DEINTER – 6 : Operação da Polícia Civil captura 382 pessoas na Baixada Santista e Vale 15

Também foram apreendidos 16,8 kg de drogas e 11 armas de fogo

EDUARDO VELOZO FUCCIA
23/06/2016 – 10:11 – Atualizado em 23/06/2016 – 10:13
Ação foi realizada em 24 cidades, de Bertioga a Barra do Turvo (Foto: Alberto Marques/A Tribuna)

A Polícia Civil realizou nos 24 municípios da Baixada Santista, do Litoral Sul e do Vale do Ribeira operação que resultou na captura de 382 pessoas acusadas de diversos crimes, entre as 13 horas de terça-feira (21) e o início da tarde de quarta-feira (22). Onze armas de fogo foram apreendidas, sendo retirados de circulação 16,8 quilos de maconha, cocaína e crack.

Nem todos os acusados, no entanto, foram encaminhados à cadeia. Apontados como autores de infrações penais de menor potencial ofensivo, 170 deles foram liberados após a elaboração de termos circunstanciados (TCs).

“A Polícia Civil faz o seu papel e prende, mas a legislação não prevê para estes tipos de infrações penais o encarceramento. Mas isso não significa impunidade, porque o Juizado Especial Criminal (Jecrim) irá julgá-las”, declara o delegado Gaetano Vergine.

Diretor do 6º Departamento de Polícia Judiciária do Interior (Deinter-6), que abrange as 24 cidades na faixa entre Bertioga e Barra do Turvo, na divisa com o Paraná, Vergine divulgou os resultados da operação durante coletiva no Palácio da Polícia, em Santos.

“Essas atuações de campo de polícia judiciária são realizadas mensalmente pelas quatro delegacias seccionais do Deinter-6, que são Santos, Itanhaém, Registro e Jacupiranga. Elas costumam ocorrer em dias diferentes, mas agora as deflagramos na mesma data”, conta o chefe da Polícia Civil.

Apesar do aparato envolvido de 364 policiais e 131 viaturas, não houve o registro de incidentes. De acordo com o diretor do Deinter-6, isso se deve ao “levantamento prévio” efetuado pelos agentes antes de saírem a campo. “As equipes não vão às ruas a esmo. Tudo é feito de forma planejada”.

Além das 170 detenções que resultaram em TCs, houve 44 prisões em flagrantes, 49 apreensões de adolescentes infratores e 119 capturas em razão do cumprimento de mandados judiciais, entre as quais a de Vanderlei Ricardo da Costa, de 46 anos, e Carlos Henrique Rezende dos Santos, de 24.

Sentenciado a 16 anos de reclusão por homicídio qualificado, Vanderlei teve a condenação confirmada pelo Tribunal de Justiça de São Paulo e foi localizado por policiais do 2º DP de São Vicente em uma casa, no Catiapoã.

Acusado de roubar celulares próximo de um colégio particular na Avenida Ana Costa, na Vila Mathias, em Santos, Carlos Henrique já foi reconhecido em sete casos. Porém, policiais do 7º DP suspeitam que ele possa estar envolvido em mais crimes e convocam as eventuais vítimas para reconhecê-lo.

Para o prosseguimento das investigações, a Justiça decretou a prisão temporária de Carlos Henrique. Segundo os policiais, ele abordava principalmente adolescentes, alunos do colégio. Simulando portar arma de fogo sob a camisa, o rapaz agia de bicicleta e usava boné, que foram apreendidos.

Dois detidos na hora do tráfico

Uma das apreensões de drogas realizadas na operação resultou nas detenções de Wellington Moreira Lopes, de 21 anos, e de um adolescente, de 15. Eles traficavam na frente de um bar na Rua Paraguaçu, no Jóquei Clube, e foram surpreendidos ao servir maconha para um viciado.

Com o adulto, policiais da Delegacia de Investigações sobre Entorpecentes (Dise) apreenderam um filete de maconha que seria entregue ao viciado. Em seguida, eles foram até um terreno ao lado, onde os acusados escondiam os entorpecentes.

Neste local, os investigadores acharam mais 116 filetes de maconha, 12 cigarros da erva, três tijolos do mesmo tóxico, 520 cápsulas de cocaína e oito tubos com lança-perfume de fabricação caseira. A pesagem da maconha e da cocaína totalizou mais de 2 quilos.

Fuga pela água

Agentes da Dise também apreenderam drogas durante incursão na Avenida Brasil, na Favela México 70, em São Vicente. O local já é conhecido dos policiais como ponto de tráfico e lá eles suspeitaram de um homem branco, magro e alto, que carregava uma sacola.

O suspeito correu ao perceber os investigadores e entrou na maré, conseguindo escapar pela água sem ser identificado. Antes, ele dispensou a sacola, que foi recuperada. Nela havia uma porção de cocaína pesando 1,8 quilo, 94 cápsulas dessa droga, 50 pedras de crack e 20 porções de maconha.

  1. Eu sei que o assunto é outro, mas com o prazer vou divulgar o nome do pm assassino da cidade de Ourinhos, o nome do traste é Luiz Paulo Isidoro de 27 anos e já foi solicitado a prisão desse assassino e com certeza sera descaracterizado de culposo para doloso e os parentes e amigos da vítima já acionaram a ONU devido os vermes tentarem apagar as imagens da câmera de filmagem e negarem a entrega para a legítima polícia judiciária, se alguém tiver a foto desse traste por favor divulguem aqui no blog.

    A arma, acreditem se quiserem, ainda está em poder de repartições militares.

    Isso é inacreditável e inaceitável.

    http://g1.globo.com/sp/bauru-marilia/tem-noticias-1edicao/videos/t/edicoes/v/video-mostra-abordagem-de-policial-militar-que-matou-jovem-em-ourinhos/5114778/

  2. Todo final de mês é a mesma história!
    Operação Segura Cadeira!
    No Estado todo é assim!
    O curioso de tudo isso é que ninguém se pergunta porque a polícia não trabalha assim nos primeiros vinte dias do mês e só resolve trabalhar nos últimos dez dias!
    Ainda, já perceberam que os bandidos presos pela polícia civil estão mais fodidos que nós policiais? A polícia civil apreende cigarro contrabandeado, drogas, armas e munições, mas nunca apreende quantia em dinheiro, a não ser dezenas de reais, isso quando apreende! Taí uma prova de que o crime não compensa, pois os bandidos não tem um puto!
    Com esse ânimo todo para prender e acabar com a criminalidade, se trabalhasse dessa forma nos trinta ou trinta e um dias do mês não haveria mais ninguém para prender, drogas ou armas para apreender etc, em questão de meses.
    Parabéns aos policiais e principalmente à população que aceita e engole a seco tais operações!
    Para que fazer greve se pelo jeito não há o que reclamar da polícia civil, que continua combatendo diuturnamente a criminalidade?
    Lamentável!

  3. Das quadrilhas que estão estourando caixas eletrônicos dia e noite no litoral, alguma cana? Claro que não.
    Da quadrilha que vive matando PM e PC no litoral! Xiiiii nada, de nada.
    Da quadrilha que estão pirateando os bancos que ficam no aguardo para adentro ao porto de Santos ! Nada, nadinha….
    Apreensão de maquininhas! O que? zerooooooooo.
    Na foto não vi nenhum caça níquel, por que será ?!
    Jogo do bicho zero a esquerda! Absolutamente nenhuma palavra.
    Fechamento do bingos! Nesta grandiosa operação.
    Algum desmanche?
    Será que só eu vejo estas coisas?
    Cadê a corregedoria, e o MP que não vêm estas coincidências, !?
    Lamentável, lamentável…..

  4. Parabéns ao Dr Gaetano , enquanto isso o Decapiada do Dr.Malvadeza vai fazendo aprensão de milho cuzido , cds piratas e carros velhos .

  5. Como sempre o que importa é a estatística. No papel fica tudo lindo…. 380 presos? Ohhhh, um montão de cocaína apreendida? Ohhhh, muitas armas de fogo retiradas das ruas? Ohhhh. Mas na pratica….. Nada de significativo. O sujeito mais perigoso que foi preso na operação toda é só um Nóia que roubava celular e nem usava arma pra isso. Malditas operações “segura cadeira” . Mas deu pra perceber que não existe caça-níqueis no litoral, pois nenhuma maquina foi apreendida.

  6. Os delegados tudo com o bolso cheio se rasgando pra mostrar trabalho custe o que custar e segurar o posto e os operacionais tudo fodido sem grana e tendo que trabalhar em dobro porque não tem funcionário, esse é o retrato atual da PC.

  7. A PM paulista se supera a cada 7 dias. Não existe 1 semana sequer que esses macacos nao façam merda. É uma merda atras da outra

  8. Pelo visto, o DEINTER 6 virou circo. Prenderam alguém do mega assalto da PROSEGUR na baixada? E o dinheiro, então? Conta infeliz: 24 municípios = 16,8 kg de drogas + 11 armas + 382 pé-de-breque => piada.
    Pelo menos, não prenderam espigas de milho. Nota 5,5.

  9. Pelo que vi no vídeo, logo após o disparo o policial imediatamente fica olhando para sua arma e desvia a atenção das pessoas dentro do automóvel.
    Policial de verdade sabe que após um disparo, não se desvia o olhar do alvo até que tudo esteja sob controle.
    Pra mim, vendo o vídeo, foi acidental e pelo histórico das armas fornecidas aos policiais deste Estado, o certo, antes de xingar o PM de “verme” como na postagem logo acima, seria aguardar o laudo pericial do armamento. Se é que a PM encaminhou ao IC, já que pelo noticiado, encontra-se em poder deles ainda. Pode ter sido também por imprudência do mike com o dedão na tecla do gatilho.
    Vejam bem, NÃO estou defendendo ninguém. Só não quero julgar antes do tempo. Até porque é fácil de dentro de uma sala.

  10. Enquanto isso ninguém se manifesta quanto a defasagem salarial da Polícia Civil paulista né? Eu, cansado de esperar pelos representantes, desiludido desse governo, iniciei uma maratona de processos para ter os meus direitos garantidos. Não sei se terei êxitos nos processos, mas estou lutando sozinho com as únicas armas que possuo. Esperar atitudes descentes por parte desse governo é perda de tempo. Por tudo que estamos passando, não temos representantes sindicais também. VAMOS AO JUDICIÁRIO E TORCER QUE O MARTELO NÃO BATA NA BEIRADA DA MESA !

  11. Essas operações são uma piada. Alô, bandidagem, antes do dia 20 pode fazer o que quiser viu?

Os comentários estão desativados.