1. Vergonhosa esta atitude, quem vai para a guerra sem união já inicia perdendo, enquanto os ladrões de facções diferentes se unem, policiais se desune.

    Enviado pelo meu Windows Phone ________________________________

  2. Mike, não é pessoal, é uma questão de legalidade… Não acredite no discurso dos seus oficiais, eles tem interesses próprios.
    Além do que, tortura é tortura.

  3. Caros soldados da P.M…enquanto vocês submeterem-se cegamente as ordens dos oficiais, sem pensar, com certeza acabaram presos e abandonados pelos oficiais, mulheres e familia….lembrem-se deste conselho !
    Querem fazer média com os oficiais acabam tomando…..Tortura nunca mais!

  4. Parabéns ao Delegado.
    Que os pms entendam que se fizerem cagadas na rua, resolvam na rua.
    Querem trucidar os malas na cana e passarem o problema pra POLÍCIA CIVIL.
    Dessa vez não deu certo.
    Precisam aprender que PM, desde o comandante geral até o soldado que acabou de sair da escola SÃO SUBORDINADOS AO DELEGADO DE POLÍCIA QUE ACABOU DE SER NOMEADO.
    Simples assim…
    Ado, ado, ado…
    Cada um no seu quadrado.
    K
    K
    K
    K…
    Mais uma vez, PARABÉNS AO DELEGADO DE POLÍCIA.
    E não adianta fazer manifestos.
    Tá em cana por ter torturado.
    E parece que saiu a preventiva do PM.
    Buuurrrroooooo!
    Dessa vez não deu certo, …

  5. Raphael Zanon da Silva

    Graduação em Direito pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (2009). Pós Graduação em Direito Público pela Faculdade de Direito Damásio de Jesus e é especialista em Direito Processual Penal pela Escola Paulista de Magistratura-SP. É Pós Graduando em Direito Penal pela Escola Paulista de Magistratura. Ex Delegado de Polícia do Estado do Espírito Santo e atualmente é Delegado de Polícia Civil do Estado de São Paulo. É Professor de Direito Penal junto à Anhanguera Educacional. É pesquisador do Nucleo de Estudo e Pesquisa em Ciências Criminais – PUC-SP coordenado pelo Professor Guilherme de Souza Nucci.

  6. jhon em 21/10/2015 às 22:12
    antes burros do que ratos…

    ………
    Ah entendi.
    Tão usando carroça para furtar caixa eletrônico.

  7. café em 21/10/2015 às 22:32
    Raphael Zanon da Silva

    Graduação em Direito pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (2009). Pós Graduação em Direito Público pela Faculdade de Direito Damásio de Jesus e é especialista em Direito Processual Penal pela Escola Paulista de Magistratura-SP. É Pós Graduando em Direito Penal pela Escola Paulista de Magistratura. Ex Delegado de Polícia do Estado do Espírito Santo e atualmente é Delegado de Polícia Civil do Estado de São Paulo. É Professor de Direito Penal junto à Anhanguera Educacional. É pesquisador do Nucleo de Estudo e Pesquisa em Ciências Criminais – PUC-SP coordenado pelo Professor Guilherme de Souza Nucci.

    ………

    Dr. Não vou mentir. Acho que vocês delegados só pensam em vocês, raro algumas exceções, mas o senhor agiu certo. Fez tudo o que os delegados não tem feito há mais de 20 anos. Se toda ocorrência fosse feita corretamente os mikes pensariam duas vezes antes de sentar a mão e fazem isso em qualquer um hoje, é só ver a quantidade de agressões contra delegados em serviço e policiais de folga, sozinhos é claro, pois só agem em bando. No mano a mano não se garantem.
    Mas desculpem pela verdade, ainda sou a favor da extinção das classes de delegado, Major , tenente Coronel e Coronel, aposentadoria compulsória aos coxinhas e transposição dos delegados ao judiciário, mediante alteração constitucional. Vocês nunca farão nada pelos operAcionais e vocês saindo da Polícia, talvez daqui uns anos algum valorizAção pelo NU venha a nova Polícia.

  8. E pela primeira vez assisti os repórteres da globo citarem o preso (não o pm) como LADRÃO.
    Geralmente denominam como jovens, pedreiros, ajudantes, desempregados, etc…
    “O pm supostamente torturou o LADRÃO e foi preso pelo DELEGADO DE POLÍCIA”
    Supostamente?

  9. Parabéns Dr. Zanon,

    outro tópico:
    A Polícia civil precisa dos operacionais para ser a polícia do ciclo completo mais eficiente!
    Que belezura aquelas viaturas pretas…vou comprar uma miniatura hehe

  10. O que os pms tem de saber e entender é que não existe mais os delegados, delegados mesmos. Aqueles que até ajudavam a bater um pouco mais no ladrão. Agora é esta molecada se preparando para o o mp e magistratura. Cuidado galera ontem o pm amanhã você vai dar com os costados na pepc.

  11. NÃO CONCORDEI COM A ATITUDE DESTE DELEGADO. PODERIA TER CHAMADO O ÓRGÃO COMPETENTE QUE NO CASO SERIA A CORREGEDORIA DA PM. CABE A ELES CUIDAREM DE INFRAÇÕES COMETIDAS POR PMS. ESTA ATITUDE SÓ SERVE PARA ACIRRAR CADA VEZ MAIS A BRIGA DOS COMANDOS. E EU COMO OPERACIONAL QUERO QUE ESTES SE EXPLODANDAM TODOS JUNTOS, NOS QUE ESTAMOS NA RUA PRECISAMOS DE TODO EFETIVO DE RUA. ESTAMOS EM UMA GUERRA E ESTES IMBECIS FICAM BRIGANDO POR VAIDADES. JÁ EXISTE PROCEDIMENTO EFETUADO EM PORTARIA OBRIGANDO-SE ESTES IMBECIS QUANDO OCORREM OCORRÊNCIAS EMVOLVENDO POLICIAIS. CHAMAR A CORREGEDORIA EVITARIA TODO ESTE TRANSTORNO.

  12. LEI Nº 9.455, DE 7 DE ABRIL DE 1997.

    Define os crimes de tortura e dá outras providências.

    O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

    Art. 1º Constitui crime de tortura:

    I – constranger alguém com emprego de violência ou grave ameaça, causando-lhe sofrimento físico ou mental:

    a) com o fim de obter informação, declaração ou confissão da vítima ou de terceira pessoa;

    b) para provocar ação ou omissão de natureza criminosa;

    c) em razão de discriminação racial ou religiosa;

    II – submeter alguém, sob sua guarda, poder ou autoridade, com emprego de violência ou grave ameaça, a intenso sofrimento físico ou mental, como forma de aplicar castigo pessoal ou medida de caráter preventivo.

    Pena – reclusão, de dois a oito anos.

    § 1º Na mesma pena incorre quem submete pessoa presa ou sujeita a medida de segurança a sofrimento físico ou mental, por intermédio da prática de ato não previsto em lei ou não resultante de medida legal.

    § 2º Aquele que se omite em face dessas condutas, quando tinha o dever de evitá-las ou apurá-las, incorre na pena de detenção de um a quatro anos.

    § 3º Se resulta lesão corporal de natureza grave ou gravíssima, a pena é de reclusão de quatro a dez anos; se resulta morte, a reclusão é de oito a dezesseis anos.

    § 4º Aumenta-se a pena de um sexto até um terço:

    I – se o crime é cometido por agente público;

    II – se o crime é cometido contra criança, gestante, deficiente e adolescente;

    II – se o crime é cometido contra criança, gestante, portador de deficiência, adolescente ou maior de 60 (sessenta) anos; (Redação dada pela Lei nº 10.741, de 2003)

    III – se o crime é cometido mediante seqüestro.

    § 5º A condenação acarretará a perda do cargo, função ou emprego público e a interdição para seu exercício pelo dobro do prazo da pena aplicada.

    § 6º O crime de tortura é inafiançável e insuscetível de graça ou anistia.

    § 7º O condenado por crime previsto nesta Lei, salvo a hipótese do § 2º, iniciará o cumprimento da pena em regime fechado.

    Art. 2º O disposto nesta Lei aplica-se ainda quando o crime não tenha sido cometido em território nacional, sendo a vítima brasileira ou encontrando-se o agente em local sob jurisdição brasileira.

    Art. 3º Esta Lei entra em vigor na data de sua publicação.

    Art. 4º Revoga-se o art. 233 da Lei nº 8.069, de 13 de julho de 1990 – Estatuto da Criança e do Adolescente.

    Brasília, 7 de abril de 1997; 176º da Independência e 109º da República.

    FERNANDO HENRIQUE CARDOSO
    Nelson A. Jobim

  13. Basta. Chega de arredondar aquilo que está quadrado. Os Delegados de plantão precisam se impor mais. Precisam parar de aceitar tudo aquilo que os PMs dizem. Mesmo naquelas ocorrencias mais corriqueiras. Precisam deixar de apreender carros e motos só porque os PMs dizem estar com adulteraçao na numeracao do chassi, quando, na verdade, sabemos que essa alegação é simplesmente porque o condutor do veiculo não foi muito simpático ou submisso quando da abordagem. Instaura-se inquérito, carta laudo, perícia e … nada. A conclusão é que nenhuma adulteração existe. Os Delegados, nesses casos, deveriam exigir que os PMs indicassem a adulteração, mostrasse o número desalinhado e fazer consignar isso no histórico do RDO. Essa palhaçada iria, pelo menos, diminuir. E os proprietários dos veículos deveriam entrar com ação porque ficaram meses (ou anos) sem o seu veículo, sem nada dever.

  14. De pleno acordo INDIGNAÇAO, os caras não são peritos, eles inventam historinhas só pra ferrar com a vida do cara.

  15. tudo redondo…
    .
    Poder Judiciário decidiu:
    .
    Ladrão: fica preso.
    .
    PM torturador: fica preso.
    .
    simples assim !
    .
    AGORA, VAI AQUELA TURBA DE PMs ARRUACEIROS NA PORTA DO FÓRUM CRITICAR O JUIZ….
    .
    VÃO LÁ !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

  16. Parabéns ao Dr. Zanon, não são todos que arredondam para essa raça maldita.

  17. “Raphael Zanon da Silva

    Graduação em Direito pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (2009).”

    SEIS (6) ANOS DE FORMADO.
    QUANDO TIVER 36 COMO EU, VAI CONSEGUIR ENTENDER QUE A LAVRATURA DO FLAGRANTE CONTRA O SGTO. PM ERA NAQUELAS CIRCUNSTÂNCIAS DESNECESSÁRIA E, NO MEU SENTIR, ATÉ ILEGAL. A INSTAURAÇÃO DE UM IP TERIA RESOLVIDO ISSO DE UMA MANEIRA MUITO MAIS INTELIGENTE E EFICAZ.

  18. Esse ato do Dr. Zanon significa um divisor de águas na Polícia Civil, representa simplesmente o fim da omissão das Autoridades Policiais diante dos Soldados e Oficiais Militares, aliás, que nada mais são que a mesma coisa. Para que serve um Oficial PM? O pior é que quanto mais se graduam menos úteis e mais caros ficam os oficiais PM, pense bem qual a importância e utilidade de milhares de coronéis? Cito como exemplo o caso do Padre Coronel, portanto, acima de Major essa raça não serve para nada, a não ser onerar a folha de pagamento e sugar as regalias do Estado.

  19. Menos vai… Meeeenossss…. Que papo de baba ovo de delegado é esse??? QUE SOMOS TODOS O QUE???? UMA PINOIA!!!! O majura pode até tá correto mas sai pra lá com esse papo de somos todos….. Seu PUXA SACO BAJULADOR SEM VERGONHA!!!!!

  20. Bom dia!

    Senhoras e Senhores.

    Errar é humano, mas, persistir no erro é pura burrice.

    Lei à que ser seguida e devidamente cumprida. Não se deve aceitar exceções para que não haja distorções.

    Induzir é crime e incitar também é crime, porque querer intimidar ou ludibriar o trabalhador honesto neste momento, muitos não consideram crime?

    Houve excesso ou abuso de alguém? Se houve este há que ser apurado e os culpados devidamente punidos.

    O que não se admite é essa falta de respeito com a Autoridade legalmente constituída.

    O que não se admite é essa timidez em deixar certos eleitos vociferarem palavras à esmo dando cobertura a eventuais desculpas esfarrapadas em nome de um corporativismo danoso.

    Caronte.

  21. O que está em jogo na prisão do SGT. é a LEGALIDADE. A lei de tortura é clara, a Autoridade Policial, diante da suspeita fundada e de elementos de prova que indiquem um caso de tortura não pode se omitir. O Laudo de Exame de Corpo de Delito já estava nas mãos do Delegado (materialidade delitiva), e apontava lesões corporais condizentes com os fatos apurados (tortura). Houve contradição durante o interrrogatório do SGT. Cumpra-se a Lei.

    Não há que se falar em “aguarde-se inquérito”, mantendo o policial livre para poder coagir o preso. Isso termina por ocasionar o que sempre foi regra neste país, a SENSAÇÃO DE IMPUNIDADE que grassa na sociedade brasileira, sensação esta que é mais perniciosa para a polícia civil, CUJA FUNÇÃO CONSTITUCIONAL É APURAR AS INFRAÇÕES PENAIS, E TEMINA POR DESMORALIZÁ-LA PERANTE A POPULAÇÃO. Sempre falam da letargia da Polícia Civil, mas parece que ela não é tão letárgica assim.

    A importância desta prisão, convalidada em preventiva pelo judiciário, está justamente no fato de que a RESPOSTA estatal veio acompanhada de EFETIVIDADE. Se todos os Delegados de Polícia assim agissem, em médio prazo a ação da polícia militar nas ruas seria aperfeiçoada, e sua própria imagem MELHORARIA NO QUE PERTINE AO SEU MISTER DE POLICIAMENTO OSTENSIVO.

    Quanto a dizer que o Delegado deveria chamar a Corregedoria, o artigo 304, parágrafo 1o do Código de Processo Penal é claro em atribuir à Autoridade Policial o poder-dever de lavrar o flagrante e, em caso de ser outra autoridade competente, encaminhar o auto respectivo. Em cotejo com a lei de tortura, que fala “aquele que se omitir….”, não há qualquer resquício de dúvidas quanto à legalidade dos atos praticados pelo Dr. Zanon.

  22. Garantia de direitos? Bem, não é o que acontece quando quem está na mira são os operacionais. Na própria PCSP há n casos de operacionais prejudicados pelos DELPOL. Estou mentindo? Escalas absurdas, permutas indeferidas, sindicâncias por motivo torpe, etc…

    Há uma diferença entre #somostodosZanon e #somotodosPCSP.

    Por outro lado parabenizo o Dr. Zanon pelo seu currículo; já pode prestar concurso para a magistratura (menos dor de cabeça).

  23. Parabéns ao Doutor Zanon….se tivéssemos mais Delegados de Polícia como ele, os coxinhas não estavam tomando conta. Mas ainda há esperança…

  24. ESTÁ ERRADO O CORRETO SEGUE ABAIXO:

    #SOMOSTODOSCICLOCOMPLETO

    #SOMOSRESTOPOL1/3DOSALARIODELEGADO

  25. Houve toda uma grita, despropositada até não mais poder, em virtude do delegado do 103o DP da Capital ter flagranciado um policial militar pela suposta prática de tortura.
    Estranhamente, há quem se considere acima da lei.
    Na espécie, se a autoridade policial se persuadiu, com base nas provas amealhadas, de que crime de tortura ocorreu, na mais natural que elaborasse o ato constritivo em desfavor de seu autor suposto, militar ou não.
    Inadmissível, isso sim, é que policiais militares, capitaneados por seus hierarcas, sitiem uma repartição pública a pretexto de se fazer justiça. Uma justiça subjetiva e movida pelo mais subalterno espírito de corpo.
    Até onde sei, de acordo com a lei pátria vigente, autoriodade policial só tem uma: O delegado de polícia.

  26. Significado da abreviatura de “PM”:
    Polícia que Mata ou
    Polícia que Mente??????

    Atenção: Emergência ligue 153

  27. Primeiro : o delegado agiu certo? Sim, mas se tivesse um pouco mais de experiência poderia ter instaurado um inquérito quanto ao PM e não daria tudo isso. Isso se chama muita teoria e pouca prática. A lei é um lixo, infelizmente.

    Segundo : não vou falar somosTodosZanon porque no fundo ele é delegado de polícia, carreira a qual sempre foi contra o ciclo completo e a valorização dos operacionais (vide ameaça de canetada em caso de greve do restopol). Isso é coisa de delegado e puxa saco de delegado.

    Terceiro: se a vítima (roubada) fosse um parente dele, será que ele fritaria o PM?

    Quarto: PM sem noção.. Qualquer zé mané hj em dia sabe que dá para torturar sem deixar vestígios (não que eu esteja incitando tal ato). Talvez tenha sido levado pela emoção.

    Quinto (e mais perigoso): será que não haverá uma represália dos PM´s contra os PC´s, principalmente os delegados? Bandido que adora chacina geralmente já tem as vítimas certas: ou aqueles que têm passagem criminal ou que fizeram algo contra ele. E para fazer algo contra um PC basta uma campana próximo ao DP.

  28. Lembrando de um “causo”. Um colega Agepol, após um churrasco ao voltar pra casa pela rodovia dos Bandeirantes(SP-348), foi pego pela Rodoviária e enquadrado por embriaguês ao volante. Detalhe: o Delpol não tomou depoimento dele e nem deixou o mesmo entrar na delegacia; tendo que assinar o B.O. no capô do carro dele, além de ter a arma apreendida.
    Muita calma a todos!

  29. NOTA DE APOIO AO DELEGADO RAPHAEL ZANON E DE REPÚDIO ÀS AÇÕES DE ALGUNS POLICIAIS MILITARES EM SÃO PAULO

    A Federação Nacional dos Delegados da Polícia Civil, entidade de classe que congrega todos os Sindicatos dos Delegados de Polícia do Brasil, vem a público REPUDIAR, com veemência, as abusivas, criminosas e deploráveis ações ameaçadoras praticadas por um grupo de policiais militares em desfavor do delgado de polícia Raphael Zanon, responsável pela autuação em flagrante delito pelo delito de tortura de um sargento da Polícia Militar do Estado de São Paulo na data de 20 de outubro do corrente ano, quando a autoridade de polícia judiciária em referência trabalhava no exercício legítimo de suas atribuições no distrito policial do 103º DP – Itaquera/Cohab.

    A efetivação da prisão do policial militar pelo delegado de polícia não só obedeceu aos princípios da legalidade estrita e da dignidade da pessoa humana, mas sacramentou a importância de o Estado de Direito brasileiro consagrar e fortalecer de uma vez o papel da Polícia Judiciária como instância primacial na garantia da lei e na proteção dos direitos fundamentais do indivíduo.

    A decretação da prisão preventiva pela justiça paulista do policial militar suspeito de tortura e do homem detido suspeito de roubo, após manifestação do Ministério Público, ratificou a legalidade da prisão determinada pelo Delegado Zanon e retratou a importância da existência do cargo de Delegado de Polícia, fiscal da lei e garantidor dos direitos fundamentais do cidadão.

    Tentar aviltar ou impedir o livre exercício profissional do nobre delegado de polícia Raphael Zanon reflete não apenas uma potencial ação criminosa que enseja imediata providência apuratória por parte da Polícia Civil do Estado de São Paulo e da Corregedoria da Polícia Militar, mas a necessidade urgente e premente de adoção de diretrizes e providências no âmbito da Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo que inibam atitudes insurgentes ao Estado de Direito e aos princípios constitucionais tal como vergonhosamente vislumbrado na ação de alguns policiais militares contra o referido delegado de polícia, o qual teve que sair escoltado da unidade policial onde trabalha para que não sofresse represálias diversas.

    Mais que um abuso, o que se verificou neste lamentável episódio foi um atentado inaceitável ao ordenamento jurídico e ao sistema de segurança pública, o que vem a reforçar e expor à sociedade o risco gravoso à cidadania e à coletividade retirar da polícia judiciária a prerrogativa plena de investigação e análise da legalidade da prisão, assim como do respeito aos direitos fundamentais do cidadão, mesmo que esse cidadão seja um criminoso.

    Seja para qualquer servidor policial, não importando a corporação a qual exerça sua missão, a observância aos regramentos legais e constitucionais é uma vinculação contínua e compulsória no exercício das atribuições, devendo haver a aplicação rigorosa da lei frente a quaisquer desvios ou transgressões.

    A FENDEPOL manifesta seu apoio total ao delegado de polícia Raphael Zanon e lhe parabeniza pela atitude corajosa e firme em defesa da legalidade e dos direitos fundamentais, impedindo que persista a nefasta prática de se tolerar uma cultura de leniência ao amadorismo e tolerância com abusos que tanto agravaram a crise de legitimidade social que as instituições policiais sofreram após o regime militar, quando as Polícias eram instrumentalizadas para atos nefastos similares àquele devidamente analisado e coibido pelo Dr. Raphael Zanon.

    Informamos ao fim que cobraremos providências apuratórias e apoio ao dileto delegado de polícia junto ao Secretário de Segurança Pública do Estado de São Paulo, ao Delegado-Geral, ao Ministério Público para que não se legitimem mais em nosso Estado Democrático de Direito ações próprias de regimes de exceção e não condizentes com uma segurança pública racional e profisisonal.

    Assinado no original
    José Paulo Pires
    Presidente da Federação Nacional dos Delegados de Polícia Civil

  30. Todos Zanon, e sobre o vídeo que está bombando no face desse tal de Zanon, batendo na cara de um cidadão, não é tortura? Kkkkk acho que o tiro saiu pela culatra…

  31. Uma coisa é certa, esse fato demonstra a união da Polícia Militar frente a sua estrutura, bastou a prisão de um de seus milhares de sargentos, para desencadear uma reação em cadeia, tanto dos oficiais tanto dos soldados, em apoio a esse sargento, a união é tanta que partiram para guerra contra toda Polícia Civil, pela causa de um soldado.

    Agora se fosse um “restopol”? Jamais a classe dos delegados iria nos dar apoio ou proteção, seriamo jogados aos leões, seriamos mutilados, porque os delegados só pensam em si, e esquecem a estrutura que comandam, que está morrendo e se extinguindo, hoje os delegados não se veem mais como policiais, e por isso deixaram os operacionais no mais completo abandono, diante dos fatos, a união e luta de Polícia Militar civil pela causa de seu soldado em apuros, deve servir de exemplo aos gestores delegados da Polícia Civil, de como lutar pela instituição, pela causa e pela estrutura, mesmo se a causa significar um soldado, mas esse soldado é a estrutura da Polícia Militar, assim como o Policial Operacional é a estrutura da Polícia Civil, que vocês delegados abandonaram e esqueceram.

  32. Dr. Tovani, com todo o respeito gostaria de informar um ocorrido na Delegacia Seccional de Polícia de Rio Claro, a pouco tempo, no plantão policial onde o Delpol que responde pela Corregedoria Auxiliar da Delsecpol se encontrava de plantão.

    O caso bem resumido foi mais ou menos assim : Alguém determinou que Policiais Pms da Rota fossem patrulhar o município de Rio Claro, foram vários dias e numa dessas abordagens que ele fizeram levaram o abordado para o plantão policial e deu no que deu !

    A Autoridade não fez o que eles pediram para fazer, deu um rolo danado e o pior, o Delegado tomou uns tapas na frente de todos que estavam no plantão, sacaram das armas e afrontaram a todos. Quebraram se eu não me engano até os óculos do Delegado. Cometeram um crime não ???

    “A INSTAURAÇÃO DE UM IP TERIA RESOLVIDO ISSO DE UMA MANEIRA MUITO MAIS INTELIGENTE E EFICAZ “.

    Foi feito o B.O e Instaurado o I.P em Rio Claro, quem quiser saber o resultado …

  33. FAÇO MINHA SUAS PALAVRAS INVESTIPOL DECAP ,SE A POLICIA CIVIL ESTA COMO ESTA HOJE A CULPA E DELES DELEGADOS DE POLICIA….ABRIRAM MÃOS DE TER O EFETIVO DA POLICIA CIVIL A SEU FAVOR E HOJE PEDEM PARA QUE O RESTOPOL VÁ NA ASSEMBLEIA PRESSSIONAR CONTRA ESSE TAL CICLO ,VÃO OS SRS .EXCELENTISSIMOS DELEGADOS FAZER NUMERO E PEDIR ,PORQUE O EFETIVO REALMENTE OPERECIONAL DA POLICIA CIVIL ,QUER MAIS É VER O MAR PEGAR FOGO PARA PODERMOS COMER UM PEIXINHO FRITO ,JA QUE SÓ OS SENHORES TEM DIREITOS QUANDO A SITUAÇÃO E AUMENTO.

  34. INVESTIPOL DECAP, certamente o senhor deve ser pm, caso nao seja, fique a vontade. Seja o primeiro policial civil a prestar concurso para pm. Muita infantilidade pensar que os oficiais estão preocupados com o tal sargento. A briga é outra caro “colega”. Se for tira mesmo, não tem realmente o minimo de capacitação para a importancia da carreira que ocupa. Oficiais sequer almoçam no mesmo ambiente que seus subordinados. Estão preocupados sim com a imagem da corporação; com o tal ciclo completo da pm. Analise a pesquisa da Senasp e vera a porcetagem de policiais militares que querem a desmilitarização. Você, caso realmente seja tira do decap, deve ser daqueles que nao faz absolutamente nada em prol do cidadão, nao atende sequer um telefone no plantão e ainda fica criando celeumas na propria instituição. No minimo deve ser um frustrado que fez uma faculdadezinha de 5 categoria e nao consegue passar para o concurso de delegado.

  35. Eu quero a desmilitarização, aí posso passear de viatura esperando terminar o horário, sem oficial oficial para “encher o saco”, e poderemos fazer greve para aumentar o salario. Todos a favor da PEC 51/2013 (desmilitarização). Ciclo completo e continuar militar vai ser mais serviço apenas.

  36. Novo vídeo de delegado fazendo ciclo completo moralista, covarde e hipocrita. Nada como um bunda suja. É só pra não perde a piada….lembre-se copforever que sirva de exemplo vai estuda seu jegue…

  37. Será que o Telhada e Olim estão fazendo algum empenho lá na ALESP para reajustar nossos salários? Estamos passando fome e não vejo ninguém brigando por melhorias salariais para nós, só vejo propagandas enganosas e bafão como esse do 103 DP, mas legislar e fiscalizar o Executivo que é bom, nada né? CADE A PORRA DA REPOSIÇÃO SALARIAL DE 2015? JÁ ESTAMOS NO FINAL DO MÊS DE OUTUBRO E NINGUÉM SABE DE NADA E VAI FICAR POR ISSO MESMO PORRA?

  38. Sou Praça e digo: O Ministério Público, a PRF, a PF (menos delegados), a PM (menos praças) estavam apoiando o ciclo completo. Com a “molecagem” do citado delegado, agora as praças que odiavam os oficiais e tinham certa admiração pela Polícia Civil (e isso, verifica-se pela grande quantidade de Policiais civis que eram PMs, inclusive vários delegados) passaram a apoiar os oficiais, ou seja, vai ficar mais difícil ainda evitar o ciclo completo. Para os cidadãos (parentes, amigos, etc) que conheço falarei: a partir de agora a PM vai diminuir as prisões, pois pode ser que na apresentação da ocorrência o policial militar seja preso, já que os delegados estão visando, por vingança, prender os policiais militares que arriscam suas vidas para prender os criminosos, com o intuito de garantir poder kkkkk.

  39. quero ver o MP ir pra cima da PM com isso... quero ver a "independência e imparcialidade" disse:

    Quero ver se o MP vai acusar esse Sargento ou os PMs que estão ameaçando o Delegado.
    O MP também está na mão da PM, morrem de medo de perder o apoio da PM em suas operações abusivas.
    Quero ver se algum promotor tem coragem de investigar esses casos de superfaturamento nas licitações da “gloriosa”. Vai fazer a lava jato parecer esmola.
    São licitações analisadas e abafadas no Tribunal de Contas do Estado, quem tiver interesse procure os casos TC-41911/026/11 e TC-6459/026/12
    Depois passem para o MP e quero ver o que vão fazer. Com certeza se fosse da PC iriam iguais a um pit bull pra cima da PC, mas na PM vão ficar com o rabo entre as pernas MP frouxo, cheio de biba que gosta de dar entrevista mas são frouxos.
    Mas duvido que algum promotor vá fazer alguma coisa.
    Se alguém conseguir acesso aos autos por favor coloque aqui no flit, vai ser o maior escândalo da “gloriosa”.
    Segura essa coxinhas…

  40. É esse caso e mais outros que acontece isso !

    Vamos nos respeitar, e parar de proteger os Pms que trabalham errado. Muitos são do bem, mas não podem achar que podem tudo.

    Eu vou ver muita gente chorar quando as vitimas forem das vossas famílias, parem de induzir a sociedade dizendo que bandido bom é bandido morto; Isso só vai gerar violência !!!

    Assistam e vejam os modos operandi

    http://douto.com.br/delegado-tenente-da-rota-dp-rio-claro

    /http://www.folha.com.br/ct889745

Os comentários estão desativados.