Parabéns e total apoio ao delegado Raphael Zanon do 103º DP , cumpra-se a LEI…Chega de alisar cobra venenosa! 208

Prisão de sargento da PM termina em confusão entre polícias Militar e Civil

MARTHA ALVES
DE SÃO PAULO

21/10/2015 04h10

Uma delegacia na zona leste de São Paulo foi cercada por policiais militares de diversos batalhões, no final da noite desta terça-feira (20). Eles estavam revoltados com a prisão de um sargento da corporação suspeito de torturar um jovem preso por roubar R$ 60 de um comércio na região, com uma arma de brinquedo.

Após saber da prisão do sargento, os policiais militares começaram a se mobilizar por redes sociais para irem ao 103º DP (Itaquera/Cohab) prestar apoio ao colega de farda. Nas mensagens trocadas, alguns militares comentavam “até quando seremos humilhados”, “até esqueceram o ladrão nessa”.

Em mensagens de voz, os militares também criticavam o

 que autuou o sargento por tortura. Eles diziam que o delegado “estava mostrando as garras” e atualizavam a todo momento o que estava ocorrendo na delegacia. Um PM disse aos colegas de farda “é hora da gente se unir e defender os nossos”.

A cada policial militar que chegava a confusão ia aumentando do lado de fora da delegacia. O delegado solicitou apoio do GOE (Grupo de Operações Especiais) para garantir a segurança no local. Policiais civis de plantão disseram que os militares estavam ameaçando o delegado e diziam saber onde ele, a namorada e familiares moram.

Divulgação Polícia Civil

Afonso de Carvalho Oliveira Trudes mostra marcas no corpo após ser preso por PMs

Policiais de folga disseram à reportagem da Folha que o preso Afonso de Carvalho Oliveira Trudes não foi torturado. Na versão dos PMs, ele foi machucado pela bicicleta que ele usava na fuga quando foi colocado com ela no interior do compartimento de prisão do carro da polícia.

Laudos do IML (Instituto Médico Legal) indicam que Trudes foi agredido com objeto de choque no pênis, bolsa escrotal, pescoço e perna. Ele também apresentava machucados feitos na região da costela e múltiplas lesões na parte esquerda da nádega e nas coxas. Todas as lesões foram fotografadas.

Os policiais reclamavam que o delegado ouviu apenas a versão do suspeito de roubo e deteve três PMs por tortura. Após prestarem depoimento, um cabo e um soldado foram liberados. O sargento Charles Otaga foi transferido no início da madrugada desta quarta-feira (21) ao presídio Romão Gomes, na zona norte de São Paulo.

O delegado que autuou os policiais por tortura deixou a delegacia na madrugada escoltado por cinco carros do GOE. Os PMs que tinham ido à delegacia também já tinha deixado o local.

Duas mulheres que representam um grupo de apoio a policiais e familiares estiveram na delegacia para prestar apoio ao militar preso.

“Os policiais civis e militares têm que se unir, os inimigos deles são os bandidos e o Estado que não dá aumento salarial”, disse Valéria Gimenez, uma das representantes do grupo.

DEFESA

Dois deputados estaduais que representam policiais civis e militares também compareceram à delegacia. O deputado estadual Delegado Olim (PP) defendeu a prisão do sargento suspeito de tortura e disse que a lei foi cumprida, sob protesto de um grupo de PMs que esperava do lado de fora do distrito policial.

“Ele não roubou? Ele está preso. Agora o torturador também está preso”, disse o deputado. Os policiais, segundo Olim, torturaram o jovem, foram até a casa dele sem mandado e depois de quatro horas o levaram à delegacia todo machucado.

“Estou aqui com os laudos, levaram ele para uma quebrada, bateram e deram choque no pênis. Ele não se machucou sozinho carregando a bicicleta”, explicou o deputado, ao mostrar o laudo.

Nesse instante, um grupo de policiais hostilizou novamente Olim e gritou em coro “ah”. Eles também xingaram o deputado e alguns gritaram “falta de vergonha na cara”, “sou policial militar, pai de família”.

O delegado ressaltou que não se sentia intimidado pelos policiais militares que o xingavam em frente à delegacia. “Eu venho aqui a hora que quiser, não vou passar a mão na cabeça de delegado nem policial militar. Sou delegado de polícia, não tenho medo de nada”, disse.

O deputado também denunciou que o delegado, a família dele e a namorada estão sendo ameaçados. “Ele vai ser escoltado até em casa. Tem cabimento isso? Usar a força, a força é a caneta”, enfatizou.

Em contrapartida, o deputado estadual pelo PSDB Coronel Paulo Telhada, ex-comandante da Rota, defendeu o sargento Ogata e disse que a ação dele foi legítima. Para Telhada, o delegado autuou o sargento baseado apenas na palavra do criminoso. Ele reclama que o coronel do batalhão apresentou um relatório do GPS do carro dos policiais que mostra o caminho feito por eles.

“As nossas viaturas têm GPS e o engraçado é que para ajudar nossos policias ele não funciona. Para atrapalhar a vida do policial o GPS serve”, disse Telhada.

Segundo o tucano, o relatório mostra onde o suspeito foi preso, o caminho à casa dele –onde os policiais foram buscar documentos– e que os PMs seguiram direto à delegacia. ” Como eles torturam?”, questiona Telhada.

Na opinião do deputado, o delegado teve uma postura “bem tendenciosa”. Ele falou que nesta quarta vai tomar providências na Assembleia Legislativa e já ligou para o secretário da Segurança Pública de São Paulo, Alexandre de Moraes.

“Cria um clima desnecessário entre a Polícia Militar e a Civil. É uma pena que tenha acontecido isso”, lamenta Telhada. O deputado também lembrou que um policial quando vai prender um suspeito é obrigado às vezes a jogá-lo no chão e ele fica ferido. “Se todo o delegado tiver esta atitude acho que acabou a polícia”, enfatizou.

Transcrito da Folha de São Paulo ; nos termos do artigo 46 da Lei nº 9.610, de 19 de Fevereiro de 1998.‏

itaquera

  1. Vocês ai assistiram o video do delegado zanon torturando e batendo em um Creso dentro da delegacia? Quem de vocês vai lá prender o delegado? Enquanto vocês ficam com essa rivalidade idiota entre as polícias… O PCC ta ai… Matando cada vez mais policiais! Enquanto o crime se organiza, vocês ficam defendendo uma atitude idiota de um delegado com a bunda tao suja quanto! Bando de hipócrita! Mas a hora que um bandido enfiar a arma na cara de vocês… Qual é mesmo o numero da policia civil? Se descobrirem, liga lá e pede para correrem limpar suas calças sujas de medo do ladrão. Cada vez mais vocês estão contribuindo para a criação de um pais paraíso de corruptos e bandidos! Parabéns bando de imbecis

  2. Como tem policial civil bandido nesse site. VTNC! Tô lendo os comentários segurando a carteira. Vai se fuder. Carreira jurídica? Só no Brasil mesmo um policial que fala haver crime na tentativa de suicídio quer ser comparado a juiz ou promotor. Pra fazer esse bando de achacadores trabalhar o CPP foi alterado e já criaram uma resolução, agora só falta militarizar pra resolver de vez (é claro que mediante investigação social profunda com foco no enriquecimento ilícito) e os que não servirem que sejam remanejados para outras funções conforme prevê a CF88

  3. Os Charlie agora sao os Santarroes da vez. Sao os que mais enriquecem ilicitamente. E so fazer um raio-x no patrimonio x salario. Ai vcs vao ver as surpresas. Vivem com o nariz cheio de po branco, agora querem dar licao de moral. Vai te catar Charlie corrupto.

  4. Quem apoia bandido, é bandido, não importa a corporação a qual pertença, e bandidos existem em todos as instituições, agora o que não se pode admitir, é que fiquem falando mal da policia militar, que é instituição séria e garantidora da ordem.

  5. Nao sou Pm muito menos Pc, sou a populacao e na minha opiniao esse delegado tem raiva da Pm e agiu precipitadamente. Se eu fosse o sargento entraria com um processo contra esse delegado por falsa acusacao sem provas.
    Pra nos populacao a policia civil morre de imveja da Pm por ser a policia mais proxima de nos e tbm querida! Fora policia civil!!!

O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade civil e penal do comentarista que venha a ofender, perturbar a tranquilidade alheia, perseguir, ameaçar ou, de qualquer outra forma, violar direitos de terceiros.O autor do comentário deve ter um comentário aprovado anteriormente. Em caso de abuso o IP do comentarista poderá ser fornecido ao ofendido!...Comentários impertinentes ou FORA DO CONTEXTO SERÃO EXCLUÍDOS. Contato: dipolflitparalisante@gmail.com

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s