeto do reconhecimento. Há orientação de que somente seja positivado o reconhecimento quando houver certeza;

    – Foram esclarecidos, após as investigações, outros 13 roubos, cada um investigado num procedimento distinto;

    – Houve, nessas investigações, o uso de fotos de redes sociais (Facebook) nos cadernos de identificação – inclusive, mais detalhadas e nítidas do que a de um RG, garantindo assim, mais segurança a quem é identificado, de não ser confundido com outra pessoa;

    – Gabriel não foi apontado como fazendo parte do grupo que foi identificado como sendo o autor do primeiro roubo, ele foi reconhecido desta maneira, por foto e depois pessoalmente, por duas vítimas diferentes de dois outros roubos investigados em outros dois inquéritos diferentes e, por isso, foi mantido preso;

    – Todas as investigações já estão em fase processual, sendo que a primeira, manteve-se na Justiça Federal e as outras, não possuírem bens da União envolvidos, foram deslocadas para a Justiça Estadual, onde continuam tramitando, sem que houvesse qualquer decretação de nulidade referente à investigação criminal.

    – Lembramos que todos os inquéritos policiais federais passam por três controles: da Corregedoria da PF, do Ministério Público e do Judiciário, não tendo havido qualquer irregularidade no caso noticiado.

    Atenciosamente,
    Setor de Comunicação Social
    Superintendência Regional da Polícia Federal em São Paulo

  22. Parabéns a PF, fazendo o trabalho que se espera da Policia, e cadeia nesse ladrão classe media intelectual, estou mais preocupado com quem rouba um celular, do que um traficante que vende para quem quer se drogar

  23. Confira a íntegra do posicionamento da Polícia Federal:

    Nota de Esclarecimento

    (…)

    ***********************************************************

    Após a Nota de Esclarecimento da PF SILÊNCIO ELOQUENTE…onde estão mesmo os defensores, aqueles que defendem com unhas e dentes os marginalizados esclarecidos?

    Tudo confirmou o que tinha dito anteriormente: os socialistas exigem do Estado, mas, com meios materiais à disposição, sequer souberam fazer a lição na própria casa…taí o resultado, quem gosta que siga o mesmo caminho, pq aqui em casa, a regra é dura e um dos meus já está em faculdade pública (e não é fazendo curso de licenciatura não, ao contrário, cursa uma tradicional faculdade de Direito).

    Fraterno abraço!!!

  24. O ÓDIO E A OBSTINAÇÃO EM PRENDER POR CAUSA DE UMA MERDA DE UM CELULAR, ACABOU COM A VIDA DO CARA. SIMPLES ASSIM. A FRIEZA DA NOTICIA NOS DEIXA ATORDOADOS E ESQUECEMOS DO RESTO(PAI, MÃE, FILHOS ETC). A NOTICIA DIZ QUE ESTÁ PRESO NO CADEIÃO DE PINHEIROS E SÓ. ACABA AÍ A PARTE QUE INTERESSA. ACHO QUE NÃO EXISTE SOCIEDADE MAIS HIPÓCRITA, DEMAGOGA, FALSA, OMISSA, PRECONCEITUOSA DO QUE A BRASILEIRA. AQUI O PRECONCEITO É O PIOR POSSÍVEL, POIS É MASCARADO POR UM FALSO “ACEITAMENTO” DAQUELE QUE É “DIFERENTE”. ESSA É A MERDA QUE O BRASIL SE TRANSFORMOU.

  25. patriota disse:

    22/09/2015 às 14:15

    Áudios mostram que PMs que executaram inocente sabiam que ele era refém
    .
    http://noticias.r7.com/jornal-da-record/videos/audios-mostram-que-pms-que-executaram-inocente-sabiam-que-ele-era-refem-21092015
    ———————————————————————————————————————————————————————
    DR. GUERRA,
    POR GENTILEZA FAÇA, SE POSSÍVEL, UMA PÁGINA ESPECIAL DESSE FATO PARA QUE OS BRASILEIROS QUE AMAM ESSA PÁTRIA POSSAM COMENTAR SOBRE MAIS ESSE ABSURDO COMETIDO POR ESSA; BOM, ACHO QUE EU NEM PRECISO MAIS DIZER.

  26. Valorização de NU 3,6%, quer mais o quê?
    Tá bão sô.
    Infração não chega nem metade disso.

  27. “VAI DAR MERDA !!! disse:
    22/09/2015 ÀS 16:17
    O ÓDIO E A OBSTINAÇÃO EM PRENDER POR CAUSA DE UMA MERDA DE UM CELULAR, ACABOU COM A VIDA DO CARA. SIMPLES ASSIM.”

    Acha que prender ladrão de celular é bobagem? Pelo artigo, se vc não leu, o sujeito foi preso por dois roubos de carros. Ainda bem que foi preso, parabéns a quem prendeu.

  28. caramba !! depois do esclarecimento da PF , chegamos a conclusão que este vagabundinho do post( mentiroso )
    defendido pelos familiares ( como sempre ) e seus amiguinhos de gandaias, parceiros em tudo…

    e mais uns daqui , vemos que esse elemento ai de cima não passa de um criminoso comum…..
    como muitos que vemos todos os dias nesta nossa vida de policial…

    o pior é que descobrimos perante esclarecimento da PF , que o carinha é ladrão de carro…
    aqueles que mete bala em quem se coçar .( isso mesmo ) metem bala …. .te zeram……..

    pra quem não sabe , ladrão de carro é o elemento mais perigoso no mundo do crime , eles não pensam duas
    vezes antes de atirar contra a vítima…qualquer policial sabe disso.

    o FEDERAL ESTA CERTO, tem que deixar este mala la mesmo ,no xilindró..

    bem que a federal podia aprofundar as investigações contra este elemento.. pode ser que este marginal esteja
    envolvido em mortes de vitimas de ladrões de carros…..

    se a federal não tivesse se envolvido nas investigações. hoje este marginal estaria solto por ai , aprontando
    e talvez tirando a vida de cidadões honestos do bem….

    porque no meu entender este cara não passa de mais um bandido vagabundo morador de são paulo…..

    cadeia nele…… é a cara dele…..

    PARABÉNS A FEDERAL…

  29. o negocio é o seguinte :

    quem tiver com dó deste vagabundo preso, é simples !!

    espere ele sair da cadeia, e quando ele sair, leve ele pra casa , e sejam felizes, , tente recuperar este ladrão.
    deixe ele dormir em sua cama entre voce e sua esposa…

  30. Concordo com o MUSTANG: Ladrão de carro é a pior raça, o que mais provoca mortes das vítimas

  31. isso não é preconceito , isso é falta de capacidade para exercer a função e falta de um órgão para corrigir quem erra dessa maneira, ou seja nada vai acontecer com esse delegado federal , vai ficar o dito pelo não dito e pronto. e outros vão errar e a carruagem segue,

  32. mimimi disse:
    22/09/2015 ÀS 17:39
    “VAI DAR MERDA !!! disse:
    22/09/2015 ÀS 16:17
    O ÓDIO E A OBSTINAÇÃO EM PRENDER POR CAUSA DE UMA MERDA DE UM CELULAR, ACABOU COM A VIDA DO CARA. SIMPLES ASSIM.”

    Acha que prender ladrão de celular é bobagem? Pelo artigo, se vc não leu, o sujeito foi preso por dois roubos de carros. Ainda bem que foi preso, parabéns a quem prendeu.

    NÃO É O CASO. FODA-SE O MARGINAL. PRA QUEM LÊ O TEXTO SUBENTENDE-SE QUE FAVELADO É MARGINAL. MAS SÓ PRA NÃO DEIXAR BARATO EXISTE UMA PASSAGEM DA BÍBLIA EM MATEUS QUE DIZ QUE NO TEMPO DE JESUS OS FARISEU COAVAM OS MOSQUITO E ENGULAM UM CAMELO. PRA QUEM QUISER CONFERIR MATEUS 23:24

  33. Aprovada a PEC 172

    ACABOU A CARREIRA JURÍDICA DOS DELEGADOS

    FORAM AVISADOS AQUI NO FLIT

    PARABÉNS AOS DELEGADOS POR MAIS UM RETUMBANTE DERROTA.

    Fim.

    E agora Adpesp?

    Tomaram uma aulinha aqui no FLIT de grátis dos “operacionais”….

  34. Em um crime de roubo, o reconhecimento e fundamental para a prisão do mala, mesmo que não de recupere a rés. Se ele foi reconhecido e casos distintos, então está devendo sim.

  35. Favela tá na moda, até nas novelas, só da FAVELA! “É nóis mano”, “mina”….
    Resultado da “Pátria INDUCADORA”…rsss! É, está tudo acabado mesmo.

  36. Vou contar um pequeno caso: No início dos anos 90, assumi a guarda de um inquérito policial (homicídio doloso) no DHPP, oriundo de um distrito policial. Constava dos autos um Auto de Reconhecimento Fotográfico, feito pela filha da vítima, após folhear um álbum de fotografias de criminosos do antigo DEIC. Não foi preciso muita experiência policial para excluir o dono da foto do inquérito, bastando para isso enviar uma mensagem telex ao presídio onde o mesmo se encontrava recluso, e receber de volta outra mensagem informando que não havia registro de fuga ou indulto de quaisquer espécie envolvendo o indivíduo, referente ao período em que ocorrera o delito. Após esse episódio e outros assemelhados, passei a ver o “reconhecimento fotográfico” com muita cautela.

  37. O sipol publicou que o bônus será pago em outubro e novembro. Mas alguém sabe quando foi publicada a tabela de valores a ser recebido???

  38. O plantio é facultativo a colheita é obrigatória; Quis brincar de mala, qdo a brincadeira ficou séria, chamou o Papis e a Mamis. A sorte do filhinho, foi não cruzar com o trágico movel ou os rotarianos, ai a brincadeira seria mais séria. Aí brincalhão, vai puxar uma corda, na saída pense, continue brincando ou vai falar serio com a vida, vida loka é p quem tem culhao p tomar teco ou puxar corda na moral, chamar Papis e Mamis, não faz parte do roteiro.

  39. “O que queremos mostrar é que não estamos investigando a Petrobrás. Nós nem começamos a investigação por ela. Estamos desvelando a compra de apoio político-partidário pelo governo federal, por meio de propina institucionalizada nos órgãos públicos. Se não reconhecerem isso, vai ser um problema”, afirmou Carlos Lima.

    (reconhecer não é prova diz a legislação, o correto é termos prova.) Querem provar as coisas, mas quando deixam muitos de fora, nunca provarão, a justiça deve ser feita a todos, meia justiça é meia verdade e, meia verdade é mentira. VERDADE OU MENTIRA?

    O que querem não é o governo federal o que querem é o PT, pois o FHC comprou reeleição e o caramba a quatro. E nosso governador sem nenhuma CPI.

    Olha o ALOÍSIO NUNES AI GENTE, o MERCADANTE é condenado mesmo.

  40. A tal escuta, sem autorização Judicial, constitui crime, mas foi usada como prova, anexada ao Inquérito?

    C.A.

  41. O QUE IMPORTA É QUE A INSTITUIÇÃO POLÍCIA JUDICIÁRIA FEDERAL NÃO ESTA SENDO ESTUPRADA.

    A POLÍCIA JUDICIÁRIA ESTADUAL ESTA SENDO ESTUPRADA PELA INSTITUIÇÃO POLÍCIA MILITAR, OU SEJA, A POLÍCIA MILITAR MANDA: A CAVALARIA, O CHOQUE, A ROTA, O TÁTICO, A ROCAM, O BAEP, A RONDA DA ÁREA TODOS PARA A POLÍCIA CIVIL, OS D.P’S NÃO TEM FUNCIONÁRIOS SUFICIENTE PARA DAR CONTA DE TANTAS OCORRÊNCIAS E FLAGRANTES LAVRADOS.

    A POLÍCIA MILITAR (CONTINGENTE DE 130.000) ESTUPRA (ESTUPRO COLETIVO) A POLÍCIA CIVIL (CONTINGENTE 30.000).

  42. Como é que o FLITPARALISANTE bota um título como este “CIRCO COMPLETO DA PF – Delegado federal vítima de roubo instaura e preside inquérito para recuperar seu celular e indicia – por reconhecimento indireto – inocente” ?? É só ler direito a matéria pra ver que é coisa totalmente tendenciosa. Está claro que o inquerito do roubo do celular (que não é do delegado, mas sim da policia federal, ou seja, da união) foi só o começo. Depois de descoberto que os malas também roubavam carros, foram instaurados outros inqueritos. Em dois deles o playboy da matéria foi reconhecido PESSOALMENTE. Como é que o FLIT diz que o reconhecimento foi indireto? Tá puxando o saco do playboy? “CIRCO COMPLETO DA PF” ??? Graças a Deus temos a PF neste país. E quanto ao PSDBOSTA, que só fala bosta mesmo. “Delegadozinhos tucanos comédia da PF”?? Esses caras estão mudando o Brasil e comédia são eles? Não sou tucano, nem sou muito fã de delegado (mas cada um na sua função), mas a comédia aqui é você, meu irmaozinho petista. E quanto ao colega Escrivão Hoje, Futuro Delegado! , boa sorte pra ti, ainda bem que temos colegas que se esforçam como você.

  43. Não sei o porquê, de tanta reclamação, será que alguém iria investigar a porra do assalto, fez bem o DPF chamou para si a responsabilidade.

  44. Olha o Bôôôôôônusssssssssssssssssssss

    Olha o Bôôôôôônusssssssssssssssssssss

    Olha o Bôôôôôônusssssssssssssssssssss

    Dia 05/10 na Conta

    23/09/2015

    Policiais vão receber bônus no dia 5 de outubro

    Vanessa Sarzedas
    do Agora

    Os policiais de São Paulo irão receber a bonificação por desempenho no dia 5 de outubro.

    A grana é equivalente ao primeiro trimestre deste ano. No dia 5 de novembro, será paga a grana referente ao segundo trimestre.

    De acordo com a Secretaria de Estado da Segurança Pública, há 120 mil policiais.

    O valor do bônus por trimestre varia de R$ 250 a R$ 2.000, conforme o resultado do Estado e da área de atuação do servidor no cumprimento das metas estabelecidas.

  45. Uma pequena correção na reportagem: classe média acima da média. Professor da USP em início de carreira ganha mais de R$ 9.000,00; se for titular, mais que o dobro. Se somar os rendimento do pai engenheiro…

  46. Tendo em vista as justificativas da PF, só uma conclusão: meliante AZARADO!
    Agora, por qual motivo explosões de caixas da CEF não são prontamente esclarecidos?

  47. Sim, iria extinguindo a Polícia Militar não abrindo concursos e abriria grandes concursos para Polícia Civil, que teria também a atribuição ostensiva, mas o que tem acontecido atualmente é o contrário, a Polícia Civil sendo extinta e a PM cada maior, mais poderosa e numerosa.

  48. Tinha vida boa e preferiu a favela?
    Se isso for verdade esse cara acredita em Deus…
    Mas como não creio que isso seja verdade… ele devia ter umas amizades beeeemm bacanas na quebrada…
    CANA NELE…
    ah já tá preso…
    MANTENHAM PRESO.

  49. Alguém tem a tabela do bônus? Se alguém conseguir a tabela do bônus que faça a postagem por favor.

  50. sccm:

    Caso seja possível, divulgue aqui – a bem da transparência e do interesse comum – a resposta ao meu Requerimento, de 16/01/15 (sob protocolo nº SIAPRO/SR/DPF/SP/08500.012603/2015-53) .

    Seria de bom alvitre essa manifestação – já que não fui correspondido -, até porque o Alexandre e a Rita não compareceram, ontem, à uma das audiência, no Fórum de Santo André, por pura sem-vergonhice. Não basta já terem fugido da imprensa, quando a chamei e concedi entrevista, em 21/05/2011.

    Obs.: se a Polícia Militar supunha me intimidar com mais essa PATIFARIA, já constatei o revés, pela covardia dessa PILANTRA DE MARCA MAIOR que se identificou como Policial Federal, por ocasião de mais uma farsa. Por “coincidência, é vizinho do CPA – Comando das Patifarias Abafadas – da Polícia Militar (Região do Grande ABC).

    Mais uma PATIFARIA desmascarada na minha coleção!

    Em breve, a próxima, oriunda de outra pilantragem que redundou no OFÍCIO Nº GABCMTG-3939/200/13, de 14/10/13, assinado por um SAFADO que teme se manifestar neste espaço.

  51. VAI DAR MERDA !!! disse:
    22/09/2015 ÀS 16:17
    O ÓDIO E A OBSTINAÇÃO EM PRENDER POR CAUSA DE UMA MERDA DE UM CELULAR, ACABOU COM A VIDA DO CARA. SIMPLES ASSIM. A FRIEZA DA NOTICIA NOS DEIXA ATORDOADOS E ESQUECEMOS DO RESTO(PAI, MÃE, FILHOS ETC). A NOTICIA DIZ QUE ESTÁ PRESO NO CADEIÃO DE PINHEIROS E SÓ. ACABA AÍ A PARTE QUE INTERESSA. ACHO QUE NÃO EXISTE SOCIEDADE MAIS HIPÓCRITA, DEMAGOGA, FALSA, OMISSA, PRECONCEITUOSA DO QUE A BRASILEIRA. AQUI O PRECONCEITO É O PIOR POSSÍVEL, POIS É MASCARADO POR UM FALSO “ACEITAMENTO” DAQUELE QUE É “DIFERENTE”. ESSA É A MERDA QUE O BRASIL SE TRANSFORMOU.

    =======================================

    EI AMIGÃO !!! reescreva o seu comentario, tu esta desatualizado ref ao post .

    LEIA – o esclarecimento da FEDERAL do dia 22/09/2015 as 13.28 hs….. la em cima kikikikiki..

  52. o fulano que se diz vítima na verdade é um quadrilheiro de ladrões de carros.

    e deve ter um monte de bós para levantar … é só investigar que caira mais …. com certeza.

  53. na verdade, este meliante que se passa por motoboy é tão pilantra que agora fica mentindo para os pais , alegando
    inocencia…..fazendo o pai engenheiro chorar por ele…

    ele é igual muitos por ai, que não tem passagem , mas aprontam direto pelas quebradas….
    ai quando vai preso , os coitados dos pais sentem se derrotados…..sera que é assim mesmo ?
    sera que nunca desconfiaram da vida que o filho levava ?

  54. o ladrão azaradão —

    deve estar arrependido ete o ultimo fio do cabelo, do dia que roubou o FEDERAL.
    pois se fosse um cedadão comum. o bonitão estaria por ai aprontando soltinho da vida loca……….

  55. vida de ladrão não é facil não……..

    as vezes tenta roubar um puliça e toma tiro na cara……
    esse ai roubou um e se ferrou… fora as outras broncas que vão tuxar nele……

    tá ferrado… tomara que fique uns 30 anos fechadinho…..

  56. na semana passada eu ouvi um zum zum que o nosso bonus sera de 250.00 para todos….

  57. código penal disse:
    23/09/2015 ÀS 20:35
    VAI DAR MERDA !!! disse:
    22/09/2015 ÀS 16:17
    O ÓDIO E A OBSTINAÇÃO EM PRENDER POR CAUSA DE UMA MERDA DE UM CELULAR, ACABOU COM A VIDA DO CARA. SIMPLES ASSIM. A FRIEZA DA NOTICIA NOS DEIXA ATORDOADOS E ESQUECEMOS DO RESTO(PAI, MÃE, FILHOS ETC). A NOTICIA DIZ QUE ESTÁ PRESO NO CADEIÃO DE PINHEIROS E SÓ. ACABA AÍ A PARTE QUE INTERESSA. ACHO QUE NÃO EXISTE SOCIEDADE MAIS HIPÓCRITA, DEMAGOGA, FALSA, OMISSA, PRECONCEITUOSA DO QUE A BRASILEIRA. AQUI O PRECONCEITO É O PIOR POSSÍVEL, POIS É MASCARADO POR UM FALSO “ACEITAMENTO” DAQUELE QUE É “DIFERENTE”. ESSA É A MERDA QUE O BRASIL SE TRANSFORMOU.

    =======================================

    EI AMIGÃO !!! reescreva o seu comentario, tu esta desatualizado ref ao post .

    LEIA – o esclarecimento da FEDERAL do dia 22/09/2015 as 13.28 hs….. la em cima kikikikiki..

    NÃO SOU SEU AMIGO, ALIAS NEM O CONHEÇO. E RISADA KIKIKIKIKI É COISA DE VIADO.

  58. código penal disse:
    23/09/2015 ÀS 20:35
    VAI DAR MERDA !!! disse:
    22/09/2015 ÀS 16:17
    O ÓDIO E A OBSTINAÇÃO EM PRENDER POR CAUSA DE UMA MERDA DE UM CELULAR, ACABOU COM A VIDA DO CARA. SIMPLES ASSIM. A FRIEZA DA NOTICIA NOS DEIXA ATORDOADOS E ESQUECEMOS DO RESTO(PAI, MÃE, FILHOS ETC). A NOTICIA DIZ QUE ESTÁ PRESO NO CADEIÃO DE PINHEIROS E SÓ. ACABA AÍ A PARTE QUE INTERESSA. ACHO QUE NÃO EXISTE SOCIEDADE MAIS HIPÓCRITA, DEMAGOGA, FALSA, OMISSA, PRECONCEITUOSA DO QUE A BRASILEIRA. AQUI O PRECONCEITO É O PIOR POSSÍVEL, POIS É MASCARADO POR UM FALSO “ACEITAMENTO” DAQUELE QUE É “DIFERENTE”. ESSA É A MERDA QUE O BRASIL SE TRANSFORMOU.

    =======================================

    EI AMIGÃO !!! reescreva o seu comentario, tu esta desatualizado ref ao post .

    LEIA – o esclarecimento da FEDERAL do dia 22/09/2015 as 13.28 hs….. la em cima kikikikiki..
    NÃO SOU SEU AMIGO, ALIAS, NEM O CONHEÇO. E RISADA KIKIKIKIKI É COISA DE VIADÃO!

  59. Digo sim ao ciclo completo, afinal a Polícia Civil por conta do descaso está envelhecida, desmotivada, bagunçada, sem funcionários, enfim uma zona, e prestes a fechar as portas, enquanto a PM é numerosa, tem comando, disciplina, poder político e ao contrário dos delegados, seus oficiais reforçam sempre o efetivo, para assim não fechar as portas, simples assim, e viva o ciclo completo.

  60. Esquerdismos a parte, trata-se da glamourização do crime! O rapaz deixou a vida de playboy pra ser criminoso. Uma coisa é o cara nascer numa familia fudida e ir pro crime, a outra é o cara ter todas as oportunidades e descambar para a criminalidade.

  61. CICLO COMPLETO DE POLÍCIA. A QUEM INTERESSA?
    21/09/2015 11:28
    QUAL SERIA O INTERESSE DA PM EM ACUMULAR TAMBÉM AS FUNÇÕES DA POLÍCIA CIVIL?
    COMO FAZER O TRABALHO CARTORÁRIO DIGNIFICARIA A PM?

    CICLO COMPLETO – Significado: Consiste na atribuição à mesma CORPORAÇÃO POLICIAL das atividades REPRESSIVAS DE POLÍCIA JUDICIÁRIA ou investigação criminal e da PREVENÇÃO AOS DELITOS E MANUTENÇÃO DA ORDEM PÚBLICA, realizadas pela presença ostensiva uniformizada dos policiais nas ruas.
    Traduzindo em miúdos, a Polícia Militar está reivindicando fazer o trabalho dela (policiamento preventivo ostensivo fardado) e, de quebra, ainda fazer o trabalho da Polícia Civil (repressão e investigação, elaboração de Termo Circunstanciado, Auto de prisão em flagrante delito e Inquérito Policial).
    A quem interessa usurpar as funções da Polícia Civil quando não conseguimos sequer cumprir as funções constitucionais da PM?
    A Polícia Civil trabalha a partir do momento em que o trabalho da PM (preventivo) falhou, ou seja, a partir de quando ocorre o crime. A falha da PM deve ser atribuída não só à leniência do trabalho de campo, mas também à falta de planejamento adequado, às questões sociais, falta de efetivo, falta de meios e equipamentos além de tantos outros fatores. O fato é que, se conseguíssemos cumprir o trabalho preventivo, a polícia civil nem precisaria existir.
    O que significa o CICLO COMPLETO para o soldado, na prática?
    Com o acúmulo de funções, de imediato, seriam removidos metade dos policiais de rua para fazerem o trabalho burocrático nos quartéis, o que por si só, já prejudicaria o trabalho preventivo, que já é ruim. Além disso, dobraria o trabalho do patrulheiro e prolongaria indefinidamente seu horário, o que é uma desvantagem, uma vez que não há, por definição militar do ofício, previsão de horas extras e banco de horas…
    É ISSO QUE O POLICIAL QUER?
    Então, se não conseguimos cumprir satisfatoriamente a nossa parte, por que queremos abraçar a parte dos outros?
    A partir dessa análise, caminhamos em direção aos reais motivos do interesse da INSTITUIÇÃO POLÍCIA MILITAR.
    Quanto ganha um soldado, em comparação ao salário de um coronel?
    UM SOLDADO GANHA PELO MENOS SEIS VEZES MENOS DO QUE UM CORONEL, numa instituição cuja previsão constitucional não distingue cargos e funções, mas tão somente define como corporação. A imensa cratera entre os vencimentos não é a única discriminação que os separa. Os coronéis gozam da dupla jurisdicionalidade, não trabalham períodos noturnos, nem finais de semana ou feriados, possuem veículo institucional com motorista pessoal para busca-los e leva-los todos os dias, desde sua residência em qualquer cidade do estado até seu trabalho, possuem cartão corporativo para suas despesas de alimentação, hospedagem, viagens internacionais, diárias pagas em resorts e mais uma série de benefícios, enquanto o soldado não tem vale-alimentação, nem vale transporte, nem recebe adicional por trabalhar no período noturno, nem aos finais de semana ou feriados, não recebe adicional de periculosidade, previsto na CLT para quem trabalhe em serviço de risco, não tem direito a banco de horas, FGTS, e mais uma série de restrições, que atingem diretamente a sua dignidade humana, como por exemplo, os procedimentos e processos administrativos onde, ao arrepio da Constituição Federal, não têm direito a um advogado e são julgados por pessoas leigas, subordinadas à mesma administração e em cargos de chefia, com vínculos diretos de superioridade subordinativa aos acusados.
    Que interesse teria um soldado, que é quem realmente trabalha na PM, em acumular funções de outra polícia?
    Ao fazermos essa reflexão, chegamos a outro assunto: A HEGEMONIA DO CORONELISMO NAS POLÍCIAS.
    Qual o poder legítimo dos coronéis?
    Um coronel tem sob seu poder milhares de homens, conduzidos por uma disciplina militar rígida, que não lhes permite pensar, mas sim obedecer irrestritamente sob pena até de prisão, às ordens “superiores”, sem que lhes seja permitido questionarem suas ordens, quer moralmente, quer legalmente.
    A Disciplina Militar institui a “verdade institucional”, ou seja, a verdade do chefe.
    Com esse instrumento institucional, um único coronel consegue movimentar milhares de policiais para atingir um fim específico, determinado por algum político ou latifundiário, ou industrial, ou banqueiro com ascendência direta sobre ele, tornando legítima qualquer ação da corporação, uma vez que quem edita a legislação interna são os coronéis.
    Esse poder é exclusivo dos coronéis, não acontecendo o mesmo com os delegados de polícia, que mal conseguem comandar o ralo efetivo de cada delegacia das quais fazem parte.
    Então, por que motivo os soldados, quase oitenta por cento do efetivo das Polícias Militares, estaria encampando a luta dos oficiais?
    DESCONHECIMENTO.
    Falta ao policial militar das categorias de base, conhecimento político e inserção na sociedade. Somos uma categoria dessindicalizada, sem representatividade política e sem representatividade social. O mais perto que passamos da sociedade são os Conselhos Comunitários de Segurança, mas ainda assim, quem determina a participação policial no CONSEGs são os coronéis.
    Qual o interesse dos oficiais no ciclo completo de polícia?
    PODER. PURO E SIMPLES.
    Você sabia que há no Congresso nacional, pelo menos um coronel da PM do estado de São Paulo, cujas despesas, salário, subvenções e verbas de gabinete são pagas pela PM simplesmente para que ele passe o dia inteiro cuidando do LOBBY institucional da PM?
    Você sabia que há no Congresso Nacional, pelo menos dois projetos de lei e Emenda Constitucional que dá aos oficiais da PM poderes de delegados de polícia, promotores de justiça e até juízes?
    Emenda Constitucional Nº. 83/2010 e Lei complementar N°. 115/2010.
    E às praças, oitenta por cento do efetivo? Quais os projetos lhes conferem dignidade?
    NENHUM, porque não é uma vontade institucional A EMANCIPAÇÃO do efetivo mas sim a segregação e dominação irrestrita pelos coronéis, que usam a PM para garantir às oligarquias a manutenção do PODER PELO PODER.
    Não há congressistas praças, e quando há, são “paus mandados” do oficialato, que tem interesses corporativos.
    Não podemos cair no “CANTO DA SEREIA” e lutar por algo que não traz ABSOLUTAMENTE NENHUMA VANTAGEM para a já tão sofrida categoria das praças das Polícias Militares de todo Brasil.
    Senhores coronéis, se querem realmente ajudar seu efetivo, se querem realmente fortalecer sua polícia, se querem realmente que a persecução penal seja melhorada, comecem por permitir dignidade aos seus homens.
    Permitam que eles levem comida pra dentro de casa, de maneira digna, sem precisarem se matar no bico nas horas de folga.
    Querem saber o que deseja o seu efetivo?
    – Adicional noturno (lei 8112/1990);
    – Adicional de periculosidade (lei 12.740/2012);
    – Banco de horas (lei 9.601/1998);
    – Auxílio alimentação (Lei 8.460/1992);
    – Vale Transporte (Lei Complementar nº 150/2015);
    – FIM DO RETP.
    Essas são conquistas que abrangem toda a categoria, conferindo dignidade a todos os postos e patentes, e não só aos marajás que já têm todo um séquito a seu serviço.
    SENHORES POLICIAIS MILITARES POLÍTICOS, se desejam realmente defender a categoria, façam propostas nesse sentido, daí acreditaremos na seriedade do seu trabalho.
    PELO FIM DO ABISMO QUE SEPARA PRAÇAS E OFICIAIS DA PM.
    ‪#‎JuntosSomosFortes‬
    Marco Ferreira
    Cientista Político
    Presidente da APPMARESP

    Leia mais: http://www.appmaresp.com/news/ciclo-completo-de-policia-a-quem-interessa/

  62. HAHAHA, O mala filho da esquerda caviar se ferrou. Devia estar acostumado a roubar e nunca acontecer nada, como é a praxe. Deu azar: os parças roubaram um federal, a PF se mexeu e esclareceu mais de 13 roubos! Dois praticados pelo coitadinho do filhinho da mamãe psicóloga da USP. É, minha senhora, sempre tem a primeira vez.

  63. HABEAS CORPUS Nº 336.341 – SP (2015/0234873-0)
    RELATOR : MINISTRO GURGEL DE FARIA
    IMPETRANTE : LUIZ EDUARDO RODRIGUES GREENHALGH E OUTROS
    ADVOGADO : LUIZ EDUARDO GREENHALGH
    IMPETRADO : TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO
    PACIENTE : GABRIEL SCARCELLI BARBOSA (PRESO)
    DECISÃO
    Trata-se de habeas corpus com pedido liminar impetrado em favor de GABRIEL SCARCELLI BARBOSA, em que se aponta como autoridade coatora o Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo.
    Consta nos autos que o paciente foi preso temporariamente pela suposta prática do crime de roubo majorado e, posteriormente, foi decretada sua prisão preventiva.
    A defesa impetrou prévio habeas corpus no Tribunal de origem, tendo sido indeferido o pedido liminar.
    No presente writ, o impetrante alega: (i) a ilegitimidade de o delegado presidir o inquérito policial sobre fato de que foi vítima; (ii) impossibilidade de instauração de inquérito na órbita estadual por delegado da Polícia Federal após ser decretada a incompetência absoluta da Justiça Federal; (iii) ausência dos pressupostos autorizadores da custódia cautelar; (iv) desconsideração da possibilidade de aplicação das medidas cautelares do art. 319 do Código de Processo Penal.
    Defende a superação do óbice da Súmula 691 do STF.
    Pleiteia, inclusive liminarmente, seja revogada a prisão preventiva, com a expedição de alvará de soltura ou, subsidiariamente, sejam aplicadas medidas cautelares previstas no art. 319 do CPP.
    Passo a decidir.
    Inicialmente, cumpre destacar que os fundamentos adotados para decretar a preventiva do paciente (fls. 326/328):
    Consta dos autos que transcorria, perante a Justiça Federal o IPL 0414/2013, visando a investigação de roubos majorados, bem como associação criminosa armada, na qual o averiguado Gabriel Scarcelli Barbosa foi fotograficamente identificado como possível autor de roubos registrados nos BOs 3461/2013 e 4334/20136.
    Durante a investigação na esfera federal, a prisão temporária do averiguado foi decretada, assim como de outros suspeitos relacionados aos delitos. Entretanto, o mandado em desfavor de Gabriel não foi cumprido, haja vista sua não localização, frustrando seu reconhecimento pessoal pelas vítimas. Consta, ainda, que no dia 12/09/2013, a vítima Alexandre foi abordada por um indivíduo, o qual portava uma pistola semiautomática e ordenou que retirasse sua filha do carro, subtraindo sua aliança, carteira, celular e relógio. Logo após o delito, o averiguado Gabriel foi reconhecido fotograficamente pela vítima, a qual teve sua carteira localizada passados alguns dias. Ademais, frisa a autoridade policial que o local de encontro da carteira é próximo ao endereço da residência da companheira do investigado.
    Cumprido o mandado de prisão temporária, o investigado foi submetido reconhecimento pessoal e fio pronta e eficazmente reconhecido (fls. 40). Conforme já destacado há notícia de envolvimento em três roubos (este e outros dois inquéritos).
    Destarte, de acordo com as informações colhidas inicialmente no Inquérito Policial, há prova da existência do crime e indícios de sua autoria, pois foi reconhecido pela vitima pessoalmente.
    A ordem pública se encontra ameaçada caso o indiciado seja colocado em liberdade, uma vez que poderia, em tese. continuar a praticar ilícito, que é de extrema gravidade e tem que ser rigorosamente combatido, e. precipuamente, na salvaguarda do meio social, violentado pela gravidade do crime. Repita-se que há fortes indícios de reiteração criminosa Esta infração penal é cada vez mais crescente, intranquilizando a população ordeira de São Paulo, gerando prejuízo econômico para a sociedade, de modo que é necessária a sua custódia para garantia da ordem pública, motivo pelo qual se revelam inadequadas ou insuficientes as medidas cautelares diversas da prisão, descritas no artigo 319 do Código de Processo Penal, por não preencher os requisitos legais.
    Além disso, depreende-se dos fatos apurados, que a conduta do indiciado provoca acentuado impacto na sociedade, dado a ofender significativamente os valores reclamados. A conveniência da instrução criminal evidencia a necessidade de a coleta de provas não ser perturbada, impedindo a busca da verdade real. Assegurar a aplicação da lei penal, por fim, traduz idéia de que, como na hipótese dos presentes autos, pode se evadir do distrito da culpa, furtando-se a aplicação da lei penal, passando a residir em local onde os fatos, provavelmente, não são conhecidos, pois não possui residência fixa no distrito da culpa. Aqui, é suficiente o juízo de probabilidade.
    Não comprovou possuir residência fixa no distrito da culpa e ocupação lícita.
    Por sua vez, no habeas corpus impetrado no Tribunal, o pedido liminar foi indeferido, de acordo com a fundamentação infra (fls. 14/15):
    Consta dos autos que a vítima reconheceu o paciente pessoalmente como autor do delito.
    Os argumentos utilizados pelos combativos Defensores de que o paciente está sofrendo constrangimento ilegal em razão de ter sido decretada sua prisão preventiva tão somente por ter amizade com pessoas de uma comunidade carente (favela), não se mostram, por ora, suficientes para a concessão da liberdade provisória.
    Inobstante o abaixo assinado, os textos publicados pela imprensa em matérias de jornais e redes sociais, a intervenção do Conselho Estadual de Direitos da Pessoa Humana (CONDEPE-SP) e Conselho Nacional de Direitos Humanos (CNDH) ligado à Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República, os quais pretendem demonstrar que o paciente encontra-se preso tão somente por manter laços de amizade e/ou parentesco com jovens residentes na favela, as provas amealhadas aos autos indicam a prática, em tese, de crime cometido com
    violência contra pessoa, cuja vítima reconheceu o paciente pessoalmente, demandando, assim, apuração cuidadosa do presente processo.
    Ademais, o paciente está respondendo por outros dois delitos da mesma espécie, pelos quais já foi denunciado e as denúncias recebidas.
    É caso do indeferimento do pedido de liminar.
    Como sabido, a concessão de liminar em “habeas corpus” é providência de caráter excepcional, razão pela qual se exige constrangimento ilegal manifesto, visível de plano frente à análise sumária dos argumentos apresentados.
    Assim, da análise singela da presente impetração não se vislumbra o propalado constrangimento ilegal, motivo pelo qual o indeferimento do pedido é medida de rigor, reservando à Colenda Câmara a solução da questão em toda sua extensão.
    Nos termos do entendimento reiteradamente firmado por esta Corte, assim como pelo Supremo Tribunal Federal, não cabe habeas corpus contra indeferimento de liminar, a não ser em casos de evidente e flagrante ilegalidade, sob pena de indevida supressão de instância.
    Tal entendimento, inclusive, encontra-se consolidado no verbete 691 da Súmula da Suprema Corte: “Não compete ao Supremo Tribunal Federal conhecer de habeas corpus impetrado contra decisão do Relator que, em habeas corpus requerido a tribunal superior, indefere a liminar.”
    Na presente hipótese, pelo exame dos autos e da decisão denegatória da medida urgente, não resta evidenciada a referida estreita exceptio, a fim de autorizar a outorga pretendida.
    Diante do exposto, com fundamento no art. 210 do RISTJ, INDEFIRO LIMINARMENTE o habeas corpus.
    Publique-se. Intime-se.
    Brasília (DF), 16 de setembro de 2015.
    MINISTRO GURGEL DE FARIA
    Relator

  64. Decisão em agravo regimental no STJ:

    “Publicado na Pág. 4870 do Diário Oficial. Superior Tribunal de Justiça (STJ) de 14 de Outubro de 2015

    AgRg no HABEAS CORPUS Nº 336.341 – SP (2015/0234873-0)
    RELATOR : MINISTRO GURGEL DE FARIA
    AGRAVANTE : GABRIEL SCARCELLI BARBOSA (PRESO)
    ADVOGADO : LUIZ EDUARDO GREENHALGH E OUTRO (S)
    AGRAVADO : TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO
    DECISÃO
    Trata-se de agravo regimental interposto em face de decisão que indeferiu liminarmente habeas corpus impetrado em favor de GABRIEL SCARCELLI BARBOSA.
    Aponta o agravante equívoco na decisão agravada, na qual teria sido transcrito decreto preventivo proferido em processo diverso e já revogado por acórdão proferido nos autos do HC 2144213-46.2015.8.26.0000.
    Refere que o decisum impugnado no presente writ é aquele constante às fls. 38/39 da impetração.
    Passo a decidir.
    Constatado o equívoco, passo a analisar o pedido à luz do decreto preventivo de fls. 38/39, deste teor, verbis:
    Decreto a prisão preventiva do acusado GABRIEL SCARCELLI BARBOSA, atendendo à representação da D. Autoridade Policial (fls. 32/33, com parecer favorável (sic) Ministério Público (fls. 54/55), pois as declarações constantes da existência do crime apontam indícios da autoria, em tese, em desfavor do acusado. Com efeito, o delito imputado possui pena que admite a prisão preventiva, nos termos do artigo 313, I, do Código de Processo Penal. Note-se, ainda, a gravidade do roubo perpetrado, cometido mediante a exibição de arma de fogo e grave ameaça contra a vítima. Há necessidade de decretação da custodia preventiva, para garantia da ordem pública, “evitando-se com a medida que os acusados pratiquem novos crimes contra a vítima ou qualquer outra pessoa, quer porque seja acentuadamente propenso à prática delituosa, quer porque, em liberdade encontrará os mesmos estímulos relacionados com a infração cometida”. (apud JULIO FABRINI MIRATE, in Código de Processo Penal Interpretado, Ed Atlas, 7ª, ed., p. 690). Fundamenta-se, pois, a prisão preventiva, nos termos do artigo 312, do Código de Processo Penal, em garantia da ordem pública, conveniência da instrução criminal e eventual aplicação da lei penal. Expeça-se mandado de prisão em desfavor do acusado.
    Verifica-se que o decisum acima transcrito se reportou à fundamentação contida na representação da autoridade policial bem como ao parecer favorável do Ministério Público, o que é plenamente cabível.
    Registro, a propósito, o seguinte trecho da referida representação, aqui acostada às fls. 232/234:
    […] Desta forma, demonstradas materialidade e autoria, e considerando a gravidade do fato apurado, bem como a aparente contumácia do investigado na prática criminosa, relato os presentes autos e represento a Vossa Excelência pela decretação da prisão preventiva de GABRIEL SCARCELLI BARBOSA, preso temporariamente na Custódia desta Polícia Federal desde 21/06/2015.
    E da cota ministerial de fls. 255/256:
    Manifesto-me favoravelmente à representação da autoridade policial a fim de que seja decretada a prisão preventiva do denunciado. A gravidade concreta do crime justifica a aplicação de tal medida cautelar, tendo em vista que o acusado efetuou roubo, em plena luz do dia, sem qualquer receio de que fosse surpreendido durante a empreitada criminosa. […]. Cumpre salientar, ainda, que o acusado foi reconhecido como autor de outros 02 roubos e, além de tudo, tem estreita relação com os suspeitos […] que foram plenamente reconhecidos pelas vítimas de diversos delitos de roubo qualificado, o que corrobora a prática da associação criminosa. O periculum libertatis está configurado, eis que o acusado é foragido e é extremamente necessário que ele esteja presente em juízo para que a instrução criminal chegue a bom termo, posto que a vítima deverá efetuar seu reconhecimento pessoal em juízo. Além disso, deve ser decretada a prisão cautelar por garantia da ordem pública, posto que o acusado pode cometer mais crimes da mesma natureza se permanecer em liberdade haja visto seu envolvimento em outros delitos. É de suma importância, portanto, que a prisão preventiva seja decretada para assegurar a aplicação da lei penal, eis que é evidente que pretende se esquivar da aplicação da lei penal, posto que foi decretada a prisão temporária do acusado em outra investigação, porém o mandado não foi cumprido à época, em vista de sua não localização.
    Quanto a esse ponto, diversos são os precedentes do Supremo Tribunal Federal reafirmando que se reveste de plena legitimidade jurídico-constitucional a utilização pelo Poder Judiciário da técnica da motivação per relationem, que se mostra compatível com o que dispõe o art.93, IX, da Constituição da República (STF, RHC 120351 AgR, Rel. Min. CELSO DE MELLO, Segunda Turma, DJe 18/05/2015).
    No habeas corpus impetrado no Tribunal, o pedido liminar foi indeferido, de acordo com a fundamentação infra (fls. 14/15):
    Consta dos autos que a vítima reconheceu o paciente pessoalmente como autor do delito.
    Os argumentos utilizados pelos combativos Defensores de que o paciente está sofrendo constrangimento ilegal em razão de ter sido decretada sua prisão preventiva tão somente por ter amizade com pessoas de uma comunidade carente (favela), não se mostram, por ora, suficientes para a concessão da liberdade provisória.
    Inobstante o abaixo assinado, os textos publicados pela imprensa em matérias de jornais e redes sociais, a intervenção do Conselho Estadual de Direitos da Pessoa Humana (CONDEPE-SP) e Conselho Nacional de Direitos Humanos (CNDH) ligado à Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República, os quais pretendem demonstrar que o paciente encontra-se preso tão somente por manter laços de amizade e/ou parentesco com jovens residentes na favela, as provas amealhadas aos autos indicam a prática, em tese, de crime cometido com violência contra pessoa, cuja vítima reconheceu o paciente pessoalmente, demandando, assim, apuração cuidadosa do presente processo.
    Ademais, o paciente está respondendo por outros dois delitos da mesma espécie, pelos quais já foi denunciado e as denúncias recebidas.
    É caso do indeferimento do pedido de liminar.
    Como sabido, a concessão de liminar em “habeas corpus” é providência de caráter excepcional, razão pela qual se exige constrangimento ilegal manifesto, visível de plano frente à análise sumária dos argumentos apresentados.
    Assim, da análise singela da presente impetração não se vislumbra o propalado constrangimento ilegal, motivo pelo qual o indeferimento do pedido é medida de rigor, reservando à Colenda Câmara a solução da questão em toda sua extensão.
    Nos termos do entendimento reiteradamente firmado por esta Corte, assim como pelo Supremo Tribunal Federal, não cabe habeas corpus contra indeferimento de liminar, a não ser em casos de evidente e flagrante ilegalidade, sob pena de indevida supressão de instância.
    Tal entendimento, inclusive, encontra-se consolidado no verbete 691 da Súmula da Suprema Corte: “Não compete ao Supremo Tribunal Federal conhecer de habeas corpus impetrado contra decisão do Relator que, em habeas corpus requerido a tribunal superior, indefere a liminar.”
    Na presente hipótese, pelo exame dos excertos transcritos e da decisão denegatória da medida urgente, não resta evidenciada a referida estreita exceptio, a fim de autorizar a outorga pretendida.
    Diante do exposto, RECONSIDERO a decisão agravada tão somente para sanar o erro material e, com fundamento no art. 210 do RISTJ, INDEFIRO LIMINARMENTE o habeas corpus.
    Publique-se. Intime-se.
    Brasília (DF), 09 de outubro de 2015.
    MINISTRO GURGEL DE FARIA
    Relator

  65. Ô, Mensagem do Além: os reconhecimentos foram pessoais. Não apenas fotográficos….

O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade civil e penal do comentarista que venha a ofender, perturbar a tranquilidade alheia, perseguir, ameaçar ou, de qualquer outra forma, violar direitos de terceiros.O autor do comentário deve ter um comentário aprovado anteriormente. Em caso de abuso o IP do comentarista poderá ser fornecido ao ofendido!...Comentários impertinentes ou FORA DO CONTEXTO SERÃO EXCLUÍDOS. Contato: dipolflitparalisante@gmail.com

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s