1. Opinião: Rede Globo, a “TV irrealidade” que ilude o Brasil
    The International New York Times
    Vanessa Barbara*
    Em São Paulo 11/11/2015 – 06h00

    m n  H 

    { Ouvir

    h

    0:00

    Reprodução/TV Globo
    Personagem Romero Rômulo, da novela “A Regra do Jogo”, irritou Anistia Internacional

    Personagem Romero Rômulo, da novela “A Regra do Jogo”, irritou Anistia Internacional

    Gigante da mídia cativa os telespectadores com novelas vazias e comentários ineptos no noticiário.

    No ano passado, a revista “The Economist” publicou um artigo sobre a Rede Globo, a maior emissora do Brasil. Ela relatou que “91 milhões de pessoas, pouco menos da metade da população, a assistem todo dia: o tipo de audiência que, nos Estados Unidos, só se tem uma vez por ano, e apenas para a emissora detentora dos direitos naquele ano de transmitir a partida do Super Bowl, a final do futebol americano”.

    Esse número pode parecer exagerado, mas basta andar por uma quadra para que pareça conservador. Em todo lugar aonde vou há um televisor ligado, geralmente na Globo, e todo mundo a está assistindo hipnoticamente.

    Sem causar surpresa, um estudo de 2011 apoiado pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) apontou que o percentual de lares com um aparelho de televisão em 2011 (96,9) era maior do que o percentual de lares com um refrigerador (95,8) e que 64% tinham mais de um televisor. Outros pesquisadores relataram que os brasileiros assistem em média quatro horas e 31 minutos de TV por dia útil, e quatro horas e 14 minutos nos fins de semana; 73% assistem TV todo dia e apenas 4% nunca assistem televisão regularmente (eu sou uma destes últimos).

    Entre eles, a Globo é ubíqua. Apesar de sua audiência estar em declínio há décadas, sua fatia ainda é de cerca de 34%. Sua concorrente mais próxima, a Record, tem 15%.

    Assim, o que essa presença onipenetrante significa? Em um país onde a educação deixa a desejar (a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico classificou o Brasil recentemente em 60º lugar entre 76 países em desempenho médio nos testes internacionais de avaliação de estudantes), implica que um conjunto de valores e pontos de vista sociais é amplamente compartilhado. Além disso, por ser a maior empresa de mídia da América Latina, a Globo pode exercer influência considerável sobre nossa política.

    Um exemplo: há dois anos, em um leve pedido de desculpas, o grupo Globo confessou ter apoiado a ditadura militar do Brasil entre 1964 e 1985. “À luz da História, contudo”, o grupo disse, “não há por que não reconhecer, hoje, explicitamente, que o apoio foi um erro, assim como equivocadas foram outras decisões editoriais do período que decorreram desse desacerto original”.

    Com esses riscos em mente, e em nome do bom jornalismo, eu assisti a um dia inteiro de programação da Globo em uma terça-feira recente, para ver o que podia aprender sobre os valores e ideias que ela promove.

    A primeira coisa que a maioria das pessoas assiste toda manhã é o noticiário local, depois o noticiário nacional. A partir desses, é possível inferir que não há nada mais importante na vida do que o clima e o trânsito. O fato de nossa presidente, Dilma Rousseff, enfrentar um sério risco de impeachment e que seu principal oponente político, Eduardo Cunha, o presidente da Câmara, está sendo investigado por receber propina, recebe menos tempo no ar do que os detalhes dos congestionamentos. Esses boletins são atualizados pelo menos seis vezes por dia, com os âncoras conversando amigavelmente, como tias velhas na hora do chá, sobre o calor ou a chuva.

    A partir dos talk shows matinais e outros programas, eu aprendi que o segredo da vida é ser famoso, rico, vagamente religioso e “do bem”. Todo mundo no ar ama todo mundo e sorri o tempo todo. Histórias maravilhosas foram contadas de pessoas com deficiência que tiveram a força de vontade para serem bem-sucedidas em seus empregos. Especialistas e celebridades discutiam isso e outros assuntos com notável superficialidade.

    Eu decidi pular os programas da tarde –a maioria reprises de novelas e filmes de Hollywood– e ir direto ao noticiário do horário nobre.

    Há dez anos, um âncora da Globo, William Bonner, comparou o telespectador médio do noticiário “Jornal Nacional” a Homer Simpson –incapaz de entender notícias complexas. Pelo que vi, esse padrão ainda se aplica. Um segmento sobre a escassez de água em São Paulo, por exemplo, foi destacado por um repórter, presente no jardim zoológico local, que disse ironicamente “É possível ver a expressão preocupada do leão com a crise da água”.

    Assistir à Globo significa se acostumar a chavões e fórmulas cansadas: muitos textos de notícias incluem pequenos trocadilhos no final ou uma futilidade dita por um transeunte. “Dunga disse que gosta de sorrir”, disse um repórter sobre o técnico da seleção brasileira. Com frequência, alguns poucos segundos são dedicados a notícias perturbadoras, como a revelação de que São Paulo manteria dados operacionais sobre a gestão de águas do Estado em segredo por 25 anos, enquanto minutos inteiros são gastos em assuntos como “o resgate de um homem que se afogava causa espanto e surpresa em uma pequena cidade”.

    O restante da noite foi preenchido com novelas, a partir das quais se pode aprender que as mulheres sempre usam maquiagem pesada, brincos enormes, unhas esmaltadas, saias justas, salto alto e cabelo liso. (Com base nisso, acho que não sou uma mulher.) As personagens femininas são boas ou ruins, mas unanimemente magras. Elas lutam umas com as outras pelos homens. Seu propósito supremo na vida é vestir um vestido de noiva, dar à luz a um bebê loiro ou aparecer na televisão, ou todas as opções anteriores. Pessoas normais têm mordomos em suas casas, que são visitadas por encanadores atraentes que seduzem donas de casa entediadas.

    Duas das três atuais novelas falam sobre favelas, mas há pouca semelhança com a realidade. Politicamente, elas têm uma inclinação conservadora. “A Regra do Jogo”, por exemplo, tem um personagem que, em um episódio, alega ser um advogado de direitos humanos que trabalha para a Anistia Internacional visando contrabandear para dentro dos presídios materiais para fabricação de bombas para os presos. A organização de defesa se queixou publicamente disso, acusando a Globo de tentar difamar os trabalhadores de direitos humanos por todo o Brasil.

    Apesar do nível técnico elevado da produção, as novelas foram dolorosas de assistir, com suas altas doses de preconceito, melodrama, diálogo ruim e clichês.

    Mas elas tiveram seu efeito. Ao final do dia, eu me senti menos preocupada com a crise da água ou com a possibilidade de outro golpe militar –assim como o leão apático e as mulheres vazias das novelas.

    *(Vanessa Barbara é uma colunista do jornal “O Estado de São Paulo” e editora do site literário “A Hortaliça”.)
    Tradutor: George El Khouri Andolfato

  2. PELO QUE LI, O POSTO DE OFICIAL CAPELÃO FOI EXTINTO,
    .
    LOGO APÓS O ESCÂNDALO DO CORONEL PALOPILO PEGADOR…

  3. Muito se fala em economia com a desmilitarização. Será?
    Em 1970, a Guarda Civil de São Paulo, legalmente, tinha praticamente a mesma composição administrativa que a Força Pública. E por serem compatíveis entre si os órgãos, postos e cargos houve a unificação.
    Hoje, muitas guardas civis, municipais, replicam a mesma estrutura organizacional da PM estadual: setor de saúde, canil, choque, operações especais, “selva urbana” (ambiental), coral… Até desconfio de que tem GCM de São Paulo ganhando muito mais que muitos policiais civis.
    O problema não é a tal da militarização, pura e simplesmente.

  4. A VERDADE É A SEGUINTE.
    TODOS ESSES BOSTAS DESSES PC E PM(PRAÇAS) SAO TODOS RECALCADOS E INVEJOSOS,METEM O PAU NOS OFICIAIS, MAS A VERDADE É QUE TODOS QUERIAM SER OFICIAIS PM NAO TENDO COMPETENCIA PARA ISSO.
    PRESTEM ATENÇAO UM 2 TENENTINHO MANDA PARA CARALHO UM PRAÇA NAO MANDA PORRA NENHUMA OPEARACIONAL ENTAO NEM SE FALA TODOS UNS PEOES DE OBRA ( PORTEIRO,MOTORISTA,CARTEIRO TODOS UNS BOSTAS.
    E PAREM COM ESSA PORRA DE DESMILITARIZAÇAO, ISSO NUNCA VAI ACONTECER.
    PCS QUEREM MANDAR PRA CARALHO SEJAM OFICIAIS PM. BANDO DE BURROS MOTOROLAS DE DELEGADOS.

  5. Hélio disse:

    Quanto custa as mordomias dos delegados? Quanto custa os aluguéis de imóveis da pc? Quanto custa o retrabalho? Antes de falar em qualquer coisa, tem que se acabar com essa carreira que não serve de nada, custa caro, e não vaz nenhum sentido, que é a carreira de delegado
    ________________________________________________

    Cara, você deve sofrer de síndrome de Estocolmo.

  6. J Claudio, Inquérito Policial é um procedimento administrativo e dispensável, podendo ser suprido por outro meio mais eficiente e a cargo do MP, por exemplo. O auto de prisão de prisão em flagrante é uma atribuição do delegado que deve, obrigatoriamente, ser analisado no máximo em 24 horas por um juiz de direito, sendo um “poder” bem relativo, prerrogativas essas que diante do exposto, poderiam ser adotadas pelo próprio escrivão ou investigador, sem maiores transtornos. Assim, para que serve um delegado? Além do que, o Oficial da PM tem uma função similar ao Inspetor da PRF, Supervisor ou Cmte de Guarda Municipal, ou seja, sempre vai existir, independente do modelo adotado (municipal, civil, carreira única, etc), um nível de supervisão do órgão policial com atribuição preventiva, ou seja, quem é dispensável no contexto da segurança pública? Fica a reflexão.

  7. Boa noite!

    Senhoras e Senhores.

    Temos que enxergar certos problemas com outros olhos.

    Por exemplo:

    Quando vão punir politico corrupto, prender e jogar a chave fora?

    Quando vão prender esses administradores que sacaneiam a população e gastam além do óbvio?

    Quando vão prender esse pessoal que dilapidam os cofres públicos e inventam estórias da carochinha para enrolar a população?

    Quando vão prender esse pessoal que rouba descaradamente e não justificam nada e nem tampouco são responsabilizados pelos prejuízos?

    Quando vão punir os responsáveis pela falta de água em São Paulo?

    Quando vão parar de cobrar a população pelos erros destes partidos políticos de quinta categoria?

    ETC… ETC… ETC..

    Caronte

  8. De olhos fechados e mãos postas, peço Senhor, pelo sucesso do ciclo completo que trará alívio as policias civis que poderão investigar seus casos com calma e sucesso e os escrivães terão mais paz. As cotas do Ministério Público oriundas de autos de prisão em flagrante não caíram sobre os ombros da PC, como uma doença que arrasta por meses e ficarão naquelas nas mãos do inimigo (de farda).
    Ofícios de última hora, não irão flagelar os calejados dedos dos escrivães e liberarão os investigadores para rua para fazerem o santo trabalho de investigar. Oh! Senhor! Os Habeas Corpus não cairão como raios em nossa cabeça! A responsabilidade da aplicação dos direitos humanos será divida.
    A falta de papel, De tinta, de xerox, não nos perturbarão mais. Estaremos libertos das legitimações, com aquela tinta nojenta! Senhor ! Só tenho agradecer!! Porque realizareis o ciclo completo, a PC não precisará ser um depósito de lixo, com aquelas apreensões dos flagrantes!!! Dinheiro apreendido nunca mais!! nunca mais!!! Amém irmão!! Amém?

  9. Dr. Eduardo,

    A Guarda Civil jamais teve a mesma composição administrativa que a Força Pública; não havia quaisquer compatibilidades entre cargos, graduações, patentes e cargos.
    Tanto que a unificação efetuada a fórceps com base no AI-5 , acarretou graves danos funcionais aos membros de ambas as corporações; especialmente aos Praças da Força Pública , Guardas e os optantes que permaneceram no quadro em extinção. De se conferir o DECRETO-LEI N. 217, DE 8 DE ABRIL DE 1970.
    A compatibilidade foi desenhada para atender os interesses do oficialato e dos inspetores. Lembrando que a Guarda Civil nunca esteve presente em todo o estado, atuando mais na Capital, Campinas e Santos; além de pifiamente numa ou outra cidade do interior .
    Quanto ao custo da militarização, tem cabimento uma pessoa ser aposentada compulsoriamente com menos de 50 anos de idade , com direito a promoção e paridade ?

    Por fim, certamente há GCM ganhando muito mais do que muitos policiais civis – aliás, qualquer coisa ganha mais do que policiais civis – mas não há GCM ganhando mais do que policiais militares.

  10. Dr. Guerra,
    Justamente baseado na legislação da época e na forma do enquadramento é que, na minha opinião, houve compatibilidade entre as funções unificadas. Aliás, foi com base na legislação de 70-74 que pude compreender por qual razão um GCM ( antigo vizinho que não vejo faz quase 18 anos) fazia referência ao sargento, ao tenente da sua Cia… Tudo como se fosse uma realidade dele.
    E o Sr. está correto: GM de São Paulo.
    Mas hoje, temos uma PM e várias GM replicando em municípios sem recursos a estrutura da PM.
    O problema, sei que Dr. Guerra não concorda, não é a PM por si só.
    Sobre a idade para aposentadoria, 50 anos é cedo… Mas o modelo fosse aplicado para a PC, haveria reclamação? Integral8dade e paridade não é a todo tempo reclamada aqui no Flit?
    É ruim financeiramente aposentar aos 50 anos, mas também poder ser bom estruturalmente. Difícil é o equilíbrio.

  11. http://www.atribuna.com.br/noticias/noticias-detalhe/cidades/esquema-de-seguranca-armado-pela-usiminas-e-questionado-por-sindicalistas/?cHash=4a3e465640eb97262526eb4506135c04

    Esquema de segurança na Usiminas é questionado por sindicalistas

    Imagem divulgada por sindicalista mostra policiais militares jantando em siderúrgica

    O forte esquema de segurança montado a pedido da Usiminas, em frente à portaria da siderúrgica, em Cubatão, desde o início da madrugada desta quarta-feira (11), provocou revolta dos manifestantes.

    Horas antes do início da manifestação contra os cortes anunciados pela Usiminas, dezenas de policiais militares já estavam a postos dentro da própria siderúrgica. A segurança foi reforçada por policiais militares do 2º Batalhão de Ações Especiais (Baep) da Baixada Santista, juntamente com a Cavalaria.

    Uma imagem enviada para A Tribuna On-line mostra o momento que os PMs estão reunidos no refeitório da empresa, jantando, por volta da meia-noite.

    “A Usiminas se utilizou da força policial e o Governo do Estado disponibilizou a Polícia Militar para impedir a livre manifestação dos trabalhadores”, comentou Ana Paula.
    Conforme apurado por A Tribuna On-line, o refeitório da Laminação da Usiminas foi aberto exclusivamente para os policiais militares dentro da empresa.

    A Tribuna On-line procurou a Usiminas e a Polícia Militar para comentar o caso, mas ainda não houve retorno.

  12. Dr. Eduardo,

    Melhor dizer que com base no AI-5 os cargos das carreiras da Guarda CiviL foram inicialmente compatibilizados com a hierarquia da Força Pública, logo depois os Guardas passaram a ser perseguidos disciplinarmente em razão da incompatibilidade de formações e expulsos a baciada.

    Não existe nenhuma razão para esse seu vizinho GCM fazer referencia às graduações e patentes da PM como sendo realidade dele, especialmente com base na legislação de 70 – 74, pois – salvo engano – a GCM da Capital foi criada pelo Janio no meado dos anos 1980.

    É claro que ninguém reclama gozar privilégios, mas qual o motivo de militares gozarem de normas previdenciárias muito mais benéficas do que os civis ?

  13. Guerra
    De fato a unificação não foi boa para a PM e tão somente.
    Muitos Guardas Civis vieram como oficiais e vc pode ver que dentre os coronéis da reserva são os que recebem os maiores salários..
    Desmilitarizar e uma coisa que nunca vai acontecer.
    De fato existem oficiais que pensam que sao deuses e outros tem certeza.
    Mas temos ótimos comandantes na corporação.
    Temos praças formados em nível superior em áreas diversas.
    Essa lambança de falar mal de uma ou outra policia e própria de cabeças pequenas.
    Que deveriam se unir e dar um basta a esse DESgoverno tucano..
    Tao ruim quanto o PT.
    Oficiais dão despesa sim.
    Mas delegados usam carros frias para andar para todo canto, buscar filhos na escola.
    Levar filhos para outro estado.Etc…
    Se existe tanto crime na PM e não digo que não.
    Porque os sábios e corajosos Policiais Civis não os PRENDEM e colocam na vala comum dos presídios.
    Hj para seu governo GUERRA os praças tem situação financeira muito melhor ate a nivel de coronel pois nunca param de trabalhar nos bicos.
    Esposas são formadas e vivem muito bem e sem arrogância.
    Falam que praça não manda nada é pura burrice.
    Oficial tb não manda.
    Existem leis e regulamentos e eles so os aplicam. Se não for assim não se cumpre e pronto.
    Agora puxa saco tem em todo lugar.
    Ladrões tb.
    Tenho ótimo relacionamento com policiais civis.
    Aqui somos parceiros.
    Delegados sim são verdadeiros pavões em relação a seus operacionais.
    DOUTORES.
    Mas conheço muitos que são bons FUNCIONÁRIOS públicos.

  14. FORMADA FRENTE PARLAMENTAR EM APOIO A ADOÇÃO AO CICLO COMPLETO DE POLÍCIA.
    Na tarde desta terça-feira dia 10 de novembro, no Auditório Nereu Ramos da Câmara dos Deputados em Brasília-DF, ocorreu o lançamento da FRENTE PARLAMENTAR EM APOIO A ADOÇÃO AO CICLO COMPLETO DE POLÍCIA.
    O evento foi presidido pelo Deputado MG Subtenente Gonzaga e contou com a presença de vários Parlamentares, Policiais Militares, Rodoviários, Federais, representantes do Ministério Público e da Sociedade Civil.
    Numa visão geral, todas as falas foram unânimes no sentido de ampliar e qualificar a discussão para adoção do Ciclo Completo de Polícia no Brasil promovendo as alterações Constitucionais e legais necessárias.
    É Mais uma oportunidade para o debate este tema, com foco no esclarecimento desta temática para Autoridades,  Parlamentares e Sociedade em Geral.

  15. Dr. Guerra, bom dia.
    Não posso dizer da realidade fática dos anos 70, porque meus pais nem se conheciam ao tempo do Decreto-lei 217/70.
    Mas ouvi, também de meu pai, algumas considerações e impressões acerca da Guarda Civil ao tempo da unificação. Analisando outros documentos, pessoalmente, penso que talvez não fossem tão excepcionais assim, apesar de possivelmente serem diferenciados para os padrões daqueles tempos.
    Observando o tema apenas com base no texto legal, na minha opinião, não havia incompatibilidade alguma e o documento falava expressamente em aproveitamento dos guardas. Mas papel admite todo o tipo de mentira, embora há muitos casos de vários Guardas que se aposentaram décadas mais tarde como PM.
    O interessante é a regulamentação da época e que, naquele momento, deu para o efetivo a destinação que o Estado julgava necessária: atuação voltada para a ORDEM PÚBLICA. Muito pouco se fala, até hoje, em “policiamento preventivo”, embora a seja recorrente o uso do termo “ostensivo”. Preventivo especializado, conforme uma outra discussão nossa, consta da LOP como atribuição da PC.
    Mas estas são impressões de um gaiato, que não soube e não sabe da “realidade real”. Fala apenas com base na história do papel.
    —–
    Sobre aposentadorias: muito civil do Banco do Brasil e do Banespa foi aposentado com bons proventos, bem cedo. A coisa mudou depois de 1994 e não sei como podem estar hoje.
    Hoje, professores e profissionais da saúde podem ter duas aposentadorias. Alguns mais antigos contam, hoje, com proventos totais de mais de R$ 12.000,00… Acima desse valor, acho desnecessário para todos.
    Aposentar o policial de rua com 50 anos? Talvez fosse adequado passá-lo para o serviço interno por volta dos 40 anos e aumentar uns 10 anos a idade para aposentadoria.
    As regras do regime policial militar foram propostas por alguém, votadas por alguém e sancionadas por alguém.
    Acho que a pergunta deveria ser a seguinte: “Qual o motivo de policiais civis gozarem de normas previdenciárias muito mais desvantajosas do que os militares?”.
    Pensar de forma contrária é seguir a dinâmica imposta pelo Governo. Não se aumentam salários, porque todos o funcionalismo civil ganha mais ou menos igual.
    A paridade é algo que deve mesmo ser repensada, para TODOS.

  16. EDU,

    A Guarda Civil era uma corporação pestilenta, mas fazia boa figura nas Lojas Americanas e afins; principalmente nos bairros mais nobres da Capital.
    A Força Pública ficava na quebrada fazendo o que faz até o presente.
    Com a unificação os da Força Pública passaram a comer onde os Guardas comiam.
    Os delegados apuravam os crimes mais violentos, mas nunca devolveram nada para as vítimas de crimes contra o patrimônio e ainda cobravam ajuda para as diligências.
    Tudo ladrão!

  17. EDU,

    A Guarda Civil era uma corporação pestilenta, mas fazia boa figura nas Lojas Americanas e afins; principalmente nos bairros mais nobres da Capital.
    A Força Pública ficava na quebrada fazendo o que faz até o presente.
    Com a unificação os da Força Pública passaram a comer onde os Guardas comiam.
    Os delegados apuravam os crimes mais violentos, mas nunca devolveram nada para as vítimas de crimes contra o patrimônio e ainda cobravam ajuda para as diligências.
    Tudo ladrão!

O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade civil e penal do comentarista que venha a ofender, perturbar a tranquilidade alheia, perseguir, ameaçar ou, de qualquer outra forma, violar direitos de terceiros.O autor do comentário deve ter um comentário aprovado anteriormente. Em caso de abuso o IP do comentarista poderá ser fornecido ao ofendido!...Comentários impertinentes ou FORA DO CONTEXTO SERÃO EXCLUÍDOS. Contato: dipolflitparalisante@gmail.com

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s