Com esse monte de bandido legislando para o povo, para que Polícia, Ministério Público e Justiça? 20

Roubaram tudo e querem roubar mais sem serem importunados pela Polícia, pelo Ministério Público e pela Justiça.

 

O Quadrilhão do Congresso agiu na calada da noite quando o povo brasileiro só tinha a atenção para a tragédia de Chapecó que comoveu toda a nação.

Os ladravazes do erário público não compartilhavam do mesmo sentimento e DESFIGURARAM completamente as medidas anti corrupção patrocinadas pelo Ministério Público com procuração outorgada pelo povo brasileiro representado em mais de três milhões de assinaturas coletada.

Passou da hora do povo virar a mesa. Chega de LADRÃO travestido de mandatário popular. Essa bandidagem não nos representa e não somos obrigados a sermos tratados como idiotas com as mais variadas manobras escusas que outra coisa não visam senão possibilitar que essa rapinagem continue impunemente.

O texto abaixo foi extraído do site da Associação dos Delegados de Polícia de São Paulo veiculado nesta data.

“Câmara desfigura pacote anticorrupção do Ministério Público

Após aprovar por quase unanimidade o texto-base do pacote de dez medidas anticorrupção do Ministério Público, o plenário da Câmara dos Deputados passou a madrugada desta quarta-feira (30) votando emendas e derrubando vários pontos importantes da proposta.

Quase no final, o relator, o deputado Onyx Lorenzoni (DEM-RS), ironizou: “Está sendo dizimado [o pacote]. Do jeito que vai as dez medidas vão virar meia medida.”

A votação das emendas acabou às 4h19.

A primeira atitude dos deputados na madrugada foi incluir emenda com a possibilidade de punição de magistrados e integrantes do Ministério Público por crime de abuso de autoridade.

A isso se seguiu uma série de alterações no pacote, sempre na linha de suprimir propostas do Ministério Público de endurecimento da legislação ou de simplificação dos trâmites processuais.

A maior parte das emendas foi capitaneada por PP e PT, partidos com vários políticos implicados na Lava Jato.

Com votações expressivas contra o texto elaborado pela força tarefa de Curitiba, os deputados rejeitaram pontos como a tipificação do crime de enriquecimento ilícito de funcionário público, a ideia de tornar a prescrição dos crimes mais difícil e a de facilitar a retirada de bens adquiridos com a atividade criminosa.”

Com esse monte de bandido legislando para o povo, para que polícia, ministério público e justiça?

Por:  Amigo da rua Brigadeiro Tobias, nº 527, 9° andar, Luz, São Paulo/SP.

  1. SR. “skriba”, BOA NOITE ! E, SÓ COMPLEMENTANDO : E FUZILAMENTO, SEM EXCEÇÃO….

  2. Que choradeira é essa?
    O Congresso é composto de parlamentares que lá chegaram por meio de voto popular.Não falamos tanto em democracia, democracia é isso ai! Democracia no Brasil é passar a mão na bunda do guarda, cuspir na professora e fumar maconha na escadaria da igreja.
    Esse país, na conversa, não tem jeito. Somente uma revolução. Eu que não vou pegar em armas pra consertar essa bagunça.
    Perdoem me a franqueza, mas a matéria humana brasileira é muito ruim. Hoje os valores são outros, o dinheiro, poder e as drogas e o que ligam a sociedade.
    Não existe dentre os três poderes, um que possa tirar o nosso Brasil do caos, vejamos o STF, sua composição é de fazer qualquer bebe em trabalho de parto não querer sair da barriga da mãe. O Executivo em todas as esferas é de matar. Como um dia, um país sério elege DEELMA, REINAUM CALIEIROS, LIXOMBERG , BANESSA GRADIOTIM, MARIA DO CALVARIO?Elegeram até membro do pcc para prefeito em município da grande SP!!!
    Semana passada colocaram fogo e depredaram um caminhão do Bombeiro em Sertaozinho SP. Policiais são assassinados como frangos em abatedouro, megaasaltos a todo momento. Vivemos o caos e, não teremos melhoras nas próximas décadas. Agora não adianta chorar, vocês queriam Malio Covas, Ubisses Guimalaes. Chutaram os presidentes militares e toda as Forças Armadas que nem cachorros, apoiaram essa Constituição de primeiro mundo. Agora vamos todos pa Pqp.

  3. A foto expressa os rostos corruptíveis e sorrisos esnobes, mas o povo e os sistema os elegem, como se diz somos incultos e ignorantes, quiça essa frase vem a calhar, os que não gostam de política serão governados pelos FDP que gostam.

  4. É na madrugada que os ratos estão sempre bem ativos.

    http://g1.globo.com/politica/noticia/2016/11/moro-envia-ao-senado-sugestao-projeto-sobre-abuso-de-autoridade.html
    30/11/2016 18h20 – Atualizado em 30/11/2016 18h44
    Moro envia ao Senado sugestão para projeto sobre abuso de autoridade
    Juiz recomendou vetar criminalização de divergência na interpretação legal.
    Senadores analisam projeto que lei sobre casos de abuso de autoridade.

    Vladimir NettoDa TV Globo, em Brasília

    O juiz federal Sérgio Moro, responsável pelos processos da Operação Lava Jato na primeira instância, enviou nesta quarta-feira (30) ao Senado uma sugestão ao projeto que atualiza a legislação sobre casos de abuso de autoridade (leia mais abaixo o que o projeto prevê).

    No documento, Moro recomendou inserir no texto um item que veta a criminalização da “divergência na interpretação da legislação penal e na avaliação de fatos e provas”.

    Atualmente, os senadores analisam um projeto (leia detalhes mais abaixo), apresentado pelo presidente da Casa, Renan Calheiros (PMDB-AL), que endurece as punições aplicadas a juízes, promotores e delegados, por exemplo, que vierem a cometer algum tipo de abuso.

    “Não configura crime previsto nesta lei a divergência na interpretação da lei penal ou processual penal ou na avaliação de fatos e provas”, diz o item sugerido pelo juiz Sérgio Moro.

    Na avaliação do juiz federal, é “imprescindível evitar que seja criminalizada, na prática, a interpretação da lei e a avaliação dos fatos e provas” pelas autoridades judicial, policial e do Ministério Público.

    A proposta em análise no Senado é alvo de críticas de setores do poder Judiciário e do Ministério Público Federal. O relator da proposta é o senador Roberto Requião (PMDB-PR).

    Para Moro, no ofício enviado ao Senado, “este não é o melhor momento para a deliberação” do projeto, pois a aprovação em definitivo, argumenta, pode ser interpretada como uma medida “a fim de impedir a continuidade e o avanço de investigações criminais importantes, incluindo a Operação Lava Jato”.

    O juiz argumenta, ainda, que “o direito não é matemática” e “pessoas razoáveis” tenham opiniões diferentes. Para Moro, a lei restringirá a atuação e submeterá juízes, desembargadores, ministros, promotores e policiais “a acusações ou a ameaças temerárias por parte de criminosos”.

    O projeto
    O projeto que atualiza a lei de abuso de autoridade prevê pena de um a quatro anos de prisão, além do pagamento de multa, para delegados estaduais e federais, promotores, juízes, desembargadores e ministros de tribunais superiores que ordenarem ou executarem “captura, detenção ou prisão fora das hipóteses legais”.

    O texto também prevê punição para a autoridade que recolher ilegalmente alguém a uma carceragem policial e deixar de conceder liberdade provisória ao preso – com ou sem pagamento de fiança – nos casos permitidos pelo Código Penal.

    A proposta também estabelece pena de um a quatro anos para a autoridade policial que constranger o preso, com violência ou ameaças, para que ele produza provas contra si mesmo ou contra terceiros.

    Veja abaixo outros crimes de abuso de autoridade previstos pela proposta:
    – Invadir, entrar ou permanecer em casas de suspeitos sem a devida autorização judicial e fora das condições estabelecidas em lei (pena de 1 a 4 anos);

    Promover interceptação telefônica ou de dados sem autorização judicial ou fora das condições estabelecidas no mandado judicial (pena de 1 a 4 anos);
    Obter provas, durante investigações, por meios ilícitos (pena de 1 a 4 anos);
    Dar início a persecução penal sem justa causa fundamentada (pena de 1 a 5 anos);
    Não fornecer cópias das investigações à defesa do investigado (pena de seis meses a 2 anos).

    Câmara
    Na madrugada desta quarta, o plenário da Câmara dos Deputados aprovou um conjunto de medidas de combate à corrupção. Após aprovar o texto-base, contudo, os parlamentares também incluíram uma série de alterações, o que desfigurou o pacote, originalmente apresentado pelo Ministério Público Federal.

    Entre as propostas aprovadas pelos deputados, está a que prevê as condutas pelas quais juízes e integrantes do MP poderão responder por abuso de autoridade.

    As mudanças aprovadas geraram uma intensa repercussão, principalmente entre associações, como a de juízes (Ajufe) e a de procuradores da República (ANPR), a ponto de os procuradores que atuam na força-tarefa da Lava Jato dizerem que renunciarão à atuação na operação caso o projeto, como foi aprovado, vire lei.

  5. Coloca uma dúvida, ou melhor, algo que possa ser trazido ao debate:

    Assim como fez com a PEC 37 num brilhante trabalho de contra inteligência ludibriando o povão ao apelidar essa PEC como “pec da corrupcao”, que não tinha nada a ver com corrupção, e sim sujeitar o MP a uma mínima ordem respeitando a Polícia Civil, novamente vem o MP dizendo que o que ocorreu nessa madrugada é a “lei da intimidação “(????).

    E notem: o estardalhaço todo, única e exclusivamente por colocar no pólo passivo o MP e magistratura, assim como todos os mortais. Notem que o MP não está batendo na retirada do enriquecimento ilícito…..tem que desenhar????

    Então por incrível que pareça pela pior e mais torta via possível estou assistindo de camarote o MP tendo que no futuro se sujeitar as leis como nós policiais.

    Aliás me respondam : quando o MP instaura um PIC qual o prazo pra conclusão? Quem fiscaliza? Pq instaura por um crime, e pro zé pretinho da favela que teve seu barraco arrombado não tem PIC ou investigação do MP?????

    Então novamente o gado vai entrar nessa conversa mole de “lei da intimidação ” assim como foi a PEC 37….

    Os procuradores não querem ser mais Deuses. Agora eles querem ser Deuses imortais inatingíveis e sem fiscalização nenhuma.

    É o seguinte: pau que dá em polícia, ladrão e no povão, tem que dar em juiz e promotor também. Veja lá na corregedoria a porrada de Delegado por ter culhao e meter vagabundos na cadeia tá respondendo por abuso de autoridade? E o MP socando bem no majura….

    Parece que o jogo inverteu não é mesmo? Ou ao menos vão sentir na pele…..

    Kkkkkkkkk

  6. Juízes e promotores não são melhores do que os policiais e o restante da população.

  7. Depois dessa traição dos parlamentares da Câmara dos Deputados e Senado contra os Contribuintes e Eleitores com relação a mudança da lei anticorrupção para não lhes afetar, os parlamentares de todos os entes políticos da União, dos Estados e Municípios, acham que não devem ser hostilizados.
    O parlamentares sabem que seus poderes constituídos são subordinados a vontade dos detentores do poder constituínte originário (Eleitores). Agora só restam aos Eleitores com apoio dos procuradores do MP e juízes reivindicar o fechamento do congresso nacional, assembléias e câmaras municipais com a cassação de todos os parlamentares pelas forças armadas por tempo indeterminado até que todos os Governantes e parlamentares envolvidos em corrupção sejam processados e julgados. Só assim o Brasil pode ser passado a limpo

  8. Caralho este tal de MORO não é nenhum santo , recebe 90 mil por mês, assim é fácil dar uma de paladino da justiça. Os promotores estão no mesmo nivel , batendo legal na policia, pousando de bacanas na televisão. O que me admira e que ainda de “poliça” trouxa que bate palma para estes malas. Olha povo os caras estão defendendo é o “pirão” deles, se bobear vão querer que cortem os salarios dos policiais para custear o deles. O fato é que os politicos vão detonar com eles , os trouxas esqueceram a regra de ouro “quem se mostra demais , mostra a bunda”.

  9. Jornal ABCD Maior – 27/09/13

    Justiça de Santo André acata acusação de fraude em multas de trânsito; parlamentar pode recorrer da decisão
    A juíza da 1ª Vara Criminal de Santo André, Maria Lucinda da Costa, condenou o vereador Sargento Geraldo Juliano (PMDB) a 12 anos e cinco meses de prisão e perda do mandato por fraudes em multas de trânsito. A denúncia foi feita pelo Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado) que investigou e provou que o parlamentar inseria informações falsas nos sistemas de dados públicos, além de usar documentos falsos para ajudar moradores a recorrer de infrações de trânsito.

    A promotora do Gaeco Milene Comploier, uma das responsáveis pela investigação, disse que o “esquema” do vereador ainda contava com a ajuda ex-assessor Omar El Sami condenado a 20 anos e 5 meses de reclusão. “Trata-se de uma condenação justa, porque houve fraude. O vereador usava seu gabinete para elaborar recursos fraudulentos”, afirmou Milene.

    De acordo com o Ministério Público, os recursos eram preparados por Omar El Sami, então assessor parlamentar de Juliano, com base em documentos públicos falsificados.

    “Um policial – não identificado – que trabalhava no Centro de Operações da Polícia Militar (COPOM) no ABC elaborava documentos contendo a comunicação de ocorrências criminais inexistentes envolvendo os veículos autuados, principais argumentos utilizados nos recursos. Geralmente, as falsas ocorrências noticiavam tentativas de assalto aos motoristas autuados, criando a justificativa para o cruzamento de semáforos fechados, argumento utilizado para pedir a anulação das multas”, informou o MP.

    Juliano e seu ex-assessor deverão cumprir a pena em regime inicial fechado, mas a Justiça concedeu a ambos o direito de recorrer em liberdade.
    O vereador atendeu a ligação telefônica, mas passou o telefone para sua mulher, Vilma, após a reportagem do ABCD MAIOR se identificar. Vilma disse que transmitiria o recado sobre a condenação, mas não houve retorno

  10. PESSOAL !, PELOS ÚLTIMOS ACONTECIMENTOS, AQUELE TAL DE CUNHA É UMA CRIANCINHA EM VISTA DESSE RENAN. RAPAZ !, S.M.J., SÓ UM DAQUELE ” L A M I A ” PARA PARAR UM CARA DESSE….

  11. Diário Regional – 28/09/2013 11:00

                                      VEREADOR SARGENTO JULIANO É CONDENADO À PRISÃO
    

    O vereador de Santo André Sargento Juliano (PMDB) foi condenado a 12 anos e cinco meses de prisão em regime fechado por, segundo o Ministério Público, ter fraudado o sistema da Policia Militar para que quatro munícipes pudessem ter facilidade para conseguir recorrer contra multas de trânsito. A sentença assinada pela juíza Maria Lucinda da Costa, da 1ª Vara Civil de Santo André, também inclui Omar El Sami Miguel, ex-assessor de gabinete do vereador em sua legislatura anterior (2009-12). A denúncia foi feita pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) em 2010 e ambos podem recorrer em liberdade.

    O documento final discorre que Sargento Juliano e Miguel incluíram informações inverídicas no banco de dados do Centro de Operações da Polícia Militar (Copom) com ajuda do Tenente da Policia Militar (PM) José Euzébio, funcionário de gabinete do peemedebista e com cargo de chefia no Copom-ABC. O texto informa que o intuito era comunicar “ocorrências criminais inexistentes” para que as pessoas tivessem êxito ao recorrer contra multas de trânsito, já que as multas podem ser anuladas caso o dono do carro consiga provar que não era o condutor do veículo.
    Em entrevista ao Diário Regional, o peemedebista afirmou que discorda do julgamento e que não tem como fiscalizar a conduta de seus assessores a todo momento. “Minha ficha na Policia Militar é limpa do começo ao fim, não há nenhuma mancha”, disse.

    A ação penal por falsificação de papeis públicos pede cassação do cargo de sargento da Policia Militar e de vereador de Santo André. No entanto, Juliano sustenta que a suspensão de seus cargos não ocorre antes do julgamento de recurso em segunda instância e defendeu seu amplo direito de defesa. “Se for o caso, vou entrar com recurso até em Brasília”, disse, referindo-se às duas últimas Instâncias do poder judiciário, o Superior Tribunal de Justiça (STJ) e Superior Tribunal Federal (STF). “(Os atos ilegais) não têm nada a ver com minha pessoa”, sustentou.
    Trânsito em julgado

    O vereador de Santo André teve pedido de cassação do mandato, em 2012, por rejeições das contas da Câmara referentes ao exercício de 2002. A ação se deu porque o Tribunal de Contas do Estado (TCE) não aceitou as contas referentes àquele ano quando Juliano era vice-presidente da Casa e assumiu por duas semanas a presidência. O vereador foi absolvido por unanimidade pelo Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo (TRE-SP).

  12. VEJAM !

    A BANDIDAGEM ESTÃO DEITANDO E ROLANDO DE TANTO RIR

    COMO A JUSTIÇA É FROXA

    E O MPE, SE SUBMETE PARA NÃO SE INDISPOREM COM OS JUÍZES

    O QUE OS FISCAIS DA LEI FAZEM MESMO ?

    A PC – ESTÁ DEIXANDO A DESEJAR

    A PM – NÃO CUMPRE O SEU PAPEL

    A PM – QUEREM INVESTIGAR

    NÃO QUEREM CUMPRIREM SEU PAPEL DE DE POLÍCIA OSTENSIVA E PREVENTIVA

  13. O DEP. FEDERAL LINDEMBERG FARIAS

    FALOU NA CARA DO MORO

    QUE ELE NÃO ESTAVA CUMPRINDO O SEU

    PAPEL DIREITO NA LAVA JATO

    O MORO RESPONDEU

    VOSSA EXCELÊNCIA QUER DIZER QUE ESTOU PREVARICANDO

  14. SARGENTO JULIANO DIZ QUE NÃO SABIA DE FRAUDE EM GABINETE

    30/09/2013 – LEGISLATIVO

    Juliano diz que não fez nada de errado. Foto: Arquivo ABCD MAIOR

    Vereador de Santo André vai recorrer de condenação de 12 anos de prisão por usar documentos falsos em recursos de trânsito
    O vereador de Santo André Sargento Geraldo Juliano (PMDB) disse nesta segunda-feira (30/09) que recorrerá da sentença judicial que o condenou a 12 anos e cinco meses de prisão e perda do mandato por fraudes em multas de trânsito. “Ainda não fui notificado, mas vou recorrer, porque não tinha conhecimento do que faziam de errado no meu gabinete”, afirmou.
    Pela investigação do Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado), o “esquema” no Gabinete contava com a ajuda do ex-assessor Omar El Sami, também condenado a 20 anos e 5 meses de reclusão.
    “Eu sequer sei ligar um computador. Não tinha conhecimento do que foi feito de errado. Nos meus depoimentos na Polícia Militar e no Fórum também declarei isso. Quando fui intimado sobre a investigação, fui pego de surpresa”, afirmou o peemedebista.
    O Gaeco apurou que os recursos eram preparados por Omar El Sami, então assessor parlamentar de Juliano, com base em documentos públicos falsificados, para ajudar moradores a recorrer de multas. O Ministério Público apurou que eram usadas falsas ocorrências, como tentativas de assalto aos motoristas autuados, criando a justificativa para o cruzamento de semáforos fechados, argumento utilizado para pedir a anulação das infrações de trânsito.
    “Nunca fiz nada de errado na minha vida. Nunca participei de nada de errado. Não preciso mentir. Sempre agi com boa fé e, por isso, tenho a consciência tranquila”, concluiu.

    Fonte: Jornal ABCD MAIOR.

  15. 25/09/16 – Senador Linberg Faria é esculhambado publicamente. Bem feeeeeeeeeeeeeeeeeeeeito!!!

O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade civil e penal do comentarista que venha a ofender, perturbar a tranquilidade alheia, perseguir, ameaçar ou, de qualquer outra forma, violar direitos de terceiros.O autor do comentário deve ter um comentário aprovado anteriormente. Em caso de abuso o IP do comentarista poderá ser fornecido ao ofendido!...Comentários impertinentes ou FORA DO CONTEXTO SERÃO EXCLUÍDOS. Contato: dipolflitparalisante@gmail.com

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s