Quem é o promotor da Veja que vai indiciar Lula? 16

conserini

A Veja publica que o promotor de Justiça Cássio Conserino, mesmo sem ter sequer ouvido Lula, diz ter elementos para abrir inquérito contra o ex-presidente Lula pela “compra” de um apartamento que, afinal, jamis foi dele ou da família.

A Folha, como bom couro de tambor da revista dos Civita, reproduz em sua manchete do site.

Diz que  Lula seria indiciado por “lavagem de dinheiro” e “ocultação de patrimônio”.

Que “lavagem de dinheiro” seria essa, parece que não vem ao caso. Como a “ocultação de patrimônio” adviria dela e se dá em relação a um bem do qual Lula, na pior das hipóteses, não teve a propriedade ou a posse, menos ainda.

Mas ninguém do jornalismo investigativo foi ao Google olhar quem é o promotor Cássio Conserino, em quem a Veja deposita tantas esperanças de, finalmente, “pegar o homem”.

Um discreto e eficaz fiscal da lei?

Conserino foi parar nas páginas por vários expedientes típicos de quem quer virar notícia.

Em 2014, a própria Folha publicou reportagem sobre uma de suas peripécias:

“Cássio recebeu por Sedex maconha sintética e pentedrona, duas drogas novas encomendadas pela internet. Comprou, pagou e recebeu no endereço combinado: o Fórum Criminal da Barra Funda, em São Paulo, maior complexo judiciário da América Latina.”

Maconha sintética seria a “AKB48” uma substância controlada a partir de 2013 na Alemanha e EUA e ainda em processo de restrição no Brasil e a pentedrona só foi  colocada na lista de entorpecentes em 2015.

Mas Cássio, avant la lettre, fez uma “engenharia jurídica”  para enquadrar os comercializadores e, evidentemente, gastou tempo e dinheiro público em uma “operação” em que a Justiça  negou todos os seus pedidos. Certamente não teria o mesmo desfecho se, em lugar de um espetáculo, tivesse procurado uma maneira de conduzir com discrição e pegar estes cidadãos de uma forma dentro da lei.

Antes, porém, fez outras. Numa operação também espetacular prendeu policiais  e um advogado que, supostamente, estariam envolvidos com jogos de azar. Sem provas – dá um certo trabalho obtê-las, diferentemente de manchetes – todos foram soltos. Pior, Cássio foi condenado pelo juiz  Joel Birello Mandelli, da 6ª Vara Cível de Santos a indenizar o advogado por tê-lo exposto à execração pública.

Já nas prisões, outro juiz, Reynaldo da Silva Ayrosa Neto, da 2ª Vara Criminal de São Vicente , escreveu que Cássio “a um só tempo conspurcou e desrespeitou seu próprio trabalho” e  causou “verdadeiro sensacionalismo midiático, intranquilidade e comoção nos meios jurídicos e policiais locais”.

O doutor promete….

  1. Petralhas tudo fazem para tentar desqualificar quem expõe o lixo que é o seu deus Lula ladrão.
    Publicou essa postagem de merda e não conseguiu desabonar de maneira alguma imagem do promotor.

  2. Pois é, esse promotorzinho é bem a cara do PSDB, vive de IMAGEM, como disse o tucaninho de bico sujo, acima.

    Para eles, o que vale não são os atos, mas o que a Veja publica, o Reinaldo Azevedo fala, o Diogo Mainardi escreve e qualquer denúncia de uma página feita por um engomadinho, recém saído de uma universidade, que só quer aparecer na mídia.

    Isso tem nome: COVARDIA.

    No fundo, esses preconceituosos sabem das suas infinitas limitações e temem que as classes populares possam ter acesso à informação, ao estudo e principalmente à concorrência leal no mercado de trabalho.

    Se esforçam até hoje para incutir no imaginário do brasileiro, que nesse país, só pobres, pretos e putas é que ROUBAM !

  3. Nas guerras a primeira vítima é sempre a verdade.

  4. Bom dia!

    Senhoras e Senhores.

    Ex-metalúrgico;ex-sindicalista; ex-deputado; ex-presidente de partido; ex-presidente da República; ex-…

    Atualmente: O homem mais honesto do Brasil!

    Caronte

  5. PT conta MP é a merda criticando a bosta

  6. Na universidade, tive aula com o Pai deste Senhor, Ex Promotor de Justiça, e a lenda que corria na Faculdade era que o mesmo, ao se formar e virar advogado, a primeira ação que moveu foi contra o próprio Pai, em uma separação de corpus em favor de sua mãe. E ganhou de lavada, deixou o velhinho sem metade dos bens…

  7. NÃO ENTENDO UMA COISA: SE QUER APARECER(PORQUE SÓ PODE SER ISSO), PORQUE NÃO VAI TRABALHAR EM TELEJORNAL? O CARA FICA DANDO MILHO QUE VAI INDICIAR. SE DER ERRADO FICA COM CARA DE BUNDA. INVESTIGA, DENUNCIA E PRENDE. DEPOIS SAI DANDO ENTREVISTA. ESTÁ FAZENDO EXATAMENTE O CONTRARIO. SIGA O EXEMPLO DO JUIZ SERGIO MORO, ESSE SIM, AVESSO A ENTREVISTA. A VERDADE É QUE CARGO NO SERVIÇO PUBLICO NÃO “DÁ” BOM SENSO A NINGUÉM. PARECE QUE OS CARAS FICAM EMBRIAGADOS QUANDO LIGAM A CÂMERA.

  8. Para o Sr. “Winston Smtih”: parabéns pela criatividade kkkkkkkkkkkkkkkkk

  9. Batatinha quando nasce se esparrama pelo chão, menininha quando dorme põe a mão no coração…Alguém quer café?…

  10. Colegas, por favor, alguém poderia de maneira bastante detalhada explicar como é o trabalho dos policiais civis que labutam no CIAP? Escala, quantos por equipe, se só por trabalham carcepol’s, se há membros de outras carreiras. Tenho um primo que está no interior e recebeu uma proposta para permutar para o CIAP..

  11. “Irmãozinho” disse:
    25/01/2016 ÀS 13:03
    Batatinha quando nasce se esparrama pelo chão, menininha quando dorme põe a mão no coração…Alguém quer café?…
    PARCEIRO, ACONTECEU COMIGO. PRIMEIRA COISA A FAZER:CORTA OS PSICOTROPICOS. SE A REALIDADE NÃO “VOLTAR”, SERÁ NECESSARIO REHAB. TENHO UM AMIGO PSIQUIATRA E CONSIGO ATESTADO PARA AFASTAMENTO. NADA QUE TRINTA DIAS NO PANTANAL PESCANDO NÃO RESOLVA.

  12. SEGURANÇA PÚBLICA

    SERVIDÃO HUMANA

    Carlos Alberto Marchi de Queiroz

    O Correio Popular de 14/1, A 12, noticiou que o governador oficializou o “bico” para policiais civis, permitindo que autoridades policiais e agentes possam, querendo, trabalhar durante as folgas, com direito a remuneração adicional. Alckmin, todavia, não revelou aos distraídos que não levarão esse penduricalho por ocasião da aposentadoria, e, muito menos, que sofrerão descontos previdenciários e do Leão.

    Alckmin sancionou lei complementar instituindo Diária Especial por Jornada de Trabalho Policial Civil (Dejec), permitindo que delegados e agentes ganhem adicionais brutos de R$ 226,08 e R$ 188,40, calculados com base na Ufpesp, nos termos de Portaria do Delegado-Geral .

    Os vencimentos e vantagens dos policiais civis estão na Lei Orgânica da Polícia, de 5 de janeiro de 1979, que determina que, além desses, farão jus ao Regime Especial de Trabalho Policial , cujo artigo 44 esclarece que o RETP caracteriza-se pela prestação de serviço em jornada de, no mínimo, 40 horas semanais, com cumprimento de horário irregular, sujeito a plantões noturnos e chamadas a qualquer hora, proibido o exercício de outras atividades, os “bicos”, exceto as de ensino e de difusão cultural.

    As polícias civis e militares são historicamente mal pagas desde sua criação, após a chegada da Família Real ao Rio de Janeiro, em 1808, quando o príncipe Dom João instituiu a PMERJ e a Intendência Geral de Polícia, hoje PCERJ.

    Após a profissionalização da Polícia Civil paulista, em 23 de dezembro de 1905, pelo presidente do Estado Jorge Tibiriçá Piratininga, autoridades policiais e agentes passaram a receber vencimentos e vantagens idênticas aos magistrados, promotores, médicos, professores, e, na mesma proporção, seus subalternos. Em Campinas, professores do Culto à Ciência e da Escola Normal ganhavam igual a eles. Durante os governos militares (1964-1969) esses índices salariais foram mantidos.

    Com a redemocratização, os governadores do PMDB, Montoro, Quércia e Fleury Filho, seguiram, incrivelmente, a política salarial de Maluf. O último deles terminou seu governo recompensando salarialmente os quadros da PM e da PCESP.

    A partir de Mario Covas, sucedido por Alckmin, Serra e, novamente, Alckmin, os integrantes das duas polícias sofreram retaliação salarial por parte do primeiro e do terceiro, sabidamente perseguidos pelo DOPS, com apoio da então Força Pública, atual PM, submetidas aos governos-fantoches de Laudo Natel, Paulo Egidio e Maluf.

    Alckmin, apesar dos gramsciasnos releases de sua assessoria de imprensa, continuou o arrocho contra a PM e a Polícia Civil, cujos atuais integrantes eram crianças e adolescentes nos Anos de Chumbo, portanto inocentes dos excessos praticados pelos órgãos repressivos de então..

    No que concerne ao atual status salarial da Polícia Civil, o governo, tentando minimizar baixos vencimentos, e falta de pessoal,extinguiu as 5ª e 4ª classes de todas as carreiras, promovendo, artificialmente, servidores para a 3ª. Com o aumento da base da pirâmide, classes subalternas aproximaram-se, perigosamente, do topo, com sérios reflexos sobre a hierarquia e a disciplina. A diferença de remuneração provocou o achatamento do topo, que ainda sofre mais descontos, já que não pode ganhar acima do teto do governador, olimpicamente despreocupado em ter aumento …

    Artifícios contábeis ajudaram Alckmin a implantar fracassada política de bônus por produtividade, à semelhança do abono de permanência, extorno previdenciário que mantém em serviço interessados até a idade-limite para aposentadoria compulsória, hoje de 75 anos, conhecido como “abono-mata-o-velho”, penduricalhos não computados na aposentadoria..

    Há pouco, José Serra conseguiu que policiais civis se aposentem aos 75 anos, criando uma polícia de macróbios. No Hemisfério Norte, ao contrário,policiais aposentam-se, compulsoriamente, após 20 ou 25 anos, com paridade e integralidade. Na verdade, é preciso dar mais vencimentos e folgas aos policiais, contratando mais recursos humanos para uma força de 40.000 cargos que, atualmente, trabalha no volume morto, beirando o útil, com falta de 1/3 de pessoal.

    Ao invés de revalorizar o RETP, dando mais descanso aos homens da lei, uma vez que o serviço policial é atividade insalubre, Alckmin compra folgas, higiênicas, de seres estressadíssimos, nervosos, que trabalham no limite e em péssimas condições ambientais. Esquece-se dos crescentes pedidos de exoneração, licenças para tratamento de saúde, inclusive alcoolismo e drogadicção, licenças-prêmio, suicídios, mortes em serviço e fora dele, além de maciças demissões por corrupção, da qual nem mesmo a Corregedoria Geral da Polícia Civil escapou, recentemente.

    Sugiro ao governador, médico anestesista, que, cumprindo a Constituição Federal, também faça um curso rápido de higiene e segurança do trabalho, revogando os Dejem e Dejec, revalorizando, por lei complementar, o RETP como parcela única, não tributável.

    Carlos Alberto Marchi de Queiroz é professor de direito e membro da Academia Campinense

  13. Geraldo Alckimim do PSDB paulista continua um grande vendedor de vento. Bom, mas isso não é novidade nenhuma, faz 20 anos que ele promete ou cria leis que ele nunca cumpre; Lembram do bônus? Lembram data base? pois é, DEJEC é só mais um passa moleque nos policiais civis e servirá como falsas propagandas no período eleitoral e o eleitorado acredita que é verdade. Alckimim chama de políticas e eu chamo de estelionato eleitoral, quando o Governador diz que fez, ele tem que ter feito e não enganar a população com projetos e leis que não beneficia a população, mas apenas os enganam para obter votos.

    Na verdade o DEJEC não passa de 03 passa moleques, um nos servidores ativos , outro nos inativos e outro na sociedade, eu explico porque: 1º ele não dará o reajuste salarial para os policiais em março conforme lei da data base que ele próprio criou, com isso o DEJEC se torna um “cala boca”, 2º ele não dará reajuste salarial para os inativos porque não deu para os ativos e assim os inativos perdem forças para cobra-lo, 3º ele propagará como benefícios aos policiais e fará como de costume, falsas propagandas enganando os eleitores. Resumindo, todos nós somos trouxas porque o DEJEC não incide nas aposentadorias.

    VIVA NOSSOS DEPUTADOS, VIVA NOSSOS SINDICATOS E ASSOCIAÇÕES !

Os comentários estão desativados.