Delegado federal deveria conhecer o significado do ditado: “quem não sabe brincar não desce pro play !” …Tá fazendo papel de bobalhão! 15

Chefe da Lava Jato que apoiou Aécio quer barrar perfil crítico no Facebook


Vinícius Segalla
Do UOL, em São Paulo

26/03/201606h00

Ouvir texto
0:00

Imprimir Comunicar erro

  • Vagner Rosário/Futura Press/Estadão Conteúdo

    O delegado da Lava Jato Igor Romário de Paula apoiou Aécio Neves (PSDB) na campanha eleitoral de 2014 e quer que as críticas que recebeu por isso sejam retiradas da internet

    O delegado da Lava Jato Igor Romário de Paula apoiou Aécio Neves (PSDB) na campanha eleitoral de 2014 e quer que as críticas que recebeu por isso sejam retiradas da internet

O delegado federal Igor Romário de Paula, um dos chefes da Operação Lava Jato, está processando o site de busca Google e a plataforma Facebook para que eles revelem os autores e tirem do ar críticas que lhe estão sendo feitas em um blog e em uma página da rede social em virtude de seu posicionamento político nas eleições de 2014, quando apoiou o candidato Aécio Neves (PSDB) e fez críticas jocosas ao PT e sua então candidata presidencial, Dilma Rousseff (PT), na internet. De Paula, porém, perdeu a ação judicial em primeira e segunda instância. Ainda cabe recurso.

Tudo começou quando o delegado federal teve seu nome ligado a uma polêmica eleitoral no ano de 2014. É que, conforme então revelou o jornal “O Estado de S.Paulo”, ele costumava pedir votos para o então candidato Aécio Neves, em páginas de redes sociais fechadas ao público geral. Além disso, participava de uma comunidade cujo símbolo era uma caricatura da presidente Dilma Rousseff (PT), com dois grandes dentes para fora da boca e coberta por uma faixa vermelha na qual estava escrito “Fora PT!”.

Depois da veiculação da reportagem, De Paula passou a sofrer críticas nas redes sociais, especificamente em um blog mantido em uma plataforma do Google e nas páginas do Facebook, onde foram criados dois perfis que passaram a criticar a postura considerada partidária do delegado que investigava supostos crimes cometidos por políticos de diferentes legendas partidárias, entre elas, o PT.

Os perfis de Facebook são dois: “Polícia Federal em crise” e “Delegado Pinga Fogo”, sendo que o primeiro já não está mais acessível. No processo movido pelo delegado da PF, estão anexadas reproduções de páginas do Facebook com algumas das críticas que ele pede que sejam tiradas do ar, como esta abaixo:

 

TJ/SP

Postagem do Facebook reproduz reportagem do “Estado de S.Paulo” junto com comentários considerados ofensivos aos delegados da Lava Jato

De acordo com o advogado de Igor Romário de Paula, as mensagens contidas nessas páginas extrapolam o direito de liberdade de expressão na medida em que maculam a honra do delegado federal, conforme se pode ler na ação judicial: “Promoveu-se, de forma gratuita, toda sorte de atentados à dignidade pessoal e profissional do agravante, extravasando os limites da proporcionalidade, expressão e informação, chegando, por certo, e até mesmo por assacar a imagem institucional do delegado, construída durante anos à duras penas.”

Com base nesses fatos, o delegado pedia a retirada do ar das páginas citadas e também que fossem fornecidas as informações cadastrais dos autores das páginas e dos comentários considerados ofensivos. O intuito seria possibilitar que De Paula viesse a processar civil e criminalmente os responsáveis pelas postagens.

Os advogados do Facebook mostraram surpresa em relação ao pedido do delegado federal, e recusaram-se a atendê-lo, conforme alegam no processo: “Uma medida dessa natureza (retirada das páginas do ar) certamente configuraria censura, inadmissível até mesmo em países com regimes não democráticos. Ainda mais assustador constatar que quem pretende esse tipo de prática é ninguém menos que um delegado da Polícia Federal!”

No ano passado, foi proferida sentença em primeira instância, em que a juíza Cecília de Carvalho Contrera não só nega o pedido do delegado, como também mostra espanto em relação ao que se pede:

“As supostas ofensas mencionadas na petição inicial devem ser compreendidas num contexto de livre exposição de ideias e manifestação do pensamento. O autor exerce função pública e, como tal, está especialmente sujeito a críticas em relação a sua atuação e da instituição da qual faz parte. Surpreendente a dificuldade demonstrada em conviver com críticas e opiniões distintas.”

Igor de Paula, porém, não se deu por vencido, e recorreu da decisão. Já no início deste ano, o Tribunal de Justiça de São Paulo proferiu acórdão sobre o tema, novamente rejeitando os pedidos do delegado, conforme se vê no voto do relator do processo, desembargador Paulo Alcides, da 6ª Câmara de Direito Privado do TJ-SP:

“O receio do abuso não pode constituir em freio à liberdade de manifestação do pensamento e de expressão. Isto, especialmente nas matérias concernentes a atos políticos e administrativos dos agentes estatais, como o recorrente (delegado Igor de Paula), que estão especialmente sujeitos a avaliações de suas condutas, justas ou injustas, seja pela população, seja pela opinião pública ou até mesmo por membros partidários no afã de defender suas posições partidárias.”

Tal decisão de segunda instância se refere apenas a um pedido liminar para que o conteúdo abordado fosse retirado com urgência do ar. O delegado ainda luta na Justiça, por meio de uma apelação ordinária à sentença, para que as críticas que recebe na internet sejam suprimidas da rede mundial de computadores.

  1. FEDERAÇÃO DOS POLICIAIS CIVIS E SINDICATOS REGIONAIS MOBILIZAM A CATEGORIA EM DEFESA DO PAGAMENTO DA REPOSIÇÃO
    Hoje (24/3), pela manhã, a FEIPOL-SE (Federação dos Trabalhadores Policiais Civis da Região Sudeste – SP, MG, RJ e ES), juntamente com alguns presidentes de Sindicatos Regionais, foi recebida pelo presidente da Nova Central Sindical de Trabalhadores, Luiz Gonçalves, para tratar do nosso movimento em prol da reposição salarial.
    O primeiro ato público ficou marcado para o dia 26/4/2016, 11 horas, no Largo de São Francisco.
    Que todos fiquem cientes, se mobilizem e divulguem, por favor.
    Jarim Lopes Roseira
    Presidente da IPA e Diretor de Organização da FEIPOL-SE.

  2. O sindicato deveria se empenhar em reposição salarial sim, mas também deveria se pronunciar sobre essas escalas absurdas, essas operações mensais do Demacro, verdadeira operação segura cadeiras, onde fica notório a obrigatoriedade de se “arranjar” um flagrante seja ele qual e como, não vejo preocupações dos diretores em fazerem operações com intuito de fazer a verdadeira função de policia judiciária!, convenhamos, um monte de inquéritos em aberto , caminhando sobre passos de tartaruga, cartório sobrecarregado, falta de policiais para diligências e vem diretores exigindo flagrantes, apreensões etc. (quando se diz apreensão, não inclua caça niqueis). Quando são apreendidas mesmo em pouquíssima quantidade dá um bla bla bla danado.

  3. Lava jato é a maior derrocada, podia ser um renascimento, mas os fins (ódio, interesses, vaidades e estrelismo) justificam arbitrariedades do meio.

    O Moro agora, certamente, condenado se tornará vítima para os mais leigos, e assim mártire.

    O impeachment está aí para abafar a lava jato, quem não deveria aparecer apareceu. Agora o José Serra costura mandar no Brasil via Michel Temer.

    O golpe via PF, MPF e Judiciário federal está dado. Agora teremos o Cunha e Temer.

    O PT vai sumir como único culpado por tudo, e você que odeia vai aplaudir o golpe por simples questão ideológica, e quem ganhou no voto por 4 vezes consecutivas vai ser varido, como não fosse nada. Ficaremos com os pais de todos os esquemas no poder novamente. Bem vindo de volta.

    Se estou mentindo? Sabemos que não.

  4. Lava jato é a maior derrocada, podia ser um renascimento, mas os fins (ódio, interesses, vaidades e estrelismo) justificam arbitrariedades do meio.

    O Moro agora, certamente, condenado se tornará vítima para os mais leigos, e assim mártire.

    O impeachment está aí para abafar a lava jato, quem não deveria aparecer apareceu. Agora o José Serra costura mandar no Brasil via Michel Temer.

    O golpe via PF, MPF e Judiciário federal está dado. Agora teremos o Cunha e Temer.

    O PT vai sumir como único culpado por tudo, e você que odeia vai aplaudir o golpe por simples questão ideológica, e quem ganhou no voto por 4 vezes consecutivas vai ser varido, como não fosse nada. Ficaremos com os pais de todos os esquemas no poder novamente. Bem vindo de volta.

    Se estou mentindo? Sabemos que não.

  5. Enquanto isso a recolha está caindo no centro está tudo confuso, pois o 1 DP não pode segundo seu diretor o Carcereiro recolha Adr…….no, pegar chinês nem contrabando, só pode segundo a primeira segunda Dama, papeleiro e USUARIO de drogas, no 12 não pode mexer com coreano, no 3 não pode mexer nos desmanches de moto roubadas nem na santa Efigênia muito menos com os vendedores de DVDs piratas e os aparelhos da Net roubados e piratas, no 4 não pode mexer nas boates enfim não estou mais entendendo nada!!!!! Porém a recolha está menor mais continua e por estar caindo estão centralizando kkkkk empresa privada no setor corrupção, sem dizer a verba que sumiuuuuu

  6. Enquanto ocorrer o exposto acima, poucos, aliás, pouquíssimos estão colocando muito dinheiro no bolso enquanto a grande maioria tem que trabalhar por tres e viver na penúria, tanto na situação financeira como nas escalas abusivas. Trabalhei na Centro há muitos anos e acho absurdo aquele comércio de peças de motocicleta exposto, no nariz do 3º, Polícia Militar e Deic, que também nada fazem. Só quem perdeu amigo por causa de motocicleta sabe a dor de ver aquilo! Fora as vítimas e policiais vítimas que perderam a vida prá ladrão de moto.

  7. Conforme o que vc comenta aqui, se mencionar alguns nomes de departamentos, eles são bloqueados. Censuraaaaaaa…..

  8. Nome de partido também bloqueia, principalmente aquele que interessa!

  9. Não, nada de censura! O que acontece é que, valendo-se do anonimato, muitos cagões inventam, criticam, ofendem, enfim, acham que podem escrever o que quiserem e o Blog deve segurar a “onda”.
    Que nada! Calúnia, injúria e difamação ainda são crimes e, em acontecendo, ainda que em tese, legitimam ação penal e busca de dados junto ao Blog e outros meios para identificação do autor e sua responsabilização.
    Sabendo disso, o Blog, por intermédio de seu responsável, quando a identificação do autor está completa ele, lógico, libera o comentário e seu autor que assuma a bronca. Agora, quando o autor dos delitos contra a honra alheia busca se esconder sob a saia larga do anonimato, entra aqui a “moderação”.
    Todos meus comentários são identificados e assumo individualmente a responsabilidade por todos eles.
    Quem não tem esse “culhão”, escreva coisas mais refletidas.

  10. Ei pessoal da ativa, lutem por salários melhores, reposição dos salários, ja há muito defasados. Os aposentados estão à míngua a, comida e remédio muito caros e salário não está dando prá viver com o mínimo de dignidade. Vocês da ativa lembrem-se que irão se aposentar e devem ter familiares ou amigos aposentados e sabem bem o que estou dizendo. Digam não para esse abonos e lutem por melhores salários, participem dos movimentos, dia 26 de abril vamos todos ao Largo São Francisco, às 11,00, protestar contra o Governo de São Paulo, que não dá aumento há mais de dois anos….esqueçam de picuinhas, lutem por salários melhores, não esqueçam que irão se aposentar e daí verão como o salário faz falta.

  11. É MOLE? ARTISTAS DA TV GLOBO DIZEM EM VIDEO ANTI IMPEACHMENT O QUE O JORNALISMO DA GLOBO SEMPRE ABAFOU. A GLOBO É CORRUPTA disse:

  12. A Polícia Federal que não aceita comando do Ministro da Justiça e desrespeita a hierarquia porque se diz republicana. Este é um belo exemplo do que tem por lá.

  13. Alguém saberia dizer sobre a data base ? Existe algum posicionamento dos Sindicatos? Ou estamos a deriva mesmo? 2015 e 2016 se a reposição salarial é mesmo uma maldade sem tamanho contra nós Policiais. O tal bônus não contempla á todos da ativa, essa é outra maldade do governo do PSDB.

Os comentários estão desativados.