Dilma é a personificação da falsidade; verdadeiramente, merece ser deposta e fuzilada 48

Vai vendo….

Vergonha !, O Governo Federal e o Governo do Estado de São Paulo querem aumentar a contribuição previdenciária e impedir reajuste dos Servidores. Civis e Militares, dos Estados.

Mediante acordo com Governadores de diversos Estados, inclusive Geraldo Alckmin, o Governo Federal apresentou ontem, dia 22 de Março, com pedido de tramitação com urgência o Projeto de Lei Complementar 257/2016, que sob a justificativa de melhores condições de negociações das dividas dos Estados com a União, impõe diversas condições para os Estados e ao Distrito Federal, dentre elas:

não conceder vantagem, aumento, reajustes ou adequação de remunerações a qualquer
título;
suspender admissão ou contratação de pessoal, a qualquer título;
elevação das alíquotas de contribuição previdenciária dos servidores e patronal ao
regime próprio de previdência social para 14% (quatorze por cento) e 28% (vinte e oito por cento)
respectivamente;
reforma do regime jurídico dos servidores ativos e inativos, civis e militares, para
limitar os benefícios, as progressões e as vantagens ao que é estabelecido para os servidores da União.

Ou seja, os governos para resolverem suas dívidas estão jogando a conta para cima da população, vetando ajustes salariais, limitando benefícios e alterando os regimes jurídicos para prejudicar os servidores públicos dos Estados, que já estão com as remunerações defasadas e desvalorizadas ante o constante aumento da inflação anualmente. Vetando também a realização de concursos públicos, bem como suspendendo os ainda pendentes de nomeação (ressalvados os que forem deferidos pela via judicial).
E ainda aumentando a alíquota para contribuição previdenciária para os servidores e para a classe patronal.

O País está afundado em uma crise política e econômica e os Governos buscam apenas prejudicar a população, limitando direitos, e aumentando os valores de contribuição, tanto para servidores, quanto para empregadores, o que gerará sem dúvidas grandes transtornos para o povo, bem como milhares de desempregos.

O “acordo” é para pautar e votar esse projeto na próxima terça-feira, dia 29 de Março, o meu VOTO CONTRÁRIO já temos, mas vamos nos mobilizar, e pressionar cada parlamentar para que mais esse absurdo desse Governo Corrupto não seja aprovado.

Major Olímpio

  1. A data é estratégica para o assunto passar batido, haja vista ser terça-feira, 29, a data em que o PMDB decide se desembarca do governo petista. Há um motivo sorrateiro em escolher essa data, furtivo, fugaz, etc.

  2. Essa Dilma é uma piada, pede para os estados e municípios não darem aumento para os seus servidores e ao mesmo tempo, ela própria, dá um aumento de 11,17% para os policiais civis de São Paulo não paritários.

  3. DIÁRIO OFICIAL DE HOJE – 25/0316 – FERIADO SANTO
    146 PESSOAS NOMEADAS, NAO TOMARAM POSSE.
    99 ESCRIVAES, 26 INVESTIGADORES, 6 PERITOS, 4 FOTÓGRAFOS, 4 AUX.NECRO, 7 ATEND NECRO.
    TEMPO E DINHEIRO JOGADOS NO LIXO, COM CONCURSEIROS.

  4. Senhores

    Lhes contarei uma historinha, ocorrida em um estado de um certo pais na Ilha da Fantasia.

    Era uma vez, um grande estado, industrializado, com comércio forte, agricultura forte, tudo que havia de bom nele abundava, com o passar dos anos, após a constituição de 1888, cuja maioria dos constituintes do tal pais de matiz comunista/esquerdista, iniciaram um processo de sangria neste estado, via impostos federais.
    Assumiu neste mesmo estado, governantes que se diziam de centro-esquerda, mas na verdade não eram..
    A situação de sangria, com o passar dos tempos só aumentava e a Federação, passou a cobrar da divida, juros vergonhosos, uma verdadeira usura, sangrando ainda mais o estado.
    Neste estado, havia um instituto de nome I P E S P, destinado a pagar pensão para viuvas e dependentes, seu recurso tinha origem no desconto mensal de 6% dos funcionários públicos. Para atualizar e manter seu capital, o instituto tinha uma grande carteira imobiliaria, alem de inumeros imóveis. A aposentadoria dos empregados era custeada pelos cofres…
    A sangria aumentava e o Alcaide teve a brilhante idéia para aliviar suas contas, inventou o S p P r e v!
    Ninguem sabe onde foram parar as centenas de imóveis do Ipesp, nem mesmo o saldo em caixa!
    Sabe-se agora, que em conluio com a Federação, muito preocupada com o bem estar do povo, aumentará ainda mais a taxa de aposentadoria, pois como é HONESTISSIMA, e sem fiscalizar se o Alcaide deposita a suada parcela devida no fundo de aposentoria de seus funcionarios!
    A Ilha da fantasia, cada dia está pior, agora os aborigenes estão uns contra os outro, e a Honestissima federação, incita ainda mais a desunição, pois não tem mais como prover a “bolsa caça-pesca”, a “Bolsa barrote e sapé”, nem tão pouco a isenção para aquisição de canoas!
    Ouve-se boatos, que os apoiadores do governo, caso seja deposto, promoverão uma revolução…
    TUDO DO JEITO QUE O DIABO QUER!!!
    Alias, pintam o diabo de vermelho!

    C.A.

  5. Essa estória de falta de grana prá mim é conversa, nosso estado é o mais rico e essa conversa de não ter dinheiro não cola. Como ele tem que dar alguma coisa prá nós, cria esse lero prá não dar nada, ainda ameaça diminuir ou não pagar, como no mes passado. Enquanto isso minha pastelaria está com os cartórios afundados de IPs, escrivão saindo de licença, investigadores atrás de produção prá segurar cadeiras superiores além de ficar de babá de preso removendo-os para a custódia, pensão, menores prá Febem, investigação zero! Isso é mais uma ameaça para ficarmos bem quietinhos e não reivindicarmos nada, ainda agradecer por receber no 5º dia útil! Ambos governos, lixos e omissos: uma afunda o país distribuindo dinheiro a países comunistas, adquire refinaria fechada e manda nosso patrão aumentar o desconto da contribuição, negar reajuste ele obedece direitinho, aliás , quando é prá foder com polícia é sua especialidade, ele gosta!

  6. É ser Escrivão e zica.
    Havia um tempo que o pior cargo da PC era os Carcereiros, hoje já não mais.
    O curso com maior desistência e exoneração a pedido é de Escrivão.
    Esses guerreiros deveriam receber igual peritos.

  7. Deveria ter um referendo para votar a extinção do Senado.
    Já geraria uma economia de bilhões de reais.
    Nao conseguiran ressucitar a CPMF e usaram o plano B, fuder os servidores públicos com aumento nos descontos em folha e proibição de aumento salarial.
    Ah e o Dejec já era, não tem verba.

  8. RESUMINDO:

    Além de não termos aumento pelos próximos 2 anos, nosso salário vai diminuir pois ao invés de descontar 11% como todo mês, vai ser descontado 14%……para os operacionais algo próximo de 200 reais a menos no salário.

    É por isso que vc entra nas delegacias todos estão motivados e trabalhando bastante, atendendo bem a população, esclarencendo crimes, investigando bastante. É por isso que vemos bastante viaturas patrulhando, a pm sempre solícita…..

    Tamos na merda.

  9. Sou Policial Civil aposentado, moro em Tutóia-MA, onde o custo de vida é muitíssimo menor do que o de SP, aqui, os professores da rede estadual estão em festa, o Governador, do PC do B, não tem esta estório de falta de dinheiro…vejam:
    23 DE MARÇO DE 2016 ÀS 11:07-
    “Os professores do Sistema Estadual de Ensino do Maranhão, com licenciatura plena, recebem a segunda melhor remuneração entre as redes estaduais do país, para um regime de trabalho de 40 horas semanais. Com valor de R$ 4.985,44, o estado perde apenas para o Distrito Federal, segundo dados apontados na Tabela de Salários do Magistério da Educação Básica, divulgada pela Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE)
    A remuneração com todas as gratificações de um docente de nível superior (licenciatura), para a jornada de 40h semanais, em final de carreira, por exemplo, pode chegar a R$ 8.482,25 (vencimento, titulação, adicional por tempo de serviço e GAM”

  10. Colegas, peço-lhes desculpas, é só para complementar: minha esposa era professora em São Mateus-Capital, não tinha o respeito dos alunos e nem dos pais destes, o salário nem se fala, dava dó, pediu exoneração e estamos aqui numa boa.

  11. MALDITO É O MISERAVEL DO ALKIMIM CONHECIDO COM PICOLE DE XUXU FAZEM DOIS ANOS QUE ESSE LIXO NÃO DA AUMENTO PRA POLICIA, E SO VIVE CONTANDO HISTORIA É UM PUTO DE UM CORRUPTO COMO TODOS ELES E FICA COM ESSA ENGANAÇÃO E ESSE MERDA QUER SER PRESIDENTE DA REPUBLICA E SO ENROLA.
    VAI QUEIMAR NO INFERNO

  12. Isso não passa, aposto que a própria bancada do PT não vai aceitar, ir contra o funcionalismo público seria a pá de cal.

  13. A melhor coisa a fazer é pedir a aposentadoria voluntária e entrar na Justiça para garantir a integralidade e paridade, viver com modéstia mas em paz.

  14. E tem outra, se for pra receber as vantagens recebidas pelos servidores da União, está ótimo, a mamata ali é boa.

  15. ALKIMIM, GOVERNADOR MALDITO, DEIXE DE SER SAFADO E CUMPRE A CONSTITUIÇÃO DANDO O REAJUSTE INFLACIONÁRIO NA DATA BASE QUE É DIREITO LÍQUIDO E CERTO DE TODOS, ALÉM DE SER LEI, SEU SEM VERGONHA FORA DA LEI, VOCÊ TÁ QUERENDO OUTRO CASTIGO DIVINO NA SUA VIDA?

  16. TALVEZ SEJA MELHOR APOSENTAR! POLICIAL: PENSE NISSO.

    DEJEC – A LUTA DOS POLICIAIS CIVIS CONTINUA !

    MAIS UMA DEMONSTRAÇÃO GOVERNAMENTAL

    DO SEU APREÇO PELOS MILITARES

    “E PELOS CIVIS”

    Imagine que você está de Plantão. Imagine que mais de 30 militares estão participando de escala extraordinária.

    Imaginem agora cada um trazendo um TC no plantão lotado de idosos, vítimas de crimes, gestantes, crianças etc.

    E você tem que atender primeiro o funcionário público.

    Não precisa é imaginar que o Plantão estará com o mesmo número reduzido de funcionários, que não tem pausa em feriados, madrugadas, noites, finais de semana e ainda cumprem sobreaviso sem receber por isso, a título de um verdadeiro Título de Propriedade da Vida Particular do Servidor, também conhecida como RETP, cujo uso indiscriminado leva o servidor a se socorrer da única figura que ainda olha pelos Policiais Civis, o Juiz de Direito, em ações de Dano Existencial (ou análogas), como a julgada recentemente na Comarca de Jales-SP.

    Policial Civil Operacional tem direito a:

    1 – não receber GAT,;

    2 – não receber DEJEC;

    3 – não receber AJUDA DE CUSTO ALIMENTAÇÃO POR UFESP.

    CONSEQUÊNCIAS

    As aposentadorias estão se acelerando. Ao invés de haver um trabalho tendente a melhorar a condição humana do Policial Civil, independentemente das estatísticas, muitos Policiais Civis têm procurado o SIPOL informando que vão sair. E vão esperar o resultado das ações judiciais em casa.

    O SIPOL já pensa em apoiar e até estimular todos os Policiais Civis que puderem, a se aposentarem, tratar da saúde psicológica em casa, com direito à tranquilidade, descanso e convivência digna com a família. E “brigar” pelos seus direitos funcionais na Justiça que, invariavelmente estão sendo reconhecidos. Dispensando abono permanência inclusive, que nada mais é do que um engodo se feitas as contas corretas de custo x benefício. Afinal, transporte, alimentação, vestimenta, condição do carro, remédios e ausência familiar custam bem mais caro que R$ 600,00. Isso não paga saúde emocional, mental e física. Aliás, o que paga isso?!

    Quem sabe não é melhor viver modestamente e são, do que morrer louco na classe média baixa.

  17. DELEGADOS DE POLÍCIA NÃO SÃO POLICIAIS CIVIS, MUITO MENOS OPERACIONAIS, SÃO MEROS DELEGADORES. e não basta apenas aos delegadores distribuir ordens e estabelecer normas, Delegar é uma arte, então são meros artistas.

  18. Fred Flintstone (25/03/2016 às 12:44)

    Escravão deveria ganhar mais que perito. Mas nesse modelo ineficiente de Polícia, quem faz o IP, o “produto” da PC para a sociedade, é deliberadamente desvalorizado financeira, profissional e culturalmente. Não interessa ao Estado uma Polícia seria, que vai incomodar políticos.

  19. 99 escrivães não tomaram posse, 21 já acabou desistindo após a posse, OS ESCRAVÕES ACORDARAM EM TEMPO,
    exescravão disse:
    25/03/2016 ÀS 16:20

    Fred Flintstone (25/03/2016 às 12:44)

    Escravão deveria ganhar mais que perito. Mas nesse modelo ineficiente de Polícia, quem faz o IP, o “produto” da PC para a sociedade, é deliberadamente desvalorizado financeira, profissional e culturalmente. Não interessa ao Estado uma Polícia seria, que vai incomodar políticos
    ESCRIVÃES ATIVOS PEDEM PARA SAIR OU LUTEM POR UM SALÁRIO DIGNO, NO MÍNIMO IGUAL DE UM MAJURA.

  20. FEDERAÇÃO DOS POLICIAIS CIVIS E SINDICATOS REGIONAIS MOBILIZAM A CATEGORIA EM DEFESA DO PAGAMENTO DA REPOSIÇÃO

    Hoje (24/3), pela manhã, a FEIPOL-SE (Federação dos Trabalhadores Policiais Civis da Região Sudeste – SP, MG, RJ e ES), juntamente com alguns presidentes de Sindicatos Regionais, foi recebida pelo presidente da Nova Central Sindical de Trabalhadores, Luiz Gonçalves, para tratar do nosso movimento em prol da reposição salarial.

    O primeiro ato público ficou marcado para o dia 26/4/2016, 11 horas, no Largo de São Francisco.

    Que todos fiquem cientes, se mobilizem e divulguem, por favor.

    Jarim Lopes Roseira
    Presidente da IPA e Diretor de Organização da FEIPOL-SE.

  21. Defender o programa do seu partido arduamente é normal, porém, tem um louco aí em cima…

  22. NÃO TOMAM POSSE MESMO, QUEM AGUENTA ESPERAR 3 ANOS POR UM EMPREGO?

  23. Até este blog foi contaminado pela Veja / Globo.

    Será que o título da matéria não merece mencionar que o PSDB merece ser fuzilado também? Afinal, isso é um acordo entre governo federal e estadual,.

  24. Abaixo o Quinto Constitucional previsto na CF, ou seja, os ministros do STF indicados pelo Poder Executivo e sabatinado aos interesses do Poder Legislativo. Os 08 (oito) Ministros do STF indicados pelo Lula e pela Dilma, deveriam sentir vergonha e pedirem suas aposentadorias ou serem compulsoriamente afastados do STF. Essa omissão e complô político em não responsabilizar com prisão os gerentes e pseudos mandatários dos Poderes Executivo e Legislativo, está fazendo o STF prostrar de joelhos diante dos gestores mencionados cair em descrédito com a Senhora Sociedade Contribuinte que paga os seus Salários, Mordomias, Vitaliciedade, Irredutubilidade de Salários e Inamovibilidade.

  25. será???? (26/03/2016 às 0:16)

    Vixi! Quanta coxinha aqui! É o Master Cheff ????

    Ainda bem! Significa que o Brasil ainda tem esperança de ser um país democrático, legalista, honesto, trabalhador, familiar, com igualdade jurídica entre as pessoas e, se tudo der certo, com um Estado com menos governo e mais cidadania.

  26. “Vamos lutar e vamos defender o Estado Democrático de Direito. As manifestações mostram o seguinte:

    queremos a paz, mas não tememos a guerra.

    Se eles acham que haverá estabilidade derrubando a Dilma, estão muito enganados.

    A estabilidade virá com o fim do impeachment a possibilidade do Brasil voltar a crescer.

    Lula é ficha limpa, portanto não há nenhuma razão para ele não ser ministro”

    RUI FALCÃO – PT

    http://politica.estadao.com.br/noticias/geral,queremos-a-paz–mas-nao-tememos-a-guerra-diz-rui-falcao,10000023251

  27. Gravissima essa denuncia que dos 300 escrivaes chamados 128 ja pediram exoneracao ou deixaram de ir a posse.

    Tambem quem vai se submeter a ganhar 3 conto e somente após 15 anos sobe uma classe.
    To mentindo? Primeira promocao só depois de 15 anos. Entao pelos proximos 15 anos sua vida vai ser um Inferno ganhando 3 mil.

    Quem é xarope?

  28. Senhores

    Quando extinguiram a 5ª classe, para disfarçar reajuste de salário a grande maioria dos Policiais, dizia que era golpe, me interpelavam porque eu era antigo e não fui promovido, quando ocorreu a mesma coisa com a 4ª classe, dizia a mesma coisa e me falavam os maiores abusurdos. Na realidade senhores, em nossa instituição a grande maioria está preocupada com os seus umbigos, o mesmo fator ocorre agora com o tal bônus, outro golpe!
    Quem recebe fica feliz da vida e mangando de quem não viu a cor do dinheiro…
    Nunca, jamais chegaremos ao padrão salarial que a Policia Federal alcançou, com méritos, movimentos, greves…
    Sabem o motivo?
    Aqui sobra individualismo (estando bem prá mim quero que os outros sem fod….)
    Sobra Ego (eu sou melhor, sou maior, sou mais….mais…)
    Falta inteligencia, para percepção de que temos a maior arma da União, aquela que todos querem…(O ANTIGO, ULTRAPASSADO, FORA DE MODA INQUERITO POLICIAL), que usado de forma eficaz e objetiva, coloca muito sujeito grande de joelhos….mas isso é utopia…
    JAMAIS SEREMOS, JAMAIS!!!!

    C.A.

  29. ESTES PILANTRAS PETRALHAS FICAM RECLAMANDO QUE ESTÃO SOFRENDO UM GOLPE..
    GOLPE É O QUE ELES ESTÃO FAZENDO COM OS COFRES PÚBLICOS…

  30. A CORRUPÇÃO NO BRASIL COMEÇOU DEPOIS DO TÉRMINO DA INTERVENÇÃO MILITAR. INTERVENÇÃO JA! disse:

    Esquema de propina da Odebrecht funcionava desde governo Sarney

    Pedro Lopes*
    Do UOL, em São Paulo
    26/03/201606h00
    Ouvir texto
    0:00
    Imprimir Comunicar erro

    Paulo Whitaker/Reuters
    Prédio onde fica a sede da construtora Odebrecht, em São Paulo
    
    Prédio onde fica a sede da construtora Odebrecht, em São Paulo
    

    A 26ª fase da operação Lava Jato expôs, na última terça-feira (22), a existência de um “departamento de propina” na empreiteira Odebrecht, que teria sido utilizado para movimentar altas somas de dinheiro em pagamentos ilícitos para agentes públicos e políticos principalmente em 2014. O esquema, no entanto, pode ser muito mais antigo. Documentos mostram que, durante o mandato presidencial de José Sarney (1985-1990), procedimentos bem semelhantes aos apontados pelos investigadores da Lava Jato envolviam 516 agentes públicos, empresários, empresas, instituições e políticos. Entre eles, há ex-ministros, senadores, deputados, governadores, integrantes de partidos como PSDB, PMDB e PFL (atual DEM).

    O UOL teve acesso a quase 400 documentos internos da empreiteira, a maioria datada de 1988, detalhando remessas e propinas a diversos políticos. A documentação estava de posse de uma ex-funcionária da Odebrecht. Como no esquema divulgado pela Lava Jato na terça-feira (22), eram utilizados codinomes para os receptores dos pagamentos e as propinas eram calculadas a partir de percentuais dos valores de obras da empreiteira nas quais os agentes públicos estavam envolvidos.

    A Odebrecht afirmou “que não se manifestará sobre o tema”. Todos os políticos ouvidos negaram qualquer envolvimento em esquema de propinas com a construtora.

    Reprodução/UOL
    Chamada “Relação de Parceiros”, a lista cita nomes de políticos com respectivos codinomes

    Na documentação chamada “Livro de Códigos”, havia uma lista, batizada de “Relação de Parceiros”, que detalha os codinomes de políticos, agentes públicos e empresários relacionados às obras da Odebrecht nas quais teriam atuado.

    Um dos nomes que aparecem é de Antonio Imbassahy, atual deputado federal pelo PSDB – que tinha o codinome “Almofadinha”, e estaria relacionado à obra da barragem de Pedra do Cavalo, na Bahia. Imbassahy presidiu a Desenvale (Companhia do Vale do Paraguaçu) nos anos 1980, quando era filiado ao PFL. A Desenvale foi o órgão público responsável pela obra de Pedra do Cavalo.

    Reprodução
    Anotações revelam pagamentos de propinas pela Odebrecht desde os anos 80, afirma ex-funcionária

    Também do PSDB, Arthur Virgílio, atual prefeito de Manaus, recebe o codinome “Arvir”. Do PMDB, são citados Jader Barbalho (“Whisky”), atualmente senador, ligado à obra da BR-163, no Pará, e o ex-ministro de Minas e Energia, senador Edison Lobão (“Sonlo”). Os filhos do ex-presidente José Sarney, Fernando e José Filho, aparecem com os codinomes “Filhão” e “Filhote”; Roseana Sarney, como seu nome de casada, “Roseana Murad”, aparece como “Princesa”.

    Na lista, está também o ex-presidente e atualmente senador recém-desfiliado do PTB, Fernando Collor de Mello (“Mel”), relacionado a um emissário submarino construido na década de 1980, quando ele era governador de Alagoas. Há também o nome de Aroldo Cedraz, atual presidente do TCU (Tribunal de Contas da União), de codinome “Toldo” e ligado à obra adutora do Sesal – ele ocupava na época os cargos de presidente da Cerb (Companhia de Engenharia Rural da Bahia) e de secretário de Recursos Hídricos e Irrigação da Bahia.

    O já falecido ex-deputado federal e governador do Mato Grosso, Dante Oliveira (1952-2006), que ficou famoso como o autor do projeto que pedia eleições diretas para presidente nos anos 1980, tinha o apelido “Ceguinho” e estaria relacionado a obras de canais em Cuiabá, cidade onde foi prefeito por três mandatos.
    “Esquema sempre existiu, sempre foi esse”

    “O esquema naquela época era mais ou menos como esse divulgado essa semana, só não tão organizado assim. Esse esquema de propina, de fraudar licitações, sempre existiu na empresa. Aliás em todas as grandes, o esquema sempre foi esse”, explica Conceição Andrade, ex-funcionária da empresa e que trabalhou no departamento responsável pelos pagamentos – a antecessora de Maria Lúcia Tavares, que delatou o esquema atual na Lava Jato.

    “Eram porcentagens de valores das obras. Era feito o fechamento, e determinava um percentual. A partir daí ocorria o superfaturamento e o pagamento. Tudo isso era feito através de transações bancárias e dinheiro. É bem semelhante ao que foi divulgado na Lava Jato, mas hoje tem um departamento específico para isso. Naquela época era feito em nível de gerência, mas acredito que tenha funcionado em diretoria e presidência também”, completa Conceição.

    Reprodução/UOL
    Lista com 516 nomes cita políticos, a exemplo do senador Edison Lobão (PMDB-MA)

    “Quando fui demitida e peguei os pertences pessoais, esses documentos estavam no meio da caixa, acabaram vindo junto. As pessoas recomendaram que me desfizesse, mas achei bom guardar. É preciso traçar um paralelo, mostrar que isso é antigo. Alguns desses crimes podem até estar prescritos, mas isso tudo mostra que o esquema vem de bem antes. A saída é reforma, não é demonizar o PT”, explica a ex-funcionária.
    Investigação

    Em 2015, Conceição encaminhou toda a documentação detalhando as propinas para o deputado federal Jorge Solla (PT-BA). Solla apresentou tudo em dois âmbitos: na Polícia Federal e na CPI da Petrobras.

    Os documentos foram entregues ao delegado Bráulio Galloni, que, por sua vez, remeteu tudo para Curitiba, sede da força-tarefa da Lava Jato. Atualmente, estão na Delegacia de Repressão a Crimes Financeiros da Polícia Federal.
    Outro Lado

    O deputado federal Antonio Imbassahy afirmou que é “um despropósito” a menção ao seu nome na “Relação de Parceiros” da Odebrecht. “Como homem público sempre tive uma relação baseada na decência com a Odebrecht e com qualquer empresa.”

    O prefeito de Manaus, Artur Virgílio Neto, enviou nota ao UOL, na qual afirma:

    “Meu pai, que tinha nome igual ao meu, era, nessa época, um simples senador cassado. Eu era um ex-deputado, prefeito de Manaus entre 1989 e 1992, distante dos governos federais desse período, que nunca se relacionou com a empresa Odebrecht.

    Não fui e não sou parceiro de empresas e, em meio a esse charco todo, sempre me mantive nos limites da seriedade pública.

    Considero no mínimo precipitada a formulação da pergunta sobre “propina”. Equivaleria a eu perguntar ao jornalista se ele vende opinião em matérias ou artigos. Perdoe-me a dureza, mas sou cioso do patrimônio de honradez que herdei e que transmito aos meus filhos.

    Desviar o foco dessa lama que vem cobrindo o Brasil pode terminar servindo de válvula de escape para os que têm culpa real nos desmandos éticos que desmoralizam o Brasil.

    Nos meus dois mandatos de prefeito, não houve nenhuma obra dessa empresa [Odebrecht]. Espero, sinceramente, que um veículo do peso e da respeitabilidade de vocês saiba respeitar a honra de quem a possui.”
    Advogado responde por Lobão e Sarney

    O advogado criminalista Antonio Carlos de Almeida Castro, o Kakay, negou que seus clientes, o senador Edison Lobão (PMDB-MA) e a ex-governadora Roseana Sarney, tenham cometido qualquer ato ilícito.

    “O Brasil passa por um momento de criminalização da política. Isto é muito grave. Vamos afastar da atividade política, que é essencial para qualquer país, as pessoas de bem. E a delação passou a ser prova para incriminar, sem sequer investigar. Um país punitivo não serve para a democracia. A palavra do delator normalmente é falsa e estranhamente seletiva.”

    O senador Fernando Collor, por meio de sua assessoria de imprensa, negou que tenha recebido “contribuições de empresas que não fossem legítimas doações de campanha” e afirmou que não se manifestará “sobre listagem apócrifa”.

    O UOL ligou para os telefones do senador Jader Barbalho (PMDB-PA) e de seus assessores, mas ninguém atendeu aos telefonemas. A assessoria do TCU não respondeu aos questionamentos da reportagem. O UOL não conseguiu contato com Fernando Sarney e José Sarney Filho.

    *Colaboraram Flávio Costa, Fabiana Maranhão e Ricardo Marchesan
    Quatro presidentes de empreiteiras já foram condenados

  31. A CORRUPÇÃO NO BRASIL COMEÇOU DEPOIS DO TÉRMINO DA INTERVENÇÃO MILITAR. INTERVENÇÃO JA! disse:

    Esquema de propina da Odebrecht funcionava desde governo Sarney

    Pedro Lopes*
    Do UOL, em São Paulo
    26/03/201606h00
    Ouvir texto
    0:00
    Imprimir Comunicar erro

    Paulo Whitaker/Reuters
    Prédio onde fica a sede da construtora Odebrecht, em São Paulo
    
    Prédio onde fica a sede da construtora Odebrecht, em São Paulo
    

    A 26ª fase da operação Lava Jato expôs, na última terça-feira (22), a existência de um “departamento de propina” na empreiteira Odebrecht, que teria sido utilizado para movimentar altas somas de dinheiro em pagamentos ilícitos para agentes públicos e políticos principalmente em 2014. O esquema, no entanto, pode ser muito mais antigo. Documentos mostram que, durante o mandato presidencial de José Sarney (1985-1990), procedimentos bem semelhantes aos apontados pelos investigadores da Lava Jato envolviam 516 agentes públicos, empresários, empresas, instituições e políticos. Entre eles, há ex-ministros, senadores, deputados, governadores, integrantes de partidos como PSDB, PMDB e PFL (atual DEM).

    O UOL teve acesso a quase 400 documentos internos da empreiteira, a maioria datada de 1988, detalhando remessas e propinas a diversos políticos. A documentação estava de posse de uma ex-funcionária da Odebrecht. Como no esquema divulgado pela Lava Jato na terça-feira (22), eram utilizados codinomes para os receptores dos pagamentos e as propinas eram calculadas a partir de percentuais dos valores de obras da empreiteira nas quais os agentes públicos estavam envolvidos.

    A Odebrecht afirmou “que não se manifestará sobre o tema”. Todos os políticos ouvidos negaram qualquer envolvimento em esquema de propinas com a construtora.

    Reprodução/UOL
    Chamada “Relação de Parceiros”, a lista cita nomes de políticos com respectivos codinomes

    Na documentação chamada “Livro de Códigos”, havia uma lista, batizada de “Relação de Parceiros”, que detalha os codinomes de políticos, agentes públicos e empresários relacionados às obras da Odebrecht nas quais teriam atuado.

    Um dos nomes que aparecem é de Antonio Imbassahy, atual deputado federal pelo PSDB – que tinha o codinome “Almofadinha”, e estaria relacionado à obra da barragem de Pedra do Cavalo, na Bahia. Imbassahy presidiu a Desenvale (Companhia do Vale do Paraguaçu) nos anos 1980, quando era filiado ao PFL. A Desenvale foi o órgão público responsável pela obra de Pedra do Cavalo.

    Reprodução
    Anotações revelam pagamentos de propinas pela Odebrecht desde os anos 80, afirma ex-funcionária

    Também do PSDB, Arthur Virgílio, atual prefeito de Manaus, recebe o codinome “Arvir”. Do PMDB, são citados Jader Barbalho (“Whisky”), atualmente senador, ligado à obra da BR-163, no Pará, e o ex-ministro de Minas e Energia, senador Edison Lobão (“Sonlo”). Os filhos do ex-presidente José Sarney, Fernando e José Filho, aparecem com os codinomes “Filhão” e “Filhote”; Roseana Sarney, como seu nome de casada, “Roseana Murad”, aparece como “Princesa”.

    Na lista, está também o ex-presidente e atualmente senador recém-desfiliado do PTB, Fernando Collor de Mello (“Mel”), relacionado a um emissário submarino construido na década de 1980, quando ele era governador de Alagoas. Há também o nome de Aroldo Cedraz, atual presidente do TCU (Tribunal de Contas da União), de codinome “Toldo” e ligado à obra adutora do Sesal – ele ocupava na época os cargos de presidente da Cerb (Companhia de Engenharia Rural da Bahia) e de secretário de Recursos Hídricos e Irrigação da Bahia.

    O já falecido ex-deputado federal e governador do Mato Grosso, Dante Oliveira (1952-2006), que ficou famoso como o autor do projeto que pedia eleições diretas para presidente nos anos 1980, tinha o apelido “Ceguinho” e estaria relacionado a obras de canais em Cuiabá, cidade onde foi prefeito por três mandatos.
    “Esquema sempre existiu, sempre foi esse”

    “O esquema naquela época era mais ou menos como esse divulgado essa semana, só não tão organizado assim. Esse esquema de propina, de fraudar licitações, sempre existiu na empresa. Aliás em todas as grandes, o esquema sempre foi esse”, explica Conceição Andrade, ex-funcionária da empresa e que trabalhou no departamento responsável pelos pagamentos – a antecessora de Maria Lúcia Tavares, que delatou o esquema atual na Lava Jato.

    “Eram porcentagens de valores das obras. Era feito o fechamento, e determinava um percentual. A partir daí ocorria o superfaturamento e o pagamento. Tudo isso era feito através de transações bancárias e dinheiro. É bem semelhante ao que foi divulgado na Lava Jato, mas hoje tem um departamento específico para isso. Naquela época era feito em nível de gerência, mas acredito que tenha funcionado em diretoria e presidência também”, completa Conceição.

    Reprodução/UOL
    Lista com 516 nomes cita políticos, a exemplo do senador Edison Lobão (PMDB-MA)

    “Quando fui demitida e peguei os pertences pessoais, esses documentos estavam no meio da caixa, acabaram vindo junto. As pessoas recomendaram que me desfizesse, mas achei bom guardar. É preciso traçar um paralelo, mostrar que isso é antigo. Alguns desses crimes podem até estar prescritos, mas isso tudo mostra que o esquema vem de bem antes. A saída é reforma, não é demonizar o PT”, explica a ex-funcionária.
    Investigação

    Em 2015, Conceição encaminhou toda a documentação detalhando as propinas para o deputado federal Jorge Solla (PT-BA). Solla apresentou tudo em dois âmbitos: na Polícia Federal e na CPI da Petrobras.

    Os documentos foram entregues ao delegado Bráulio Galloni, que, por sua vez, remeteu tudo para Curitiba, sede da força-tarefa da Lava Jato. Atualmente, estão na Delegacia de Repressão a Crimes Financeiros da Polícia Federal.
    Outro Lado

    O deputado federal Antonio Imbassahy afirmou que é “um despropósito” a menção ao seu nome na “Relação de Parceiros” da Odebrecht. “Como homem público sempre tive uma relação baseada na decência com a Odebrecht e com qualquer empresa.”

    O prefeito de Manaus, Artur Virgílio Neto, enviou nota ao UOL, na qual afirma:

    “Meu pai, que tinha nome igual ao meu, era, nessa época, um simples senador cassado. Eu era um ex-deputado, prefeito de Manaus entre 1989 e 1992, distante dos governos federais desse período, que nunca se relacionou com a empresa Odebrecht.

    Não fui e não sou parceiro de empresas e, em meio a esse charco todo, sempre me mantive nos limites da seriedade pública.

    Considero no mínimo precipitada a formulação da pergunta sobre “propina”. Equivaleria a eu perguntar ao jornalista se ele vende opinião em matérias ou artigos. Perdoe-me a dureza, mas sou cioso do patrimônio de honradez que herdei e que transmito aos meus filhos.

    Desviar o foco dessa lama que vem cobrindo o Brasil pode terminar servindo de válvula de escape para os que têm culpa real nos desmandos éticos que desmoralizam o Brasil.

    Nos meus dois mandatos de prefeito, não houve nenhuma obra dessa empresa [Odebrecht]. Espero, sinceramente, que um veículo do peso e da respeitabilidade de vocês saiba respeitar a honra de quem a possui.”
    Advogado responde por Lobão e Sarney

    O advogado criminalista Antonio Carlos de Almeida Castro, o Kakay, negou que seus clientes, o senador Edison Lobão (PMDB-MA) e a ex-governadora Roseana Sarney, tenham cometido qualquer ato ilícito.

    “O Brasil passa por um momento de criminalização da política. Isto é muito grave. Vamos afastar da atividade política, que é essencial para qualquer país, as pessoas de bem. E a delação passou a ser prova para incriminar, sem sequer investigar. Um país punitivo não serve para a democracia. A palavra do delator normalmente é falsa e estranhamente seletiva.”

    O senador Fernando Collor, por meio de sua assessoria de imprensa, negou que tenha recebido “contribuições de empresas que não fossem legítimas doações de campanha” e afirmou que não se manifestará “sobre listagem apócrifa”.

    O UOL ligou para os telefones do senador Jader Barbalho (PMDB-PA) e de seus assessores, mas ninguém atendeu aos telefonemas. A assessoria do TCU não respondeu aos questionamentos da reportagem. O UOL não conseguiu contato com Fernando Sarney e José Sarney Filho.

    *Colaboraram Flávio Costa, Fabiana Maranhão e Ricardo Marchesan
    Quatro presidentes de empreiteiras já foram condenados

  32. A CORRUPÇÃO NO BRASIL COMEÇOU DEPOIS DO TÉRMINO DA INTERVENÇÃO MILITAR. INTERVENÇÃO JA! disse:

    Esquema de propina da Odebrecht funcionava desde governo Sarney

    Pedro Lopes*
    Do UOL, em São Paulo
    26/03/201606h00
    Ouvir texto
    0:00
    Imprimir Comunicar erro

    Paulo Whitaker/Reuters
    Prédio onde fica a sede da construtora Odebrecht, em São Paulo
    
    Prédio onde fica a sede da construtora Odebrecht, em São Paulo
    

    A 26ª fase da operação Lava Jato expôs, na última terça-feira (22), a existência de um “departamento de propina” na empreiteira Odebrecht, que teria sido utilizado para movimentar altas somas de dinheiro em pagamentos ilícitos para agentes públicos e políticos principalmente em 2014. O esquema, no entanto, pode ser muito mais antigo. Documentos mostram que, durante o mandato presidencial de José Sarney (1985-1990), procedimentos bem semelhantes aos apontados pelos investigadores da Lava Jato envolviam 516 agentes públicos, empresários, empresas, instituições e políticos. Entre eles, há ex-ministros, senadores, deputados, governadores, integrantes de partidos como PSDB, PMDB e PFL (atual DEM).

    O UOL teve acesso a quase 400 documentos internos da empreiteira, a maioria datada de 1988, detalhando remessas e propinas a diversos políticos. A documentação estava de posse de uma ex-funcionária da Odebrecht. Como no esquema divulgado pela Lava Jato na terça-feira (22), eram utilizados codinomes para os receptores dos pagamentos e as propinas eram calculadas a partir de percentuais dos valores de obras da empreiteira nas quais os agentes públicos estavam envolvidos.

    A Odebrecht afirmou “que não se manifestará sobre o tema”. Todos os políticos ouvidos negaram qualquer envolvimento em esquema de propinas com a construtora.

    Reprodução/UOL
    Chamada “Relação de Parceiros”, a lista cita nomes de políticos com respectivos codinomes

    Na documentação chamada “Livro de Códigos”, havia uma lista, batizada de “Relação de Parceiros”, que detalha os codinomes de políticos, agentes públicos e empresários relacionados às obras da Odebrecht nas quais teriam atuado.

    Um dos nomes que aparecem é de Antonio Imbassahy, atual deputado federal pelo PSDB – que tinha o codinome “Almofadinha”, e estaria relacionado à obra da barragem de Pedra do Cavalo, na Bahia. Imbassahy presidiu a Desenvale (Companhia do Vale do Paraguaçu) nos anos 1980, quando era filiado ao PFL. A Desenvale foi o órgão público responsável pela obra de Pedra do Cavalo.

    Reprodução
    Anotações revelam pagamentos de propinas pela Odebrecht desde os anos 80, afirma ex-funcionária

    Também do PSDB, Arthur Virgílio, atual prefeito de Manaus, recebe o codinome “Arvir”. Do PMDB, são citados Jader Barbalho (“Whisky”), atualmente senador, ligado à obra da BR-163, no Pará, e o ex-ministro de Minas e Energia, senador Edison Lobão (“Sonlo”). Os filhos do ex-presidente José Sarney, Fernando e José Filho, aparecem com os codinomes “Filhão” e “Filhote”; Roseana Sarney, como seu nome de casada, “Roseana Murad”, aparece como “Princesa”.

    Na lista, está também o ex-presidente e atualmente senador recém-desfiliado do PTB, Fernando Collor de Mello (“Mel”), relacionado a um emissário submarino construido na década de 1980, quando ele era governador de Alagoas. Há também o nome de Aroldo Cedraz, atual presidente do TCU (Tribunal de Contas da União), de codinome “Toldo” e ligado à obra adutora do Sesal – ele ocupava na época os cargos de presidente da Cerb (Companhia de Engenharia Rural da Bahia) e de secretário de Recursos Hídricos e Irrigação da Bahia.

    O já falecido ex-deputado federal e governador do Mato Grosso, Dante Oliveira (1952-2006), que ficou famoso como o autor do projeto que pedia eleições diretas para presidente nos anos 1980, tinha o apelido “Ceguinho” e estaria relacionado a obras de canais em Cuiabá, cidade onde foi prefeito por três mandatos.
    “Esquema sempre existiu, sempre foi esse”

    “O esquema naquela época era mais ou menos como esse divulgado essa semana, só não tão organizado assim. Esse esquema de propina, de fraudar licitações, sempre existiu na empresa. Aliás em todas as grandes, o esquema sempre foi esse”, explica Conceição Andrade, ex-funcionária da empresa e que trabalhou no departamento responsável pelos pagamentos – a antecessora de Maria Lúcia Tavares, que delatou o esquema atual na Lava Jato.

    “Eram porcentagens de valores das obras. Era feito o fechamento, e determinava um percentual. A partir daí ocorria o superfaturamento e o pagamento. Tudo isso era feito através de transações bancárias e dinheiro. É bem semelhante ao que foi divulgado na Lava Jato, mas hoje tem um departamento específico para isso. Naquela época era feito em nível de gerência, mas acredito que tenha funcionado em diretoria e presidência também”, completa Conceição.

    Reprodução/UOL
    Lista com 516 nomes cita políticos, a exemplo do senador Edison Lobão (PMDB-MA)

    “Quando fui demitida e peguei os pertences pessoais, esses documentos estavam no meio da caixa, acabaram vindo junto. As pessoas recomendaram que me desfizesse, mas achei bom guardar. É preciso traçar um paralelo, mostrar que isso é antigo. Alguns desses crimes podem até estar prescritos, mas isso tudo mostra que o esquema vem de bem antes. A saída é reforma, não é demonizar o PT”, explica a ex-funcionária.
    Investigação

    Em 2015, Conceição encaminhou toda a documentação detalhando as propinas para o deputado federal Jorge Solla (PT-BA). Solla apresentou tudo em dois âmbitos: na Polícia Federal e na CPI da Petrobras.

    Os documentos foram entregues ao delegado Bráulio Galloni, que, por sua vez, remeteu tudo para Curitiba, sede da força-tarefa da Lava Jato. Atualmente, estão na Delegacia de Repressão a Crimes Financeiros da Polícia Federal.
    Outro Lado

    O deputado federal Antonio Imbassahy afirmou que é “um despropósito” a menção ao seu nome na “Relação de Parceiros” da Odebrecht. “Como homem público sempre tive uma relação baseada na decência com a Odebrecht e com qualquer empresa.”

    O prefeito de Manaus, Artur Virgílio Neto, enviou nota ao UOL, na qual afirma:

    “Meu pai, que tinha nome igual ao meu, era, nessa época, um simples senador cassado. Eu era um ex-deputado, prefeito de Manaus entre 1989 e 1992, distante dos governos federais desse período, que nunca se relacionou com a empresa Odebrecht.

    Não fui e não sou parceiro de empresas e, em meio a esse charco todo, sempre me mantive nos limites da seriedade pública.

    Considero no mínimo precipitada a formulação da pergunta sobre “propina”. Equivaleria a eu perguntar ao jornalista se ele vende opinião em matérias ou artigos. Perdoe-me a dureza, mas sou cioso do patrimônio de honradez que herdei e que transmito aos meus filhos.

    Desviar o foco dessa lama que vem cobrindo o Brasil pode terminar servindo de válvula de escape para os que têm culpa real nos desmandos éticos que desmoralizam o Brasil.

    Nos meus dois mandatos de prefeito, não houve nenhuma obra dessa empresa [Odebrecht]. Espero, sinceramente, que um veículo do peso e da respeitabilidade de vocês saiba respeitar a honra de quem a possui.”
    Advogado responde por Lobão e Sarney

    O advogado criminalista Antonio Carlos de Almeida Castro, o Kakay, negou que seus clientes, o senador Edison Lobão (PMDB-MA) e a ex-governadora Roseana Sarney, tenham cometido qualquer ato ilícito.

    “O Brasil passa por um momento de criminalização da política. Isto é muito grave. Vamos afastar da atividade política, que é essencial para qualquer país, as pessoas de bem. E a delação passou a ser prova para incriminar, sem sequer investigar. Um país punitivo não serve para a democracia. A palavra do delator normalmente é falsa e estranhamente seletiva.”

    O senador Fernando Collor, por meio de sua assessoria de imprensa, negou que tenha recebido “contribuições de empresas que não fossem legítimas doações de campanha” e afirmou que não se manifestará “sobre listagem apócrifa”.

    O UOL ligou para os telefones do senador Jader Barbalho (PMDB-PA) e de seus assessores, mas ninguém atendeu aos telefonemas. A assessoria do TCU não respondeu aos questionamentos da reportagem. O UOL não conseguiu contato com Fernando Sarney e José Sarney Filho.

    *Colaboraram Flávio Costa, Fabiana Maranhão e Ricardo Marchesan
    Quatro presidentes de empreiteiras já foram condenados

  33. A CORRUPÇÃO NO BRASIL COMEÇOU DEPOIS DO TÉRMINO DA INTERVENÇÃO MILITAR. INTERVENÇÃO JA! disse:

    SEGUNDO LEVANTAMENTOS A CORRUPÇÃO NO GOVERNO JUNTO A ODEBRECHT VEEM DESDE O PRIMEIRO GOVERNO CIVIL, OU SEJA SARNEY. AI ME VEM ALGUNS FALAR MAL DA INTERVENÇÃO MILITAR QUE OCORREU NO BRASIL KKKKK…E REPITO, AQUI OCORREU UMA INTERVENÇÃO E JAMAIS UMA DITADURA MILITAR, PORTANTO EXISTE UMA DIFERENÇA DE UMA COISA PRA OUTRA. INCLUSIVE TAL INTERVENÇÃO FOI IMPLORADA NA ÉPOCA! NÃO PRECISO FALAR MAIS NADA..E NO CAOS EM QUE NOS ENCONTRAMOS A INTERVENÇÃO JÁ DEMOROU!!!

  34. Só não consigo entender uma coisa…. 2 anos sem reajuste, sem reposicao… Agora era lei pra aumentar o desconto pra 14% e não contratar, as escalas q já estão ruins vão ficar piores, e eu não vejo um sindicato, uma associação, ninguém, ninguém articular uma greve!!! Só ess língua q o governo entende, ainda mais em ano de eleições… Isso sim devia ser investigado! Certeza q deve existir um mensalão pros sindicatos tb, ou o recolhe tá muito bom, pq pra mim q vivo do salário não tá dando mais, só de transporte e alimentação tá indo metade do salário, já to mandando currículo pra outros empregos, mas parece q tá tudo bom pra todo mundo! E não falem q e amor à profissão pq tá impossível nessas condições!!!

  35. Vocês ainda acreditam em governo.

  36. BOM, JÁ FIQUEI AQUI DEMAIS FALANDO DE POLÍCIA FALIDA. TENHO QUE RETOMAR MEUS ESTUDOS PRA CONCURSO DE CARREIRA DECENTE. LOGO SAI ALGUM…

O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade civil e penal do comentarista que venha a ofender, perturbar a tranquilidade alheia, perseguir, ameaçar ou, de qualquer outra forma, violar direitos de terceiros.O autor do comentário deve ter um comentário aprovado anteriormente. Em caso de abuso o IP do comentarista poderá ser fornecido ao ofendido!...Comentários impertinentes ou FORA DO CONTEXTO SERÃO EXCLUÍDOS. Contato: dipolflitparalisante@gmail.com

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s