À soldo da corrupção – Policiais civis do 34º DP praticaram arbitrariedades contra o blogueiro Paulinho 42

https://blogdopaulinho.wordpress.com/2015/11/16/milicia-aidar-detalhes-do-dia-em-que-o-blog-do-paulinho-foi-preso/

Milícia ? Aidar ? Detalhes do dia em que o Blog do Paulinho foi preso

Paulinho Procurado

Eram 13 horas do dia 06 de julho quando este jornalista, retornando de um PetShop em que havia adquirido um lindo Shih Tzu com apenas dois meses de vida (o nome é “blog”, por razões óbvias), teve seu veículo abordado, em movimento, poucos metros antes de chegar em sua residência, por dois homens armados, até então sem identificação.

A ação, cinematográfica, de extrema violência, com ares milicianos, foi realizada por policiais civis do 34º DP da Vila Sônia.

Este jornalista, sem opção, freou o carro, ergueu as mãos e escutou: “Desce do carro, Paulinho, caiu a casa…”

Abri a porta com cuidado, ainda sem saber do que se tratava (pensei em tudo, desde sequestro até execução) e, sem explicações, fui retirado do veículo como se fora bandido, algemado com as mãos para trás, sob o olhar atônito de comerciantes e transeuntes.

“Aqui é polícia! Você sabe porque está sendo preso. Vai aprender a não mexer com quem não pode”, gritou um alucinado (com ares de drogado) agente, enquanto levava-me para um desfile público pelo que restava do caminho da abordagem até a garagem do meu prédio (a intenção, evidente, era de proporcionar humilhação), em que observava o outro policial, mais ponderado, estacionar o veículo e entregar a chave à chefe de segurança do local.

“Do que se trata ? Cadê o mandado ?”, questionei.

“Fica na sua… a ordem está na delegacia, não crie problemas que vai ser pior”, respondeu o alucinado.

“Sem mandado não vou. Preciso, ainda, deixar o cachorrinho com alguém. Acabei de comprá-lo. É filhote, não posso deixar com estranhos, muito menos dentro do carro”, respondi.

“Dá um fim nesse bicho, joga fora”, disse o miliciano ao parceiro.

A discussão foi intensa e consegui (se é que se pode tratar essa vergonha como conquista), condicionar minha ida, sem “criar problemas”, ao DP, a que deixassem-me levar o “bloguinho” à casa de minha sogra (a intervenção do policial menos violento foi fundamental).

Entrei na viatura, ainda algemado, com o “miliciano” lutando para denegrir minha imagem, proferindo bobagens para os moradores, entre as quais “olha o bandido que morava ai e vocês nem sabiam”, e seguimos à residência de minha sogra (duas quadras do local), que, avisada por telefone, encontrou-me naquela situação deplorável.

Sem o menor constrangimento (e humanidade), o covarde agente, em ação criminosa, teve a coragem de jogar o cachorro (repito, de apenas dois meses) com um soco lateral, nos braços da referida senhora, empurrando-a bruscamente na sequencia.

“Avise à Fernanda (minha esposa) que estou sendo levado para o 34ª DP”, concluí, indignado, por sorte, algemado, o que impediu uma reação certa diante de cena tão surreal e deplorável.

No caminho para a Vila Sônia escutei diversas bobagens, mas que trataram, aos poucos, de esclarecer o que, de fato, estava acontecendo:

“Mexeu com o Aidar… ele vai por no seu rabo…”, “quem financia seu trabalho ?”, “qual a senha do seu celular ?”, “está fudido… não vai sair mais…”, “quem te passa as informações ?”, “como consegue acesso a tantos documentos e dados sigilosos, nós, para conseguirmos, temos grande dificuldade…”, “você foi caguetado… já era…”

Ao chegar no distrito, fui levado, como se fosse prêmio, a outro desfile, em que o policial gabava-se pela prisão, e levava-me aos diversos departamentos e salas do local.

Somente após alguma espera, colocaram-me em frente ao um escrivão, que disse ter sido minha prisão uma ação policial para garantir depoimento em inquérito movido por denúncia de Carlos Miguel Aidar, inconformado com publicações do Blog do Paulinho.

Ou seja, a constatação da arbitrariedade: um jornalista é preso, sem mandado, por policiais civis, para prestar depoimento num caso em que sequer foi intimado a depor.

Respondidas as perguntas do tal inquérito, chega a notícia de que não poderiam me soltar porque havia uma condenação solicitando minha prisão por difamação, numa pena de 5 meses e 10 dias (absolutamente suspeita), em processo movido pelo advogado Catta Preta.

Convenhamos, difícil acreditar em coincidência.

Levado à carceragem do DP, logo a imprensa foi avisada e começaram a chover ligações ao distrito (jornalistas, dirigentes de clubes e, pasme, desembargadores ligados ao Corinthians), motivando o delegado titular a descer e abordar-me:

“Cara, você é famoso mesmo… o telefone não para… ligou a Globo, Uol, Terra, Romeu Tuma, gabinete do Andres Sanches e até um desembargador de nome Ademir”, relatou, para depois, ato contínuo, ligar para um tal de “Milton”, que, tudo indica, seria o “Neves”, confirmando, na minha frente, a prisão.

Horas mais tarde, após minha família correr para comprovar, com o diploma, meu nível universitário, ficou certo que o único local que poderia me receber, no momento, com alguma segurança, seria o 31º DP da Vila Carrão, que possui três celas especiais (somente formados) com quatro camas e, no máximo, cinco pessoas (uma dormiria no chão).

Porém, durante a transferência, realizada por outros agentes, fez-se necessário (para eles) o último ato de maldade (e tortura): colocaram-me, após o exame de corpo de delito, algemado com as mãos para trás, na parte de traseira da viatura, que foi dirigida, maldosamente, com diversos movimentos bruscos (inclusive “cavalo de pau”), ação que ocasionou-me algumas lesões, além do constrangimento de vomitar o carro inteiro, sem que pudesse controlar a situação.

Espertos (ou se achando), os policiais pararam o carro antes da chegada ao destino, lavaram a viatura e depois colocaram-me, ainda algemado, cheirando azedo, no banco de trás.

Ao entrar no 31º DP, deparei-me com minha esposa, filho e duas mulheres, Doutoras Danúbia Azecedo e Claudia Mantovani (ainda não sabia que eram advogadas), que abordaram-me: “Fique tranquilo, somos sócias do Dr. Romeu Tuma Jr., ele está indignado com sua prisão e será seu advogado, por favor, assine as procurações.”.

Na sequencia, após conversarem com os policiais locais, cientificando-os de que tratava-se da prisão arbitrária de um jornalista, não de bandido, as doutoras despediram-se, avisando que tentariam livrar-me com um HC.

Eram pouco mais de 20 horas quando uma carcereira escoltou-me até a minha cela, o “X-3”, local em que entrei apreensivo, sem saber o que esperar, mas, por sorte, fui bem acolhido por três presos, Nelson, Herges e Leandro, que, após tomarem ciência de minha história, trataram de apresentar-me, na manhã seguinte, aos demais presos, não sem antes conversar com o sentenciado “Da Sul”, denominado “disciplina”, que esclareceu-me regras e dicas de comportamento para evitar problemas na prisão.

A noite foi longa, dormi pouco, envolto em diversos pensamentos, mas ciente de que precisava sobreviver para dar sequencia ao trabalho e continuar amparando meus familiares.

Permaneci no 31º DP por 44 dias, fechado (apesar da pena indicar regime “semi-aberto”), sem ter o nome lançado no sistema (irregularidade absoluta) em condições deploráveis de higiene, além doutros desconfortos, mas, por sorte, acolhido até com alguma admiração pelos outros presos (três deles, vítimas de injustiças claras).

Neste período, tive HCs negados pelo TJ-SP, STJ e STF (Ricardo Lewandowisky), que, de maneira adversa ao que prevê a legislação, disseram não enxergar constrangimento ilegal no fato referido acima.

Minha permanência no local, que terminou numa transferência ao Presídio de Tremembé – PII (um lixo), será detalhada num livro (ainda a ser escrito), embora, assim como ocorreu neste relato, continuaremos publicando, neste espaço, resumos do que consideramos importante e essencial para o conhecimento público.

Nos próximos dias, o leitor conhecerá a verdade sobre o “presídio das estrelas”, o comportamento do judiciário (principalmente a deplorável VEC de Taubaté), além doutros pormenores que levaram um jornalista sério, combativo, que acerta (bastante) e erra como todos, a amargar 130 dias de cárcere, para deleite de malfeitores (e seus seguidores) por ele denunciados, numa verdadeira ação de ataque contra a imprensa, repudiada pela grande maioria da população, mas, lamentavelmente, pouco notada pela própria profissão.

  1. Vem aí mais uma rodada das estatísticas policiais do Estado
    Como convencer diante do que acontece diariamente?

    No decorrer da semana teremos a recorrente tortura da divulgação mensal ou trimestral, ou ambas juntas, das contestadas, discutidas, manipuladas e não convincentes estatísticas da variação da criminalidade no tempo e no espaço no Estado de São Paulo.
    Como porta voz, o nosso SSP num verdadeiro contorcionismo facial, tentando explicar o inexplicável, ou seja, a diminuição da criminalidade mesmo diante desse quadro de verdadeira guerra civil em que vivemos.
    Desta feita, para não ficarmos na “mesmice” de sempre, acreditando nas palavras do nosso Goverador sobre a transparência dos dados, o SSP talvez divulgue uma nota explicativa sobre a rotina implantada na SSP para a consolidação dos dados e a eventual possibilidade de não retratarem com fidelidade a realidade, face aos seguintes fatos:
    – A SSP, em relação ao mês em que os dados são divulgados, não dispõe da relação de necropsias feitas pelo IML em todo o Estado requisitadas em razão de “Morte Suspeita”, explicitando quantas foram mortes naturais e quantas foram violentas e, dentre estas, quantas foram em razão de homicídio, latrocínio, homicídio culposo ou decorrente de acidente não intencional;
    – No caso de roubo de veículo e carga, simultaneamente, como o dado é consolidado estatisticamente? É lançado como roubo de carga e também como roubo de veículo ou apenas um deles? Se for apenas um deles, é correto o procedimento? Não estará sendo subestimado um ou outro indicador, ou ambos? Para ocultar a verdadeira quantidade de modalidades específicas de determinados crimes, como por exemplo, roubo de carga, existe a possibilidade de, intencionalmente, os crimes serem agrupados como roubo-outros? Como entidades da sociedade civil organizada podem conferir essas bases de dados para avalizarem os indicadores divulgados pelo Governo?
    – É sabido que, com base na consolidação desses indicadores criminais, o governo concede bônus às unidades que apresentarem melhor desempenho. “Crime Esclarecido” é indicador de avaliação de desempenho da unidade policial.Pergunta: Em qual ato normativo da Polícia Civil está definido um critério uniforme do que deva ser considerado como crime esclarecido para fins de consolidação?
    – PM matou no “bico”, fora do serviço, é homicídio doloso ou não? Os homicídios praticados por PM’s, de serviço ou fora dele, apesar de consolidados em separado, no final, são somados aos demais homicídios para sabermos o total do Estado?
    – Será informada a imprensa que as estatísticas não são extraídas em tempo real da Base de Dados do Registro Digital de Ocorrências e que existe uma rotina humana ao se lançarem esses dados na planilha eletrônica da Resolução 160, fonte oficial dos dados estatísticos criminais do Estado. Onde existe a mão humana, existe a possibilidade de manipulação.
    – Será informada ainda que grande parte das ocorrências são registradas pela internet e que nem todas são lançadas na Base de Dados do Registro Digital de Ocorrências, pois a incorporação das mesmas ao sistema depende da convalidação do delegado de polícia titular da área onde, eventualmente, teriam acontecido ou por serem registradas como “local incerto” acabam agrupadas num arquivo morto da própria Delegacia de Polícia Eletrônica?
    Se é pra ter transparência e já que fundamenta a concessão de bônus ou não, é necessário que a equipe técnica da SSP esteja preparada para não apenas responder essas perguntas, mas também para disponibilizar as bases de dados para qualquer tipo de conferência.
    Aproveita e esclarece o que é “Carga” para fins de tabulação dos crimes de carga. No meu entendimento: Carga é toda e qualquer mercadoria destinada a revenda, com o devido demonstrativo fiscal, que seja roubada ou furtada em transporte. Ou “carga” é só o que tenha valor econômico? Uma caixa de medicamento pode custar 100 mil reais e ser furtada de um transeunte. Será considerado crime de carga?Um caminhão carregado de carvão vegetal avaliado em mil reais não será crime de carga?

  2. GENTE ! ATÉ O VERDADEIRO FICOU “DOIDÃO” COM ESSA ESTÓRIA . MAIS NÃO ESQUEÇAM QUE “AIDAR” É SINÔNIMO DE “MARIN, RICARDO TEIXEIRA, DEL NERO E OUTROS”. E, ME AJUDEM AÍ Ó !…

  3. Cada palavra deste relato foi cuidadosamente inserida para que o autor fosse visto como uma verdadeira vítima.

    Vejam por exemplo o uso do termo “miliciano” para descrever os policiais civis.

    Ou até mesmo a menção do “pobre cachorrinho de apenas 02 meses” que também foi subjugado pelos algozes agentes.

    De fato, o que causa preocupação é o posicionamento “nada imparcial” deste blog (Flit Paralisante) em relação à alguns tópicos.

    .

  4. GENTE !, NÃO SEI O QUE ACONTECE COM ESSE D.P.. VEJAM SÓ EM 1993 TRABALHEI NAS FILEIRAS DESTA DELEGACIA, ONDE EXISTIA UM AGENTE POLICIAL QUE SE DIZIA CHEFE DA DELEGACIA E MANDAVA MAIS DO QUE O DELEGADO TITULAR, E O FALSO CHEFE, O AGTEPOL. PARA ” DESMASCARAR”, USAVA UM ” NADA DE UM TIRA” COMO CHEFE. ACONTECE QUE O AGENTPOL. ERA O EFETIVO CHEFE E O “TIRA” UM LARANJÃO. PARA MIM, ESTRANHO !. E, ME AJUDEM AÍ Ó !

  5. O mundo conspirou contra ele. E os polícias não deveriam prender um procurado pela justiça. Realmente algumas pessoas ainda acham que são mais iguais que outras.

    ———————————————

    A prisão aconteceu em razão de mandado de prisão que existia desde novembro de 2014, mas havia dificuldade em localizá-lo já que “Paulinho” não tinha endereço fixo. Na tarde de segunda-feira, “Paulinho do Blog” foi capturado por policiais do 34.º DP da capital paulista, após passar sete meses como um foragido. 

    “Paulinho do Blog” responde simultaneamente a mais de 30 processos judiciais, mas muitos estão parados em razão da dificuldade dos Oficiais de Justiça em localizarem o jornalista, formado recentemente. Até então, ele era motoboy. Com sua prisão, todos estes processos voltarão a ter um ritmo normal. Desta forma, outras vítimas dos crimes cometidos por ele deverão, agora, impetrar novos processos o que poderá representar aumento nas suas penas.

    “Blog do Paulinho” virou ferramenta para acusações, muitas vezes, levianas.

  6. Bem vindo ao ciclo completo da PCSP. Será que se ele fosse chefão do PCC ou rato do DEIC o tratamento seria o mesmo? Depois, criticam a PMESP.

  7. Sandro:

    Se fosse colega do DEIC é lógico que não né, sedia o mesmo tratamento ao sargento torturador preso no 103. Lógico que mais discretos, pq quem gosta de juntar 15 viaturas que ficam paradas por uma hora, mais o uso do helicóptero, para deter um perigosíssimo “caranguejo” não é a PC. Aliás o pseudo tratamento dado ao Paulinho é no mínimo suspeito, pq hoje em dia quem se importa que um saco de merda desse? Pura M.O., é mais que certo que qualquer polícia nem abrisse a boca pra desovar rápido essa zica. E para finalizar, mesmo fantasioso, o procedimento adotado contra o Paulinho seria café com leite comparando ao tratamento dispensado pelo sargentão da leste aos seus prisioneiros. Sargentão azarado, em 9 meses por cinco vezes, diversos corajosos criminosos, com inferioridade numérica e bélica, atentaram contra sua vida, sendo justa e legítima os respectivos revides.

  8. Bom, se havia, como de fato havia, mandado de prisão expedido contra esse tal de “Paulinho do Blog”, aos policiais – fossem do 34º DP, ou fossem quaisquer outros policias – competia a concretização da prisão.
    O que me causa espécie, no entanto, é o relato de que “desembargadores ligados ao Corinthians”, um deles identificado como “desembargador de nome Ademir”, tenham telefonado ao delegado titular do 34º DP para, de certa forma (já que se identificaram como “desembargadores”), pressionarem a favor ou contra.
    Esses magistrados ligados ao futebol e que usam do cargo para abrirem determinadas portas nem sempre voltadas para o caminho do bem, precisam ser identificados e intimados, isto sim, intimados, para se explicar pormenorizadamente sobre suas atividades futebolísticas.

  9. Eu não conheço o caso, mas NÃO dá para ter DEMOCRACIA sem LIBERDADE de EXPRESSÃO.e a LIVRE IMPRENSA.

  10. kkkk… é brincadeira… o cara é procurado da justiça, a polícia captura… e no final está errada?

    Se é jornalista, padre, comerciante, policial, não interessa… tem que ser preso e ponto.

    Provavelmente seguiram as regras de segurança à risca (algema pra trás, compartimento de preso) por ter o “jornalista” folgado na hora da prisão.
    Se tivesse respeitado os policiais, provavelmente, teriam sido caridosos e colocado a algema pra frente, deixado sentar no banco traseiro e tal… mass…. deve ter dado daquelas: “você sabe com quem está mexendo… sou jornalista… vou acabar com a sua carreira”…

    Bem interessante… os policiais praticaram tantas “arbitrariedades”… que mesmo o “pobre prejudicado” ingressando com HC em todas as instancias não conseguiu sair do cárcere… Se a prisão era ilegal… que denuncie quem expediu o mandado, ou quem não o revogou….

    Piada viu… e olha que estava sendo super “bem” assessorado… kkkkk

  11. Primeira vez que vejo os tiras trabalhando em conjunto, com o MP, Juiz de 1ª instancia, TJ, STJ, STF……
    Coitado desse jornalista, 44 dias preso e nada fez, que humilhação, ficar junto de outros 4 ladrões super perigosos, com diploma, alias nunca vi, cadeia de nível universitário com um disciplina.
    Pior é o Tuma Jr, nunca fez nada pela Polícia quando pode, agora não consegue fazer nada pelos seus clientes….

  12. Bom dia!

    Senhoras e Senhores.

    Todos possuem discernimento e consciência suficiente para saber o que é certo ou errado

    Tem muita gente que pensa que cadeia é colônia de férias e tem outros tantos que acha que ficar uns dias na cadeia com privilégios é sufocante.

    Vai pro Sistema normal pra ver. Ficar junto com bandidos de toda espécie; Ser aterrorizado à noite debaixo da manta; Ver seus familiares serem molestados pelas famílias dos presos aqui fora; Fazer algum de seus familiares servirem de mulas para pagar sua divida com os internos; Deixar entrar qualquer uma como se fosse sua visita para se prostituir dentro da cadeia senão você morre; e assim por diante…

    Este blogueiro não imagina o que é cadeia.

    Caronte

  13. Na delegacia chegam várias vítimas desse tipo, tendo apenas a sua versão da ocorrência.

    O coitado só argumentou educadamente, muito maus esses policiais, juízes e carcereiros de Tremembé.

  14. Historinha mal contada.

    De qualquer forma, todo fato possui três versões: o lado A (policiais), o lado B (jornalista) e o lado C (a versão real sobre os fatos).

  15. “gritou um alucinado (com ares de drogado) agente” Começou bem o pobre injustiçado.

    ” Papa Mike disse:
    22/11/2015 ÀS 20:04
    O mundo conspirou contra ele. E os polícias não deveriam prender um procurado pela justiça. Realmente algumas pessoas ainda acham que são mais iguais que outras.

    ———————————————

    A prisão aconteceu em razão de mandado de prisão que existia desde novembro de 2014, mas havia dificuldade em localizá-lo já que “Paulinho” não tinha endereço fixo. Na tarde de segunda-feira, “Paulinho do Blog” foi capturado por policiais do 34.º DP da capital paulista, após passar sete meses como um foragido.

    “Paulinho do Blog” responde simultaneamente a mais de 30 processos judiciais, mas muitos estão parados em razão da dificuldade dos Oficiais de Justiça em localizarem o jornalista, formado recentemente. Até então, ele era motoboy. Com sua prisão, todos estes processos voltarão a ter um ritmo normal. Desta forma, outras vítimas dos crimes cometidos por ele deverão, agora, impetrar novos processos o que poderá representar aumento nas suas penas.

    “Blog do Paulinho” virou ferramenta para acusações, muitas vezes, levianas.”

    Esperemos para ver onde o pobre injustiçado vai chorar agora.

  16. em meus mais de 20 anos trabalhando como carcereiro aqui na PC…. cansei de ver relatos de presos , que sempre alegaram inocencia….. esse papo de inocência é regra para os presos……

    é praxe !!!! entrou na cadeia o cidadão vira mais um injustiçado…

    não entrem nessa não meus camaradas…. se tem mandado de prisão desde 2014 ::: então porque este cidadão que alega ser injustiçado, não se apresentou em qualquer delegacia de são paulo ?

    e sabendo que o 31º DP é para presos de nível superior porque não foi direto la se apresentar??

    pra mim este senhor esta se passando por vítima….

    e ta na cara que almeja uma indenização do estado …..

  17. O fato deveria ser afeto apenas a área cível. Não tem sentido crimes contra a honra gerar pena privativa da liberdade. A liberdade de expressão não pode ser tolhida e se a pessoa errar, que pague indenização mas nunca ter sua liberdade tolhida em cárcere. É desumano. O livro desse jornalista vai dar o que falar quando escancarar o hotel tremembé.

  18. Mas afinal, o que aconteceu com o cachorrinho? Fiquei comovido!!!

  19. Essa história está mais quadrada que ocorrência da PM.

  20. espera………………….o cara eh procurado..nada errado..ele deve ter inventado essa historia toda para se justificar para a sya familia

  21. Quando eu escuto essa história de que o TJ, STJ e STF contrariaram a lei …. e que o réu é que está certo a despeito de diversas decisões de tribunais superiores….

    O mundo está errado ou quem vê o mundo?

  22. Zica disse:
    24/11/2015 ÀS 7:18
    O fato deveria ser afeto apenas a área cível. Não tem sentido crimes contra a honra gerar pena privativa da liberdade. A liberdade de expressão não pode ser tolhida e se a pessoa errar, que pague indenização mas nunca ter sua liberdade tolhida em cárcere. É desumano. O livro desse jornalista vai dar o que falar quando escancarar o hotel tremembé.

    ===============================

    O CAMARADA !!! EM UM MANDADO DE PRISÃO O QUE MANDA É O QUE ESTA ESCRITO………………..
    E A PENA TAMBEM TEM QUE SER CUMPRIDA……
    SE FOR REGIME SEMI ABERTO … MANDE O PRESO PARA A CADEIA DE TRANSITO , E APOS PEDIR VAGA PARA UMA DAS COLONIAS ( PODE SER 0 22 DP….)

    O MESMO SÓ SERA REMOVIDO PARA UM PRESIDIO FECHADO SE O MANDADO DE PRISÃO ORDENAR…..

    DUVIDO QUE UM DIRETOR RECEBERA UM PRESO DE REGIME SEMI ABERTO EM UMA CADEIA REGIME FECHADO……….

    ESSA CONVERSA DEVE TER ALGUMA COISA ERRADA…..

    DEVE SER REGIME FECHADO…..

    E QUANDO UM PRESO VAI EM LIBERDADE . SOMENTE UM JUIZ É QUE PODE AUTORIZAR…..

    JAMAIS UM JUIZ VAI PERMITIR UM PRESO REGIME SEMI ABERTO EM UMA REGIME FECHADO….

    TA MUITA CONVERSINHA FIADA PRO MEU GOSTO……

    TA MACHUCANDO A MINHA SABEDORIA , REF AO SISTEMA PRISIONAL…

  23. Essa é a realidade das polícias no Brasil, sou agente e apanhei de um Charlie do 53 DP, tal de Iranir, fiz a denúncia na corregedoria e espero que seja punido, safado tem em todas as profissões e na Polícia Civil não é diferente, tá cheio.

  24. Bom dia!

    Senhoras e Senhores.

    Dia vinte e três efetuei um comentário sobre o assunto e, depois passei a refletir mais à respeito:

    Será este um daqueles filhos da pátria que tenta através de artimanhas subir na vida a qualquer custo?

    Será este um daqueles filhos da pátria que nasceu filho de General e fumava desesperadamente maconha todo dia e, para contentar seus pares, resolveu a muito custo, e esforço físico e mental, fazer uma faculdade inexpressiva?

    Será este um daqueles filhos da pátria que nasceu em berço de ouro, tentou ser comunista, pediu asilo à Fidel, mas sentindo o peso da enxada nas finas mãos, voltou para à terra natal com o rabo no meio das pernas e hoje vive à beber e a cantarolar músicas estranhas?

    Será este um daqueles filhos da pátria que veio de pau de arara para a terra prometida e subiu na vida à custa de peleguismo, mentiras e artimanhas?

    Será este um daqueles filhos da pátria que aproveitando-se da desgraça generalizada, vestiu a roupa do oportunismo e, ardilosamente, intitulando-se vítima de uma perseguição política e racial pediu asilo político remunerado a outro país?

    Será este um daqueles filhos da pátria que dá o golpe do baú no sogro e sobe vertiginosamente na vida profissional?

    Será este um daqueles filhos da pátria que exaustivamente tenta abrir os olhos das pessoas que sofrem lobotomia diariamente e que no final, quando começa a incomodar, sofre perseguições dos incautos paus mandados legítimos membros da guarda pretoriana?

    Quantos “SERÁ” que teremos que relembrar para que certas pessoas passem a enxergar o mundo com outros olhos?

    Caronte.

  25. SR. “Chico 13”, QUER DIZER QUE O “CHICO DOCE” COMEU É !. RAPAZ !, EU NÃO ME ENVERGONHO EM DIZER, QUE QUANDO ESTAVA NA ATIVA TAMBÉM CHEGUEI A LEVAR UNS “TRANCOS” DE UM “TIRA MACONHEIRO” E ACIMA DE TUDO LADRÃO E COVARDE SAFADO. ACONTECE QUE APÓS O EVENTO, O LIXO NÃO DUROU NEM UM ANO, RESUMO “RUA ” PARA O CANALHA. MEU IRMÃO, CALMA !, POIS SE A JUSTIÇA DOS HOMENS NÃO VIER, A DIVINA NÃO FALHARÁ. E, ME AJUDEM AÍ Ó !…

  26. Foi CAPTURADO porque estava PROCURADO PELA JUSTIÇA? Parabéns a quem CAPTUROU.

    O resto da estorinha é só melodrama.

  27. caronte:

    Já que o sistema carcerário contempla esses excessos que você mencionou, DEVERIAM ser imediatamente comunicados à SAP. para as decorrentes providências.

    Assim, portanto, pode-se afirmar que as prisões nem sempre são justas: ou do ponto de vista estritamente judicial, ou do policial, ou de ambos.

    Lembra-te do recente tratamento oferecido à “Prefeita ostentação” de Pernambuco?

    “Tadinha”: roubou apenas e tão-somente R$ 21.000.000,00 (VINTE E UM MILHÕES DE REAIS)! Isso é o montante divulgado. Se “puxar a capivara”, possivelmente aparecerão outros milhões!

    Quem, mesmo, as publicações do Paulinho incomodavam?

    Lembra-te da “IMPARCIALÍSSIMA” atuação no julgamento do “mensalão”, cujo Ministro parecia “Lewandovski” alguma vantagem?

    E as recentes COMPROVAÇÕES das gravações de “Cerverozinho”?

    Que a Justiça brasileira, emfim, aprenda a não “Dulcidiar” (ou duvidar) de prisões arbitrárias!

  28. JOÃO BREJEIRO.

    Justiça divina é o que podemos esperar diante do “Temer!, do “Gilmar” e do “Tófoli”, muito naturalmente mencionados pelo Senador Dulcídio do Amaral.

    O BANDIDO FARDADO (Tenente-coronel PM Francisco Rissi Filho (do capeta) descreveu num documento, em 01/11/07, que, ao me “fiscalizar o uniforme” dentro do CPA/M-6 – Comando das Patifarias Abafadas -, fiquei “rindo e dando pulinhos”. O desgraçado (trapo humano) estava tão “cheirado” que, dentre algumas decisões que adotei, sugeri que aquele lixo fosse psiquiatricamente tratado ( PARTE S/Nº, sob protocolo nº CPAM6-3905, de 08/11/07). Obviamente que o outro BANDIDO FARDADO, Coronel PM Cláudio Antônio Rissoto, na condição de COMPARSA dele, desdenhou minha sugestão. Pior que isso: além de não instaurar Procedimento Disciplinar no qual seu COMPARSA “explicasse” a intromissão naquele CPA, a pretexto de me “fiscalizar o uniforme”, ainda instaurou CJ, contra mim, por conta dos “pulinhos” que só o aludido “cheirado” conseguiu ver!

    A sentença veio, “de cima”, ainda na primeira fase do CJ: no dia em que eu comemorava o 10º aniversário de minha filha, em 17/05/10, o BANDIDO FARDADO, aos 53 (cinquenta e três), foi acometido de fulminante “AVC” – Ainda Vivia Cheirando!

    Que o capeta saiba como implacavelmente sentenciá-lo, alertando-o: “agora, dê os seus pulinhos ‘pra’ explicar aquela MERDA que você fez com o Vardi”!

  29. CARO AMIGO E COLEGA SR. VALDIR DE SOUZA !, CORROBORO COM TODO O SEU EXPOSTO, APESAR DE PERTENCER À OUTRA INSTITUIÇÃO. MEU AMIGO, ULTIMAMENTE O QUE DIUTURNAMENTE OCORRE É QUE TODOS, SEM EXCEÇÃO, SÃO FARINHA DO MESMO SACO, OU SEJAM, NO PLANALTO, NO MORUMBI, NAS DUAS POLICIAS E EM OUTROS E, SABE PORQUE !, PARA “FUDEREM” COM OS MERECEDORES POLICIAIS CIVIS E MILITARES QUE ESTÃO APOSENTADOS E, OS PENSIONISTAS QUE FICARAM A VER NAVIO, EM DETRIMENTO DAS MORTES DOS SEUS ENTES QUERIDOS.UM ABRAÇO. E BOA SORTE….

  30. Fim da carreira de Delegado e Oficiais:

    Quando desconfiei que outras falcatruas seriam perpetradas para acobertamento das que ensejaram gravíssimo acidente de trânsito, em 17/08/96, provocado por duas viaturas da 2ª Cia/10º BPM/M, enquanto “tiravam racha”, recebi rotundo alerta do então comandante da citada subunidade, Cap PM Edson de Jesus Sardano: “NA POLÍTICA NÃO IMPORTA O FATO. MAS, A VERSÃO QUE A ELE SE DÁ”!

    Por “coincidência”, agora ele é Vereador em Santo André, dividindo seu gabinete com o Coronel Wilson Roberto Silveira, ex-comandante do mesmo BALCÃO DE NEGÓCIOS ESPÚRIOS, O 10º BPM/M!

    Quando afirmo, sem medo de errar, que a “PMTROBRAS Militar” é igualzinha ao PT, é por que conheço os seus “Ceverós” e “Dulcídios”, aliás, também extremamente propensos às “questões humanitárias” em nome das quais, por exemplos, ocorreram as duas fugas de presos, no CDP de Santo André, quando o identificado Coronel (então Tenente-coronel) estava antes (dentro) daquele balcão. Atualmente (fora) ou depois do mesmo balcão, não é de se duvidar que as “versões políticas” deles guardem fina sintonia.

    Ocorreu durante a gestão do então Secretário de “Segurança” de Santo André, Cap PM Edson de Jesus Sardano, o assassinato do Prefeito Celso Daniel.

    Acho que a vítima entrou “numa roubada” ao escolher o referido Secretário, enquanto este, literalmente, entrava na roubada viatura M-10290, CRIMINOSAMENTE recuperada (sobre veículo roubado, em Santo André) depois de destroçada no referido acidente.

  31. No acidente acima descrito, morreu, presa nas ferragens, Elaine Gonçalves da Cunha, 31, anos, moradora de São Caetano do Sul (local dos fatos).

    Vejamos os demais assassinados (naqueles próximos dois anos):

    – Tenente PM José Ayres (morador de São Caetano do Sul): começou a receber ameaças de morte,em 1997, imediatamente apos a recuperação da citada viatura. Foi abatido a tiros ao lado da sede do CPA/M-6 (esquina da Rua Silveiras com a Tamarutaca);

    – Tenente PM Sighetaka Yagi (colega de serviço do Tenente José Ayres, no COPOM-ABC);

    – Sd PM Manchini: depois de incumbido de remover os escombros da viatura M-10290 de uma “oficina” para outra (Cidade São Jorge – Santo André) para montagem sobre Santana Quantun roubado;

    – Sd PM Joel: inconformado com o assassinato do parceiro (compunham a mesma guarnição), pôs-se a investigar, por conta e risco próprios, a morte do colega. Arriscou muito: também foi assassinado no mesmo bairro, cidade São Jorge;

    – Sd PM PC (Paulo César);

    – Sd PM Cláudio (motorista do oficial do Serviço Reservado, então Tenente PM Armando Paulillo Júnior).

    A estatísticas poderiam comprovar que esses assassinatos (TODAS AS VÍTIAMS PERTENCIAM AO EFETIVO DA 2ª Cia/10º BPM/M) superaram a média, levando-se em conta os assassinatos de PM de todas as demais Companhias PM da Região do Grande ABC. Algo muito estranho: mais assassinatos no efetivo de uma subunidade do que nas outras, de todos os Batalhões (6º, 10º, 24º) ou seja, pelo menos umas 12 (doze) Companhias.

    Essa estranha sucessão de assassinatos também se repetiu imediatamente após o assassinato do então Prefeito de Santo André: nove vítimas! Várias reportagens GARANTEM que há conexão entre todos esses crimes (refiro-me ao assassinatos relacionados com o do identificado Chefe do Poder Executivo).

    Eis um fato ainda mais estranho: o referido oficial P/2 foi punido com 02 (DOIS) dias de prisão administrativa ou permanência no quartel (BOLETIM INTERNO RESERVADO Nº CPAM6-027, de 29/05/98) por não investigar as ameaças de morte contra o Tenente José Ayres!

    Outro fato que poderia ser estranho: o Sd PM Joel preferiu correr risco de morte a pedir apoio ao referido P/2. Parece que, em nome da razão, acabou também assassinado!

Os comentários estão desativados.