SIRENAÇO – Polícia Civil faz protesto contra a violência e homenagem a policiais mortos 17

Policia Civil de Santa Cruz presta homenagem para delegado morto no final de semana


Dr. Renato Mardegan lamentou a morte do colega de profissão

Colaborou Dario Miguel e Portal Visão Notícias

Policiais Civis de Santa Cruz do Rio Pardo prestaram na manhã desta segunda-feira, 27, uma homenagem ao delegado Guerino Solfa Neto, morto à tiros no último sábado, 25, em São José do Rio Preto.

A partir do meio-dia viaturas foram posicionadas em frente à Central de Polícia Judiciária, no bairro da Estação. Por alguns minutos as sirenes e giroflex foram ligados em despedida ao companheiro de corporação. A homenagem chamou a atenção de quem passava pela região.

“Toda a policia civil do estado de São Paulo prestou homenagem não só ao Dr. Guerino morto neste final de semana, e também para todos os policiais que tombam no serviço dia a dia defendendo a população. Toda a Policia Civil está consternada e abalada com os últimos acontecimentos, e por isso toda a policia nesta segunda-feira ao meio realizou essa homenagem, e até uma maneira para chamar atenção de toda a sociedade deste fatos lamentáveis” disse Renato Caldeira Mardegan, delegado responsável pela Central de Policia Judiciária de Santa Cruz do Rio Pardo.

Guerino foi morto com 8 tiros – dois deles, na cabeça – depois que saía de uma festa em uma chácara. Ele era chefe da unidade de inteligência do Deinter 5, de Ribeirão Preto, um dos setores mais importantes de investigação da Polícia Civil.

A polícia recebeu uma denúncia de que uma pessoa havia sido encontrada, desacordada, em uma rua perto da Rodovia Washington Luís. Quando os policiais chegaram, encontraram o corpo com vários ferimentos e com um fio de carregador de celular amarrado nos braços. Ele não foi identificado na hora porque estava sem os documentos. A carteira, a caminhonete e uma arma foram levadas pelo assassino.

No local do crime, a polícia encontrou oito cápsulas de uma pistola .40, arma de uso restrito – a mesma que o delegado usava para trabalhar. Policiais de São José do Rio Preto e de outras cidades do estado trabalham juntos para tentar prender o assassino.

O delegado assistente do Deinter, Raymundo Cortizo, não descarta a possibilidade de o crime ter sido encomendado, já que a vítima foi responsável pela prisão de várias quadrilhas envolvidas em crimes como tráfico de drogas e roubos a banco:

No velório, muita comoção. Para os amigos de trabalho, o delegado era um profissional respeitado e admirado por todos os colegas. A caminhonete do delegado assassinado foi encontrada na região metropolitana de São Paulo. O veículo estava estacionado em frente à casa da família do principal suspeito do crime, Abner Saulo de Oliveira Calixto, no bairro Capão Redondo, Zona Sul de São Paulo. Dentro da casa a polícia apreendeu um tablet e um canivete, que também eram do policial.

O delegado Cesar Saad, que cuida do caso na capital, contou que eles chegaram até o veículo depois de rastreá-lo desde São José do Rio Preto, onde aconteceu o assassinato. E confirmou que “uma das irmãs dele confessou para a polícia que o irmão estava fazendo uso do carro no domingo, que chegou com o veículo pela manhã”.

A polícia agora tenta identificar um segundo integrante, que também teria participado do crime. Abner de Oliveira Calixto já estava preso por roubo e interceptação de veículos, no Centro de Detenção Provisória de São José do Rio Preto. Segundo a polícia, ele havia deixado a cadeia na última sexta-feira (24), depois de receber um indulto por bom comportamento. Ele deveria voltar ao presídio na próxima quarta-feira (29).

A investigação trabalha com a linha de latrocínio – roubo sequido de morte – e conta com a ajuda dos familiares do criminoso para chegar até ele.

Assista ao vídeo da homenagem realizada em Santa Cruz do Rio Pardo:

  1. Como um dos autores estava numa “saída temporária” é possível que a morte do colega tenha sido encomendada de dentro do presídio.

  2. rastreou o carro ate são paulo , poeque não deixou ninguem na campana

  3. estas tal de DIGs. SIGs.. ta loco viu.
    o estranho é que poucos colegas vem aqui para comentarem este post … não acham ?

  4. cana mesmo é o que o GAECO e os PMs fizeram hoje .

    prenderam mais de 2 toneladas de drogas e 34 bandidos , segundo o GAECO muitos dos presos são lideres do PCC.

    linda cana , parabens ao GAECO e aos PMs envolvidos nas prisões dos peixões do crime organizado.

  5. É isso aí, Villa Lobos, concordo com vc!!! Não foram presos nóias, procurados por pensão alimentícia, cigarros contrabandeados nem CDs piratas. Parabéns aos envolvidos!!!!

  6. Sofrendo de assédio moral, como sempre, já que o bonde é explícito.
    Eu fiz a minha parte esta semana, levei 3 (três) maconheiro para a delegacia para a elaboração dos TCs, para delírio extremo do delegado titular.
    Já que não sobra tempo para qualquer tipo de investigação, já que eu tenho de fazer partes de serviços, ordens de serviços, expediente, audiência de custódia, transporte de presos, menores e de mulheres, quando estes são autuados na minha pastelaria, e ainda quando não tenho que ir no fórum depor.
    Sem contar os “pedidos” nos inquéritos dos amiguinhos e dos advogados amigões da chefia, o que me resta é isto.
    As três pontas juntas não deram nem 10 gramas juntas, nem chegaram perto disto.
    Os funcionários do IC só não chamaram a minha mãe de santa, e com razão, depois eles os “cabeças pensantes” ainda querem assumir mais encargos, vá entender, sem nem o básico eles dão conta, ão conseguem nem tomar conta do próprio quintal querem cuidar dos outros.

  7. POLÍCIA CIVIL DE SP NÃO PODE INVESTIGAR HOMICÍDIOS COMETIDOS POR POLICIAIS MILITARES EM SERVIÇO
    Declarada Inconstitucional a Resolução nº SSP 110/2010 do Secretário de Segurança Pública

    Por unanimidade de votos, o Pleno do Tribunal de Justiça Militar do Estado de São Paulo declarou inconstitucional a Resolução nº SSP 110/2010, editada pelo Secretário de Segurança Pública Dr. Antonio Ferreira Pinto.
    Na referida resolução, o Chefe das Polícias determinava que, nos crimes dolosos contra a vida praticados por policiais militares contra civis em qualquer situação – durante serviço (resistência seguida de morte) ou não, os autores deveriam ser imediatamente apresentados à autoridade policial civil para as providências decorrentes de atividade de polícia judiciária, nos termos da legislação em vigor (art. 9º, parágrafo único do Código Penal Militar e art. 10, § 3° c/c art. 82 do Código de Processo Penal Militar).
    Suscitada a inconstitucionalidade da ordem, o TJM/SP decidiu que é de competência exclusiva da Polícia Judiciária Militar a condução da investigação de tais delitos, sustentando que o Secretário de Segurança Pública usurpou competência legislativa para alterar o predisposto no Código de Processo Penal Militar, produzindo norma contra legem e extrapolando os limites impostos pela natureza dos atos meramente executórios, emanados pelo Poder Executivo.
    Antecedendo à sessão de julgamento, nos termos do §3º, do art. 482, do Código de Processo Civil, o Relator deferiu pleito de sustentação oral, apresentado verbalmente em Plenário pelo advogado João Carlos Campanini, sócio-administrador da Oliveira Campanini Advogados Associados.
    De acordo com o Relator, Juiz Paulo Adib Casseb, havendo crime militar, nos moldes do art. 9º, do CPM, torna-se inafastável a previsão do §4º, do art. 144, da Constituição, que confere à polícia judiciária militar, com exclusividade, a investigação delitiva.
    “A subtração dessa atribuição, da seara policial militar, mediante ato normativo infraconstitucional, intenta grosseira e frontal agressão ao Ordenamento Supremo”.
    Com essa decisão, a Polícia Civil não mais poderá investigar as chamadas “Resistências Seguidas de Morte” quando partes Policiais Militares e civis infratores da lei.
    Na mesma toada, a decisão emanada pelo Governador do Estado que culminou na Resolução nº SSP 45/2011, que objetiva destinar ao Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) todas as investigações oriundas das ocorrências envolvendo morte com partes policiais militares em serviço é natimorta.

    Fonte: Assessoria de Imprensa da Oliveira Campanini Advogados Associados – Divulgação permitida desde que citada a fonte.

    Importante acrescentar que as Polícias Civis do Brasil usurpam essa função de polícia judiciária das Polícias Militares por uma interpretação errônea, e mal caráter, do Art 125 § 4º da CF “Compete a Justiça Militar estadual processar e julgar os militares dos Estados, nos crime militares definidos em lei e as ações judiciais contra atos disciplinares militares, ressalvada a competencia do juri quando a vítima for civil,…”. Assim são misturados os conceitos de PROCESSO e PROCEDIMENTO.
    O crime doloso contra a vida praticado por militar estadual que preencha os requisitos do Art 9º do CPM continua sendo CRIME MILITAR, entretando a ação judicial seguirá o rito do Tribunal do Jurí, como é feito nos casos de crime comum.
    Esse processo, o “Tribunal do Jurí” não afeta o que o precede, ou seja, o PROCEDIMENTO, que no caso é um competente INQUÉRITO POLICIAL MILITAR.
    Cabe ao acusado policial militar, para que não responda a dois inqueritos pelo mesmo fato, inpetração de Habeas Corpus trancativo, por constrangimento desnecessário e ausência de competência do Delegado de Polícia Civil.
    E para os que acham a medida “corporativista” é bom lembrar que o Ministério Público é também destinatário dos IPMs concluídos, exercendo seu atributo de fiscal da lei e tendo competencia para requisitar o cumprimento de diligências quantas vezes achar necessário.

  8. villa lobos disse:
    28/06/2016 às 21:07

    cana mesmo é o que o GAECO e os PMs fizeram hoje .

    SE ASSIM É, QUEM DEVERIA TOMAR A “CANA” SÃO OS MEMBROS DO GAECO, PORQUE PROMOTOR NÃO É PARA INVESTIGAR NADA NEM DAR “CANA” EM NINGUÉM.

  9. A Associação dos Delegados deveria “ver com muito cuidado”, por intermédio de advogado, como se deu essa “autorização de saída” do preso que tudo indica matou o delegado.
    O promotor e o juiz que atuaram nessa “saída”, dependendo da situação, precisam ser processados em razão dos danos que tal concessão ao preso causou.

  10. Precisou morrer um delegado para lembrarem dos demais policiais civis ??? Hipocrisia.

  11. Hipocrisia

    Um bando de homem barbado tudo sem moral ligando luzinha de carro achando que isso vai funciona contra a violencia? Se quiserem lutar contra a violencia comecem lutando contra a corrupção dentro da instituicao que é a pior das violencias que existe cortando da propria carne e acabando com as recolhas em todos os dps e departamentos.

    Uma instituição corrupta que só ve sujeira no quintal do vizinho se enterra cada vez mais. Enquanto a policia civil e a pm brigam diariamente pra ver quem é mais imunda voces nao notam que estao cada vez mais indo pro fundo do poço enquanto a gloriosa (Polícia Federal) entra pra historia desse país e se sobressai como a melhor, a única honesta e a mais competente e preparada instituição policial do Brasil. Ao inves de fazer sirenasso parem de roubar. Esse país so tem ladrão inclusive dentro da policia.

  12. Faço minha sua palavras pronto falei. A sociedade nao quer homenagem aos mortos quer uma policia decente, honesta. Fazem o sirenaço e em seguida ja vem tudo com sangue nos zóio perguntando onde ta o dinheiro da recolha? Corja de corruptos esse país nunca vai pra frente. Depois que acabar as investigações da Lava Jato a PF deveria fazer a limpa nas policiais militar e civil. Grampear todos os departamentos, delegacias e celulares de seus respectivos tiras. Aposto que dos 40 mil do contingente da PC em SP pelo menos 35 mil ia preso e dos 100 mil da PM pelo menos 95 mil tambem iam presos. Não adianta ficar enxugando gelo. Tem é cortar da propria carne antes. Ta tudo errado tanto na PM como na PC e nego fica viajando na maionese como se as duas instituições só tivessem gente decente.

  13. Esse sirenaço vai mudar oque? Quem me garante que não foi um colega? Tá na cara que a morte foi encomendada. Latrocínio é piada de mau gosto. A polícia civil vai falar que foi o ‘Celso Daniel’ que matou ele.

  14. Viva a gloriaosa…”melhor, a única honesta e a mais competente e preparada instituição policial do Brasil”..kkkkkkkkkk seu símbolo maior….Japonês da Federal…..me poupem por favor…

  15. Viva a gloriosa…”melhor, a única honesta e a mais competente e preparada instituição policial do Brasil”..kkkkkkkkkk seu símbolo maior….Japonês da Federal…..me poupem por favor…

  16. Zeca, voce nao pode falar nada meu caro. Tenho um amigo de infancia que é da PF. Um dia almoçando com ele e falando sobre corrupção policial ELE mesmo (agente de polícia federal) me disse que na PF a cada 100 homens, 2 são corruptos. E quando falei da polícia civil paulista ele deu risada e falou que na PC a cada 100 homens 88 são corruptos.

    Então……….. XIU

O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade civil e penal do comentarista que venha a ofender, perturbar a tranquilidade alheia, perseguir, ameaçar ou, de qualquer outra forma, violar direitos de terceiros.O autor do comentário deve ter um comentário aprovado anteriormente. Em caso de abuso o IP do comentarista poderá ser fornecido ao ofendido!...Comentários impertinentes ou FORA DO CONTEXTO SERÃO EXCLUÍDOS. Contato: dipolflitparalisante@gmail.com

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s