CRIME QUASE PERFEITO – Oficial que roubava para a PM perderá a patente, mas continuará recebendo a aposentadoria de R$ 15.000,00 40

Secretário de Alckmin dá aval para expulsar PM suspeito de fraude

Reynaldo Turollo Jr/Folhapress
Frente da empresa Rogep, que foi paga pela PM sem ter comprovado a entrega de peças
Frente da empresa Rogep, que foi paga pela PM sem ter comprovado a entrega de peças

ROGÉRIO PAGNAN
DE SÃO PAULO

O secretário de Segurança de São Paulo, Mágino Alves Barbosa Filho, deu aval à expulsão de um tenente-coronel da Polícia Militar suspeito de comandar esquema de fraudes no setor de licitações do comando-geral da corporação.

Na última sexta-feira (26), o secretário acolheu o parecer da comissão interna da própria PM, que se manifestou pela exclusão do PM de seus quadros.

O processo segue agora ao Tribunal de Justiça Militar. A decisão final da expulsão do oficial caberá ao governador Geraldo Alckmin (PSDB), caso o TJM confirme o entendimento da comissão.

O PM perderá a condição de policial, volta a ser civil, mas continuará com seus vencimentos sem alteração –R$ 15.718,27 brutos.

O oficial que deve ser expulso da PM é o tenente-coronel da reserva José Afonso Adriano Filho que, segundo investigações da polícia, comandou esquema de fraudes entre 2009 e 2010 envolvendo cerca de R$ 10 milhões.

O oficial, que era major na época das irregularidades, trabalhou no setor de licitação do comando de 2000 até 2012, quando se aposentou. Na ocasião, foi promovido a tenente-coronel –segundo posto mais alto na hierarquia da corporação–, como prevê toda aposentadoria na PM.

Em 2015, a Folha publicou uma série de reportagens sobre as fraudes praticadas.

Em linhas gerais, o oficial simulava licitações para comprar materiais para o comando-geral e desviava esse dinheiro para outros fins. Ele alega que todo o dinheiro era revertido à própria instituição, com reformas de prédios e aquisição de produtos.

A Folha revelou, porém, que ele chegou a pagar seis meses adiantado o condomínio de imóveis da família, no valor de R$ 14.320, com um cheque de uma das empresas de fachada que participavam das licitações da PM.

Os desvios ocorriam em vários tipos de compras, como clipes, açúcar, pen drives e peças para veículos.

O que chama a atenção é que eram compras sem justificativas, que ocorreram por anos, sem qualquer tipo de reprimenda de seus superiores. Algumas delas: 9.700 quilos de açúcar em três meses, 23,3 mil pacotes de biscoito em cinco meses e R$ 72,5 mil em gastos com clipes para papel. Tudo isso destinado, em tese, apenas ao prédio do comando-geral da PM.

Além disso, não há provas de que essas compras foram entregues.

Outro caso foi a aquisição de R$ 1,7 milhão em peças para manutenção da frota, mesmo que nenhum parafuso tenha sido entregue –até porque os veículos são consertados em outro lugar.

Em entrevista anterior, Adriano Filho disse, sem citar nomes, que todas as irregularidades foram cometidas para o bem da instituição e com o aval da cúpula da polícia.

“Não fiz nada sem ordem. Todas as melhorias executadas, não só no Quartel do Comando-Geral como em outras unidades, tinham ciência e autorização dos superiores. De todos os superiores”, disse ele.

As fraudes ocorreram ao menos entre 2009 e 2010, período em que foram comandantes-gerais da PM os coronéis Roberto Diniz e Álvaro Camilo, nas gestões José Serra e Alberto Goldman (PSDB).

Parte das irregularidades foi detectada por investigação interna da própria PM.

Por conta das fraudes envolvendo as peças de carro, Adriano Filho tornou-se alvo de uma ação movida pelo Ministério Público.

O coronel foi denunciado, juntamente com a empresa, a Rogep, e a Justiça determinou a indisponibilidade dos bens do oficial e da empresa, no valor de até R$ 5,3 milhões.

OUTRO LADO

Procurado pela reportagem, Adriano Filho disse, por meio de seu advogado, que não queria comentar o assunto.

Já o governo afirmou que abriu uma investigação complementar para a apurar o caso e que está em segredo.

*

Esquema de fraudes em licitações

A fraude
Dinheiro destinado à aquisição de produtos –muitos não eram entregues– e à contratações de serviços para o Comando-Geral da PM era desviado por meio de licitações fraudulentas

Período
Entre 2009 e 2010, no mínimo, mas operador do esquema atuava no departamento desde 2000

Comando-geral
Formado pelo comandante-geral (indicado pelo governador), subcomandante e oficiais do Estado-Maior; fica na região da Luz (centro de SP)

O operador
Tenente-coronel José Afonso Adriano Filho é apontado como operador. Ele era o responsável pelas finanças do Departamento de Suporte Administrativo do Comando-Geral

O que ele diz
Confirma parte do esquema, mas alega que o dinheiro era desviado para pagar dívidas da própria PM

  1. Ou seja, mais um cargo Vitalício (Juiz, Promotor e PM Oficial).

    Este é o Estado Democrático de Direito!

    E o Princípio da Isonomia??

  2. Se fosse Delegado de Polícia já tinha perdido o cargo, o salário e a vida.
    Se fosse Policial Civil já tinha perdido tudo antes do tempo…

  3. Policial de verdade não pode errar, uma falha põe tudo a perder.
    É como médico um erro = uma morte, põe tudo a perder.

  4. VITÓRIA NA GUERRA. disse:
    08/09/2016 ÀS 18:47
    Tremenda pouca vergonha, isso só existe nessa pmesp.
    Foi devido essa farsa na segurança desse presídio que houve a fuga de um assassino que executou diversas pessoas na zona sul e até hoje não existe nenhuma reportagem a respeito da prisão do assassino.
    Nessa instituição o oficial padre mete a mão no dinheiro e é visto em um motel se divertindo com uma mulher e é alvo de reportagem, o outro fudidão mete a mão em dez milhões de reais em apenas dois anos e ainda dizem que a academia de oficiais forma homens honestos e são tão covardes que na hora que a reportagem vai pra cima, então sequer são corajosos o suficiente para darem entrevista.
    Covardes!

    Isso existe só na PMESP?KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK conta a do papagaio agora vai, porque essa foi boa!

  5. Rodrigo:

    Antecipo-lhe a piada, com a devida anuência do VITÓRIA NA GUERRA: a Polícia Militar paulista sempre se pautou no aperfeiçoamento contínuo, ademais, respeitando, à risca, TODOS os princípios da administração pública! Jamais permitiu movimentações de ninguém, exceto nos casos previstos em lei, notadamente em absoluto respeito ao interesse comum!

    KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

  6. VEJAM O TAMANHO ABSURDO COMO É QUE PODE PERDER O POSTO E A PATENTE , VOLTAR A SER CIVIL

    NEM POLÍCIA É MAIS , OU SEJA ADMINISTRATIVAMENTE NÃO MANTÉM MAIS NENHUM VÍNCULO COM O

    ESTADO , NÃO TEM NADA HAVER COM O ESTADO

    CONFORME O DIREITO ADMINISTRATIVO PERDENDO O POSTO E PATENTE, PERDERA TUDO !

    COMO QUE O ESTADO PODE CONTINUAR PAGANDO SOLDOS, SALÁRIOS ELEVADOS A QUEM NÃO

    PERTENCEM MAIS A CORPORAÇÃO E NÃO TEM MAIS NENHUMA LIGAÇÃO COM O ESTADO PATRÃO ???

  7. GPS(Grupo de Planejamento Setoria) da SSP, que cuida das finanças da Pasta só dá PM, Por que será? disse:

    ATENÇÃO: Em breve será aberto o pregão eletrônico para a compra de capim orgânico pelo Regimento 9 de julho. Em breve, os cavalos passarão a emporcalhar parques e ruas de nossa cidade com estrume de qualidade, sem resíduos de defensivos agrícolas.

  8. Essa é a instituição que se prepara para assumir TODA a segurança no Estado? Que acusa a PC de corrupta? Que quer ser carreira JURÍDICA e MILITAR ao mesmo tempo?

  9. A PM é a cobradora oficial do governo Alckimim, ela faz operação voltada a fiscalizar os documentos dos veículos e fazer multas para gerar recursos para o governo do psdb. Quando vemos os inúmeros benefícios para a PM e nada para a Civil, nem precisa perguntar porque né?

  10. Corrupção é o câncer instalado em todas as instituições do poder público, contaminando a administração e desintegrando a nação brasileira. As polícias não fogem a regra, não basta o slogan “Não rouba e não deixa roubar”.Os casos denunciados demandam apuração e ampla divulgação do resultado.

    Não é só na PM que a rapinagem travestida de regular procedimento licitatório aconteceu e acontece, tivemos rumorosos casos no DIPOL em inúmeras licitações sobre equipamentos, programas e sistemas(equipamentos pagos que desapareceram, programas e sistemas pagos que não foram implantados ou entregaram um arremedo do que foi contratado,etc.) e até hoje os responsáveis não foram punidos e o dinheiro desviado não foi estornado ao erário.

    Vai aí como lembrança:

    Sistema de Mapeamento de Suspeito;

    Sistema de Informatização da Corregedoria Geral de Polícia;

    Sistema de Auditoria de Boletins de Ocorrência;

    Sistema de Informatização da Academia de Polícia Civil e outros, alguns deles receberam verbas da SENASP para serem desenvolvidos e implantados.

    O Tribunal de Contas da União e do Estado, bem como o Ministério Público, tanto federal como estadual, deveriam acompanhar eventuais investigações na área criminal e administrativa sobre os casos e o mais importante, não apenas punir esses rapinos de ternos Armani travestidos de policiais, mas estornar ao erário tudo aquilo que dele subtraíram.

    Tô pagando pra ver.

O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade civil e penal do comentarista que venha a ofender, perturbar a tranquilidade alheia, perseguir, ameaçar ou, de qualquer outra forma, violar direitos de terceiros.O autor do comentário deve ter um comentário aprovado anteriormente. Em caso de abuso o IP do comentarista poderá ser fornecido ao ofendido!...Comentários impertinentes ou FORA DO CONTEXTO SERÃO EXCLUÍDOS. Contato: dipolflitparalisante@gmail.com

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s