1. Pegou mal o delegado sair escoltado pelo GOE. Era melhor, então, não sair, ficar no DP trabalhando, até que pudesse sair sem escolta.
    Mostrou-se medroso.

  2. Fez certo em pedir escolta, ele é apenas um homem contra um exercito furioso, fazer o que ele fez de forma redonda e bem feita, tem seus riscos, que poucos delegados tem a coragem de assumir, diante do poderio numérico, bélico, estrutural e político da PM.

  3. Os leões de teclado aqui presentes, não possuem 1% da coragem desse delegado, ele não é o HULK para enfrentar um exercito adestrado e furioso, a escolta foi consequência de seu ato corajoso, de se impor diante de criminosos fardados, depois de peitar um sistema militar de 150 mil homens, sentir medo é mais que natural, esse episódio mostra que enquanto existir duas policiais tão diferentes, sempre vamos precisar de equipes como G.O.E, GARRA e G.E.R, afinal, atos como o de Rio Claro e o de ontem, remetem a necessidade de proteção por grupos preparados para crise, temos um efetivo velho e pequeno, e grupos especializados se faz necessário diante de cães sedentos por violência e poder.

  4. É isso ai parabéns deputado dr. Olin, apareceu, até que enfim!!!!!!!

  5. Isso não é medo é prevenção, a final quando se lida com bandidos, bando, formação de quadrilha isso se torna necessário. Como já disse antes. Agiu corretamente, já foi a época em que se podia descer o braço. Fez por conta própria. Segura.
    E mais, senhores policiais, sejam civis ou militares se for preciso atirem mas nunca torturem, morto não fala e o povo não defende a polícia, só quando são ameaçados para isso, costume militar também..

  6. Vejam bem, aconteceu e já foi decretado o fato, ainda talvez culpado, mas nada que não posas ser mudado. Fica aqui para todos que aqui escrevam: todos, pelo menos acho que todos que escrevem aqui são policiais, mas lembrem-se que mesmo quem esta apanhando, tem uma família como todos aqui, e que apontar é mais fácil do que se imagina, principalmente pelos cabaços que aqui escrevem, que pelo que se dar a perceber, nuca estiveram na rua, não sabem o que é isso, uma quebrada, um beco, uma favela ou mesmo um boteco na viela. Se acham a última bolacha do pacote, soberanos, seres compreensíveis, dotados de extrema destreza com o crime, que pena. dá até raiva é alheia, coisa dos outros, como o desrespeito do ser menor, ladrão. Todos bebemos da mesma água, somos capachos do poder que vem acima, independente da corporação que fazemos parte, todos de cima estão pouco, salve exceções, se lixando com o resultado positivo que vai acontecer ao pobres operacionais mortais, pois que se matem ou se lixem, pois no final a tal Pec servirá apenas para alguns, e, você, que está preocupado se fulano daqui ou dali é mau, saberá que a grama a ser ingerida será parte do seu cardápio em todas as pastelarias do famigerado Decap.

  7. Infelizmente, a atitude deste Delegado é exceção e não regra. Espero que sirva de exemplo a ser seguido.

  8. MEDROSO?! PUTA QUE PARIU AINDA TEM QUE OUVIR UMA MERDA DESSA… MEDROSO SÃO TODOS OS OUTROS DELEGADOS QUE NUNCA FIZERAM POR MERECER MAIS DO QUE ESTE QUE AGORA RESGATA TODO O SIGNIFICADO DA EXPRESSAO “AUTORIDADE POLICIAL”.

    Dr. ZANON, DEUS SABE O TAMANHO COLOSSAL DE SUA CORAGEM. MANDE TODOS ESSES OPINADORES DE BUTECO ESCLEROSADOS AO RIDÍCULO DE SUAS VIDA PEQUENAS.

  9. Bom dia!

    Senhoras e Senhores

    O pior tiro não é àquele que sabemos ser originado da arma de um “bandido” ,mas sim, daquele que se intitula ser “amigo”.

    Delegado de Policia fez o certo em não dar mais motivos para alguns quererem subir no ibope às custas de desgraças orquestradas.

    Infelizmente meus caros se vivemos hoje nesta eventual desordem, muitos podem ter a certeza de que estas são orquestrada à muito por certos indesejáveis que idolatram a desinformação, a hipocrisia, a falsidade, a inércia e quiçá a conivência de certos políticos.

    Quem sofre com tudo isso?

    A Sociedade sofre; a População sofre; o Homem e a Mulher honesta sofre; a Família Policial sofre; e, o Contribuinte honesto sofre e, o que é ainda pior, acaba ficando com o prejuízo no bolso.

    O cidadão de bem é como uma formiguinha à trabalhar, sempre em prol da harmonia e de uma sociedade justa, enquanto outros tantos opostos, são como um bando de pragas a dilapidar e prejudicar.

    Caronte.

  10. Parabens Deputado Olim!! Até que enfim uma voz a nosso favor na Assembléia.

  11. OH Tovani. Que merda tu disse. Há uma enorme diferença entre covardia, amedrontamento e equilibrio e sensatez. O Zanon foi equilibrado e sensato.

  12. TIRA VEIO, LEÕES DE TECLADO É ÓTIMA.

    DELEGADO ZANON MEDROSO?

    O BRASIL PRECISA DE MAIS DELEGADOS ZANON E JUÍZES MORO E MENOS LEÕES DE TECLADOS.

    COM A PALAVRA A ASSOCIAÇÃO DOS DELEGADOS.

    E O EGRÉGIO CONSELHO DA POLÍCIA CIVIL?

  13. O FIM JUSTIFICA O MEIO. AGORA ESSE DELEGADO SAI DAQUELE FIM DE MUNDO. SÓ ASSIM MESMO. KKKKKKKK
    AQUI NA POLÍCIA CIVIL E ASSIM, CADA UM CUIDA DO SEU.

  14. Delegacia ruim. Fica no meio da cohab II nas quebradas de Itaquera. Ninguém quer trabalhar nessa unidade. Agora o delegado conseguiu o que queria. Certamente será removido para algum departamento mais interessante. Estratégia eficiente.

  15. O pior disso tudo é que tem puxa sacos endeusando o deputado Olin. Vocês são loucos? Passem a dar credibilidade a ele quando ele apresentar projetos do interesse da PC e quando ele subir à tribuna na Alesp pra defender os interesses dos PCs. Até agora ficou só na promessa e até onde eu sei, ele faz parte da base aliada do Alckmista.

  16. Os operacionais da Polícia Civil devem assistir essa briga da arquibancada.

  17. WAGNER, COM O DEVIDO RESPEITO, NÃO SE TRATA DE BRIGA.

    A POLÍCIA MILITAR NA SUA IMENSA MAIORIA SÃO CORAJOSOS E DEDICADOS EM SUA IMPORTANTE MISSÃO, QUE É A DE EVITAR QUE CRIMES OCORRAM.

    TRATA-SE DO IMPÉRIO DA LEI E O DELEGADO DE POLÍCIA PELAS NORMAS EM VIGOR É A AUTORIDADE PÚBLICA QUE FAZ A ADEQUAÇÃO DO FATO TRAZIDO AO SEU CONHECIMENTO AO TIPO PENAL PREVISTO EM NOSSA LEGISLAÇÃO PÁTRIA.

    DE MODO ALGUM, DIZ RESPEITO ÀS DISCUSSÕES DEMOCRÁTICAS DO CICLO COMPLETO DE POLÍCIA.

    NA MINHA MODESTA OPINIÃO, A POLÍCIA ESTADUAL DEVERIA SER ÚNICA, CIVIL E COM UM CORPO UNIFORMIZADO COM APENAS TRÊS POSTOS: GUARDA (COMO A SAUDOSA GUARDA CIVIL QUE FOI UNIFICADA COM A FORÇA PÚBLICA), SARGENTO E TENENTE.

    OS ATUAIS POSTOS SERIAM EXTINTOS NA VACÂNCIA, GARANTINDO-LHES O DIREITO ADQUIRIDO.

    CONCURSO ÚNICO E INICIAL PARA A POLÍCIA ESTADUAL, ASSIM, O SISTEMA DE TRANSPORTES, COMUNICAÇÕES, RH, ARMAMENTOS, PRÉDIOS, ETC TERIA UMA EFICAZ GESTÃO EM TODOS OS SEUS SEGMENTOS.

    A POPULAÇÃO MERECE ESSE LEGADO, JAMAIS ESQUECENDO A HISTÓRIA DESSAS INSTITUIÇÕES POLICIAIS, POIS MUITOS POLICIAIS MILITARES E CIVIS TOMBARAM NO CUMPRIMENTO DO DEVER. MERECEM E DEVEM SEREM LEMBRADOS POR DAREM SUAS VIDAS EM DEFESA DE SEUS SEMELHANTES, OU SEJA, A MAIS NOBRE FORMA DE DEIXAR A EXISTÊNCIA TERRENA E RETORNAR À PÁTRIA ESPIRITUAL.

    SIMPLES ASSIM.

  18. Me desculpem, mas a Polícia Civil não tem representante na assembléia não. Esse aí é representante dos DELEGADOS. Pq os operacionais estão só se lascando. Ganham menos da metade do que o majura ganha e não tem nem sombra de mudança neste prisma. Enquanto minguamos com um aumento dado o ano passado de míseros 100 reais na prática, os delegados ganharam mais de 2000 de aumento. E não adianta falar aqui que o adicional de carreira jurídica não é aumento… se não é, dá os seus 2000 pra mim que eu to precisando e muito.
    Enquanto cada um ficar vendo seu cargo isoladamente, operacionais vão sempre se f***** na Polícia Civil. Escrivães, Investigadores, Agentes, Carcereiros, AgTel etc, etc, etc, tinham que parar com as babaquices e gritar em uníssono que merecem um salário digno e não ficar com mimimi de carreira de nível superior ou qualquer outra besteira… Pra isso deveriam ter eleito um representante dos OPERACIONAIS.
    Esse aí defende os delegados só… Assim como foi deixado bem claro pela associação dos majuras… Será que se fosse um Investigador precisando de ajuda, esse sr. Olim estaria lá? Sinceramente, eu duvido… E MUITO!
    PS: Não tem nada a ver mesmo com o assunto do vídeo. Mas tem a ver com o que o título da matéria quer nos passar: “nós temos representatividade na Assembléia”. NÃO, NÃO TEMOS… Só os Delegados têm.

  19. NOTA DE APOIO AO DELEGADO RAPHAEL ZANON E DE REPÚDIO ÀS AÇÕES DE ALGUNS POLICIAIS MILITARES EM SÃO PAULO

    A Federação Nacional dos Delegados da Polícia Civil, entidade de classe que congrega todos os Sindicatos dos Delegados de Polícia do Brasil, vem a público REPUDIAR, com veemência, as abusivas, criminosas e deploráveis ações ameaçadoras praticadas por um grupo de policiais militares em desfavor do delgado de polícia Raphael Zanon, responsável pela autuação em flagrante delito pelo delito de tortura de um sargento da Polícia Militar do Estado de São Paulo na data de 20 de outubro do corrente ano, quando a autoridade de polícia judiciária em referência trabalhava no exercício legítimo de suas atribuições no distrito policial do 103º DP – Itaquera/Cohab.

    A efetivação da prisão do policial militar pelo delegado de polícia não só obedeceu aos princípios da legalidade estrita e da dignidade da pessoa humana, mas sacramentou a importância de o Estado de Direito brasileiro consagrar e fortalecer de uma vez o papel da Polícia Judiciária como instância primacial na garantia da lei e na proteção dos direitos fundamentais do indivíduo.

    A decretação da prisão preventiva pela justiça paulista do policial militar suspeito de tortura e do homem detido suspeito de roubo, após manifestação do Ministério Público, ratificou a legalidade da prisão determinada pelo Delegado Zanon e retratou a importância da existência do cargo de Delegado de Polícia, fiscal da lei e garantidor dos direitos fundamentais do cidadão.

    Tentar aviltar ou impedir o livre exercício profissional do nobre delegado de polícia Raphael Zanon reflete não apenas uma potencial ação criminosa que enseja imediata providência apuratória por parte da Polícia Civil do Estado de São Paulo e da Corregedoria da Polícia Militar, mas a necessidade urgente e premente de adoção de diretrizes e providências no âmbito da Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo que inibam atitudes insurgentes ao Estado de Direito e aos princípios constitucionais tal como vergonhosamente vislumbrado na ação de alguns policiais militares contra o referido delegado de polícia, o qual teve que sair escoltado da unidade policial onde trabalha para que não sofresse represálias diversas.

    Mais que um abuso, o que se verificou neste lamentável episódio foi um atentado inaceitável ao ordenamento jurídico e ao sistema de segurança pública, o que vem a reforçar e expor à sociedade o risco gravoso à cidadania e à coletividade retirar da polícia judiciária a prerrogativa plena de investigação e análise da legalidade da prisão, assim como do respeito aos direitos fundamentais do cidadão, mesmo que esse cidadão seja um criminoso.

    Seja para qualquer servidor policial, não importando a corporação a qual exerça sua missão, a observância aos regramentos legais e constitucionais é uma vinculação contínua e compulsória no exercício das atribuições, devendo haver a aplicação rigorosa da lei frente a quaisquer desvios ou transgressões.

    A FENDEPOL manifesta seu apoio total ao delegado de polícia Raphael Zanon e lhe parabeniza pela atitude corajosa e firme em defesa da legalidade e dos direitos fundamentais, impedindo que persista a nefasta prática de se tolerar uma cultura de leniência ao amadorismo e tolerância com abusos que tanto agravaram a crise de legitimidade social que as instituições policiais sofreram após o regime militar, quando as Polícias eram instrumentalizadas para atos nefastos similares àquele devidamente analisado e coibido pelo Dr. Raphael Zanon.

    Informamos ao fim que cobraremos providências apuratórias e apoio ao dileto delegado de polícia junto ao Secretário de Segurança Pública do Estado de São Paulo, ao Delegado-Geral, ao Ministério Público para que não se legitimem mais em nosso Estado Democrático de Direito ações próprias de regimes de exceção e não condizentes com uma segurança pública racional e profisisonal.

    Assinado no original
    José Paulo Pires
    Presidente da Federação Nacional dos Delegados de Polícia Civil

  20. o sargento não é santo possui antecedentes em andamento por praticas de delitos de homicidios os quais ainda não foram julgados

  21. Quem tem representante na ALESP são os Delegados.

    Restopol não tem representante.

  22. Viatura da Polícia Civil é incendiada por criminosos em Ilha Solteira.
    Uma viatura de patrulhamento da Polícia Civil de Ilha Solteira (SP) pegou fogo durante a madrugada desta quinta-feira (22). De acordo com informações da Polícia Militar, pessoas que moram perto da delegacia disseram que dois homens em uma moto teriam parado, colocado fogo no veículo e fugido em seguida.
    A polícia fez buscas na região para tentar identificar os criminosos, mas não os encontrou. A parte da frente da viatura ficou totalmente destruída.
    Os bombeiros foram acionados e isolaram a área para controlar as chamas. O local onde as viaturas da polícia ficam estacionadas é aberto, o que facilita o acesso de qualquer pessoa ao local. Ninguém se feriu.

  23. Tem um vídeo rolando aí de tortura dentro da delegacia. Dizem que é um Deputado Delegado.

  24. “Segundo denúncia feita à Corregedoria da polícia de São Paulo, a partir de uma publicação no Facebook, o delegado Antonio de Olim teria usado um carro da polícia descaracterizado para transportar o jornalista Cesar Tralli e o também jornalista Robinson Cerântula, produtor especial do Jornal Nacional,…”

    É este aí o herói de vocês?

  25. Antônio Assunção de Olim foi denunciado à Justiça pelo Ministério Público pelos crimes de tortura e abuso de poder

    Pedida prisão de delegado da anti-seqüestro
    ANDRÉ CARAMANTE
    DO “AGORA”

    O Ministério Público pediu a prisão preventiva de um dos principais delegados da Polícia Civil paulista, especializado no combate aos crimes de seqüestro: Antônio Assunção de Olim, 45, da DAS (Divisão Anti-Seqüestro).
    O pedido, encaminhado à Justiça na última sexta-feira, é assinado por três promotores e acusa Olim de ter comandado uma série de crimes contra três moradores do Jardim Planalto, em Sapopemba (zona leste), no dia 24 de abril do ano passado, quando a DAS investigava um seqüestro sofrido pelo empresário P.N.B.
    De acordo com a denúncia do Ministério Público, além do delegado Olim, que é acusado pelos crimes de tortura e abuso de poder, outros cinco policiais civis -Éder França, 39, e Carlos Alberto Uehara, 37, ambos do 70º DP (Sapopemba), e Marcos de Franco, 39, Anselmo Silvestre Sanches, 37, e o também delegado Fábio Nelson Fernandes, 33, todos da DAS- colaboraram, direta ou indiretamente, nas sessões de torturas físicas e psicológicas promovidas contra o casal L.Z.A. e J.O.A. e contra W.M.M.B.
    Fernandes e Sanches foram denunciados porque não teriam feito nada para impedir as torturas.
    Os “maus-tratos e as prisões arbitrárias” que teriam sido lideradas por Olim, segundo o Ministério Público, apontam que ele “agiu fora da lei com o intuito de obter uma confissão de participação” das três pessoas no seqüestro do empresário, que havia sido libertado do cativeiro no dia anterior -23 de abril de 2003.
    A equipe do delegado chegou, no dia 24, à casa de J. e L. porque o empresário a indicara como sendo o local do cativeiro.
    Foi lá, na frente dos filhos do casal, que Olim e seus subordinados, principalmente o investigador Marcos de Franco, ainda segundo a Promotoria, agrediu-os seguidas vezes, desferindo, além de tapas, socos e golpes com canos das armas que portavam. Teria havido, ainda, xingamento e ameaça de que os filhos do casal iriam “parar na Febem”.
    Por causa da suposta tortura cometida contra o casal, uma vizinha deles, grávida de três meses, C.G.S., teria perdido a criança. Para o Ministério Público, o aborto ocorreu porque ela foi ameaçada e xingada pelos policiais quando tentava descobrir o que acontecia.
    Mesmo sem ter mandado de prisão ou de busca contra o casal e contra W. -que foi preso nas ruas do Jardim Planalto e não conhecia o casal-, Olim, dizem os promotores, manteve-os presos em celas da sede da DAS, na avenida Higienópolis (centro), entre as 14h e as 23h, quando todos foram liberados por falta de provas.
    J., L. e W. disseram ao Ministério Público que, na DAS, além de apanharem de outros policiais -que não conseguiram reconhecer-, foram submetidos a torturas com gás pimenta.

    Exposição
    Outro item destacado na denúncia da Promotoria contra o delegado Olim é o de que ele “expôs ao vexame” público as três vítimas de seus supostos abusos.
    Olim e seus homens teriam permitido que J., L. e W. fossem filmados, inclusive ao vivo, por programas policiais de redes de TV.
    Segundo o Ministério Público, em alguns momentos da reportagem sobre o caso, “o delegado assume o papel de jornalista”.
    O delegado teria chegado a afirmar aos programas de televisão que se tratava de “um casal de seqüestradores que alugava cativeiros”, informa a Promotoria.

    ESTE AÍ É O HERÓI DE VOCÊS?

  26. Antônio Assunção de Olim foi denunciado à Justiça pelo Ministério Público pelos crimes de tortura e abuso de poder

    Pedida prisão de delegado da anti-seqüestro
    ANDRÉ CARAMANTE
    DO “AGORA”

    O Ministério Público pediu a prisão preventiva de um dos principais delegados da Polícia Civil paulista, especializado no combate aos crimes de seqüestro: Antônio Assunção de Olim, 45, da DAS (Divisão Anti-Seqüestro).
    O pedido, encaminhado à Justiça na última sexta-feira, é assinado por três promotores e acusa Olim de ter comandado uma série de crimes contra três moradores do Jardim Planalto, em Sapopemba (zona leste), no dia 24 de abril do ano passado, quando a DAS investigava um seqüestro sofrido pelo empresário P.N.B.
    De acordo com a denúncia do Ministério Público, além do delegado Olim, que é acusado pelos crimes de tortura e abuso de poder, outros cinco policiais civis -Éder França, 39, e Carlos Alberto Uehara, 37, ambos do 70º DP (Sapopemba), e Marcos de Franco, 39, Anselmo Silvestre Sanches, 37, e o também delegado Fábio Nelson Fernandes, 33, todos da DAS- colaboraram, direta ou indiretamente, nas sessões de torturas físicas e psicológicas promovidas contra o casal L.Z.A. e J.O.A. e contra W.M.M.B.
    Fernandes e Sanches foram denunciados porque não teriam feito nada para impedir as torturas.
    Os “maus-tratos e as prisões arbitrárias” que teriam sido lideradas por Olim, segundo o Ministério Público, apontam que ele “agiu fora da lei com o intuito de obter uma confissão de participação” das três pessoas no seqüestro do empresário, que havia sido libertado do cativeiro no dia anterior -23 de abril de 2003.
    A equipe do delegado chegou, no dia 24, à casa de J. e L. porque o empresário a indicara como sendo o local do cativeiro.
    Foi lá, na frente dos filhos do casal, que Olim e seus subordinados, principalmente o investigador Marcos de Franco, ainda segundo a Promotoria, agrediu-os seguidas vezes, desferindo, além de tapas, socos e golpes com canos das armas que portavam. Teria havido, ainda, xingamento e ameaça de que os filhos do casal iriam “parar na Febem”.
    Por causa da suposta tortura cometida contra o casal, uma vizinha deles, grávida de três meses, C.G.S., teria perdido a criança. Para o Ministério Público, o aborto ocorreu porque ela foi ameaçada e xingada pelos policiais quando tentava descobrir o que acontecia.
    Mesmo sem ter mandado de prisão ou de busca contra o casal e contra W. -que foi preso nas ruas do Jardim Planalto e não conhecia o casal-, Olim, dizem os promotores, manteve-os presos em celas da sede da DAS, na avenida Higienópolis (centro), entre as 14h e as 23h, quando todos foram liberados por falta de provas.
    J., L. e W. disseram ao Ministério Público que, na DAS, além de apanharem de outros policiais -que não conseguiram reconhecer-, foram submetidos a torturas com gás pimenta.

    Exposição
    Outro item destacado na denúncia da Promotoria contra o delegado Olim é o de que ele “expôs ao vexame” público as três vítimas de seus supostos abusos.
    Olim e seus homens teriam permitido que J., L. e W. fossem filmados, inclusive ao vivo, por programas policiais de redes de TV.
    Segundo o Ministério Público, em alguns momentos da reportagem sobre o caso, “o delegado assume o papel de jornalista”.
    O delegado teria chegado a afirmar aos programas de televisão que se tratava de “um casal de seqüestradores que alugava cativeiros”, informa a Promotoria.

    ESTE AÍ É O HERÓI DE VOCÊS?…

  27. Não sei quem esse senhor representa a não ser uma córgia de delegados inúteis para a polícia civil a muito tempo e um bando de maçanetas aproveitadores. Kkkkkkj essa polícia civil tem que acabar mesmo da vergonha.

  28. FALO NA CARA..

    Caramba meu……… o DEPUTADO DELEGADO DR OLIM levou 2 repórter em uma viatura descaracterizada?

    Isso sim é um crime heim, deveria ser condenado a pena de prisão perpétua você não acha?

    Talvez pela corte interamericana de delitos gravíssimos.

    Ainda foi CAGUETADO na corró. putz, isso é muito sério.

    Deve ter sido caguetado por um de seus pares não é mesmo seu babaca!

    Não levou seu cachorrinho para passear como acontece com os soldadinhos a mando dos oficiais, tampouco usou os presos do ROMÃO para reformar sua casa.

    Toma vergonha na sua cara.

  29. Uma coisa é certa, esse fato demonstra a união da Polícia Militar frente a sua estrutura, bastou a prisão de um de seus milhares de sargentos, para desencadear uma reação em cadeia, tanto dos oficiais tanto dos soldados, em apoio a esse sargento, a união é tanta que partiram para guerra contra toda Polícia Civil, pela causa de um soldado.

    Agora se fosse um “restopol”? Jamais a classe dos delegados iria nos dar apoio ou proteção, seriamo jogados aos leões, seriamos mutilados, porque os delegados só pensam em si, e esquecem a estrutura que comandam, que está morrendo e se extinguindo, hoje os delegados não se veem mais como policiais, e por isso deixaram os operacionais no mais completo abandono, diante dos fatos, a união e luta de Polícia Militar civil pela causa de seu soldado em apuros, deve servir de exemplo aos gestores delegados da Polícia Civil, de como lutar pela instituição, pela causa e pela estrutura, mesmo se a causa significar um soldado, mas esse soldado é a estrutura da Polícia Militar, assim como o Policial Operacional é a estrutura da Polícia Civil, que vocês delegados abandonaram e esqueceram.

  30. UMA COISA QUE ATÉ AGORA NINGUÉM RESPONDEU: POR QUE O ZANOM NÃO ACEITOU O LAUDO DO GPS? Me respondam essa, “Zebras de Teclado”

    ISSO FICA CLARO QUE A AÇÃO DO DELEGADO BANDIDO, QUE SEMPRE TENTA INVERTER AS SITUAÇÕES NA SUA DITA DELEGACIA, FOI EXTREMAMENTE TENDENCIOSA!!!

    Infeslimente o mal sempre prevalece do bem….
    POR QUE O OLIM NÃO MENCIONOU QUE, ELE TAMBEM FOI ACUSADO PELOS MESMOS CRIMES SO SGT.
    Otaga?
    É MEU AMIGO…. Depois querem falar de “CICLO COMPLETO”

  31. Diante da situação de merda em que nos encontramos hoje, embora o delegado esteja certo, eu nao faria o flagrante no PM nuncaaaaaaaaaaaaaa!!! Coloque no papel e mande prá frente, alvoroço desnecessário para uma época de crise e de insegurança, arrumar uma treta com a co-irmã não levará a lugar algum, prá mim só mostrou um tesão de poder, mais nada. Enquanto isso a população e a bandidagem batem palmas para mais um espetáculo ridículo e quem anda com documento de carro vencido e toma umas, que se cubra, pode haver retaliação. Mas mesmo assim não acredito que ocorra!!!

  32. Delegado medroso e folgado. Disseram – disseram -, que o homem teve até dor de barrigada, kkkk.
    Prisão desnecessária. Pusesse o puto no papel. O pm iria se foder do mesmo jeito, mas não,
    preferiu colocar a melancia na cabeça.
    Tem mais, delegado não representa a Policia Civil porra nenhuma. Eles representam seus umbigos e só.

  33. A instituição Polícia Militar se mostra unida e coesa na causa do Policial Militar preso, mas se fosse ao contrário os delegados nos deixariam na mão, esse resultado de abandono de seus subordinados está levando a Polícia Civil a extinção, quando se abandona a estrutura a casa cai para todos.

  34. Aos críticos do majura seu bando de ignorantes úteis… o Juiz decretou a prisão preventiva!!! Isso por si só demonstrasse que o majura agiu de forma correta!!!

  35. Isso é culpa de um secretario de seguranca fraco , no qual nao consegue estabelecer a paz entre essas duas instituicoes . e esses grupos que se diz especializados da civil nao chega nem perto a qualquer cia da pm muito menos de grupos especializados da pm . dr. olim é um fanfarrao respondeu crime de tortura em 2005 e agora quer pagar de santo . mediocre povo brasileiro que esquece de tudo.

  36. PI : só pra ti orientar, o juiz decretou e o TJ acabou de soltar…kkkkk. Justiça foi feita, quero ver esse delegadinho Zanon se explicar do vídeo, onde ele aparece batendo na cara de um cidadão…o tiro saiu pela culatra…

  37. prezado militar.

    O vídeo que o sr. se refere é de 2013, fato antigo e segundo a imprensa, ocorreu na del pol de caieiras, tendo a corregedoria da policia civil tomado todas as providencias. Mas pelo que consta, o delegado que o sr. cita não está envolvido nesse vídeo. Depois dessa ressucitação do vídeo antigo, tem deputado militar oficiando pra pedir apuração. É de rir. kkkkk. Se o juiz decretou a preventiva do sgt acusado de tortura, cabe a apreciação pelo TJ que em seu colegiado, decidiu por livrar o sgt preso. Nada mais justo. Cada um com sua missão constitucional. O que não pode ocorrer é generalizar e causar discórdia entre as forças policiais. Tortura é crime. Caberá ao sgt, dentro do devido processo legal, assegurada ampla defesa e contraditório, se defender destas acusações. Só quem estava lá para saber o que houve. O Delegado agiu na forma da LEI, pois se não fosse o caso, o JUIZ relaxaria prisão de imediato, fato que não ocorreu. Se outro policial cometeu crime e etc, assim como o caso do sgt, é caso isolado. Cada um com o seu. Se alguém está respondendo processo por tortura, esse caso diz respeito ao próprio policial, sendo um caso dele, isolado, não tendo relação aos fatos recentes. ” Entre o mar e o rochedo, quem se ferra é o marisco”. Espero que o sr. identifique quem é o mar e o rochedo. O marisco lhe dou uma dica: São os subalternos. nada mais.

  38. migos, no vídeo no link a seguir aparecem dois menores sendo espancados dentro de uma delegacia em caieiras/SP em 2013, pelo que está circulando em grupos de whatsapp o delegado que se envolveu em polêmica nos últimos dias apareceria neste vídeo, prestem atenção no final do vídeo (calvo e camisa clara) próximo aos menores : http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2013/10/1353207-video-flagra-policiais-espancando-jovens-em-delegacia-de-sao-paulo.shtml.

    Essa informação está rodando em grupos de whatsapp e pelo que estão dizendo o secretário de segurança pública já foi cientificado.

  39. Eu quero a desmilitarização, aí posso passear de viatura esperando terminar o horário, sem oficial oficial para “encher o saco”, e poderemos fazer greve para aumentar o salario. Todos a favor da PEC 51/2013 (desmilitarização). Ciclo completo e continuar militar vai ser mais serviço apenas.

  40. Já estão respondendo na corró o Tired.

    A matéria ja diz que estão respondendo, tem que ficar atento….

  41. Me perdoem se eu estiver errado, mas delegado de polícia está pouco se importando com a instituição Polícia Civil, bem como com qualquer outra carreira que não seja à de delegado. Já se consideram de fato e de direito como “carreira jurídica”, ou seja, agora definitivamente não são policiais, o que na prática já não eram à muito tempo. Dessa forma, esperar que um pirotécnico como esse Olim represente a Polícia Civil é muita inocência ou burrice mesmo.

  42. Uma consideração importante:

    Tá pegando fogo nas redes sociais.

    As pessoas que querem o enrijecimento das leis, e tornar o combate aos criminosos mais severos estão apoiando o PM.

    Até aí normal. Era esperado.

    Agora me responda: CADÊ todos aqueles ativistas de esquerda, PSOL, ongs de direitos humanos, jornalistas com seus blogs humanitários EM DEFESA DA POLÍCIA CIVIL?

    Eles tão é estourando pipoca e assistindo de camarote as polícias se matar….

    Fica a lição: mesmo que a Polícia Civil esteja certa (e eu entendo que esta), ninguém da “sociedade” tá vindo a público tomar as dores da Civil, e pior, nas redes sociais estamos sendo massacrados.

    Então façam o mínimo possível e bolinha de meia.

  43. Será que o Telhada e Olim estão fazendo algum empenho lá na ALESP para reajustar nossos salários? Estamos passando fome e não vejo ninguém brigando por melhorias salariais para nós, só vejo propagandas enganosas e bafão como esse do 103 DP, mas legislar e fiscalizar o Executivo que é bom, nada né? CADE A PORRA DA REPOSIÇÃO SALARIAL DE 2015? JÁ ESTAMOS NO FINAL DO MÊS DE OUTUBRO E NINGUÉM SABE DE NADA E VAI FICAR POR ISSO MESMO PORRA?

  44. Impressionante, a única minguada chançe que os Delegados tinham de barrar o Ciclo Completo era a simpatia das Praças, mas ai vem uma anta como essa do 103º DP e ajuda os oficiais a unirem forças com as Praças contra os Delegados…mas como são Burros.
    O Restopol já entendeu que o ciclo completo só vai beneficiá-los, a PRF também, as outras carreiras da PF também, enfim, todos já perceberam que o Ciclo Completo é melhor para a Sociedade e a ideia de duas policias que trabalham pela metade é ridícula e anti funcional.
    O MP já faz lobby à favor, os Magistrados também e agora até as Forças Armadas… Os ÚNICOS que não querem são os “delegados” pois essa aberração que não existe em nenhum outro país do mundo vai finalmente acabar.
    Que se valorizem os investigadores, o escrivão (esse sim figura central da PC) os agentes que trabalham na rua…Delegados abandonaram a polícia de que ERAM donos, olhando apenas para o próprio umbigo, agora ABSOLUTAMENTE DESESPERADOS, bradam contra algo que é inevitável e benéfico para todos.
    Em todos os quartéis policiais estão sendo chamados para serem colocados à par do desastre que seria o fim do militarismo (Principalmente da perda de benefícios previdenciários).
    Hoje mesmo no CPI-7 um investigador recém aposentado, DEPOIS DE 40 anos de serviço, amigo do CMT levou seu holerite é mostrou a toda tropa… ganha menos que um 1º Sgt PM…por que então ser a favor da unificação se só teríamos desvantagens???
    O Ciclo Completo vai passar, é uma realidade inevitável e o restante da PC vai perceber que a coisa para eles só tende a melhorar com isso, até porque, o final do cargo de delegado não significa o final da investigação…essa sim a alma e razão da existência da Polícia Civil.

  45. So uma pergunta .. Pq os PMs não vao falar com o juiz ?? Pq não vão reclamar no fórum ??? pq não vão chingar e cercar o magistrado e ameaçar sua família tb ??? Pois o juiz convalidou a prisão.. E ai ???

  46. O DELEGADO AGIU CORRETAMENTE EM SAIR COM ESCOLTA DO GOE, AFINAL ESTAMOS NO BRASIL E TODOS DEVEM SE PREVINIR CONTRA BANDIDOS E PRINCIPALMENTE QUANDO USA FARDA!

    QTO AO DELEGADO OLIN, ESPERO NÃO VÊ-LO NUNCA MAIS NA PORTA DO DHPP JUNTO COM OUTROS DEPUTADOS MILITARES (TELHADA E CAMILO) PEDINDO PARA QUE A DR. SATO SOLUCIONASSE A CHACINA CONTRA OS TORCEDORES DO CORINTHIANS (PAVILHÃO NOVE) E A SUA VISITA RESULTOU NA PRISÃO DE UM COXINHA.

  47. Sou Praça e digo: O Ministério Público, a PRF, a PF (menos delegados), a PM (menos praças) estavam apoiando o ciclo completo. Com a “molecagem” do citado delegado, agora as praças que odiavam os oficiais e tinham certa admiração pela Polícia Civil (e isso, verifica-se pela grande quantidade de Policiais civis que eram PMs, inclusive vários delegados) passaram a apoiar os oficiais, ou seja, vai ficar mais difícil ainda evitar o ciclo completo. Para os cidadãos (parentes, amigos, etc) que conheço falarei: a partir de agora a PM vai diminuir as prisões, pois pode ser que na apresentação da ocorrência o policial militar seja preso, já que os delegados estão visando, por vingança, prender os policiais militares que arriscam suas vidas para prender os criminosos, com o intuito de garantir poder kkkkk.

  48. quero ver o MP ir pra cima da PM com isso... quero ver a "independência e imparcialidade" disse:

    Quero ver se o MP vai acusar esse Sargento ou os PMs que estão ameaçando o Delegado.
    O MP também está na mão da PM, morrem de medo de perder o apoio da PM em suas operações abusivas.
    Quero ver se algum promotor tem coragem de investigar esses casos de superfaturamento nas licitações da “gloriosa”. Vai fazer a lava jato parecer esmola.
    São licitações analisadas e abafadas no Tribunal de Contas do Estado, quem tiver interesse procure os casos TC-41911/026/11 e TC-6459/026/12
    Depois passem para o MP e quero ver o que vão fazer. Com certeza se fosse da PC iriam iguais a um pit bull pra cima da PC, mas na PM vão ficar com o rabo entre as pernas MP frouxo, cheio de biba que gosta de dar entrevista mas são frouxos.
    Mas duvido que algum promotor vá fazer alguma coisa.
    Se alguém conseguir acesso aos autos por favor coloque aqui no flit, vai ser o maior escândalo da “gloriosa”.
    Segura essa coxinhas…

  49. se fosse arbitrário porque o juiz mantem a prisão mesmo com parecer favoravel do MP porque o oficialato não vai cobrar o JuiZ PORQUE NAÕ CERCARAM O FORUM ABANDONARAAM O SARGENTO E OS DEPUTADOS NÃO FORMA PORQUE .

  50. APENAS DUAS PERGUNTAS:
    POR QUE OS COLEGAS DO SARGENTO NÃO O COLOCARAM EM LIBERDADE, ANTES DE CHEGAR AO ROMÃO GOMES? PORQUE ISSO SERIA CRIME. ELES NÃO PUDERAM COMETER, MAS QUERIAM QUE O DELEGADO COMETESSE.
    SERÁ QUE VÃO METER O PAU NO JUIZ TAMBÉM?

  51. TIRA VELHO disse:
    22/10/2015 às 13:21

    O Dr. Zanon colocou certinho no rabo da PM, e os oficiais perceberam que não são nada, e nada mandam diante da Polícia Civil, em especial da autoridade policial, que tanto soldados quanto oficiais não passam de cães de guarda, enquanto quem decide, tipifica e faz cumprir a lei é a Polícia Civil. Esse corajoso delegado deixou os oficiais como todo seu prestígio e inutilidade vendidos, diante da lei, os oficiais perceberam que não passam de um nada.

    ———————————————————————————————————————————–

    Melhor comentário!

  52. Esse episódio serviu apenas para fortalecer ainda mais os policiais militares, acredito que será um divisor de águas, pois certamente os PM irão se articular para buscar mais aliados e conseguirão, quer seja através de parcerias ou mesmo elegendo seus representantes políticos. O que vejo atualmente é a população clamando por ordem e progresso e isso sempre foi um rótulo dos militares, quer seja federal ou estadual. É com muito pesar que assisto esses acontecimentos e fico incomodado e ao mesmo tempo envergonhado, de um lado um policial que age pelas próprias mãos acreditando ser um super herói do outro um que se intitula autoridade e de forma boçal e sem qualquer parâmetro resolve exterminar o problema, no dia seguinte é estampado na mídia e nas redes sociais a mesma autoridade agindo por impulso, da forma mais covarde possível, entre quatro paredes, agredindo um jovem, talvez uma vítima da sociedade que tenha cometido algum crime para sustentar seus prazeres. Enfim aassisto a tudo e apenas sorrio. Obrigado governador por ter duas polícias, uma que acha que resolve o problema e outra que age sorrateiramente com ares de cleptomania.

  53. Antônio Assunção de Olim foi denunciado à Justiça pelo Ministério Público pelos crimes de tortura e abuso de poder

    Pedida prisão de delegado da anti-seqüestro
    ANDRÉ CARAMANTE
    DO “AGORA”

    O Ministério Público pediu a prisão preventiva de um dos principais delegados da Polícia Civil paulista, especializado no combate aos crimes de seqüestro: Antônio Assunção de Olim, 45, da DAS (Divisão Anti-Seqüestro).
    O pedido, encaminhado à Justiça na última sexta-feira, é assinado por três promotores e acusa Olim de ter comandado uma série de crimes contra três moradores do Jardim Planalto, em Sapopemba (zona leste), no dia 24 de abril do ano passado, quando a DAS investigava um seqüestro sofrido pelo empresário P.N.B.
    De acordo com a denúncia do Ministério Público, além do delegado Olim, que é acusado pelos crimes de tortura e abuso de poder, outros cinco policiais civis -Éder França, 39, e Carlos Alberto Uehara, 37, ambos do 70º DP (Sapopemba), e Marcos de Franco, 39, Anselmo Silvestre Sanches, 37, e o também delegado Fábio Nelson Fernandes, 33, todos da DAS- colaboraram, direta ou indiretamente, nas sessões de torturas físicas e psicológicas promovidas contra o casal L.Z.A. e J.O.A. e contra W.M.M.B.
    Fernandes e Sanches foram denunciados porque não teriam feito nada para impedir as torturas.
    Os “maus-tratos e as prisões arbitrárias” que teriam sido lideradas por Olim, segundo o Ministério Público, apontam que ele “agiu fora da lei com o intuito de obter uma confissão de participação” das três pessoas no seqüestro do empresário, que havia sido libertado do cativeiro no dia anterior -23 de abril de 2003.
    A equipe do delegado chegou, no dia 24, à casa de J. e L. porque o empresário a indicara como sendo o local do cativeiro.
    Foi lá, na frente dos filhos do casal, que Olim e seus subordinados, principalmente o investigador Marcos de Franco, ainda segundo a Promotoria, agrediu-os seguidas vezes, desferindo, além de tapas, socos e golpes com canos das armas que portavam. Teria havido, ainda, xingamento e ameaça de que os filhos do casal iriam “parar na Febem”.
    Por causa da suposta tortura cometida contra o casal, uma vizinha deles, grávida de três meses, C.G.S., teria perdido a criança. Para o Ministério Público, o aborto ocorreu porque ela foi ameaçada e xingada pelos policiais quando tentava descobrir o que acontecia.
    Mesmo sem ter mandado de prisão ou de busca contra o casal e contra W. -que foi preso nas ruas do Jardim Planalto e não conhecia o casal-, Olim, dizem os promotores, manteve-os presos em celas da sede da DAS, na avenida Higienópolis (centro), entre as 14h e as 23h, quando todos foram liberados por falta de provas.
    J., L. e W. disseram ao Ministério Público que, na DAS, além de apanharem de outros policiais -que não conseguiram reconhecer-, foram submetidos a torturas com gás pimenta.

    Exposição
    Outro item destacado na denúncia da Promotoria contra o delegado Olim é o de que ele “expôs ao vexame” público as três vítimas de seus supostos abusos.
    Olim e seus homens teriam permitido que J., L. e W. fossem filmados, inclusive ao vivo, por programas policiais de redes de TV.
    Segundo o Ministério Público, em alguns momentos da reportagem sobre o caso, “o delegado assume o papel de jornalista”.
    O delegado teria chegado a afirmar aos programas de televisão que se tratava de “um casal de seqüestradores que alugava cativeiros”, informa a Promotoria.

    ESTE AÍ É O HERÓI DE VOCÊS?…

  54. Antônio Assunção de Olim foi denunciado à Justiça pelo Ministério Público pelos crimes de tortura e abuso de poder

    Pedida prisão de delegado da anti-seqüestro
    ANDRÉ CARAMANTE
    DO “AGORA”

    O Ministério Público pediu a prisão preventiva de um dos principais delegados da Polícia Civil paulista, especializado no combate aos crimes de seqüestro: Antônio Assunção de Olim, 45, da DAS (Divisão Anti-Seqüestro).
    O pedido, encaminhado à Justiça na última sexta-feira, é assinado por três promotores e acusa Olim de ter comandado uma série de crimes contra três moradores do Jardim Planalto, em Sapopemba (zona leste), no dia 24 de abril do ano passado, quando a DAS investigava um seqüestro sofrido pelo empresário P.N.B.
    De acordo com a denúncia do Ministério Público, além do delegado Olim, que é acusado pelos crimes de tortura e abuso de poder, outros cinco policiais civis -Éder França, 39, e Carlos Alberto Uehara, 37, ambos do 70º DP (Sapopemba), e Marcos de Franco, 39, Anselmo Silvestre Sanches, 37, e o também delegado Fábio Nelson Fernandes, 33, todos da DAS- colaboraram, direta ou indiretamente, nas sessões de torturas físicas e psicológicas promovidas contra o casal L.Z.A. e J.O.A. e contra W.M.M.B.
    Fernandes e Sanches foram denunciados porque não teriam feito nada para impedir as torturas.
    Os “maus-tratos e as prisões arbitrárias” que teriam sido lideradas por Olim, segundo o Ministério Público, apontam que ele “agiu fora da lei com o intuito de obter uma confissão de participação” das três pessoas no seqüestro do empresário, que havia sido libertado do cativeiro no dia anterior -23 de abril de 2003.
    A equipe do delegado chegou, no dia 24, à casa de J. e L. porque o empresário a indicara como sendo o local do cativeiro.
    Foi lá, na frente dos filhos do casal, que Olim e seus subordinados, principalmente o investigador Marcos de Franco, ainda segundo a Promotoria, agrediu-os seguidas vezes, desferindo, além de tapas, socos e golpes com canos das armas que portavam. Teria havido, ainda, xingamento e ameaça de que os filhos do casal iriam “parar na Febem”.
    Por causa da suposta tortura cometida contra o casal, uma vizinha deles, grávida de três meses, C.G.S., teria perdido a criança. Para o Ministério Público, o aborto ocorreu porque ela foi ameaçada e xingada pelos policiais quando tentava descobrir o que acontecia.
    Mesmo sem ter mandado de prisão ou de busca contra o casal e contra W. -que foi preso nas ruas do Jardim Planalto e não conhecia o casal-, Olim, dizem os promotores, manteve-os presos em celas da sede da DAS, na avenida Higienópolis (centro), entre as 14h e as 23h, quando todos foram liberados por falta de provas.
    J., L. e W. disseram ao Ministério Público que, na DAS, além de apanharem de outros policiais -que não conseguiram reconhecer-, foram submetidos a torturas com gás pimenta.

    Exposição
    Outro item destacado na denúncia da Promotoria contra o delegado Olim é o de que ele “expôs ao vexame” público as três vítimas de seus supostos abusos.
    Olim e seus homens teriam permitido que J., L. e W. fossem filmados, inclusive ao vivo, por programas policiais de redes de TV.
    Segundo o Ministério Público, em alguns momentos da reportagem sobre o caso, “o delegado assume o papel de jornalista”.
    O delegado teria chegado a afirmar aos programas de televisão que se tratava de “um casal de seqüestradores que alugava cativeiros”, informa a Promotoria.

    ESTE AÍ É O HERÓI DE VOCÊS?…;;;

  55. Os primeiros telejornais matutinos desta data mostraram mais um “caso isolado” de policiais militares agressivos: disparo de bala de borracha cegou garoto na Vila Brasilândia – capital paulista. O tempo, enfim, mostra quem atira tão certeiramente como Marcelinho Pesseghini! A diferença é que nunca, em tempo algum, foram mostradas imagens desse menino “chacinador” dirigindo quele carro que, por mágica, apareceu quando “alguém” o estacionava.

    Lá do céu, com certeza, um bode expiatório poderá ter a visão mais eficazmente direcionada para o que o DETECTA “não viu” em Osasco e Barueri, oficialmente falando!

  56. Barbosa do bondao:

    Eu, no hipotético lugar do Comando do Corpo de Bombeiros, teria duas saídas: brigar pelo desmembramento dessa corja (seguindo o exemplo de outros estados) ou cairia fora, extremamente envergonhado!!!

  57. SÓ COM PENA DE MORTE para eliminar a PC
    PC = PROPINA e CORRUPÇÃO !!! Concordo com o CARCEPOL: Cada corporação que faça o seu CICLO COMPLETO e responda na JUSTIÇA por seus atos.
    PODEM mandar os delgados pra Rua e DEIXA que as providências administrativas serão ADOTADAS pelos ESCRIVÃES, que ganham 1/5 dos delegados e fazem todo os procedimentos, e AINDA tem que dar AULAS para os delegados quando chegam novos.
    Até a CORREGEDORIA da polícia está envolvida em corrupção IMAGEM o resto.
    POLICIAIS honestos não tem valor, o delegado ZANON quis apenas se aparecer, MAS, sabe que a população NÃO aguenta mais tanta violência, mortes, roubos, assassinatos. VEJAM o exemplo do funcionário da RECORD assassinado gratuitamente.
    Esse delgado deveria tirar a bunda da cadeira e ir prender bandido pra saber o que é bom, como os policiiais que trabalham na rua se sentem., o RISCO que correm…., etc.
    Para a população a POLÍCIA MILITAR é muito melhor, pois é a única que está DIUTURNAMENTE nas ruas para proteger o povo. Tem que extinguir alguns exageros de alguns OFICIAIS trouxas e incompetentes, que acha que subordinado hierárquico é seu empregadinho particular. Mas na policia civil é uma baderna, e está visível pra todos que Delegados honestos são DEMITIDOS, como vemos, o delegado que prendeu a escrivã corrupta com 200 paus na piriquita foi DEMITIDO. Delegado que prendeu JUIZ dirigindo bêbado em São Bernardo do Campo//SP foi DEMITIDO. O que aconteceu com os policiais civil flagrados pela polícia federal ACHACANDO perto do DEIC??? NADA !!! Isso é para inibir aqueles que são honestos. Veja agora outro escândalo da CORREGEDORIA da POLÍCIA CIVIL. Isso é uma VERGONHA !!!. Ofereço a música: SE GRITAR PEGA LADRÃO

Os comentários estão desativados.